Sie sind auf Seite 1von 52

Após um 2018 cheio de emoções para o mercado

- e marcado por uma eleição histórica no Brasil


cujo resultado foi uma verdadeira surpresa para
a maioria dos cientistas políticos, 2019 começa
com grandes questões para as economias
brasileira e mundial e como elas afetam os seus
investimentos.

Da expectativa para as reformas econômicas no


Brasil e o enfrentamento dos desafios políticos
no cenário internacional ao ambiente para as
empresas dentro e fora da Bolsa, a montagem
de uma boa carteira de investimentos passa
por entender o tamanho dos desafios que
enfrentamos – e também as oportunidades que
eles podem nos trazer.

Para traçar um cenário para o ano que se inicia, o


InfoMoney conversou com economistas, analistas
e preparou um guia completo para entender o que
está se desenhando para 2019 e como investir.

Na primeira parte do guia, o cenário


macroeconômico é o destaque, trazendo o
que esperar para o Brasil e para o mundo, com
projeções sobre os principais indicadores que
tanto o mercado ficará de olho. Traçado o cenário
para a economia, o InfoMoney fez uma seleção
sobre os melhores investimentos para o ano que
vem, que vão do mercado de ações à renda fixa,
fundos imobiliários e de previdência.

Boa leitura!
Da Previdência à política com investimentos aqui. O que não quer dizer
Bolsonaro: 4 economistas que sejam inócuas questões domésticas.
traçam cenários para o Brasil Toda vez que fazemos a lição de casa,
em 2019 conseguimos descolar um pouquinho
do cenário internacional. E, quando
Num ano em que o cenário não fizemos, afundamos”, observa
internacional não deverá ser dos mais Zeina Latif, economista-chefe da XP
favoráveis – com as incertezas sobre a Investimentos.
desaceleração da economia americana
e a guerra comercial entre China e “O governo precisa entregar resultados
Estados Unidos –, o Brasil precisa rapidamente. Isso é bom, no sentido de
fazer a “lição de casa” se quiser atrair forçar o governo a usar seu capital polí-
investimentos e crescer. tico de partida para aprovar o que pre-
cisa”, avalia a economista Alessandra
A tarefa mais importante, na opinião Ribeiro, sócia da Tendências Consulto-
de especialistas consultados pelo ria. Em seu cenário base, a economia
InfoMoney, é indicar uma solução brasileira deve crescer 2% em 2019.
para a crise fiscal – com o primeiro Mas o maior desafio está na política.
passo sendo a aprovação da reforma
da Previdência. “Toda vez que fazemos a lição de casa,
conseguimos descolar um pouquinho
“Esperávamos que 2018 já fosse um do cenário internacional. E, quando
ano de uma recuperação um pouco não fizemos, afundamos” Zeina Latif,
mais vigorosa, mas não foi. Para 2019, economista-chefe da XP Investimen-
criamos a expectativa de que seja tos
um ano com recuperação econômica
firme, mas o cenário externo pode vir Sinais contraditórios ainda têm sido
a atrapalhar bastante. O Brasil hoje dados por membros do governo
depende muito dele. Isso pode ser a sobre a reforma que poderia ser feita
água no chope, pode ser um fator de e a estratégia para sua aprovação
preocupação bem fundamentada” no Congresso Nacional. Bolsonaro
pontua Juliana Inhasz, professora de promete uma nova forma de
economia do Insper. articulação política, diminuindo peso
dos partidos e lideranças e priorizando
“O Brasil não é uma economia lá muito frentes parlamentares e negociações
aberta, mas nosso ciclo econômico é diretas c om congressistas, o que gera
muito influenciado pelo exterior. Se dúvidas dada a realidade fragmentada
o mundo vai mal, vai entrar menos do Legislativo.
Na Câmara dos Deputados, o presidente.
resultado das urnas trouxe 30 partidos
com representação. No Senado, são “Existe uma ansiedade grande de
21 siglas. O PSL saiu das eleições que alguma coisa tem que tramitar e
com 52 deputados e 4 senadores, o passar. Aprovar alguma reforma, seja
que corresponde a 10,13% e 4,94% a do Temer ou uma um pouco menos
das respectivas casas. Para alterar a ambiciosa, mas que traga mudanças
Constituição, é necessário apoio de 3/5 como a instituição de uma idade
dos parlamentares. mínima. Já é melhor do que nada”,
afirma Evandro Buccini, economista-
Uma largada que não inspire confiança chefe da Rio Bravo Investimentos.
provocaria reflexos ruins imediatos na
economia e no mercado financeiro. No entanto, não é qualquer reforma
“Jogaria o câmbio e a inflação para que pode dar o sinal que investidores
cima, apesar da ociosidade e das e empresários esperam para colocar
expectativas ancoradas. Isso pode forçar dinheiro de fato no país. “Do ponto de
o Banco Central a antecipar uma alta de vista econômico, essa foi a eleição mais
juros. Seria uma pancada que poderia importante da nossa história. Se for
pôr a perder a recuperação”, alerta um governo com poucas ambições, vai
Alessandra. Em seu cenário pessimista, ser também um país com crescimento
o PIB cresceria 0,8% em 2019. modesto. Agora, se já começa com uma
boa reforma da Previdência, isso vai
“O governo precisa entregar abrindo a agenda política para outros
resultados rapidamente. Isso é bom, temas e acho que o Brasil poderia
no sentido de forçar o governo a usar surpreender positivamente. Sempre
seu capital político de partida para que apertamos os botões certos, o país
aprovar o que precisa” Alessandra reage”, observa Zeina.
Ribeiro, sócia da Tendências
Consultoria “Existe uma ansiedade grande de
que alguma coisa tem que tramitar
Bolsonaro tem como trunfo um e passar. Aprovar alguma reforma,
elevado nível de aprovação. Segundo seja a do Temer uma um pouco menos
levantamento XP/Ipespe de dezembro, ambiciosa, mas que traga mudanças
59% dos brasileiros esperam um como a instituição de uma idade
governo ótimo ou bom. A lua de mel mínima. Já é melhor do que nada.”
deve ser aproveitada para o avanço Evandro Buccini, economista-chefe
da reforma previdenciária, mas isso da Rio Bravo Investimentos
dependerá do envolvimento do
Tudo vai depender do capital político governo Trump não será replicado nos
do governo e de como ele será usado. próximos anos, seja por um Congresso
Isso vale para a reforma previdenciária dividido ou pela forte expansão do
e outras medidas fundamentais para a déficit fiscal, histórica para períodos de
economia, como a reforma tributária, crescimento econômico. No entanto,
possíveis ajustes pelo lado da receita há risco de recessão? O Fed precisaria
e medidas microeconômicas. O voltar atrás na política atual, e inclusive
equilíbrio fiscal – e quando ele será revertê-la? Os riscos são baixos.
atingido – depende de como essa
lição de casa será feita. Portanto, Os indicadores mais recentes de
as sinalizações contam muito neste confiança do empresariado e dos
momento. consumidores permanecem em
patamares historicamente elevados,
o mercado de trabalho continua
gerando novas vagas em ritmo intenso
(ao redor de 200 mil ao mês, na média
dos últimos 12 meses), impulsionando
O cenário é desafiador no ex- o aumento da massa salarial. Além
terior - mas a grande questão disso, a taxa de juros básica ainda
para o Brasil é interna permanece abaixo da neutra, ou seja,
continua expansionista e baixa, em
Após um ano de incertezas tanto termos absolutos e relativos. A pausa
internamente quanto no cenário na guerra comercial com a China pelos
internacional, quais são as próximos meses também deve servir
expectativas para 2019? Quais serão de estímulo aos investimentos.
os principais temas macroeconômicos
e políticos no ano que vem? Já na Europa, as questões políticas
devem ser ponto-chave para 2019,
Começando pelo cenário internacional, pois haverá a definição sobre o
os Estados Unidos enfrentarão Orçamento italiano, que fere os
a incerteza sobre o crescimento princípios atuais de convergência da
econômico. Após uma forte expansão dívida pública, e eleições e escolhas
em 2018, impulsionada pelos para importantes cargos na Comissão
estímulos monetários e fiscal, o PIB Europeia, Banco Central Europeu
americano deve desacelerar em 2019. (BCE), entre outros. A nível nacional, a
O Fed vem subindo a taxa de juros Alemanha pode passar pela definição
e reduzindo seu balanço, vendendo do papel de Angela Merkel nos
títulos públicos, e o pacote fiscal do próximos anos, na transição de seu
governo para um sucessor, que poderá redor de 9% do PIB entre 2006 e
não ser de sua coalizão de apoio. No 2010). Porém, o consumo interno
entanto, apesar dessas incertezas, o ainda parece insuficiente para manter
cenário para o crescimento europeu uma expansão acima de 6% do PIB.
em 2019 continua construtivo. Fatores Com isso, o cenário para a China é de
específicos afetaram o ano de 2018, estabilização na taxa de crescimento
como o escândalo de emissões de entre 6% e 6,5% porém sem uma
gases no setor automotivo, e não reaceleração no horizonte visível.
deverão ocorrer com a mesmo
intensidade no ano que vem. O E como o Brasil será afetado por esse
mercado de trabalho europeu cenário internacional? Quais fatores
continua gerando novas vagas e a taxa domésticos estamos monitorando?
de desemprego mantém sua trajetória Aqui, o risco é de excesso de confiança
de queda. A taxa de juros permanece nos known knowns, sabermos que
baixa e a liquidez ampla. Nesse sabemos. A economia brasileira tem
ambiente, o BCE irá encerrar a compra se destacado não mais pela magnitude
de ativos em dezembro 2018, e deverá da recessão mas sim pela mais fraca
iniciar um ciclo de normalização da recuperação da história. O consumo
taxa de juros no segundo semestre de e o investimento permanecem abaixo
2019. do pico registrado antes da recessão
(23% no caso dos Investimentos e
Mas como ficará a China, outro 4% no Consumo). Assim, há amplo
importante pólo de expansão global? espaço para um forte recuperação
2018 representou uma surpresa cíclica em 2019 e 2020. Para que esse
negativa para o crescimento chinês, cenário benigno se materialize, uma
dado que os estímulos dos últimos reforma da Previdência, que coloque a
anos não foram amplamente trajetória futura da dívida pública em
revertidos. Além disso, o dados de alta queda parece ser o principal fator. A
frequência pouco mostraram dessa Previdência no Brasil hoje é deficitária
nova preocupação com o crescimento. em mais de R$50 bilhões por ano e as
A dificuldade de antecipar os efeitos projeções apontam para um aumento
das medidas implementadas tornam desse valor nas próximas décadas.
o cenário para 2019 mais incerto. A
China passa por uma transição na No curto prazo, a reversão do déficit
composição de seu crescimento, primário para um superávit ao redor
diminuindo a dependência nas de 2% do PIB será a sinalização de
exportações (saldo em conta corrente que as contas fiscais estão sendo
zerado após registrar superávit ao ajustadas, dado que as restrições
em relação aos cortes de gastos são que as principais bolsas internacionais
relevantes e a dívida pública bruta já tenham subido no começo de janeiro,
está acima de 70% do PIB, a maior as perspectivas econômicas para 2019
para países com o mesmo rating não são das melhores.
que o Brasil. Mas para entregar essa
reforma, o novo governo precisa O medo de uma recessão na maior
constituir uma base de apoio no economia do mundo, junto com os
Congresso que permita maioria nas riscos da guerra comercial entre
votações. Estados Unidos e China, além da
crise enfrentada por Itália e França
E esse é hoje o principal risco para o deixam o cenário para este ano segue
nosso cenário mais otimista, dado que bastante nebuloso.
os sinais correntes da transição política
indicam para uma baixa adesão formal O grande temor é a situação da
dos partidos ao governo Bolsonaro e economia americana. Muitos analistas
uma estratégia de comunicação direta acreditam que o ciclo de crescimento
com a população e congressistas será em alta está perto do fim, depois
desgastante e demorada. de oito anos de expansão. E alguns
acreditam que o país pode entrar em
Stephan Kautz é economista da NEO recessão. Em 2018, o rendimento dos
Investimentos títulos do Tesouro de prazo mais curto
superou os de prazo mais longo, o
que costuma indicar que pode haver
recessão.

Diante dessa perspectiva, começa


a mudar também a visão dos
De turbulência política na investidores e analistas sobre as
Europa a temores com EUA: decisões do Federal Reserve, o
o cenário externo que se banco central americano, gerando
desenha para 2019 insegurança sobre o que irá acontecer.

Se 2018 começou com um clima Há quem já comece a falar no fim do


positivo nos mercados externos, em ciclo de alta de juros no próximo ano,
especial nos Estados Unidos, o ano enquanto alguns economistas apenas
terminou com o cenário praticamente reduziram as projeções para uma ou
oposto e investidores tensos sobre o duas elevações. O Goldman Sachs,
futuro da economia mundial. E, ainda por outro lado, agora vê o Fed dando
uma pausa em sua reunião de março, A primeira-ministra Theresa May
mas retomando o ritmo nos meses não conseguiu votar o acordo com
seguintes, levando a um cenário de parlamentares britânicos e agora
três altas em 2019. há um grande risco de o Reino
Unido deixar a União Europeia
Europa definitivamente, o que está previsto
Os desafios para a Europa são muitos. para março, mas sem um acordo,
Um dos assuntos que mais preocupam o que pode gerar uma grande
é a crise orçamentária italiana. Apesar confusão na região por conta da falta
de o Parlamento do país, no apagar de entendimento de como ficará a
das luzes de 2018, ter conseguido situação.
votar a lei orçamen tária ao finalmente
chegar a um acordo com a União China
Europeia, a situação econômica crítica Após um 2018 de desaceleração,
da Itália segue no radar. O governo a preocupação do mercado está
italiano gostaria de mais espaço para para o que pode acontecer com o
gastos, algo que a UE era contra. gigante asiático nos próximos meses,
principalmente em um cenário em que
Depois de muita negociação, o país cresce a tensão por conta da guerra
acabou melhorando a sua meta comercial com os EUA.
de déficit fiscal, além de reduzir
as projeções de crescimento da Em geral, a tendência é que o
economia para evitar a abertura de um crescimento continue a cair no ano
procedimento de infração. Porém, o que vem, o que pode levar a uma
governo atual segue sendo uma fonte mudança nas políticas chinesas e
de pressão para toda a zona do euro afetar o mercado global. Muito além
durante esse ano. da disputa com os americanos, que
por si só já preocupa, o ambiente
A situação fica ainda mais difícil diante econômico chinês já não é o mesmo
dos grandes protestos que atingiram a que foi um dia.
França neste final de ano, criando uma
crise no governo de Emmanuel Macron O cenário é incerto e a volatilidade
que acaba se estendendo em um deverá aumentar, sendo necessário
ambiente de polarização no mundo e um acompanhamento mês a mês
disputas políticas na sociedade. sobre a capacidade da China em seguir
com seu forte crescimento.
Para coroar o complicado 2019 da
Europa, o Brexit está emperrado.
Reforma da previdência: diferente do descrito no parágrafo
o que está em jogo anterior. Possivelmente o país
Por Ivo Chermont perderia algumas âncoras, como a
cambial, a confiança dos investidores
Pode parecer um exagero, mas o quanto à capacidade de geração de
destino da economia brasileira, não só superávit primário em horizonte
em 2019, mas também em 2020, 2021 relevante, com consequências
e por muitos anos a frente, depende nefastas para as expectativas de
primordialmente de uma coisa: a inflação e a política monetária. O
aprovação da reforma da previdência. ciclo de aperto monetário pelo Banco
Central teria que começar quase que
Como já se sabe, o país abriu um instantaneamente para tentar domar a
buraco fiscal muito difícil de fechar inflação nos anos subsequentes. E, em
em razão da recessão que abalou meio a isso, o crescimento certamente
o país no triênio 2014-2016, mas não viria, pois não haveria empresário
principalmente pelo aumento com apetite para investir um único
expressivo de gastos de algumas centavo em um avião que perdeu o
rubricas, como Pessoal e Previdência. rumo e com a asa quebrada.

Caso a reforma da previdência seja Portanto, para prever o que vai


aprovada, podemos ter um ano acontecer com a economia brasileira
bastante positivo, com crescimento em 2019, voltamos à estaca zero, nós
superior a 2,5%, reacendendo o economistas precisamos voltar a vestir
espírito animal dos empresários, a o chapéu de analista político e refazer
manutenção dos juros básicos da as velhas planilhas com os deputados
economia em níveis historicamente a favor e contra a reforma.
baixos (ou até menores do que
aqueles que predominam hoje), alta A dificuldade adicional é que o novo
da bolsa e apreciação do câmbio. Seria
governo federal possui uma nova
um reforço via condições financeiras forma de fazer política com um novo
das famílias que também acabariam congresso. É muita coisa nova em um
afetadas positivamente por esse curto espaço de tempo. Entender se
círculo virtuoso. essa dinâmica, com uma forma de
montar ministério inédita, sem uma
Por outro lado, caso tenhamos, mais relação clara entre ministros-base
uma vez, a reforma despedaçada em no Congresso e teoricamente sem o
meio ao caos de Brasília, neste caso toma-lá-da-cá, ou pelo menos adotado
teremos um ambiente econômico bem em outras bases, dificulta a análise da
construção de base de apoio político nossos pares nos ultrapassando em
ao Bolsonaro pelos parlamentares. desenvolvimento. A sociedade tem
uma escolha a fazer.
À parte a previdência e toda a agenda
fiscal, o país possui inúmeros desafios
Não será fácil. A economia ao redor
a serem enfrentados no ano que do mundo dá sinais de cansaço. Para
vem, mas que devem gerar frutos onde se olha, veem-se problemas
nos anos subsequentes. O principal se acumulando. Ainda não estamos
deles é aumentar a produtividade próximos a uma recessão global,
da economia brasileira. A boa notícia possivelmente só em 2020, mas
é que a equipe liderada por Paulo isso não significa que não devemos
Guedes possui a intenção e disposição ver uma desaceleração nos países
de atacar os velhos problemas que desenvolvidos e, possivelmente,
a atravancam. De novo, o risco é emergentes. No meio desse contexto,
esbarrar nos obstáculos políticos. o Brasil tem uma chance de ouro de
se destacar caso aprove as reformas
O cardápio é longo: agenda BC+, estruturais que promete há tanto
a reforma tributária, abertura da tempo. Caso as concretize, não só
economia, concessões e privatizações, seremos melhores do que temos sido
reforma do Estado, investimento em nas últimas décadas, como ainda
capacitação da mão de obra, redução conseguiremos nos distinguir do
dos subsídios setoriais, reforma do restante do mundo. Eu acredito que é
FGTS, dentre outros. Para cada medida possível.
dessas, a literatura econômica possui
inúmeros estudos provando sua *Ivo Chermont é sócio e economista-
eficácia como indutor do crescimento. chefe da Quantitas Asset
*As opiniões do autor refletem
O Brasil precisa dessa agenda. O uma visão pessoal e não
boom demográfico acabou. Daqui pra necessariamente da Instituição
frente, para crescer, precisaremos da Quantitas Asset
produtividade dos trabalhadores e do
capital. Estamos em uma bifurcação
em que um lado representa um
crescimento potencial de 3% ou
até mais na próxima década e o
outro implica que envelheceremos
e não conseguiremos enriquecer. O
resultado inevitável é observarmos os
Calendário 2019: os principais No exterior, o principal destaque fica
eventos para ficar de olho no o Brexit, que passa a realmente valer
ano a partir de 29 de março. Mas será bas-
tante importante acompanhar o cená-
Apesar de não contar com eventos rio da Itália, que tem tido dificuldade
“divisores de água” como eleições para para encontrar uma solução para a
presidente no Brasil, 2019 terá um sua crise e pode até passar por novas
calendário agitado para os investido- mudanças no governo.
res, principalmente em um cenário de
mudança global. Confira o calendário econômico e de
feriados de 2019:
Por conta disso, eventos já esperados,
como as reuniões do Fomc e do Co- Janeiro
pom (Comitê de Política Monetária) Dia 1 (Brasil) - Posse do presidente eleito Jair
ganham importância extra em um ce- Bolsonaro
Dia 1 (Brasil e EUA) - Feriado de Ano Novo
nário em que os juros nos EUA podem
(mercados fechados)
parar de subir, enquanto no Brasil o
Dia 11 (Brasil) - IPCA de 2018
mercado tenta antecipar quando co- Dia 21 (EUA) - Feriado de Dia de Martin
meçará o ciclo de alta da Selic. Luther King Jr. (NYSE fechada)
Dias 22 a 25 - Fórum Econômico Mundial em
Na política, muita coisa irá acontecer Davos, Suíça
no primeiro semestre, mas como a Dia 25 (Brasil) - Feriado de Aniversário de São
agenda é muito complexa e depende Paulo (B3 fechada)
dos acordos, ainda não existe data Dias 29 e 30 (EUA) - Reunião do Fomc
definida para praticamente nada. Ape-
sar da posse de Jair Bolsonaro em 1º Fevereiro
de janeiro, os trabalhos do Congresso Dia 1 - Início dos trabalhos na Câmara dos
Deputados e Senado com eleição para
só terão início em 1º de fevereiro. E
presidente das duas Casas
só então começarão a surgir sinais de
Dias 5 e 6 (Brasil) - Reunião do Copom
quando poderemos ter a votação da Dia 18 (EUA) - Feriado de Washington (NYSE
reforma da Previdência e outras pau- fechada)
tas importantes para o País. Por outro Dia 24 - referendo para nova Constituição em
lado, o STF definiu a sua pauta para o Cuba
primeiro semestre, que traz importan- Dia 28 (Brasil) - PIB de 2018
tes votações, tendo como destaque a
volta à pauta da prisão em segunda Março
instância. Dias 4 e 5 de março (Brasil) - feriado de
Carnaval (B3 fechada)
Dia 13 (Brasil) - STF julga prorrogações de
prazo de autorização judicial para grampos Julho
telefônicos Dia 4 (EUA) - Feriado de Independência (NYSE
Dia 13 (Brasil) - STF julga se casos de caixa 2 fecha às 13h)
com conexão com outros crimes Dia 9 (Brasil) - Feriado da Revolução
Dias 19 e 20 (Brasil) - Reunião do Copom Constitucionalista (B3 fechada)
Dias 19 e 20 (EUA) – Reunião do Fomc com Dias 30 e 31 (Brasil) - Reunião do Copom
divulgação de projeções econômicas e Dias 30 e 31 (EUA) - Reunião do Fomc
coletiva
Dia 28 (EUA) - PIB de 2018 (final)
Agosto
Dia 29 - Brexit - Reino Unido deixa
oficialmente a União Europeia
Setembro
Dia 2 (EUA) - Feriado de Dia do Trabalho
Abril
(NYSE fechada)
Dia 10 (Brasil) - STF julga validade de prisão
Dias 17 e 18 (Brasil) - Reunião do Copom
após condenação em segunda instância
Dias 17 e 18 (EUA) - Reunião do Fomc com
Dia 19 (Brasil e EUA) - Feriado de Paixão de
divulgação de projeções econômicas e
Cristo (mercados fechados)
coletiva
Dia 28 (EUA) - PIB do 2º trimestre (final)
Maio
Dias 30 de abril e 1º de maio (EUA) - Reunião
Outubro
do Fomc
Dias 29 e 30 (Brasil) - Reunião do Copom
Dia 1 (Brasil) - Feriado de Dia do Trabalho (B3
Dias 29 e 30 (EUA) - Reunião do Fomc
fechada)
Sem data - eleições gerais na Argentina
Dias 7 e 8 (Brasil) - Reunião do Copom
Dias 23 a 26 (Europa) - Eleição do Parlamento
Europeu Novembro
Dia 27 (EUA) - Feriado de “Memorial Day” Dia 15 (Brasil) - Feriado de Proclamação da
(NYSE fechada) República (B3 fechada)
Dia 30 (Brasil) - STf julga leis que restringem Dia 20 (Brasil) - Feriado de Consciência Negra
ou proíbem aplicativos de transporte (B3 fechada)
Dia 28 (EUA) - Feriado de Dia de Ação de
Graças (NYSE fechada)
Junho
Dia 29 (EUA) - Feriado de Dia de Ação de
Dia 12 (Brasil) - STF julga itens da nova lei
Graças (NYSE fecha às 13h)
trabalhista que preveem contrato de trabalho
intermitente
Dias 18 e 19 (Brasil) - Reunião do Copom Dezembro
Dias 18 e 19 (EUA) - Reunião do Fomc com Dias 10 e 11 (Brasil) - Reunião do Copom
divulgação de projeções econômicas e Dias 10 e 11 (EUA) - Reunião do Fomc com
coletiva divulgação de projeções econômicas e
Dia 20 (Brasil) - Feriado de Corpus Christi (B3 coletiva
fechada) Dia 24 (Brasil e EUA) - Véspera de Natal (B3
Dia 27 (EUA) - PIB 1º trimestre (final) fechada e NYSE fecha às 13h)
Dia 25 (Brasil e EUA) - Natal (mercados
fechados)
Dia 28 (EUA) - PIB do 3º trimestre (final)
Dia 31 (Brasil) - Véspera de Ano Novo (B3
fechada)
As 10 ações titulares para Vale lembrar que, em 2018, sua
investir em 2019 (e os 5 papéis carteira rendeu 31,4%, mais que o
para deixar no banco de dobro da alta de 15,03% do Ibovespa
reservas) no mesmo período. No acumulado
desde janeiro de 2016, a lista de ações
Se o cenário-base dos analistas recomendada por Salomão registra
se confirmar – e o novo governo ganhos de 141,49%, ante a valorização
conseguir dar um rumo para a de 99,88% do Ibovespa.
situação fiscal, abrindo espaço para
uma maior recuperação da economia A carteira indicada para 2019 conta
–, a bolsa deve ser um dos melhores com papéis com diferentes graus de
investimentos daqui para a frente. risco – a combinação entre eles que é
A expectativa de manutenção de juros a chave para guiar um bom portfólio.
num patamar baixo – ainda que haja Melhor dizendo: em vez de buscar a
algum aumento em 2019 – também ação perfeita, tente montar o portfólio
beneficiam o mercado de ações. perfeito. Com base nisso a carteira foi
Levando em conta esse cenário, Thiago construída, trazendo desde ativos com
Salomão, analista da Rico, aponta as grande potencial de alta em caso de
dez ações mais recomendadas para melhora da economia quanto papéis
este ano. que podem valorizar mesmo se houver
contratempos.
Confira as dez ações indicadas do petróleo.
para 2019
Mas tal queda também mostra que
1) Ambev (ABEV3) - na contramão ainda há espaço para os papéis
da forte alta do mercado de ações, a subirem, caso o novo presidente,
fabricante de bebidas viu suas ações Roberto Castello Branco, mantenha o
caírem 25% em 2018, fazendo com plano de acelerar o processo de venda
que ficassem baratas com relação de ativos, reduzir custos e finalmente
ao seu histórico (ainda que não seja encerrar o capítulo da cessão onerosa.
um papel propriamente barato). Uma
explicação para a baixa é o aumento O contrato da cessão onerosa foi
da concorrência. Isso aconteceu, mas assinado entre a Petrobras e a União
o maior motivo é a queda do consumo em 2010. Pelo contrato, a Petrobras
motivada pela crise econômica. adquiriu os direitos para explorar,
Portanto, se a economia se recuperar, avaliar e produzir até 5 bilhões de
a expectativa também é de valorização barris de óleo equivalente (petróleo
para as ações da Ambev; mais gás natural) em seis áreas do pré-
sal da Bacia de Santos.
2) B3 (B3SA3) – a previsão de melhora
da atividade associada a um cenário de Entretanto, estudos posteriores
juro baixo é uma combinação perfeita confirmaram a existência de uma
para a B3. A empresa, resultado da quantidade bem maior do que previsto
fusão da bolsa com a Cetip, também inicialmente e espera-se a revisão do
se beneficia da evolução do mercado acordo como um grande catalisador
de capitais uma vez que as empresas para os papéis da estatal.
estão buscando outras formas de se
financiar, propiciando uma nova onda 4) Usiminas (USIM5) – a siderúrgica
de IPOs. é um dos grandes nomes com
bom potencial para se beneficiar
3) Petrobras (PETR4) – apesar de 2018 da melhora econômica do Brasil,
ter sido um bom ano para as ações em meio a sua capacidade ociosa.
da companhia, com os investidores Assim, a retomada da atividade pode
antecipando uma melhora na trazer uma importante alavancagem
gestão de empresas estatais no operacional. Além disso, espera-se
novo governo, os meses pós-eleição que a companhia consiga termos
foram decepcionantes, em meio às de negociação favoráveis com as
frustrações com a cessão onerosa e a montadoras em um cenário mais
forte queda dos preços internacionais positivo para a economia. A venda de
ativos, com a empresa focando em Locamerica e Unidas, com a empresa
seu negócio principal, também pode obtendo uma estrutura mais robusta,
impulsionar as ações. é importante por proporcionar maior
escala, melhorando as condições
5) Banco do Brasil (BBAS3) – o de compra e venda de carros, por
banco estatal volta à carteira, com o exemplo.
setor devendo crescer forte com a
expectativa de retomada da economia 8) Magazine Luiza (MGLU3) – a ação
e aumento do crédito. Com ainda mais da varejista, que sobe há três anos,
lições de casa a fazer do que os seus teve a maior alta do Ibovespa em
pares no setor privado, o BB também 2018. Ainda assim, segue sendo uma
pode se beneficiar mais na Bolsa caso boa alternativa em razão de suas
continue com a sua estratégia iniciada propostas inovadoras, do pesado
dois anos e meio atrás de corte de investimento em e-commerce e da
custos e aumento da eficiência. Além boa gestão, o que a coloca à frente de
disso, a instituição tem forte exposição seus principais concorrentes. Com o
ao setor agrícola, que Bolsonaro Brasil se recuperando, a tendência é
enfatizou que será de extrema de que o Magazine Luiza seja um dos
importância para o seu governo. grandes beneficiários. Mas, mesmo
Assim, é a “pimenta” da carteira para nos períodos de economia mais fraca,
este início de ano. a varejista mostrou a sua resiliência.

6) Rumo (RAIL3) – estimativas 9) CVC (CVCB3) - A maior operadora


positivas para a colheita agrícola e a de turismo do Brasil segue a sua
expectativa de que o novo governo expansão em um mercado em que
destrave o programa de concessão domina e possui um modelo de
de ferrovias guiam o otimismo com a sucesso. Além disso, suas aquisições
companhia. recentes fortalecem o seu modelo
de negócios e levam a um grande
7) Unidas (LCAM3) – as expectativas potencial de sinergias nos próximos
são positivas para a companhia, atiga anos.
Locamerica, em meio a sua estratégia
de expansão após a captação de Assim, em um cenário de expansão
R$ 1 bilhão. O mercado de aluguel econômica, ela obviamente se
de veículos, apesar do crescimento, beneficia, mas também tem uma
ainda é pouco penetrado no Brasil, dinâmica própria, que pode valorizar
mas aponta para maior consolidação. os papéis mesmo se o cenário interno
Neste sentido, a fusão entre for um pouco pior que o esperado.
10) Sabesp (SBSP3) - Com um 2018 consigam se superar seus desafios.
morno e após passar por um período São elas: Suzano (SUZB3), Vale (VALE3),
de forte tensão com a revisão tarifária, Braskem (BRKM5), Via Varejo (VVAR3) e
a Sabesp voltou a ser observada Gerdau (GGBR4).
com atenção no mercado. Ela possui
um alto potencial de valorização e No caso de Suzano, a companhia de
pouco downside dentro de um setor papel e celulose que está em vias de
previsível. As sinalizações do novo concluir sua fusão com a Fibria se
governo de São Paulo apontando beneficia em um ambiente de alta do
para privatização ou capitalização dólar, além de ser uma empresa bem
da estatal de saneamento, trazem gerida e com boas perspectivas de
boas perspectivas para a ação da expansão no longo prazo. Contudo,
companhia. a forte alta registrada em 2018 e o
cenário ainda sombrio para a cotação
Confira a Carteira para 2019: de papel e celulose indicam que há
mais opções na Bolsa que podem se
Empresa Ticker Participação
beneficiar na conjuntura atual.
Unidas (Locamerica) LCAM3 12%
CVC CVCB3 12%
Na mesma linha, a Vale pode se
Magazine Luiza MGLU3 11%
beneficiar em um ambiente externo
Rumo RAIL3 11%
mais positivo, principalmente se
Petrobras PETR4 10%
houver avanços nas relações entre
Ambev ABEV3 9%
China e Estados Unidos depois de
Sabesp SBSP3 9%
meses de deflagração da guerra
Usiminas USIM5 9%
comercial entre as duas maiores
B3 B3SA3 9%
economias do mundo.
Banco do Brasil BBAS3 8%

Já a Braskem possui uma posição


Banco de reservas consolidada nos mercados em que
atua, mas sofreu nos últimos meses
Enquanto as 10 ações acima são as com notícias envolvendo a sua
titulares, há cinco que estão no “banco controladora Odebrecht e adiamento
de reservas”. Elas podem entrar da conclusão da venda para a
em campo a qualquer momento holandesa LyondellBasell. Caso a
dependendo das mudanças com venda avance, a ação da companhia
relação ao cenário-base nacional e pode engatar uma tendência de alta,
internacional, mas algumas também represada nos últimos meses. De
podem assumir a vaga de outra caso qualquer forma, a empresa apresenta
desempenho operacional positivo e 10 grandes investidores
pode se beneficiar com a melhora da revelam suas ações favoritas
indústria. para 2019

A Via Varejo, por sua vez, é uma O mercado começa 2019 com
varejista tem tudo para se beneficiar sinalizações de otimismo sobre
em um cenário de expansão ainda a nova equipe econômica de Jair
mais forte do e-commerce no médio Bolsonaro, com o Ibovespa disparando
prazo, mas ainda enfrenta dificuldades e chegando a alcançar máximas
em implementar o novo sistema de históricas pregão após pregão.
vendas. Além disso, há incertezas
sobre como será feita a venda da Para escolher os ativos que devem
participação detida pelo Grupo Pão se beneficiar de uma retomada da
de Açúcar (PCAR4). Mas a ação está economia e de políticas do novo
barata em relação às dos principais governo, assim como aqueles que
concorrentes e, se houver mais trazem boas expectativas, o InfoMoney
visibilidade dos resultados, pode conversou com gestores de fundos de
valorizar. ações de 10 grandes assets para saber
em que eles estão apostando para
Por fim, ajuda a Gerdau a perspectiva este ano.
de alta da demanda de aços longos
com a recuperação do setor de A empresa vencedora foi Banco do
construção. Além disso, o fato de Brasil (BBAS3), com 6 recomendações.
ter operações nos Estados Unidos Em segundo lugar aparece Petrobras
é um fator que a torna uma opção (PETR4). CVC (CVCB3) e Localiza
mais defensiva no setor em caso de (RENT3) empataram em terceiro
acirramento da guerra comercial. lugar na recomendação dos
gestores. Ambas posicionadas para
Bons investimentos! aproveitarem a retomada econômica,
devem se favorecer com o aumento da
confiança do consumidor.

Também estão no radar das grandes


assets entrevistadas Rumo (RAIL3),
Suzano (SUZB3), Linx (LINX3) e
Magazine Luiza (MGLU3).

No caso da Linx, os analistas


começaram a acompanhá-la mais de “ter confiança de que a situação fiscal
perto após o lançamento do serviço do país terá uma solução e, neste
de pagamentos Linx Pay, que tem ponto, uma reforma da previdência é
o potencial de mudar o patamar do crucial”.
demonstrativo de lucros e perdas da
empresa. Além disso, a retomada da Em um cenário factível, Peixoto
economia somada a oportunidades em acredita que é possível o Ibovespa
novos segmentos devem ser grandes atingir os 120 mil pontos apenas com
potencializadoras para a companhia. a precificação dos múltiplos para
patamares históricos. “Em um cenário
Ainda na preferência dos gestores que tudo dá certo, podemos ver a
estão os papéis de Gerdau (GGBR3), bolsa chegar nos 140 mil pontos e o
que se beneficiam com a guerra dólar em R$ 3,30”, diz.
comercial travado entre EUA e China,
tendo um caráter mais defensivo por Entre as três principais posições
possuir empresas nos EUA, e Azul para este ano, o gestor cita Bradesco
(AZUL4), que tem no radar a liberação (BBDC4), Lojas Americanas (LAME4) e
de 100% de capital estrangeiro em Qualicorp (QUAL3). Enquanto Bradesco
companhias aéreas, além do pedido tende a se beneficiar da retomada do
de recuperação judicial da Avianca crédito, inadimplência sob controle
Brasil - o que pode representar uma e de seu desconto substancial em
oportunidade de negócios. relação ao Itaú, Lojas Americanas
negocia com múltiplos descontados
A palavra do gestor em relação ao varejo e também deve
se favorecer com a retomada da
Marcos Peixoto, CEO da XP Asset, economia e do consumo.
explica que o mercado acionário
ainda não deslanchou por conta dos No caso da administradora de planos
mercados externos. “Mas se olharmos de saúde coletivos Qualicorp, Peixoto
desde o fim de setembro, o EWZ (ETF do afirma que o papel está fora do
Brasil) sobe 14%, enquanto o EMM (ETF radar dos investidores e é uma boa
de emergentes) cai 7%. Então no relativo oportunidade de compra. “A ação está
podemos dizer que tivemos um bom largada, com múltiplos extremamente
desempenho”, diz. baratos”, diz.

Otimista com o governo Bolsonaro,


Peixoto explica que para a bolsa ter
um bom desempenho é necessário
O que aconteceu com a mais o preço subia, chegando ao seu
revolução das criptomoedas - auge no último trimestre de 2017.
e o que esperar para 2019 Segundo Fernando Ulrich, analista-
chefe da exchange de criptomoedas
No dia 17 de dezembro, o Bitcoin XDEX, naquele momento era bem claro
completou um ano de sua máxima que uma correção estava chegando e
histórica, momento em que atingiu os ele alertou os investidores.
US$ 20 mil em um cenário de euforia
desenfreada. Desde então, porém, a “Para quem entrou na euforia, naquele
principal criptomoeda do mundo já efeito manada, uma correção é muito
chegou a perder mais de 80% de seu ruim, claro. Mas isso ilustra o que eu
valor, chegando a US$ 3.500 no dia 17 sempre falo: estude e saiba onde você
de dezembro de 2018 e fechando o está entrando e encare isso como
ano na casa dos US$ 3.700. qualquer outro investimento. Ou seja,
é preciso saber o que está fazendo”,
Mas o que aconteceu? Foi a bolha explica Ulrich.
estourando ou apenas um movimento
“natural” de correção em um mercado 2018: o fim do Bitcoin?
ainda em formação? O primeiro dia de 2018 já mostrava
o quanto o patamar dos US$ 20 mil
Para os céticos, o ano passado marcou era insustentável naquele momento,
o fim do Bitcoin, mas, na opinião de com o Bitcoin abrindo o ano cotado
alguns especialistas (e entusiastas), em US$ 13.500. E conforme o preço
oportunidades estão surgindo recuava, todas aquelas pessoas que
num momento que o mercado de achavam que a criptomoeda iria subir
criptomoedas está mais maduro e para níveis inimagináveis começaram
preparado para enfrentar crises. a sair, invertendo completamente o
movimento.
Um ponto importante é entender o
cenário na época em que a moeda O ano passado ficou marcado por
disparou. Desde o início de 2017, aos expectativas em relação ao uso e
poucos, o Bitcoin ganhou espaço nos à regulação das criptomoedas no
noticiários e muita gente descobriu “mundo real”. A tecnologia segue
as criptomoedas como o “futuro da evoluindo, mas o que se viu foi muita
economia global”, achando que seria espera por decisões regulatórias no
uma revolução no curto prazo. mundo todo, o que “travou” os preços
por muitos meses. Porém, com a falta
Conforme mais pessoas entravam, de novidades que pudessem justificar
novas altas, veio uma nova onda mercado de baixa começam a jogar a
vendedora nos dois últimos meses, toalha. O economista explica que, em
puxando novamente o valor do Bitcoin novembro, esta etapa entrou na fase
para baixo. mais aguda, e houve uma onda de
pânico no mercado.
Mais do que fundamentos, o
sentimento do investidor tem sido Diferentemente do que os céticos
o mais importante para a definição defendem, no entanto, esta queda não
do preço. O economista Richard significa o fim do Bitcoin. Ao contrário.
Rytenband explica que a onda de Para esses especialistas, o pânico
euforia do fim de 2017 colocou o nível pode até ser saudável, já que tira do
de fragilidade em patamares muito mercado as pessoas que não sabem
elevados, ou seja, qualquer pequena no que estão investindo. O preço pode
piora no ecossistema iria produzir um estar depreciado, mas agora é mais
impacto muito negativo nos preços. fácil para a criptomoeda encontrar um
preço mais justo. A faixa de variação,
Entre dezembro de 2017 a janeiro de na opinião dos analistas, vai de US$
2018 ocorreu a primeira correção, mas 3 mil a US$ 20 mil (ao menos, por
ainda era possível ver muitas pessoas enquanto) – o que indica como esse
animadas, esperando apenas uma ativo é volátil.
retomada do mercado de alta. Isso fica
claro no movimento de recuperação 2019: a hora da recuperação?
dos preços em janeiro, quando o Os especialistas acreditam que,
Bitcoin voltou para US$ 17 mil. depois de toda a desvalorização, este
é um bom momento para investir em
“Mas, na sequência do ano, o mercado criptomoedas. “O pessoal entra na
de baixa foi ficando mais claro a todos. alta porque quer aproveitar o bonde
Assim, entramos, de janeiro a agosto, e acha que o ativo só vai subir. Mas,
na segunda etapa do mercado de nesses momentos, o melhor é ter
baixa, chamada de reconhecimento, cautela. Como diria Warren Buffett,
caracterizada pelo desânimo e se você está comprando um ativo só
desinteresse pelo mercado”, explica porque ele está subindo, então você
Richard. está comprando pelo motivo errado”,
afirma Ulrich.
Em seguida o mercado entrou na
última etapa, chamada capitulação, Vale lembrar que Buffett criticou
em que os investidores que se o investimento em criptomoedas,
mantiveram otimistas durante todo dizendo que era um jogo, e não uma
forma saudável de aplicar. Ulrich lembra que este ainda é um
mercado novo e que a alta de 2017
Na opinião do especialista Safiri Félix, foi uma distorção. Mas a queda de
o preço atual está bastante depreciado 80% não é nada quando vemos que
em relação aos fundamentos da o Bitcoin, até março de 2017, valia
tecnologia, mas, por outro lado, o menos de US$ 1 mil. Dificilmente
mercado está mais saudável do que veremos o fim do Bitcoin, mas é, no
quando atingiu os US$ 20 mil. “Os mínimo, cedo para a ele voltar para
fundamentos ficam de lado quando esse US$ 20 mil.
sentimento negativo é grande”, diz.

Para ele, a recuperação tende a ser


bem lenta, mas mais consistente, com
uma projeção para médio e longo
prazo positiva. “O próximo ciclo tem Euforia com o Bitcoin
pelo menos um ano e meio e vai de passou: 2019 será o ano
agora até o ‘halving’, previsto para maio do amadurecimento das
de 2020”, explica, citando o evento já criptomoedas
previsto no Bitcoin onde a recompensa *Por Safiri Félix, especialista em
dos mineradores na criação de novas criptomoedas e apresentador do
moedas é cortada pela metade. programa Bloco Cripto na InfoMoneyTV

“Nesse período o mercado vai ter que A criação de Satoshi Nakamoto


encontrar um preço de equilíbrio, completou 10 anos em 2018,
se tornar rentável para operadores amargando uma desvalorização
e mineradores. E a adoção tem que superior a 80% desde a cotação
avançar, isso vai ter um papel mais forte máxima registrada em dezembro de
na recuperação”, justifica o especialista. 2017.

Por fim, Richard alerta para a Após impressionantes 1300% de


sinalização de que o bitcoin pode ter valorização do bitcoin, os criptoativos
chegado aos seus menores patamares, passaram a tomar conta das
sinal que já vinha desde novembro, o conversas entre operadores do
que gera boas oportunidades para os mercado financeiro e milhões de
investidores. “Estamos num momento indivíduos comuns ávidos por lucros
em que qualquer pequena melhora no exorbitantes.
ecossistema irá produzir um grande
impacto positivo nos preços”, conclui. Já se esperava uma correção do
excesso de euforia que levou o valor choques de volatilidade.
de mercado total deste mercado a
flertar com a marca de US$ 1 trilhão. Ao contrário da maioria dos ativos de
Ao longo deste ano, a narrativa em risco, os ativos digitais são ainda pouco
torno do bitcoin foi oscilando entre regulamentados, com negociações
os rumores de bolha, indefinição ocorrendo de forma distribuída em
regulatória e volumes reduzidos de centenas de corretoras e diretamente
negociação. entre usuários, 24 horas por dia,
7 dias por semana. Os volumes
Quem apostou na continuidade da negociados em mercados de balcão
trajetória exponencial do preço foi são responsáveis por mais do que o
pego no contrapé, aprendendo de dobro dos valores negociado nos livros
forma dolorosa sobre a dinâmica públicos de oferta.
desse mercado nascente, que passou
a operar em uma dinâmica diferente Esse cenário torna os criptoativos
após o início das negociações dos extremamente suscetíveis a mudanças
contratos futuros atrelados a bitcoin de humor de grandes operadores e
nas principais bolsas de Chicago no muitas vezes um espaço propício para
fim de 2017. práticas de manipulação, provocando
tanto valorizações quanto quedas
O lançamento desses instrumentos substanciais, sem aviso prévio.
alimentou a euforia que levou o preço 2019 deve marcar a continuidade
a atingir sua máxima histórica próxima do amadurecimento do mercado,
aos U$ 20 mil em dezembro do ano impulsionada pela entrada de pesos
passado, ao mesmo tempo que abriu pesados como Fidelity e Bakkt,
espaço para operadores alavancarem plataforma de negociação de ativos
posições vendidas, apostando na digitais vinculada aos controladores
queda do bitcoin. da NYSE, principal bolsa de valores do
mundo.
Operações com derivativos também
cresceram nas corretoras que A aprovação dos primeiros ETFs,
negociam somente ativos digitais, títulos de investimento indexados em
oferecendo a opção de até 100 bitcoin, parece ser um caminho sem
vezes de alavancagem dos valores volta, aguardando os reguladores
depositados em garantia. No longo americanos darem o braço a torcer
prazo, o aumento do uso desses sobre o potencial dos ativos digitais.
instrumentos tende a otimizar a Com a proliferação de novos
descoberta de preço, amenizando instrumentos de negociação e o
desenvolvimento do mercado de exponencial de 2017 e da queda
STOs (Secutiry Token Offers, veículos brusca de 2018, é provável que
de investimento tokenizados), o a retomada seja um processo
ecossistema trabalha para construir gradual, com picos esporádicos de
ferramentas mais sofisticadas de maior volatilidade e oportunidades
custódia e liquidação. de ganhos pouco prováveis com
investimentos convencionais.
A expectativa entre analistas
especializados é de que nos próximos
anos ocorra uma injeção substancial
de capital de investidores profissionais
e fundos institucionais. Taxas de
juros reduzidas globalmente e sinais
de esgotamento do ciclo de alta
dos principais ativos de risco são
ingredientes de atratividade para a
diversificação de recursos em formas
alternativas de reserva de valor.

Para o pequeno investidor, o mais


importante é dosar o grau de
exposição, aproveitando o período de
consolidação do mercado para formar
uma posição capaz de gerar retornos
assimétricos, sem colocar uma fatia
substancial dos recursos em risco.

O mais indicado é fracionar os aportes,


com no máximo 5% de exposição
do portfólio total de investimentos.
Como regra básica, o bitcoin deve
representar ao menos 80% da
alocação, não sendo interessante
pulverizar em outros ativos antes
de completar ao menos 1 bitcoin na
carteira.

Ao contrário da valorização
Os fundos mais rentáveis de parece animador”, afirma. (veja no
2018 – e o que os gestores final da matéria todas as perspectivas
esperam para 2019 do gestor)

2018 foi um ano desafiador para o Os fundos de ações trouxeram


setor de fundos de investimentos. Se retornos ainda maiores no ano que
por um lado a captação aumentou passou, impulsionados pelo ânimo
- por conta da necessidade dos do mercado com a vitória de Jair
investidores em procurar alternativas Bolsonaro nas eleições presidenciais.
mais rentáveis ao CDI -, o mercado No topo do ranking aparece o Hayp
também teve muitos altos e baixos FIA, da Zenith Asset Management, que
pelas incertezas principalmente no valorizou 62,6%. Em seguida vem o
campo político. Kapitalo Tarkus FIA, que ganhou 46,8%
em 2018.
Ainda assim, gestores experientes
conseguiram entregar retornos Na parte de crédito privado o
substanciais, aproveitando a destaque ficou com o fundo Sparta
volatilidade do mercado para surfar na Top, que valorizou 9,1% no ano
ponta certa dos principais ativos. passado. Segundo Ulisses Nehmi,
gestor responsável pelo fundo, o
Entre os fundos multimercados, Sparta Top tem um perfil conservador
destaque para o Vista FIM, que e investe em uma carteira diversificada
rendeu 38,4% no ano passado. Para de títulos de renda fixa de grandes
João Landau, gestor responsável empresas (debêntures e letras
pelo fundo, 2018 foi um ano de financeiras).
“sobrevivência”, por conta das
dificuldades em praticamente todos os “Embora com uma postura cautelosa,
mercados – inclusive globais. típica de quem trabalha com crédito,
estamos animados com possibilidades
Para 2019 ele enxerga um cenário de alocação para o ano que vem”, disse.
internacional incerto, mas está
confiante com o mercado doméstico.
“As perspectivas parecem novamente
desafiadoras. A redução de liquidez
dos bancos centrais europeu e
americano trazem incertezas do final
de uma grande experiência monetária.
Por outro lado o cenário brasileiro
Os fundos mais rentáveis:

Ações
Fundo Gestora Retorno em 2018 (%)
Hayp FIA Zenith Asset Management Ltda 62,6%

Kapitalo Tarkus Fc FIA Kapitalo 46,8%

Squadra Long Biased FI Cotas de FIA Squadra Investimentos 39,4%

Az Quest Top Long Biased Fc FIA Az Quest Investimentos 38,8%

Kondor Equities Institucional FIA Kondor Equities Adm e Gestora de Rec Fin 34,1%

Alaska Black Institucional FIA Alaska Investimentos 32,4%

Alaska Black FIC FIA Bdr Nivel I Alaska Investimentos 30,4%

Moat Capital FIC FIA Moat Capital Gestao de Recursos Eireli 30,2%

ARX Income FIA ARX Investimentos Ltda 29,5%

Apex Infinity 8 Long Biased Fc FIA Apex Capital Ltda 28,8%

Multimercados
Fundo Gestora Retorno em 2018 (%)
Vista Multiestrategia FI Mult L3 Gestora de Recursos Ltda. 38,4%

CSHG Allocation Miles Acer Lb Fc FI Mult Credit Suisse Hedging Griffo Wm S.A. 33,6%

Xp Long Biased 30 Fc FI Mult Xp Gestao de Recursos 30,3%

Apex Long Biased Fc FI Mult Apex Capital Ltda 27,1%

Fides Absoluto FI Mult Fides Asset 25,8%

Versa Long Biased FI Mult Versa Gestora de Recursos Ltda 23,5%

Safari Fc FI Mult II Safari Capital Gestao de Recursos Ltda 23,0%

Polo Norte I Fc FI Mult Polo Capital Gest de Recursos 21,8%

Bahia Am Long Biased Fc de FI Mult Bahia Am Renda Variavel 21,1%

CSHG Ibov Ativo 70-130 FI Mult Credit Suisse Hedging Griffo Am Partners 19,8%
Fundos de crédito (renda fixa)
Fundo Gestora Retorno em 2018 (%)
Sparta Deb Inc Fc FI RF Cred Priv Sparta 9,1%

Iridium Pioneer Deb Inc FI RF Cred Priv Iridium Gestao de Recursos Ltda 8,2%

BTG Pact Cre Cor I FICFI RF Cred Priv BTG Pactual 7,6%

Ca Indosuez Vitesse FI RF Cred Priv Ca Indosuez Wealth (Brazil) S.A. Dtvm 7,6%

Af Invest FI RF Cred Priv Geraes Af Invest Administracao de Recursos 7,5%

Fator Debentures Inc FI RF Cred Priv Fator Adm 7,5%

Butia Top Cred Priv FICFI RF Butia Gestao de Investimentos 7,4%

Jgp Corporate Fc FI RF Cred Priv LP Jgp Gestao de Credito Ltda 7,4%

Dlm Premium 30 FI RF Cred Priv LP Dlm Invista Admin de Recursos Ltda 7,3%

Dlm Hedge Conserv II FI RF Cred Priv Dlm Invista Admin de Recursos Ltda 7,3%

O que os gestores dos fundos mais Também tínhamos uma posição


rentáveis esperam para 2019: comprada em Eletropaulo, que andou
super bem no primeiro semestre. Ela
Hegler Horta - Kapitalo Tarkus fio colocada à venda pelo controlador,
“O Tarkus é um fundo que pode a AES. E foi adquirida em um leilão
ficar comprado entre 70% e 130% do pela Enel, uma empresa italiana que
seu patrimônio líquido. Ele também pagou um preço bem acima do que a
tem a possibilidade de ficar vendido ação negociava em Bolsa.
em até 30% do patrimônio líquido.
No mínimo, a gente espera ter uma Outra posição que foi muito bem foi
posição líquida (comprada menos a Banrisul. Gostamos bastante do papel,
vendida) de 70%. achamos barato e com possibilidade
de privatização em 2019.
Até 30 de novembro tivemos uma
rentabilidade de 47% ante 17% Algumas posições short (vendidas)
do Ibovespa. Grande parte dessa também contribuíram. As principais
performance veio de alguns casos eram do setor de consumo básico, que
específicos. Um deles foi Suzano. sofreram bastante em 2018.
Tínhamos uma posição relativamente
grande apostando na consolidação Em relação a 2019, estamos com
do setor - o que acabou acontecendo a cabeça otimista para o mercado
quando a Suzano adquiriu a Fibria. doméstico. O Brasil está passando
por um cenário de inflação muito
baixa e as empresas estão com uma as perspectivas parecem novamente
capacidade ociosa elevada. Então desafiadoras. A redução de liquidez
temos capacidade de crescer sem dos bancos centrais europeu e
gerar inflação ao longo dos próximos americano trazem incertezas do final
anos. de uma grande experiência monetária.

Os principais riscos que enxergamos Por outro lado o cenário brasileiro


vêm principalmente do cenário parece animador. A economia
externo. O mundo está passando brasileira mostrou enorme resiliência
por uma desaceleração da às turbulências eleitorais e parece
atividade econômica que pode pronta para um ciclo de crescimento
acabar prejudicando as economias econômico. A reforma da previdência,
emergentes. que provavelmente será aprovada
ainda no primeiro semestre,
No Brasil a gente vê algum risco se o vem se juntar às às reformas
novo governo não aprovar as reformas microeconômicas promovidas no
– principalmente a da previdência. governo Temer.
Achamos que para o cenário
econômico otimista se concretizar é O fato de o Brasil estar iniciando um
muito importante que tenhamos a ciclo de crescimento, ao contrário do
aprovação da reforma da previdência. mundo, traz resiliência ao mercado
frente ao desafio global, desde que o
Estamos focando principalmente processo de reformas continue.
em empresas estatais, que achamos
que vão passar por processos total No cenário externo estamos otimistas
ou parcial de privatização. Temos com o processo eleitoral argentino
ações de Petrobras, Banrisul e Cemig. e pessimista com as perspectivas
E também gostamos de empresas europeias”
voltadas a consumo discricionário,
que têm alavancagem operacional. Ulisses Nehmi – Sparta TOP
Então temos posição em Gerdau, Lojas “O Sparta Top tem um perfil
Renner e Lojas Americanas. conservador, pós-fixado, e investe
numa carteira muito diversificada
João Landau - Vista de títulos de renda fixa de grandes
Multiestratégia empresas (debêntures e letras
“O ano de 2018 foi de sobrevivência, financeiras).
uma vez que os ativos globais
sofreram sequencialmente. Em 2019 Embora com uma postura cautelosa,
típica de quem trabalha com crédito, Os melhores fundos para
estamos animados com possibilidades investir em 2019
de alocação para o ano que vem.
Além de vermos um nível de confiança Poucos profissionais são capazes
maior na economia, podemos destacar de entender tão bem o cenário
a mudança de postura do BNDES nos econômico e captar as principais
últimos anos. nuances dos mercados financeiros
como os gestores de fundos. Eles são
O banco de desenvolvimento reduziu investidores experientes e estudam
os subsídios e passou a focar no no detalhe os mercados que atuam –
estímulo do mercado de capitais. Com além de serem auxiliados por equipes
isso, grandes empresas que até então de analistas que acompanham de
tinham outras fontes de financiamento perto as empresas e os principais
passaram a acessar (e com mais ativos que podem fazer parte da
frequência) o mercado de capitais, carteira.
captando por meio de debêntures.
Isso se traduz em mais oportunidades Por isso, colocar seu dinheiro em
d e investimento. bons fundos de investimentos é uma
das melhores formas de ter retorno
Além disso, o nível atual da taxa de de maneira consistente. Para ajudar
juros (Selic) deixou os investidores de você no processo de escolha, nós
fundos baseados em títulos públicos e conversamos com o assessor de
com taxas de administração elevadas investimentos Felipe Moraes, sócio
bastante incomodados. Com isso, da Messem Investimentos, e pedimos
cresce a demanda por aplicações que ele selecionasse bons fundos de
mais eficientes, como os fundos de investimentos das principais categorias
crédito privado. Como consequência, – multimercado, ações, DI e renda fixa.
esses fundos têm crescido bastante,
o que elevou a liquidez do mercado Veja alguns fundos que valem a pena
secundário” ficar de olho e colocar parte do seu
dinheiro em 2019:
Fundos DI Renda Fixa Multimercados Ações
Iridium Apollo Crédito XP Crédito Absolute Vertex Kapitalo Tarkus
Privado LP Estruturado 360 FIM (alta vol)

AZ Quest Luce Exodus 180 Ibiuna Hedge STH Alaska Black


Crédito Privado (alta vol)

Quasar Advantage Valora Absolute CP LP Bahia AM Marau Mauá Capital Ações


(média vol)

Porto Seguro FI Referenciado Polo Crédito Kinea Chronos AZ Quest TOP


DI Crédito Privado Corporativo Advisory Multimercado (média vol) Long Biased

XP Referenciado DI CP Quasar Debêntures Sulamérica Tático Moat Capital FIC FIA


Incentivadas

O percentual de alocação em cada Mas é bom lembrar que este ano


fundo depende muito do perfil de promete boas oportunidades
risco de cada investidor. Quem não àqueles que aceitarem correr um
suporta perdas, deve concentrar sua pouco mais de risco. “Tendo em
aplicações em fundos menos voláteis e vista a agenda econômica do novo
com maior concentração em ativos de governo, enxergamos uma grande
renda fixa. oportunidade em fundos mais
arrojados, sobretudo os ligados à
bolsa”, acredita Moraes.

Veja abaixo como montar sua carteira de fundos, de acordo com seu perfil.

Conservador Moderado Agressivo


Liquidez (DI) 10% 5% 5%

Renda fixa 90% 30% 20%

Multimercados - 45% 45%

Ações - 20% 30%


Fundos imobiliários: otimismo retomada dos empregos, crescimento
e atenção em 2019 do PIB, investimentos estrangeiros
Por Arthur Vieira de Moraes etc., devemos observar melhoras
em praticamente todos os principais
2018 foi um bom ano para os FII. segmentos do mercado de FII.
Não tanto em rentabilidade, mas
em aspectos como crescimento Nos FII de renda é provável que
do número de investidores, do segmentos cujos contratos atrelam
número de fundos e do patrimônio o aluguel a um percentual do
de fundos que já existiam, além da faturamento do inquilino sejam os
chegada e consolidação de novos primeiros a melhorar. Estamos falando
administradores e gestores. Enfim, o principalmente de shopping centers,
mercado de FII mostrou maturidade mas os setores de hotelaria e hospitais
mesmo em um ano difícil como o de também funcionam com esse tipo de
2018 (quando atravessamos greve contrato. Estes últimos setores são
de caminhoneiros e uma imprevisível menos representativos no mundo dos
eleição presidencial). FII, mas podem fazer parte de uma
carteira bem diversificada.
Viemos aqui falar sobre 2019. O que
motiva esse mini relato sobre 2018 é Fundos que investem em
o fato de que alguns desses avanços escritórios não devem se beneficiar
podem ser considerados como imediatamente porque os aluguéis só
estruturais. Fundos maiores, com são reajustados quando os contratos
mais ativos e mais cotistas, significa chegam em período de revisionais
mais diversificação e liquidez. Novos ou renovação. Vale a pena conferir
administradores e gestores trazem os relatórios gerenciais para saber se
mais profissionalização e concorrência seu fundo terá um bom número de
ao mercado. 2019 começa com essa contratos passando por essas janelas
boa herança do último ano. em 2019.

Passado recente edificante, futuro Galpões logísticos também podem


otimista pela expectativa de retomada demorar um pouco para mostrar
da economia e início de um novo melhoras, pois ainda há muitos
governo, aparentemente, mais imóveis vagos. Mas o setor é
alinhado ao liberalismo econômico. promissor, principalmente por
Esse é o cenário base para 2019 conta do crescimento do comércio
considerado nesse artigo. Se as eletrônico. Os galpões industriais
coisas se desenrolarem assim, com (onde funcionam as fábricas) também
se beneficiariam, gradativamente, de Comprar cotas de um FOF equivale
uma melhora do PIB. a contratar um gestor profissional
(ou mais) para trabalhar por você,
Há um outro fator que pode ajudar buscando as boas oportunidades entre
fundos de escritórios e de galpões: os mais de 160 FII listados na B3.
a redução da vacância. A maioria
dos fundos está com parte dos seus Os FII do segmento de agências
imóveis vazios. Se esses imóveis bancárias devem continuar gerando
forem logo ocupados as despesas bons rendimentos, devido a
do fundo caem e as receitas sobem. estabilidade dos contratos, mas é
Isso não depende de prazos, depende preciso considerar que a maioria
de aquecimento da economia e destes FII já está bem valorizado e
habilidade do gestor em negociar bons negociado acima dos respectivos
contratos. valores patrimoniais. A melhora da
economia não causa impactos diretos,
Fundos de papel, aqueles que porque os contratos atípicos não
investem majoritariamente em CRI, permitem revisionais. Portanto não há
permanecem interessantes. Como CRI muito espaço para valorização.
são produtos de renda fixa, a melhora
da economia não faz com que rendam E se o cenário econômico for pior do
mais nem menos, porém, com a taxa que o estimado?
Selic baixa (menor que 10% ao ano), É muito importante evitar excesso
mais e melhores CRI chegarão ao de otimismo e estar preparado
mercado, aumentando as opções de para cenários piores. Nesse caso os
investimento dos gestores desses FII. investidores de FII podem buscar
Além disso, as LIG (letras imobiliáriasproteção nos fundos de agências
garantidas) vão começar a ganhar bancárias e também nos de papel
espaço e podem se tornar mais uma (CRI), pois esses segmentos são pouco
alternativa atraente para os fundos de atrelados ao mercado imobiliário
papel. e, por isso, mais defensivos. Outro
ponto de atenção seria uma alta forte
Preço importa! As perspectivas são e consistente da taxa Selic, o que
boas, mas é importante evitar pagar levaria a desvalorização generalizada
caro pelos FII negociados. Às vezes das cotas de FII, independente do
o otimismo dos investidores eleva segmento. Nesse caso a melhor defesa
demais as cotações. Por isso os fundos está nos títulos de renda fixa pós-
de fundos, os chamados FOF, podem fixados.
ser uma alternativa interessante.
Caso a realidade seja ainda melhor ajustaria.
do que o esperado as premissas
continuam as mesmas, apenas o ritmo Arthur Vieira de Moraes é especialista
da melhora seria mais rápido. em finanças e apresenta o programa
Fundos Imobiliários na InfoMoney TV.
Por fim, mas em tempo: PIB, juros,
investimentos estrangeiros, mudanças
na tributação, convenhamos, nunca
é possível prever o comportamento
de tantas variáveis. Portanto, a
melhor estratégia é sempre a da O que esperar dos fundos
diversificação. Uma carteira bem imobiliários em 2019 – e em
diversificada é a mais recomendada quais investir
para 2019, 2020, 2030 e 2040! Investir em imóveis comerciais por
meio de fundos imobiliários pode ser
E se lá em Brasília resolverem uma boa alternativa de diversificação
tributar os rendimentos dos FII? em 2019. Com a mudança de governo,
Desde que outros investimentos as perspectivas estão mais favoráveis
isentos, como LCI, LIG, CRI, CRA e e o crescimento econômico beneficia
debêntures de infraestrutura também diretamente este tipo de aplicação.
percam a isenção, não haveria
nenhum grande problema. Ninguém “Se as coisas se desenrolarem com
gosta de pagar imposto, mas isso não retomada dos empregos, crescimento
inviabiliza um mercado. A menos que do PIB (Produto Interno Bruto),
só os FII fossem tributados e outros investimentos estrangeiros etc., devemos
produtos não. observar melhoras em praticamente
todos os principais segmentos do
Em caso de tributação, em um mercado de FII”, afirma o especialista
primeiro momento, as cotas se em finanças Arthur Vieira de Moraes,
desvalorizariam na mesma proporção que apresenta o programa Fundos
da alíquota do IR, o que faria com que Imobiliários na InfoMoney TV.
novos investimentos mantivessem
o mesmo nível de retorno de antes Estes fundos compram imóveis
da tributação. Quem já investe veria comerciais e os investidores se
as cotas desvalorizarem, o que não beneficiam tanto da valorização
é bom, mas os novos aportes seriam das suas cotas na Bolsa quanto
a preços mais baixos e, ao longo do da distribuição dos alugueis dos
tempo, o preço médio da carteira se empreendimentos. Por isso, eles são
considerados ótimas opções para “Nós acompanhamos 30 fundos para
quem busca uma aplicação que pague montar nossa carteira de fundos
renda mensal. imobiliários. Se você não separar o joio
do trigo, pode acabar se dando mal”, diz
Os FIIs são negociados na Bolsa de Bueno.
Valores como se fossem uma ação:
você compra por meio do home Os fundos imobiliários compram
broker, digitando seu código de imóveis comerciais de vários
negociação - e pode vender da mesma segmentos. Abaixo, os analistas da XP
maneira. comentam as expectativas para cada
um:
Para Gustavo Bueno, analista da XP
Investimentos, o momento é bom Fundos de recebíveis: ótima
para investimento neste tipo de ativo. alternativa para diversificar o risco
“Tanto os shoppings, lajes corporativas Com alto rendimento e risco menor de
quanto galpões logísticos têm perda de patrimônio, os fundos que
diminuído vacância (desocupação) de aplicam em títulos ligados ao setor
maneira expressiva em várias regiões”, imobiliário – como os Certificados
afirma. de Recebíveis Imobiliários – têm se
mostrado uma ótima alternativa para
Segundo ele, essa melhora nos índices diversificação de risco. A tendência de
de vacância (desocupação) deve fazer inflação menor no longo prazo tende a
com que o preço do aluguel aumente diminuir a rentabilidade desses fundos
acima da inflação. “Quando isso no futuro, mas por enquanto esta é
acontece, os rendimentos são maiores uma opção interessante.
e a cota se valoriza. Então você tem
ganho de renda e de capital ao longo Fundos de fundos: acompanhando a
do tempo”, explica. retomada do setor
A retomada do setor deve impactar
As melhores – e as piores – opções positivamente fundos desse segmento.
Antes de optar por determinado fundo Segundo a XP, uma das maiores
imobiliário é preciso ficar atento a vantagens é que eles transformam o
alguns pontos. A oferta de fundos na upside de cotas dos fundos em que
B3 é grande – são mais de 160 ativos investem em dividendos isentos que
negociados. Por isso, escolher os serão entregues a seus investidores.
melhores demanda certa análise do Por isso, os fundos de fundos são
investidor. uma ótima saída para quem quer
transformar ganhos de capital em
rendimentos recorrentes. gerado retornos aos cotistas a um
risco expressivo: o lastro imobiliário
Fundos de lajes corporativas: hora é de baixa qualidade. Isso porque
de aproveitar a queda da vacância espera-se que boa parte dos contratos
Os analistas da XP dão preferência a seja encerrada nos próximos anos, já
edifícios com alto padrão construtivo que os bancos têm fechado agências.
e situados nos centros comerciais Os analistas da XP acreditam que os
mais valorizados da cidade de São reajustes futuros trarão uma correção
Paulo. O cenário de baixa vacância e negativa importante dos preços das
aumento nos alugueis deverá resultar cotas desses fundos. Por isso, não
em ganhos expressivos tanto de renda recomendam investir nesse segmento.
quanto de capital.

Fundos de ativos logísticos: Baixa


volatilidade e baixo risco
Sua menor volatilidade é justificada
pelo rápido ciclo de construção e por
apresentar comumente contratos
atípicos. Portanto, a renda trazida
por esses ativos apresenta não só
estabilidade, mas também risco
menor, algo que pode trazer o
interesse de muitos investidores no
mercado.

Fundos de shopping center: exemplo


de resiliência
Considerado o setor mais resiliente do
mercado imobiliário. O ideal é apostar
em fundos com ativos maduros e
que estejam localizados nos grandes
centros de consumo do país, em
especial capitais de estados mais
populosos.

Fundos de agências: retornos não


compensam o problema de lastro
Os fundos de agencias bancárias têm
Os 5 fundos que a XP recomenda em janeiro de 2019 (Carteira Valor)

Peso Código Nome Cota (R$) VM/VP* DY 12 m**


25% TBOF11 TB Office 81 101% 2,80%

25% BRCR11 BC Fund 103,41 82% 4,20%

20% FFCI11 Rio Bravo RC 158,65 92% 5,40%

15% HTMX11 Hotel Maxinvest 148 111% 5,80%

*Valor mercado/valor patrimonial


** Média de dividendos dos últimos 12 meses
2019 com ganhos turbinados não for aprovada e a taxa subir,
na renda fixa? É possível a recomendação é carregar até o
*Por Alan Ghani vencimento, caso o investidor tenha
comprado hoje estes papéis.
Certamente o ano de 2018 trouxe
ganhos turbinados para os E para quem não correr risco e ter
investidores que compraram títulos do sinais mais claros de como será a
Tesouro prefixados ou pós- fixados em política econômica em 2019, vale
IPCA em 2015, 2016 e até 2017. comprar o velho e bom Tesouro Selic,
papel de menor risco de mercado.
Para se ter uma ideia, os ganhos
chegaram a 90% em 2 anos. Mesmo Independentemente do que ocorrer
em 2018, durante o período eleitoral em 2019, os papéis do Tesouro
a renda fixa brilhou. Alguns papéis Direto continuam um ótimo opção de
tiveram valorização de 8% em investimento, seja para aposentadoria,
aproximadamente 1 mês durante o ganho turbinado ou acúmulo de
período eleitoral. capital. Muito melhor que a poupança!

Diante desses ganhos Turbinados, a


pergunta que fica é: e 2019 como será?
A bonança já passou?

É claro que ganhos desta magnitude As melhores opções para


dificilmente teremos. No entanto, ganhar com a renda fixa em
existe sim a possibilidade de ganhos 2019
expressivos, principalmente se a
reforma da previdência for aprovada. A renda fixa segue como o porto
seguro do investidor brasileiro em
Para quem acredita na aprovação da 2019. Ainda que a taxa de juros esteja
reforma e quiser assumir um pouco em seu menor nível histórico, de 6,5%
mais de risco, vale apostar na LTN ao ano, o investimento nesta classe de
2025 ou no Tesouro IPCA 2035. Caso a ativos continua atraindo milhões de
reforma seja aprovada, as taxas destes investidores.
papéis devem cair devido à diminuição
do prêmio pelo risco que não está E não é para menos. Opções para
todo precificado na curva. todos os gostos e perfis de risco
não faltam: desde os títulos pós-
Se, por outro lado, a reforma fixados, que servem como reserva
de emergência e que não oferecem Além dos títulos do Tesouro Direto,
nenhum risco de perda com as a renda fixa oferece uma vasta gama
oscilações da curva de juros; até os de produtos que podem trazer bons
prefixados e atrelados à inflação com retornos em 2019.
prazo mais longo – ótimos para quem
olha para o longo prazo ou quer fazer Na opinião de Roberto Indech,
um trade curto apostando na direção analista-chefe da Rico Investimentos,
certa do juro futuro. as LCI (Letras de Crédito Imobiliário) e
LCA (Letras de Crédito do Agronegócio)
Para se ter ideia, os ganhos com seguem como opção interessante
alguns títulos do Tesouro Direto nas carteiras de perfil conservador e
chegaram a 90% em dois anos. Nada moderado.
mal para um título de renda fixa
garantido pelo Governo Federal. A grande vantagem destes títulos é
que eles são isentos de Imposto de
Para Alan Ghani, Economista, PhD em Renda – o ganho é líquido na conta do
Finanças e professor do curso Tesouro investidor. Além disso, eles possuem
Direto com Ganhos Turbinados no garantia do FGC (Fundo Garantidor
InfoMoney, retornos desta magnitude de Créditos), que funciona como um
serão mais difíceis em 2019. seguro para aplicações de até R$ 250
mil – se o emissor falir, o investidor
No entanto, ele aponta que existe a recebe o dinheiro de volta.
possibilidade de ganhos expressivos,
principalmente se a reforma da Isso dá mais tranquilidade para o
previdência for aprovada. “Quem investidor buscar títulos que paguem
acredita na aprovação da reforma e um retorno mais elevado, mesmo que
quiser assumir um pouco mais de risco, sejam emitidos por bancos menores.
vale apostar no Tesouro Prefixado 2025 Nas carteira mais agressivas, Indech
ou no Tesouro IPCA 2035”, afirma. aconselha a inclusão de títulos um
pouco mais arriscados – os CRI
Segundo Ghani, caso a reforma seja (Certificado de Recebíveis Imobiliários)
aprovada, as taxas destes papéis e CRA (Certificado de Recebíveis do
devem cair devido à diminuição do Agronegócio).
prêmio pelo risco que não está todo
precificado na curva. Com isso, quem Ambos costumam ter um prazo de
comprou antes ganha mais dinheiro se vencimento mais longo, muitas vezes
vender no momento certo. acima de 5 anos. Assim como as LCI e
LCA, estes títulos também são isentos
de Imposto de Renda para o investidor pagamento destas companhias –
pessoa física. portanto, é fundamental se atentar
ao rating da emissão e à qualidade da
No entanto, eles não possuem a empresa emissora. Vale lembrar que
garantia do FGC. Portanto, é preciso se as debêntures ligadas a projetos de
atentar para a qualidade do emissor infraestrutura são isentas de imposto
antes de decidir pelo investimento. de renda.

Outra boa opção para quem aceita A pedido do InfoMoney, Indech


correr um pouco mais de risco são as montou algumas sugestões de
debêntures. Estes títulos são emitidos investimento em renda fixa para
por empresas e seu risco depende 2019 – baseado no perfil de risco do
exclusivamente da capacidade de investidor.

Conservador Moderado Agressivo


CDB com liquidez diária Fundo de crédito privado Fundos indexados à inflação

Tesouro Selic LCI/LCA Debêntures

Fundos de renda fixa CRI/CRA Debêntures de infra

LCI/LCA Debêntures
Debêntures de infra
A previdência privada pode Além disso, quem optar pela
garantir seu futuro; saiba o previdência precisa ter em mente
que avaliar para investir alguns pontos. O primeiro é o tipo
de plano, que pode ser o VGBL (Vida
Ter renda suficiente para se aposentar Gerador de Benefício Livre) e o PGBL
sem ter de abrir mão do padrão (Plano Gerador de Benefício Livre). A
de vida é o sonho de muita gente. principal diferença entre os dois está
Mas como atingir esse objetivo? Se nos benefícios fiscais.
depender apenas da Previdência
Social você provavelmente terá uma Quem contrata um PGBL consegue
redução drástica da renda. Por isso, deduzir até 12% da renda tributável
optar por um plano de previdência ao ano da base de cálculo do Imposto
complementar vai possibilitar que você de Renda. Isso significa que a pessoa
consiga aproveitar esta fase da vida poderá pagar menos IR agora, colocar
sem passar por apertos financeiros. o dinheiro para render e só acertar
as contas com o Leão lá na frente. O
“A expectativa de vida está muito benefício, no entanto, só é concedido
maior. Nos grandes centros ela chega para quem entrega a declaração
a quase 80 anos de média. Pensando completa do IR.
que nesta fase da vida os gastos com
planos de saúde e remédio aumentam Já o VGBL não oferece nenhuma
consideravelmente, a conta não vai vantagem de dedução durante a fase
fechar se você não tiver investimentos de acumulação - ou seja, a fase em
para este fim. E o fundo de previdência que ainda está aplicando no plano. Em
é o veículo ideal para isso”, afirma compensação, tem este benefício no
Laurence Mello, gestor do fundo de momento do resgate. Isso porque, no
previdência AZ Quest Luce Advisory. VGBL, o imposto incide apenas sobre
os rendimentos obtidos e não sobre o
É importante lembrar que o valor total acumulado, como acontece
investimento em previdência deve no PGBL.
começar o quanto antes. Assim, é
possível juntar mais dinheiro sem fazer Outro ponto importante que precisa
um esforço tão grande e garantir no ser analisado é o planejamento
futuro uma renda compatível com o sucessório. Quem já tem uma idade
seu padrão de vida atual. Lembre-se avançada pode optar pelo VGBL, já
sempre: alguns anos a mais investindo que apenas este plano oferece a opção
podem fazer uma grande diferença no de incluir os beneficiários e, em caso
valor total do benefício. de falecimento, o valor acumulado não
entra no inventário – o que evita uma que pretende acumular, entre outros
grande dor de cabeça e gastos com os pontos.
honorários dos advogados.
Não menos importante do que
Com o VGBL, em pouco tempo, tudo isso é o regime de tributação
independentemente de serem ou não a escolher. Afinal, sobre o dinheiro
herdeiros, os beneficiários receberão investido, é preciso recolher Imposto
o valor acumulado pelo titular, sem de Renda. Existem duas formas de
burocracia. tributação e cabe a você decidir, no
momento de contratação do plano,
Principais taxas: qual a melhor opção para o seu caso.
Taxa de administração
É a taxa cobrada pela instituição Tabela progressiva
pela administração de um fundo de Na tabela progressiva, a alíquota do
investimento. Imposto de Renda segue as mesmas
regras aplicadas aos salários e
É importante procurar planos com aumenta de acordo com o valor que
taxas de administração mais baixas, você vai receber do plano.
para que a rentabilidade líquida seja
maior. No longo prazo, uma taxa um Tributação regressiva
pouco menor pode fazer uma grande Já a tributação regressiva foi criada
diferença no valor total acumulado no justamente para estimular as
final do plano. aplicações de longo prazo – que
devem ser o objetivo dos planos de
Taxa de carregamento previdência.Neste caso, a alíquota
A taxa de carregamento é o valor diminui com o tempo e é calculada
descontado das contribuições aos de acordo com a data de cada
planos de previdência. O investidor contribuição ou aporte.
deve fugir de seguradoras que cobram
esta taxa, que tem um impacto Confira a tabela regressiva:
significativo no acúmulo de capital.
Período de aportes Alíquota de IR
Tributação Até 2 anos 35%
Ao optar por um plano de previdência de 2 a 4 anos 30%
complementar, você deve ter em de 4 a 6 anos 25%
mente vários aspectos, como o seu de 6 a 8 anos 20%
objetivo final, por quanto tempo de 8 a 10 anos 15%
assumirá o investimento, qual o valor Mais de 10 anos 10%
Ou seja: se você optar pela tabela destaco três pontos para reflexão:
regressiva e resgatar o plano em até
dois anos (o que não é aconselhado se O primeiro ponto diz respeito à
tratando de previdência privada), vai expectativa média de vida, que vem
pagar um imposto bem alto por isso subindo nas últimas décadas. Para
(alíquota de 35%). fins de aposentadoria, o cálculo
da expectativa de vida precisa ser
Já se fizer aportes por mais de 10 feito a partir do momento em que a
anos, o imposto será muito menor, pessoa efetivamente se aposenta. Por
de apenas 10%. Pense nisso antes exemplo, em 1997, uma pessoa de
de fechar um plano, pois, apesar 40 anos que programou se aposentar
de parecer pequena, esta diferença aos 60 anos, tinha 17,7 anos como
garante um valor líquido muito maior expectativa de sobrevida. Em 2017, ao
para o titular. completar 60 anos, descobriu que sua
expectativa de sobrevida tinha subido
para 22,4 anos – um aumento de 27%
em 20 anos! Se as pessoas vivem mais,
também precisam acumular por mais
tempo e/ou poupar mais.
Fundos Data Alvo: uma
alternativa para os desafios da O segundo ponto é relacionado ao
aposentadoria aumento dos salários (e do padrão
Por Bernardo Schneider, CEO da Icatu de vida) ao longo do tempo. Poupar o
Vanguarda mesmo percentual do salário ano após
ano não resultará em um montante
O ano de 2019 começa com um suficiente para manter o padrão de
desafio e tanto para a nova equipe consumo do final da vida ativa nos
econômica do governo: equacionar anos seguintes à aposentadoria.
as contas públicas. E, para isso, se Considerando o ganho real médio do
faz fundamental uma reforma da trabalhador brasileiro, este terminará
Previdência. Independentemente das sua fase de acumulação com uma
medidas que serão eventualmente renda 170% a 230% maior (em termos
aprovadas, é certo que a maioria dos reais) que no início da carreira.
brasileiros será afetada de alguma
forma, e, em meio a tantas incertezas O terceiro e último ponto é a relevante
envolvendo o futuro do INSS, a mudança que está ocorrendo no juro
previdência privada ganha ainda mais real brasileiro. Ao longo dos últimos
relevância. Diante desse cenário, 20 anos, o juro real de curto prazo
(CDI deflacionado pelo IPCA) caiu de do seu portfólio. Normalmente, esses
um patamar de 10% a.a. para ao redor produtos possuem um número no
de 2,5% a.a. Como 95% do patrimônio nome, que faz referência ao ano
da previdência aberta está investido em que aquele portfólio tem como
em estratégias/ativos atrelados ao alvo. Com isso, investidores com
CDI, a poupança previdenciária tem horizontes de investimentos parecidos
tido retornos decrescentes. O alto podem estar no mesmo veículo,
retorno real do CDI fez com que os compartilhando os benefícios do
investidores ficassem extremamente ganho de escala.
dependentes dessa estratégia, mesmo
para uma poupança de longo prazo. O modelo de construção de portfólio
O descasamento de prazo entre o por trás desses produtos busca
ativo e o passivo previdenciário foi otimizar a utilização de risco e casar
mascarado por essa oportunidade de prazos de investimentos. Com isso,
investimento do passado. Imaginando é natural esperar que quanto mais
que o Brasil seguirá o caminho da distante estiver da data alvo do
estabilidade econômica, o investidor fundo, maior será a sua concentração
precisará se sofisticar para atender em ativos como ações e títulos de
aos seus objetivos de longo prazo. A longo prazo. A medida em que os
tendência é que o investidor individual anos passam, o rebalanceamento do
seguirá o investidor institucional e portfólio vai sendo operacionalizado
passará a ter o seu próprio ALM (Asset de modo a buscar o objetivo final,
Liability Management). A busca por que é o ponto máximo da reserva
retorno real é comum a todos os acumulada. Para atingir esse objetivo,
poupadores, o que difere entre eles o portfólio vai migrando para uma
é o prazo de investimento. Com essa posição mais conservadora, refletindo
visão, os veículos de investimentos a proximidade do uso dos recursos.
mais sofisticados entram em campo.
Nesse modelo são utilizados diversos
O grupo Icatu trouxe, em 2005, o instrumentos financeiros, dentre eles:
conceito de Target Date Funds (Fundos títulos de curto, médio e longo prazo,
Data Alvo) para o Brasil. Muito comum podendo ser atrelados à inflação
e amplamente utilizados nos EUA, e/ou ao risco de crédito privado,
eles representam 20% do patrimônio além de variadas estratégias de
dos planos de contribuição definida Renda Variável. A migração entre as
no mercado americano. São fundos diferentes estratégias acontece de tal
cujo horizonte de investimento é a forma que os erros comportamentais
principal característica para a escolha (investir quando o ativo está na
moda e desinvestir quando o ativo
está depreciado) são minimizados.
Com essas características, este tipo
de produto é indicado para aqueles
que não têm tempo, interesse e/ou
conhecimento para gerir os próprios
recursos.

A sofisticação da indústria de fundos


veio para estimular o investidor a
alterar a forma tradicional de fazer
poupança para a aposentadoria.
As pessoas estão vivendo mais, os
retornos financeiros com pouca
volatilidade não são mais uma
realidade e existe uma grande
incerteza com relação ao futuro da
aposentadoria pública. O brasileiro
precisa se acostumar a poupar mais e
a desvencilhar seus investimentos do
CDI. A educação financeira terá papel
fundamental nessa nova fase.