You are on page 1of 161

SERGIPE–BR | EDIÇÃO 1861 | ANO 35 | 10/12/2018

A NOVA ERA DA NOTÍCIA

EXCLUSIVO

POLÍCIA FEDERAL
DESMONTA CARTÉIS
Os desdobramentos das três principais investigações
em Sergipe: Shows, transporte escolar e crime eleitoral
ACESSE P. 15
ELO CONCURSOS
INTERNET

EXPANSÃO DA RELIGIOSIDADE
Ao contrário do que muitos sociólogos e filósofos
imaginaram há cerca de 50 anos, cresce em todo
o mundo a busca do homem pelo espiritual
ACESSE P. 47

Para anunciar nos Classificados CINFORM toque aqui


A NOVA ERA DA NOTÍCIA

SERGIPE–BRASIL

t
ÍNDICE CADERNO 1 TOQUE E ACESSE

OPINIÃO
EDITORIAL – A coisa está mudando 5

CHARGE 7

CINFORMANDO – O Natal de Aracaju 8

POLÍTICA
Corruptos que se cuidem, a PF vem aí 15

GERAL
Número de diagnósticos
de Borderline aumenta 39

Expansão da religiosidade 47

Primeiros alimentos da vida 75

Ônibus do Natal com Mobilidade encantam


crianças e adultos pelas ruas de Aracaju 82

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 2


Muito mais que um simples livro 90

Bilhetagem eletrônica traz


agilidade e segurança para passageiros,
motoristas e cobradores 97

Reajuste da tarifa de ônibus se


difere de reajuste técnico real e
mantém setor comprometido 104

PRÓ-SOLUÇÃO – Aracaju, uma cidade fácil 110

ENCARTE – Guanabara 113

ANUNCIE
AQUI

CONTATE SUA AGÊNCIA DE PUBLICIDADE OU


TOQUE u E FALE COM OS NOSSOS CONSULTORES
uÁurea Cristina (79) 99833-2123
uCláudio Sousa (79) 99971-9179

SE PREFERIR, FALE DIRETAMENTE


COM O CINFORM SOLICITANDO UMA VISITA
(79) 3304-5414
ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 3
E ACESSE
t
TOQUE
ÍNDICE
GERAL

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 4


1/2

EDITORIAL

A COISA ESTÁ MUDANDO


Em toda eleição, quando se apuram os
resultados, há sempre algumas surpresas.
Neste ano, de todas, a mais surpreendente –
com desculpas pela redundância – foi a eleição
do desconhecido Valdevan Noventa. Uma
ascensão meteórica e uma queda vertiginosa!
O que está acontecendo?

Valdevan foi reeleito presidente do Sindicato


dos Condutores de São Paulo, partindo do
distante município de Taboão da Serra, naquele
estado do Sudeste brasileiro, onde já possui um
filho, Johnatan Noventa, que, por sua vez, é o
vereador mais jovem da história do município

Ao que indicam as investigações levadas


a termo pelo Polícia Federal, que deflagrou a
Operação Extraneus, houve irregularidades
nas declarações de prestação de contas da
campanha, apontando que o feliz Valdevan

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 5


| EDITORIAL 2/2

teria se utilizado de “laranjas” para justificar


doações de campanha.

Quando John Kennedy se elegeu


presidente dos Estados Unidos, o então
poderoso Sindicato dos Caminhoneiros,
que era controlado pela máfia, ao lado do
célebre Frank Sinatra, foi decisivo para sua
vitória, em função dos aportes financeiros
de milhões de dólares para a campanha, de
acordo com o livro “Sinatra - O chefão”, de
James Kaplan.

Não se tem aqui a pretensão de comparar os


dois casos, mas, que há semelhanças, há: como
– quem souber responda, por favor – um sujeito,
absolutamente desconhecido em Sergipe,
digamos, por 99,9% dos sergipanos, consegue
se eleger deputado federal, competindo com
outros 123 candidatos, todos razoavelmente ou
muito conhecidos no Estado?

Claro que existe algo pairando no ar, além


de pássaros e aviões. O Super-homem, com
certeza, não é. A coisa está mudando!

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 6


| OPINIÃO

CHARGE | Percles

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 7


| OPINIÃO 1/6

Edvar Freire
CINFORMANDO

O NATAL DE
ARACAJU
Aracaju é mesmo um município muito pobre,
se não de recursos, pelo menos de criatividade.
Se alguém, dotado de alguma curiosidade
percorrer, ou mesmo buscar pelos meios
eletrônicos as ornamentações natalinas nas
capitais e nas grandes e médias cidade pelo
Brasil afora, verá, constrangido, que Aracaju é
mesmo a cidade mais pobre de todas.

As imitações de projetos de decoração se


estendem do centro comercial, passam pela
avenida Ivo do Prado, faz uma breve parada
na Praça Fausto Cardoso, dá uma palhinha no

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 8


| OPINIÃO | CINFORMANDO 2/6

Parque da Sementeira e é só. Arriscam, também,


alguns penduricalhos no caminho da orla de
Atalaia. Mas é tudo de uma mediocridade tão
simplória, que leva a uma reflexão.

Será que é tudo planejado com vistas à


modéstia da manjedoura, onde nasceu o
Menino Jesus, de acordo com a narrativa bíblica,
entre um boi e um burro, numa estrebaria?

Será assim também, nesta manjedoura


de Serigy e Aperipê, o Natal celebrado entre
genuflexos Edvaldo e Belivaldo? Não se sabe
ao certo. Porque, hoje, diferentemente do
passado, há uma explosiva enxurrada de
recursos para festas, shows, armação de
palcos e camarotes. Par e passo, artistas
super stars – os tais “consagrados” –
faturam milhões e milhões, enquanto
empresas amigas se locupletam até
embriagarem a alma. Mas, para celebrar o
motivo da grande religião dos cristãos, o
nascimento de Jesus, jamais há recursos!

De duas, uma: ou se trata de falsos cristãos,

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 9


| OPINIÃO | CINFORMANDO 3/6

homens de pouca ou nenhuma fé, que


ostentam sentimentos religiosos tacanhos
e vomitam explicitações farisaicas; ou são
meros materialistas, lobos em pele de cordeiro,
sepulcros caiados, belos por fora, mas, por
dentro, só podridão.

Dizem as escrituras: “Loucos, esta noite te


pedirão a tua alma, o que tens preparado, para
quem será?”

Alese promove 4ª edição


da Cantata de Natal
Nesta segunda- feira (10), a Assembleia
Legislativa de Sergipe (Alese) estará realizando
a 4ª edição da Cantata de Natal. O evento
acontecerá na praça Fausto Cardoso, em frente a
Escola do Legislativo João de Seixas Dória, a partir
das 17h30. O evento, que já faz parte do calendário
de Sergipe, tem o objetivo de aproximar a
Casa Legislativa da população, bem como
proporcionar a reflexão acerca do nascimento
de Jesus, resgatando a fé, a esperança e o amor.
Na Cantata de Natal terá apresentações da
Orquestra Sinfônica de Itabaiana, do coral Alese-

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 10


| OPINIÃO | CINFORMANDO 4/6

Corales, regido pelo pianista Joel Magalhães e da


Companhia de Arte Alese.

Projeto de Lei (PL) assegura mais


transparência nas unidades de Saúde
De autoria do deputado estadual Luciano Bispo
(MDB) foi aprovado, por unanimidade, nas
Comissões Temáticas e no plenário da Assembleia
Legislativa, nessa quinta-feira (6), o Projeto de Lei
sobre a divulgação dos nomes dos responsáveis
administrativos e dos médicos responsáveis
pelas atividades e, se for o caso, pelas chefias de
plantão, nas entradas principais e de acesso ao
público dos Hospitais, Casas de Saúde, Prontos-
Socorros e ambulatórios localizados no Estado
de Sergipe. “Eu considero como recomendável
este projeto para que seja fixado, nas entradas
principais e de acesso ao público dos Hospitais,
Casas de Saúde, Prontos-Socorros e ambulatórios
os nomes dos profissionais responsáveis pelo
atendimento ao público”, explicou Luciano Bispo.

Deputados impulsionam
trabalhos nas assessorias
Quem acompanha o trabalho dos deputados

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 11


| OPINIÃO | CINFORMANDO 5/6

estaduais pode perceber um importante


trabalho de divulgação das atividades. Trata-
se da assessoria de imprensa. Na Assembleia
Legislativa de Sergipe (Alese), quase todos os
parlamentares são assessorados por jornalistas,
publicitários e designers. Eles garantem não
ser fácil, mas prazeroso prestar esse serviço de
assessoria. “Graças a Deus durante esse tempo
que eu trabalho aqui na Assembleia Legislativa
com o deputado Moritos Matos, nunca precisei
criar pautas porque ele tem muito conteúdo,
apresentou muitos projetos importantes a
exemplo do turismo religioso, do uso de água
mineral nos estabelecimentos comerciais,
da CNH que ajuda os idosos a pagar
proporcional pela carteira de motorista.
Então, é um cara dinâmico, que usa a tribuna,
tem indicações, que tem leis aprovadas aqui
no Legislativo, que sai do gabinete”, enfatiza
a jornalista Andréa Oliveira.

Elber relata casos de abusos


sexuais a crianças e adolescentes
e responsabiliza o Estado
Após passar experiências profissionais na

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 12


| OPINIÃO | CINFORMANDO 6/6

16ª Vara Cível de Família, onde a Defensoria


Pública do Estado de Sergipe possui um
núcleo, o vereador Elber Batalha (PSB), que
também é defensor público, utilizou a tribuna
da Câmara Municipal de Aracaju (CMA) para
externar sua preocupação com o aumento de
casos de abusos sexuais envolvendo crianças e
adolescentes em Sergipe.

Abusos sexuais a crianças e adolescentes 2


Elber relatou que passou um mês na 16ª Vara,
onde teve a oportunidade de acompanhar
diversas audiências que ele nomeou como
‘as mais escabrosas a já ter visto em toda
sua vida jurídica’, onde crianças de 7, 8 e 10,
foram estouradas pelo pai, padrasto e pelo
enteado, respectivamente. “Crianças que são
abandonadas pelas mães que são, em sua
maioria, dependente de drogas. A função da
Defensoria Pública nesta Vara é dar destino a
essas crianças, juntamente com o Ministério
Público. Essas crianças tinham escabiose pelo
corpo todo que não tinha um lugar que não
tivesse completamente tomado pela sarna,
devido ao abandono dos pais”, contou.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 13


ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 14
1/24

POLÍTICA
EXCLUSIVO

CORRUPTOS
QUE SE CUIDEM,
A PF VEM AÍ
lLeia agora os desdobramentos dos inquéritos
policiais e das investigações realizadas pela
equipe do delegado federal Antônio Carvalho

PAULA COUTINHO | paula.coutinho@cinform.com.br

Crimes eleitorais, fraudes em licitações de


transporte escolar, cartel de empresariado
e aliciamento de artistas locais no mercado
de shows em Sergipe. Há pouco mais de seis
meses em Sergipe, os novos integrantes da
Polícia Federal (PF) no Estado estão mostrando

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 15


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 2/24
SECULT

Arraiá do Povo, realizado pelo Estado, evento que pode desmarcar


todo o esquema do mercado de shows em todos os 75 municípios

a que vieram. O delegado responsável pelas


investigações acima citadas, com as respectivas
operações, é Antônio Carvalho. Uma das
últimas atuações dele aconteceu nesta sexta-
feira, dia 7, e envolveu a prisão de Valdevan 90 –
o deputado federal eleito por Sergipe agora nas
eleições de 2018 com 45.472 mil votos.

As 90 doações de pessoas físicas, no valor


de R$ 1.050 cada, creditadas por usuários

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 16


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 3/24

do Programa Bolsa Família, em conjunto com


uma campanha eleitoral muito orquestrada,
principalmente na cidade de Estância, em
que foram realizadas contratações de gente
muito humilde, para trabalhar a troco de um
prato de comida, foram os principais indícios
de crime eleitoral encontrados pela Polícia
Federal (PF) durante a Operação Extraneus,
que culminou com a prisão de Valdevan 90,
nesta última sexta-feira, dia 7, por volta das
13h, na capital sergipana.

De acordo com o delegado, a PF já


vinha trabalhando neste caso há um
tempo, observando as casas alugadas em
Estância para a realização da campanha, a
movimentação das pessoas que trabalharam
durante as eleições. Na entrevista abaixo,
com o delegado Antônio Carvalho, você
poderá acompanhar os desdobramentos
dessas investigações da PF aqui em Sergipe.
Ele começa falando de Valdevan 90; mas,
página a página, surgem fatos dos inquéritos
do mercado de shows, de como é o trabalho
da PF. Confira, vale à pena:

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 17


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 4/24

Os doadores eram beneficiários


do programa Bolsa Família. Por meio
de câmeras, descobrimos que essas
doações adivinham de pessoas muito
humildes, gente que estava ou [pode
estar] passando fome”

Como o crime de Valdevan 90 foi


descoberto? Delegado Federal Antônio
Carvalho (PF): Descobrimos o crime eleitoral
após observarmos os extratos bancários onde
foram creditadas 90 doações, com valores
de exatos R$ 1.050 cada. Ocorre que, o limite
máximo para a doação eleitoral por pessoa
física permitida por lei, é de R$ 1.064. Este
é o valor que a legislação prevê como o teto
máximo para doação por pessoa física. E,
no caso de Valdevan, ainda que os valores
estivessem abaixo desse teto, estavam muito
bem organizados, muito padronizados.

Quando nós comparamos os registros

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 18


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 5/24
FANFM

Valdevan 90, presidente do Sindmotoristas em São Paulo, e


deputado federal eleito por Sergipe, com 45.472 mil votos

bancários com CPF titulares das pessoas que


fizeram essas doações com os dados da Receita
Federal descobrimos que os doadores eram
beneficiários do programa Bolsa Família. Por
meio de câmeras de segurança nas agências
bancários descobrimos que essas doações
adivinham de pessoas muito humildes, gente
que estava ou [pode estar] passando fome.

Valdevan morou muitos anos em São


Paulo. A PF daqui pediu informações para a
PF de São Paulo, para o MPF?
PF – Em época eleitoral, pouco antes e

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 19


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 6/24

também após o pleito, o Ministério Público


Federal trabalha em consonância com a Polícia
Federal, em todo o Brasil. Há cruzamento de
dados dos candidatos de todos os estados
para que o MPF e a PF [estes dois órgãos
fiscalizatórios específicos] tenham em mãos
as informações necessárias de todos os
políticos do país. Nós, da PF daqui de Sergipe,
trabalhamos junto o MPF também daqui e
também com as equipes de São Paulo nesta
operação que realizou a prisão de Valdevan.

Em relação à investigação que culminou à


prisão, posso dizer que observei um fato que
não tinha visto, até então, em lugar nenhum no
país: foi uma campanha muito agressiva e –
principalmente - muito orquestrada.

Orquestrada e agressiva?
PF – Posso citar como exemplo a organização,
o rearranjo do trabalho de campanha na cidade
de Estância. Nas campanhas, geralmente a
gente vê as pessoas nas ruas, cada qual em um
local, em um posto, acenando com bandeiras,
entregando panfletos, durante algum tempo,

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 20


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 7/24

algumas horas, em turnos diferentes. Mas há


paradas e intervalos durante esse trabalho.
E nestes intervalos, estas pessoas que estão
trabalhando saem destes postos de trabalho e
vão para suas casas, comem.

Em Estância, para a campanha de Valdevan


a coisa não aconteceu assim. O que pude
observar naquele município é que as pessoas
permaneciam por horas ali, no mesmo local, no
mesmo posto de trabalho, e chegava alguém
para trazer a comida, a água, daquela pessoa;
tudo muito organizado, muito orquestrado...

Mas Valdevan é sindicalista, é presidente


do SindMotorista lá em São Paulo, aprendeu
essa logística organizacional no sindicato. Isto
é logística de sindicato mesmo, e não há nada
errado com isso.

Isso, aprendeu essa organização. Mas até


aí, isso não é crime. Porém, por meio de eu
observar esta organização pude perceber um
fato lastimável, que as pessoas pareciam estar
trabalhando para comer e não pelo dinheiro.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 21


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 8/24

Porque, para além da organização [da logística


em si] há um outro fator nesta investigação; o
montante salarial. Porque como é possível uma
pessoa trabalhar por 4 meses, por exemplo, e
receber apenas R$ 200?

Outra observação. Penso que eles [as pessoas,


os laranjas de Valdevan 90] estão, neste caso,
orquestrados para falarem frases feitas, frases
de efeito, palavras de ordem. Em um dos
depoimentos eu percebi isto claramente e resolvi
testar a minha hipótese. Eu estava com um
desses laranjas, em uma oitiva, e eu sempre fazia
sempre o mesmo questionamento mudando
apenas as palavras, invertendo frases; e ele [o
suspeito] respondia com a mesma palavra de
ordem: “Eu acredito no programa do candidato”.

Foi aí que no meio do meu interrogatório


eu perguntei o seguinte: “O senhor gosta
de pão?”. E ele [o suspeito] respondeu: “Eu
acredito no programa do candidato”. Neste
momento eu percebi que tinham realizado
quase uma lavagem cerebral naquelas
pessoas, parecia uma seita.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 22


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 9/24

E este é somente um dos exemplos.


Porque na maior parte dos casos, as pessoas
não vieram depor, não compareceram.
Quando vinham ficavam olhando [agoniadas,
aflitas] para os respectivos advogados. E
eram pessoas, todas, instruídas a falarem as
mesmíssimas coisas.

Sou leiga no assunto, talvez a maior


parte dos leitores também seja. Me
esclareça por favor. Afinal, ir à PF e mentir,
mentir para a polícia não é crime?

PF – A legislação prevê que você, quando no


papel de réu ou acusado ou investigado pode
omitir seu depoimento, até mentir. E há leis em
sua [do réu, do acusado, do investigado] defesa.

Mas no caso do crime eleitoral que


levou à prisão de Valdevan 90, as pessoas
que nós da PF solicitamos indiciamento,
e foram ouvidas, elas estão sendo agora
indiciadas pelo crime previsto no artigo
350 do código eleitoral, e não por terem
[ou não] mentido à polícia.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 23


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 10/24
ÔNIBUS BRASIL

Empresa Vitória, uma das investigadas


pela Operação Marcha à Ré, em fase de conclusão

TRANSPORTE ESCOLAR
Delegado, recentemente, em agosto
deste ano, o senhor, deflagrou a Operação
Marcha à Ré. Como está essa investigação
hoje? O que a sociedade pode esperar
acerca disso?
PF – Estamos na fase de finalização. Muito
em breve, a investigação estará conclusa e a
sociedade saberá o resultado.

Existe, nesta investigação do transporte


escolar, empresário que seja cônjuge de
algum deputado? A empresa do marido

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 24


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 11/24

de Suzana Azevedo, a ex-deputada e atual


conselheira do Tribunal de Contas do
Estado (TCE-SE), está nessa investigação?

PF –A empresa Vitória é uma das


investigadas.

Estamos na fase de finalização. Muito


em breve, a investigação estará conclusa
e a sociedade saberá o resultado”

MERCADO DE SHOWS EM SERGIPE


Delegado, para além da esfera de crimes
eleitorais e transporte escolar, o senhor
continua na investigação do mercado de
shows em Sergipe. Luzy é indiciada?

PF – Luzy é sim indiciada. O inquérito ainda não


está concluso. O que posso dizer é que a versão
dela não é condizente com a versão da polícia.
Ela [Luzy] diz que não conhece determinadas

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 25


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 12/24
ARQUIVO PESSOAL

Luzy Santos, produtora e responsável pela Marya Bunita


produções, que detêm 97% dos artistas sergipanos

pessoas, mas não é isso que as ligações telefônicas


comprovam. Ela [Luzy] diz que não ligou, mas ligou;
diz que não conhecia, que não falava com pessoas
na secretaria de Cultura [do Estado], mas falava,
se falavam praticamente todos os dias. Luzy já foi
ouvida antes, em outros inquéritos da PF. A história
dela não é condizente.

Luzy não fez somente o Arraiá do Povo,


evento do Estado. Ela [a Luzy] está em
praticamente todos os eventos de Sergipe,
realizados pelo Estado, pelo município
de Aracaju, pelos eventos do interior
sergipano.
PF – Verdade.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 26


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 13/24

Ela [Luzy] diz que não ligou, mas ligou;


diz que não conhecia, que não falava
com pessoas na secretaria de Cultura
[do Estado], mas falava, se falavam
praticamente todos os dias”

Mércia Barreto é uma das responsáveis


pela realização do Rasgadinho [carnaval
público do município de Aracaju] e
também pela Casa Curta-Se [festival de
cinema]. Ela está sendo investigada?
PF – Mércia é sim um dos alvos do inquérito.

Mas, e o ex-deputado Robson Viana?


Dizem que ele está envolvido...
PF – [Silêncio]

Ele está envolvido? Porque os músicos


dizem que está? Há parlamentares que
também dizem que está. Ou o senhor não
pode falar?

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 27


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 14/24

PF – [Silêncio]. Até agora, no que eu tenha


visto, ele não está envolvido. [Silêncio]. Mas eu
prefiro esperar. Vamos esperar o resultado das
interceptações telefônicas, da quebra de sigilo
telefônico.

O senhor está investigando todos os


eventos de Sergipe? Vai ‘passar um pente
fino’ em todos eles?
PF – Há muitas festas, não dá para investigar
tudo. Mas, como as empresas que realizam
estes eventos [produção de artistas, estrutura
de palco] são as mesmas, se a gente ‘pega’
o Estado, a gente ‘pega’ os 75 [inclusive a
Capital]. Eu tenho duas frentes de trabalho bem
definidas: a contratação dos artistas locais e
a contratação da estrutura pelo estado para a
realização de eventos durante um ano. Porque a
contratação de artistas em nível nacional é mais
complexa e é realizada em menor número.

Se um empresário participa de uma


licitação, mas possui irmãos, parentes, em
alguma secretaria do município no qual
este pregão eletrônico ocorre, isto é ilegal?

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 28


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 15/24

PF – Olha, há um artigo 9º da Lei de


Licitações, que versa acerca da questão de
cônjuge, ascendente, descendente (...). Até
cheguei a ver escrito em uma matéria sua (...).
Mas, neste caso, se a secretaria não é direta,
não está diretamente relacionada à licitação,
não, não é ilegal. Mas é imoral, né.

E as empresas que montam palcos,


colocam som para estes eventos, as
empresas de estrutura de palco?
PF – Essa questão da estrutura eu vou tratar
na próxima Operação, já prevista.

Como a PF enxerga esta questão dos


recursos federais aplicados ao mercado
dos shows?
PF – Há duas maneiras de se obter
dinheiro para shows, por meio de duas fontes
diferentes, advindas de recursos federais;
que podem vir ou do Ministério da Cultura,
ou do Ministério do Turismo. Os recursos do
Ministério da Cultura são mais fáceis de serem
adquiridos, é mais simples [o preenchimento
dos requisitos] e geralmente os gestores os

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 29


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 16/24

utilizam para pagamentos de artistas locais. Já


os recursos do Ministério do Turismo são mais
complicados de serem conseguidos, há maior
burocracia e o preenchimento de requisitos
para a liberação do dinheiro é mais complexo.
Em Japaratuba, os R$ 500 mil, por exemplo, foi
verba do Ministério do Turismo.

E como ocorrem as fraudes? E como a PF


descobre esse tipo de fraude nos eventos?
Pode citar exemplos?
PF – É simples. Observe. Vamos tomar como
exemplo o Forró da Orla [do Estado]. Quando
se olha o edital, a data de lançamento foi maio.
Mas o contrato com os artistas locais foi em
março. O contrato foi firmado antes de existir
o edital do evento ou o pregão licitatório para
iniciar este evento.

Mas isso não é ilegal?


PF – Claro que é. É ilegal. Veja, existe
também outra maneira de camuflar ilícitos.
Quando os lotes dos pregões ‘pedem’ uma
série de itens e subitens que geralmente
empresas de médio ou pequeno porte não

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 30


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 17/24

possuem. Quem vencerá? Empresas de grande


porte, na maior parte das vezes, porque elas
detêm teoricamente todos estes subitens.
Essas empresas, entretanto, teriam, na prática,
todos estes subitens para ofertar?

Não, não necessariamente. Porque na maior


parte dos casos, elas [empresas de grande porte]
sublocam diversos desses subitens de empresas
menores, ou de empresas especializadas
naquele determinado item específico.

Em relação às empresas de estrutura, como


consegui desmembrar e rastrear prováveis
ilícitos? Observando um destes produtos
específicos ofertados: os banheiros químicos. É
muito difícil trabalhar com banheiros químicos,
são muitos detalhes, é quase a instalação
desse cômodo em uma casa, são muitas as
exigências solicitadas para o contratado.
E geralmente pouquíssimas empresas
trabalham com banheiros químicos. E a data
de montagem destes banheiros químicos,
para o Arraiá do Povo não é condizente com a
documentação oficial.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 31


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 18/24

Quem está auxiliando a PF nestas


investigações, os músicos locais?
PF – Olha, na verdade, os artistas vêm
aqui na PF, falam tudo, são feitas oitivas,
tenho tudo gravado, com câmeras. Eles
[artistas] dizem que assinaram o contrato
com Luzy em março, dizem que ela falou
que era para fazer daquele jeito, que ela
chamou e solicitou iniciar a contratação
antes mesmo de sair o edital para o evento,
mas na hora de assinar o depoimento, eles
[artistas] não assinam. Me relatam tudo,
mas não assinam, e certamente não irão
depor em juízo. Alguns já até começam a
falar assim: “Doutor, se o senhor levar isso
adiante, o São João vai acabar, eu vou ficar

PARA MAIS INFORMAÇÕES OU DÚVIDAS, LIGUE

(79) 3304 - 5414


Clique aqui e faça seu anúncio

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 32


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 19/24

sem o São João, vou tocar aonde”. Aí, Paula,


como eu vou pressionar um cara desses ...

É, eles têm razão ....


PF – Eles têm razão.

Pelo que ouço dos músicos, creio que


eles querem informar à PF como ocorrem
essas fraudes, esses ilícitos, como essa
prática de corrupção ocorre no mercado
dos shows em Sergipe. Mas têm receio de
assumir essas declarações. Eles querem
contar ao senhor como a ‘coisa funciona’.
PF – Eu sei. Já os ouvi bastante sim. E posso
te dizer que no atual momento, eu já sei como
a ‘coisa funciona’. Atualmente, os funcionários
da Secretaria de Estado de Cultura, Secult,
principalmente os de baixo escalão, querem
colaborar e já estão colaborando porque sabem
que [eles] são alvos que podem ser atingidos. Digo
isto porque interceptei as ligações telefônicas.
Somente para citar um exemplo geral, tem uma
menina [uma mulher] que fez diversas ligações,
sabe que o nome dela está envolvido; então, é
melhor colaborar com a polícia.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 33


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 20/24

O senhor sabia que a Deotap está


chamando os artistas para depor? Eles
dizem que está. Inclusive que na próxima
segunda-feira, dia 10, pela manhã,
estarão lá e irão representados pelo
Sindicato deles.
PF – Não, não tinha conhecimento.

Eu tenho duas frentes de trabalho bem


definidas: a contratação dos artistas
locais e a contratação da estrutura pelo
estado para a realização de eventos
durante um ano”

Os músicos e até um suplente de


vereador, que está afastado, relatou-me
nestes últimos dias, que essa suposta
máfia no mercado dos shows continua
agindo em Sergipe porque, quando
denunciada à PF teve um delegado que
recebeu propina, coisa de R$ 100 para
comprar um caminhão. O senhor já ouviu

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 34


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 21/24

essa conversa? Isso pode ser verdade, ou


o senhor acredita que isso é burburinho
político, fofoca?
PF – Não ouvi.

Mas os seus inquéritos, os inquéritos


que o senhor está comandando, a
sociedade sergipana pode esperar o que
deles? Serão conclusos? Seguirão até o
final?
PF – Todos serão conclusos. Todos seguirão.
Estou fazendo e farei o meu trabalho.

RECEBA O SEU
JORNAL CINFORM DIGITAL
GRÁTIS
TODA SEMANA ATRAVÉS
DO WHATSAPP, ÀS SEGUNDAS
E QUINTAS-FEIRAS

TOQUE AQUI
E CADASTRE-SE

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 35


| POLÍTICA | EXCLUSIVO 22/24

VALDEVAN 90
INVESTIGADO EM SÃO PAULO
Em 21 de maio de 2014, o jornalista Rodrigo
Rodrigues, do portal Terra, denunciou uma disputa
acirrada pelo comando do Sindicato dos Motoristas
de Ônibus de São Paulo, envolvendo desvios de
recursos e assassinatos. Escreveu o jornalista: Na
linha de frente da greve de ônibus que pegou todos os
trabalhadores de São Paulo de surpresa na volta para
casa nesta terça-feira, dia 20, – e que continua nesta
quarta – o Sindicato dos Motoristas de Ônibus de São
Paulo (Sindmotoristas-SP) tem um longo histórico de
disputas, desvios de verba e até assassinatos.

Os dois sindicalistas que disputam o poder na


entidade têm em comum vários problemas judiciais,
como acusações de enriquecimento ilícito,
formação de quadrilha e suspeitas de ligação com
organizações criminosas. Valdevan Noventa, o atual
presidente, e Isao Hosogi – o Jorginho, que hoje
está na oposição, eram aliados até 2003, quando
os dois foram presos sob acusação de comandar
uma máfia que organizava greves em conluio com
empresas de ônibus na cidade.
ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 36
ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 36
| POLÍTICA | EXCLUSIVO 23/24

Os dois faziam parte da mesma diretoria até o


ano passado, quando Valdevan Noventa ganhou
força para disputar a presidência contra “Jorginho”,
que estava no cargo desde 2004. Acusando o
ex-aliado de ser o “Jorginho do Patrão”, Valdevan
Noventa ganhou espaço expondo supostos bens
de Isao Hosogi durante a campanha. Entre os bens
haviam casas de praia e imóveis que somariam,
segundo o adversário, um patrimônio de mais
de R$ 16 milhões – valor incomum para um
sindicalista de uma categoria com salários tão
achatados, com piso salarial de R$1.955,00 para
motoristas e R$1130,0 para cobradores.

Após saírem da cadeira em 2004, Isao Hosogi


assumiu a presidência com apoio do ex-presidente
Edvaldo Santiago, mesmo com a acusação de
conluio com empresários ainda a ser resolvida na
Justiça. Valdevan Noventa, por sua vez, assumiu
uma cooperativa de perueiros em Taboão da Serra,
onde se tornou vereador pelo PV e, mais tarde, foi
investigado pela Polícia Civil por suspeita de lavar
dinheiro do tráfico de Paraisópolis nas lotações da
cidade, além de ligação com a facção criminosa
PCC (Primeiro Comando da Capital).

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 37


ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 37
| POLÍTICA | EXCLUSIVO 24/24

Em 2010, o assassinato de três dirigentes


do Sindmotoristas-SP levantou suspeitas que
até hoje não foram confirmadas pela Justiça de
que o então presidente, Isao Hosogi, comandava
um esquema interno de desvio de dinheiro nos
contratos de planos de saúde da categoria. A morte
dos diretores fez emergir o suposto esquema,
que, segundo a Polícia Civil, teria movimentado
irregularmente cerca de R$ 500 mil. Por conta
dos assassinatos e dos supostos esquemas de
fraude, a eleição que colocou os dois dirigentes
sindicalistas em rota de colisão ficou mais acirrada,
obrigando a intervenção da Justiça do Trabalho e
ficando quase três meses paralisada.

No dia marcado para a eleição da entidade, no


fim de julho de 2013, uma confusão relacionada
à distribuição das urnas terminou em tiroteio
que deixou três pessoas baleadas e obrigou a
paralisação do processo eleitoral imediatamente.

Na nova eleição de setembro, a chapa de oposição


comandada por Valdevan Noventa venceu o pleito
apoiado pela UGT (União Geral dos Trabalhadores) e
obteve 57,3% dos votos da categoria.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 38


1/8

GERAL

NÚMERO DE
DIAGNÓSTICOS
DE BORDERLINE
AUMENTA
lO comportamento difícil pode
ser um transtorno psiquiátrico

JULIANA PAIXÃO | redacao@cinform.com.br

Uma pessoa difícil de lidar, egoísta,


impulsiva, autoritária, sem empatia, agressiva,
com relações instáveis, são alguns sintomas
do transtorno de personalidade limítrofe
ou borderline, comum em consultórios
psiquiátricos. Atualmente o Brasil possui
em torno de dois milhões de pessoas com o

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 39


| GERAL 2/8

transtorno, número que tem

ARQUIVO PESSOAL
aumentado com a ampliação
de informações.

A residente de psiquiatria
do Instituto Behal, Erica
Meireles, explica os
sintomas do transtorno de
personalidade borderline. “O
transtorno de personalidade
Erica Meireles,
borderline é caracterizado residente de psiquiatria
por um padrão disfuncional
de instabilidade emocional e nas relações
interpessoais, diagnosticado a partir dos 18
anos, idade em que a personalidade já está
formada. As pessoas com esse distúrbio
geralmente têm relações intensas com
pessoas próximas, mas, quando frustradas,
quebram seus vínculos mais íntimos, tornando-
se solitárias. Possuem também problemas
com sua autoestima, podem apresentar
comportamentos impulsivos que as colocam
em risco para adições, compulsão alimentar,
direção irresponsável, gastos excessivos,
promiscuidade, auto e heteroagressividade.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 40


| GERAL 3/8

No tocante à autoagressividade, é comum que


pessoas com esse transtorno se coloquem em
risco de suicídio, constantemente. Apresentam
reações explosivas muitas vezes inapropriadas,
muitas vezes por medo de serem abandonadas
pelas pessoas com quem tem apego emocional
- um abandono nem sempre real, mas muitas
vezes, imaginando”, conta.

Erica explica que o transtorno pode ser


detectado desde a adolescência. “São
detectados desde a adolescência os traços
de tal transtorno, entretanto, o diagnóstico só
pode ser fechado após os 18 anos, idade em
que a personalidade está formada, para assim
definir o transtorno. De modo geral, no início da
vida adulta a pessoa mantém esse padrão, sem
mudanças significativas no seu funcionamento
mesmo com vivências que confrontem tais
comportamentos disruptivos”, conta.

A residente de psiquiatria explica como é


o tratamento da doença. “É mandatário, no
tratamento de pessoas com esse transtorno, a
psicoterapia. O transtorno de personalidade é

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 41


| GERAL 4/8

um problema na formação do ego do indivíduo.


O ego proporciona que retardemos a descarga
de impulsos e que modulemos nossos afetos;
como há uma quebra na formação, o indivíduo
não consegue utilizar a consciência para
orientar seu comportamento. A psicoterapia
visa empoderar a consciência do indivíduo
e torná-lo mais deliberativo nas suas ações,
ou seja, menos impulsivo e reativo. Também
são usadas medicações, como auxiliares
no tratamento, visando reduzir ansiedade,
sintomas depressivos e impulsividade,
entretanto, os psicofármacos são tratamentos
secundários à psicoterapia. A evidência
científica atual mostra que após 2 anos de
psicoterapia, esses indivíduos demonstram
mudanças marcantes no seu funcionamento,
tornando-se mais adaptados.

REDE PÚBLICA EM ARACAJU


A coordenadora da Rede de Atenção
Psicossocial da Secretaria Municipal de Saúde
de Aracaju, Chenya Coutinho, explica como
é a assistência do SUS Aracaju em casos de
diagnóstico de borderline.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 42


| GERAL 5/8

“O cuidado a pessoas

ARQUIVO PESSOAL
com diagnóstico
de transtorno de
personalidade limítrofe
envolve uso de
psicotrópicos, psicoterapia
e acompanhamento da
família. Na rede SUS
Aracaju o cuidado é
ofertado nas referências
Chenya Coutinho,
em saúde mental (10 coordenadora da Rede
de Atenção Psicossocial
referências adulto e 4 da Secretaria Municipal
referências infantis) e de Saúde de Aracaju
em casos moderados o
cuidado também é realizado nos centros
de atenção psicossocial (CAPS). Nos CAPS
os usuários contam com uma equipe
multiprofissional, composta por médico
psiquiatra, psicólogo, terapeuta ocupacional,
educador físico, assistente social, equipe de
enfermagem, farmacêutico, dentre outros.

Chenya explica que a cidade de Aracaju


possui 4 CAPS adulto, sendo um CAPS
específico para o cuidado a pessoas que

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 43


| GERAL 6/8

fazem uso nocivo de álcool, crack e outras


drogas e 02 CAPS infanto-juvenis, sendo
um especifico para casos de crianças
e adolescentes que também fazem uso
nocivo de álcool, crack e outras drogas,
que estão disponíveis gratuitamente. “Os
CAPS são serviços porta aberta, que quer
dizer que para um primeiro acolhimento
não é necessário agendamento, basta
dirigir-se ao CAPS da região em horário
comercial, com identidade e cartão SUS, que
a equipe realizará uma primeira avaliação
para encaminhar de forma a atender
mais adequadamente cada pessoa, em
contemplando as questões singulares de
cada caso”, destaca.

NO ESTADO
A psiquiatra da Maternidade Nossa Senhora
de Lourdes, Ana Salmeron, explica as
características do transtorno mental. “O que
caracteriza a Bordeline é a impulsividade e o
descontrole das ações. São pessoas que se
preocupam muito consigo mesmas, tudo que
acontece em volta é para que ela fique bem seja

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 44


| GERAL 7/8

a qualquer custo, sem se importar com o que o


outro está sentindo. Eles podem cometer atos
como, por exemplo, se cortar, usar medicações
em excesso, eles são muito impulsivos”.

A psiquiatra destaca que o tratamento


não é tão simples e precisa de um
acompanhamento profissional. “Os
pacientes com burderline são atendidos de
uma forma geral como todos os casos de
doenças psiquiátricas, sendo que eles são
mais difíceis na recuperação, comparando
com transtorno do pânico. Porque você
tem que lidar com a medicação adequada
para cada paciente, geralmente se usa
um neurolético, que é um anti-psicótico
causando um resultado positivo”, conta.

A psiquiatra, Ana Salmeron, destaca que


o número de pacientes na rede pública que
são diagnosticados com borderline tem
aumentado. “Eu não acho que aumentou
o número de pessoas com borderline, mas
que eles antes eram tidos como pessoas
agressivas ou controladoras somente. Hoje

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 45


| GERAL 8/8

as famílias, principalmente, vêm percebendo


que é um problema de ordem psiquiátrica,
que antes ficava só na linha do mau
comportamento, comportamento desafiador,
hoje está esclarecido que é uma doença e é
preciso de tratamento”, ressalta.

Ana explica o que acontece quando um


paciente é diagnosticado na rede estadual
de saúde. “Não é um diagnóstico simples, ele
confunde com ansiedade, com depressão,
com esquizofrenia, mas assim que você
clareia o diagnóstico você medica o paciente
e encaminha para o laboratório de psiquiatria
da cidade do paciente com todo o seu
histórico”, conta.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 46


| GERAL 1/28

EXPANSÃO DA
RELIGIOSIDADE
REPRODUÇÃO DA INTERNET

lAo contrário do que muitos


sociólogos e filósofos imaginaram há
cerca de 50 anos, cresce em todo o
mundo a busca do homem pelo espiritual

THAYNÁ FERREIRA | redacao@cinform.com.br

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 47


| GERAL 2/28

Esta semana,
movido pelo

ARQUIVO PESSOAL
movimento da
sociedade em
busca de valores
espirituais,
o CINFORM
empreendeu esta
reportagem acerca
da expansão
dos movimentos
religiosos pelo
Brasil afora.

Nos dias atuais,


as emissoras de Yalorixá Edvania José dos Santos
televisão e rádio,
os jornais impressos, as revistas voltadas
para qualquer segmento trazem em suas
programações, quase que obrigatoriamente,
inserções que têm pautado os movimentos
religiosos no seu mais amplo leque. Isso
sem falar dos veículos exclusivos das
diversas religiões e suas diversificações
doutrinárias e comportamentais.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 48


| GERAL 3/28

COMO FICA A SOCIOLOGIA?


Nos anos de 1970, sociólogos com perfis
semelhantes ao do americano Peter Berger
vaticinaram que as religiões, porque não
responderiam aos verdadeiros anseios do
homem, estariam fadadas ao extermínio.

Ao contrário do que pensaram muitos


desses profissionais, as religiões proliferaram
pelo mundo afora, mesmo que, segundo
estudos do filósofo e sociólogo francês Pierre
Bourdieu, façam parte de um largo mercado da
fé, como explicou no seu escrito de instigante
tema “A economia das trocas simbólicas”.

Outro sociólogo famoso, o romeno Mircea


Eliade, que popularizou o tema “O sagrado
e profano” em livro homônimo de sua lavra,
traçou, com rara eficiência o perfil do homem
religioso como sendo um ser especial, que
consegue estar na terra sem pertencer
a ela. Eliade demonstra uma potente
remagicalização do mundo quando, pela
fé, e por explicitação, o religioso consegue
promover uma ruptura na natureza e abrir

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 49


| GERAL 4/28

um portal para ligar um espaço sagrado (um


templo) ao céu, através de um dossel sagrado.

Nesse quadro, o CINFORM procurou ouvir


lideranças de diversos cultos para que o
leitor, ou leitora, forme sua concepção de
mundo sob o prisma da velha, e sempre
nova religiosidade humana.

CANDOMBLÉ
Edvania José dos Santos.
Eu acredito que o aumento das religiões nos
dias atuais, independente do que se acredita,
tem sido e como sempre foi, uma porta de
escape para esse mundo que tem se tornado
tão cruel, violento e sem compaixão.

As pessoas estão necessitando de amor.


Esse mundo frenético tem deixado as
pessoas carentes, e nós acreditamos que
buscar uma fé nos traz a esperança de
volta, pois sentimos na pele o amor que
procuramos quando temos no que acreditar
e pessoas que também acreditem e sigam
conosco na caminhada da vida.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 50


5/28

Digo isso por experiência própria, de


pessoas que recebo em minha casa, em um
desses ensejos recebi um casal no Ilê Axé
qual presido, e ao nos despedirmos, como
é de meu costume, desejei axé dando um
abraço. Nesse momento, a senhora que me
visitava se emocionou e chorando me relatou
que precisava muito daquele abraço. E é isso
que as pessoas necessitam, dessa energia de
afeto, corpo no corpo, de união, se sentirem
acolhidas e também de se reconhecerem, se
entenderem no mundo e serem amadas pelo
que são. É o olho no olho, o aperto de mão, o
fazer o bem. No nosso exercício de fé deixamos
a alma se elevar, sentimos na pele a energia
acolhedora dos nossos Protetores.
Gostaria de deixar claro que não posso falar
pelo Candomblé por ser Yalorixá, existem
muitas outras sacerdotisas e sacerdotes de
nossa religião que possuem seu caminho, sua
espiritualidade, seu modo de agir, de viver e de
educar os seus. Eu posso falar pela minha casa,
pelas minhas experiências e pelo modo como
percebo o mundo através do Candomblé.
Acredito que somos um povo escolhido e

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 51


| GERAL 6/28

cuidado pelos nossos ancestrais e Orixás que


atravessaram Continentes para nos proteger e
cuidar, e que como força de resistência chegou
até os dias atuais e que me ensinam a pensar
o mundo e minhas relações pessoais. Sendo
assim, se esse florescimento religioso for
pautado no amor e no respeito, independente
do credo, aquece o meu coração pensar que
exista um crescimento da fé e do bem.

SOBRE SINCRESTISMO
NEOPENTECOSTAL - Acredito que as
bases ideológicas e o exercício da fé das
duas religiões comparadas, são um tanto
antagônicas e por isso não existe uma mistura
entre o culto neopentecostal e as práticas de
religiões afro. Embora possa parecer em alguns
aspectos para quem não conhece bem ambas
religiões, na prática é bastante distante para os
que são adeptos destes segmentos.

FUTURO DAS RELIGIÕES - Existem dois


caminhos que se difundem quando paro
para pensar sobre o futuro das religiões no
mundo. É certo que enquanto existirmos

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 52


| GERAL 7/28

enquanto humanidade acreditaremos


em algo maior, consequentemente se as
religiões forem meios de disseminar amor,
paz, esperança, amor ao próximo e fazer o
bem, temos tudo para que a humanidade
cresça, cada um dentro de sua fé pautada
no respeito com a finalidade de evolução no
intuito de gerar nas pessoas o sentimento de
mais amor, respeito ao próximo, aceitação
de si e do outro. Só temos a crescer se a
humanidade sepultar as diferenças e cultivar
o respeito, deixando as críticas de lado,
preservando o espaço do outro.

No entanto, a fé e a espiritualidade em
alguns casos confundem as pessoas e as
tornam propensas a gerar determinados
conflitos que segregam ao invés de unir. Não
devemos deixar que isso imponha limites, e se
for dessa forma, é nocivo, não deve acontecer.
Tenho esperança no futuro das religiões
enquanto porto seguro das pessoas. Prezamos
que as religiões promovam amor, carinho,
cuidado com a natureza pois fazemos parte
dela. A palavra-chave é RESPEITO.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 53


| GERAL 8/28

DA ESSÊNCIA DAS RELIGIÕES AFRO - As


comunidades tradicionais de matriz africana
não acreditam numa necessidade de salvação.
As bases de nossa religiãoproveniente de
África, não possuem em sua crença e no
seu modo de pensar o mundo, algo que se
assemelhe com uma necessidade de salvação.
Acreditamos que nossa vida aqui na Terra
é uma passagem e enquanto estamos nela
devemos evoluir enquanto seres humanos,
alcançando tanto uma elevação pessoal
quanto coletiva, se ajudando enquanto família.

Dessa forma, nós nos deixamos salvar


das intempéries dessa vida com o amor, e
pensamos que fazer o bem nos faz crescer e
evoluir enquanto parte da humanidade desse
modo estaremos contribuindo para algo maior.
E devemos fazer isso enquanto estamos vivos.
É por isso que em nossas conversas no terreiro,
em família, falamos muito sobre nossa evolução
enquanto pessoas inseridas na sociedade.

ATOS COMO O COPO D’ÁGUA - De antemão


posso dizer que essas práticas não têm a

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 54


| GERAL 9/28

ver com a nossa religião. As coisas que mais


possam se aproximar enquanto nomenclatura
e efeito já que estamos falando de limpezas
espirituais, se distanciam na prática, uma vez
que, nós candomblecistas temos uma liturgia
completamente diferente e uma forma distinta
de exercer nossa espiritualidade dentro dos
nossos ritos de purificação.

Temos em nossos ritos de limpeza algo


ancestral e que possui uma energia, o tão
conhecido AXÉ, que é emanado da nossa
Natureza, através da cura proveniente das
Águas, das Ervas, dos nossos cantos e rezas.
O que é feito nas igrejas é liturgicamente
diferente e nesse sentido não tenho nada a
dizer com relação a isso e nem queremos
suscitar esse tipo de conflito dentro de nossos
limites de respeito. Dessa forma, uma vez que
não convém com o nosso Sagrado, não consigo
enxergar um elo entre as práticas.

EVANGÉLICOS – Pr. Zoar Assuero


Estas são religiões milenares, que sempre
tiveram adesão num índice muito elevado em

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 55


| GERAL 10/28

toda história, agora contam com ferramentas


poderosas de divulgação e agregação, nos
meios de comunicação, principalmente a
internet. O Cristianismo continua sendo a
maior religião do mundo, e que mais cresce.
Mas um estudo do Pew Research Center,
uma organização que conduz pesquisas
independentes sobre diferentes temas e em
escala global, procurou traçar um panorama
sobre as religiões no mundo. Até 2050 o
islamismo, segundo essa pesquisa de projeção,
estará com o número de seguidores bem
próximo do número de cristãos. Em particular a
migração de povos árabes para países europeus
e América, tem acelerado esse crescimento.
A globalização aproximou mais as pessoas e
suas etnias. Religiões fortes para uma cultura,
um povo e etnia, acabaram se aproximando do
mundo através da globalização.

SINCRETISMO NEOPENTECOSTAL - Não


acho que exista sincretismo dentro do culto
neopentecostal. Nem que haja mistura no
culto neopentecostal, com práticas de religiões
afro. Penso que pode haver semelhanças. São

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 56


| GERAL 11/28

vertentes religiosas completamente distintas.


Assim como, no culto protestante, há também
semelhança com práticas judaicas. Que
continue sendo assim, cada viés religioso com
suas tradições, crenças e práticas.

No estudo que citei acima, afirma que, todas


as estimativas são baseadas em tendências
atuais e levam em conta indivíduos que se
designam especificamente de uma religião
para outra, de povo para outro. Uma coisa é
certa, as pessoas cada vez mais procurarão
a religião como recurso de abrigo, alento,
socorro, fuga. Esse mesmo estudo diz que
nos próximos 50 anos, o número de pessoas
sem religião vai percentualmente reduzir. As
pessoas estão em busca de respostas, e vão
continuar buscando nas religiões essa fonte de
respostas. Nós, cristão, acreditamos que Jesus
Cristo é essa fonte.

SESSÃO DE DESCARREGO - Penso que há um


equívoco no pensamento. Se o que se chama de
“sessão de descarrego”, seja a ação ou método
de enfrentamento de forças sobrenaturais,

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 57


| GERAL 12/28

espíritos malignos, demônios. Há registros


históricos nos evangelhos bíblicos, mostrando
Jesus Cristo, seus apóstolos e discípulos, em
momento de expulsão de espíritos malignos.
Se isso é o que quer chamar de “sessão de
descarrego”, não seria então uma prerrogativa ou
prática de doutrinas da umbanda/candomblé.
Históricas igrejas pentecostais presentes
no Brasil no início do século 20, tinham em
normalidade, momentos não programados dos
seus cultos, situações de enfrentamento de
forças sobrenaturais e espíritos malignos.

ESPÍRITAS –João Batista Medeiros


Vice-presidente da Federação Espírita do
Estado de Sergipe – FEES.
Na verdade, essa ideia de que as religiões
estariam fadadas à extinção vem desde
o final do século XVIII, aprofundou-se
no final do século XIX, tendo Nietzsche,
na sua obra Gaia Ciência, colocado na
boca do personagem homem louco que a
civilização ocidental se afastou de Deus.
Entretanto é necessário observar a imagem
antropomórfica que os homens têm de

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 58


| GERAL 13/28

Deus, o que leva à

ARQUIVO PESSOAL
compreensão da sábia
frase de Voltaire: “Eu
não acredito no Deus
que os homens criaram;
eu acredito no Deus que
fez os homens”. Esse
Deus não entendido à
imagem da imperfeição
do homem está mais
vivo do que nunca e é
Aquele apresentado
por Jesus: Pai comum
João Medeiros Vice-presidente
de toda a humanidade, da federação espírita
que ama de forma igual
todos os seus filhos (faz chover sobre bons
e maus e faz nascer o sol sobre injustos e
justos) e que a resposta à questão primeira
de O Livro dos Espíritos define como
“Inteligência Suprema e Causa Primeira de
todas as coisas”.

É preciso separar o amor a Deus da


questão da religião. E é preciso diferenciar as
acepções conceituais de religião. As religiões

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 59


| GERAL 14/28

que estão perecendo ou que perecerão serão


as dogmáticas, aquelas que se preocupam
com exterioridades muito mais do que com a
vivência dos valores espirituais e morais que
proponham a evolução moral do homem, no
sentido de amar ao próximo como a si mesmo.

Quanto a essa assertiva, a questão 842


de O Livro dos Espíritos é muito elucidativa
ao pontuar as condições para que se possa
dizer que esta ou aquela religião é boa. Como
todas as doutrinas têm a pretensão de ser
única expressão de verdade, por que sinais
podemos reconhecer a que tem o direito de se
apresentar como tal?

“Essa será a que produza mais homens


de bem e menos hipócritas, quer dizer,
que pratiquem a lei de amor e caridade na
sua maior pureza e na sua aplicação mais
ampla. Por esse sinal reconhecereis que
uma doutrina é boa, pois toda doutrina que
tiver por consequência semear a desunião e
estabelecer divisões entre os filhos de Deus
só pode ser falsa e perniciosa. ”

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 60


| GERAL 15/28

Portanto, o Espiritismo ao se referir a


religiosidade assim o faz concebendo-a
desvestida de dogmatismo e cultos
exteriores, mas sim como aproximação com
Deus e vivência dos ensinamentos de Jesus,
Modelo e Guia da Humanidade, defendendo,
assim, a frase dita por Kardec: “fora da
caridade não há salvação”.

SOBRE RELIGIÕES MILENARES -


Inicialmente se deve pontuar que as
religiões aqui citadas: xamanismo,
budismo, islamismo, não são de hoje,
embora o mundo ocidental ultimamente
esteja se familiarizando mais com elas e
outras. Quanto ao Xamanismo, evidências
arqueológicas e antropológicas indicam que
essa prática já existe há mais de 20.000 anos
e nela vemos lições do amor incomensurável
de Deus por todos os Seus filhos. Quanto ao
Budismo, data aproximadamente do século
VI a. C., e embora não seja considerada uma
religião teísta, há de se pontuar que ela nega
mesmo Deus antropomórfico, conforme se
vê nesta resposta do Lama:

ANO 35 - ED. 1859


1861 -10/12/2018
-26/11/2018 - 61
| GERAL 16/28

O mundo vai mudando e Deus não fala


de novo. Mas agora nós podemos olhar
com o olho de Deus e falar. É extraordinário,
Deus ficou vivo de novo. Então esse Deus o
budismo pensaria que seria possível. Na visão
budista, não dá muito para personificar esse
aspecto primordial. Ele não é um ser que
está em algum lugar. Mas eu acredito que,
com algumas exceções, os teólogos também
não estão pensando em Deus como um ser
antropomórfico em algum lugar. (In: http://
www.cebb.org.br/budismo-e-deus/)

E quanto ao islamismo, fundada pelo


Profeta Maomé no ano 622, suas principais
características são: a crença em Deus; os
livros sagrados, profetas (inclusive consideram
Moisés e Jesus Profetas), anjos e fatalismo.

Conforme se pode observar a concepção de


Deus não antropomórfico é a que felizmente
começa a imperar, tal como a questão 13 de
O Livro dos Espíritos se refere: Deus é eterno,
infinito, imutável, imaterial, único, onipotente,
soberanamente justo e bom.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 62


| GERAL 17/28

Em primeiro ligar torna-se interessante


esclarecer o que J. Herculano Pires*, referindo-
se ao Centro Espírita, dizia: “Podemos figurá-
lo como um espelho côncavo em que todas
as atividades doutrinárias se refletem e se
unem, projetando-se conjugadas no plano
social geral, espírita e não espírita”. Não se
aceita, pois, nos dias atuais um Centro Espírita
estanque, fechado em suas quatro paredes, a
que Leopoldo Machado chamava Espiritismo
de “mortos”, quando propugnou fizéssemos o
Espiritismo de “vivos”.

*Nascido em Avaré, estado de São Paulo


(1914-1979), jornalista, destacou-se como um
dos mais ativos divulgadores do espiritismo
no país. Traduziu os escritos de Allan Kardec
e escreveu tanto estudos filosóficos, quanto
obras literárias inspiradas na Doutrina Espírita.

SOBRE OS TEMPLOS - E, neste diapasão, O


Reformador, Revista Semanal de Divulgação
Espírita, janeiro de 1951, afirmou que o Centro
Espírita deve revestir as características
de Templo, Lar, Hospital, Oficina e Escola.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 63


| GERAL 18/28

Assevera Emmanuel: “Quando se abrem as


portas de um templo espírita-cristão ou de
um santuário doméstico, dedicado ao culto
do Evangelho, uma luz divina acende-se nas
trevas da ignorância humana e através dos
raios benfazejos desse astro da fraternidade
e conhecimento, que brilha para o bem
da comunidade, os homens que dele se
avizinham, ainda que não desejem, caminham,
sem perceber, para a vida melhor”.

Seguindo essa mesma linha de


pensamento o que o espiritismo espera
é que nessas práticas que cominam com
abertura de novos templos religiosos, que
os objetivos perseguidos sejam no sentido
de divulgar os ensinamentos do mestre
Jesus, num ambiente de fraternidade,
oração e trabalho com a vivência dos valores
espirituais e morais que proponham ainda
a evolução moral do homem, no sentido de
amar ao próximo como a si mesmo, evitando
o toar simples das promessas mesquinha
de riqueza e prosperidade. Perdendo o
testemunho, o templo religioso como um

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 64


| GERAL 19/28

todo perde também a autoridade para


falar. Aquele que abre novo Templo deve
se preocupar com o que as pessoas sob o
seu comando passam nele a enxergar. Não
deverá esse novo líder ser considerado um
aproveitador da boa índole do povo.

Soren Kierkgaard (1813-1855), teólogo


dinamarquês, brindou-nos com uma parábola
que ilustra bem esse conceito. Conta-nos que
um grande circo acampou nas cercanias de
uma cidade. Na tarde que antecedeu a estreia,
quando saltimbancos, mágicos e trapezistas,
se preparavam para o espetáculo, começou
um incêndio no circo. O palhaço, já trajado e
pintado, correu para a cidade em busca de
socorro. Desesperado, ele gritava em praça
pública, clamando por auxílio. Porém, quanto
mais elevava sua voz e corria de um lado para o
outro, mais as pessoas se divertiam. Pensavam
que ele usava de um ardil excelente para lotar o
circo. Exausto e em desespero, caiu de joelhos:
“Por Deus, por Deus! Ajudem-nos! O circo está
em chamas. ” Os meninos gargalhavam. Os
mais velhos se maravilhavam dizendo: “Quão

ANO 35 - ED. 1861


1860-10/12/2018
-3/12/2018 - 65
| GERAL 20/28

extraordinário ator se mostra o figurante do


circo, que sabe chorar para fazer graça”. E o
circo foi destruído pelas chamas.

ACERCA DE SINCRETISMO - Na acepção


do termo, Sincretismo é a fusão de diferentes
doutrinas para a formação de uma nova, seja
de caráter filosófico, cultural ou religioso. O
sincretismo mantém características típicas
de todas as suas doutrinas-base, sejam
rituais, superstições, processos, ideologias
e etc. É a fusão de diferentes doutrinas para
a formação de uma nova, seja de caráter
filosófico, cultural ou religioso.

Por essa ótica o que se pode afirmar é


que os neopentecostais formam um grupo
coexistente com os pentecostais, mas com
uma identidade distinta. Possuem uma forma
muito sobrenaturalista de ter sua fé, com
ênfase na busca de revelações diretas da parte
de Deus, de curas milagrosas para doenças e
a batalha espiritual entre forças espirituais do
bem e do mal, que afirmam ter consequências
diretas em sua vida cotidiana.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 66


| GERAL 21/28

Entendo que a partir do momento quando


os religiosos estiverem convencidos de que só
existe um Deus no Universo e que, em definitivo,
Ele é o mesmo que o adorado por eles sob o
nome de Jeová, Oxalá, Tupã, Alá, Arquiteto do
Universo, Olodum ou Deus, e que quando se
puserem de acordo com os atributos essenciais
da Divindade, compreenderão que, sendo único
esse Ser, única tem de ser a vontade suprema,
estender-se-ão as mãos uns aos outros, como
os servidores de um mesmo Mestre e os filhos
de um mesmo Pai.

Assim, quando todos os homens, estiverem


convencidos de que Deus é o mesmo para
todos, de que esse Deus, soberanamente
justo e bom, nada de injusto pode querer; e
que o mal vem não Dele, mas dos homens,
todos se considerarão filhos do mesmo Pai e
estenderão as mãos uns aos outros. E, neste
aspecto Allan Kardec afirma que é esta a Fé
que o Espiritismo dá, acreditando que no
futuro esse será o eixo em torno do qual irá
girar o gênero humano, quaisquer que sejam
os cultos e as crenças particulares.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 67


| GERAL 22/28

Pouco conheço acerca dessas práticas


utilizadas pelas igrejas neopentecostais.

INTOLERÂNCIA E CARIDADE - Por outro


lado, ouso afirmar que o professor Vagner
Gonçalves da Silva, do Departamento de
Antropologia da USP, desenvolve pesquisas
na área das populações afro-brasileiras,
enfocando temas como religiosidade
(candomblé, umbanda, neopentecostalismo,
intolerância religiosa), relações entre religião
e cultura brasileira (festas populares, música,
capoeira, literatura, cinema etc.), artes afro-
brasileiras e representação etnográfica
(trabalho de campo e etnografia em
hipermídia). Ele também é coordenador do
CERNE - Centro de Estudos de Religiosidades
Contemporâneas e das Culturas Negras,
grupo de pesquisa certificado pelo CNPq-
USP, autor de várias obras acerca do assunto,
se constituindo, portanto, na fonte basilar
para quem tenha dúvidas e deseja saber com
profundidade acerca do assunto.

Mas, para não fugir de um todo acerca da

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 68


| GERAL 23/28

pergunta formulada devo acrescentar que o


Espiritismo não se considera dono de toda a
verdade. Por isso não diz: Fora da verdade não há
salvação, máxima que dividiria em vez de unir, e
perpetuaria o antagonismo e a incompatibilidade
entre os segmentos religiosos.

Como espírita defendo a máxima de


Kardec: “Fora da caridade não há salvação”,
que significa a consagração do princípio da
igualdade perante Deus e da liberdade de
consciência.

Importante considerar que a palavra


caridade é interpretada como amor em
algumas traduções do Evangelho, mas o
significado de “ação em benefício do próximo”
permanece. A prática da caridade promove
a evolução espiritual do ser, quando se
considera os seguintes princípios: (a) a pessoa
caridosa ou amorosa jamais desampara o
próximo, independentemente da situação,
gravidade ou tipo problema existentes; (b) a
caridade é sempre manifestação de amor a
Deus e ao próximo; (c) a caridade promove

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 69


| GERAL 24/28

o desenvolvimento de outras virtudes, daí


se revelar como o principal instrumento da
salvação humana, por vivenciar a Lei de Amor.

Allan Kardec esclareceu que o amor e a


caridade são o complemento da lei de justiça, pois
amar o próximo é fazer-lhe todo o bem que nos
seja possível e que desejaríamos que nos fosse
feito. A caridade, segundo Jesus, não se restringe à
esmola; abrange todas as relações com os nossos
semelhantes, sejam eles nossos inferiores, nossos
iguais ou nossos superiores. Ela nos prescreve
a benevolência para com todos; a indulgência
para com as imperfeições alheias, porque
nós mesmos precisamos de indulgência que
nos proíbe humilhar os desafortunados, ao
contrário do que comumente fazemos e,
finalmente, o perdão das ofensas, como está
escrito no Livro dos Espíritos, questão 886.

Inúmeros foram os bons Espíritos que falaram


acerca da caridade, valendo aqui mencionar o
que afirmou o Apóstolo Paulo: “Meus filhos, na
máxima: Fora da caridade não há salvação, estão
contidos os destinos dos homens, na Terra e no

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 70


| GERAL 25/28

céu; na Terra, porque à sombra desse estandarte


eles viverão em paz; no céu, porque aqueles que
a tiveram praticado encontrarão graça diante
de Deus. Essa divisa é a chama celeste, a coluna
luminosa que guia o homem no deserto da vida
conduzindo-o à Terra Prometida. Ela brilha no
céu, como uma auréola santa na fronte dos
eleitos, e, na Terra, está gravada no coração
daqueles a quem Jesus dirá: ide à direita, vós os
abençoados de meu Pai. [...]”.

Chico Xavier em dado momento afirmou:


“Se Allan Kardec tivesse escrito que fora do
Espiritismo não há salvação, eu teria ido por outro
caminho. Graças a Deus ele escreveu: Fora da
Caridade, ou seja, fora do Amor não há salvação”.

Concluindo, lembraria o breve diálogo entre


o teólogo brasileiro Leonardo Boff e o Dalai
Lama. Leonardo Boff explica: No intervalo
de uma mesa-redonda sobre religião e paz
entre os povos, na qual ambos (eu e o Dalai
Lama) participávamos, eu, maliciosamente,
mas também com interesse teológico, lhe
perguntei em meu inglês capenga:

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 71


| GERAL 26/28

– “Santidade, qual é a melhor religião?”


(Your holiness, what`s the best religion?)
Esperava que ele dissesse:

“É o budismo tibetano” ou “São as religiões


orientais, muito mais antigas do que o
cristianismo.”

O Dalai Lama fez uma pequena pausa,


deu um sorriso, me olhou bem nos olho – o
que me desconcertou um pouco, por que
eu sabia da malícia contida na pergunta – e
afirmou:

“A melhor religião é a que mais ti aproxima


de Deus, do Infinito. É aquela que te faz
melhor.”

Para sair da perplexidade diante de tão sábia


resposta, voltei a perguntar:
– “O que me faz melhor?”

Respondeu ele:
-“Aquilo que te faz mais compassivo”.
(e aí senti a ressonância tibetana,

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 72


| GERAL 27/28

budista, taoista de sua resposta), aquilo


que te faz mais sensível, mais desapegado,
mais amoroso, mais humanitário, mais
responsável…Mais ético… A religião que
conseguir fazer isso de ti é a melhor
religião…”

Calei, maravilhado, e até os dias de hoje


estou ruminando sua resposta sábia e
irrefutável…

Não me interessa amigo, a tua religião ou


mesmo se tem ou não tem religião. O que
realmente importa é a tua conduta perante o
teu semelhante, tua família, teu trabalho, tua
comunidade, perante o mundo…

Lembremos:
“O Universo é o eco de nossas ações e
nossos pensamentos”.

A Lei da Ação e Reação não é exclusiva da Física.

Ela está também nas relações humanas.


Se eu ajo com o bem, receberei o bem.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 73


| GERAL 28/28

Se eu ajo com o mal, receberei o mal.


Aquilo que nossos avós nos disseram é a
mais pura verdade: “terás sempre em dobro
aquilo que desejares aos outros”.

“Para muitos, ser feliz não é questão de


destino… É de escolha. Pense nisso”…

RECEBA O SEU
JORNAL CINFORM DIGITAL
GRÁTIS
TODA SEMANA ATRAVÉS
DO WHATSAPP, ÀS SEGUNDAS
E QUINTAS-FEIRAS

TOQUE AQUI
E CADASTRE-SE

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 74


| GERAL 1/7

Naiana Oliveira,
nutricionista
materno-infantil
FOTO ARQUIVO PESSOAL

PRIMEIROS
ALIMENTOS
DA VIDA
lSucos, chás, sal e açúcar já não são
mais indicados até um ano de idade

JULIANA PAIXÃO | redacao@cinform.com.br

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 75


| GERAL 2/7

O primeiro
ano de vida de
uma pessoa é
de descobertas,
a cada dia é
um passo no
desenvolvimento.
Aos seis meses
chega a hora de
uma das maiores
mudanças, o leite
materno ou a
fórmula deixam
de ser o alimento
exclusivo e
Kananda persistiu na introdução dos
passam a dividir as alimentos com seu filho e destaca que
paciência é essencial
refeições com as
papinhas e as frutas.

Porém não é tão simples quanto parece. A


estudante de jornalismo, Kananda Micaela,
teve dificuldades no inicio da introdução
alimentar do seu filho Luiz, de onze meses.
“Senti dificuldade porque ele fechava a
boca na hora que eu tentava dar a comida,
então, pra ele criar confiança eu deixei pegar
ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 76
| GERAL 3/7

a comida com a
própria mão pra
ele sentir sozinho
o sabor. Ao gerar
essa confiança eu
continuei insistindo,
até que hoje ele
abre a bocona pra
comer”, destaca.

Além da
adaptação do bebê
aos alimentos
Kananda ainda
precisou aprender Hugo Leonardo, pediatra

a cozinhar e as
mães do Instagram foram as inspirações.
“A introdução alimentar pra mim foi muito
importante, porque eu não sabia cozinhar.
Com a chegada do meu filho eu precisei
aprender pra poder cuidar dele, foi tudo muito
novo, mas eu pesquisei muito, principalmente
no Instagram. Hoje eu sigo mamães que
são nutricionistas e que ensinam a fazer a
introdução alimentar em cada fase. É com

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 77


| GERAL 4/7

essas mamães que eu vejo os cardápios e


escolho o que vou fazer pra meu filho”, conta.

O pediatra, Hugo Leonardo, explica como é


indicado o começo da introdução alimentar. “A
introdução alimentar é a porta de entrada de
um novo mundo, fundamental para a nutrição
infantil, um tanto assustador para o universo
dos adultos, principalmente quando se trata
de pais de “primeira viagem”. Com 6 meses,
está indicada a primeira “papa” principal no
horário do almoço (antigamente chamada de
papa salgada, mas o termo entrou em desuso
pela contraindicação do sal). Aos 7 meses,
aconselha-se dar ao bebê 2 “papas” principais
(uma no almoço e uma no jantar). Fora as

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 78


| GERAL 5/7

“papas” de frutas que podem ser ofertadas


como “lanches” ou “sobremesas”, conta.

A nutricionista materna infantil, Naiana


Oliveira, explica que é preciso respeitar o
desenvolvimento de cada bebê, além da
importância de uma orientação profissional
na introdução alimentar. “Quando iniciamos
devemos ter a consciência de que é uma fase de
treinamento e que aquele bebê não vai comer
muito. Digo sempre aos pais que devemos ter
três coisas na introdução: orientação, prazer em
comer, persistência para tentar todos os dias e
não desistir, e paciência”, diz.

NA PRÁTICA
O pediatra destaca que sal e açúcar não
devem estar na alimentação de crianças de até
um ano. “A Sociedade Brasileira de Pediatria
não recomenda introduzir sal e açúcar até,
pelo menos, um ano de idade na alimentação
da criança. Essa introdução pode ser simples
e natural, bem semelhante ao que os pais
comem, influenciando e estimulando um estilo
de vida saudável para toda a família”, ressalta.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 79


| GERAL 6/7

Hugo ainda explica que o primeiro


contato com os alimentos estimula o
sistema imunológico da criança evitando
reações alérgicas no futuro. “A orientação
é que os alimentos devem ser amassados
separadamente, com garfo, ou picados,
variando entre os diversos grupos alimentares
e colorindo o prato (proteínas vegetais,
proteínas animais, legumes, verduras,
tubérculos ou cereais). E em relação às
frutas, hoje já recomendamos a troca dos
sucos pela própria fruta em pedaços, pois
o bebê consome menos açúcar e as fibras
dessas frutas. O contato precoce com alguns
alimentos que antes eram absolutamente
vetados no início da introdução alimentar,

PARA MAIS INFORMAÇÕES OU DÚVIDAS, LIGUE

(79) 3304 - 5414


Clique aqui e faça seu anúncio

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 80


| GERAL 7/7

como ovo, banana, amendoim, carne de


porco... estimula o sistema imunológico
a assimilar as proteínas responsáveis por
alergias e, dessa forma, evita a reação. Estudos
recentes apontam índices baixos de alergia no
primeiro contato (cerca de 3% em relação ao
amendoim, por exemplo)”, conta.

ERROS
A nutricionista materno-infantil, Naiana,
comenta alguns erros comuns que os papais
de primeira viagem comentem. “O principal
é não comparar o seu bebê com os outros,
pois cada bebê tem desenvolvimento em
velocidades diferentes e, no caso de comida,
envolve diversos fatores para dar ou não certo
uma introdução. Também muitos pais, pela
inexperiência, quando vê o filho não aceitar nas
primeiras papinhas, já passam no liquidificador
tudo misturado, isso pode ocasionar diversos
problemas futuros não só na alimentação
como também no desenvolvimento da criança.
A dica é.… procure um profissional que você
confie e siga as orientações, seja paciente e
respeite seu bebê, não force”, destaca.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 81


| GERAL 1/8
FOTOS ASCOM SETRANSP

ÔNIBUS DO NATAL
COM MOBILIDADE
ENCANTAM CRIANÇAS
E ADULTOS PELAS
RUAS DE ARACAJU
Uma noite de muito encanto para celebrar o
período natalino marcou o início da circulação
dos ônibus do Natal com Mobilidade nas
linhas do transporte coletivo de Aracaju e

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 82


| GERAL 2/8

região Metropolitana. Três ônibus foram


personalizados especialmente com plotagem
e iluminação para contagiar os moradores e
turistas ao longo das próximas semanas até o

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 83


| GERAL 3/8

dia 06 de janeiro. E, na noite da segunda-feira,


dia 03, os veículos fizeram um passeio muito
animado com crianças da Avosos - Associação
dos Voluntários a Serviço da Oncologia em
Sergipe e da Casas Lares (orfanato) por pontos
turísticos da cidade decorados de Natal.

Por onde passavam os ônibus tomavam


a atenção das pessoas que acenavam e
faziam fotos dos passageiros que, das janelas,
desejavam “Feliz Natal” a todos! O objetivo da
campanha é despertar o sentimento natalino

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 84


| GERAL 4/8

e aproveitar o momento para estimular a


consciência de mobilidade urbana com os
ônibus caracterizados em alusão ao Natal, que
circularão em linhas variadas.

Participaram do passeio também voluntários


das instituições filantrópicas; representantes
das empresas de ônibus; o diretor executivo
da Aracaju, José Carlos Amancio; o presidente
do Setransp (Sindicato das Empresas
de Transporte de Passageiros), Alberto
Almeida; e o superintendente da SMTT

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 85


| GERAL 5/8

(Superintendência Municipal de Transporte e


Trânsito de Aracaju), Renato Telles.

“O projeto, além de chamar a atenção


pela beleza dos ônibus personalizados, é
importante também para conscientizar
as pessoas da importância do transporte
público para a mobilidade urbana. Um coletivo
transporta muitos passageiros, ao contrário

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 86


| GERAL 6/8

dos carros e outros veículos, e isso permite a


fluidez do trânsito, o que é interessante para
toda a população”, frisou Renato Telles.

Para o presidente do Setransp, Alberto


Almeida, “essa campanha vai encantar

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 87


| GERAL 7/8

as crianças e cativar os adultos para


o sentimento de harmonia do Natal e
consciência coletiva, uma vez que está
acontecendo no transporte público que
é o principal meio de transporte para
população”. O Natal com Mobilidade é

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 88


| GERAL 8/8

uma campanha do Sindicato das Empresas


de Transportes e Passageiros de Aracaju
(Setransp) em parceria com as empresas
de ônibus, e conta com o apoio da
Superintendência Municipal de Transporte e
Trânsito (SMTT).

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 89


| GERAL 1/7
V PHOTOGRAPHY AND ART

MUITO MAIS QUE


UM SIMPLES LIVRO
lApesar da falta de incentivo, os
livros são importantes ferramentas de
transformação pessoal e social

JULIA FREITAS | redacao@cinform.com.br

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 90


| GERAL 2/7

Para alguns os

JULIA FREITAS
livros são apenas
objetos. Para
outros é uma
oportunidade de
viajar para outros
tempos, outros
lugares, outros
mundos; uma
oportunidade de
viver uma realidade
completamente
diferente da sua.
Mas para quem
lê, além de tudo
isso que acabei Wilson Santos teve a vida
de mencionar, transformada graças aos livros
os livros são
uma ferramenta de transformação de suas
próprias vidas. Um exemplo de transformação
que os livros possuem é a própria vida do
vigilante Wilson Santos Filho. Aos 15 anos ele
ainda não sabia ler ou escrever, mas adorava
ouvir as histórias que sua mãe lhe contava e
isso o motivou a frequentar a escola.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 91


| GERAL 3/7

“A minha paixão pelos livros começou


com a minha mãe lendo para mim. Aquilo
despertava curiosidade e eu imaginava
como seria eu mesmo lendo, porque até
então eu absorvia aquelas histórias através
dela. Foi aí que começou a minha busca
para aprender a ler e, quando eu aprendi,
aumentou o meu prazer pelos livros e eu
não parei mais”, lembra com carinho.

Foi visitando os sebos e lendo livros sobre


filosofia e literatura que Wilson conheceu
novos livros, novos autores e novas visões
sobre o mundo. “Os sebos são acessíveis e
possuem em seus acervos livros dos mais
diversos assuntos. Além disso, os donos
nos ajudam muito. Eles nos indicam livros,
procuram com paciência os livros em meio ao
acervo”, comenta.

Através do gosto que adquiriu pela leitura,


Wilson galgou passos que, antes dos 15 anos,
talvez ele nunca imaginaria. Além de aprender
a ler e escrever, ele foi para a escola, se formou
no ensino médio, mas não parou por aí. Foi

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 92


| GERAL 4/7

ARQUIVO PESSOAL

Mirella Mattos participa do um clube de leitura

para a universidade e, recentemente, se


formou no curso de Letras. “Para mim o livro
representa uma quebra de paradigmas. Eu
mudei de vida graças a eles e hoje percebo
as diversas visões que podemos ter sobre o
mundo”, afirma.

CLUBE DE LEITURA
Como uma forma de difundir e discutir
sobre livros, diversos clubes de leitura existem

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 93


| GERAL 5/7

pelo país, e em Aracaju não seria diferente. A


jornalista Mirella Mattos, que desde criança
ama ler, participa de um desses clubes.

“Eu sempre quis fazer parte de um


clube de leitura, mas nunca tinha tido essa
oportunidade. Até que eu fui convidada
por uma amiga para participar de um clube
restrito de leitura, onde lemos, discutimos
e conhecemos novas obras. E nós estamos
em uma fase de empoderamento, então
todas as obras que lemos até o momento
possuem esse apelo”, comenta.

COMÉRCIO DE LIVROS
Um dos sebos mais conhecidos e

PARA MAIS INFORMAÇÕES OU DÚVIDAS, LIGUE

(79) 3304 - 5414


Clique aqui e faça seu anúncio

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 94


| GERAL 6/7

frequentados da JULIA FREITAS

cidade é o sebo
do Natan, no
centro de Aracaju.
Há dez anos, o
aposentado Natan
de Albuquerque
comercializa livros
usados, cinco deles
nas proximidades
da Rodoviária
Velha. Um acervo
com milhares de
livros que tratam
sobre os mais
diversos assuntos, Natan de Albuquerque vende
de filosofia a livros há mais de dez anos

medicina, da
literatura tradicional à contabilidade.

“Infelizmente, as livrarias maiores se


preocupam mais em comercializar aqueles
livros que são lançamentos ou que estão
na moda, enquanto que nos sebos você
encontra livros que estão até mesmo fora

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 95


| GERAL 7/7

de catálogo, como os clássicos da literatura


nordestina”, explica.

Segundo Natan, os sebos sobrevivem


hoje graças ao amor que os seus donos têm
pelos livros, que geralmente têm coleções
há anos, como ele próprio que desde os 13
anos coleciona livros. Para ele, os sebos
são espaços culturais em que as pessoas
podem conversar sobre qualquer assunto.
“As pessoas gostam de vir nos sebos para
debaterem sobre diversos assuntos, como
religião e política”, comenta.

Apesar da resistência de sebistas e de


leitores, o Brasil segue nas últimas colocações
quando o assunto é o consumo de livros. Hoje, o
Brasil ocupa a posição de número 59 em leitura
entre 76 países. A pesquisa é feita com base no
Programa Internacional de Avaliação de Alunos
(Pisa), que é aplicado em estudantes a partir do
7º ano. Segundo o Banco Mundial, isso fará com
que os estudantes brasileiros levem mais de
260 anos para atingir a proficiência em leitura
dos alunos de países desenvolvidos.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 96


| GERAL 1/7

BILHETAGEM
ELETRÔNICA
TRAZ AGILIDADE E
SEGURANÇA PARA
PASSAGEIROS,
MOTORISTAS E
COBRADORES
lSistema foi implementado nos ônibus
da capital e Grande Aracaju em 2007

JULIA FREITAS | redacao@cinform.com.br

O sistema de bilhetagem eletrônica foi


implementado há mais de dez anos em
Aracaju e região metropolitana. Desde julho

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 97


| GERAL 2/7

O sistema foi
implementado em 2007
nos ônibus da capital e
Grande Aracaju
FOTOS DIVULGAÇÃO

de 2007, passageiros que utilizam os ônibus


de Aracaju, São Cristóvão, Nossa Senhora
do Socorro e Barra dos Coqueiros podem
utilizar cartões recarregáveis para realizar o
pagamento da tarifa.

Para o presidente do Sindicato das


Empresas de Transporte de Passageiros do
Município de Aracaju (Setransp), Alberto
Almeida, o sistema permitiu uma maior
agilidade no pagamento, além de retirar
a necessidade de o passageiro utilizar o
dinheiro para realizar o pagamento.

“Esse sistema permite uma agilidade


maior na hora do pagamento porque o

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 98


| GERAL 3/7

passageiro não
precisa mais pagar
com dinheiro e o
cobrador acaba
não precisando
passar o troco.
Isso acaba
trazendo mais
segurança
para os nossos
funcionários
porque a
quantidade de
dinheiro em
espécie nos ônibus Alberto Almeida, presidente do Setransp
diminuiu. Hoje,
apenas cerca de 35% dos passageiros não
utilizam a bilhetagem eletrônica”, comenta.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública


do Estado (SSP), até o momento, 2018 foi o
ano com menos registros de roubos a ônibus.
Foram 448 registros entre janeiro e outubro
deste ano, um número quase 70% menor
quando comparado com 2016.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 99


| GERAL 4/7

“A diminuição no número de roubos a ônibus


passa por uma união de forças: o trabalho da
Polícia Militar em linhas estratégicas, realizando
a abordagem dos veículos; as investigações
da Polícia Civil, apreendendo, principalmente,
os adolescentes envolvidos nos crimes e o
apoio da Guarda Municipal nos terminais de
integração. Mas a bilhetagem eletrônica é
um dos fatores que contribuem muito para
essa diminuição”, comenta o assessor de
comunicação da SSP, Lucas Rosário.

Alberto Almeida afirma que o sistema de


bilhetagem eletrônica é uma tendência nacional
e mundial por trazer segurança e permitir
o rastreamento dos ônibus utilizados pelo
passageiro. “O sistema de bilhetagem eletrônica
permite que haja o rastreamento dos ônibus
utilizados pelo passageiro. Então, se alguém
desaparecer, a polícia pode solicitar o histórico
da utilização desse cartão”, explica.

QUEM PODE PEDIR O


CARTÃO MAIS ARACAJU?
No total, são oferecidos nove tipos de

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 100


| GERAL 5/7

A bilhetagem eletrônica permite uma maior


agilidade no pagamento da passagem

cartões de bilhetagem eletrônica pelo


AracajuCard, entre gratuidades, funcionais,
vale transporte, escolar e especiais. E para
aderir a qualquer um deles, o passageiro
pode solicitá-lo através do site do
AracajuCard (www.aracajucard.com.br), onde
também poderá obter mais informações
sobre particularidades de cada um.

Segundo o diretor executivo da

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 101


| GERAL 6/7

AracajuCard, José Carlos Amâncio, ano


após anos se nota uma procura maior pelos
cartões de bilhetagem eletrônica. “Nós
percebemos uma procura cada vez maior
por esses cartões, principalmente pelo
cartão pré-pago, já que gera praticidade
na hora de pagar a passagem, controle
de consumo e segurança da sua recarga”,
comenta.

Segundo o Setransp, esse novo cartão foi


pensado para as donas de casa, pessoas
que não possuem emprego formal, turistas,
profissionais liberais e todos os que
querem dispensar o uso do dinheiro para o
pagamento da passagem.

PASSAGEM PREMIADA
Para incentivar o uso do cartão Mais
Aracaju Pré-pago, foi criada a promoção
Passagem Premiada, que beneficia os
passageiros que utilizam o novo cartão e já
vai para o seu quinto sorteio.

Para participar da promoção basta

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 102


| GERAL 7/7

A Passagem Premiada já premiou 40 passageiros

recarregar no mínimo 40 passagens por


mês e retirar seu número da sorte no site
aracajucard.com.br. Todos os meses são
sorteados dez prêmios de R$ 500 em
dinheiro cada.

“Neste mês de dezembro temos um


presente especial de Natal: a partir da
primeira recarga o passageiro já pode se
inscrever na promoção. Então, durante
este mês de dezembro, comprando apenas
uma passagem já pode concorrer”, afirma
a assessora de comunicação do Setransp,
Raissa Cruz.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 103


| GERAL 1/5

REAJUSTE DA
TARIFA DE ÔNIBUS
SE DIFERE DE
REAJUSTE
TÉCNICO REAL E
MANTÉM SETOR
COMPROMETIDO
lNo cálculo da planilha de custos, conforme
Lei, a tarifa necessária seria R$ 4,44, contudo
foi reajustada para R$ 4. Setor aponta
desequilíbrio econômico

Mais uma vez a tarifa definida para o


transporte público coletivo de Aracaju e da
região metropolitana se difere da tarifa técnica,

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 104


| GERAL 2/5
ASCOM SETRANSP

real e necessária. A tarifa é calculada pela


divisão dos custos do serviço do transporte
público coletivo pelo número de passageiros
pagantes, e essa conta feita conforme
estabelece a Lei Municipal de Aracaju 1.761/91,
mostra que a tarifa real seria R$ 4,44. No

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 105


| GERAL 3/5

entanto, a tarifa foi reajustada pela Prefeitura


de Aracaju para R$ 4. Na Planilha de Cálculo
do Custo Tarifário, estabelecida por Lei, são
considerados os impostos – como ISS, taxa
de gerenciamento da SMTT, ICMS sobre
diesel e ônibus, INSS; custos variáveis – como
combustível, peças e equipamentos; custos
fixos – como veículos e pneus; mão de obra –
operação, manutenção e administração.

Como em Aracaju, a tarifa do transporte é


a única fonte de custeio do serviço, acabam
recaindo sobre a passagem questões como
o aumento do número de gratuidades,
aumento do preço do combustível e a queda
do número de passageiros pagantes. Desde
o último reajuste tarifário em agosto de
2017, as empresas de ônibus já alertavam
através do Setransp sobre a necessidade de
se conceder uma tarifa que compensasse
os aumentos nos custos e a queda do
número de passageiros, haja vista que esse
desequilíbrio só tende a crescer.

O Sindicato das Empresas de Transporte

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 106


| GERAL 4/5

de Passageiros (Setransp) encaminhou


desde dezembro do ano passado à
Superintendência Municipal de Transporte
e Trânsito (SMTT) a planilha anual, e tornou
a encaminhar com atualizações em janeiro,
maio e, mais recentemente, em outubro
deste ano. De acordo com a necessidade do
sistema em virtude dos reajustes anuais,
a tarifa deferia ter sido concedida em
dezembro do ano passado, mas não ocorreu;
e a que foi concedida em agosto de 2017,
deveria ter sido apresentada em dezembro
de 2016. Essa prorrogação do reajuste
só contribui para um maior desequilíbrio
econômico no setor do transporte.

AUMENTO DOS CUSTOS


O preço do diesel, por exemplo, subiu 26%
desde agosto de 2017. O valor do combustível,
que é um dos maiores insumos no custo da
operação do serviço do transporte coletivo,
passou de R$ 2,73 e, em contínuos acréscimos,
já marca atualmente R$ 3,44. Paralelo a
isso, comparando 2014 e 2018, de janeiro a
setembro, o número de gratuidades no sistema

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 107


| GERAL 5/5

do transporte subiu 84%, foram mais de 1,3


milhão de novas gratuidades.

E em contrapartida, o número de passageiros


pagantes caiu 24%, também nos últimos quatro
anos. O transporte atendia em média 283 mil
passageiros diariamente (em 2014), e passa
a transportar hoje em média 222 mil por dia
(em 2018). Para se ter uma ideia, são mais de
15,4 milhões de passageiros pagantes a menos
usando o serviço. Esse desequilíbrio entre
aumento de despesas e queda de receita já
vinha preocupando as empresas prestadoras
do transporte coletivo, porque interfere
diretamente na operação do serviço.

O percentual do último reajuste tarifário já


não garantia investimentos com renovação de
frota, o que acaba por comprometer a idade
média dos ônibus; e esse reajuste atual acaba
seguindo a mesma linha, uma vez que não
acompanha a conta exata do que o transporte
em Aracaju precisa, de acordo com a planilha de
custos. O reajuste concedido equivale a 50% do
reajuste necessário conforme cálculo tarifário.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 108


IMPORTANTE
Para ler e navegar melhor no seu jornal
CINFORM digital, instale a versão gratuita
do Adobe Acrobat Reader, acessando
o Play Store ou Apple Store do
seu celular, tablet ou computador.

TOQUE TOQUE
E ACESSE E ACESSE

TOQUE E ACESSE

Receba o seu jornal CINFORM digital


GRÁTIS toda semana através do
WhatsApp, às segundas e quintas-feiras

TOQUE AQUI
E CADASTRE-SE

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 109


| GERAL 1/3
EDVAR FREIRE

Reforma na Av. Professor Acrísio Cruz com Rua Silvio César Leite

ARACAJU, UMA
CIDADE FÁCIL
lQualquer morador, seja empresário ou
pessoa física pode realizar qualquer obra sem
registros nos órgãos municipais

EDVAR FREIRE | redacao@cinform.com.br

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 110


| GERAL 2/3

Aracaju é mesmo uma cidade de fácil


vivência e convivência. É também um
paraíso para se fazer o que quiser, sem
qualquer preocupação com a fiscalização
do município, já que seus gestores estão,
historicamente, não é de hoje, com os
interesses voltados para a política.

Aqui é muito fácil burlar ou, simplesmente,


ignorar as leis. Recentemente, este
semanário mostrou um edifício cuja
construção já alcançava o quinto pavimento,
sem qualquer placa de identificação da
obra, detalhe que é exigido pelo Conselho
de Engenharia e Arquitetura. E pela própria
Prefeitura de Aracaju.

Hoje, o prédio já vai pelo oitavo pavimento


e tudo continua na mesma. Não se sabe
a quem pertence, não se sabe quem é o
responsável pela obra, nem engenheiro, nem
arquiteto, nem responsável pelos cálculos
estruturais, nada, tudo ao léu da sorte.

Esta semana o CINFORM passou pela

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 111


| GERAL 3/3

Avenida Dr. Airton Teles, justamente no


cruzamento com a rua Silvio César Leite
e deparou com uma obra que toma toda a
calçada, onde permanecem uma caçamba de
recolhimento de entulhos, montes de areia,
brita, tijolos e de outros materiais construção.

Quanto aos transeuntes que tenham a má


sorte de necessitar passar por ali, precisam
arriscar a vida pelo leito da rua entre carros e
buzinas, já que se trata de confluência de duas
artérias muito movimentadas.

Também ali não existe uma placa que


identifique os responsáveis pela reforma, o
que torna de difícil solução uma indesejada
ocorrência envolvendo a integridade física
dos passantes. Esse é só um exemplo das
incontáveis reformas que se arrastam por
todo o tempo pela cidade ao arrepio da
legislação municipal.

ACESSE MAIS NOTÍCIAS EM WWW.CINFORM.COM.BR

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 112


1/6

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 113


2/6

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 114


3/6

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 115


4/6

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 116


5/6

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 117


6/6

TOQUE E ACESSE

WWW.LOJASGUANABARA.COM.BR

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 118


EDIÇÃO 1861

NEPOTISMO E
DESORGANIZAÇÃO
NA PREFEITURA DE
ITABAIANA

U
|

ÍNDICE TOQUE E ACESSE

INTERIOR | Que a banalização do roubo


público não nos deixe sem ação 121

POLÍTICA
Nepotismo em Itabaiana
acirrado por briga política 127

Capacitação para uso de


agrotóxicos é iniciada 133

MPF processa União, estado


e municípios sergipanos 142

ANUNCIE
AQUI
CONTATE SUA AGÊNCIA DE PUBLICIDADE OU
TOQUE u E FALE COM OS NOSSOS CONSULTORES

uÁurea Cristina (79) 99833-2123


uCláudio Sousa (79) 99971-9179

SE PREFERIR, FALE DIRETAMENTE


COM O CINFORM SOLICITANDO UMA VISITA
(79) 3304-5414
ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 120
| | OPINIÃO 1/7

Paula Coutinho
INTERIOR

QUE A
BANALIZAÇÃO DO
ROUBO PÚBLICO
NÃO NOS DEIXE
SEM AÇÃO
Falar de corrupção é lugar-comum em
política. E desde o surgimento da Operação
Lava Jato, há quase cinco anos, nós brasileiros
nos acostumamos ao contato, quase que
diário, dos telejornais entrando em nossas

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 121


| | OPINIÃO | INTERIOR 2/7

casas com notícias frequentes, quase


corriqueiras tamanha a quantidade delas,
acerca de políticos corruptos, gestores
fraudulentos, quantias vultosas escondidas
em malas, em peças íntimas nos corpos
de suspeitos, ou muito bem guardadas em
quaisquer contas no exterior.

Banalizaram-se as somas em dinheiro


roubado e milhões já viraram uma palavrinha
comum na boca dos repórteres e jornalistas
que descrevem os fatos, a corrupção país
afora. Banalizou-se o roubo do erário como
se banalizou, há décadas, os assassinatos por
intermédio do crime organizado ou como se
banalizaram as mazelas e mortes nas filas dos
hospitais públicos sucateados.

E, de um desvio aqui, uma fraude acolá, em


todos os locais do Brasil, o que mais se vê é
o descrédito de muitos de nós, brasileiros,
para com a política. Porque a maior parte
das pessoas, dos brasileiros, pais de família,
trabalhadores, acorda cedo, prepara-se para
enfrentar a rotina diária de uma longa carga

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 122


| | OPINIÃO | INTERIOR 3/7

horária de trabalho e depois deseja o descanso


e o aconchego do lar.

Para estas pessoas, os políticos deveriam


seguir uma rotina de trabalho, salvo as
devidas proporções, parecida. Ninguém fica
imaginando que, durante boa parte do tempo,
a classe política está – ao invés de cuidar dos
interesses de quem a elegeu – é trabalhando
somente em benefício próprio, confabulando,
conjecturando, realizando o maior número
possível de artimanhas para enganar o povo,
para ludibriar a todos, para ‘meter a mão no
dinheiro’ que não é dela, dessa classe política.

Mas o brasileiro, apesar de repetir


diuturnamente que não gosta de política, é
tão sagaz que se apercebe lesado também
com tamanha clareza. E é dessa percepção
e desse desgosto que quero falar hoje
para que pensemos em como reorganizar
nossas próprias convicções, e assim sendo,
reorganizarmos o nosso modo de pensar
a política e de pensar como poderíamos
participar mais ativamente dela.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 123


| | OPINIÃO | INTERIOR 4/7

Porque enquanto continuarmos absortos,


acostumados aos números da corrupção,
inertes, acreditando que falar de política é
desagradável, nossos bolsos continuarão
sendo roubados, nossos amigos, parentes ou
filhos continuarão sendo assassinados pela
insegurança pública, pela ineficiência das
redes públicas de saúde, estaremos também
contribuindo para o aumento dessa banalização.

400 demissões em Simão Dias


A Prefeitura de Simão Dias exonerou 400
funcionários recentemente. As demissões
ocorreram neste mês de novembro. Esses
desligamentos atingirão diretamente as
famílias dessas pessoas, que, muitas das vezes
têm apenas um dos responsáveis, ou pai ou
mãe, trabalhando, e estes contam com apenas
essa renda, do salário da prefeitura, para
sobreviver. Cadê o gestor de município que não
vê os estragos que estas demissões causarão,
tanto na economia da cidade quanto para a
vida das pessoas? Prefeito Marival Santana,
olhe mais por sua cidade!

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 124


| | OPINIÃO | INTERIOR 5/7

Prefeito e vice afastados


Após ação do MP Eleitoral, prefeito e vice-
prefeito de Neópolis são afastados do cargo.
Porque para Justiça Eleitoral, Luiz Melo França
captava votos fazendo atendimento médico
gratuito no município. Foi esta a compreensão
que teve o Tribunal Regional Eleitoral em
Sergipe (TRE/SE) ao rejeitar, por 4 votos
a 3, o recurso apresentado pelo prefeito e
pelo vice-prefeito de Neópolis, Luiz Melo de
França e José Miguel Lobo, respectivamente.
Com a decisão, eles permanecem com os
mandatos cassados e serão afastados dos
cargos. Assumirá o comando do município o
presidente da Câmara dos Vereadores.

Com a palavra, o MP Eleitoral


“Nesse caso, novas eleições só podem ser
convocadas após decisão do Tribunal Superior
Eleitoral”, explica a procuradora regional
eleitoral, Eunice Dantas. “O prefeito, conhecido
como dr. Luizinho, foi cassado por ter atendido
pacientes gratuitamente no município
durante a pré-campanha, ato que configura
abuso de poder e compra de votos”, explica a

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 125


| | OPINIÃO | INTERIOR 6/7

procuradora. Com a sentença, os dois estão


inelegíveis por oito anos.

Conduta configura vantagem


De acordo com o parecer do MP Eleitoral,
durante a investigação, dr. Luizinho confirmou
que, após se desincompatibilizar do cargo
público que ocupava no hospital local,
continuou receitando as pessoas em casa até a
data das convenções partidárias.

Para o MP, no período em que já era


amplamente conhecido como pré-candidato,
França realizou atendimento médico “fora
das hipóteses de urgência e emergência por
candidato às eleições municipais, justamente
no município em que se candidatara”. Assim,
a conduta do candidato “configurou em
vantagem ao eleitor com o objetivo de angariar
votos, desequilibrando a corrida eleitoral”.

Superintendente do Sesi homenageado


A Câmara Municipal de Maruim
concedeu, na última terça-feira, dia 4 de
dezembro, o título de cidadão maruinense

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 126


| | OPINIÃO | INTERIOR 7/7

a Acrízio José de Campos Souza, o


superintendente do Sesi em Sergipe.
A solenidade contou com as presenças
do prefeito da cidade da presidente da
Câmara, a vereadora Maria Angélica de
Jesus, o vereador Cecílio Sérgio Vieira
Gomes, primeiro secretário da Câmara,
o vereador Ermerson Porto e o prefeito
da cidade, Jefferson Santos Santana,
além de diversas outras personalidades
maruinenses ilustres. O vereador Ermerson
Porto foi o responsável pela propositura do
título de cidadania a Acrízio.

PARA MAIS INFORMAÇÕES OU DÚVIDAS, LIGUE

(79) 3304 - 5414


Clique aqui e faça seu anúncio

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 127


| 1/6

POLÍTICA

PORTAL93NOTÍCIAS
Carminha Mendonça, atual prefeita, seguiu recomendação
do MPE-SE, mas acabou nomeando parentes

NEPOTISMO
EM ITABAIANA
ACIRRADO POR
BRIGA POLÍTICA
lAumento do número de secretarias e
nomeação da própria filha como
procuradora-geral são alguns dos efeitos
de Carminha Mendonça no governo
da Prefeitura de Itabaiana

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 128


| | POLÍTICA 2/6

Carminha Mendonça, prefeita de Itabaiana


que administra o município sob efeito de
liminar, praticamente dobrou o número de
secretarias. Antes, eram nove; agora, são 17. A
ação pode causar uma despesa de mais de R$
100 mil por mês aos cofres públicos. Somente
para abarcar estes novos oito secretários, a
folha do funcionalismo terá um aumento de
aproximadamente R$ 80 mil. Isto sem contar, é
claro, com as equipes de apoio para trabalharem
com estes secretários, com a infraestrutura
destas novas secretarias, que também precisam
de água, energia elétrica, telefone, e outros
insumos e materiais para funcionarem.

Como se não bastasse esse desperdício,


Carminha foi mais além. E, mesmo
contrariando uma recomendação Ministério
Público do Estado de Sergipe (MPE-SE),
ela nomeou vários parentes para cargos
comissionados. Seguindo o exemplo da
atual prefeita, o líder dela na Câmara, o
vereador João Cândido, aproveitou o ensejo
e emplacou a filha e o genro em duas destas
secretarias. Outro aliado dela, o vereador

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 129


| | POLÍTICA 3/6

José Roberto, indicou o assessor pessoal


dele para uma outra secretaria recém-criada.

Na manhã da última quinta-feira, dia


6, enquanto os funcionários esperavam a
gestora definir as próximas atribuições, um
flagrante: funcionários da secretaria de obras
do município aproveitavam as horas vagas
para jogarem um carteado. Com a vontade
de cumprir o expediente, mas sem ter o que
fazer, na semana passada, quinta e sexta-feira,
os próprios trabalhadores levaram dominós e
baralhos para o tempo passar.

CONTRATAÇÕES
Segue a listagem de nomeações: Andrea
Mendonça, para a secretária de ação social
é sobrinha da gestora; Fábio Mendonça para
ser o secretário de saúde, é primo; e Priscila
Mendonça, para procuradora geral, é filha. Já
Luna, secretária de cultura; e Igor, o secretário
de obras, são filha e genro respectivamente
do vereador João Candido. Existem ainda
duas sobrinhas dela, que são dirigentes de
postos de saúde; e uma irmã do secretário

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 130


| | POLÍTICA 4/6

de Comunicação, Alex Henrique, nomeada


diretora de outro posto.

Com exceção da sobrinha Andreia Reis


Mendonça, os demais nunca tiveram qualquer
experiência no serviço público, notadamente
em cargos de primeiro escalão. Além de tudo
Isso, Carminha ainda nomeou dois assessores
da irmã dela, a deputada Maria Mendonça.

NOTA OFICIAL DA PREFEITURA


Em virtude de informações divulgadas na
imprensa sergipana nos últimos dias sobre
“práticas de nepotismo na atual administração
municipal de Itabaiana”, a prefeitura esclarece que
todas as informações veiculadas são inverídicas.

De acordo com o que foi publicado na


imprensa, o Ministério Público Estadual de
Sergipe, MPE-SE, expediu recomendação
à prefeita Carminha Mendonça, “para que
exonere todos os ocupantes de cargos
comissionados, função de confiança ou
gratificada, que tenham relação de parentesco
consanguíneo, em linha reta ou colateral, ou

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 131


| | POLÍTICA 5/6
DIÁRIO OFICIAL

por afinidade até o terceiro


grau com a prefeita, vice-
prefeito, secretários
municipais, procurador-
geral do município, chefe
de Gabinete e vereadores.

A prefeitura de
Itabaiana esclarece que
a recomendação do
Ministério Público é um
ato normal de orientação Cópia do Diário Oficial,
a todos gestores no documento acima mostra
nomeações e prática
âmbito da esfera pública, nepotismo
e que cargos políticos
de secretários estão fora do alcance do
nepotismo conforme a súmula vinculada 13
do Supremo Tribunal Federal – STF.

Diante da argumentação de criadores de


factoides que tentam confundir a opinião
pública, a prefeita Carminha Mendonça,
baseada no que diz a lei, mais uma vez,
esclarece que “não existe nepotismo na
minha administração”.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 132


| | POLÍTICA 6/6

DIVULGAÇÃO

Funcionários jogando baralho durante o expediente

Por telefone, a prefeita ainda acrescentou à


reportagem desse jornal que o burburinho acerca
dessas nomeações está sendo ocasionado
por motivações políticas, rixas com o grupo
do gestor passado, Valmir de Franquiscinho,
investigado pela Procuradoria Eleitoral do
Ministério Público Federal em Sergipe, e
recentemente preso por crime eleitoral.

“Não estou preocupada com essas inverdades


porque estou seguindo uma recomendação do
Ministério Público. O que me preocupa mesmo
são as mais de 300 pessoas que teremos que
exonerar nos próximos dias, por causa do Termo
de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado com
o MPE-SE. Isto sim me preocupa”.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 133


| | POLÍTICA 1/8

Das maiores dúvidas é a forma correta de vestir o equipamento


de proteção individual e quais seus itens obrigatórios

CAPACITAÇÃO
PARA USO DE
AGROTÓXICOS
É INICIADA
lQuase R$ 1 mi do PAS é destinado ao
treinamento de agricultores e de replicadores,
que são agentes de saúde e educadores que
atuam nas comunidades rurais

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 134


| | POLÍTICA 2/8

Desde segunda-feira, dia 3, no Perímetro


Irrigado da Ribeira, em Itabaiana, foram
realizadas aulas para as quatro primeiras
turmas do ‘Treinamento e Capacitação
para o Uso Adequado dos Agrotóxicos’, na
modalidade voltada aos agricultores irrigantes
inseridos nos perímetros da Companhia de
Desenvolvimento de Recursos Hídricos e
Irrigação de Sergipe (Cohidro) que fazem parte
da bacia do Rio Sergipe. As aulas são ofertadas
nos períodos da manhã e da tarde e é uma das
ações do ‘Programa Águas de Sergipe’ (PAS),
realizado pelo Governo de Sergipe e em parte
financiado do Banco Mundial.

Com o encerramento das quatro turmas,


na última sexta-feira, dia 7, com um dia
de campo, serão habilitados cerca de 150
produtores irrigantes nesta semana. Ao
repetir esse cronograma semanalmente,
as capacitações atenderão a 980 destes
agricultores assistidos pela Cohidro, ao
serem incluídos os inseridos nos perímetros
Jacarecica I e II, que abrangem áreas de
irrigação pública também de Itabaiana,

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 135


| | POLÍTICA 3/8

Instrutor Pedro Acioli quer que o agricultor


questione a situação que ele vive

Malhador, Riachuelo e Areia Branca. Com as


duas aulas e o dia de campo, a capacitação
será de 12 horas-aula para cada agricultor.

Nos 26 municípios sergipanos que compõem


a bacia hidrográfica do rio Sergipe, ocorrerão
treinamentos de outros agricultores, por
intermédio da Empresa de Desenvolvimento
Agrário (Emdagro). Professores e agentes de
saúde que atuam na zona rural em todo estado
receberão treinamento para conscientizar
as populações assistidas. A Secretaria de
Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos
(Semarh) coordena o PAS e licitou a empresa
que está fazendo todo este treinamento, um
investimento total de R$ 985.548,88.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 136


| | POLÍTICA 4/8

O presidente da Cohidro, Carlos Fernandes


de Melo Neto, considera primordial essa
preocupação do PAS com a preparação dos
moradores e trabalhadores do campo com o
manuseio e precauções com os defensivos
tóxicos. “O agrotóxico, se for exposto à nossa
pele ou se for ingerido em alimentos ou água
contaminados, prejudica muito a saúde. Os
animais de criação e toda fauna e flora estão
sujeitos aos riscos de contaminação, se não
nos preocuparmos com a aplicação correta
e, principalmente, com o descarte adequado
das embalagens”, observa. Para ele, é um
tema que nunca vai ser esgotado no meio
rural. “Não é a primeira vez que reunimos
agricultores dos perímetros para falar disso
e certamente, não será a última. A indústria
de agrotóxicos está sempre pondo produto
novo no mercado e isso confunde bastante o
agricultor na hora de usar. A conscientização
tem que ser constante”.

Adenilson Xavier de Almeida é um dos


irrigantes da Ribeira presente na primeira das
quatro turmas da semana inicial de curso.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 137


| | POLÍTICA 5/8

Embora já tenha buscado se informar sobre


manuseio correto dos agrotóxicos em outras
atividades, não dispensa a oportunidade
dada pelo PAS e Cohidro. “Claro, sempre
aprendendo alguma coisa a mais, né? Sempre
eu participo, toda reunião, todo curso que eu
sou convidado, eu marco presença. Aprender
sempre é bom, qualquer coisa que a gente
aprende é bom para a vida, para o dia a dia.
Faço (uso de agrotóxicos), eu geralmente já
sigo essas regras, infelizmente são poucas
pessoas, mas uso o mínimo possível”, relevou.

O instrutor dos cursos é o engenheiro


agrônomo Pedro Acioli de Souza, que além
de prestar serviço para empresas e entidades
como o Senar e o Sebrae, é agricultor e
apicultor, com trabalhos científicos publicados
nas áreas. “Eu quero passar uma bagagem
que faça com que além de receber uma gama
de informações, procure fazer com que ele
questione a situação que ele vive, pois só
através do questionamento pode-se tomar
algumas atitudes. Não é aquela capacitação de
levar a informação e isso tá certo, não! Então

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 138


| | POLÍTICA 6/8

este treinamento, eu acredito que ele dá muito


resultado devido a essa metodologia um pouco
inovadora”, considera.

Cláudia Silva Sampaio é coordenadora


das capacitações pela STCP – Consultoria,
Engenharia e Gerenciamento. “O curso de
capacitação para o uso adequado de agrotóxicos
tem três módulos e sempre no primeiro se
discute a questão da legislação, de uma forma
bem geral. Depois se discute a questão do uso
de EPIs, que está vinculada à segurança e saúde
dos trabalhadores e, finalmente a manipulação
do uso de agrotóxicos, que é todo o processo de
aplicação. Dentro disso nós precisamos, antes
de realizar essas ações, realizar um questionário
para identificar quais são as atividades e a
forma como elas estão sendo desenvolvidas
por esses agricultores. A partir deles a gente
vai ter uma ideia do todo”, completa ela,
informando que irá ocorrer um seminário com
todos os secretários municipais de educação,
saúde, meio ambiente e agricultura, os agentes
de epidemiologia, além dos delegados e
coordenadores de educação ambiental.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 139


| | POLÍTICA 7/8

O modo correto de manipulação dos defensivos químicos


foi exemplificado na prática aos agricultores

ÁGUAS DE SERGIPE
O programa resulta de contrato firmado
entre o Governo de Sergipe e o Banco Mundial
no valor de US$ 117.125.000,00, sendo US$
46.850.000,00 a contrapartida do Estado.
O PAS tem como finalidade a melhoria da
qualidade da água na bacia hidrográfica do
rio Sergipe. Desse montante, US$ 8 milhões
serão destinados à Cohidro para ações de
modernização da infraestrutura dos perímetros

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 140


| | POLÍTICA 8/8

irrigados e segurança de barragens, atendendo


as demandas inseridas no PAS, que se destinam
à recuperação ambiental da bacia do rio Sergipe.

“Nesse sentido, com os recursos destinados


à empresa já foram implantadas ações de
monitoramento, segurança e reflorestamento
das margens das barragens públicas que
atendem nossos perímetros e a aquisição
de veículos novos para atuar dentro dos
perímetros. E atualmente ocorre a reforma
predial das nossas diretorias técnicas; a
completa substituição do sistema de irrigação
em cada lote dos perímetros da Ribeira e
Jacarecica I, adotando o modelo de irrigação
localizada e automatizada, economizando
60% no consumo de água e reduzindo
50% na conta da energia elétrica. Nesta
semana, simultaneamente aos treinamentos,
demos início à elaboração de um audacioso
projeto de automação de nossas estações
de bombeamento, repercutindo em menos
consumo de eletricidade”, listou o diretor
de Irrigação e Desenvolvimento Agrícola da
Cohidro, João Quintiliano da Fonseca Neto.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 141


| 1/7

PORTAL F5 NEWS

Escola da rede pública em Sergipe, local onde as ações


do MPF podem melhorar efetivamente a qualidade de ensino

MPF PROCESSA
UNIÃO, ESTADO
E MUNICÍPIOS
SERGIPANOS
lO objetivo é garantir aplicação de R$
140 milhões em educação. São 76 ações
civis públicas ajuizadas para assegurar
investimentos em reformas de escolas,
alimentação, transporte escolar, inclusão e
outras melhorias; iniciativa é resultado de
articulação nacional do projeto MPEduc

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 142


| | POLÍTICA 2/7

O Ministério Público Federal (MPF)


ajuizou, na última semana, ações civis
públicas em defesa da educação pública
de qualidade em Sergipe. Foi protocolado
processo judicial contra o Estado de Sergipe
e um contra cada município, sendo a
União demandada em todos eles. As ações
dizem respeito a créditos que o estado e
os municípios sergipanos têm a receber,
provenientes do Fundo de Manutenção e
Desenvolvimento do Ensino Fundamental
e de Valorização do Magistério (Fundef,
atual Fundeb), que não foram pagos na sua
integralidade entre 1998 e 2006.

Os recursos correspondem ao Valor Mínimo


Anual por Aluno (VMAA), que integrava o
Fundef. Numa disputa que durou quase 20
anos, finalmente a União foi condenada a
complementar as verbas e o Ministério da
Educação (MEC), em nota técnica, calculou os
valores estimados que devem ser pagos. Ao
estado de Sergipe são devidos cerca de R$ 80
milhões, enquanto os municípios, somados,
têm cerca de R$ 60 milhões a receber.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 143


| | POLÍTICA 3/7

Destaque para os créditos da capital,


Aracaju, somando cerca de R$ 8,5 milhões;
Estância, com R$ 3,2 milhões; Lagarto com
R$ 4,3 milhões; Itabaiana e Itabaianinha com
mais de R$ 2 milhões cada; e municípios
como Boquim, Canindé do São Francisco,
Capela, Carira, Cristinápolis, Itaporanga
d’Ajuda, Japaratuba, Laranjeira, Nossa
Senhora da Glória, Nossa Senhora do
Socorro, Poço Redondo, Poço Verde, Porto
da Folha, Riachão do Dantas, Salgado, São
Cristóvão e Simão Dias, com mais de R$ 1
milhão a receber cada um deles.

CONTA-CORRENTE EXCLUSIVA
O MPF quer que os recursos dessas
diferenças devidas pela União, assim que
recebidos, sejam depositados em conta-
corrente exclusiva aberta para esse fim.
“São valores relevantes que não devem ser
misturados nem se perder num emaranhado
de contas-correntes não raras vezes pouco
transparentes”, destaca o Procurador
Regional dos Direitos do Cidadão do MPF em
Sergipe, Ramiro Rockenbach.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 144


| | POLÍTICA 4/7

FAXAJU
Ramiro Rockenbach, procurador do MPF em Sergipe

O objetivo é garantir a necessária


transparência e rastreabilidade pelos órgãos
de controle, para que sejam realizados
investimentos exclusivamente em ações de
educação, salienta Rockenbach.

PLANO DE APLICAÇÃO DOS RECURSOS


Além de pedir que os recursos sejam
depositados em conta específica passível de
controle e acompanhamento, o MPF quer que seja

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 145


| | POLÍTICA 5/7

apresentado um plano de aplicação dos recursos.


O objetivo é garantir o cumprimento do Pacto pela
Educação Sergipana, sendo proibidos quaisquer
pagamentos de honorários advocatícios ou
destinados ao magistério com esses recursos, em
razão da sua natureza extraordinária.

Os valores devem ser movimentados


exclusivamente por meio eletrônico, mediante
crédito em conta-corrente de titularidade
dos fornecedores e prestadores de serviços,
devidamente identificados. Não podem ser
transferidos recursos da conta exclusiva para
outras contas de titularidade do município
ou do estado de Sergipe. União, estado e
municípios também devem informar sobre
eventuais valores já pagos e recebidos, bem
como a existência de demandas judiciais
tratando do assunto.

MPEDUC E O PACTO PELA


EDUCAÇÃO SERGIPANA
O Projeto Ministério Público pela
Educação (MPEduc) tem sido articulado
nacionalmente, no sentido de organizar

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 146


| | POLÍTICA 6/7

audiências públicas para diagnosticar


os problemas e mapear soluções para a
educação básica, além da atuação judicial.
Os processos judiciais movidos contra o
estado e os municípios sergipanos partem
de uma ação nacional, articulada em
conjunto com a Procuradoria Federal dos
Direitos do Cidadão (PFDC) e a 1ª Câmara
de Coordenação e Revisão (1ª CCR), para
regularização dos recursos do Fundef.

Nas ações judiciais contra o estado e os 75


municípios sergipanos, os MPs lembram que
todos eles firmaram o Pacto pela Educação
Sergipana no âmbito do MPEduc. No pacto,
se comprometeram a apresentar relatório
indicando detalhadamente os requisitos para
assegurar educação de qualidade, abordando
os oito aspectos do MPEduc (estrutura física
e pedagógica, inclusão, alimentação escolar,
transporte escolar, programas do governo
federal e funcionamento dos dois principais
conselhos sociais que atuam na análise de
prestação de contas de verbas direcionadas
para a educação).

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 147


| | POLÍTICA 7/7

Cada município e o estado também


concordaram em relatar o que foi feito
e o que se fará, em quanto tempo e
como são aplicados os recursos próprios
e os provenientes do Fundeb, sendo
imprescindível, portanto, apontar as fontes
orçamentárias. Os municípios e o estado se
comprometeram a realizar todas as obras
e serviços de menor porte que garantam
melhorias imediatas em cada escola
municipal e estadual da localidade.

O estado e os municípios assumiram


também o compromisso de garantir que
os Conselhos de Controle Social possam
exercer adequadamente suas funções,
inclusive com acesso às escolas municipais/
estaduais. “Ao realizarmos audiências
públicas em 2018 envolvendo toda a rede
pública de educação, a todo momento foram
invocadas as dificuldades financeiras. Esses
recursos adicionais são uma excelente
oportunidade para mais investimentos
exclusivos em educação. É o nosso objetivo”,
ressalta Ramiro Rockenbach.

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 148


|

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 149


Emprego
LUIZA ALLAN EDIÇÃO 1861

ECONOMIA ALTERNATIVA
NO PERÍODO NATALINO
Saiba quais alternativas os pequenos e
grandes empreendedores estão tomando
para aquecer as suas vendas no Natal
Emprego

ÍNDICE
TOQUE E ACESSE

Festas de fim de ano aquecem vendas 152

ANUNCIE
AQUI

CONTATE SUA AGÊNCIA DE PUBLICIDADE OU


TOQUE u E FALE COM A GENTE AGORA
uÁurea Cristina (79) 99833-2123
uCláudio Sousa (79) 99971-9179

SE PREFERIR, FALE DIRETAMENTE


COM O CINFORM SOLICITANDO UMA VISITA
(79) 3304-5414
ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 151
Emprego 2/10

FESTAS DE FIM
DE ANO
AQUECEM VENDAS
lAs pessoas estão trabalhando com
encomendas em diversos segmentos a
fim de tirarem uma renda extra. Já os
empresários estão se adaptando e inovando
nos seus cardápios para o período natalino

THAYNÁ FERREIRA | redacao@cinform.com.br

O período de fim de ano é sempre cercado


de confraternizações. Quando chega o Natal e
Réveillon a primeira coisa que a maioria quer
é comodidade e praticidade na hora de fazer
a ceia ou decorar a casa, por exemplo. Há
uma grande procura por pessoas capacitadas
que trabalham com encomendas. Estes
empreendedores geralmente são autônomos

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 152


Emprego 3/10

e têm o trabalho
como segunda
opção de renda.
De acordo com

ARQUIVO PESSOAL
o economista
Rodrigo Rocha, as
festas de fim de
ano sempre geram
oportunidades
de aumento das
vendas em diversos
segmentos e, em
um momento
como o atual,
no qual ainda
está alta a taxa Economista Rodrigo Rocha
de desemprego,
acaba impulsionando a criação de pequenos
empreendimentos, muitos deles informais.

“Para quem consegue fazer boas vendas


surge então a possibilidade de transformar a
atividade em algo maior, podendo inclusive
formalizar para poder crescer. Porém, para
o sonho do negócio próprio não se tornar

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 153


Emprego 4/10

em um pesadelo é muito importante que o


empreendedor se prepare, buscando apoio
de instituições como o Instituto Euvaldo Lodi
(IEL) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e
Pequenas Empresas (SEBRAE), que possuem
diversas ações como cursos, assessoria e
consultoria, para ajudar a dar maior eficiência
na gestão das empresas”, informa.

O fotógrafo e chef de cozinha Vieira Neto


está trabalhando com encomendas de comidas
para as festas de fim de ano. Há muito tempo
ele vem fazendo cursos e se especializando na
área da gastronomia, pensando justamente em
comercializar e tirar uma renda extra.

“Isso é uma paixão antiga que aos poucos


está entrando de forma definitiva em minha
vida. Como todo ano fazia um pernil para
festa de Natal da família e sempre sobrava,
os parentes começaram a levar para os
amigos e começou a ficar famoso entre
eles. Começaram a questionar se não o faria
por encomenda. Então, resolvi começar e
já estamos com várias encomendas antes

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 154


Emprego 5/10

ARQUIVO PESSOAL

Fotógrafo e chef Vieira Neto

mesmo de anunciar. Como esse é o primeiro


ano, vamos começar apenas com o pernil de
porco com manta de bacon acompanhado de
mini batatas e alho assado. A demanda está
bastante satisfatória e as encomendas terão

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 155


Emprego 6/10

que ser feitas com antecedência para que


possamos nos preparar para atender a todos
com o máximo de eficácia, pois focamos muito
na satisfação do cliente. É uma data especial
então queremos passar uma tranquilidade
para quem compra”, declara.

ADAPTAÇÃO
Mas não só as pessoas que estão pensando
em tirar uma renda extra neste período
que pensam em atender encomendas. Os
restaurantes, panificações e confeitarias, por
exemplo, estão trabalhando com cardápios
especiais a fim de atrair mais clientes para os
seus negócios. Como é o caso da confeiteira
Ivana Ferreira. Ela percebe que o período
natalino por si só é bastante movimentado,
mas o fato de as pessoas estarem buscando
novas maneiras de presentearem, segundo ela,
tem aumentado ainda mais. No seu trabalho
ela tenta buscar novos e diferentes sabores,
longe do que normalmente é encontrado.

“Bom, o foco do meu trabalho na confeitaria


sempre foi utilizar a criatividade através

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 156


Emprego 7/10
ARQUIVO PESSOAL

Confeiteira Ivana Ferreira

dos sabores, trazendo algo inusitado para


o paladar. Para o Natal foi desenvolvido um
cardápio com coisas que pudessem ser
dadas como lembranças, como a caneca com
panetone/chocotone, que a caneca fica como
presente. Tem também caixas de brownies,
caseirinhos e cookies, que possuem um preço
bacana e são ótimas escolhas para quem não
quer deixar passar em branco, mas não pode
gastar muito”, afirma.

A empresária Silvia Tatiany é dona de uma


panificação. No período de festas ela muda
o seu cardápio a fim de conquistar mais
clientes. Ela sabe que a demanda é grande

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 157


Emprego 8/10
ARQUIVO PESSOAL

Empresária Silvia Tatiany

e satisfatória nesta época. “Meu ponto fica


em área comercial, no período de férias tem
uma redução muito grande de vendas no
balcão, as encomendas natalinas ajudam a
não reduzir tanto meu faturamento. Nesta
época montamos um cardápio especial
para a ceia, sem contar que assamos e
decoramos o Peru”, diz.

CARDÁPIO VEGANO
Um restaurante de comidas veganas na
capital também está com um cardápio especial
para este público, bem enxuto, mas com

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 158


Emprego 9/10
LARISSA SÁ

Chef Joelâne Silveira

opções que podem encher a mesa. Segundo a


chef de cozinha do estabelecimento, Joelâne
Silveira, tudo foi pensado para harmonizar
bem na ceia, assim como cada ingrediente e a
experiência das pessoas.

“Eu pensei em um cardápio que tivesse


um toque de sergipanidade e que oferecesse
alternativas veganas para a ceia natalina
e de Réveillon. Tudo é feito com muito da
minha memória afetiva e das coisas que
mais gostamos de comer nessas festas. Tem
muito de boas lembranças e amor, desde a

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 159


Emprego 10/10

elaboração, até o momento que o cliente virá


retirar o pedido. Boa parte dos nossos pratos
tem opções ou já são sem glúten, já que temos
muitas pessoas que por motivos de saúde não
podem consumir essa proteína. A gente tem
o salpicão que tem carne de jaca, que lembra
a textura desfiada do salpicão tradicional, e
temos o rosbife, que é feito a partir da farinha
de glúten (seitan), e é produzido de tal forma
que lembra em sabor, textura e aparência
da carne, até o aspecto caramelizado e meio
rosado por dentro”, destaca.

ACESSE MAIS NOTÍCIAS EM WWW.CINFORM.COM.BR

ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 160


FUNDADO EM 2 DE DEZEMBRO DE 1982 PUBLICADO EM DIGITAL DESDE 17 DE JULHO DE 2017

DIRETOR DE JORNALISMO
Edvar Freire Caetano–DRT–591/SE
edvarfreire@cinform.com.br

Jornalistas
Fredson Navarro – DRT–1145/SE
Julia Freitas – DRT–2286/SE
Juliana Paixão – DRT–2236/SE
Paula Coutinho – DRT–27825-RJ
Thayná Ferreira – DRT–2287/SE

Editoração Eletrônica
Altemar Oliveira
altemar@cinform.com.br

Fotos e Vídeos
Vieira Neto

Marketing
Alberto Costa
alcosa@cinform.com.br

Contatos comerciais
Áurea Cristina (79) 99833-2123
Cláudio Sousa (79) 99971-9179

ENTRE EM CONTATO
(79) 3304 - 5414

OUVIDORIA VOLTAR
1ª PÁGINA
ouvidoria@cinform.com.br
ANO 35 - ED. 1861 -10/12/2018 - 161