Sie sind auf Seite 1von 33

COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL


SECRETARIA DE HABITAÇÃO, SANEAMENTO E
DESENVOLVIMENTO URBANO

COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO - CORSAN

DIRETORIA ADMINISTRATIVA, FINANCEIRA


E DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES

SUPERINTENDÊNCIA DE SUPRIMENTOS

EDITAL DE
CONCORRÊNCIA N° 321/10 - SUSUP/DAFRI/CORSAN

SERVIÇOS DE LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE REDES DE


ESGOTO E DE INSTALAÇÕES DE EBE’s, ETE’s, E ETA’s
NOS MUNICÍPIOS DE CACHOERINHA E GRAVATAÍ.

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

CN – N.º 321/10 - FL. 2

ÍNDICE GERAL

PARTE "A"

CAPÍTULO PÁG.

I - DO OBJETO ............................................................................................. 04
II - DAS CONDIÇÕES PARA PARTICIPAÇÃO NA LICITAÇÃO E DA FORMA
DE APRESENTAÇÃO DAS PROPOSTAS ....................................... 04
III - DO CRITÉRIO DE JULGAMENTO ........................................................... 09
IV - DO CRITÉRIO DE ACEITABILIDADE DOS PREÇOS ............................ 09
V - DOS PRAZOS E CONDIÇÕES ............................................................... 09
VI - DOS RECURSOS .................................................................................... 09
VII - DAS INFORMAÇÕES E ESCLARECIMENTOS ..................................... 09
VIII - OUTRAS DISPOSIÇÕES ........................................................................ 10
IX - DOS ANEXOS ......................................................................................... 10

ANEXOS

I - TERMO DE CONTRATO ............................................................................ 11


II - DEMONSTRATIVO DA COMPOSIÇÃO DOS CUSTOS UNITÁRIOS ....... 19

PARTE "B"

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

CN – N.º 321/10 - FL. 3

EDITAL DE
CONCORRÊNCIA Nº 321/10 – SUSUP/DAFRI/CORSAN

A COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO - CORSAN, através da


Superintendência de Suprimentos - SUSUP/DAFRI/CORSAN, torna público, pelo
presente Edital de Concorrência n.º 321/10 - SUSUP/DAFRI/CORSAN, do tipo
MENOR PREÇO, sob a forma de execução indireta, regime de empreitada por preço
unitário, autorizada no Processo nº 000326-22.87/10-7, regida pela Lei Federal nº
8.666, de 21 de junho de 1993 e legislação pertinente, que serão recebidos os
envelopes contendo a documentação e a proposta no Departamento de Licitações –
DELIC/SUSUP/CORSAN, sito na rua Caldas Júnior nº 120 - 18º andar em Porto
Alegre/RS, no dia 26 de julho de 2010 até às 14 horas, quando será dado início à
abertura da documentação.

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

CN – N.º 321/10 - FL. 4

CAPÍTULO I
1 - DO OBJETO
A presente licitação visa a contratação dos serviços de limpeza e desobstrução de
redes de esgoto e de instalações de EBE’s, ETE’s, e ETA’s, nos municípios de
Cachoerinha e Gravataí.

A discriminação e a descrição do objeto a ser contratado, são as constantes nas


Especificações Técnicas, anexo neste Edital.

CAPÍTULO II

2 - DAS CONDIÇÕES PARA PARTICIPAÇÃO NA LICITAÇÃO E DA FORMA DE


APRESENTAÇÃO DAS PROPOSTAS

2.1 - Dos Envelopes


Os licitantes deverão apresentar no local, dia e hora marcados, envelopes
denominados, respectivamente, de nº 1 - Documentação e nº 2 – Proposta.

Os envelopes deverão estar fechados e indevassáveis, com a seguinte inscrição:

CORSAN
CONCORRÊNCIA Nº (*) - SUSUP/DAFRI/CORSAN
ENVELOPE Nº (*) – DOCUMENTAÇÃO OU PROPOSTA

(*) Completar com os dados da Licitação

É facultado à licitante designar expressamente, representante com poderes para


responder pela mesma durante as sessões de Licitação, mediante apresentação
de documento encaminhado à Comissão de Recepção e Julgamento.

Somente poderão assinar a lista de presença, rubricar e analisar documentos,


falar em nome da licitante e fazer uso da Ata de Reunião, em tudo que se
relacione com a Licitação, durante as reuniões, aquelas pessoas indicadas na
forma descrita acima, sendo que os demais, presentes à sessão pública, serão
considerados assistentes.

Obs.: Aos credenciados será permitido representar somente uma licitante.

2.2 - Da Documentação
Para participar da presente licitação os interessados deverão apresentar a
documentação a seguir relacionada, em original ou mediante fotocópias
autenticadas em cartório ou por servidor encarregado do recebimento da
documentação.

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

CN – N.º 321/10 - FL. 5


Relação de Documentos a serem apresentados:

2.2.1 – Declaração firmada pelo licitante, referente ao cumprimento da exigência


de que trata o Inciso V, do Artigo 27 da Lei n.º 8666/93.

2.2.2 - Documentos Relativos à Habilitação Jurídica

a) Cédula de identidade, em se tratando de pessoa física; ou,

b) Registro comercial, no caso de empresa individual; ou,

c) Ato constitutivo, estatuto social publicado de acordo com a Lei Federal nº


6.404/76 ou contrato social em vigor, devidamente registrado em se
tratando de sociedades comerciais, e, no caso de sociedade por ações,
acompanhado dos documentos de eleição de seus administradores; ou,

d) Inscrição do ato constitutivo, no caso de sociedades civis, acompanhada de


prova de diretoria em exercício; e,

e) Decreto de autorização, em se tratando de empresa ou sociedade


estrangeira em funcionamento no País, e ato de registro ou autorização
para funcionamento expedido pelo órgão competente, quando a atividade
assim o exigir.

2.2.3 - Documentos Relativos à Regularidade Fiscal

a) Prova de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), em se tratando


de pessoa física; ou,

b) Prova de inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) do


estabelecimento da licitante, sede ou filial, conforme o caso;

c) Prova de inscrição no cadastro de contribuintes estadual ou municipal, se


houver, relativo ao domicílio do licitante, pessoa física, pertinente ao seu
ramo de atividade e compatível com o objeto contratual; ou,

d) Prova de inscrição no cadastro de contribuintes estadual ou municipal, se


houver, relativo ao estabelecimento do licitante, sede ou filial, conforme o
caso, pertinente ao seu ramo de atividade e compatível com o objeto
contratual;

e) Prova do alvará de localização e funcionamento expedido pela Prefeitura


Municipal da jurisdição fiscal do domicílio da pessoa física; ou,

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

CN – N.º 321/10 - FL. 6

f) Prova do alvará de localização e funcionamento expedido pela Prefeitura


Municipal da jurisdição fiscal do estabelecimento licitante da pessoa
jurídica, sede ou filial, conforme o caso;

g) Prova de regularidade com a Fazenda Federal (Certidão Negativa de


Débito de Tributos e Contribuições Federais e Certidão Quanto à Dívida
Ativa da União), do domicílio da pessoa física; ou,

h) Prova de regularidade com a Fazenda Federal (Certidão Negativa de


Débito de Tributos e contribuições Federais e Certidão Quanto à Dívida
Ativa da União), da sede ou de qualquer filial da licitante;

i) Prova de regularidade com as Fazendas Estadual e Municipal, do domicílio


da pessoa física; ou,

j) Prova de regularidade com as Fazendas Estadual e Municipal, da


jurisdição fiscal do estabelecimento licitante da pessoa jurídica; sede ou
filial, conforme o caso;

l) Certidão Negativa de Débito (CND) da Previdência Social, com validade na


data de abertura da presente Licitação, da sede ou de qualquer filial da
licitante; e,

m) Certificado de Regularidade do FGTS, atualizado, da sede ou de qualquer


filial da licitante.

2.2.4 - Documentos Relativos à Qualificação Técnica

a) Registro no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do


Rio Grande do Sul (CREA-RS) ou visto do mesmo, no caso de empresa
não sediada no Estado;

b) Prova de a empresa possuir, no quadro funcional permanente, profissional


de nível superior, detentor de atestado de responsabilidade técnica por
execução equivalente ou superior ao objeto desta licitação, devidamente
atestado pelo CREA, da seguinte forma:

b.1) a prova da empresa possuir no quadro permanente, profissional de


nível superior, será feita, em se tratando de sócio da empresa, por
intermédio da apresentação do contrato social e no caso de
empregado, mediante cópia da Carteira de Trabalho e Previdência
Social (CTPS);

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

CN – N.º 321/10 - FL. 7

b.2) a prova de que o profissional é detentor de responsabilidade técnica


será feita mediante apresentação de comprovação de aptidão para
prestação de serviço pertinente e compatível com o objeto desta
licitação, através de atestado, fornecido por pessoa jurídica de
direito público ou privado, devidamente registrado no CREA;

2.2.5 - Documentos Relativos à Qualificação Econômico-Financeira

a) Certificado de Capacidade Financeira Relativa de Licitante, emitido pela


Contadoria e Auditoria Geral do Estado - CAGE, ou os documentos
previstos no Decreto Estadual nº 36.601 de 10/04/96, alterado pelo
Decreto Estadual nº 39.734 de 23/09/99, e na Instrução Normativa
CAGE n° 2/96 de 22/08/96 que institui os procedimentos para avaliação
da capacidade financeira de licitantes;

b) Anexo III do Decreto Estadual nº 36.601/96 e sua alteração conforme


Decreto Estadual nº 39.734/99;

OBSERVAÇÃO 1: A legislação acima mencionada, encontra-se no site


www.sefaz.rs.gov.br

OBSERVAÇÃO 2: Para fins de preenchimento do Anexo III, considerar que


o início do período-base ocorrerá 60 dias após a data
base.

c) Certidão Negativa de execução patrimonial, expedida no domicílio da


pessoa física; ou,

d) Certidão Negativa de Falência ou Concordata expedida pelo Distribuidor


do Foro da sede do estabelecimento licitante;

e) Comprovação de Capital Social, registrado e realizado, igual ou superior


a R$ 81.545,00 (oitenta e um mil quinhentos e quarenta e cinco
reais), admitindo-se a atualização deste para a data de apresentação da
proposta, através de índices oficiais, mediante apresentação dos
respectivos cálculos. A comprovação do Capital deverá ser efetuada
mediante apresentação de um dos seguintes documentos: Certidão
expedida pela Junta Comercial, Balanço Patrimonial, Contrato
Social/Alteração Contratual registrados na Junta Comercial, Certificado
de Capacidade Financeira Relativa de Licitante emitido pela Contadoria
e Auditoria Geral do Estado – CAGE ou Atas de Assembléia Geral do
Conselho de Administração de Diretoria, publicados.

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

CN – N.º 321/10 - FL. 8


f) Apresentação de Garantia de Proposta no valor igual ou superior a R$
8.154,00 (oito mil cento e cinqüenta e quatro reais) em uma das
modalidades previstas no Parágrafo 1° do Artigo 56 da Lei n° 8.666/93.
OBSERVAÇÃO 1: Os documentos solicitados nas alíneas “i”; “j” do subitem
2.2.3 e nas alíneas “c”; “d” do subitem 2.2.5, que não contenham
prazo expresso de validade deverão ter data e emissão não superior a
90(noventa) dias anteriores a data da apresentação da
Documentação à esta Licitação.
OBSERVAÇÃO 2: Certificado de Fornecedor do Estado - CFE, emitido pela
Central de Compras – CECOM substitui os documentos solicitados no
subitem 2.2.2 e subitem 2.2.3, observado o que dispõe o parágrafo 2º
do art. 32 da Lei Federal n.º 8.666/93.
OBSERVAÇÃO 3: O Certificado de Fornecedor do Estado - CFE, emitido pela
Central de Compras – CECOM, com prazo de validade vigente deverá
ser , apresentado juntamente com o respectivo Anexo do Certificado
do Fornecedor.
OBSERVAÇÃO 4: Os documentos expressos no mesmo deverão estar com as
datas de vencimento vigentes. Caso alguma das referidas datas
esteja com a validade vencida, deverá ser apresentado o(s)
documento(s) correspondente(s) com data(s) de vencimento
vigente(s);
OBSERVAÇÃO 5: Entenda-se como estabelecimento licitante, aquele que
apresenta a proposta.
2.3 - Da Habilitação
Serão considerados habilitados os licitantes que apresentarem a documentação
do subitem 2.2 - Da Documentação, de acordo com o solicitado e preencherem os
requisitos de qualificação técnica e econômico-financeira exigidos.
2.4 - Da Proposta
A proposta deverá estar assinada pelo licitante ou seu representante legal,
redigida em português de forma clara, não podendo ser manuscrita e nem conter
rasuras ou entrelinhas e incluirá:
a) Orçamento discriminado, expresso em moeda corrente nacional, com duas
casas decimais após a vírgula, devendo o preço incluir todas as despesas com
encargos fiscais, comerciais, sociais e trabalhistas, e outros pertinentes ao
objeto licitado;
b) declaração do proponente de que se responsabiliza pela execução dos
serviços e pela fiel observância das especificações técnicas assinado por
técnico legalmente habilitado; e,
c) declaração do proponente de que sua proposta vigorará pelo prazo de 60
(sessenta) dias, a contar da data marcada para a entrega dos envelopes desta
Concorrência, assinada pelo representante legal do licitante. No silêncio da
proposta, subentende-se 60 dias.

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

CN – N.º 321/10 - FL. 9

CAPÍTULO III
3 - DO CRITÉRIO DE JULGAMENTO
As propostas apresentadas de acordo com as especificações e exigências deste
edital serão classificadas pela ordem crescente dos preços propostos,
considerando-se vencedor, dentre os qualificados, o licitante que apresentar o
MENOR PREÇO GLOBAL, respeitado o critério de aceitabilidade dos preços.
Em caso de empate entre duas ou mais propostas, observar-se-á para o
desempate o disposto na Lei n° 8.666/93 (§ 2° do Art. 45 e § 2° do Art. 3°).

CAPÍTULO IV
4 - DO CRITÉRIO DE ACEITABILIDADE DO PREÇO
Serão considerados excessivos, acarretando a desclassificação da proposta, os
preços, global superior a R$ 815.453,01 (oitocentos e quinze mil, quatrocentos
e cinqüenta e três reais e um centavo) e unitários superiores aos estabelecidos
no Demonstrativo da Composição dos Custos Unitários.

Para fins de aferição da exequibilidade dos preços propostos, será utilizado o


critério definido no parágrafo 1° do artigo 48 da Lei n° 8.666/93.
CAPÍTULO V
5 - DOS PRAZOS E CONDIÇÕES
No prazo de até 10 (dez), dias a contar do recebimento da convocação, o licitante
vencedor deverá contratar com a CORSAN o objeto licitado.
CAPÍTULO VI
6 - DOS RECURSOS
Dos atos praticados pela Administração no curso do procedimento licitatório,
caberá recurso nos termos do que dispõe o Art. 109 da Lei Federal nº 8.666, de
21 de junho de 1993.
CAPÍTULO VII
7 - DAS INFORMAÇÕES E ESCLARECIMENTOS
Os interessados poderão obter informações complementares sobre a licitação no
Departamento de Licitações - DELIC/SUSUP/ CORSAN, sita na rua Caldas Júnior
nº 120 - 18º andar em Porto Alegre/RS, de segunda a sexta-feira das 9h às
11h15min e das 13h30min às 16h15min, pelo e-mail delic@corsan.com.br, até 3
(três) dias úteis antes da data fixada para abertura dos envelopes e, acesso
ao Edital, pelo site www.corsan.com.br.

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

CN – N.º 321/10 - FL. 10


Obs.: Os questionamentos recebidos e as respectivas respostas encontrar-se-ão à
disposição dos interessados no site: www.editais.corsan.com.br.

CAPÍTULO VIII

8 - OUTRAS DISPOSIÇÕES
A apresentação dos envelopes por parte do licitante interessado implica a total
concordância com as condições do Edital de licitação e da minuta do termo da
contrato, exceto quanto à(s) cláusula(s) tempestivamente impugnada(s) com
decisão administrativa ainda não transitada em julgado.

As cláusulas da minuta do termo de contrato são partes integrantes do edital de


licitação.

É facultado à Comissão de Licitação, em qualquer fase da licitação, a promoção


de diligências destinadas a esclarecer ou completar a instrução do procedimento
licitatório, ou solicitar esclarecimentos adicionais aos licitantes, que deverão ser
satisfeitos no prazo máximo de 24 horas.

A subcontratação dos serviços objeto da Licitação, somente será permitida


mediante autorização expressa da CORSAN.

CAPÍTULO IX

9 - DOS ANEXOS

Fazem parte deste Edital, como Anexos, a Minuta do Contrato, o Demonstrativo


da Composição dos Custos Unitários e as Especificações Técnicas.

Porto Alegre, 27 de maio de 2010.

Luiz Ariano Zaffalon


Diretor-Presidente

Paulo Ricardo Medeiros


Diretor de Operação

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

CN – N.º 321/10 - FL. 11

ANEXO I

MINUTA DO TERMO

DE CONTRATO

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

CN – N.º 321/10 - FL. 12

MINUTA DO TERMO DE CONTRATO DE


SERVIÇOS DE ENGENHARIA Nº /10 - DEGEC/SUSUP/CORSAN

Contrato celebrado entre a COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO -


CORSAN, através do Departamento de Gestão de Contratos – DEGEC/
SUSUP/CORSAN, sito na Rua Caldas Júnior n.º 120 - 18º em Porto Alegre/RS,
representada neste ato pelo Sr. Diretor Presidente Luiz Ariano Zaffalon e seu Diretor de
Operação Paulo Ricardo Medeiros, doravante denominada CONTRATANTE, e ... sita
na rua ... inscrito no Ministério da Fazenda sob o número ..., representada neste ato por
... , inscrito no cadastro de pessoas físicas sob o número ..., doravante denominado
CONTRATADA, para a execução do objeto descrito na Cláusula Primeira - DO
OBJETO.
O presente contrato tem seu respectivo fundamento e finalidade na consecução do
objeto contratado, descrito abaixo, constante do Edital de Concorrência nº 321/10 -
SUSUP/DAFRI/CORSAN, regendo-se pela Lei Federal nº 8.666/93 e legislação
pertinente, assim como pelas condições do Edital referido, pelos termos da proposta e
pelas cláusulas a seguir expressas, definidoras dos direitos e responsabilidades das
partes.
CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO
O presente contrato tem por objeto a prestação dos serviços de limpeza e
desobstrução de rede de esgoto e de instalações de EBE’s, ETE’s e ETA’s, nos
municípios de Cachoerinha e Gravataí..
CLÁUSULA SEGUNDA - DA EXECUÇÃO
A execução do presente contrato far-se-á sob a forma de execução indireta, regime de
empreitada por preços unitários.
CLÁUSULA TERCEIRA - DO PREÇO
O preço para o presente ajuste é de R$ .... (....), constante da proposta vencedora da
licitação e aceito pela CONTRATANTE, entendido este como preço justo e
suficiente para a total execução do presente objeto.
CLÁUSULA QUARTA - DO RECURSO FINANCEIRO
As despesas decorrentes do presente contrato correrão à conta de Recursos Próprios
da CORSAN – CC 327 031 e 096.
CLÁUSULA QUINTA - DO REAJUSTAMENTO DOS PREÇOS
Os preços do presente Contrato serão reajustados anualmente, pela variação do Custo
Nacional da Construção - Porto Alegre, Índice Geral de Preços de Mercado – IGP-M,
conforme divulgado pela revista Conjuntura Econômica, da Fundação Getúlio Vargas,
desde a data da apresentação da proposta até o adimplemento de cada parcela, pela
seguinte fórmula:

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

CN – N.º 321/10 - FL. 13


Ii - I0
R = V x ------------, onde:
I0

R = é o valor do reajustamento;

V = é o valor contratual da parcela do serviço a ser reajustado;

IO = é o índice de preços verificado no mês da proposta que deu origem ao contrato,


e;

Ii = é o índice de preços verificado no mês de execução da parcela do serviço ou, no


caso de abranger dois ou mais meses, a média ponderada dos respectivos
índices, calculada considerando-se os dias corridos.

CLÁUSULA SEXTA - DO PAGAMENTO


Os pagamentos serão efetuados no prazo de 30 (trinta) dias da protocolização da Nota
Fiscal ou Nota Fiscal - Fatura. O documento fiscal deverá ser do estabelecimento que
apresentou a proposta vencedora da licitação.

A protocolização somente poderá se dar após a conclusão e liberação da etapa do


serviço, por parte do órgão fiscalizador competente.

Para não ferir a sistemática da CONTRATANTE, a CONTRATADA não poderá emitir,


descontar ou negociar com terceiros, títulos provenientes de faturamentos efetuados
contra a CONTRATANTE, para colocá-los na rede bancária ou em qualquer
estabelecimento financeiro.

Para fins de faturamento dos serviços, serão utilizados os fatores multiplicadores


indicados pela CONTRATANTE.

CLÁUSULA SÉTIMA - DO ATRASO DE PAGAMENTO


Os valores do presente Contrato não pagos na data aprazada, serão acrescidos desde
então até a data do efetivo pagamento, com juros de 12% (doze por cento) ao ano,
"pro rata tempore die".

CLÁUSULA OITAVA - DA ANTECIPAÇÃO DO PAGAMENTO


As antecipações de pagamento em relação à data de vencimento, respeitada a ordem
cronológica para cada fonte de recurso, terão, um desconto por dia de antecipação
sobre o valor do pagamento de 12% (doze por cento) ao ano.

CLÁUSULA NONA - DOS PRAZOS


Os serviços terão início a partir do recebimento da Ordem de Serviço e serão
executados de acordo com o Edital, a proposta vencedora da licitação e as cláusulas
deste instrumento.

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

CN – N.º 321/10 - FL. 14


A Ordem de Serviço somente poderá ser emitida após a publicação da súmula do
contrato no Diário Oficial do Estado.

O prazo de vigência do presente contrato é de 365 (trezentos e sessenta e cinco)


dias, contado a partir do recebimento da Ordem de Serviço, podendo ser prorrogado
por iguais e sucessivos períodos de acordo com a legislação vigente.

CLÁUSULA DÉCIMA - DA GARANTIA DA EXECUÇÃO DO CONTRATO


A CONTRATADA deverá prestar garantia por uma das modalidades previstas no Art.
56, parágrafo 1º da Lei Federal nº 8.666/93, correspondente a 3% (três por cento) do
valor contratual atualizado, observado se for o caso, a garantia adicional prevista no
parágrafo 2° do artigo 48.

Se a garantia for prestada em moeda corrente nacional, quando devolvida deverá


sofrer atualização de 12% (doze por cento) ao ano, "pro rata tempore die", a contar
da data do depósito até a da devolução. A garantia somente será liberada após o
recebimento definitivo do objeto.

CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA - DO RECEBIMENTO DO OBJETO


Executados os serviços e estando os mesmos de acordo com o previsto no Edital de
Licitação, na proposta, nas cláusulas contratuais e, ainda, observada a legislação em
vigor, serão recebidos pela CONTRATANTE mediante atestado do responsável.

CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA - DOS DIREITOS E DAS OBRIGAÇÕES


1. Dos Direitos
Constituem direitos da CONTRATANTE receber o objeto deste contrato nas
condições avençadas e da CONTRATADA perceber o valor ajustado na forma e no
prazo convencionados.

2. Das Obrigações

Constituem obrigações da CONTRATANTE:

a) efetuar o pagamento ajustado;

b) dar à CONTRATADA as condições necessárias à regular execução do


Contrato.

Constituem obrigações da CONTRATADA:

a) prestar os serviços na forma ajustada;

b) atender os encargos trabalhistas, previdenciários, fiscais e comerciais


decorrentes da execução do presente contrato;

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

CN – N.º 321/10 - FL. 15


c) manter durante toda execução do contrato, em compatibilidade com as
obrigações por ele assumidas, as condições de habilitação e qualificação
exigidas na licitação;

d) apresentar durante a execução do contrato, se solicitado, documentos que


comprovem estar cumprindo a legislação em vigor quanto às obrigações
assumidas na presente licitação;

e) assumir inteira responsabilidade pelas obrigações fiscais decorrentes da


execução do presente contrato;
f) cumprir e fazer cumprir todas as normas regulamentares sobre Medicina e
Segurança do Trabalho (Lei nº 6.514 de 22/12/1.977 que altera o Capítulo
V do Título II da CLT e a Portaria nº 3.214 de 08/06/1.978 que aprova as
Normas Regulamentadoras do item mencionado) e obrigar seus
empregados a trabalhar com equipamentos individuais, que ela fornecerá,
para proteção da saúde e da integridade física dos mesmos. Estes
equipamentos dependerão de cada atividade profissional e do tipo de
serviço a ser efetuado, conforme a NR6 - Norma Regulamentadora 6 - EPI
(Equipamento de Proteção Individual);

g) manter efetiva e permanente fiscalização sobre as atividades desenvolvidas


pelo pessoal que empregar para o cumprimento deste contrato,
responsabilizando-se pelos atos que praticarem e pelo atendimento de
todos os encargos trabalhistas e previdenciários, decorrentes dos
respectivos contratos de trabalho;
h) manter atualizadas as carteiras de trabalho dos empregados integrantes das
equipes envolvidas na prestação dos serviços;

i) apresentar a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) no início ou


serviços;e,

j) apresentar à fiscalização da CONTRATANTE, no aceite da Ordem de


Serviço, a apólice de seguro de responsabilidade civil profissional, nos
termos da Lei Estadual nº 12.385/05.
CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA - DA INEXECUÇÃO DO CONTRATO
A CONTRATADA reconhece os direitos da Administração, em caso de rescisão
administrativa, previstos no Art. 77 da Lei Federal nº 8.666/93.

CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA - DA RESCISÃO


Este Contrato poderá ser rescindido:

a) por ato unilateral da Administração nos casos dos incisos I a XII, XVII e XVIII do
Art. 78 da Lei Federal nº 8.666, de 21 de junho de 1993;

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

CN – N.º 321/10 - FL. 16


b) amigavelmente, por acordo entre as partes, reduzindo a termo no processo de
licitação, desde que haja conveniência para a Administração; e,

c) judicialmente, nos termos da legislação.

A rescisão deste Contrato implicará retenção de créditos decorrentes da


contratação, até o limite dos prejuízos causados à CONTRATANTE, bem como, na
assunção do objeto do contrato pela mesma na forma que a mesma determinar.

CLÁUSULA DÉCIMA QUINTA - DAS PENALIDADES E MULTAS


A CONTRATADA sujeita-se às seguintes penalidades:

a) advertência, por escrito, sempre que ocorrerem irregularidades, tais como:

- apresentação reiterada de serviços com incorreções;

- falta de pessoal especializado para execução dos serviços;

- apresentação de pessoal para execução do trabalho, em desacordo com o


estabelecido no Termo Técnico de Referência;

- falta de equipamentos e materiais necessários ao desenvolvimento das atividades


programadas;

- equipamentos e materiais em desacordo com o estabelecido no Termo Técnico


de Referência.

b) multas:

- de 1% (um por cento) sobre o valor do serviço, por dia de atraso na execução e
entrega do mesmo;

- de 5% (cinco por cento) sobre o valor total da fatura mensal da localidade, nos
casos de reincidência nas faltas objeto de advertência apresentadas na alínea
“a”.

c) multas sobre o valor atualizado do Contrato:

- de 5% (cinco por cento) pelo descumprimento de cláusula contratual ou norma de


legislação pertinente;

- de 5% (cinco por cento) no caso de não assinatura do instrumento contratual no


prazo fixado no edital.

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

CN – N.º 321/10 - FL. 17


A multa dobrará a cada caso de reincidência, não podendo ultrapassar a 30 %
(trinta por cento) do valor atualizado do Contrato, sem prejuízo da cobrança de
perdas e danos que venham a ser causados ao interesse público e da possibilidade
da rescisão contratual.

d) declaração de inidoneidade para contratar com a Administração Pública Estadual,


feita pelo Secretário de Estado, nos casos de falta grave, tais como:

- a paralisação do serviço sem justa causa e prévia comunicação à Administração;

- a recusa injustificada do adjudicatário em assinar o Contrato, aceitar ou retirar o


instrumento equivalente dentro do prazo estabelecido;

- pela inexecução total ou parcial do Contrato;

- tenha praticado atos ilícitos visando a frustar os objetivos de licitações promovidas


pela CORSAN;

- condenação definitiva de sócios ou diretores por prática, por meios dolosos, de


fraude fiscal no recolhimento de quaisquer tributos.

e) suspensão do direito de contratar com a CONTRATANTE, de acordo com a


seguinte graduação:

- 3 meses - o cumprimento irregular de cláusulas contratuais, especificações,


projetos e prazos;

- 6 meses - o cometimento reiterado de faltas na sua execução;

- 8 meses - a subcontratação total ou parcial do seu objeto, a associação do


contrato com outrem, a cessão ou transferência, total ou parcial, bem
como a fusão, cisão ou incorporação, não admitidos no Edital e no
Contrato;

- 1 ano - o desatendimento das determinações regulares da autoridade designada


para acompanhar e fiscalizar a sua execução, assim como as de seus
superiores.

f) inclusão no Cadastro de Fornecedores Impedidos de Licitar e Contratar com a


Administração Pública Estadual – CFIL/RS, nos termos da legislação.

CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA - DA EFICÁCIA


O presente Contrato somente terá eficácia após publicada a respectiva súmula no
Diário Oficial do Estado.

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

CN – N.º 321/10 - FL. 18


CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA
Compromete-se a CONTRATADA a exibir, à CONTRATANTE, a documentação fiscal
correspondente à aquisição de bens e serviços, durante a execução do presente
Contrato, em atendimento ao disposto no Decreto Estadual nº 36.117/95.

PARÁGRAFO ÚNICO - O prazo para a exibição da documentação não excederá trinta


dias, contados das suas emissões.

CLÁUSULA DÉCIMA OITAVA - RESPONSÁVEL TÉCNICO


A responsabilidade técnica dos serviços, está a cargo .........................................

CLÁUSULA DÉCIMA NONA – GESTOR INDIRETO DO CONTRATO


O Gestor Indireto designado para o presente contrato é o servidor Luiz Ernesto
Farraretto.

CLÁUSULA VIGÉSIMA – FISCAL DO CONTRATO


Os Fiscais do contrato designado para o presente contrato é o servidor. Engº Luciano
Dotte para o contrado de Cachoeirinha e o servidor Ramos Volnei Modinger para o
contrato de Gravataí.

CLÁUSULA VIGÉSIMAPRIMEIRA - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS


Fica eleito o Foro de Porto Alegre para dirimir dúvidas ou questões oriundas do
presente Contrato.

E, por assim terem justo a contratado, firmam as partes o presente instrumento, em


três vias de igual teor e forma, na presença de duas testemunhas que também o
assinam.

Porto Alegre,

p/CONTRATANTE: Diretor-Presidente Diretor de Operações

p/CONTRATADA:

TESTEMUNHAS:

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

CN – N.º 321/10 - FL. 19

ANEXO II

DEMONSTRATIVO DA COMPOSIÇÃO

DO CUSTO UNITÁRIO

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

DEMONSTRATIVO DA COMPOSIÇÃO DE CUSTOS UNITÁRIOS CN Nº 321/10


SERVIÇOS DE LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE REDES DE ESGOTOS E DE
INSTALAÇÕES DE EBEs, ETEs, E ETAs NAS LOCALIDADES DE I - SERVIÇOS INICIAIS Folha 1/2
CACHOEIRINHA E GRAVATAÍ

QUANTI PREÇO PREÇO MÁX.


ITEM DISCRIMINAÇÃO CÓDIGO UN
DADE UNITÁRIO TOTAL ADMISSÍVEL
I SERVIÇOS INICIAIS

1.1 Administração Local da Obra

1.1.1 Administração direta (AD) 01.05.00.10 Vb 1 43.653,01 43.653,01 43.653,01

TOTAL 43.653,01 43.653,01

CN 321 10 Esgoto Cachoeirinha Gravataí.xls / DCCU


COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

DEMONSTRATIVO DA COMPOSIÇÃO DE CUSTOS UNITÁRIOS CN Nº 321/10


SERVIÇOS DE LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE REDES DE ESGOTOS E DE
INSTALAÇÕES DE EBEs, ETEs, E ETAs NAS LOCALIDADES DE II - EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS Folha 2/2
CACHOEIRINHA E GRAVATAÍ

QUANTI PREÇO PREÇO MÁX.


ITEM DISCRIMINAÇÃO CÓDIGO UN
DADE UNITÁRIO TOTAL ADMISSÍVEL
II EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS

Serviços de equipamento combinado de


2.1 hidrojateamento a alta pressão e sucção por alto h 2.200 125,00 275.000,00 275.000,00
vácuo em redes até 1.500 mm

Serviços de equipamento para limpeza à sucção de


2.2 h 4.500 110,00 495.000,00 495.000,00
alto vácuo em redes até 1.500 mm

2.3 Serviços de Deslocamento Km 1.200 1,50 1.800,00 1.800,00

TOTAL 771.800,00 771.800,00

CN 321 10 Esgoto Cachoeirinha Gravataí.xls / DCCU


COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

ESPECIFICAÇÕES

TÉCNICAS

ISO 9001:2008
FS 556027
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO
DIRETORIA DE OPERAÇÕES
SUPERINTENDÊNCIA DE APOIO OPERACIONAL
CN Nº 321/10

DEOM METROPOLITANO

SERVIÇOS DE LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE REDES DE ESGOTO


E DE INSTALAÇÕES DE EBEs, ETEs e ETAs

ESPECIFICAÇÕES GERAIS E TÉCNICAS

UNIDADES DE SANEAMENTO
CACHOEIRINHA E GRAVATAÍ

Rua Caldas Júnior, 120 – 17° andar – Porto Alegre/RS - CEP 90010-260 - Fone: 51.3215-5532
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO
DIRETORIA DE OPERAÇÕES
SUPERINTENDÊNCIA DE APOIO OPERACIONAL
CN Nº 321/10
ESPECIFICAÇÕES GERAIS

SERVIÇOS DE LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE REDES DE ESGOTO


E DE INSTALAÇÕES DE EBEs, ETEs e ETAs

1. Objeto

A presente especificação tem por finalidade definir os critérios para execução dos serviços de
limpeza e desobstrução de redes de esgoto e de instalações de EBEs, ETEs e de ETAs nos
municípios de Cachoeirinha e Gravataí, sob a coordenação do DEOM METROPOLITANO e
acompanhado pela Fiscalização dos serviços e dos responsáveis das respectivas US,
contratados a empresa privada que detenha atestados devidamente registrados no CREA,
outorgados por pessoa jurídica de direito público ou de direito privado comprovando a sua
experiência e/ou de seu responsável técnico.

2. Definições

a) CORSAN ou Companhia ou Contratante – Companhia Riograndense de Saneamento;

b) DEOM METROPOLITANO: Departamento (da CORSAN) de Operação e Manutenção que


rege os serviços operacionais da Companhia nas US dos municípios da região metropolitana
do estado do Rio Grande do Sul;

c) COP – Coordenadoria Operacional (da CORSAN);

d) US – Unidade de Saneamento (da CORSAN);

e) Gestor - Gestor Direto do Contrato, responsável pela fiscalização dos serviços;

f) Fiscalização – Ente ordenador, condutor e controlador dos serviços;

g) Fiscal – Agente da Fiscalização, servidor(a) do quadro da Companhia ou de empresa


privada delegada, designado(a) pela CORSAN através do Gestor para ordenar, conduzir e
controlar os serviços;

h) Contratada ou Empresa ou Empreiteira – Empresa contratada;

i) CEC – Caderno de Encargos da CORSAN;

j) MT – Ministério do Trabalho;

k) POB – Planilha de Orçamento Básico;

l) AS – Autorização de Serviço (ou OS - Ordem de Serviço);

m) CREA RS – Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Rio Grande do


Sul;

n) ART – Anotação de Responsabilidade Técnica.

Rua Caldas Júnior, 120 – 17° andar – Porto Alegre/RS - CEP 90010-260 - Fone: 51.3215-5532
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO
DIRETORIA DE OPERAÇÕES
SUPERINTENDÊNCIA DE APOIO OPERACIONAL
CN Nº 321/10

3. Equipamentos da Contratada para a prestação dos serviços a serem contratados

CAMINHÃO COM EQUIPAMENTO COMBINADO DE HIDROJATEAMENTO A ALTA


PRESSÃO E SUCÇÃO A ALTO VÁCUO COM CAPACIDADE MÍNIMA PARA 10 m³;

CAMINHÃO COM EQUIPAMENTO PARA LIMPEZA À SUCÇÃO DE ALTO VÁCUO


EQUIPADO COM TANQUE COM CAPACIDADE MÍNIMA PARA 10 m³

4. Equipe de Trabalho exclusiva para os equipamentos

4.1 Cada equipamento combinado hidrojato e sucção deverá contar com um motorista-
operador habilitado para o caminhão e para o equipamento e mais um auxiliar de serviço.

5. Disponibilidade dos equipamentos

Um caminhão com equipamento combinado de hidrojato a alta pressão e sucção a alto vácuo,
deverá ser mobilizado, ou dependendo da necessidade de serviço e em concordância com a
empresa contratada, mais de um. De qualquer forma não haverá pagamento de mobilização e
desmobilização para mais de um equipamento.

6. Contrato

O contrato a ser celebrado entre a Companhia e a Empresa terá o prazo de um ano renovável
por igual período até o limite máximo na forma da Lei. O aditivo contratual é o da forma legal.

7. Medição e pagamento e jornada de trabalho.

A medição e o pagamento serão por hora trabalhada da equipe mecânica e pessoal, ou seja,
hora operante dos equipamentos, aferição esta através do registro do horímetro. A jornada de
trabalho compreende oito horas, período em que atuarão os equipamentos e equipes de
trabalho, entretanto havendo necessidade imperiosa e sempre que solicitados pela
Contratante, a Contratada estará obrigada a prestar a assistência devida além deste horário
ou em sábados, domingos ou feriados, sem que haja acréscimo aos preços pactuados. As
horas não operantes do caminhão com equipamento combinado de hidrojateamento a alta
pressão e de sucção a alto vácuo, não serão remuneradas, estando incluso no preço das
horas operantes. A Corsan garante um faturamento mínimo de 88 horas mensais. Exemplo:

1. Equipamento com 60 horas operantes no mês. o faturamento será igual ao equivalente


a 88 horas operantes.

2. Equipamento com 140 horas operantes no mês faturamento será igual a 140 horas
operantes.

Quando houver a necessidade excepcional de deslocamento dos equipamentos para outro


município, este será remunerado conforme descrito no item 9.2 e 11.2 destas Especificações
Gerais.

Rua Caldas Júnior, 120 – 17° andar – Porto Alegre/RS - CEP 90010-260 - Fone: 51.3215-5532
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO
DIRETORIA DE OPERAÇÕES
SUPERINTENDÊNCIA DE APOIO OPERACIONAL
CN Nº 321/10

8. Obrigações da Contratada

8.1 A Contratada disponibilizará o equipamento combinado de hidrojateamento a alta pressão


e sucção a alto vácuo, cinco dias após a emissão da OS – Ordem de Serviço da CORSAN.

8.2 Por OS emitida pelo DEOM METROPOLITANO, através da Fiscalização, a Contratada


atenderá no prazo de quatro (4) horas a US solicitante dos serviços. Devido às situações de
urgência, com vistas ao atendimento imediato a solicitação o será também verbal, por
telefone, sempre pela Fiscalização. Posteriormente será entregue o documento escrito.

8.3 A Contratada deverá designar em cinco (5) dias após a Ordem de Início do contrato, um
preposto para ser o contato direto entre a Fiscalização e as equipes de trabalho, podendo ser
o próprio titular da empresa se assim lhe convier. Designará também, um engenheiro de seu
corpo técnico como responsável pelos serviços, comprovado pela respectiva ART (Anotação
de Responsabilidade Técnica) registrada no CREA.

8.4 Substituir, em dois dias úteis, quando solicitado por escrito, pela Fiscalização, quaisquer
de seus empregados, equipamentos, operadores ou motoristas que estiverem ligados
diretamente aos serviços objeto destas Especificações Gerais e Técnicas. Não cabendo aqui
interpelação.

8.5 Fornecer equipamentos em perfeitas condições de funcionamento mecânico, hidráulico e


elétrico;

8.6 Por ocasião da formalização da Ordem de Início do contrato, a CORSAN e a Contratada


firmarão Laudo Formal dos Equipamentos quanto as suas condições plenas de operação,
neste documento constarão todas as suas características legais e técnicas, além do
compromisso da Contratada de no caso de substituição, o fará por equipamento ou veículo de
mesma idade e qualidade;

8.7 Fornecer equipamentos que satisfaçam à produção requerida para a eficiência dos
trabalhos, as exigências mínimas estão nas Especificações Técnicas;

8.8 Disponibilizar os equipamentos para teste periódico de desempenho da sua capacidade e


submetê-los à manutenção se necessário for;

8.9 Disponibilizar à Fiscalização os equipamentos na inicial requeridos, dotados de horímetro,


para fins de apropriação dos horários de máquina operante;

8.10 Comprovar ter a posse dos equipamentos apresentando a documentação legal;

8.11 Substituir os equipamentos em manutenção ou danificados;

8.12 Responsabilizar-se por quaisquer danos a que venha causar, inclusive a terceiros, em
decorrência dos trabalhos ligados aos serviços objeto destas especificações;

8.13 Fornecer Operadores e Motoristas habilitados, treinados, capacitados e experientes, para


o desempenho das atividades;

8.14 Manter obrigatória e permanentemente em vigor o Seguro Contra Acidentes de Trabalho,


com ampla e total cobertura de seus empregados;

Rua Caldas Júnior, 120 – 17° andar – Porto Alegre/RS - CEP 90010-260 - Fone: 51.3215-5532
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO
DIRETORIA DE OPERAÇÕES
SUPERINTENDÊNCIA DE APOIO OPERACIONAL
CN Nº 321/10

8.15 Fornecer aos seus empregados e obrigá-los ao uso, o vestuário regulamentar de


trabalho (VRT) uniformizado com os padrões da empresa, e os equipamentos de proteção
individual (EPI) para o desempenho das funções, não será admitida pela Companhia, a
atividade de pessoas desprotegidas. A CORSAN se exime de quaisquer ônus em decorrência
de acidentes ou por enfermidades adquiridas;

8.16 Fornecer aos empregados o crachá de identificação com as características da empresa,


contendo o nome, a função, sua fotografia recente e as palavras: “A SERVIÇO DA CORSAN”;

8.17 Fornecer aos seus empregados alimentação e Vale Transporte, conforme as exigências
da legislação;

8.18 Pagar regularmente seus empregados, incluindo-se as Leis Sociais e Previdenciárias;

8.19 Recolher os Tributos de acordo com a Legislação Federal, Estadual e Municipal;

8.20 Fornecer sinalização de trânsito em conformidade com a legislação e o CEC.

9. Transporte do material recolhido

O material recolhido das redes de esgoto e das instalações da CORSAN nos municípios
atendidos pelo contrato decorrente destes Termos de Referência será disposto como segue:

9.1 O material recolhido em Cachoeirinha e Gravataí pelos equipamentos será transportado


até a ETE Parque dos Anjos em Gravataí, onde será depositado em local a ser indicado pela
Fiscalização. As operações de descarga serão remuneradas pelo valor da hora operante
grafado na Planilha de Orçamento Básico, também aferido no horímetro, ou seja, faz parte de
toda a operação urbana efetiva de limpeza e desobstrução de rede, sucção, translado e
disposição.

9.2 Caso haja a necessidade de, excepcionalmente, realizarem-se serviços em outros


municípios que não Cachoeirinha e Gravataí, os resíduos serão destinados à ETE local,
quando houver, ou será levado a locais especiais licenciados para acúmulo destes resíduos.
Nestes casos assemelha-se com a situação do item 9.1 e a remuneração é da mesma forma.
No caso em que não haja nenhuma das condições anteriores, que os resíduos devam ser
transportados para ETEs de municípios próximos ou mesmo para a ETE Parque dos Anjos
em Gravataí, cessa a contabilização de horas operantes e a remuneração será pelo
Deslocamento dos Equipamentos por quilômetro rodado, cujo preço constará na POB.

10. Reabastecimento do reservatório de água dos equipamentos

Para o cumprimento das Ordens de Serviço, os reservatórios de água limpa dos


equipamentos devem estar repletos. Somente após a disposição do material recolhido no seu
destino final, momento em que cessa a contagem do horímetro, haverá o reabastecimento
dos tanques. A CONTRATANTE fornecerá a água necessária para o reabastecimento do
reservatório dos equipamentos. O seu deslocamento até o manancial ou ETA, será por conta
da Contratada.

Rua Caldas Júnior, 120 – 17° andar – Porto Alegre/RS - CEP 90010-260 - Fone: 51.3215-5532
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO
DIRETORIA DE OPERAÇÕES
SUPERINTENDÊNCIA DE APOIO OPERACIONAL
CN Nº 321/10

11. Deslocamento dos equipamentos em Gravataí e Cachoeirinha

11.1 O deslocamento do veículo com equipamento combinado de hidrojateamento a alta


pressão e de sucção a alto vácuo que prestará serviço habitual e estará à disposição da
Companhia ao sair do pátio da CORSAN, motivado por AS, receberá pelo tempo de
deslocamento até o local de operação, medido no horímetro, o equivalente ao valor em hora
operante, cujo preço do serviço estará grafado na POB.

11.2 Deslocamento excepcional para outros municípios. O deslocamento do veículo com


equipamento combinado de hidrojateamento a alta pressão e de sucção a alto vácuo ou
apenas de sucção que prestarão serviços habituais a Cachoeirinha e Gravataí, ao sair do
pátio da CORSAN, motivado por AS, para o atendimento em outro município, receberá pelo
título Deslocamento de Equipamento por distância de rodagem cujo preço do serviço estará
grafado na POB.

12. Documentos que regem estas Especificações

Além dos dispositivos legais que consubstanciam as contratações de serviços por licitação
pública, destas Especificações Gerais e Técnicas, serão obedecidos os seguintes
documentos:

- Normas Técnicas da ABNT;

- Caderno de Encargos da CORSAN;

- Documentação e exigências técnicas da Prefeitura Municipal referente a serviço em vias


públicas nos municípios alvo destes Termos de Referência;

- Resoluções do CONAMA, diretrizes dos órgãos de proteção ambiental.

13. CONTEÚDO

Além destas Especificações Gerais, constam:

A. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

B. PLANILHA DE ORÇAMENTO BÁSICO

Rua Caldas Júnior, 120 – 17° andar – Porto Alegre/RS - CEP 90010-260 - Fone: 51.3215-5532
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO
DIRETORIA DE OPERAÇÕES
SUPERINTENDÊNCIA DE APOIO OPERACIONAL
CN Nº 321/10
ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

I. SERVIÇOS INICIAIS:

1.1 Administração Local da Obra

1.1.1 Administração Direta................................. Cód. CEC: 01.05.00.0

II. EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS:

2.1 Serviços de equipamento combinado de hidrojateamento a alta pressão e


sucção por alto vácuo em redes até 1.500 mm:

Os serviços de limpeza e desobstrução de redes de esgoto, elevatórias e ETEs serão


executados através de equipamento combinado hidrojateamento/vácuo, instalado
sobre chassis de caminhão com tanques de armazenamento de água e para detritos,
com tampa traseira acionada através de sistema hidráulico para descarga de material.

A mangueira de pressão será acondicionada em carretel também com acionamento


hidráulico. As características do equipamento ofertado não deverão ser inferiores as
grandezas a seguir relacionadas:

Capacidade mínima do tanque de água: 6 m³ (seis metros cúbicos);

Mangueira de hidrojateamento com diâmetro mínimo de 1” e comprimento de 120 m


dotado de bicos com e sem furo frontal, para redes de diâmetros entre 100 e 300 mm,
e bico para redes de até 600 mm;

Bomba de alta pressão com capacidade não inferior a 1.500 PSI e vazão não inferior a
200 l/min;

Capacidade mínima do tanque para armazenar detritos: 4,00 m³;

Mangote flexível de sucção com diâmetros de 3” e 4”, ambos com comprimento de 20


m (deverão estar sempre acompanhando o caminhão);

Bomba de vácuo com pressão de 2 BAR com profundidade de sucção de 8 a 9 m e


vazão de 350 l/min;

Ano de fabricação do equipamento e do veículo igual ou superior a 2000.

2.2 Serviços de equipamento para limpeza à sucção de alto vácuo em redes até
1.500 mm:

Os serviços de limpeza e desobstrução de redes de esgoto, elevatórias e ETEs serão


executados também através de equipamento para sucção a alto vácuo, instalado sobre
chassis de caminhão com tanques de armazenamento de detritos, com tampa traseira
acionada através de sistema hidráulico para descarga de material.

Rua Caldas Júnior, 120 – 17° andar – Porto Alegre/RS - CEP 90010-260 - Fone: 51.3215-5532
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO
DIRETORIA DE OPERAÇÕES
SUPERINTENDÊNCIA DE APOIO OPERACIONAL
CN Nº 321/10

A mangueira de sucção será acondicionada em carretel. As características do


equipamento ofertado não deverão ser inferiores às grandezas a seguir relacionadas:

Capacidade mínima do tanque para armazenar detritos: 10,00 m³;

Mangote flexível de sucção com diâmetros de 3” e 4”, ambos com comprimento de 20


m (deverão estar sempre acompanhando o caminhão);

Bomba de vácuo com pressão de 2 BAR com profundidade de sucção de 8 a 9 m e


vazão de 350 l/min;

Ano de fabricação do equipamento e do veículo igual ou superior a 2000.

2.3 Serviços de Deslocamento:

Consiste no deslocamento excepcional dos equipamentos para atendimentos em


outros municípios. O deslocamento do veículo que prestará serviço habitual a
Cachoeirinha e Gravataí, ao sair do pátio da CORSAN, motivado por AS, para o
atendimento em outro município, receberá pelo título “Serviço de Deslocamento” por
distância de rodagem cujo preço do serviço estará grafado na POB. As horas
trabalhadas em outro município serão cobradas em acréscimo ao valor de
deslocamento, “por hora operante” contabilizadas desde o horário de chegada à
localidade, até o horário de saída desta. Não serão computadas como horas operantes
o período de deslocamento, devendo estar estes custos diluídos no preço proposto
para os serviços.

Observações:

Para a elaboração da proposta e execução dos serviços deverá ser prevista a


disponibilidade de 1 (um) equipamento combinado de hidrojateamento a alta pressão e
sucção por alto vácuo e de 3 (três) equipamentos para sucção de alto vácuo, sendo
que estes poderão ser utilizados simultaneamente a critério da fiscalização.

Rua Caldas Júnior, 120 – 17° andar – Porto Alegre/RS - CEP 90010-260 - Fone: 51.3215-5532
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO
DIRETORIA DE OPERAÇÕES
SUPERINTENDÊNCIA DE APOIO OPERACIONAL
CN Nº 321/10

PLANILHAS DE ORÇAMENTO BÁSICO

Rua Caldas Júnior, 120 – 17° andar – Porto Alegre/RS - CEP 90010-260 - Fone: 51.3215-5532
COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

Planilha de Orçamento Básico CN Nº 321/10


SERVIÇOS DE LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE REDES DE ESGOTOS E DE
INSTALAÇÕES DE EBEs, ETEs, E ETAs NAS LOCALIDADES DE I - SERVIÇOS INICIAIS Folha 1/2
CACHOEIRINHA E GRAVATAÍ

QUANTI PREÇO PREÇO MÁX.


ITEM DISCRIMINAÇÃO CÓDIGO UN
DADE UNITÁRIO TOTAL ADMISSÍVEL
I SERVIÇOS INICIAIS

1.1 Administração Local da Obra

1.1.1 Administração direta (AD) 01.05.00.10 mês 1

TOTAL

CN 321 10 Esgoto Cachoeirinha Gravataí.xls / POB


COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO

Planilha de Orçamento Básico CN Nº 321/10


SERVIÇOS DE LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE REDES DE ESGOTOS E DE
INSTALAÇÕES DE EBEs, ETEs, E ETAs NAS LOCALIDADES DE II - EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS Folha 2/2
CACHOEIRINHA E GRAVATAÍ

QUANTI PREÇO PREÇO MÁX.


ITEM DISCRIMINAÇÃO CÓDIGO UN
DADE UNITÁRIO TOTAL ADMISSÍVEL
II EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS

Serviços de equipamento combinado de


2.1 hidrojateamento a alta pressão e sucção por alto h 2.200
vácuo em redes até 1.500 mm

Serviços de equipamento para limpeza à sucção de


2.2 h 4.500
alto vácuo em redes até 1.500 mm

2.3 Serviços de Deslocamento Km 1.200

TOTAL

CN 321 10 Esgoto Cachoeirinha Gravataí.xls / POB