Sie sind auf Seite 1von 13

REVISÃO – PROVA PQ

TRASTORNOS DE ANSIEDADE

1. Transtorno do Pânico

Mulheres > Homem (3:1); maior incidência da puberdade aos 35 anos; até 5% da população
geral; período menstrual e puerpério

Clínica:

 Episódios de ansiedade imprevisíveis ou situacionais


 Ápice em 10 minutos, seguido de cansaço/fraqueza
 Ataques repetitivos
 Insegurança
 Limitação de atividades sócias, desvalia, desmoralização

Tratamento:

Droga de Escolha = IERS + TCC (exposição e dessensibilização) + Exercícios

Obs.: ATAQUE DE PÂNICO: reação aguda e abrupta com sintomas de exacerbação de


ansiedade, não faz diagnóstico

2. Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG)

Gradual e Crônico

Sintomas físicos e psíquicos de ansiedade, com preocupação e expectativas apreensivas


excessivas, queda no rendimento funcional e social

 MÍNIMO DE 6 MESES PARA DIAGNÓSTICO

Tratamento:

Antidepressivos (IERS, Tricíclicos, IMAO, Duais), Buspirona (ansiolítico não-benzo, antagonista


parcial de 5HT), benzodiazepínicos, betabloqueadores (para os sintomas físicos), exercício

3. Fobias

Agorafobia

 Mais frequente (5-15%)


 Mulher > Homem (8:1)
 Adultos Jovens
 Medo de se afastar de casa e de pessoas que transmitem segurança
 Esquiva fóbica de situações públicas e de difícil ajuda caso desconforto

Fobia Social

 Medo persistente da avaliação do outro e de se comportar de forma humilhante ou


vergonhosa
 Homem = Mulher (13%)
 Início precoce na infância ou adolescência
 Queixas depressivas de menos valia
 Uso de álcool e drogas para aliviar sofrimento

Tratamento:

Antidepressivos, benzodiazepínicos, betabloqueadores, terapia comportamental, cognitiva e


psicodinâmica

4. Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT)

Mulheres > Homens (2:1). Prevalência de 1-9%

Vivenciou OU testemunhou OU soube de alguém próximo OU exposições repetitivas/extremas

 Evento é revivido (recordações, sonhos, reatividade fisiológica, revivência


 Esquiva
 Sintomas persistentes de ansiedade
 Duração > 1 mês
 Prejuízo funcional

Subtipos: AGUDO (< 3 meses), CRÔNICO (> 3 meses), RETARDADO (> 6 meses)

Tratamento:

Antidepressivo + TCC + benzodiazepínicos/betabloqueadores

5. Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC)

Obsessões (pensamentos recorrentes intrusivos) E/OU Compulsões (comportamentos


repetitivos)

Homem (6-15 anos) = Mulher (20-29 anos); Prevalência 2,5%

 Importante sofrimento, > 1h/dia, interferem no funcionamento


 Não pode ser explicado por outro transtorno mental

Tratamento:

IERS/clomipramina, Duais (venlafaxina, mirtazapina), Neurolépticos (risperidona), TCC,


Exercícios

40% NÃO RESPONDEM AO TRATAMENTO

ESQUIZOFRENIAS

Acomete SENSOPERCEPÇÃO, PENSAMENTO, AFETO (embotamento afetivo = isolamento


dentro do mundo irreal), sensação de persecutoriedade

 Pródromos na Infância! (“autismo”)


 Adolescência: início das alucinações, principalmente auditivas (92%)
1º vozes desconhecidas, ameaçadoras, de comando
2º vozes conhecidas, conversas

Obs.: SÍNDR. ESQUIZOFRENIFORME – alteração por 1 mês, se com tratamento os sintomas


permanecerem por mais de 6 meses = Esquizofrenia

I. DELÍRIO
II. ALUCINAÇÕES
III. ALTERAÇÕES DE COMPORTAMENTO
IV. AFETO

(2 de 4 para DIAGNÓSTICO) – DIAGNÓSTICO POR EXCLUSÃO (descartar mania, pesquisar


laboratorialmente alterações orgânicas)

 Sintomas Positivos: delírios, alucinações


 Sintomas Negativos: retração, negatividade, isolamento afetivo

Subtipos:

 Paranoide: alucinações auditivas com vozes de comando e delírios persecutórios,


ausência de desorganização, afeto achatado, inapropriado ou catatonia
 Desorganizada: fala e comportamentos desorganizados, afeto achatado ou
inapropriado, sem catatonia
 Catatônica: alterações motoras, paciente endurecido, hipertônico, hipocinético ou
acinético ou hipercinético, catatonia
 Indiferenciada: não reúne critérios para os outros subtipos
 Residual: persistência de sintomas negativos sem alterações de sensopercepção
 Depressão pós esquizofrênica
 Esquizofrenia simples
 Outras
 Não especificadas

Tratamento:

AP 1ª Geração para surtos ou pacientes virgens de tratamento (Ex.: haloperidol,


clorpromazina) – BLOQUEIO DE D2 (KON ALTO) – MUITOS EC (inundação de dopamina na
fenda) SÍNDROME NEUROLÉPTICA

AP 2ª Geração (Ex.: risperidona, olanzapina, quetiapina, clozapina – BLOQUEIO DE D4 (KOFF


ALTO) SÍNDROME METABÓLICA

Efeitos Colaterais:

 Distonia aguda
 Sd. Parkinsonóide
 Acatisia
 Discenesia tardia
 Sd. Neuroléptica Maligna (hipertensão, arritmia, catatonia, febre, confusão, agitação)

PROGNÓSTICO RUIM, NÃO TEM CURA

Síndrome Neuroléptica: LEUCOCITOSE, aumento de PROLACTINA e CPK

TRANSTORNOS DO HUMOR

1. Transtorno Afetivo Bipolar

DOENÇA DE MAIOR HERDABILIDADE

Transtorno grave com estremas mudanças de humor (depressão X mania), com intervalos de
humor normal
HIPOMANIA = ATIVAÇÃO: distraibilidade, aumento do interesse sexual, logorreia, aumento de
atividade, inquietação, comportamento irresponsável, diminuição do sono, aumento da
sociabilidade, envolvimento em atividades de risco e prazer

MANIA = INCONTROLABILIDADE: expansivo, eufórico, reações intensas e instáveis,


irritabilidade, confusão de ideias, grandiosidade, julgamento pobre, pensamento rápido,
desagregação, PSICOSE (70%), aumento PA/FC, desinibição

GRAVE, PREJUÍZO SEVERO, HOSPITALIZAÇÕES

 Para diagnóstico: alterações de humor pelo menos 1x/semana

TIPO I = MANIA (< 18 anos, M = H)

TIPO II = HIPOMANIA (20 anos, M > H)

TIPO III = Outros Transtornos Relacionados – não preenchem critérios de mania, hipomania e
depressão (22 anos, M = H)

Obs.:

MAIOR DESAFIO DIAGNÓSTICO = DEPRESSÃO

PRINCIPAL COMORBIDADE ASSOCIADA = TRANSTORNOS ANSIOSOS

SINTOMAS MISTOS = humor ruim + muita energia – ALTO RISCO DE SUICÍDIO

Tratamento:

Estabilizadores do Humor:

 Lítio
 Anticonvulsivantes (ácido valpróico, lamotrigina)
 Antipsicóticos atípicos
2. Transtorno Depressivo:

Maior parte do dia

Quase todos os dias

Mínimo de 15 dias

Prejuízo funcional
 Humor: tristeza, inabilidade de sentir emoções, falta de prazer e interesse,
hipersensibilidade a eventos negativos
 Cognição: culpa, medo, pessimismo, baixa autoestima e concentração, inutilidade
 Vegetativos/Psicomotricidade: alterações de sono e apetite, alteração da temperatura
corporal e secreção de cortisol, diminuição da libido, retardo ou agitação, cansaço

Comum; 25% da população; M (estrogênio) > H; 24 anos; aumento da morbimortalidade de


outras doenças

Diagnóstico:

 Clínico (humor depressivo + 4, anedonia + 5)


 Alterações: sono, apetite, atividade psicomotora, fadiga/perda de energia,
inutilidade/culpa, diminuição da concentração e tomada de decisões, pensamento de
morte

Episódios:

 Típico ou Melancólico: humor não reativo


 Atípico: humor reativo
 Psicóticos: com delírios (não pode ser de grandeza) e alucinações
 Sazonal: outono/inverno (diminuição da insolação)
 Pós-parto: até 1 mês após o parto

NUNCA HOUVE EPISÓDIO DE MANIA/HIPOMANIA

Curso de aproximadamente 6 meses, 80% vão recorrer

Sinais de baixa recuperação/recorrência: sintomas psicóticos, ansiedade, severidade, início


precoce

Tratamento:

Farmacológico + Psicoeducação + Psicoterapia

1º SSRI (em 4 semanas 50% de melhora, dobrar dose se responsivo e esperar mais 4 semanas
ou, se não responsivo, passar para 2ª etapa) – eutimia em 12 semanas

2º DUAIS

3º TRICÍCLICOS OU IMAO

4º POTENCIALIZAR
5º ECT

Obs.:

Início da Ação: 15-20 dias

Resposta: 6 semanas

DURAÇÃO DO TTO:

 1º Ep.: mínimo de 6 meses após remissão, retirada gradual


 2º Ep.: 2 anos
 3º Ep.: uso contínuo

TRANSTORNOS DA PERSONALIDADE

Temperamento (inato)

 Esquiva ao dano
 Busca de novidades
 Dependência de gratificação
 Persistência

Caráter (moldado)

 Autodirecionamento (EU x EU)


 Cooperatividade (EU X OUTRO)
 Transcendência (EU X MUNDO)

10% da população geral desde a infância: distorção de pensamento e percepção, alteração da


afetividade e controle dos impulsos com desinibição/agressão, necessidade de gratificação
imediata.

3 P’s = PERSISTENTE, PERVASIVA, PROBLEMÁTICA

Etiologia:

 Genética
 Ambiente (maus tratos, abuso, violência, abandono)
 Neurobiologia
Baixa escolaridade e baixa renda, comorbidade com transtornos do humor, abuso de
substâncias e outros transtornos de personalidade

Obs.: procura o atendimento com depressão e dificuldade nos relacionamentos

CLUSTER A – excêntricos e bizarros (ESQUIZO) SINTOMAS PSICÓTICOS

ETIOLOGIA PADRÃO TRATAMENTO


PARANÓIDE 1-4% Padrão de persecutoriedade Explicações
(internados) e desconfiança alternativas para as
H>M alteração interpretação distorções
(maldade), vingativos e AP?
rancorosos, tensos,
hipervigilantes
ESQUIZÓIDE <1% Isolamento, defeito na Treino de
(sem-teto) habilidade em relações habilidades
H>M interpessoais, falta prazer, Terapia em grupo
não deseja e não gosta de
relacionamentos
Escolha atividades solitários
Indiferente a críticas
≈ Residuais da esquizofrenia
ESQUIZOTÍPICO 1 a 1.2% Sintomas psicóticos Treino de
atenuados: alterações do habilidades
pensamento (telepatia, AP atípicos
clarividência) e alucinações.
Padrão peculiar de
comportamento, afeto
inapropriado, alterações
percepção, crenças de
poderes especiais,
pensamento e discurso
vagos, incompreensíveis
CM: TH, uso de subst.
CLUSTER B – dramáticos, emocionais, erráticos (HUMOR)

ETIOLOGIA PADRÃO TRATAMENTO


ANTISSOCIAL 2a4% Comportamento social Clozapina
H>M irresponsável, desrespeito e AP atípicos
violação dos direitos alheios, Estabilizadores
exploração, ausência culpa de Humor
impulsividade e insensibilidade TCC
Violação recorrente regras,
delinquência, traições,
desonestidade, associação com
abuso substância, manipulação,
hostilidade, morte precoce por
acidentes
PSICOPATIA (não
reconhecimento de emoções
negativas, hipersensibilidade a
recompensa)
BORDERLINE ≈ 6% Instabilidade nas relações
M>H interpessoais, autoimagem,
humor e comportamento
Distúrbio identidade
Mudanças: objetivos, carreiras,
relacionamentos
Grande impulsividade e RAIVA
Sentimento vazio, tédio
Inflexibilidade sentimentos
Medo abandono
Desregulação afetiva: labilidade,
rejeição, raiva, tristeza profunda
e crises de ira
Desregulação da impulsividade:
automutilação,comportamentos
autodeletérios (sexo promíscuo,
abuso de substâncias)
Desregulação cognitiva-
perceptual: autorreferência,
desrealização,despersonalização,
sintomas alucinatórios
HISTRIÔNICO 2% Busca atenção e dramaticidade
M>H (DRAMA QUEEN, teatrais)
Centro das atenções, superficiais
comportamento sedutor,
inapropriado e de
intimidade com pessoas novas
Relacionamentos: vítimas ou
“realeza”
Altamente sugestionável
Intolerante a frustrações
NARCISISTA 0.5% Fantasias superioridade, falta
H>M empatia e necessidade de
admiração! Arrogantes,
autocentrados, manipuladores,
exigentes e invejosos
Espera ser reconhecido e tratado
como superior
Exploração pessoas
Hsensibilidade críticas
Comportamento arrogante
CLUSTER C – (ANSIEDADE)

ETIOLOGIA PADRÃO TRATAMENTO


EVITATIVO 3% Sentimentos de inadequação
(esquiva – inibido) M>H e extrema sensibilidade à
avaliação negativa
Inibição, isolamento,
introversão.
Vigilantes a pessoas e
situações, Hsensibilidade a
rejeição, vida social e
profissional prejudicadas
DEPENDENTE 1.2% Necessidade de ser cuidado
(inseguro) M>H Certeza da falta de
capacidade
Medo de ser abandonado.
Menosprezam suas
habilidades e tomam críticas
como reforço de sua
incapacidade
Necessidade de aprovação
constante

Relações de apego e
submissão. Não discordam.
Não tomam decisões
OBCESSIVO – 2% Preocupação com regras
COMPULSSIVO M>H organização,perfeccionismo
(rígido) Controle mental,interpessoal
Pontualidade, persistência
Devoção ao trabalho
Inflexibilidade de
comportamento
Discretos nas manifestações
afetivas

Inconclusão tarefas
Irritadiços quando as coisas
não são perfeitas
Atentos a autoridade-
submissão
Preocupados com lógica e
intelecto

DROGADIÇÃO PROVA!

Alcoolismo:

 Experimentação: 15 – 17 anos
 Fatores de Risco: ambientais, GENÉTICOS, biológicos
 Conduta para dependência: intervenção psicoterapêutica, psicossocial, psicológica

Opióides:

Abstinência:

 Midríase
 Aumento de 10mmHg na PA sistólica
 Aumento de 10bpm na FC
 Sudorese, calafrios, suspiros, dor no corpo, diarreia, rinorréia e lacrimejamento

Tratamento: se preencher 2 critérios – metadona, clonidina (sintomático)

Cocaína:

 18-40 anos de idade

Aspecto Psíquico:

 Elevada autoestima
 Sensação de poder
 Aumento de energia
 Estado de vigília aumentado
 Delírios persecutórios e alucinações
 Maior sensibilidade (visual, tátil, auditiva)
 Fluência Verbal

Efeitos Fisiológicos:

 Vasoconstrição
 Dilatação Pupilar
 Hipertermia
 Taquicardia
 Elevação da PA

Alucinógenos:

QUETAMINA: alucinações místicas

METANFETAMINAS: dissecção de aorta

BENZODIAZEPÍNICOS: agonista gabaérgico, M > H, síndrome de abstinência (2 ou mais


sintomas)

AYAHUASCA: síndrome serotoninérgica (suspender droga + hidratação), não há relato


científico para uso terapêutico

Delirium:

Alteração global das funções psíquicas, com comprometimento da CONSCIÊNCIA e ATENÇÃO

• GERALMENTE NIVEL DE CONSCIÊNCIA E ATENÇÃO FLUTUAM AO LONGO DO DIA

• ALUCINAÇÕES VISUAS E AUDITIVAS SÃO COMUNS

• DELÍRIOS FLUTUANTES DE CONTEÚDO PERSECUTÓRIO PODEM ACOMPANHAR O


QUADRO

• PODE OCORRER INVERSÃO DO CICLO SONO – VIGÍLIA

• PSICOMOTRICIDADE: AGITAÇÃO OU LENTIFICAÇÃO

HIDRATAÇÃO! Não usar benzodiazepínicos

Obs: Sd. Demencial = perda das funções cerebrais cognitivas, sem alteração do nível de
consciência (causas psiquiátricas: depressão, esquizofrenia)