Sie sind auf Seite 1von 1

Não posso estar de acordo com o seu ponto de vista, em que afirma: “todo mundo é crente”.

Claro que há crentes que acreditam em deuses e outras crendices; há o crente popular que
ainda é mais ignorante por viver o mundo da crença religiosa como se mais nada houvesse na
imensidão cósmica. Mas não! Nem todo o mundo é crente. Sendo certo que há pessoas que não
reúnem condições cognitivas favoráveis ao uso do questionamento, outras pensam sobre a sua
crença e algumas têm atédúvidas naquilo em que acreditam. Eu sei que uso muito a expressão
"crente" quando me refiro aos grupos de crentes supramencionados, no fundo é uma expressão
idêntica à que os ditos crentes usam quando se referem ao deus deles, uma figura sem nome
que é abrangente, faz tudo, pode tudo, sabe tudo, está em todo o lado e, no final das contas, não
existe uma única evidência plausível que confira os atributos dessa figura mítica. Agora mais
direto à sua pergunta: Há gente que não é crente, SIM. Eu mesmo, o próprio, não sou crente.
Posso garantir que nunca me conheci com crença religiosa, e nem a bíblia, alcorão ou outro livro
que se proponha defensor de crenças religiosas me influenciaram. Porém, eu não sou um
descrente casmurro do que está fora da esfera religiosa, como humano tenho dúvidas e também
sou crente daquilo que posso entender com a experimentação, a evidência, a prova, etc. Dou um
exemplo: “amanhã vou a Lisboa que fica a 80 km do local onde me encontro hoje, e já preparei
tudo para levar comigo no carro, mas não levo guarda-chuva por “acreditar” que não chove em
todo o dia, ou seja, eu posso experimentar essa crença, posso testá-la e sei que os profissionais
da ciência que estuda os fenómenos atmosféricos e suas leis, especialmente com vista à
provisão do tempo, possuem capacidade técnica reconhecida e praticada antes para errarem o
menos possível. Nada do que me prende a atenção sobre a crença religiosa tem a ver com a
crença propriamente dita, apenas observo, desde menino, a falsidade que é promovida com o
propósito de enganar gente incauta, desprovida e desprotegida da capacidade de questionar.
Provavelmente você, que se prepara para me refutar, está ignorando que faz parte desse grupo
que engana pessoas sem recurso cognitivo desenvolvido, e até com algum défice em sanidade
mental, arrastando-as até o seu grupo de gente sem escrúpulos para todos se apoderarem dos
seus bens materiais e até imateriais, como a dignidade a liberdade, fazendo com que se
ajoelhem humilhantemente perante figuras simbólicas que o grupo inventou para roubar e
enriquecer, alguns se tornaram impérios de fé, usando o medo de lugares estrategicamente
inventados para aterrorizar, como o já extinto purgatório (não sei como conseguiram extinguir o
que nunca existiu), o inferno e o mais perigoso é o céu da eternidade, só la entra quem obedecer
cegamente sem questionar a podridão da história religiosa.
CS_2018
Reafirmo: EU NÃO SOU CRENTE.