Sie sind auf Seite 1von 8

CIMV | Why Do We Feel Nostalgia Page 1

Why Do We Feel Nostalgia?


(Part 01)
Line by Line Text

Why do we feel nostalgia?


Por que nós sentimos nostalgia?

In the late 17th century,


No fim do século XVII,

a medical student named Johannes Hofer noticed a strange illness


um estudante de medicina chamado Johannes Hofer notou uma estranha
doença

affecting Swiss mercenaries serving abroad.


afetando mercenários suíços servindo no exterior.

Its symptoms, including fatigue, insomnia,


Seus sintomas, incluindo fadiga, insônia,

irregular heartbeat, indigestion, and fever were so strong,


arritmia cardíaca, indigestão e febre eram tão fortes,

the soldiers often had to be discharged.


que os soldados muitas vezes tinham que ser dispensados.

As Hofer discovered, the cause was not some physical disturbance,


Como Hofer descobriu, a causa não era um distúrbio físico,

but an intense yearning for their mountain homeland.


mas um intenso anseio por sua pátria nas montanhas.

He dubbed the condition nostalgia,


Ele apelidou a condição de nostalgia,

© 2017 | Curso de Inglês Mairo Vergara


CIMV | Why Do We Feel Nostalgia Page 2

from the Greek “nostos” for homecoming


do Grego “nostos” para regresso a casa

and “algos” for pain or longing.


E “algos” para dor ou anseio.

At first, nostalgia was considered a particularly Swiss affliction.


No início, a nostalgia era considerada uma aflição particularmente suíça.

Some doctors proposed that the constant sound of cowbells in the Alps
Alguns doutores propuseram que o som constante de sinos de vacas nos
Alpes

caused trauma to the ear drums and brain.


causavam trauma aos tímpanos e cérebro.

Commanders even forbade their soldiers from singing traditional Swiss


songs
Comandantes até proibiram seus soldados de cantar canções tradicionais
suíças

for fear that they’d lead to desertion or suicide.


por medo de que elas levariam à deserção ou suicídio.

But as migration increased worldwide,


Mas conforme a migração mundial aumentou,

nostalgia was observed in various groups.


a nostalgia foi observada em vários grupos.

It turned out that anyone separated from their native place for a long time
was vulnerable to nostalgia.
Descobriu-se que qualquer um separado de seu local nativo por muito
tempo estava vulnerável à nostalgia.

And by the early 20th century,


E ao início do século XX,

professionals no longer viewed it as a neurological disease,


profissionais não mais a enxergavam como uma doença neurológica,

© 2017 | Curso de Inglês Mairo Vergara


CIMV | Why Do We Feel Nostalgia Page 3

but as a mental condition similar to depression.


mas como uma condição mental similar à depressão.

Psychologists of the time speculated that


Psicólogos da época especularam que

it represented difficulties letting go of childhood,


ela representava dificuldades de se desprender da infância,

or even a longing to return to one’s fetal state.


ou até mesmo um anseio de retornar ao estado fetal.

But over the next few decades,


Mas durante as décadas seguintes,

the understanding of nostalgia changed in two important ways.


o entendimento da nostalgia mudou de duas formas importantes.

Its meaning expanded from indicating homesickness to a general longing


for the past.
Seu significado se expandiu de indicar saudade do lar para um anseio geral
pelo passado.

And rather than an awful disease,


E ao invés de uma doença horrível,

it began to be seen as a poignant and pleasant experience.


ela começou a ser vista como uma experiência pungente e prazerosa.

Perhaps the most famous example of this was captured by French author
Marcel Proust.
Talvez o exemplo mais famoso disso foi capturado pelo autor francês
Marcel Proust.

He described how tasting a madeleine cake he had not eaten since


childhood
Ele descreveu como provar um bolo de madeleine que ele não havia
comido desde a infância

© 2017 | Curso de Inglês Mairo Vergara


CIMV | Why Do We Feel Nostalgia Page 4

triggered a cascade of warm and powerful sensory associations.


desencadeou uma cascata de associações sensoriais calorosas e
poderosas.

© 2017 | Curso de Inglês Mairo Vergara


CIMV | Why Do We Feel Nostalgia Page 5

English Text
Why do we feel nostalgia? In the late 17th century, a medical student
named Johannes Hofer noticed a strange illness affecting Swiss mercenaries
serving abroad. Its symptoms, including fatigue, insomnia, irregular
heartbeat, indigestion, and fever were so strong, the soldiers often had to
be discharged. As Hofer discovered, the cause was not some physical
disturbance, but an intense yearning for their mountain homeland. He
dubbed the condition nostalgia, from the Greek “nostos” for homecoming
and “algos” for pain or longing. At first, nostalgia was considered a
particularly Swiss affliction. Some doctors proposed that the constant
sound of cowbells in the Alps caused trauma to the ear drums and brain.
Commanders even forbade their soldiers from singing traditional Swiss
songs for fear that they’d lead to desertion or suicide. But as migration
increased worldwide, nostalgia was observed in various groups. It turned
out that anyone separated from their native place for a long time was
vulnerable to nostalgia. And by the early 20th century, professionals no
longer viewed it as a neurological disease, but as a mental condition similar
to depression. Psychologists of the time speculated that it represented
difficulties letting go of childhood, or even a longing to return to one’s fetal
state. But over the next few decades, the understanding of nostalgia
changed in two important ways. Its meaning expanded from indicating
homesickness to a general longing for the past. And rather than an awful
disease, it began to be seen as a poignant and pleasant experience. Perhaps
the most famous example of this was captured by French author Marcel
Proust. He described how tasting a madeleine cake he had not eaten since
childhood triggered a cascade of warm and powerful sensory associations.

© 2017 | Curso de Inglês Mairo Vergara


CIMV | Why Do We Feel Nostalgia Page 6

Portuguese Text
Por que nós sentimos nostalgia? No fim do século XVII, um estudante de
medicina chamado Johannes Hofer notou uma estranha doença afetando
mercenários suíços servindo no exterior. Seus sintomas, incluindo fadiga,
insônia, arritmia cardíaca, indigestão e febre eram tão fortes, que os
soldados muitas vezes tinham que ser dispensados. Como Hofer descobriu,
a causa não era um distúrbio físico, mas um intenso anseio por sua pátria
nas montanhas. Ele apelidou a condição de nostalgia, do Grego “nostos”
para regresso a casa, e “algos” para dor ou anseio. No início, a nostalgia era
considerada uma aflição particularmente suíça. Alguns doutores
propuseram que o som constante de sinos de vacas nos Alpes causavam
trauma aos tímpanos e cérebro. Comandantes até proibiram seus soldados
de cantar canções tradicionais suíças por medo de que elas levariam à
deserção ou suicídio. Mas conforme a migração mundial aumentou, a
nostalgia foi observada em vários grupos. Descobriu-se que qualquer um
separado de seu local nativo por muito tempo estava vulnerável à nostalgia.
E ao início do século XX, profissionais não mais a enxergavam como uma
doença neurológica, mas como uma condição mental similar à depressão.
Psicólogos da época especularam que ela representava dificuldades de se
desprender da infância, ou até mesmo um anseio de retornar ao estado fetal.
Mas durante as décadas seguintes, o entendimento da nostalgia mudou de
duas formas importantes. Seu significado se expandiu de indicar saudade do
lar para um anseio geral pelo passado. E ao invés de uma doença horrível,
ela começou a ser vista como uma experiência pungente e prazerosa. Talvez
o exemplo mais famoso disso foi capturado pelo autor francês Marcel
Proust. Ele descreveu como provar um bolo de madeleine que ele não havia
comido desde a infância desencadeou uma cascata de associações
sensoriais calorosas e poderosas.

© 2017 | Curso de Inglês Mairo Vergara


CIMV | Why Do We Feel Nostalgia Page 7

Side by Side Text

English Portuguese

Why do we feel nostalgia? In the Por que nós sentimos nostalgia? No


late 17th century, a medical student fim do século XVII, um estudante de
named Johannes Hofer noticed a medicina chamado Johannes Hofer
strange illness affecting Swiss notou uma estranha doença
mercenaries serving abroad. Its afetando mercenários suíços
symptoms, including fatigue, servindo no exterior. Seus sintomas,
insomnia, irregular heartbeat, incluindo fadiga, insônia, arritmia
indigestion, and fever were so cardíaca, indigestão e febre eram
strong, the soldiers often had to be tão fortes, que os soldados muitas
discharged. As Hofer discovered, vezes tinham que ser dispensados.
the cause was not some physical Como Hofer descobriu, a causa não
disturbance, but an intense era um distúrbio físico, mas um
yearning for their mountain intenso anseio por sua pátria nas
homeland. montanhas.

He dubbed the condition nostalgia, Ele apelidou a condição de


from the Greek “nostos” for nostalgia, do Grego “nostos” para
homecoming and “algos” for pain or regresso a casa, e “algos” para dor
longing. At first, nostalgia was ou anseio. No início, a nostalgia era
considered a particularly Swiss considerada uma aflição
affliction. Some doctors proposed particularmente suíça. Alguns
that the constant sound of cowbells doutores propuseram que o som
in the Alps caused trauma to the ear constante de sinos de vacas nos
drums and brain. Commanders even Alpes causavam trauma aos
forbade their soldiers from singing tímpanos e cérebro. Comandantes
traditional Swiss songs for fear that até proibiram seus soldados de
they’d lead to desertion or suicide. cantar canções tradicionais suíças
But as migration increased por medo de que elas levariam à
worldwide, nostalgia was observed deserção ou suicídio. Mas conforme
in various groups. It turned out that a migração mundial aumentou, a
anyone separated from their native nostalgia foi observada em vários
place for a long time was vulnerable grupos. Descobriu-se que qualquer
to nostalgia. um separado de seu local nativo por
muito tempo estava vulnerável à
nostalgia.

© 2017 | Curso de Inglês Mairo Vergara


CIMV | Why Do We Feel Nostalgia Page 8

And by the early 20th century, E ao início do século XX,


professionals no longer viewed it as profissionais não mais a
a neurological disease, but as a enxergavam como uma doença
mental condition similar to neurológica, mas como uma
depression. Psychologists of the condição mental similar à
time speculated that it represented depressão. Psicólogos da época
difficulties letting go of childhood, especularam que ela representava
or even a longing to return to one’s dificuldades de se desprender da
fetal state. But over the next few infância, ou até mesmo um anseio
decades, the understanding of de retornar ao estado fetal. Mas
nostalgia changed in two important durante as décadas seguintes, o
ways. entendimento da nostalgia mudou
de duas formas importantes.

Its meaning expanded from Seu significado se expandiu de


indicating homesickness to a indicar saudade do lar para um
general longing for the past. And anseio geral pelo passado. E ao
rather than an awful disease, it invés de uma doença horrível, ela
began to be seen as a poignant and começou a ser vista como uma
pleasant experience. Perhaps the experiência pungente e prazerosa.
most famous example of this was Talvez o exemplo mais famoso disso
captured by French author Marcel foi capturado pelo autor francês
Proust. He described how tasting a Marcel Proust. Ele descreveu como
madeleine cake he had not eaten provar um bolo de madeleine que
since childhood triggered a cascade ele não havia comido desde a
of warm and powerful sensory infância desencadeou uma cascata
associations. de associações sensoriais calorosas
e poderosas.

© 2017 | Curso de Inglês Mairo Vergara