Sie sind auf Seite 1von 11

Torre de Refrigeração

Balanço de massa (m3/h)


M = E +W +C
água circulante
água de
reposição água de arraste
água evaporada

Balanço de massa dos sais


presentes na água

Balanço térmico (aproximado)


E . Δ H ( evaporação , T f )=C . c p .(T q −T f )
A umidade relativa controla a evaporação e a
temperatura do termometro molhado é a menor
temperatura possível
http://en.wikipedia.org/wiki/Cooling_tower acessado em 25/08/2013

setembro/2013 Roberto R. de Avillez 5


Exercício 03
Balanço Térmico: Forno de Reaquecimento

Ar com excesso, 25% Ar infiltrado


Combustível, 298 K
298 K 100 kg/h

Tarugos, 298 K Tarugos, 1400 K


Forno de Reaquecimento
130000 kg/h 130000 kg/h

Perda térmica Gases efluentes com


4,6% O2, 1500K
setembro/2013 Roberto R. de Avillez 6
Forno de Reaquecimento 1/6
∆H Queima estequiométrica do combustível libera 40000kJ/kg
Composição do combustível 85% C - 14% H - 1% S
(% em massa, wt%)

Consumo de combustível 100 kg/h


85 kg C => 85000/12 moles de C; 1 C => 1 CO2 => 1 O2
14 kg H => 14000/1 moles de H; 2 H => 1 H2O => 0,5 O2
1 kg S => 1000/32 moles de S; 1 S => 1 SO2 => 1 O2

A queima estequiométrica requer:


85000 14000 1000
n O 2 = 0,5.  =10614,58 Moles de O2
12 2 32

setembro/2013 Roberto R. de Avillez 7


Forno de Reaquecimento 2/6
A quantidade de ar injetado está associado ao consumo de oxigênio
estequiométrico e a quantidade de oxigênio em excesso (isto é,
além da estequiometria da queima).
n O2 i =1,25×10614,58=13268,23
25% excesso de oxigênio
n O 2 xc =0,25×10614,58=2653,65
1 mol de ar = 0,21 mol de O2 + 0,79 mol de N2
n ari n ar i 1
= = ⇒ n ar i=63182,04
nO 2i 13268,23 0,21
Naturalmente a quantidade de Nitrogênio é dada por:

n  N 2 i =0,79. n ar i=49913,81

setembro/2013 Roberto R. de Avillez 8


Forno de Reaquecimento 3/6
Balanço de Massa

A queima estequiométrica produz a 25°C:


1 C => 1 CO2, logo 85 kg C => 85000/12 moles de CO2
2 H => 1 H2O, logo 14 kg H => 14000/2 moles de H2O
1 S => 1 SO2, logo 1 kg S => 1000/32 moles de SO2

Nitrogênio total (não reagido) => 49913,81 + 0,79.n(ar infiltrado)


Oxigênio total (não reagido) => 2653,65 + 0,21.n(ar infiltrado)

Aço aquecido => 130.000.000/56 moles de Fe

Na realidade deveria ser calculado a massa molecular do aço


com sua composição correta, mas esta é uma aproximação.

setembro/2013 Roberto R. de Avillez 9


Forno de Reaquecimento 4/6
A quantidade de ar infiltrado (inf) pode ser determinada com
auxílio da fração de oxigênio medida nos gases efluentes porque
conhecemos as quantidades exatas de todos os gases injetados e
reagidos, somente desconhecemos a quantidade de ar infiltrado

n (O2 ) xc + 0,21 n(ar )inf


fO=
n(O 2) xc + n (N 2)i + n(ar )inf + n(CO 2 )+ n (H 2 O)+ n(SO 2 )
2

A quantidade de ar infiltrado é importante porque este ar também


precisa ser aquecido da temperatura ambiente até a temperatura
de saída dos gases efluentes. Resulta em perda térmica!

setembro/2013 Roberto R. de Avillez 10


Forno de Reaquecimento 5/6
Balanço térmico Inicial
A queima a 25°C fornece 40000 kJ por kg de combustível
100 kg de combustível resultam em
∆H(25°C, combustão) = 4.000.000 kJ
Esta entalpia será empregada para aquecer todos os gases
resultantes da queima e de excesso de ar mais o aço que
entra o forno mais o próprio forno e suas perdas
o
H (O 2 )=n(O 2) t [ H (O 2, T final )−H (O 2, 25 C )]
o
H ( N 2 )=n( N 2 )t [ H ( N 2, T final )−H ( N 2, 25 C )]
H ( Fe)=n( Fe)[ H ( Fe , T final )− H (Fe , 25o C)]
Se a temperatura inicial, Tinicial, for diferente de 25°C, é
necessário incluir a entalpia associada com o calor sensível
para aquecer os gases de entrada e o ferro (aço).

setembro/2013 Roberto R. de Avillez 11


Forno de Reaquecimento 6/6
Balanço térmico Final
Como a entalpia é conservada, toda a entalpia
disponível na condição inicial do forno também deverá
estar disponível para qualquer condição final.
Esta entalpia será empregada para aquecer todos os gases
resultantes da queima e de excesso de ar mais o aço que
entra o forno mais o próprio forno e suas perdas
o
H CO 2=nCO 2 [ f H CO 2, 25 C  aquec H CO 2, 298 até1500K]
o
H  H 2 O=n H 2 O[ f H H 2 O , 25 C  aquec H  H 2 O , 298 até1500K]
o
H SO 2 =n SO2 [ f H  SO 2, 25 C  aquec H  SO2, 298 até 1500K]
H O2 =n O 2 xc  aquec H O 2, 298 até1500K
H  N 2 =n  N 2t  aquec H  N 2, 298 até 1500K
H  Fe=n Fe  aquec H O 2, 298 até 1400K

setembro/2013 Roberto R. de Avillez 12


Diagrama de Sankey
Forno de Reaquecimento

setembro/2013 Roberto R. de Avillez 13


Forno de Reaquecimento com Recuperador

setembro/2013 Roberto R. de Avillez 14


Forno de Reaquecimento com recuperador
Diagrama de Sankey

setembro/2013 Roberto R. de Avillez 15