Sie sind auf Seite 1von 11

Aula de Laboratório de Tecnologia Mecânica II

Fabricação de Engrenagens por Fresagem

Alunos:
John de Castro Barreto - 201020418811
Leonardo Fernandes Ferreira - 201410991211
Lucas Henrique Chaves de Freitas - 201310456211
Luiz Fellipe Ozorio dos Santos - 201420548811
Wallace Ramos Rosendo da Silva - 2014020547311

Professora: Suzana Peripolli


Sumário:
1. Introdução ........................................................................................................ 3
2. Objetivo da Experiência ................................................................................... 3
3. Materiais e Instrumentos Utilizados: ................................................................. 4
4. Procedimento Experimental:............................................................................. 6
5. Resultados: .................................................................................................... 10
6. Conclusão: ..................................................................................................... 11
7. Bibliografia: .................................................................................................... 11
1. Introdução
O presente relatório descreve a 3ª aula prática da disciplina Tecnologia Mecânica
II. Relatamos aqui os conhecimentos adquiridos e os resultados encontrados utilizando
a técnica de fresagem para produção de engrenagens de dentes retos. Essa
experiência foi realizada no dia 26/11 no laboratório de usinagem do Prédio Fonseca
Telles.

2. Objetivo da Experiência
O objetivo principal da experiência é mostrar aos alunos como é realizar o
processo de fabricação por fresagem. A partir deste tipo de usinagem, formamos dentes
retos na peça bruta de náilon, sendo possível realizar medições com um paquímetro
para avaliar as condições da máquina. O resultado final nos possibilitou a compreender
o manuseio de uma fresa. Embora seja um equipamento que passou por grande uso,
ainda tem a sua funcionalidade para peças mais macias (dúcteis), como a usada na
experiência.
Nesta aula também aprendemos sobre os tipos de fresadoras (horizontal, vertical
e universal), os tipos de ferramentas de corte e analisamos os movimentos de corte
(concordantes e discordantes).

Imagem 1- Peças finais


3. Materiais e Instrumentos Utilizados:
1. Bloco de Náilon:

Imagem 2 – Bloco de Náilon devidamente centralizado

2. Fresa:

(a) (b)

Imagem 3a e 3b – Fresadora Horizontal Sanches Blanes do Brasil


3. Desenhos utilizados:

Imagem 4 – Desenho da Engrenagem de Dentes Retos

4. Paquímetro e régua:

Imagem 5 – Paquímetro e régua


5. EPI:

a. Calça
b. Sapato Fechado
c. Óculos de Proteção

Imagem 7 - Óculos de Proteção

4. Procedimento Experimental:

Primeiramente nos foi apresentado no laboratório as fresadoras disponíveis e


suas funcionalidades, com mais foco na fresadora de eixo árvore horizontal. De início
aprendemos os movimentos que a fresadora possui em x, y, z e angular e suas
alavancas para a realização dos movimentos. Também nos foi apresentado o disco
furado para determinar o avanço na engrenagem e como centrar a peça bruta.

Para a engrenagem de dentes helicoidais, mantivemos a fresa da prática


anterior de módulo 2.5 na fresadora e a ajustamos para que ela ficasse centralizada.
Foi adicionada uma engrenagem na grade de engrenagens da fresadora para que
houvesse movimento sincronizado entre o fuso da mesa e o disco divisor. Em
seguida a mesa da fresadora sofreu um giro de 21 graus no sentido anti-horário para
gerar a inclinação à esquerda nos dentes da engrenagem. Para a confecção da
engrenagem cilíndrica de dentes helicoidais utilizamos um disco divisor de 33 furos
que fica solto na fresadora e regulamos o setor dele para 27 furos.

Imagem 8 – Engrenagem adicionada a fresadora para a fabricação da engrenagem


de dentes helicoidais

Imagem 9 – Movimentos da fresadora


Imagem 10 – Movimento angular da fresadora

Imagem 11 – Gabarito para centrar a peça

Começamos o experimento usando a mesa de fresagem mostrada na seção 3,


onde centralizamos a peça que viria a ser desbastada. Após este procedimento,
inserimos a ferramenta de corte que faria o processo de usinagem em movimento
discordante. Com isso, alinhamos a ferramenta com a peça bruta e dividimos as
tarefas em três partes: a primeira serviu para determinar o avanço da peça através do
disco que contém os furos; a segunda tarefa foi passada para duas pessoas que
eram responsáveis por mover a ferramenta para o desbaste; a terceira tarefa, que
ocorrera imediatamente antes e após a segunda, ficou por conta de uma pessoa que
controlava a velocidade de corte e o acionamento da máquina.

Antes de iniciar o processo de fresagem, colocamos os EPI’s necessários para


realizarmos a experiência com segurança e indicados pela professora. Após
colocarmos os óculos de proteção posicionamos o disco de náilon na fresa com a
superfície a ser usinada centralizada em relação a ferramenta de corte.

Com o bloco corretamente preso ao equipamento, a superfície foi desbastada


com movimentos unidimensionais, onde a peça retira material apenas no avanço da
ferramenta, sendo o recuo somente responsável pelo regime passivo do movimento.
Esse regime passivo é o necessário para deslocar a ferramenta para o lado, com a
finalidade de desbastar por toda a superfície desejada.

Imagem 12 – Peça sendo desbastada pelo processo de fresagem

Após o processo executado no corpo de prova, obtivemos uma superfície com


rebarbas. Em seguida a este procedimento, limpamos a fresa com pincéis, guardamos
as peças e registramos os dados, conforme citado no tópico de resultados. Sempre
adotando as técnicas de limpeza adequadas, ajudamos a aumentar a vida útil das
ferramentas e materiais utilizados. Dessa maneira, reduzimos os custos no processo
de fabricação e aumentamos a eficiência.
5. Resultados:
Após a realização das etapas do procedimento experimental, obtivemos a peça
mostrada a seguir com as seguintes dimensões:
Tabelas de Medidas de Engrenagens
Dados Dentes Retos Dentes Helicoidais
Altura média 4,83 mm 4,4 mm
Diâmetro médio: 56,1 mm 52,5 mm
Diâmetro externo: 65,00 mm 65,05 mm
Primeiro rasgo com perfil do
4,80 mm 4,65 mm
dente:
Segundo rasgo com perfil do
4,85 mm 4,80 mm
dente:

Obs: Para o segundo rasgo giramos mais 7 traços (ficando com 97) para chegar em
5,4mm, porém a peça ficou com 5mm (ou 4,95 ou 5,2mm já que tivemos uma
dificuldade na medição gerada por um excesso de cavaco no rasgo).

Imagem 13 – Peça após a fresagem


6. Conclusão:
Através da aula prática de conhecemos as diversas partes da fresadora, suas
ferramentas de corte, seus movimentos, principais diferenças (tipo de eixo), e suas
potencialidades e aplicações. Além disso, a forma correta de manuseio sempre
utilizando os EPI’s necessários.

Portanto, como seguimos o procedimento abaixo, utilizamos corretamente a


técnica de fresagem:

1. Seleção de ferramentas de trabalho e preparação do ambiente;

2. Usinagem do corpo de prova com a utilização da fresa para se obter rasgos


correspondentes à altura dos dentes da engrenagem que iremos ornamentar na
próxima prática;

3. Limpeza das ferramentas, do ambiente de trabalho e guardar as ferramentas


em seus respectivos lugares.

Foi possível observar que após a fresagem, tivemos uma interferência gerada
pelo cavaco, logo tivemos uma imprecisão em relação as medidas finais além das
folgas que a máquina possui.

7. Bibliografia:

1. https://www.cimm.com.br/
2. Fundamentos da Usinagem dos Metais – Dino Ferraresi
3. Apostila de Processos de Fabricação – Senai/CST

Verwandte Interessen