You are on page 1of 6
LUFRN/CCHLA/DEPARTAMENTO DE LETRAS DISCIPLINA: LEMTURA E PRODUGAO DE TEXTOS | SEMESTRE LETIVO: 2010.2 "PROFESSOR: EDVALDO BISPO TexTO TEORICO! IH. do C. Téenlea de redago:o gue ¢ pres ara hereecver ‘bem. Sko Paulo: Martins Fontes, 2001 oo ‘cpio 1 Os mitos que cercam o ato de escrever 1. Veedadese mentras Durante su vd escolar, woot deve ter risalindo alan itos a respeto da produgo de textos, As sividades excloes ‘0 livosddtons pai, clesa, tem come alguns pofes- res, contrib para que crengas" nem seme a8 ms ace- _gudas,Fossem se configurande ese enaizastem, Pouca pe ‘Soas conseguem escapar de'um conjunto equivocado de i. ‘unease constr umarelacio realmente sauvel em oto de eserever Desa forma, mulos ovens eescem pens qe ‘nea serio bons edstores, que tém texto psimoe que ala formas de melhor o desempenho na produglo ds txts. Eo Seu caso? Seo for, voce &uma excecia, po at mesmo pr fssionis matures demonsram insepuranga ergo & p= pia expresso escita. Embora ej uma das toefe ma cont leas que as pessoas chegam a exectarna vide, enepalmen te porque exigeemolvimento pesoal revelaio de caace vias do suite todas podem eserever bem, (Quais so as flsas enous, 05 itor mais regents em rolagde& esens? HA mitos, mat aqui vamos refit cera dos mais devasiadores, que soos que levam aiguém a are tar que escever seri um dom que poucas pessoas te um a0 ‘spontineo qu fo exigeempenho; uma questo que se esolve com algumas "eas"; um ato iodo, deslgndo da leit algo demecescrio no mundo moder um 30 aitinoro, des vineulado das prea soca. a meewiea ne renucio 9) Eseroveréuma hebldade que pode ser desemvolvida ‘eno um dom que poucas pessoas tm "Bu no tenho o dom da excrita™ “No fet escola’ No recebt esse talento quando nase Ess 8 suas da afinagbes majsfeqdentes ene alunos de eursos de prod «0 de textos, blogueas dane dx pigina em banc, F claro {que no estamos watando, au, da esta ters. ‘seria 6 uma constugto social, alta tao na isin Inumana como ma hist de nda indvidu, O apendi precisa «ss otras pessoas para comeyare para cotinarescreven ‘O que vi determinate nosso rau defarilirade com 3 sora # 9 modo come aprendemos aescreve, a iiortineia que texto escrito tem para més e para nosso grupo saa, a Inzeasidade do convivi estbelecida com o texto esto © & ‘eqincia com que escrevemos.Conreguentemente, 80 ets fatores que vio defini también nossa mate enoseo d= ‘sempento na producto de teas. "A noeio de dom, embore police © qusstionvel, pode sia se aplicada a alguns poueds génios da literati. Mes ‘sim arevelugo dase gio 6 acontece depos do proces 50 de arendizagem e do convo intnso com a lngea es ta, Ningudm ase eseritr 0 proceso que tans alvin fom um art da pass ¢ ainda um enigme, Earetts, va ‘mos usar alguns depoimentse exemplas Ge escrores poe ‘eles futa com as plavras € mito evident, e muitos passa or etapas semelarts aos relates legos. Caso a exer foe ‘um dom nso, qul sei papel da escola? F 0 que acontece: fia com agules que, tendo recebia © dom, nunca foram lf sbetizacos? ‘os J. Veian,renorado autor brasileite, admin que até ‘mesmo o alent, a vosagao oso dom depends de muta per ‘sence = Como comegow a reve? | ~ Fai wm proceso demorad>, que amadirecey devegar \Qeande rer epermentar reer do conse rn | loswiros ue cercavo ro pe scasrin 3 es Bre ume tia, do got dete ex de arin eu er mt mt fll do guerre. Mes qua {ene jog toh, ene opis nm sure gue seme qe cpa de fc fiefs acaba alando 8 ht Vote ne ar apes evant it gem da eer mess ‘equate eabepa ha act or ni extn rat es oneras ag al lars apresetiel Contre © Ros! Sp vesuladh dimaie, xret oral oat tras es basta permanente. seme alba caro: a dere ge pense relat derots ao lier para firs Pas oer YL, StF Eaton een E preciso, antes de to, compreender que todas 28 pet- soas podem chegar a produzir bons texts, ¢ que iso no ¢ ‘uma questo de ser “ungido” pelos deuses que excolnem 0 ‘mais alentosos.Enecessirio também identificar blogueios Porveatura constuldas a0 longo da vida escolar eteatar imino 1) Bcrever éum to ue exige empenho fe trabatho endo um fenimeno espontines Muias pessoas acreditam que aqueles que redigem com esenolturaexceutam esa tarels comm quem respira, sm 3 menor ificulede, sem o menor esforg. NiO assim, Ess ver € uma das atvidades mais compas que ser human pode ealiza Fae rigorosas exigéacas& meméra ao racie' io. agiidae ment ropretcindivel pare que todos 09 == pests emolvdos na ecrita seiam articulado,coordenndos, armnizados deforma que o texto sea bem sce ‘Confiecimentos de narureza diversi so acessados para gue o texto tome forma. E necesstio que redtor wie si- rultageanente seus eonheciments relatives 0 assunto que ‘gurttar. a sfnero adeguado, 4 situagSo em que 6 texto & ‘rodurdo, aos posses leores, A Ungua estas possblida- 4 rtewca ne espacio es estilsicas, Porm, eseever no € fie, principalmen- ‘e,exerever &ncompatvel com apregig. A taefa pode i flando paltinamente mais fei para rofssonas qi esrevem mt, todos os dias, mas mesmo ‘sss testemutham que € un tabalo exigent, easaivo, que muitas wees insatisftin rasan. Sempre quremos tm ‘extn ands melhor do que o que ehegamosa produ epousas ‘yezesconsegumos manterm inguagem escita fdas as sui- Icons da peeepgto original cera de urs fo ou um pensa- rento.O-que adiramos na erara&joetaente eas expe cicidade, ess posibiliade de expand pela paiva esr mgs, pensarentos,sensaces, significado, que ns, e+ 08; no conseguimos tadizir com propredade, Contimemos com o depoimento de Jot |. Veiga, agora ~ Osehar mt oreo por ener AeHaNER 2 por conta de uma grant nsatifogsa. Voc imaging at 9 clue at vale, mas, gud quer pr agllmopapel m | gee anor guage. At vok descobre gue linguagem | fea. compara 0 ae vod quer fer: Eno vet fee | cate aed oe hg mat prin pose “or tata lngagem do senor sec. 00 saan | teint | gem oct sd encer tga Econo fs. Tro pao por dear apna gue tm peo, esc, | ade Po St, 98 ode Para refi sobre estas quests, consdereo poems, i lsseo, de Carlos Drummond de Andrade, em que essa at- 530 de necessidade, amor e confito em rela as palavras € Spresentada de manera extaoedinii sires ue cancastoaro De esceeren 5 ‘OLUTADOR enamine Facets” tment EXtetaee — Kticemeenge, Sele dean Mowmngsfeon alee pt nossa (gcd SSesinine Sedan feiccconsi, — Gomapommets ritioetie” arco. Semausevae’ —Fteesaner | cian Stream PE Gimecine "Mewiretne, — Sanshdai Gromesaoovean Genet tome Semen abe Studie etme eae feorsivemie Tanyas Simao. Sie =r Sinemet ‘sepa sone Salton. ‘Emme Semmes sehen | 1) Esereverexgeestudosérioe ndo € uma competincia se se forma com algumas “dices” Aida de que algumas indicates ¢truques rps de ‘itima hora podem solcionar problemas de produc de ex- tos toto para candistos a concurs come para poisons