You are on page 1of 4

REVOLUÇÃO EM FRANÇA

14 de Julho 1789

 Nos finais do séc. XVIII, houve em França uma grande revolução que pôs fim à monarquia
absoluta (absolutismo) e dar início á Republica.
 Que acabava com os direitos do clero e da nobreza tornando-os iguais a qualquer cidadão.
 O seu lema era: «Liberdade, Igualdade e Fraternidade». Os manifestantes eram principalmente:
o povo e a burguesia.
 Morte de Luís XVI e D. Maria Antonieta, através da guilhotina.

Ideias da Revolução:
. Fim do absolutismo do rei.

. Liberdade de escolher as leis.

. Lei de igualdade para todos os grupos sociais.

. Acabar com os impostos e obrigações que o clero e nobreza impunham ao povo e burguesia.

Reação dos reis europeus ao fim da Monarquia - declaração de guerra á França

Durante anos vários reis uniram-se e formaram coligações para lutar contra a França Revolucionária.

Com a chegada de Napoleão Bonaparte ao poder em 1799 grande parte da Europa é dominada.

Compreendendo:

 Durante a Revolução Francesa, em 1799, com um golpe militar, Napoleão Bonaparte tomou o
poder na França e se autoproclamou-se imperador.

 Nos quinze anos em que permaneceu no poder, Napoleão


construiu um dos maiores mitos da história - Império
Napoleônico

 Admirador do general romano Júlio César acalentava o


desejo de transformar a França na maior potência mundial.

 Governando de forma ditatorial, arrastou grande parte da Europa para a guerra - Guerras
Napoleónicas.

 Em 1810, já controlava quase toda a porção ocidental do continente, faltando apenas o Reino
Unido.
Napoleão Bonaparte (biografia)

Napoleão Bonaparte nasceu a 15 de Agosto 1769 em Santa Helena (França).

Tornou-se imperador de França a 18 de Maio de 1804. Além disso, conquistou grande parte da Europa.

Napoleão morreu a 5 de Maio de 1821 devido a uma violenta tempestade que houve em França.

O BLOQUEIO CONTINENTAL

 Napoleão Bonaparte, comandante das tropas francesas, conseguiu dominar uma grande parte da
Europa.
 Porem, a Inglaterra demonstrou ser um inimigo muito difícil de vence, e em 21 de Novembro 1806,
Napoleão ordenou aos outros países da Europa que fechassem os seus portos aos navios ingleses.
 O objetivo era isolar a Inglaterra e enfraquecer a sua economia.
 A essa ordem chamou-se Bloqueio continental.
 Portugal mantinha não aderiu ao Bloqueio porque Inglaterra era um velho aliado e mantinha com ela
relações comerciais.
 Em resposta a esta atitude portuguesa, Napoleão ordenou a invasão de Portugal.
A PARTIDA DA CORTE PARA O BRASIL

 D. João, filho de D. Maria I passou a ser regente do reino em 1799.


 Quando, em Lisboa, se soube que um exército francês vinha a caminho,
a família real portuguesa e a corte, retiram-se para o Brasil
 Se a rainha D. Maria I ou o príncipe D. João fossem presos ou mortos
Portugal corria o risco de perder a independência.
 Partiram a 27 de novembro de 1807
 Foram acompanhados por nobre, pessoas da corte e todos os quiseram partiram, num total de 15000
pessoas.
 Levaram joias, tapeçarias, pratas, móveis, livros tudo o que os navios pudessem carregar.
 O governo de Portugal foi entregue a uma Junta de Regência constituída por cinco pessoas
prestigiadas, era presidida pelo Marquês de Abrantes.

A 1º INVASÃO

Na primeira invasão, as tropas francesas, comandadas pelo general Junot,


entraram em Portugal e atingiram rapidamente Lisboa, em 1807.

Junot entrou por Castelo Branco dia 19 de Novembro, passou por Abrantes,
Golegã e Cartaxo e chegou a Lisboa a 30 de Novembro.

Junot tomou medidas que desagradaram aos portugueses:

 Acabou com a “Junta de Regência” e passou ele próprio a governar Portugal, em nome de
Napoleão.
 Mandou substituir no castelo de São Jorge a bandeira portuguesa pela francesa.
 Junot mandou os seus soldados destruir povoações, culturas, matar quem resistisse e roubar
todos os objetos de valor dos solares, igrejas….

 Perante esta situação de violência, houve a necessidade de pedir apoio às tropas inglesas.
 As tropas Inglesas comandadas pelo comandante Artur Wellesley, desembarcaram em Lavos.
 Derrotaram os Franceses na batalha de Roliça (Óbidos) e de vimeiro (Lourinhã)
 Assinado tratado de paz – convenção de Sintra – onde Junot se comprometia da sair de Portugal.
A 2º INVASÃO
 Não se conformando, Napoleão ordena a
segunda invasão em Março de 1809.
 Desta vez, com novo exército, comandado
pelo General Soult.
 Entraram pelo norte até ao Porto, onde
encontraram uma forte resistência, que os
obrigou a retirar-se.

A 3º INVASÃO
 Ainda assim, Napoleão não desiste de
submeter Portugal ao seu domínio e em Julho
de 1810 ordena a terceira invasão, desta vez
comandada pelo general Massena, que tinha a
fama de nunca ter sido derrotado.
 As tropas francesas dirigiram-se para Coimbra. Foram derrotados na batalha de Buçaco.
 Mas, não desistiram, e continuaram até Torres Vedras.

 Onde encontraram fortificações construídas em linha para defesa da capita – Linha de torres Vedras.
 O exército português e inglês que as defendia fez recuar os Franceses e a 4 De Março de 1811 foram
obrigados a sair definitivamente de Portugal.

1789 14 de Julho Revolução francesa.

1806 21 de Novembro Napoleão ordena o bloqueio continental.

1807 19 novembro 1º Invasão francesa.

27 de novembro Fuga da família Real e da corte para o Brasil.

1808 Batalha da Roliça e de Vimeiro

1809 Março 2º Invasão francesa.

1810 Julho 3º invasão francesa.

1810 4 de Março Retirada dos Franceses

1816 Morte de D. Maria I. Inicio do reinado de D. João VI.