Sie sind auf Seite 1von 66

f

O

al

u

u(fl

5

U

3

Cidade

^

r

5

P

a

t

a

Estamos ao seu lado 24h por dia com a frota e as soluções ideais para você ganhar produtividade e reduzir custos.

LOCALIZA

EMPRESA

a

Alugue l diári o

e mensal . Consult e

su a melho r

opção .

^

1

0800 707 1250

*

AluiAluguel de Carros

35. CRESCIMENTO

CARREIRA BEM APARADA

I N a áre a d a beleza , encontra r

bon s profissionai s nã o é taref a

fácil ; mante-lo s é

mai s difíci l

ainda . Par a supri r

ess a falta , a

red e carioc a Walter' s Coiffeu r

decidi u cria r su a própri a escola ,

a Walter' s Academy , co m u m in -

vestiment o inicia l de R$ 500 mil .

L á , aspirante s sã o treinado s pela

equip e do salã o e m de z modalida -

des. O s dois aluno s qu e mai s s e

destaca m tornam-s e assistente s

e m um a

presa . " É a prov a de fogo. Ness e

momento , d á par a ve r com o o s

profissionai s trata m o cliente , s e

s ã o proativo s e s e tê m o perfil qu e

procuramos" , diz Walte r Cabra l

Júnior , 34 anos , filho do fundado r

e atua l CE O d a empresa . Cas o s e

saia m bem , o s candidato s

pode m

começa r a atua r com o cabeleirei-

ros e entra r par a o plan o de car -

reir a d a rede , qu e inclu i aula s de

inglê s e curso s n o exterior.

Lui z

Carlo s Ferreira , 31 anos .

n a academi a ao s 22 anos . Estude i

durant e u m

efetivad o com o auxiliar .

an o

at é se r

em -

da s 14 unidade s

d a

Foi

o qu e

acontece u co m

an o

e meio ,

"Entre i

N o

76 PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCOI S

OUTUBRO, 2014

seguinte , m e torne i cabeleireiro" ,

diz . N o iníci o d e 2015, Ferreir a ir á

par a Bueno s Aires , fazer u m curs o

n a

mai s respeitada s do mundo . At é

agora , 100 profissionais tivera m a

mesm a experiênci a qu e Ferreira .

Par a Cabral , a iniciativ a tra z dua s

da s

Escol a

Llogueras , um a

vantagens : fa z co m qu e a equip e

se sint a valorizad a e garant e que

a empres a tenh a u m banc o de ta -

lento s à su a disposição . "Assi m o

m e u

sofre .

Cas o algué m muit o bo m saia , te-

n h o outr a pesso a par a coloca r n o

lugar", afirma . "Alé m disso , ensi -

n o ele s a faze r a s coisa s d o me u

jeito , desd e o

atendiment o

nunc a

começo. "

WALTE R CABRAL JÚNIOR, 34 ANOS, CEO DA

IWALTER'S COIFFEUR 0 que faz: rede de salões de cabeleireiro

Fundação: 1964 Sede: Rio de Janeiro (RJ) Funcionários: 430 Faturamento em

2013: R$3 milhões

FOTO: MARCELO CORRÊA/Editora Globo

1 9

ANO S

DE EXPERIÊNCIA

-

j

5

á

%

V

SATISFAÇÃO

DOS FRANQUEADOS

FATURAMENTO

SUPERIOR A_R$

ESCOLHA UM A

FRANQUIA

CEBRAC.

2

5

%

D E

LUCRATIVIDADE

CEBRAC FÁCIL

Muitas pessoas tem o sonho de abrir seu próprio negócio. Nós do CEBRAC sabemos que transformar esse sonho em realidade não é nada fácil . Você tem muitas escolhas e decisões a tomar. E ninguém quer errar, justo neste momento. Contar com uma marca forte, com 19 anos de experiência e com suporte em todas as área do negócio, diminui muito o seu risco. Não se arrisque. Escolha uma franquia CEBRAC.

CEBRA C

Centro Brasileiro de Cursos

m

ESCRITÓRI

O

FLEXÍVE L

Durante a conferência Growing

Together, States and Enterprises, no Paraguai, no final de julho,

o mexicano Carlos Slim —

atualmente o home m mais rico

do mundo, segundo a Forbes

— sugeriu que as empresas

adotassem uma jornada de três dias úteis. Em contrapartida, os funcionários trabalhariam de 10 a 11 horas e se aposentariam mais tarde, aos 75 anos. A sugestão do bilionário não deve virar realidade tão cedo. Mas sua proposta é prova de que os novos formatos de trabalho estão ganhando força no mundo dos negócios. Abaixo, alguns empreendedores que estão redefinindo velhos paradigmas do escritório.

AUBER T

ISSACHAR,

35ANOS.CFO

HTARO 0 que faz: e-commerce de pneus e autopeças Fundação: 2012 Sede: São Paulo (SP) Funcionários: 40 Previsão de faturamento para 2014: R$10 milhões

36. TRABALHO REMOTO

MESAS VAZIAS NA STARTUP

Trabalhar em casa é prática

comum entre negócios iniciantes. Mas a Simbiose, startup paulistana de análise de dados para publicidade, levou o conceito do home- office ao limite. Fundada em 2013, a empresa tem uma equipe de 14 pessoas

— e nenhuma delas fica no

escritório. Para manter os

colaboradores em sintonia, são promovidos encontros

presenciais ao final de cada mês. "É uma maneira eficiente de reduzir gastos operacionais e diminuir

a rotatividade. Algumas

pessoas mudaram de cidade

e continuam no nosso

time", afirma o sócio-diretor

Cristian Gallegos, 39 anos.

37. SEDE ITINERANTE

38. COPWORKING

EMPREENDEDORES NA ESTRADA

TRABALHO C0LAB0RATIV0

proliferação de coworkings

e cafés com wi-fi deu

origem a uma nova geração de empreendedores nómades. A tendência é particularmente útil para negócios que não precisam

mante/ equipes operacionais fixas. É o caso da Me

Launch Pretty One Day, consultoria de Cingapura focada no desenvolvimento de projetos em mercados asiáticos. Fundada por Adrianna Tan, especialista em redes sociais e experiência do usuário, a

empresa muda de endereço

— e de funcionários — de

acordo com o local onde o projeto será realizado.

A

Na Europa, o escritório

colaborativo foi substituído

pelo copworking, prática em que uma companhia destina um espaço para acomodar parceiros externos. Um estudo feito pela gigante de Tl Orange Business Services mostrou que 74% das empresas europeias consideram esse tipo de colaboração obrigatório. Há ainda quem faça uma espécie de intercâmbio:

é o caso da companhia francesa de transportes SNCF. Como realiza diversos trabalhos com a ajuda de

outros negócios, fez questão de criar um ambiente que pode ser usado por seus parceiros corporativos.

78 PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCOI S

OUTUBRO, 2014

39. FÉRIAS SEM LIMITES LIBERDADE COM RESPONSABILIDADE

Quem trabalha na Netflix, serviço americano de

streaming de filmes e

seriados, não precisa

negociar a data de férias com o chefe do departamento. Também não é necessário pedir

a autorização do RH ou

agendar o período de descanso com 30 dias

de antecedência. Para completar, não existe limite de tempo para ficar fora da empresa. Parece bom demais para ser verdade.

E é: o sistema faz parte de

um código de conduta que tem como objetivo estimular

o senso de responsabilidade

entre os funcionários.

FOTO: ANA CAROLINA NEGRI/Editora Globo

40. REDUÇÃO DA JORNADA

DE SEGUNDA A QUINTA

I

N o escritóri o d a Itaro , u m e-commerc e d e pneu s

e

autopeças , a seman a d e

trabalh o pod e te r apena s

quatr o dias . N o iníci o d e

julho , a empres a adoto u

u m sistem a d e horári o flexível , segund o o qua l o s

funcionário s pode m ficar u m di a e m cas a par a re -

solve r assunto s pessoais . A únic a exigência : per - manece r atent o ao e-mail e ao celular . "A s pessoa s

do s filhos o u

espera r o técnic o d e televisã o a cabo . Um a polític a d e horário s aberto s fa z co m qu e ela s s e comprome -

precisa m d e temp o livr e par a cuida r

t a m co m sua s meta s e trabalhe m d e maneir a mai s produtiva" , diz o CF O Auber t Issachar , 35 anos .

à

distânci a — a Itar o te m laboratório s e m Flori - anópoli s e Fortalez a — també m contempl a expedi -

O

modelo ,

criad o

par a

coordena r

equipe s

ente s e m home-office s e cafés . Segund o Issachar ,

encontra r

ficados e m qualque r regiã o d o país . "E m negócio s

c o m

o desem -

penh o

promov e reuniõe s d e me -

conferência s

O

númer o d e hora s trabalhada s é registrad o e m u m

tas

de

a

profissionai s quali -

estratégi a

permit e

orçamento s

enxutos

, iss o abr e o lequ e d e

contratações" ,

gestã o

afirma .

Par a acompanha r

do s colaboradores , a startu p

d e

projeto s

e

us a software s

vi a Skype .

semanais , incluind o

sistem a d e pont o n a

Com o o s próprio s sócio s sã o adepto s d o regim e

flexível, er a d e s e espera r qu e a maiori a do s fun -

cionário s

adaptaçã o ao nov o model o te m sid o lenta . Po r isso ,

a cultur a de expedient e aberto é constantement e

reforçad a e m comunicado s internos . "Ess e tip o d e

mudanç a

de u m process o longo , qu e pass a po r aspecto s cul -

turai s e psicológico s

acontec e do dia par a a noite . Trata-s e

adotass e horário s alternativos . Ma s a

nuvem .

nã o

da s equipes" , diz

Issachar .

ESPECIA L

I

TENDÊNCIA S

TE N

CONSUM O SE M CULP A

Com o aumento da renda, o brasileiro passou a adquirir mais bens — mas nem sempre indiscriminadamente. Bem informados, os consumidores sabem que algumas empresas causam problemas sociais e ambientais. "Eles se veem divididos entre o prazer de comprar e o desejo de fazer o bem", diz Luciana Stein, diretora da consultoria Trendwatching na América do Sul e na América Central. No mundo todo, o total de consumidores conscientes chega a 2,5 bilhões de pessoas, segundo estudo da BBMG, GlobeScan e SustainAbility. Para conquistá-las, é essencial repensar processos e mostrar como está colaborando para um mundo melhor.

41.

CHOCOLATE JUSTO

A engenheira Gislaine Gallette,

44 anos, sempre gostou de

testar diferentes texturas e

recheios de produtos feitos com cacau. Em 2011, fundou

a Gallette Chocolates, com a

proposta de consumir a iguaria sem dor na consciência.

Sua empresa só usa matéria- prima orgânica ou com selo de comércio justo, e as embalagens são feitas com material reciclado. "Gostaria de influenciar o mercado a adotar práticas melhores. Há fazendas de cacau que não pagam devidamente", diz a empreendedora, que fatura R$ 45 mil por mês.

ALIMENTAÇÃO

42. MERCADO DE LUXO

MILIONÁRIOS ENGAJADOS

Para algumas empresas, oferecer produtos com

propósito social e ambiental

é literalmente um luxo. Nos

Estados Unidos, duas marcas têm se destacado nesse nicho. Uma é a Tesla, fabricante de carros elétricos (há modelos de sedas e esportivos) que custam

a

partir de US$ 57 mil . Já a

Liberty United vende bijuterias feitas de balas usadas em conflitos. Boa parte do lucro

é doada a projetos sociais

focados na erradicação de armas de fogo. Quem compra

uma abotoadura

de US$ 11 mil ,

por exemplo, ajuda a destruir

30 rifles na África.

43.

IMPACTO POSITIVO

Neste mês, o Sistema B completa o primeiro ano de atuação no Brasil com 25 empresas aprovadas — o plano é aumentar esse número

para 50 até dezembro. Desde 2009, o selo de certificação

concedido a empresas que geram benefícios sociais e ambientais foi aplicado a 1.110 negócios em 35 países. "São companhias que não procuram lucro a qualquer custo, e sim ter um impacto positivo na comunidade. Elas atendem

a um anseio das gerações

mais novas, que buscam um propósito no trabalho", afirma Julia Maggion, diretora executiva do Sistema B no Brasil.

CERTIFICAÇÃO

44. MUNDO DIGITAL

COMPUTADOR DE SUCATA

A Recicladora Urbana, de

Jacareí (SP), faz parcerias

com ONGs e empresas para

reciclar computadores e cedê-los em comodato a projetos sociais. O negócio,

criado em 2013, processa d e

30 a 4 0 toneladas de sucata

digital por mês. "Agora quero

capacitar os catadores, que desconhecem os riscos de contaminação por mercúrio, cromo e lítio ao destruir

aparelhos eletrônicos", diz Ronaldo Stabile, 58 anos, fundador da empresa, que

faturo u R $ 1,7 milhã o e m 2013 .

\%

PEQUENAS EMPRESAS * GRANDES NEGÓCOI S

OUTUBRO, 2014

45. COSMÉTICOS

POR UMA FÓRMULA

SUSTENTÁVEL

I N o

hobby. Com o gostav a

terapia , a paulistan a Raque l d a

Cruz , 45 anos , crio u um a linh a d e

colónia s par a vende r ao s amigos .

Quand o percebe u qu e o s produ -

t o s teria m bo a aceitação , decidi u

deixa r o empreg o e abri r a Feiti -

ç o s

A o participa r d e feira s par a

promove r se u produto , Raque l

detecto u um a fort e demand a po r

cosmético s relaxantes , com o

óleo s d e massage m e espuma s d e

banho . Par a investi r ness e nicho ,

u m

começo ,

er a

apena s

d e aroma -

Aromáticos .

FOTO: ANA CAROLINA NEGRI/Editora Globo

I FEITIÇOS AROMÁTICOS 0 que faz: produtos de beleza e bem-estar sem ingredientes nocivos à saúde

Fundação:2002

Sede: São Paulo (SP) Funcionários: 18 Faturamento em 2013: R$3,2 milhões

fo

i atrá s d e informaçõe s sobr e

alergia. " O s produto s relaxante s

presa , poss o proporciona r ess a

a

formulação . Log o descobri u

s

e

tornara m

o

carro-chef e

d a

oportunidade" , di z Raquel , qu e

q

u e muito s desse s iten s conti -

empresa , qu e hoj e també m

custei a curso s d e aprimoramen -

nha m matérias-prima s que ,

vend e hidratante s e

xampus .

to e negocio u co m um a faculdad e

apesa r d e legalment e permiti -

"Me u foc o agor a é n a

pesquis a

loca l u m descont o par a seu s

das , era m nociva s à saúd e —

d e princípio s ativo s naturais , d e

funcionários . A empres a adot a

cas o do s parabenos , qu e pode m

orige m vegeta l o u

mineral. "

aind a programa s d e reduçã o d o

causa r alergia s e interferi r n o

Outr a

açã o

d e

impact o

d a

u

s o d e águ a e d e energia . Ess e

funcionament o d o sistem a en -

dócrino . Su a soluçã o fo i cria r

u m a linh a livr e desse s ingre -

dientes , qu e aboliss e també m o s

corante s sintéticos . "Opte i po r

Feitiço s Aromático s fo i oferece r

o primeir o empreg o a joven s qu e

vive m

quera , zon a lest e d e

"Nasc i

Ita -

pert o

aqu i

d a fábrica ,

e m

e se i com o

é

Sã o Paulo .

difíci l

tip o d e atitude , a o contrári o d o

q u e muito s pensam , nã o aumen -

t a o preç o fina l do s produtos .

"Gast o meno s co m processo s e

iss o redu z o cust o d e produção .

n

ã o usa r nenhu m element o qu e

s

e r contratad o quand o s e mor a

A

economi a d e energia , po r exem -

agrediss e a pel e o u causass e

n

a

periferia .

Co m

a minh a

em -

plo, é d a orde m d e 30%. "

OUTUBRO, 2014

PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCOI S 81

ESPECIA L

TENDÊNCIA S

TECNOLOGI

A

D

E IMPACT O

Os

fundos especializados

em negócios de impacto

social pretendem investir US$ 127 milhõe s e dobra r o número de empresas em suas carteiras no país até o final de 2014, segundo a rede mundial Ande (Aspen Network of Development Entrepreneurs). "Empresas digitais nas áreas de educação e saúde estão em evidência",

diz Maure Pessanha,

diretora executiva da Artemísia, que tem a maior aceleradora do setor no Brasil. O espaço está aberto a quem souber usar a tecnologia para

oferecer soluções sociais em grande escala."Há boas oportunidades para melhorar o desempenho dos serviços públicos e sua gestão pelos governos", afirma Julia Dias, coordenadora

do projeto Visão de

Sucesso, da Endeavor.

82 PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCOI S

OUTUBRO, 2014

46.

REFORMA SEM SUSTO

Uma área ainda

pouco explorada do

empreendedorismo

social é a da construção civil. "Vale investir na criação de soluções digitais que auxiliem quem vai construir ou reformar", diz Julia Dias, coordenadora do projeto Visão de Sucesso, da Endeavor. Ela cita como exemplo

o site ABCDObra,

desenvolvido no ano passado pelo paulistano Marcelo

Brigido, 47 anos. Voltada

à população de baixa

renda, a plataforma traz ferramentas para

simular orçamentos, financiar a casa própria

e encontrar os melhores

fornecedores. O produto

é o segundo do portfólio da KMA2, fundada por Brigido em 2007.

HABITAÇÃO

FINANÇAS

CRÉDITO CUSTOMIZADO

Investidores de impacto estão de olho em serviços financeiros para brasileiros de baixa renda. Uma das pioneiras na área é

a startup Avante, de

São Paulo. Em 2012, Bernardo Bonjean, 37 anos, criou um site para ajudar quem busca crédito para comprar carro, imóvel

ou investir nos estudos. Depois de se conectar

e fornecer seus

dados, o interessado recebe sugestões

de financiamento adequadas a seu perfil. Em dois anos, a empresa teve um faturamento de R$ 1 milhão e viabilizou

2 mil negócios, no valor de R$ 50 milhões. Neste

ano, vai abrir a primeira loja física, na favela de Paraisópolis, na zona sul de São Paulo.

47. BEM-ESTAR

49. EDUCAÇÃO

CONSULTA NO CELULAR

DESAFIOS NA SALA DE AULA

Oferecer serviços de saúde para quem não

Levar a tecnologia para a escola não

quer sair de casa é um dos desafios do universo digital. "As empresas

significa deixar os alunos grudados na tela do computador.

estão investindo na

A

startup paulistana

ideia de que é possível controlar seu estado geral usando celular ou

Kidu desenvolveu uma ferramenta digital que sugere desafios para

computador", afirma

a

turma resolver em

Maure Pessanha, da

classe, estimulando

Artemísia. Um exemplo

a

criatividade e a

dessa tendência é a Meplis, fundada no Rio

cooperação. Depois de terminar a tarefa, o

de Janeiro por Oliver

grupo se conecta para

Sergeant, 33 anos, em 2012. Ele criou uma rede social na qual o usuário compartilha dados de saúde com médicos e

registrar os resultados na plataforma, onde os professores podem acompanhar a evolução dos pupilos

organizações — dessa

e

compartilhar boas

maneira, é possível . monitorar problemas e tirar dúvidas. A solução deve ser disponibilizada ao público neste mês.

práticas. A solução, criada em 2013 por José Luiz Aliperti, 39 anos, é " usada por 2 mil alunos de 15 escolas de São Paulo (SP). Em 2014, a empresa recebeu um aporte da Vox Labs, de valor não revelado.

Acontece

u

u

m

incêndi o

n

o

escritório .

E

o

chef e

o

esquento

u

a

cabeça

.

Conte co m a confiança de um a das maiores

Seguradoras do Japão e do mundo,

há mais de 50 anos no Brasil.

Faça um seguro Empresarial Tokio

Marine

e toque a vida co m muito mais tranquilidade.

Dê u m toque para o seu Corretor.

TOKIO MARINE SEGURADORA

NOSSA TRANSPARÊNCIA, SUA CONFIANÇA

@tokiomarine cor | B

/TokioMarineSeguradora | tokiomarine.com.br

0 registro deste plano na SUSEP nã o implica, por parte da Autarquia, incentivo ou recomendaçã o à sua comercialização. As condições e limitações das coberturas-e serviços disponibilizados encontram-se desaritas nas Condições Gerais, que podem ser consultadas através do site www.tokiomarine.com.br CNPJ: 33.164.021/0001-00. Empresarial Médias Empresas SUSEP: 15414.000101/2006 90. Empresarial Premiado SUSEP: 15414.1G091Z/2004-25.

ESPECIA L

TENDÊNCIA S

8 t

PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCOI S

OUTUBRO, 2014

LEONARD O

CARVALHO,

37 ANOS,

FUNDADOR

I TOLIFE

O que faz: gestão de

classificação de risco de pacientes e análise da operação de unidades de saúde Fundação: 2009 Sede: Belo Horizonte (MG)

Funcionários: 48 Faturamento em 2013: R$10 milhões

50. SAÚDE

SEM FILAS NO HOSPITAL

I

Leonard o

Carvalh o at é

penso u e m faze r medicina . Mas ,

com o achav a qu e nã o tinh a o

perfil, o empreendedo r de 37 ano s

acabo u s e decidind o pela compu -

tação . E m 2008, participo u de u m

projeto par a implanta r rede s in -

áre a d e emergênci a

de hospitais . A o entra r e m conta -

to co m o di a a di a de u m pronto -

socorro , vi u qu e a maio r dificul-

dad e er a organiza r a triage m

par a qu e o s caso s urgente s fos -

s e m atendido s primeiro . "Mai s

de 70% da s pessoa s tê m proble -

m a s simples , qu e poderia m se r

resolvido s po r u m médic o e m u m

post o d e saúd e próximo" , diz.

E m busc a d e um a solução , ele

decidi u funda r a ToLif e n o an o

seguinte . A parti r de u m investi -

ment o inicia l d e R$ 1,5 milhão ,

levantad o entr e amigos , desen -

volve u u m aparelh o qu e faz um a

classificaçã o d e risco , determi -

nand o a orde m d e atendiment o

d e acord o co m a gravidad e do

caso . Depoi s d e algun s testes ,

percebe u qu e a simple s aquisiçã o

do dispositiv o nã o melhorav a a

gestã o do s hospitais . "E m 2011,

passamo s a oferece r u m pacot e

completo , qu e inclu i um a anális e

de dado s par a orienta r gestore s

sobr e o s gargalo s d o pronto -

tegrada s n a

socorro , a produtividad e d a equi-

p e e a s opçõe s par a melhora r o

atendimento" , afirm a Carvalho .

Implantad o e m 5 mi l unidade s

d e

red e

públic a — , o nov o sistem a im -

pact a 4 milhõe s d e pessoa s po r

mês . " O mercad o d e tecnologi a

saúd e

70 % dela s n a

e

m saúd e é enorme , ma s o ciclo

d

e vend a par a o seto r públic o é

bastante moroso" , diz o fundado r

da ToLife , qu e faturo u R$ 10 mi -

lhõe s n o an o passado . U m recen -

te aporte d a Vo x Capital , de valo r

n ã o revelado , dev e ajuda r a em -

pres a a dobra r a receita neste ano.

FOTO: LEONARDO CARVALHO - AGENCIA NITRO/Editora Globo

Seja

c o m

a

u m

franquead o

oferece

mmarta n

e venh a construi r um a

história d e sucess o junt o a um a

era cama , mesa, banh o e

marc a

trinta ano s d e tradição e

mmarta n

175 lojas n o

Brasil. Referência

decorarão ,

nacional .

produto s

diversificados, alta credibilidad e e reconheciment o

para

muita s conquista s co m

a

Entr e

para o noss o grup o e se prepar e

mmartan .

175 Lojas no Brasil

Seja um franqueado

mmartan:

Oabf

EXCELÊNCIA

 

flfl

1

.

1

 

mu

-

>**

mmarta

n

a

mod a

qu e

vest e

a

su a

cas a

EST

E

É UM

A

EVENT

ESCOL

O

A

D

E

EMPREENDEDORISM

O

E

ESTE

S

O

ALGUN

S

D

O

S

PROFESSORES

.

Master Patrocínio:

Patrocínio:

Apoio:

Participação Especial:

Participação:

Colaboração

PALESTRA S

CO

E EMPREENDEDORE S

M

O S

MAI S

EMPRESÁRIO S

ADMIRADO S

D

O

PAÍS .

EDSON

BUENO

PRESIDENTE DO CONSELHO DA AMIL

ELÓI D'AVILLA FUNDADOR EPRESIDENTE DA FLYTOUR

ANDRE ESTEVES PRESIDENTE DO BTG PACTUAL

EDUARDO LYRA FUNDADOR DO INSTITUTO FALCÃO

CARLOS W. MARTINS FUNDADOR DO GRUPO MULTI

JOÃO DORIA JR. PRESIDENTE DO LIDE

D

E

7

A

9

D

E

NOVEMBR

O

-

GRAND

E

HOTE

L

SENA

C

O

PEDR

O

 

ÁGUA

S

D

E

O

PEDRO

,

O

PAULO

.

mai s

um a iniciativ a

d o

lide . que m

é líde r

participa .

LMAPBBDO

Iniciativa :

athié | wohnrath

LID

E

Mídia Partners:

mmm

#

Realização :

Fornecedores Oficiais:

ENTREVIST A

Fátim a

Roch a

Formada em Ciências Contábeis e em Direito, fundou em 1994 a rede de franquias carioca Megamatte ao lado do marido, Julio Antonio Dias

" A

DOEN

Ç

NOU

Ç

 

Ã

O

S

O

A

D

E

NADA

"

A

o

enfrenta r

 

u

m

câncer , Fátim a

Rocha , fundador a

d a

Megamatte ,

entrego u

a gestã o

d a empres a

à família .

E

m

u

m

ano , revi u

a su a maneir a

d e liderar— e

delega r

Marian a Iwakur a

Marcel o Corrêa/Editora Globo

No dia 4 de agosto d e 2013, Fátima Rocha, hoje co m 5 2 anos, teve d e abrir mã o d o comand o d a empresa qu e havia criado 19 anos antes. Naquele dia, a fundadora d a rede de

recebeu o diagnóstico d e linfoma, u Com a perspectiva d e encarar várias

reuniu a família — se u marido, Julio t Julyana Monteiro, 29, e Lucyana Feli

: a

r s o

c

n

ivt e

g

a

r n

a

1 1

e

vo.

quirrMo^f,v;u, ela s, 57 anos, as filhas, iro, i passou u m an o longe

d

o u a

a

:renças e reviu as

33 — e pediu ajud a par a toca r o negc

da empresa, saindo d e casa s ó para Nesse retiro forçado, ela reconsidera

prioridades. Curada, conta pela prin

o empenho d a famíli a e reformulou

113 unidades . Fátim a recebe u a rep c

na Barra d a Tijuca, n o Rio d e Janein

Com o voc ê sempr e fo i muit o

atív a n o seto r d e franchising ,

feminina . N a

pressã o de tod a a diretori a d a as -

um a

época , havi a

s

u a ausênci a fo i muit o senti -

sociaçã o par a que e u ficass e

mai s

d

a . Voc ê s e afasto u d o merca -

doi s ano s

[o mandato

é de

dois

d

o h á cerc a d e u m ano , certo ?

anos~\. Ma s

e u

m e

senti a

muit o

Sim , foi

n a époc a e m

qu e

e u sa

í

cansada , e nã o sabi a po r

quê .

Ti -

d

a presidênci a d a AB F Rio

[Asso -

v e

o receio

de , no s

dois

ano s

se -

cictção Brasileira de Franchising

e m

2013. Ach o qu e tiv e um a

do Rio

intuiçã o

d e

de Janeiro],

abri l

guintes , nã o consegui r toca r a as -

sociação , a empresa ,

decid i permanece r s ó com o

con -

E

a família .

selheira .

o s primeiro s

sintomas . E m agosto , tiv e o diag-

nóstic o e comece i

e m

maio , comece i

N o

mê s seguinte ,

a ter

o tratamento .

Com o

mui -

to próxim a d e mi m e m tud o o

qu e

rid o sempr e trabalho u

ma -

n a vida .

comigo .

fo i ess e impact o inicial ?

t Minh a famíli a sempr e foi

e u

faç o

O me u

8 &

PEQUENAS EMPRESAS .• GRANDES NEGÓCOI S

OUTUBRO, 2014

ENTREVIST A

O me u genro , qu e é filh o d o me u

marido , er a advogad o d a empre -

"MINH A PRIMEIR A ATITUD E

s

a . Minh a filh a mai s velha , Julya -

 

n

a , j á havi a trabalhad o n a rede ,

F

O I

REUNI R

A

FAMÍLI A

E

m

a s

sai u par a se r mãe

. E a caçu -

la, Lucyana , tinh a s e afastad o d a áre a de marketin g par a faze r mes -

0

ME U BRAÇ O

DIREIT O

 

trado . Todo s estava m e m sinto -

N

A

MEGAMATTE .

DISS E

A

nia co m o negócio . Quand o e u m e interne i pel a primeir a vez , e m ju - lho, foi tud o muito repentino . Ma s

ELES : 'NÃ O TE M JEITO . S E

de u par a trabalha r à distânci a po r

alguma s semanas . N o di a 4 d e

diagnós -

tico de linfoma . É u m tip o d e cân -

cer raro , grav e e agressivo . Leve i

u

E u

ciativas . Po r sorte , j á tinh a saíd o

ini -

m susto . " E agora?" , e u pensei .

agost o d e 2013, e u tiv e o

estav a à frent e d e muita s

da presidênci a d a ÀBF . Ma s mui -

t a cois a aind a dependi a d e

mim .

Qua l fo i

a

Chega r ao diagnóstic o nã o ha - i a sid o alg o simples : fiz dua s

v

biópsias , fiquei inchad a e m e sen -

ti a

muito severo. Minh a primeir a ati- tud e foi reuni r a famíli a e o Rogé - rio Gama , direto r d e expansã o d a Megamatt e e me u braç o direit o na gestão . Diss e a eles : "Nã o te m

seri a

a su a reaçã o

inicia l

o tratamento ?

-

dopada . O tratament o

jeito. S e e u escapa r dessa , va i de - mora r u m bo m temp o par a e u vol -

ta r ao trabalho" . E u conseguiri a

passar , devaga r e à distância , tu -

o o qu e foss e necessário . Ma s

d

precisari a d a ajud a deles .

Com o dividi u a s funções ?

A Lucyan a foi que m mai s m e

penad o pa -

ra passa r n o mestrad o n o Insti - tuto Coppea d de Administração ,

emocionou . El a tinh a

n a Universidad e Federa l d o Ri o

E U

DEMORA R

PAR A VOLTA R A O TRABALHO" '

M BO

ESCAPA R

U

DESSA ,

M

VA

I

TEMP O

Juli o doo u muit o e tev e d e dele -

ga r a s funçõe s dele n o se u escritó -

rio d e advocaci a par a toma r con -

t a d a Megamatte , assumind o to -

das a s decisões . E o me u marido ,

q u e é a pesso a mai s apegad a a

mim , fico u doente . Tev e pneumo -

nia

e iníci o de depressão . Po r mai s

qu

e ele quisess e ajuda r n a empre -

s a , estav a fragilizad o demai s [o

marido,

presente

à entrevista,

se

emociona}.

fícil , ma s a uniã o

Fo i um a fas e muit o di -

d a

d a famíli a e

altero u o luga r físic o d e cad a de - partamento . Sã o coisa s peque - nas , ma s a s pessoa s rendera m

o s número s s ó cres -

tre m

mai s assim . E ceram , o qu e

est á no s trilhos . A empres a me - lhoro u d e um a form a qu e e u nã o

imaginava . A

in -

substituível , u m semideus . E nã o

é. O mund o

continua .

mostr a qu e o

gent e

s e ach a

N a su a palestr a d o Movimen -

t o Empreenda , e m 2012 , voc ê

empres a foi a minh a

força .

diss e qu e nã o gostav a d e cor -

 

r riscos . D e repente , er a a

e r

D

e qu e form a voc ê

transferi u

s vid a qu e estav a e m risco .

u a

o

comand o n a empresa ?

Iss o d e nã o quere r corre r risc o

• Me u genro e minh a filh a trazia m as informaçõe s d o negóci o par a cas a e m e perguntava m com o e u

fazi a a s coisas . Fo i a í qu e e u per - ceb i algo fantástic o sobr e o pape l

d o gestor : à s vezes , é precis o s e

afastar . Voc ê perceb e qu e nã o fa -

zia certa s coisa s porque , envolvi -

cheg a a se r um a presunção . Ávi -

que ,

ao recebe r u m diagnóstic o desse ,

voc ê pens a n a morte . Ma s e u m e

pensa r

nos

via m ficad o boas . Muito s m e per -

guntava m

d e

exemplo s d e pessoa s qu e ha -

comandav a a te r força , a

da é u m etern o risco . É clar o

s e e u tinh a

med o

de Janeiro , ma s

opto u po r inter -

 

da

co m tud o e se m sai r d e dentr o

morrer. E u falav a qu e não . E u sen -

rompe r o curs o e volta r par a a em -

da

empresa , nã o

a s enxergava . E

ti muit a dor, muit a fraqueza , so -

presa . Ela assumi u a áre a d e mar -

eles , vend o tud o

so b outr a ótica ,

fri muito . Ma s med o mesm o e u s ó

keting , e m qu e é formada , e a fi-

tomara m

decisõe s

e

tivera m

sent i ante s d o transplant e — a s

nanceira , qu e e u tocava . J á o me u

ideia s qu e nã o ocorria m ne m a

minha s células-tronc o fora m re -

genr o tinh a muit o conheciment o

m

i m ne m à equipe .

colhidas , tratada s e transfundi -

d

o negócio , poi s fazi a reuniõe s

 

d

a s d e volta . Chama-s e trans -

semanai s sobr e a relaçã o jurídi -

O

qu e ele s fizera m

d e

diferen -

plante autólog o d a medul a óssea ,

c

a

co m o s nosso s

franqueados ,

t

e

d o qu e voc ê

fazi a

antes ?

e

é precis o toma r dose s altíssima s

po r iss o assumi u a diretori a exe -

• Me u

genr o mudo u

algun s

fun -

de quimioterapi a ante s do proce -

cutiva , qu e er a o me u cargo . O

cionário s

d e área ,

e

minh a filh a

dimento . E u fiquei muit o fraca ,

9 0

PEQUENAS EMPRESAS

GRANDES NEGÓCOI S

OUTUBRO, 2014

n

ã o consegui a levantar. Ache i que

n

ã o

iri a aguentar . Ma s e u pensa -

v

a n a minh a netinh a e n a Julya -

n

a , qu e estav a grávid a d a segun -

d

a filha. E no s três , com o un s lou -

c

o s n a empresa , num a guerra ,

tentand o executa r tud o o qu e e u

deveri a esta r fazendo . E u nã o po -

ess e povo . S e e u palestr a hoje , e u

d i a decepciona r

foss e faze r outr a

mudari a tudo . Risco ? Qu e é isso?

A gent e pass a o temp o tod o n a

cord a bamba , s e

equilibrando .

N a revist a Inc. , d e junho , o

Howar d Schultz , d a Star - bucks , di z qu e a empres a va i dura r muit o depoi s dele , poi s

f

o i construíd a par a isso . E vo -

c

ê , j á penso u e m sucessão ?

Iss o m e arrepiou . E u li o livro do

Schultz , Dedique-se de

Howar d

Coração.

Fo i o qu e e u fiz n a em -

presa , desd e o primeir o dia . Quant o à sucessão , é clar o qu e j á havi a pensad o nisso . Ma s nã o qu e

aconteceri a tã o rápido . S e u m be -

lo di a e u tivess e falad o par a a

n h a filha larga r o mestrad o o u pa -

r a o Juli o coloca r outr a pesso a n o

escritóri o d e advocaci a e mergu - lha r n a Megamatte , o s dois ia m

pensa r qu e e u tinh a

m e abraça r e fa-

Ele s

largara m tud o se m pensar . A se - mentinh a qu e e u havi a plantado ,

d e doa r d e coração , estav a n a es -

sênci a deles . O qu e o Schult z diz

é qu e o líde r te m d e deixa r muit o clar o o qu e que r par a o negócio . Foi iss o qu e e u tente i fazer.

enlouqueci -

do

zer

mi -

. Ningué m iri a iss o d e form a

tã o rápida .

EM FAMÍLIA Fátima ao lado do marido, Julio Antonio Dias, das filhas, Julyana (à esquerda) e Lucyana, e do genro, Julio Monteiro

nua r se m mim , po r enquanto ,

que , n o an o seguinte , e u estari a

e

l á co m eles. E o mai s bonito foi que

questionament o sobr e com o se - r i a a substituiçã o d o comando .

Juli o Monteir o A transiçã o

foi

 

eles m e ajudara m muito , at é

 

co m

muit o saudável . N a minh a visão ,

Com o você s fizera m a comu -

doaçã o

d e plaquetas , qu e

é

u m

iss o acontece u

porqu e nã o trou -

nicaçã o d o se u afastament o

procediment o invasiv o e dolorido

xemo s ningué

m d e fora . E u e a

par a o s franqueados ?

[a transfusão de plaquetas mini-

Lucyan a j á tínhamo s u m relacio -

«

Ele s realment e m e considera -

miza o risco de hemorragia, fre-

nament o próxim o co m eles. Mas ,

v

a m um a mã e — o me

u estilo d e

quente em pacientes em trata-

par a mim , o mai s complicad o foi

gestã o é assim . Então , procura -

mento com quimioterapia ou sub-

substitui r a Fátima , qu e é um a

m o s se r transparentes . Nó s man -

damo s u m e-mai l comunicand o

o me u afastament o e, n a conven -

ç ã o anua l do s franqueados , e m

novembr o d e 2013, e u grave i u m vídeo . Fo i descontraído , co m um a mensage m de fechament o de ano . Diss e qu e er a par a o Julio conti-

metidos a transplantes]. Agora , os franqueado s brinca m qu e es -

t ã o

n o me u

sangue .

Ante s disso , ele s entrara m e m contat o co m você ?

• Ele s enviara m muita s manifes - taçõe s d e apoio . Ma s nenhu m

n a rede . El a nã o tev e

medo , ma s e u tive . É um a res -

ponsabilidad e muit o grande . A

d e 200 in -

vestidores . Quand o voc ê te m um a mudanç a com o essa , qu e é radi -

cal , o investido r pod e duvidar . M a s iss o nã o aconteceu .

referênci a

Megamatt e te m mai s

OUTUBRO, 2014

PEQUENAS EMPRESAS

GRANDES NEGÓCIOS91

i ENTREVIST A

FÁTIM A

ROCH A

"TUD O

FIZ,

E U

DOENÇ A

O

QU

E E

U

SEMPR E

INCLUIND O

PERD I

PO

R U

SE R

LÍDER ,

A

QU E

M ANO .

M E ENSINO U

N

Ã

O

SO U DON A

D

E

NADA ,

N

Ã

O

PRECIS O

TE R

PRESS A

Juli o Monteir o Quand o nó s oficializamo s o afastament o d a Fátima , mandamo s u m comuni - cad o par a a empres a tod a e reu -

nimo s 50 colaboradore s d o escri - tóri o par a faze r o anúncio . Ness e dia, a comoçã o foi muit o forte . Houv e algun s funcionários , so - bretud o do s mai s antigos , qu e

n ã o aguentara m ne m fica r n a reu - nião , saíra m d a sala .

PAR A

NADA .

E

QU

E O

RISC O

Muit o d a forç a d a marc a — o

 

u

s o d e produto s orgânico s e

É

INERENT E

À

VIDA "

a

s iniciativa s d e sustentabi -

e você . Iss o fo i mantido ?

 

d

lidade , po r exempl o — ve m

O

Julio d á continuidad e a isso , e

 

talve z at é melho r d o qu e eu . To -

 

d

o sábado , ele acord a à s 6I130 pa -

r

a ir à feir a d e orgânicos . Depoi s

A

busc a d e novo s franquea -

Voc ê chego u a faze r reuniõe s

qu e e u saí , a empres a contrato u

período ?

A busc a aumentou . Nó s vende -

mos mai s franquias . E o s antigo s franqueado s abrira m mai s uni -

dade s n a minh a ausência . Iss o é

u

balh o qu e eles estã o

m a prov a d a qualidad e d o tra -

d o s

s e altero u ness e

fazendo .

Durant e o afastamento , com o

segui a o s resultados ?

c o m

• Algumas , vi a Facetime . O únic o

moment o e m qu e realment e pre - cise i aparece r foi n o víde o d a con - venção . O tratament o debilit a

muito . O cabelo e a s sobrancelha s caem . Voc ê fic a co m um a co r de pele horrível , mei o marrom . Ain - da qu e e u estivess e psicologica - ment e bem , o aspect o assustav a

o s

funcionários ?

E

u tinh a acess o ao s número s pe -

as pessoas . Nã o vali a a pen a ele s

lo

meno s um a vez po r mês . O tra -

m

e vere m daquele jeito. Quand o

u m chef par a desenvolve r produ -

tos. El e prepar a a s receita s e tes -

ta co m a equip e n a fábrica , e m Pa - to s d e Mina s (MG) .

criand o

u m a linh a gourmet, co m sanduí -

che s que substitue m um a refeição .

Outr a funçã o d o chefe reformu - la r o s produto s qu e era m compra - dos fora e qu e vamo s produzi r in - ternamente . Noss a fábrica , qu e

t e m 2 mi l metro s quadrados , foi

Juli o Monteir o Estamo s

tament o aconteci a e m um a quin -

zen a e, nesse s dias , e u ficav a mui - to debilitada . Nã o consegui a raciocinar. N a segund a quinzena , dav a um a melhorada . A Lucyan a aproveitav a esse s dia s par a tra - zer o s resultado s at é mim . E e u via que os número s estava m cres - cendo , a s meta s era m atingida s e superadas . N o Guia de Franquias

e u grave i o vídeo , n o fina l d a pri -

meir a fas e d o tratamento , e u es - tav a co m a aparênci a d e hoje .

T e m gent e n a Megamatt e qu e

trabalh a co m voc ê h á mai s

reagira m

d e

2 0 anos . Com o ele s

inaugurad a e m setembr o d e 2013. Fazemo s l á 80% do qu e vendemos .

in -

própria ?

• E u j á estav a tocand o ess e proje - to ante s de fica r doente . A gente

P o r

vesti r num a fábric a

qu e

você s

decidira m

a

o se u

afastamento ?

tinh a bon s fornecedores , ma s e u

*

Nest a

semana , tiv e o

feedbac k

queri a te r mai s controle d a qua -

d

e u m do s nosso s colaboradore s

lidad e do s produto s e padroniza -

d

a Pequena s Empresa s &

mai s antigos . Estiv e n a empres a

ç

ã o

n a rede . Alé m

disso ,

conta r

Grande s Negócio s dest e ano , a

par a resolve r um a questã o

finan -

c

o m um a fábric a d á a o

franquea -

gente fico u praticament e n a mes -

m a posição do ano passado . Er a

demai s exigi r dele s qu e ficásse -

ceir a e o chame i par a pedi r algu -

m a s

o

motorist a d a empres a m e conto u

informações .

Mai s

tarde ,

do a seguranç a de qu e o abasteci -

ment o nunc a ser á interrompido .

m

o

s e m primeiro , at é u m tercei -

qu e ess e colaborado r fico u muit o

Qua l o tamanh o

d a red e hoje ?

r

o

luga r m e

deixari a

tranquila .

feliz de te r conversad o comig o so -

Juli o

Monteir o

Estamo s co m

E

u

estav a n o hospital , internada ,

br e negócio s depois de tod o ess e

113

loja s e devemo s fecha r est e

quand o ele s ligara m par a conta r

tempo . Esse s funcionário s ajuda -

an o co m 127. A met a par a 2014 er a

qu

e havíamo s ficad o e m segun -

r

a m muito . O comportament o

de -

abri r 25 unidade s normai s e cin -

do

, co m centésimo s de diferenç a

les foi d e solidariedade , d e cari -

co microfranquias , e estamo s ca -

par a o primeir o lugar. Fique i mui -

nho , ma s ele s sabia m qu e

teria m

minhand o par a bate r ess e núme -

to orgulhosa .

92

PEQUENAS EMPRESAS

d e trabalha r po r dois .

GRANDES NEGÓCOI S

OUTUBRO, 2014

ro. Apesa r de a economi a esta r e m

D

O

S

O SE<3rRET> 0

SUCESS O

O

D

O

NOSS O

SUCCSS O

NOSSO S

COLABORADORES

,

A Locaweb participou do Great Place to Work 2014 e se

destacou em duas categorias: Melhor Empresa Telecom

e Tl e Melhor Empresa d o Brasil. E isso não é sorte de

principiante. Afinal, a Locaweb investe no bem-estar do seu staff e no ambiente de trabalho desde o seu primeiro dia. E quando investimos em nossos colaboradores, eles retribuem, tornando nossa empresa o sucesso que ela é.

MAUR1C10S

LOCAWeB

o

sucess o

£

0

MC U

T>0

OUTR O l SUCCSS O

i ENTREVIST A

FÁTIM A

ROCH A

retração , a Megamatt e consegu e

crescer . O s franqueado s estã o

confiante s n a expansã o d a mar -

c a . O faturament o d o pont o d e

vend a d e fato diminuiu , ma s a

gente consegui u abri r unidades .

Fátima 0 an o passad o fo i ruim .

Quand o ele s fizera m o planeja -

ment o par a 2014, e u ache i at é qu e

fora m ousados . E m 2013, o mer -

cad o tod o s e retraiu . Fo i també m

u m moment o de arruma r a casa .

Tivemo s de fecha r nov e unida -

des. E m um a delas , po r exemplo ,

o franquead o comprav a produ -

tos de m á qualidade . El e nã o pa -

gav a o alugue l e o condomíni o a o

shopping . E aind a pegav a produ -

to emprestad o d e outr o franque -

ad o — e ficava devendo . Estav a

causand o u m ma l enorm e

adianto u faze r uma , duas ,

N ã o

três , quatro , cinc o reuniõe s e di -

zer qu e iríamo s toma r a s medi -

das cabíveis . O Juli o tev e d e co -

loca r u m oficia l d e Justiç a par a

tirá-l o de dentr o d a unidade , pa -

do s

outro s franqueado s e d a marca .

à rede .

r a

preserva r o s interesse s

Depoi s d o se u afastamento ,

e m

relaçã o à concorrência , par a

n ã o

Não , minh a ausênci a nã o foi u m

problema . Nã o teve abalo , porqu e

o mercad o nã o demonstro u iss o

par a a gente. A procur a po r fran -

qu e o Ju -

quia s aumentou . Tant o

lio começo u a expansã o d a red e

houv e

algum a

espaç o

mudanç a

par a

abri r

eles ?

par a lugare s novos , com o a s re -

giõe s Nordest e e Centro-Oeste .

Juli o Monteir o Nó s investimo s

na operaçã o logístic a par a conse -

gui r leva r o s insumo s par a o s

mercado s a preço s competitivos .

Ess e é u m grand e atrativ o par a a

expansã o

d a Megamatte .

E

t a r

M e u sonh o é leva r a Megamatt e

par a outro s países . Quer o qu e a

red e seja conhecid a mundialmen -

te pel a preocupaçã o co m a saúde ,

o corp o e o sabor. O qu e salvo u a

minh a vid a

foi a alimentaçã o or-

, hoje , o qu e falt a conquis -

par a a

marca ?

UMA NOVA FASE

Fátima caminha no pátio do condomínio onde mora, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Agora, ela quer mais é viajar

gânic a e a atividad e física . O tra -

tament o é muit o pesado , te m de

te r saúd e par a

aguentar .

Quer o

leva r iss o par a o mund o

inteiro ,

po r mei o d a empresa .

sentind o

depoi s dess e turbilhão ?

• Tiv e alt a n a seman a passad a

Com o

voc ê

est á

s e

[penúltima

semana

de agosto], o

qu e m e de u a vid a d e volta . Esto u

liberad a par a faze r quas e

algun s cuida -

dos, porqu e te m dia s e m qu e es -

S ó

tudo .

precis o toma r

to u ótima , e te m dia s e m qu e fico

enjoada . Ma s

a t é viage m internacional . Agora ,

planejand o

esto u

pretend o faze r pelo meno s um a

do nã o

r a

s e mexe . Vo u colabora r pa -

qu e ele ganh e mai s ainda .

Passad o ess e susto , com o fi -

c o u

E u passe i u m an o olhand o po r

ess a janela , quas e se m sai r dest e

apartamento . Antes , trabalhav a

14 hora s po r dia , dirigia 400 qui -

lómetro s

nim o um a viage m d e aviã o po r

quatro .

o r caus a d o tratamento , fiquei

u m an o se m dirigir. Er a com o s e

mês , quand o nã o

P

po r semana , fazia n o mí -

a su a rotina ?

trê s o u

a minh a vid a nã o foss e minha .

Se e u ia ao médico , algué m tinh a

de m e levar. Tud o o qu e e u sem -

pr e fiz, incluind o se r líder , e u per -

reuniã o mensa l co m a diretoria ,

d

i po r u m ano . A doenç a m e ensi -

m

a s

com o conselheira . Nã o vo u

n

o u

qu e nã

o so u don a d e nada ,

volta r par a a diretori a executiva ,

n

ã o precis o te r press a par a nada .

porqu e e m tim e qu e est á ganhan -

E

qu e o risc o é inerent e ávida .

9 4

PEQUENAS EMPRESAS

GRANDES NEGÓCOI S

OUTUBRO, 2014

SEJ A

FRANQUEAD

O

D

A

PISCIN A

MAI S

VENDID A

D O

MUND O

iGU

i

E

TENH A

par a

se u

O

MELHO R

RETORN O

INVESTIMENTO

.

Com seu trabalho e desempenho, a iGUi mostrou consistência e importância para a economia brasileira recebendo o prémio de "FRANQUIA D O ANO " através de pesquisa da Serasa Experian, em estudo que avaliou todas as franquias do país.

VENCEDO R

D

E

VENCEDO

R

PEL

O

 

+

CONSECUTIV O

COM

FRANQUI A

D

O

AN O

201 4

FRANQUI

A

E

M

SE

U

MAI S

D E

60 0

FRANQUIA S

E M

1 5

PAÍSES .

Oa b f EXCELÊNCIA

 

O a b f EXCELÊNCIA

2014 *

2 013

201 2

AS MELHORES 5 IAS MELHORESIAS MELHORES

1 FRANQUIAS•

FRANQUIAS• FRANQUIAS

EM FRANCHISING

EMFRANCHISING

MEMBE R

|D0 brasil I d o brasil | d o brasil

Empresas Empresas Empresas Negócios Negócios Negócios

Empresas

Negócios

O

4

°

AN

O

MELHO

SEGMENT

Contato :

|

Fone : 080 0

77 7

448 4

R

O

GfiMOLIVROS

A TOMA WÂO

f

o

*

FAÇA

UTviiVr

o v

u

mm

MAlOK

m

(AIO W (Ú>

GtfOBOLIVRO S

(OMffcflTlVAS HA1S

FORTE-S vmEAHIWAM

IA(WA WO HEMAM, MAS HÁ CM

LA(WA?

NOVO LIVRO DA SÉRIE QUE JÁ

A I S

D E 500.00 0

EXEMPLARE S

VENDEU

NO

BRASIL.

PENS

E

FOR

A

 

D

A

CAIX

A

Como criar uma marca de sucesso? O que torna alguém um grande empreendedor? Por que algumas empresas fracassam enquanto outras prosperam? Seja você um empreendedor em busca de novos projetos, um empresário começando um negócio ou até mesmo um consumidor curioso para entender melhor o mercado, neste livro você encontrará informação e grandes ideias.

NAS LIVRARIAS

HJI L

VIV L Ul\UBOO M D E PROGRAMA S D E G R

i/OLTADO S

A

JRAM E

COM O

EMPREENDE »

PODE M

ÃJU D

í )

EMPREENDEDORISM O

STARTUP S

Há poucos meses, o mercado imobiliário de São Pau- lo gante gião estava da do avenida setor em polvorosa. de Paulista. tecnologia Não Por é quer todo estas se dia bandas, instalar que uma muito na re- gi- menos último dio. Isso usual andar. mesmo: ainda O comprador uma é essa torre empresa inteira, — cujo comprar do nome primeiro hoje um pré- faz ao brilhar chila Google, até os uma um olhos corretor das desde maiores de um imóveis companhias jovem geek engravatado com do mundo. sua — mo- é o

Faça u m diagnóstico de inovação da sua empresa por meio do linkhttp://bit.

ly/ldL26cg

N a s sua s instalaçõe s (no Google , fala r

e m "baias " peg a mal) , haver á u m pouc o

marc a

da empresa : ambiente s colaborativos , ca -

formand o

par a

adultos . O tem a onipresente , claro , é ino -

vação , poi s ningué m est á

A diferenç a e m relaçã o à maiori a do s es -

critório s

ness e local , nã o haver á executivo s e en -

um a

cas a par a o s empreendedores . "Criamo s

u m espaç o par a acolhe r a s startup s e pro -

move r a troc a d e experiência s entr e a s pessoa s dess e universo" , di z Bridgett e

genheiro s d a empresa . Aquel a ser á

f é s

u m a

d e tud o aquil o qu e s e torno u um a

descolado s e auditórios ,

espéci e

d o

d e

parqu e

Googl e

pel o

temátic o

é

ali par a brincar .

mund o

que ,

1 0 0

PEQUENAS EMPRESAS - • GRANDES NEGÓCOI S

OUTUBRO, 2014

Beam , executiv a d o Googl e responsáve l

pel a implantaçã o d o

O Google Campu s dev e se r lançad o n o

projet o

n o

Brasil .

iníci o d e 2015 com o o pont o alto d e u m boom d e iniciativa s voltada s a empreen -

dedores . Movida s pel a necessidad e de es -

t a r

Bra -

çõe s

sil n o cenári o mundia l e pel a ascensã o d o

tem a

com -

panhia s d e diversa s latitude s criara m

programa s voltado s a startups . Ela s bus -

c a m

o melho r veí -

cul o par a sua s ambiçõe s — tanto a s finan -

ceira s quant o

a s d e curiosidad e intelec -

vee m n o empreendedorism o

a s geraçõe s jovens , qu e

próxima s

d e ond e

nasce m a s inova -

digitais , pelo protagonism o

d o

empreendedorism o

n o

país ,

sobretud o

tua l e estil o d e vida . Po r muit o tempo , es -

s e s

nã o tã o

atraente s e, diversa s vezes , ne m seque r

chegava m a o

das empresas . Iss o mudo u completamen - te. Hoje , megacompanhia s d e tecnologi a

(Google , Microsoft , Telefónica , IBM , In - tel, Facebook , Qualcomm , Samsun g e Ge - nera l Electric) , banco s (Bradesco) , em - presa s d e alimento s (Mondelez ) e de pro - duto s d e saúd e e belez a (Natura) , e at é consultoria s (Bosto n Consultin g Group ) quere m esta r a o lad o do s empreendedo - res com o apoiadores , conselheiro s e at é mesm o sócios . "Atingimo s u m nov o pa - tamar , e m qu e h á densidad e e qualidad e

n o s programa s voltado s ao s negócio s di -

conheciment o do s dono s

do s

outros , oferecia m benefício s

projeto s

existira m isolado s un s

gitais" , afirm a Felip e Mattos , dirigente d o program a Startu p Brasil , iniciativ a d o go - vern o federa l par a o setor .

A s empresa s nã o estã o economizand o

n o s benefício s par a fisgar o s empreen -

dedores . N o pacot e d e atrativo s h á des -

d e capital , espaç o físic o e consultoria ,

passand o po r produto s e serviço s d e tec - nologia , networking e mentoria , at é aces - so e m primeir a mã o à s demanda s dessa s

companhia s e auxíli o par a a internacio - nalização . Par a completar , h á algo difíci l

d e

quantificar ,

ma s

fundamenta l

par a

I

GOOGLE CAMPUS

À esq.,

Google Campus de Londres. O projeto britânico serviu de modelo para a iniciativa da empresa no Brasil, que deve ser inaugurada no início de 2015 na região da avenida Paulista

o espaço de coworking do

GOOGLE

Programa: Google

Campus.

O que é: espaço para

empreendedores de

negócios digitais.

Empresas-alvo:

startups em busca de apoio para desenvolver uma ideia inovadora.

O que oferece:

espaço para

coworking e eventos,

auditórios para apresentações, salas

de treinamento, escritórios, cafeteria e workshops, além de estrutura de apoio para as mulheres

empreendedoras

que têm filhos pequenos. Como participar: as orientações serão apresentadas no site do Google Campus

São Paulo, que ainda não está no ar.

OUTUBRO, 2014

PAULICEI A

DIGITAL

A inauguração do Google

Campus de São Paulo está

prevista para o início d o próximo ano e promete ser

o maior evento do setor

de startups durante muito

tempo. A razão disso é que

a empresa irá dispor de

um prédio inteiro para os

empreendedores em busca

de apoio para desenvolver

a sua ideia inovadora.

Em entrevista exclusiva a

Pequenas Empresas &

Grandes Negócios, Bridgette Beam, executiva responsável pelo projeto, revelou que o Google estudou uma série de espaços na região da avenida

Paulista ao longo de um ano.

A decisão veio em agosto,

quando a companhia fechou

a compra de um edifício de

oito andares nos arredores da avenida Paulista. "Queríamos algo numa região aberta à participação de todo mundo que hoje está envolvido com empreendedorismo digital", afirma Bridgette. O modelo para o projeto é o Google Campus de Londres, onde

a reportagem de PEGN

esteve em maio deste ano (além deles, o projeto está em Seul e Tel Aviv). Lá, os empreendedores têm à sua disposição um prédio de sete andares com uma série de benefícios (veja a lista

completa

ao lado). "O objetivo

fomentar todo o ecossistema

é

das startups", diz Bridgette.

PEQUENAS EMPRESAS

GRANDES NEGÓCIOS 101

í )

EMPREENDEDORISM O

STARTUP S

P

P O R

TRÁ S

D O CRESCENT E

INTERESS E

D O BRASI L

PELASSTARTUP S

E D O MUNDO , ESTÃ O

O

APETIT E

DA S GIGANTE S

PEL A

INOVAÇÃO , A CONQUIST A

D E

NOVO S

PARCEIRO S E O

CONTROL E

D E POTENCIAI S

CONCORRENTE S

cria r u m caminh o sólid o par a o cresci -

ment o de que m est á começando : a chan -

empresa . "Quand o

fomo s selecionados , no s perguntara m o

qu e esperávamos . E u diss e qu e queria ,

ante s de tudo , a logomarc a d a Telefónic a

cel a de um a grand e

lobby, controla r potenciai s concorrente s

quebra , aumenta r su a bas e de

con -

e, de

daStart -

re -

curso s d a IB M

e m

ini -

upFarm ,

sumidores . Par a Ala n Leite , CE O

acelerador a qu e

cont a co m

e d a Microsoft , "essa s

ciativa s permite m acessa r inovaçõe s

no me u cartão" ,

afirm a Sami r Iásbeck , d a

primeir a mã o e no s aproxima m d a

gera -

Qranio , startu p acelerad a pel a teleco m

ç

ã o Y" . Segund o o executiv o d a IB M

res -

atravé s do program a Wayra .

D a part e da s gigantes , esta r próxim o

de ond e a inovaçã o acontec e é estratégi -

co so b diverso s ponto s d e vista . A o auxi -

lia r negócio s nascentes , a s grande s em -

presa s conquista m a simpati a do s gover -

n o s locais , de desenvolvedore s e, prin -

ponsáve l

Améric a Latina , Cláudi o Bessa , ess a apro -

n a