You are on page 1of 69

Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg.

Teologia
Sistemática
Pesquisado, escrito e adaptado com exclusividade
para o Ensino Teológico da Escola Teológica Monte Sinai

Material de uso exclusivo do aluno,


não podendo ser vendido a terceiros e nem feito cópias.

Sina Escola Teológica Monte Sinai


Mantido pela Igreja Evangélica Assembléia de Deus
CNPJ: 07.571.376/0001-03
Av. Laura Andrade, 869 – Jd. Bela Vista – 35588-000 – Arcos – MG

ÍNDICE:
Introdução...............................................................................................Pg. 01

FALTA O ÍNDICE
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 2

CURSO BÁSICO EM TEOLOGIA


N.º MATÉRIA
01 BIBLIOLOGIA
02 PENTATEUCO
03 HISTÓRIA DOS HEBREUS
04 LIVROS HISTÓRICOS
05 LIVROS POÉTICOS
06 PROFETAS MAIORES
07 PROFETAS MENORES
08 TEOLOGIA SISTEMÁTICA
09 EVANGELISMO E MISSÕES
10 OS EVANGELHOS
11 HISTÓRIA DA IGREJA
12 HERMENÊUTICA
13 HOMILÉTICA
14 ÉTICA CRISTÃ
15 HERESIOLOGIA
16 EPÍSTOLAS GERAIS
17 EPÍSTOLAS PAULINAS
18 ESCATOLOGIA BÍBLICA

Teologia Sistemática
INTRODUÇÃO: uma mente espiritual, ou seja, uma mente
Este é um assunto muitas vezes pouco guiada pelo Espírito Santo de Deus.
explorado e que, nem sempre, atrai o interesse
e a dedicação dos estudantes da Bíblia, o que
resulta em muitos enganos e dúvidas a respeito 1 - TEOLOGIA - DOUTRINA DE DEUS
do mesmo, que é o assunto teológico mais
distorcido da história da igreja, gerando, com A origem da palavra Teologia, deriva de
isto, uma quantidade enorme de heresias, que dois vocábulos gregos: Theos – que significa
tem originado muitas seitas. Deus; e Logos – que significa tratado. Portanto,
É bem verdade que alguns conceitos nós Teologia é o estudo sobre Deus, ou a ciência
não conseguimos definir em sua plenitude com que estuda a Divindade e o seu relacionamento
a capacidade de raciocínio e com palavras com o homem e o universo, com base nas
humanas, pois o divino está muito acima do Sagradas Escrituras. Note que ela se distingue
nosso intelecto. Desta forma, não conseguimos da Ética (defina), mesmo da Ética Cristã; da
explicar totalmente a eternidade de Deus e sua Religião (exteriorização do meu relacionamento
perfeição, por exemplo, assim como a sua com Deus); e da Filosofia (tentativa de conhecer
triunidade. Porém, o que há revelado na Bíblia é todas as coisas só pelo uso da observação e da
suficiente para que possamos crer no que está razão, sem partir de Deus e Sua Palavra, e
escrito e aceitar a verdade divina para nós, nunca podendo trazer ninguém a Cristo I Co
sabendo que, o que é espiritual se discerne com 1:21; I Co 2:6-8).
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 3

1.1 - TEOLOGIA É NECESSÁRIA PARA O eternidade de Deus, falam em termos de


CRENTE: continuidade, e não de intemporalidade, isto é,
Por causa da penetrante descrença e Deus conhece o passado como passado, o
heresias desta época I Pe 3:15b (Lc 18:8; Ef presente como presente e o futuro como futuro.
4:14); porque Deus não quis nos dar as Deus existiu eternamente e infinitamente
Escrituras em forma sistematizada (Mt 13:11- antes da criação. Ele é primeiro e independente
13), deixando a nós o estudá-las e sistematizá- de tudo o que foi criado. “...Rei dos reis e
las II Tm 2:15; para desenvolver em nós o Senhor dos senhores; aquele que tem, ele só, a
caráter de Cristo (só crendo certo é que imortalidade e habita na luz inacessível; a quem
podemos viver certos) (Ef 4:13); para podermos nenhum dos homens viu nem pode ver; ao qual
servir ao senhor efetivamente (II Tm 4:2; Tt 1:9). seja honra e poder sempiterno. Amém!” (I Tm
6:15-16); o texto bíblico expressam a
transcendência divina, isto é, Deus é diferente e
independente da sua criação. Deus não deve
1.1.1 - Divisão da Teologia. jamais ser nivelado aos seres criados, Seu ser e
a - Teologia Exégetica: sua existência são de uma dimensão totalmente
No grego Exegese significa sacar ou diferente, de uma esfera de vida perfeita e pura,
extrair. Estuda detida comparativa e em tudo muito acima de sua criação. Ele não é
profundamente cada sentença de cada verso da parte de sua criação, nem sua criação é parte
Bíblia. Inclui Hermenêutica, Linguagens dEle. Além disso os crentes não são Deus e
Bíblicas, Arqueologia, etc. nunca serão deuses, como afirma a Nova Era.
Sempre seremos seres limitados e dependentes
b - Teologia Histórica: de Deus, mesmo na eternidade. Porém embora
Estuda a origem, desenvolvimento, difusão exista uma extrema distinção entre a criação e
e atual estado da religião verdadeira, e das Deus o seu criador, Ele está presente e ativo na
falsas. Inclui História da Bíblia, História [de mesma. Ele vive e se manifesta entre seus fiéis,
grupos] de Igrejas, H. das Missões, H. das que se arrependem e vivem pela fé.
Doutrinas, etc. Pode ajudar à Teologia
Exegética. 1.2.1 - Provas Bíblicas da Existência de
Deus.
c - Teologia Sistemática: A Bíblia não se preocupa em provar a
A rainha das disciplinas. Sistematiza os existência de Deus, pois ela começa
resultados da sã Teologia Exegética. Inclui reconhecendo que Ele é. Na primeira página da
Apologética, Polêmica, Ética Bíblica, etc. Bíblia encontramos a inequívoca declaração
”No princípio... Deus...” (Gn 1.1).
d - Teologia Prática:
Aplica os resultados das outras 3 teologias Hebreus 11.3-6 afirma enfaticamente
à regeneração, santificação, edificação e o que aquele que se aproxima de Deus deve crer
servir dos homens. Inclui Homilética, que Ele existe. A Bíblia deixa bem claro que
Organização e Administração de Igrejas, acreditar na existência de Deus constitui a base
Evangelismo, Missões, Educação Cristã, etc. da experiência humana. Dizer que Deus não
existe ou viver como se ele não existisse é
1.2 - A EXISTÊNCIA DE DEUS: negar o que todos intuitivamente sabem. Pois
Deus se revela com um ser infinito, eterno, Deus colocou no homem a certeza de sua
auto existente e criador de tudo que existe, existência. Negar a existência de Deus é tornar-
Deus existe por si mesmo e nunca houve um se irracional, onde tudo perde o significado e o
momento em que Deus não existisse. “Antes propósito (Rm 1.19.-31).
que os montes nascessem e se formassem a
terra e o mundo, de eternidade a eternidade, tu 1º - Criação (Sl 19:1).
és Deus” (Sl 90:2). A expressão de Eternidade a Deus se revela como ser pessoal que
Eternidade refere-se à existência eterna de criou o homem à sua imagem e semelhança
Deus que não tem começo nem fim. A palavra (Gn 1:26-28); que podiam comunicar-se com
eternidade é uma tradução da palavra hebraica Ele, ter comunhão de modo amoroso e pessoal
“Olam” não significa que Deus transcede o (Gn 3:8-10).
tempo e sim que é infindável no tempo. A Bíblia
ensina que Deus existe num tipo de eterno 2º - Jesus.
presente, onde para Ele não há nem passado e Deus se revela através de sua palavra,
nem futuro. Os textos bíblicos que tratam da mas o ponto mais alto da revelação de Deus a
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 4

humanidade é através da encarnação de Jesus transcendente (fora do universo e em tudo seu


Cristo. Então ele se torna EMANUEL - DEUS superior): Deus.
CONOSCO. ‘E o verbo se fez carne e habitou
entre nós... (Jo 1:3-14). b - Argumento Teleológico:
Da palavra grega Telos, “fim”. O
universo não apenas prova a existência de um
1.2.2 - Provas Racionais da Existência de Criador, mas indica a existência de um
Deus. Planejador (Sl 19:1-3; 8:3-5; 94:9; Rm 1:18-20).
Através dos tempos filósofos e pensadores Há um propósito observável no universo que
tem buscado na teologia, argumentos racionais indica a existência de Deus como seu
da existência de Deus, desses argumentos planejador.
enumeraremos alguns. A ordem e propósito num sistema
implicam inteligência e propósito na sua causa;
1º - Argumento da “Intuitividade” ou “Crença há assombrosa ordem e propósito no universo
Universal” (Rm 1:19-23,28,32; 2:14; Jó 32:8; (o “ateu” Galeno criou “hino” de louvor a Deus,
At 17:28-29). ao dissecar anatomia humana; Isaac Newton
A Crença na existência de Deus é tapou a boca de “ateu” ao deslumbrá-lo com
universal; é também necessária (no sentido de miniatura do sistema solar e dizer “não teve
que é a “posição normal do pêndulo”: qualquer designer”;...); 3) Logo, o universo tem um
desvio dela é temporário e contra nossa designer transcendente, um originador e
natureza); portanto, esta crença é intuitiva, mantenedor das suas leis, inigualavelmente
inata; não é mero resultado de tradições, inteligente e com propósito: Deus.
educação, raciocínio acurado e educado (“Eu
sempre soube que Ele existe, somente não c - Argumento Ontológico:
sabia Seu nome!” Helen Keller). Portanto, a Da palavra grega on, “existente, ser”.
crença na existência de Deus foi colocada no O homem tem a idéia inerente de um Ser
coração do homem; só Deus poderia fazê-lo; Perfeito (At 17:21-23 “ao deus desconhecido”;
logo Deus existe. Rm 1:18-20). Esta idéia naturalmente inclui o
conceito de existência, já que um ser, em tudo
2º - Argumento da Causa-e-Efeito: mais perfeito, que não existisse, não seria tão
Todo efeito tem uma causa apropriada perfeito quanto um ser perfeito que existisse.
(He 3:4). Portanto o poder, a inteligência, o Portanto, visto que a idéia de existência está
propósito evidentes na natureza exigem e contida na idéia de um Ser Perfeito, esse Ser
provam que Deus existe e que tem infinitos Perfeito deve necessariamente existir.
poder, inteligência e propósito; O fato do
homem ser uma pessoa e ser moral, exige e d - Argumento Antropológico ou da Causa
prova que Deus existe e que é a perfeição do da Moral:
saber, do sentir, do decidir, e do bem. Da palavra grega anthropos,
“homem”. Já que o homem é um ser moral e
Poderíamos dividir o argumento da causa-e- intelectual, deve ter um Criador que também
efeito em quatro: seja moral e inteligente (At 17.29). A natureza
moral, os instintos religiosos, a consciência e a
a - Argumento Cosmológico (da causa do natureza emocional do homem argumentam em
universo). favor da existência de Deus. Rm 2:14-15 (Gn
Da palavra grega Kosmos, “mundo”. O 39:9 [José e a esposa de Potifar]; Sl 32:3-5;
universo é um efeito que exige uma causa 38:1-4; Ec 12:14; Mq 6:8; Rm 1:19-32; 2:14-16):
adequada, e a única causa suficiente é Deus (Sl Uma voz insilenciável fala incessantemente à
19:1). Embutido em He 3:4:1 A 2a. Lei da consciência, exige-lhe obediência e assevera de
Termodinâmica diz que a entropia do universo um Juiz que punirá cada desobediência “Não
sempre aumenta (o caos e desordem do fora esta voz... e eu seria ateu” cardeal
universo aumentam, sua energia disponível Newman; Esta voz sobre a consciência não é
diminui); Daí: Se o universo fosse eterno, sua nem imposta pelo indivíduo nem pela sociedade
energia utilizável, na eternidade passada, teria (freqüentemente lhes é contrária!). Portanto,
que ter sido infinita, o que é impossível; Logo o existe alguém que fala à nossa consciência, que
universo teve origem; no universo, todo efeito é bom, justo juiz, senhor, autor e mantenedor de
tem que ter tido uma causa apropriada; logo o uma lei moral permanente, absoluta e
universo é o efeito de uma causa sem causa, mandatória: Deus.
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 5

3º - Argumento da “Congruência” ou Estes são pessoas sensivelmente


“Harmonia com os Fatos”: sem Deus, que na vida pratica não reconhecem
Se um postulado é o único que (ou, de a Deus, e vivem como se Deus não existisse.
longe, o que mais) se harmoniza com (e explica)
uma série de fatos, então ele é crido e tomado b - Ateus teóricos:
como verdadeiro exemplo: a teoria subatômica. Estes são os ateus intelectuais, e
A existência de Deus é a única (ou, de longe, a baseiam sua negação de Deus no
melhor) explicação para a: crença universal na desenvolvimento de um raciocínio. Tentam
sua existência, nossa natureza moral e mental, provar a não existência de Deus por meio de
nossa natureza religiosa, os fatos e as leis do argumentos que eles acham razoáveis e
universo. (Ateísmo, Panteísmo, Agnosticismo, conclusivos.
etc. não provêm uma explicação adequada, O ateísmo visa suprimir a pessoa de
nem satisfazem nosso coração). Portanto, Deus Deus do coração e mente do homem. O ateu,
existe, é bom e Santo, e Todo-Poderoso. mente à sua própria razão, à sua própria
consciência.
4º - O Argumento Histórico:
A exposição deste argumento é a 2º - O Agnosticismo:
seguinte: Entre todos os povos é comum a A palavra Agnosticismo vem da
evidencia de que o homem é um ser religioso palavra grega que significa não saber. Os
em potencial. Sendo este fenômeno universal, defensores do agnosticismo crêem que nem a
isso deve ser parte constituinte da natureza criação, nem os conhecidos fatos
humana. E se a natureza humana tende à testemunhando a existência de Deus podem
pratica religiosa, isto só encontra explicação fazê-lo conhecido. Todo adepto dessa teoria,
num Ser Superior que originou tal natureza que alega crer unicamente no que pode ver e
sempre indica ao homem um ser superior. É apalpar. Assim, todas as demais coisas,
aqui que milhões por ignorarem o Deus único e incluindo a fé em Deus, são relativas, isto é, o
verdadeiro, praticam as religiões mais estranhas homem não pode saber qualquer coisa sobre
e deturpadas. É o anseio da alma na busca do Deus, haja visto que as citadas provas de sua
Criador que ela ignora, por ter se afastado d’Ele. existência estão fora do domínio das coisas
Estudemos esta seção objetivando materiais.
conhecer o que a razão humana diria, se fosse
convertida e sadia; e, também, o que diz, sendo 3º - O Deísmo:
falha. Estudemos tudo à luz de (I Co 1:21; 2:6- O Deísmo admite que Deus existe,
8). contudo rejeita por completo a sua revelação a
Deus é espírito, por isso não devemos humanidade. Para o Deísmo, Deus não possui
esperar “provas científicas” de Sua existência e atributos morais e nem intelectuais, sendo até
natureza. Assim, apresentaremos “apenas” duvidoso que ele tenha influído na criação do
evidências enormemente corroborativas, para universo. Noutras palavras o Deísmo é a
que Ele seja aceito pela fé e pela mente religião natural baseada no raciocínio
espiritual. O peso destas evidências acumula-se puramente humano.
sinergisticamente: uma delas, sozinha, pode ser
insuficiente, mas o peso de todos elas, juntas, é 4º - O Materialismo:
esmagador. O materialismo declara que a única
Considerando todos estes argumentos realidade é a matéria, e que o homem é um
racionais, o cristão fiel e temente a Deus, logo animal apenas, por isso não é responsável por
conclui que não necessita deles para crer na suas atitudes e atos. Ele ensina que os
existência de Deus. Nossa convicção não é diferentes comportamentos físicos e psíquicos
apenas intelectual, mas experimental. humanos são simplesmente movimentos da
matéria. Por conseguinte o homem não tem do
1.3 - FORMAS DE NEGAÇÃO DA que, nem a quem prestar contas de seus atos.
EXISTÊNCIA DE DEUS. Esta é mais uma forma ardilosa de negar
a existência de Deus, pois se o homem, obra da
1º - O Ateísmo: criação divina, não é aquilo que a bíblia diz ser,
Os ateus estão divididos em duas classes que todos os valores perenes expressos nas
são: escrituras, inclusive a existência de Deus, são
pura nulidade.
a - Ateus Práticos (Sl 10:4):
5º - O Panteísmo:
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 6

O Panteísmo ensina que no universo, propriedades e qualidades que caracterizam a


Deus é tudo e tudo é Deus. Deus não é só parte existência pessoal que os demais seres
do universo, mas é o próprio universo. O impessoais não possuem.
Hinduísmo é adepto deste falso ensino. O erro Deus é um ser pessoal pelas
filosófico religioso do panteísmo é confundir o características de uma personalidade que lhes
Criador com a criatura. são atribuídas.

Os cincos principais tipos de panteísmo são: Alguns critérios bíblicos sobre a


a - Materialismo Panteístico: personalidade de Deus:
“Deus é o universo; este é impessoal
e só material, é eterno e vida gera-se 1.4.1 - Nomes dados a Deus.
espontaneamente.” Os nomes que são atribuídos a Deus,
Isto viola a 2ª lei da Termodinâmica, nas Escrituras, subentendem relações e ações
todos os fatos científicos. pessoais, e estas, por sua vez, indicam
personalidade.
b - Hilozoísmo ou Panpsiquismo:
“Cada partícula de matéria tem um Os nomes são divididos em dois grupos:
princípio de vida, uma pequenina alma-mente
[para muitos, a realidade final]”. 1º - Nomes Primários:
Deus é só um nome para a alma- a - Jeová ou Javé, Iavé (Yahweh).
mente do universo.” Um dos nomes mais importantes
pelos quais Deus se tem feito conhecer é o de
c - Neutralismo: “Jeová”. Foi por esse nome e suas várias
“Só existe uma substância neutra, que combinações que Ele se revelou nas diversas
é aparente ora como matéria, ora como mente. relações que sustenta com os homens. Jeová
Deus é só um nome para a totalidade dessa foi revelado a Israel na ocasião em que este foi
substância.” chamado a confiar em Deus numa nova relação
de aliança.
d - Idealismo: Javé significa O Auto-Existente (de Ex
“A realidade final é: 3:14, “Eu Sou o Que Sou”). É o nome do
a) minha mente (então o universo só existe na relacionamento entre o verdadeiro Deus e Seu
minha mente, só eu existo!); povo, e, quando usado, enfatiza a santidade de
b) ou uma mente infinita, que pode ser Deus, o Seu ódio pelo pecado e amor aos
impessoal ou pessoal.” pecadores. YAWEH > Hebraico (Senhor)
YHWH, foram transliterada para o latim JHVH,
e - Misticismo filosófico: combinando-as com os sinais vocálicos do
“Após muito esforço místico-moral... substantivo hebraico “Senhor” deu-se origem a
(nirvana!), descubro que eu e Deus, o universo forma bíblica “Jeová”. Esse nome ocorre cerca
inteiro, somos um só. Desaparece a noção de de 7.000 vezes no Antigo Testamento e o seu
‘eu e os outros’, ‘interior e exterior’ etc. Todos e significado é: ELE CONTINUARÁ (ativamente) a
tudo somos um.” ser. Este nome acha-se ligado à observância
dos pactos de Deus com a humanidade.
1.4 - PERSONALIDADE DE DEUS.
Deus se revela nos primeiros capítulos b - Elohim.
da Bíblia, como um ser pessoal, que é passível Significa O Forte. É uma palavra usada
de sentir emoções, desagrado e reação contra o para o verdadeiro Deus e deuses pagãos. É um
pecado deliberado e a rebelião do homem, ao substantivo plural, o chamado plural
contrário do que ensina as demais religiões, que majestático. O plural permite a revelação
ensinam que Deus é tudo e tudo é Deus, ou que subseqüente da Trindade no Novo Testamento,
Deus é uma força ativa no universo, uma mas não ensina a Trindade propriamente dita.
energia cósmica, e coisas semelhantes a estas. ELOHIM é o plural de “ELOAH”, ocorre
Personalidade é uma existência dotada de mais de 2.000 vezes no Antigo Testamento,
autoconsciência, e do poder de acha-se vinculado ao poder criativo de Deus e o
autodeterminação. A personalidade abrange as seu cuidado com o universo e a humanidade.
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 7

Além disso implica na pluralidade existente no


ser supremo (Gn 1:26; 3:22). 7 - “Jeová Sabaoth” (Javé Sabaoth) Senhor
dos Exércitos (I Sm 1:3). Esse nome revela
c - Adonai. liderança e domínio pessoais.
Significa Senhor, Mestre. Usado para
homens de Deus, e indica o relacionamento 8 - “Jeová Samá” o Senhor está presente (Ez
senhor-servo. ADONAI (hebraico) Kurios 48:35). Esse nome revela presença pessoal.
(Grego) ATTIQ YOMIM (aramaico) - Senhor. O
ancião de dias. 9 - “Jeová Elion” Senhor Altíssimo (Sl 97:9;
7:17; 47:2; Is 6:1). Esse nome revela
preeminência pessoal.
2º - Nomes Compostos. 10 - “Jeová Mequedishehem” o Senhor que
a - Com El. Hebraico Deus ocorre 250 vezes na vos santifica (Ex 31:13). Esse nome revela
bíblia e enfatiza a idéia de força. purificação pessoal.

1 - El Elyon. traduzido por Altíssimo (Is 11 - Javé El Gmolah. O Senhor Deus da


14.13,14). recompensa (Jr 51:56).

2 - El-La-Roi. O Forte que Vê (Gn 16.13). 12 - Javé Makeh. O Senhor que fere (Ez 7:9).
1.4.2 - Pronomes pessoais empregados a
3 - El Shaddai. Deus Todo-Poderoso (Gn Deus.
17.1-20).
Os pronomes pessoais que são usados
4 - El Olam. O Eterno Deus (Is 40.28). a respeito de Deus subentendem sua
personalidade.
5 - El ‘Elohe Yisra’El. Deus, o Deus de Israel a - Tu e te (Jo 17:3).
Gn 33.20.
b - Ele e lhe (Sl 116:1-2).
b - Com Javé ou Jeová.
O nome Jeová é combinado com 1.4.3 - Os Atributos de Deus.
outras palavras, sendo assim formados os Um atributo é uma propriedade intrínseca
chamados “títulos jeovísticos”. ao seu sujeito, pela qual ele pode ser
distinguido ou identificado. A maioria dos
1 - “Jeová Jireh” (Javé Jireh) o Senhor sistemas de classificação dos atributos baseia-
proverá (Gn 22:13-14). Esse nome revela se no fato de que alguns deles pertencem
providência pessoal. exclusivamente a Deus (e.g., infinitude) e outros
se encontram, de maneira limitada e num
2 - “Jeová Nissi” (Javé Nissi) o Senhor é sentido relativo, também no homem (e.g.,
nossa bandeira (Ex 17:15; Js 5:13-14; Sl amor); assim, a terminologia dessas
20:7). Esse nome revela liderança pessoal. classificações inclui incomunicáveis e
comunicáveis; absolutos e relativos; imanentes
3 - “Jeová Ropeca” (Ropheka) o Senhor que e transitivos; constitucionais e pessoais.
sara (Ex 15:26).
Esse nome revela preservação pessoal. Dividiremos esses atributos em duas
classes:
4 - “Jeová Shalom” (Javé Shalom) o Senhor
nossa paz (Jz 6:24). Esse nome revela Deus 1º - Atributos Naturais.
como Aquele que concede paz pessoal. São atributos exclusivos de Deus, só a trindade
possui.
5 - “Jeová Raah” (Javé Raah) o Senhor é o
meu Pastor (Sl 23:1; 95:7). Esse nome revela a - Sua Onipresença: Este atributo quer dizer
orientação, proteção e bondade pessoais. que Deus está em todos os lugares do Seu
domínio ao mesmo tempo. A Sua grandiosa
6 - “Jeová Tsidkenu” o Senhor Justiça Nossa presença enche todo o universo criado por Ele
(Jr 23:6; I Co 1:30). Esse nome revela Deus (At 17:27-28; Sl 139:7-12).
como justiça pessoal imputada, assim Ele não é limitado pelo espaço. Deus está
satisfazendo nossas obrigações e necessidades presente e tem cuidado amoroso com tudo o
pessoais para com Ele. que ele criou.
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 8

ao tempo humano (Sl 90:4; II Pe 3:8), Ele é o


b - Sua Onisciência: Deus conhece todas as eterno EU SOU (Ex 3:14; Jo 8:58).
coisas o passado, o presente e o futuro. Com
esse atributo, o Todo-poderoso conhece ainda o f -Auto-Existente. Significa dizer que Deus é
mais íntimo do coração das pessoas. Nada absolutamente independente em tudo e todas
escapa desse glorioso conhecimento de Deus, as coisas para a continuidade e perpetuidade de
pois assim declaram as Sagradas Escrituras, Seu ser. Sua vida não vem de fontes externas
(Leia Hb 4:13; Pv 15:3; Sl 139:1-2). (Jo 5:26; Ex 3:14 [“Eu Sou”]; At 17:24-28; Rm
11:36; I Tm 6:15-16).
c - Sua Onipotência: Só Deus é possuidor de
todo o poder e de toda a autoridade. Ele é o El- f - Soberania. Deus é o governante supremo do
Shaddai, o Deus Todo-poderoso. Jó, servo do universo (Ef 1). Deus sustém todas as coisas
Senhor, chegou à conclusão de que Deus podia com sua onipotência, conhece todos os
todas as coisas, quando disse: “Bem sei eu que mistérios por sua onisciência, presencia a tudo
tudo podes, e nenhum dos teus pensamentos com sua onipresença, e determina a finalidade
pode ser impedido.” (Jó 42:2). O anjo Gabriel, para cada coisa existente pela sua soberania (I
que assiste diante de Deus, revelou à bendita Cr 29:11-12).
virgem Maria essas extraordinárias palavras que
identificam a onipotência de Deus: “Porque para g - Imanente. Embora seja transcendental, isto
Deus nada é impossível” (Lc 1:37). Em Gn 17:1, é acima, além e maior do que o universo que
o próprio Deus revelou-se como o Deus Todo- criou, Ele é imanente ou seja presente, ativo,
poderoso. nesse mesmo universo. A presença de Deus é
Deus é o Todo-Poderoso, detém sumamente necessária para preservar sua
autoridade total sobre todas as coisas e amorável relação com os seres por Ele criados,
criaturas. Ele pode fazer todas as coisas que (Ex 8:22, At 17:24-28). Ele está presente no
estiverem em conformidade com sua natureza meio do seu povo (Lv 26:11-12; Ez 37:27; 43:7;
que é santa e justa. Sua soberania sobre o II Co 6:16).
universo é incontestável (Is 40:13-15).
A maior prova da soberania de Deus é o h - Transcendência. Ele é diferente e
poder que Ele tem sobre si mesmo. Deus é independente de sua criação, (Ex 24:9-18; Is
soberano sobre si mesmo e tem o poder de 6:1-3; 40:12-26; 55:8-9). Seus seres é
limitar-se. Deus em sua soberania decidiu em infinitamente maiores e mais elevados que as
criar seres com liberdade de escolha e Ele não ordem por Ele criada, (I Rs 8:27; Is 66:1-2; At
invade essa liberdade. Ele não invade a 17:24-25). Ele subsiste de modo perfeito e puro,
liberdade de nosso arbítrio, embora Ele continue muito além daquilo que Ele criou. Ele mesmo é
sendo o Senhor da História. Ele tem razões que incriado e existe a parte da criação (I Tm 6:16).
só Ele mesmo conhece para ter concedido livre
arbítrio às suas criaturas morais (Dn 4:34-35; 2º - Atributos Morais.
5:20-21). São aqueles que o homem também
possui embora com menor intensidade, pelo
d - Imutabilidade. Ele é inalterável nos seus fato do homem ser a imagem e semelhança de
atributos, perfeição e propósito, (Nm 23:19; Sl Deus, são chamados também de atributos
102:26-28; Is 41:4; Mt 3:6; Hb 1:11-12; Tg 1:17). comunicáveis de Deus.
Isso não significa, porém, que Deus nunca Muitas características de Deus é patente
altere seus propósitos temporários ante o no homem, porém com bem menor grau de
proceder humano, exemplo: “Deus se intensidade, as qualidades divinas existente no
arrependeu” Jn 3:10 = termos da linguagem homem é pelo fato dele ter sido feito à imagem
necessariamente finita e imperfeita do homem, e semelhança de Deus (Gn 1:26-27).
usados para tentarmos compreender o Infinito.
A nós, parece que Deus mudou, mas foi Nínive a - Amor. Seu amor é altruísta, pois abraça o
que mudou, Deus apenas, coerente com Seus mundo inteiro (Jo 3:16; Rm 5:8), a maior prova
atributos imutáveis, não castigou os desse amor está em Cristo (I Jo 4:9-10).
arrependidos.
b - Fidelidade. Deus é fiel, (Ex 34:6; Dt 7:9; Is
e - Eternidade. Ele é de eternidade a 49:7; Lm 3:13; Hb 10:23). Deus cumprirá o que
eternidade, (Sl 90:1-2; 102:12; Is 57:12). Nunca prometeu (Nm 14:32-35, II Sm 7:28; Jó 34:12;
houve e nem haverá um tempo em que Deus At 13:23,32-33; II Tm 2:13). Deus é fiel e
não existisse ou não existirá. Ele não é limitado cumprirá tudo o que disse (Hb 6:4-8, 10:26-31).
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 9

principalmente para os seus, que o invocam em


c - Verdade. Dt 32:4; Sl 31:5; Is 65:16; Jo 3:33, verdade (Sl 145:18-20).
Jesus é a verdade (Jo 14:6), Espírito da
Verdade (Jo 14:17). Deus é absolutamente f - Misericórdia. Ele não extermina o ser
fidedigno e verdadeiro em tudo quanto diz e faz. humano conforme merecemos devido aos
A sua palavra é a verdade (II Sm 7:28, Sl nossos pecados (Sl 103:10; Ex 34:6; Dt 4:31; II
119:43, Is 45:19, Jo 17:3 e 17; I Jo 5:20). Deus Cr 30:9; Sl 103:8; 145:8; Jl 2:13).
não tolera a falsidade e a mentira (Nm 23:19, Tt
1:2, Hb 6:18). g - Compassivo. Ser compassivo significa
sentir tristeza com o sofrimento alheio, com
d - Justiça. Deus é justo (Dt 32:4; I Jo 1:9). Ser desejo de ajudar (II Rs 13:23; Sl 86:15; 111:4).
justo significa que Deus mantém a ordem moral Deus por sua compaixão proveu o meio da
do universo, e reto, sem pecado na sua maneira salvação para a humanidade. Jesus também
de tratar a humanidade (Ne 5:33; Dn 9:14). A teve compaixão das multidões (Lc 4:18; Mt 9:36;
decisão de castigar com a morte os pecadores, 14:14; 15:32; 20:34; Mc 1:41; 6:34).
(Rm 5:12), procede de sua justiça, (Rm 6:23; Gn
2:16-17), sua ira contra o pecado decorre de h - Paciência. Deus é paciente, (Ex 34:6; Nm
sua justiça (Rm 3:5-6; Jz 10:7). Ele revela sua 14:18; Rm 2:4, I Tm 1:16), Deus demonstrou
ira contra todas as formas de iniqüidade, (Sl sua paciência pela 1ª vez no Éden após o
78:21-22, Jn 3:36), e o tratamento injusto contra pecado de Adão e Eva, não destruindo-os como
o próximo (Sl 10:1-4, Am 2:6-7). era o seu direito. (Gn 2:16-17), nos dias de Noé
Sua justiça não se opõe ao seu amor, (I Pe 3:20), e continua sendo paciente com a
pelo contrario para satisfazer a sua justiça Ele humanidade (II Pe 3:9).
enviou seu filho como dádiva de amor (Jo 3:16,
Rm 4:25, I Pe 3:18), a fim de nos reconciliar i - Santidade A santidade é a plenitude gloriosa
consigo mesmo (II Co 5.18-21). da excelência moral de Deus. Ela é a soma de
todas as Suas qualidades morais. A santidade
e - Bondade. Tudo quanto Deus criou era bom, envolve duas idéias:
era uma extensão de sua própria natureza (Gn  A de que Ele é perfeitamente bom;
4:10-31). Ele continua sendo bom para sua  A de sua fidelidade, própria de
criação ao sustentá-la para o bem de todas as todos os seus atos.
suas criaturas (Sl 104:10-28; 145:9). Ele cuida Note que, os atos de Deus são perfeitos,
até dos ímpios (Mt 5:44; At 14:17). Deus é bom porque concordam com o seu caráter perfeito
(Mt 5:48; I Pe 1:16).
EXERCÍCIOS

COMPLETES AS LACUNAS EM BRANCO COM A PALAVRA CORRETA:

1) Deus é um ser_____________(pessoal/impessoal) pelas características de uma


personalidade que lhes são atribuídas.

2) Um_____________(atributo/defeito) é uma propriedade intrínseca ao seu sujeito, pela qual


ele pode ser distinguido ou identificado.

3) Deus é o Todo-Poderoso, detém autoridade_______________(total/parcial) sobre todas as


coisas e criaturas

4) Deus é absolutamente_____________________(dependente/independente) em tudo e todas


as coisas para a continuidade e perpetuidade de Seu ser.

5) Muitas características de Deus é patente no homem, porém com


bem___________(maior/menor) grau de intensidade.

2 - CRISTOLOGIA - DOUTRINA DE JESUS CRISTO


Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 10

Cristologia vem do grego “Christos” = dizeis que Eu sou? “e Pedro respondeu “Tu és
ungido + “Logia” = estudo. o Cristo filho do Deus vivo”.
Jesus Cristo perguntou ao chegar em Durante milênios a pergunta de Jesus
Cesaréia de Filipos ”Que diz os homens ser o Cristo a respeito de si mesmo está no ar, e
filho do homem?“ E ouviu as mais variadas perguntamos “Quem é Jesus para você?”
resposta, seguida Ele perguntou, “E vós quem

Jesus Cristo é o tema central da Bíblia Sagrada vejamos então Cristo de Gênesis a Apocalipse
Gênises Descendente da mulher
Êxodo Nosso Cordeiro Pascal
Levítico Nosso Sacrifício pelo pecado
Números Aquele que foi levantado para a nossa cura e redenção
Deuteronômio Verdadeiro Profeta
Josué Capitão da Salvação
Juízes Juiz e Libertador
Rute Nosso Parente Resgatador
Samuel, Reis e Crônicas Nosso Rei
Esdras e Neemias Nosso Restaurador
Éster Nosso Advogado
Jó Nosso Redentor que vive
Salmos Nosso Socorro e Alegria
Provérbios Sabedoria de Deus
Eclesiastes O Alvo Verdadeiro
Cantares de Salomão O Amado da nossa alma
Isaías O Messias que há de vir
Jeremias e Lamentações O Renovo da Justiça
Ezequiel O Filho do homem
Daniel A Pedra que esmiúça
Oséias Aquele que orienta o desviado
Joel O Restaurador
Amós Divino Lavrador
Obadias O nosso salvador
Jonas A nossa Ressurreição e Vida
Miquéias A Testemunha contra as nações rebeldes
Naum A Fortaleza no dia da angústia
Habacuque O Deus da nossa salvação
Sofonias O Senhor Zeloso
Ageu O Desejado de todas as nações
Zacarias O Renovo da Justiça
Malaquias O Sol da Justiça
Mateus O Messias Prometido
Marco O Servo de Deus
Lucas O Filho do Homen
João O Filho de Deus
Atos O Senhor Redivivo
1 Corintios O Senhor Nosso
2 Corintios A nossa Suficiência
Gálatas O nosso Libertador do jugo da lei
Efésios O nosso Tudo em todos
Filipenses A nossa Alegria
Colossenses A nossa Vida
1 Tessalonicenses Aquele que há de vir
2 Tessalonicenses O Senhor que vai voltar
1 Timóteo O nosso Mestre
2 Timóteo O nosso Exemplo
Tito O nosso Modelo
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 11

Gênises Descendente da mulher


Filemon O nosso Senhor e Mestre
Hebreus O nosso Intercessor junto ao trono de Deus
Tiago O nosso Modelo singular
1 Pedro A Preciosa Pedra Angular da nossa fé
2 Pedro A nossa Força
1 João A nossa Vida
2 João A nossa Verdade
3 João O nosso Caminho
Judas O nosso Protetor
Apocalipse O nosso Rei Triunfante
Jesus estava sujeito as leis comuns do
2.1 - A PESSOA DE JESUS CRISTO. desenvolvimento humano (Lc 2.40, 46,52).
Este estudo se reveste de grande Como verdadeiro homem Jesus experimentou o
importância por causa da relação vital que crescimento físico e mental. Crescia em
Cristo sustém com o cristianismo, nisto Cristo sabedoria, conforme a graça de Deus. Era
de destinge de todos outros fundadores de perfeito quanto a sua natureza humana,
religiões, pode até existir o budismo sem o prosseguindo para a maturidade, segundo a
Buda, o maometismo sem o Maomé, o vontade de Deus. Entre os textos de Lc 2:52 e
mormismo sem Joseph Smith; mas, é 3:1 passaram-se cerca de 18 anos da vida de
impossível haver cristianismo sem Cristo; pois, Jesus sem haver menção de como foi a vida
estreitamente falando, o cristianismo é Cristo e dele neste anos. Sua infância, e adolescência
Cristo é o cristianismo. Em principio o foi normal como os demais jovens de sua
cristianismo não se trata de uma religião; antes, época, trabalhando junto com o Pai, na
é um modo de vida, e essa vida é a vida de carpintaria do seu Pai (Mt 13:53-58). Este texto
Jesus posta em ação viva nos homens. “Cristo trata da rejeição de Jesus em Nazaré, a cidade
em vós, esperança da glória” (Cl 1:27). onde fora criado, o que comprova que teve uma
vida normal, pois se tivesse tido uma infância,
2.2 - A HUMANIDADE DE CRISTO adolescência e juventude diferente, os cidadãos
Jesus era o filho do homem, Ele mesmo de Nazaré, teriam tido mais facilidade para o
várias vezes declarou isso. A humanidade de aceitarem como Messias o que coloca por terra
Cristo é demonstrada pêlos seguintes aspectos: o chamado evangelho da infância. Um livro
apócrifo que conta milagres e outras obras de
2.2.1 - Pela sua descendência humana (Gl Jesus antes do inicio do seu ministério terreno.
4:4; Mt 1:18-25; Mt 2:11, 12:47, Jo 2:5, Hb
10:5): 2.2.3 - Pela sua aparência pessoal.
À beira do poço de Jacó a mulher
Ele quanto ao corpo nasceu de mulher, Samaritana o identificou com um judeu, o que
sendo perdição do nascimento virginal de Jesus prova que Jesus não era diferente fisicamente
foi profetizado aproximadamente 700 anos dos demais judeus de sua época (Jo 4:9; Mt
antes e hoje vem sendo atacada pelos teólogos 26:48), Judas, o identifica com um beijo para
liberais. A palavra virgem vem da palavra grega que os soldados o prendesse. Mesmo depois de
(Parthenos) e da hebraica (Almah) que ressuscitado, Maria Madalena o confunde com o
significam uma moça virgem em idade de jardineiro, (Jo 20:11-18).
casamento e nunca é usada no texto sagrado
para outra condição da mulher, a não ser no 2.2.4 - Por sua natureza humana:
caso de virgindade. É de toda importância o a - Ele possuía corpo físico, (Mt 26:12)
nascimento virginal de Cristo. b - Ele possuía alma racional, (Mt 26:38)
Ele veio da descendência de Davi, (Rm c - Ele possuía espírito humano (Lc 26:43).
1:3, At 13:22-23, Lc 1:31-33, Mt 1:1). Mateus
comprova que Jesus foi um descendente legal 2.2.5 - Por suas limitações físicas e
de Davi, pegando a linhagem de José seu pai humanas:
adotivo enquanto que Lucas mostra a linhagem a - Ele era sujeito ao cansaço físico, (Jo 4:6; Mt
de Jesus do lado materno. Portanto de ambos 8:24);
os lados ele é descendente de Davi. b - Ele tinha sede e fome, (Mt 21:18, Jo 19:28);
c - Sentia dor, (Lc 2:44);
2.2.2 - Pelo seu crescimento e d - Crescia em conhecimento, (Lc 2:52; Mc
desenvolvimento naturais. 11:13);
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 12

e - Limitava seu conhecimento, (Mc 13:32); não é somente o mediador entre Deus e os
homens, (I Tm 2:5), mas, é também o mediador
f - Dependia da oração para ter poder, (Mc
entre Deus e a Criação, Jo 1.3 diz que “Sem ele
1:35);
nada do que foi feito se fez”, Cl 1.15 diz que
g - Dependia da unção do Espírito Santo, (At
Cristo é a Imagem do Deus invisível e Hb 1:1-3
10:38).
afirma que Cristo é o clímax da revelação de
Deus à humanidade e que é Ele que sustenta
2.2.6 - Pelos nomes que lhes foram dados:
todas as coisas.
a - Jesus (Mt 1:21). O nome Jesus provém do
hebraico “Ieshua” (Jeová salva).
Esse nome significa Salvador ou Salvação. É
um nome em uso entre os israelitas tanto do
passado como do presente.
2.3.1 - Falsos Conceitos Sobre a Divindade
de Cristo
b - Cristo. A palavra CRISTO provém do
a - O arianismo. Considerava Cristo como o
hebraico “Massiah” (Ungido), no grego
mais elevado do seres criados, enquanto
“Christós”.
negava a sua divindade.
c - Filho do Homem (Lc 19.10). Usado
b - O Ebionismo. Negava a divindade de
profeticamente em Dn 7:13. Implica não só que
Cristo, considerando-o como um simples
Ele é o homem perfeito, o representante vicário
homem.
de toda a raça, mas também que é o Filho de
Deus (Lc 22:69-70).
c - O Cerintianismo. Pregava haver duas
Jesus Cristo chamou-se “Filho do homem” pelo
naturezas em Cristo, mas só após o seu
menos oitenta vezes nos Evangelhos. Ao faze-
batismo, estabelecendo assim a sua divindade.
lo, Ele certamente se identificou com os filhos
dos homens.
d - O Docentismo. Negava a realidade do
corpo de Cristo, julgando que sua natureza
d - Jesus Nazareno (At 2:22). O povo israelita
divina não podia estar ligada à carne, que
reconhecia Jesus como habitante de Nazaré,
segundo o referido sistema é inerentemente má.
pois ali cresceu até à idade adulta. Cumprindo
assim a profecia que diz: “Ele será chamado
e - O Apolinarianismo. Admitia que Cristo tinha
Nazareno” (Mt 2:23).
apenas duas partes humanas, negando que ele
tivesse alma humana.
e - O Carpinteiro (Mc 6:3). Segundo a tradição,
José, o pai adotivo de Jesus, veio a falecer
f - O Nestorianismo. Negava a união das duas
quando Jesus ainda era muito jovem, vindo
naturezas humana e divina em Cristo, fazendo
assim assumir a responsabilidade da carpintaria
dele duas pessoas.
de seu pai.
g - O Eutiquianismo. Afirmava que as duas
2.3 - A DIVINDADE DE CRISTO
naturezas se uniam em uma só, sendo
Um dos pontos saliente da Cristologia é
predominante a divina.
afirmar a duas naturezas de Cristo, Ele era
100% homem e 100% Deus. O evangelho de
h - O Jeovismo. Ensina que Cristo não é Deus,
João cap. 1:1 “o verbo era Deus” fala da
mas apenas estava existindo na forma de Deus.
divindade de Cristo, como sendo eterno diz
“Que ele estava com Deus no principio” Jo
2.3.2 - Provas Bíblicas da Divindade de
1:2,18 diz que Deus nunca foi visto por alguém ,
Cristo.
mas Jesus tomou a forma humana e tornou-se
Ao contrário da apostasia a bíblia afirma
“EMANUEL” Deus conosco.
que:
O próprio Jesus reconheceu e falou da sua
a - Cristo era e é Deus, Jo 1:1; 10:30,33,38;
divindade quando disse: “QUEM VÊ A MIM VÊ
14:9,11; 20:28; Rm 9:5; Cl 1:15; 2:9; Fp 2:6; Hb
O PAI” (Jo 14:2). Como Deus ele recebeu
1:3; II Co 5:19; I Pe 1:2; Jo 5:6; Is 9:6.
adoração (Mt 2:2,11; 14:33; 28:9) e exerceu sua
b - Cristo é Todo-Poderoso, Mt 28:18; Ap 1:8.
autoridade de perdoar pecados (Mc 2:1-12).
c - Cristo é Eterno, Jo 8:58; Jo 1:18; 6:57; 8:19;
Mesmo Tomé com toda a sua incredulidade
10:30-38; 14:7,9,10,20; 16:28; 17:21.
reconheceu a divindade de Cristo Jo 20:28.
d - Cristo é Criador, Jo 1:3.
A Divindade de Cristo é provada pela sua
coexistência com o Pai e o Espírito Santo. Ele
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 13

2.3.3 - Pelos Nomes: as obras (Mt 12:28; At 1:2; 10:38). Neste estado
a - Deus (Hb 1:8; Jo 20:28; 1:18; 5:20; Rm Cristo deixou de desfrutar dos poderes divinos
9:5; Tt 2:13). O termo é aqui usado no sentido para Sua própria vida, pelo menos na tentação
absoluto, referindo-se à Divindade. Alguns têm (Lc 4:3-4) e na crucificação (Mt 26:53) isto real
argumentado que o termo também é empregado mente aconteceu. Ele, voluntariamente,
para referir-se a juízes humanos (Jo 10:34-36), assumiu a condição de humano para sofrer com
mas esse é apenas um uso secundário do os homens nesse período (Jo 10:17-18).
termo.
2.4.2 - Estado de Exaltação
b - Filho de Deus (Mt 16:16-17; Mt 27:40,43; Pela ressurreição e ascensão, Cristo
Mc 14:61-62; Lc 22:70; Jo 5:25; 10:36; 11:4; passou para o estado de exaltação. Voltou a
Mt 8:29). Esse nome é dado a Jesus Cristo receber aquela glória que Ele tinha antes da
quarenta vezes nas Escrituras. Além disso, há encarnação (At 7:55; Jo 17:5; Fl 2:9-11). Nesse
referências freqüentes a “Seu Filho” e “Meu estado, Cristo assentou-se à destra de Deus, na
Filho” (Jo 5:18). Jesus não reivindicou esse glória que tinha antes da encarnação, e passou
titulo para si mesmo, mas aceitou-o quando a exercer todos os atributos divinos.
usavam para indicá-lO, ou quando foi assim Os dois estados de Cristo refletem os
chamado por outros. dois estados da vida do crente: o de humilhação
neste mundo, e o de exaltação na vida futura.
c - O Primeiro e o Último; o Alfa e o Omega Cristo participou da humilhação humana para
(Ap 1:17; Is 44:6; Ap 22:12-15; 1:8). O Dr. que os crentes participem da sua glória divina,
Pierson diz-nos que esse titulo descreve Cristo mas sempre nesta ordem: primeiro a
como tema de todas as Escrituras, o Criador de humilhação, depois a glória (Hb 2:10; I Pe 1:4-
todos os mundos e criaturas, o Controlador de 11). Assim foi com o Senhor, e assim será
toda a história, o eterno e imutável Jeová. também com os seus discípulos: primeiro as
aflições, por fim a glória incomparável (Rm
d - Senhor (Ap 9:17; At 16:31; Lc 2:11; At 8:18).
4:33). Esse título significa “chefe, superior”. É o
nome de Jeová. Wood diz-nos que os 2.5 - OFÍCIOS DE CRISTO
Ptolomeus e imperadores romanos só permitiam Os conceitos dos ofícios divinos de
que esse nome lhes fosse aplicado quando se Cristo estão vinculados ao que Ele é e veio
deixavam endeusar. As descobertas fazer, e cada um dos ofícios enfatiza a
arqueológicas em Oxyrhyncus estabelece esse mediação de Cristo entre o Pai e a humanidade.
fato além de qualquer dúvida. Portanto, quando
a -Profeta:
os escritores do Novo Testamento falam de
A palavra profeta vem do grego
Jesus como Senhor, não pode haver dúvidas
prophetes que quer dizer alguém que anuncia.
quanto ao que querem dizer com isso.
Ministério passado (de revelar,
apresentar Deus ante os homens, sabendo os
2.4 - ESTADOS DE CRISTO.
segredos + problemas + necessidades: do
Desde a reforma evidencia dois estados
passado, do presente, e do futuro), começou
para Cristo: humilhação e exaltação. Que foram
plenamente na imersão e terminou na
pelo profeta Isaias (Is 52:13-14; 53:1-3,11-12) e
ascensão, antes da encarnação, Seu ministério
confirmado no Novo Testamento (Fl 2:6-11; I Pe
de profeta revelou-Se nas teofanias e pelos
1:11).
profetas (I Pe 1:11). Hoje, revela-se pelo
Espírito Santo (Jo 14:26; 15:5; 16:13-15),
2.4.1 - Estado de Humilhação.
através das igrejas (Mt 28:20). Na Sua segunda
Este estado ocorreu no fato da encarnação e na
vinda, novamente se revelará plenamente (I Co
vida terrena até a morte. O verbo preexistente
13:12; I Jo 3:2). Este ministério foi previsto por
se fez homem (Jo 1:1-14). Nessa encarnação
Moisés (Dt 18:18-19; Jo 1:21), e reconhecido
Cristo humilhou-se (Jo 17:5; II Co 8:9; Fl 2:6-8).
pela samaritana (Jo 4:19); galileus (Lc 7:16);
Ele ficou sujeito as leis físicas e humanas (Lc
povo de Jerusalém (Mt 21:11; Jo 7:40); inimigos
2:52; Gl 4:4). Como ser humano, Ele que é a
(Lc 22:64); discípulos de Emaús (Lc 24:19).
segunda Pessoa da Santíssima Trindade,
passou a ser, em tudo, dependente da terceira
b - Sacerdote:
Pessoa, o Espírito Santo: Ele foi gerado (Lc
Ministério presente (de interceder pelo
1:34-35), ungido (Mt 3:16), conduzido à
homem e representá-lo homem ante Deus),
tentação (Mt 4:1), levado a cruz (Hb 9:4),
começou na ascensão e terminará na segunda
ressuscitado (Rm 8:11), fortalecido para realizar
vinda do Cristo. Para ser sacerdote, o Cristo foi
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 14

tomado entre os homens (Hb 2:16; 4:15), foi momento de sua apresentação no Templo. (Lc
aperfeiçoado pelo sofrimento (Hb 2:10), 2:34-35).
empatiza conosco quando somos provados (Hb Quando Jesus no alto do gólgota bradou
2:17-18; 4:15-16), tem compaixão por nós, Seus está consumado, Ele estava dizendo que a obra
semelhantes (Hb 5:1-2), foi escolhido por Deus da redenção estava pronta. Mas uma coisa
(Nu 16:5; Mt 3:16-17; 17:5; Hb 5:4-6), foi ainda tinha que acontecer, era a sua
consagrado a Deus (Lv 21:6-7; Lc 1:35; Hb ressurreição, sem esta não haveria ressurreição
7:26). Como sacerdote, o Cristo ofereceu a Si dos mortos (Rm 4:25). A ressurreição de Cristo
mesmo como sacrifício (Hb 2:9; 5:1-10), é a declaração ao Universo de que sua morte foi
intercedeu e intercede pelo Seu povo (Lc 22:31- eficaz. Em I Co 15:54-57 Paulo desafia a morte
32; Jo 17; Rm 8:34; Hb 7:25), abençoa Seu e o inferno proclamando a vitória de Cristo
povo (Ef 1:3; 2:11-22). sobre eles.
Devemos entender que a morte e
c -Rei: ressurreição de Cristo foram fatos reais. E esta
Ministério futuro (de reinar por e para é a base do Cristianismo. Jesus ficou morto na
Deus), começará na segunda vinda do Cristo e cruz e foi furado o seu lado com uma lança de
durará por toda eternidade, legalmente, o Filho onde saiu sangue e água, identificando que
já é o Rei (Cl 1:13; Ap 1:9), já recebeu Seu havia saído de seu corpo todo o sangue para
reino, tem todo o direito e poder de exercê-lo que ninguém hoje ousasse dizer que ele não
ilimitadamente, mas só quer e só vai inaugurá-lo tinha morrido e sim desmaiado. A pedra da
gloriosamente quando chegar o dia que o Pai porta do sepulcro e a guarda que foi montada
decidiu (Lc 19:12). Para ser Rei, o Cristo veio da para guardar o corpo de Cristo é para que
tribo de Judá (Gn 49:10), e da semente de Davi ninguém pudesse hoje dizer que o seu corpo foi
(II Sm 7:8-17; Sl 89:3-4; Ap 5:5). Como rei, o roubado. O testemunho de mais de 500 irmãos
Cristo reinará pessoal-onipotente- que o viram ressuscitado, bem como suas
oniscientemente (Jr 23:5-6; Zc 14:9), com vara aparições durante 40 dias em que esteve aqui
de ferro (Sl 2:8-9; Ap 2:27; 19:15), trazendo após a ressurreição, são provas irrefutáveis de
universais paz (Is 2:4) e justiça (Is 11:4-5). que ele está vivo para todo o sempre. Apareceu
também a Paulo no caminho de Damasco e a
2.6 - A OBRA DE CRISTO João na Ilha de Patmos.
Jesus Cristo veio ao mundo de forma O túmulo vazio é o que diferencia o
miraculosa, pois seu nascimento foi um milagre, Cristianismo das demais religiões do mundo,
visto que Maria ficou grávida sem ter contato visto que é a única que seu fundador está vivo
sexual com homem algum. Por isso Cristo veio após quase 3.000 anos de sua fundação. O
ao mundo sem pecado e viveu aqui sem pecar corpo de Cristo após a ressurreição apresenta
(Hb 4:15). características dignas de nota. Jesus após a
Jesus como Divino esvaziou-se da sua ressurreição não estava sujeito as leis naturais,
glória para tornar-se homem e viver entre nós. ele podia aparecer e desaparecer, entrar em
O verbo grego aqui é “AKENOSEN” que lugar fechado, mas, contudo podia ser tocado,
significa despir-se, o que significa que Jesus era palpável e real, podia comer. Tudo isso para
despiu-se da glória que ele tinha junto com o que ninguém dissesse que os discípulos
Pai na eternidade (Jo 17:5). Glória esta que ele estavam tendo miragens.
mostrou a alguns de seus discípulos no monte Inaugurou a sua Igreja no dia de
da transfiguração (Mt 17:1-13). pentecostes batizando 120 irmãos com o
Batizou-se no rio Jordão por João Batista Espírito Santo, hoje está assentado a direita de
para cumprir com a justiça divina, servindo-nos Deus intercedendo por nós, aguardando o
de exemplo, foi levado pelo Espírito ao deserto, momento de vir buscar a sua igreja, para
onde jejuou por 40 dias e 40 noites para ser desencadear os finais dos tempos com a vinda
tentado pelo diabo, vencendo a tentação com do Anticristo e a grande tribulação, quando Ele
palavra de Deus ao retornar do deserto voltará em Glória juntamente com seus santos
convocou 12 homens para o auxiliar no trabalho para destronar o Anticristo e o Falso Profeta e
de implantação do reino de Deus. estabelecer o seu reino milenial durante o qual
Jesus durante três anos desenvolveu o reinará juntamente com sua Igreja cumprindo
seu ministério onde pregou o evangelho do assim as promessas de Deus a Davi. Ao final do
reino, curou enfermos, ressuscitou mortos, fez milênio estabelecerá o grande trono branco para
tantos milagres, mas o ponto alto de sua obra julgar a todos que não quiseram obedecer a
foi o calvário. Ele viveu sob a sombra da cruz, Deus e sua palavra.
vejamos as palavras de Simeão a Maria no
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 15

A obra de Cristo só estará totalmente Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”.
completa quando ele exterminar o pecado para Mundo aqui indica KOSMO no original, que
sempre, julgar e prender satanás e seus implica não somente a humanidade, mas sim
aliados, restaurar toda a criação e estabelecer o todo o universo, e cumprirá também Mt 5:5,
novo céu e a nova terra onde habita justiça. “Bem aventurado os mansos porque herdarão a
Enquanto isto não acontece, a sua Igreja Terra”, não uma terra caótica e degenerada pelo
que é o seu corpo aqui na terra, continua a sua pecado e a ação de satanás, mas sim Novos
obra de implantação do seu reino aqui na terra, Céus e Nova Terra (Sl 37:11,29; 115:16).
e contando com sua presença de poder (Mt Nesse tempo haverá perfeita harmonia
28:18-20; Mc 16:20). Já se passaram quase entre Deus e terra (Cl 1:20) como diz o poeta
2.000 anos, mas ele continua confirmando a sacro “Céus e Terra hão de ser a mesma Grel”,
obra da Igreja aqui na terra. E quando ele sim porque o muro que fazia a separação, já foi
acabar a sua obra, Jesus extinguirá de uma vez derribado e desfeito totalmente.
por todas o pecado e suas conseqüências.
Então se cumprirá integralmente Jo 1:19 “O

EXERCÍCIOS

COMPLETE AS LACUNAS EM BRANCO COM A PALAVRA CORRETA:

1 - 1 - Como verdadeiro homem Jesus________________(desprezou/experimentou) o


crescimento físico e mental.

2 - A Divindade de Cristo é provada pela


sua____________________(divergência/coexistência) com o Pai e o Espírito Santo.

3 - Os dois estados de Cristo refletem os dois______________(lados/estados) da vida do


crente: o de humilhação neste mundo, e o de exaltação na vida futura.

4 - Quando Jesus no alto do gólgota bradou está consumado, Ele estava dizendo que a obra
da ______________________(redenção/consagração) estava pronta.

5 - A obra de Cristo só estará totalmente completa quando ele exterminar


o_______________(mundo/pecado) para sempre, julgar e prender satanás e seus aliados,
restaurar toda a criação e estabelecer o novo céu e a nova terra onde habita justiça.
3 - PARACLETOLOGIA - DOUTRINA DO ESPÍRITO SANTO
simplesmente uma influência, como alguns
O termo paracletologia vem do grego ensinam, mas, Ele é uma pessoa divina.
“paracleto” = CONSOLADOR e “logia” =  Ele tem nomes que o identificam como
ESTUDO, que é mais aconselhável, pois, diz pessoa (I Jo 2:1; Jo 14:16);
respeito direto para o estudo, obra e ministério  Ele se identifica com o Pai e com o Filho e
da pessoa do Espírito Santo, este é o titulo que com todos os cristãos, (Mt 28:19; II Co
Jesus se refere no Evangelho de João nos 13:13; I Jo 5:7).
capítulos 14 a 17, logo que consolador significa  Ele tem poder de decisão (At 15:28).
alguém chamado para ficar ao lado de outrem,  Ele pensa, tem vontade própria, sente
com o propósito de ajuda-lo em qualquer tristeza, revela, ensina, dá testemunho da
eventualidade; já o termo pneumatologia vem nossa filiação com Deus, intercede, fala,
do grego “pneuma” = ESPÍRITO e “logia” = comanda, testifica de Jesus, (Rm 8:27; I Co
ESTUDO, é o estudo sistemático dos espíritos e 2:11; Ef 4:30; II Pe 1:21; Gl 4:6; Rm 8.26; Ap
seres intermediários que fazem a ligação entre 2:7; At 16:6-7; Jo 15:26).
Deus e o homem este não é aconselhável para  Pode-se mentir-lhe, (At 5:3).
o estudo da pessoa do Espírito Santo.  Pode-se blasfemar contra Ele, (Mt 12:31-
32).
3.1 - A PERSONALIDADE DO ESPÍRITO
SANTO 3.2 - A DIVINDADE DO ESPÍRITO SANTO
Considerando o que a Bíblia diz sobre este O Espírito Santo é revelado na Bíblia como
assunto, concluímos que o Espírito Santo não é pessoa divina definida.
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 16

3.6 - JESUS E O ESPÍRITO SANTO


3.2.1 - Ele é chamado “Deus” (At 5:3-4). Jesus tinha um relacionamento especial
com o Espírito Santo, relacionamento este
3.2.2 - Ele possui atributos divinos tais importante para nossa vida pessoal. Vejamos as
como: lições práticas desse relacionamento.
a) Eternidade, (Hb 9:14).
b) Onipresença, (Sl 139:7-10). a - As Profecias do Antigo Testamento.
c) Onipotência, (Lc 1:35). Várias das profecias do Antigo Testamento
d) Onisciência, (I Co 2:10). sobre o futuro Messias afirmam claramente que
Ele seria cheio do poder do Espírito Santo (Is
3.2.3 - Ele é quem deu vida à criação - Gn 1.2 11:2; 61:1-3). Quando Jesus leu Is 61:1-2 na
O Espírito Santo exerceu um papel ativo sinagoga de Nazaré, acrescentou: “Hoje, se
na obra da criação, o verso acima afirma Ele cumpriu esta Escritura em vossos ouvidos” (Lc
pairando sobre a face das águas, preservando-a 4:18-21; ver Jo 3:34b).

b -O Nascimento de Jesus. Tanto Mateus


e preparando-a para as atividades criadoras quanto Lucas declaram de modo específico e
adicionais (Sl 33:6). inequívoco que Jesus veio a este mundo como
Além disto o Espírito Santo continua a resultado de um ato milagroso de Deus. Foi
manter e sustentar a criação (Jó 33:4; Sl concebido mediante o Espírito Santo e nasceu
104:30). de uma virgem, Maria (Mt 1:18,23; Lc 1:27).
Devido a sua concepção milagrosa, Jesus era
3.2.4 - Ele é quem transforma o homem, (Jo um “santo” (Lc 1.35), isto é, livre de toda mácula
3.3-8). do pecado. Por isto, Ele era digno de carregar
A regeneração é a nova criação e sobre si a culpa dos nossos pecados e expiá-
transformação do homem efetuada por Deus los. Sem um Salvador perfeito e sem pecado,
através do Espírito Santo. Por esta operação, a não poderíamos jamais obter a redenção.
vida eterna da parte de Deus é outorgada ao
homem e este se torna filho de Deus. c -O Batismo de Jesus. Quando Jesus foi
batizado por João Batista, Ele, que
3.3 - NOMES DO ESPÍRITO SANTO posteriormente batizaria seus discípulos no
a) Espírito de Deus, (I Co 3:16; Gn 1:2); Espírito, no Pentecoste e durante toda a era da
b) Espírito de Cristo, (Rm 8:9); igreja (Lc 3:16; At 1:4-5; 2:33,38,39), Ele mesmo
c) Espírito Santo, (At 1:5); pessoalmente foi ungido pelo Espírito (Mt 3:16-
d) Espírito de Vida, (Rm 8:2); 17; Lc 3:2l-22). O Espírito veio sobre Ele em
e) Espírito de Adoção (Rm 8:15-16; Gl 4:5-6). forma de uma pomba, dotando-o de grande
poder para levar a efeito o seu ministério,
3.4 - SÍMBOLOS DO ESPÍRITO SANTO inclusive a obra da redenção. Quando nosso
a) Fogo (Lc 3:16); Senhor foi para o deserto depois do seu
b) Vento (At 2:2); batismo, estava “cheio do Espírito Santo” (Lc
c) Água, Rio, Chuva (Jo 7:37-39); 4:1). Todos os que experimentarem o
d) Óleo (Zc 4:2-6); sobrenatural renascimento espiritual pelo
e) Selo (Ef 1:13; II Tm 2:19); Espírito Santo, devem, como Jesus,
f) Pomba (Mt 3:16-17). experimentar o batismo no Espírito Santo, para
lhes dar poder na sua vida e no seu trabalho (At
3.5 - A OBRA DO ESPÍRITO SANTO 1:8).
a) Na criação vemos Sua ação (Gn 1:2; 2:7;
Jó 33:4; Sl 104:30). d -A Tentação de Jesus por Satanás.
b) Nos antediluvianos (Gn 6:3). Imediatamente após o batismo, Jesus foi levado
c) Nos Líderes do Antigo Testamento: Vemos pelo Espírito ao deserto, onde foi tentado pelo
no Antigo Testamento homens, que Ele diabo durante quarenta dias (Lc 4:1-2). Foi pelo
encontrou liberdade para operar em suas fato de estar cheio do Espírito Santo (Lc 4:1)
vidas, entre os quais se destacam: José, que Jesus conseguiu resistir firmemente a
Moisés, os 70 anciões, Bezaleel, Josué, Satanás e vencer as tentações que lhe foram
Daniel, Otoniel, Gideão, Jefté, Sansão, Saul, apresentadas. Da mesma maneira, a intenção
Davi, e muitos outros. de Deus é que nunca enfrentemos as forças
d) Na vida de João Batista (Lc 1:15; 3:2-19). espirituais do mal e do pecado sem o poder do
Espírito. Precisamos estar equipados com a sua
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 17

plenitude e obedecer-lhe a fim de sermos os crentes dependem do Espírito para a vida


vitoriosos contra Satanás. Um filho de Deus espiritual agora, e para a ressurreição corporal
propriamente dito deve estar cheio do Espírito e no porvir Rm 8:10-11.
viver pelo seu poder.
3.7.3 - A Ascensão de Jesus ao Céu e o
3.7 - O ESPÍRITO SANTO E O MINISTÉRIO DE Espírito Santo
JESUS Depois da sua ressurreição, Jesus subiu
Quando Jesus fez referência ao ao céu e assentou-se à destra do Pai como seu
cumprimento da profecia de Isaías acerca do co-regente (Mc 16:19; Ef 1:20-22; 4:8-10; I Pe
poder do Espírito Santo sobre Ele, usou 3:21-22). Nessa posição exaltada. Ele, da parte
também a mesma passagem para sintetizar o do Pai, derramou o Espírito Santo sobre o seu
conteúdo do seu ministério, a saber: pregação, povo no Pentecoste (At 2:33); conforme Jo 16:7-
cura e libertação (Is 61:1-2; Lc 4:l6-19). 14, proclamando, assim, o seu senhorio como
O Espírito Santo ungiu Jesus e o capacitou rei, sacerdote e profeta. Esse derramamento do
para a sua missão. Jesus era Deus (Jo 1:1), Espírito Santo no Pentecoste e no decurso
mas Ele também era homem (I Tm 2:5). Como desta era presente dá testemunho da contínua
ser humano, Ele dependia da ajuda e do poder presença e autoridade do Salvador exaltado.
do Espírito Santo para cumprir as suas
responsabilidades diante de Deus, conforme, Mt 3.7.4 - O Espírito Santo e a Comunhão Entre
12:28; Lc 4:1,14; Rm 8:11; Hb 9:14. Somente Jesus e Seu Povo
como homem ungido pelo Espírito, Jesus podia Como uma das suas missões atuais, o
viver, servir e proclamar o evangelho (At 10:38). Espírito Santo toma aquilo que é de Cristo e o
Nisto, Ele é um exemplo perfeito para o cristão; revela aos crentes (Jo 16:14-15). Isto quer dizer
cada crente deve receber a plenitude do Espírito que os benefícios redentores da salvação em
Santo (At 1:8; 2:4). Cristo nos são mediados pelo Espírito Santo
conforme Rm 8:14-16. O mais importante é que
3.7.1 - A Promessa de Jesus Quanto ao Jesus está bem perto de nós (Jo 14:18). O
Espírito Santo Espírito nos torna conscientes da presença
João Batista profetizara que Jesus pessoal de Jesus, do seu amor, da sua bênção,
Batizaria seus seguidores no Espírito Santo (Mt ajuda, perdão, cura e tudo quanto é nosso,
3:11; Mc 1:8; Is 3:16, Jo 1:33), profecia esta que mediante a fé. Semelhantemente, o Espírito
o próprio Jesus reiterou (At 1:5; 11:16; Lc atrai nosso coração para buscar ao Senhor com
11:13), Jesus prometeu que daria o Espírito amor, oração, devoção e adoração (Jo 4:23-24;
Santo a todos quantos lhe pedissem, este 16:14).
versículo não quer dizer à concessão do
Espírito Santo a partir do novo nascimento, uma 3.7.5 - O Espírito Santo e a Volta de Jesus
vez que a partir da conversão, todos os crentes para Buscar Seu Povo
passam a tê-lo. Todos estes versículos acima
Jesus prometeu voltar e levar para si o seu
referem-se à plenitude do Espírito, que Cristo
povo fiel, para estar com Ele para sempre (Jo
promete conceder àqueles que já são filhos do
14:3; I Ts 4:13-18). Esta é a bendita esperança
Pai celestial – promessa esta que foi
de todos os crentes (Tt 2:13), o evento pelo
inicialmente cumprida no Pentecoste (At 2:4) e
qual, oramos e ansiamos (II Tm 4:8). As
permanece para todos que são seus discípulos
Escrituras revelam que o Espírito Santo
e que pedem o batismo no Espírito Santo (At
impulsiona nosso coração a clamar a Deus pela
1:5; 2:39).
volta do nosso Senhor. É o Espírito quem
3.7.2 - O Espírito Santo e a Ressurreição de testifica que nossa redenção permanece in-
Jesus completa até a volta de Cristo conforme, Rm
8.23. No final da Bíblia, temos estas últimas
Mediante o poder do Espírito Santo, Jesus palavras que o Espírito Santo inspirou “Ora,
ressuscitou dentre os mortos e, assim, foi vem, Senhor Jesus” (Ap 22:20).
vindicado como o verdadeiro Messias e Filho de
Deus. Em Rm 1:3-4 lemos que, segundo o 3.8 - O ESPÍRITO SANTO NA VIDA DOS
Espírito de santificação isto é, o Espírito Santo, CRENTES EM CRISTO JESUS
Cristo Jesus foi declarado Filho de Deus, com Nas vidas dos crentes tem a obra do
poder, e em Rm 8:11 que “o Espírito..., Espírito Santo, através dos crentes que é a
ressuscitou dos mortos a Jesus”. Assim como manifestação dele de forma visível para o ser
Jesus dependia do Espírito Santo para sua humano e obra Dele no crente, isto é, o que o
ressurreição dentre os mortos, assim também
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 18

Espírito Santo faz no crente na sua vida interior, Em I Co 12:8-10, o apóstolo Paulo
no seu caráter e emoções. apresenta uma diversidade de dons que o
Espírito Santo concede aos crentes. Nesta
3.8.1 - O que o Espírito Santo faz através dos passagem, ele não descreve as características
crentes: desses dons, mas noutros trechos das
1º - Dons Espirituais. Escrituras temos ensino sobre os mesmos.
“Mas a manifestação do Espírito é
dada a cada um para o que for útil” (I Co 12:7). 1 - Dom da Palavra da Sabedoria:
Uma das maneiras do Espírito Santo Trata-se de uma mensagem vocal sábia,
manifestar-se é através de uma variedade de enunciará mediante a operação sobrenatural do
dons espirituais concedidos aos crentes (I Co Espírito Santo. Tal mensagem aplica a
12:7-11). Essas manifestações do Espírito revelação Palavra de Deus ou a sabedoria do
visam à edificação e à santificação da igreja (I Espírito Santo a uma situação ou problema
Co 12:7; 14:26). Esses dons e ministérios não específico (Mt 6:10; 15:13-22). Não se trata aqui
são os mesmos de Rm 12:6-8 e Ef 4:11, da sabedoria comum de Deus, para o viver
mediante os quais o crente recebe poder e diário, que se obtém pelo diligente estudo e
capacidade para servir na igreja de modo mais meditação nas coisas de Deus e na sua
permanente. A lista é I Co 12:8-10 completa. Os Palavra, e pela oração (Tg 1:5-6).
dons aí tratados podem operar em conjunto, de
diferentes maneiras. 2 - Dom da Palavra do Conhecimento:
Trata-se de uma mensagem vocal,
Assim sendo: inspirada pelo Espírito Santo, revelando
a) As manifestações do Espírito dão-se de conhecimento a respeito de pessoas, de
acordo com a vontade do Espírito (I Co circunstâncias, ou de verdades bíblicas.
12:11) ao surgir a necessidade, e também Freqüentemente, este dom tem estreito
conforme o anelo do crente na busca dos relacionamento com o de profecia (At 5:1-10; I
dons (I Co 12:31); Co 14:24-25).
b) Certos dons podem operar num crente de
modo regular, e um crente pode receber mais 3 - Dom da Fé:
de um dom para atendimento de Não se trata da fé para salvação, mas de
necessidades específicas. O crente deve uma fé sobrenatural especial, comunicada pelo
desejar “dons” (I Co 12:31; 14:1). Espírito Santo, capacitando o crente a crer em
c) É antibíblico e insensato se pensar que quem Deus para a realização de coisas
tem um dom de operação exteriorizada, ou extraordinárias e milagrosas, a fé que remove
seja, mais visível é mais espiritual do que montanhas (I Co 13:2) e que freqüentemente
quem tem dons de operação mais opera em conjunto com outras manifestações
interiorizada, isto é, menos visível. Também, do Espírito, tais como as curas e os milagres
quando uma pessoa possui um dom (Mt 17:20; Mc 11:22-24; Lc 17:6).
espiritual, isso não significa que Deus aprova
tudo quanto ela faz ou ensina. Não se deve
4 - Dons de Curas
confundir dons do Espírito, com os frutos do
Esses dons são concedidos à igreja para
Espírito, o qual se relaciona mais diretamente
a restauração da saúde física, por meios divinos
com o caráter e a santificação do crente (Gl
e sobrenaturais (Mt 4:23-25; 10:1; At 3:6-8;
5:22-23). Os dons são o que o Espírito faz
4:30). O plural “dons” indica curas de diferentes
através do crente enquanto que o fruto é o
enfermidades e sugere que cada ato de cura
que o Espírito faz no crente.
vem de um dom especial de Deus. Os dons de
d) Satanás pode imitar a manifestação dos dons
curas não são concedidos à todos os membros
do Espírito, ou falsos crentes disfarçados
do corpo de Cristo (I Co 12:11,30), todavia,
como servos de Cristo podem fazer o
todos eles podem orar pelos enfermos.
mesmo, (Mt 7:21-23; 24:11, 24; II Co 11:13-
Havendo fé, os enfermos serão curados. Pode
15; II Ts 2:8-10). O crente não deve dar
também haver cura em obediência ao ensino
crédito a qualquer manifestação espiritual,
bíblico de Tg 5:14-16.
mas deve “provar se os espíritos são de
Deus, porque já muitos falsos profetas se
tem levantado no mundo” (I Jo 4:1); conforme 5 - Dom de Operação de Milagres:
I Ts 5:20-21; Trata-sede atos sobrenaturais de poder,
que intervêm nas leis da natureza. Incluem atos
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 19

divinos em que se manifesta o reino de Deus muito (I Tm 4:1), esse dom espiritual será
contra Satanás e os espíritos malignos (Jo 6:2). extremamente importante para a igreja.

6 - Dom de Profecia: 8 - Dom de Variedades de Línguas:


É preciso distinguir a profecia aqui No tocante, às “línguas” (grego. glossa que
mencionada, como manifestação momentânea significa língua) como manifestação
do Espírito da profecia, com dom ministerial na sobrenatural do Espírito, notemos os seguintes
igreja, mencionado em Ef 4:11. Como dom de fatos:
ministério, a profecia é concedida a apenas a -Essas línguas podem ser humanas e vivas
alguns crentes, os quais servem na igreja como (At 2:4-6), ou uma língua desconhecida na terra,
ministros, profetas. Como manifestação do (I Co 14:2). A língua falada através deste dom
Espírito, a profecia está potencialmente não é aprendida, e quase sempre não é
disponível a todo cristão cheio d’Ele (At 2:16- entendida, tanto por quem fala (I Co 14:14),
18). como pelos ouvintes (I Co 14:16).
Quanto à profecia, como manifestação do b -O falar noutras línguas como dom abrange o
Espírito, observe o seguinte: espírito do homem e o Espírito de Deus, que
entrando em mútua comunhão, faculta ao crente
a -Trata-se de um dom que capacita o crente a
a comunicação direta com Deus isto é, na
transmitir uma palavra ou revelação diretamente
oração, no louvor, no bendizer e na ação de
de Deus, sob o impulso do Espírito Santo (I Co
graças, expressando-se através do espírito mais
14:24-25,29-31). Aqui, não se trata da entrega
do que da mente (I Co 14:2,14) e orando por si
de sermão previamente preparado.
mesmo ou pelo próximo sob a influência direta
b -Tanto no Antigo Testamento, como no Novo,
do Espírito Santo, à parte da atividade da mente
profetizar não é primariamente predizer o futuro,
(I Co 14:2,15,28; Jd 20).
mas proclamar a vontade de Deus e exortar e
c -Línguas estranhas faladas no culto devem ser
levar o seu povo à retidão, à fidelidade e à
seguidas de sua interpretação, também pelo
paciência (I Co 14:3);
Espírito, para que a congregação conheça o
c -A mensagem profética pode desmascarar a
conteúdo e o significado da mensagem (I Co
condição do coração de uma pessoa (I Co
14:3,27-28). Ela pode conter revelação,
14:25), ou prover edificação, exortação,
advertência, profecia ou ensino para a igreja (I
consolo, advertência e julgamento (I Co
Co 14:6). Deve haver ordem quanto ao falar em
14:3,25,26,31).
línguas em voz alta durante o culto. Quem fala
d -A igreja não deve ter como infalível toda
em línguas pelo Espírito, nunca fica em “êxtase”
profecia deste tipo, porque muitos falsos
ou “fora de controle” (I Co 14:27-28).
profetas estarão na igreja (I Jo 4:l). Daí, toda
d -Não confundir o Dom de Línguas com a
profecia deve ser julgada quanto à sua
Língua estranha como sinal do batismo no
autenticidade e conteúdo (I Co 14:29,32; I Ts
Espírito Santo.
5:20-21). Ela deverá enquadrar-se na Palavra
de Deus (I Jo 4:1). Contribuir para a santidade
“E todos foram cheios do Espírito Santo e
de vida dos ouvintes e ser transmitida por
começaram a falar em outras línguas, conforme
alguém que de fato vive submisso e obediente a
o Espírito Santo lhes concedia que falassem”
Cristo (I Co 12:3).
(At 2:4).
e -O dom de profecia manifesta-se segundo a
A língua estranha como sinal do Batismo
vontade de Deus e não a do homem. Não há no
no Espírito Santo, é falada somente no dia do
Novo Testamento um só texto mostrando que a
batismo, enquanto que a língua como Dom é
igreja de então buscava revelação ou orientação
falada posteriormente. Quem recebeu o batismo
através dos profetas. A mensagem profética
no Espírito Santo e nunca mais falou em línguas
ocorria na igreja somente quando Deus tomava
deve buscar o Dom.
o profeta para isso (I Co 12:11).
9 - Dom de Interpretação de Línguas:
7 - Dom de Discernimento de Espíritos:
Trata-se da capacidade concedida pelo
Trata-se de uma dotação especial dada
Espírito Santo, para o portador deste dom
pelo Espírito, para o portador do dom discernir e
compreender e transmitir o significado de uma
julgar corretamente as profecias e distinguir se
mensagem dada em línguas. Tal mensagem
uma mensagem provém do Espírito Santo ou
interpretada para a igreja reunida, pode conter
não (I Co 14:29; I Jo 4:1). No fim dos tempos,
ensino sobre a adoração e a oração, ou pode
quando os falsos mestres (Mt 24:5) e a
ser uma profecia. Toda a congregação pode
distorção do cristianismo bíblico aumentarão
assim desfrutar dessa revelação vinda do
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 20

Espírito Santo. A interpretação de uma superficial. Em seu aspecto negativo torna-se


mensagem em línguas pode ser um meio de em concupiscência.
edificação da congregação inteira, pois toda ela Após observarmos os tipos de amor,
recebe a mensagem. concluímos que o “ágape” é o amor que Deus
tem pela humanidade (Jo 3:16). Esse é o tipo de
3.8.2 - O que o Espírito Santo faz no Crente amor que o Espírito Santo deseja manifestar em
a -Regeneração (Jo 3:3-6); nossas vidas (Rm 5:5), um amor que não
b -Batiza-o no corpo de Cristo (I Co 12:13); depende de circunstancias para manifestar-se (I
c -Habita-o (I Co 6:15-19); Co 13).
d -Selando-o (Ef 1:13-14);
e -Enchendo-o (Ef 5:18-20); 2 - Gozo: Do grego chara, isto é, a sensação de
f -Liberta-o (Rm 8:2); alegria baseada no amor, na graça, nas
g -Guia-o (Rm 8:14); bênçãos, nas promessas e na presença de
h -Separa-o para o Serviço (At 13:2-4); Deus, bênçãos estas que pertencem àqueles
i -Orienta-o no serviço (At 8:27-29); que crêem em Cristo (Sl 119:16; II Co 6:10;
j -Ilumina-o (I Co 2:12-14); 12.9; Fp 1:14; I Pe 1:8).
k -Instrui (Jo 16:13-14);
l -Capacita-o (I Ts 1:5); 3 - Paz: Do grego eirene, isto é, a quietude de
m -Batiza-o (At 2:4-41); coração e mente, baseada na convicção de que
n -Usa-o com seus dons (I Co 12:1-11). tudo vai bem entre o crente e seu Pai celestial
(Rm 15:33; Fp 4:7; I Ts 5:23; Hb 13:20).
3.9 - O FRUTO DO ESPÍRITO
Em contraste com as obras da carne, 4 - Longanimidade: Do grego makrothumia,
temos o modo de viver íntegro e honesto que a isto é, perseverança, paciência, ser tardio para
Bíblia chama “o fruto do Espírito”. Esta maneira irar-se ou para o desespero (Ef 4:2; II Tm 3:10;
de viver se realiza no crente, à medida que ele Hb 12:1).
permite que o Espírito dirija e influencie sua vida
de tal maneira que ele (o crente) subjugue o 5 - Benignidade: Do grego chrestotes, isto é,
poder do pecado, especialmente as obras da não querer magoar ninguém, nem lhe provocar
carne, e ande em comunhão com Deus (ver Rm dor (Ef 4:32; Cl 3:12; I Pe 2:3).
8:5-14 nota; 8:14 nota; cf. II Co 6:6; Ef 4:2-3;
5:9; Cl 3:12-15; II Pe 1:4-9). 6 - Bondade: Do grego agathosune, isto é, zelo
pela verdade e pela retidão, e repulsa ao mal;
O fruto do Espírito inclui: pode ser expressa em atos de bondade (Lc
1 - Amor: É a dimensão mais importante do 7:37-50) ou na repreensão e na correção do mal
fruto espiritual! “Novo mandamento vos dou: (Mt 21:12-13).
que vos amei uns aos outros” (Jo 13:34). Aqui,
Jesus está falando sobre que tipo de Amor? 7 - Fé: Do grego pistis, isto é, lealdade
Segundo alguns estudiosos, há pelo menos três constante e inabalável a alguém com quem
tipos de amor. estamos unidos por promessa, compromisso,
fidedignidade e honestidade (Mt 23:23; Rm 3:3;
a) Ágape. É a palavra grega que significa amor I Tm 6:12; II Tm 2:2; 4:7; Tt 2:10).
altruísta, amor profundo e constante.
8 - Mansidão: Do grego prautes, isto é,
b) Fileo (Amor fraternal). Trata-se da amizade, moderação, associada à força e à coragem;
um afeto humano, limitado. Amamos quando descreve alguém que pode irar-se com
somos amados. Jesus disse: “Se amardes os eqüidade quando for necessário, e também
que vos amam, que recompensa tereis até os humildemente submeter-se quando for preciso
pecadores amam os que os amam” (Lc 3:32). (II Tm 2:25; I Pe 3:15); para a mansidão de
Este amor é qualidade inferior ao amor ágape, Jesus (Mt 11:29); a de Paulo (II Co 10:1); a de
porquanto depende de uma relação recíproca. Moisés (Nm 12:3).

c) Eros (Amor físico). Esse é o amor físico, 9 - Temperança: Do grego egkrateia, isto é, o
que tem origem em nos sos sentidos naturais, controle ou domínio sobre nossos próprios
instinto e paixões. Visto que está alicerçado desejos e paixões, inclusive a fidelidade aos
sobre aquilo que a pessoa vê e sente, esse tipo votos conjugais; também a pureza (I Co 7:9; Tt
de amor pode ser egoísta, temporário, e 1:8; 2:5).
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 21

3.10 - BATISMO NO ESPÍRITO SANTO promessa vos diz respeito a vós, ia vossos
O batismo no Espírito Santo não visa em filhos e a todos os que estão longe; a tantos
primeiro lugar o desenvolvimento da santidade quantos Deus, nosso Senhor, chamar” (At 2:38-
no indivíduo, embora isto possa e deva ser 39). Observando estas palavras, notemos a
intensificado, como conseqüência – mas visa extensão da promessa do batismo no Espírito
dotá-lo para o serviço cristão (At 1:8). A Santo:
promessa foi dada aos discípulos que já tinham a -Vós. Se refere aos judeus presentes no Dia
uma comunhão com Cristo, bem como também de Pentecoste, bem como a nação de Israel.
tinham seus nomes arrolados nos céus (Lc
10:20) e se encontravam purificados diante de b -Vossos filhos. Em alusão aos filhos
Deus (Jo 13:10; 15:3). Portanto, uma pessoa presentes e as gerações sucessivas.
pode ser regenerada, e até santificada, e, no
entanto, não desfrutar do batismo no Espírito. c -Todos os que estão longe. Em relação a
todos universalmente que atentarem ao
3.10.1 - Terminologia. evangelho de Cristo.
É importante lembrar que o Espírito Santo
é uma pessoa. Naturalmente o batismo
descreve apenas um aspecto da experiência
com a terceira pessoa da trindade. O batismo 3.10.4 - Evidência Física.
no Espírito Santo é também conhecido por De fato existe um indicador que retrate e
outras expressões: confirme que alguém realmente tenha recebido
a - Encher (At 2:4) o batismo no Espírito Santo, isto encontramos
b - Derramar (Jl 2:28-29) quando lemos e agrupamos todas as
c - Receber (At 2:38) referências possíveis que trata sobre o batismo
d - Descer (At 10:44) no Espírito Santo no livro de Atos.
Inicialmente observe o texto: “E, de
3.10.2 - Propósito. repente, veio do céu um som, como de um
Além do poder conferido ao indivíduo vento veemente e impetuoso, e encheu toda a
capacitando-o para o testemunho ao mundo, o casa em que estavam assentados. E foram
batismo no Espírito Santo transforma-se na vistas por eles línguas repartidas, como que de
entrada para um tipo de adoração que abençoa fogo, as quais pousaram sobre cada um deles”
os santos de Deus. O batismo é a porta de (At 2:2-3). Estes sinais não se repetiram em
entrada dos vários ministérios espirituais experiências pentecostais posteriores, mas o
chamados dons do Espírito. O batismo constitui- sinal que faz parte real do batismo no Espírito
se numa porta para uma relação crescente Santo está registrado em At 2:4: “E todos foram
entre o Espírito Santo e o crente. cheios do Espírito Santo e começaram a falar
em outras línguas, conforme o Espírito Santo
lhes concedia que falassem”. Essas “línguas”
A Bíblia registra dois batismos distintos:
eram idiomas que eles nunca tinha aprendido, e
a -Primeiro: O Espírito Santo primeiramente
foram distribuídas individualmente. Este sinal foi
nos batiza no Corpo de Cristo.
o mais espetacular dos fenômenos do dia de
Pentecoste, e repetiu-se por várias vezes, duas
b -Segundo: Em seguida, Jesus nos batiza no
das quais são registradas no livro de Atos
Espírito Santo.
(10:46; 19:6).
Se forem reunidas todas as referências
Para isto leia e observe as seguintes
relativas ao derramamento pentecostal
referências bíblicas: Mt 3:11; Mc 1:8; Lc 3:16; Jo
encontradas no livro de Atos, certamente não
1:33; I Co 12:13; Gl 3:27.
haverá duvida alguma de que as línguas são a
evidência inicial e física do batismo no Espírito
3.10.3 - Alcance da promessa.
Santo.
“E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e
cada um de vós seja batizado em nome de
Jesus Cristo para perdão dos pecados, e
recebereis o dom do Espírito Santo. Porque a

EXERCÍCIOS

COMPLETE AS LACUNAS EM BRANCO COM A PALAVRA CORRETA


Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 22

1) O Espírito Santo não é simplesmente uma influência, como alguns ensinam, mas, Ele é
uma__________________(energia/pessoa) divina.

2) A regeneração é a nova criação e transformação do_________________(mundo/homem)


efetuada por Deus através do Espírito Santo.

3) Várias das profecias do Antigo Testamento sobre o futuro Messias


afirmam__________________(claramente/reservadamente) que Ele seria cheio do poder do
Espírito Santo

4) Uma das maneiras do Espírito Santo manifestar-se é através de uma variedade de


dons__________________(naturais/espirituais) concedidos aos crentes.

5) O dom de profecia manifesta-se segundo a________________(necessidade/vontade) de


Deus e não a do homem.

4 - ESTUDO SOBRE A TRINDADE DIVINA


perfeição, por exemplo, assim como a sua
Este é um assunto muitas vezes pouco
triunidade. Porém, o que há revelado na Bíblia é
explorado e que, nem sempre, atrai o interesse
suficiente para que possamos crer no que está
e a dedicação dos estudantes da Bíblia, o que
escrito e aceitar a verdade divina para nós,
resulta em muitos enganos e dúvidas a respeito
sabendo que, o que é espiritual se discerne com
do mesmo, que é o assunto teológico mais
uma mente espiritual, ou seja, uma mente
distorcido da história da igreja, gerando, com
guiada pelo Espírito Santo de Deus.
isto, uma quantidade enorme de heresias, que
tem originado muitas seitas.
4.1 - DEUS É UNO E TRINO
É bem verdade que alguns conceitos nós Ele é um só Deus, (Dt 6:4; Is 45:21; I Co
não conseguimos definir em sua plenitude com 8:5-6; Ef 4:6; I Tm 2:5), manifesto em três
a capacidade de raciocínio e com palavras pessoas distintas (Mt 28:19; II Co 13:14; I Pe
humanas, pois o divino está muito acima do 1:2). Cada uma das três pessoas é plenamente
nosso intelecto. Desta forma, não conseguimos divina igual as duas outras, mas não são três
explicar totalmente a eternidade de Deus e sua
deuses, é sim um só Deus, isto é, uma unidade composta. A palavra hebraica que
unidade composta. significa único, somente um é “YACHID”, e esta
A trindade divina é um mistério que nos jamais foi usada em relação a Deus.
inquieta. A oração judaica de Dt 6:14, enfatiza a Ao estudarmos a trindade, temos que
unidade divina em contraste com a grande analisar o conceito de personalidade.
quantidade de deuses adorados pelos demais
povos, mas, isso não invalida a doutrina da
trindade, visto que a palavra hebraica que foi 4.1.1 - Atributos
traduzida para único é “ECHAD”, que significa
ATRIBUTOS PAI FILHO E.SANTO
Onipresença Jr 23:24 Ef 1:20-23 Sl 139:7
Onipotência Gn 17:1 Ap 1:8 Rm 15:19
Onisciência At 15:18 Jo 21:17 I Co 2.10 4.1.2 - Personalidade envolve os seguintes
Capacidade de Gn 1:1 Jo 1:3 Jó 33:4 aspectos:
Criar 1º - Conhecimento: Inteligência, capacidade
Eternidade Rm 16:26 Ap 22:13 Hb 9:14 de pensamento e ações.
Santidade Ap 4:8 At 3:14 I Jo 2:20
2º - Sentimentos: Toda personalidade é dotada
Santificador Jo 10:36 Hb 2:11 I Pe 1:2 de sentimentos, afeto e emoções.
Fonte de vida Rm 6:23 Jo 10:28 Gl 6:8 3º - Vontade: Toda personalidade tem vontade
eterna e age de acordo com esta vontade.
Inspirador de Hb 1:1 II Co 13:3 Mc 13:11
Profetas
Doador de Jr 3:15 Ef 4:11 At 20:28
Ministros à igreja
Salvador II Ts 2:13 Tt 3:4-6 I Pe 1:2
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 23

Pai, o Filho e o Espírito Santo, cada um Na redenção o Pai enviou o filho (Jo 3:16)
por si revelam tais características à sua e o Filho em seu ministério terreno, veio no
maneira. Na divindade existe três poder do Espírito Santo (Lc 4:14).
personalidades distintas, cada qual inteiramente Pai e o Filho de igual modo tomam parte
divina, mas, encontram-se tão no ministério do Espírito Santo, que consiste em
harmoniosamente inter-relacionadas, que santificar o crente. Há comunhão amorosa
resultam numa essência. dentro da trindade, porque Deus é Amor.
A maneira de desvendar a trindade é Há também na trindade uma espécie de
observar as funções atribuídas a cada uma subordinação, sem implicação quanto a
delas. Esta tríplice distinção está esboçada no natureza de cada uma das pessoas da trindade.
capítulo 1 de Efésios, contudo a trindade O Filho e o Espírito Santo são declarado
coopera entre si. Na criação vemos que o Pai procedentes do Pai. Essa subordinação é
criou através do Filho (Jo 1:3); e o Espírito quanto às relações, mas não quanto a essência.
Santo pairava sobre as águas (Gn 1:2),
preparando-a.
4.1.3 - Duas notórias heresias foram difundidas contra a doutrina da trindade que são:
Algumas passagens bíblicas que refutam
1º- Sabelianismo: Sabélio no século III, numa tais heresias: Jo 15:26; 16:23; 17:1, 18, 23; I Co
tentativa de coibir o ensino de três deuses, 12:4-6; Ef 4:1-6; Hb 10:7-17.
promoveu a idéia de um só Deus. Mas embora
o ser supremo possua uma única
4.2 - O QUE É TRINDADE?
personalidade, manifesta-se de três diferentes
Inicialmente, precisamos definir o que é
modos. Primeiro há o Deus-Pai o criador e
a Trindade, pois aqui está a raiz do problema:
posteriormente o Filho, o redentor e finalmente
muitos não crêem na Trindade porque a
como o Espírito Santo. Para Sabélio Deus
definem erroneamente e baseiam suas
estava exibindo-se sob três diferentes
definições neste conceito errado. Trindade
máscaras. Esta heresia tem chegado até nós
significa um único Deus que subsiste em três
assumindo o epíteto de JESUS SOMENTE ou
pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo, ou
UNIDADE. Usualmente eles apontam para o
seja, são três pessoas distintas em sua
fato de que a palavra nome em Mt 28:19 é
personalidade, mas unidas em sua divindade,
singular, dizendo que esse nome é Jesus.
compartilhando a mesma natureza e essência e
Acontece que nos tempos bíblicos o nome
tendo os mesmos atributos. O Pai não é a
incluía tanto os nomes pessoais, como, os
mesma pessoa que o Filho, que também não é
títulos (Lc 6:13) - Apóstolo era título. Notemos
a mesma pessoa que o Espírito Santo, mas são
um único Deus. Desta forma, o Filho não é um
que em Mt 28:19 o mandamento foi batizar os
outro Deus ao lado do Pai, como também não o
neoconversos “no nome”: era a maneira de
é o Espírito Santo. O Pai, o Filho e o Espírito
referir-se à adoração e serviço do Pai. Todavia
Santo não são também formas consecutivas
em At 2:38 há uma forma diferente usado no
que Deus assumiu ao longo de sua revelação
original grego, e que significa “no nome de
ao homem. Trindade não é também um
Jesus”: era a maneira de realçar a expressão:
conjunto de três deuses, ou uma tríade, como
Sob a autoridade de Jesus conforme Mt 28:19.
os deuses pagãos do Egito, ou da Babilônia,
Lucas usou esta terminologia para distinguir o
pois lá eles são três deuses distintos, entre
batismo de Cristo do batismo de João Batista.
muitos deuses. Aqui não, existe apenas um
Deus. O Pai, o Filho e o Espírito Santo também
2º - Arianismo: Em 325 d.C. Ario enfatizou de
não são partes essenciais de uma mesma
tal forma a distinção entre as três pessoas da
pessoa divina, como no homem, o corpo a alma
trindade que acabou em dividi-las em três
e o espírito. Alguns dizem que a Bíblia cita o
essências distintas. Ário negava a eterna
Pai, o Filho e o Espírito Santo, como cita
filiação de Cristo, sugerindo que ele passou a
Abraão, Isaque e Jacó ou Pedro, Tiago e João,
existir nalgum tempo após o Pai. E o Espírito
ou seja, apenas um conjunto de três, mas
Santo veio a existir através duma operação do
esquecem que Abraão, Isaque e Jacó tinham
Pai e do Filho, tornando-se a sua deidade
algo em comum: o patriarcado, Pedro, Tiago e
inferior a do Pai e do Filho, e a deidade do Filho
João tinham em comum o apostolado e o Pai, o
inferior a do Pai. Há ainda hoje vários grupos
Filho e o Espírito Santo tem em comum a
que negam a divindade do Filho e do Espírito
natureza divina.
Santo. Tais grupos se consideram herdeiros
Define muito bem este conceito o Credo
espirituais de Ário.
Atanasiano, que diz: “Adoramos um Deus em
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 24

Trindade, e a Trindade em unidade; não composto de três elementos: Tempo, Espaço e


confundindo as pessoas, nem dividindo a Matéria. Cada um destes elementos é composto
substância. Pois existe uma pessoa do Pai, de três outros: o Tempo é composto de
outra pessoa do Filho, e outra pessoa do Passado, Presente e Futuro; o Espaço é
Espírito Santo. Mas a deidade do Pai, do Filho e compreendido por Altura, Largura e
do Espírito Santo é toda uma só; a glória é igual Profundidade, e a Matéria apresenta-se em três
e a majestade é co-eterna. Tal como é o Pai, tal estados diferentes: Sólido, Líquido e Gasoso.
é o Filho, e tal é o Espírito Santo... Assim como Cada unidade é absoluta mas não pode existir
o Pai é Deus, o Filho é Deus, e o Espírito Santo por si mesma. Cada um só existe no conjunto
é Deus. No entanto, não há três deuses, mas completo e nenhum elemento sozinho
um Deus”. E este é um ponto chave: Um Deus representa o todo. A altura sozinha não é o
em três pessoas, iguais em seus atributos e Espaço, nem a largura, pois ele só existe
diferenciadas por sua função e personalidade. considerando todos os seus componentes, e
Alguns argumentam que a palavra assim também o tempo e a matéria. Não seria
Trindade nem sequer existe na Bíblia, e usam esta uma revelação da triunidade de Deus na
isto para querer refutar a doutrina. É verdade Natureza?
que a palavra Trindade não consta no texto
sagrado, mas isto não significa que ela não 4.2.1 - Trindade no Velho Testamento.
exista. A revelação da Trindade está em toda a A revelação plena da Trindade deu-se no
Bíblia; este foi apenas um termo técnico Novo Testamento, mas ao observarmos melhor
utilizado para definir a idéia, como por exemplo, o Velho Testamento, podemos encontrá-la.
a Bíblia não tem a palavra onisciência, mas a A Bíblia começa dizendo: “No princípio,
idéia está contida nas Sagradas Escrituras; o criou Deus os céus e a terra” (Gn 1:1). Nesta
termo é que surgiu depois. A palavra Trindade referência, a palavra Deus traduzida do
não está presente na Bíblia porque a revelação hebraico é Elohim, que é uma palavra que está
plena desta verdade bíblica se deu no início da no plural (Elohim é o plural de Eloah). Aqui o
Igreja, quando já havia sido escrito o Novo Deus composto de Pai, o Filho e o Espírito
Testamento (até porque a pessoa do Espírito Santo estava criando, pois a Bíblia nos mostra
Santo não havia sido revelada em sua que os três são participantes na criação. No
plenitude), e a palavra em si só foi utilizada pela livro de Gênesis vemos três vezes (e não
primeira vez por Tertuliano, no século II. A Bíblia menos que três) referências de Deus em
também não contém palavras como Via Láctea, passagens que está no plural; em Gn 1.26,
gravidade e outras, e isto não significa que disse Deus “façamos o homem à nossa
estas coisas não existam, apenas não eram imagem”; em Gn 3:22 “eis que o homem é
conhecidas quando ela foi escrita. Também não como um de nós” e em Gn 11:7 “desçamos e
cita o cigarro, a heroína e o crack mas o seu confundamos ali a sua língua”. Nestas
conteúdo doutrinário é contrário a estas coisas. passagens Deus está dialogando com alguém e
Termos técnicos e conceitos organizados não cremos que fosse com anjos ou outros
acerca de assuntos bíblicos como soteriologia, seres inferiores, mas com as outras pessoas da
hamartiologia, imanência, pré-existência, etc. Trindade. Alguns podem indagar: “como Deus
também não são citados na Bíblia, porém são estava conversando consigo mesmo?”
usados e reconhecidos por todos que conhecem Respondemos que não se deve confundir a
e estudam a Bíblia Sagrada. divindade que é uma só, com a personalidade,
Outros argumentam que Trindade é que é individual. Deus, o Pai, estava
matematicamente incorreta, pois 1+1+1=3. Em conversando com Deus, o Filho e Deus, o
primeiro lugar, Deus está acima da matemática Espírito Santo, assim como Deus, o Filho, orava
e não precisa de conceitos humanos para ao Pai em João cap. 17 (devemos lembrar que
explicar a si mesmo; Ele é maior. Em segundo uma é a pessoa do Pai, outra é a pessoa do
lugar, porque a operação precisa ser a de Filho, e outra é a pessoa do Espírito Santo).
adição? Pois 1x1x1=1 e isto, está Vale salientar, também, que a passagem de Gn
matematicamente correto! 1:26 refere-se à criação do homem, onde a
Outro fato interessante é que a Bíblia figura principal aqui é Deus, o Pai; Gn 3:22
afirma em Romanos 1:20, que o eterno poder refere-se ao pecado do homem, onde a figura
de Deus e a sua divindade se entendem pelas principal é Deus, o Filho, que é o redentor da
coisas que ele criou, ou seja, podemos humanidade, e a de Gn 11:7 refere-se ao juízo
compreender os atributos de Deus observando do homem, cuja principal figura é o Espírito
as coisas que Ele fez. Sendo assim, podemos Santo, que convence o homem do pecado, da
observar que tudo o que há no Universo é justiça e do juízo (Jo 16:8).
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 25

De forma semelhante, nas três principais esta passagem a Cristo (Ef 4:7-8). Isaías
festas judaicas vemos a figura da Trindade: a profetizou de um que viria desobstruir o
Festa dos Tabernáculos lembrava ao povo que caminho de Jeová (Is 40:3). Mt 3:3 afirma que
eles viveram em cabanas no deserto, e que este é João Batista, o que foi confirmado por ele
Deus habitou com eles, representado no próprio (Jo 1:23). Seu pai profetizou que ele iria
Tabernáculo. Esta festa lembra de Deus, o Pai, à frente de Jeová (Lc 1:76). O próprio João
que era o Deus a quem os judeus conheciam. A afirmou que o Jeová que ele veio à frente é
Festa da Páscoa lembrava que Deus os tirou do Jesus (Jo 1:30).
Egito e também do sacrifício do cordeiro. Paulo Muitas outras passagens no Velho
faz referência a Cristo, como sendo a nossa Testamento falam de Jeová no plural e nos
páscoa (I Co 5:7); então ela lembra de Deus, o levam a entender que Jeová não é o nome
Filho. E a terceira festa, que é a Festa de apenas de Deus, o Pai, mas do Deus triúno. Em
Pentecostes ou das Semanas, que era um Zc 12:1 diz “Fala o Senhor” (Jeová); no v.10
agradecimento a Deus pelo alimento, lembra de este Jeová diz: “e olharão para mim, a quem
Deus, o Espírito Santo, pois foi no dia desta traspassaram”, ora, quem foi traspassado, o Pai
festa que houve o primeiro derramamento do ou o Filho? Jo 19:34 afirma que Jesus foi
Espírito Santo sobre os discípulos. traspassado e Ap 1:7 confirma. No salmo
Outra passagem que precisamos analisar 102:25-27 fala de Jeová, do seu poder criador e
é Deuteronômio 6:4, que diz: “Ouve, Israel, o da sua eternidade. Em Hebreus 6:1-12, o autor
Senhor, nosso Deus, é o único Senhor”. Esta aplica esta mesma mensagem a Cristo. Em Is
passagem é citada por alguns como sendo uma 45:18-23 Jeová está falando e conclui dizendo:
prova da unicidade de Deus. No hebraico, “diante de mim se dobrará todo o joelho, e por
língua na qual foi escrito o Velho Testamento, mim jurará toda a língua”. Em Fp 2:9-11, Paulo
está escrito: “Shema, Israel, Adonai elohenu afirma que isto acontecerá com Jesus Cristo.
Adonai echad”. A palavra usada para único Em Zc 14:3 diz que Jeová sairá e pelejará
Deus é “echad”, que é uma unidade composta contra as nações, e o v.4 diz que ele estará
(diferente de “yachid”, que é uma unidade sobre o Monte das Oliveiras, que se fundirá ao
simples). Esta palavra é utilizada em Gn 2.24, meio. Isto acontecerá no final da batalha do
referindo-se ao homem e a mulher, sendo uma Armagedom. Em Ap 19 vemos que o que vem é
só carne (unidade composta), em Nm 13.23 a Jesus Cristo. No v.9 do cap. 14 de Zacarias diz
um cacho de uvas (várias uvas em um cacho) e que Jeová será rei sobre a Terra. Em Ap 19:6
em Ed 2.64, referindo-se a uma congregação diz que o Senhor Deus Todo-Poderoso reina e
(um conjunto de pessoas). Sendo assim, a 20:4 diz que Cristo reina. Em Is 48:12-13 fala de
passagem que diz que Deus é único, nos ensina alguém que fundou a Terra e que é o primeiro e
que esta é uma unidade composta. o último. Ap 21:6 e 22:13 diz que Cristo é o
Outra observação que precisa ser feita é a primeiro e o último; o v.16 de Isaías 48 diz que a
respeito da palavra Jeová, traduzida para o este que está falando Jeová enviou o seu
português a partir do tetragrama YHVH. Esta Espírito (Jeová, o Pai, enviou o seu Espírito a
palavra é traduzida do original como EU SOU e Jeová, o Filho). Em Gn 18:1-2, Jeová aparece a
fala da eternidade e da auto-existência de Deus. Abraão: eram três pessoas. Abraão se dirige a
Foi assim que Deus apresentou-se a Moisés no eles como sendo Jeová (Gn 18:3). A Bíblia
Monte Sinai em Ex 3:14. Jesus também refere-se tanto aos homens falando (Gn 18:9-
identificou-se como sendo o Jeová do Sinai, 10) como a Jeová falando (Gn 18:13). Quando
quando disse aos judeus, em Jo 8:58: “Antes dois dos homens se despedem, Abraão
que Abraão existisse, EU SOU”. Isto para eles continua a chamar o que ficou de Jeová (Gn
era uma blasfêmia, tanto que no v.59 eles 18:22-23) e Ló recebe os outros dois como
pegaram em pedras para apedrejá-lo. Jeová (Gn 19:1-18). Jesus identifica-se como
Em Isaías 6:1, ele viu a Jeová (a palavra sendo o que apareceu a Abraão (Jo 8:56-58).
Senhor aqui traduzida é Jeová) num alto e Salmo 45:6-7 fala de um Deus ungindo outro
sublime trono. Os querubins diziam Santo três Deus. Gn 19:24 fala de um Jeová fazendo
vezes e no v.8 Jeová diz: “Quem há de ir por descer fogo de outro Jeová. Estas passagens
nós?”. Paulo afirma em At 28:25-26, que o só podem ser entendidas quando cremos que
Jeová que Isaías viu foi o Espírito Santo (veja Jesus é Deus e também é Jeová. (Espírito
como a mensagem do v. 26 é igual à de Is 6:8- Santo também é Jeová).
10). Da mesma forma, João disse que Isaías Outrossim, Jesus aparece várias vezes no
estava falando de Jesus (Jo 12:40-41). O Salmo Velho Testamento, como o Anjo do Senhor.
68:18 diz que Jeová ascendeu ao alto, levou Observe em Josué 5:13-15 que ele é adorado e
cativo o cativeiro e deu dádivas. Paulo aplica aceita a adoração, diferente do anjo que
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 26

apareceu a João (Ap 22:8-9). Em Gn 16:7-14 revelação pública da Trindade: Jesus Cristo,
ele aparece a Hagar no deserto. No v.13 diz que Deus, o Filho, saía das águas, tendo sido
ela chamou o nome do Senhor (Jeová) COM batizado por João Batista, e então vê-se Deus,
QUEM ELA FALAVA, Deus da vista. Em Jz o Espírito Santo, descendo como pomba, ao
6:11-24 ele aparece a Gideão. No v.16 diz que mesmo tempo que ouvia-se uma voz que dizia:
Jeová lhe falou; no v.17 Gideão pede para ele “Este é o meu filho amado...”. A voz poderia ter
provar que é Deus; ele consome o que lhe foi dito: “Este é o meu ungido” ou “meu enviado”,
oferecido, tocando com a ponta do cajado e mas para deixar bem claro que aquele que
desaparece. falava era Deus, o Pai, ele disse “meu filho”.
Desta forma, no Antigo Testamento, o Em seu discurso, Cristo sempre deixou
Deus trino já se revelava de várias formas ao claro que era igual ao Pai, em sua divindade. Só
povo de Israel e em várias passagens o fato de chamar-se a si mesmo de Filho de
observamos as pessoas da Trindade Deus, já significava dizer que ele era da mesma
manifestas: Deus, o Pai, como o Todo- natureza que o Pai. Lemos em Jo 5:18: “Por
poderoso, o Deus de milagres, que arrebatou isto, pois, os judeus ainda mais procuravam
Israel com mão poderosa; Deus, o Filho, como o matá-lo, porque não só quebrantava o Sábado,
Anjo dos exércitos do Senhor e como o Messias mas também dizia que Deus era seu próprio
prometido, e Deus, o Espírito Santo de diversas Pai, fazendo-se igual a Deus”. Da mesma
formas, ora apoderando-se de Sansão, ora forma, na transfiguração, ele revela sua glória a
guiando Moisés, ora capacitando Bezelael, ou Pedro, Tiago e João, que estavam no monte. Ali
vindo sobre Gideão. também o Pai revelou-se confirmando a sua
Entretanto, as revelações plenas de Cristo condição de filho e sua natureza divina (Lc
e do Espírito Santo somente ocorreram no Novo 9:35). Pedro registrou em sua epístola que
Testamento, até porque eles passaram a ter um sabia que quem tinha falado com eles era o Pai
relacionamento mais direto com a humanidade: (II Pe 1:17-18).
o Senhor Jesus Cristo como Deus encarnado, Em suas últimas instruções aos discípulos
que veio salvar os homens e conduzi-los a Jesus revela também a Trindade. Em Jo 14:16
Deus, conquistando a vitória no sacrifício da está escrito: “Eu rogarei ao Pai, e ele vos dará
cruz, e o Espírito Santo como o outro outro consolador”. Aqui o Filho estava afirmando
Consolador, o parácleto divino que guiou a que rogaria ao Pai para que enviasse o Espírito
igreja e conduziu em vitória os apóstolos e os Santo. A palavra consolador, no grego, é
primeiros cristãos. Este novo relacionamento, parakletos, que é usada em I Jo 2:1, referindo-
com um novo povo, a Igreja, veio acrescentar, se a Cristo como Advogado. Por isto ele diz
também, conhecimento a nível doutrinário sobre “outro consolador”. A palavra outro, aqui usada,
estas duas pessoas divinas, agora melhor em grego, é allon, que significa “outro da
reveladas. mesma espécie”, diferente de heteros, que
significa “outro, de espécie diferente”. Vemos,
4.2.2 - A Trindade no Novo Testamento. então, as três pessoas da Trindade de forma
Logo no nascimento de Cristo, em Lc 1:35, clara. No mesmo capítulo, v.26, e também em
vemos a Trindade de forma explícita. Disse o Jo 15:26, Jesus diz que o Pai enviará o Espírito
anjo Gabriel: “descerá sobre ti o Espírito Santo, Santo em Seu nome.
e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua Observamos também a Trindade na
sombra, pelo também o Santo que de ti há de ressurreição de Cristo. O Filho foi ressuscitado.
nascer, será chamado Filho de Deus” (grifo Ele havia dito que ressuscitaria a si mesmo em
nosso). O Altíssimo (Deus, o Pai) e o Espírito Jo 2:19-22. Paulo afirma em Rm 8:11 que quem
Santo agiram no nascimento humano do Filho. o ressuscitou foi o Espírito de Deus e em I Ts
A presença do Pai e do Espírito Santo foi uma 1:10 ele afirma que foi Deus, o Pai, quem
constante no ministério terreno de Jesus Cristo: ressuscitou a Jesus.
ele fez referência aos “negócios do Pai”, entre Na grande comissão, em Mt 28:18-20,
os doutores, quando estava com 12 anos, e a Cristo ensina-nos a fórmula batismal, dizendo:
Bíblia afirma que ele era cheio do Espírito Santo “batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do
(Lc 4:1). Cristo, que fazia questão de dizer que Espírito Santo”. Vale observar que Ele não disse
era enviado do Pai, veio, como disse João “nos nomes”, mas “no nome”, indicando unidade
Batista, para batizar com o Espírito Santo e com e, ao mesmo tempo, trindade, ao citar os nomes
fogo. Observamos, assim, o estreito das três pessoas. O fato de citá-los na mesma
relacionamento entre eles. fórmula, coloca-os no mesmo nível,
Por ocasião do batismo de Jesus Cristo no estabelecendo uma igualdade entre eles,
Rio Jordão, vemos, em Mt 3:16-17, uma
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 27

significando dizer que são da mesma essência, cantando e salmodiando ao Senhor Jesus,
possuindo os mesmos atributos. dando graças a Deus Pai.
Ao se reconhecer a divindade de uma das
pessoas, reconhece-se a das outras, sendo
impossível haver distinção. Não poderíamos
batizar em nome de Deus e de outras pessoas
diferentes que não são de mesma natureza.
Jesus, então, encerra o seu ministério terreno
ao subir para o Pai e enviar o Espírito Santo. Vejamos a comparação entre estas
Nos ensinos de Paulo também passagens:
encontramos a doutrina da Trindade em  Paulo ensina em At 17:25 que o Pai é quem
diversas passagens. A mais conhecida delas é dá a vida. O próprio Jesus disse que o Filho
a chamada benção apostólica, que encontra-se
dá a vida a quem ele quer (Jo 5:21) e, ainda,
em II Cor 13:13: “A graça do Senhor Jesus lemos em Rm 8:11 que é o Espírito Santo
Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do
quem dará a vida aos nossos corpos
Espírito Santo seja com todos vós”. Esta é uma mortais.
declaração clara da Trindade, mostrando,
 Temos em Cl 6:16 que o Pai habita em nós.
inclusive, as diferentes ações por parte das
Da mesma maneira, está escrito em Ef 3:17
pessoas divinas. Em Ef 1:3-14, Paulo começa
que o Filho habita em nós, e em Rm 8:9,
falando do Pai (v.3), que nos abençoa e elege,
que o Espírito Santo habita em nós.
para o louvor da sua glória (v.6). Depois fala do
 Escritor aos Hebreus afirma no primeiro
Filho (v.7), que nos redime, nos perdoa e em
quem fomos feitos herança, para o louvor da versículo do livro que Deus falou pelos
sua glória (v.12), e encerra falando do Espírito profetas. Pedro afirma que eles falaram pelo
Santo (v.13), que é o penhor da nossa herança, Espírito de Cristo (I Pe 1:11) e também que
para o louvor da sua glória (v.14). Isto deixa falaram pelo Espírito Santo (II Pe 1:21).
clara a função de cada pessoa da Trindade na  Jesus ensinou que os discípulos, quando
salvação do homem: O Pai enviou o Filho (Jo confrontados a respeito de sua fé, não
3:16-17), que deu a sua vida em resgate por falariam de si mesmos, mas seria dada a
nós (Ef 1:7), satisfazendo a justiça do Pai (II Co palavra a eles pelo Espírito do Pai (Mt
5:21), ao mesmo tempo que nos reconcilia com 10:20). Em outra passagem (Lc 21:15), ele
o Pai (II Co 5.18-21), é a nossa propiciação ao disse que seria ele próprio quem daria a
Pai (I Jo 2:2) e nos justifica diante do Pai (Rm palavra, e ensina também que eles teriam a
3:24; At 8:39). Esta obra do Filho é aplicada no palavra dada pelo Espírito Santo (Mc 13:11).
crente pelo Espírito Santo através do novo
nascimento (Tt 3:5-6). Ele nos santifica (I Co Não há nenhuma contradição nestas
6:11) e nos dá acesso ao Pai (Ef 2:18), através passagens, quando entendemos a doutrina
do Filho (Hb 4:14-16). Para isto, ele convence o da Trindade. Do contrário, tudo isto parece
homem do seu pecado (Jo 14:16) e o faz confuso e contraditório.
membro do corpo de Cristo (I Co 12:13).
Em I Cor 12:4-6 Paulo faz um Pedro também refere-se à Trindade em sua
relacionamento interessante: ele diz “Ora há epístola (I Pe 1:2), dizendo:
diversidade de dons, mas o Espírito é o “Eleitos segundo a presciência de Deus
mesmo”. Os dons, aqui relacionados ao Espírito Pai, em santificação do Espírito Santo, para
Santo, certamente é a lista de I Cor 12:8-10, os obediência e aspersão do sangue de Jesus
chamados dons do Espírito Santo. “Há Cristo” (grifo nosso). Semelhantemente, temos
diversidade de ministérios, mas o Senhor é o em Jd 20-21: “orando no Espírito Santo,
mesmo”. O Senhor aqui é Jesus Cristo e os conservai a vós mesmos na caridade de Deus
ministérios são a lista de Ef 4:11 (Apóstolos, [o Pai], esperando a misericórdia de nosso
Profetas, Evangelistas, Pastores e Doutores), Senhor Jesus Cristo” (grifo nosso).
que são distribuídos por Ele (“Ele mesmo
deu...”). “Há diversidade de operações, mas é o
mesmo Deus [o Pai] que opera tudo em todos”.
As operações podem ser a lista de Rm 12.6-8
(ministrar, ensinar, exortar, repartir, presidir,
etc.), que são segundo a medida da fé que
Deus repartiu (v.3). Paulo ensina-nos, ainda, em
Ef 5:18-20, a encher-nos do Espírito Santo,
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 28

EXERCÍCIOS

COMPLETE AS LACUNAS EM BRANCO COM A PALAVRA CORRETA

1) Na divindade existem três personalidades distintas, cada qual inteiramente divina, mas,
encontram-se tão_______________________________(harmoniosamente/dificilmente) inter-
relacionadas, que resultam numa essência.

2) A revelação plena da Trindade deu-se no Novo Testamento, mas ao observarmos melhor o


Velho Testamento, podemos____________________(negá-la/encontrá-la.)

3) Em seu discurso, Cristo sempre deixou claro que era__________________(diferente do


Pai/igual ao Pai), em sua divindade.

4) Em suas_______________________(últimas/poucas) instruções aos discípulos Jesus revela


também a Trindade. Em Jo 14:16 está escrito: “Eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro
consolador”.

5) Jesus ensinou que os discípulos, quando confrontados a respeito de sua fé, não falariam de
si mesmos, mas seria dada a palavra a eles pelo___________________(Espírito
do Pai/Filho do Pai).

SERES CRIADOS: HOMEM, ANJOS, DEMÔNIOS E SATANÁS


Introdução:
O assunto que vamos tratar nesse livro é os demônios é chamada de demoniologia e a
por demais importante dentro do estudo da que estuda sobre Satanás é chamada de
teologia. Trata-se do estudo dos seres criados, satanalogia.
ou seja, homem, anjos e demônios. Esperamos que após esse estudo você
De acordo com o nosso programa de possa ter esclarecido suas dúvidas e
estudo, estaremos estudando essas três aumentado seu conhecimento acercas das
matérias de uma só vez, portanto, logo se vê coisas espirituais, estando mais apto para fazer
que o estudo se dará de forma resumida. a obra de Deus.
A parte da teologia que estuda o homem, é
chamada de antropologia, a que estuda os
anjos é chamada de angelologia, que estuda

5 - ANTROPOLOGIA - DOUTRINA DO HOMEM


Os escritores bíblicos, principalmente os
A palavra antropologia vem da junção de do Antigo Testamento tinham numerosos
duas palavras gregas que são: antropos = termos para descrever o ser humano. Vejamos
HOMEM e logia = ESTUDO, portanto significa o alguns termos em hebraico:
estudo sobre o homem, e estudaremos a
Antropologia Bíblica, ou seja, o Estudo acerca a) Adam. Ocorre 562 vezes na bíblia e refere-se
do homem à luz da Bíblia Sagrada. à raça humana, tanto homem como mulheres
como a imagem de Deus.
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 29

O homem difere dos demais animais


b) Enosh. Aparece 44 vezes e significa também nesse aspecto. Só o homem possui
humanidade no sentido geral. (Jó 28:13; Sl 90:3; essa capacidade. Os animas até podem fazer
Is 13:12) certas coisas e até de forma repetitiva induzido
pelo homem, mas não o fazem por vontade
c) Ish. Aparece 2.160 vezes e indica o homem própria e sim por vontade do homem. O homem,
no sentido masculino ou marido. Também é no entanto, tem a capacidade de fazer o que
usado para distinguir entre Deus e o homem. quiser, bem como obrigar os animais a fazerem
o que ele, o homem, deseja.
d)Gever. Esse termo aparece 66 vezes e tem Quanto a imagem de Deus no homem,
uma conotação com força, juventude, homens devemos nos lembrar do fato de que essa
guerreiros ou heróis. particularidade pertencente ao homem, foi
sugerida por Deus. O homem não é imagem de
Já no Novo Testamento temos o termo Deus porque ele quer ser, ele é imagem de
grego ANTHRÕPOS e geralmente significa Deus porque Deus quer. Quando Deus formou o
humanidade, distinguindo entre o homem e primeiro homem, este trazia em si a imagem
Deus, os anjos e os animais. Geralmente esse nítida de Deus, quando pecou, essa imagem foi
termo é usado para falar sobre as limitações do ofuscada e precisa ser re-estabelecida através
ser humano. do novo nascimento, ou seja, da regeneração
(Ef 4:24).
5.1 - A ORIGEM DO HOMEM O fato que implica sermos filhos de Deus é
O pensamento bíblico é que Deus criou o o parentesco que temos com Ele. Nem mesmo
homem diretamente. Não há dentro do coração o fato do homem ser feito do pó da terra
do crente sincero, espaço para pensamentos, desmente isso, pois após ser feito do pó da
sugeridos pelas teorias da evolução criadas terra, Deus soprou em suas narinas e lhe deu o
fôlego da vida. Após isso o homem passou a
para lançar dúvida quanto a verdadeira origem conhecer, amar e servir a Deus. Por causa
do homem. dessa imagem todos os homens são por criação
Segundo o relato bíblico o homem foi filhos de Deus. Aos que ainda não foram
criado depois de um conselho divino e foi regenerados, implica, como já dissemos em
feito do pó da terra para ser a imagem e recuperar essa imagem através da
semelhança de Deus. regeneração.
A mulher também foi feita por Deus com
objetivos específicos, ser adjuntora do homem. 5.2 - A TRI-UNIDADE HUMANA
Quanto a sua formação a bíblia diz que esta foi Segundo Gn 2:7, o homem se compõe de
feita da costela do homem. A palavra costela duas substâncias: uma material, que chamamos
vem do termo hebraico TSEKA, e é usado de corpo e outra imaterial, que chamamos de
também em outras passagens para descrever o alma e espírito.
lado de uma colina, os lados da arca da aliança O termo de I Ts 5:23 e Hb 4:12, esclarece
(Ex 25:12,14), uma câmara lateral de uma completamente o pensamento de que o homem
construção (I Rs 6:5; Ez 41:6) e as folhas de é composto de corpo, alma e espírito, entre os
uma porta dobradiça (I Rs 6:34). Por isso, a teólogos há diferentes linhas de pensamentos.
palavra pode significar que Deus tomou parte de
Adão, inclusive ossos, carne, artérias, veias e Vejamos estas linhas de pensamentos:
nervos, daí a expressão de Adão: “Essa agora é a) Dicotomistas. Estes acreditam que o
osso dos meus ossos e carne da minha carne” homem é composto somente de duas partes:
(Gn 2:23). corpo + alma ou espírito.

5.1.1 - O Homem, Imagem de Deus (Gn 5:1; b)Tricotomistas. Acreditam que o homem é
9:6): composto de três partes: corpo + Alma +
A semelhança entre o homem e Deus está espírito.
evidenciada no fato de o homem possuir caráter
e personalidade. Essa última é a mais lógica das opiniões e
Quando Deus outorgou ao homem a nos leva a entender com mais clareza as
capacidade para dominar a terra, estava opiniões dos escritores bíblicos.
deixando claro que o homem era semelhante à
Ele. 5.2.1 - O Corpo do Homem (O Homem que
Vemos)
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 30

A ciência divide o corpo humano e três


partes: cabeça, tronco e membros. O corpo foi criado do pó da terra (Gn
2.7), e possui 208 ossos, 500 músculos, o peso
1º - Já os seus sentidos são cinco: do sangue de um adulto é de 15 kg, o coração
a) Visão: Biblicamente os olhos são chamados tem um diâmetro de 15 cm, bate 70 vezes por
de janelas do corpo. minuto, 4.200 vezes por hora, 100 mil vezes por
dia e 40 milhões de vezes por ano sem
b)Audição: É a parte responsável pela interrupção. A cada batida o coração desloca 44
absorção de informações sonoras. gramas de sangue, esse deslocamento chega a
5.850 kg por dia; esse órgão fantástico faz
c)Olfato: Nos permite saber o cheiro das circular o equivalente a 2.000 galões de sangue
coisas, tanto as de odor agradável quanto a de pelo espaço de 19.200 km de veias todos os
odor desagradável. dias. Um piano grande tem 7,5 oitavas,
enquanto que o ouvido humano possui 12
d)Tato: É o único sentido que não se localiza na oitavas, o piano tem 200 cordas, enquanto que
cabeça e nos permite sentir as coisas através o ouvido possui 24.000 cordas, o piano ocupa
do “toque”, identificando se uma superfície é muito espaço, enquanto que o ouvido humano
áspera, lisa, quente ou fria. As informações mede menos de uma polegada cúbica. A retina
coletadas por esse sentido são enviadas para o do olho é minúscula, mas, possui 120 milhões
cérebro e processadas rapidamente. de células nervosas, de maneira que o cristalino
muda automaticamente de espessura, segundo
e)Paladar: Nos permite saber o gosto dos a necessidade de focalizar à vista um objeto
alimentos e outras substâncias, nos permite próximo ou distante.
distinguir entre uma substância doce ou
salgada, azeda, amarga, etc. O destino final do corpo:
O corpo humano é o homem que “E o pó volte a terra, como o era...” (Ec
vemos, este se adapta a alma, pois ela precisa 12:7a). Fica claro quando usamos a Bíblia como
dele para manifestar suas intenções, já o corpo fonte de consulta sobre esse assunto. Deus não
glorioso que teremos se adaptará ao espírito, tem interesse na matéria e sim no que é
pois suas intenções são sempre espirituais. espiritual. A carne e o sangue não podem
herdar o reino dos céus.
2º)Termos bíblicos aplicados ao corpo do Os corpos dos salvos serão ressuscitados
homem: na volta de Jesus (I Co 15:52-53).
a) Casa ou Tabernáculo (II Co 5:1): É a tenda
na qual a alma do homem peregrina, mora 5.2.2 - A Alma do Homem (O Homem que
durante sua viagem do tempo para a Deus Vê)
eternidade. A morte desarma a barraca e a alma A alma do homem é aquele princípio
parte. (Is 38:12; II Pd 1:13-14). inteligente e vivificante que anima o corpo,
usando os sentidos físicos como seus agentes
b) Invólucro (Dn 7:15): Aquilo que envolve, de explorações das coisas materiais e os
cobre ou reveste. O corpo é a bainha da alma. A órgãos do corpo para expressar e comunicar-se
morte é o desembainhar a espada. com o mundo exterior.

c)Templo (I Co 6:19): O templo é um lugar 1º)A origem da alma: Originalmente a alma do


consagrado pela presença de Deus, um lugar homem veio a existir após um sopro divino. Não
onde a presença de Deus é localizada. podemos dizer, no entanto que a alma é parte
de Deus, pois a alma peca, o correto é dizer que
3º) A composição química do corpo humano: a alma é um dom e obra de Deus.
a) 72 % de Cálcio A muita especulação sobre a origem das
b) 14 % de Carbono demais almas, ou seja, das almas dos outros
c) 09 % de Hidrogênio homens, exceto, Adão. A explicação mais
d) 2,5 % de Nitrogênio aceitável é que a alma tem origem divina e
e) 3,5 % Restante são composto de mais ou passa a existir num “parceria” entre o homem e
menos 15 elementos que são: cálcio, cloro, Deus. Melhor explicando: O homem é
fósforo, potássio, enxofre, sódio e vestígios responsável pela geração de outros seres
de iodo, ferro, cobre, zinco, e etc. Não existe (filhos), esses seres precisarão também de uma
no corpo humano qualquer elemento que não alma, essa por sua vez é transmitida por Deus,
possa ser encontrado na terra. mas apesar disso, essa alma vai ter
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 31

características herdadas dos pais. O que a- Julga


podemos ainda dizer que o processo normal de b- Recorda
reprodução humana põe em execução as leis c- Supõe
da vida, fazendo com que a alma nasça no d- Investiga
mundo.
A vida do corpo está intimamente ligada a 4º)Atividades sensíveis da alma
alma, quando a alma e o corpo se separam a a - Prazer
vida não existe mais, o que resta é um grupo de b - Dor
partículas, matérias em decomposição. c - Ira
Temos que fazer também uma distinção d - Inveja
entre alma animal e alma humana. A alma e - Aflição
animal representa a vida dos animais
irracionais, ou seja, o sangue existe enquanto 5º)Atividades volitivas (vontades) da alma
existir o corpo com vida. A alma humana existe a - Escolhe
no sentido de consciência, raciocínio e b - Rejeita
representa o homem em toda a eternidade, c - Deseja
portando é imortal. Daí a capacidade do homem d - Aborrece
fazer coisas que os animais irracionais não e - Obedece
podem fazer, tais como: decidir, estudar,
construir, destruir etc. 6º)A alma e o coração: Há uma ligação comum
nessa linguagem, tanto na bíblia como no nosso
2º)Os sentidos da alma humana: dia a dia. Geralmente dizemos sobre uma
pessoa boa: Ela tem um bom coração.
a)Imaginação: A alma humana tem a Certamente também há uma verdade bíblica aí,
capacidade de imaginar situações mais pois o termo empregado refere-se às atividades
adversas. Daí a quantidade de projetos que da própria alma.
passam pela alma do homem. O coração é o primeiro órgão a viver, e a
sua parada, é sinal positivo do fim da vida,
b)Consciência: O ser humano é dotado de leis portanto, chamá-lo de alma não é errado.
morais que lhe dirão se suas ações são certas
Onde se lê, coração, entende-se alma.
ou erradas, mesmo o homem sem Deus possui
a) É o depósito de tudo quanto se ouve ou se
em si algo que lhe acusa quando erra e algo
experimenta (Lc 2:51).
que o aplaude quando acerta. Isso é um
b) O coração é a “fábrica” em que se formam os
mecanismo implantado por Deus em cada ser
pensamentos e os propósitos, sejam bons ou
humano para que ele decida através do livre
maus. (Sl 14:1; Mt 9:4; I Co 7:37; I Rs 8:17).
arbítrio o que fazer.
c) Ao coração se atribui todos os graus de
gozo, desde o prazer até o êxtase e
c) Memória: Todos os atos do homem
exultação (Is 65:14; At 2:46).
cometidos durante sua existência, são
d) O coração experimenta todos os graus de
registrados pela memória da alma. Durante toda
dor, desde o descontentamento e a tristeza
vida e por toda eternidade, o homem sempre se
até ao “ai” dilacerante e esmagador (Pv
lembrará das suas obras. O caso registrado no
25:20; Sl 109:22; At 21:13).
Evangelho de Lucas cap. 16, fala claramente
e) Todos os graus de má vontade desde a
sobre isso. A memória da alma daquele rico,
provocação, ira, cólera, desejo vingativo,
condenado eternamente lembrava-se de cada
tremor e pavor (Pv 23:17; At 7:54; Dt 19:6; Jr
ato cometido, inclusive os nomes das pessoas e
32:40)
a quantidade de irmãos que possuía.
f) O coração derrete-se em angústia e torna-se
fraco pela depressão, murcha sob o peso da
d) Afeição: A nossa alma também é dotada de
tristeza, quebra-se e fica esmagado pela
um mecanismo espiritual que nos faz amar as
adversidade (Js 5:1; Lv 26:36; Sl 102:4; Sl
pessoas, independente da sua aparência.
147:3).
g) No coração pode haver o amor de Deus (Sl
e) Razão: A razão ajuda a nossa alma a manter
73:26)
o equilíbrio. Não fosse a razão, nós agiríamos
h) No coração pode haver o orgulho blasfemo
pelas emoções e seríamos um ser muito fraco e
(Ez 28:2,5)
volúvel.
i) O coração é a sede das boas e más
intenções (Mt 12:34-35)
3º)Atividades intelectuais da alma:
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 32

j) É o lugar onde se renova a lei de Deus (Hb que a vida natural da alma humana é percebida
2:15) através dos sentidos físicos e psíquicos, os
k) Com o coração se crê ou descrê (Rm 10:10) quais revelam a personalidade do homem. Da
l) É o campo onde se semeia a palavra divina mesma forma o homem foi dotado de
(Mt 13:19) faculdades espirituais, através dos sentidos do
m) É o receptáculo do amor de Deus (Rm 5:5) corpo e da alma, o homem é capaz de preservar
7º)Outros órgãos físicos para definir alma: a vida natural, mas, com as faculdades do
a)Mente (gr nous, dianoia): Denota a espírito ele é capaz de preservar sua vida
faculdade da percepção intelectual, bem como a espiritual.
capacidade de fazer julgamentos morais.
“Na verdade, há um espírito no homem,
b)Rins (hb. Kilyah - gr. Nephroi): Refere-se e a inspiração do Todo-poderoso os faz
aos aspectos íntimos e secretos da entendidos.” (Jó 32:8).
personalidade.
1º)Os cincos sentidos do espírito
c)Entranhas ou Coração (gr. splanchna):
a)Fé: A fé é a faculdade do espírito com uma
Para demonstrar compaixão.
significação ampla e profunda. A fé é a
expressão máxima da natureza religiosa do
8º)O destino final da alma: Segundo o nosso
homem. É uma faculdade que nasce com ele,
ponto de vista, a alma humana tem dois
inata a sua existência.
destinos. Se ela for salva, vai para o paraíso,
lugar de descanso onde aguardará a
b)Esperança: O espírito do homem é capaz de
ressurreição, após ocupará o céu, onde habitará
esperar de forma paciente e controlada. Esse
num corpo glorioso. Se ela for condenada, irá
tipo de esperança não traz confusão (Rm 5:5).
responder pelas obras praticadas em vida, em
qualquer época da eternidade futura (Lc 16:19-
c)Adoração: O espírito do homem tem a
31).
capacidade de adorar à Deus, por isso Jesus
falou a mulher samaritana: “os verdadeiros
O que restou do homem rico condenado no
adoradores adorarão ao pai em espírito e em
hades (Lc 16:19-31)
verdade” (Jo 4.24).
Visão: “levantou os olhos e viu Abraão e Lázaro
no seu seio”
d)Reverência: Toda vez que o espírito do
Diálogo: “e clamando, disse: Pai Abraão tem
homem detecta a presença de Deus, ele
misericórdia de mim”
promove reverência no homem. Vale dizer que
Raciocínio: “manda a Lázaro que molhe na
todo homem espiritual reverencia o criador,
água a ponta do seu dedo...”
qualidade que falta naqueles que ainda se
Paladar: “e me refresque a língua”
encontram perdidos espiritualmente, seus
Sensibilidade: “porque estou atormentado
espíritos ainda não foram vivificados, por isso
nesta chama”
não se pode extrair reverência de tais
Lembranças: “Filho, lembra-te que recebeste
indivíduos.
os teus bens em tua vida...”
Limitações: “além disso está posto um grande
e)Amor: O nosso espírito ao ser regenerado
abismo entre nós e vós, de sorte que os que
pela Palavra de Deus, começa a produzir amor.
quiserem passar daqui para vós não poderiam,
Não um amor comum, mas um amor verdadeiro
nem tampouco de lá para cá”.
e puro, amor que não se vangloria nem se
Oração: “Rogo-te, pois ó Pai”.
ensoberbece. Deus é amor, Ele põe seu amor
Sugestões: “Que o mandes a casa de meu
em nosso espírito (Rm 5.5).
pai”.
Baseados no que foi apresentado acima
Matemática: “pois tenho cinco irmãos”
entendemos que o espírito do homem
Desejo missionário: “para que lhes dê
regenerado apresenta as manifestações que
testemunho”
foram expostas como sentidos do espírito. Isso
Insistência: “Se alguém dentre os mortos
ocorre porque o espírito do homem passa a ser
fossem ter com eles, arrepender-se-iam”
morada do Espírito de Deus (Rm 8:16), assim
se torna o centro de toda adoração, cântico,
5.2.3 - O Espírito do Homem - (Hb Ruach e no
bênção e de serviço a Deus.
Gr Pneuma)
O corpo faz a ligação da alma com o Já no homem não regenerado, é
mundo exterior, o Espírito é sede da ligação do impossível se perceber esses sentidos, visto
homem com Deus. De fato, devemos lembrar que seu espírito ainda está dominado pelas
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 33

manifestações negativas da alma, daí o fato de refere-se a parte física do homem, o corpo,
existir algumas expressões acerca do espírito relatando com clareza seu desgaste e seu
do homem tais como: destino, já o versículo 7, ocupa-se em falar
a) Espírito perverso (Is 19:14); sobre a parte espiritual do homem, e nesse
b) Espírito altivo (Pv 16:18); caso, o escritor está se referindo ao espírito e a
c) Espírito rebelde (Sl 106:36); alma de um homem salvo e não de um homem
d) Espírito impaciente (Pv 14:29); perdido.
e) Espírito perturbado (Gn 41:8);
f) Espírito de ciúmes (Nm 5:14). 3º)Definindo os pecados cometidos pelo
homem através do espírito. Uma questão que
Há uma luta constante dentro do homem precisa estar bem clara é a possibilidade do
entre a alma (também chamada de carne = gr espírito do homem cometer pecado, tornando-
sarx) e o espírito. Quando o espírito “perde”, se assim, passivo de condenação, tal qual sua
entra em estado de “morte espiritual”, precisa alma. Quanto aos pecados da alma, é mais
ser regenerado ou vivificado para que as aceitável, pois a maioria concorda que essa
manifestações espirituais ocorram. Enquanto peca, enfrentando assim a condenação, se não
isso não ocorre o homem é dominado por todos houver arrependimento em vida.
os instintos carnais possíveis, agindo em A questão então a ser explicada, é a
desobediência à vontade de Deus. condição pecaminosa do espírito do homem.
Toda vez que o espírito “vence” essa luta, Para tratar esse assunto, temos que mais uma
ele ocupa lugar de ascendência no homem, aí vez recorrer aos textos bíblicos, pois são as
chega a ser o que a bíblia chama de “homem únicas fontes confiáveis para esclarecer este
espiritual”. Entretanto, o espírito não pode viver assunto.
de si mesmo, precisa buscar a renovação
constante mediante o Espírito de Deus. Leia os textos: II Tm 1:7; Nm 5:14; Jó 7:11;
Sl 51:10; Pv 16:18; Ec 7:9; Ez 18:31; II Co 7:1 e
2º) O destino final do espírito do homem: A observe que referem-se ao comportamento do
definição geral para corpo, é esclarecida com espírito humano e em hipótese alguma refere-
facilidade pelo fato de ser a parte material do se a espíritos maus.
homem, e isso já está muito definido na Bíblia,
tanto a formação como o destino do mesmo.
Para compreendermos a questão da alma
e do espírito, devemos recorrer a origem das
palavras usadas para definir ou citar a alma e o 4º)A questão do espírito do homem sob
espírito do homem. Assim sendo vejamos condenação. Também é preciso compreender
alguns textos bíblicos que explicam o assunto: se a Bíblia fornece condição para afirmamos
que o espírito do homem, no caso perdido, entra
a)Fôlego da vida (Gn 2:7). A palavra usada em condenação. Para isso vamos analisar o
neste texto para descrever “fôlego da vida”, é seguinte texto: “no qual também foi e pregou
a palavra hebraica “CHAY”, e sua definição aos espíritos (de homens) em prisão, os
“vida dupla”, ou seja, vida da alma e vida do quais em outro tempo foram rebeldes
espírito do homem, melhor ainda, a parte (perdidos)” (I Pe 3:19-20), esses espíritos
espiritual do homem. referidos neste texto são espíritos de homem
perdidos que receberam no lugar de tormento,
b)Homem exterior e homem interior (II Co não uma mensagem para arrependimento ou
4:16). As palavras “homem exterior”, refere-se uma segunda chance, depois de estarem no
ao corpo físico do homem e as palavras inferno, e sim uma mensagem declaratória da
“homem interior”, que no grego é “HO ESÕ vitória Dele (Cristo) sobre o pecado.
ANTRÕPOS”, referem-se a alma e espírito, a
parte espiritual do homem o mesmo que O versículo das duplas - Hb 4.12.
“CHAY”. “Pois a Palavra de Deus é viva e
eficaz, e mais cortante do que qualquer espada
c)Espírito (Ec 12:7). Da mesma forma, o alguma de dois gumes, e penetra até o ponto
espírito referido neste texto, deve ser entendido de dividir Alma e Espírito, juntas e medulas e
como “CHAY”, a parte espiritual do homem, é apta para discernir os pensamentos e
como já dissemos, alma e espírito. Cabe ainda intenções do coração”.
dizer o seguinte sobre o texto de Ec 12:7: A
primeira parte do texto, do versículo 1 ao 6,
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 34

EXERCÍCIOS

MARQUE “C” PARA CERTO E “E” PARA ERRADO

1)____O pensamento bíblico é que Deus criou o homem indiretamente

2)____Quando Deus outorgou ao homem a capacidade para dominar a terra, estava


deixando claro que o homem era semelhante à Ele.

3)____A alma do homem é aquele princípio inteligente e vivificante que desanima o corpo.

4)____A semelhança entre o homem e Deus está evidenciada no fato de o homem possuir
características e atributos naturais divinos

5)____Quanto a imagem de Deus no homem, devemos nos lembrar do fato de que essa
particularidade pertencente ao homem, foi sugerida por Deus

6 - ANGELOLOGIA - DOUTRINA DOS ANJOS


generalizada da antigüidade. Que nem todos os
Angelologia deriva do grego “angelus” = conceitos acerca dos anjos correspondem à
MENSAGEIRO, “logia” = ESTUDO, hebraico realidade é algo óbvio, mas isso não significa
Malakh. Ambos significam mensageiro, tanto de que tais seres (dotados de impressionantes
boas novas como de castigo e juízo divino. atributos) não existam. Durante o cativeiro
Os anjos formam um exército. “Micaías babilônico, a Angelologia recebeu maior
prosseguiu: Ouve, pois, a palavra do Senhor: Vi atenção da parte dos judeus.
o Senhor assentado no seu trono, e todo o
exército do céu estava junto a ele, à sua direita
6.1.1 - O zoroastrismo (cerca de 1000 a.C.).
e à sua esquerda.” (I Rs 22:19).
Sem dúvida muito contribuiu para a
Angelologia dos hebreus, mas a sua crença na
6.1 - ANGELOLOGIA E ORIGENS.
existência desses seres antecede por muitos
Os anjos são referidos na Bíblia de
séculos ao zoroastrismo. Parece que quase
Gênesis ao Apocalipse, desde a saída do
todos os povos têm acreditado em seres
homem do Paraíso até a “ilha chamada Patmos”
espirituais que poderíamos chamar de “anjos”,
(Ap 1:9). As mais antigas evidências
embora seus idiomas não tenham algum
arqueológicas em favor da crença na existência
vocábulo que possamos traduzir em português
dos anjos vêm de Ur-Namus, de cerca de 2250
dessa maneira (“mensageiro”, ou algo similar).
a.C., onde anjos são vistos a adejar por sobre a
O Novo Testamento se inicia com anjos
cabeça do rei, enquanto este orava. Visto que
ocupados em serviço ativo e jamais põe em
Abraão chegou àquela região pouco depois
dúvida a sua existência.
disso, é possível que ele estivesse familiarizado
com a Angelologia; estava misturada a todas as
6.2 - NATUREZA DOS ANJOS
formas mitológicas possíveis, religiões e
superstições primitivas, sendo crença
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 35

Somos informados de que eles são seres Há pelo menos, três ordens principais na
espirituais criados (Hb 1:14). Orígenes supunha obra da Criação; e são:
que não há diferença entre o espírito humano e
os anjos, excetuando no grau de queda. Os 1º) A criação espiritual. Esta ordem da Criação
demônios seriam espíritos caídos em grande refere-se ao mundo espiritual, a começar pelas
escala, e os homens, em menor grau. Os santos hostes espirituais, isto é, os anjos.
anjos não participaram da revolta, e assim
retiveram seu estado original, embora não 2º) A criação material. A criação material é
fossem retratados como todos iguais. Paulo os imensa e abrange todo o sistema solar e outros
concebia arranjados em muitas ordens, com sistemas porventura existentes, ainda não
diferentes poderes, como se vê em Ef 1:21. descobertos pelo homem. A extensão dos
corpos celestes espalhados no espaço sideral,
6.2.1 - Anjos Guardiões. fazendo parte da Via-Láctea, com muitos dá
Os trechos de Mt 26:53; Hb 12:22; Ap uma visão limitada de toda a grandeza da
5:11; Sl 68:17 indicam que eles são muitos Criação (Ne 9:6).
numerosos. Outras passagens indicam que eles
observam os homens, prestando serviços em 3º) A criação da vida sobre a terra. Na criação
prol de nações, comunidades e indivíduos (Hb da terra Deus criou a vida física numa
1:14; Mt 18:10; Sl 9:1; Dn 10:13; 12:1; Js 5:14). combinação do imaterial com o material (Gn
Os trechos bíblicos que dão apoio à doutrina 1:11,20-22). Nesta ordem da Criação se acham
dos anjos guardiões são (Jó 33:23; Dn 10:13 incluídos o homem, os animais e as demais
(acerca de nações); Mt 18:10; Hb 1:14; Ap 1:20. coisas do reino animal e vegetal.

6.2.2 - A INEXATIDÃO DO TERMO ANJO 6.3.2 - Textos bíblicos que comprovam


É provável que os mundos espirituais a) Os anjos foram criados por Deus (Ne 9:6; Cl
sejam povoados por muitos tipos e graduações 1:16);
de seres. Não há razão para supormos que só b) Deus os criou maiores que o homem (Sl 8:4-
existe variedade no nosso mundo físico. É difícil 5);
supormos que as dimensões espirituais tenham c) Eles foram criados em inumerável
menos seres que a dimensão física. Portanto, quantidade (Jó 25:3; Dt 33:2; Ap 5:11; Dn
visto que falamos em seres dotados de alta 7:10);
inteligência, que tem interesses e missões d) Eles não devem ser adorados (Ap 22:9;
espirituais, alguns dos quais entram em vários 19:10; Cl 2:18);
tipos de contato com os homens, então e) Eles estão sujeitos ao senhorio de Cristo (Ef
podemos usar o termo “anjo” como uma espécie 1:20-21; Fp 2:9-11; Cl 2:10);
de chavão. Porém, cumpre-nos entender que há f) Os anjos foram criados essencialmente
uma vasta realidade por detrás dessa palavra espíritos, contudo a Bíblia não nega a
simples, que ultrapassa toda a nossa possibilidade de sua materialização; pelo
imaginação. contrário, mostra esta possibilidade nas
seguintes passagens: Gn 18:1-3; 32:1-2; Nm
6.3 - OS ANJOS FORAM CRIADOS POR 22:31; Js 5:13-14; Jz 6:11; 13:3,13; Zc 1:9;
DEUS 2:3; Lc 1:8-12, 26-28; 2:8-9; Hb 1:14.
A Bíblia não dá qualquer resposta definida g) Como seres espirituais, os anjos não se
quanto ao tempo em que os anjos foram criados casam (Mt 22:30).
por inferência nos dá a entender, é que os anjos
foram criados por Deus num princípio 6.4 - MISTÉRIOS! QUEM SÃO OS ANJOS?
remotíssimo. Perguntou Jeová a Jó: “Onde (Hb 1:1-14).
estavas tu, quando eu lançava os fundamentos Há um crescente interesse por conhecer
da terra... quando as estrelas da alva juntas os mistérios do “mundo espiritual”, visto que a
alegremente cantavam, e rejubilavam todos os humanidade está mergulhada na busca de
filhos de Deus?” (Jó 38:4,7). Que Jeová se respostas espirituais que a preocupam. Existe,
refere aqui à criação universal está de fato, um mundo espiritual? É ele real ou
perfeitamente claro. Portanto, quando ele criou fictício? Quais as fontes de informação seguras
as demais coisas, já existiam os anjos, e estes sobre o assunto? Existem duas principais fontes
ao contemplarem as maravilhas de sua criação, de informação sobre o “mundo dos espíritos”,
clamaram transbordantes de júbilo. que são a Bíblia e a experiência humana.

6.3.1 - A Ordem da Criação


Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 36

Indiscutivelmente, a Bíblia é a única fonte 10:11-12; Ap 20:1-2), anjos não são eternos
digna de confiança acerca da existência, da como Deus, nem auto-existentes, mas criados,
história e das atividades dos anjos no Universo. como criadas foram as demais coisas no
Na carta aos Hebreus temos a declaração de universo.
que os anjos são “espíritos ministrados, Entendemos pelas Escrituras que os anjos
enviados para servir a favor daqueles que hão são superiores aos homens como criaturas de
de herdar a salvação”. Entendemos, então, que Deus (Sl 8; Hb 2:6-7). Eles são maiores em
os anjos são criaturas reais. força e poder (II Pe 2:11). O poder dos anjos
deriva de Deus e eles só fazem qualquer coisa
6.4.1 - Os anjos são reais em restrita obediência ao Criador. Por serem
A Bíblia demonstra a realidade dos anjos “espíritos puros”, o fogo, a água e o calor não
através das várias manifestações angelicais na podem destruí-los. Eles não correm qualquer
experiência humana, mui especialmente com o risco de contaminação ou destruição, e,
povo de Deus. Vemos a atuação dos anjos na portanto, são imunes à forças da natureza do
obra da Criação, os quais são chamados Universo. O salmista os descreveu como
“estrelas da alva” (Jó 38:6-7). Eles “valorosos em poder”, que executam as ordens
presenciaram a criação do nosso mundo. Vemo- de Deus e Lhe obedecem à voz (Sl 103:20-21).
los na entrega da Lei a Moisés (Gl 3:19; At 7:53;
Hb 2:2); no nascimento de Jesus (Lc 2:13); 6.4.5 - Os anjos são seres pessoais
servindo a Cristo depois da tentação no deserto Normalmente, no mundo dos homens,
(Mt 4:11). Vemo-los na ressurreição de Jesus atribui-se personalidade a um corpo material,
(Mt 28:2; Lc 24:4-5); na sua ascensão (At 1:10); entretanto, a personalidade de um homem não
e em muitos outros eventos, incluindo alguns a é o corpo, mas sim o que está dentro do corpo,
terem lugar no tempo do fim (Mt 26:53; II Rs expresso pela alma e pelo espírito. Os anjos
6:15-23; Mt 25:31; 24:31; II Ts 1:7; Ap 1:8; Mt são espíritos e possuem personalidade, isto é,
13:39). são dotados de inteligência, vontade e
atividades. A Bíblia dá a entender que os anjos
6.4.2 - Anjo ser espiritual e Teofonico: possuem uma inteligência superior à dos
“Teofonia” é uma palavra de origem grega homens, mas não igual nem superior à Deus (II
que quer dizer “Deus se manifesta”. Portanto, Sm 14.20; 1 Pe 1.12).
chama-se teofonia os casos de manifestação de
Deus na manifestação do “anjo do Senhor” (Gn 6.4.6 - Os anjos são seres Inteligentes.
16.7; Ex 32.33,34; Ml 3.1). Pela sublime tarefa que os anjos
desempenham no tempo e no espaço desde o
“Ora, a qual dos anjos jamais disse: princípio, e por aquilo que a respeito deles a
assenta-te à minha direita, até que eu ponha os Bíblia registra, a conclusão a que se chega, é
teus inimigos por estrado dos teus pés? Não que os anjos excedem em muito em
são todos eles espíritos ministradores enviados conhecimento aos homens mais brilhantes que
para serviço, a favor dos que hão de herdar a a história humana já teve. A maioria dos
salvação?” (Hb 1:13-14). eruditos na Bíblia é de opinião que os anjos de
Deus são sábios e dotados de inteligência
O que se destaca do texto é que os anjos superior à sabedoria e inteligência do homem;
foram criados essencialmente espíritos. Mas os anjos se sobressaem não só como seres
não nega a possibilidade de sua TEOFONIA. poderosos, mas também como inteligentes e
sábios (II Sm 14:17-20).
6.4.3 - Os anjos são seres gloriosos. Os anjos foram criados espíritos
Os anjos são seres gloriosos, dotados de inteligentes, cujo conhecimento teve início em
dignidade e glória. Eles estão sempre ocupados sua origem.
com a manifestação da glória de Deus (Is 6:1-4; Em função de seres dotados de dignidade
Ez 1; Ap 5:11-12). Os anjos são como raios a e glória os anjos fazem parte da manifestação
refletirem a glória e o resplendor do próprio da glória de Deus no decorrer de toda a
Deus. narrativa bíblica. Os anjos são como raios a
refletir a glória e o esplendor do próprio Deus
6.4.4 - Os anjos são seres poderosos. (Mc 13:32).
Os anjos são seres de poder (Sl 103:20;
Mt 28:2). O poder é delegado por Deus, e isto é 6.5 - A HABITAÇÃO DOS ANJOS.
manifestado em diferentes porções da Escritura; Onde habitam os anjos? Em que lugar eles
destacamos: (II Sm 14:15; II Rs 19:35; Dn estão? Especulações, as mais variadas, tem
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 37

procurado estabelecer pontos no Universo 104:4), e as pragas (Sl 78:49). Paulo chamou
Sideral para a habitação dos anjos. Entretanto, seu espinho na carne de anjo, isto é,
a única fonte de informação, digna de aceitação, “mensageiro de Satanás” (II Co 12:7 e Gl 4:13-
é a Bíblia Sagrada, pois ela não se afirma sobre 14). Pastores da igreja (Ap 2:1, 8,12). Entre os
conjecturas e especulações, mas na revelação anjos, existem diferentes classes (Ef 1:21; Cl
divina, que declara que os anjos tem sua própria 1:16).
habitação (Jd 6).
a)Arcanjo. Não fala de “arcanjos” no plural, mas
No contexto do estudo das classes
“arcanjo” no singular, palavra que na Bíblia só
angelicais (Cl 1:16) subentende-se que essas
se aplica a Miguel, se bem que haja vestígios de
classes de anjos, distintas por várias atividades,
que, antes de sua queda, Lúcifer também era
se manifestam no vastíssimo espaço dos céus.
um arcanjo, o nome significa “o que é
Pedro, em sua primeira Epístola declara que os
semelhante a Deus”.
anjos foram sujeitados a Cristo, que confirmou o
O prefixo arc, em “arcanjo”, sugere um
Seu direito de domínio sobre toda a Criação,
anjo-chefe, principal ou poderoso. Assim, Miguel
pela Sua obra redentora, no Calvário. Diz o
é agora o anjo acima de todos os anjos,
texto: “O qual está à destra de Deus, tendo
reconhecido um dos primeiros príncipes dos
subido ao céu; havendo-se lhe sujeitado os
céus (Dn 10:13).
anjos, e as autoridades e as potências” (I Pe
Seu nome por quatro vezes durante toda a
3:22). A Bíblia declara que os anjos fiéis a Deus
narrativa, em Daniel 10:13; 12:1; Judas 9 e
obedecem a uma lei celestial que os organiza
Apocalipse 12:7; I Ts 4:16 sugere que o arcanjo
em “exércitos”, distribuídos em distintas ordens
Miguel terá papel decisivo no dia do
e graus (Lc 2:13; Mt 26:53).
arrebatamento.
6.5.1 - O número de anjos.
b)Serafins. A palavra “serafim” segundo alguns
A Bíblia, quando se refere ao número de
estudiosos, deve vir da raiz hebraica saraph que
anjos, usa expressões variadas como “milhares
significa “amor”. Outros, porém, dizem que a
de milhares, milhões de milhões” (Ap 5:11; Dn
palavra significa “ardentes” ou “nobres”. A única
7:10; Dt 33:2); “multidão dos exércitos
referência bíblia aos serafins encontra-se no
celestiais” (Lc 2:13), etc. É impossível
capítulo 6 de Isaías. Existem vários serafins, o
determinar o número de anjos criados, porém, é
profeta Isaías se refere que “um clamava para o
indiscutível e indubitável o fato de que o número
outro” (V.3). A Bíblia mostra-nos como estando
é incontável e é o mesmo em todos os tempos,
acima do trono de Deus, enquanto que os
desde que foram criados (Sl 148:2-5). Eles não
querubins estão debaixo dele. Os serafins são
geram outros anjos, e tantos quantos foram
apresentados na Bíblia como possuindo asas,
criados na eternidade, são exatamente os que
rosto, pés e mãos (Is 6:2,6). Saber quanto aos
existem e existirão sempre. Portanto, a criação
serafins, sabemos, porém, que Deus pode
do mundo espiritual envolve a criação de todos
utilizá-los para tirar a iniqüidade e anular o
os espíritos, tanto de anjos como de homens.
pecado de seus servos (Is 6:7).
6.6 - CLASSIFICAÇÃO DOS ANJOS
c)Querubins. Os querubins são seres reais e
Embora os anjos não constituam um
poderosos, e simbolizam as coisas celestes.
organismo, evidentemente são organizados de
Arca da aliança e do tabernáculo (Ex 25:17-22)
algum modo. Isto ocorre do fato de que ao lado
figuras imaginárias. Deles foram utilizadas na
do nome geral “anjo”, a Bíblia emprega certos
decoração do templo de Salomão (I Rs 6:23-
nomes específicos para indicar classe de anjos.
28).
O termo grego “angelos” (anjos = mensageiros)
Ezequiel 10 os apresenta como sendo
também e freqüentemente aplicado a homens
também “cheios de olhos”, dentro de rodas. Nos
(Mt 11:10; Mc 1:2; Lc 7:24; 9:52; Gl 4:14). Não
Salmos 80:1; 99:1, Deus “está entronizado
há nas Escrituras um nome geral,
acima dos querubins”. Em Gênesis 3:24, a
especificamente distintivo, para todos os seres
primeira referência aos querubins, no oriente
espirituais. Eles são chamados filhos de Deus,
guardando a árvore da vida no Éden.
(Jó 1:6; 2:1) espíritos (Hb 1:14), santos (Sl
89:5,7; Zc 14:5; Dn 8:13 ), vigilantes (Dn
d)Gabriel. Gabriel é nos apresentado pela
4:13,17), o profeta (Hab 1:13), mas sacerdote
Bíblia como uma pessoa augusta. Tal
(Ml 2:7), ou seres celestiais (Sl 29:1; 89:6)
personagem consta quatro vezes nos registros
podem ter esse título. Um uso mais amplo ainda
sagrados trazendo boas-novas (Lc 1:8-38).
inclui também a coluna de nuvem (Êx 14.19), a
pestilência (II Sm 24:16-17), os ventos (Sl
6.6.1 - Anjos que agem
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 38

Em Colossenses 1:16, o apóstolo Paulo Os anjos já dirigiram, orientaram,


apresenta quatro classes de seres espirituais, serviram e confortaram os servos de Deus e
das quais podemos perceber, fazem parte os ainda continuam com este ministério enquanto a
querubins e os serafins. igreja estiver aqui na terra em corpo material.

1º)Tronos: No thronoi refere-se a uma classe 1º)Anunciar e avisar previamente.


de anjos sobre a qual Deus se assenta como a - O nascimento de Sansão (Jz 13:2-3).
Rei e Senhor. A figura utilizada é para mostrar b - O Nascimento de João Batista (Lc
uma relação mais elevada com Deus. Esses 1.11-13).
“tronos” celestiais podem ser identificados com
os querubins, entre os quais Deus está 2º)Aplicar os juízos de Deus.
assentando e reinando (I Sm 4:4; II Rs 19:14- a)Sodoma e Gomorra. O castigo anunciado
15; Sl 80:1; 99:1). pelos anjos a Abraão e Ló, e aplicado sobre
Sodoma e Gomorra (Gn 18:17-22; 19:1,24,25);
2º)Dominações: No grego o termo é kuriote,
com o sentido de soberanias ou domínios (Cl b) Por causa do pecado de Davi. Um anjo de
1:16; Ef 1:21). As “dominações” referem-se a Deus recebeu a ordem para executar juízo
uma classe de anjos com funções executivas e contra Jerusalém. Davi viu o anjo de Deus que
que reinam sob a autoridade de Cristo. Toda a estava entre o céu e a terra, com uma espada
criação visível e invisível está sob a autoridade desembainhada estendida contra Jerusalém. O
suprema de Cristo, e nos versículos acima rei orou e fez um sacrifício ao Senhor e o seu
mencionados subentende-se que certas classes sacrifício foi aceito. Por isso, Deus ordenou ao
de anjos reinam e governam sobre anjo da destruição que retirasse a sua mão de
determinadas esferas espirituais. juízo de sobre o povo, mas já haviam sido
mortas 70 mil pessoas (II Sm 24:15-16; I Cr
3º)Principados: No grego é archai refere-se a 21:14-27).
uma classe de anjos que têm a dignidade de
príncipes de um reino. Pode referir-se também, c)Sobre o exército da Síria. O anjo que aplicou
a territórios que estão sob a liderança de o juízo de Deus sobre o exército da Síria e
príncipes angelicais. sobre seu rei que pretendeu afrontar o Senhor,
humilhar o rei Ezequias e invadir Jerusalém (II
4º)Potestades: Refere-se a poderes angelicais Rs 19);
delegados para exercerem atividades especiais.
Não se trata de anjos com poderes isolados d)Herodes Agripa I. Vemos a ação de um anjo
para fazer o que quiserem, mas são chamados contra o rei Herodes Agripa I, que não deu
“potestades” porque foram investidos de uma glória a Deus, mas teve a presunção de
autoridade especial. A Bíblia apresenta vários imaginar-se um deus. A sua autolatria e
exemplos da manifestação dessa classe de blasfêmia recebem o imediato juízo divino,
anjos. Um destes anjos foi enviado por Deus porque Deus não se deixa zombar. O anjo de
para destruir a cidade de Jerusalém e só parou Deus o feriu e Herodes Agripa I expirou comido
quando Deus ordenou-lhe que guardasse a sua de vermes (At 12:22-23).
espada (I Cr 21:15-27). O Salmista Davi diz que
esses anjos são “magníficos em poder” (Sl e)Grande Tribulação. Os anjos terão grande
103:20). A magnitude do poder dessa classe de participação na aplicação dos juízos divinos na
anjos não os torna capazes de fazer aquelas consumação dos séculos mui especialmente no
coisas que só a Divindade é capaz. Ainda que período da Grande Tribulação, quando a Igreja
nem sempre percebemos, os anjos de Deus de Cristo não mais estiver na terra. O livro do
estão em constante ação em benefício dos Apocalipse é o livro profético que trata dos
santos. juízos de Deus relativos ao povo de Israel, o
mundo e o sistema satânico liderado pelo
6.7 - ANJOS COMO AGENTES DIVINOS Anticristo (Ap 7.1-8; 8.11; 12.7-9; 14.6,9-11;
Existem, inúmeras referências aos anjos 20.1-3).
na Bíblia, e a maioria dessas referências
aludem às atividades angélicas como a serviço 3º)Comunicar Boas-Novas.
de Deus. Os anjos são servos e agentes de a - Abraão (Gn 18.1-2);
Deus e as duas principais características b - Aos Pastores de Belém (Lc 2.8,9).
destacadas na bíblia são o louvor e o serviço de 4º)Guardar o Povo de Deus.
Deus.
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 39

a) Elizeu ora pedindo livramento dos Sírios (II esta peregrinava com seu filho em pleno
Rs 6:17). deserto, facilitou a vida e proveu água para
ambos.
5º - Ministrar a favor dos Santos. 7º)Participar na consumação dos séculos.
A bíblia chama os anjos de “espíritos a) A voz como de trombeta (I Ts 4:16);
ministradores”, e isto indica que eles se b) Os anjos na manifestação pessoal de Cristo
interessam pelo bem-estar daqueles que serve, na Terra (At 1:9-12; 19:14);
a Deus. De muitos modos e em várias c) Os anjos proclamarão os juízos divinos (Ap
circunstâncias os anjos de Deus, em toda a 19:17-18);
bíblia, aparecem protegendo, conduzindo e d) Os anjos estarão presente no julgamento das
facilitando a vida dos servos de Deus. A nações (Mt 25:31-32; II Ts 2:8; Ap 19:19-21);
experiência cristã está cheia de evidências da e) Os anjos estarão presentes na consumação
intervenção de anjos, ministrando a nosso favor. dos séculos (Ap 20:1-3);
f) Os anjos serão enviados (Mt 24:31);
a)Os anjos protegem o povo de Deus: Na g) Os anjos se manifestam com Cristo (Mt
Bíblia temos muitas evidências da proteção dos 16:27);
anjos aos servos de Deus, dentre esses, h) Os anjos são ceifeiros (Mt 13:39-42);
destacamos Elias (I Rs 19:5-7), Eliseu (II Rs i) Os anjos acompanham a Cristo (Mt 25:31-
6:14-17), Daniel (Dn 6:22) e Paulo (At 27:23- 33).
25).
8º)No Ministério de Jesus: No Novo
b)Os anjos vigiam os interesses de Deus na Testamento observamos o ministério pessoal
nossa vida: O escritor C. Leslie Miller diz em dos anjos atuando no ministério terrestre de
seu livro, Tudo Sobre Anjos, que o texto de Jesus.
Hebreus 1:14 significa “um serviço especial de a) No seu nascimento (Lc 2:13);
entregas do céu”, como uma das atividades b) Em sua tentação no deserto (Mt 4:11);
mais comuns dos anjos de Deus. O fato de não c) Em sua agonia no Getsêmani (Lc 22:43);
os vermos fisicamente, a não ser que eles d) Em sua ressurreição (Lc 24:4-6);
queiram se tornar perceptíveis , não anula a e) Em sua ascensão aos céus (At 1:10-11);
evidência e a realidade do trabalho dos anjos a f) Em seu estado de glória no céu (Ap 4:6-9);
nosso favor. O autor da Carta aos Hebreus g) No arrebatamento da Igreja em sua vinda (I
chega a aconselhar: “Não vos esqueçais da Ts 4:16);
hospitalidade, porque por ela alguns, não o h) Na sua volta pessoal à terra (II Ts 1:7-8).
sabendo, hospedaram anjos” (Hb 13:2). Ora,
esse texto mostra que os anjos de Deus estão 9º)No ministério dos apóstolos: A ação dos
interessados em nós e vigiam nossos passos anjos evidencia-se de forma maravilhosa:
com especial cuidado, pois somos filhos de a) Na ascensão de Cristo, pois anjos
Deus. anunciaram a Sua volta (At 1:10-11);
b) Um anjo abriu as portas da prisão para João
c)Executores de juízos divinos em favor dos e Pedro (At 5:19);
santos: A execução dos juízos divinos c) Um anjo transladou Filipe até o Eunuco
aplicados pelos anjos de Deus é feita conforme etíope para explicar-lhe a escritura de Isaías
a vontade e a justiça de Deus. Existem (At 8:26-28);
princípios estabelecidos pelo próprio Deus, os d) Um anjo soltou as cadeias e abriu as portas
quais estão livres de erro e de injustiça. A da prisão para Pedro em Jerusalém (At 12:7-
soberana vontade de Deus é baseada no 9);
conhecimento prévio e perfeito que Deus tem e) Um anjo ordenou a Cornélio que convidasse
acerca de todas as coisas. Para a execução Pedro a vir à sua casa (At 10:3);
desses juízos, a Bíblia diz que Deus, “de seus f) Um anjo esteve com Paulo na viagem para
anjos faz ventos, e de seus ministros labareda Roma (At 27:23);
de fogo” (Hb 1:7). Percebe-se na linguagem g) Um anjo apareceu para Zacarias a direita do
figurada usada para “labareda de fogo” e altar (Lc 1:11);
“ventos” a extensão do juízo o perdão através h) Um anjo apareceu para a virgem Maria, e
dos anjos. falou com ela (Lc 1:26-38);
i) Um anjo do Senhor veio sobre os pastores e
6º)Ministrar aos necessitados. falou com eles (Lc 2:9-10);
a)Ajuda a Hagar (Gn 21:17): O anjo que j) Um anjo de Deus esteve com Paulo a noite
apareceu a Hagar, a escrava egípcia, quando (At 27:23);
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 40

k) Em apocalipse por varias vezes João se causas. Em Ez 28:11-19, o rei de Tiro


refere aos anjos... parece simbolizar Satanás e diz-se que ele
6.8 - ANJOS CAÍDOS. caiu devido a essas coisas.
Tudo nos leva a crer que os anjos foram b) Desejo de ser superior a Deus. Ambição
criados em estado de perfeição. No capitulo 1º desmedida e o desejo de ser mais que Deus
de Gênesis, lemos sete vezes que o que Deus parecem ser outra causa. O rei da Babilônia
havia feito era bom. No ultimo versículo deste é acusado de ter essa ambição, ele também
capitulo lemos “Viu Deus tudo o quanto fizera, e parece simbolizar Satanás (Is 14.13-14).
eis que era muito bom”. Isso certamente inclui a
perfeição dos anjos em santidade quando Em qualquer um dos casos o egoísmo,
originalmente criados. Algumas pessoas acham descontentamento com aquilo que tinha e o
que Ez 28:15 se refere a Satanás. Se for assim, desejo de ter tudo o que os outros tinham, foi a
ele é definitivamente mostrado como tendo sido causa da queda de Satanás e de outros anjos
criado perfeito. Mas diversas passagens que o seguiram.
mostram alguns dos anjos como maus (Sl
78:49; Mt 25:41; Ap 9:11; 12:7-9). Isto se deve
ao fato de terem deixado seu próprio principado
e habitação apropriada (Jd 6) e pecado (II Pe 6.8.3 - O resultado de sua queda.
2:4). Não há duvida que Satanás tenha sido o a) Todos eles perderam a sua santidade original
chefe da apostasia. Is 14:12 e Ez 28:15-17 e se tornaram corruptos em natureza e
parece lamentar a sua queda. conduta (Mt 10:1; Ef 6:11-12; Ap 12:9);
b) Alguns deles foram lançados no inferno e
6.8.1 - A época da queda dos anjos. estão acorrentados até o dia do julgamento
Nas Escrituras não há referência de (II Pe 2:4);
quando ocorreu a queda dos anjos, mas deixa c) Alguns deles permanecem em liberdade e
claro que se deu antes da queda do homem, já trabalham em definida oposição à obra dos
que Satanás entrou no jardim na forma de anjos bons (Ap 12:7-9; Dn 10:12,13,20,21; Jd
serpente e induziu Eva a pecar (Gn 3). 9);
d) Pode também ter havido um efeito sobre a
6.8.2 - A causa de sua queda. criação original. A terra foi amaldiçoada ao
De acordo com as Escrituras o universo e pecado de Adão (Gn 3:17-19) e a criação
a criatura eram originalmente perfeitos. A está gemendo por causa da queda (Rm 8:19-
criatura tinha originalmente a capacidade de 22).
pecar ou não. Ela foi colocada na posição de e) Não é improvável, portanto, que o pecado
poder fazer qualquer uma das duas coisas sem dos anjos tenha tido algo a ver com a ruína
ser obrigada a optar por uma delas. Em outras da criação original no capítulo 1º de Gênesis;
palavras, sua vontade era autônoma. f) Eles serão, no futuro, atirados para a terra
(Ap 12:8-9), e após seu julgamento (I Co
a) Revolta contra Deus. Portanto, conclui-se 6:3), no lago de fogo e enxofre (Mt 25:41; II
que a queda dos anjos se deu devido a sua Pe 2:4; Jd 6).
revolta deliberada e autodeterminada contra
Deus. Grande prosperidade e beleza
parecem ser apontadas como possíveis

EXERCÍCIOS

MARQUE “C” PARA CERTO E “E” PARA ERRADO

1)____Os anjos são referidos na Bíblia de Gênesis a Malaquias.

2)____Os santos anjos não participaram da revolta, e assim retiveram seu estado original,

3)____Indiscutivelmente, a Bíblia é uma das fontes digna de confiança acerca da existência, da


história e das atividades dos anjos no Universo

4)____Os anjos foram criados espíritos inteligentes, cujo conhecimento teve início em sua
queda.
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 41

5)____A execução dos juízos divinos aplicados pelos anjos de Deus é feita conforme a vontade
e a justiça de Deus.

7 - DEMONOLOGIA - A DOUTRINA SOBRE OS DEMÔNIOS


desencarnados por Deus (Mt 12.43-44; Mc 5:10-
A origem dos demônios tem-se constituído 13).
tema de especulação durante séculos, não sé Que os espíritos malignos existem e
entre os cristãos, mas também entre exercem poder sobre os homens tem sido uma
pensadores pagãos. Do inicio ao fim, as idéia universalmente aceita. Essa idéia permeia
Escrituras evidenciam a realidade do mundo todos os níveis da sociedade, podendo ser
dos espíritos, os quais podem ser tanto maus encontrada entre as tribos mais primitivas e as
quanto bons. Os espíritos malignos têm civilizações mais avançadas.
influência sobre os homens, e procuram ocupar
os seus corpos (Mt 12:43-45; Mc 5:8). Diz Platão:
Parece inevitável que, o quase total “A divindade não tem intercâmbio com
silêncio da Palavra de Deus quanto a este o homem; mas todo intercâmbio e conversação
assunto, sugere um dos muitos mistérios, só que haja entre os deuses e os homens, é
plenamente conhecido por Deus. efetuado através da mediação de demônios”.
Deve-se ainda, enfatizar que não se
encontra nada de realmente certo acerca da Ainda que algumas pessoas falem em
origem dos demônios nas Escrituras, muito “diabos”, como se houvesse muitos de sua
embora alguns estudiosos admitam que os espécie, tal expressão é incorreta. Há muitos
mesmos sejam anjos caídos que seguiram a “demônios”, mas existe um único “diabo”.
Satanás (Ap 12:7-9 com Ap 12:3-4), outros tem “Diabo” é transliteração do vocábulo grego
conjeturado que sejam espíritos desencarnados, “diábolos”, nome sempre usado no singular, que
talvez de alguma raça ou ordem de seres pré- significa “acusador” e é aplicado nas Escrituras
adamicos; ou, quem sabe, da própria raça exclusivamente a Satanás. “Demônio” é
adâmica e espíritos daqueles que palmilharam transliteração de “daimon” ou “daimonion”, o
esta terra na carne, antes da ruína descrita no plural é “daimonia”.
segundo versículo do Gênesis, e que, por
ocasião daquele grande cataclismo, foram
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 42

7.3 - ATIVIDADE DOS DEMÔNIOS.


a) Tentam subverter o propósito de Deus (Dn
7.1 - SUA EXISTÊNCIA. 10:10-14; Ap 16:13-16);
b) Tentam estender a autoridade de Satanás,
7.1.1 - Reconhecida por Jesus. cumprindo sua vontade (Ef 6:11-12);
Jesus Cristo reconheceu a existência c) Podem ser usados por Deus na realização de
dos demônios falando a respeito deles e para Seus propósitos (I Sm 16:14; II Co 12:7);
eles (Mt 8:28-32; 10:8; 12:27-28). E antes de d) Podem causar doenças (Mt 9:33; Lc
sua ascensão, prometeu autoridade à sua igreja 13:11,16);
de, inclusive expelir os demônios (Mc 16:17-18). e) Podem possuir homens (Mt 4:24);
f) Podem possuir animais (Mc 5:13);
7.1.2 - Reconhecida pelos setenta (Lc 10:17). g) Se opõem ao crescimento dos filhos de Deus
Os setentas, aos quais Jesus nomeou e (Ef 6:12);
enviou de dois em dois, tiveram de enfrentar os h) Disseminam doutrinas falsas (I Tm 4:1);
demônios, e retornaram com o relatório que os i) Afligem os homens (Mc 1:23);
demônios se lhes tornavam sujeitos através do j) São agentes por detrás da idolatria (I Co
nome de Cristo. 10:20);
k) Inspiram falsos mestres (I Jo 4:12);
3.1.3 - Reconhecida pelos apóstolos. l) Podem falar através da boca dos homens
a) Por Paulo (At 16:14-18; I Co 10:20-21; I Tm (Mc 3:11).
4:1). O Apóstolo Paulo reconheceu a realidade
da existência dos demônios em seus dias, e fez 7.4 - POSSESSÃO DEMONIACA
advertência a respeito deles. Possessão demoníaca é a habitação de
um demônio numa pessoa, exercendo controle
b)Por Tiago (Tg 2:19). Reconheceu a e influência diretos sobre ela, com certo prejuízo
existência dos demônios, revelando que eles, para as funções mentais e ou físicas. A
por crerem na existência de Deus, estremecem. possessão demoníaca deve ser distinguida da
influência demoníaca ou atividade demoníaca
3.2 - SUA NATUREZA. contra uma pessoa. Nestas duas últimas formas
de atuação, o demônio atua de fora para dentro;
3.2.1 - Natureza essencial. na possessão, ele opera de dentro da própria
a)Inteligências pessoais (Mt 8:29-31; Mc pessoa. Por esta definição, o crente não pode
1:23-24; Lc 4:35-41; At 19:13-15; Tg 2:19). ser possuído por um demônio já que é habitado
Características e ações pessoais são atribuídas pelo Espírito Santo. O crente pode, contudo, ser
aos demônios, o que demonstra que possuem alvo de opressão demoníaca a tal ponto de dar
personalidade e também inteligência. a impressão de estar possuído.

b)Seres espirituais (Mc 5: 2,7-9,12,13,15; Lc


9:38,39,42). Os demônios são seres espirituais;
são reputados idêntico aos espíritos imundos, 7.4.1 - Efeitos da Possessão Demoníaca
no Novo Testamento.
a) Ocasionalmente, doença física (Mt 9:32-33),
c)Muitos em número (Mt 12:26-27; Mc 5:9; Lc mas a doença e a possessão são distinguidas
8:30). Os demônios são de tal modo numerosos uma da outra nas Escrituras (At 5:16).
que tornam Satanás praticamente ubíquo por b) Distúrbios mentais são ocasionalmente
meio desses seus representantes. causados por possessão demoníaca (Mt 17:15),
mas não sempre (Dn 4).
Jamieson, Fausset, Brown.
“Uma Legião, no exército romano, 7.4.2 - Extensão da Possessão Demoníaca.
totalizava, quando completa, seis mil soldados; a)Quanto a pessoas. Somente descrentes
mas aqui essa palavra é usada a respeito de podem ser possessos. Ao tempo de Cristo, a
um número indefinido e elevado – maioria das ocorrências de possessão
suficientemente elevado, contudo, para, assim demoníaca deu-se entre gentios.
que tiveram licença, ocupar os corpos do dois
mil porcos e destruí-los”. b)Quanto a tempo. Geralmente há um surto de
atividade demoníaca quando a luz e a verdade
se manifestam mais fortemente.
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 43

b - Alguns que estão presos serão soltos


na Grande Tribulação (Ap 9:1-11;
7.5 - O DESTINO DOS DEMÔNIOS. 16:13-14).

7.5.1 - Destino Temporário.


7.5.2 - Destino Definitivo.
a - Alguns que estavam livres foram
lançados ao abismo (Lc 8:31; Ap Finalmente todos os demônios serão
9:11). lançados juntamente com Satanás para dentro
do lago de fogo (Mt 25:41).

EXERCÍCIOS

MARQUE “C” PARA CERTO E “E” PARA ERRADO

1)____Jesus Cristo não reconheceu a existência dos demônios.

2)____O Apóstolo Paulo reconheceu a realidade da existência dos demônios em seus dias, e
fez advertência a respeito deles.

3)____Os demônios são seres espirituais; são reputados idêntico aos espíritos imundos, no
Novo Testamento.

4)____Possessão demoníaca é a habitação de um demônio numa pessoa, exercendo


controle e influência diretos sobre ela, com certo prejuízo para as funções mentais e ou
físicas.

5)____Finalmente todos os demônios serão lançados juntamente com Satanás para dentro
do lago de fogo e serão aniquilados, isto é, seu lado mal será corrigido.
8 – SATANALOGIA - A DOUTRINA SOBRE SATANÁS
Ele não foi criado Satanás por rebeldia se a)“O aferidor da medida” (Ez 28:12). A
originou. Pois, por certo foi criado por Deus o palavra “selo” (aferidor) é uma tradução fiel do
Querubim com livre arbitro, porém se pecasse original hebraico, porque significa que ele era a
não havia misericórdia nem perdão, pois foi imagem perfeita da criação divina e uma
criado em Espírito e pronto para viver imagem refletida em si mesmo que lhe conferia
eternamente. o privilégio de ser a mais bela e inteligente
Querubim ungido, um dos seres mais criatura de Deus (Ez 28:12). Nele se encontrava
augustos dentre os anjos criados, significa o a medida perfeita da criação daquilo que Deus
brilhante. Filho da alva, sinete da perfeição, foi queria.
dotado de relativa perfeição e santidade (Ez
28:13-15). b)“Estavas no Éden, jardim de Deus” (Ez
Aqui nos parece a primeira rebelião, o 28:13). A menção sobre pedras preciosas
Querubim se exaltou e quis destronar a Deus e existentes no Jardim do Éden tem um sentido
tomar lhe o trono do governo universal (Is figurado para ilustrar os privilégios dessa
14:12-14). Porém ele é que foi destronado e criatura chamada Lúcifer, personificada no texto
expulso do céu (Is 14:12). E se originou em como “o rei de Tiro”. O ornamento de pedras
Satanás, e príncipe das potestades do ar (Ef preciosas desse personagem indica a grandeza
2.2). É o maior agente da tentação temos que e a beleza de sua aparência. Era um tipo da
lutar contra ele e resistir vestido com toda a glória tipificada e representada por Lúcifer antes
armadura de Deus (Ef 6:11-17). da queda.

8.1 - CARACTERÍSTICAS ORIGINAIS ANTES c) “No dia em que foste criado” (Ez 28:13). É
DA QUEDA. importante essa expressão porque declara que
O texto indica que Lúcifer era possuidor de Lúcifer é um ser criado por Deus. Como criatura
elevada distinção e detentor de honrosos títulos de Deus não lhe dava o direito de imaginar-se
e posições, conforme destacaremos a seguir: tão superior a ponto de querer ser igual a Deus.
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 44

Mas a Bíblia declara que “temos um advogado


para com o Pai, Jesus Cristo, o Justo” (I Jo 2:1).
d)Belzebu (Mt 10:25; 12:24,27). Esse título
tinha uma relação com um deus pagão de
d)“Querubim ungido para proteger” (Ez Ecrom, por nome Baal-Zebub ou Baal-Zebul. No
28:14). Na descrição profética de Ezequiel, texto grego do NT, esse nome aparece como
Lúcifer pertencia a mais alta classe de seres Belzebu, cuja atribuição dada pelos judeus do
angélicos. Sua relação com Deus manifestava- tempo de Cristo era o de “príncipe dos
se em sua função específica de proteger o trono demônios” (Mt 10:25; Mc 3:22). Como os judeus
de Deus. Esse ministério de proteção dos usavam esse nome com um tom escárnio,
querubins tem a ver com a incumbência de porque o mesmo referia-se a um ídolo pagão,
preservar toda a criação divina (Gn 3:24; Ex Jesus, sem reserva nem qualquer pudor,
25:17-20; Sl 80:1). identificou Belzebu como Satanás (Lc 11:18,19;
Mc 3:24-27).
e)“Perfeito eras nos teus caminhos” (Ez
28:15). A frase tem na conjugação verbal do e)Abadom (hb) ou Apolion (gr). Essas
verbo ser no passado “eras”, a história antiga de palavras das línguas hebraica e grega,
Lúcifer, como alguém que escondia em seu respectivamente, tem o mesmo sentido na
interior a iniqüidade da vaidade e do orgulho. Bíblia e significam “destruidor” (Ap 9:11).
Portanto, destruição é uma característica
8.2 - NOMES E TÍTULOS PESSOAIS. destacada das obras de Satanás. Ele tenta
destruir tudo o que é santo e puro, tudo o que é
a)Lúcifer. Esse nome não aparece literalmente precioso para Deus. De modo específico, ele
na Bíblia. Na linguagem figurada de Isaías aparece no livro de Apocalipse 9:11, como o
14:12, o nome Lúcifer aparece vinculado a anjo do abismo, identificado como Abadom ou
expressão “filho da alva”. Os babilônicos criam Apolion.
que os astros celestes ou estrelas fossem seres
angélicos, por isso, “um filho da alva” 8.3 - A QUEDA DE LÚCIFER
representava a primeira luz da manhã, e Lúcifer, Nos pontos anteriores, analisamos o
em seu primeiro estado possuía esta estado original de Lúcifer e os seus vários
característica. nomes, mas agora estudaremos a queda de
Lúcifer, por que é o único modo de
b)Satanás. Esse título lhe foi dado após a sua conhecermos as razões de tantas desgraças no
queda da presença de Deus, e significa mundo que vivemos.
“adversário” (Zc 3:1; I Pe 5:8). Foi a partir do
momento em que Lúcifer encheu-se de 8.3.1 - A queda de Lúcifer resultou de sua
iniqüidade e permitiu que a presunção o própria escolha
dominasse que aconteceu a grande tragédia Deus estabeleceu a sua soberana vontade
universal. Ele imaginou-se poderoso e suficiente para ser obedecida e apreciada por seus anjos.
para competir ou mesmo superar o trono de Entretanto, a vontade divina não seria
Deus. Lúcifer, então, se fez adversário e obedecida por força, mas livremente. É por esse
oponente constante e implacável contra o princípio bíblico que podemos entender a causa
Criador. Tornou-se, por isso, um arquiinimigo de da queda de Lúcifer. A escritura de Isaías 14 é
toda a criação viva de Deus. tipológica. A profecia fala do rei Nabucodonosor,
um outro rei ilustrado à semelhança de Thobal,
c)Diabo. Esse nome é uma criação do vocábulo rei de Tiro. O que precedeu a queda de Lúcifer
grego diabolos que significa “caluniador, foi a ilusão e engano acerca do seu próprio
acusador” (Ap 12:10). Essa característica ele poder nas hostes angelicais. Imaginando-se
demonstrou como uma das suas tarefas mais superior a todos os demais anjos criado,
terríveis e maléficas. Existe uma história onde o pretendeu tomar o lugar do Criador. Cinco
di-abo calunia e acusa um servo de Deus afirmativas descritas em Isaías 14.13,14
chamado Jó. Embora esse homem fosse revelam as pretensões de Lúcifer:
íntegro, Satanás apareceu diante do Senhor
para acusá-lo (Jó 1:9-11). A Bíblia identifica a Observe os passos para a queda:
diabo como caluniador e acusador dos servos a)“Eu subirei ao céu”: Uma tentativa de estar
de Deus. Como pai da mentira, ele tenta acusar acima de toda a criação e do próprio Deus.
os servos do Senhor, como se Deus não
pudesse perceber as suas mentiras (Jo 8:44).
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 45

b)“Acima das estrelas de Deus exaltarei o que já não precisamos expulsar os espíritos
meu trono”: Quando se refere às estrelas de malignos, conforme fazia Jesus e os crentes do
Deus, ele estava falando dos demais anjos Novo Testamento. Muitas igrejas não sentem
criados. necessidade de enfrentar Satanás diretamente
com o poder do reino de Cristo (Mt 4.10).
c)“No monte da congregação me
assentarei”: O monte da congregação refere- 8.4.1 - A Tentação de Jesus (Mt 4:1-11)
se ao lugar do trono de Deus onde queria O autor da Epístola aos Hebreus (4.15) diz
assentar-se. que Jesus foi tentado em tudo. Essa declaração
parece chocar-se com a lógica da Divindade,
d)“Subirei acima das mais altas nuvens”: uma vez que é impossível que Deus seja
Mais uma vez, ele revela a sua intenção tentado ou submetido à tentação. Porém,
presunçosa de superioridade. devemos analisar essa declaração sob a ótica
cristológica que destaca as duas naturezas de
e)“Serei semelhante ao Altíssimo”: Aqui Cristo, a divina e a humana.
estava a mais grave das pretensões de Lúcifer Jesus foi tentado como homem e não
ele queria colocar-se em posição unilateral em como Deus. Era a encarnação do Verbo Divino
relação ao Criador. que assumiu completamente a humanidade em
seu ser. Ele não era meio-Deus nem meio-
8.3.2 - A queda de Lúcifer foi inevitável e homem. Ele era cem por cento Deus e cem por
conseqüente cento homem. Ao despir-se de sua glória divina,
Sua avidez irrefreada de querer ser igual a Ele submeteu-se a toda experiência humana
Deus, aguçou o interesse de grande número de como homem completo, e foi tal que Ele foi
anjos que resolveu acompanhá-lo. Por esse ato tentado pelo diabo no deserto.
pecaminoso contra o seu Criador, Lúcifer foi
destituído de suas funções celestiais e 8.4.2 - Ele venceu a tentação em sua
condenado a excreção eterna. Mas ele continua essência.
como o instigador do pecado no mundo (Rm A tentação vem de fora, mas a sua
7:14). essência pode estar profundamente arraigada
Ao conhecermos a história da origem e no coração das pessoas. A diferença entre
queda de Satanás, resta-nos como crentes em Jesus e nós era que Ele não herdou a natureza
Cristo, tratar desse assunto com mais pecaminosa que herdamos de Adão e Eva.
seriedade. Nos dias atuais, a Igreja tem Jesus foi gerado pelo Espírito Santo, mas tinha
cometido dois graves erros no que tange a esse um corpo como nós. Mas Ele venceu para que
doutrina: mistificação e racionalização. Os que também vencêssemos.
mistificam a crença em Satanás, o tratam como
se o mesmo fosse “uma energia, uma mera 8.4.3 - Por que Jesus foi tentado pelo diabo?
figura espiritual, um bicho peludo”. Os que Ao tentar Jesus, o diabo queria
racionalizam, não desacreditam da Bíblia, mas convencê-lo a desistir ou a adiar sua missão. O
preferem interpretar a realidade pessoal e a tentador sabia qual era a missão de Jesus, por
espiritualidade de Satanás, como se fosse “uma isso, procurou criar-lhe situações embaraçosas,
força negativa da mente” ou coisa semelhante. tentando levá-lo a empregar meios contrários ao
Mas a verdade, Satanás está vivo, é real, é plano divino. Jesus, contudo, não cedeu a
pessoal e procura influenciar o mundo contra nenhuma das insinuações satânicas. Ele não
Deus e contra todos os que servem a Deus. fraquejou, nem tomou atalhos para cumprir sua
missão. Do mesmo modo, somos tentados a
8.4 - SATANÁS, O TENTADOR (I Ts 3:5). provocar a ira de Deus e a pecar contra a sua
Esta é a segunda vez que Paulo se refere vontade soberana, mas devemos resistir firmes
nesta epístola à atividade de Satanás (I Ts na fé (Tg 4:7; I Pe 5:8-9).
2:18). Paulo acreditava firmemente em Satanás
a) Ele daria, pela tentação, prova de sua
e no mundo dos espíritos malignos (Ef 2.2; II Ts
verdadeira humanidade, de que possuía uma
2:9), da mesma forma que Jesus Cristo (Mt
alma humana.
13:39; Mc 3:14-15; 4:15; Lc 4:1-13,33-41). Hoje
b) Seria parte do seu exemplo a nós.
em dia, muitos já não acreditam num Satanás
c) Faria parte de sua disciplina pessoal.
pessoal. Igrejas há em que ele não é
d) Faria parte de sua preparação para ser um
mencionado diretamente nem confrontado. O
intercessor compassivo (Hb 2:18; 4:15).
diabo tenta-nos a fazer acreditar que ele já não
é um inimigo real que aprisiona as pessoas, e
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 46

e) Era parte da grande batalha na qual “a É assim que Satanás opera em nossos
semente da mulher pisaria a cabeça da dias. Ele procura compelir-nos a galgar lugares
serpente” (Gn 3:15). e posições fora de tempo, a tomar decisões
f) 8.4.4 - Jesus foi tentado no deserto precipitadas e, acima de tudo, a contrariar a
Ao final dos 40 dias e 40 noites no deserto, vontade de Deus.
Jesus estava fraco fisicamente. Ele necessitava
alimentar-se. O diabo percebendo esse fato 8.5 - A TENTAÇÃO COMO MOSTRA A BÍBLIA
entendeu que seria uma boa oportunidade de A distinção entre o conceito de tentação e
induzir a Jesus a pecar contra o Pai. Vendo a prática do pecado é perfeitamente clara na
muita pedra naquele deserto, o diabo procurou Bíblia. Se Jesus foi tentado em todas as coisas,
despertar em Jesus os instintos básicos do ser à nossa semelhança (Hb 4:15), temos de admitir
humano. As pedras facilmente provocariam a que estaremos neste mundo expostos à
imaginação de um homem faminto. Ele poderia tentação. Se Ele foi vencedor e não pecou, nós
produzir um milagre de transformação daquelas tampouco temos de pecar (I Co 10:13). Por isso,
pedras em pão, mas resistiu ao diabo: “Nem só devemos enfrentar o diabo, repudiando-o e
de pão viverá o homem, mas de toda a palavra refutando suas insinuações.
que sai da boca de Deus” (Mt 4:4).
Ao colocar em dúvida a identidade divina 8.5.1 - Identificando a base das tentações
de Jesus com um “SE”, o diabo estava tentando Adão e Eva cederam à tentação da “antiga
obrigar a Jesus a mudar o curso da ordem serpente”. O seu pecado trouxe a morte física e
natural das coisas, induzindo Jesus a espiritual. O apóstolo Paulo escreveu aos
desobedecer ao Pai. Quantas vezes as nossas Efésios sobre o estado espiritual da
tentações começam com um “se” de dúvida, de humanidade como estando morta em relação a
indução maldosa à prática de coisas impróprias. Deus (Ef 2:1). Essa morte espiritual neutralizou
o relacionamento do homem com Deus. Por
8.4.5 - Jesus foi tentado no pináculo do essa razão, o homem foi desenvolvendo
templo (Mt 4:5-6). padrões de pensamento e conduta centrados na
Uma das armas do diabo é o orgulho, por satisfação do ego. Porém Cristo mudou o curso
isso, tentou provocar tal sentimento em Jesus. da vida humana, oferecendo um novo padrão de
Mas esse sentido não estava no coração de vida mediante a obra expiatória no Calvário (II
Jesus, porque Ele não herdara a natureza caída Co 5:17).
de Adão. O diabo queria que Jesus se lançasse
do pináculo do templo para que fosse amparado 8.5.2 - A natureza carnal, campo de atração
pelos anjos, ocasionando assim a ira do Pai, por das tentações
estar desviando o curso normal das coisas. Mas É a “carne” o inimigo que faz o crente
Jesus respondeu-lhe imediatamente:“Também tropeçar e viver acirrado combate, impedindo-o
está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus” de manter uma vida de santificação. Não se
(Mt 4:7). trata do aspecto físico da carne, mas diz
Aprendemos com esta tentação de respeito àquela inclinação para a prática de
Jesus que devemos ter sempre em mente o obras más. A “natureza carnal” é o campo de
senso da vontade de Deus. Nada devemos ação do diabo.
fazer que contrarie a soberana vontade do Pai A essência da tentação é a tendência ou
Celeste. inclinação para se satisfazer ilicitamente as
necessidades físicas e psicológicas do ser
8.4.6 - Jesus foi tentado no alto monte (Mt humano. Devemos entender que toda tentação
4.8-10). é um convite para se viver independente de
Levado a um alto monte onde se poderia Deus.
ver os reinos da terra, o diabo mentirosamente
se disse dono de tudo. Ele sabia que Jesus era 8.5.3 - A sedução da tentação
o verdadeiro dono e que havia promessas Porque sedução? Porque essa é a forma
messiânicas de um reino universal onde Jesus mais discreta de o diabo induzir-nos ao pecado.
seria o Rei. O diabo sabia, também, que Israel As tentações não vem sobre nós para que
aguardava a restauração do reino, e que o cometamos pecados como estupros, roubos,
Messias prometido se assentaria no trono de assassinatos, etc. geralmente o diabo nos tenta
Davi. Jesus era o Rei prometido e esperado. Se com as coisas que a nossa natureza carnal
Ele cedesse as provocações satânicas, deseja. Até onde vai a minha liberdade em
certamente prejudicaria todo o plano divino. Cristo?
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 47

Lamentavelmente, muitos cristãos precisa de Deus, e que pode resolver seus


entendem que, por causa da liberdade cristã, problemas sozinho.
estão livres para fazerem o que bem quiserem. Qual o meio de escape das tentações?
Entretanto, não é por esse caminho que Talvez não consigamos evitar as tentações,
ficaremos livres do pecado (Rm 6:14-23). mas podemos neutralizá-las mediante uma vida
de oração e consagração a Deus. O apóstolo
8.5.4 - As maneiras pelas quais somos Paulo nos esclarece que “não sobreveio
tentados tentação sobre vós, senão humana; mas fiel é
Há pelo menos três vias de acesso às Deus, que vos não deixará tentar acima do que
tentações. Essas vias se manifestam através da podeis suportar” (I Co 10:13)
natureza pecaminosa do ser humano, são as
avenidas que atraem o pecado. Essas três vias 8.6 - O JULGAMENTO DE SATANÁS (Ap
estão identificadas na Bíblia como: “a 20:1-3,7-10)
concupiscência da carne, a concupiscência dos Vamos estudar os juízos divinos sobre
olhos e a soberba da vida”, conforme a escritura Satanás desde a sua rebelião no céu até o
de I Jo 2:15-17. Juízo Final. Ele, seus demônios e todos os
a)Concupiscência da carne (I Jo 2:16). Foi ímpios não escaparão ao castigo eterno do
através dessa via que Satanás procurou seduzir “lago de fogo” (Ap 20:10).
Jesus quando o Senhor jejuava no deserto. O
desejo da sua carne era comer pão, pois Ele 8.6.1 - O Satanás foi julgado no Jardim do
estava há 40 dias sem comer nada. Mas Jesus Éden.
não se deixou dominar pela sedução de Quando Lúcifer viu-se arrojado da
Satanás, vencendo-o pelo poder da Palavra de presença de Deus, motivado por seu pecado de
Deus (Mt 4:3). soberba e presunção, não teve dúvida em
tornar-se inimigo de Deus. O desejo de
b) A concupiscência dos olhos (I Jo 2:16). vingança o levaria a toda sorte de ações contra
Por esse via, Satanás conseguiu enganar Adão o Criador e a sua obra. Na criação dos céus e
e Eva. Gênesis 3.1-12 relata de modo claro os da terra, Deus estabeleceu uma regência para o
passos que levaram o casal a se tornar escravo mundo físico, material e, então criou o homem à
dos apetites da natureza terrena. sua imagem e semelhança. O ser humano foi a
b-1 - Olhou - “vendo a mulher que a árvore era obra-prima do Criador, na qual Ele tinha prazer
boa para se comer, e agradável aos olhos” (Gn (Gn 1:27,28).
3:6). Porém, Satanás estava desolado e
b-2 - Desejou - “árvore desejável para dar buscando uma oportunidade de vingança contra
entendimento” (Gn 3:6). o Criador. Sem perder tempo, investiu contra a
b-3 - Tomou - “tomou do seu fruto” (Gn 3:6). criatura humana e conseguiu pervertê-la com
b-4 - Comeu - “tomou do seu fruto e comeu, e engano e mentira (Gn 3:1-7). Agora, depois de
deu também a seu marido, e ele comeu com induzir o homem à queda, ainda usurpou sua
ela” (Gn 3:6). autoridade e poder sobre a terra, tornando-o
b-5 - Morreu - “no dia em que comeres, escravo do pecado.
certamente morrerás” (Gn 2:17). Por causa disso, o Senhor lançou sobre
O fruto proibido parecia-lhes delicioso, Satanás o juízo inevitável, decretando sua
mais que todos os outros. Satanás aguçou-lhes derrota. Esse primeiro juízo está em Gênesis
esse desejo pelos olhos. 3.15: “E porei inimizade entre ti e a mulher e
entre a tua semente e a sua semente; esta te
8.5.5 - A terceira maneira. A soberba da vida ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar”. É,
(I Jo 2:16) de fato, um duplo juízo sobre a mulher e sobre a
Por essa via, Satanás procura tentar-nos a serpente, o diabo. Podemos identificar esse
sermos independentes de Deus. Ele seduziu a duplo juízo como sendo redentor e vingativo.
mente de Adão e Eva a desejarem
conhecimento superior ao que já tinham: 1º - O juízo redentor. Esse juízo foi aplicado à
“Vossos olhos se vos abrirão e, sereis como mulher, mas tinha um aspecto salvífico, isto é,
Deus, sabendo o bem e o mal” (Gn 3:5). redentor. A Escritura indica que “a semente da
Era uma oferta de Satanás para induzir o mulher” haveria de pisar e desfazer o poder
primeiro casal ao mesmo erro que ele, o diabo, destruidor do pecado. Essa “semente” é Jesus,
cometera ao ser expulso da presença de Deus. nascido de mulher, mas gerado pelo Espírito
É um perigo quando o crente acha que não Santo (Gl 4.4). Ele venceu no Calvário a
tentativa satânica de arruinar para sempre o
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 48

homem. Foi pela sua obra expiatória no Calvário 8.6.3 - O julgamento na segunda vinda
que Jesus pode redimir o homem dos seus pessoal de Cristo.
pecados. Satanás será arrojado dos Céus (Ap 12:7-
12). Quando de sua rebelião contra o Senhor, o
2º - O juízo vingativo. Com a declaração diabo perdeu o direito de habitar na mesma
divina: “esta te ferirá a cabeça”, foi decretado o dimensão de Deus e dos santos anjos. Ele foi
juízo vingativo e punitivo de Deus contra expulso da presença do Altíssimo,
Satanás, a “antiga serpente”. A execução dos estabelecendo sua habitação “nas regiões
juízos divinos contra Satanás começou no celestiais” (Ef 2:2; 6:11-12).
Calvário através de Jesus, “a semente da
mulher”. Foi Deus mesmo, na pessoa de seu 1º - O tempo da Grande Tribulação. O
Filho Jesus que, tomando a forma humana, anticristo se levantará no tempo da Grande
assumiu o papel de executor da vingança divina Tribulação. Israel lutará, mas estará aprisionado
contra Satanás. Nada pode deter o e acuado diante das forças inimigas, até que
cumprimento parcial dessa vingança, porque ela surja o sinal do Filho do Homem. Ele virá em
terá seu cumprimento no Juízo Final. glória aos olhos de todos (Zc 12.8,11; Mt 24.30;
Satanás e seus demônios sabem que o Ap 1.7). Ante a visão estrondosa, os opressores
tempo está marcado no calendário divino, e de Israel recuarão, e, ao tentarem reagir contra
nada poderá reverter essa situação. exércitos celestiais, serão destruídos. Será “o
tempo da angústia de Jacó” (Jr 30.7), ou como
8.6.2 - O julgamento de Satanás no Calvário Jesus falou: “o tempo da grande aflição” (Mt
Isaías antevê a eficácia do Calvário. O 24:21). Todavia, esse tempo terá o seu fim,
profeta apresenta “o valente”, o diabo, vencido, porque Jesus intervirá com a sua vinda (Zc
abatido e despojado pelo “mais valente” que é 14:1-9).
Jesus (Lc 11.21,22). Diz o profeta: “Tirar-se-ia a
presa ao valente? Ou os presos justamente 2º - Satanás será preso por mil anos no poço
escapariam? Mas assim diz o Senhor: Por certo do abismo. No ato interventor de Cristo na
que os presos se tirarão ao valente, e a presa batalha do Armagedom, João viu que Jesus
do tirano escapará” (Is 49:24-25). vinha do céu sobre um cavalo branco de modo
Está subentendido que o valente tipifica o glorioso (Ap 19:1-3). Ele instalará um reino de
diabo. Mas quando chega Jesus, o mais paz e correção no mundo conhecido como o
valente” (Lc 11:22), o diabo é manifestado e não “período milenar”, e será o Rei de todas as
consegue impedir a obra libertadora do Filho de nações. O “homem do pecado” e o “falso
Deus. Foi Jesus quem desalojou o diabo e o profeta” serão lançados vivos no lago de fogo -
despojou de seus poderes. Um dos aspectos da o estado final de todos os ímpios (Ap 19:19-20;
vitória de Cristo no Calvário foi o ato de Mt 24:30; II Ts 2:8-10).
despojar as forças de Satanás, e triunfar Com toda a autoridade, Cristo dará ordem
gloriosamente sobre elas conforme está a um de seus anjos para que prenda e encerre
declarada em Cl 2:15. ao diabo no poço do abismo por mil anos.
O ensinamento que aqui temos, é profundo No final desse período, diz a Bíblia que o
- a igreja cristã não fica sozinha. Conta com a diabo será solto “por pouco tempo” (Ap 20:3,7)
ajuda de grandes protetores espirituais, para tentar as nações o Reino de Cristo (Ap
guardiões e instrutores angelicais. Isso faz parte 20:8-9). Ele ajuntará as nações contra a cidade
da promessa de Cristo, em seu cumprimento: amada, Jerusalém, e quando estiverem
“De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te cercando o arraial dos santos, então descerá
abandonarei” (Hb 13:5) e; “E eis que estou fogo do céu e os destruirá (Ap 20:7-9). Essa
convosco todos os dias até à consumação do será a última batalha de Satanás contra o povo
século” (Mt 28:20). Isso, entretanto, não os de Deus. Depois, só lhe restará o lago de fogo.
transforma em mediadores da “salvação”, pois
somente Cristo Jesus pode ser tal mediador (I
Tm 2:5). Contudo, são mediadores de sua
presença e de seu poder, enviados para
ministrar as assembléias locais, bem como aos 8.6.3 - O Juízo Final
crentes individuais (Hb 1:14). Cada um desses O diabo e as nações serão julgados no
anjos tem seus “representantes” nas igrejas final do período milenar. Ato contínuo será
locais, a saber, pastores, mestres etc. instaurado o grande trono branco (Ap 20.10-15).
Diante do Todo-poderoso, comparecerão todos
os ímpios de todos os tempos para que sejam
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 49

julgados pelas coisas que estão escritas nos confronto foram as orações do profeta Daniel
livros da eternidade (Ap 20:12). Aqueles cujos em favor dos judeus. A resposta de Deus estava
nomes que não forem achados escritos no Livro sendo impedida pelos anjos malignos, mas o
da Vida serão lançados no “lago de fogo”, onde anjo do Senhor venceu a barreira, e levou a
sofrerão o dano da segundo morte (Mt 25:46; Daniel a revelação divina quanto aos últimos
5:28, 29; Ap 21:7, 8). Satanás e seus anjos dias. Satanás odeia Israel por causa do pacto
serão também lançados nesse lugar para divino com esse povo. As promessas feitas por
sempre. Jesus disse que “o fogo eterno” foi Deus a Abraão e seus descendentes ainda
preparado pra o diabo e seus anjos (Mt 25.41). estão em vigor.
Após o julgamento final, teremos os novos céus
e a nova terra (Ap 21:1; II Pe 3:7-13). 2º - A segunda. Miguel, o arcanjo de Deus,
lutará para defender a Israel do ataque “do
8.7 - DERROTAS DE SATANÁS PELO grande dragão” (Ap 12.7-12). Por isso, Satanás
ARCANJO MIGUEL promove o ódio das nações do mundo contra
A Bíblia nos mostra pelo menos duas Israel. E chegará um tempo em que as nações,
derrotas que Satanás sofreu diante do Arcanjo sob o comando do Anticristo, se unirão para
Miguel. destruir o povo judeu.
1º - A primeira. Esta derrota de Satanás frente
ao arcanjo Miguel e seus anjos encontram-se
em Daniel (Dn 10.13,21). O pivô desse
EXERCÍCIOS DA AULA 8

MARQUE “C” PARA CERTO E “E” PARA ERRADO

1)____Satanás não foi criado, por rebeldia se originou.


2)____O título satanás foi lhe dado antes da sua queda da presença de Deus.
3)____A queda de Lúcifer resultou de sua própria escolha
4)____Ao tentar Jesus, o diabo queria convencê-lo a desistir ou a adiar sua missão.
5)____Uma das virtudes do diabo é o orgulho, por isso, tentou provocar tal sentimento em Jesus.

9 - HAMARTIOLOGIA - DOUTRINA DO PECADO


a) Olhou
Hamartiologia, esta palavra vem da junção b) Desejou
de outras duas palavras gregas que são: c) Tomou
hamartia = PECADO e logia = ESTUDO, d) Comeu
significando assim O ESTUDO SOBRE O e) Morreu
PECADO.
2º -Conseqüências imediatas do pecado de
9.1 - A ORIGEM DO PECADO Eva.
O pecado pode ser resumido sob três a) Olhos abertos para o mal, Gn 3:7.
aspectos que são: b) Alienação, Gn 3:8; 23:24; Is 59:1.
a) Um ato de violação, ou desobediência à c) Vergonha, Gn 3:7.
vontade de Deus. d) Medo, Gn 3:10
b) Um estado de ausência de Justiça. e) Loucura, Gn 3:10
c) Uma natureza de inimizade com Deus. f) Evasiva, Gn 3:12-13.
g) Condenação, Gn 3:14-19.
O pecado teve sua origem no mundo h) Morte, Rm 6:23 - Física e Espiritual.
angelical, Is 14:12-14, Ez 28:12-19; Jo 8:44; I Jo
3:8; Is 45:7. 9.2 - A REALIDADE DO PECADO
Baseado nisto concluímos que Deus não é Daremos a seguir alguns conceitos
o autor do pecado, e nem o homem o é, pois o antibíblicos com respeito ao pecado:
homem pecou por uma tentação externa, a
serpente, I Tm 3:6. O pecado entrou na raça a -Ateísmo: Ao negar a existência de Deus, o
humana através de Adão, Rm 5:12; 3:23; Sl ateísmo nega a realidade do pecado, visto que
51:5. todo pecado se comete contra Deus.

1º - Os cinco passos de Eva para a queda:


Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 50

b -Panteísmo: Essa doutrina afirma que sendo b -Ambição: Desejo de ser igual a Deus, desejo
Deus, amor absoluto, santo, bom e onipresente, de saber mais, desejo do que era desconhecido,
não pode existir mal no universo. Todo pecado por isso que o pecado maculou o
e sofrimento é uma ilusão do pensamento relacionamento de Deus com o homem e vice e
humano. versa.

9.3.1 - Pecado original:


c -Determinismo: É a doutrina segundo a qual A condição pecaminosa em que nasce o
todos e cada um dos acontecimentos do homem é definida teológicamente como pecado
universo estão submetidos a leis naturais. original. Ele é chamado assim porque:
Assim sendo, o determinismo ou fatalismo, não a) Porque se origina em Adão, o tronco da raça
admite ação pecaminosa, uma vez que essa já humana. Sl 51:7.
está predeterminada e não depende do livre- b) Porque está presente na vida de cada
arbítrio do homem, pois, não há diferença no indivíduo desde o momento do seu
que é e o que deveria ser. Se admitirmos o nascimento; pelo que não pode ser resultado
determinismo não podemos dizer que somos de uma simples multação.
livres para escolher, pois, nossa eleição na c) Porque é a raiz interna de todos os pecados
realidade é ditada por estímulos internos e por atuais que maculam a vida do homem.
circunstancia fora do nosso domínio. Devemos, porém, evitar o erro de pensar que
este pecado pertence à constituição original
d -Hedonismo: Essa doutrina sustenta que o
do homem, pois isto, implicaria em afirmar
maior bem da vida é desfrutar o prazer e evitar
que Deus criou o homem pecador. Devemos
a dor, de maneira que a primeira coisa a se
distinguir os vários elementos do pecado
pergunta antes de qualquer ação é o seguinte:
original.
Proporciona-me prazer? e não, É justo? A
tendência geral do hedonismo é ignorar o
9.3.2 - Culpa Original:
pecado e usam-se as seguintes justificativas
A palavra culpa com relação ao pecado
para pratica-lo, “O pecado é uma debilidade
original, expressa a relação que a justiça tem
inocente”, “É um entusiasmo juvenil”, “O pecado
com o pecado. E como os teólogos mais antigos
é um tropeço”, “É um capricho” e “E errar é
expressavam que isto tem a ver com a relação
humano”.
que o pecado tem a lei. Assim a culpa do
pecado de Adão como cabeça da raça humana,
e -Ciência Cristã: Para os defensores desta
é imputada a todos os seus descendentes. cfe.
idéia o pecado é algo positivo; é a ausência do
Rm 5:12-19; Ef 2:3; I Co 15:22.
bem; o homem pensa que o pecado é
verdadeiro e real, pois, sua mente precisa de
9.3.3 - Corrupção Original:
correção. E dizem que o homem originou-se do
Esta corrupção original do homem inclui a
espírito e não da matéria; por isso não tem
ausência da justiça original e presença de um
corpo material; o homem é incapaz de pecar,
mal real. É a tendência da natureza caída
ficar enfermo, e morrer.
herdada de Adão que condiciona o homem a
Assim podemos ver que falsos profetas
pecar.
incutem na mente humana conceitos contrários
ao que a Palavra de Deus diz com respeito ao
9.4 - PECADO PRATICADO:
pecado, e com isso conseguem fazer com que
O pecado originou-se num ato de livre
as pessoas se afastem de Deus, e
vontade de Adão, que como representante da
conseqüentemente da salvação que há em
raça humana. Foi uma transgressão da lei de
Cristo Jesus (Ec 7:20, Rm 3:10,22).
Deus e uma corrupção da natureza humana,
que deixou o homem exposto ao juízo e
9.3 - O CARÁTER DO PRIMEIRO PECADO DO
castigos divinos. É essa natureza corrompida, a
HOMEM:
fonte que flui todos os pecados praticados.
Gn 2:17, diz que o primeiro pecado
Pecados praticados são atos externos que
consistiu na desobediência à ordem de Deus.
se executam por meio do corpo. São também
Mas além dessa desobediência o primeiro
todos os maus pensamentos conscientes. São
pecado envolve outras duas coisas que são:
os pecados individuais de fato.
O pecado original é um só, enquanto que
a -Desconfiança: Entre confiar em Deus que
os pecados praticados desdobram-se em
Ele estava dizendo a verdade, os humanos
diferente classes, incluindo atos e atitudes. I Jo
preferiram confiar na serpente.
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 51

1:8-9, esclarece o que é pecado original e Quando o endurecimento do coração atinge


pecados que são praticados. esta intensidade que somente Deus o conhece.
O Espírito já não contenderá para levar a
pessoa ao arrependimento (Gn 6:3; Dt 29:18-21;
9.4.1 - Classificação de Pecados Praticados: I Sm 2:25; Pv 29:11) Quanto àqueles que se
É impossível classificar todos os pecados preocupam pensando que já cometeram tal
praticados, pois, variam de classe e grau, e pecado imperdoável, a sua disposição de se
podem diferenciar-se em mais de um ponto. Os arrependerem e quererem o perdão, é a
católicos fazem distinção entre pecados veniais evidencia de que não cometeram o tal pecado
e pecados mortais, porém tem dificuldades em imperdoável.
identificar quais são os veniais e quais os
mortais. 9.5 - O PECADO E O CRENTE
Gl 5:19-21 apresenta uma lista de É possível o crente pecar? No Novo
pecados de diferentes classes apresentados na Testamento há capítulos inteiros que revelam o
Bíblia. O Novo Testamento determina a conflito entre a velha e a nova natureza,
gravidade do pecado de acordo com o grau de mostrando a possibilidade do crente vir a pecar
conhecimento que se tenha a respeito dele. Os que são Rm 7 e 8; Hb 12:1; I Jo 1:8-9.
gentios que estão nos seus pecados são
culpados diante Dele, porém os que gozam do 1º -Causas do Pecado na Vida do Crente:
favor do evangelho e tem a revelação de Deus a) A natureza pecaminosa do homem, Rm 8:21-
são muito mais culpados quanto caem conforme 25.
os seguinte textos bíblicos: Mt 10:15; Lc 12:47- b) O sistema mundial que está sob o domínio
48; Jo 19:11; At 17:30; Rm 1:32; 2:12; Hb 6:4-8. de Satanás, I Jo 2:15-17.
Os pecados podem ser por comissão ou por c) Falta de oração e leitura bíblica, Ef 6:10-15.
omissão, Tg 4:17, em Mt 25:41-46, cinco
pecados de omissão são apresentados. 2º -Conseqüências do Pecado na Vida do
Crente:
1º -Blasfêmia (Pecado imperdoável) (Mt a) Perda da comunhão com Deus, I Jo 1:5-6; Sl
12:31-32). A Blasfêmia contra o Espírito Santo é 51:11.
a rejeição contínua a deliberada do testemunho b) Perda do galardão, I Co 4:5; 3:13-15.
que o Espírito Santo dá de Cristo, da sua c) Possível morte, At 5:1-11; I Co 11:30.
Palavra e da sua obra de convencer o homem d) Maus exemplos I Co 8:9-10.
do pecado (Jo 16:7-11). Aquele que rejeita a e) Destruição da fé e conseqüente morte
voz do Espírito Santo e se opõe a ela, afasta de espiritual, Rm 6:16; I Jo 5:16-17.
si mesmo o único recurso que pode levá-lo ao
perdão. Esse pecado não consiste em duvidar 3º -Como Devemos Tratar o Pecado:
da verdade manifesta em Cristo, nem em negá- a) Reconhece-lo, Sl 51:3
la, mas sim em contradizê-la. Quando se b) Evitá-lo, I Tm 5:22
comete este pecado, se faz voluntariamente, c) Detesta-lo, Jd 23
maliciosamente e tencionalmente atribui a d) Resisti-lo, Tg 4:7-8.
influência de Satanás aquilo que e) Confessa-lo, I Jo 1:9.
reconhecidamente é obra de Deus. Em outras f) Deixa-lo, Pv 28:13. Vejamos I Jo 2:1.
palavras é uma declaração que o Espírito Santo
é um espírito maligno, que a verdade é mentira 1.6 - PALAVRAS TRADUZIDAS NA BÍBLIA
e que Cristo é Satanás. COMO PECADO:

1ºa - Os passos que levam a blasfêmia 1º - Hebraicas:


contra o Espírito Santo: a - Chata. Significa errar o alvo. É a palavra
a -Entristecer o Espírito. Se isto for contínuo, hebraica para designar pecado em geral; o
levará á resistência ao Espírito Ef 4:30. pecador erra o alvo, desvia-se do caminho que
b -Resistir: Leva ao apagamento do Espírito Deus colocou diante dele. O homem inclina-se a
dentro da pessoa I Ts 5:19. errar o alvo. Este vocábulo é usado em (Gn 4:7;
c -Apagar: O Espírito leva ao endurecimento do Lv 4:22,24; 16:21; Sl 1:1; 51:4; 103:10; Is 1:18;
coração Hb 3:8-10. 38:17; 53:12; Dn 9:16; Os 12:8).

O endurecimento leva a uma mente b - Pasha. Significa transgredir, invadir, ir além,


réproba e depravada, a ponto de chamar o mal rebelar-se e postergar-se. O homem forçou,
bem e ao bem de mal (Rm 1:28, Is 5:20). destruiu e foi além dos limites estabelecidos
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 52

pela lei de Deus. Este vocábulo é usado em (Gn


31:36; 50:17; Ex 22:18; I Sm 24:12; Pv 10:19; Sl 2º - Gregas:
89:32; Is 1:28; 58:1; Os 14:9; Am 4:4). a - Adikia. Significa injustiça, maldade,
incorreção, praticar más obras. Este vocábulo é
c - Rasha. Significa ser ímpio, ser solto ou mau usado em (II Co 12:13; Hb 8:12; Rm 1:18; 9:14;
legado, ser ruidoso, tumultuoso. Este vocábulo I Jo 5:17).
é usado em (Is 57:20-21; Sl 18:21; Ex 18:27;
33:19; Ml 3:15-18). b - Hamartia. É a mais usada no Novo
Testamento, é a palavra que melhor se traduz
d - Ra’A. Significa ser mau, quebra ou danificar por pecado, significando transgredir, praticar
por métodos ou meio violentos. Este vocábulo é más obras e pecar contra Deus. Este vocábulo
usado em (Gn 2:9,17; 8:21; Ex 33:4; Dt 1:35; II é usado em (Mc 2:5; Jo 9:41; Rm 5:12; Hb 1:3;
Rs 3:2; Pv 1:16; Sl 10:15; Ec 5:13; Is 5:20; Jr 3.13).
11:11; Jn 1:7-8. O texto mais expressivo está
em Mq 2:1-3). c-Anomia. Significa ilegalidade, insubordinação,
desenfreamento. Este vocábulo é usado em (Lc
e - Avah. Significa ser perverso, entortar ou 15:26; Rm 6:19).
torcer a lei de Deus, andar PELOS caminhos
tortuosos em oposição ao caminho reto de d -Apistía. Significa infidelidade, falta de fé ou
Deus. O pecador tem dentro de si aquilo que o resistência à fé com obstinação. Este vocábulo
torna torto ou perverso em seus pensamentos, é usado em (Rm 3:3; I Tm 1:13; Hb 3:12).
propósitos, desejos e caminhos. Este vocábulo
é usado em (Gn 15:16, Ex 20:5; Lv 26:40; I Sm e-Aselgeia. Significa licenciosidade,
3:14; Jó 20:27; Sl 32:2,5; Is 50:1; Jr 2:22). relaxamento, sensualidade. Este vocábulo é
usado em (Jd 4).
f - Ramah. Significa enganar, derribar, prender
na armadilha. O pecado faz o mesmo engana e f - Epithumia. Significa desejo. Só o contexto
trata traiçoeiramente o pecador, levando-o a pode indicar se o desejo é bom ou mal. Este
agir da mesma forma. Este vocábulo é usado vocábulo é usado em (Lc 22:15; Tg 1:14).
em (Sl 32:2; 34:13; 55:11; Jó 13.7; Mq 6:12; Is
53:9). g -Ejethra. Significa sentimento ou ação hostil,
ou seja inimizade. Este vocábulo é usado em
g - Ma’Al. Significa transgredir, ser culpado de (Rm 8:7; Ef 2:14-16; Tg 4:4).
quebrar uma promessa, ou não cumprir a
palavra dada, envolve infidelidade e traição, é h - Kakia. Significa perversidade ou depravação
traduzido por prevaricar ou transgredir. Este oposta à virtude, descreve o caráter e não
vocábulo é usado em (Lv 6:16,21; 26:40; Nm somente o ato exterior do pecar. Este vocábulo
5:6; 31:16; Dt 32:51; II Cr 26:18; 29:6). é usado em (Mt 6:34; I Pe 2:16).

h - Pathah. Significa seduzir, ser aberto. i - Parabasis. Significa transgressão, passar do


limites, violar a lei consciente ou
i - Kasal, Nabel, Tame e Ba’Ash. Significam voluntariamente. Este vocábulo é usado em
ser impuro. (Rm 4:15; 5:14; I Tm 2:14; Hb 2:2).

j -Amal. Significa trabalhar, ser miserável, estar j - Poneria. Significa perversidade, maldade.
em dificuldade, em miséria. O pecado é Este vocábulo é usado em (I Co 5:8).
inimizade, rebeldia e resistência a Deus,
provoca a ira e o ciúme de Deus.
EXERCÍCIOS

MARCAR COM UM “X” A ÚNICA ALTERNATIVA CORRETA

01 – HAMARTIOLOGIA É O ESTUDO SOBRE O QUÊ?


a)____A Salvação
b)____O caráter do pecado
c)____O pecado

02 – O PECADO TEVE SUA ORIGEM NO MUNDO


Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 53

a)____Angelical
b)____Animal
c)____Terrestre

03 – QUANTO MAIS A PESSOA SE AFASTA DE DEUS,


a)____Mais longe da justiça de Deus ela fica
b)____Mais perto da justiça dos homens ela fica
c)____Mais fácil de ser atingido pela justiça de deus ela fica

04 – COMO É DEFINIDA TEOLOGICAMENTE A CONDIÇÃO PECAMINOSA QUE O HOMEM


NASCE?
a)____Pecado originado
b)____Pecado original
c)____Pecado originário

05 – CORRUPÇÃO ORIGINAL É O MESMO QUE


a)____Ausência de justiça
b)____Presença de um mal real
c)____A duas alternativas estão corretas

06 – QUANDO UMA PESSOA QUE CONHECE O FAVOR DO EVANGELHO PECA,


a)____Ela é culpada tanto quanto um que peca não conhecendo a Deus
b)____Ela é mais culpada ainda pelos seus atos
c)____Ela é menos culpada, pois peca involuntariamente

07 – UMA COISA QUE LEVA O CRENTE A PECAR É:


a)____sua natureza pecaminosa
b)____Sua mudança interior incompleta
c)____Sua intensa convivência com pecadores
10 – SOTERIOLOGIA DOUTRINA DA SALVAÇÃO
externo da graça é provido pela obra expiatória
Vamos estudar a doutrina chave da Bíblia, de Cristo; o aspecto interno é a operação do
A DOUTRINA DA SALVAÇÃO. Espírito Santo.
No meio teológico ela é conhecida como
SOTERIOLOGIA, termo baseado em duas Salomão observou que o homem
palavras gregas: “soteria” = SALVAÇÃO ou necessitava da salvação:
LIBERTAÇÃO e “logia” = ESTUDO, TRATADO “Não há homem justo sobre a terra que faça o
ou DISCURSO. Assim SOTERIOLOGIA é o bem e que não peque” (Ec 7:20).
estudo da salvação.
A raiz do problema que cada homem O apóstolo Paulo fez a mesma observação:
confronta é a sua própria natureza pecaminosa. “... Não há um justo, nem um sequer” (Rm 3:10).
Desde que nasce, o homem é inclinado ao
pecado por isso é incapaz de agradar a Deus Na Bíblia, Deus nos tem revelado Seu
(Sl 51:5; Jr 17:9; Rm 7:18; Ef 2:1-3). padrão, na Lei, para vivermos uma vida justa;
Esta natureza pecaminosa, que todos os porém, homem algum foi capaz de alcançá-lo
homens herdaram através de Adão, é chamada perfeitamente (Gl 3:11). O padrão de vida
“depravação total”. Esta expressão não significa exposto por Deus, nunca foi destinado a ser o
que o homem seja absolutamente mau em caminho da salvação para ninguém; nem nos
todas as situações da sua vida, apesar de todas tempos do Antigo Testamento, nem nos dias de
as áreas do seu ser, como, alma e espírito hoje.
estarem afetadas pela pecaminosa “natureza A lei simplesmente mostra a incapacidade
adâmica”. do homem de salvar-se a si mesmo, uma vez
A Salvação é tanto objetiva (externa) como que ele é incapaz de guardá-la.
subjetiva (interna). A justiça, em primeiro lugar,
é mudança de posição, mas é acompanhada 10.1 - ASPECTOS PARA A SALVAÇÃO.
por mudança de condições. A justiça tanto é
imputada com também conferida. O aspecto 10.1.1 - Aspecto Divino.
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 54

Observe a seguinte expressão: “Muito impossível agradar a Deus, por esta razão
antes de o homem pensar em Deus, ele já está houve necessidade da intervenção divina na
no pensamento de Deus”. salvação, independentemente dos méritos do
homem.
1º - Predestinação: É o conselho ou decreto de
1º - Arrependimento. Há uma palavra grega
Deus concernente aos homens decaídos,
traduzida “arrependimento”, que significa
incluindo a eleição soberana de uns e a justa
literalmente “mudar de idéia ou de propósito”.
reprovação dos restantes (Rm 8:29-30; 9:11-24;
O pecador arrependido se propõe mudar
Ef 1:5,11). Jamais determina as escolhas
de vida e voltar-se para Deus; o resultado
humanas, mas sim, preordena as escolhas de
prático é que ele produz frutos dignos do
Deus no que concerne ao seu relacionamento
arrependimento (Mt 3:8).
com as necessidades dos homens. Devemos
O Espírito Santo ajuda a pessoa a
diferenciar a predestinação do fatalismo que é a
arrepender-se aplicando a Palavra de Deus à
crença herética que imputa as ações e escolhas
consciência, comovendo o coração e
do homem ao determinismo de Deus, em outras
fortalecendo o desejo de abandonar o pecado.
palavras; Deus decide que o homem será e
fará. Alguém definiu o arrependimento das
seguintes maneiras:
Os dois aspectos da predestinação são:  “A verdadeira tristeza sobre o pecado,
a -Eleição (I Pe 1:2): É o ato eterno de Deus incluindo um esforço sincero para
pelo qual Ele, em seu soberano beneplácito, e abandoná-lo”;
sem levar em conta nenhum mérito previsto nos  “Tristeza piedosa pelo pecado”;
homens, escolhe um certo número deles para  “Convicção da culpa produzida pelo
receberem a graça especial e a salvação Espírito Santo ao aplicar a lei divina ao
eterna. Deus conhecendo cada decisão que o coração”;
crente tomaria, O elegeu antes da fundação do  “Sentir tristeza a ponto de deixar o
mundo (Ef 1:4). pecado.”

b -Reprovação: É o decreto eterno de Deus Ha três elementos que constituem o


pelo qual Ele determinou deixar de aplicar a um arrependimento:
certo número de homens as operações de sua a - Intelectual. O viajante que descobre estar
graça especial, e puní-los por seus pecados, viajando em trem errado. Esse conhecimento
para a manifestação da sua justiça. Os dois corresponde ao elemento intelectual pelo qual a
aspectos da reprovação são preterição e pessoa compreende, mediante a pregação da
condenação. Palavra, que não está em harmonia com Deus.

Pensamento: (F.H. Klooster). b - Emocional. O viajante fica perturbado com a


“A soberania divina e a soberania descoberta. Talvez alimente certos receios. Isso
humana certamente são contraditórias entre si, ilustra o lado emocional do arrependimento, que
mas a soberania divina e a responsabilidade é uma auto-acusação e tristeza sincera por ter
humana, não.” ofendido a Deus (II Co 7:10).

2º - Presciência (At 2:23; 26:5; Rm 3:25; 8:29; c -Prático. Na primeira oportunidade o viajante
11:2; II Pe 1:2,20; II Pe 3:17). É o aspecto da deixa esse trem e embarca no trem certo. Isso
onisciência relacionada com o fato de Deus ilustra o lado prático do arrependimento, que
conhecer todos os eventos e possibilidades significa em “meia-volta, volver!” e marchar em
futuras. Isto jamais interfere nas decisões direção a Deus.
humanas e o seu livre arbítrio, onde a ações
humanas são permitidas ou impedidas por
serem previamente conhecidas por Deus.

2.1.2 - Aspecto humano – Condições para a


salvação:
É necessário observarmos o aspecto
humano da salvação, certo que a salvação parte
de Deus em favor do homem e não do homem a
favor de Deus. Pois o homem por si só é
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 55

2º - Fé. A Fé não se explica através da lógica Ele lhes propunha. Não guardou silêncio sobre
humana. Fé é crença, convicção, certeza, as exigências do discipulado. Ninguém poderia
confiança, entrega. É a certeza de que algo vai queixar-se de que Ele lhes enganara com a
acontecer, não importando se as condições oferta de uma “graça barata”. Seu interesse
sejam contrárias. A definição bíblica para a fé é estava na qualidade, não na quantidade de seus
a seguinte: “É a certeza das coisas que se seguidores.
esperam, e a prova das coisas que não se
vêem” (Hb 11:1). Fé é a crença de que o Senhor 3º - Conversão. Conversão, segundo a
está no comando de todas as coisas, em quem definição mais simples, é abandonar o pecado e
depositamos total e irrestrita confiança. aproximar-se de Deus (At 3:19). Literalmente a
A grande descoberta do frade Martin expressão conversão significa virar-se para
Lutero nas Escrituras foi que “o justo viverá por direção oposta.
fé” (Rm 1:17). Essa verdade bíblica chegou a O termo é usado para exprimir tanto o
ser um grito de batalha na Reforma. período crítico em que o pecador volta aos
A fé é a mão que recebe a dádiva de Deus caminhos da justiça como também para
em Jesus Cristo. Certamente para o evangelista expressar o arrependimento de alguma
João, receber a Cristo parece ser um transgressão por parte de quem já se encontra
equivalente de crer nele (Jo 1:12). Por meio da nos caminhos da justiça. (Mt 18:3; Lc 22:32; Tg
fé fazemos nossos os benefícios de Cristo 5:20.)
crucificado e ressuscitado. É nesses benefícios A conversão está muito relacionada com o
que descansa nossa segurança eterna de arrependimento e a fé, e, ocasionalmente,
salvação. representa tanto um como outro ou ambos, no
A fé mediante a qual somos justificados sentido de englobar todas as atividades pelas
não é cega, não é mera credulidade. Tampouco quais o homem abandona o pecado e se
é a fé um mero assentimento à verdade aproxima de Deus (At 3:19; 11:21; I Pe 2:25).
revelada. É muito mais que um mero exercício
intelectual. Ter fé é confiar, é abandonar-se nas Por exemplo:
mãos de Jesus Cristo, reconhecendo a Observa-se que um pecador, bêbado
enormidade de nossa culpa e a totalidade de notório, não bebe mais, nem joga, nem
nossa incapacidade para libertar-nos por nós freqüenta lugares suspeitos; ele odeia as coisas
mesmos do pecado. É admitir que os méritos que antes amava e ama as coisas que outrora
humanos são inúteis para fins de justificação. É odiava. Seus amigos dizem: “Ele está
lançar mão do valor infinito da pessoa e obra do convertido; mudou de vida.”
Filho de Deus. Ter fé em Jesus Cristo é deixar-
se salvar por Ele. a - Lado humano: As pessoas estão descreve
A fé implica também obediência. Quando o o que aparece, isto é, o lado humano do fato.
homem crê que o Evangelho é a verdade,
sente-se na obrigação de obedecê-lo. Segundo b - Lado divino: É que Deus perdoou o pecado
a doutrina da Reforma, o pecador é justificado do pecador e lhe deu um novo coração.
só pela fé, mas a fé que justifica não permanece
só. Não é uma fé estéril, muito menos morta. O Portanto, a conversão é o resultado da
ensino de Tiago (2:14-26) se harmoniza cooperação das atividades divinas e humanas.
plenamente com o ensino de Paulo, o qual “Assim também operai a vossa salvação com
afirma que não somos salvos por obras, mas temor e tremor; porque Deus é o que opera em
sim, para obras que Deus “de antemão vós tanto o querer como o efetuar segundo a
preparou para que andássemos nelas” (Ef 2:10). sua vontade” (Fl 2:12).
Estas boas obras são o fruto da salvação, não a As seguintes passagens referem-se ao
causa dela. lado divino da conversão: Jr. 31:18; At 3:26.
Crer em Jesus Cristo significa, além do E estas outras referem-se ao lado humano:
mais, entrar em sério compromisso com Ele, At 11:18; Ez 33:11.
com sua Igreja e com a sociedade. Não
aceitamos Jesus Cristo para evadir nossas 3º.a - Que é arrependimento para a vida?
responsabilidades morais e viver como nos Arrependimento para a vida é graça salvadora,
agrada, depois de haver adquirido uma apólice pela qual o pecador, sentindo verdadeiramente
de seguro para a eternidade. No Evangelho há o seu pecado, e lançando mão da misericórdia
reclamos de caráter ético. de Deus em Cristo, e sentindo tristeza por
Jesus teve o cuidado de advertir as causa do seu pecado e ódio contra ele,
multidões sobre as dificuldades do caminho que abandona-o aproxima-se de Deus, fazendo o
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 56

firme propósito de daí em diante, ser obediente condenação, mas agora participa da divina
a Deus. aprovação.
Note-se que, segundo essa definição, a Justificação inclui mais do que perdão dos
conversão envolve a personalidade toda, pecados é remoção da condenação, pois no ato
intelecto, emoções e vontade. da justificação Deus coloca o ofensor na
posição de justo.
10.3 - COMPOSIÇÃO. O presidente da República pode perdoar o
A justificação, a regeneração e a criminoso, mas não pode reintegrá-lo na
santificação constituem a plena salvação. posição daquele que nunca desrespeitou as
A mudança exterior, ou legal, chamada leis. Mas a Deus é possível efetuar ambas as
justificação, segue-se à mudança subjetiva coisas! Ele apaga o passado, os pecados e
chamada regeneração, e esta, por sua vez, é ofensas, e, em seguida, trata o ofensor como se
seguida por santificação (dedicação ao serviço nunca tivesse cometido um pecado sequer!
de Deus). O criminoso perdoado não é considerado
Essas três bênçãos da graça foram ou descrito como bom ou justo; mas Deus, ao
providas pela morte expiatória de Cristo, e as perdoar o pecador, o declara justificado, isto é,
virtudes dessa morte são concedidas ao homem justo aos olhos divinos. Juiz algum poderia
pelo Espírito Santo. Quanto à satisfação das justificar o criminoso, isto é, declará-lo homem
reivindicações da lei, a expiação proveu o justo e bom. Se Deus estivesse sujeito às
perdão e a justiça para o homem. Abolindo a mesmas limitações e justificasse somente gente
barreira existente entre Deus e o homem, ela boa, então não haveria evangelho nenhum a ser
possibilitou a nossa vida regenerada. Como anunciado aos pecadores.
sacrifício pela purificação do pecado, seus Paulo nos assegura que Deus justifica o
benefícios são santificação e pureza. ímpio. O milagre do Evangelho é que Deus se
aproxima dos ímpios, com uma misericórdia
absolutamente justa e os capacita pela fé, a
10.3.1 - A Justificação.
despeito do que são, a entrarem em nova
relação com ele, relação pela qual é possível
A palavra “justificar” é termo judicial que
que se tomem bons.
significa absolver, declarar justo, ou pronunciar
sentença de aceitação. A ilustração procede das
Jó perguntou.
relações legais.
“Como se justificará o homem para com
O réu está perante Deus, o justo Juiz;
Deus?” (Jó 9:1).
mas, ao invés de receber sentença condena-
tória, ele recebe a sentença de absolvição.
O carcereiro de Filipos interrogou.
O substantivo “justificação” ou ‘justiça”,
“Que é necessário que eu faça para me
significa o estado de aceitação para e qual se
salvar?” (At 16:30).
entra pela fé. Essa aceitação é dom gratuito da
parte de Deus, posto a nossa disposição pela fé
Ambos expressaram a maior de todas as
em Cristo (Rm 1:17; 3:21-22).
perguntas: Como pode o homem acertar sua
É o estado de aceitação no qual o crente
vida perante Deus e ter certeza da aprovação
permanece (Rm 5:2).
divina?
Apesar de seu passado pecaminoso e de
A resposta a essa interrogação encontra-
imperfeições no presente, o crente goza de
se no Novo Testamento, especialmente na
completa e segura posição para com Deus.
epístola aos Romanos, na qual se apresenta,
“Justificado” é o veredicto divino e ninguém
em forma sistemática e detalhada, o plano da
o poderá contradizer (Rom. 8:34).
salvação. O tema do livro encontra-se no
capítulo 1:16-17, e qual se pode parafrasear da
Essa doutrina assim se define:
seguinte maneira: O evangelho é o poder de
“Justificação é um ato da livre graça de
Deus para a salvação dos homens, pois o
Deus pelo qual ele perdoa todos os nossos
evangelho revela aos homens como se pode
pecados e nos aceita como justos aos seus
mudar de posição e de condição, de maneira
olhos somente por nos ser imputada a justiça
que eles sejam justos perante Deus. Uma das
de Cristo, que se recebe pela fé.”
frases proeminentes da mesma epístola é: “A
justiça de Deus.”
Justificação é primeiramente uma
O inspirado apóstolo descreve a qualidade
mudança de posição da parte do pecador, o
de justiça que Deus aceita, de forma que
qual antes era um condenado; agora, porém,
homem que a possui tenha aceitação como
goza de absolvição. Antes estava sob a
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 57

justo perante ele. Essa justiça resulta da fé em


Cristo. Paulo demonstra que todos os homens Paulo (Rm 3:21), fala da justiça de Deus
necessitam dessa justiça de Deus, porque toda sem a lei, “tendo o testemunho da lei” (Gn 3:15;
a raça pecou. 12:3; Gl 3:6-8) e dos profetas (Jr 23:6; 31:31-
34). A justiça incluía tanto o perdão dos
a - Os gentios estão sob condenação. Os pecados como a justiça íntima do coração.
passos de sua degradação foram claros: Na verdade, Paulo afirma que a
a1 - Outrora conheceram a Deus (Rm 1:19-20); justificação pela fé foi o plano original dele para
a2 - Falhando em o servirem e adorarem, seu a salvação dos homens; a Lei foi acrescentada
coração insensato se obscureceu (Rm para disciplinar os israelitas e fazê-los sentir a
3:21-22); necessidade de redenção. (Gl 3:19-26.) Mas a
a3 - A cegueira espiritual os conduziu à idolatria lei em si não possuía poder para salvar, como o
(Rm 1:23); termômetro não tem poder para baixar a febre
a4 - A idolatria os conduziu à corrupção moral que ele registra. Seria o próprio Senhor, o
(Rm 1:24-31). Salvador do seu povo; e sua graça seria a sua
única esperança.
São indesculpáveis porque tinham a
revelação de Deus na natureza, e a consciência 1º - A Fonte da Justificação - A Graça: Graça
que aprova ou desaprova seus atos (Rm 1:19- significa, primeiramente, favor, ou a disposição
20; 2:14-15). bondosa da parte Deus. Alguém a definiu como
a “bondade genuína e favor não recompensado”
b - O judeu também está sob condenação. É ou “favor não merecido”.
verdade que ele pertence à nação escolhida, e Dessa forma a graça nunca incorre em
conhece a lei de Moisés de há muitos séculos, dívida. O Deus concede como favor; nunca
mas transgrediu essa lei em pensamentos, atos podemos recompensá-Lo ou pagar-Lhe.
e palavras (Rm 2). A salvação é sempre apresentada como
Notem a palavra “agora” no texto: “Mas dom, um favor não merecido, impossível de ser
agora se manifestou sem a lei a justiça de recompensado; é um beneficio legitimo de Deus
Deus” (Rm 3:21). Alguém disse que Paulo (Rm 6:2).
dividiu todo o tempo em “agora” e “depois”. Serviço cristão, portanto, não é pagamento
Em outras palavras, a vinda de Cristo pela graça de Deus; serviço cristão é um meio
operou uma grande mudança nas transações que o crente aproveita para expressar sua
de Deus com os homens. Introduziu uma devoção e amor a Deus, “nós o amamos porque
nova dispensação. ele primeiramente nos amou.”
A graça é transação de Deus com o
Durante séculos os homens pecavam e homem, absolutamente independente da
aprendiam a impossibilidade de aniquilarem ou questão de merecer ou não merecer. Graça não
vencerem seus pecados. Mas agora Deus, clara é tratar a pessoa como merece e nem tratá-la
e abertamente, revelou-lhes um novo caminho. melhor do que merece, é tratá-la graciosamente
Muitos israelitas julgavam que devia haver sem a mínima referência aos seus méritos.
um meio de serem justificados sem ser pela Devemos evitar certo mal-entendido.
guarda da lei; por duas razões: Graça não significa que Deus é coração tão
magnânimo que abranda a penalidade ou
b1 - Perceberam um grande abismo entre as desiste dum justo juízo.
exigências de Deus para com Israel e seu Sendo Deus o Soberano perfeito do
verdadeiro estado espiritual. Israel era injusto, e universo, ele não pode tratar indulgentemente o
a salvação não podia proceder dos próprios assunto do pecado, pois isso depreciaria sua
méritos ou esforços. A salvação teria que perfeita santidade e justiça!
proceder de Deus, por sua intervenção. A graça de Deus aos pecadores revela-se
no fato de que ele mesmo, pela expiação de
b2 - Muitos israelitas reconheceram por Cristo, pagou toda a pena do pecado. Por
experiência própria sua incapacidade para conseguinte, ele pode justamente perdoar o
guardar perfeitamente a lei. Chegaram à pecado sem levar em conta os mercecimentos
conclusão de que devia haver uma justiça ou não merecimentos, os pecadores são
alcançável independentemente de suas próprias perdoados, não porque Deus seja benigno para
obras e esforços. Em outras palavras, anelavam desculpar pecados deles, mas porque existe
por redenção e graça. E Deus lhes assegurou redenção mediante o sangue de Cristo (Rm
que tal justiça lhes seria revelada. 3:24; Ef 1:6).
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 58

Os pregadores modernistas erram nesse Salvação é regeneração divina; não é reforma


ponto; pensam que Deus por sua benignidade humana.
perdoa os pecados; entretanto, seu perdão d -Salvação é ser aceitável a Deus; não é
baseia-na mais rigorosa justiça. Ao perdoar o tornar-se excepcionalmente bom.
pecado, “Ele é fiel e justo” (I Jo 1:9). e -Salvação é perfeição em Cristo; não é
A graça de Deus revela-se no fato de competência de caráter.
haver ele provido uma expiação pela qual pode f -A salvação, sempre e somente, procede de
ser justo e justificador, ao mesmo tempo, Deus; nunca procede do homem. (Lewis Sperry
manter sua santa e imutável lei. Chafi)
A graça manifesta-se independente das
obras ou atividades dos homens. 2º - Fundamento da Justificação - A Justiça
Quando a pessoa está sob a lei, não pode de Cristo: Deus tratar o pecador como pessoa
estar sob a graça; e quando está sob a graça, justa, pois, Ele mesmo provê a justiça, através
não pode estar sob a lei. de Cristo ganhou o título “bondade a quem não
Está “sob a lei” quando tenta assegurar a o merece”, o qual é declarado justo “mediante a
sua salvação santificação como recompensa, redenção que há em Cristo”.
por fazer boas obras ou observar certas
cerimônias. a - Redenção. Significa completa libertação por
A pessoa está “sob a graça” quando preço pago. Cristo ganhou essa justiça por nós,
assegura para si a salvação por confiar na obra por sua morte expiatória, como está escrito: “Ao
que Deus fez por ela, e não na obra que ela faz qual Deus propôs para propiciação pela fé no
para Deus. seu sangue.”

Lei Graça b - Propiciação. É aquilo que assegura o favor


A lei diz: “paga A graça diz: “Tudo está de Deus para com os que não o merecem.
tudo”; pago.” Cristo morreu por nós para nos salvar da
A lei representa uma A graça é uma obra justa ira de Deus e nos assegurar o seu favor.
obra a fazer; consumada. A morte e a ressurreição de Cristo
A lei restringe as A graça transforma a representam a provisão externa para a salvação
ações; natureza. do homem, referindo-se o termo justificação, à
A lei condena; A graça justifica. maneira, pelos benefícios salvadores da morte
Sob a lei a pessoa é Sob a graça é filho em de Cristo são postos à disposição do pecador, o
servo assalariado; gozo de herança meio pelo qual o pecador lança mão desses
ilimitada. benefícios.
Consideremos a necessidade de justiça.
Enraizada no coração humano está a Como o corpo necessita de roupa, assim a alma
idéia de que o homem deve algo para tornar-se necessita de caráter. Assim como é necessário
merecedor da salvação. Na igreja primitiva apresentar em público decentemente vestido,
certos instrutores judaico-cristãos insistiam em assim é necessário que o homem se vista de
que os convertidos fossem salvos pela fé e um caráter perfeitamente justo para apresentar-
observância da Lei de Moisés. se diante de Deus. (Ap 19:8; 3:4; 7:13-14).
Entre os pagãos, e em alguns setores da As vestes do pecado estão sujas e
igreja cristã, esse erro tem tomado a forma de rasgadas (Zc 3:1-4) se o pecador se vestisse de
auto-castigo, observância de rito peregrinações, sua própria bondade e seus próprios méritos,
e esmolas. alegando serem boas as suas obras, elas
Deus não é bondoso; o homem não é seriam consideradas como “trapo da
justo; por conseguinte, o homem precisa fazer- imundícias” (Is 64:6).
se justo a fim de tornar Deus benigno. A única esperança do homem é adquirir
3ºa - A idéia substancial de todos esses a justiça que Deus aceita – a “Justiça de Deus”.
esforços é a seguinte: Visto que o homem por natureza está destituído
a -Salvação é a justiça de Deus imputada ao dessa justiça e terá que ser provida para ele.
pecador; não é a justiça imperfeita do homem. Essa justiça terá que ser uma justiça imputada,
Salvação é divina reconciliação; não é não merecida.
regulamento humano. Essa justiça foi comprada pela morte
b -Salvação é o cancelamento de todos os expiatória de Cristo. (Is 53:5,11; 5:21; Rm 4:6;
pecados; não é eliminar alguns pecados. 5:18,19). Sua morte foi um ato perfeito de
c -Salvação é ser libertado da lei e estar morto justiça, porque satisfez a lei de Deus.
para a lei; não é ter prazer na lei obedecer a lei.
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 59

Foi também um ato perfeito de favor, estabelecida por Deus e somente Ele os
obediência. Tudo isso foi feito por nós e posto a distribui.
nosso credito. Nascida, como é, no pecado, herdeira da
O ato pelo qual Deus credita essa justiça miséria, a alma carece duma transformação
à nossa conta chama-se imputação. Imputação radical, tanto por dentro como por fora; tanto
é levar à conta de alguém as conseqüências do diante de Deus como diante de si própria. A
ato de outro. transformação diante de Deus denomina-se
As conseqüências do pecado do homem justificação; a transformação interna espiritual
foram levadas à conta de Cristo. que se segue, chama-se regeneração pelo
As conseqüências da obediência de Cristo Espírito Santo.
foram levadas à conta do crente. Esta fé é despertada no homem pela
Cristo vestiu-se das vestes do pecado para influência do Espírito Santo, geralmente em
que nós pudéssemos nos vestir de “manto de conexão com a Palavra. A fé lança mão da
justiça”. promessa divina e apropria-se da salvação.
Por causa de Cristo, Deus não trata o “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé;
homem culpado, quando este se arrepende e e isto não vem de vós; é dom de Deus. Não
crê, como se fosse justo. Os méritos de Cristo vem das obras, para que ninguém se glorie” (Ef
são creditados a ele. A justiça imputada no ato 2:8-9).
da justificação é comunicada na regeneração. O Deus não podia condescender em aceitar
Cristo que é por nós torna-se o Cristo em nós. o que o homem oferecia; o homem também não
Outrossim, vestindo a justiça de Cristo, o tinha capacidade para cumprir a exigência
crente é exortado a viver uma vida em divina. Então Deus graciosamente salvou o
conformidade com o caráter de Cristo: “Porque homem, sem este pagar coisa alguma
o linho fino são as justiças dos santos” “gratuitamente pela sua graça” (Rm 3:24).
(literalmente os atos de justiça) (Ap 19:8). A Essa graça gratuita é recebida pela fé. Não
verdadeira salvação requer uma vida de existe mérito nessa fé, como não cabem elogios
santidade prática. Que julgamento faríamos da ao mendigo que estende a mão para receber
pessoa que sempre se vestisse de roupa uma esmola. Esse método fere a dignidade do
imaculada, mas nunca lavasse o corpo? homem, perante Deus, o homem decaído não
Incoerente, diríamos! tem mais dignidade; o homem não tem
Mas não menos incoerente é a pessoa que possibilidades de acumular méritos suficiente
alega estar vestida da justiça de Cristo, e, ao para adquirir a sua salvação: “Nenhuma carne
mesmo tempo, vive de modo indigno do será justificada diante dele pelas obras da lei”
evangelho. (Rm 3:20).
Aqueles que se vestem da justiça de A doutrina da justificação pela graça de
Cristo, terão cuidado de purificar-se do mesmo Deus, mediante a fé do homem, remove dois
modo como ele é puro (I Jo 3:3). perigos: primeiro, o orgulho de autojustiça e de
auto-esforço; segundo, o medo de que a pessoa
3º - Os Meios da Justificação - A Fé: Visto seja fraca demais para conseguir a sua
que a lei não pode justificá-lo, a única salvação.
esperança do homem é recebe “justiça sem lei” Se a fé em si não é meritória,
isto, entretanto, não significa injustiça ilegal, representando apenas a mão que se estende
nem tampouco religião que permita o pecado; para receber a livre graça de Deus, a fé não só
significa sim, uma mudança de posição e recebe passivamente, mas também usa de
condição. modo ativo aquilo que Deus concede.
Essa é a “justiça de Deus”, isto é, a justiça É assunto próprio do coração (Rm 10:9-10;
que Deus concede, sendo também um dom que Pv 4:23), e quem crê com o coração, crê
tem que ser aceito, pois o homem é incapaz de também com suas emoções, e seus desejos, ao
operar a justiça (Ef 2:8-10). Pela fé em Jesus aceitar a oferta divina da salvação. Pela fé,
Cristo é a mão, pode assim dizer, que recebe o Cristo mora no coração (Ef 3:17).
que Deus oferece. Que essa fé é a causa
instrumental à justificação prova-se pelas 10.3.2 - A Regeneração.
seguintes referências: Rm 3:4,11; 9:30; Hb11:7; A regeneração é o ato divino que concede
Fl 3:9. ao penitente que crê uma vida mais elevada
Os méritos de Cristo são comunicados e mediante união pessoal com Cristo.
seu interesse em salvar, é assegurado pela fé
que é o princípio único que a graça de Deus usa 1º - O Novo Testamento descreve a
para restaurar-nos à sua imagem e ao seu regeneração:
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 60

vive para salvar perfeitamente os que se


a - Nascimento. Deus o pai é quem “gerou”, e o chegam a Deus (Hb 7:25).
crente é “nascido” de Deus (Jo 5:1), “nascido do
Espírito” (Jo 3:8), “nascido do alto” (I Jo 3:3,7). 2º - Necessidade da Regeneração.
Esses termos referem-se ao ato da A entrevista de nosso Senhor com
graça criadora que faz do crente um filho de Nicodemos (João 3), proporciona um excelente
Deus. fundo histórico para o estudo deste tópico.
b - Purificação. Deus nos salvou pela As primeiras palavras de Nicodemos
“lavagem” (literalmente, lavatório ou banho) da revelam uma série de emoções provenientes do
regeneração” (Tt 3:5). seu coração. A declaração abrupta de Jesus no
A alma foi lavada completamente das verso 3, que parece ser uma repentina mudança
imundícias da vida de outrora, recebendo do assunto, explica-se pelo fato de Jesus estar
novidade de vida, experiência simplesmente respondendo ao coração de Nicodemos e não
expressa no ato de batismo (At 22:16). às palavras de sua interrogação.
Jesus não tentou explicar o como do novo
c - Vivificação. Somos salvos não somente nascimento, mas explicou o por que do assunto:
pela “lavagem da regeneração mas também “O que é nascido da carne é carne, e o que é
pela renovação do Espírito Santo” (Tt 3:5; Rm nascido de Espírito é espírito” (Jo 3:6). Carne e
12:2; Ef 4:23; Sl 51:10). espírito pertencem a ramos diferentes, e um não
A essência da regeneração é uma nova pode produzir o outro. A natureza humana pode
vida concedida por Deus Pai, mediante Jesus gerar a natureza humana, mas somente o
Cristo e pela operação do Espírito Santo. Espírito Santo pode gerar a natureza espiritual.
A natureza humana só pode produzir a
d - Criação. Aquele que criou o homem no natureza humana; e nenhuma criatura poderá
princípio e soprou em suas narinas o fôlego de elevar-se além de sua própria natureza.
vida, o recria pela operação do seu Espírito A vida espiritual não passa do pai ao filho
Santo (II Cor. 5:17; Ef 2:10; Gl 6:15; Ef 4:24; Gn pela geração natural; ela procede de Deus para
2:7). o homem por meio da geração espiritual.
O resultado prático é uma transformação
radical da pessoa em sua natureza, seu caráter, 3º - Os meios de regeneração
desejos e propósitos. 3ºa - Preparação Divina.
a - O Espírito Santo. É o agente especial na
e - Ressurreição (Rm 6:4-5; Cl 2:13; 3:1; Ef obra de regeneração. Ele opera a
2:5-6). Como vivificou o barro inanimado e o fez transformação na pessoa. (Jo 3:6; Tt 3:5.)
vivo para com o mundo físico, assim ele vivifica Contudo, Pessoas da Trindade operam nessa
a alma em seus pecados e a faz viva para as obra. Realmente as três Pessoas operam todas
realidades espiritual. as divinas operações, embora cada Pessoa
Esse ato de ressurreição espiritual é exerça certos ofícios que lhe são peculiares.
simbolizado pelo batismo nas águas. A Dessa forma o Pai é preeminentemente, o
regeneração é “a grande mudança que Deus Criador; contudo Filho como o Espírito Santo
opera na alma quando a vivifica; quando ele a são mencionados como agentes na criação
levanta da morte do pecado para a vida de geral (Tg 1:18) e no Evangelho de João, o Filho
justiça”. é apresentado como o doador da vida (Vide
Regeneração é o aspecto singular da caps. 5 e 6).
religião do Novo Testamento.
Nas religiões pagãs, reconhece-se b - Jesus Cristo. É Ele o Doador da vida. De
universalmente a permanência do caráter. que maneira ele vivifica os homens? Vivifica-os
Embora essas religiões recomendem para morrer por eles, de forma que, ao
penitências e ritos, pelos quais a pessoa expia comerem sua carne e beberem seu sangue,
os seus pecados, não há promessa de vida e de significa crer em sua morte expiatória, eles
graça para transformar a sua natureza. recebem a vida eterna.
A religião de Jesus Cristo é “a única Qual é o processo de conceder a vida aos
religião no mundo que declara tomar a natureza homens? Uma parte da recompensa de Cristo
decaída do homem e regenerá-la, colocando-a era a prerrogativa de conceder o Espírito Santo
em contato a vida de Deus”. (Jo 3:3,13; Gl. 3:13-14).
Assim declara fazer, porque o Fundador do
Cristianismo é uma pessoa viva e divina, que c - Deus. O Pai tem vida em si (Jo 5:26);
portanto, ele concede ao Filho ter vida em si; o
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 61

Pai é a Fonte do Espírito Santo, mas ele A palavra “adoção” significa literalmente:
concede ao Filho o poder de conceder o “dar a posição de filhos” e refere-se, no uso
Espírito; desta forma o Filho é um “Espírito comum o homem que toma para seu lar
vivificante (I Co 15:45), tendo poder, não crianças que não são as suas pelo nascimento.
somente para ressuscitar os mortos fisicamente,
(Jo 5:25-26) mas também vivificar as almas
mortas dos homens (Jo 20:22; I Co 15:45).
3ºb - A Preparação Humana. Estritamente
falando, o homem não pode cooperar no ato de Quanto à doutrina, devemos distinguir entre:
regeneração, que é um ato soberano de Deus; a1-Adoção. É um termo legal que indica
mas o homem toma parte na preparação para o conceder o privilégio de filiação a um que não é
novo nascimento, que é o arrependimento e fé. membro da família;

4º - Efeitos da regeneração: a2-Regeneração. Significa a transformação


Podemos agrupá-los sob três tópicos: espiritual que torna a pessoa filho de Deus e
Posicionais (adoção); Espiritual (com Deus); participante da natureza divina.
Práticos (a vida de justiça). Contudo, na própria experiência, é difícil
separar os dois, visto que a regeneração e a
a - Posicionais - Adoção. Quando a pessoa adoção representam a dupla experiência da
passa pela transformação espiritual tida como filiação.
regeneração, torna-se filho de Deus e
beneficiário de todos os privilégios dessa b - Espirituais (com Deus). Devido à sua
filiação. natureza, a regeneração envolve união
Adoção é um beneficio particularmente espiritual com Deus e com Cristo mediante o
maravilhoso da morte de Cristo para o crente. A Espírito Santo; e essa união espiritual envolve
doutrina é explicitamente ensinada apenas por habitação divina (II Co 6:16-18; Gl 2:20; 4:5-6; I
Paulo. Todas as vezes que você ler a palavra Jo 3:24; 4:13).
“filho” em relação ao crente (não em relação a Essa união resulta em um novo tipo de
Cristo) nos escritos de João, por exemplo, deve vida e de caráter, descrito de várias maneiras:
pensar em filho natural, pois João não fala da a) Novidade de vida (Rm 6:4);
filiação legal ou judicial do crente. Somente b) Um novo coração (Ez 36:26);
Paulo nos revela que somos adotados como c) Um novo espírito (Ez 11:19);
filhos. É verdade que somos filhos de Deus pelo d) Um novo homem (Ef 4:24);
novo nascimento, mas também é verdade que e) Participantes da natureza divina (II Pe 1:4).
ao mesmo tempo, somos adotados na família
de Deus. No ato da adoção, uma criança de O dever do crente é manter seu contacto
determinada família é tomada por um homem com Deus mediante os vários meios de graça e
de outra família, colocada nessa nova família e dessa forma preservar e nutrir a sua vida
considerada como filho legitimo com todos os espiritual.
privilégios e responsabilidades inerentes a esse c - Práticos (a vida de justiça). A pessoa
novo relacionamento. O quadro retratado pela nascida de Deus demonstrará esse fato.
filiação ou geração espiritual é o do nascimento, a) Pelo ódio que tem ao pecado (I Jo 3:9; 5:18),
crescimento, desenvolvimento e maturidade; a b) Por obras de justiça (I Jo 2:29),
idéia de adoção é a do pleno privilegio na c) Pelo amo fraternal (I João 4:7),
família de Deus. A adoção concede um novo d) E pela vitória que alcança sobre o mundo (I
status àquele que recebe a Cristo. João 5:4).
Os resultados da adoção são a libertação
da escravidão, de tutores e da carne (Gl 4:1-15), Devemos evitar estes dois extremos:
E é o Espírito Santo que nos capacita a a - Primeiro. Estabelecer um padrão tão baixo
desfrutar dos privilégios de nossa posição. que a regeneração se torne questão de reforma
natural;
Assim escreve o Dr. William Evans:
“Pela adoção, o que já é filho de b - Segundo. Estabelecer um padrão elevado
Deus, recebe o lugar de filho adulto; dessa demais que não leve em conta as fraquezas dos
forma o menino torna-se filho, o filho menor crentes.
torna-se adulto.” (Gl 4:1-7). Crentes novos que estão aprendendo a
andar com Jesus estão sujeitos a tropeçar,
como o bebê que aprende a andar. Mesmo os
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 62

crentes mais velhos podem se surpreendidos  O sábado e os dias de festa são santos
em alguma falta. João declara que é porque representam a dedicação ou
absolutamente inconsistente que a pessoa consagração do tempo a Deus.
nascida de Deus, portadora da natureza divina,
continue a viver habitualmente no pecado (I Jo c - Purificação: Embora o sentimento
3.9), mas ao mesmo tempo ele tem cuidado de primordial de “santo” seja separação para
escrever: “Se alguém pecar, temos um serviço, inclui também a idéia de purificação. O
Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, justo” (I caráter de Jeová age sobre tudo que lhe é
Jo 2:1). consagrado. Portanto, os homens consagrados
10.3.3 - A Santificação a ele participam de sua natureza.
Sabemos que a chave do significado da As coisas que lhe são dedicadas devem
doutrina expiação, encontrada no Novo ser limpas, pois, limpeza é uma condição de
Testamento e acha-se no rito sacrificial do santidade, mas não a própria santidade, que é,
Antigo Testamento. primeiramente separação e dedicação.
Da mesma forma chegaremos ao sentido Quando Jeová escolhe e separa uma
da doutrina do Novo Testamento sobre a pessoa ou um objeto para o seu serviço, Ele
santificação, pelo estudo do uso no Antigo opera ou faz com que aquele objeto ou essa
Testamento da palavra “santo”. pessoa se torne santo.
Primeiramente, observa-se que c1- Objetos inanimados foram consagrados
“santificação”, “santidade”, e “consagração”, são pela unção do azeite (Ex 40:9-11).
sinônimos, como o são: “santificados” e
a) A nação israelita foi santificada pelo sangue
“santos”. Santificar é a mesma coisa que fazer
do sacrifício da aliança. (Ex 24:8; Hb 10:29).
santo ou consagrar.
b) Os sacerdotes foram consagrados pelo
representante de Jeová, Moisés, que os
1º - A palavra “santo” tem os seguintes
lavou com água, ungiu-os com azeite e
sentidos:
aspergiu-os com o sangue de consagração.
a - Separação: “Santo” é uma palavra descritiva
(Lv 8).
da natureza divina. Significado primordial é
“separação”; portanto, a santidade representa
Os sacrifícios do Velho Testamento eram
aquilo que está em Deus que o torna separado
tipos do sacrifício único de Cristo, assim as
de tudo quanto seja terreno e humano isto é,
várias alusões e unções do sistema mosaico,
sua perfeição moral absoluta e sua divina
são tipos da verdadeira santificação que
majestade.
alcançamos pela obra de Cristo. Assim como
Quando o Santo deseja usar uma pessoa
Israel foi santificado pelo sangue da aliança,
ou um objeto para seu serviço, separa essa
somos santificados pelo sangue de Cristo: “E,
pessoa ou aquele objeto do seu uso comum, e,
por isso, também Jesus, para santificar o povo
em virtude de separação, a pessoa ou o objeto
pelo seu próprio sangue, padeceu fora da porta”
torna-se “santo”.
(Hb 13:12).
Jeová santificou os filhos de Arão para o
b - Dedicação: Santificação inclui tanto a
sacerdócio pela mediação de Moisés.
separação de, como dedicação à alguma coisa;
essa é “a condição dos crentes ao serem
c2- O emprego de água, azeite e sangue.
separados do pecado e do mundo e feitos
a) Deus o Pai (I Ts 5:23) santifica os crentes
participantes da natureza divina, e consagrados
para um sacerdócio espiritual (I Pe 2:5);
à comunhão e serviço de Deus por meio do
b) Pela mediação do Filho (I Co 1:2; Ef 5:26; Hb
Mediador”.
2:11);
A palavra “santo” é mais usada em
c) Por meio da Palavra (Jo 17:17; 15:3);
conexão com o culto. Quando referente homens
d) Do sangue (Hb 10:29; 13:12);
ou objetos, ela expressa o pensamento de que
e) E do Espírito (Rm 15:16; I Co 6:11; I Pe 1:2).
esses são usados em serviço divino e
dedicados a Deus, no sentido especial de serem
d - Consagração: Assim a santificação inclui a
sua propriedade.
remoção de qualquer mancha ou sujeira que
 Israel é uma nação santa, por ser
seja contrária a santidade da natureza divina:
dedicada ao serviço de Jeová;
“Mas como é santo aquele que vos chamou,
 Os levitas são santos por serem sede vós também santos em toda a vossa
especialmente dedicados aos serviços maneira de viver” (I Pe 1:15).
do tabernáculo;
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 63

Para a consagração de Israel Deus deu-


lhes código de leis de santidade que se acham 10.3.3.a - O Tempo da Santificação
no livro de Levítico, portanto, em conseqüência Pode ser considerada no passado,
da sua consagração, seguiu-se a obrigação de presente e futuro, ou então como algo
viver uma vida santa. instantâneo, progressivo e completo.
O mesmo se dá com o cristão. Aqueles 1º - Fase inicial, contemporânea da
que são declarados santos (Hb 10:10) são conversão (I Co 1:2; 6:11). Esta fase da
exortados a seguirem a santidade (Hb 12:14); santificação é instantânea, e tem duplo aspecto:
aqueles que foram purificados (I Co 6:11) são posicional e prático. É simultânea com nossa
exortados a purificar-se a si mesmos (II Co 7:1). aceitação de Cristo como Salvador e Senhor.
No sentido de viver uma vida santa e justa, Estes dois aspectos são muitos semelhantes,
devemos distinguir a diferença entre justiça e enfim, quase sinônimos com a justificação e
santidade: com a regeneração, incluindo a conversão.
Vejamos os aspectos:
d1- A justiça. Representa a vida regenerada
em conformidade com a lei divina; os filhos de a - Posicional (I Co 1:30-31; Gl 6:14; Ef 1:6; Cl
Deus andam retamente (I Jo 3:6-10). 2:10; Hb 9:26; 10:9,10,14). Há certo sentido,
por conseguinte, em que cada verdadeiro crente
d2-Santidade. É a vida regenerada em já está santificado. Mediante a oferta do corpo
conformidade com a natureza divina e dedicada de Jesus Cristo, feita “uma vez por todas” (Hb
ao serviço divino; isto pede a remoção de 10:10), fomos separados do pecado e
qualquer impureza que estorve esse serviço. separados para Deus – “aperfeiçoou para
sempre” (Hb 10:14) no que concerne à nossa
e -Serviço: A aliança é um estado de relação posição perante Deus. Em Cristo, portanto,
entre Deus e os homens, no qual, ele é o Deus obtivemos uma nova posição tanto moral como
deles e eles o seu povo, o que significa um povo judicial, tanto na santidade como na justiça.
adorador. b - Prática (I Jo 3:9; II Ts 2:13; I Pe 1:2-5). Diz
A palavra “santo” expressa essa relação respeito ao aspecto subjetivo de nossa
contratual. Servir a Deus, nessa relação, salvação. Tem seu início na regeneração, sendo
significa ser sacerdote; por conseguinte, Israel é assim, em sua fase inicial, idênticas. Somos
descrito como nação santa e reino de separados, pelo ato regenerador de Deus,
sacerdotes (Ex 19:6). daqueles que tem descendência natural
Qualquer impureza que venha a desfigurar adâmica e que pelo pecado são filhos do diabo,
essa relação precisa ser lavada com água ou para a Paternidade de Deus por meio da filiação
com o sangue da purificação. espiritual em Cristo Jesus.
Da mesma maneira os crentes do Novo Há outro sentido em que o crente pode
Testamento são “santos”, isto é, um povo santo já estar santificado, se tiver atendido ao apelo
consagrado. Pelo sangue da aliança tornaram- de Rm 12:1-2; tendo-se apresentado como
se “sacerdócio real, a nação santa...” sacerdócio sacrifício vivo a Deus. Essa oferta é “agradável
santo, para oferecer sacrifícios espirituais a Deus”. Assim como no Antigo Testamento,
agradáveis à Deus por Jesus Cristo (I Pe 2:9); Deus demonstrava seu prazer em uma oferta
oferecem o sacrifício de louvor (Hb13:15) e enviando fogo afim de tomá-la para Si, assim
dedicam-se como sacrifícios vivos sobre o altar quando o crente apresenta desse modo todo o
de Deus (Rm 12:1). seu corpo a Deus, o Senhor ainda aceita pelo
Assim vemos que o serviço é elemento fogo a oferta: o fogo do Espírito Santo; ou
essencial da santificação ou santidade, pois é recebendo para Si aquilo que é dessa maneira
esse o único sentido em que os homens podem apresentado. Dessa maneira o crente, quanto à
pertencer a Deus, isto é, como seus adoradores sua vontade, ao propósito dominante de sua
que lhe prestam serviço. vida, o centro de seu ser, está santificado;
Paulo expressou perfeitamente esse pertence interinamente a Deus pela entrega e
aspecto da santidade quando disse acerca de consagração. À medida que ele for estudando a
Deus: “De quem eu sou, e quem sirvo” (At Bíblia e sendo iluminado pelo Espírito Santo,
27:23). Santificação envolve ser possuído por esse crente deverá ir descobrindo diariamente
Deus e servir a ele. em sua vida determinados atos, hábitos,
maneira de sentir, de falar e de agir que não
estão de acordo como esse propósito central da
sua vida. Há de confessar tais causas como
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 64

indignas, regeitado-as, assim, pelo Espírito de sentido seria a pessoa santificada pelo sangue
Deus e pelo Cristo nele presente (Jo 15), de Cristo?
trazendo mais esse setor de sua vida à Em resultado da obra consumada de
conformidade com a vontade de Deus revelada Cristo, o pecador penitente, é transformado de
em sua palavra. pecador impuro, em adorador santo.
A santificação é o resultado dessa
2º - Fase progressiva, contemporânea
maravilhosa obra redentora do Filho de Deus,
da vida terrena do crente (II Co 3:18; 7:1; Ef
ao oferecer-se no Calvário para aniquilar o
4:11-15, I Ts 3:12; 4:1,9,10; II Pe 3:18). De
pecado pelo seu sacrifício.
acordo com II Co 3:18 estamos sendo
Em virtude desse sacrifício, o crente é
transformados de um grau de caráter ou de
eternamente separado para Deus; sua
glória para outro. É porque a santificação é
consciência é purificada, e ele próprio é
progressiva que somos exortados a continuar
transformado de pecador impuro, em santo
progredindo cada vez mais (I Ts 3:12; 4:1,9,10)
adorador, unido em comunhão com o Senhor
nas graças da vida cristã. Existe realmente o
Jesus Cristo; pois, “assim o que santifica, como
“aperfeiçoamento de santidade”. O dom de
os que são santificados, são todos de um; por
Deus à Igreja, de pastores e mestres, tem o
cuja causa não se envergonha de lhes chamar
propósito de aperfeiçoar os santos na
irmãos” (Hb 2:11).
semelhança de Cristo até que, finalmente,
“O sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos
atinjam o padrão divino (Ef 4:11-15).
purifica de todo pecado.” (I Jo 1:7), se houver
3º - Fase final, contemporânea da vida comunhão entre o santo Deus e o homem,
de Cristo (I Ts 3:12-13; 5:23; Fp 3:12-14; I Jo necessariamente terá que haver uma provisão
3:2). Esta fase tem a ver com a consumação e o para remover a barreira de pecado, que impede
aperfeiçoamento da santificação do crente. Este essa comunhão, uma vez que os melhores
será então completo, nada faltando, em tudo homens ainda assim, são imperfeitos.
semelhante a Cristo. Será completamente livre Ao receber Isaías, a visão da santidade de
de pecado e perfeição a santidade. Deus, ele ficou abatido ao perceber a sua falta
A santificação tem início no começo da de santidade, e não estava em condições de
salvação do crente, é co-extensiva com sua vida ouvir a mensagem divina, enquanto a brasa do
nesta terra, e atingirá o seu clímax e perfeição altar não purificasse seus lábios.
quando Cristo voltar. A consciência do pecado ofusca a
comunhão com Deus; confissão e fé no eterno
Diferença da justificação e da santificação: sacrifício de Cristo removem essa barreira (I Jo
a - Justificação. É um ato instantâneo e que 1:9).
não comporta progressão.
b - Santificação. Uma crise que visa um b - O Espírito Santo (Santificação Interna) (I
processo – um ato que é instantâneo, mas que Co 6:11; II Ts 2:12; I Pe 1:1-2; Rm 15:16).
ao mesmo tempo traz em si a idéia de Nessas passagens a santificação pelo Espírito
desenvolvimento até a consumação. Santo, é apresentada como o inicio da obra de
Deus nos corações dos homens, conduzindo-os
10.3.3.b - Meios Divinos de Santificação ao inteiro conhecimento da justificação pela fé
O sangue de Cristo proporciona, no sangue aspergido de Cristo.
primeiramente a santificação absoluta, quanto à Tal qual o Espírito pairava por cima do
posição perante Deus. É uma obra consumada caos original (Gn 1:2), seguindo-se o
que concede ao pecador penitente uma posição estabelecimento da ordem pelo Verbo de Deus,
perfeita em relação a Deus. assim o Espírito paira sobre a alma humana,
O Espírito Santo é interno, efetuando a fazendo-a abrir-se para receber a luz e a vida
transformação da natureza do crente. de Deus (II Co 4:6).
A Palavra de Deus é externo e prático, e O capítulo 10 de Atos proporciona uma
diz respeito ao comportamento do mesmo, ilustração concreta da santificação pelo Espírito
dessa forma, Deus fez provisão tanto para a Santo.
santificação interna como externa. Durante os primeiros anos da igreja, a
evangelização dos gentios retardou-se visto que
1º - São meios divinamente estabelecidos de muitos cristãos-judeus consideravam os gentios
santificação: como “imundos”, e não-santificados por causa
a - O Sangue de Cristo (Eterno, absoluto e de sua não conformidade com as leis
posicional) (Hb 13:12,14; I Jo 1:7). Em que elementares e outros regulamentos mosaicos.
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 65

Exigia-se uma visão para convencer a Dizer ao povo que precisam crer
Pedro que aquilo que o Senhor purificara ele unicamente em Jesus, e que nada podem fazer
não devia tratar de comum ou impuro. Isso quanto à sua salvação porque ela é pela graça
importava em dizer que Deus fizera provisão de Deus, tudo isso resultará em que
para a santificação dos gentios para serem o descuidarão de sua maneira de viver. Eles
seu povo. E quando o Espírito de Deus desceu julgarão que pouco importa o que façam, uma
sobre os gentios, reunidos na casa de Cornélio, vez que creiam.
já não havia mais dúvida a respeito. Eram Sua doutrina de fé fomenta o pecado.
santificados pelo Espírito Santo, não importando Justificação é pela graça e nada mais, sem
se obedeciam ou não às ordenanças mosaicas obras, por que então romper com o pecado?
(Rm 15:16). Por que não continuar no pecado para que
c - A Palavra de Deus (Santificação externa e abunde ainda mais a graça?
prática) (Jo 17:17; Ef 5:26; Jo 15:3; Sl 119:9; Inimigos de Paulo efetivamente o
Tg 1:23-25). Os cristãos são descritos como acusaram de pregar tal doutrina (Rm 3:8);
sendo “gerados pela Palavra de Deus” (I Pe com indignação Paulo repudiou tal
1:23). perversão.
A Palavra de Deus desperta os homens a
“De modo nenhum. Nós, que estamos
compreenderem a insensatez e impiedade de
mortos para o pecado, como viveremos ainda
suas vidas.
nele?” (Rm 6:2), a continuação no pecado é
Quando dão importância à Palavra
impossível a um homem verdadeiramente
arrependendo-se e crendo em Cristo, são
justificado, em razão de sua união com Cristo
purificados pela Palavra que lhes fora falada.
na morte e na vida (Mt 6:24).
Esse é o inicio da purificação que deve
Em razão de sua fé em Cristo, o homem
continuar através da vida do crente.
salvo passou por uma experiência que um
No ato de sua consagração ao ministério,
rompimento tão completo com o pecado, que se
o sacerdote israelita recebia um banho
descreve como morte para o pecado, é uma
sacerdotal completo, banho que nunca se
transformação tão radical que se descreve
repetia; era uma obra feita uma vez para
como ressurreição, essa experiência é figurada
sempre. Todos os dias, porém, era obrigado a
no batismo nas águas.
lavar as mãos e os pés. Da mesma maneira, o
Jesus disse: “Se vós estiverdes em mim, e
regenerado foi lavado (Tt 3:5); mas precisa uma
as minhas palavras estiverem em vós, pedireis
separação diária das impurezas e imperfeições
tudo o que quiserdes, e vos será feito” (Jo 15:7).
conforme lhe forem reveladas pela Palavra de
A questão agora é: estamos dispostos
Deus, que serve como espelho para a alma (Tg
ou não a crer.
1:22-25). Deve lavar as mãos, isto é, seus atos
devem ser retos; deve lavar os pés, isto é,
“guardar-se da imundície que tão facilmente se 2º - Cooperação com o Espírito: Os capítulos
apega aos pés do peregrino, que anda pelas 7 e 8 de Romanos continuam o assunto da
estradas deste mundo”. santificação; tratam da libertação do crente do
poder do pecado, e do crescimento em
10.3.3.c - A Santificação Completa santidade.
O método bíblico de tratar com a carne, No capítulo 6 vimos que a vitória sobre o
deve basear-se obviamente, na provisão poder do pecado é obtida pela fé.
objetiva para a salvação, o sangue de Cristo; e O capítulo 8 apresenta outro aliado na
na provisão subjetiva, o Espírito Santo. batalha contra o pecado o Espírito Santo.
A libertação do poder da carne, portanto, Como fundo para o capítulo 8 estuda-se a
deve vir por meio da fé na expiação e por linha de pensamento no capítulo 7, o qual
entregar-se à ação do Espírito. escreve um homem voltando-se para a lei a fim
O primeiro é tratado no sexto capítulo de de alcançar santificação.
Romanos, e o segundo na primeira parte do Paulo mostra aqui a impotência da lei para
capítulo oitavo. salvar e santificar, não porque a lei não seja
boa, mas por causa da inclinação pecaminosa
1º - Fé na Expiação: Imaginemos que da natureza humana, conhecida como a “carne”.
houvesse judeus presentes (o que sucedia com Ele indica que a lei revela o fato (Rm 7:7),
freqüência) enquanto Paulo expunha a doutrina a ocasião (Rm 7:8), o poder (Rm 7:9), a
da purificação pela fé. Nós os imaginamos falsidade (Rm 7:11), o efeito (Rm 7:10-11), e a
dizendo em protesto: “Isso é uma heresia do vileza do pecado (Rm 7:12-13).
tipo mais perigoso!”
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 66

Paulo, que parece estar descrevendo sua


própria experiência passada, diz-nos que a 1º - Vários significados da palavra perfeição
própria lei, que ele tão ardentemente desejava nas Escrituras:
observar, suscitava impulsos pecaminosos a) Uma dessas palavras significa ser completo
dentro dele. no sentido de ser; ou capaz para certa tarefa
O resultado foi “guerra civil” na sua alma. ou fim (II Tm 3:17).
Ele é impedido de fazer o bem que deseja fazer, b) Outra denota certo fim alcançado por meio
e impelido a fazer o que odeia: “Acho então do crescimento mental e moral (Mt 5:48;
esta lei em mim; que, quando quero fazer o 19:21; Cl 1:28; Hb 11:40);
bem, o mal está comigo. porque, segundo o c) A palavra usada em II Co 13:9; Ef 4:12; e Hb
homem interior, tenho prazer na lei de Deus; 13:21, significa um equipamento cabal.
mas vejo nos meus membros outra lei que d) A palavra usada em II Co 7:1 significa
batalha contra a lei do meu entendimento, e me terminar, ou trazer a uma terminação.
prende debaixo da lei do pecado que está nos e) A palavra usada em Ap 3:2 significa ser
meus membros” (Rm 7:21-23). repleto, cumprir, encher (como uma rede),
A última parte do capítulo 7, nivelar (um buraco).
evidentemente, apresenta o quadro do homem
debaixo da lei, que descobriu a perscrutadora 2º - A palavra “perfeito” descreve os
espiritualidade da lei, mas em cada intento de seguintes aspectos da vida cristã:
observá-la se vê impedido pelo pecado que a) Perfeita posição em Cristo (Hb 10:14) - O
habita nele. resultado da obra de Cristo por nós.
Por que escreve Paulo esse conflito? b) Madureza e entendimento espiritual, em
Para demonstrar que a lei é tão impotente contraste com a infância espiritual. (I Co 2:6;
para purificar como o é para justificar: 14:20; II Co13:11; Fl 3:15; II Tm 3:17);
“Miserável homem que eu sou! Quem me livrará c) Perfeição progressiva (Gl 3:3).
do corpo desta morte?” (Rm 7:24). d) Perfeição em certos particulares: a vontade
E Paulo, que descrevia a experiência de Deus, o amor ao homem, e serviço (Cl
debaixo da lei, assim testifica alegremente de 4:12; Mt 5:48; Hb 13:21).
sua experiência debaixo da graça: “Dou graças e) A perfeição final do indivíduo no céu (Cl 1:28;
a Deus (que a vitória vem) por Jesus Cristo Fl 3:12; I Pe 5:10);
nosso Senhor” (Rm 7:25). f) A perfeição final da igreja, ou o corpo de
Cristo, isto é, o conjunto de crentes (Ef 4:13;
10.4 - SIGNIFICADO DE PERFEIÇÃO. Jo 17:23).
A palavra “perfeição”, no Antigo
Testamento, significa ser “sincero e reto” (Gn 10.4.1 - Possibilidades de Perfeição.
6:9; Jó 1:1) e a essência da perfeição é o desejo A perfeição é como um dom da graça, é a
e a determinação de fazer a vontade de Deus. perfeita posição ou estado concedido ao
Ao evitar os pecados das nações circunvizinhas, arrependido em resposta à sua fé em Cristo (Hb
Israel podia ser uma nação “perfeita” (Dt 18:13). 7:11-28), ele é considerado perfeito porque tem
Apesar dos pecados que mancharam sua um Salvador perfeito e uma justiça perfeita (I Jo
carreira, Davi pode ser chamado um homem 1:9; 2:1).
perfeito e “um homem segundo o coração de É possível ao crente acentuar em demasia a
Deus”, porque o motivo supremo de sua vida perfeição, julgando-se perfeito, sem ao menos
era fazer a vontade de Deus. ter noção da verdadeira perfeição e descuida
No Novo Testamento a palavra “perfeito” e em buscar a perfeição pela graça.
seus derivados têm uma variedade de Sabemos que o poder do pecado é a
aplicações, e, portanto, deve ser interpretada causa do cristão ser derrotado. A benção da
segundo o sentido e em que termos são perfeição para aqueles que a busca com
usados. fidelidade; o amor puro enche o coração e
governa toda a obra e ação, resultando na
1º - Há dois tipos de perfeição: destruição do poder do pecado. Essa perfeição
a - Absoluta. E absolutamente perfeito aquilo no amor não é considerada como perfeição
que não pode ser melhorado; isso pertence absoluta, nem tampouco isenta o crente de
unicamente a Deus, vigilância e cuidados constantes.

b - Relativa. É relativamente perfeito aquilo que Wesley escreveu:


cumpre o fim para o qual foi designado; essa “Creio que a pessoa cheia do amor de
perfeição é possível ao homem. Deus ainda está propensa a transgressões
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 67

involuntárias. Tais transgressões vocês poderão a) Pode resistir e vencer toda a tentação que
chamá-las de pecados, se quiserem, mas eu reconheça Tg 4:7; I Co 10:13; Rm 6:14; Ef
não.” 6:13-14);
b) Pode estar sempre glorificando à Deus cheio
Ainda haverá tentação de fora e de dentro, dos frutos de justiça (I Co 10:31; Cl 1:10);
e daí a necessidade de vigilância (Gl 6:1; I Co c) Pode possuir a graça e o poder do Espírito e
10:12); a carne é fraca e o cristão está livre para andar em plena comunhão com Deus (Gl
ceder, pois está em estado de prova (Gl 5:17; 5:22-23; Ef 5:18; Cl 1:10-11; I Jo 1:7);
Rm 7:18, Fl 3:8); seu conhecimento é parcial e d) Pode ter a purificação constante do sangue
falho; portanto, pode estar sujeito a pecados de de Cristo e assim estar sem culpa perante
ignorância. Deus (I Jo 1:7; Fl 2:15; I Ts 5:23).

1º - Porém ele pode seguir avante, certo de


que:

EXERCÍCIOS

MARCAR COM UM “X” A ÚNICA ALTERNATIVA CORRETA

1 – JUSTIFICAÇÃO É O MESMO QUE:


a)____Absolvido e declarado justo diante de Deus
b)____Ser levado a um tribunal para se submeter a justiça
c)____Se submeter a lei para alcançar a justiça

2 – QUAIS AS CONDIÇÕES DA SALVAÇÃO?


a)____Arrependimento, fé e conversão
b)____Fé, arrependimento e esperança
c)____Justificação, Regeneração e santificação

3 – UMA DEFINIÇÃO PARA ARREPENDIMENTO É:


a)____Tristeza piedosa sobre o pecado
b)____Convicção sobre o pecado
c)____Esforço sincero para entender o pecado

4 – QUAIS OS TRÊS ELEMENTOS QUE CONSTITUEM O ARREPENDIMENTO?


a)____Remorso, revolta e culpa
b)____Intelectual, Emocional e prático
c)____Tristeza, remorso e revolta
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 68

5 – QUAL A FONTE DA JUSTIFICAÇÃO?


a)____A fé
b)____O arrependimento
c)____A graça

6 – A REGENERAÇÃO É:
a)____Um esforço do homem para se recuperar
b)____Uma atitude louvável de pessoas que conseguem se recuperar
c)____É uma ato divino que concede ao que crê uma vida mais elevada

7 – QUAL É O AGENTE DA OBRA DA REGENERAÇÃO?


a)____O próprio homem, ele é que tem que decidir a se aproximar de Deus
b)____O Espírito Santo
c)____A igreja a que a pessoa pertence

8 – A SANTIFICAÇÃO IMPLICA EM:


a)____Remover a mancha ou sujeira que seja contrária a natureza divina
b)____Passar o máximo de tempo na igreja
c)____Ficar o mais longe possível de pessoas ou coisas que ainda não foram santificadas

9 – QUANTO AO TEMPO DA SANTIFICAÇÃO,


a)____Ela acontece só uma vez e para sempre
b)____Pode ser instantânea e progressiva
c)____Só vai acontecer na vida futura quando não houver mais pecado no mundo

10 – OS MEIOS DA SANTIFICAÇÃO:
a)____O Sangue de Cristo, O Espírito Santo e Palavra de Deus
b)____Justificação, Regeneração e Comunhão
c)____A água, o sangue e o azeite

OBRAS CONSULTADAS:

 Doutrinas Bíblicas - Wilian W. Menzies e Stanley M. Horton - CPAD


 Estudos bíblicos extraídos da internet.
 Bíblia de Estudo Pentecostal, R. corrigida edição 1995 – CPAD
 Bíblia Vida Nova. R. Atualizada Edições Vida Nova 1976 - Russel P. Shedo.
 Bíblia Pe. Matos Soares – Edição paulinas São Paulo 1978
 Bíblia Anotada de Scofield - Puplicaciones españolas 1973
 Bíblia de referências Thompson - Editora Vida
 Bíblia anotada por C.I. Scofield - IBPR
 Enciclopédia de Bíblia e Teologia e Filosofia R. N. Champlin, P.H.D. - J.M. Bentes – Editora
Candeia – Edição 1995.
 Pequena enciclopédia bíblica: O.S. Boyer - Editora Vida
 Através da Bíblia Livro por Livro: Myer Perlmam - Editora Vida
 Conhecendo as doutrinas da Bíblia; Myer Perlmam - Editora Vida
 Tudo sobre Anjos: C.L. Miller - Editora Vida
 Anjos agentes secretos de Deus: B. Grahm - Editora Record, 1975
 A doutrina de Satanás: C.M. Keen - Emprensa Batistas, 1964
 Palavra chave da fé Cristã: M. G. Gutze - Editora Vida Nova, 1970
 Grego analítico - Edição Vida Nova
Escola Teológica Monte Sinai - Teologia Sistemática Pg. 69

 O Homem em Três Tempos - CPAD.


 Apostila de Psicologia - Alcione Alves do Nascimento.
 Conhecendo as Doutrinas da Bíblia – Pearlmen, Myer – Editora Vida
 Teologia Elementar – E.H.Bancroft, D.D. – Imprensa Batista Regular
 Apostilas – Teologia Sistemática – Pr. Paulo Batista de Oliveira
 Apostilas – Teologia Sistemática – Pr. José Henrique Sodré
 Estudos Bíblicos sobre a salvação: Wadislau Martins Gomes - Refúgio Gráfica e Editora, 1979
 Os oito Pilares da Salvação: Haroldo M. Freligh - Editora Betânia, 1968
 Os pensadores: Sócrates, Platão, Aristóteles, Santo Agostinho, Tomás Aquino Editora Nova
Cultura LTDA. São Paulo Edição 1996
 Tesouro de conhecimentos Bíblicos: Emílio Conde – CPAD
 Lições da Escola Bíblica Dominical – CPAD
 Dicionário de Língua Portuguesa GLOBO e RUTH ROCHA