Sie sind auf Seite 1von 8

o cérebro e o robÔ

Inteligência artificial,
biotecnologia e a nova ética
Coleção ETHOS
• Ética de Gaia: ensaios de ética socioambiental, Jelson Roberto de Oliveira, Wilton Borges dos Santos
• Ética, Direito e Democracia, Manfredo Araújo de Oliveira
• Ética e cidadania na educação: reflexões filosóficas e propostas de subsídios para aulas e reuniões, Antonio Bonifácio
Rodrigues de Sousa
• Ética pós-moderna, Zygmunt Bauman
• Técnica, Medicina e Ética: sobre a prática do princípio responsabilidade, Hans Jonas
• Ética, Direito e Política: a paz em Hobbes, Locke, Rousseau e Kant, Paulo César Nodari
• Tratado de bioética: em prol de uma nova utopia civilizadora?, Christian Byk
• Karl Otto Apel: itinerário formativo da ética do discurso, Antonio Wardison C. Silva
• O Cérebro e o Robô: Inteligência Artificial, biotecnologia e a nova ética, João de Fernandes Teixeira
• Vida, técnica e responsabilidade: três ensaios sobre a filosofia de Hans Jonas, Jelson Oliveira, Geovani Moretto, Anor
Sganzerla
João de Fernandes Teixeira

o cérebro e o robô
Inteligência artificial,
biotecnologia e a nova ética
Diretor editorial: Claudiano Avelino dos Santos
Assistente editorial: Jacqueline Mendes Fontes
Revisão: Caio Pereira
Iranildo Bezerra Lopes
Diagramação: Dirlene França Nobre da Silva
Capa: Marcelo Campanhã
Impressão e acabamento: PAULUS

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)


(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

Teixeira, João de Fernandes


O cérebro e o robô: inteligência artificial, biotecnologia e a nova ética / João de
Fernandes Teixeira. — São Paulo: Paulus, 2015. — (Coleção Ethos)

Bibliografia.
ISBN 978-85-349-4171-6

1. Cérebro 2. Corpo e mente 3. Descartes, René, 1596-1650 4. Ética 5. Filosofia


da mente 6. Humanidade 7. Inteligência artificial 8. Robótica I. Título. II. Série.

15-03493 CDD-128.2

Índices para catálogo sistemático:


1. Filosofia da mente 128.2
2. Mente e cérebro: Filosofia 128.2

1ª edição, 2015

© PAULUS – 2015

Rua Francisco Cruz, 229


04117-091 – São Paulo (Brasil)
Tel.: (11) 5087-3700 – Fax: (11) 5579-3627
www.paulus.com.br
editorial@paulus.com.br
ISBN 978-85-349-4171-6
Sumário

Prefácio................................................................................................... 13
Introdução............................................................................................. 15
Capítulo I – A janela de Descartes......................................................... 33
Capítulo II – Tecnologia e abismo.......................................................... 51
Capítulo III – O fantasma da singularidade......................................... 73
Capítulo IV – O enigma do significado.................................................. 89
Capítulo V – Humano, demasiado transumano.................................. 111
Capítulo VI – Cérebros na proveta........................................................ 131
Conclusão.............................................................................................. 149

Bibliografia............................................................................................. 155

9
“No estágio atual do mundo, o controle que temos
das energias físicas, do calor, da luz, da eletricidade etc.,
sem o controle do uso de nós mesmos, é algo muito arriscado.
Sem o controle de nós mesmos, o uso de todas as coisas é cego.”
John Dewey
PREFÁCIO

E ste é um livro de filosofia que não é dirigido apenas para


filósofos. É um longo ensaio no qual se esboça uma reflexão
sobre a relação do homem com a tecnologia, um dos problemas
que se tornaram cruciais no início do século XXI.
As novas hipertecnologias, como a inteligência artificial, a
nanotecnologia e a biotecnologia, prometem ajudar na superação
de vários problemas que podem comprometer a sobrevivência
da espécie humana nas próximas décadas, como o aquecimento
global, as novas doenças que se originam do aumento da longe-
vidade e a qualidade da alimentação num planeta superpovoado.
Contudo, o que pode nos salvar pode também nos aniquilar,
pois a instauração dessas hipertecnologias envolve riscos sobre os
quais não temos pleno controle.Várias encruzilhadas se colocam
à nossa frente; algumas das quais podem levar a becos sem saída.
A certeza otimista e reconfortante de que a expansão da tecno-
logia sempre trará benefícios para a humanidade não existe mais.
Não podemos mais nos refugiar sob a ideia de que há limi-
tes intransponíveis para a tecnologia, o que poderia aliviar essa
preocupação. A tecnologia sempre prosseguirá e é difícil resistir
às suas tentações.
O sonho da replicação do ser humano será atingido nas
próximas décadas pela inteligência artificial, que, unida à bio-
tecnologia, produzirá seres artificiais conscientes, mesmo sem
poder compreender ainda a natureza da consciência humana.
Robôs associados a cérebros humanos abrirão caminho para a

13
J o ã o d e F e r n a n d e s Te i x e i r a

inteligência artificial biológica, um novo programa de pesquisa


para o qual convergem a robótica e a neurociência.
Não sabemos como conviveremos com a presença dessas novas
criaturas no século XXI. Sua existência trará modificações pro-
fundas na antropologia e na filosofia, especialmente na discussão
de questões éticas que se tornaram um problema mais urgente do
que a ameaça de uma guerra nuclear ou do aquecimento global.
Não tratamos, aqui, do futuro, mas apenas das bordas do pre-
sente. É difícil pensar além do presente, pois ele se tornou tão
opressivo que nos impede de vislumbrar cenários futuros. Por
isso, além da filosofia, utilizamos a ficção científica como uma
sentinela avançada para sondar algumas paisagens insólitas nas
quais a razão, forçada a seus extremos, se enreda com o fantástico.

14