Sie sind auf Seite 1von 74

CONTROLE

Administração Geral
Processo Administrativo

Planejamento

Controle Organização

Direção
Conceito - Djalma de Oliveira

“Controle é uma função do processo administrativo


que, mediante a comparação com padrões
previamente estabelecidos, procura medir e avaliar o
desempenho e o resultado das ações, com a finalidade
de realimentar os tomadores de decisões, de forma
que possam corrigir ou reforçar esse desempenho ou
interferir em funções do processo administrativo, para
assegurar que os resultados satisfaçam aos desafios e
aos objetivos estabelecidos”
Conceito - Djalma de Oliveira

“Controle é uma função do processo administrativo


que, mediante a comparação com padrões
previamente estabelecidos, procura medir e avaliar o
desempenho e o resultado das ações, com a finalidade
de realimentar os tomadores de decisões, de forma
que possam corrigir ou reforçar esse desempenho ou
interferir em funções do processo administrativo, para
assegurar que os resultados satisfaçam aos desafios e
aos objetivos estabelecidos”
Conceito – Robbins e Coulter

“O processo de monitorar as
atividades de forma a assegurar
que elas estejam sendo realizadas
conforme o planejado e corrigir
quaisquer desvios significativos”
Conceito – Robbins e Coulter

“O processo de monitorar as
atividades de forma a assegurar
que elas estejam sendo realizadas
conforme o planejado e corrigir
quaisquer desvios significativos”
Conceito – Maximiano

“Consiste em fazer comparação e


tomar a decisão de confirmar ou
modificar os objetivos e os
recursos empregados em sua
realização.”
Conceito – Maximiano

“Consiste em fazer comparação e


tomar a decisão de confirmar ou
modificar os objetivos e os
recursos empregados em sua
realização.”
Conceito - Djalma de Oliveira

Assegurar o
Sucesso

Do Processo
Administrativo
GARANTIR O SUCESSO

Planejamento

Controle Organização

Direção
Conceito

IDEAL REAL

OBJETIVO DEFINIDO OBJETIVO ALCANÇADO

OBJETIVO IDEALIZADO OBJETIVO RELIZADO


Objetivos

• Identificar problemas, falhas, erros e desvios.

• Fazer com que os resultados obtidos estejam próximos dos resultados esperados.

• Fazer com que a empresa trabalhe de forma mais adequada.

• Proporcionar informações gerenciais periódicas.

• Redefinir e retroalimentar os objetivos (Feedback)


Controlar é...

Monitorar
Ações

Verificar • Positivos
Desvios • Negativos

Promover • Correção
Mudanças • Aprimoramento
Etapas do Processo de Controle

Estabelecimento
dos padrões

Medidas Monitoramento
corretivas do desempenho

Comparação
com o padrão
Etapas – Definir padrões

• Definição dos objetivos da atividade.

• Desempenho esperado.
Etapas – Monitorar o desempenho

• Acompanhamento dos resultados decorrentes das atividades.

• Coleta de informações.

• Determinar o que medir, como medir e quando medir.


Etapas – Comparar com o padrão

• Análise dos resultados reais em comparação com o objetivo previamente


estabelecido.
Etapas – Medidas Corretivas

• Tomar as decisões que levem a organização a atingir os resultados desejados.

• Três caminhos
• Não mudar nada
• Corrigir o desempenho
• Alterar padrões de desempenho
Controlar - Comparar

PROVA A

PROVA B
Controlar - Comparar

PROVA A

GABARITO

PROVA B
Controlar - Comparar

PROVA A

COMPARAÇÃO GABARITO

PROVA B
Controlar - Comparar

PROVA A
8

COMPARAÇÃO GABARITO

PROVA B
7
Controlar - Comparar

PROVA A
8

Para comparar GABARITO


eu preciso de um
INDICADOR

PROVA B
7
Controlar - Comparar

PROVA A
8

Para comparar GABARITO


eu preciso de um
PADRÃO

PROVA B
7
Controlar - Comparar

PROVA DE
PORTUGUÊS

GABARITO DA
Para comparar PROVA DE FÍSICA
eu preciso de um
PADRÃO

PROVA DE
MATEMÁTICA
Controlar - Comparar

PROVA DE
MATEMÁTICA A

GABARITO DA
Para comparar PROVA DE
eu preciso de um MATEMÁTICA
PADRÃO

PROVA DE
MATEMÁTICA B
Momento do Controle

Preventivo Posterior
Simultâneo
ex-ante ex-post
Momento do Controle - Preventivo

É UMA FORMA DE
CONTROLE PROATIVO

Prevenir

Evitar Identificar

Problemas
Momento do Controle - Simultâneo

PLANEJAMENTO EXECUÇÃO RESULTADO

É UMA FORMA DE
CONTROLE REATIVO
CONTROLE
SIMULTÂNEO
Momento do Controle - Posterior

PLANEJAMENTO EXECUÇÃO RESULTADO

É UMA FORMA DE
CONTROLE REATIVO – CONTROLE
MAIOR PREOCUPAÇÃO POSTERIOR
EM CORRIGIR
Controle

Censitário Amostragem
• Unidade por Unidade • Usa métodos probabilísticos

• Mais caro e demorado • Mais rápido

• Mais fiel e confiável • Mais barato

• Usa a população inteira • Usa uma amostra


Controle - Métodos

Quantitativos Qualitativos
• Mede resultados e objetivos. • Mudanças em aspectos subjetivos.

• Ex. Número de desempregados • Ex. Quais os principais motivos do


desemprego

EQUILÍBRIO
Princípios do Controle

Independência
Segregação Custo-
Técnico-
das Funções Bene�cio
Funcional

Qualificação Princípio da
Adequada Aderência
Princípio da Segregação das Funções

• As unidades organizacionais responsáveis pelas outras funções, tais como a


execução, não devem ser as mesmas que têm como atribuição o controle.

OUTRA
CONTROLA

UMA FAZ
Princípio da Independência Técnico-Funcional

• Os servidores responsáveis pela ação do controle devem ter independência para


ter acesso a documentos, dados e informações relativas ao processo auditado.

PRESSÕES

QUEM
CONTROLA
Princípio da Independência Técnico-Funcional

• Os servidores responsáveis pela ação do controle devem ter independência para


ter acesso a documentos, dados e informações relativas ao processo auditado.

PRESSÕES
PRESSÕES

QUEM
QUEM
CONTROLA
CONTROLA
Princípio do Custo Benefício

• Enuncia que o custo do controle jamais poderá ser maior que o bene�cio por ele
gerado.

<
• Não se pode gastar mais controlando se isso não surtir resultados.

$$$$$$$$$ $$$$$$$$$$$$$$$$$
CONTROLE BENEFÍCIO
Princípio da Qualificação Adequada

• Os agentes do controle devem ter as competências necessárias pertinentes ao


objeto auditado.

Entender tecnicamente do
objeto auditado
Princípio da Aderência

• As diretrizes e normas em uma auditoria. Só pode ser exigido a conformidade com
a letra das leis e normas, ou seja, só se pode analisar a coerência com o
referencial normativo.
Indicadores de Desempenho

Resultado Esforço
• Eficácia • Excelência
• Eficiência • Economicidade
• Efetividade
• Execução
Indicadores de Desempenho

Esforços

Desempenho

Resultados
Indicadores de Desempenho

Resultado
• Eficácia
• Eficiência
• Efetividade
Eficácia – E1

• Ênfase nos FINS

• SUCESSO

• IDEALIZADO = REALIZADO

IDEALIZEI X REALIZEI X
Eficiência – E2

• Ênfase nos MEIOS

• RENDIMENTO/ DESEMPENHO

• Forma/ Maneira/ Método/ Modo

IDEALIZEI X FORMA REALIZEI X


Eficácia – E1/ Eficiência – E2

Eficácia – E1 -> RESULTADO Eficiência – E2 -> MEIO

APROVADO ESTUDEI MUITO

NÃO APROVADO ESTUDEI MUITO

APROVADO NÃO ESTUDEI

NÃO APROVADO NÃO ESTUDEI


Efetividade – E3

• Ênfase nos EFEITOS

• IMPACTO/ MUDANÇA

• EFETIVO + -> E1 = E2 -> Resultado esperado e consistente gera confiança e


credibilidade
• EFETIVO - -> Resultado INESPERADO, negativo

ISSO MUDOU O
COMPORTAMENTO DAS
IDEALIZEI X REALIZEI X
PESSOAS.
GEROU IMPACTO
Indicadores de Desempenho

Esforço
• Excelência
• Economicidade
• Execução
Excelência – E4

“Padrão de desempenho além do esperado.”


Excelência – Qualidade

ATRIBUTOS DO SERVIÇO
ESPERADO
E/OU PRODUTO
Excelência – Qualidade

ATRIBUTOS DO SERVIÇO
ESPERADO IGUAL
E/OU PRODUTO

QUALIDADE
Excelência – Qualidade

ATRIBUTOS DO SERVIÇO
ESPERADO MAIOR
E/OU PRODUTO

FRUSTRAÇÃO
Excelência – Qualidade

ATRIBUTOS DO SERVIÇO
ESPERADO MENOR
E/OU PRODUTO

EXCELÊNCIA
Execução – E5

Faz a coisa certa. Porém,


levando em consideração as
regras.
Execução – E5

Administração Pública Sempre por contratação


DIRETA
compra/ contrata
Execução – E5

Desrespeita assim, a
Lei 8.666 e a afins

Administração Pública Sempre por contratação


DIRETA
compra/ contrata
Execução – E5

Administração Pública Adequando a contratação


com a Lei 8.666 e afins.
compra/ contrata
Economicidade – E6

• Relacionado ao RECURSO FINANCEIRO.

• Comparação com o ORÇAMENTO.

• NÃO É GASTAR MENOS É GASTAR MELHOR!!


Atributos dos Indicadores
de Desempenho
Atributos dos Indicadores de Desempenho

Adaptabilidade Representatividade Simplicidade

Rastreabilidade Disponibilidade Economia

Praticidade Estabilidade
Adaptabilidade e Representativodade

• Adaptabilidade – capacidade de resposta às mudanças de comportamento e


exigências dos clientes.

• Representatividade – captação das etapas mais importantes e críticas dos


processos, no local certo, para que seja suficientemente representativo e
abrangente. Dados desnecessários ou inexistentes não devem ser coletados.
Simplicidade e Rastreabilidade

• Simplicidade – faco tanto pelos executores quanto – e principalmente – pelos


que receberão seus resultados. Os nomes e expressões devem ser conhecidos e
entendidos por todos os envolvidos de forma homogênea.

• Rastreabilidade – facilidade para iden�ficação da origem dos dados, seu registro


e manutenção. Sempre que possível, deve-se transformar os resultados em
gráficos para um acompanhamento mais preciso, o que permite a comparação
com desempenhos anteriores.
Disponibilidade e Economia

• Disponibilidade – facilidade de acesso para coleta, estando disponível a tempo,


para as pessoas certas e sem distorções, servindo de base para que decisões
sejam tomadas.

• Economia – não deve ser gasto tempo demais procurando dados, muito menos
pesquisando ou aguardando novos métodos de coleta. Os bene�cios trazidos
com os indicadores devem ser maiores que os custos incorridos na medição.
Princípio da Qualificação Adequada

• Praticidade – garantia de que realmente funciona na prática e permite a tomada


de decisões gerenciais. Para isso, deve ser testado no campo e, se necessário,
modificado ou excluído.

• Estabilidade – garantia de que é gerado em rotinas de processo e permanece ao


longo do tempo, permitindo a formação de série histórica.
Natureza dos Indicadores
Natureza dos Indicadores

• Segundo Januzzi, os indicadores poderiam ser classificados de acordo com sua


natureza:

Indicadores-insumo

Indicadores-resultado

Indicadores-impacto

Indicadores-processo
Indicadores-insumo

Descreve à disponibilidade de
recursos humanos, financeiros ou
de equipamento.
Indicadores-resultado

• Avaliam a eficácia

PROCESSO

RESULTADO
Indicadores-impacto

• Descrevem os efeitos e os desdobramentos

PROCESSO RESULTADO

IMPACTOS
Indicadores-processo

• Avaliam a eficiência e são chamados também de indicadores intermediários.

PROCESSO

RESULTADO
Tipologia de Indicadores
de Graças Rua
Tipologia de Indicadores

• Indicadores Estratégicos

• Indicadores de Processo
• Indicadores de Produtividade (eficiência)
• Indicadores de Qualidade(eficácia)
• Indicadores de Efetividade (impacto)
• Indicadores de Capacidade

• Indicadores de Projeto
Tipologia de Indicadores

• Indicadores Estratégicos “o quanto a organização alcança a sua visão de futuro”

• Indicadores de Processo
• Indicadores de Produtividade (eficiência)
• Indicadores de Qualidade(eficácia)
• Indicadores de Efetividade (impacto)
• Indicadores de Capacidade

• Indicadores de Projeto “aferição de como um projeto está sendo desenvolvido”


Variáveis dos indicadores

• CUSTO
• Quanto custa a ação? Qual o custo unitário? Qual o custo global?

• TEMPO
• O programa está dentro do prazo? Quanto tempo leva cada tarefa?

• QUANTIDADE
• A produção atendeu aos níveis esperados? A demanda está sendo atendida?

• QUALIDADE
• Os clientes estão satisfeitos? Os requisitos estão sendo acompanhados?
Muito Obrigado
E Sucesso Sempre!

Verwandte Interessen