You are on page 1of 73

Um novo Brasil começa aqui A Constituição nas mãos do povo

O Jornal da Constituinte vem à luz A Carta Magna d o Brasil mo quanto a índices. limites,
pela última vez. Visitou o Brasil intei- está nas mãos do povo. Esta prazos, sem os quais a discus-
ro. Fo i à sua casa. Passou de mão em não é uma afirmação solta, são d~ auto-aflicabilidade
mão . Freqüento u a mesa do bar, acor- desprovida de conteúdo, mas const1tuc10na pe rma nece
dou cedo, e mba rcou no trem do subúr- ~ constatação de uma reali- acadêmica.
bio , misturou-se aos livros e cadern os dade. Mesmo que o§ I" do inciso
escola res, gan hou claridade na luz da LXXVII do art. 4o da nova
Se não era. precisamente , Carta entenda que "as nor-
lamparina camponesa, comeu a poeira a Constituição que desejáva-
do sertão, pousou na mesa de trabalho, mas definidoras dos di reitos
mos para o Brasil, é, no e n· e gara ntias fund amentais têm
na repartição pública, na e mpresa na tanto, o texto possível. tendo
fábrica_. compareceu ao culto, ao paico, aplicação imediata", a verda-
e m conta a d1versidade das de é que os dire itos coletivos.
ao estad10. Seu destino e ra este: per- corre ntes políticas e filosófi-
correr a v1da, de onde pro ve io e para socia1s ou econõmicos cons-
cas que compuse ra m a As- tantes da Carta e que im pli·
o nde retornara sucessivame nte. Para sembléia Nacional Consti-
iluminar. Esclarecer. Alardear a ver- cam , necessariamente, di rei-
tuinte. tos e garantias fundamentai s,
d ade, suas cores e movimentos. Inquie-
ta r com palavras, enre dos, novelas e A nova Constituição teve como o de greve, da função
dramas, pa ra que todos os quais tocas- a participação pop ular co mo soc.ial da propriedade para
se pudessem vibrar as cordas do seu lheira da norma constitucional a multi- em nenhuma o utra oportuni- e feito de desapropriação, até
instrume nto e emitir os sons de sua mu- dá<? dos desamparados, incorporando dade. o d e isenção d e Imposto de
os 1dosos, as cnanças, as mulheres as Pela sua própria natureza, Renda dos aposentados com
sicalidade po lítica. as le1s complementares à
Cala-se o Jornal da Constituinte. minorias étnicas, os inválidos, os 'de- Se a Constituição de 1824, mais de 65 (sessenta e cinco)
sempregados ao estatuto dos direitos redigida pelos irmãos Andra- Constituição exigem um quo- anos d e idade, estão depen-
Resta sua história protegida nas biblio- rum mínimo de 2/3 (dois ter-
tecas, docemente preservada e m toscas sociais e políticos e lementares. R eor- das e o utros constituintes, re· dentes do texto regulamenta·
denou o Sistema T ributário, injetan- lletiu o anseio popular surgi- ços) das d uas Casas d o Con· dor o u comple mentador.
e desconhecidas gavetas do homem po- gresso em que se bipartem os
bre que o amou e guardou para sem- do -lhe os princípios que lhe conferem do das campanhas da Inde - Diga-se , mais, q ue esses
legitimidade e funcionalidade pública, pendência e da ânsia de pro- co~stituintes, que estive ram ,
pre, na me mó ria dos que o transfor- ate ago ra, re unidos e m bloco novos textos de leis comple -
~aram e m papel picado ou o pisaram como a reserva de le i para os aumentos mover a colônia a nação, no me nt a res e ordinárias que
tr!butários, a supremacia dos impostos e nta nto, a participação direta e m face da condição de res-
d1stra1damente após atentamente tê-lo ponsáveis pelo novo texto. t ê m pelo poder q ue lhes
lido. J o rn al, servia pa ra tudo e para duet?S sobre os demais e a justa distri- d a comunidade não existiu. transmitiu a Constitui nte a fa-
bUJçao dos recursos arrecadados nas di- Po r o utro lado, a presença culdade de fixar limites, índi·
todos, teve milhões de donos, ama ntes, Mesmo as Cartas Constitu- popular, como uma contin ui-
d espertou paixões, conheceu a lgu ns ferentes esferas da ad ministração pú- ces e prazos. na realidade po-
blica . Libertou das correntes os atores cionais de 189 1, incorporan- dade da ação exercida duran-
de tratores. do o movimento republicano dem modificar os benefícios
da m od ~rnidade industrial e pro dutiva , te todo o processo constituin- que parecem tão evidentes.
O Jornal da Constituinte foi, junta- no texto da nossa B1blia cons- te é fundamental para que os
mente com seus irmãos - O Diário e mpresan os e trabalhadores , os pri- Toda essa argumentação
me iros mergulhados todos nas incer- ti tucional; a de 1934 que ga- dispositivos que ficara m na
(TV) ~ a Voz da Constituinte (rádio) r:ho ~ com a representação dependência das leis comple-
serve para demonstrar que a
- , ve1culo de divulgação institucional te~as do pr?c~sso de direção da econo· comunidade não pode des·
m1a sob a eg1de dos decre tos-leis e al- smd1cal um alento socialmen- mentares sejam imediata- mobilizar-se, pois deve acom-
da ANC. Foi aberto, transpare nte, não te re no vador, o u mesmo a de mente discutidos e aprova-
tev~ medo ~e l!l saudades do passado, guns ilusoriamente protegidos à som- panhar a feitu ra das leis com-
bra do pode r, enq uan to os trabalh a- 1946, com a participação livre dos, evitando-se o vácuo jurí-
ab~1u s uas pagmas ao livre de bate, ma- ple menta res da Constitu ição
dores estavarri subme tidos ao escárnio das esquerdas e alguns avan- di co-constitucio nal a que já
ne JOU com .habilidade a polêmica que ços que morre ram na falta d e têm feito re fe rê ncia os cr o- e a própria legislação comu m
vem da soc1e dade e devolveu-a filtrada da minoridade política, atrelados seus que estranhamente te m po-
sindicatos ao mandonismo paternalista regula me ntação de seus dis- nistas políticos e os juristas,
peÉia lucidez da Assem?lé!a _criativa. positivos; não tive ram a ação deres para retardar ou inva-
do. estado , com o consectário do pe le· inclusive ministros dos nossos lidar parci a lm e nte o texto
hora de ler a ConslltUJçao. Recapi· popular d ireta sobre o corpo tribunais superiores.
tu lar todos os d1as as lições da históna. gUJsmo e outras doenças degenerati· com a simples adoção de pra-
vas. Um novo conceito de soberania conslltumte. Se alguns desses dispositi-
Nós a fizemos com nossa cultura e nos- zos ou a fixação de limites pa-
sa experiência. Vamos d ecorar-lhe o nacional detlui do texto da nova Carta vos que exige m leis comple- ra .a g reve, para a d esapro-
Magna , seja para proteger riquezas e A í é que se fixa a virtude mentares ou que depe ndem
texto, gravar na memória, imprimir na principal da nova Carta, a de pn.ação _ou de índices em que
alma seu ~ântico de liberdade e justiça. e mpresas, seja para estabelecer o con- de legislação o rdinána a ser a 1sençao de certos tributos
trole da sociedade sobre decisões vitais 1988: a e fe tiva integração po- aprov~d~ t~m prazo fixado na
Nmguem ama o que não conhece. pular, a través das emendas d eve rá fixar-se.
Não basta ter cedido uma costela para que atuam sobre a taxa d e interferência Conslltu1çao para serem ado-
externa nos processos econômicos so- com milhões de assinat uras tados, a maio ria de les, no e n- Com a Carta Constitucio-
dar-lhe vida. É preciso compree ndê-la de gente de todas as camadas nal nas mãos. o povo vai te r
em sua ~om plexa expressividade. Feita ciais e políticos do país. ' tanto, não se suje ita a prazos,
socia is e econômicas, além do ainda maior res ponsabilida-
em ~~·o ~o tumulto das idéias, pela Não é fe i~ , ne!ll bonita. É plena. lobby das entidades de em-
e podem, pela inércia da co-
de, pois os legisladores não
par11c1paçao: a~v?ro5ada dos brasilei- Ou melhor, e bomta e plena. Suas vi r- munidade, ficar oscilando en-
tudes são nossas virtudes, suas imper- pregadores e empregad os, na tre projetos e sugestões, sem são outros senão os próprios
ros, a Const1tu•çao e uma obra social. procura de fórmulas harmo- constituintes que fize ram a
Não te m donos, nem produtores indivi- feições também . Colheu no seu te xto a efetiva correspondência na
niosas na redação dos temas sua aplicação. E essa preocu- Carta e que na impossibilida-
duais, te m personalidade nacional. Se u o Bras~l COf!Creto, não esqueceu nada , polêmicos. de, em alguns casos, de um
di~curso final , depois do vozerio polê- ne m nmguem . É consciente mito ló- pação te m sua razão de ser
m•co da Assemblé ia livre, é a preva- gica, totalizadora. É um proj~to d e fu- Ocorre, t o davia, qu e a pois te xtos importantes com~ texto harmônico, atribuíram-
turo, um programa de reformas civil o da participação nos lucros se tarefas de comple mentá-
lência da atualidade futura. Constituição que entregamos la.
Não é p~ra viver solit~ria na poeira é uma linguage m comum da cidadania: ao povo brasileiro se:á me ro das e mpresas, já adotados pe-
das prateleuas. Seu destmo é penetrar Constituiçã.o inaugura l, inovadora, e!lfeite ?e prateleira se a par- la Carta de 1946, até hoje pe r- A vigilância, a integração
um novo Bras1l começa aqui. Veio para ma~ecem sem e fetiva implan- da comunidade no processo
no âmago da vida. N;io lne faltou cora- tJ clpaçao po pular não t1ver
gem para enveredar-se nos tormento- suceder à descrença, restaurar as espe- continuidade na sua execu- taçao. legislativo. o acompanha-
sos te rritórios dos nossos seculares pro- ranças. ção. Que dizer, assim, d e mais me nto d os seus trabal hos é
blemas nacionais. Abo rdou-os com o Os mo rtos que e nterrem as seus mor· de 200 artigos, incisos, pará- exigê ncia maior na no va fase
dô Q'i da transformação. tos, pois a Constituição vive. Vive rá Julgamos mais importante, grafos, alíneas, que tra nsfe- de ~juste da legislação do dia-
no po vo po rque é d o povo. ainda, essa nova forma d e rem para a legislação comum a·dJa ao texto constitucional
. A Democra~i~ deu-lhe as feições d e participação, em que cerca de
liberdade part1c1pativa. Domou a fera as decisões importantes, mes- aprovado.
Um novo Brasil começa aqui duas cente nas de dispositivos
insaciável do estado, descentralizando ficam na d e pe ndência de le is
sua estrutura político-administrativa e Constituinte Marcelo Cordeiro complementares à Constitui- Constituinte Paes de Andrade
submete ndo-a ao primado da cidada- Primeiro Secretário da ANC ção e da legislação o rdinária. Primeiro Secretário da · Câmara dos Deputados
nia sobre o diktat. Trouxe para a cordi-

L EXPEDIENTE 1
Joma! ~a Constituinte Veículo semanal editado sob ·a Diretor Responsável Constituinte Marcelo Cordeiro les de Almeida, Maria Aparecida C. Versiani, Marco Antônio
responsabaltdade da Mesa Diretora da Assembléia Nacional Editores- Alfredo Obliziner e Manoel V. de Magalhães Caetano, Eunco Schwmden, Luiz Carlos R. Linhares Hum-
Constituinte. Coordenador - Dante! Machado da Costa e Silva b.erto. Moreira ~a S. M. ~ereira , Clovis Senna, Marlise ilhesca,
MESA DA ASSEMBLÉIA NACIONAL CONSTITUINTE Secretário de Redação - Ronaldo Paixão Ribeiro IJoamlde Am~nco Ferreua , Henda Fouad H. Jawabiri e Francy
Presidente- Ulysses Guimarães; Primeiro-Vice-Presidente Secretários de Redação Adjuntos - Paulo Domingo R. Neves Lourdes Pere1ra Borges.
-Mauro Benevides; Segundo-VIce-Presidente- Jorge Arbage; e Sérgio Chacon
Primelr~Sec~lárlo - Marcelo Cordeiro; Segundo-Secretário Chefe de Redação - Osvaldo Vaz Morgado EQUIPE FOTOGRÁFICA
- Máno Mata; Terceiro-Secretário - Arnaldo Faria de Sá. Chefe de Reportagem - Victor Eduardo Barrie Kn app Reynaldo L. Stavale. Benedita Rodrigues dos Passos, Gui·
Suplentes: Benedita da Silva. Luiz Soyer e Sotero Cunha. Chefe de Fotografia - Dalton Eduardo Dali a Costa lherme ~angel de Jesus Barros, Roberto Stuckert. William Pres-
Diagramação - Leónidas Gonçalves cott. Joao José de Cast ro Júnior e Salustiano Mesquita Pinto.
APOlO ADMINISTRATIVO Uustração- Gaetano Ré
Secretário-Geral da Mesa - Paulo Affonso M. de Oliveira Secretário Gniflco - Ed uardo Augusto Lopes Composto e impresso no Centro Gráfico do Senado Federal
Subsecretário-Geral da Mesa- Nerione Nunes Cardoso -CEGRAF
Diretor-Geral da C6mara - Adelmar Silveira Sabino EQUIPE DE REDAÇÃO
Diretor-Geral do Senado- José Passos Pórto Redação: CÂMARA DOS DEPUTADOS - ADIRP
Produzido pelo Serviço de Divulgação da Assembléia Na- . Maria Valdira Be.zerra ..Henry ~inder , Carmem Ver~ara , Re- - 70160- Brasnla- DF- Fone: 224-1569
cional Constitu inte. gma Moretra Suzust, Mana de Fáttma J. Leite, Vladimar Meire· Distribuição gratuita

2 Jornal da Constituinte
ADIRP/Aleac:ar Monteiro ADIRP/ReYD&Ido Sla.ale

Os chefes do Executivo (acima)


e do Judici6rio (abaixo)
juram cumprir a Constituiç4o

Na s~nlo solene d~
ilut:lga,çdo da nova '1..-Uirun""•
a m~sa ficou compoatll
~squerdo para a direiiiJ)
tkpullldo Bemardo C.
reltnor do ANC, d~prr
MaTC~Io Cortkiro, 1• ~-
s~tUJdor M1111r0 Be-
l• .,;ce-presid~nte,
f'Uid~nuJoli Slintey, dqu-
GIÚinlll'les, pre-
••aien,re da ANC, sentidor

Carta é promulgada
Humberto Luun4, presilhn«
do SDIIIdo Federal, minútTO
Rafael May_u, pruident~ do
Supremo Tribunal Federal,
depllltMlo Jorge ArlHige, 2' .,;.

com festa e emoção a-pnsithlllt' do ANC, Hftll·


dor M6rio Mllia, 2' xcnt4rio,
e deputado Antllldo FIIIÍfl de
Sd; 3' secret6rlo.

Eram exatamente 15h 54 min tuintes, o presidente da Re pública


de quarta-feira , 5 de outubro de e o presidente do Supremo Tribu-
1988, quando o deputado Ulysses nal Federal.
Guimarães, presidente da Assem-
bléia Nacional Constituinte, disse: SUSTENTAÇÃO DA CARTA
" Declaro promulgada a Constitui· O primeiro orador da sessão foi
ção da República Federativa do o senador Afonso Arinos de Melo
Brasil ". O momento maior do Franco (PFL - RJ), representan-
reordenamento jurídico do país do todos os constituintes (veja ín-
ocorreu em sessão realizada no tegra na página 6). Constituinte
plenário da Câmará dos Deputa· de 46, experiente político e jurista,
dos e contou com a presença do Afonso Arinos h1storiou a elabo-
presidente da República , José Sar- ração de todas as Constituições
ner., do presidente do Supremo brasileiras, desde 1823. Sobre a
Tnbunal Federal, ministro Rafael atual,· ressalto u a necessidade de
Mayer , deputados, senadores, mi- a classe política se manter coesa
nistros, ~overnadores, delegações para dar sustentação à nova Carta,
estrangerras e representantes do prevenindo-se assim, contra a9ue-
corpo diplomático. les que pretendem fazer pohtica
DIA DE FESTA por outros meios que não os ba-
Na verdade, as festividades de seados na ordem JUrídico-consti-
promulgação da nova Constitui· tucional.
ção começaram pela manhã, com Representando as delegações
estran~eiras , o presidente da As-
a concelebração de um culto ecu-
mênico pelo cardeal-arcebispo de sembleia da República de Portu-
Brasr1ia, Dom José Freire Falcão, gal, deputado Vrctor Crespo. des·
e pelo pastor Geisel Nunes Go- tacou os ventos de redemocrati-
mes. A chuva que caía desde cedo zação que varrem a América Lati·
sobre a Capital da República im- na e as afinidades dos processos
pediu que o culto se realizasse na de liberalização política do seu
Esplanada dos Ministérios, con· país e do Brasil. (Discurso na pági·
forme previsto, sendo transferido Senado Constituição para seus colegas. na 7).
para o Salão Branco do Congres- e subiram a rampa de acesso ao Ulysses declarou aberta a sessão ÚLTIMO A FALAR
so. Congresso, sendo recepcionados à e nomeou uma comissão de líderes O presidente da ANC (discurso
O ato de promulgação da Cons- entrada do Salão Negro pelo presi- partidários para introduzir no ple- completo nas páginas 4 e 5) foi
tituição teve início às 15h20 min, dente do Senado, Humberto Lu- nário o !?residente da República aplaudido mais de 30 vezes no pro-
quando os presidentes José Sar· cena, acompanhado dos vice-pre- e o presrdente do STF. Após a nunciamento em que lembrou o
ney, Ulysses Guimarães e Rafael sidentes da Câmara , Humberto execução do Hino Nacional, o pre- esforço feito em defesa da sobe·
Mayer desembarcaram do auto- Souto, e da Constituinte, Mauro sidente Ulysses Guimarães auto- rania da Constituinte, o resgate da
móvel da Presidência da Repúbli- Benevides. _ grafou cinco exemplares da Cons- Federação, a necessidade de com-
ca e passaram em revista as tropas ASESSAO DE tituição -um destinado ao Poder bate à misérià e o fim , definitivo,
das três Armas, formadas em fren- PROMULGAÇÃO Executivo, outro ao Poder Judi- do regime autoritário.
te ao edifíco do Congresso Nacio- O presidente da Constituinte foi ciário, um terceiro ao Senado, o Após a sessão foi oferecido um
nal. ovaciOnado por quase cinco minu- quarto à Câmara e o quinto ao coquetel aos convidados e , mais
Em seguida, os três presidentes tos quando entrou no plenário. Arquivo Nacional. Em seguida , tarde, um jantar às delegações es-
foram recebidos pelos diretores e Antes de chegar à Mesa, parou juraram a Carta o próprio presi- trangeiras presentes à cerimônia
secretários-gerais da Câmara dos para autografar exemplares da dente da ANC, todos os consti- de promulgação.

Jornal da Constituinte 3
ADIRP/Robcno Stucitan

O constituinte Ulysses Guimarães, presidente da ANC, foi o a/limo a autografar a Carta,


já na sessão de promulgação. Dos cinco exemplares que assinou, um foi entregue ao Presidente da República,
outro ao Presidente do Supremo Tribunal Federal e um terceiro
ao Presidente do Congresso. A Câmara dos Deputados também recebeu um
exemplar, assim como o Arquivo Nacional. Após autografar os exemplares históricos
da nova Carta, o deputado Ulysses Guimarães proclamou:
" Declaro promulgada a Constituição da Repablica FetUrativa do Brasil".

mercenária dos que se atreveram Tem substância popular e cristã A Constituição reabilitou a Fe-
na tentativa de aviltar legisladores

Ulysses: em guarda de suas burras abarro-


tadas com o ouro de seus privilé-
gios e especulações.
Foi de audácia inovadora a ar-
quitetura da Constituinte , recu-
o título oue a consagra: " A Consti-
tuição cidadã."
Vivenciados e originários dos
estados e municípios, os consti-
tuintes haveriam de ser fiéis à Fe-
deração ao alocar recursos ponde-
ráveis às unidades region3ls e lo-
cais, bem como ao arbitrar compe-
tência tributária para lastrear-lhes
a independência financeira.

mudar para
deração. Exemplarmente o fo- Democracia é a vontade da lei,
sando anteprojeto forâneo ou de ram. que é plural e i~ual para todos ,
elaboração interna. No Brasil, desde o Império, o e não a do prfnc1pe , que é unipes-
O enorme esforço é dimensio- Estado ultraja a geografia. Espan- soal e desigual eara os favoreci-
nado pelas 61 mil e 20 emendas, toso dispautério: o Estado contra mentos e os privilégios.
além de 122 emendas populares, o país, quando o país é a geogra- Se a democracia é o governo da

vencer Farias e Norberto Schwantes. Pro-


algumas com mais de um milhão
de assinaturas, que foram apre-
sentadas, publicadas, distribuídas
e votadas no longo trajeto das sub-
comissões à redação final.
fia, a base física da nação, portan-
to, do Estado.
É elementar: não existe Estado
sem país, nem país sem geografia,
esta antinomia é fator de nosso
lei, não só ao elaborá-la, mas tam-
bém para cumpri-la, são governo
o Executivo e o Legislativo.
O Legislativo brasileiro inves-
tiu-se das competências dos parla-
Muda Brasfl! Com este grito de A participação foi também pela atraso e de muitos de nossos l?ro-
fé e de esperança, o presidente nunciamos seus nomes queridos mentos contemporâneos.
com saudade e orgulho: cumpri- presença, pois diariamente cerca blemas, pois somos um arquipé- É axiomático que muitos têm
Ulysses Guimarães entregou ao de dez mil postulantes franquea- lago social, econômico, amb1ental
Brasil a Constituição que ele bati- ram com seu dever. maior probabilidai:le de acertar do
A nação nos mandou executar ram, livremente, as onze entradas e de costumes, não uma ilha. que um só. O governo associativo
zou de cidadã. Em seu último pro- do enorme complexo arquitetôni-
nunciamento na condição de presi- um serviço. Nós o fizemos com A civilização e a grandeza do e gregário é mais apto do que o
amor, aplicação e sem medo. co do parlamento, na procura dos Brasil percorreram rotas centrífu- solitário. Eis outro tmperativo de
dente da ANC, ele falou do pais g_!lbinetes, comissões, galeria e sa-
que começou com a nova Carta A Constituição certamente não gas e não centrípetas. govemabilidade: a co-participa-
é perfeita. Ela própria o confessa, lôes. ção e a co-responsabilidade.
e deixou uma série de advertências, Os bandeirantes não ficaram ar-
entre elas a de que "a moral é o ao admitir a reforma. Há, portanto, representativo e ranhando o litoral como carangue-
cerne da pátria" . Quanto a ela, discordar, sim. oxigenado sopro de gente de rua, jos, na imagem pitoresca , mas Cabe a indagação: instituiu-se
Divergir, sim . Descumprir,J·a- de praça , de favela , de fábrica, exata,, dt: Frei Vicente do Salva- no Brasil o tricameralismo ou for-
" Estatuto do Homem, da Li- taleceu-se o unicameralismo, com
berdade , da Democracia. mais. Afrontá-la, nunca. Trai or de trabalhadores, de cozinheiras, dor. Cavalgaram os rios e marcha-
da Constituição é traidor da pá· de menores carentes, de índios, ram para o oeste e para a História as numerosas e fundamentais atri-
Dois de fevereiro d e 1987:
"Ecoam nesta sala as reivindica- tria. Conhecemos o caminho mal- de posseiros, de empresários, de na conqt_1ista de um continente . buições cometidas ao Congresso
ções das ruas. A nação quer mu- dito: rasgar a Constituição, tran- estudantes, de aposentados, d~ Nacional? A resposta virá pela bo-
dar, a nação deve mudar, a nação car as portas do Parlamento, gar- servidores civis e militares, ates- Foi também indômita vocação ca do tempo. Faço votos para que
rotear a liberdade, mandar os pa- tando a contemporaneidade e au- federativa que inspirou o gênio de essa regência trina prove bem.
vai mudar. " São palavras constan- Juscelino Kubitschek, que plantou
tes do discurso de posse como pre- triotas para a cadeia, o exílio, o tenticidade social do texto que ora Nós, os legisladores, ampliamos
sidente da Assembléia Nacional cemiténo. passa a vigorar. Como o caramu- Brasília longe do mar, no coração
do sertão, como a capital da inte- nossos deveres. Teremos de hon-
Constituinte. A persistência da Constituição JO, guardará para sempre o bra- rá-los. A nação repudia a pregui-
mido das ondas de sofrimento, es- riorização e da integração.
Hoje, S de outubro de 1988, no é a sobrevivência da democracia. A Federação é a unidade na de- ça, a negligência, a inépcia. Soma-
que tange à Constituição, a nação Quando após tantos anos de lu- perança e reivindicações de onde se à nossa atividade ordinária, bas-
mudou. tas e sacrifíêios, promulgamos o proveio. sigualdade, é a coesão pela auto-
A Constituição é caracteristica- nomia das províncias. Comprimi- tante dilatada, a edição de 56 leis
A Constituição mudou na sua estatuto do homem, da liberdade das pelo centralismo, há o perigo complementares e 314 ordinárias.
e da democracia, bradamos por mente o estatuto do homem. É Não esqueçamos que , na ausência
elaboração, mudou na definição sua marca de fábrica. de serem empurradas para a seces-
dos poderes, mudou restaurando imposição de sua honra: temos são. de lei complementar, os cidadãos
ód10 à ditadura. Ódio e nojo. O inimigo mortal do homem é poderão t.er o provimento suple-
a Federação, mudou quando quer Amaldiçoamos a tirania onde quer a miséria. Não há pior discrimi- É a irmandade entre as regiões.
mudar o homem em cidadão e só mentar pelo mandado de inJun-
que ela desgrace homens e nações, nação do que a miséria. O Estado Para que não se rompa o elo, as ção.
é cidadão quem ganha justo e sufi- de direito, consectário da igualda- mais prósperas devem colaborar
ciente salário, lê e escrevé, mora, principalmente na América Lati-
na. de, não pode conviver com estado com as menos desenvolvidas. En- A confiabilidade do Congresso
tem hospital e remédio, lazer de miséria. Mais miserável do que quanto houver norte e nordeste Nacional permite que repita, pois
quando descansa. Assinalarei algumas marcas da
Constituição que passa~ a coman- os miseráveis é a sociedade que fracos , não haverá na União esta- tem pertinência, o slogan: "Va-
Num país de 30 milhões e 401 não acaba com a miséria. do forte, pois fraco é o Brasil. mos votar, vamos votar", que in-
mil anaHabetos, afrontosos 25% dar esta grande nação.
A primeira é a coragem. A cora- Tipograficamente é hierarqui- As necessidades básicas do ho- tegra o folclore de nossa prática
da população, cabe âdverti.r: a ci- mem estão nos estados e nos mu-
dadania começa com o alfabeto. gem é a matéria-prima da civiliza- zada a precedência e a preeminên- constituinte, reproduzido até em
ção. Sem ela, o dever e as institui- cia do homem, colocando-o no nicípios. Neles deve estar o dinhei- horas de diversao e em programas
Chegamos! Esperamos a Cons- ro para atendê-las. humorísticos.
tituição como o vigia espera a au- ções perecem. Sem a coragem, as umbral da Constituição e catalo-
rora. demais virtudes sucumbem na ho- gando-lhe o número não supera- A Federação é a governabilida- Tem significado de diagnóstico
Bem-aventurados os que che- ra do perigo. Sem ela, não haveria do, só no art. 59 , de 77 incisos e de. A governabilidade da nação a Constituição ter alargado o exer-
gam. Não nos desencammhamos a cruz, nem os evangelhos. 104 dispositivos. passa pela governabilidade doses- cício da democracia, em partici-
na longa marcha, não nos desmo- A Assembléia Nacional Consti- Não lhe bastou, porém, defen- tados e dos municípios. O desgo- pativa além de representativa. É
ralizamos capitulando ante pres- tuinte rompeu contra o establish- dê-lo contra os abusos originários verno, filho da penúria de recur- o clarim da soberania popular e
sões aliciadoras e compremetedo- ment, investiu contra a inércia, de- do Estado e de outras procedên- sos, acende a ira popular, que in- direta , tocando no umbral da
ras, não desertamos, não caímos safiou tabus. Não ouviu o refrão cias. Introduziu o homem no Esta- vade os paços muniapais, arranca Constituição, para ordenar o
no caminho. A!suns a fatalidade saudosista do velho do Restelo, do, fazendo-o credor de direitos as grades dos palácios e acabará avanço no campo das necessidades
derrubou: Virgü1o Távora, Alair no genial canto de Camões. Su- e serviÇos, cobráveis inclusive com chegando à rampa do Palácio .do sociais.
Ferreira, Fábio Lucena, Antônio portou a ira e perigosa campanha o mandado de injunção. Planalto. O povo passou a ter a iniciativa -

4 Jornal da Constituinte
de leis. Mais do que isso, o povo cumpriu-se o magistério do filóso- antagonismo do Estado.
é o superlegislador, habilitado a fo: o segredo da felicidade é fazer O-Estado era Tordesilhas. Re-
rejeitar pelo referendo projetos do seu dever o seu prazer. beliada, a sociedade empurrou as
aprovados pelo Parlamento. Todos os dias, quando divisava, fronteiras do Brasil , criando uma
A vida pública brasileira será na chegada ao Congresso , a con- das maiores geografias do univer-
também ftscalizada pelos cida- cha côncava da Câmara rogando so.
dãos. Do presidente da República as bençãos do céu e a convexa do O Estado, encarnado na metró-
ao prefeito, do senador ao verea- Senado ouvindo as súplicas da ter- pole, resignara-se ante a invasão
dor. ra, a alegria inundava meu cora- holandesa no Nordeste. A socie-
A moral é o cerne da pátria. ção. Era como ver a aurora , o dade restaurou nossa integridade
A corrupção é o cupim da repú- mar, o canto do rio, ouvir os passa- territorial com a insurreição nativa
blica . República suja pela corrup- rinhos. de tabocas e guararapes, sob a li-
ção impune tomba nas mãos de Sentei-me ininterruptamente derança de André Vida! de Ne-
demagogos, que , a pretexto de sal- nove mil horas nesta cadeira, em greiros, Felipe Camarão e João
vá-la, a tiramzam. 320 sessões, gerando até interpre- Fernandes Vieira, que cunhou a
Não roubar, não deixar roubar, tações divertidas pela não saída frase da preeminência da socieda-
pôr na cadeia quem roube, eis o para lugares biologicamente exigí- de sobre o Estado: "desobedecer
primeiro mandamento da moral veis. Somadas as das sessões, fo- a el-rei, para servir a el-rei".
pública. ram 17 horas díarias de labor, tam- O Estado capitulou na entrega
Pela Constituição, os cidadãos bém no gabinete e na residência, do Acre, a sociedade retomou-o
são poderosos e vigilantes agentes incluídos sábados, domingos e fe- com as foices , os machados e os
da Ciscalização, através do man- riados. punhos de Plácido de Castro e seus
dado de segurança coletivo; do di- Político, sou caçador de nuvens. seringueiros.
reito de receber informações dos Já fui caçado por tempestades. O Estado autoritário prendeu e
órgãos públicos; da prerrogativa Uma delas, benfazeja, me colocou exilou, a sociedade, com Teotônio
de petição aos poderes públicos, no topo desta montanha de sonho Vilela, pela anistia, libertou e re-
em defesa de direitos contra ilega- e de glória. Tive mais do que pedi, patriou.
lidade ou abuso de poder; da ob- cheguei mais longe do que mereci. A sociedade foi Rubens Paiva,
tenção de certidões para defesa de Que o bem que os constituintes não os facínoras que o mataram.
direitos; da ação popular, que~ me fixeram frutifique em paz, êxi- Foi a sociedade, mobilizada nos
de ser proposta por qualquer cida- to e alegria para cada um deles. colossais comícios das diretas-já,
dão. , para anular ato lesivo ao pa- Adeus, meus irmãos. É despe- que pela transição e pela mudança
trimónio público, ao meio am- dida definitiva, sem o desejo de derrotou o Estado usurpador.
biente e ao patrimônio histórico, reencontro. Termino com as palavras com
isenta de custas judiciais; da fisca- Nosso desejo é o da Nação. Que que "comecei esta fala : a nação
lização das contas dos municípios este plenário não abrigue outra quer mudar, a nação deve mudar.
por parte do contribuinte: podem Assembléia Nacional Constituin- A nação vai mudar.
peticionar, reclamar, representar te. Porque antes da Constituinte, A Constituição pretende ser a
ou apresentar queixas junto às co- a ditadura já teria trancado as por- voz, a letra, a vontade política da
missões das Casas do Congresso tas desta Casa. sociedade rumo à mudança .
Que a promulgação seja nosso
Nacional; qualquer cidadão, par-
tido político, associação ou sindi-
cato são partes legítimas e pode- - ..
A p6s seu pronunciamento, Ulysses Guimartles recebe os cumprimentos do
Autoridades, constituintes, se-
nhoras e senhores.
·A sociedade sempre acaba ven-
cendo, mesmo ante a inércia ou
grito:
- Mudar para vencer!
Muda Brasil!"
rão denunciar irregularidades ou
ilegalidades perante o Tribunal de presidente José Sarney
Contas da União, do estado ou tucional n9 26 teve origem em giosos dignitários do Poder Legis-
do município. A gratuidade faci-
lita a efettvidade dessa fiscaliza-
çã':\ exposição panorâmica da lei
fundamental que hoje passa a re-
mensagem de seu governo, vincu-
lando Vossa Excelência à efemé-
ride que hoje a nação celebra.
Nossa homenagem ao presiden-
te do Senado, Humberto Lucena,
lativo do continente americano,
de Portugal, da Espanha, de An-
gola, Moçambique, Guiné Bissau.
Príncipe e Cabo Verde.
Arinos:
g~r a nação permite conceitu~-1~.
smoticamente, como a Constitui-
ção coragem, a Constituição cida-
dã, a Constituição federativa , a
Constituição representativa e par-
atuante na Constituinte· pelo seu
trabalho, seu talento e pela cola-
boração fraterna da Casa que re-
presenta.
Senhor ministro Rafael Mayer,
Os senhores governadores de
estado e presidentes das assem-
bléias legislativas dão realce singu-
lar a esta solenidade histórica.
Os líderes foram o vestibular da
Constituinte. Suas reuniões, pela
a defesa
dos políticos
ticipativa, a Constituição do go- presidente do Supremo Tribunal
verno síntese Executivo-Legislati- manhã e pela madrugada, com au-
Federal. Saúdo o Poder Judiciário tores de emendas e interessados,
vo, a Constituição fiséalizadora . na pessoa austera e modelar de disciplinaram, agilizaram e quali-
Não é a Constituição perfeita. Vossa Excelência. ficaram as decisões do Plenário.
Se fosse perfeita, seria irreformá- O imperativo de " muda Brasil" , Os Anais guardarão seus nomes
vel. Ela própria, com humildade desafio de nossa geração, não se e sua benemérita faina.
e realismo, admite ser emendada, Presidente da Comissão de Siste- maioria das províncias.
processará sem o conseqüente Cumprimento as autoridades ci- matização da Constituinte de Desde a sua instalação, a 3 de
até por maioria mais acessível , " muda Justiça", que se instrumen- vis, eclesiásticas e militares, inte-
dentro de cinco anos. 198711988, Afonso Arinos de Melo maio de 1823, revelou-se o insaná-
talizou na Carta Magna com a va- grados estes com seus chefes na Franco, por todos considerado um vel conflito entre a Assembléia,
Não é a Constituição perfeita, liosa contribuição do Poder che- missão, que cumprem com deci- mestre, [alou em nome de seus co- expressão da soberania nacional,
mas será útil, pioneira e desbrava- fiado por Vossa Excelência. Cum- são, de prestigiar a estabilidade Legas. Ele fez um histórico do pro- e o Príncipe Regente , aferrado à
dora. Será luz, ainda que de lam- primento o r.reclaro ministro do democrática. cesso constitucional brasileiro des- tradição absolutista da monarquia
P,arina, na noite dos desgraçados. Supremo Tnbunal Federal , Mo- de o Império e defendeu a classe dos Braganças.
E caminhando que se abrem os reira Alves, que , em histórica ses- Nossas congratulações à im- polftica, repudiando as campanhas Do d1ssfdio crescente resultou
caminhos. Ela va1 caminhar e abri- são, instalou, em 19 de fevereiro prensa, ao rádio e à televisão. Vi- que tentam desmoralizá-la. E ensi- a dissolução da Assembléia , pela
los. Será redentor o que penetrar de 1987, a Assembléia Nacional ram tudo, ouviram o que quise- nou que "polftica é exatamente go- tropa militar, na noite de 11 de
nos bolsões sujos, escuros e igno- Constituinte. ram, tiveram acesso desimpedido verno".
às dependências e documentos da novembro de 1823 , a chamada
rados da miséria. Registro a homogeneidade e o Permiti que o mais idoso dos " noite de agonia". Esta agonia da
Constituinte. Nosso reconheci-
Recorde-se, alvissareiramente, desempenho admirável e solidário mento tanto pela divulgação como representantes do povo com as- coação milttar sobre a represen-
que o Brasil é o quinto país a im- de seus altos deveres, por parte pelas críticas, que documentam a sento nesta Assembléia agradeça,
de todo coração, a honra que só
tação popular infelizmente não foi
plantar o instituto moderno da se- dos dignos membros da Mesa dire- absoluta liberdade de impr~nsa por aquele título lhe foi concedida a única na nossa história.
guridade, com a integração de tora, condôminos imprescindíveis neste país. A Constituinte caiu com honra,
ações relativas à saúde , à previ- de minha presidência. de falar em nome dela, nesta data, enfrentando as ameaças e acusan-
dência e à assistência social, assim Testemunho a coadjuvação diu- em que a palavra do Brasil, ao do energicamente o Príncipe, in-
O relator Bernardo Cabral foi turna e esclarecida dos funcioná- se elevar neste recinto, ressoa em clusive com pregações em prol da
como a universalidade, dos bene- capaz, flexível para o entendimen-
fícios para os que contribuam ou rios e assessores , abraçando-os todo o mundo. República. O principal redator do
to, mas irremovível nas posições nas pessoas de seus excepcionais A experiência histórica brasilei- projeto foi o deputado Antônio
não, além de beneficiar 11 milhões de defesa dos interesses do faís .
de aposentados, espoliados em chefes, Paulo Affonso Martins de ra em matéria constituinte é bem Carlos de Andrade , que tomou
O louvor da Nação aplaudir sua Oliveira e Adelmar Sabino. antiga. Provém da Conspiração da por modelo não mais a Constitui-
seus proventos. vida pública. Agora conversemos pela última Inconfidência, ocorrida em 1788 ção das Estados Unidos, porém
É consagrador o testemunho da vez, compa!lheiras e companhei- na Capitania de Minas Gerais. aquelas das monarquias continen-
ONU de que nenhuma outra Car- Os relatores adjuntos, José Fo-
gaça, Konder Re1s e Adolfo Oli- ros const1tumtes. O Tiradentes, herói e mártir da- taiS da Europa Ocidental.
ta no mundo tenha dedicado mais quele grande episódio, inspirava- Esse mesmo modelo francês da
espaço ao meio ambiente do que veira prestaram colab()ração una-
A atuação das mulheres nesta se em um livro francês dedicado Carta outorgada pelo Rei Luiz
a que vamos promulgar. nimemente enaltecida. Nossa pa- Casa foi de tal teor que, pela edifi- ao estudo da Constituição dos Es-
lavra de sincero e profundo louvor XVlll, em 1814, na fase da Res-
Senhor Presidente José Sarney: cante força do exemplo, aumen- tados Unidos da América, elabo- tauração pós-napoleônica, foi em-
Vossa Excelência cumpriu exem- ao mestre da Língua Portuguesa, tará a representação feminina nas rada havia apenas um ano.
professor Celso Cunha, por sua butido na Carta brasileira, outor-
plarmente o compromisso de Tan- futuras eleições. A primeira Constituinte brasi- gada, a 25 de março de 1824, pelo
credo Neves, de Vossa Excelência colaboração para a escorreita re- Agradeço aos constituintes a leira foi convocada pelo Príncipe
dação do texto. Já Imperador Pedro I. Foi redi~ida
e da Aliança Democrática ao con- eleição como seu presidente e Regente D . Pedro, antes da Inde- por pequena comissão de brasilei-
vocar a Assembléia Nacional O Brasil agradece pela minha agradeço o convívio alegre, civili- pendência, por decisão de 3 de ju- ros ilustres, componentes do cha-
Constituinte. A Emenda Consti- voz a honrosa presença dos presti- zado e motivador. Quanto a mim, nho de 1822, e eleita pela grande mado Conselho de Estados, no -

Jornal da Constituinte 5
gual figuravam diplomatas como feitura; é colaborar nas leis que Senhor~ Constituintes, pense-
Macief da Costa, Marquês de a tomem mais rapidamente e mais mos seriamente neste movimento,
Queluz, escritores como Mariano eficazmente operativa, apesar das talvez não intencional, mas segu-
da Fonseca, Marquês de Maricá, dificuldades referidas; é colaborar ramente orquestrado, que visa a
autor das famosas " Máximas", ou na sua defesa contra a onda que d esmoralizar a classe política .
provectos juristas, como Carneiro se avoluma e propaga no seio do Lemb re mos aos brasite:ros de
de Campos, Marquês de Carave- povo, e que visa a atacá-la, tão boa-fé que política é exatamente
las, o principal redator do docu- desabridamente , que esses ata- governo, e que por detrás da cam-
mento. ques passaram a envolver toda a panha insidiosa que atinge mi-
A Constituinte republicana de classe política. Hoje se está falan- lhões de brasileiros de boa-fé pode
1891, na qual predominou o gênio do dos políticos como se consti- haver a intenção de acabar não
de Rui Barbosa, voltou ao modelo tuíssem um grupo específico de com a política, que não acaba nun-
americano, que nunca funcionou aproveitadores hedonastas e mal- ca, nem pode acabar, mas acabar
a contento no Brasil, nem em ne- intencionados. com as liberdades que estão garan-
nhum outro sistema {>residencia- É indispensável determo-nos tidas na Constituição que elabora-
lista na América Latma, devido sobre este aspecto da atualidade mos, como nunca estiveram ga-
à impossibilidade da criação, por nacional , pois ele envolve graves rantidas em nenhuma o utra.
costume e não pelo texto, de um conseqüências. Derrubar a Constituição, exe-
órgão moderador e constantemen- Comecemos por lembrar que crar os políticos, é derrubar a li-
te renovador, como é a Suprema ação política corresponde exata- berdade para entregar a política
Corte dos Estados Unidos, único mente à ação de governar as cole- at ual a outra " política", isto é , a
país do mundo em que o sistema tividades sociais e nacionais, inte- outro tipo de "_governo" não de-
presidencial funciona a contento. gradas no Estado. Se há Estado clarado, que te na em mãos a sorte
Rui Barbosa, no declínio da vida, (e ele existe desde a antigüidade e o destino do povo, e com ele
rendeu-se a esta verdade. grega), há, necessariamente, polí- o próprio futuro da pátria.
A terceira Constituinte, d e tica. Na Grécia antiga o Estado O desprezo à l?olítica não é a
1934, que encerrou o lon$0 Go- era a cidade, como a Atenas de sua supressão, po1s ela se confun-
verno Provisório de Getúho Var- Aristóteles, ou a Esparta de Licur- de com o governo.
gas, seguiu-se à pressão de vários go; e a política era o governo da Que haverá por detrás de tudo
setores sociais, que a reclamavam cidade. Em Roma, o Estado abar- isso? Será que estamos ameaçados
desde a Revolução Paulista de cou todo o mundo conhecido e o de outro tipo de "~titica", ou se-
1932. O texto do projeto foi prepa- governo fez política, durante sécu- ja, as ditaduras c1vis e militares,
rado por uma Comissão, presid1da los, primeiro com os reis, depois que têm sido a agonia secular da
pelo ministro do Exten or Melo com a República, depois com o nossa República?
Franco e composta de outros gran- Império: Senhores Constituintes de hoje,
des nomes, como Assis Brasil, An- Na Idade Média não havia polí- Senhores Congressistas de ama-
tônio Carlos de Andrada, João tica porque não havia Estado, nem nhã, nosso dever, é fazer política,
Mangabeira , Osvaldo Aranha e propriamente comunidade social, isto é, defender e praticar a Cons-
Oliveira Viana. O jurista Carlos senão que população escassa de tituição brasileira em vigor, acre-
Maximiliano , co mentador da senhores e servos disseminados ditar nela, convocar a Nação para
Constituição de 1891 , foi o relator- em volta de castelos, em terras que defendê-la , se estiver e m nsco.
geral. Concessão perigosa da Co- não eram territórios. Com o Re- reagir contra esses riscos disfarça-
missão foi a eleição do presidente Afonso Arinos discursou em nome dos constituintes nascimento, renasce o Estado, e dos. E m suma, praticar e defender
da República pela Câmara dos com ele a política, a terrível "polí- a liberdade. Fazer política é hon-
Deputados, o que assegurou a tica" ditatorial , doutrinada por rar nosso mandato, sustentar nos-
Vargas a desejada continuação no particularmente, nas condições do rídica, política, literária, empresa-
Brasil, toma-se extremamente du- rial, trabalhista e científica , ini· Maquiavel para os Médicis de Flo- so trabalho, enobrecer a memória
poder e o preparo político esme- rença. do nosso tempo.
rado da Constituiçao fascista de vidosa (para usarmos uma expres- ciou seus trabalhos em agosto de
11 de novembro de 1937, que mor- são branda), quaisquer que sejam 1985. Com o dramático falecimen-

Crespo:
reu com a morte do fascasmo no as afirmações gráficas existentes to do presidente Tancredo Neves,
mundo. nos documentos, como este que assumiu o presidente José Sarney,
A quarta Constituinte brasileira estamos, hoje , come morando. que manteve a convocação.
foi a de 1946, época em que a vitó- Afirmar o contrário é ingenuida- Na sede do Rio, a Comissão se
ria democrática na Segunda Guer- de, ilusão, ou falta de sinceridade, organizou em várias subcomissões
quem sabe de coragem. Direito in- internas e formou comitês regio-

Brasil deu
ra Mundial determinou um grande
movimento constitucional em to- dividual assegurado, direito social nais, fora do Rio, que muito
da parte. sem garantia - eis a situação. adiantavam sua tarefa. Concluí-
O Mandado de Injunção vai ser dos os trabalhos em setembro de
Na E uro pa , surgiram nove 1986, foi o texto final entregue ao
Constituições; na América Latina, o instrumento dessas experiên-
cias. O desejável é que o Supremo presidente Sarney, que preferiu
doze; nos países árabes e na Ásia,
cinco. Ao todo, vinte e seis reor-
denações jurídicas estatais.
Iniciou-se, nesta fase, um movi-
mento sem precedentes no proces-
so geral de elaboração constitucio-
Tribunal Federal, preservando
suas tradições de competência, di-
ligência e integridade, se esforce
para encaminhar soluções viáveis
e realistas, ou para oferecer , inter-
não remetê-lo à futu ra Assem-
bléia, e mbora lhe dedicasse belo
e generoso discurso.
A Constituinte foi eleita em no-
vembro de 1986 e instalada em fe-
vereiro de 1987. Em junho desse
um exemplo
Falando em nome dos repre- A honra é tanto maior quanto
pretações aceatáveis às dificulda-
nal, movimento este que continua des, bem como rumos e caminhos ano, foi criada a Comassão de Sis- sentantes estrangeiros presentes à é certo que me incumbe a respon-
a se manifestar até hoje. Como para o enfrentamento gradual dos tematização, presidida pelo mes- solenidade de promulgação, o pre- sabilidade de exprimir a esta no-
já acentuamos em outra oportu- problemas que vão aparecer entre mo Constituinte que chefiara a sidente da Assembléia da Repúbli- bre Assembléia Nacional Consti-
nidade: "Tem sido observado , ~­ a letra do texto e sua implemen- Comissão lembrada por Tancredo ca de Portugal, Victor Crespo, tuinte a nossa solidariedade e re-
los autores de Direito Constitucao- tação. Neves. Aos admiráveis e dedica- apontou aquele momento histórico gozijo, num abraço fratern o dos
nal Comparado, um fenômeno Recordemos, ainda uma vez, dos membros dessa Comissão , como "a instauração da genulna Parlamentos aqui presentes. Os
realmente marcante. O Direito, que este problema não é só nosso, coube o preparo final do projeto democracia no Brasil". E disse nossos países , repartidos gelo
nas novas Constituições, parece no Direito Constitucional moder- da Constatuição, concluído no mês mais: que os brasileiros deram ao Continente Americano, pela Afri-
evoluir, em conjunto, para tornar- no. Tudo decorre do desajusta· · de novembro e remetido ao Plená- mundo um exemplo. ca e por Nações da Europa , acom-
se mais um corpo de normas teóri- mento entre a generosidade da as- rio, que o discutiu , enriqueceu, e " Ao dirigir-me a Vossas Ex· panham emocionados o nascer da
cas e finalísticas, e cada vez menos piração polftica e_a ~ifi~u.ldade da finalmente o aprovou , por consa- celências, neste acto solene da nova Constituição brasileira.
um sistema legal vigente e aplicá- sua amplementaçao Jund1ca. gradora maion a. promulgação da nova Constitui- Muito de comum une os nos-
ve l. Por outras palavras: nunca Somos, pois, a. quinta Assem- Cumpre , realçar, finalmente, a ção da República Federativa do sos (>?VOS . Podem, sem dificulda-
existiu distância maior entre a le- bléia Constituinte brasileira. Lan- colaboração direta do povo no Brasil, as minhas primeiras pala· de, Identificar-se raízes históricas
tra escrita dos textos constitucio- cemos um olhar retrospectivo so- processo polftico, não s6 através vras são de agradecimento pela que a todos nos pertencem.
nais e a sua aplicação". bre seus trabalhos, que hoje se en- de centenas de propostas remeti- distinção que me é concedida.
Hoje poderíamos juntar algo de das à Comissão de Sistematização, Honra e privilégio que atri- A descoberta das grandes ro-
cerram, em tão consagradora ceri- tas marítimas, cujo V centenário
mais grave, que é o seguinte : a mônia. vindas até do exterior, como tam- buo ao facto de representar Portu-
aplicabilidade dos textos depende, bém pela ação de grupos variados gal, na qualidade de Presidente da estamos celebrando, permitiu um
A idéia da Constituinte já se processo pioneiro de aproximação
paradoxalmente, da sua aplica- ID3nifestava , desde o final da dé- de brasileiros, que atuavam dire- Assembléia da República.
ção. tamente: sindicatos, empresários, Também nós, há pouco mais dos homens, o encurtar de distân-
cada de 70, através de o rganiza- cias e o encontro de culturas que
Esta situação anômala manifes- ções depois transformadas em par- militares, professores, mulheres, de uma década, elaboramos uma a todos nos toca. Em cada um de
ta-se fortemente no texto de 1988, tidos políticos. Em 1984, formou- fndios e negros. E ra estimulante Constituição democrática, agora nós ficou algo próprio de outros,
confumando-se aquilo que Olivei- se a Aliança Democrática, que in- e comovente sentir a mobilização em processo de revisão. que se introduziu na história e na
ra Viana chamou de Idealismo dicou o nome do saudoso Tancre- direta do povo, desejoso de cola- Por ajustamentos sucessivos, identidade de todos os povos que
constitucional" . do Neves para a Presidência da borar na obra de seus represen- iremos dispor de uma Lei Funda- represt:ntamos. Criaram-se laços
É importante insistir neste pon- República. Em 1985, já eleito pelo tantes. mental que, após a segunda revi- antigos de amizade, raízes comuns
to. A garantia dos direitos indivi- Colégio Eleitoral , o Presidente Senhores Constituintes: são que está em curso, convenha
duais é cada vez mais eficaz e ope- ao desenvolvimento e progresso que importa aprofundar e fert ili-
Tancredo visitou o presente ora- Concluída esta vossa tarefa pre- zar, retirando delas as potencia-
rativa nas Constituições contem- dor, no Rio, e o convidou para fe rencial, mas outro dever se abre do País, tendo em conta a popula- lidades criadoras e vivificadoras.
porâneas, mas a garantia dos direi- presidir uma comissão incumbida ao vosso cuidado e esforço. Este ção, os costumes, a situação geo-
tos coletivos e sociais, fortemente de redigir o anteprojeto da Consti- dever indeclinável é sustentar a gráfica, as relações políticas, as ri- A segunda palavra é um im-
capitulados nos textos, sobretudo tuição. Formada ela, com perso- Constituição de 1988, apesar de quezas, assim como as qualidades perativo de consciência.
nos países em desenvolvimento e, nalidades eminentes nas·áreas ju- quaisquer divergências com sua dos cidadãos. Saudar e prestar a nossa ho- -

6 Jornal da Constituinte
menagem ao Senhor Presidente dos seus aspectos essenciais: odes- sil, trazendo novos avanços em to-
da República Federativa do Bra- taque dado ao indivíduo em face dos os domínios, reafirmando o
sil, José Sarney, símbolo e encar- do Estado. Nela o cidadão aparece seu florescimento.
nação do seu povo e na pessoa muito mais protegido e menos à A elaboração da Constituição
de Vossa Excelencia a toda a gran- mercê de decisões distantes. ~erou um movimento de grande
de Nação brasileira. A colocação no texto dos as- a~t~resse em toda a população bra-
Brasil respeitado, novo e vi- pectos relativos aos direitos e ga- saleara. Como sempre aconte·ce nas
brante, cheio de esperança, res- rantias individuais antes das dispo- grandes transformações vêm sem-
taurado nos seus valores democrá- sições sobre a organização e pode- pre à luz do dia opções diversas
ticos. Terra de trabalhq, pujante res do Estado, demonstra simboli- e aspirações diferentes. Essa é po-
na sua força , grande nos idéias de camente a precedência e SUJ?rema- rém a força, a vitalidade e a essên-
paz, de conv1vência pacífica, de cia do indivíduo e da soc1edade cia da democracia representativa .
soluções negociadas. Potência de civil. Os constituintes brasileiros
hoje e do futuro , que se empenha Permito-me s ublinhar o s souberam encontrar a solução
no bem-estar dos povos. avanços consignados em matéria possível para um largo período de
Saudar, com admiração e afe- de regalias e direitos sociais de- paz e desenvolvime.nto, gerador
to, o Senhor Presidente da Assem- monstrativos da preocupação dos de um grande potencial de espe-
bléia Nacional Constituinte, Ulys- constituintes em dar expressão ao rança e de confiança no futuro .
ses Guimarães, grande obreiro da sentido de liberdade , solidarieda- Não posso agora deixar de re-
nova Lei Fundamental , que tão de e justiça social. Para que todos ferir uma questão que mais de per-
sublimemente representa todos os possamos usufruir dos avanços da to se relac10na com as relações en-
Senhores Constituintes, em quem técnica e do desenvolvimento. tre Portugal e o Brasil, realidade
nos revemos no trabalho, no dese- Pode seguramente afirmar-se histórica de um passado comum.
jo e no esforço determinados de que o texto constitucional brasi- Que se traduz no facto de permitir
concluir esta nova Constituição do leiro é dos mais modernos no que exprimir-me na lín~ua em que está
Brasil. diz respeito ao homem. redigida a Constituação e que é ho-
Se ja-me permitido ainda, Se- Não foram esquecidos o ra- je património de mais de 200 mi-
nhor Presidente da República e cismo, o tráfego da droga, a tortu- lhões de homens, repartidos por
Senhor Presidente da Assembléia ra, o terrorismo. Nem tampouco sete países, três continentes e tam-
Nacional Constituinte, que me de- o direito reconhecido ao cidadão bém o falar de múltiplas comuni-
tenha por um momento a evocar, de ter acesso a informações sobre dades dispersas pelo mundo.
com saudade e reverência , a me- si P.róprio em poder das instâncias Não esqueço que no Brasil se
mória do Presidente Tancredo Ne- publicas. encontram c1dadãos originários de
ves. É imperioso reconhecer e todas as partidas do mundo, tal
Esta sessão solene, ornada Victor Crespo falou pelos convidados estrangeiros louvar o filcto de a nova Consti-
com uma moldura humana plena como sucede nos outros países da
tuição brasileira estar impregnada América. O cruzamento de múlti-
de brilho e dignidade, própna dos dos direitos humanos e sociais.
momentos mais altos e mais no- surgimento de uma democracia é que também aos timorenses seja plas raízes deu origem a um ímpe-
Hoje uma preocupação interna- to de criatividade que confere ao
bres da história do povo brasileiro aco~tecimento que nos é sempre reconhecido o direito básico de cional. Brasil e aos países do Continente
é também ela um instante de exal- particularmente grato. Em espe- determinarem o seu destino, no
tação das instituições representa- cial no momento em que se veri- respeito pela sua cultura, no que Neste ano em que se celebra Americano uma cultura e uma vi-
tivas. Que · nos seus nomes diver- fica uma tendência clara para o estamos certos contaremos com a o quadragésimo aniversário da talidade ímpares. Que a todos nos
sos nos fazem recordar que a histó- estabelecimento e consolidação compreensão e ajuda de toda a proclamação da Declaração Uni- enriquece .
ria e a realidade de cada país têm das instituições democráticas na comunidade dos povos amantes versal dos Direitos do Homem im- Saúdo as disposições consti-
América Latina. Os ventos de de- da liberdade. po~;ta afirmar que ela se mantém tucionais sobre o estatuto de igual-
de ser refletidas nas instituições
que lhes são próprias. O que é im- mocratização estão varrendo to- A democracia implica o plu- com plena actualidade. Importa dade entre portugueses e brasilei-
portante é que elas sejam o local dos os continentes. ralismo político e a garantia das refletJt que os seus princípios ain- ros.
primeiro da expressão da vontade O exemplo que nos é dado liberdades individuais. da não são por toda a parte inteira- É a expressão do desejo de
do povo, o fórum onde se refletem pela grande Nação brasileira, que Mas não se fica por aí. Há mente respeitados. O homem pri- uma ainda maior aproximação en-
e debatem as ansiedades e as espe- exerce urri papel do maior relevo que considerar a democracia so- vado dos seus direitos deixará de tre os nossos dois países que aqui
ranças, o espaço onde se forjam na cena internacional, contribui cial e cultural que confere aos ho- viver humanamente. Negar-lhe o quero salientar.
as leis que dão resposta às necessi- seguramente para dar mais alento mens uma efectiva igualdade de seu uso é empurrá-lo para actos Empenhar-me-ei para que a
dades de progresso e desenvolvi- aos processos de democratização oportunidades de se realizarem de desesperados no caminho da de- legislação portuguesa trilhe cami-
mento ; onde se faz a pedagogia que se antevêem. acordo com os seus desejos. E sordem política e social. nfios semelhantes.
das opções, dos modos de sentir Alargar a Comunidàde De- também uma democracia econô- O exemplo que nos vem da Também neste aspecto a no-
e pensar, das soluções propostas mocrática das Nações é mais um mica que garanta uma correcta Constituição hoje promulgada dá- va Constituição deu um passo ino-
por cada um ; onde se discutem, passo na consolidação dos laços distribuição dos rendimentos que nos mais força para reafirmar a vador e significativo na aproxima-
apreciam e fiscálizam as decisões de cooperação entre países, no es- eliminem assimetrias gritantes. nossa fé e a nossa esperança num ção dos homens e dos povos; no
de outros órgãos para que a socie- treitamento de relações fraternas Não são separáveiS da Consti- mundo melhor, para concluirmos alargar os limites da igualdade dos
dade nacional se reveja na perma- e saudáveis. tuição os movimentos de opinião que haverá um futuro mais bri- cidadãos; no encurtar distâncias;
nente necessidade de afirmação na É também caminho seguro que lhe dão origem. Ela que é um lhante e de progresso para a huma- no partilhar os patrimônios co-
feitura dos caminhos do futuro. para uma solução de conflitos e acontecimento político e social ab- nidade. muns.
As actividades do Parlamen- guerras, que infelizmente ainda solutamente capital. A nova Constituição para Vou terminar.
to têm uma repercussão profunda grassam aqui e além , com o seu A nova Constituição brasilei- além do realce dado aos direitos A alegria de sermos testemu-
nos destinos do povo. cortejo de misérias e horrores, ra é moderna e avançada, fonte individuais é também uma das nho deste momento histórico; de
Os Parlamentos, como aliás pleno de desperdícios de vidas hu- de paz e progresso , em sintonia mais modernas em questões so- partilharmos este clima cheio de
tudo na vida, precisam de ir adap- manas e de haveres, que distraem com a mentahdade e vontade do- ciais. esperança; a antevisão de um futu-
tando o seu funcionamento para esforços da tarefa ingente e neces- minante de uma população pací- Nela existe a preocupação de ro de prosperidade de uma grande
dar as respostas adequadas aos sária do desenvolvimento. fica desejosa de progresso e bem- salvaguardar as camadas mais des- vivência democrática de liberdade
pro'Qiemas nacionais. Mas o refor- Nos anos derradeiros deste estar. favorecidas da população, trazen- que sacode cantos e espíritos,
ço do seu papel , o aumento da século vamos assistindo na comu- Classificou-a Vossa Excelên- do-lhes beneffcios palpáveis na constituem razão mais do que bas-
sua importância está hoje , como nidade internacional a um esforço cia , Senhor Presidente Ulysses área da segurança social, da saú- tante para em nós sentirmos o
sempre, na ordem do dia dos paí- significativo em direcção ao res- Guimarães, de " Constituição ci- de, da educação. Sai reforçada a grande e pujante coração do Bra-
Ses democráticos. peito pelos direitos humimos, ao dadã" . Forma feliz de exprimir um sociedade civil, já pujante no Bra- sil. Para sempre."
É assim que a nova Consti- reconhecimento do homem, o
tui~ão brasileira fortalece e r.res- mesmo é dizer ao respeito pela
tigla o Congresso Naciona , de Democracia e pela liberdade que
modo a permitir um aberto e fran- só existe em ambiente democrá-
co debate dos assuntos que afec- tico.
tam directamente a vida dos cida- Que melhor poderíamos de-
dãos. sejar para o século XXI , do que
Ne s ta me s ma ordem de podermos encontrar um mundo
idéias vem igualmente reforçada mteiramente livre. De paz e de
e fortalecida a Federação. concórdia.
A importância dos Congres- O Brasil da nova Constitui-
sos democráticos ressalta desde lo- ção vai necessariamente fazer
go .Po~que a eles cabe ~la~o;ar a avançar e reforçar as relações da
Let Pnme1ra - a Constltutçao - América Latina com a Europa,
e com ela a definição do re~ime facto que quero registrar.
que rege a colecti vidade pohtica, Co m a Revolução de 1974
a sua estrutura, a sua ordem pró- também nós portugueses fizemos·
pria, a organização interna das di- a democratização do país com a
versas relações, a distribuição de necessária conseqüência do reco-
competências e funções. nhecimento da independência dos
A Constituição define e ex- povos que então colonizávamos.
prime concretamente um regime. Sentimos, porém , na carne o
Por isso ao saudarmos esta pesar de que não tivesse sido ou-
nova Constituição também esta- torgada a autodeterminação do
mos a realçar a instauração da ge- povo de Timor-Leste. Estamos a ·
nuína democracia no Brasil. Ores· desenvolver todos os esforços para De pi, os constituintes aplaudiram a saudação do representallle portllguls Victor Crespo

Jornal da Constituinte 7
,
----
..,..
cu.ro. tto a.-u u. ct
=-=-==.-------·
---
----- -------
-....-~--- ----­

--------......... --
------ - - ~--
• PRE FEITURA MUNICIPAL DE CLEI!IENTINA
c.c ...-.....-....
............._ " - . J» ·e:: :•:.";.':!t • CIP ,.-,. • o..&WE"Jrm•A

----
or. •' CIOI,IIe

- _.,.. _...
....
!Wutl
~

,.......... Jt.nAl ta c....u...,.t.


,_,... hcn•• "'l..Ut ...tt M ,., ...
.. r •• ~ •• _,ui • .,..,, ,.._" ,........u •• 'un•• ,. --u.a.. -•
........
••. , . . . . . , . - . . ~. . . ...t . . .. . . . . . . . . . . . - ...., ........ . '"'""' '
.... ( __,...• ••• 11•1'-· ,,.. ••• - • lt !tC t f f - t • . . ..... , -
,..,,.,.,. ~· " _ , , .., c- •' ' " • .,., ,,hltU.., ·~ 1 41 w ! hu t
~!.! ......... · - . . ... ......,...••• - ...... ""' , . . ... ........_
- ,. ,.,~ ... • lo , , .. , ,,,,..,.., ., -.c...r.
,. ........... ... ~ M ........r . . . ,._,.{ft l, ..,. .-btl.
uma equipe de nove profissionais cedi·
t1 ta C...U.tu.dlo tM ~tlt .......
,.,.. ...... -;;w:,.~
·::rr.:-~ O RITMO
..... ....... . "''· .. u lt.
lo4ílo t l! •- · ·
"'-~' ... ' · . .,~
No seu Regimento Interno a Constituinte, já vislunbrava a necessidade feitos, nos primórdios do processo cons·
de criar seus próprios canais de comunicação. Com todo o respeito, Não tituinte, o jornal abriu espaços para o Enquanto explicava a mecânica da
Uma "voz" leva dos pela Radiobrás. •• ,...., • ,..... ........ "1 ... .......U.t!Utlu · - ~
........... ,.......... ,)Oo..-1 , ...n.... .. tio,..,..............

poderia ficar apenas sob o julgamento e a eficácia da tradicional mídia, de bate. As mesas-redondas q ue orga· Ao longo da Constituinte foram 660 . . . . . . .Ut4rt&.

sempre angulada e orientada. Nem sempre em condições de atingir toda anizou em suas primeiras edições eram
pró pria ante visão, em escala reduzida,
Constituinte e lhe reproduzia seus mo·
mentos, o jornal - sem pregar susto ao Brasil o programas colocados no ar ou mais de
55 horas de info rmação objetiva sobre
,............
. . ....,.. .. - , . , ...r to~•l, ..1~

a população e tratar a informação com isenção. nos seus fié1s leitores- introduzia leves
do grande debate que a nação assistiria
Do próprio Regimento nasciam, então, o Jornal da Constituinte , os durante os 20 meses de Constituinte.
programas Voz da Constituinte, no rádio, Diário da Constituinte , na televi-
inovações em cada edição. Assim , a se·
ção " Plenário" se somava à seção " En·
eco da mudança todos os ângulos do processo de elabo·
ração constitucional.
Na seqü~ncia, falaram as lideranças. trevistas" (mais de 400), que se comple· Explicar a Constituinte foi o papel de·
são. Ao mesmo tempo, Câmara e Senado emprestavam á Constituinte Generoso espaço para a revelação dos tava com os artigos assinados por paria· sempenhado pela Voz da Constituinte,
seu aparato de comunicação, como a Voz do Brasil, que , no período seus projetos partidários. Todos fala· mentares na página 2, onde " livre pen- Nas ondas do rádio, a Constituinte tanto em seu ho rário tradicional como
da ANC, também passou a se chamar Voz tÚl Constituinte, bem como · ram: do l(der do gigantesco PMDB. que sar era só pensar". Quando começaram falou com o Brasil ("E com o mundo!" nos dois novos programas diários. A CO·
o " Boletim da Constituinte" um informativo diário. chegou à Assembléia com 305 paria· as reuniões do grande plenário, lá estava - diria um velho e humilde locuto r). meçar pela receita do bolo, depois seus
Toda a responsabilidade de irradiar a Constituinte em forma de noticia mentares, ao ICder de partidos com ape· o JC acompanhando uma a uma as vota· éom 30 minutos diários, só a tradicional ingredientes, um a um, at~ chegar ao
ou em l.'rogramas de características didáticas ficou a cargo do primeiro nas um representante. Ao lado disso, ções, reproduzindo o texto novo que ia Vo z do Brasil reproduziu a opinião dos grande plenário, onde se registraram to·
uma cobertura completa de tudo o que nascendo e o escore registrado no painel parlamentares, explicou a mecânica das
secretáno da ANC, deputado Marcelo Cordeiro (PMDB-BA). votações, traduziu o texto constitucional
das as 1.018 votações, em primeiro e
Com o pessoal efetivo das duas Casas do Congresso e com equipes se desenrolou nos corredores, nas gale·
rias, nos bastidores e nas dezenas de
eletrônico.
em suas várias fases em 165 horas no
segundo turnos.
emprestadas pela Radiobrás e EBN o trabalho de divulgação da Consti- salas onde se reuniam Hderes partidários Da reunião de pauta, às segundas-fei- Mas, mais importante do que isso, A
ras, até o fechamento na sexta-feira da ar.
tuinte assumiu dimensão nunca registrada em qualquer evento ou orga- ou grupos suprapartidários. Regimento Voz da Constituinte se fez uma cartilha
nismo oficial, cobrindo todo o território nacional por um sistema de multi· pronto, o JC passava, então, a acompa· primeira à 1& página, nunca houve lugar Nos dias mais agitados, até 100 pro· eletrônica, traduzindo um por um os dis·
para privilégios. JC cobria uma assem· nuncia mentos foram sintetizados para positivos para dizer o que eles significam
mídia. nhar todos os momentos das 24 subco· bléia de 559 iguais. Nem mais nem me- levar a todos os brasileiros o clima do
Dessa eficiência dependeu também a mídia tradicional - revistas, jor· missões, depois as oito comissões temá· na vida de cada brasileiro.
nos. Do mais votado ao suplente. nunca grande plenário. Uma verdadeira caixa
nais, rádios e televisões privadas, que passaram a ter acesso à informação ticas, pubhcando seus relatórios, q ue houve julgamento sobre o nó da gravata de ressonância da representação popu· Promulgada a nova Constituição, a
mais ordenada e facilidade de acesso às fontes de notícias, aJém de apoio iriam desembocar na Comissão de Siste· do parlamentar, nem espaço reservado Com esta equipe a Constituinte CMgou a toiWs os vhhos brasikiros. lar, cobrindo todo o território nacional Voz da Constituinte volta a se chamar
técnico para operação de equipamentos e credenciamento de profissionais. matização,
plenário.
o nde se ensaiou o grande para seu charme pessoal ou sua origem. por mais de duas mil emissoras de rádio Voz do Brasil, em horário permanente
rado por equipe de profissionais contra·
O Brasil conheceu a primeira emenda
de iniciativa popular nas páginas do Jor-
Interessavam suas idéias, suas propos·
tas, sua atuação constitucional. 559 eStrelaS tados , alguns cedidos pela Radiobrás,
já que o Congresso Nacional ainda não
e mais 30 milhões de aparelhos recep-
tores, pelo menos um para cada domi-
das 19:30 ás 20:00 horas. E, como sem·
pre, estará acompanhando toda a efer·
vescência do parlamento na votação das
Enquanto os parlamentares escre· cílio em todo o Brasil.
&-l~ -~~ ; ~lts Um Jornal sem se orgulhar de ter registrado tanta His-
tó ria.
nal da Constituinte. Vinha de um bairro
pobre da cidade de Salvador (BA). O
viam a Carta, JC Constituía um jorna· no programa dispõe de núcleo de televisão.
Editada permanentemente pela As-
leis complementares e ordinárias. Con·
correndo com as novelas, A Voz doBra·
QoaiiO !IW lollvu.< ~V66>1Õot1 ~ -..c. m teresse humano sobrepujava o polC·
lismo renovado semana a semana pela
Didático, mas com todos os ingre· sessoria de Divulgação e relações públi-
<!Jic• IIH!U . ângulos. Feito
História foi o que fez o próprio jornal,
embora algumas correntes historiográ· tico: a emenda, com mais de 30 mil assi·
densidade de informação e por uma li·
guagem desoficializada, didãtica. às ve- do novo país dientes do jornalismo factual , foi assim cas da Câmara dos D eputados e pela
sil continuará sendo a voz do parlamen·
to e falando para todos os brasileiros,
Q~ ({..,19cii~i •t a~<OC•~ • ·~ ficas não aceitem o jornalismo como naturas, pedia, apenas um recanto para zes, interpre_tativa e até opinativa, nun· que o DUrio da Constituinte interpretou Secretaria de Divulgação e Relações Pú· 40 milhões diariamente, segundo os ór-
~ ~oiM ~·~ p....,, tOIIlÔ~
só com os fatos fonte de investigação histórica. Isso não os aposentados: ca especulat1va. Um programa de televisão com 559
a obra constitucional e a traduziu como
o maior acontecimento político do País
blicas do Senado Federal, a Voz doBra·
si/ foi transformada em Voz da Consti·
gãos de verificação de audi~ncia.
~O:.eo!o<>\ ~ ~.,._..111)&.9 A IIHs a. Ullll vale para o JC : não houve um só lance Com isso o JC não se descuidava de Diz-se que a falta de comunicação le·
1>.•~ V•l \ "t~\I<IIUM <'..1> ~ ~O de toda a Assembléia Nacional Consti· estrelas para fazer brilhar o poder legiti· neste limiar de século. Oficial, sem tom tuinte no período da Assembléia, quan· A equipe da Voz da Constituinte
va à solidão do poder. Muito ~over­
~.\'n!t4t0 , \4'-0 O . G.O.f'.liC:.
~... ,.,.__ lo C:.... ~C>'IU,..~ Jl!. I'Ú~t>
-L. G\IÃ:
Pelo menos uma coisa há ein comum
tuinte que o jornal não tenha registrado.
dois ingredientes saborosos do jornalis·
mo, o acidental e o original. Ao lado nantes - pouco afeitos ao cristalino da
mado pelo voto popular. E, no seu mo-
mento mais alto, o rarlamento, como
oficialesco, simples, sem se descuidar da do ganhou mais duas transmissões diá· Coordenadora: Ana Felfcia de Cara·
da neutralidade do factual, do registro democracia - amargaram a falta desse linguagem televisiva; objetivo, mas sem rias de cinco minutos cada. cas Linhares; sub-coordenadora : Bea·
11t»0 Qua '"' ~~ OOJoo !lo ,,,_r.._ entre a Biblioteca de Ci~ncia PoiCtica O FATO COMO FOI Assembléia Naciona Constituinte, foi ignorar o acidental e, ás vezes, até mes· triz de Almeida Reis; repórteres e reda·
\fO.M,~U to <X).lQi.t~lto.~ 6M~~ '-i {'~~ da Harvard University e o grupo escolar A informação não é feita somente de frio e objetivo, dosava-se a informação eco que responde da rua, da fábrica, audi~ncia absoluta. Não para vender o Esses dois novos ho rários, tambéin tores: Zilva Maria Ferrerra, Maria Célia
~ Cba., fi. ~.n.~ f"lt<~tÕ.\1\~ com o mol.ho da emoção irradiada por da escola ou da roça. A Constituinte, mo o inusitado, o Diário da Constituinte
de Borrazópolis (PR): uma coleção do declarações ou de esclarecimentos. Ela ima~nário , a fantasia , ou para promo· transmitidos em cadeia nacional de rá· Bezerra de Menezes, Reiko Miura,
fez notícia sem truques de edição, nem
· ~'"l aev;u... l•~~ !lE l!tu~·-s IM Jornal da Constituinte. Mas se um dos comporta, sobretudo, os fatos. Para o mais de 80 mil sugestões populares que
antecederam à Constituinte, e , depois,
como poder maior, soberano e legítimo.
não poderia experimentar esse gosto de
ver msólitas vedetes, mas para repro· elegeu vedetes, tal qual cometas caden- dio, ficaram sob responsabilidade direta Dayse Nascimento e St~nio Ribeiro; au-
~ ~~ ~ <lu."t. "h"'t -'it~ ~PC!iln1 maiores templos do pensamento político Jornal da Constituinte, o mais impor· duzir o real de todo o debate e elabo- da 1• Secretaria da Constituinte, e os xiliares: Harrisso.a Alves Reis e Hema-
pela agitação das galerias e corredores, solidão. O Jornal da Coostitulnte, como tes , afmal, teve uma estrela destinada
Tlrl ocidental pediu uma coleção do jornal, tante era "o que acontecia". não o que ração da nova Constituição. a brilhar pelos tempos: a nova Consti· programas passaram a ser editados por . nio H ermes Silva Tatico.
coloridos pelos grupos de pressão. seu principal braço informativo, cum·
10\Ó ~ !1... ~.."~ o mesmo não precisaram fazer mais de
48 mil vereadores, mais de quatro mil
este ou aquele "informante ou grupo po·
Utico, gostaria que estivesse acontecen- Nas fotos , re9uintadas pelo alto grau priu seu papel: o de transformar o fato O Dürio da Coostitulnte, criado pelo tuição brasileira . A equipe do Diário
de profissionalismo, revelaram-se os (e que belo fato ... ) em notícia e vê-la Regimento Interno da Assembléia, foi da Constituinte:
0&\ Gvw> !lã l.n:. UolbiO prefeitos de munícipios, afguns dos do".
quais nem estão nos mapas recentes do fragmentos da alma constituinte. irradiar-se alegremente por este País. ao ar pela primeira vez no dia 8 de abril
- ~ ~· ""-0 1>1> <br1ntvÔIU:: E quando esses fatos ainda eram rare- Coordenadora: Leila Daher, editores
,_,, .ll:•o """'"f ffiGE . de 1987 e fe.cha sua edição com a pro· de vt: Valdemir Pinto Magalhães, Clau·
mulgaçáo da nova Carta, com 716 pro· dio Augusto Lisboa Gonçalves e Hébio
~,- -ô!\. e. ~>\J<I't4110 I - fui!J.iot.»> Uma lista infindável de " assinantes", gramas no ar, transmitidos por 170 emis·
•< •,.,.: ..~ ~ ~ .ui;(.. <l.ue inclui 26 mil sindicatos, dez mil asso- Robrigues de Lacerda; editores de tuto:
.,_ soras de televisão. Ana Catarina Ribeiro Gralha, Sandra h rAo lido • ·~D~T~- 1 a. c-..u~-t.•••
Ciações, milhares de igrejas, terreiros de
.. •.
:-re:o!<:-\L-. tY d rJ-..c. eu.u,, COO' Ul tu! to, d •M a
umbanda, escolas, universidades, em· Ao longo desse tempo o Dlúio da Carla de Deus Inácio e Célia Maria dos •:':"C~c..t.:l'!'ât ., • .:=r:-~1 , a\.1 oo ...n eoeeati."'to.. ,.;;..
'\. Santos Ladeira Mota; cinegrafistas: Ser-
baixadas, além de agências do Banco Constituinte registrou os momentos im· '- •: :n ~\l(;lii'Js l!M, ola.re • ~0\0.0 4t lft'o
(
'• do Brasil. Enfim, uma rede de milhões portantes da Assembléia, da insta.l ação gio Raimundo , Elder Miranda, Marco
à promulga~ão. Foi a própria imagem Antonio Tavares, José Edivaldo Bezer·
de brasileiros que leram ou soletraram ra Xavier e Juarez Conceição Dorneles;
62 edições de um jornal feito com simpli· da Constitumte, com 4.871 entrevistas
de parlamentares e mais de 300 cida· produtores: André Luiz l~nes Ardens
cidade de quem não quer rc:inventar o de Oliveira Luz e Deográc1a Lopes Pio· !bte,.(OJ ~l- h Mrto bllo-.-ll!r.
jornalismo, apenas utilizá-lo como fer· dãos, muitos represe ntando grandes JTo~ dtt Ce n:tzoo C{YS.co,.,la

ramenta democrática. movimentos com unitários ou entidades to; chefes de reportagem: Aníbal José • 9),0.. Clpsqpl-P;mJ&e

classitas. Ribeiro e Virg.íma Malheiros Galvez: re-


No retom o, cerca de dez mil cartas pórteres: Tereza Mcdowell, Tânia Mara
de leitores. Uma pena. Nem todas pude· Além do que passou pelo vídeo de Viegas, Vera Maria Batista Ramos e
ram ser publicadas. Mas valeu o registro todos os brasileiros. o Diário da Consti- Yara Selva Veiga de Lemos. locutor :
dessa mão-dupla que o JC Estabeleceu
com seu público. gerando um fenômeno
incomum na História da Imprensa brasi·
!eira. Foram essas mesmas cartas e o
apelo de milhares de entidades que fize.
tuinte montou um acervo inigualável pa-
ra a memó ria da Constituinte da era ele·
trónica. São mais de três mil horas de
gravações indexadas que , ao lado, dos
re~stros da Voz do Constituinte do " Bo·
Airton Miorim de Medeiros; chefe de
operações: José Ataliba Alvares Filho;
auxiliares de cinegrafista: Bertrando Gil·
ben o da Silva, Wilmar Bastos da Silva,
Franklin Carvalho da S. Xavier, Wilson
---
-- .........-•

ramo jornal subir de 40 mil exemplares, letlm da Constituinte" e do Jornal da Jurandyr de O.L. Júnior, Rinaldo das-
na sua primeira edição de I• a 7 de julho Constituinte constituirão a base da me· Chagas Loiola, Olavo Gomes de Olivei- ~r(?~),,, 4-<. -n-io 4<. m.
de 1987, para 100 mil exemplares. E pa- mória desta Assembléia. ra, José Lúcio da Silva, G uaracy Vieira
ra comemorar é claro, esta edição está Bustamante, Emanuel Alves Ferreira e ,6rJUrt. ~-~ (Jcd;r;ro/n-n.
prevista para 150 mil exemplares. Afi· Editado sob a responsabilidade da Mácio Leal Carvalho; motorista José Ri·
nal, poucas publicações no Brasil podem Um registro histórico tamb~m para a equipe do Jornal da Coostitulnte. Mesa, o Diário da Constituinte foi elabo· bamar Pereira Fonseca. Eurico Schwinden
.h.-~-
~u: ~·,4 o ~ ~""""'""'
€4c r /t6rlo €.1••• ']>utl •• (..../"
1 / ?t,.JJ ~ ~ elA COYI"Yh ~I<- ~ .,._{~ VI , v~.

~
AO • OCA CIA

o~ ~
-
?~~)" o. f..ú!. (,.._.r- bdo .<:.W.J"r' -
- ........--;-,
I oM. 1 yH ft>..v.k.. 41.1>1'f" ~44 o. ""~' ~ ... ~ ·1-fd .
·~ ~ ~l-r> hl~ .:(A. - p..~ da.~
h..
, -fM..4d.r)
r~- ,~.....,
~
~A'> ~u-:..14<1
". ~- <;:. ._ 4... ;....,~ -u. a.e..--;...a.nl.....,_
t::l
.,, "" r lwwv> ~.~ M>~ ,., J- r~-..., ~~ ....
o". z...~ ..... ,:w.-....
:....:0' M>t.. ·c.. 4, - tt.... >--'- ~._
~ Wl> .(.. 1') }<A 4vv...-. b ..., _~ d4l> A ,/"" -e .
~

8 Jornal da~Constituinte 9
Na festa da nova Constituição fé,
O dia da promulgação, 5 de ou- te, e o deputado Valmir Campelo,
tubro, amanheceu com ares de fes- o representante de Brasília eleito
ta , embora uma chuvinha leve pela maioria dos votos no primeiro
ameaçasse cair. A cidade acordou pleito realizado na capital federal.
preparada para o grande ato cívi- Pela tarde não foi menos inten-
co: a entrega da nova Constituição sa a programação. Momentos an-
ao país, 9ue, no dizer da ~rande tes de dar início à cerimônia oficial
maiOria, e a melhor que já tivemos de promulgação da nova Carta, o
até hoje. presidente Ulysses Guimarães,
Os constituintes começaram ce- acompanhado pelo presidente Jo-
do o seu dia. Logo pela manhã, sé Sarney e pelo presidente do Su-
convidados pelo IBDF, foram ao premo Tribunal Federal , Ministro
agora denominado " Bosque dos Rafael Mayer, passa em revista as
Constituintes", junto à Praça dos tropas perfiladas em frente ao
Três Poderes, onde cada um deles Congresso. Na Esplanada dos Mi-
plantou uma árvore. A esperança nistérios, o povo acompanhava a
- disse uma constituinte - é de solenidade, num misto de alegria
que, tal qual uma árvore , esta e respeito . Tendo sido decretado
Constituição, cuja semente é hoje ponto facultativo, muita gente fez
lançada no coração do Brasil, cres- questão de tentar uma chance de
ça e frutifique , enchendo o povo assistir às cerimônias que marca-
deste país de muita paz, progresso ram a promulgação da "Constiui-
e just1ça social. ção da Primavera", uma das várias
Na rampa do Congresso, após denominações dadas à nossa Lei
o plantio das árvores, Já havia gen- Maior. Depois da sessão solene,
te esperando. Principalmente jo- que teve início às 15h30min , uma
vens. Desde o tempo das diretas- cerimônia simples, porém muito
já, a rampa tornou-se um local significativa, a do lançamento do
simbólico para onde acorria o po- selo oficial comemorativo à pro-
vo em busca de democracia. Valeu mulgação da Carta.
a espera. Foi para ela também que Coroando as comemorações, à
o povo correu quando a chuva, noite, no restaurante do Anexo 4
embora miúda , obrigou o cerimo- da Câmara dos Deputados, o pre-
nial da Câmara a mudar, de última sidente da ANC recebeu as dele-
hora, o local onde seria celebrado gações estangeiras para um jantar.
o culto ecumênico. Abriram-se as Cerca de duzentos convidados
portas de ambos os salões da Câ- brindaram a nova Constituição
mara, e q_uem consegiu um lugar- brasileira e, ao final, depois da fala
zinho ass1stiu ao ato religioso, ali do presidente Ulysses Guimarães,
no salão de baixd, onde o calor a parlamentar Alda Espírito San- Ao culto, que deverÜJ ser campal e acabou sendo cele- foi a grande nota da cerimônia: as músicas e as prédicas
era grande, dado ao acúmulo de to, presidente da Assembléia Na- brado no grande salão térreo do Congresso Nacional, do cardeal católico e do pastor evangélico foram aplau-
pessoas. Quem não teve a chance cional Popular de São Tomé e por causa da chuva, compareceram não apenas os consti- didas intensamente. Além do entusiasmo, a alegria após
de uma vaga se espalhou pela ram- Príncipe , em nome dos convida- tuintes e suas fam{/ias, mas grande número de populares a celebração do culto tornou diffci/ ao presidente Ulysses
pa e de alguma maneira participou dos, fez os agradecimentos e disse que, desde cedo, aguardavam o seu início no gramado G14imarães deslocar-se para o Salão Verde ante a euforia
da cerimônia: até lá chegavam os da importância do Dia da Promul- em frente ao edifício. Apesar do calor e do espaço peque- dos presentes que desejavam abraçá-lo e congratular-se
acordes dos hinos cantados pelo gação. M com relação à quanlitúlde de pessoas, o entusÜJsmo com ele pela grandiositúlde do momento.
coral e o ressoar das palmas com AOJltP/Reyulclo Stanlc
que os assistentes saudavam os ce-
lebrantes do culto.
A manhã parece se ter desdo-
brado. Mesmo com o atraso para
o início do culto, por causa do tem-
po, o presidente Ulysses Guima-
rães cumpriu uma extensa agenda,
sem atropelos e com muita alegria
e disposição. Depois do culto ecu-
mêmco, o presidente da ANC e
sua esposa, D . Mora, acompanha-
dos pelo senador Mário Maia e
pelo deputado Arnaldo Faria de
Sá, receberam os cumprimentos
dos representantes dos governos
estrangeiros, especialmente con-
vidados para a ocasião, e dos em- Os presidente da Constituinte, Ulysses Guimarães, da República,
baixadores de seus respectivos José Sarney, e do Supremo Tribunal Federal, Rafael Mayer, passam
países. Assim lá estavam delega- em revista as tropas perfiladas em frente ao Congresso Nacional na
ções dos paíse~ do continente ame- solenidade de promulgação da nova Constituição.
ricano e da Africa de expressão
portuguesa, assim como de Portu-
gal e da Espanha. Após o coque-
tel, que teve lugar no salão nobre
do Congresso, foi a vez de inaugu-
rar o Mural Cívico da Constitui-
ção, uma obra assinada pelo artis-
ta plástico Otávio Roth mas, como
ele mesmo explicou , contou com
a participação de 5 mil cidadãos
brasileiros, e foi composto por mi-
lhares de quadrinhos coloridos,
com mil letras escritas pelo povo.
O mural transcreve o preâmbulo
da Constituição e o artigo 59 que
trata dos direitos individuais· e co-
letivos.
Foi ainda pela manhã que acha-
ve da cidade de Brasília foi entre- Como parte das comemorações da promulgação da Constituição
gue a Ulysses Guimarães pelo go- Em homanegam à nova Carta, o Instituto Brasileiro do Desenvol· cidadã, o governador de Brasflia, Joaquim Roriz, entregou a chave
vernador do DF, Joaquim Roriz. vimento Florestal (IBDF) criou o Bosque dos Constituintes, localizado da cidade ao presidente da Assembléia Nacional Constituinte, Deputado
O simbolismo da cerimônia foi na Praça dos Tris Poderes, entre o Panteoh da Liberdade, o Mastro Ulysses Guimarães. Na ocasião, o governador fez uma analogia do
ressaltado no momento: ali esta- da Bandeira e a LBA. Todos os Constituintes plantaram uma árvore. ato simbólico com a já famosa assiduidade do presidente da ANC,
vam os dois constituintes mais as- Na foto , o presidente Ulysses Guimarães, acompanhado do Ministro denominando-o de "guardião da Constituição ", ao que acrescentou a
síduos de toda a Assembléia , da Açricultura, /ris Resende, e de parlamentares, planta um rarfssimo observação de que, ao seu lado, estava o· segundo constituinte mais
Ulysses Guimarães, seu presiden- pau-ferro. assíduo de toda a Assembléia, o Deputado Valmir Campelo.

10 Jornal da Constituinte
semente, e o selo do futuro
ADIRP/RobertO Stuclter1 ADJRP/William Ptescott

Países amigos comemoram o Brasil democrático


Na festa de promulgação da no- gresso Nacional ; Suriname: depu- gentina: deputado Marcelo Stu-
va Carta , o presidente Ulysses tado Jaggernath Lachman, presi- vrin; Estados Unidos: deputado
Guimarães, com a sua esposa, D. dente da Câmara dos Deputados; lrving Stolberg .: Sri, presidente
Mora, o senador Mário Maia e do Canadá: senador Gerald Otte- da NCSL e presidente da Assem-
deputado Arnaldo Faria de Sá re- nheiner; Angola: Pedro de Castro bléia do Estado de Conneticut, se-
cebem os cumprimentos dos re- Van-Donem, ministro de Estado nador Raggio, presidente do Se-
presentantes dos governos estran- da Ener8,ia e Petróleo; Cabo Ver- nado do Estado de Nevada, John
geiros, que estavam acompanha- de: A bllio Augusto Monte iro Andrea, presidente do Staff da
dos dos embaixadores dos seus Duarte, rresidente da Assembléia NCSL, Carl Tubbising, diretor-e-
países lotados no Brasil. Compa- Naciona Popular de Cabo Verde ; xecutivo da NCSL, Abdo Baak-
receram as seguintes personalida- Guiné-Bissau: deputada Carmem tini , diretor do IDP - Suny-A;
des: Portugal: Victor Crespo, pre- Pereira, rresidente da Assembléia e Antígua e Barbuda: deputado
sidente da Assembléia da Repú- Naciona Popular de Guiné-Bis- Cassord Murray e Sri, presidente
blica de Portugal; Uruguai: sena- sau : San Tomé e Príncipe: Alda da Câmara.
dor Enrique Tarijo, presidente da Neves Graça do Espírito Santo,
Câmara dos Senadores e Assem- presidente da Assembléia Nacio-
O presidente Ulysses Guimarães, tendo ao seu lado o Ministro bléia Geral ; Peru: senador Ro- nal Popular de San Tomé e Prín- RETIFICAÇÃO
das Comunicações, Antônio Carlos Magalhães, carimba o selo oficial mualdo Biaggi Rodriguez, presi- cipe; Bolfvia: senador Guilermo No número 62 do Jomal da COIIICJtulatc
lançado para comemorar a promulgação da Constituição. Na foto, dente da Câmara de Senadores; Jimenez Gallo; Espanha: deputa- publicamos que Panamá estaria ausente da
à direita de Ulysses Guimarães, o presidente do Senado Federal , Hum- Paraguai: senador Ezequiel Gon- do Francisco Gramados: 29 vice- solenidade de promulgação da nova Consti-
berto Lucena. Com valor facial de 550 cruzados e uma tiragem inicial zales Alcina, presidente do Sena- presidente do Congresso Espa- tuição. Entretanto, o Panamá compareceu
ao ato. na pessoa do deputado Hugo Gi-
de 300 mil exemplares, o selo apresenta um cenário de Brasí1ia onde do; Cuba: Severo Aguirri , presi- nhol; Panamá: deputado Hugo raud, representante do presidente da As-
se destaca o conJunto arquitetônico da Câmara e do Senado Federal. dente da Assembléia Nacional e Girau presidente da Comissão de sembk!ia daquele País, Celso Carrizo, con-
h;npresso pela Casa da Moeda, o bloco foi desenhado pelo artista do Poder Po(lular de Cuba; Repú- Relações Exteriores; Equador: vidado pelo presidente da ANC, Ulysses
Alvaro Martins. É confeccionado em papel couché gomado e fosfores- 1:-lica Domimcana: Francisco Or- deputado Wilfrido Lucero, presi- Guimaraes.
cente. com processo de impressão em otfset. tega Canela, Presidente do Con- dente do Congresso Nacional; Ar-
ADIRP/Reynaldo Stavale

OS NÚMEROS DA CONSTITUINTE
1• FASE
A Assembléia Nacional Constituinte iniciou seus trabalhos Total de destaques: 2.277
no dia 19 de fevereiro de 1987. Até 24 de março desse mesmo Sessões do 1• turno: 119
ano foi elaborado e aprovado o seu Regimento Interno. Votações: 732
21 FASE Tempo de trabalho: 476 horas e 32 minuto~
Em seguida foram iniciadas as atividades das 24 subco- Des1aqu\ls apreciados e votados: 2.277
missões, apresentando a seguinte estatística: Dispositivos: 1.812
Período: 7-4-87 a 25-S-87 6• FASE
Duração: 50 dias Da matéria aprovada resultou o projeto "8", cujo período
Audiências públicas: 182 de votação no plenário correu entre os dias 1•-9-88 a 2-9-88:
Emendas apresentadas aos anteprojetos: 6.417 Emendas oferecidas: 1.834
Os documentos foram encaminhados ao Centro de Docu- Destaques: 1.744
mentação e Informação para indexação e arquivamento. Total de sessões: 38
3• FASE Dispositivos contidos no projeto: 2.059
As oito comissões temáticas deram início a seus trabalhos 7• FASE
em 26-S-87, concluindo-os em 15-6-87. Projeto "C" à redação final, na Comissão de Redação.
Total de emendas (comissões e subcomissões): 14.920 Emendas de redação apresentadas: 833
Total de anteprojetos (idem): 74 Destaques: 733
Documentos apreciados pelos relatores: 32.337 (incluindo- Sessões realizadas: 8 (dias 13, 14, 19 e 20-9-88)
se aí 12.000 sugestões, sendo 9.653 de constituintes e 2.347 de RESUMO
entidades). N• de dias em que foram realizadas sessões plenárias: 309
4• FASE N• de sessões plenárias: 330
Esta ficou por conta da Comissão de Sistematização e do Subcomissões e Comissões temáticas
Plenário, iniciando-se com o recebimento, em 17-6-87, dos ante- (7-4 a 15-6-87) ...................................... 2 meses e 9 dias
projetos oriundos das comissões lemáticas. As atividades da Comissão de SistemaJízaçào O presidente Ulysses Guimarães inaugura o
Sistematização encerraram-se em 18-11-87.
Duração: 224 dias
~t1N~ilcf> ...................................
7mesese 14dias "Mural Cívico da Constituição", obra do artista plás-
Número de reuniões: 125 a) Instalação até o início da discussão e votação do 1• turno tico Otávio Roth, em homenagem à promulgação
Textos produzidos para discussão, emendas e votação: S (1•-2-87 a 27-1-88) . 11 meses e 26 dias da nova Carta. O mural é composto por milhares
Emendas apresentadas em plenário: 35.111 (das quais 122 b) 1• Turno de quadrinhos de várias cores, com mil letras escritas
emendas populares). (27 -1-88 a 30-6-88) . S meses e 4 dias
S• FASE c) 2• Turno por mais de 5.000 cidadãos, transcrevendo o preâm-
Votação em plenário do projeto " A", em 1• turno, que ( 1•-7 a 2-9-88) . 2 meses e 3 dias bulo da Constituição e a íntegra de seu art. 59 , que
foi de 27- 1-88 a 30-6-88. A reforma do Regimento [nterno, d) Redação Final (Projeto ''C") trata dos direitos e deveres individuais e coletivos.
pela Resolução n• 3, em S-1-88 possibilitou a apresentação de
g ;~t~l ~:-g~~~~· ·.-;~bâihâdâ~· -~~~i-~à·l~. ~. i..â~~-.-.i 1' ~~!=~
3 2 Otávio Roth preparou também, em papel artesanal ,
novas emendas e destaques:
Total de emendas: 2.045 e I dia, com carga diária de 4 horas. minterruptas. quatro exemplares da Constituição, com composição
a chumbo e tmpressão manual.

Jornal da Constituinte 11
Eles contaram toda a história
Numa época em que o vocábulo "transparência" tura. Para sermos exatos: 967 credenciadosJ·unto à final. Para colher uma média de opinião, o JC ouviu
tem sido usado e repisado, pouco ou nada terá trans- ANC, entre repórteres, analistas, editores, re atores, meia dúzia desses profissionais, recrutados entre os
parecido tanto à opinião pública como o trabalho fotógrafos, operadores de vídeo e áudio, correspon- quase mil credenciados. Um confessa ter tido a sensa-
da Assembléia Nacional Constituinte. E a respon- dentes nacionais e estrangeiros, editores, chefes de ção de estar freqüentando um curso de jornalismo;
sável maior por esse espetáculo, sem dúvida alguma, redação e diretores.
foi a imprensa brasileira. Desde que se iniciou o pro- Durante vinte meses, sempre a postos a qualquer outro entende que a Constituinte cumpriu o seu pa-
pel; um outro se alegra ao constatar que a nova Carta
cesso de redemocratização do País, a imprensa tem hora do dia ou da noite, os erofissionais da imprensa
dado um tratamento especial - e sério - à reformu- se movimentaram, estabelecendo uma ponte de liga- coloca o homem com primazia sobre o Estado. E
lação constitucional brasileira, informando, investi- ção entre a Assembléia e a sociedade, servindo como não faltou quem apontasse a nova Constituição como
gando e questionando todos os aspectos desse pro- olhos e ouvidos desta última. No afã de informar a mais democrática que o Brasil já teve até hoje.
cesso através de jornais, revistas, rádio e televisão. tudo a todos, nem sempre o jornalista tem a oportu- Na soma dos depoimentos, um aspecto fica evidente:
A mobilização da imprensa em tomo da consti- nidade de colocar o seu próprio modo de ver e sentir
o entusiasmo tomou conta dos que tiveram a grande
tuinte foi algo extraordinário. Iniciados os trabalhos, as coisas. Agora, promulgada a nova Constituição,
o Jornal da Constituinte quis saber como foi que a responsabilidade de colocar a Constituinte e a Consti-
em fevereiro de 1987, quase mil profissionais da Co-
municação estiveram envolvidos na tarefa de cober- imprensa avaliou o trabalho da ANC e o seu produto tuição diante dos olhos do Bra:sil e do mundo.

APLICABILIDADE os Poderes da República, sobre- as atividades da Assembléia Na- à re,·elia do contribuinte. Tudo te- colocava diante de uma nova reali-
tudo com as novas atribuições re- cional Constituinte, a gestação e rá de ser abertamente discutido e dade. Passamos a conviver com as
servadas ao Supremo Tribunal Fe- o nascimento da oitava Constitui- d~cidido pelo Congresso Nacio- mais diversas correntes políticas,
deral, o gual ganha foro de tribu- ção brasileira, uma Constituição nal, podendo todos os setores inte- ideológicas, e com os lobbies que
nal constitucional. A exemplo do moderna e que deve ser motivo ressados manifestar previamente a fizeram do Salão V.erde o seu hábi-
que ocorre nos Estados Unidos da de justo orgulho para o País. sua opinião. tat. Mesmo os jornalistas a mais
América, q_uando houver disputa Confesso que esse trabalho até Essa é a grande conquista da experientes e eu já me considerava
entre os poderes, as partes ou mes- me surpreendeu. Não esperava nova Constituição. Ela tem ainda assim quando a Constituinte foi
mo o simples cidadao poderão re- que surgisse uma Constituição co- muitas outras coisas boas. Talvez instalada levaram algum tempo
correr ao Supremo Tribunal em mo essa. Acreditava que não se alguma coisa utópica. Talvez al- para se habituar ao convívio com
grau de instância final. iria fugir muito dos textos anterio- guns exageros. Talvez algum des- um volume tão grande de informa-
Com a nova Constituição tam- res, sobretudo os da Constituição compasso histórico no terreno ções. Como separar o joio do tri-
de 1946 e da Constituição apro- econômico. Mas reflete o pensa- go? Onde terminava o lobby e co-
bém os estados e municípios ad- meçava a notícia? São perguntas
quirem autonomia política e inde- vada pelo Congresso Nacional, em mento médio da sociedade . Foi que todos nós nos fizemos , ao lon-
pendência financeira . É provável 1967. Seria mais uma correção dos fruto de 20 meses de trabalho sério go destes meses, certos de que es-
que, a partir de a~ora, a Fede- exageros contidos na Carta baixa- e compet~~te. E ela próp.ria p~evê távamos freqüentando um curso
ração possa na prática funcionar . da pela Junta Militar, em 1969, uma rev1sao para daqu1 a cmco intensivo de JOrnalismo.
Isso vai depender, mais da socie- pela qual se subtraiu grande parte anos, para a correção áe eventuais
dos poderes do Congresso Nacio- distorções." De minha parte , acho 9ue
dade do que do pról'rio texto le- nal.
gal. A parte tributána, sem fazer aprendi muito com essa expenên-
Para o jornalisúl Haroldo H()- nenhuma concessão demagógica Se a Constituinte tivesse adota- DESAFIO aa. E me senti recompensado, co-
1/anda, do Jornal de Brasília, um ou populista, é um dos capítulos do o processo tradicional de traba- mo se tivesse acabado de assistir
dos capltulos mais avançados da mais avançados da Constituição. lho partindo de um projeto elabo- a um filme longo, com passagens
nova Constituição é o da parte tri- rado por uma comtssão geral - às vezes dramáticas, mas que che-
butária, onde, segundo ele, pontifi- Em sua elaboração, nesse capítu- o resultado provavelmente teria gou a um final feliz . A nova Cons-
caram os especialistas, com desta-
lo, exerceram papel relevante três sido esse. Mas a escolha de um tituição, promulgada no dia 5 de
que para José Serra, Francisco
parlamentares especializados na método inusitado, em que oito co- outubro, representa um avanço in-
Dornelles e César Maia. No mais, matéria: os deputados José Serra, missões temáticas, subdivididas, discutível, especialmente no 9ue
acredita que somente em sua vigên- do PSDB; Francisco Dornelles, do cada uma, em três subcomissões diz respeito aos direitos indivi-
cia é que a nova Carta revelará sua PFL; e César Maia, do"PDT. Sen- e mais uma Comissão de Sistema- duais e sociais. Como qualquer
aplicabilidade:
do que no caso do deputado José tização com a participação dos 559 obra humana, ela tem também os
Serra, o deputado Ulysses Guima- constituintes, partiram do nada seus defeitos, que poderão ser cor-
"O Senador Mineiro Ronan Ti- rães, como presidente da Consti- para colher subsídios junto aos se- rigidos através da aprovação de
to, líder do PMDB, costuma dizer, tuinte, não tomou nenhuma deci- tores da sociedade, produziu re- emendas ou durante a revisão
em conversas informais com os são a respeito do assunto, sem an- sultado inesperado; e muito bom, constitucional prevista para
jornalistas, que a melhor emenda tes ouvi-lo." como se viu. 1993."
aprovada pela Constituinte foi de
sua autoria, ao prever que dentro HOMEM Foi assim que o Brasil conse-
guiu uma Constituição que, pela
de cinco anos a nova Constituição VALORIZADO primeira ·vez em sua história, con-
poderá ser objeto de modifica-
ções. Isso dá a justa medida de fere primazia ao homem e não ao
que a nova Constituição não será Estado . Todas as Constituições
o documento estável e duradouro anteriores começavam pela orga- Onde terminava o lobby e come-
com o qual muitos sonhavam. O nização do Estado e somente lá çava a not(cia? Como separar o
ideal tena sido que a Constituição, quase no final é que incluiam um joio do trigo? São perguntas que
que acaba de ser elaborada, fosse capítulo sobre os direitos e garan- nos fizemos ao longo desses meses,
apenas uma carta de princípios e tias individuais. Esta começa por certos de que estávamos freqüen-
intenções. Tudo mais deveria ter esses direitos (ampliando-os) e so- úlndo um curso de jornalismo. As-
sido reservado às leis complemen- mente depois é que trata da orga- sim o jornalista Alvaro Pereira, da
tares e ordinárias. No entanto, nização do Estado e dos seus Po- Rede Globo de Televisão, viu o
apesar de todos os pesares, deve- deres. Sabiamente , e para de- trabalho seu e de seus colegas na
mos saudar a promulgação da no- monstrar sua intenção, os consti- cobertura diária da ANC. Uma co-
va Constituição como ato de fun- tuintes fizeram questão de colocar bertura desafiadora:
damental importância. Afinal, se o homem antes do Estado, que
trata de instrumento democrático, deve existir para servi-lo. "Creio que o mais importan-
que passa agora a rel\llar a vida Isso é o que há de fundam«;!ntal te, ao final destes 20 meses de tra-
de todos os cidadãos 6rasileiros. na nova Constituição. O indivíduo balho, é constatar que a Consti· Aldo de Oliveira
tuinte de 88 cumpriu bem o seu
Somente em sua vigência é que Ary Ribeiro não só tem ampliado o elenco dos
seus direitos e garantias como tem pa_pel. Ela foi, de todas as Consti-
a nova Constituição vai revelar a " Alda de Oliveira, da Rádio
também reforçada sua proteção tumtes brasileiras, a mais demo- Globo, destaca outro aspecto do
sua aplicabilidade. A vida, afinal, Ary Ribeiro, Presidente do Co-
graças ao mecanismo que regerá crática e participativa, introduzin-
é m81s i!Dportante do que as leis. mitl de Imprensa da Cdmara dos trabalho da ANC" o lado emocio-
as relações entre os três Poderes do uma série de inovações já na nal, evocando no último dia de vo-
Deputados, ao oferecer seu teste- sua estrutura funcional. Não hou-
A própria experiência brasileira, munho diz ver a nova Carta confe- da República e o funcionamento tação o sentimento que se apossou
no curso de nossa história, como rindo, pela de cada um deles. Não mais o bra- ve, como das outras vezes, um de todos que se encontravam em
primeira vez na Histó· projete:;> básico preparado pe~o
na de todos os demais f>?VOS, tem ria do Pais a primazia ao homem sileiro estará sujeito às decisões de plenário: o da missão cumprida.
demonstrado que a legiSlação que e não um homem só. Não mais estará ExecutiVO ou por aJ,guma com•s-
ao Esúldo. são de notáveis. Parttu-se de zero, "Aconteceram situações abso-
não se ajusta à realidade acaba sujeito nem ele nem a economia
caindo em desuso, por absoluta nacional - às invenções e exp<;- da folha branca de papel, para um lutamente emocionantes, e tensas
inutilidade. Como a Constituição "Posso considerar-me um brasi- riências de alguns tecnocratas. É projeto que traduz1sse ao final de ao mesmo tempo, como a votação
de todos os países, vamos ter um leiro privilegiado por ter acompa- um alívio saber que o presidente debates e sucessivas votações o do mandato do presidente da Re-
texto vivo e outro que acabará nhado muito de perto, como presi- da República não mais poderá, do pensamento e a expectativa da so- pública, e do sistema de governo.
morrendo. Mas há aspectos muito dente do Comitê de Imprensa da dia para a noite, baixar decretos- ciedade brasileira. As incontáveis horas esperando
positivos no texto constitucional. Câmara dos Deputados e como leis sobre o que bem entender. Para nós, jornalistas, foi uma uma decisão das lideranças parti-
um dos jornalistas designados por
Como o do relacionamento entre O Estado de S. Paulo ·para cobrir Não mais haverá endividamentos cobertura desafiadora, porque nos dárias sobre as matérias. As brigas ...,.

12 Jornal·da Constituinte
entre os parlamentares. O apren- telecomunicações, impedindo, cá-la ou recomendando sua deso- O presidente da Constituinte ajudaram a contar a história da no-
dizado como jornalista de rádio, por exemplo, a venda da Telebrás bediência ou responsabilizando-a afirmou também que esse novo va Carta.
de não poder errar, e não poder e nossa malha de telecomunica- pela incompetência governamen- instrumento que reinstitucionaliza
demorar com a notícia. Surpresas ções, cujo valor gira em torno de tal ou acusando-a pela desgraça a democracia é um golpe de morte Durante todo o processo consti-
como a denúncia do deputado 60 bilhões de dólares, mas que o econômica ou ... Apesar dos equí- ao "monstro do autoritarismo", tuinte a imprensa de todo o país
Brandão Monteiro, da eXIstência BNDES quer agora vender a um vocos, esta Constituição é a mais mas advertiu que tarefa ainda mais manteve um número maior de re-
de um "pianista" em plenário, vo- preço simbólico, quase zero, a um democrática de nossa História. difícil será a remoção "do entulho pórteres setoristas no Congresso
tando pelo deputado Sarney Fi- grupo brasileiro associado ao capi- autoritário". Nacional. Onde normalmente ca-
lho , que se encontrava ausente. tal multinacional. Houve alguns Nenhuma outra procurou tanto da jornal mantém um repórter-fo-
O discurso do presidente José Sar- exageros, como o aumento das expressar o sentimento do povo, Ambos conceitos refletem cla- tográfico para a cobertura diária,
ney contra as decisões da Consti- despesas da Previdência e outras ouvi-lo antes de decidir. Nenhuma ramente um objetivo que na pers- durante a Constituinte foi comum
tumte e a resposta do presidente falhas lamentáveis , como a am- outra consagrou a emenda popu- pectiva interna não teve sua devi- ver diariamente dois fotógrafos de
Ulysses Guimarães, que de fato pliação de lO para 15 anos das con- lar. Nenhuma outra recebeu tanto da consideração: a definição do cada jornal (às vezes até três ou
me comoveu. Fiquei impressiona- cessões de rádio e televisão e sua a influência direta da sociedade. papel dos civis diante do poder mi- quatro, dependendo da importân-
da com a capacidade de liderança virtual perenização. Mas isso ten- Nenhuma outra foi acompanhada litar numa democracia moderna cia. do que estivesse ocorrendo).
do senador Mário Covas, que de a ser corrigido pela própria rea- pela opinião pública com o mesmo inserida num processo maior de E ISSO por uma razão muito sim-
sempre conseguia silenciar o Ple- lidade política, que, aos poucos, mteresse. consolidação democrática na ples: não só o movimento maior
nário ao falar ao microfone. Fo- vai assumindo um contorno mais América Latina. ae (;>C!SSOaS (deputados, senadores,
Essa característica - a origem lob1stas, funcionários) e a quanti-
ram tantos os momentos, mas sem nítido. A promulgação da nova democrática - bastaria, por si só,
dúvida nenhuma gue a emoção Carta de 88 já é um indício desses Apesar dos defeitos que o pró- dade maior de eventos, mas prin-
para tornar essa Constituição co- prio Dr. Ulysses admitiu no novo cipalmente a importância histórica
maior foi o último d1a de votações. novos tempos que, culminarão mo a única, até hoje em nossa His-
O sentimento era de que todos com a eleição direta para presi- texto, é necessário frisar que ele desta Assembléia Nacional Cons-
tória, que foi feita para o povo, é representativo da sociedade bra- tituinte e a necessidade de cobrir
nós, e não apenas os parlamen- dente da República, a três de ou- pelo povo e com o povo. E isso
tares, tínhamos conseguido termi- tubro de 1989." sileira e procura a construção de tudo e não deixar passar nenhum
é tudo." um novo país socialmente mais gesto, reunião, ou conchavo (pois
nar este árduo trabalho de fazer
uma constituição." DEMOCRÁTICA EXPECTATIVA justo, economicamente mais inde- tudo representava um pedaço da
pendente e politicamente mais história recente de nosso país) fi-
MUNDIAL forte. zeram com que os jornais, revistas
RETRATO A opinião pública internacional
e agências acreditassem numa co-
bertura foto~ráfica completa, tan-
manteve sua expectativa, em simi- to em quantidade como em quali-
lares casos, até a efetiva partici- dade.
pação popular na eleição dos re-
presentantes encarregados de pôr Infelizmente algumas pessoas
em prática uma nova Constitui- que organizavam a atuação da im-
ção. prensa (talvez por uma questão de
No caso brasileiro isso deverá segurança ou de necessidade de
acontecer depois de quase 30 anos facilitar o andamento dos traba-
de abstinêncta direta. lhos) não perceberam a importân-
cia da cobertura fotográfica, e com
A IMAGEM o evoluir dos trabalhos o espaço
de ação dos fotógrafos foi ficando
DA HISTÓRIA cada vez mais limitado. Principal-
mente dentro do plenário, onde
anteriormente podíamos circular
pelo corredor em frente às banca-
Apesar dos equlvocos, esta das e às vezes até atrás da mesa
Constituição é a mais democrática do presidente, acabamos tendo
Ltit~ Filho que fotografar nas galerias ou na
de nossa História. Quem diz isso
é o presidente do Comitê de Im- A opinião pública mundial lateral do plenário espremidos
prensa do Senado Federal, jorna- acompanhou com grande expecta- com os lobistas e assessores. A ig-
Avanços, falhas e exageros tor- lista João Emílio Falcão. No seu tiva o processo de elaboração cons- norância, no que diz respeito ao
naram a nova Constituição, o re- entender, nenhuma outra foi titucional no Brasil, segundo o tes- trabalho do fotógrafo nesse tipo
trato do Brasil, de acordo com o acompanhada pela opinião públi- temunho de Rene Vi/legas, presi- de evento, pode comprometer um
jornalista de Senhor, Isto É e Diá- ca com o mesmo interesse ou rece- dente da Associação de Correspon- documento histórico com conse-
rio Popular, Leite Filho. Ele se so- beu tanta influência direta da socie- dentes da Imprensa Estrangeira. qüências irreparáveis. Quando da-
corre desse "lugar-comum" para dade: Para ele, uma das questões que qui a 20 ou 30 anos um historiador
lembrar ainda que ela não pode precisa ser analisada em maior for resgatar o gue aconteceu nesta
ser perfeita ou eterna, mas nem por "O Brasil já teve muitas Consti- profundidade é o relacionamento Constituinte (os gestos das pes-
isso deixará de ser um instrumento tuições. É, aliás, uma caracterís- entre as sociedades civil e militar soas, os comportamentos, as rou-
que, " pelo menos no papel", asse- tica nossa. Há Constituições para no contexto da América Latina. pas que elas usavam}, irá contar
gura o respeito à pessoa humana: todos os gostos e até as de nomes O presidente da Assembléia com um material fotográfico obti-
curiosos, como a " polaca" do mi- Nacional Constituinte , Ulysses do com esforço e paciência de pro-
"Eu vou repetir o lugar-co- neiro Chico Campos. Durante al- Guimarães, disse durante a entre- Diz-se que a imagem vale mais fissionais que não se deixaram li-
mum: a nova constituição é o re- guns anos o catálogo telefônico de vista à imprensa nacional e estran- do que as palavras. Dentro deste mitar por espaços determinados.
trato do Brasil. Com seus avanços, Brasília, em excelente iniciativa, geira, na quarta-feira, que a ,?ala- conceito, os fotógrafos de impren-
publicava a Constituição. Depois, sa contribufram para dar ao Brasil Nós, repórteres-fotográficos,
seus exageros, suas falhas . Ela não vra constituinte era "maldita' nos temos consciência da importância
é e não pode ser perfeita nem eter- com a revolução, desistiu. Antes tempos do regime militar. e ao mundo uma visão abrangente
do catálogo ser distribuído , a do que foi a Assembléia Nacional do documento que produzimos e
na. No "Brasil, como em qualquer acreditamos que de certa forma
país em desenvolvimento, as leis Constituição estava desatualiza- Desde o 19 de fevereiro de 1987, Constituinte, em cada um de seus
da. essa palavra, porém, sintetizou na momentos e de seus gestos. André participamos da elaboração desta
não podem ser estáticas, pois de nova Constituição, na esperança
outra forma paralisariam o país. iJ?tp.rensa mundial o processo bra- Dusek, repórter fotográfico da
Não há, entre'nós, o culto à sileiro de retorno à democracia, Agil Fotojornalismo e de O Esta- de que melhores dias virão e que
A alegação de que nossa Carta de- Constituição existente em outros o nosso trabalho será melhor reco-
ve ser igual à americana, que já que conclui com a promulgação do de S. Paulo, fala como os pro-
países. As explicações são diver- da nova Carta Magna. fissionais da fotografia jornalística nhecido.
dura há 200 anos é um argumento sas. Vão desde a impunidade ao
que não resiste à realidade mais desprezo pelas normas legais. As-
próxima. Tomemos como exem- sim não é de se estranhar que a
plo a Constituição argentina, que
vige desde 1853, mas nem por isso importância da Constituição seja Os heróis
pequena e se esteja, sempre, pen-
a nação irmã conseguiu evitar uma sando em reformá-la, como é o
sucessão de golpes militares, bem
mais cruentos e repressivos que os
caso desta que, antes de entrar em do click
vigor, já tem prazo marcado para
nossos, os quais, na soma final , sua revisão.
devem pelo menos dar duas vezes A divulgação dos trabalhos
mais que os do Brasil. O impor- É uma pena que isso aconteça. deve muito aos fotógrafos
tante é que teremos agora um ins- Não é que a nova Constituição se- profissionais. Incansáveis,
trumento que, pelo menos no pa- ja perfeita. Há, a meu ver, falhas oo primeiro ao derradeiro
pel, assegura o respeito à pessoa consideráveis que deslustram momento da Constituinte, eles
humana , nos seus direitos, não avanços admiráveis, como o ha- repstraram as emoções, as
apenas políticos, mas trabalhistas beas data, o mandado de injunção, coses, os instantes de tensão
e resguarda o país da invasão es- o mandado de segurança coletiva, e de glória. Graças ao click
trangeira, que assumiu um nível a proteção do meio ambiente etc. isolado das velhas máquinas
escandaloso depois do advento da São, essas contradições, próprias e ao rec-rec-rec das modernas
chamada Nova República. Nunca, da sociedade nacional, do con- câmeras motorizadas, imagens
em nenhum momento de nossa fronto entre a demagogia e a ciên- desses 20 meses de elaboração
história, um governo conseguiu di- cia, entre o popularismo e a res- constitucional entram para a
lapidar tanto o património nacio- ponsabilidade. história política do país.
nal quanto o atual. A nova Consti- Aos fotógrafos, a homenagem
tuição dará um basta nisso, na me- É, no entanto, lamentável que do JC neste flagrante de
dida que institui o monopólio das já se esteja pensando em modifi- Reinaldo Stavale.

Jornal da Constituinte t3
. ,_
Informar era a mzssao. Leito
Depois que se inventou a imprensa, o homem tomou cons- A.reno Oliveira - A publicação
ciência ae que não basta fazer. E fundamental mostrar o que oficial da Constituinte mostrou
se faz, principalmente quando o resultado da ação afeta direta- que os grandes temas de interesse
nacional foram debatidos desde o
mente a vida de todos. E foi justamente para dizer aos brasileiros início, no trabalho das subcomis-
por que e como se fazia a sua nova Constituição é que surgiu sões e comissões temáticas. A im-
o Jornal da Constituinte. Durante 15 meses, pal?el e tinta servi- portância deste item está na possi-
ram para contar aos brasileiros, tim-tim por tim-ttm, o que estava bilidade de os municípios terem
acontecendo. E a notícia chegava ao País inteiro, desde as autori- leis próprias e uma lei orgânica
dades ao povão, passando pelas associações, sindicatos, escolas que esteja de acordo com as suas
de todos os níveis e instituições de toda ordem. Muitos se habi- características regionais, caracte-
tuaram a ler o Jornal da Constituinte e esse costume se foi rísticas econômicas e sociais, a
espalhando a ponto de ser solicitado, através de milhares de bem da verdade, não é possível
cartas, o envio regular de exemplares até os mais distantes rin- querer administrar um município
no Nordeste , no Norte ou na
cões. Amazônia, no Rio Grande do Sul
Mas, como o Jornal da Constituinte foi visto pelos leitores? ou aqui em Goiás da mesma for-
Difícil responder. Impossível obter uma visão completa da reper- ma. Cada um tem características
cussão por ele obtida. Para satisfazer essa curiosidade, pelo me- bastante distintas. O que é priori-
nos numa mínima parcela, nossa reportagem ouviu dois leitores, tário em um já não é um outro.
cada um com um mundo e uma visão bastante diferente: um Daf ser necessário a cada unidade
homem do povo, trabalhador, pai de família, motorista profis- municipal ter a sua lei orgânica
sional, e um prefeito de uma cidade do interior de Goiás, onde que irá levar em consideração, na
sua feitura, o seu estágio atual de
também era grande o interesse pelo que se passava na Consti- desenvolvimento a~opecuário ou
tuinte. As impressões desses dois leitores, que receberam o jor- industrial), as parttcufaridades de
nal regularmente , é o tema desta página. O que eles pensam seu povo e suas classes e até mes-
representa, de certa forma, o pensamento médio de nossa gente. mo suas características físicas e
Com eles, a palavra. geográficas.
JC - O Jonuú da CoMtiluillle di-
vulgou uma série de reportagens

Prefeito acha que sobre as mudanças que ocorrerão


com a promulgação da nova Cons-
tituição, inclusive fazendo compa-
rações com a situação vigente. Des-
o povo vai sentir tas o que mais chamou a sua aten-
ção?
Areno Olive.ira - Várias maté-

logo as mudanças rias me chamaram a atenção, co-


mo a que trata da questão tribu-
tária, a que enfocou vários temas
sociais, e sobre as mudanças na
Areno Luiz d~ Oliveira acompanlwu a CQnstiluinte pekJ JC
área financeira . Mas, na minha
Areno Luiz de Oliveira, ci- JC - Sr. prefeito, como leitor do Carta de maior interesse da região opinião, a Constituinte aprovou
dadão brasileiro, 46 anos, casa- Jonuú da CoMiiiWnle, qual a aná- A partir do e do municlpio? uma série de mudanças no campo
do com d. Teima Vaz de Oli- lise que faz dos trabalhos da As- próximo ano, institucional da maior importância
sembléw Nacional Constituinte? Areno Oliveira- Não tenho para a vivência democrática em
veira , pai de Denise, Rejane os prefeitos em mãos o texto final da nova
e Luci. Areno nasceu em Jo- Areno Oliveira- Estamos Constituição. Mas, de acordo com nosso País. Acreditamos que a
viânia, pequeno município acompanhando os trabalhos da poderão o material divulgado pelo Jornal própria consolidação do estado de
Assembléia Nacional Constituinte governar da Constituinte, de maior interes-
direito democrático prevista na
goiano, mas foi construir sua desde a sua instalação, através dos Constituição é o fato mais impor-
vida em Morrinhos . Pegou com mais se do município são várias as alte-
diversos órgãos de informação, te- rações constitucionais que pode- tante. Há ainda outros itens que
amor pela política, foi verea- levisões, rádios e jornais. O Jornal autonomia são bastante relevantes, como a
dor e quis ir mais longe: hoje , ríamos destacar. Como exemplo, livre organização partidária , o
da Constituinte foi de grande im- especialmente citamos a possibilidade de a câma-
é o prefeito da cidade. MorTi- portância para se compreender o acesso dos partidos aos meios de
nhos é uma cidade pequena (40 processo de elaboração da nova rmanceira, ra municipal elaborar e aprovar comunicação de massa, o fim da
uma lei orgânica, a destinação de
mil habitantes, um terço deles Constituição. Enquanto outros ór- para realizar maiores recursos através da parti- censura, a punição àq ueles que
na área rural) mas é um lugar gãos de divulgação tratavam da novos cipação nos impostos, maior parti- atentarem contra o estado de di-
atraente e aconchegante . Dis- lentidão dos trabalhos constitucio- reito democrático, dentre outros.
projetos cipação nas ve.r~~ destin~das aos A aplicação desses itens forçará
tante 315km de Brasília e nais, o que levou o povo a uma estados e muructptos, mator auto-
situação de descrédito em relação nomia na administração munici- mudanças em todos os aspectos da
127km de Goiânia, capital do à Constituinte, o Jornal da Consti- vida nacional.
Estado, Morrinhos é vizinha pal, dentre outras.
tuinte informava sol>re os lances jornais, o que nem sempre reflete JC - De acordo com a sua visão
de um dos maiores centro turís- iniciais, sobre a formação das sub- a realidade. Acreditamos que o JC - Na área tributária, o que
ticos da região central do País, povo somente irá sentir, de forma modificará a nlvel de municlpio? de administrador municipal, o que
comissões e comissões temáticas foi mais importante dentre o que
a cidade de Caldas Novas, fa- e sobre as primeiras decisões. objetiva, a importância das mu- Areno Oliveira - Lembro uma
É preciso destacar que todas as matéria publicada no Jornal da mudou com a nova Carta?
mosa pelas águas do Rio Quen- danças ocorndas com a nova Areno Oliveira -Como admi-
te. É uma cidade onde as pes- comunidades do intenor do País, Constituição , com o passar do Constituinte em que foi tratada es-
à semelhança da nossa, tiveram tempo, com um trabalho de escla- ta questão, mostrando que muita nistrador do município acredito
soas acordam cedo para traba- coisa mudou em benefício dos mu- que o aspecto determinante foi a
lhar. Produz muito gado de uma visão detalhada de todas as recimento e conscientização. Seria reforma tributária proporcionada
etapas da Assembléia Nacional necessário realizar um trabalho nicípios. Entendemos que a mais pela nova Constituiçao. Queria
corte e de leite, além de arroz, Constituinte através do jornal. junto ao povo com um veículo de importante foi o aumento da cota
milho e soja. No comando do do Fundo de Participação dos Mu- destacar que há bastante tempo,
JC - A seu ver, como o povo mformação, como o Jornal da há vários anos, estamos lutando
município, Areno Luiz de Oli- acompanhou a feitura da nova Constituinte. nicípios, que passou de 17% para
veira é um homem simples mas 22,5%. Além disto houve a eleva- por uma ampla reforma na legisla-
Constituição? JC - Como prefeito, que colabo- ção tributária ainda em vigor. La-
preocupado com tudo o que ção da participação municipal no
Areoo Oliveira- Todo mundo ração encammhou para que cons- ICM de um quinto para um quar- mentavelmente eu, pessoalmente,
acontece. Ele acompanhou to- apostou na solução dos principais tasse da nova Constituição? assim como os demais prefeitos
do o processo de elaboração da problemas institucionais e até to; competência municipal para brasileiros não usufruirão deste
Areno Oliveira- Não tivemos instituir imposto sobre as vendas
nova Carta através do Jornal mesmo pessoais através do novo oportunidade de patrocinar emen- a varejo de combustíveis, exceto grande avanço. Passamos o nosso
da Constituinte, que lhe chega- Congresso Nacional. O homem das populares como foi noticiado. o óleo diesel; aumento na partici- mandato inteiro trabalhando com
va às mãos religtosamente to- comum, do povo, ainda não en- No entanto, temos ligações com pação dos impostos sobre mine- altas taxas inflacionárias e com or-
das as semanas, durante me- tendeu a importância das mudan- deputados do nosso partido, o rais, sobre combustíveis líquidos çamentos apertados. Agora , a
ses. E entende que o JC foi ças que foram introduzidas na no- PMDB, eleitos por esta re$ião, partir do próximo ano, os novos
va Constituição. Isso ocorre devi- e gasosos, sobre energia elétrica, administradores deverão gover-
de grande importância para os aos quais solicitamos e sugenmos sobre transportes rodoviários e so-
do à desinformação que grassa em algumas medidas cuja inclusão na nar com mais autonomia, espe-
prefeitos de cidades como a bre telecomunicações.
nosso meio. As notícias que cor- nova Constituição seria, a nosso cialmente a financeira, com possi-
sua, porque permitiu um rem junto ao povo, muitas vezes ver, da maior importância. JC - A partir das informações bilidade de elaborar novos proje-
acompanhamento amplo e de- como boatos, não passam de ex- fornecidas pelo Jonuú da CoiUti· tos e programas. De qualquer for-
talhado do texto constitucio- tratos de informações divulgadas JC - Na sua opinião, quais as lllúlú, o que tem a dizer sobre a ma, acre<litamos que o maior ga-
nal, passo a passo. pela televisão, pelo rádio ou pelos mudanças introduzidas na nova autonomw municipal? nhador é o município e seu povo.

14 Jornal da Constituinte
res acham que o JC a cumpriu
mo todo cidadão, viveu-se uma ex- beneficiada.
pectativa muito grande da Consti- JC - E com relação à educa-
tuinte desde quando foi eleita, ção?
mesmo porque a Nação estava .en-
trando num período de transição Noeme- Em minha opinião
e , agora que foi um grande mal não houve progressos. Tem~se a
do povo esperar que a nova Carta impressão de que a cúpula não
fosse trazer solução para todos os tem o desejo de instruir o povo
nossos anseios. brasileiro. Isso ficou bem claro na
Particularmente , acho que os Constituição, pois é mais fácil con-
anseios do povo, de modo geral trolar um povo analfabeto do que
na nova Carta, ficaram meios de- um instruído. Um povo instruído
turpados daquilo que o povo real- certamente exigirá mais do gover-
mente estava esperando e exigin- no, e um analfabeto, não, qual-
do. Por exemplo, assuntos como quer litro de leite compra um voto.
o mandato do atual Presidente da JC- E na saúde?
República em cinco anos. Não sei
se realmente era isso que nós, o Noeme- Bem, com relação à
povo, queríamos; a reforma agrá- comercialização do sangue, antes
ria, nós estávamos esperando an- comercializado por empresas pri-
siosamente que se tivesse uma.so- vadas e agor~ pelo Estado, acho
lução para a questão e, no final , que, se o Estado realmente estiver
a coisa ficou meio confusa e o povo interessado no povo, ele cumprirá
não entendeu bem; aposentado- o seu objetivo; do contrário, não.
ria, direitos sociais e outras ques-
tões aprovadas na nova Carta, de JC - E com reltlção à forma co-
um modo geral, em minha opi- mo foram aprovadas a reforma
nião, não conquistou tantos avan- agrdria e a anistia aos microem-
ços assim como anunciados pelos presários e pequenos produdores
Constituintes. Não estou dizendo rurais?
que para eles, que estão escreven-
do essa Constituição, qu~ não teve Noeme -Para mim, a reforma
avanço. Talvez, na cabeça dos agrária não teve avanço. Gasta-
"Seu" Rainuuulo, d. Noeme e os filhos leram, .gos141'Gm e pralk4ram o thbate em famllill. ram tempo demais com o assunto
constituintes houve o avanço ,
mas, na nossa, que vamos ser os e ficou do mesmo jeito que estava.

Em casa também se debate beneficiados, o povo, não. A meu Teminou a Constituição e ficou
ver, a nova Carta ficou dos consti- determinada apenas a regulamen-
tuintes para os constituintes e não tação da questão; mais tarde ser
do povo para o povo, como está- disciplinada por lei.
Raimundo Dias de Oliveira, ci- melhor entendimento dos fatos vamos querendO. Penso que não Quanto à anistia aos microem-
dadão brasileiro, 47 anos, moto- que se passavam na Assembléia pre~os e pequenos produtores
houve tão grandes avanços como
rista profissional, usado com d. Nacional Constituinte, já que seu Pai, mãe e foi anunciado. rurais, acho que isso foi válido,
Noeme Rabelo de Oliveira, minei- registro é escrito e não falado co- ftlba tiveram pois eles foram vítimas de uma coi-
ra de Paracatu, pai de Adriana, mo na televisão e no rádio e tam- sa oferecida pelo próprio governo.
noJC uma Raimundo Dias - E e Adriana
Cristiane e Suzana. Raimundo bém porque possibilitou o surgi- concordamos com Noeme.
veio do Piauí, como milhares de mento de uma fonte de consulta fonte de JC - Como conclustfo de nossa
entrevista, gostarlamos que voc~s
nordestinos, para tentar a sorte a quaisquer dúvidas que eu possa consulta que JC- E na questiio dos direitos dessem sua opinüJo a respeito d4
em Brasfiia. E veio cedo: 1960. ter sobre os assuntos discutidos, dos trabalhadores, qual a opinião
Portanto, é um pioneiro. Raimun- votados e aprovados na nova Car- será participaç4o dos constituintes na
presenada de voc~s? Da. Noeme, por exem- nova Carta e principalmente d4-
do, como milhares de outros cole- ta. plo?
gas de profissão, precisa comple- para as queles que voeis, porventura, aju-
mentar a renda familiar. Por isso, JC- E abora ... , fazendo uma dtJram a eleger pelo Distrito Fe-
além de trabalhar como motorista comparação com outros jornais do futuras Noeme - Com relação aos di- deral.
País, o que você achou do JDnllll gerações. reitos do trabalhador obteve-se al-
da sucursal do jornal O Estado de gum avanço na questão do salário Ralmuado Dias-Bem, eu, in-
dGC~t
S. Paulo (depois de trabalhar tam- Para eles, do aposentado. Porém, isto só se- felizmente, a primeira vez que vo-
bém no antigo DC Bns8ia e no valeu. rá considerado realmente um tei, foi em aberto, pois está muito
Ralmuado Dias- Bem, nós de-
Correto BrazOiense) aproveita as avanço se for cumprido o que está difícil encontrar uma pessoa real-
horas vagas para rodar pela cidade mos uma olhada em todos. Agora,
o jornal da Casa é que traz tudo, determinado na nova Carta. Aca- mente interessada nas necessida-
com o seu táxi. Nossa reportagem Particularmente, acho que um t1ei de ouvir pela televisão uma des do Distrito Federal e do povo
foi até sua casa e conversou com e, que também, em minha opi-
nião, transmitiu mais fielmente os adolescente de dezesseis anos não crítica de um deputado dizendo em geral. Até que havia alguns
ele, a mulher e os filhos. Conversa que a Carta em si, o fato de estar que, antes de serem eleitos consti-
de amigos, de quem há muito tem- fatos, pois é um jornal criado alí tem capacidade para votar, uma
dentro e sem 9uaisquer compro- vez que não está preparado psico- escrita no papel, não quer dizer tuintes, fizeram alguma coisa
po já estava hgado pelo mesmo q_ue vá funCionar na prática. É pre- quando atuaram na administração
uiteresse - o de acompanhar a missos, o que Já não é o caso de logicamente para o fato. Temos
alguns jornais, que muitas vezes de encarar a realidade, já que a CISO que tenham pessoas no poder das cidades satélites. Porém, ago-
elaboração da nova Constituição. juventude de hoje é alienada, pois que estejam interessadas em fazê- ra que conquistaram a cadeirinha
O bate-papo é aqui reproduzido: divulgam apenas aquilo que inte-
ressa para aquele órgão ínforma- é uma juventude que não tem lei- la cumprir. deles lá, esqueceram-se do povo.
JC: "Seu" Raimundo: na sua tivo. tura, que só fica sentada na frente
de uma telinha recebendo tudo o JC - Qual outro direito que a JC- E a Stf, Da. Noeme? Vo-
opinião, o JC cumpriu o papel de tou em alguém?
órgão informativo da Assembléia JC - Como registro histórico, que vem, sem questionar. Como Stf gostaria que tivesse sido inclui-
Nacional Constituinte, ajudtJndo a foi válido cokcionar o Jonud da é que uma juventude dessa pode, do na nova Carta! Noeme.- Sim, no Maurício
esclarecer os muitos pontos pol~­ ConstihdiiU? ao chegar aos dezesseis anos e lu- Corrêa.
micos ali discutidos e votados? tar por um direito, lutar por deter- Noeme- Como funcionária da
Raimundo Dias - Da antiga minadas coisas se ela não sabe Telebrasfiia e exercendo a função JC - E o que achou de sua par-
Raimundo Dias - Eu mesmo Constituição de 46 não há um nem o que está acontecendo no de telefonista gostaria que a Cons-
não tive oportunidade de ler e de ticipação na elaboração d4 nova
exemplar de fácil acesso , por Pais, o que está à sua volta? tituinte tivesse estendido o bene- Constituição?
acompanhar muito, devido ao tra- exemplo , aos estudantes. Pr~u­ fício dos 25 anos de aposentadoria
balho, mas sempre gosto de traze.r ra-se e não é encontrado. É váhdo JC- Muitos avanços foram à nossa classe. Antes mesmo do Noeme- Gosto deste consti-
estes jornais para casa, para mt- guardarmos para os nossos filhos conquistados na nova Carta. Qual início da Nova República, a classe tuinte e acho que ele continuou
nhas filhas para que elas poss~ como fonte de consulta nos seus a sua opinião, Adriana? das telefonistas, incentivadas pe- desempenhando o papel dele. De
utilizá-los como fonte de pesqu1sa trabalhos escolares e também para los representantes do Rio Grande vez em quando recebO umas carti-
em seus estudos. Quem lhe pOde- nossos netos. Adriana- Olha, para mim, do Sul e mais tarde en<:ampado nhas dele, endereçadas ao meu
rá dizer mais sobre isto é minha não houve grandes avanços assim por São Paulo e Distrito Federal, marido e de vez em quando recebo
esposa Noeme que manteve um JC - Adriana, a filha mais ve- como foram anunciados. Os cons- reivindicou junto à Câmara dos também um jomalzlnho. Não sei
contato maior com a leitura do JC. lha do casal Dias Oliveira também tituintes rodearam, rodearam, fi- Deputados este benefício. No en- até que ponto aquilo ali funciona
JC - Com base na afirmativa
deu sua opinião sobre alguns as- caram semanas em determinados tanto, com a instalação da Consti- realmente, mas pelo menos ele es-
de seu marido gostarfamos que a suntos que leu no Jonuú dG Cons- assuntos e voltaram a estaca zero. tuinte, a questão foi deixada de tá escrevendo e dizendo que está
Stf Da. Noeme nos desse sua opi- tihlinte. lado mesmo, já tendo sido apro- tentando fazer alguma coisa.
nião sobre o JC. JC - E Da. Noeme, o que vada na Câmara e aguardando vo- Acho que ele tem desenvolvido,
Adrlaaa- Li mais a parte que fa- achou dos avanços d4 nova' Carta? tação no Senado. Concluindo: a dentro do papel dele, o trabalho
Noeme-Em minha opinião, o lava sobre o voto aos dezesseis nova Carta já foi praticamente e~ que se po_ d e pensar que vai
jornal foi válido, pois permitiu um anos. Noeme - Bom, acho que, co- aprovada e a nossa classe não foi saJf alguma COJS8.

Jornal da Constituinte 15
Jornal da Constituiníe
Órgão Oficial de Divulgação da Assembleia Nacional Constituinte Caderno 2
Nesse ambiente, com a prioridade

Constituição: do Legislativo conferida aos trabalhos


de elaboração constitucional, nova-
mente se desenhou o perfil de uma
grande pátria detentora de forte von-
tade de superar os entraves que difi-
cultam seu desenvolvimento económi-

vitória de um co e de que resultaram as distorções


sociais e os desequilíbrios regionais.
Com a dedicação praticamente ex-
clusiva dos constituintes a essa tarefa,
as atividades legislativas ordinárias da
Câmara dos Deputados, do Senado

povo que sabe


Federal e do Congresso Nacional limi-
taram-se, no período, ao cumprimen-
to apenas das atividades inadiáveis. E,
de certa forma, o país todo dedicou-se
de maneira exemplar ao grande obje-
tivo nacional.

o que quer A pátria já lograra, igualmente pela


vontade de seu povo, a implantação
da democracia, única forma aceitável
no mundo contemporâneo e da qual
a nação jamais haverá de se distanciar.
E foi num contexto de plenitude de-
A partir de hoje, o Brasil passa a Pode-se mesmo afirmar que a nação mocrática que, juntos, buscamos es-
contar com uma Carta constitucional, estava perfeitamente consciente de crever o novo texto constitucional,
elaborada pela Assembleia Nacional que o grande momento brasileiro ah' complemento indispensável ao prosse-
Constituinte, mas, na verdade, resul- estava. E não seria possível entender guimento de uma escalada de cujo des-
tante da vontade, do esforço e da dedi- de outro modo o forte desejo de parti- fecho resultará um novo país, de estru-
cação de toda a nação, que a ela teve cipação dos diferentes segmentos que tura moderna, reunindo os pré-requi-
amplo acesso. Será, portanto, o refle- se fizeram presentes com análises, sitos para o desenvolvimento econó-
xo do perfil de um país que soube ex- contribuições ou sugestões. mico.
Sressar os mais caros anseios diante Muitos foram, a propósito, os que O Brasil é uma nação privilegiada.
e uma gigantesca epopeia de quase depositavam confiança até exagerada Temos um território admirável, do-
dois anos. A nova Constituição, assim, no texto que então se preparava, acre- tado de extraordinária potencialidade
espelhará o retrato do povo. ditando que a futura Carta de pronto económica.
O texto agora convertido na nossa solucionaria os problemas brasileiros, Nossas safras são generosas, res-
Lei Maior incorporou numerosos a começar pelo fim da crise econó- pondendo ao esforço do homem brasi-
avanços sociais, incluindo os decor- mica. E representava um adeus em de- leiro.
rentes de sugestões oferecidas à Cons- finitivo a dois pontos em particular:
tituinte através de emendas populares, à inflação, que sufoca nosso desenvol- O parque industrial aqui existente
iniciativa, como tantas outras, inédita vimento, e à colossal dívida externa, equipara-se aos de outros países já de-
nos registros históricos alusivos ao que nos intranqúiliza. Dir-se-ia que, senvolvidos.
processo de elaboração constitucio- como num passe de mágica, tudo seria Nosso litoral oferece condições ex-
nal. Essa, como sabe a nação, foi uma resolvido e a nação se reencontraria tremamente favoráveis às atividades
das vias que o Regimento Interno da de imediato com a normalidade eco- portuárias e ao desenvolvimento do
Assembleia Nacional Constituinte as- nómica, passando, em consequência, turismo.
segurou às nossas comunidades, den- a ostentar níveis de desenvolvimento Não obstante, ao povo não chegam
tro do espírito de abertura democrá- somente encontrados em países alta- os benefícios diretos a que todos têm
tica que caracterizou nosso esforço ao mente desenvolvidos. direito. Fomos, inclusive, compelidos
longo desses meses. Essa visão enganosa da nova Carta a amargar os resultados dos desencon-
Essa preocupação, aliás, foi um dos felizmente tende a desaparecer atra- tros decorrentes do autoritarismo im-
pontos marcantes desde o início das vés de um processo de conscientizaçáo plantado contra a vontade nacional.
atividades da Constituinte, em feve- própria. Essa fase, felizmente, já pertence ao
reiro do ano passado. Essas subcomissões foram impor- "Os novos tempos exigem um Legislativo forte e aparelhado: poder efetivo" passado e, aí sim, por decisão nacio-
Desde aquele momento, a Consti- tantes para orientar a consecução do nal.
tuinte, que não dispunha de um proje- objetivo maior de estruturar um texto União, ao lado das demais funções, lho comum desenvolvido em Brasília. A própria Constituinte foi convo-
to de Carta, optou pela criação de uma capaz de exprimir o pensamento co-
estrutura orgânica representada por
dentre as quais as de fiscalização dos A estrutura orgânica da Assembleia cada pela força da conjugação de es-
mum da pátria. E transformaram-se, atos do Governo. Nacional Constituinte permitiu que forços do povo e do principal partido
oito troncos denominados comissões como mostram seus anais, em palco
temáticas, as quais, por sua vez, se de debates abertos a todas as catego- Como atual presidente do Senado daquela fase pioneira se passasse a de sustentação das liberdades, o
subdividiam em 24 subcomissões, rias, interessadas em levar sua colabo- e do Congresso Nacional, asseguro à uma outra, já com um esboço do que PMDB, do qual, com orgulho, fui um
abrangendo os principais temas, de ração ao trabalho que se estava ini- nação que não pouparemos esforços viria se transformar numa verdadeira dos fundadores.
onde se originariam os futuros capítu- ciando. É válido acrescentar que ali para complementar os dispositivos Carta constitucional. De fato, já não era possível o mero
los da nova Carta. se compôs uma verdadeira radiografia destinados ao cumprimento das novas Assim, na etapa das comissões te- conformismo com uma situação equi-
Pelas subcomissões, que deram a do Brasil contemporâneo, com todos funções legislativas. O Poder Legis- máticas, o futuro texto começaria a vocada, em nada parecida com a índo-
partida a essa estupenda tarefa, verda- os matizes da angústia que caracteri- lativo haverá de se situar como um delinear-se mais claramente e de for- le dos brasileiros.
deira epopeia na vida nacional, passa- zava o país, causada sobretudo pelas dos pontos de sustentação política do ma homogéna e integrada, para se Por isso, a nação levantou-se, com
ram numerosos representantes de en- distorções de um longo período de au- país, exercendo suas funções com a chegar, logo depois, a um primeiro paciência, mas também com firmeza,
tidades de diferentes atividades ou toritarismo. eficiência reclamada pelo difícil qua- projeto de Carta, submetido ao exame para proclamar sua vontade. Essa von-
áreas. As entidades que ali compare- A face do Brasil foi fielmente retra- dro que o país atravessa. da Comissão de Sistematização, presi- tade está expressa na letra da nossa
ciam, as personalidades e os técnicos tada por meio de exaustivos debates, De todos nós, que cumprimos man- dida pelo senador Afonso Arinos, um Constituição, que vigora a partir de
e pensadores convidados, todos, en- com um salutar e democrático con- datos populares outorgados pelo voto, dos maiores valores da nossa vida pú- hoje.
fim, tiveram o ensejo de formular, di- fronto de ideias, paralelamente ao será exigido intenso trabalho, razão blica. A Carta já está em vigor, com sua
retamente, as suas sugestões e de ex- propósito, que deve ser encarado com pela qual entendemos que a hora não Essa fase, a da Comissão de Siste- promulgação solene pelo presidente
por, no conjunto, o quadro brasileiro, naturalidade, de ver inscritos no texto é apenas de louvação. Pelo contrário, matização, teve, dentre outros, o da Assembleia Nacional Constituinte,
em toda a sua realidade. os direitos sociais e o equilíbrio entre o momento pede intensa dedicação e grande mérito de despertar as aten- o bravo Deputado Ulysses Guima-
Na mesma medida em que essas su- os Poderes da República. assim haverá de ser. Já nos prepara- ções de toda a nação, desde que, àque- rães, a quem já tive a honra de chamar
gestões ganhavam forma e feição de Com a normalidade democrática e mos, por exemplo, para dar sequencia la altura, já se tinha um texto que po- de timoneiro contemporâneo da demo-
dispositivo constitucional, a Consti- com o equilíbrio entre os Poderes da aos preceitos constitucionais, com a deria ser o definitivo. cracia, expressão que repito, agora
tuinte conheceu diferentes tipos de República, o Congresso Nacional pas- votação de um elenco de leis comple- A Comissão de Sistematização foi com redobrado orgulho cívico.
reações, explicáveis diante da verda- sa a ter, pelo novo texto, suas prerro- mentares, a fim de que a nação real- incansável. Realizou reuniões diárias. O momento, pois, é de júbilo nacio-
deira perplexidade da gente brasileira. gativas plenamente restauradas. Com mente disponha de um instrumento ju- Trabalhou aos sábados e domingos. nal. Júbilo de um país que vê seus es-
Os próprios integrantes da Assem- isso, volta a ser um Poder efetivo, de rídico à altura dos reclamos populares, Nela, o projeto foi exaustivamente forços plenamente recompensados, ao
bleia Nacional Constituinte chegaram direito e de fato, com um papel a cum- de que somos porta-vozes. analisado. Foram horas a fio de dedi- receber uma nova Carta constitucio-
rir, a partir de sua competência de O Brasil, até então, era uma Fede- cação, acompanhadas de perto pelo nal.
a Brasília com um percentual de reno-
vação de aproximadamente 70%, um
índice que apenas valoriza o trabalho
K sgislar restabelecido integralmente.
Os novos tempos serão exigentes e
relator Bernardo Cabral e a que nova-
ração apenas no papel, sem que outros mente Ela, como a denominou o próprio
não faltou a colaboração dos Ulysses Guimarães, é, por todos os
dispositivos constitucionais asseguras- segmentos
não poderiam dispensar a prenseça de sem seu pleno exercício. As distor- de brasileira. representativos da socieda- méritos, uma Constituiçao-cidadã. É
realizado. Recorda-se a nação que o
Congresso Constituinte foi eleito pelo um Legislativo forte para a consecu- ções, os equívocos, a hipertrofia do a vitória de um povo que sabe o que
voto democrático e livre das popula- ção dos objetivos nacionais. Poder Executivo e uma série de outros Nesse meticuloso rastreamento, os quer.
ções e em meio a uma grande expec- A nova estrutura devolve ao Con- fatores e contratempos não permitiam grandes temas nacionais foram nova-
tativa, numa legítima interpretação, gresso os meios de que necessita para o reencontro do Brasil consigo mes- mente dissecados, já agora à luz e sob Brasília, 5 de outubro de 1988.
como também era visível, da esperan- as funções que lhe foram conferidas, mo. Era preciso mudar. Por isso, a a inspiração de um trabalho que apon-
ça generalizada entre as nossas popu- a começar pelo acompanhamento da Constituinte foi convocada. Por isso, tava as soluções para o nosso reorde- Humberto Lucena
lações. execução financeira do orçamento da o povo foi às urnas. Por isso, o traba- namento jurídico. Presidente do Congresso Nacional
conquistados na futura Constitui- país terá condições de arcar com Soares (RJ), considerou o texto

Ulysses: ção são o mandado de segurança


coletivo, o habeas-data, a reforma
tributária e a descentralização do
poder político, com o respectivo
esses direitos, em face da realida-
de social atualmente existente.
Não obstante, José Lourenço
afirmou aceitar a decisão da maio-
"um tanto avançado". "Não é
uma Constituição sucinta como
gostaríamos que fosse, porém pos-
suidora de alguns avanços sociais.
De certa forma, a nova Carta satis-

6 fortalecimento dos estados e mu-


nicípios. O conjunto de medidas
ria, destacando que, se as diver- faz ao povo brasileiro, sobretudo

' Uma sessão


gências perdem os homens, a fé no que diz respeito à licença-pa-
inovadoras vai permitir ao país, inabalável no processo democrá- ternidade, licença-maternidade,
afirmou, equiparar-se às democra- tico, como única maneira de admi- turno de seis horas, direito de gre-
cias desenvolvidas no que diz res- nistrar conflitos, reconcilia todos. ve", explicou o constituinte.
peito aos direitos do cidadão. Manifestou-se otimista quanto ao
futuro do país ao afirmar que a Na ótica do parlamentar, a nova
O constituinte agradeceu a to- democracia restaurada será capaz, Constituição será capaz de trans-

histórica"
"Encerro esta sessão histórica." Em clima de festa
dos que tornaram possível a futura
Carta, desde os funcionários do
Congresso, que tanto e tão deno-
dadamente trabalharam, até as di-
versas entidades "que trouxeram
à Constituinte as suas reivindica-
"por obra do tempo, de corrigir
excessos e sanar omissões na busca
r irmanente da aproximação da lei
vida cotidiana dos homens."
formar a vida do povo brasileiro,
"modificando-a para melhor". No
seu entender, cabe aos constituin-
tes e ao povo brasileiro a tarefa
de fiscalizar a aplicação da Carta
Magna para que o Brasil possa vi-
ções mais sentidas". Ele garantiu GARANTIAS ver realmente um estado de direi-
o plenário ouviu o presidente Ulysses Guimarães anunciar que a participação popular foi fe- to democrático.
o resultado da votação da redação final da nova Consti- cunda, mesmo nos momentos em
tuição brasileira: 474 votos sim, 15 não e seis abstenções. que pareceu conflituosa.
Mas antes do painel eletrônico registrar o resultado, — Não sou corporativista, nem
MAIORIA
Ulysses, falando por toda a Assembleia, deu o tom de a esse tipo de postura emprestei
final feliz da longa jornada de quase 20 meses de elaboração meu voto, porém, os dispositivos
de defesa de interesses particula-
constitucional: res constantes da Constituição não
chegam a desmerecer os imensos
— Chegamos, graças a Deus, ao povo brasileiro e avanços que ela conquistou. Num
à Assembleia Nacional Constituinte, nós chegamos. país desprovido de leis respeitadas
Foi uma sessão tranquila. Mesmo assim o presidente como o nosso é natural que os seg-
teve de responder às críticas sobre a votação final, prevista mentos mais organizados da socie-
dade queiram ver na Constituição
pelo regimento como em turno único. Uma vez mais teve seus direitos consagrados.
de explicar que o plenário foi sempre soberano e lembrar
que o regimento é um meio, não um fim. Afinal, todos "A nova Constituição represen-
os dispositivos já haviam passado pelo crivo da maioria ta a vontade da maioria e deve
ser respeitada", acentuou o cons-
absoluta, depois do exame das lideranças que, quase sem- tituinte Fernando Henrique Car- Ao consignar seu voto favorável
pre, levaram o consenso ao plenário. A votação da redação doso, para quem o presidente ao texto da nova Constituição, o
final teria, portanto, um caráter confirmatório de todo Ulysses Guimarães deve ser o pri- líder do PSB, Ademir Andrade
o trabalho. O fim, segundo Ulysses Guimarães, é o bem, meiro a denunciar qualquer tenta- (PA), frisou que a Constituinte
a justiça e isso foi alcançado com o novo texto constitu- tiva de solapar as disposições cons- conseguiu construir um texto bas- Justificando a posição do PL fa-
titucionais "na calada da noite". tante avançado para os dias de ho- vorável ao texto constitucional,
cional. "Só através de emendas votadas je. Jamais uma Constituição do seu líder, o constituinte Afif Do-
de forma legítima se poderá mu- Brasil deu tamanhas garantias aos mingos (SP) declarou que seu par-
dar o que está aprovado", fina- seus cidadãos — disse o parlamen- tido tem respeito à maioria daque-
A trilha da Constituinte foi lizou. tar, embora reconhecendo ter per- les que, democraticamente, fize-
CONVIVÊNCIA aplainada ainda no governo do dido em algumas questões, como ram prevalecer a sua vontade.
Presidente Figueiredo, quando o nas relativas ao sistema de gover- "Em democracia devemos respei-
PDS, então partido majoritário, EQUILÍBRIO no e ao mandato do Presidente tar o direito das maiorias, embora
propôs e aprovou a anistia política José Sarney. discordando de muitas das partes
e o retorno das eleições diretas pa- da matéria." E acrescentou:
ra governadores e tentou aprovar — "Mas ganhamos ao elaborar
a convocação de eleições diretas um texto que consolida o processo — A nova Constituição é por
ara presidente da República em
?988.
democrático, que nos permite
avançar, através do processo polí-
tico e da conscientização popular,
muitos considerada progressista
em termos de uma prevalência da
esquerda no seu processo de ela-
E enfatizou: — A Constituição para caminharmos em direção a boração. Não concordamos com
não tornará o país ingovernável, um regime mais justo, o regime
mas exigirá mais talento dos go- socialista de governo" "que repre- isto por acreditarmos que direita
vernantes. E queira Deus que as senta de fato a liberdade". e esquerda se uniram no passado,
dificuldades geradas não armem dentro de uma visão corporativis-
o braço daqueles que se opõem Após acentuar que "pela pri- ta, como doutrina e conceito do
aos avanços consagrados na nova meira vez na história do país l/S início do século, que foi a matriz
Carta. Ninguém, após sua promul- dos constituintes defenderam a do pensamento político do país no
gação, pode se arrogar o direito bandeira do socialismo", o repre- momento que antecedeu a Revo-
de se insurgir contra ela, porque sentante paraense prometeu lutar lução de 1930. Para ele, é a visão
ela representa os anseios da maio- em favor da implantação do parla- corporativista o arcabouço do Es-
ria expressiva da população. mentarismo, a partir de 1993. tado brasileiro, que instruiu o pen-
Em nome do PDS, o constituin-
te Jarbas Passarinho (PA) ressal- O líder do PFL, constituinte Jo- samento da esquerda e da direita
tou o importante papel desempe- sé Lourenço (BA), reconheceu nos últimos 60 anos.
nhado pelo presidente da Consti- INOVADORA que o novo texto da Constituição AVANÇOS
tuinte, ulysses Guimarães, na ela- brasileira avançou no sentido de
boração da Constituição, bem co- assegurar um Estado democráti- VITÓRIA
mo as qualidades do texto produ- co, com o equilíbrio de forças en-
zido. Com a promulgação da nova tre os três poderes, e de garantir
Carta, disse, estaremos comple- direitos e liberdades individuais.
tando a transição do regime auto- Sustentou, no entanto, que muitos
ritário para a democracia plena. dos dispositivos inscritos nos capí-
tulos da ordem social e económica
É importante registrar, susten- são de difícil aplicação e até mes-
tou o parlamentar, que a convi- mo prejudiciais ao desenvolvi-
vência entre constituintes de ideo- mento do país.
logias políticas contrárias e o de-
bate aberto e desarmado foram Na área social, sublinhou o líder
fundamentais para que se produ- do PFL, o texto revela-se cheio
zisse um texto representativo dos de direitos, sem nenhuma corres-
desejos da maioria da população pondência de deveres, influencia-
brasileira. "Líderes políticos exi- do por uma lógica corporativista,
lados pela Revolução de 64 e que que pretendeu transformar em
voltaram ao país após a anistia aju- preceito constitucional interesses
daram a elaborar a Constituição, específicos e particularizados em Depois de dizer que se sente
lado a lado com aqueles que foram Pelo PSDB, o constituinte Fer- detrimento de interesses maiores honrado por ter participado da
o braço político do referido movi- nando Henrique Cardoso (SP) da nação. Na sua crítica, José Lou- elaboração da nova Constituição "Apesar de tudo, o povo ven-
mento", acentuou. destacou que os principais avanços renço indagou em que medida o brasileira, o líder do PTR, Messias ceu no essencial." Foi o que disse.

Jornal da Constituinte
o líder do PCB, constituinte Ro- cuidado em ampliar a ação da jus- se dê em benefício da classe traba- mente alheio à soberania popular" moderadamente reformista de al-
berto Freire (PE), ao fazer um ba- tiça, com a criação dos juizados lhadora". além de constatar que "as Forças guns dispositivos e do seu forte
lanço dos trabalhos da Constituin- de pequenas causas e a institucio- Armadas continuam a ser instru- espírito corporativista.
te e justificar o voto favorável do nalização da assistência judiciária ESTADISTA mento de repressão contra o povo Brandão Monteiro ressaltou
seu partido ao texto da nova Cons- aos pobres e desvalidos. e o regime democrático". que a nova Carta foi fruto de con-
tituição. Disse ter confiança em De acordo com Siqueira Cam- ciliação das elites "que permitiram
que o Brasil, com a nova ordem pos, o mais importante, porém, O líder do PC do B, no entanto, que o poder económico, que do-
constitucional, amplie e aprofun- foi o desenvolvimento dado ao reconhece na Constituição "rela- minou nas últimas eleições, fosse
de suas possibilidades de tornar-se Ato das Disposições Constitucio- tivos avanços, se comparada às o ponto fundamental da Consti-
uma nação democrática e social- nais e Transitórias que, num largo Cartas que o país já teve". E, den- tuição". Notou, entretanto, que o
mente justa. "Não cometeríamos leque, abrange praticamente toda tres eles, citou o mandado de in- processo de votação e discussão
a infantilidade de reivindicar a no- a vida nacional. É justamente aí, junção, o mandado de segurança do texto foi o mais democrático,
va Carta como património dos co- declarou, que se acha atendida coletivo, a jornada de seis horas com a participação de todos os
munistas, mas temos a noção his- uma reivindicação do PDC, con- para turnos ininterruptos, a licen- segmentos da sociedade. E afir-
tórica de que nela está parte de substanciada no art. 13, que cria ça-gestante, o direito de greve, co- mou: "A bancada do PDT pode
nosso ideário no caminho das li- o Estado do Tocantins, "tese que mo também liberdade e a unidade orgulhar-se de ter contribuído de-
berdades democráticas e de uma defendi exaustivamente durante sindical. cisivamente para a nova Consti-
sociedade mais justa", destacou. 25 anos, tornando possível uma tuição brasileira, com muitas vitó-
conquista histórica de uma luta de Mas, depois de relacionar todas rias, várias derrotas, mas com
Roberto Freire afirmou, contu- 179 anos". essas conquistas, sustentou que muita luta e, sobretudo, voltada
do, não ter a Constituição a capa- não são elas que conformam a fei- para os interesses da nação".
cidade de transformar o perfil de ção essencial da nova Carta. "O
uma sociedade e de um estado que texto constitucional se expressa
convivem, há séculos, com ideolo- DEMOCRATIZAÇÃO fundamentalmente pelo impedi-
gias elitistas e práticas antidemo- O relator Bernardo Cabral, últi- mento real de acesso das grandes DESAFIO
cráticas. Daí a necessidade, a seu mo orador que fez uso da palavra massas da população ao poder, pe-
ver, de que todos os setores orga- antes da votação da matéria, se las funções reservadas às Forças
nizados redobrem seus esforços associou aos líderes no elogio ao Armadas e pelas franquias que
para tornar conhecida a Carta trabalho feito por Ulysses Guima- concede ao capital estrangeiro.Tí-
Magna nos seus aspectos mais fun- rães na presidência da Constituin- nhamos consciência de que esta
damentais. "Precisamos conscien- te. Considerou o relator que o Pre- seria uma Constituição burguesa,
tizar os brasileiros de que ela tem sidente Ulysses Guimarães é antes cuja grande virtude estaria no fato
muito a ver com a vida, com a de tudo um estadista do mesmo de ser uma Carta mais democrá-
liberdade, para que todos possam nível dos maiores do mundo em tica e progressista e de avançar na
defender sua aplicação", disse o todos os tempos. liquidação do regime militar",
líder do PCB. afirmou, para depois dizer que,
Bernardo Cabral ainda comen- apesar disso, o PC do B se empe-
tou que sua atuação na relatoria nhará pelo rigoroso cumprimento
teve por objetivo primordial con- das conquistas nela registradas.
CONQUISTAS tribuir da melhor forma possível
para a grandeza do país. "Insul-
tado, ofendido, injuriado, difama-
do, caluniado não me omiti, não
desertei, já que, de forma obsti-
Ao justificar o voto contrário nada, sabia que o objetivo maior
do PT na última votação da Cons- era dar minha contribuição para
tituinte, buscando a rejeição do que o país possa sair da excepcio- A vigência do novo texto consti-
texto constitucional, o líder Luiz nalidade institucional que marcou
Inácio Lula da Silva (SP) observou tucional é o nosso maior desafio,
no passado, para o reordenamen- assegurou o líder do PMDB na
que "ainda não será desta vez que to constitucional que o espera no
a sociedade brasileira, a maioria Constituição, Nelson Jobim (RS),
presente." Ao mesmo tempo, de- ao encaminhar a votação do texto
dos marginalizados, vai ter uma dicou aplausos a todos os consti-
Constituição em seu benefício final. Lembrou ele que, se fazer
tuintes que, no seu julgamento, a Constituição foi uma tarefa difí-
através da democratização das re- souberam patrioticamente manter
lações do capital". a Constituinte numa posição de in- cil, mais trabalhoso será assegurar
dependência e consolidada diante a sua vigência.
— Sabíamos que a nova Consti- da opinião pública, especialmente
tuição não iria resolver o proble- os integrantes da relatoria adjun- O líder do PMDB asseverou
ma de mais de 50 milhões de brasi- ta. que a Câmara e o Senado serão
leiros que estão fora do mercado chamados a responder, no futuro,
O líder do PDC, constituinte Si- de trabalho, ou da mortalidade in- RESPONSABILIDADE por funções novas e pelos maiores
queira Campos (GO), considerou fantil no Brasil. Porém, imaginá- poderes que lhes foram atribuídos
que o partido, através de extraor- vamos que os constituintes tives- ANACRONISMO com a nova Carta. Disse que esta
Ao encaminhar a votação do irá possibilitar o viver democrático
dinária atuação das suas lideran- sem a sensibilidade de entender texto final, o líder do PDT, Bran-
ças e da bancada, em todos os está- que não basta democratizar as dão Monteiro (RJ), lembrou que que importa fundamentalmente a
gios do trabalho constituinte, con- questões económicas. o seu partido, com 28 constituin- competência no viver do Parla-
seguiu magníficas conquistas para tes, tem uma grande responsabi- mento.
o povo brasileiro. "A certeza de Para o líder do PT, as questões lidade por tudo o que foi aprovado
que foi feito, na Constituinte, o como a distribuição de renda, a em plenário. Ele louvou o fato de O Parlamento emerge e preci-
melhor para todo o povo. Uma reforma agrária, a manutenção do os parlamentares terem aprovado sará demonstrar à nação brasileira
Constituição moderna, inspirada latifúndio e as relativas aos milita- o dispositivo, a seu ver fundamen- que tem competência e lucidez pa-
nos princípios da equidade, para res permaneceram intactas e, em tal, que instituiu a obrigatoriedade ra o exercício dos novos poderes
a construção de uma sociedade li- alguns casos, retrocederam. "Pa- de os acordos internacionais pas- que lhe foram outorgados. Serão
vre, justa e solidária, será ratifi- trão neste país vai continuar ga- sarem pelo Congresso Nacional e esses novos poderes o desafio real,
cada pela adesão nacional, quan- nhando tanto dinheiro quanto ga- lamentou que o Executivo, às vés-
do o Congresso continuar na tare- pois teremos de responder a eles
nhava antes, e vai continuar distri- peras da promulgação da nova de forma positiva ou negativa, de-
fa de aprovar as leis complemen- buindo tão pouco quanto distribui Carta, tenha mandado os seus re-
tares e ordinárias que garantirão resentantes para o exterior em monstrando se temos ou não com-
vigência à integralidade do texto", hoje", afirmou. petência para exercer os poderes
usca de novo acordo com o FMI.
garantiu. que a democracia exige das Casas
Mesmo que a decisão do par- Brandão Monteiro defendeu a parlamentares.
Pelo que afiançou o parlamen- tido tenha sido a de rejeitar o texto necessidade de uma tomada de
tar, cerca de uma dezena de parti- constitucional, os 16 constituintes Ainda que manifestando a posição por parte da Constituinte O líder peemedebista observou
dos, de forma direta ou indireta, do PT irão assinar a Carta, pelo posição favorável do seu partido diante das informações da impren- que, se o novo texto constitucional
revelou as mais diferentes preocu- cumprimento formal de sua parti- ao texto da Constituição, o líder sa internacional de que o acordo falhar, a responsabilidade poderá
pações económicas, políticas e hu- cipação nos trabalhos, explicou o do PC do B, constituinte Haroldo do Brasil com os bancos credores ser exclusivamente dos parlamen-
manísticas, ampliando os direitos líder. A partir da promulgação, Lima (BA), leu em plenário uma é lesivo ao país. Para ele, a omis- tares, "porque nós é que temos
sociais e individuais, criando o ha- entretanto, segundo Lula, será ne- declaração de voto na qual sua são representaria conivência com a responsabilidde real e política de
beas-data e o mandado de injun- cessário um trabalho insano para bancada critica pontos da nova o posicionamento do governo Sar- introduzir a vigência efetiva, a
ção, com especial atenção ao pro- a elaboração e aprovação de legis- Constituição e reafirma o compro- ney e do ministro Mailson da Nó- transformação deste texto na rea-
blema da mulher trabalhadora, lação ordinária e complementar misso de prosseguir no combate brega. lidade concreta das relações indi-
dos menores e dos idosos. Fazen- referente à regulamentação de pela modernização e transforma- viduais e sociais". Frisou que é
do um apanhado geral do texto, cerca de 200 artigos da nova Cons- ção do Estado brasileiro. Quanto ao texto constitucional, preciso fazer com que a nação
o representante goiano ressaltou tituição. Para tanto, disse, é neces- Na declaração, o PC do B diz o líder destacou o seu conteúdo
que nunca as atribuições do Con- sária a arregimentação dos movi- compreenda que o único local pos-
que "a Constituição de 1988 con- liberal no plano político, o seu ca- sível de se produzir a vontade na-
gresso foram tão explicitadas, que mentos populares e sindicais, jun- sagra um sistema de poder retró- ráter descentrafizador no plano
a administração pública aparece to aos partidos progressistas, "pa- cional com lucidez, com autono-
grado, mantém uma forma auto- administrativo e a consagração da mia, com curiosidade e certeza é
racionalizada, com tendência à ra manter o Congresso permanen- crática de governo — o presiden- defesa do nacionalismo na questão
mais ampla unificação de princí- temente pressionado pela socieda- cialismo —, conserva o anacronis- económica. No setor social, Bran- exatamente no Parlamento, que é
pios gerais, e que houve especial de a fim de que a regulamentação mo de um Poder Judiciário total- dão Monteiro falou do sentido o ambiente do diálogo e do conví- >

Jornal da Constituinte 3
vio plural. Nelson Jobim disse es- Apesar de ter condenado o Re- dência declarada é submetido ao lho de feitura da nova Carta. Pelas
tar certo de que a partir da vigên- gimento Interno que norteou os jogo internacional. O país não é suas palavras, a Constituição teve
cia da nova Carta, estará construí- trabalhos da Constituinte, "um re- RESPEITO soberano" sentenciou o Consti- a participação de todos os grupos
do o instrumento necessário para gimento enganoso e falacioso", o tuinte ao ressaltar que "é o pró- interessados em fazer sugestões,
que o Brasil seja um país forte e líder petebista lembrou que nunca prio retrato da fome, da ignorân- apresentar opiniões e trazer preo-
irmanado num futuro democráti- o povo teve tanta participação na cia, da doença, da miséria do po- cupações de cada categoria, de ca-
co. elaboração de uma Constituição vo, do desemprego e do baixo sa- da entidade, de cada associação
e que jamais se dispensou tanto lário". e, depois, decidiu-se no voto o que
tempo em discussões e debates de seria melhor ou não para constar
temas constitucionais com a parti- Paulo Ramos defendeu a reali- no texto definitivo.
cipação de todos os segmentos re- zação de profundas transforma-
ções para que o país tenha a alme- Comentando especificamente a
presentativos da sociedade. jada democracia. "Não a demo- parte referente à Previdência So-
AVANÇADA cracia que permite a manifestação cial, disse ele que a redação não
Gastone Righi creditou ao seu de opinião, mas a democracia que, é das melhores, mas é certamente
partido a maioria dos avanços e além disso transforme os brasilei- bastante avançada. Alegou o par-
conquistas sociais aprovadas, as- ros em pessoas humanas, com lamentar que nenhuma outra
severando que foi o PTB o respon- uma distribuição de renda justa, Constituição brasileira teve um ca-
sável pela redução da jornada de liberdade e justiça social", enfati- pítulo integral dedicado ao assun-
trabalho, pela garantia de um adi- zou o parlamentar. to. Arnaldo Faria de Sá endereçou
cional de 1/3 do salário na remune- um elogio também às conquistas
ração de férias, dentre outras con- obtidas pelos idosos, principal-
quistas. mente no que tange à atualização
O Constituinte Paulo Ramos PARTICIPAÇÃO das pensões e aposentadorias, no
(RJ), em nome do PMN, concla- prazo de sete meses após a pro-
O líder assegurou que, em ma- mou os constituintes a lutarem por mulgação.
téria de direito social e trabalhista, maior respeito ao texto constitu-
nenhuma outra Constituição foi cional, que dará ao povo brasilei- O representante paulista disse
tão ampla, tão cuidadosa e aten- ro, aos trabalhadores o instrumen- que lutou para que esses benefí-
deu tanto à classe trabalhadora co- to necessário para fazer prevalecer cios sejam concedidos com base
mo esta. a democracia no Brasil. Conforme nos 36 últimos meses, corrigidos
acentuou, a nova Carta prevê a integralmente mês a mês e man-
O representante paulista tam- democracia fundamentada na li-
bém enalteceu os dispositivos dou um recado aos futuros apo-
berdade, mas tendo como sentido sentados: aposentem-se logo após
aprovados nos capítulos da saúde, a justiça social. "Sem liberdade e
da ecologia, do meio ambiente, e 5 de outubro. E garantiu que, de
justiça social não teremos demo- uma forma ou de outra, os pensio-
da educação. Ele lamentou que cracia," insistiu.
poucos possam participar da gran- nistas receberão seus direitos: se
Esta é a Constituição mais mo- Após ter felicitado os consti- não for através da própria Previ-
derna e avançada do mundo. Va- de festa de promulgação do novo
texto constitucional. tuintes e os partidos políticos pelo dência, há a possibilidade de utili-
mos assiná-la com orgulho porque trabalho de elaboração da nova zação do mandado de injunção pa-
os capítulos da Ordem Económica Carta, Paulo Ramos disse que du- ra assegurar o benefício.
e da Ordem Social têm a carta do rante os 18 meses de duração da
PTB. A afirmação foi feita pelo Constituinte os parlamentares ti-
líder petebista, Gastone Righi veram oportunidade de conhecer Pelo PJ, o Constituinte Arnaldo
(SP), ao encaminhar a votação do e discutir o Brasil e sua realidade. Faria de Sá (SP) enalteceu o cará-
texto. "O Brasil, apesar de sua indepen- ter democrático que teve o traba- Luiz Carlos Linhares

O RETOQUE FINAL
Na reta final dos trabalhos da Os vencimentos dos deputados
Assembleia Nacional Constituin- estaduais não terão mais como te-
te, a Comissão de Redação se reu- to máximo a remuneração dos de-
niu durante quatro dias para cor- putados federais. A Comissão de
reções redacionais e sanar erros Redação desvinculou os seus ven-
e omissões. O relator Bernardo cimentos de qualquer outro cargo.
Cabral apresentou 138 propostas; O limite a ser obedecido será esta-
o assessor especial para a área de belecido em lei.
redação, professor Celso Cunha,
297; e os constituintes, 826. Outra medida aprovada corrige
Algumas modificações impor- omissão do texto anterior e deter-
tantes foram introduzidas no texto mina que o presidente e o vice-
final na nova Carta. A que desper- presidente da República e tam-
tou maior polémica se refere ao bém os ministros de Estado pa-
tabelamento dos juros em 12% ao guem o imposto de renda. O esta-
ano. No texto aprovado no segun- do de defesa seria decretado em
do turno de votação, a matéria face de calamidades naturais de
constava como inciso. Agora, é grandes proporções (terremotos, Durante muitas horas a comissão cuidou de sanar erros e omissões
um parágrafo, o que, segundo en- maremotos ou erupção de vul-
cões). Agora, o estado de defesa difusão. Fixado em dois anos o
tende a maioria dos constituintes, mandato dos membros das Mesa
torna o dispositivo auto-aplicável. será decretado em função de cala-
midades de grandes proporções na da Câmara dos Deputados, Sena- COMISSÃO DE REDAÇÃO
Os bancos oficiais e privados es- natureza, o que inclui catástrofes do Federal e Congresso Nacional.
tavam proibidos de exercer qual- nucleares e rompimento de repre- No encerramento dos trabalhos Presidente: Ulysses Guimarães (PMDB — SP)
quer outro tipo de atividade como, sas. da Comissão de Redação, o clima Co-presidentes: Afonso Arinos (PSDB — RJ) e Jarbas Passarinho
por exemplo, previdência privada, era de bom humor, com o Presi- (PDS — PA)
turismo e seguros. Pela nova reda- Na parte que trata da explora- dente Ulysses Guimarães sendo Relator: Bernardo Cabral (PMDB — AM)
ção, as atividades não especifica- ção do subsolo, o texto previa que aplaudido de pé pelos constituin- Relatores adjuntos: Adolfo Oliveira (PL — RJ), António Carlos
mente bancárias ficam pendentes tes. Afinal, analisar e deliberar so- Konder Reis (PDS — SC) e José Fogaça (PMDB — ES)
somente com autorização da
de autorização para o seu funcio- União seriam exploradas jazidas, bre mais de 1.300 propostas sem TITULARES:
namento, o que será disciplinado minas e demais recursos minerais. que o calendário previamente es-
por lei. tabelecido fosse alterado era tudo PMDB: Bernardo Cabral, Luiz Henrique (SC), Luiz Viana (BA),
A comissão suprimiu a expressão Marcos Lima (MG), Nelson Carneiro (RJ), Michel Temer (SP), Nelson
minas, argumentando que ela é si- o que Ulysses Guimarães deseja- Jobim (RS) e Ulysses Guimarães
Foram fixados os direitos traba- va. Foram quatro dias de reuniões
lhistas dos militares, que tinham nónimo de jazidas, o que gerou PFL: Humberto Souto (MG), Paes Landim (PI), Ricardo Fiúza
polémica, inclusive com protestos da manhã à noite, com os consti- (PE) e José Lins (CE)
sido omitidos no texto aprovado tuintes fazendo as refeições em PSDB: Fernando Henrique Cardoso (SP) e Afonso Arinos
em plenário. Com a correção efe- da Frente Nacionalista Parlamen-
tar. Foi ainda estabelecido o mo- seus gabinetes e nos restaurantes PDS: António Carlos Konder Reis, Jarbas Passarinho e Bonifácio
tuada, os militares passam a ter do Congresso Nacional para que de Andrada (MG)
férias remuneradas, 13° salário, nopólio da Petrobrás sobre o gás PDT: Vivaldo Barbosa
natural. não houvesse interrupções. Sorri-
salário-família, licença-materni- dente, Ulysses Guimarães desta- PT: Plínio Arruda Sampaio (SP)
dade e licença-paternidade. cava o empenho dos membros da PTB: Sólon Borges dos Reis (SP)
Ao trocar a palavra "vencimen- PL: Adoido Oliveira
Artigo inserido nas Disposições to" por "vencimentos", a Comis- comissão e de seus assessores es- PDC: José Maria Eymael (SP)
Constitucionais Transitórias diz são de Redação tornou irredutí- peciais. Ele não se esqueceu de PCB: Roberto Freire (PE)
que caberá à lei estabelecer que veis as gratificações percebidas pe- registrar que a última reunião se PC do B: Haroldo Lima (BA)
bens a União atribuirá ao Distrito los funcionários públicos civis, mi- encerrou às 23 horas e 55 minutos, PSB: Ademir Andrade (PA)
Federal. O número mínimo de ve- litares, magistrados e membros do cinco minutos antes do final do ASSESSORES ESPECIAIS: Celso Cunha, na parte redacional, e o juris-
readores nas cidades com mais de ministério público. O Congresso prazo previsto — meia-noite. A ta José Afonso da Silva
cinco milhões de habitantes pas- Nacional passa a ter também com- nova Constituição do Brasil estava
sou de 33 para 42. petência para legislar sobre radio- pronta.

Jornal da Constituinte
ADIRPÍBenedil» Passo»

O povo
acreditou.
Eganhou
Numa das mais belas ima- perpetuado nas centenas de
gens já construídas em tomo fotos que ilustraram o Jornal
da Assembleia Nacional da Constituinte e os jornais
Constituinte, o mestre Afon- de todo o País. Trabalhado-
so Arinos de Mello Franco, res, donas-de-casa, estudan-
presidente da Comissão de tes, agricultores sem-terra e
Sistematização, comparou-a proprietários rurais, pensa-
ao sudário que Verónica usou dores, cientistas, artistas,
para enxugar o rosto de Cris- aposentados, crianças, defi-
to a caminho do Calvário. cientes físicos, funcionários
Disse o senador que assim co- fmblicos, bancários, índios,
mo aquele pedaço de tecido avelados, enfim, quase todas
gravou a face e o sofrimento as parcelas das sociedade bra-
de Cristo, a Constituinte esta- sileira se misturaram na gran-
va retratando a própria ima- de praça que existe diante do
gem sofrida do povo brasilei- Congresso Nacional, reviven-
ro. De fato, a participação da do, nela, a Agora dos gregos;
sociedade na elaboração da ou se comprimiram nos mui-
Carta que acaba de ser pro- tos corredores e saguões do
mulgada foi algo inédito na edifício da Constituinte para
história constitucional brasi- propor, cobrar, pedir, exigir
leira e teve o mérito de colo- e mostrar como vivem e de
car nas linhas da Carta toda ue precisam. Foi como se to-
a mensagem de um povo, co-
mo soma dos anseios e suges-
3 os os espaços mais próximos
dos constituintes se conver-
tões dos diferentes setores do tessem em passarelas por on-
universo social. de o povo desfilou suas an-
Os brasileiros foram cha- gústias e anseios. Da mesma
mados a opinar e não se fize- forma, as paredes foram usa-
ram de rogados, ao contrário, das como painéis onde, por
souberam aproveitar muito meio de cartazes, centenas
bem a oportunidade, conver- deles, cada segmento social
tendo-a em eficaz instrumen- transmitia a sua mensagem.
to de aproximação entre a so- E muitas vezes houve risos.
ciedade e o poder constituin- Outras tantas, houve lágri-
te. Foram várias as formas de mas. Mas os risos e as lágri-
contribuição popular à feitu- mas se fundiram, sempre e
ra da nova Carta, mas duas sobretudo, numa manifesta- Dom Luciano, presidente da CNBB, entregou a Ulysses as emendas da Igreja, com milhões de assinaturas
delas se destacaram pela am- ção de esperança. Os mi-
plitude e pela eficácia: o ofe- croempresários e os peque-
nos agricultores sorriram e
recimento de emendas nasci-
das diretamente do seio da
comunidade — as emendas
choraram de emoção ao ver
cancelada a correção mone-
Nas emendas, a vontade de 12 milhões
tária sobre os débitos por eles As 121 emendas populares encami- mentais e foram prontamente aceitas tuições religiosas, conseguiu reunir
populares — e a prática conti- assumidos na época do Plano nhadas à Assembleia Nacional Consti- pelo relator e encaminhadas à trami- quase dois milhões de signatários em
nuada da pressão sobre a Cruzado. Os jovens festeja- tuinte resultaram de uma grande mo- tação normal, como as emendas dos torno de uma dezena de emendas,
ANC, através de grupos or- vimentação nacional, mobilizando próprios constituintes. muitas delas tratando da questão so-
ganizados, os chamados lob- ram ruidosamente a conquis- mais de 12 milhões de pessoas das mais Ainda de acordo com o Regimento cial, da ordem económica e da família.
ta do voto aos 16 anos; os ín- diversas categorias profissionais e eco- Interno, as emendas populares pude- Seguiram-se. em volume de assinatu-
bies, que deixaram de ser dios dançaram, fizeram paje- nómicas e das várias camadas sociais, ram ser defendidas por um dos signa- ras e em quantidade de temas trata-
apenas tema de polémica pa- lanças, cantaram e marcaram principalmente as mais humildes. Para tários de cada uma delas, devidamente dos, as emendas patrocinadas por enti-
ra consolidar-se como um ca- a captação dessas emendas, o Regi- indicado pelas entidades coordenado- dades de trabalhadores.
nal livre de manifestação da uma das presenças mais cons- mento Interno da ANC estabeleceu ras da coleta de assinaturas. Isso colo-
vontade nacional. tantes na ANC, assim como um ritual: as propostas, para serem cou representantes da comunidade As emendas encaminhadas à ANC,
as mulheres de todas as cama- aceitas, teriam de constar de listas or- frente-a-frente com os constituintes, com seus respectivos temas, número
ganizadas por no mínimo três entida- produzindo momentos de inteira co- de assinaturas e entidades patrocina-
A movimentação da socie- das sociais, na busca de novos des associativas legalmente constituí- municação entre eleitores e eleitos, doras são as seguintes: Censura —
dade em torno da ANC foi direitos. A Assembleia Na- das, que se responsabilizassem pela além de ensejar lances de profunda 30.000 — Sind. Artistas Tec. Espetá-
um capítulo à parte na histó- cional Constituinte soube idoneidade das assinaturas. As listas emoção, como aquele vivido pelo Ple- culos do Estado de São Paulo; Direitos
despertar na consciência bra- teriam de conter o nome completo e nário quando um índio, Aílton Kre- do Cidadão — 30.000 — António Fi-
ria da Carta constitucional de legível do assinante, seu endereço e nak, coordenador da União das Na- gueira Fortuna; Ensino Religioso —
1988. Ela registrou lances sileira a convicção de que fa- título eleitoral, não podendo o cida- ções Indígenas, foi à tribuna para de- 66.637 — Ass. Interconfessional de
emocionantes e se caracteri- zer pressão é uma forma váli- dão assinar mais do que três propos- fender propostas relativas aos direitos Educação de Curitiba; Educação —
zou, principalmente, pela da e democrática de reivin- tas. Também seriam aceitas emendas dos índios. Krenak emocionou a Cons- 3.785 — Colégio dos Jesuítas de Juiz
dicar, acima de preconceitos que, não tendo cumprido todas as exi- tituinte e o Brasil inteiro quando, en- de Fora; Direitos Humanos — 32.406
continuidade. Se de um lado gências do Regimento Interno, vies- quanto falava, cobriu o rosto com uma — Câmara Municipal de Cuiabá; Di-
a participação através das e discussões académicas. O sem a ser, posteriormente, subscritas pasta preta de genipapo para significar reitos da Família, do Menor e do Idoso
emendas populares mobili- povo foi chamado, foi lá e deu por alguns dos constituintes. Foi o ca- o luto de seu povo diante da situação — 34.240 — Mitra Arquid. do Rio
zou mais de 12 milhões de o seu recado. Por isso mes- so, por exemplo, da emenda que, indi- a que foram relegadas as nações indí- de Janeiro, Caritas Arquid. do Rio de
mo, nunca uma Constituição vidualmente, recebeu o maior número genas desde o início da colonização Janeiro e Imperial Irmandade de Nos-
brasileiros — quase 10% da de assinaturas — um milhão e duzen- brasileira até os dias atuais. sa Sr* da Glória; Educação, Cultura
população —, de outro a pre- teve tanto a fisionomia de um tas mil — versando sobre os direitos O trabalho de organização de emen- e Esportes — 30.804 — Mitra Arquid.
sença direta do povo dentro povo como a que agora entra da criança e organizada pela Comissão das e coleta de assinaturas destacou do Rio de Janeiro, Caritas Arquid. do
e fora do edifício do Congres- em vigor e abre ao País os Nacional Criança e Constituinte. Ela a atuaçáo da Igreja Católica que, atra- Rio de Janeiro e Imperial Irmand.
caminhos de um futuro me- foi subscrita pelo constituinte Nilson vés da Conferência Nacional dos Bis- Nossa Si* da Glória; Direitos do Tra-
so Nacional é algo quase ínar- Gibson. Do total das emendas, 87 pos do Brasil, da Mitra Arquiepisco- balhador — 30.240 — Mitra Arquid.
rendável por palavras, mas lhor. cumpriram todas as exigências regi- do Rio de Janeiro, Caritas Arquid. do •
pal do Rio de Janeiro e de outras insti-

Jornal da Constituinte
ADIRP Roberto Stuckart ADIRP/William Prescotl ADIRP/William Prcscott ADIRP/Ouilhcrmc R u f e i
Rio de Janeiro e Imperial Irmane).
Nossa Sr* da Glória; Educação —
749.856 — Conferência Nac. dos Bis-
pos do Brasil, Assoe. Educ. Católica
do Brasil e Ass. Brás. Esc. Superiores
Católicas; Família — 515.820 —
CNBB, Assoe. Educ. Católica do Bra-
sil e Caritas Brasileira; Liberdade Re-
ligiosa — 212.462 — CNBB, Assoe.
Educ. Cat. do Brasil e Caritas Brasi-
leira; Ordem Económica — 283.381
— CNBB, Caritas Brasileira e Movi-
mento de Educação de Base; Prática
da Mediunidade — 60.458 — Grupo
Esp. "Paulo e Estêvão", Centro Esp.
"Unidos na Fé" e Centro Esp. "José
de Aguiar—Luze Caridade"; Serviço
Público — 15.672 — Mitra Arquie-
piscopal do Rio de Janeiro, Caritas,
Imperial Irmanei. Nossa Sr" da Glória
do Outeiro; Garantias dos Direitos do
Homem e da Mulher — 7.956 — Mitra
Arquiepiscopal do Rio de Janeiro, Ca-
ritas e Imp. Irmand. Nossa Sr* da Gló-
ria do Outeiro; Ecologia e Medicina
Natural — 3.252 — Inst. Brás. de Me-
dicina Natural, Diretório Académico
João Ladeira de Sena e Diretório
Acad. do Inst. de Ciências Biológicas;
Saúde Pública—30.531 —Assoe. Mé-
dica de Mato Grosso do Sul; Assoe,
dos Sanitaristas e Ass. dos Cirurgiões
Dentistas de MS; Aposentadoria das
Donas de Casa —132.528 — Fed. das
Assoe, de Bairros de Salvador, Assoe,
de Moradores de Plataforma e Assoe.
Mulheres de Cosme de Farias; Direi-
tos da Mulher — 42.444 — Rede Mu-
lher SP, Serv. de Informação da Mu-
lher MS e SOS-Corpo PE; Participa-
ção Popular — 336.047 — Comis.
Brás. de Justiça e Paz RJ, Assoe. Brás.
de Empresa e Assoe. Brás. de Apoio
à Participação Popular na ANC, SP;
Participação Popular — 31.002 —
OAB — RS, Açao Democ. Feminina
Gaúcha e Sind. Trab. na Ind. de Pa-
pel, Papelão e Cortiça de Guaíra, RS;
Aposentadoria da Mulher aos 25 anos
—32.040 — Sind. Operários nos Serv.
Portuários de Santos, São Vicente,
Guarujá e Cubatão; Sind. Motoristas
em Guindaste de Santos, Sind. Em-
pre. Adm. Serv. Portuários de Santos,
São Vicente, Guarujá e Cubatão; Mo-
nopólio Estatal das Telecomunicações
—111.192 — Fed. Interest. dos Trab.
em Emp. de Telec. e Operadores de
Mesas Telefónicas, Assoe. Emp. da
Embratel — RJ e Sind. Trab. Emp.
de Telec. e Op. de Mesa Telef. do
Munic. do Rio de Janeiro; Coopera-
tivismo — 46.503 — Org. Coop. do
Brasil, Org. Coop. RS e Org. Coop.
PB; Criação do Est. de Tocantins —
72.959 — Comité Pró-criação do Est.
Tocantins, Ass. Municípios do Ext.
Norte de Goiás e Ass. Munic. Nor-
deste de Goiás; Imposto sobre a Ren-
da — 30.000 — Assoe. Com. Ind. de
Prés. Prudente, Sind. Com. Varejista
Prés. Prudente e Sind. dos Bancários
de Prés. Prudente; Educação de Jo-
vens e Adultos — 15.520 — Assoe.
Serv. do Mobral e Fundação Educar;
Competência Estadual para Legislar
sobre Criação de Municípios — 37.400
—Assem. Leg. do Rio Grande do Sul,
Assoe, das Comissões Emancipacio-
nistas e Fed. das Assoe, dos Muni-
cípios RS; Cidadania — 3.143 — As-
soe. Moradores dos Parques Residen-
ciais Ponta Negra/Alagamar, Clube de
Mães. "Guiomar Ramos" e Centro
Sócio-Cultural e Desportivo Paufer-
rense; Concurso Público — 2.953 —
Assoe. Moradores dos Parg. Res. Pon-
ta Negra/Alagamar, Clube de Mães
"G. Ramos" e Cent. Soe. — Cult. e
Desp. Pauferrense; Criação do Estado
do Iguaçu — 41.234 — Soe. para o
Desenv. e Emane, de Iguaçu — OAB
— Subseccional de Cascavel e Assoe.
Com. e Ind. Cascavel; Assistência Es-
piritual — 53.216 — Rádio e TV Ban-
deirantes — Programa 3' Visão, Igreja
Cat. Carismática do Brasil e Assoe.
Umbandista e Casa de Caridade "Pai
João da Porteira e Caboclo Pena Bran-
ca"; Aposentadoria — 19.680 — As-
soe, dos Ind. Aposentados e Pensio-
nistas de Volta Redonda, Assoe. Mo-
radores e Amigos B. Sessenta e União
Hospitalar Gratuita; Princípios da Li-
vre Iniciativa — 70.000 — Fed. Ind.
Est. São Paulo; Centro das Ind. de
São Paulo e Fed. Com. Est. São Paulo;
Preservação do Sesi e Senai—424.678
A busca da paz também marcou presença — Fed. Ind. São Paulo, Centro Ind.
A solidariedade conjugal Os trabalhadores fincaram na praça a bandeira de luta Ailton Krenak pinta o rosto de negro em defesa de um povo que se deu as mãos para reclamar também a fraternidade dos brancos Est. São Paulo e Fed. Ind. de Brasília; .

Jornal da Constituinte
Formação de mão-de-obra Profissio- Rurais Sem-Terra e Comis. Pastoral — Fed. Nac. Est. Serv. Saúde, Assoe. Sind. Met. São Bernardo do Campo do Brasil; Direitos e Liberdades Fun-
nal —214.124 — Centro Ind. SP, Liga da Terra; Ordem Económica e Social Brás. Medicina de Grupo e Fed. Brás. e CUT; Ordem Económica e Social damentais — 10.000 — Assoe. Pref.
das Senhoras Católicas e Fed. Espírita — 173.703 — CUT, Assoe. Nac. de Hospitais; Previdência das Estatais — 33.000 — Mosteiro de São Bento SP, Assoe. Paulista de Municípios e
SP; Polícia Rodoviária Federal — Coop. Agrícolas, Mov. Trab. Sem- e Parlamentar—41.188—Sind. Trab. da Bahia, Assoe, de Pais e Mestres União dos Vereadores do Brasil;
75.123 — União do Pol. Rod. DNER, Terra e Comis. Past. da Terra; Direito Ind. Extração de Petróleo da BA; As- da Comunidade de Saramandália e Transportes Coletivos — 25.000 —
Casa do Inspetor e Assoe. Pol. Fed. de Participação Popular 35.000 — soe. Mantenedores e Beneficários da Assoe. Comunit. União Paraíso; Insti- Coop. Mista dos Trab. da Grande São
do Paraná, Assoe. Nac. da Pol. Rod. Fed. Trab. Agríc. MG; Sind. Trab. Petrobrás e Assoe. Trab. Portuários tutos de Previdência — 25.000 — Inst. Paulo, Fed. Soe. Amigos de Bairros
Federal; Nações Indígenas — 44.171 Emp. Telc. e Operadores de Mesas de Candeias; Creches — 17.994 — Prev. Munic. de São Paulo, Assoe. e União dos Aposentados de Osasco;
— Cons. Indigenista Missionário, As- Telefónicas MG, Unibairros; Compe- Movimento Luta Pró-Creche, Assoe. Pensionistas do Iprem e Assoe. Conta- Intermediação de mão-de-obra —
soe. Nac. de Apoio ao índio e Mov. tência do STF — 39.600 — Soe. Pro- Apoio a Creche Comunit. Casa da Vo- dores do Munic. São Paulo; Democra- 36.441 — Fed. Trab. Com. de Goiás,
de Justiça e Direitos Humanos; Popu- Desenv. Integrado de Rondônia, vó e Fundação Fé e Alegria do Brasil; tização dos Meios de Comunicação — Fed. Brás. das Assoe, de Empresas
lações Indígenas — 41.114 — Assoe. Sind. Com. Varej. Veículos Rondônia Direito do Trabalhador — 13.549 — 32.379 — Fed. Nac. Jornalistas Profis- de Asseio e Conservação e Sind. das
Brás. de Antropologia, Coord. Nac. e Fed. Ind. Rondônia; Escola Comu- Sind. Trab. Rurais MG, Sind. Trab. sionais, Assoe. Nac. Docentes do Ens. Emp. de Asseio e Conservação de
dos Geólogos e Soe. Brás. para o Pro- nitária — 23.000 — Movimento Defe- Ind. Extração de Ferro e Metais Bási- Superior e CUT; Criação de Conse- Brasília; Aposentadoria dos Bancá-
gresso da Ciência; Saneamento Básico sa dos Favelados, Mov. Negro Unifi- cos e de Minerais não-metálicos de Pa- lhos Comunitários de Saúde — 1.546 rios e Secuntários — 43.000 — Conf.
— 5.502 — Assoe. Bairro Duque de cado e Comis. Justiça e Paz; Direitos tos de Minas, Assoe. Pequenos Produ- — Conselho Reg. Psicologia da 5* Re- Nac. Trab. nas Emp. de Crédito, As-
Caxias, Fed. Municipal das Assoe. dos Aposentados — 58.000 — Fed. tores do Cerrado; Poder Judiciário — gião, Brás. de Assoe. Psicologia Apli- soe. Profis. dos Empregados em Es-
Moradores de São José do Meriti e Aposent. Pens. SP, União dos Apo- 12.989 — Sind. Trab. Rurais de Patos cada e Assoe. Brás. de Psicologia; tab. Bancários de Assis Presidente e
Centro Comunit. da Área do Jardim sent. em Transp. Colet. e Cargas SP de Minas, Metabase e Assoe. Peq. Criação do Estado de São Francisco Assoe. Profis. Empregados em Estab.
Guandu; Previdência Privada — e Assoe. Aposent. Pens. Ribeirão Pre- Prod. Rurais Cerrado; Reforma Agra- — 47.000 — Coop. Agropecuária Bancários de Assis — SP; Terapêutica
340.262 — Assoe. Brás. Ent. Prev. Fe- to; Participação nos Lucros — 42.226 ria — 12.938 — Sind. Trab. Rurais Montes Claros, Sind.' Com. Varej. e Natural — 14.000 — Assoe. Brás. de
chadas da Prev. Privada, Fund. Rede — Assoe. Nac. Func. BB, União Nac. MG; Metabase e Assoe. Peq. Prod. Sind. Médicos de Montes Claros; Se- Terapêutica Natural, Fed. Nac. das
Ferrov. de Seg. Social Caixa de Pre- Acionistas Minoritários do BB e As- Rurais do Cerrado; Deficientes Físi- gurança Pública — 31.000 — Assoe. Assoe, de Medicina Alternativa Natu-
vid. dos Func. do Banco do Brasil; soe. Antigos Func. BB; Proventos da cos — 48.877 — Assoe. Canoense de Escrivões Polícia SP, Assoe. Investi- ral e Fundação Cultural do DF; Cria-
Desarmamento Nuclear — 62.000 — Aposentaria — 31.094 — Assoe. Nac. Def. Físicos, Escola Especial de Ca- ;adores de Pol. SP e Assoe, dos Papi- ção do Estado de Santa Cruz — 31.237
Soe. Brás. para o Prog. da Ciência,
Soe. Brás. de Física e Assoe. Brás.
Func. BB, Assoe. Nac. Acion. Minori-
tários BB e Assoe. Antigos Func. BB;
noas e Liga Feminina de Combate ao
Câncer; Proteção à Vida desde a Con-
Í oscopistas Policiais SP, Entidades de
formação de mão-de-obra (Senac—
— Câmara Municipal de Jussari, As-
soe. Moradores do Bairro de São Cae-
de Antropologia; Indenizaçáo aos Imposto de Renda — 30.864—Assoe. cepção — 36.054 — Seicho-no-iê para Senai) — 290.752 — Conf. Nasc. da tano e Assoe. Moradores do Bairro
Municípios por Extração de Petróleo Nac. Func. BB, União Nasc. .dos a AL, Seicho-no-iê do Brasil e Cardeal Indústria, Fed. Ind. de Brasília e As- de São Pedro em Itabuna, BA; Direi-
—2.000 — OAB — Duque de Caxias; Acion. Minorít. BB e Assoe. Antigos Arcebispo de São Paulo; Serviço Pú- soe. Empresas dos Setores de Ind. tos dos Empregados — 10.402 — As-
Assoe. Com. Ind. Duque de Caxias; Func. BB; Reforma Urbana — blico Estadual — 11.741 — Apeco, Abastec. e Gráfico do DF; Forças Po- soe. Prof. dos Empregados Domésti-
Proteção ao Consumidor — 56.000 — 133.064 — Fed. Nac. Engenheiros, Assec. e Assece; Dívida Externa — liciais e Corpo de Bombeiros—23.370 cos SP; Assoe. Prof. Emp. Domésticos
Mov. Donas de Casa MG; Mov. Do- Fed. nac. Arquitetos e Inst. Arquit. 41.441 — Conf. Nac. Assoe. Mora- — Assoe, dos Prof. Licenciados da SC e Assoe. Prof. Emp. Domésticos
nas de Casa de Nova Lima e Assoe. dos Brasil; Criança e Adolescente — dores, União Nacional dos Estudantes BA, Assoe. Benef. Cultural da Pol. de Uberlândia; Moradia — 32.231 —
Comunit. do Bairro Santa Terezinha 49.751 — Comité Nac. Brás. da Org. e União Brás. Est. Secundaristas; Ar- Civil da BA e Sind. Jorn. Profis. da Conf. Nasc. das Assoe, de Moradores,
— BH; Imposto sobre Minerais — Mundial para Educação Pré-Escolar, te — 5.091 — Assoe. Arte-Educado- BA; Reforma Agrária — 43.275 — Fed. das Assoe. Moradores de BH e
31.239 — Assoe. Brás. de Cidades Mi- Sociedade, Brás., de Pediatria e Fed. res do DF, Assoe. Arte —Educadores Conf. Nac. da Agricultura, Org. das Fed. Assoe. Moradores SC; Transpor-
neradoras, Assoe. Munic. Regiões Nac. Jornalistas; Saúde da Mulher — SP e Assoe. Nordestina de Arte-Edu- Coop. Brasileiras e Sociedade Rural tes coletivos — 30.860 — Conf. Nasc.
Carboníferas e Pref. Munic. de Itabi- 33.338 — Coletivo Feminista Sexua- cadores; Estabilidade para o Traba- Brasileira; Diretas-já! — 96.863 — das Assoe. Moradores, Fed. Matro-
ra; Abastecimento — 45.546 — Sind. lidade e Saúde, União das Mulheres lhador — 32.425 — Centro das Ind. Fed. Nac. dos Jornalistas, Inst. Arqui- grossense de Assoe, de Moradores de
Com. Varej. Carnes Frescas SP, Sind. Est. São Paulo e Grupo de Saúde "Nós do RS, Assoe. Empresários RS e As- tetos do Brasil e Fed. Assoe, de Enge- Bairro e Fed. de Bairros e Favelas de
Com. Varej. Carnes Frescas, Géneros Mulheres" RJ; Direitos dos Trabalha- soe. Dirigentes de Vendas do Brasil; nheiros Agrónomos do Brasil: Apo- Fortaleza; Forças Armadas — 31.885
Alimentícios, Frutas, Verduras, Flo- dores — 272.624 — CUT, Dep. Inter- Ensino Gratuito — 40.929 — Fed. sentadoria — 32.475 — Fórum Nacio- — União Nacional dos Estudantes,
ac. Com. Varej, Carnes Frescas e De- sind. Assessoria Parlamentar e Cen- Nac. Estab. de Ensino, Sind. Estab. nal da 3' Idade, Sind, Met. Est. São Conf. Nac. das Assoe, de Moradores
rivados; Ciência e Tecnologia — tral Geral de Trabalhadores; Criação Ensino MG e Sind. Estab. Ensino de Paulo e Sind. Advogados SP; Polícia e União da Juventude Socialista; Voto
14.717 — Fed. Nac. Engenheiros, As- do Est. do Triângulo — 202.577 — Duque de Caxias; Censura — 67.136 Pol. Militar GO, Assoe. Militares Ina- Proporcional — 30.548 — Conf. Nac.
soe. Brás. Instituições Pesquisas Tec. Assoe. Vereadores do Triângulo, As- —Assoe. Nac. Censores Federais, As- tivos GO e Clube dos Oficiais da PM— Assoe, de Moradores, União das Juv.
e Ind., Coord. Nac. Geólogos; Ensino soe. Vereadores Alto Paraíba e soe. Nac. Serv. Dept Polícia Federal GO; Organização Sindical — 17.185 Socialista e Inst. de Cultura Operária
Público Gratuito — 279.018 — Conf. Coord. Pró-Criação Est. Triângulo; e Assoe. Nac. Delegados de Polícia — Fed. Nac. Empregados Vendedo- e Popular; Monopólio Estatal do Pe-
Prof. do Brasil, Assoe. Nac. Docentes Preservação do Sesc-Senac — 628-202 Federal; Manutenção da Unidade res e Viajantes do Com. Propagan- tróleo—53.334—Sind. Trab. na Ind.
do Ens. Superior e União Nac. dos — Conf. Nasc. dos Trab. Comércio, Territorial da Bahia — 434.316 — As- dista e Vendedores de Prod. Farma- de Destilação e Refinaria de Petróleo,
Estudantes; Saúde — 58.018 — Cons. Serv. Nac. Aprendizagem Comercial soe. Baiana de Imprensa, Assoe. Co- cêuticos, Sind. Emp. Vend. e Viajan- Sind. Trab. Ind. da Extração da BA
Fed. de Medicina, Fed. Brás. de Nu- e Serv. Social do Comércio; Pessoas mercial da Bahia e Fed. Ind. do Est. tes do Com. SP e Sind. Emp. Vend. e Sind. Trab. na Ind. de Dest. e Ref.
trição e Sind. dos Enfermeiros DF; Deficientes — 30.000 — Assoe. Pais da Bahia; Direitos dos Deficientes — e Viaj. do Com. RJ; Populações Ne- de Petróleo RJ; Monopólio Estatal do
Regime de Governo — 44.632 — Inst. e Mestres da Esc. de Educ. Especial 32.899 — Org. Nac. Ent. Deficientes gras — 2.074 — Centro Estudos Afro- Petróleo — 11.782 — Sindipetro PR,
Brás. Monárquico do RS; Círculo Mo- "Marly Buissa Chedde", Lion Clube Físicos, Movimento pelos Direitos das Brasileiros, Assoe. Cultural Zumbi e Sindipetro Campinas e Sindipetro São
nárq. SP e Cim. Monárq. "D. Pedro de São Bernardo do Campo e Rudge Pessoas Deficientes e Assoe. Nac. dos Assoe. José do Patrocínio; Previdên- José dos Campos; Ensino Público
Henrique de Orleans e Bragança"; Ramos; Assoe. Lar Menino Jesus; Pla- Ostomizados; Estabilidade no Serviço cia social — 31.500 — Fed. Aposent. Gratuito — 8.545 — Diretório Central
Reforma Agrária — 550.000 — CUT, nejamento e Desenvolvimento Regio- Público — Assoe, dos Téc. em Ciên- e Pens. MG, Assoe. Aposent. e Pens. dos Estudantes e Assoe. Funcionários
Assoe. Nac. Coop. Agrícola, Mov. nal — 40.000 — Assoe. Func. Banco cias Contábeis e Administ. de Era- do Alto Paranaíba e Assoe. Trab. da Universidade de Caxias do Sul Sin-
Trab. Rurais Sem-Terra, Comissão Nordeste do Brasil; Assoe. Func. pressas da Ceergs, Assoe, dos Geren- Aposent. e Pens. Uberlândia; Tribu- dicato dos Professores de Caxias do
Pastoral da Terra; Direitos dos Traba- Aposent. BNB e Sind. Empreg. Es- tes e Subgerentes da Caixa Económica tação e Orçamento — 10.000 — As- Sul.
lhadores — 630.714 — CUT, Assoe. tão. Bancários Est. Ceará; Privatiza- do RS; Assoe. Recreativa dos Caixas soe. Prefeitos SP. Assoe. Paulista de
Nac. Coop. Agrícolas, Mov. Trab. ção dos Serviços Médicos — 72.501 da CERS; Diretas-já! —49.178 — PT, Municípios e União dos Vereadores Paulo Neves
A D I R P / R c y n a l d o Stavale

Mãos dadas, braços erguidos, olhares cansados mas felizes. Os jovens, que exerceram com entusiasmo o instrumento da pressão, festejam, ao final, a conquista do voto aos 16 anos

8 Jornal da Constituinte
Ah, se não fossem estes"bastidores ) >
f
A Constituição, com 315 artigos, não o Jornal da Constituinte faz um resumo das funcionários da mais alta competência, capaz
ficou longa como denunciam os seus críticos. atividades de todo o sistema de apoio ao de acompanhar um processo legiferante di-
Mas, o trabalho de elaborá-la foi enorme, trabalho constitucional, começando pelo Ce- nâmico. Esse fato não chegou a ser uma sur-
embora gerasse satisfação entre todos os en- graf — Centro Gráfico do Senado Federal presa, mas constitui-se em agradável consta-
volvidos no processo: parlamentares e fun- — e chegando à atuação do Centro de Pro- tação para quem vinha servindo a um Con-
cionários do Legislativo. Seria difícil expres- cessamento de Dados do SF — Prodasem, gresso reprimido há muito tempo e passará,
sar em números o que foi impresso, taquigra- da Taquigrafia, da Biblioteca e da Assessoria
fado, computado, pesquisado, assim como Parlamentar. Finalmente, outra matéria ana- daqui para a frente, a assessorar os debates
igualmente complexo seria exprimir como lisa a atividade dos núcleos de apoio logístico e deliberações de um poder forte e indepen-
e quantas vezes se fez imprescindível a asses- aos trabalhos constitintes. A elaboração da dente. Nesta e nas páginas 10, 11 e 12, um
soria dos vários organismos internos do Con- VII Constituição brasileira veio revelar que balanço de toda a atividade dos serviços de
gresso. Nessa página e nas duas seguintes, o Poder Legislativo dispõe de um corpo de apoio.

Taquígrafos:
s •

uma epopeia
à parte
Sintetizar em sinais gráficos de-
zenas, centenas, milhares de pala-
grama serviu de elemento para
muitos pesquisadores, já que ofe-
vras com rapidez e fidelidade im- receu as ementas das falas da pre-
pressionantes, e depois reconver- sidência da Constituinte e dos dis-
ter estes sinais em palavras pode cursos e outras intervenções dos
parecer mais uma das proezas da parlamentares, agrupados por au-
Ivette, da Câmara Leonice, do Senado moderna tecnologia da eletrônica tor e na ordem cronológica.
ou da informática. Mas não é. Esta Terminada a Constituinte, Ivet-
Documentação e informação mágica é um produto da capaci-
dade de profissionais altamente
especializados e dedicados: os ta-
te Vieira preocupa-se, agora, com
outra missão, igualmente impor-
tante: acompanhar os debates nas
"Os suportes documental e das bibliotecas de cerca de dez com as páginas rubricadas pe- quígrafos. comissões permanentes da Câma-
informativo das unidades espe- órgãos públicos e o de Matérias los respectivos depoentes, se- Foram eles que tiveram sobre ra, que tiveram seu papel valori-
cíficas das duas Casas, foram Legislativas (MATE) com in- rão organizados em arquivos os ombros a pesada responsabi- zado pela retomada de suas prer-
profundamente dinamizados formações sobre a tramitação como Documento de alto valor lidade de fazer o acompanhamen- rogativas pelo Legislativo. Segun-
durante o período da Assem- legislativa desde 1972. histórico, sendo que o depoen- to imediato de todos os debates do Ivette, todos estão muito bem
bleia Nacional Constituinte em HISTÓRIA te poderá requerer a preserva- havidos ao longo de 20 meses, nas preparados para os novos encar-
que se tornaram necessários, Outro empreendimento de ção sigilosa, por até 15 anos, 24 subcomissões, nas 8 comissões gos.
inclusive, plantões noturnos grande alcance, de acordo com de seu depoimento ou somente temáticas, na Comissão de Siste-
para satisfazer às necessidades Aristeu Gonçalves de Melo, de parte dele". matização e no plenário da As- MISSÃO
dos usuários." A informação é sob o aspecto documental, que Na área editorial, segundo sembleia Nacional Constituinte.
de Aristeu Gonçalves de Melo, o Centro de Documentação e Aristeu Gonçalves de Melo, o Tudo isso sem descuidar do regis-
diretor do Centro de Decu- ritmo do trabalho esteve inten- tro das sessões da Câmara, do Se- Já a diretora da Subsecretaria
Informação encaminhou, foi o de Taquigrafia do Senado, Leo-
mentação e Informação da Câ- projeto de História Oral, desti- sificado também durante todo nado e do Congresso.
mara dos Deputados, lembran- o período, tanto com a produ- nice Horta Barbosa, afirma que
nado a formar um acervo de O trabalho foi realizado por Eara ela e seus colegas a Assem-
do que a rotina de seu setor depoimentos para complemen- ção de textos básicos para con- duas equipes, perfeitamente en- léia Nacional Constituinte foi
foi profundamente alterada, tar os registros tradicionais, di- sultas ou fontes de referências, trosadas. Uma, a mais numerosa, uma experiência altamente gratifi-
principalmente com a instala- rigidos exclusivamente aos pes- como na divulgação de todos sob o comando da diretora do De- cante. Ela comandou uma equipe
ção do Programa Constituinte quisadores do futuro. A partir os documentos de separatas de partamento de Taquigrafia, Revi- de 135 funcionários, sendo 80 ta-
e seus projetos específicos. deste projeto foi criado o Nú- discursos dos constituintes e, são e Redação da Câmara dos De- quígrafos e os demais, pessoal de
"Um deles que resultou na cleo de História Oral da As- posteriormente, na publicação putados, Ivette Vieira Pinto de Al- apoio. Para dar um exemplo do
assinatura de um protocolo de sembleia Nacional Constituin- dos Anais da Assembleia Na- meida; outra sob a chefia da dire- que foi a missão dos taquígrafos,
intenções por parte da presi- te, com atribuições de desen- cional. tora da Subsecretaria de Taquigra- Leonice observa que em apenas
dência da Assembleia Nacional volver um programa de entre- MEMÓRIA fia do Senado Federal, Leonice dois meses e meio de subcomis-
e do Ministério da Cultura, vistas destinado a colher o tes- "A Preocupação com a pre- Oliveira Horta Barbosa. sões eles realizaram um trabalho
destinado a selar um compro- temunho de políticos das diver- servação da memória da As- No caso específico da Câmara, equivalente a três anos de acom-
misso de trabalho conjunto, sas correntes partidárias e de- sembleia Nacional Constituin- segundo Ivette, já no ano de 1985, panhamento normal das comis-
tendo como executores a Fun- mais personalidades da vida te conduziu à criação de um a Casa havia promovido um con- sões do Senado. "Muitos de nós
dação Pró-memória e o Centro pública brasileira. "Os docu- grupo de trabalho destinado à curso público para o preenchimen- passaram a usar óculos em decor-
de Documentação e Informa- mentos gravados e transcritos, elaboração de normas referen- to de 20 vagas, justamente para rência do cansaço da visão, outros
ção e que resultou na instala- tes à publicação dos Anais e reforçar o quadro de profissionais, ficaram estressados e houve até os
ção da Sala da Constituinte, organização dos arquivos da em preparação para a Constituin- que tiveram de recorrer a trata-
que funcionou na Biblioteca da Assembleia." te. Além do cuidado com o poten- mento de médico. Afinal, nós tri-
Câmara", lembra Aristeu Todo esse esforço, de acordo cial humano, houve a preocupa- plicamos a nossa capacidade de
Gonçalves de Melo. Segundo com Aristeu Gonçalves de Me- ção com a parte do material técni- trabalho com o mesmo número de
ele, nesta sala foram colocados lo, tinha um objetivo funda- co, tanto assim que o Departa- profissionais — explica Leonice,
à disposição dos constituintes mental: "A pesquisa da ação mento de Taquigrafia da Camará para salientar, em seguida, a boa
acervo documental e servido- da Assembleia Nacional Cons- teve instalados dois terminais de estrutura de aparelhagem coloca-
res capacitados a um atendi- tituinte, que se tornou mais ágil computadores, operados sob a da à disposição de sua subsecre-
mento especializado abrangen- em face da existência de do- responsabilidade do Setor de Re- taria. "Pra gente, foi uma missão
do pesquisas inclusive em ban- cumentos impressos, cuja rela- visão de Comissões, da Coorde- que tínhamos de cumprir. E pro-
co de dados. Como é o caso ção está sendo elaborada pela nação de Revisão e Redação de curamos cumprir bem — arrema-
de Normas Jurídicas (NJUR) Coordenação de Arquivo. Es- Debates. Além disso, o Departa- ta, fazendo questão de frisar que
cp., referência a todos os textos se instrumento, além de consti- mento desenvolveu um programa o mesmo aconteceu com seus cole-
legais editados no país desde tuir uma forma de controle, intitulado "Assembleia Nacional gas da Câmara.
1946; o de Livros e Periódicos viabilizará o acesso às fontes Constituinte — pronunciamento
(BIPE), contendo referências ainda em processo de organi- em plenário", a cargo da Seção
aos documentos dos acervos Aristeu: banco de dados zação." de História de Debates. Este pro- Humberto Martins

Jornal da Constituinte
não permitiu que houvesse uma
preparação nem mesmo a médio

Grande era a prazo. Mais uma vez entrou em


jogo a competência em forma de
criatividade, que teve como conse-
quência a excelência dos serviços

missão, maior prestados. Houve a apresentação


de milhares de emendas, o traba-
lho de numerosas comissões, su-
cessivas votações em plenário, in-

o entusiasmo tensa movimentação nos gabine-


tes dos constituintes e demais de-
pendências da Casa, o povo en-
trando e saindo do Congresso com
a formação dos chamados grupos
A partir de agora, qualquer país ordenamento para publicação e a de pressão, e a tudo isso foi dado
no continente latino-americano publicação. Como foi possível tu- o respaldo necessário, o suporte
que desejar realizar uma assem- do isso quando, muitas vezes, o silencioso de uma máquina opero-
bleia constituinte de caráter popu- maior prazo disponível era de 48 sa, manejada por mãos hábeis e
lar deverá valer-se da expenência horas e se chegou ao recorde de eficientes. Para muitos funcioná-
brasileira. O prognóstico não é se imprimir o volume completo de rios, a jornada de trabalho passou
ufanista nem traduz sentimento de um projeto de Constituição em a ser de 12, 14 horas, enquanto
superioridade, mas apenas a cons- menos de 15 horas? outros não conheciam limites às
tatação de uma realidade ainda há suas atividades.
pouco vivida e que se revelou bem COMPETÊNCIA Cerca de 20 mil pessoas circula-
sucedida. A experiência inteira- E DEDICAÇÃO ram diariamente pelas dependên-
mente nova — a deixou clara uma "Se isto representa trabalho, cias do Congresso, e o problema
coisa: responsabilidade, compe- competência e dedicação para os de segurança exigiu muita dedica-
tência e dedicação são os ingre- constituintes, é preciso lembrar ção e espírito público. A Mesa de-
dientes para o sucesso de toda ta- que, junto aos constituintes, estão cidiu celebrar um convénio com
refa, por mais grandiosa e com- os funcionários que lhes dão assis- a Polícia Militar do DF para o poli-
plexa que seja. tência administrativa direta ou in- ciamento das áreas externas do
E foi o caso da Assembleia Na- direta para que dispusessem desse Congresso. Com isso, liberou
cional Constituinte. Embora um material ordenado a fim de facili- agentes de segurança legislativa
trabalho não mensurável dentro tar o desempenho de sua ativida- para o reforço do policiamento in-
dos parâmetros matemáticos, al- de", diz Hélio Dutra, diretor legis- terno. Apesar do tumulto natural,
guns números refletem a respon- lativo da ANC. Na realidade, o formado pelos grupos de pressão,
sabilidade com que foi realizada, funcionalismo da Câmara e do Se- as pessoas interessadas em assistir
a competência e a dedicação com nado se viu frente a uma situação aos debates constituintes puderam
que se passou da ideia à concreti- inédita, da qual, segundo a maio- fazê-lo, pois os problemas surgi-
zação: um ano, 9 meses e 23 dias ria dos constituintes, "se saiu ine- dos foram contornados sem maio-
de trabalho diário de 4 horas-dia, gavelmente muito bem, pois ne- res complicações.
ininterrupto, isto é, sem o descan- nhum deles, desde o mais antigo, Paulo Affonso: conciliando técnica reg,ental e açâo política
Um ponto de fundamental im-
so de sábados, domingos e feria- possuía experiência de uma Cons- portância foram as providências
dos, seria o calendário correspon- tituinte e, no entanto, o desem- destinadas a garantir o funciona-
dente às 2.648 horas e 35 minutos penho da máquina legislativa e ad- Esforço e Para se ter uma ideia do que isto mento pleno e normal do sistema
de atividades desenvolvidas pela ministrativa revelou-se surpreen- signficou, basta dizer que o traba- eletrônico de votação. Conforme
ANC do momento em que insta- dente. Vários parlamentares che-
imaginação lho envolveu o recebimento de to- informou o diretor-geral, os traba-
lou as primeiras comissões até o garam a afirmar que esse desem- foram do o material produzido na Cons- lhos de votação da ANC não po-
encerramento do segundo turno, penho foi importante a ponto de essenciais para tituinte, a coordenação das publi- deriam chegar a bom termo com
em 2 de setembro último. Nestas extrapolar o assessoramento téc- cações, a análise de todas as maté- o antigo sistema instalado no ple-
horas, que são relativas às comis- nico-administrativo para chegar,
a solução de rias e o exame da correção de cada nário da Câmara, em constante
sões e plenário, não estão incluí- muitas vezes, ao assessoramento alguns problemas texto, fosse uma simples emenda pane e paralisação, pois "era um
das as muitas outras cumpridas pe- de caráter político, com absoluta sérios, como ou destaque ou um substitutivo in- equipamento completamente ob-
lo presidente Ulysses Guimarães, isenção ideológico-partidária. tegral. soleto, sem a versatilidade, opera-
lideranças partidárias, relator-ge-
a falta de Importante ainda foi a atuação cionalidade e velocidade exigidas
Há que se pensar no seguinte: cadeiras para de Mozart e sua equipe na monta- para o grande esforço que tínha-
ral, sub-relatores, constituintes 559 constituintes, 24 subcomis-
designados pelos relatores para es- sões, 8 comissões temáticas, Co- todos os gem das planilhas de votação rela- mos pela frente". Havia ainda um
tudarem a matéria em grupo, e tivas a cada um dos dispositivos outro grande problema: a não
a participação do diretor-geral, do
missão de Sistematização, emen- constituintes. ao projeto em todas as etapas de existência de lugares para todos
das em várias fases, emendas po-
secretáno-geral, Diretor legislati- pulares (com o acesso ao Congres- Mas, tudo votação. os constituintes se sentarem. O dé-
vo, chefes e assessores que não so de grandes massas populares), se resolveu Além da missão de assessora- ficit era exatamente de 100 luga-
tinham limite de horário para que publicações, divulgação, prazos mento, os grupos de apoio acom- res. E como cada posto de votação
os constituintes tivessem o atendi- regimentais inadiáveis. E, antes panhavam todos os passos dos do- correspondia ao lugar de cada
mento técnico e administrativo re- área administrativa. O secretário- cumentos (emendas, avulsos, etc.) constituinte, como resolver o pro-
da aprovação do regimento, como geral da Mesa da ANC, Paulo Af- em cada fase do processo legisla- blema com os 100 constituintes ex-
clamado. se organizar os serviços se ainda fonso Martins de Oliveira, como tivo. Cada um de seus integrantes cedentes, no momento das vota-
Foram 12 mil sugestões, 26.961 não havia uma definição quanto supervisor-geral dos trabalhos le- recebia uma cópia do documento ções? "Partimos então — explica
emendas, 40 dias de trabalho, 467 ao sistema de trabalho? Os grupos gislativos, estabeleceu a Secreta- e tinha uma missão específica com Adelmar Sabino — para o projeto
reuniões, 1.109 horas de atividade mistos de trabalho, os primeiros ria Geral junto às comissões. Um respeito a ele. Assim, um o exami- de um sistema com configurações
envolvendo 182 audiências públi- a se organizarem, com servidores mestre no processo legislativo, nava, outro oferecia sugestões, completamente nova, aproveitan-
cas, somente na fase das subco- da Câmara e do Senado, se reu- com mais de 20 anos de vivência outro falava sobre o mérito, outro do-se a experiência acumulada há
missões e comissões temáticas. niam para pôr à prova a criativi- no cargo de secretário-geral da sobre a redação, de modo que, a anos, com o sistema antigo. Os
Com a elaboração dos relatórios dade. Depois da aprovação do re- Mesa da Câmara, Paulo Affonso qualquer momento que fossem so- programas software do novo siste-
de cada comissão, 6.417 emendas gimento, criaram-se os grupos de parecia ter aprendido o dom da licitados, todos estavam aptos a ma, deveriam permitir a sua utili-
foram apresentadas a eles. Na fase apoio com servidores escolhidos onipresença, pois qualquer vacila- prestar informações sobre a ma- zação tanto para as votações da
de funcionamento da Comissão de dentro de cada órgão da Casa ção em qualquer das comissões e téria.
Sistematização foram realizadas (num total de 1.400), sem prejuízo Constituinte como numa fase pos-
no plenário recebia de imediato terior, para as da Câmara e do
125 reuniões durante 263 horas de das atividades normais da Câmara tranquilidade esclarecedora de
trabalho e a apresentação inicial e do Senado. Assim, durante o INFRA-ESTRUTURA Congresso. A parte de hardware
sua presença. Para auxiliá-lo em
de 5.624 emendas, e mais 29.487 dia, exerciam a tarefa normal, e suas múltiplas tarefas, designou Numa construção, o alicerce fi- deveria somar versatilidade com
emendas de plenário, num total em seguida, e até as 23 horas, suas velocidade, além de proporcionar
um supervisor, Mozart Viana de ca escondido mas suporta o peso maior facilidade de manutenção,
de 35.111 propostas. Com a altera- atividades específicas. Já em 4 de Paiva, que, por sua vez, saiu ao do edifício e sem ele não é possível
ção do regimento e a abertura de janeiro de 87, o diretor-geral da através de peças de reposição e
mestre: Mozart foi considerado levantar-se qualquer obra. A ima- componentes do mercado nacio-
novos prazos, tramitaram mais Câmara, Adelmar Silveira Sabi- por muitos o funcionário que mais gem é válida para os serviços ad- nal, permitindo ainda, é claro, a
2.045 emendas e 2.277 destaques, no, designado logo depois diretor- se desdobrou em suas tarefas, sem ministrativos da Câmara, sobre os possibilidade de utilização de par-
tendo o projeto do relator, nessa geral da ANC por ato da Mesa, nunca dar mostras de cansaço ou quais recaíram as funções de coor- te do sistema em aplicações úteis
fase, 1.812 dispositivos. Para a e como tal, ordenador da despesa, desânimo. denação, direção e controle fun-
aprovação do Projeto A realiza- iniciava a mobilização dos setores cional das atividades relacionadas à presidência da Casa, à Secreta-
ram-se 119 sessões, com 732 vota- administrativos da Casa de modo Competente, eficiente e discre- com pessoal, material, serviços, ria Geral da Mesa e à própria ad-
ções em 476 horas e 32 minutos. que, em V de fevereiro, quando to, Mozart funcionou como o exe- orçamento e contabilidade da ministração."
O Projeto B, contendo 2.059 dis- a Assembleia iniciou seus traba- cutivo do processo de elaboração Constituinte, o que permitiu man- Para resolver o problema dos
positivos, recebeu 1.844 emendas lhos, diversas obras e adaptações da Constituição, comandando ter-se todo um suporte logístico 100 votantes sem assento no ple-
e 1.744 destaques, que foram já estavam concluídas, os estoques uma equipe de cento e cinquenta para o funcionamento das subco- nário, na hora da votação, foram
apreciados em 38 sessões durante de material de consumo em condi- funcionários, dividida em vários missões, comissões temáticas, de criados 4 postos de votação avul-
142 horas e 10 minutos. Todas as ções de fornecimento e o material grupos de trabalho. Sempre sob sistematização e, finalmente, ple- sos no interior do plenário, e que
propostas apresentadas envolve- permanente devidamente selecio- a orientação do secretário-geral, nário. A Diretoria Geral da ANC, funcionaram muito bem. Além
ram o exame preliminar, a nume- nado. o supervisor acompanhou todas as sob a responsabilidade de Adel- disso, foram mantidas equipes
ração, a reprodução para distri- Formaram-se, então, dois gran- fases, desde a preparação do regi- mar Sabino, garantiu uma infra- permanentes tanto por parte do
buição aos diversos órgãos, o re- des grupos: um para atender a mento Interno até a Redaçáo Fi- estrutura sólida às atividades legis- fabricante quanto da Câmara, mo-
gistro em protocolo, a entrega, o área legislativa, e outro para a nal do Projeto de Constituição. lativas. O ineditismo da situação nitorizando, testando, checando

10 Jornal da Constituinte
24 horas por dia todo o desem-
penho do sistema. "Grande parte
dos aplausos pelo sucesso desse
Assessoria:
empreendimento — ressalta o di-
retor-geral — se deve à dedicação
milhares de
da equipe de funcionários do siste-
ma eletrônico de votação, que, em
pareceres
regime de trabalho diuturno, não
mediu esforços para não só garan- A Assessoria Legislativa acom-
tir que tudo corresse bem como panhou o trabalho Ba Assembleia
para absorver a nova tecnologia Nacional Constituinte em todos os
que o equipamento nos trazia. momentos. O diretor da Assesso-
DESAFIO ria Legislativa da Câmara dos De-
putados, António Neuber Ribas,
A curtíssimo prazo e com mais lembra, por exemplo, que o seu
indefinições do que certezas, a Di- setor já estava empenhado nessa
retoria-Geral se viu diante do de- tarefa antes mesmo da instalação
safio de articular os espaços e ins- da Assembleia, quando, por soli-
talações físicas para abrigar a citação da Secretaria-Geral, a As-
maior parte das comissões (4 co- sessoria elaborou duas sugestões
missões funcionaram no Senado) de anteprojetos de Regimento In-
e subcomissões, além de toda uma terno.
estrutura compatível para acolher Além disso, António Neuber
boa parte da Mesa da ANC, lide- Ribas lembrou a criação do Nú-
ranças e vice-lideranças e ainda os cleo de Apoio à Assembleia Na-
órgãos de divulgação, como a Voz cional Constituinte, integrado por
da Constituinte, o Jornal da Cons- assessores de diversas especializa-
tituinte, a EBN, a Radiobrás etc. ções, para, na própria Assessoria,
"Não sabíamos ainda como iria dar atendimento aos parlamenta-
funcionar a Constituinte, seu regi- res constituintes em regime de três
mento ainda não havia sido discu- turnos de trabalho diário, inclu-
tido e votado, mas tínhamos que sive aos sábados, domingos e fe-
nos antecipar e por vezes adivi- riados, sempre que necessário.
nhar o que viria pela frente", lem- Quanto ao trabalho inicial das co-
bra o diretor-geral, para acrescen- missões e subcomissões, foram
tar: "Sabíamos que o plenário não alocados assessores para acompa-
tinha acomodações suficientes, nhar a elaboração dos anteproje-
que o sistema eletrônico de vota- tos, obedecidas as especializações
ção era obsoleto, que a central te- Erofissionais. Da mesma forma
lefónica não dispunha de troncos ouve assessoramento às comis-
necessários ao atendimento da de- sões temáticas nos pareceres às
manda esperada, não dispúnha- emendas e na elaboração dos subs-
mos nem mesmo de um estúdio Sabino: comando geral da infra-estrutura Mozart: sinfonias notumas titutivos.
de transmissão e gravação, já que
o existente no Anexo I da Camará Outro momento importante pa-
havia sido desativado em virtude sas melhorias no Comité de Im- o prédio é precário em suas insta- te, bem como terminais para aten- ra o trabalho da Assessoria Legis-
das obras de reforma naquele pré- prensa, revisão completa do siste- lações de hidráulica, eletricidade, der ao Cedi e à Fundação Pró-Me- lativa, segundo António Neuber
dio. E, hoje, veja só, temos um ma de ar condicionado, ventilação ar condicionado etc. e na distri- mória. Ribas, foi o acompanhamento da-
dos mais modernos e sofisticados e exaustão do plenário, salão de buição dos espaços. O auditório É indiscutível que a máquina do ao relator na elaboração de pa-
estúdios existentes em Brasília, estar para os constituintes, am- Nereu Ramos foi imediatamente administrativa da Câmara, à qual receres às emendas apresentadas
através do qual transmitimos o no- pliação dos 180 troncos da Central adaptado para transformar-se em se associou a do Senado, possibi- à Comissão de Sistematização e
ticiário da Câmara para a Voz do Telefónica da Câmara para 270, miniplenário para a Sistematiza- litou o apoio necessário e indis- nas etapas seguintes. Um grande
Brasil." criação de vagas de estacionamen- ção, com lugares certos para cons- pensável para que os trabalhos da número delas, aliás, tinha sido ge-
Num ritmo de trabalho que se to privativo para os membros da tituintes, imprensa e público. O Constituinte pudessem se desen- rada na própria Assessoria.
estendia pela noite, inclusive dos Mesa da ANC e para o pessoal lay-out dos outros plenários tam- volver normalmente e chegassem A partir da possibilidade da fu-
sábados, domingos e feriados, fo- de imprensa, foram algumas den- bém foi adaptado, novos sistemas a bom termo. Numa avaliação do são de iniciativas dos parlamen-
ram sendo tomadas as providên- tre as providências tomadas, a to- de som foram instalados, assim co- desempenho dos servidores recru- tares, a Assessoria trabalhou in-
cias, tanto as diretamente relacio- que de caixa, pela Diretoria-Ge- mo novo ar condicionado nas Co- tados para colaborarem nesse tra- tensamente para viabilizá-la. Do
nadas com a ANC como as de ca- nação dos setores especializados missões de Relações Exteriores, balho, o diretor-geral disse acre- mesmo modo, assessores monta-
rá ter geral, como a reforma com- de eletricidade, carpintaria, tele- Finanças e Justiça. Salas foram re- ditar que as manifestações do pre- ram mapas da interprejudicialida-
pleta da área ocupada pela antiga fonia, som, etc, que se chamou manejadas, circuitos elétricos rea- sidente Ulysses Guimarães e de de de destaques para orientação
Vice-Presidência da República, Núcleo de Apoio a Constituinte. daptados, linhas telefónicas multi- inúmeros parlamentares no encer- antecipada das decisões da Mesa
instalação de assessorias, comple- Plantões permanentes foram man- plicadas, já que no prédio se insta- ramento da Constituinte são o me- Diretora. No mesmo período hou-
mentações em gabinetes privati- tidos, inclusive aos sábados, do- lavam também os gabinetes do Se- lhor testemunho do eficiente tra- ve igualmente elaboração diária
vos e outras. Plenário e Anexo II mingos e feriados, e nesse grupo nador Mário Covas e dos Depu- balho dos funcionários do Legisla- de planilhas de votação, contendo
das comissões foram os primeiros contava-se também o pessoal dos tados Bernardo Cabral, Marcelo tivo. Já o diretor legislativo, após a matéria aprovada e rejeitada pe-
a serem atendidos, já que tudo in- geradores, ar condicionado, ele- Cordeiro, Jorge Arbage e outros. ressaltar o grande desempenho do lo plenário. Isto tudo foi acompa-
dicava que ali aconteceriam os vadores, esteiras rolantes, marce- Também no Anexo II se instala- Cegraf e do Prodasen ("sem os nhado de redação semanal de co-
naria, obras, além de uma equipe vam os órgãos de divulgação da uais o atendimento ao volume de mentários à matéria aprovada pe-
momentos decisivos da Consti-
tuinte. Foi montada toda um nova
estrutura de apoio, como sala de
permanentemente de prontidão, ANC (Radiobrás, EBN, JC) e ã ocumentos e a velocidade neces- lo plenário para uso do presidente
formada por engenheiros, arqui- uma copa geral para atender inclu- sária ao bom andamento da ANC da Assembleia Nacional Consti-
estar, sala de reuniões, posto mé- tetos e técnicos de diversas áreas. sive ao publico. Um dos pontos não teria sido possível"), acres- tuinte.
altos das providências foi a insta- Em todas estas etapas, de acor-
dico de emergência, toaletes, etc. Em tempo recorde, o Anexo II lação de terminais do Prodasen em centa: "Se a eficiência dos servi-
Instalação especial de iluminação da Câmara, onde se instalaram as vários pontos do Anexo II, de dores não foi reconhecida unani- do com António Neuber Ribas,
para as transmissões de TV, insta- subcomissões e comissões temáti- acesso ao público, para acompa- memente pelos constituintes, uma a Assessoria Legislativa ainda pro-
lação de detector de armas no cor- cas e a Sistematização, sofreu nhamento da legislação pertinen- coisa foi: a dedicação." moveu a revisão dos trabalhos im-
redor de acesso às galerias, diver- grandes intervenções físicas, pois Maria Valdira pressos e elaborou requerimentos,
projetos de decisão, projetos de
resolução, minutas de pronuncia-
Pressão (arterial) sob controle
de todo ser humano é seu privilégio
mentos e estudos.
Os serviços médicos da Câma- •'- altíssima
-"•' '- tensão
— - - - e de
-»- muita
—— emSeria difícil
quanto imaginar,
cresceria porém,
a população fundamental, essencial, e por is-
ra e do Senado, dirigidos pelos emoção. O stress rondou todo o
Drs. Renault de Matos Ribeiro tempo o "novo cotidiano" de que viria a frequentar o edifício so a Constituinte optou por um
e Luciano Vieira, atendem, ha- constituintes, funcionários e jor- do Congresso Nacional. Milha- sistema unificado que tente es-
bitualmente, com competência e nalistas. Os serviços médicos res de pessoas aqui estiveram, tender este direito óbvio a todos
precisão aos parlamentares, fun- funcionaram em plantão perma- por aqui circularam e, em ne- os brasileiros.
cionários das duas Casas, jorna- nente, atendendo a toda e qual- nhum momento, ficaram sem as- A garantia de que os represen-
listas credenciados e seus fami- quer necessidade vinculada à sistência médica. Todos os servi- tantes do povo passam trabalhar
liares. saúde física e mental dos brasi- dores ligados a estes departa- — ainda que mais de vinte horas
Não pode faltar, entretanto, leiros, especificamente vincula- mentos tiveram sempre a plena seguidas, como aconteceu — é,
o registro da sobrecarga de tra- das ao trabalho de elaboração consciência de que a saúde, da contudo, importantíssima.
balho que esses departamentos constitucional. nação (sob diagnóstico na Cons- O trabalho constituinte viti-
enfrentaram durante os 20 meses Para essa tarefa, os médicos tituinte) dependia da saúde de mou parlamentares e servidores.
de funcionamento da Assem- da Câmara e do Senado, as en- todos quantos militavam no pro- Melhor dizer que deixaram o
bleia Nacional Constituinte. fermeiras, os assistentes, o pes- cesso de sua produção. nosso convívio neste período.
Em primeiro lugar, é preciso soal de apoio, os laboratórios, Os serviços médicos do Con- Lamentamos estas perdas que
registrar que viveu-se, aqui, qua- o serviço de raios X, estavam gresso são vitais, por vários moti- nenhum serviço médico do mun-
se sistematicamente, momentos aparelhados. vos. Em princípio, a saúde de do poderia evitar.
Ribas: desde o regimento

Jornal da Constituinte 11
ADIRP/Bcnediu Pi

Cegraf: show
de competência
na Constituinte
O final dos trabalhos constituin- de programação visual do material
tes não significa que tenha acaba- produzido, pois, afinal, tudo o que
do o serviço de um dos mais im- nós geramos a partir de nossas má-
portantes setores de apoio: a Grá- quinas seria um importante docu-
fica do Senado. A afirmação é do mento e acervo históricos", acen-
diretor do Cegraf, Agaciel Maia, tuou.
que lembrou a jornada diária de A ansiedade do lado da produ-
20 a 22 horas que o seu setor terá ção, aliás, segundo Agaciel Maia,
que enfrentar nos 50 dias seguintes sempre foi compartilhada com o
à promulgação da nova Carta. controle do consumo do material.
Neste período, o Centro Grá- O diretor do Cegraf lembrou, por
fico do Senado Federal estará pre- exemplo, o caso da tiragem do
parando uma tiragem de 690 mil Projeto de Constituição R D" —
exemplares do texto constitucio- a redação final da Constituição —,
nal a ser distribuída entre todos cuja primeira tiragem foi de 10 mil
os órgãos públicos do país. Esta exemplares. "Entregamos o mate-
tiragem, entretanto, exclui duas rial numa sexta-feira pela manhã
outras — uma de 20 mil e outra e antes do meio-dia nao havia um
de 40 mil exemplares que ficaram só exemplar disponível, o que nos
prontas antes da data da promul- obrigou a fazer uma nova tiragem
gação. A primeira foi distribuída de 10 mil exemplares". O mesmo
entre os constituintes e os convi- caso foi registrado, de acordo com
dados à sessão solene de encerra- ele, no caso do texto final, produ-
mento dos trabalhos. A segunda zido pela Comissão de Sistemati-
tiragem foi destinada a atender às zação. Desse texto foram feitas
bibliotecas públicas de todo o país, nada menos que quatro tiragens
que hoje somam 16 mil e 300, e de 20 mil exemplares para atender
às câmaras municipais de todos os a demanda. E todo esse esforço
4 mil e 132 municípios brasileiros. sem descuidar da produção do ma-
Em ambos os casos, cada biblio- terial para os trabalhos rotineiros
teca receberá dois exemplares da da Câmara dos Deputados, do Se-
Carta. nado Federal e para as reuniões
Agaciel Maia fala com orgulho do Congresso Nacional, lembra
de quem acompanhou os momen- Agaciel.
tos mais difíceis do trabalho de
produção gráfica de todo o mate-
rial de apoio da Assembleia Na-
cional Constituinte e que consu-
miu cerca de 1 mil e 200 toneladas
de papel em mais de 150 tipos de
publicação. Agaciel lembra sem-
pre a sua ansiedade durante toda
a duração da Constituinte. "Para
o início desta tarefa, fomos obriga-
dos a preparar intensamente todo
um pessoal jovem da gráfica e lem-
brá-lo de que antes de uma obriga-
ção estávamos cumprindo uma
missão, em que, inclusive, a com-
petência do Cegraf estava em jo-
go."
Minha ansiedade, bem como a
de todos os funcionários do Ce-
graf, foi sempre no sentido de aliar
qualidade editorial à perfeição
gráfica, sem descuidar dos estudos Agadel Maia adonou o Cegraf, dando celeridade e eficiência na impressão dos projetos, emendas e parecere
Órgão Ofacial de Divulgação da Assembléia Nacional Constituinte Caderno 3

""'
CIDADA A nova Constituição, cujo texto integral
publicamos nas páginas internas deste cader-
no , é o verdadeiro estatuto da cidadania.
O leitor constatará que a Carta já começa
pela definição dos direitos e garantias funda-
mentais do indivíduo e da coletividade. Ao
contrário das Constituições anteriores, que
se iniciam pela organização do Estado, esta
dá prioridade ao homem: logo nas primeiras
linhas, assegura seus direitos como cidadão
livre, como trabalhador, como brasileiro e
ser político, participante ativo das decisões
sobre seu presente e futuro .
,., Em matéria de direitos do cidadão, é
bom frisar , jamais houve Carta como esta.

CONSTITUIÇAO Além de consagrar prerrogativas vigentes em


outras épocas e em nações diversas , o texto
introduz novos mecanismos para garantir a
sua efetividade, como o habeas data e o man-
REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL dado de injunção, inéditos no direito brasi-
leiro.
1988 Acompanhe o texto ilustrado. No título
111 , Da Organização do Estado, estão estabe-
lecidos os princípios da administração públi-
ca e, aí também, o homem é privilegiado.
Enquanto funcionário público, ele passa a
ter direito ã sindicalização e ã greve, entre
outros.
No título IV, Da Organização dos Pode-
res , o cidadão não foi esquecido. A par de
fortalecer seus representantes no Congresso
Nacional, a Carta inaugura a democracia
participativa, ao prever que os cidadãos po-
derão ter iniciativa de leis, apresentando pro-
jetos como se parlamentares fossem.
Prosseguindo na leitura, chegamos ao
título V, Da Defesa do Estado e das Institui-
ções Democráticas, onde é nítida a preocu-
pação do constituinte de evitar a opressão
do cidadão pelo Estado. O esmagamento da
individualidade pela máquina tributária e pe-
las poderosas engrenagens da economia tam-
bém é repudiado nos títulos seguintes , que
tratam da Tributação e Orçamento e dos
princípios da Ordem Econômica e Financei-
ra. O título VII, Da Ordem Social, é todo
ele voltado para o cidadão. Educação, Saú-
de, Seguridade Social , Meio Ambiente, Fa·
mília são capítulos inteiramente dedicados
ã proteção, ao amparo, ã ~arantia de digni-
dade e justiça social ã cnança, ao jovem ,
ao trabalhador, ao idoso e até ãs minorias,
como os índios.
Esta é, de fato , a Constituição cidadã.
Leia-a com atenção. Só quem conhece os
seus direitos pode cobrá-los. Somente exigin·
do o cumprimento da nova Carta faremos
deste o país que desejamos e so nhamos.
Sérgio Chacon
111 - ninguém será submetido a tortura nem a tratamento XXIX - a lei assegurará aos autores de inventos industriais
PREÂMBULO desumano ou degradante; privilégio temporârio para sua utilização, bem como proteção às
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado criaçôes industriais, à propriedade das marcas, aos nomes de em-
o anonimato; presas e a outros signos distintivos, tendo em vista o interesse
V - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agra- social e o desenvolvimento tecnológico e econômico do Pais;
vo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem; XXX - é garantido o direito de herança;
Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assem bléia
.Nacion al Constituinte para instituir um Estado Democrático desti·
VI - é inviolável a líberdade de consciência e de crença,
sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida,
XXXI - a sucessão de bens de estrangeiros situados no País
será regulada pela lei brasileira em benefício do cônjuge ou dos
nado a assegurar o exercicio dos direitos sociais e individuais, a na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias; filhos brasileiros, sempre que não lhes seja mais favorável a lei
liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade VIl - é assegurada, nos termos da lei, a prestação de assis- pessoal do de cujus;
e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, tência religiosa nas entidades civis e militares de internação coletiva; XXXII - o Estado promoverá, na forma da lei, a defesa do
pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e com· VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença consumidor;
prometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar XXXIII - 'todos têm direito a receber dos órgãos públicos
das controvérsia~, promulgarpos, sob a proteção de Deus, a seguin- para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se informações de seu interesse particular, ou de interesse coletivo
te CONSTITUIÇAO DA REPUBUCA FEDERATIVA DO BRASIL a cumprir prestação alternativa, fixada em lei; ou geral, que serão prestadas no prazo da lei, sob pena de responsa-
IX - é livre a expressão da atividade intelectual. artística, cien- bilidade, ressalvadas aquelas cujo sigilo seja imprescindível à segu-
tífica e de comunicação, independentemente de censura ou licença; rança da sociedade e do Estado;
X - são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e XXXIV - são a todos assegurados, independentemente do
Título I a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo pagamento de taxas:
dano material ou moral decorrente de sua violação; a) o direito de petição aos Poderes Públicos em defesa de
DOS PRINCiPIOS FUNDAMENTAIS XI - a casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela direitos ou contra ilegalidade ou abuso de poder;
podendo penetrar sem consentimento do morador, salvo em caso b) a obtenção de certidões em repartições públicas, para
Art. 1• A República Federativa do Brasil, formada pela união de Oagrante delito ou desastre, ou para prestar socorro, ou, durante defesa de direitos e esclarecimento de situaçôes de interesse pes-
indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal. consti- o dia, por determinação judicial; soal;
tui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos: XII - é inviolável o sigilo da correspondência e das comuni· ~ - a lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário
I - a soberania; cações telegráficas, de dados e das comunicações telefônicas, sal- lesão ou ameaça a direito;
li - a cidadania; vo, no último caso. por ordem judicial, nas hipóteses e na forma XXXVI - a lei não prejudicará o direito adquirido, o ato jurí-
111 - a dignidade da pessoa humana; que a lei estabelecer para fins de investigação criminal ou instrução dico perfeito e a coisa julgada;
IV - os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa; processual penal; XXXVII - não haverá juízo ou tribunal de exceção;
V - o pluralismo político. XIII - é livre o exercício de qualquer trabalho, oficio ou profis- ~I - é reconhecida a instituição do júri, com a organi·
Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce são, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer; zação que lhe der a lei, assegurados:
por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos XIV - é assegurado a todos o acesso à informação e resguar- a) a plenitude de defesa;
desta Constituição. dado o sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional; b) o sigilo das votaçôes;
~ - é livre a locomoção no território nacional em tempo c) a soberania dos veredictos;
Art. 2• São Poderes da União, independentes e harmônicos entre de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar, d) a competência para o julgamento dos crimes dolosos
si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário. permanec:;er ou dele sair com seus bens; contra a vida;
Art. 3 • Constituem objetivos fundamentais da República Fede· XVI - todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em XXXIX - não há crime sem lei anterior que o defina, nem
rativa do Brasil: locais abertos ao público, independentemente de autorização, des- pena sem prévia cominação legal;
I - construir uma sociedade livre, justa e solidária; de que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para XL - a lei penal não retroagirá, salvo para beneficiar o réu;
li - garantir o desenvolvimento nacional; o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade XLI - a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos
111 - erradicar a pobreza e a marginalilação e reduzir as desi- competente; direitos e liberdades fundamentais;
gualdades sociais e regionais; XVII - é plena a liberdade de associação para fins lícitos. XLII - a prática do racismo constitui crime inafiançável e
IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem. vedada a de caráter paramilitar; imprescritível, sujeito à pena de reclusão, nos termos da lei;
raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação. XVIII - a criação de associações e, na forma da lei, a de XLIII - a lei considerará crimes inafiançáveis e insuscetíveis
cooperativas independem de autorização, sendo vedada a interfe- de graça ou anistia a prática da tortura, o tráfico ilícito de entorpe-
Art. 4 • A República Federativa do Brasil rege-se nas suas rela- rência estatal em seu funcionamento; centes e drogas afins, o terrorismo e os definidos como crimes
çôes internacionais pelos seguintes princípios: XIX - as associações só poderão ser compulsoriamente dis- hediondos, por eles respondendo os mandantes, os executores
I - independência nacional; soMdas ou ter suas atividades suspensas por decisão judicial, exi- e os que, podendo evitá-los, se omitirem;
li - prevalência dos direitos humanos; gindo-se. no primei ro caso, o trânsito em julgado; XLIV - constitui crime inafiançável e imprescritível a ação
111 - autodeterminação dos povos; XX - ninguém poderá ser compelido a associar-se ou a per- de grupos armados. civis ou militares, contra a ordem constitucional
IV - não-intervenção; manecer associado; e o Estado Democrático;
V - igualdade entre os Estados; XXI - as entidades associativas, quando expressamente au- XLV - nenhuma pena passará da pessoa do condenado,
VI - defesa da paz; torizadas, têm legitimidade para representar seus filiados judicial podendo a obrigação de reparar o dano e a decretação do perdi·
VIl - solução pacífica dos conflitos; ou extrajudicialmente; mento de bens ser, nos termos da lei, estendidas aos sucessores
VIII - repúdio ao terrorismo e ao racismo; XXII - é garantido o direito de propriedade; e contra eles executadas, até·o limite do valor do patrimônio trans-
IX - cooperação entre os povós para o progresso da huma· XXIII - a propriedade atenderá a sua função social; ferido; '
nidade; XXIV - a lei estabelecerá o procedimento para desapropria- XLVI - a lei regulará a individualização da pena e adotará,
X - concessão de asilo político. ção por necessidade ou utilidade pública, ou por interesse social, entre outras, as seguintes:
Parágrafo único. A República Federativa do Brasil buscará mediante justa e prévia indenização em dinheiro, ressalvados 'os a) privação ou restrição da liberdade;
a integração econômica, política, social e cultural dos povos da casos previstos nesta Constituição; b) perda de bens;
América Latina. visando à formação de uma comunidade latino-a- ~ - no caso de iminente perigo público, a autoridade c) multa;
mericana de naçôes. competente poderá usar de propriedade particular, assegurada ao d) prestação social alternativa;
e) suspensão ou interdição de direitos;
XLVII - não haverá penas:
a) de morte, salvo em caso de guerra declarada, nos termos
do art. 84, XIX;
b) de caráter perpétuo;
c) de trabalhos forçados;
d) de banimento;
e) cruéis;
XLVIII - a pena será cumprida em estabelecimentos distin-
tos, de acordo com a natureza do delito, a idade e o sexo do
apenado;
XLIX - é assegurado aos presos o respeito à integridade
física e moral;
L - às presidiárias serão asseguradas condiçôes para que
possam permanecer com seus fdhos durante o período de ama-
mentação;
U - nenhum brasileiro será extraditado, salvo o naturalizado,
em caso de crime comum. praticado antes da naturalização, ou
de comprovado envolvimento em tráfico ilícito de entorpecentes
e drogas afin s, na forma da lei;
UI - não será concedida extradição de estrangeiro por crime
político ou de opinião;
Llll - ninguém será processado nem sentenciado senão pela
autoridade com petente;
UV - ninguém será privado da liberdade ou de seus bens
sem o devido processo legal;
LV - aos litigantes, em processo judicial ou administrativo,
e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e ampla
defesa, com os meios e recursos a ela inerentes;
LVI - são inadmissíveis, no processo, as provas obtidas por
meios ilícitos;
LVIl - ninguém será considerado culpado até o trânsito em
julgado de sentença penal condenatória;
LVIII - o civilmente identificado não será submetido a identi-
ficação criminal, salvo nas hipóteses previstas em lei;
proprietário indenização ulterior, se houver dano; LlX - será admitida ação privada nos crimes de ação pública,
Título 11 XXVI - a pequena propriedade rural, assim definida em lei, se esta não for intentada no prazo legal;
desde que trabalhada pela família, não será objeto de penhora
LX - a lei só poderá restringir a publicidade dos atos proces-
DOS DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS para pagamento de débitos decorrentes de sua atividade produtiva,
suais quando a defesa da intimidade ou o interesse social o exigirem;
dispondo a lei sobre os meios de financiar o seu desenvolvimento; LXI - ninguém será preso senão em flagrante delito ou por
Capítulo I XXVII - aos autores pertence o direito exclusivo de utilização,
DOS DIREITOS E DEVERES INDMD<JAIS E COLETIVOS ordem escrita e fundamentada de autoridade judiciária competente,
publicação ou reprodução de suas obras, transmissível aos herdei- salvo nos casos de transgressão mi.litar ou crime propriamente
Art. 5• Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer ros pelo tempo que a lei fixar; militar, definidos em lei;
natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes XXVIII - são assegurados, nos termos da lei:
LXII - a prisão de qualquer pessoa e o local onde se encontre
no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, a) a proteção às participações individuais em obras coletivas serão comunicados imediatamente ao juiz competente e à família
à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: e à reprodução da imagem e voz humanas, inclusive nas atividades do preso ou à pessoa por ele indicada;
I - homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, desportivas; LXIII - o preso será informado de seus direitos, entre os
nos termos desta Constituição; b) o direito de fiscalização do aproveitamento econômico quais o de permanecer calado, sendo-lhe assegurada a assistência
11 - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma das obras que criarem ou de que participarem aos criadores, aos da família e de advogado;
coisa senão em virtude de lei; intérpretes e às respectivas representações sindicais e associativas; LXIV - o preso tem direito à identificação dos responsáveis

2 Jornal da Constituinte
por sua prisão ou por seu interrogatório policial; dicos que lhe preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua O - é vedada a criação de mais de uma organízação sindical,
LXV - a prisão ilegal será imediatamente relaxada pela auto- vinculação para qualquer fun: em qualquer grau. representativa de categoria profissional ou eco-
ridade judiciária; V - pi.so salarial proporcional à extensão e à complexidade nômica, na mesma base territorial, que será definida pelos trabalha·
LXVI - ninguém será levado à prisão ou nela mantido, quan- do trabalho; dores ou empregadores interessados. não podendo ser inferior
do a lei admítir a liberdade provisória. com ou sem fiança; VI - irredutibilidade do salário, salvo o disposto em conven- à área de um Município;
LXVII - não haverá prisão cívil por divida, salvo a do respon- ção ou acordo coletivo: 111 - ao sindicato cabe a defesa dos direitos e interesses cole-
sável pelo inadimplemento voluntário e inescusável de obrigação VIl - garantia de salário. nunca inferior ao minimo. para os tivos ou individuais da categoria. inclusive em questões judiciais
alimentícia e a do depositário infiel: que percebem remunera~ão variável: ou administrativas;
LXVIII - conceder-se-á habeas-corpus sempre que alguém VIII - décimo terce1ro salário com base na remuneração inte- IV - a assembléia geral fixará a contribuição que. em se
sofrer ou se achar ameatado de sofrer violência ou coação em gral ou no valor da aposentadoria: tratando de categoria profiSSional, será descontada em folha, para
sua liberdade de locomoçao, por ilegalidade ou abuso de poder; IX - remuneração do trabalho noturno superior à do diurno; custeio do sistema confederativo da representação sindical respec-
LXJX - conceder-se-á mandado de segurança para proteger X - proteção do salário na forma da lei. constituindo crime tiva, independentemente da contribuição prevista em lei;
direito liquido e certo, não amparado por habeas-corpus ou habeas- sua retenção dolosa: V - ninguém será obrigado a filiar-se ou a manter-se filiado
data. quando o responsável pela ilegalidade ou abuso de poder XI - participação nos lucros. ou resultados. desvinculada da a sindicato;
for autoridade pública ou agente de pessoa jurídica no exercício remuneraçao. e, excepcionalmente. participação na gestão da em- VI - é obrigatória a participação dos sindicatos nas negocia·
de atribu ições do Poder Público; presa. conforme definido em lei; ções coletivas de trabalho;
LXX - o mandado de segurança coletivo pode ser impetrado XlJ - salário-familia pa.ra os seus dependentes: VIl - o aposentado filiado tem direito a votar e ser votado
por: XIII - duração do trabalho normal não superior a oito horas nas organizações sindicais;
a) partido político com representação no Congresso Nacio- diárias e quarenta e quatro semanais. facultada a compensação VIJI - é vedada a dispensa do empregado sindicalizado a
nal; de horários e a redução da jornada, mediante acordo ou convenção partir do registro da candidatura a cargo de direção ou represen-
b) organização sindical, entidade de classe ou associação coletiva de trabalho: tação sindical e, se eleito. ainda que suplente. até um ano após
legalmente constituída e em funcionamento há pelo menos um XN - jornada de seis horas para o trabalho realizado em o final do mandato. salvo se cometer falta grave nos termos da
ano. em defesa dos interesses de seus membros ou associados; turnos ininterruptos de revezamento, salvo negociação coletiva; lei.
LXXl - conceder-se-á mandado de injunção sempre que a XV - repouso semanal remunerado. preferencialmente aos Parágrafo único. As disposições deste artigo aplicam-se à
falta de norma regulamentadora tome inviável o exercício dos direi· domingos; organização de sindicatos rurais e de colônias de pescadores. aten-
tos e liberdades constitucionais e das prerrogativas inerentes à XVI - remuneração do serviço extraordinário superior, no didas as condições que a lei estabelecer.
nacionalidade. à soberania e à cidadania; mínimo, em cinqüenta por cento à do normal; Art. 9- É assegurado o direito de greve, competindo aos traba-
LXXII - conceder-se-á habeas-data: XVII - gozo de férias anuais remuneradas com. pelo menos. lhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os
a) para assegurar o conhecimento de informações relativas um terço a mais do que o salârío normal;
interesses que devam por meio dele defender.
à pessoa do impetrante, constantes de registros ou bancos de xvm - licença à gestante. sem prejuizo do emprego e do § 1• A lei definira os serviços ou atividades essenciais e dispo-
dados de entidades governamentais ou de caráter público: salário, com a duração de cento e vinte dias; rá sobre o atendimento das necessidades inadiáveis da comuni-
b) para a retifica5ão de dados. quando não se prefira fazê-lo XIX - licença-paternidade. nos termos fixados em lei: dade.
por processo sigiloso. JUdicial ou administrativo; XX - proteção do mercado de trabalho da mulher. mediante § 2- Os abusos cometidos sujeitam os responsáveis às penas
LXXIII - qualquer cidadão é parte legítima para propor ação incentivos específicos. nos termos da lei; da lei.
popular que vise a anular ato lesivo ao patrimônio público ou de XXI - aviso prévio proporcional ao tempo de serviço. sendo
entidade de que o Estado partícipe, à moralidade administrativa. no mínimo de trinta dias. nos termos da lei: Art. 1O. É assegurada a participação dos trabalhadores e empre-
ao meio ambiente e ao patrimônio histórico e cultural. ficando XXII - redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio gadores nos colegiados dos órgãos públicos em que seus interesses
o autor. salvo comprovada má-fé. isento de custas judiciais e do de normas de saúde, higiene e segurança; profissionais ou previdenciários sejam objeto de discussão e delibe-
ônus da sucumbência; XXIIJ - adicional de remuneração para as atívidades penosas. ração.
LXXN - o Estado prestará assistência juridica integral e gra- insalubres ou perigosas, na forma da lei; Art. 11. Nas empresas de mais de duzentos em pregados. é asse-
tuita aos que comprovarem insuficiência de recursos; XXIV - aposentadoria; gurada a eleição de um representante destes com a finalidade
LXXV - o Estado indenizará o condenado por erro judiciário. XXV - assistência gratuita aos filhos e dependentes desde exclusiva de promover-lhes o entendimento direto com os empre-
assim como o que ficar preso além do tempo fucado na sentença; o nascimento até seis anos de idade em creches e pré-escolas; gadores.
LXXVI - são gratuitos para os reconhecidamente pobres, na XXVI - reconhedmento das convenções e acordos coletivos
forma da lei: de trabalho: Capítu lo 111
a) o registro civil de nascimento; XXVII - proteção em face da automação. na forma da lei; DA NACIONALIDADE
b) a certidão de óbito; XXVIII - seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do
LXXVII - são gratuitas as ações de habeas-corpus e habeas· empregador, 'Sem excluir a indenização a que este está obrigado. Art. 12. São brasileiros:
data, e, na forma da lei, os atos necessários ao exercício da cida- quando incorrer em dolo ou culpa; I - natos:
dania. XXIX - ação, quanto a créditos resultantes das relações de a) os nascidos na República Federativa do Brasil. ainda que
§ I • As normas definidoras dos direitos e garantias funda- trabalho. com prazo prescricional de: de pais estrangeiros. desde que estes não estejam a serviço de
mentais têm aplicação imediata. a) cinco anos para o trabalhador urbano. até o limite de seu país;
§ 2" Os direitos e garantias expressos nesta Constituição não dois anos após a extinção do contrato; b) os nascidos no estrangeiro. de pai brasileiro ou mãe brasi-
excluem outros decorrentes do regime e dos princípios por ela b) até dois anos após a extinção do contrato, para o traba- leira. desde que qualquer deles esteja a serviço da República Fede·
adotados. ou dos tratados internacionais em que a República Fede· lhador rural; rativa do Brasil;
rativa do Brasil seja parte. XXX - proibição de diferença de salários. de exercício de c) os nascidos no estrangeiro. de pai brasileiro ou mãe brasi-
funções e de critério de admissão por motivo de sexo. idade. cor leira. desde que sejam registrados em repartição brasileira compe-
ou estado civil; tente. ou venham a residir na República Federativa do Brasil antes
XXXI - proibição de gualquer discriminação no tocante a da maioridade e, alcançada esta, optem em qualquer tempo pela
nacionalidade brasileira:
11 - naturalizados:
a) os que. na forma da lei. adquiram a nacionalidade brasi-
leira, exigidas aos originários de países de língua portuguesa apenas
residência por um ano ininterrupto e idoneidade moral:
b) os estrangeiros de qualquer nacionalidade. residentes na
República Federativa do Brasil há mais de trinta anos ininterruptos
e sem condenação penal, desde que requeiram a nacionalidade
brasileira.
§ 1• Aos portugueses com residência permanente no País,
se houver reciprocidade em favor dos brasileiros. serão atribuídos
os direitos inerentes ao brasileiro nato, salvo os casos previstos
nesta Constitui~ão.
§ 2- A le1 não poderá estabelecer distinção entre brasileiros
natos e naturalizados. salvo nos casos previstos nesta Constituição.
§ 3• São privativos de brasileiro nato os cargos:
I - de Presidente e Vice-Presidente da República:
11 - de Presidente da Cáma.ra dos Deputados:
111 - de Presidente do Senado Federal:
IV - de Ministro do Supremo Tribunal Federal:
V - da carreira diplomática:
VI - de oficial das Forças Armadas.
§ 4• Será declarada a perda da nacionalidade do brasileiro
que:
I - tiver cancelada sua natur-alização, por sentença judicial,
em virtude de atívidade nociva ao int eresse nacional:
11 - adquirir outra nacionalidade por naturalização voluntária.
Art.. 13. A língua portuguesa é o idioma oficial da República
Federativa do Brasil.
§ 1• São símbolos da República Federativa do Brasil a ban-
deira, o hino. as armas e o selo nacionais.
§ 2• Os Estados. o Distrito Federal e os Municípios poderão
ter símbolos próprios.
salário e critérios de admissão do trabalhador portador de defi-
Capítulo U ciência; Capít ulo IV
DOS DIREiTOS SOCIAIS XXXII - proibição de distinção entre trabalho manual, técni· DOS OlREITOS POÚTICOS
Art. 6• São direitos sociais a educação. a saúde. o trabalho. o co e intelectual ou entre os profissionais respectivos: Art. 14 . A soberania popular será exercida pelo sufrágio uni-
lazer. a segurança. a previdência social. a proteção à maternidade XXXIII - proibição de trabalho noturno. perigoso ou insalu- versal e pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos.
e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Cons- bre aos menores de dezoito e de qualquer trabalho a menores e, nos termos da lei. mediante:
tituição. de quatorze anos. salvo na condição de aprendiz: I - plebiscito:
XXXIV - igualdade de direitos entre o trabalhador com víncu- 11 - referendo:
Art. 7• São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além lo empregaticlo permanente e o trabalhador avulso. 111 - iniciativa popular.
de outros que visem à melhoria de sua condição social: Parágrafo único. São assegurados à categoria dos trabalha- § J• O alistamento eleitoral e o voto são:
i - relação de emprego protegida contra despedida arbitrária dores domésticos os direitos previstos nos incisos IV. VI. VIU, XV. I - obrigatórios para os maiores de dezoito anos;
ou sem justa causa. nos termos de lei complementar, que preverá XVII, XVIU. XIX XXI e XXIV. bem como a sua integração à previdência
indenização compensatória, dentre outros direitos: 11 - facultativos para:
social. a) os analfabetos;
11 - seguro-desemprego, em caso de desem prego involun-
tário; Art. 8• É livre a associação profissional ou sindical, observado b) os maiores de setenta anos;
c) os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos.
111 - fundo de ~rantia do tempo de serviço; o seguinte:
IV - salário mmimo. fiXado em lei. nacionalmente unificado, I - a lei não poderá exigir autorização do Estado para a § 2• Não podem alistar-se como eleitores os estrangeiros
fundação de sindicato, ressa.l vado o registro no órgão competente. e, durante o periodo do serviço militar obrigatório. os conscritos.
capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua
familia com moradia, alimentação. educação. saúde, lazer. vestuá· vedadas ao Poder Público a interferência e a intervenção na organi· § 3• São condições de elegibilidade. na forma da lei:
rio. higiene. transporte e previdência social. com reajustes peri6- zação sindical: I - a nacionalidade brasileira:

Jornal da Constituinte 3
Capítulo V VIl - emítii- moeda;
DOS PARTIDOS POÚTICOS VIII - administrar as reservas cambiais do Pais e fiscalizar
as operações de natureza financeira, especialmente as de crédito,
Art. 17. t livre a criação, fusão, incorporação e extinção de parti· câmbio e capitalização, bem como as de seguros e de previclência
dos politicos, resguardados a soberania nacional, o regime demo- privada; ·
crático, o pluripartidarismo, os direitos fundamentais da pessoa IX - elaborar e executar planos nacionais e regionais de or-
humana e observados os seguintes preceitos: denação do território e de desenvolvimento econômico e social;
I - caráter nacional; X - manter o serviço postal e o correio aéreo nacional;
U - proibição de recebimento de recursos financeiros de en· XI - explorar, diretamente ou mediante concessão a empre-
tidade ou govemo estrangeiros ou de subordinação a estes; sas sob controle acionário estatal, os serviços telefônicos, telegrá-
DI - prestação de contas à Justiça Eleitoral; ficos, de transmissão de dados e demais serviços públicos de teleco-
IV - fpncionamento parlamentar de acordo com a lei. municações, assegurada a prestação de serviços de informações
§ I • E assegurada aos partidos políticos autonomia para de- por entidades de direito privado através da rede pública de teleco-
finir sua estrutura interna, organização e funcionamento, devendo municações explorada pela::'Jnião;
seus estatutos estabelecer normas de fidelidade e disciplina parti- XII - explorar, diretamente ou mediante autorização, conces-
dárias. são ou permissão:
§ 2• Os partidos políticos, após adquirirem personalidade a) os serviços de radiodifusão sonora, de sons e imagens
jurídica, na forma da lei civil, registrarão seus estatutos no Tribunal e demais serviços de telecomunicações;
Superior Eleitoral. b) os serviços e instalações de energia elétrica e o aproveita·
§ 3• Os partidos políticos têm direito a recursos do fundo mento energético dos cursos de água, em articulação com os
~rtidário e acesso gratuíto ao rádio e à televisão, na forma da Estados onde se situam os potenciais hidroenergéticos;
c) a navegação aérea, aeroespacial e a infra-estrutura aero-
· § 4• t vedada a utilização pelos partidos políticos de organi· portuária;
zação paramilitar. d} os serviços de transporte ferroviário e aquaviário entre
portos brasileiros e fronteiras nacionais, ou que transponham os
limites de Estado ou Território;
e) os serviços de transporte rodoviário interestadual e interna-
Titulo lU cional de passageiros;
f) os portos marítimos, fluviais e lacustres;
DA O RGANIZAÇÃO DO ESTADO XIII - organizar e manter o Poder Judiciário, o Ministério
Público e a Defensoria Pública do Distrito Federal e dos Territórios;
Capítulo I XIV - organizar e manter a pOlícia federal, a policia rodoviária
DA ORGANIZAÇÃO POÚTJCO-ADMINISTRATIVA e a ferroviária federais, bem como a polícia civil, a polícia militar
e o corpo de bombeiros militar do Distrito Federal e dos Territórios;
Art. 18. A organização político-administrativa da República Fe- XV - organizar e manter os serviços oficiais de estatistica,
derativa do Brasil compreende a União, os Estados, o Distrito Fede-
geografia. geologia e cartografia de âmbito nacional;
ral e os Municipios, todos autônomos. nos termos desta Cons-
XVI - exercer' a classificação, para efeito indicativo, de djyer·
tituição.
§ 1• Brasília é a Capital Federal. sôes públicas e de programas de rádio e televisão;
§ 29 Os Territórios Federais integram a União, e sua criação, XVII - conceder anistia;
XVIII - planejar e promover a defesa permanente contra as
transformaç&o em Estado ou reintegração ao Estado de origem
calamidades públicas, especialmente as secas e as inundações;
serão reguladas em lei complementar.
§ 3• Os Estados podem incorporar-se entre si, subdividir-se
XIX - instituir sistema nacional de gerenciamento de recur-
sos hídricos e definir critérios de outorga de direitos de seu Ul!O;-
ou desmembrar-se para se anexarem a outros, ou formarem novos
XX - instituir diretrizes para o desenvolvimento urbano, in-
Estados ou Territórios Federais, mediante aprovação da população
clusive habitação, saneamento básico e transportes urbanos;
diretamente interessada, através de plebiscito, e do Congresso Na-
XXI - estabelecer princípios e diretrizes para o sistema nacio-
cional, por lei complementar.
nal de viação;
§ 4• A criação, a incorporação, a fusão e o desmembramento XXII - executar os serviços de polícia marítima, aérea e de
de Municípios preservarão a continuidade e a unidade histórico·
fronteira;
cultural do ambiente urbano, far-se-ão por lei estadual, obedecidos
XXIII - explorar os serviços e instalações nucleares de qual-
os requisitos previstos em lei complementar estadual, e dependerão
quer natureza e exercer monopólio estatal sobre a pesquisa, a lavrá,
de consulta prévia, mediante plebiscito, às populações diretamente
11 - o pleno exercício dos direitos políticos; o enriquecimento e reprocessamento, a industrialização e o comér·
interessadas.
UI - o alistamento eleitoral; cio de minérios nucleares e seus derivados, atendidos os seguintes
IV - o domicílio eleitoral na circunscrição; Art. 19. t vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e princípios e condições:
V - a filiação partidária; aos Municipios: a) toda atividade nuclear em território nacional somente será
\1 - a idade mínima de: I - estabelecer cultos religiosos ou igreías. subvencioná-los, admitida para fins pacíficos e mediante aprovação do Congresso
a) trinta e cinco anos para Presidente e Vice-Presidente da embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus Nacional;
República e Senador; representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na b) sob regime de concessão ou permissão, é autorizada a
b) trinta anos para Governador e Vice-Governador de Estado forma da lei, a colaboração de interesse público; utilização de radioisótopos para a pesquisa e usos medicinais, agri·
e do Distrito Federal; n- recusar fé aos documentos públicos; colas, industriais e atividades análogas;
c) vinte e um anos para Deputado Federal, Deputado Esta· m- criar distinções entre brasileiros ou preferências entre c) a responsabilidade civil por danos nucleares independe
dual ou Distrital, Prefeito, Vice-Prefeito e juíz de paz; si. da existência de culpa;
d) dezoito anos para Vereador. XXJV - organizar, manter e executar a inspeção do trabalho;
§ 49 São inelegJVeis os inalistáveis e os analfabetos. ea 'tuJo n )()().! - estabelecer as áreas e as condições para o exercício
§ 59 São inelegíveis para os mesmos cargos, no período DA'âNIÃO da atividade de garimpagem, em forma associativa.
subseqüente, o Presidente da República, os Governadores de Esta- Art. 20. São bens da União: Art. 22. Compete privativamente à União legislar sobre:
do e do Distrito Federal, os Prefeitos e quem os houver sucedido, I - os que atualmente lhe pertencem e os que lhe vierem I - direito civil, comercial, penal, processual, eleitoral, agrário,
ou substituído nos seis meses anteriores ao pleito. a ser atribuídos; marítimo, aeronáutico, espaci.al e do trabalho;
§ 6• Para concorrerem a outros cargos, o Presidente da Re- U - as terras devolutas indispensáveis à defesa das fronteiras, 11 - desapropriação;
pública, os Governadores de Estado e do Distrito Federal e os das fortificações e construções militares, das vias federais de comu· UI - requisições civis e militares, em caso de iminente perigo
Prefeitos devem renunciar aos respectivos mandatos até seis meses nicação e à preservação ambiental, definidas em lei; e em tempo de guerra;
antes do pleito. DI - os lagos, rios e quaisquer correntes de água em terrenos IV - águas, energia, informática, telecomunicações e radio-
§ 7• São inelegíveis, no território de jurisdição do titular, o de seu domínio, ou que banhem mais de um Estado, sirvam de difusão;
cônjuge e os parentes consangüíneos ou afins, até o segundo limites com outros países, ou se estendam a território estrangeíro V - serviço postal;
grau ou por adoção, do Presidente da República, de Governador ou dele provenham, bem como os terrenos marginais e as praias \1 - sistema monetário e de medidas. títulos e garantias dos
de Estado ou Território, do Distrito Federal, de Prefeito ou de quem fluviais; metais;
os haja substituído dentro dos seis meses anteriores ao pleito, IV - as ilhas fluviais e lacustres nas zonas limit.rofes com \11 - política de crédito, câmbio, seguros e transferência de
salvo se já titular de mandato eletivo e candidato à reeleição. outros países; as praias marítimas; as ilhas oceânicas e as costeiras, valores;
§ 8• O militar alistável é elegível, atendidas as seguintes con- excluídas destas as áreas referidas no art. 26, 11; \111 - comércio exterior e interestadual;
dições: . V - os recursos naturais da plataforma continental e da zona IX - diretrizes da política nacional de transportes;
I - se contar menos de dez anos de serviço, deverá afastar-se econômica exclusiva; X - regime dos portos, navegação lacustre, fluvial, marítirpa,
da atividade; VI - o mar territorial; aérea e aeroespacial; 1
O - se contar mais de dez anos de serviço, será agregado VIl - os terrenos de marinha e seus acrescidos; XI - trânsito e transporte;
pela autoridade superior e, se eleito, passará automaticamente, VIII - os potenciais de energia hidráulica; XII - jazidas, minas, outros recursos minerais e metalurgia;
no ato da diplomação, para a inatividade. IX - os recursos m inerais, inclusive os do subsolo; XIII - nacionalidade, cidadania e naturalização;
§ 99 Lei complementar estabelecerá outros casos de inelegi- X - as cavidades naturais subterrâneas e os sítios arqueo- XIV - populações indígenas;
bilidade e os prazos de sua cessação, a fim de proteger a norma· lógicos e pré-históricos; XV - emigração e imigração. entrada, extradição e expulsão
lidade e legitimidade das eleições contra a influência do poder XI - ~s terras tradicionalmente ocupadas pelos índios. de estrangeiros;
econômico ou o abuso do exercício de função, cargo ou emprego § 1• E assegurada, nos termos da lei, aos Estados, ao Distrito XVI - organização do sistema nacional de emprego e condi-
na administração direta ou indireta. Federal e aos Municípios, bem como a órgãos da administração ções para o exercício de profissões;
§ 1O. O mandato eletivo poderá ser impugnado ante a Jus· direta da União, partic1pação no resultado da exploração de petróleo XVII - organiz~ão judiciária, do Ministério Público e da De-
tiça Eleitoral no prazo de quinze dias contados da diplomação, ou gâs natural, de recursos hídricos para fins de geração de energia fensoria Pública do DIStrito Federal e dos Territórios, bem como
instruída a ação com provas de abuso do poder econômico, corrup- elétrica e de outros recursos minerais no respectivo território, plata- organização administrativa destes;
ção ou fraude. forma continental, mar territorial ou zona econômica exclusiva, ou XVIU - sistema estatístico, si stema cartográfico e de geologia
§ 11. A ação de impugnação de mandato tramitará em se- compensação financeira por essa exploração. nacionais;
gredo de justiça, respondendo o autor, na forma da lei, se temerária § 29 A faixa de até cento e cinqüenta quilômetros de largura, XIX - sistemas de poupança, captação e garantia da pou-
ou de manifesta má-fé. ao longo das fronteiras terrestres, designada como faixa de fronteira, pança_popular;
é considerada fundamental para defesa do território nacional e
Art. 15. t vedada a cassação de direitos políticos, cuja perda
sua ocupação e utilização serão reguladas em lei.
XX - sistemas de consórcios e sorteios;
XXI - normas gerais de organização, efetivos, material béli -
ou suspensão só se dará nos casos de:
I - cance.l amento da naturalização por sentença transitada Art. 21. Compete à União: co, garantias, convocação e mobilização das polícias militares e
em julgado; I - manter relações com Estados estrangeiros e participar corpos de bombeiros militares;
U - incapacidade civil absoluta; de organizações internacionais; XXII - competência da polícia federal e das polícias rodo-
DI - condenação criminal transitada em julgado, enquanto U - declarar a guerra e celebrar a paz; viária e ferroviária federais;
durarem seus efeitos; UI - assegurar a defesa nacional; XXIII - seguridade social;
IV - recusa de cumprir obrigação a todos imposta ou presta- IV - permitir, nos casos previstos em lei complementar, que XXJV - diretrizes e bases da educação nacional;
ção alternativa, nos termos do art. 5•, VIU; forças estrangeiras transitem pelo território nacional ou nele perma- X)(Y - registros públicos;
V - improbidade administrativa, nos termos do art. 37, § neçam temporariamente; XXVI - atividades nucleares de qualquer natureza;
4•. V - decretar o estado de sitio, o estado de defesa e a interven- XXVII - normas gerais de licitação e contratação, em todas
ção federal; as modalidades, para a administração pública, direta e indireta,
Art. 16. A lei que alterar o processo eleitoral só entrará em vigor VI - autorizar e fiscalizar a produção e o comércio de material incluídas as fundações instituídas e mantidas pelo Poder Público,
um ano após sua promulgação. bélico; nas diversas esferas de governo, e empresas sob seu controle;

4 Jornal da Constituinte
. XXVIII - defesa tE:rritorial, defesa aeroespacial, defesa marí- as decorrentes de obras da União; de, pelo menos, cinco por cento do eleitorado;
tima, defesa civil e mobilização nacional; 11 - as.áreas, nas ilhas oceânicas e costeiras, que estiverem XII - perda do mandato do Prefeito, nos termos do art. 28,
XXIX - propaganda comercial. no seu domínio, excluídas aquelas sob dornlnio da União, Mun ici- parágrafo único.
Parágrafo único. Lei complementar poderá autorizar os Esta- pios ou terceiros;
Art. 30. Compete aos Municípios:
dos a legislar sobre questões específicas das matérias relacionadas DI - as ilhas fluviais e lacustres não pertencentes à União;
neste artigo. IV - as terras devolutas não compreendidas entre as da I - legislar sobre assuntos de interesse local;
União. 11 - suplementar a legislação federal e a estadual no que
Art. 23. É competência comum da União, dos Estados, do Dis- couber;
trito Federal e dos Municípios: Art. 27. O número de Deputados à Assembléia Legislativa cor- m- instituir e arrecadar os tributos de sua competência,
I - zelar pela guarda da Constituição, das leis e das institui- responderá ao triplo da representação do Estado na Câmara dos bem como aplicar suas rendas, sem prejuízo da obrigatoriedade
ções dem.ocráticas e conservar o patrimônio público; Deputados e, atingido o número de trinta e seis, será acrescido de prestar contas e publicar balancetes nos prazos fiXados em
11 - cuidar da saúde e assistência pública, da proteção e de tantos quantos Torem os Deputados Federais acima de doze. lei;
garantia das pessoas portadoras de deficiência; § 1• Será de quatro anos o mandato dos Deputados Esta- IV - criar, organizar e suprimir distritos, observada a legisla-
111 - proteger os documentos, as obras e outros bens de duais, aplicando-se-lhes as regras desta Constituição sobre sistema ção estadual;
valor histórico, artístico e cultural, os monumentos, as paisagens eleitoral, inviolabilidade, imunidades, remuneração, perda de man- V - organizar e prestar, diretamente ou sob regime de con-
naturais notáveis e os sítios arqueológicos; dato, licença, impedimentos e incorporação às Forças Annadas. cessão ou permissão, os serviços públicos de interesse local, incluí-
IV - impedir a evasão, a destruição e a descaracterização § 2• A remuneração dos Deputados Estaduais será fU<ada do o de transporte coletivo, que tem caráter essem:ial;
de obras de arte e de outros bens de valor histórico, artístico ou em cada legislatura, para a subseqüente, pela Assembléia Legis- VI - manter, com a cooperação técnica e financeira da União
cultural; lativa, observado o que dispõem os arts. 150, O, 153, 10, e 153, e do Estado, programas de educação pré-escolar e de ensino funda-
V - proporcionar os meios de acesso à cultura, à educação § 2•,1. mental;
e à ciência; § 3• Compete às Assembléias Legislativas dispor sobre seu VIl - prestar, com a cooperação'técnica e financeira da União
VI - proteger o meio ambiente e combater a poluição em regimento interno, polícia e serviços administrativos de sua secre- e do Estado, serviços de atendimento à saúde da população;
qualquer de suas formas; taria, e prover os respectivos cargos. VIII - promover, no que couber, adequado ordenamento ter-
VIl - preservar as florestas, a fauna e a flora; § 4• A lei dísporá sobre a iniciativa popular no processo legis- ritorial, mediante planejamento e controle do uso, do parcelamento
VIII - fomentar a produção agropecuária e organizar o abas- lativo estadual. e da ocupação do solo urbano;
tecimento alimentar; IX - promover a proteção do patrimônio histórico-cuhural
IX - promover programas de construção de moradias e a
Art. 28. A eleição do Governador e do Vice-Governador de Esta-
do, para mandato de quatro anos, realizar-se-á noventa dias antes local, observada a legislação e a ação fiscalizadora federal e estadual.
melhoria das condições habitacionais e de saneamento básico;
X - combater as causas da pobreza e os fatores de margina- do término do mandato de seus antecessores, e a posse ocorrerá Art. 31. A fiscalização do Município será exercida pelo Poder
no dia I• de janeiro do ano subseqüente, observado, quanto ao Legislativo Municipal, mediante controle externo, e pelos sistemas
lização, promovendo a integração social dos setores desfavorecidos;
mais, o disposto no art. 77. de controle interno do Poder Executivo Municipal, na forma da
XI - registrar, acompanhar e fiscalizar as concessões de di- Parágrafo único. Perderá o mandato o Governador que assu- lei.
reitos de pesquisa e exploração de recursos hídricos e minerais
mir outro cargo ou função na administração pública direta ou indire- § 1• O controle externo da Câmara Municipal será exercido
em seus territórios;
ta, ressalvada a posse em virtude de concurso público e observado com o auxílio dos Tribunais de Contas dos Estados ou do Municipio
XII - estabelecer e implantar política de educação para a
segurança do trânsito. o disposto no art. 38, I, IV e V. ou dos Conselhos ou Tribunais de Contas dos Municípios, onde
houver.
Parágrafo único. Lei complementar fU<ará normas para a coo-
peração entre a União e os Estados, o Distrito Federal e os Municí- § 2• O parecer prévio, emitido pelo órgão competente sobre
pios, tendo em vista o equil"ibrio do desenvoMmento e do bem: estar as contas que o Prefeito deve anualmente prestar, só deixará de
em âmbito nacional. prevalecer por decisão de dois terços dos membros da Câmara
Municipal.
Art. 24. Compete à União, aos Estados e ao Distrito Federal § 3• As contas dos Municípios ficarão, durante sessenta dias,
legislar concorrentemente sobre: anualmente, à disposição de qualquer contribuinte, para exame
I - direito tributário, financeiro, penitenciário, econômico e apreciação, o qual poderá questionar-lhes a legitimidade, nos
e urbanístico; termos da lei.
11 - orçamento; § 4• É vedada a criação de T ribunais, Conselhos ou órgãos
111 - juntas comerciais; de Contas Municipais. ·
IV - custas dos serviços forenses;
V - produção e consumo; Capitul o V
VI - florestas, caça, pesca, fauna, conservação da natureza, DO DISTRITO FEDERAL E DO S TERRITÓRIOS
defesa do solo e dos recursos naturais, proteção do meio ambiente
e controle da poluição; Seção/
VIl - proteção ao patrimônio histórico, cultural, artístico, tu- Do Dlstlfto Federal
Art. 32. O Distrito Federal, vedada sua divisão em Municípios,
re9er-se-á por lei orgânica, votada em dois turnos com interstício
m1nimo de dez dias, e aprovada por dois terços da Câmara Legis-
lativa, que a promulgará, atendidos os princípios estabelecidos nesta
Constituição.
§ I• Ao Distrito Federal são atribuídas as competências legis-
lativas reservadas aos Estados e Municípios.
§ 2• A eleição do Governador e do Vice-Governador, obser-
vadas as regras do art. 77, e dos Deputados Distritais coincidirá
com a dos Governadores e Deputados Estaduais, para mandato
de igual duração.
§ 3• Aos Deputados Distritais e à Câmara Legislativa apli-
ca-se o disposto no art. 27.
§ 4• Lei federal disporá sobre a utilização, pelo Governo do
Distrito Federal, das polícias civil e militar e do corpo de bombeiros
militar.
rístico e paiSagístico; Capítulo !V
VIII - responsabilidade por dano ao meio ambienté, ao con- Seção//
DOS M<JNICIPIOS
sumidor, a bens e direitos de valor artístico, estético, histórico, Dos Tenit6rlos
turístico e paisagístico; Art. 29. O Município reger-se-á por lei orgânica, votada em dois
IX - educação, cultura, ensino e desporto; turnos, com o interstício minimo de dez dias, e aprovada por dois Art. 33. A lei disporá sobre a organização administrativa e judi-
X - criação, funcionamento e processo do juizado de peque- terços dos membros da Câmara Municipal, que a promulgará, aten- ciária dos Territórios.
nas causas; didos os princípios estabelecidos nesta Constituição, na Consti- § I• Os Territórios poderão ser divididos em Municípios, aos
XI - procedimentos em matéria processual; tuição do respectivo Estado e os seguintes preceitos: quais se aplicará, no que couber, o disposto no Capítulo IV deste
XII - previdência social, proteção e defesa da saúde; I - eleição do Prefeito, do Vice-Prefeito e dos Vereadores, Título.
XIII - assistência jurídica e defensoria pública; para mandato de quatro anos, mediante pleito direto e simultâneo § 29 As contas do Governo do Território serão submetidas
XIV - proteção e integração social das pessoas portadoras realizado em todo o País; ao Congresso Nacional, com parecer prévio do Tribunal de Contas
de deficiência; U - eleição do Prefeito e do Vice-Prefeito até noventa dias da União.
XV - proteção à infância e à juventude; antes do término do mandato dos que devam suceder, aplicadas § 3• Nos Territórios Federais com mais de cem mil habitan-
XVI - organização, garantias, direitos e deveres das polícias as regras do art. 77, no caso de munidpios com mais de duzentos tes, além do Governador nomeado na forma desta Constituição,
civis. mil eleitores; haverá órgãos judiciários de primeira e segunda instância, membros
§ t• No âmbito da legislação concorrente, a competência UI - posse do Prefeito e do Vice-Prefeito no dia 1• de janeiro do Ministério Público e defensores públicos federais; a l ei disporá
da União limitar-se-á a estabelecer normas gerais. do ano subseqüente ao da eleição; sobre as eleições para a Câmara Territorial e sua competência
§ 2• A competência da União para legislar Sobre normas IV - número de Vereadores proporcional à população do deliberativa.
gerais não exclui a competência suplementar âos Estados. Município, observados os seguintes limites:
§ 3• Inexistindo lei federal sobre normas gerais, os Estados a) mínimo de nove e máximo de vinte e um nos Municípios Capítulo VI
exercerão a competência legislativa plena, para atender a suas pecu- de até um milhão de habitantes; DA INTERVENÇÃO
liaridades. b) mínimo de trinta e três e máximo de quarenta e um nos Art. 34. A União não intervirá nos Estados nem no Distrito Fede-
§ 4• A superyeniência de lei federal sobre normas gerais Municípios de mais de um milhão e menos de cinco milhões de ral, exceto para:
suspende a eficácia da lei estadual, no que lhe for contrário. habitantes; I - manter a integridade nacional;
c) minimo de quarenta e dois e máximo de cinqüenta e 11 - repelir invasão estrangeira ou de uma unidade da Federa-
Capítulo lU cinco nos Municípios de mais de cinco milhões de habitantes; ção em outra;
DOS ESTADOS FEDERADOS V - remuneração do Prefeito, do Vice-Prefeito e dos Verea- 111 - pôr termo a grave comprometimento da ordem pública;
Art. 25. Os Estados organizam-se e regem-se pelas Constitui.- dores fixada pela Câmara Municipal em cada legislatura, para a IV - garantir o livre exercício de qualquer dos Poderes nas
çôes e leis que adotarem, observados os princípios desta Cons- subseqüente, observado o que dispõem os arts. 37, XI, 150, li, unidades da Federação;
tituição.
153, 111, e 153, § 2•, I; V - reorganizar as finanças da unidade da Federação que:
VI - inviolabilidade dos Vereadores por suas opiniões, pala- a) suspender o pagamento da dívida fundada por mais de
§ 1• São reservadas aos Estados as competências que não
lhes sejam vedadas por esta Constituição. vras e votos no exercício do mandato e na circunscrição do Muni- dois anos consecutivos, salvo motivo de força maior; .
§ 2• Cabe aos Estados explorar diretamente, ou mediante cípio; b) deixar de entregar aos Municípios receitas tributárias fJXa-
concessão a empresa estatal, com exclusividade de distribuição, VIl - proibições e incompatibilidades, no exercício da verean- das nesta Constituição, dentro dos prazos estabelecidos em lei;
os serviços locais de gás canalizado. ça, similares, no que couber, ao disposto nesta Constituição para VI - prover a execução de lei federal, ordem ou decisão
§ 3• Os Estados poderão, mediante lei complementar, insti- os membros do Congresso Nacional e, na Constituição do respec- judicial:
tuir regiões metropolitanas, aglomerações ur-banas e microrregiões, tivo Estado, para os membros da Assembléia Legislativa; VIl - assegurar a observância dos seguintes princípios cons-
VIII - julgamento do Prefeito perante o Tribunal de Justiça; titucionais:
constituídas por agrupamentos de municípios limítrofes, para inte-
grar a organização, o planejamento e a execução de funções públi- IX - organização das funções legislativas e fiscalizadoras da a) forma republicana, sistema representativo e regime demo-
cas de interesse comum. Câmara Municipal; crático;
X - cooperação das associações representativas no planeja- b) direitos da pessoa humana;
Art. 26. Incluem-se entre os bens dos Estados: mento municipal; c) autonomia municipal;
I - as águas superficiais ou subterrâneas, fluentes, emer- XI - iniciativa popular de projetos de lei de interesse espe-
gentes e em depósito, ressalvadas. neste caso, na forma da lei,
d) prestação de contas da administração pública, direta e
cífico do Município, da cidade ou de bairros, através de manifestação indireta.

Jornal da Constituinte 5
Art. 35. O Estado não intervirá em seus Municípios, nem a União e Ministros do Supremo Tribunal Federal e seus correspondentes integrais;
nos Estados, no Distrito Federal e nos Territórios, e, nos Municípios, c) aos trin~ anos de serviço, se homem, e aos vinte e cinco,
nos Municípios localizados em Território Federal, exceto quando:
I - deixar de ser paga, sem motivo de força maior, por dois os valores percebidos como remuneração, em espécie, pelo Pre- se mulher, com proventos proporcionais a esse tempo;
anos consecutivos, a dívida fundada; feito; d) aos sessenta e cinco anos de idade, se homem, e aos
11 - não forem prestadas contas devidas, na forma da lei; XII - os vencimentos dos cargos do Poder Legislativo e do sessenta, se mulher, com proventos proporcionais ao tempo de
Poder Judiciário não poderão ser superiores aos pagos pelo Poder serviço.
111 - não tiver sido aplicado o mínimo exigido da receita muni-
cipal na manutenção e desenvolvimento do ensino; Executivo; § 1• Lei complementar poderá estabelecer exceções ao dis-
IV - o Tribunal de Justiça der provimento a representação Xlll - é vedada a vinculação ou equiparação de vencimentos, posto no inciso 111, a e c, no caso de exercício de atividades conside-
para assegurar a observância de princípios indicados na Consti- para o efeito de remuneração de pessoal do serviço público, ressal- radas penosas, insalubres ou perigosas.
tuição Estadual, ou para prover a execução de lei, de ordem ou vado o disposto no inciso anterior e no art. 39, § 1•; § 2• A lei disporá sobre a aposentadoria em cargos ou em-
de decisão judicial. XIV - os acréscimos pecuniários percebidos por servidor pú- pregos temporários.
blico não serão computados nem acumulados, para fins de conces- § 3• O tempo de serviço público federal, estadual ou muni-
Art. 36. A decretação da intervenção dependerá: são de acréscimos ulteriores, sob o mesmo título ou idêntico funda- cipal será computado integralmente para os efeitos de aposen-
I - no caso do art. 34; IV, de solicitação do Poder Legislativo mento; tadoria e de disponibilidade.
ou do Poder Executivo coacto ou impedido, ou de requisição do XV - os vencimentos dos servidores públicos, civis e milita- § 4• Os proventos da aposentadoria serão revistos, na mes-
Supremo Tribunal Federal, se a coação for exercida contra o Poder res, são irredutíveis e a remuneração observará o que dispõem ma proporção e na mesma 'Giata, sempre que se modificar a remu-
Judiciário; os arts. 37, XI, XII, 150, 11, 153, 111, e 153, § 2•, I; neração dos servidores em atividade, sendo também estendidos
U - no caso de desobediência a ordem ou decisão judiciária, XVI - é vedada a acumulação remuneraqa de cargos públi- aos inativos quaisquer beneficios ou vantagens posteriormente con-
de requisição do Supremo Tribunal Federal, do Superior Tribunal cos, exceto, quando houver compatibilidade de horários: cedidos aos servidores em atividade, inclusive quando decorrentes
de Justiça ou do Tribunal Superior Eleitoral; a) a de dois cargos de professor; da transformação ou reclassificação do cargo ou função em que
111 - de provimento, pelo Supremo Tribunal Federal, de re- b) a de um cargo de professor com outro técnico ou cien- se deu a aposentadoria, na forma da lei.
presentação do Procurador-Geral da República, na hipótese do tífico; § 5• O beneficio da pensão por morte corresponderá à totali-
c) a de dois cargos privativos de médico; dade dos vencimentos ou proventos do servidor falecido, até o
-~~ IV - de provimento, pelo Superior Tribunal de Justiça, de
. XVII - a proibição de acumular estende-se a em pregos e limite estabelecido em lei, observado o disposto no parágrafo ante-
representação do Procurador-Geral da República, no caso de recusa funções e abrange autarquias, empresas públicas, sociedades de rior.
à execução de lei federal. economia mista e fundações mantidas pelo Poder Público;
§ 1• O decreto de intervenção, que especificará a amplitude, XVIII - a administração fazendária e seus servidores fiscais Art. 41. São estáveis, após dois anos de efetivo exercício, os
o prazo e as condições de execução e que, se couber, nomeará terão, dentro de suas áreas de competência e jurisdição, prece- servidores nomeados em virtude de concurso público.
o interventor, será submetido à apreciação do Congresso Nacional dência sobre os demais setores administrativos, na forma da lei; § I • O servidor público estável só perderá o cargo em virtude
ou da Assembléia Legislativa do Estado, no prazo de vinte e quatro XIX - somente por lei específica poderão ser criadas empre- de sentença judicial transitada em julgado ou mediante processo
horas. sa pública, sociedade de economia mista, autarquia ou fundação administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa.
§ 2'1 Se não estiver funcionando o Congresso Nacional ou pública; § 2• Invalidada por sentença judicial a demissão do servidor
a Assembléia Legislativa, far-se-á convocação extraordinária, no XX - depende de autorização legislativa, em cada caso, a estável, será ele reintegrado, e o eventual ocupante da vaga recondu-
mesmo prazo de vinte e quatro horas. criação de subsidiárias das entidades mencionadas no inciso ante- zido ao cargo de origem, sem direito a indenização, aproveitado
§ 3• Nos casos do art. 34, VI e Vll, ou do art. 35,1V, dispensada rior, assim como a participação de qualquer delas em empresa em outro cargo ou posto em disponibilidade.
a apreciação pelo Congresso Nacional ou pela Assembléia Legis- privada; § 3• Extinto o cargo ou declarada sua desnecessidade, o
lativa, o decreto limitar-se-á a suspender a execução do ato impug- XXI - ressalvados os casos especificados na legislação, as servidor estável ficará em disponibilidade remunerada, até seu ade-
nado, se essa medida bastar ao restabelecimento da normalidade. obras, serviços, compras e alienações serão contratados mediante quado aproveitamento em outro cargo.
§ 4• Cessados os motivos da intervenção, as autoridades processo de licitação pública que assegure igualdade de condições
afastadas de seus cargos a estes voltarão, salvo impedimento legal. a todos os concorrentes, com cláusulas que estabeleçam obriga-
ções de pagamento, mantidas as condições efetivas da proposta,
nos termos d3 lei, o qual somente permitirá as exigências de qualifi-
cação técnica e econômica indispensáveis à garantia do cumpri-
mento das obrigações.
§ 1• A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e
campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, infor-
·mativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes,
símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de auto-
ridades ou servidores públicos.
§ 2• A não observância do disposto nos incisos 11 e UI impli·
cará a nulidade do ato e a punição da autoridade responsável,
nos termos da lei.
§ 3• As reclamações relativas à prestação de serviços públi-
cos serão disciplinadas em lei.
§ 4• Os atos de improbidade admini.strativa importarão a
suspensão dos direitos pohticos, a perda da função pública, a indis-
ponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário, na forma e
·gradação previstas em lei, sem prejuízo da ação penal cabível.
§ 5• A lei estabelecerá os prazos de prescrição para ilícitos
praticados por qualquer agente, servidor ou não, que causem prejuí-
zos ao erário, ressalvadas as respectivas ações de ressarcimento.
§ 6• As pessoas jurldicas de direito público e as de direito Seção 111
privado prestadoras de serviços públicos responderão pelos danos · Dos S ervldorea PúbUcos Militares
que seus agentes. n~ssa qualidade, causarem a terceiros, assegu- Art. 42 . São servidores militares federais os integrantes das For-
rado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ças Armadas e servidores militares dos Estados, Territórios e Distrito
ou culpa. Federal os integrantes de suas polícias militares e de seus corpos
de bombeiros militares.
Art. 38 . Ao servidor público em exercício de mandato eletivo § 1• As patentes. com prerrogativas, direitos e deveres a elas
aplicam-se as seguintes disposições:
inerentes, são asseguradas em plenitude aos oficiais da ativa, da
Capítulo Vll I - tratando-se de mandato eletivo federal, estadual ou distri- reserva ou reformados das Forças Armadas, das polícias militares
DA ADMINISTRAÇÃO PÚBUCA tal, ficará afastado de seu cargo, emprego ou função; e dos corpos de bombeiros militares dos Estados, dos Territórios
11 - investido no mandato de Prefeito, será afastado do cargo, e do Distrito Federal, sendo-lhes privativos os títulos, postos e unifor-
Seção I emprego ou função, sendo-lhe facultado optar pela sua remune-
Dlsposlç~ Gerais mes militares.
ração; § 2- As patentes dos oficiais das Forças Armadas são confe-
Art. 37. A administração pública direta, indireta ou fundacional, 111 - investido no mandato de Vereador, havendo compati- ridas pelo Presidente da República, e as dos oficiais das polícias
de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal bilidade de horários, perceberá as vantagens de seu cargo, emprego
militares e corpos de bombeiros militares dos Estados, Territórios
e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoa- ou função, sem prejuízo da remuneração do cargo eletivo, e, não
e Distrito Federal, pelos respectivos Governadores.
lidade, moralidade, publicidade e, também, ao seguinte: havendo compatibilidade, será aplicada a norma do inciso anterior; § 3• O militar em atividade que aceitar cargo público civil
I - os cargos, empregos e funções públicas são acessíveis IV - em qualquer caso que exija o afastamento para o exer- permanente será transferido para a reserva.
aos brasileiros que preencham os requisitos estabelecidos em lei; cício de mandato eletivo, seu tempo de serviço será contado para § 4• O militar da ativa que aceitar cargo, emprego ou função
11 - a investidura em cargo ou emprego público depende todos os efeitos legais, exceto para promoção por merecimento; pública temporária, não eletiva, ainda que da administração indireta,
de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas V - para efeito de beneficio previdenciário, no caso de afasta- ficará agregado ao respectivo quadro e somente poderá, enquanto
e títulos, ressalvadas as nomeações para cargo em comissão decla- mento. os valores serão determinados como se no exercício esti- permanecer nessa situação, ser promovido por antiguidade, contan-
rado em lei de livre nomeação e exoneração; vesse. do-se-lhe o tempo de serviço apenas para aquela promoção e
111 - o prazo de validade do concurso público será de até transferência para a reserva, sendo depois de dois anos de afasta-
Seção//
dois anos, prorrogável uma vez, por igual pertodo; mento, contínuos ou não, transferido para a inatividade.
IV - durante o prazo improrrogável previsto no edital de con- Doa Servidorea PúbJJcos Civis
§ 5• Ao militar são proibidas a sindicalização e a greve.
NOcação, aquele aprovado em concurso público de provas ou de Art. 39. A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios § 6• O militar, enquanto em efetivo serviço, não pode estar
provas e títulos será convocado com prioridade sobre novos concur- instituirão, no âmbito de sua competência, regime jurídico único filiado a partidos políticos.
sados para assumir cargo ou emprego, na carreira; e planos de carreira para os servidores da administração pública § 7• O oficial das Forças Armadas c;ó perderá o posto e
V - os cargos em comissão e as funções de confiança serão direta, das autarquias e das fundações públicas. a patente se for julgado indigno do oficialato ou com ele incom-
exercidos, preferencialmente, por servidores ocupantes de cargo § I • A lei assegurará, aos servidores da administração direta, patível, por decisão de tribunal militar de caráter permanente, em
de carreira técnica ou profissional, nos casos e condições previstos isonomia de vencimentos para cargos de atribuições iguais ou tempo de paz, ou de tribunal especial. em tempo de guerra.
em lei; assemelhados do mesmo Poder ou entre servidores dos Poderes § 8• O oficial condenado na justiça comum ou militar a pena
VI - é garantido ao servidor público civil o direito à livre Executivo, Legislativo e Judiciário, ressalvadas as vantagens de privativa de liberdade superior a dois anos, por sentença transitada
associação sindical; caráter individual e as relativas à natureza ou ao local de trabalho. em julgado, será submetido ao julgamento previsto no parágrafo
VU - o direito de greve será exercido nos termos e nos limites § 2• Aplica-se a esses servidores o disposto no art. 7•. IV, anterior.
definidos em lei complementar; VI, VIl, VIII, IX, XII, XIII, XV, XVI, XVII, XVIII, XIX. XX, XXII, XXIII e § g. A lei disporá sobre os limites de idade, a estabilidade
VIII - a lei reservará percentual dos cargos e empregos públi- XXX. e outras condições de transferência do servidor militar para a inati-
cos para as pessoas portadoras de deficiência e definirá os critérios vidade.
de sua admissão; Art. 40. O servidor será aposentado: § 1O. Aplica-se aos servidores a que se refere este artigo,
IX - a lei estabelecerá os casos de contratação por tempo I - por invalidez permanente, sendo os proventos integrais e a seus pensionistas, o disposto no art. 40, §§ 4• e 5•.
determinado para atender a necessidade temporária de excepcional quando decorrentes de acidente em serviço, moléstia profissional § 11 . Aplica-se aos servidores a que se refere este artigo
interesse público; ou doença grave, contagiosa ou incurável, especificadas em lei, . o disposto no art. 7•, VIU, XII, XVII, XVIII e XIX.
X - a revisão geral da remuneração dos servidores públicos, e Proporcionais nos dema.is casos;
sem distinção de índices entre servidores públicos civis e militares, n - compulsoriamente, aos setenta anos de idade, com pro- S eção/V
far-se·· á sempre na mesma data; ventos proporcionais ao tempo de serviço; Das Regiões
XI - a lei fixará o limite máximo e a relação de valores entre 111 - voluntariamente:
a) aos trinta e cinco anos de serviço. se homem, e aos trinta, Art. 4 3. Para efeitos administrativos, a União poderá articular
a maior e a menor remuneração dos servidores públicos. observa-
se mulher, com proventos integrais; sua ação em um mesmo complexo geoeconômico e social, visando
dos, como limites máximos e no âmbito dos respectivos poderes, a seu desenvolvimento e à redução das desigualdades regionais.
os valores percebidos como remuneração, em espécie, a qualquer b) aos trinta anos de efetivo exercício em funções de magis-
tério, se professor, e vinte e cinco, se professora, com proventos § 1• Lei complementar disporá sobre:
título, por membros do Congresso Nacional, Ministros de Estado

6 . Jornal da Constituinte
I - as condições para integração de regiões em desenvol- IX - organização administrativa, judiciária, do Ministério Pú- interesse da União, dós Estados, do Distrito Federal, dos Territórios
vimento; blico e da Defensoria Pública da União e dos Territórios e organi- e dos Municípios;
11 - a composição dos organismos regionais que executarão, zação judiciária, do Ministério Público e da Defensoria Pública do VI - fixar, por proposta do Presidente da República, limites
na forma da lei, os planos regionais, integrantes dos planos nacio- Distrito Federal; globais para o montante da d'rvida consolidada da União, dos Esta-
nais de desenvolvimento econômico e social, aprovados juntamente X - criação, transformação e extinção de cargos, empregos dos, do Distrito Federal e dos Municípios;
com estes. e funções públicas; VIl - dispor sobre limites globais e condições para as opera-
§ 2• Os incentivos regionais compreenderão, além de outros, XI - criação, estruturação e atribuições dos Ministérios e ór- ções de crédito externo e interno da União, dos Estados, do Distrito
na forma da lei: gãos da administração pública; Federal e dos Municipios, de suas autarquias e demais entidades
I - igualdade de tarifas, fretes, seguros e outros itens de XII - telecomunicações e radiodifusão; controladas pelo Poder Público federal;
custos e preços de responsabilidade do Poder Público; XIII - matéria financeira, cambial e monetária, instituições VIII - dispor sobre limites e condições para a concessão
11 - juros favorecidos para financiamento de atividades priori- financeiras e suas operações; de garantia da União em operações de crédito externo e interno;
tárias; XIV - moeda, seus limites de emissão, e montante da dívida IX - estabelecer limites globais e condições para o montante
111 - isenções, reduções ou diferimento temporário de tribu- mobiliária federal. da dívida mobiliária dos Estados, do Distrito Federal e dos Muni-
tos federais devidos por pessoas lísicas ou jurídicas; cípios;
IV - prioridade para o aproveitamento econômico e social Art. 49. É da competência exclusiva do Congresso Nacional: X - suspender a execução, no todo ou em parte, de lei decJa.
I - resolver definitivamente sobre tratados, acordos ou atos rada inconstitucional por decisão definitiva do Supremo Tribunal
dos rios e das massas de água represadas ou represáveis nas
regiões de baixa renda, sujeitas a secas periódicas. internacionais que acarretem encargos ou compromissos gravosos Federal;
§ 3• Nas áreas a que se refere o § 29, IV, a União incentivará ao patrimônio nacional; XI - aprovar, por maioria absoluta e por voto secreto, a exo-
11 - autorizar o Presidente da República a declarar guerra, neração, de oficio, do Procurador-Geral da República antes do tér·
a recuperação de terras áridas e cooperará com os pequenos e
a celebrar a paz, a permitir que forças estrangeiras transitem pelo mino de seu mandato;
médios proprietários rurais para o estabelecimento, em suas glebas,
de fontes de água e de pequena irrigação. território nacional ou nele permaneçam temporariamente, ressal- XII - elaborar seu regimento interno;
vados os casos previstos em lei complementar; XIII - dispor sobre sua organização, funcionamento, polícia,
lU - autorizar o Presidente e o Vice-Presidente da República criação, transformação ou extinção dos cargos, empregos e funções'
a se ausentarem do País, quando a ausência exceder a quinze de seus serviços e fixação da respectiva remuneração, observados
dias; os parâmetros estabelecidos na lei de diretrizes orçamentárias:
IV - aprovar o estado de defesa e a intervenção federal, auto- XIV - eleger membros do Conselho da República, nos ter-
rizar o estado de sítio, ou suspender qualquer uma dessas medidas; mos do art. 89, VIl.
V - sustar os atos normativos do Poder Executivo que exorbi· Parágrafo único. Nos casos previstos nos incisos I e 11, funcio-
tem do poder regulamentar ou dos limites de delegação legislativa; nará como Presidente o do Supremo Tribunal Federal, limitando-se
VI - mudar temporariamente sua sede; a condenação, que somente será proferida por dois terços dos
VIl - fLXar idêntica remuneração para os Deputados Federais votos do Senado Federal, à perda do cargo, com inabilitação, por
e os Sef!ad~res, em cada legislatura, para a subs~üente, observado oito anos, para o ·exercido de função pública, sem prejuízo das
o que drspoem os arts. 150, 11, 153, )[),e 153, § 2 , I. demais sanções judiciais cabíveis.
· VIU - fixar para cada exercício financeiro a remuneração do
Presidente e do Vice-Presidente da República e dos Ministros de Seção V
Estado, observado o que dispõem os arts. 150, 11, 153, 111, e 153, Do6 Deputados e dos Senildol'es
.§ 2•, I;
IX - julgar anualmente as contas prestadas pelo Presidente Art. 53. Os Deputados e Senadores são invioláveis por suas
da República e apreciar os relatórios sobre a execução dos planos opiniões, palavras e votos.
de governo; § 1• Desde a expedição do diploma, os membros do Con-
X - fiscalizar e controlar, diretamente, ou por qualquer de gresso Nacional não poderão ser presos, salvo em flagrante de
suas Casas, os atos do Poder Executivo, incluídos os da adminis- crime inafiançável, nem processados criminalmente, sem prévia
licença de sua Casa.
tração indireta;
XI - zelar pela preservação de sua competência legislativa § 29 O indeferimento do pedido de licença ou a ausência
em face da atribuição normativa dos outros Poderes; de deliberação suspende a prescrição enquanto durar o mandato.
XII - apreciar os atos de concessão e renovação de conces- § 3• No caso de flagrante de crime inafiançável, os autos
são de emissoras de rádio e televisão; serão remetidos, dentro de vinte e quatro horas, à Casa respectiva,
XIII - escolher dois terços dos membros do Tribunal de Con- para que, pelo voto secreto da maioria de seus membros, resolva
sobre a prisão e autorize, ou não, a formação de culpa.
tas da União;
XIV - aprovar iniciativas do Poder Executivo referentes a ati- § 4• Os Deputados e Senadores serão submetidos a julga-
mento perante o Supremo Tribunal Federal.
vidades nucleares;
XV - autorizar referendo e convocar plebiscito; § 5• Os Deputados e Senadores não serão obrigados a teste-
XVI - autorizar, em terras indígenas, a exploração e o apro- munhar sobre informações recebidas ou prestadas em razão do
Titulo IV exercício do m andato, nem sobre as pessoas que lhes confiaram
veitamento de recursos hídricos e a pesquisa e lavra de riquezas
ou deles receberam informações.
minerais;
DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES XVII - aprovar, previamente, a alienação ou concessão de
§ 6• A incorporação às Forças Armadas de Deputados e
Senadores, em bora militares e ainda que em tempo de guerra,
Capítulo I terras públicas com área superior a dois mil e quinhentos hectares.
dependerá de prévia licença da Casa respectiva.
DO PODER LEGISLATIVO Art. 50. A Câmara dos Deputados ou o Senado Federal, bem § 7• As imunidades de Deputados ou Senadores subsistirão
como qualquer de suas Comissões, poderão convocar Ministro durante o estado de sítio, só podendo ser suspensas mediante
Seção/ o voto de dois terços dos membros da Casa respectiva, nos casos
Do Congresso NlldOIIIII de Estado para prestar, pessoalmente, informações sobre assunto
previamente determinado, importando crime de responsabilidade de atos, praticados fora do recinto do Congresso, que sejam incom-
Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional, a ausência sem justificação adequada. patíveis com a execução da medida.
que se compõe da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. § 1• Os Ministros de Estado poderão comparecer ao Senado
Parágrafo único. Cada legislatura terá a duração de quatro Federal, à Câmara dos Deputados, ou a qualquer de suas Comis- Art. 54. Os Deputados e Senadores não poderão:
anos. sões, por sua iniciativa e mediante entendimentos com a Mesa I - desde a expedição do diploma:
a) firmar ou manter contrato com pessoa jurídica de direito
respectiva, para expor assunto de relevância de seu Ministério.
Art. 45. A Câmara dos Deputados compõe-se de representantes § 29 As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Fede- público, autarquia, empresa pública, sociedade de economia mista
do povo, eleitos, pelo sistema proporcional, em cada Estado, em ral poderão encaminhar pedidos escritos de informação aos Minis- ou empresa concessionária de serviço público, salvo quando o
cada Território e no Distrito Federal. tros de Estado, importando crime de responsabilidade a recusa, contrato obedecer a cláusulas uniformes;
§ I • O número total de Deputados, bem como a represen· ou o não-atendimento no prazo de trinta dias, bem como a presta- b) aceitar ou exercer cargo, função ou emprego remunerado,
tação por Estado e pelo Distrito Federal, será estabelecido por inclusive os de que sejam demissíveis ad nutum, nas entidades
ção de informações falsas.
lei complementar, proporcionalmente à população, procedendo-se constantes da alínea anterior;
aos ajustes necessários, no ano anterior âs eleições, para que ne· Seção DI U - desde a posse:
nhuma daquelas unidades da Federação·tenha menos de oito ou Da Câmanr dos Deputados a) ser proprietários, controladores ou diretores de empresa
mais de setenta Deputados. que goze de favor decorrente de contrato com pessoa jurídica
§ 2• Cada Território elegerá quatro Deputados. Art. 51. Compete privativamente à Câmara dos Deputados: de direito público, ou nela exercer função remunerada;
I - autorizar, por dois terços de seus membros, a instauração b) ocupar cargo ou função de que sejam demissíveis ad
Art. 46. O Senado Federal compõe-se de representantes dos de processo contra o Presidente e o Vice-Presidente da República nutum, nas entidades referidas no inciso I, a;
Estados e do Distrito Federal, eleitos segundo o princípio majo· e os Ministros de Estado; c) patrocinar causa em que seja interessada qualquer das
ritário. D - proceder à tomada de contas do Presidente da República, entidades a que se refere o inciso I, a;
§ I • Cada Estado e o Distrito Federal elegerão três Senado- quando não apresentadas ao Congresso Nacional dentro de ses- d) ser titulares de mais de um cargo ou mandato público
res, com mandato de oito anos. senta dias após a abertura da sessão legislativa; eletivo.
§ 29 A representação de cada Estado e do Distrito Federal UI - elaborar seu regimento interno;
será renovada de quatro em quatro anos, alternadamente, por um IV - dispor sobre sua organização, funcionamento, polícia, Art. 55. Perderá o mandato o Deputado ou Senador:
e dois terços. criação, transformação ou extinção dos cargos, empregos e funções I - que infringir qualquer das proibições estabelecidas no
§ 3• Cada Senador será eleito com dois suplentes. de seus serviços e fixação da respectiva remuneração, observados artigo anterior;
os parâmetros estabelecidos na lei de diretrizes orçamentárias; U - cujo procedimento ·for dec.Jarado incompatível com o
Art. 47. Salvo disposição constitucional em contrário, as delibe- V - eleger membros do Conselho da República, nos termos decoro parlamentar;
rações de cada Casa e de suas Comissões serão tomadas por do art. 89, VIl. UI - que deixar de comparecer, em cada sessão legislativa,
maioria dos votos, presente a maioria absoluta de seus membros. à terça parte das sessões ordinárias da Casa a que pertencer, salvo
Seção/V licença ou missão por esta autorizada;
Seção/I Do Senado Federal IV - que perder ou tiver suspensos os direitos políticos;
Das Atribuições do Congresso Nacional V - quando o decretar a Justiça Eleitoral, nos casos previstos
Art. 52. Compete privativamente ao Senado Federal:
Art. 48. Cabe ao Congresso Nacional, com a sanção do Presi- I - processar e julgar o Presidente e o Vice-Presidente da nesta Constituição·
dente da República, não exigida esta para o especificado nos arts. República nos crimes de responsabilidade e os Ministros de Estado VI - que sofrer condenação criminal em sentença transitada
49, 5 I e 52, dispor sobre todas as matérias de competência da nos crimes da mesma natureza conexos com aqueles; em julgado. -
União, especialmente sobre: · 11 - processar e julgar os Ministros do Supremo Tribunal § 1• É incompatível com o decoro parlamentar, além dos
I - sistema tributário, arrecadação e distribuição de rendas; Federal, o Procur11dor-Geral da República e o Advogado-Geral da casos definidos no regimento interno, o abuso das prerrogativas
11 - plano plurianual. diretrizes orçamentárias, orçamento União nos crimes de responsabilidade; asseguradas a membro do Congresso Nacional ou a percepção
anual, operações de crédito, dívida pública e emissões de curso UI - aprovar previamente, por voto secreto, após argüição de vantagens indevidas.
forçado; pública, a escolha de: § 2• Nos casos dos incisos I, 11 e VI, a perda do mandato
UI - fLXaçâo e modificação do efetivo das Forças Armadas; a) magistrados, nos casos estabelecidos nesta Constituição; será decidida pela Câmara dos Deputados ou pelo Senado Federal,
b) Ministros do Tribunal de Contas da União indicados pelo por voto secreto e maioria absoluta, mediante provocação da res-
IV - planos e programas nacionais, regionais e setoriais de Presidente da República; pectiva Mesa ou de partido político representado no Congresso
desenvolvimento; c) Governador de Território; Nacional, assegurada ampla defesa.
V - limites do território nacional, espaço aéreo e marítimo d) presidente e diretores do Banco Central; § 3? Nos casos previstos nos incisos lll a V, a perda será
e bens do domínio da União; · e) Procurador-Geral da República; declarada pela Mesa da Casa respectiva, de ofício ou mediante
VI - incorporação, subdivisão ou desmembramento de f} titulares de outros cargos que a lei determinar; provocação de qualquer de seus membros, ou de partido político
áreas de Territórios ou Estados, ouvidas as respectivas Assembléias IV - aprovar previamente, por voto secreto, após argüição representado no Congresso Nacional, assegurada ampla defesa.
Legislativas; em sessão secreta, a escolha dos chefes de missão diplomática
VIl - transferência temporária da sede do Governo Federal; de caráter permanente;
Art. 56. Não perderá o mandato o Deputado ou Senador.
VIU - concessão de anistia; I - investido no cargo de Ministro de Estado, Governador
V - autorizar operações externas de natureza financeira. de

Jornal:4a Constítuint4! 1
de Território, Secretá.rio de Estado, do Distrito Federal, de Território, § · 3• As comissões parlamentares de inquérito, que terão po- § 1• OPresidente da República poderá solicitar urgência para
de Prefeitura de Capital ou chefe de missão diplomática temporária; deres de investigação próprios das autoridades judiciais, além de apreciação de projetos de sua iniciativa.
11 - licenciado pela respectiva Casa por motivo de doença. outros previstos nos regimentos das respectivas Casas, serão cria- § 2• Se, no caso do parágrafo anterior, a Câmara dos Depu-
ou para tratar, sem remuneração, de interesse particular, desde das pela Câmara dos Deputados e pelo Senado Federal, em con- tados e o Senado Federal não se manifestarem , cada qual, sucessi-
que, neste caso, o afastamento não ultrapasse cento e vinte dias junto ou separadamente, mediante requerimento de um terço de vamente, em até quarenta e cinco dias, sobre a proposição, será
por sessão legislativa. seus membros, para a apuração de fato determinado e por prazo esta incluída na ordem do dia, sobrestando-se a deliberação quanto
§ 1• O suplente será convocado nos ca.sos de vaga, de inves- certo, sendo suas conclusões, se for o caso, encaminhadas ao aos dem ais assuntos, para que se ultime a votação.
tidura em funções previstas neste artigo ou de licença superior Ministério Público, para que promova a responsabilidade civil ou § 3• A apreciação das emendas do Senado Federal pela
a cento e vinte dias. criminal dos infratores. · Câmara dos Deputados far-se-á no prazo de dez dias, observado
§ 2• Ocorrendo vaga e não havendo suplente, far-se-á elei- § 4• Durante o recesso, haverá uma Comissão representativa quanto ao mais o disposto no parágrafo anterior.
ção para preenchê-la de faltarem mais de qui~e meses para o do Congresso Nacional, eleita por suas Casas na última sessão § 4• Os prazos do § 2• não correm nos períodos de recesso
término do mandato. ordinária do período legislativo, com atribuições definidas no regi- do Congresso Nacional, nem se aplicam aos projetos de código.
§ 3• Na hipótese do inciso I, o Deputado ou Senador poderá mento comum, cuja composição reproduzirá, quanto possivel, a
optar pela remuneração do mandato. proporcionalidade da representação partidária. Art. 65. O projeto de lei aprovado por uma Casa s0rá revisto
pela outra, em um só turno de discussão e votação, e enviado
Seção VI Seção VIl/ à sanção ou promulgação, se a Casa revisora o aprovar, ou arqui-
0.. Reun/6t:6 Do Processo Legislativo vado, se o rejeitar.
Parágrafo único. Sendo o projeto emendado, voltará à Casa
Art. 57. O Congresso Nacional reunir-se-á, anualmente, na Ca- Subseção I iniciadora. .
pital Federal, de 15 de fevereiro a 30 de junho e de 1• de agosto Disposição Geral
a 15 de dezembro. Art. 66. A Casa na qual tenha sido concluída a votação enviará
§ I• As reuniões marcadas para essas datas serão transfe- Art. 59. O processo legislativo compreende a elaboração de: o projeto de lei ao Presidente da República, que, aquiescendo,
ridas para o primeiro dia útil subseqüente, quando recaírem em I- emendas à Constituição; o sancionará.
sábados, domingos ou feriados. H- leis complementares; § 1• Se o Presi~nte da República considerar o projeto, no
§ 2• A sessão legislativa não será interrompida sem a aprova- DI - leis ordinárias; todo ou em parte, inconstitucional ou contrário ao interesse público,
ção do projeto de lei de diretrizes orçamentárias. IV - leis de.legadas; vetá-to-á total ou parcialm ente, no prazo de quinze dias úteis, conta-
§ 3• Além de outros casos previstos nesta Constituição, a V - decretos legislativos; dos da data do recebimento. e comunicará, dentro de quarenta
Câmara dos Deputados e o Senado Federal reunir-se-ão em sessão VI - resoluções. e oito horas, ao Presidente do Senado Federal os motivos do veto.
conjunta para: Parágrafo único. Lei complementar disporá sobre a elabora- § 29 O veto ·parcial somente abrangerá texto integral de arti-
I - inaugurar a sessão legislativa; ção, redação, alteração e consolidação das leis. go, de par ágrafo, de inciso ou de alinea.
11 - elaborar o regimento comum e regular a criação de § 3• Decorrido o prazo de quinze dias, o silêncio do Presi-
serviços comuns às duas Casas; Subseção 11 dente da República importará sanção.
receber o com promisso do Presidente e do Vice-Pre- Da Emenda à Coostftulçáo
111 - § 4• O veto será apreciado em sessão conjunta. dentro de
sidente da República; Art. 60. A Constituição poderá ser emendada mediante propos- trinta dias a contar de seu recebimento, só podendo ser rejeitado
IV - conhecer do veto e sobre ele deliberar. ta: pelo voto da maioria absoluta dos Deputados e Senadores, em
§ 4• Cada uma das Casas reunir-se-á em sessões prepara- I - de um terço, no mínimo, dos membros da Câmara dos escrutínio secreto.
tórias, a partir de 1• de fevereiro, no primeiro ano da legislatura, Deputados ou do Senado Federal; § 5• Se o veto não for mantido, será o projeto enviado, para
para a posse de seus m embros e eleição das respectivas Mesas, 11 - do Presidente da Repúblici,\; promulgação, ao Presidente da República.
para mandato de dois anos, vedada a recondução para o mesmo lll - de mais da metade das Assembléias Legislativas das § 6• Esgotado sem deliberação o prazo estabelecido no §
cargo na eleição imediatamente subseqüente. unidades da Federação, manifestando-se, cada uma delas, pela 4•, o veto será colocado na ordem do dia da sessão imediata,
§ 5• A Mesa do Congresso Nacional será presidida pelo Presi- maioria relativa de seus membros. sobrestadas as demais proposições, até sua votação final, ressal-
dente do Senado Federal, e os demais cargos serão exercidos, § 1• A Constituição não poderá ser emendada na vigência vadas as matérias de que trata o art. 62, parágrafo único.
alternadamente, pelos ocupantes de cargos equivalentes na Câmara de intervenção federal, de estado de defesa ou de estado de sitio. § 7• Se a lei não for prom ulgada dentro de quarenta e oito
dos Deputados e no Senado Federal. § 2• A proposta será discutida e votada em cada Casa do horas pelo Presidente da República, nos casos dos §§ 3• e 5•.
§ 6• A convocação extraordinária do Congresso Nacional Congresso Nacional, em dois turnos, considerando-se aprovada o Presidente do Senado a promUlgará. e, se este não o fiZer em
f ar-se-á: se obtiver, em ambos, três quintos dos votos dos respectivos mem- igual prazo, caberá ao Vice-Presidente do Senado fazê-lo.
I - pelo Presidente do Senado Federal, em caso de decre- bros.
tação de estado de defesa ou de intervenção federal. de pedido Art. 6 7. A matéria constante de projeto de lei rejeitado somente
§ 3• A emenda à Constituição será promulgada pelas Mesas poderá constituir objeto de novo projeto, na mesma sessão legisla-
de autorização para a decretação de estado de sítio e para o com pro- da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, com o respectivo
misso e a posse do Presidente e do Vice-Presidente da República; tiva, mediante proposta da maioria absoluta dos membros de qual-
número de ordem. quer das Casas do Congresso Nacional.
O - pelo Presidente da Repúblic!), pelos Presidentes da Câ- § 4• Não será objeto de deliberação a proposta de emenda
mara dos Deputados e do Senado Federal, ou a requerimento tendente a abolir:
da maioria dos membros de ambas as Casas, em caso de urgência
Art. 68. As leis delegadas serão elaboradas pelo Presidente da
I - a forma federativa de Estado: República, que deverá solicitar a delegação ao Congresso Nacional.
ou interesse público relevante. 11 - o votq direto, secreto, universal e periódico;
§ 7• Na sessão legislativa extraordinária, o Congresso Nacio- § 1• Não serão objeto de delegação os atos de competência
lll - a separação dos Poderes; exclusiva do Congresso Nacional, os de competência privativa da
nal somente deliberará sobre a matéria para a qual foi convocado. IV - os direitos e garantias individuais. Câmara dos Deputados ou do Senado Federal, a matéria reservada
§ 5• A matéria constante de proposta de emenda rejeitada à lei complementar, nem a legi slação sobre:
ou havida por prejudicada não pode ser objeto de nova proposta I - organização do Poder Judiciário e do Ministério Público.
na mesma sessão legislativa. a carreira e a garantia de seus m embros;
11 - nacionalidade, cidadania, direitos individuais, políticos e
Subseção lD eleitorais;
Das Leis
lll - planos plurianuais, diretrizes orçamentárias e .orçamen-
Art. 61. A iniciativa das leis complementares e ordinárias cabe tos. .
a qualquer membro ou Comissão da Câmara dos Deputados, do § 2•A delegação ao Presidente da República terá a forma
Senado Federal ou do Congresso Nacional, ao Presidente da Repú- de resolução do Congresso Nacional, que especificará seu conteú-
blica, ao Supremo Tribunal Federal, aos Tribunais Superiores, ao do e os termos de seu exercício.
Procurador-Geral da República e aos cidadãos, na forma e nos § 39 Se a resolução determinar a apreciação do projeto pelo
casos previstos nesta Constituição. Congresso Nacional, este a fará em votação única, vedada qualquer
§ 1• São de iniciativa privativa do Presidente da Repúblíca emenda.
as leis que:
I - fiXem ou modifiquem os efetivos das Forças Armadas; Art.. 69. As leis complementares serão aprovadas por maioria
H - dispónham sobre: absoluta.
a) criação de cargos, funções ou empregos públicos na admi- Seção /X
nistração direta e autárquica ou aumento de sua remuneração;
b) organização administrativa e judiciária, matéria tributária Da FJ.ca/Jzaçiio ContábU,
e orçamentária, serviços públicos e pessoal da administração dos Flnancelnl e Orçllmentárla
Territórios;
c) servidores públicos da União e Territórios, seu regime jurí- Art. 70. A fiscalização contábil, financeira, orçamentária, opera-
dico, provimento de cargos, estabilidade e aposentadoria de civis, cional e patrimonial da ·União e das entidades da administração
reforma e transferência de militares para a inatividade; direta e indireta, quanto à legalidade, legitimidade, economicidade,
d) organização do Ministério Público e da Defensoria Pública aplicação das subvenções e renúncia de receitas. será exercida
da União, bem como normas gerais para a organização do Minis- pelo Congresso Nacional, mediante controle externo, e pelo sistema
tério Público e da Defensoria Pública dos Estados, do Distrito Fede- de control e interno de cada Poder.
ral e dos Territórios; Parágrafo único. Prestará conta.s qualquer pessoa física ou
e) criação, estruturação e atribuições dos Ministérios e órgãos entidade pública que utilize, arrecade, guarde, gerencie ou admi-
da administração pública. nistre dinheiros, bens e valores públicos ou pelos quais a União
§ 2• A iniciativa popular pode ser exercida pela apresentação responda, ou que, em nome desta, assuma obrigações de natureza
Seção VIl
à Câmara dos Deputados de projeto de lei subscrito por, no mínimo, pecuniária.
D as COIIÚJisóU
um por cento do eleitorado nacional, distribuído pelo menos por
Art. 58. O Congresso Nacional e suas Casas terão comissões cinco Estados, com não menos de três décimos por cento dos Art. 71. O controle externo, a cargo do Congresso Nacional,
permanentes e temporárias, constituídas na forma e com as atribui- eleitores de cada um deles. será exercido com o auxílio do Tribunal de Contas da União, ao
ções previstas no respectivo regimento ou no ato de que resultar qual compete: .
sua criação. Art. 62. Em caso de relevância e urgência, o Presidente da Repú- I - apreciar as contas prestadas anualmente pelo Presidente
§ 1• Na constituição das Mesas e de cada Comissão, é asse- blica poderá adotar medidas provisórias, com força de lei, devendo da República, mediante parecer prévio que devera ser elaborado
gurada, tanto quanto possível, a representação proporcional dos submetê-las de imediato ao Congresso Nacional, que, estando em em sessenta dias a contar de seu recebimento;
partidos ou dos blocos parlamentares que participam da respectiva recesso, será convocado extraordinariamente para se reunir no H - julgar as contas dos administradores e demais respon-
Casa. prazo de cinco dias. sáveis por dinheiros, bens e valores públicos da administração direta
§ 29 Às comissões, em razão da matéria de sua competência, Parágrafo único. As medidas provisórias perderão eficácia,. e indireta, incluídas as fundações e sc-ciedades instituídas e man-
cabe: desde a edição, se não forem convertidas em lei no prazo de trinta tidas pelo Poder Público federal, e as contas daqueles que derem
r - discutir e votar projeto de lei que dispensar, na forma dias, a partir de sua publicação, devendo o Congresso Nacional causa a perda, extravio ou outra irregularidade de que resulte pre-
do regimento, a competência do Plenário, salvo se houver recurso disciplinar as relações jurídicas delas decorrentes. .Juízo ao Erário público;
de um décimo dos membros da Casa; 111 - apreciar, para fins de registro, a legalidade dos atos
11 - realizar audiências públicas com entidades da sociedade de admissão de pessoal, a qualquer titulo, na adm inistração direta
Art. 63. Não será admitido aumento da despesa prevista: e indireta, inclu!das as fundações instituídas e mantidas pelo Poder
civil; I - nos projetos de iniciativa exclusiva do Presidente da Repl.a·
111 - convocar Ministros de Estado para prestar informações Público, excetuadas as nomeações para cargo de provimento em
blica, ressalvado o disposto no art. 166, §§ 3• e 4•; comissão, bem como a das concessões de aposentadorias, refor-
sobre assuntos inerentes a suas atribuições; 11 - nos projetos sobre organização dos serviços adminis-
IV - receber petições, reclamações, representações ou quei- mas e pensões, ressalvadas as melhorias posteriores que não alte-
trativos da Câmara dos Deputados, do Senado Federal, dos Tribu-
xas de qualquer pessoa contra atos ou omissões das autoridades rem o fundamento leaal do ato concessório:
nais Federais e do Ministério Público.
ou entidades públicas; rv- realizar, por iniciativa própria, da Câmara dos Deputados,
V - solicitar depoimento de qualquer autoridade ou cidadão; Art. 64. A discussão e votação dos projetos de lei de iniciativa do Senado Federal, de comissãc técnica ou de inquérito,.inspeções
VI - apreciar programas de obras, planos nacionais, regio- do Presidente da República, do Supremo Tribunal Federal e dos e auditoria de natureza contábil, financeira, orçamentária, opera-
nais e setoriais de desenvolvimento e sobre eles emitir parecer. Tribunais Superiores terão início na Câmara dos Deputados. cional e patrimonial, nas unidades administrativas dos Poderes Le·

8 Jornal da Constituinte
gislativo, Executivo e Judiciário, e demais entidades referidas no Capitulo 11 ocorrida no intervalo das sessões legislativas, e, nas mesmas condi-
inciso U; DO PODER EXEC<JTIVO ções, decretar, total ou parcialmente, a mobilização nacional;
V - fiscalizar as contas nacionais das empresas suprana- XX - celebrar a paz, autorizado ou com o referendo do Con-
cionais de cujo capital social a União participe, de forma direta Séçáol gresso Nacional;
ou indireta, nos termos do tratado constitutivo; Do Presidente e do XXI - conferir condecorações e distinções honorificas;
VI - fiscalizar a aplicação de quaisquer recursos repassados Vke-Pi'e61dente da Repúb/Jc:ll XXII - permitir, nos casos previstos em lei complementar,
pela União mediante convênio, acordo, ajuste ou outros instru- que forças estrangeiras transitem pelo território nacional ou nele
Art. 76. O Poder Executivo é exercido pelo Presidente da Repú- permaneçam temporariamente;
mentos congêneres, a Estado, ao Distrito Federal ou a Municipio; blica, auxiliado pelos Ministros de Estado.
VIl - prestar as informações solicitadas pelo Congresso Na- XXIII - enviar ao Congresso Nacional o plano plurianual, o
cional, por qualquer de suas Casas, ou por qualquer das respectivas projeto de lei de diretrizes orçamentárias e as propostas de orça-
Art. 77. A eleição do Presidente e do Vice-Presidente da Repú- mento previstos nesta Constituição;
Comissões, sobre a fiscalização contábil, financeira, orçamentária, blica realizar-se-á, simultaneamente, noventa dias antes do término
operacional e patrimonial e sobre resultados de auditorias e inspe- do mandato presidencial vigente.
XXIV - prestar, anualmente, ao Congresso Nacional, dentro
ções realizadas; § I• A eleição do Presidente da República importará a do de sessenta dias após a abertura da sessão legislativa, as contas
VIII - aplicar aos responsáveis, em caso de ilegalidade de Vice-Presidente com ele registrado. · referentes ao exercício anterior;
despesa ou irregularidade de contas, as sanções previstas em lei, § 2• Será considerado eleito Presidente o candidato que, re- XYN - prover e extinguir os cargos públicos federais, na for-
que estabelecerá, entre outras cominações, multa proporcional ao gistrado por partido político, obtiver a maioria absoluta de votos, ma da lei;
dano causado ao Erário; não computados os em branco e os nulos. XXVI - editar medidas provisórias com força de lei, nos ter-
IX - assinar prazo para que o órgão ou entidade adote as mos do art. 62;
§ 3• Se nenhum candidato alcançar maioria absoluta na pri- XXVII - exercer outras atribuições previstas nesta Constitui-
providências necessárias ao exato cumprimento da lei, se verificada meira votação, far-se-á nova eleição em até vinte dias após a procla-
ilegalidade; mação do resultado, concorrendo os dois candidatos mais votados ção.
X - sustar, se não atendido, a execução do ato impugnado, e considerando-se eleito aquele que obtiver a maioria dos votos Parágrafo úrVco. O Presidente da República poderá delegar
comunicando a decisão à Cãmara dos Deputados e ao Senado válidos. as atribuições mencionadas nos incisos VI, XII e ){)(N, primeira
Federal; § 4• Se, antes de realizado o segundo turno, ocorrer morte, parte, aos Ministros de Estado, ao Procurador-Geral da República
XI - representar ao Poder competente sobre irregularidades desistência ou impedimento legal de candidato, convocar-se-á, den- ou ao Advogado-Geral da União, que observarão os limites traçados
ou abusos apurados. tre os remanescentes, o de maior votação. nas respectivas delegações.
§ I• No caso de contrato, o ato de sustação será adotado § 5• Se, na hipótese dos parágrafos anteriores, remanescer, Seção OI
diretamente pelo Congresso Nacional, que solicitará, de imediato, em segundo lugar, mais de um candidato com a mesma votação,
ao Poder Executivo as medidas cabíveis. qualificar-se-á o mais idoso. Dtl Re6p0nabllldllde do
§ 2< Se o Congresso Nacional ou o Poder Executivo, no Pluldente da República
prazo de noventa dias, não efetivar as medidas previstas no pará- .Art. 78. O Presidente e o Vice-Presidente da República tomarão
Art. 85. São crimes de res~bilidade os atos do Presidente
grafo !Interior, o Tribunal decidirá a respeito. posse em sessão do Congresso Nacional, prestando o compro- da República que atentem contra a Constituição Federal e, especial-
§ 3• As decisões do Tribunal de que resulte imputação de misso de manter, defender e cumprir a Constituição, observar as
mente, contra:
débito ou multa terão eficácia de título executivo. leis, promover o bem geral do povo brasileiro, sustentar a união, I - a existência da União;
§ 4• O Tribunal encaminhará ao Congresso Nacional, tri- a integridade e a independência do Brasil.
mestral e anualmente, relatório de suas atividades. Parágrafo único. Se, decorridos dez dias da data fixada para
11 - o livre exercício do Poder Legislativo, do Poder Judiciário,
a posse, o Presidente ou o Vice-Presidente, salvo motivo de força do Ministério Público e dos Poderes constitucionais das unidades
maior, não tiver assumido o cargo, ·este será declarado vago. da Federação;
Art. 72. A Comissão mista permanente a que se refere o art. DI - o exerdcio dos direitos políticos, individuais e sociais;
166, § J•, diante de indícios de despesas não autorizadas, ainda IV - a segurança interna do País;
que sob a forma de investimentos não programados ou de subsídios Art. 79. Substituirá o Presidente, no caso de impedimento, e
suceder-lhe-á, no de vaga, o Vtee-Presidente. V - a probidade na administração;
não aprovados, poderá solicitar à autoridade governamental respon- VI - a lei orçamentária;
sável que, no prazo de cinco dias, preste os esclarecimentos neces- Parágrafo único. O Vice-Presidente da República, além de
outras atribuições que lhe forem conferidas por lei complementar, VIl - o cumprimento das leis e das decisões judiciais.
sários. Parágrafo único. Esses crimes serão definidos em lei espe-
§ I• Não prestados os esclarecimentos, ou considerados es- auxiliará o Presidente, sempre que por ele convocado para missões
especiais. cial, que estabelecerá as normas de processo e julgamento.
tes insuficientes, a Comissão solicitará ao Tribunal pronunciamento
conclusivo sobre a matéria, no prazo de trinta dias. Art. 80. Em caso de impedimento do Presidente e do Vice-Pre- Art. 86• Admitida a acusação contra o Presidente da República,
§ 2< Entendendo o Tribunal irregular a despesa, a Comissão, sidente, ou vacância dos respectivos cargos, serão sucessivamente por dois terços da Câmara dos Deputados, será ele submetido
se julgar que o gasto possa causar dano irreparável ou grave lesão chamados ao exercício da Presidência o Presidente da Câmara a julgamento perante o Supremo Tribunal Federal, nas infrações
à economia pública, proporá ao Congresso Nacional sua sustação. dos Deputados, o do Senado Federal e o do Supremo Tribunal penais comuns, ou perante o Senado Federal, nos crimes de re~
Federal. ponsabilidade.
Art. 73. O Tribunal de Contas da União, integrado por nove § I• O Presidente ficará suspenso de suas funções:
Ministros, tem sede no Distrito Federal, quadro próprio de pessoal Art. 81. Vagando os cargos de Presidente e Vtee-Presidente da I - nas infrações penais comuns, se recebida a denúncia
e jurisdição em todo o território nacional, exercendo, no que couber, República, far-se-á eleição noventa dias depois de aberta a última ou queixa-crime pelo Supremo Tribunal Federal;
as atribuições previstas no art. 96. vaga. O - nos crimes de responsabilidade, após a instauração do
§ I• Os Ministros do Tribunal de Contas da União serão § 1• Ocorrendo a vacância nos últimos dois anos do peóodo processo pelo Senado Federal.
nomeados dentre brasileiros que satisfaçam os seguintes requisitos: presidencial, a eleição para ambos os cargos será feita trinta dias § 2• Se, decorrido o prazo de cento e oitenta dias, o julga-
I - mais de trinta e cinco e menos de sessenta e cinco anos depois da última vaga, pelo Congresso Nacional, na forma da lei. mento não estiver concluído, cessará o afastamento do Presidente,
de idade; § 2< Em qualquer dos casos, os eleitos deverão completar sem frejuízo do regular prosseguimento do processo.
11 - idoneidade moral e reputação ilibada; o período de seus antecessores. 3• Enquanto não sobrevier sentença condenatória, nas in-
m- notórios conhecimentos juridicos, contábeis, econômi- frações comuns, o Presidente da Repúblíca não estará sujeito a
cos e financeiros ou de administração pública; Art. 82. O mandato do Presidente da República é de cinco anos, prisão.
IV - mais de dez anos de exercício de função ou de efetiva vedada a reeleição para o periodo subseqüente, e terá início em § 4• O Presidente da República, na vigência de seu mandato,
atividade profissional que exija os conhecimentos mencionados )9 de janeiro do ano seguinte ao da sua eleição. não pode ser responsabilizado por atos estranhos ao exercício de
no inciso anterior. suas funções.
§ 2• Os Ministros do Tribunal de Contas da União serão Art. 83. O Presidente e o Vice-Presidente da República não pode-
escolhidos: rão, sem licença do Congresso Nacional, ausentar-se do País por Seção/V
I - um terço pelo Presidente da República, com aprovação período superior a quinze dias, sob pena de perda do cargo.
Do6 JtiJnJtltro6 de &tado
do Senado Federal, sendo dois alternadamente dentre auditores Seçio/1
e membros do Ministério Público junto ao Tribunal, indicados em Art. 87. Os Ministros de Estado serão escolhidos dentre brasi-
0.. Atrlbulçóe6 do leiros maiores de vinte e um anos e no exercício dos direitos polí-
lista tríplice pelo Tribunal, segundo os critérios de antiguidade e Pre.Jden~ da Repúblk•
merecimento; ticos.
11 - dois terços pelo Congresso Nacional. Art. 84. Compete privativamente ao Presidente da República: Parágrafo único. Compete ao Ministro de Estado, além de
§ 3• Os Ministros do Tribunal de Contas da União terão as I - nomear e exonerar os Ministros de Estado; outras atribuições estabelecidas nesta Constituição e na lei;
mesmas garantias, prerrogativas, impedimentos, vencimentos e 11 - exercer, com o auxílio dos Ministros de Estado, a direção I - exercer a orientação, coordenação e supervisão dos ór-
vantagens dos Ministros do Superior Tribunal de Justiça e somente superior da administração federal; gãos e entidades da administração federal na área de sua compe-
poderão aposentar-se com as vantagens do cargo quando o tiverem tência e referend.ar os atos e decretos assinados pelo Presidente
DI - iniciar o processo legislativo, na forma e nos casos pre- da República;
exercido efetivamente por mais de cinco anos. vistos nesta Constituição; 11 - expedir instruções para a execução das leis, decretos
§ 4• O auditor, quando em substituição a Ministro, terá as IV - sancionar,. promulgar e fazer publicar as leis, bem como e regulamentos;
mesmas garantias e impedimentos do titular e, quando no exercício expedir decretos e regulamentos para sua fiel execução; UI - apresentar ao Presidente da República relatório anual
das demais atribuições da judicatura, as de juiz de Tribunal Regional V - vetar projetos de lei, total ou parcialmente; de sua gestão no Ministério;
Federal. VI - dispor sobre a organização e o funcionamento da admi- IV - praticar os atos pertinentes às atribuições que lhe forem
nistração federal, na forma da lei; outorgadas ou delegadas pelo Presidente da República.
Art. 74. Os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário manterão, VII - manter relas;ões com Estados estrangeiros e acreditar
seus rerresentantes diplOmáticos; Art. 88. A lei disporá sobre a criação, estruturação e atribuições
de forma integrada, sistema de controle interno com a finalidade VIl - celebrar tratados, convenções e atos internacionais, dos Ministérios.
de:
I - avaliar o cumprimento das metas previstas no plano plu- sujeitos a referendo do Congresso Nacional;
IX - decretar o estado de defesa e o estado de sítio; Seção V
rianual, a execução dos programas de governo e dos orçamentos
da União; X - decretar e executar a intervenção federal; Do CoiJIIelho da Repúb/Jca
11 - comprovar a legalidade e avaliar os resultados, quanto XI - remeter mensagem e plano de _9ovemo ao Congresso e do Conselho de DdeM l'llldonlll
Nacional por ocasião da abertura da sessao legislativa, expondo
à eficácia e eficiência, da gestão orçamentária, financeira e patrimo- a situação do País e solicitando as providências que julgar neces- Subseção I
nial nos órgãos e entidades da administração federal, bem como Do Conselho da Repúblk11
da aplicação de recursos públicos por entidades de direito privado; sárias;
111 - exercer o controle das operações de crédito, avais e XII - conceder indulto e comutar penas, com audiência, se
necessário, dos órgãos instituídos em lei; Art. 89. O Conselho da República é órgão superior de consulta
garantias, bem como dos direitos e haveres da União; do Presidente da República, e dele participam:
XIII - exercer o comando supremo das Forças Armadas,
IV - apoiar o controle externo no exercício de sua missão promover seus oficiais-generais e nomeá-los para os cargos que I - o Vice-Presidente da República;
institucional. lhes são privativos; U - o Presidente da Câmara dos Deputados;
§ I• Os responsáveis pelo controle interno, ao tomarem co- XIV - nomear, após aprovação pelo Senado Federal, os Mi· m- o Presidente do Senado Federal;
nhecimento de qualquer irregularidade ou ilegalidade, dela darão nistros do Supremo Tribunal Federal e dos Tribunais Superiores, IV - os líderes da maioria e da minoria na Cãmara dos Depu-
ciência ao Tribunal de Contas da União, sob pena de responsa- tados;
bilidade solidária. os Governadores de Territórios, o Procurador-Geral da República,
o presidente e os diretores do Banco Central e outros servidores, V - os líderes da maioria e da minoria no Senado Federal;
§ 2• Qualquer cidadão, partido político, associação ou sindi- quando determinado em lei; VI - o Ministro da Justiça;
cato é parte legítima para, na forma da lei, denunciar irregularidades XV - nomear, observado o disposto no art. 73, os Ministros VII - seis cidadãos brasileiros natos, com mais de trinta e
ou ilegalidades perante o Tribunal de Contas da União. cinco anos de idade, sendo dois nomeados pelo Presidente da
do Tribunal de Contas da União;
XVI - nomear os magistrados, nos casos previstos nesta República, dois eleitos pelo Senado Federal e doís eleitos pela
Art. 75. As normas estabelecidas nesta seção aplicam-se, no Constituição, e o Advogado-Geral da União; Cãmara dos Deputados, todos com mandato de três anos, vedada
que couber, à organização, composição e fiscalização dos Tribunais ·XVII - nomear membros do Conselho da República, nos ter- a recondução.
de Contas dos Estados e do Distrito Federal, bem como élos Tribu- mos do art. 89, VIl; ·
nais e Conselhos de Contas dos Municipios. Art. 90. Compete ao Conselho da República pronunciar-se so-
XVIII - convocar e presidir o Conselho da República e o bre:
Parágrafo único. As Constituições estaduais disporão sobre Conselho de Defesa Nacional;
os Tribunais de Contas respectivos, que serão integrados por sete 1 - intervenção federal, estado de defesa e estado de sítio;
XIX - declarar guerra, no caso de agressão estrangeira, auto- O - as questões relevantes para a estabilidade das institui-
Conselheiros. rizado pelo Congresso Nacional ou referendado por ele, quando ções democráticas.

Jornal da Constituinte 9
§ J• O Presidente da República poderá convocar Ministro Art. 94. Um quinto dos lugares dos Tribunais Regionais Fede- I - juizados especiais, providos por juízes togados, ou toga-
de Estado para participar da reurtião do Conselho, quando constar rais, dos Tribunais dos Estados, e do Distrito Federal e Territórios dos e leigos. competentes para a conciliação, o julgamento e a
da pauta questão relacionada com o respectivo Ministério. será composto de membros, do Ministério Público, com mais de execução de causas cíveis de menor complexidade e infrações
§ 2' A lei regulará a organização e o funcionamento do Con- dez anos de carreira, e de advogados de notório saber jurídico penais. de menor potencial ofensivo, mediante os procedimentos
selho da República. e de reputação ilibada, com mais de dez anos de efetiva atividade oral e sumariissimo, permitidos, nas hipóteses previstas em lei,
profissional, indicados em lista sêxtupla pelos órgãos de represen- a transação e o julgamento de recursos por turmas de juizes de
Subseção 11 tação das respectivas classes. primeiro grau;
D o Conselho de Defesa l'f«ional Parágrafo único. Recebidas as indicações, o tribunal formará O - justiça de paz, remunerada, composta de cidadãos elei-
lista triplice, enviando-a ao Poder Executivo, que, nos vinte dias tos pelo voto direto, universal e secreto, .com mandato de quatro
Art.. 91. O Conselho de Defesa Nacional é órgão de consulta subseqüentes, escolherá um de seus integrantes para nomeação. anos e competência para, na forma da lei, celebrar casamentos,
do Presidente da República nos assuntos relacionados com a sobe- verificar, de ofício ou em face de impugnação apresentada, o pro-
Art. 95. Os juízes gozam das seguintes garantias: cesso de habilitação e exercer atribuições conciliatórias, sem caráter
rania nacional e a defesa do Estado democrático, e dele participam I - vitaliciedade, que, no primeiro grau, só será adquirida
como membros natos: jurisdicional, além de outras previstas na legislação.
após dois anos de exercício, dependendo a perda do cargo, nesse
I - o Vice-Presidente da República; período, de deliberação do tribuna.! a que o juiz estiver vinculado, Art.. 99. Ao Poder Judiciário é assegurada autonomia adminis-
11 - o Presidente da Câmara dos Deputados; e, nos demais casos, de sentença judicial transitada em julgado; trativa e fmanceira.
111 - o Presidente do Senado Federal; U - inamovibilidade, salvo por motivo de interesse público, § 1• Os tribunais elaborarão suas propostas orçamentárias
IV - o Ministro da Justiça; na forma do art. 93, VIII; dentro dos limites estipulados conjuntamente com os demais Pode-
V - os Ministros militares; UI - irredutibilidade de vencimentos, observado, quanto à re.s na lei de diretrizes orçamentárias.
VI - o Ministro das Relações Exteriores; remuneração. o que dispõem os arts. 37, XI, 150, U, 153, 111, e § 2' O encaminhamento da proposta, ouvidos os outros tri-
VIl - o Ministro do Planejamento. 153. § 2'. I. bunais interessados, compete:
§ J• Compete ao Conselho de Defesa Nacional: Parágrafo único. Aos juízes é vedado: I - no âmbito da União, aos Presidentes do Supremo T ribu-
I - opinar nas hipóteses de declaração de guerra e de cele- I - exercer, ainda que em disponibilidade, outro cargo ou nal Federal e dos Tribunais Superiores, com a aprovação dos res-
bração da paz, nos termos desta Constituição; função, salvo uma de magistério; pectivos tribunais;
11 - opinar sobre a decretação do estado de defesa, do estado O - receber, a qualquer título ou pretexto, custas ou partici· 11 - no âmbito dos Estados e no do Distrito Federal e Territó-
de sítio e da intervenção.federal; rios, aos Presidentes dos Tribunais de Justiça, com a aprovação
pação em processo;
111 - propor os critérios e condições de utilização de áreas 111 - dedicar-se à atividade políti~o-partidária. dos respectivos tribunais.
indispensáveis à segurança do território nacional e opinar sobre
seu efetivo uso, especialmente na faixa de fronteira e nas relacio- Art. 96. Compete privativamente: Art. 100. A exceção dos créditos de natureza alimentícia, os
nadas com a preservação e a exploração dos recursos naturais I - aos tribunais: pagamentos devidos pela Fazenda Federal, Estadual ou Municipal,
de qualquer tipo; em virtude de sentença judiciária, far-se-ão exclusivamente na or-
a) eleger seus órgãos diretivos e elaborar seus regimentos dem cronológica de apresentação dos precatórios e à conta dos
IV - estudar, propor e acompanhar o desenvoMmento de internos, com observância das normas de processo e das garantias
iniciativas necessárias a garantir a independência nacional e a defe- créditos respectivos, proibida' a designação de casos ou de pessoas
processuais das partes, dispondo sobre a competência e o funciona-
sa do Estado democrático. nas dotaçõe.s orçamentárias e nos créditos adicionais abertos para
mento dos respectivos órgaos jurisdicionais e administrativos;
§ 2' A lei regulará a organização e o funcionamento do Con- este fim.
selho de Defesa Nacional. b) organizar suas secretarias e serviços auxiliares e os dos § 1• É obrigatória a inclusão, no orçamento das entidades
ju[zos que lhes forem vinculados, velando pelo exercício da atividade de direito público, de verba necessária ao pagamento de seus débi-
correicional respectiva; tos constantes de precatórios judiciários, apresentados até 1• de
julho, data em que terão atualizados seus valores, fazendo-se o
Capítulo m pagamento até o final do exercício seguinte.
DO PODER J<JDICIÁRJO § 2' As dotações orçamentárias e os créditos abertos serão
Seção/ consignados ao Poder Judiciário, recolhendo-se as importãncias
respectivas à repartição competente, cabendo ao Presidente do
~Genll6 Tribunal que proferir a decisão exeqüenda determinar o pagamento,
segundo as possibilidades do depósito, e autorizar, a requerimento
Art. 92. São órgãos do Poder Judiciário: do credor e exclusivamente para o ca.so de preterimento de seu
I - o Supremo Tribunal Federal; direito de precedência, o seqüestro da quantia necessária à satisfa-
O- o Superior Tribunal de Justiça; ção do débito.
ID - os Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais;
IV - os Tribunais e Juízes do Trabalho; Seção li
V - os Tribunais e Juízes Eleitorais;
VI - os Tribunais e Juízes Militares; Do Supremo TrlbUIJIII Federal
VIl - os Tribunais e Juízes dos Estados e do Distrito Federal Art. 101 . O Supremo Tribunal Federal compóe-se de onze Mi-
e Territórios. nistros, escolhidos dentre cidadãos com mais de trinta e cinco
Parágrafo único. O Supremo Tribunal Federal e os Tribunais e menos de sessenta e cinco anos de idade, de notável saber
Superiores têm sede na Capital Federal e jurisdição em todo o jurídico e reputação ilibada.
território nacional. Parágrafo único. Os Ministros do Supremo Tribunal Federal
Art. 93. Lei complementar, de iniciativa do Supremo Tribunal serão nomeados pelo Presidente da República, depois de aprovada
Federal, disporá sobre o Estatuto da Magistratura, observados os a.escolha pela maioria absoluta do Senado Federal.
seguintes principios: Art. 102. Compete ao Supremo Tribunal Federal, precipuamen-
I - ingresso na carreira, cujo cargo inicial será o de juiz substi- te, a guarda da Constituição, cabendo-lhe:
tuto, através de concurso público de provas e titulos, com a partici- I - processar e julgar, originariamente:
pação da Ordem dos Advogados do Brasil em todas as suas fases,
obedecendo-se, nas nomeações, à ordem de classificação; a) a ação direta de inconstitucionalidade de lei ou ato norma-
11 - promoção de entrância para entrância, alternadamente. tivo federal ou estadual;
por antiguidade e merecimento, atendidas as seguintes normas: b) nas infrações penais comuns, o Presidente da República,
a) é obrigatória a promoção do juiz que figure por três vez.es o Vice-Presidente, os membros do Congresso Nacional, seus pró-
consecutivas ou cinco alternadas em lista de merecimento; prios Ministros e o Procurador-Geral da República;
b) a promoção por merecimento pressupõe dois anos de c) nas infrações penais comuns e nos crimes de responsa-
exercício na respectiva entrância e integrar o juiz a primeira quinta bilidade. os Ministros de Estado, ressalvado o disposto no art. 52,
parte da lista de antiguidade desta, salvo se não houver com tais I, os membros dos Tribunais Superiores, os do Tribunal de Contas
requisitos quem aceite o lugar vago; da União e os chefes de missão diplomática de caráter permanente;
c) aferição do merecimento pelos critérios da presteza esse- d) o habeas corpus, sendo paciente qualquer das pessoas
gurança no exercício da jurisdição e pela freqüência e aproveita- referidas nas alíneas anteriores; o mandado de segurança e o ha-
mento em cursos reconhecidos de aperfeiçoamento; beas-data contra atos do Presidente da República, das Mesas da
Câmara dos Deputados e do Senado Federal, do Tribunal de Contas
d) na apuração da antiguidade, o tribunai somente poderá c) prover, na forma prevista nesta Constituição, os cargos da União, do Procurador-Geral da República e do próprio Supremo
recusar o juiz mais antigo pelo voto de dois terços de seus membros, de juiz de carreira da respectiva jurisdição; Tribunal Federal;
conforme procedimento próprio, repetindo-se a votação até fixar-se e) o litígio entre Estado estrangeiro ou organismo interna-
a indicação; d) propor a criação de novas varas judiciárias;
cional e a União, o Estado, o Distrito Federal ou o Território;
111 - o acesso aos tribunais de segundo grau far-se-á por e) prover, por concurso público de provas, ou de provas f) as causas e os conDitos entre a União e os Estados, a
antiguidade e merecimento, alternadamente, apurados na última e títulos, obedec1do o disposto no art. 169, parágrafo úmco, os União e o Distrito Federal, ou entre uns e outros, inclusive as respec-
entrância ou, onde hd.uver, no Tribunal de Alçada, quando se tratar cargos necessários à administração da Justiça, exceto os de con- tivas entidades da administração indireta;
de promoção para o Tribunal de Justiça, de acordo com o inciso fiança assim definidos em lei; g) a extradição solicitada por Estado estrangeiro;
ne a classe de origem; h) a homologação das sentenças estrangeiras e a concessão
IV - previsão ele cursos oficiais de preparação e aperfeiçoa- f) conceder licença, férias e outros afastamentos a seus mem-
bros e aos juízes e servidores que lhes forem imediatamente vincu- do exequatur às cartas r<>gatórias, que podem ser conferidas pelo
mento de magistrados como requisitos para ingresso e promoção regimento interno a seu Presidente;
na carreira; lados;
U - ao Suprem o Tribunal Federal, aos Tribunais Superiores i) o habeas corpus, quando o coator ou o paciente for tribu-
V - os vencimentos dos magistrados serão fiXados com dife- nal, auto~idade ou funcionário cujos atos estejam sujeitos direta·
rença não superior a dez por cento de uma para outra das categorias e aos Tribunais de Justiça propor ao Poder Legislativo respectivo,
observado o disposto no art. 169: mente à jurisdição do Supremo Tribunal Federal, ou se trate de
da carreira, não podendo, a título nenhum, exceder os dos Ministros crime sujeito à mesma junsdição em uma única instância;
do Supremo Tribunal Federal; a) a alteração do número de membros dos tribunais infe- j) 21 revisão criminal e a ação rescisória de seus julgados;
VI - a aposentadoria com proventos integrais é compulsória riores; I) a reclamação para a preservação de sua competência e
por invalidez. ou aos setenta anos de idade, e facultativa aos trinta garantia da autoridade de suas decisões;
anos de serviço, após cinco anos de exercício efetivo na judicatura; b) a criação e a extinção de cargos e a fJXação de vencimentos
VIl - o juiz titular residirá na respectiva comarca; de seus membros, dos juízes, inclusive dos tribunais inferiores, m) a execução de sentença nas causas de sua competência
onde houver, dos serviços auxiliares e os dos juízos que lhes forem originária, facu~da a delegação de atribuições para a prática de
VIII - o ato de remoção, disponibilidade e aposentadoria do atos processua1s;
m~istrado, por interesse público, fundar-se-á em decisão por voto vinculados;
. n) a.aç~o em que todos os membros da magistratura sejam
de dois terços do respectivo tribunal, assegurada ampla defesa; c) a criação ou extinção dos tribunais inferiores; direta ou Indiretamente interessados, e aquela em que mais da
IX - todos os julgamentos dos órgãos do Poder Judiciário metade dos membros do tribunal de origem estejam impedidos
serão públicos, e fundamentadas todas as decisões. sob pena de d) a alteração da organização e da divisão judiciárias;
ID - aos Tribunais de Justiça julgar os juízes estaduais e ou sejam direta ou indiretamente interessados;
nulidade. podendo a lei, se o interesse público o exigir, limitar
do Distrito Federal e Territórios, bem como os membros do Minis- o) os conflitos de jurisdição entre o Superior Tribunal de
a presença, em determinados atos. às próprias partes e a seus Justiça e quaisquer tribunais. entre Tribunais Superiores. ou entre
advogados, ou somente a estes; tério Público. nos crimes comuns e de responsabilidade, ressalvada
a competência da Justiça Eleitoral. estes e qualquer outro tribunal;
X - as decisões administrativas dos tribunais serão motiva- p) o pedido de medida cautelar das ações diretas de inconsti-
das, sendo as disciplinares tomadas pelo voto da maioria absoluta Art. 97. Somente pelo voto da maioria absoluta de seus mem- tucionalidade;
de seus membros; bros ou dos mel'llbros do respectivo órgão especial poderão os
XI - nos tribunais com número superior a vinte e cinco julga- tribunais declarar' e inconstitucionalidade de lei ou ato normativo q) o mandado de injunção, quando a elaboração da norma
dores poderá ser constituído órgão especial, com o mínimo de do Poder Público. regulamentadora for atribuição do Presidente da República, do Con-
onze e o máximo de vinte e cinco membros, para o exercício gresso Nacional, da Cãmara dos Deputados, do Senado Federal,
das atribuições administrativas e jurisdicionais da competência do Art. 98. A União. no Distrito Federal e nos Territórios, e os Esta- das Mesas de uma dessas Casas Legislativas, do Tribunal de Contas
tribunal pleno. dos criarão: da União, de um dos Tribunais Superiores, ou do próprio Supremo

10 Jornal da Constituinte
Tribunal Federal; a) os habeas-corpus decididos em única ou última instância sentença estrangeira, após a homologação, as causas referentes
11 - julgar, em recurso ordinário: pelo~ Tr.ibunais Regionais Federais ou pelos tribunais dos Estados, à nacionalidade, inclusive a respectiva opção, e à naturalização;
a) o habeas-corpus, o mandado de segurança, o habeas-data do D1str1to Federal e Territórios, quando a decisão for denegatória; XI - a disputa sobre direitos indigenas.
e o mandado de injunção decididos em única instância pelos T ribu- b) os mandados de segurança decididos em única instância § I 9 As causas em que a União for autora serão aforadas
nais Superiores, se denegatória a decisão; pelos Tribunais Regionais Federais ou pelos tribunais dos Estados, na seção judiciária onde tiver domicílio a outra parte.
b) o crime político; do Distrito Federal e Territórios, quando denegatória a decisão; § 2'1 As causas intentadas contra a União poderão ser afora-
111 - julgar, mediante recurso extraordinário, as causas deci- cJas _causas _em que forem partes Estado estrangeiro ou das na seção judiciária em que for domiciliado o autor, naquela
onde houver ocorrido o ato ou fato que deu origem à demanda
didas em única ou última instância, quando a decisão recorrida: orgamsmo 1nternac10nal, de um lado, e, do outro, Município ou
a) contrariar dispositivo desta Constituição; pessoa residente ou domiciliada no País; ou onde esteja situada a coisa. ou, ainda. no Distrito Federal.
b) declarar a inconstitucionalidade de tratado ou lei federal; J11 - julgar, em recurso especial, as causas decididas, em § 39 Serão processadas e julgadas na justiça estadual, no
c) julgar válida l~i ou ato de governo local contestado em única ou última instância, pelos Tribunais Regionais Federais ou foro do domicílio dos segurados ou beneficiários, as causas em
face desta Constituição. pelos tribunais dos Estados, do Distrito Federal e Territórios, quando que forem parte instituição de previdência. social e segurado, sem-
Parágrafo único. A argüição de descumprimento de preceito a decisão recorrida: pre que a comarca não seja sede de vara do juizo federal, e, se
fundamental decorrente desta Constituição será apreciada pelo Su- a) contrariar tratado ou lei federal, ou negar-lhes vigência; verificada essa condição, a lei poderá permitir que outras causas
premo Tribunal Federal, na forma da lei. b) julgar válida lei ou ato de governo local contestado em sejam também processadas e julgadas pela justiça estadual.
face de lei federal; § 4 9 Na hipótese do parágrafo anterior, o r~curso cabível
Art. 103. Podem propor a ação de inconstitucionalidade: será sempre para o Tribunal Regional Federal na área de jurisdição
c) der a lei federal interpretação divergente da que lhe haja
I - o Presidente da República; do juiz de primeiro grau.
atribuído outro tribunal.
11 - a Mesa do Senado Federal;
lll - a Mesa da Câmara dos Deputados; Parágrafo único. Funcionará junto ao Superior Tribunal de Art. 110. Cada Estado, bem como o Distrito Federal, constituirá
IV - a Mesa de Assembléia Legislativa; Justiça o Conselho da Justiça Federal, cabendo-lhe, na forma da uma seção judiciária que terá por sede a respectiva Capital, e varas
lei, exercer a supervisão administrativa e orçamentária da Justiça localizadas segundo o estabelecido em lei.
V - o Governador de Estado;
Federal de primeiro e segundo graus. Parágrafo único. Nos Territórios Federais, a jurisdição e as
VI - o Procurador-Geral da República;
VIl - o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil; atribuições cometidas aos juizes federais caberão aos juízes da
SeçãoN justiça local, na forma da lei.
VIII - partido político com representação no Congresso Na-
cional; Dos Trlbunú Regionais
IX - confederação sindical ou entidade de classe de âmbito Fede18is e dos Juizes Federais Seção V
nacional. Art. 106. São órgãos da Justiça Federal: Dos TrlbuiJIIis e Juízes do Trabalho
§ 19 O Procurador-Geral da República deverá ser previamen- I - os Tribunais Regionais Federais;
te ouvido nas ações de inconstitucionalidade e em todos os proces- Art. 111. São órgãos da Justiça do Traba.lho:
11 - os Juízes Federais. I - o Tribunal Superior do Trabalho;
sos de competência do Supremo Tribunal Federal.
§ 2<' Declarada a inconstitucionalidade por omissão de me- Az!.·. 107. <?s,Tribunais Regionais Federais_compõem·se de, no n- os Tribunais Regionais do Trabalho:
mm1mo, sete JUIZes, recrutados, quando poss1vel, na respectiva re- 111 - as Juntas de Conciliação e Julgamento.
dida para tomar efetiva norma constitucional, será dada ciência
ao Poder competente para a adoção das providências necessárias gião e nomeados pelo Presidente da República dentre brasileiros § 1 O Tribunal Superior do Trabalho compor-se-á de vinte
9

com mais de trinta e menos de sessenta e cinco anos, sendo: e sete Ministros, escolhidos dentre brasileiros com mais de trinta
e. em se tratando de órgão administrativo, para fazê-lo em trinta
dias. I - um quinto dentre advogados com mais de dez anos de e cinco e menos de sessenta e cinco anos, nomeados pelo Presi-
efetiva atividade profissional e membros do Ministério Público Fede- dente da República após aprovação pelo Senado Federal, sendo:
. § 39 Quando o Supremo Tribunal Fed!!ral apreciar a incons- I - dezessete togados e vitalícios, dos quais onze escolhidos
titucionalidade, em tese, de norma legal ou ato normativo, citará, ral com mais de dez anos de carreira;
previamente. o Advogado-Geral da União, que defenderá o ato 11 - os demais, mediante promoção de juizes federais com dentre juizes de carreira da magistratura trabalhista, três dentre
mais de cinco anos de exercício, por antiguidade e merecimento, advogados e três dentre membros do Ministério Público do Tra-
ou texto impugnado.
alternadamente. balho;
U - dez classistas temporários, com representação paritária
dos trabalhadores e empregadores.
§ 2• O Tribunal encaminhará ao Presidente da República
listas tríplices, observando-se, quanto às vagas destinadas aos advo-
gados e aos membros do Ministério Público, o disposto no art.
94, e, para as de classistas, o resultado de indicação de colégio
eleitoral integrado pelas diretorias das confederações nacionais de
trabalhadores ou empregadores, conforme o caso; as listas tríplices
para o provimento de cargos destinados aos juízes da magistratura
trabalhista de carreira deverão ser elaboradas pelos Ministros toga-
dos e vitalícios.
§ 3 9 A lei disporá sobre a competência do Tribunal Superior
do Trabalho. ·
Art. 112. Haverá pelo menos um Tribunal Regional do Trabalho
em cada Estado e no Distrito Federal. e a lei instituirá as Juntas
de Concíliação e Julgamento, podendo, nas comarcas onde não
forem instituídas, atribuir sua jurisdição aos juizes de direito.
Art. 113. A lei disporá sobre a constituição, investidura, jurisdi-
ção, competência, garantias e condições de exercício dos órgãos
da Justiça do Trabalho, assegurada a paridade de representação
Seção/O Parágrafo único. A lei disciplinará a remoção ou a permuta
de trabalhadores e empregadores.
de juizes dos Tribunais Regionais Federais e determinará sua jurisdi-
Do SuperloT Tribu11111 de JusUp ção e sede. Art. 114. Compete à Justiça do Trabalho conciliar e julgar os
Art. 104. O Superior Tribunal de Justiça compõe-se de, no míni- dissídios individuais e coletivos entre trabalhadores e emprega-
Art. 108. Compete aos Tribunais. Regionais Federais:
mo. trinta e três Ministros. . dores, abrangidos os entes de direito público externo e da adminis-
I - processar e julgar, originariamente:
Parágrafo único. Os Ministros do Superior Tribunal de Justiça tração pública direta e indireta dos Municípios, do Distrito Federal,
a) os juizes federais da área de sua jurisdição, incluídos os
serão nomeados pelo Presidente da República, dentre brasilei.ros dos Estados e da União, e, na forma da lei, outras controvérsias
da Justiça Militar e da Justiça do Trabalho, nos crimes comuns
com mais de trinta e cinco e menos de sessenta e cinco anos, decorrentes da relação de trabalho, bem como os litígios que te-
e de responsabilidade, e os membros do Ministério Público da
de notável saber jurídico e reputação ilibada, depois de aprovada nham origem no cum primento de suas -próprias sentenças, inclu-
União, ressalvada a cor •.,>etência da Justiça Eleitoral;
a escolha pelo Senado Federal, sendo: sive coletivas.
b) as revisões criminais e as ações rescisórias de julgados
I - um terço dentre juizes dos Tribunais Regionais Federais seus ou dos juizes federais da região;
§ 1• Frustrada a negociação coletiva, as partes poderão ele-
e um terço dentre desembargadores dos Tribunais de Justiça, indi· c) os mandados de segurança e os habeas-data contra ato ger árbitros.
cados em lista tríplice elaborada pelo próprio Tribunal; do próprio Tribunal ou de juiz federal; § 29 Recusando-se qualquer das partes à negociação ou à
11 - um terço, em partes iguais, dentre advogados e mem· arbitragem, é facultado aos respectivos sindicatos ajuizar dissídio
d) os habeas-corpus, quando a autoridade coatora for juiz
bros do Ministério Público Federal, Estadual, do Distrito Federal coletivo, podendo a Justiça do Trabalho estabelecer normas e con-
federal;
e Territórios, alternadamente, indicados na forma do art. 94. e) os conflitos de jurisdição entre juízes federais vinculados dições, respeitadas as disposições convencionais e legais mínimas
ao Tribunal; de proteção ao trabalho.
Art. 105. Compete ao Superior Tribunal de Justiça: U - julgar, em grau de recurso, as causas decididas pelos Art. 115. Os Tribunais Regionais do Trabalho serão compostos
I - processar e julgar, originariamente:
a) nos crimes comuns, os Governadores dos Estados e do juízes federais e pelos juízes estaduais no exercício da competência de juízes nomeados pe.lo Presidente da República, sendo dois terços
federal da área de sua jurisdição. de juízes togados vitalícios e um terço de juizes classistas tempo-
Distrito Federal, e. nestes e nos de responsabilidade, os desembar·
gadores dos Tribunais de Justiça dos Estados e do Distrito Federal Art. 109. Aos juízes federais compete processar e julgar: rários, observada, entre os juizes togados, a proporcionalidade esta-
os membros dos Tribunais de Contas dos Estados e do Distritc belecida no art. 111 , § 1•, I.
I - as causas em que a União, entidade autárquica ou empre-
Parágrafo único. Os magistrados dos Tribunais Regionais do
Federal, os dos Tribunais Regionais Federais, dos Tribunais Regio- sa pública federal forem interessadas na condição de autoras, rés,
nais Eleitorais e do Trabalho, os membros dos Conselhos ou Tribu· Trabalho serão:
assistentes ou oponentes, exceto as de falência, as de acidentes
nais de Contas dos Municípios e os do Ministério Público da Uniãc de trabalho e as sujeitas à Justiça Eleitoral e à Justiça do Trabalho; I - juizes do trabalho, escolhidos por promoção, alternada-
que oficiem perante tribunais; mente, por antiguidade e merecimento;
U - as causas entre Estado estrangeiro ou organismo inter-
b) os mandados de segurança e os habeas-data contra ato 11 - advogados e membros do Ministério Público do Traba-
nacional e Município ou pessoa domiciliada ou residente no País;
de Ministro de Estado ou do próprio Tribunal; lho, obedecido o disposto no art. 94;
lU - as causas fundadas em tratado ou contrato da União
c) os habeas-corpus, quando o coator ou o pacíente for qual· IJI - classistas indicados em listas tríplices pelas diretorias
com Estado estrangeiro ou organismo internacional;
quer das pessoas mencionadas na alínea a, ou quando o coator das federações e dos sindicatos com base territorial na região.
. IV - os crimes políticos e as infrações penais praticadas em·
for Ministro de Estado, ressalvada a competência da Justiça Elei- detrrrnento de bens, serviços ou interesse da União ou de suas Art. 116. A Junta de Conciliação e Julgamento será composta
toral; entidades autárquicas ou empresas públicas, excluídas as contra- de um juiz do trabalho, que a presidirá, e dois juízes classistas
d) os conflitos de jurisdição entre quaisquer tribunais, ressal- venções e ressalvada a competência da Justiça Militar e da Justiça tempo.rários, representantes dos empregados e dos empregadores.
vado o disposto no art. 102, I, o, bem como entre tribunal e juizes Eleitoral; Parágrafo único. Os juízes classistas das Juntas de Conci-
a ele não vinculados e entre juízes vinculados a tribunais diversos; V - os crimes previstos em tratado ou convenção interna- liação e Julgamento serão nomeados pelo Presidente do Tribunal
e) as revisões criminais e as ações rescisórias de seus julga- cional, quando, iniciada a execução no País, o resultado tenha Regional do Trabalho, na forma da lei, permitida uma recondução.
dos· ou devesse ter ocorrido no estrangeiro, ou reciprocamente;
'f) a reclamação para a preservação de sua competência e VI - os crimes contra a organização do trabalho e, nos casos
Art. 117. O mandato dos representantes classistas, em todas
garantia da autoridade de suas decisões; determinados por lei, contra o sistema financeiro e a ordem econô- as instâncias, é de três anos.
g) os conflitos de atribuições entre autoridades administra- Parágrafo único. Os representantes dassistas terão suplen·
mico-financeira;
tes.
tivas e judiciárias da União, ou entre autoridades judiciárias de • _VIl - os habeas-corpus, ~m matéria criminal de sua compe-
um Estado e administrativas de outro ou do Distrito Federal, ou tencla ou quando o constrangrmento provier de autoridade cujos
entre as deste e da União; atos não estejam diretamente sujeitos a outra jurisdição; Seção IR
h) o mandado de injunção, quando a elaboração da norma VIU - os mandados de segurança e os habeas-data contra Dos Tribunais e Juízes Eleltonús
regulamentadora for atribuição de órgão, entidade ou autoridade ato de autoridade federal, excetuados os casos de competência
federal, da administração direta ou indireta, excetuados os casos dos tribunais federais; Art. 118. São órgãos da Justiça Eleitoral:
de competência do Supremo Tribunal Federal e dos órgãos da IX - os crimes cometidos a bordo de navios ou aeronaves, I - o Tribunal Superior Eleitoral;
Justiça Militar, da Justiça Eleitoral, da Justiça do Trabalho e da ressalvada a competência da Justiça Militar; 11 - os Tribunais Regionais Eleitorais;
Justiça Federal; X - os crimes de ingresso ou permanência irregular de es- lll - os Juizes Eleitorais;
O - julgar, em recurso ordinário: trangeiro, a execução de carta rogatória, após o exequatur, e de IV - as Juntas Eleitorais.

Jornal da Constituinte 11
Art. 119. O Tribunal Superior Eleitoral compor-se--á, no mínimo, C.pitulo IV Seção H
de sete membros, escolhidos; DAS FUNÇÓES ESSENCIAIS À JUSTIÇA Da Advocacia Geral da llnião
1- mediante eleição, pelo voto secreto:
a) três juízes dentre os Ministros do Supremo Tribunal Fe- Seção/ Art. 131. A Advocacia Geral da União é 11 instituição que, direta·
deral; mente ou através de órgão vinculado, representa a União, judicial
Do MJni!ltédo Público e extrajudicialmente, cabendo-lhe, nos termos da lei complementar
b) dois juízes dentre os Ministros do Superior Tribunal de
Justiça: que dispuser sobre sua organização e fundon<~noento, as atividades
11 - por nomeação do Presidente da República, dois juízes de consultoria e assessoramento jurídico do Poder Executivo.
dentre seis advogados de notável saber jurídico e idoneidade moral, Art. 127. O Ministério Público é instituição permanente, essen- _ § J• A Advocacia Geral da Uniao tem por chefe o Advoga-
indicados pelo Supremo Tribunal Federal. cial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defes11 da do-Geral da União, de livre nomeação pelo Presidente da República
Parágrafo úniCo. O Tribunal Superior Eleitoral elegel'á seu ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais dentre cidadãos maiores de trinta e cinco anos, de notável saber
Presidente e o Vice-Presidente dentre os Ministros do Supremo e individuais indisponíveis. jurídico e reputação ilibada.
Tribunal Federal. e o Corregedor Eleitoral dentre os Ministros do § 1• São princípios institucionais do Ministério Público a uni- § 2" O ingresso nas classes iniciais das carreiras da institui-
Superior Tribunal de Justiça. dade, a indivisibilidade e a independência funcionaL ção de que trata este artigo far-se-á mediante concurso público
§ 2• M Ministério PúbUco é assegurada autonomia furu:ional de provas e títulos.
Art. 120. Haverá um Tribunal Regional Eleitoral na Capital de e administrativa, podendo, observado o disposto no art. 169, propor § 3• Na execução da divida ativa de naturez11 tributária, a
cada Estado e no Distrito FederaL ao Poder Legislativo 11 criação e extinção de seus cargos e serviços representação da União cabe à Procuradoria Geral da Fazend11 Na-
§ ]• Os Tribunais Regionais Eleitorais compor-se-ão: auxiliares, provendo-os por concurso público de provas e de provas cional. observado o disposto em lei.
I - mediante eleição, pelo voto secreto: e títulos; a lei disporá sobre sua organização e funcionamento.
a) de dois juízes dentre os desembargadores do Tribunal § 3• O Ministério Público elaborará sua proposta orçamen- Art. 132. Os Procuradores dos Estados e do Distrito Federal
de Justiça; tária dentro dos limites estabelecidos na lei de diretrizes orçamen- exercerão a representação judicial e a consultoria jurídica das res-
b) de dois juízes, dentre juízes de direito, escolhidos pelo tárias. pectivas unidades federadas, organiuldos em carreira na qual c
Tribunal de Justiça; ingresso dependerá de concurso público de provas e títulos, obser-
11 - de um juiz do Tribunal Regional Federal com sede na Art. 128. O Ministério Público abrange: vado o disposto no art. 135.
Capital do Estado ou no Distrito Federal, ou, não havendo, de l - o Ministério Público da União, que compreende:
juiz federal. escolhido, em qualquer caso, pelo Tribunal Regional a) o Ministério Público Federal; &ção/R
Federal respectivo; b) o Ministério Público do Trabalho;
Da Advocacia e da DefetliiOda PlibJka
DI - por nomeação, pelo Presidente da República, de dois c) o Ministério Público Militar;
juizes dentre seis advogados de notável saber jurídico e idoneidade d) o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios; Art. 133. O advogado é indispensável à administração da justiça,
moral, indicados pelo Tribunal de Justiça. 11 - os Ministérios Públicos dos Estados. sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da
§ 2" O Tribunal Regional Eleitoral elegerá seu Presidente § I' O Ministério Público da União tem J'!)f chefe o Procura· profissão, nos limites da lei.
e o Vice-Presidente dentre os desembargadores. dor-Geral da Repúblic11, nomeado pelo Presidente da República
Art. 134. A Defensoria Pública é instituição essencial à função
dentre integrantes da carreira, maiores de trinta e cinco anos, após jurisdicional do Estado, irn:umbindo-lhe a orientação jurídica e a
Art. 121. Lei complementar disporá sobre a organização e com- a aprovação de seu nome pela maioria absoluta dos membros
petência dos tribunais. dos juizes de direito e das juntas eleitorais. defesa, em todos os graus, dos necessitados, na forma do art.
do Senado Federal, para mandato de dois anos. permitida a recon- 5", LXXIV.
§ 1" Os membros dos tribunais, os juizes de direito e os dução.
integrantes das juntas eleitorais, no exerdc1o de suas funções, e Parágmfo único. Lei complementar organizará a Defensoria
§ 2" A destituição do Procurador-Geral da República, por Pública da União e do Distrito Federal e dos Territórios e prescreverá
no que lhes for aplicável. gozarão de plenas garantias e serão inamo- iniciativa do Presidente da República, deverá ser precedida de autori·
víveis. normas gerais p11ra sua organização nos Estados, em cargos de
zação da maioria absoluta do Senado Federal. carreira, providos, na classe inicial, mediante concurso público de
§ 2" Os juízes dos tribunais eleitorais, salvo motivo justifi- § 3• Os Ministérios Públicos dos Estados e o do Distrito
cado, servirão por dois anos, no mínimo, e nunca por mais de provas e titulas, assegurada a seus integrantes a garantia da inamo-
rederal e Territórios formarão lis~ tríplice dentre integrantes da vibilidade e vedado o exercício da advocacia fora das atribuições
dois biênios consecutivos, sendo os substitutos escolhidos na mes- carreira, na forma da lei respectiva, para escolha de seu Procura·
ma ocasião e pelo mesmo processo, em número igual para cada institucionais.
dor-Geral, que será nomeado r7lo Chefe do Poder Executivo, para
categoria. mandato de dois anos, pennitida uma recondução. Art. 135. As carreiras disciplinadas neste Titulo af)licam-se o
§ 3' São irrecorríveis as decisões do Tribunal Superior Eleito- § 4" Os Procuradores-Gerais nos Estados e no Distrito Fede- princípio do art. 37, XIL e o art. 39, § 1•.
ral, salvo as que contrariarem esta Constituição e as denegatórias ral e Territórios poderão ser destituídos por deliberação da maioria
de habeas-corpus ou mand11do de segurança. absoluta do Poder Legislativo, na forma da lei complementar res-
§ 4" Das decisões dos Tribunais Regionais Eleitorais somen- pectiva.
te caberá recurso quando: Titulo V
§ 5" leis complementares da União e dos Estados, cuja ini·
I - forem proferidas contra disposição expressa desta Cons- ci11tiva é facultada aos respectivos Procuradores-Gerais, estabele-
tituição ou de lei: cerão a organização. as atribuições e o estatuto de cada Ministério DA DEFESA. DO ESTADO E
11 - ocorrer divergência n<~ interpretação de lei entre dois Público, observadas. relativamente a seus membros: DAS INSMWÇÕES DEMOCRÁnCAS
ou mais tribunais eleitorais; I - as seguintes garantias:
111 - versarem sobre inelegibilid11de ou expedição de diplo- a) vitaliciedade, após dois anos de exercício, não podendo Capítulo I
mas nas eleições federais ou estaduais; perder o cargo senão por sentença judicial transitada em julg<~do: DO ESTADO DE DEF):SA
N - anularem diplomas ou decretarem a perda de m11nd<~tos E DO ESTADO DE SmO
eletivos federais ou estaduais: b) inamovibilidade. salvo por motivo de interesse público,
V - denegarem habeas-corpus, mandado de seguranç<~, ha- mediante decisão do ór!;JâO colegiado competente do Ministério Seção f
beas-data ou mandado de injunção. Público, por voto de dOis terços de seus membros. assegurada
Do Estado de Defesa
ampla defesa:
&ção 1111 c) irredutibilidade de vencimentos, observado, quanto à re· Art. 136. O Presidente d11 República pode, ouvidos o Conselho
muner11ção, o que dispõem os arts. 37. XI, 150, 11, 153, UI, !53, da República e o Conselho de Defesa Nacional, decretar estado
Dcn Tribunais e Juízes MJIJtares § 2",1; de defesa p11ra preservar ou prontamente restabelecer, em locais
Art. 122. São órgãos da Justiça Militar: li - as seguintes vedações: restritos e determinados, 11 ordem públic<~ ou a paz social amea-
I - o Superior Tribunal Militar; a) receber. a qualquer título e sob qualquer pretexto, honorá· çadas por grave e iminente instabilidade institucional ou atingidas
11 - os Tribunais e Juizes Militares instituídos por lei. rios, percentagens ou custas processuais: por calamid11des de grandes proporções na natureza.
b) exercer a advocacia; § ]o O decreto que instituir o estado de defesa detenninará
Art. 123. O Superior Tribunal Militar compor-se-á de quinze Mi- c) participar de sociedade comercial. na fonna da lei: o tempo de sua duração, especificará as áreas 11 serem abrangidas
nistros vitalícios. nomeados pelo Presidente da República, depois d) exercer, ainda que em disponibilidade, qualquer outr<~ fun- e indicará, nos termos e limites da lei, as medidas coercitivas a
de aprovada a indicação pelo Senado Federal, sendo três dentre ção pública. salvo uma de magistério; vigorarem, dentre <IS seguintes:
oficiais-generais da Marinha, quatro dentre oficiais-generais do e) exercer <mvidade político-partidáfia, salvo exceções previs- I - restrições aos direitos de:
Exército, trés dentre ofici<lis-gener<liS da Aeronáutica, todos da ativa tas na lei. a) reunião, ainda que exercida no seio das associações;
e do posto mais elevado d11 carreira, e cinco dentre civis. b) sigilo de correspondência:
Parágrafo único. Os Ministros civis serão escolhidos pelo Pre- Art. 129. São funções instítucion<~is do Ministério Público: c) sigilo de comunicação telegráfica e telefônica;
sidente da República dentre brasileiros maiores de trinta e cinco 1 - promover, privativamente, a ação penal pública, na fonna 11 - ocupação e uso temporário de bens e sefviços públicos,
anos. sendo: da lei; na hipótese de calamidade pública. respondendo a União pelos
l - três dentre advogados de notório saber jurídico e conduta li - zelar pelo efetivo respeito dos Poderes Públicos e dos danos e custos decorrentes.
ilibada, com mais de dez anos de efetiva atividade profissional; serviços de relevância pública aos direitos assegurados nesta Cons· § 2' O tempo de duração do estado de defesa não será
11 - dois. por escolha paritária, dentre juizes auditores e mem- tituição, promovendo as medidas necessári11s a sua garantia; superior a trinta dias, podendo ser prorrogado uma vez, por igual
bros do Ministério Público da Justiça Militar. lU - promover o inquéfito civil e a ação civil pública, para período, se persistirem as razões que justificaram a sua decretação.
Art. 124. À Justiça Militar compete processar e julgar os crimes a proteção do património público e social, do meio ambiente e § 3" Na vigência do estado de defesa:
militares definidos em lei. de outros interesses difusos e coletivos; l - 11 prisão por crime contr11 o Estado, determinada pelo
Parágrafo único. A lei disporá sobre a organização. o funcio- N - promover a ação de inconstitucionalidade ou represen- executor da medida, será por este comunicada imediatamente ao
namento e a competência da Justiç<~ Militar. tação para fins de intervenção da União e dos Estados, nos casos juiz competente, que a relaxará, se não for legal, facultado ao preso
previstos nesta Constituição; requerer exame de corpo de delito à autoridade policial;
Seção VIII V - defender judicialmente os direitos e interesses das popu- ll - a comunicação será acompanhada de declaração, pela
lações indígenas; autoridade, do estado físico e mental do detido no momento de
Dos TdbunaJs e Juizes d08 Estados VI - expedir notificações nos procedimentos administrativos sua autuação;
Art. 125. Os Estados organizarão sua Justiça, observados os de sua competência, requisitando infonnações e documentos para 111 - a prisão ou detenção de qualquer pessoa não poderá
princípios estabelecidos nesta Constituição. instruí-los, na forma da lei complementar respectiva; ser superior a dez dias, salvo quando autorizada pelo Poder Judi-
§ J• A competência dos tribunais será definida na Consti· VIl - exercer o controle externo da atividade policial, na forma ciário;
tuição do Estado, sendo a lei de organização judiciária de iniciativa da lei complementar mencionada no artigo anterior; N - é vedada a incomunicabilidade do preso.
do Tribunal de Justiça. VlJJ - requisitar diligências investigatórias e a instauração de § 4• Decretado o estado de defesa ou sua prorrogação, o
§ 2" Cabe 11os Estados a instituição de representação de inquérito policial, indicados os fundamentos jurídicos de suas mani- Presidente da República, dentro de vinte e quatro horas, submeterá
inconstitucionalidade de leis ou atos normativos estaduais ou muni- fesklções processuais; o ato com a respectiva justificação ao Congresso Nacional, que
cipais em face da Constituição Estadual, vedada a atribuição d11 IX - exercer outras funções que lhe forem conferidas, desde decidirá por maioria absoluta.
legitimação para agir a um único órgão. que compatíveis com sua finalidade. sendo-lhe vedada a represen- § 5• Se o Congresso Nacional estiver em recesso, será con-
§ 3" A lei estadual poderá criar, mediante proposta do Tribu- tação judicial e a consultoria jurídica de entidades públic11s. vocado, extraordinariamente, no prazo de cirn:o di11s.
nal de Justiça. a Justiça Militar estadual, constituída, em primeiro § J• A legitimação do Ministério Público para as ações civis § 6• O Congresso Nacional apreciará o decreto dentro de
grau, pelos Conselhos de Justiça e. em segundo, pelo próprio previstas neste artigo não impede a de terceiros, nas mesmas hipó- dez dias contados de seu recebimento, devendo continuar funcio-
Tribunal de Justiça, ou por Tribunal de Justiça Militar nos Estados teses, segundo o disposto nesta Constituição e na lei. nando enquanto vigorar o estado de defesa.
em que o efetivo da policia militar seja superior a vinte mil inte- § 2· As funções de Ministério Público só podem ser exercidas § 7' Rejeitado o decreto, cessa imediatamente o estado de
grantes. por integrantes da carreira, que deverão residir na comarca de defesa.
§ 4" Compete ã Justiça Militar estadual processar e julgar respectiva lotação.
os ~lidais militares e bombeiros militares nos crimes militares § 3' O ingresso na carreira far-se-á mediante coocurso públi· &ç.to 11
def1nidos em lei, cabendo ao tribunal competente decidir sobre co de provas e títulos, assegurada participação da Ordem do!
a perda do posto e d'l patente dos oficiais e da graduação das Advogados do Brasil em sua realização, e observada, nas nomea· Do Estado de Sitio
praças. a
ções, ordem de classificação.
§ 4' Aplica-se ao Ministério Público, no que couber, o dispos· Art. 137. O Presidente da República pode, ouvidos o Conselho
Art. 126. Para dirimir conHitos fundiários, o Tribunal de Justiça to no art. 93, 11 e VI.
designará juizes de entrância especial, com competência exclusiva da República e o Conselho de Defesa Nacional. solicitar ao Con-
para questões agrári11s. Art. 130, Aos membros do Ministério Público junto oos Tribu· gresso Nacional autorização para decretar o estado de sítio nos
Parágrafo único. Sempre que necessário ã eficiente presta- nais de Contas aplicam-se <IS disposições desta seção pertinentes casos de:
ção jurisdicional, o juiz f ar-se-á presente no local do litígio. a direitos. vedações e forma de investidura. I - comoção grave de repercussão nacion11l ou ocorrência

12 Jornal da Constituinte
de fatos que comprovem a ineficácia de medida tomada durante Art. 148. A União, mediante lei complementar, poderá instituir
o estado de defesa; empréstimos compulsórios:
11 - declaração de estado de guerra ou resposta a agressão I - para atender a despesas extraordinárias, decorrentes de
armada estrangeira. calamidade pública, de guerra externa ou sua iminência;
Parágrafo único. O Presidente da República, ao solicitar auto- 11 - no caso de investimento público de caráter urg"!nte e
rização para decretar o estado de sítio ou sua prorrogação, relatará de relevante interesse nacional, observado o di.sposto no art. 150,
os motivos determinantes do pedido, devendo o Congresso Nacio- lll , b.
nal decidir por maioria absoluta. Parágrafo único. A aplicação dos recursos provenientes de
empréstimo compulsório será vinculada à despesa que fundamen-
Art. 138. O decreto do estado de sítio indicará sua duração, tou sua instituição.
as normas necessárias a sua execução e as garantias constitucionais
que ficarão suspensas, e, depois de publicado, o Presidente da Art. 149. Compete exclusivamente à União instituir contribui·
República designará o executor das medidas específicas e as áreas ções sociais, de intervenção no domínio econômico e de interesse
abrangidas. das categorias profissionais ou econômicas, como instrumento de
§ J• O estado de sítio, no caso do art. 137, I, não poderá sua atuação nas respectivas áreas, observado o disposto nos arts.
ser decretado por mais de trinta dias, nem prorrogado, de cada 146, 111, e 150, I e 111, e sem prejuízo do previsto no art. 195, §
vez., por praz.o superior; no do inciso 11. poderá ser decretado por 6•, relativamente às contribuições a que alude o dispositivo.
todo o tempo que perdurar a guerra ou a agressão armada estran· Parágrafo único. Os Estados, o Distrito Federal e os Municí-
geira. pios poderão instituir con~ibuição, cobra~a de seus se~d.ore~,
para o custeio, em benefíciO destes, de SIStemas de preV1denc1a
§ ~ Solicitada autoriz.ação para decretar o estado de sítio
e assistência social.
durante o recesso parlamentar, o Presidente do Senado F~eral,
de imediato, convocará extraordinariamente o Congresso Nacional Seção//
para se reunir dentro de cinco dias, a fim de apreciar o ato. Da$ Unútllçóe6 d o Poder de Trlbutllr
§ 3• O Congresso Nacional permanecerá em funcionamento
até o término das medidas coercitivas. Art. 150. Sem prejuízo de outras garantias ass~gu~adas ao con-
tribuinte. é vedado à União, aos Estados, ao D1str1to Federal e
Art. 139 . Na vigência do estado de sítio decretado com funda· aos Municípios:
mento no art. 137, I. só poderão ser tomadas contra as pessoas I - exigir ou aumentar tributo sem lei.que o estabeleça;
as seguintes medidas: 11 - instituir tratamento desigual entre contribuintes que se
I - obrigação de permanência em localidade determinada; encontrem em situação equivalente, proibida qualquer distinção
11 - detenção em edificio não destinado a acusados ou con· em razão de ocupação profissional ou função por eles exercida,
denados por crimes comuns; independentemente da denominação jurídica dos rendimentos, títu·
111 - restrições relativas à inviolabilidade da correspondência, los ou direitos;
ao sigilo das comunicações, à prestação de informações e à liber· UI - cobrar tributos:
dade de imprensa, radiodifusão e televisão, na forma da lei; a) em relação a fatos geradores ocorridos antes do início
IV - suspensão da liberdade de reunião; da vigência da lei que os houver instituído ou aumentado;
V - busca e apreensão em domicilio; b) no mesmo exercício financeiro em que haja sido publicada
VI - intervenção nas empresas de serviços públicos; a lei que os instituiu ou aumentou;
VIl - requisição de bens. IV - utilizar tributo com efeito de confisco;
Parágrafo único. Não se inclui nas restrições do inciso 111 V - estabelecer limitações ao tráfego de pessoas ou bens,
a difusão de pronunciamentos de parlamentares efetuados em suas por meio de tributos interestaduais ou intermunicipais, ressalvada
Casas Legislativas. desde que liberada pela respectiva Mesa. a cobrança de pedágio pela utilização de vias conservadas pelo
Seção 111 Poder Público;
VI - instituir impostos sobre:
D/$poslç~ Gerais a) patrimônio, renda ou serviços, uns dos outros;
Art. 14 0 . A Mesa do Congresso Nacional, ouvidos os líderes b) templos de qualquer culto;
partidários. designará Comissão composta de cinco de seus mem· c) patrimônio. renda ou serviços dos partidos políticos. inclu-
§ 39 A polícia ferroviária federal, órgão permanente, estrutu-
bros para acompanhar e liscaliz.ar a execução das medidas refe- sive suas fundações, das entidades sindicais dos trabalhadores.
rado em carreira, destina-se. na forma da lei, ao patrulhamento
rentes ao estado de defesa e ao estado de sítio. das instituições de educa~ão e de assistência social, sem fins lucra·
ostensivo das ferrovias federais. tivos, atendidos os requis1tos da lei;
Art. 141 . Cessado o estado de defesa ou o estado de sítío, cessa· § 4• As polícias civis, dirigidas por delegados de polícia de d) livros, jornais, periódicos e o papel destinado a sua impres-
rão também seus efeitos, sem prejuízo da responsabilidade pelos carreira, incumbem, ressalvada a competência da União, as funções
são.
ilícitos cometidos por seus executores ou agentes. de polícia judiciária e a apuração de infrações penais, exceto as
§ J• A vedação do inciso 111, b, não se aplica aos impostos
Parágrafo único. Logo que cesse o estado de defesa ou o militares. . previstos nos arts. 153, I. 11, IV e V, e 154, 11.
estado de sítio, as medidas aplicadas em sua vigência serão relata- § 5• As polícias militares cabem a polícia ostensiva e a preser· § 2• A vedação do Inciso VI, a, é extensiva .às. autarquias
das pelo Presidente da República, em mensagem ao Congresso vação da ordem pública; aos corpos de bombeiros militares, além e às fundações instituídas e mantidas pelo Poder Pubhco, no que
Nacional, com especificação e justificação das providências adota· das atribuições definidas em lei, incumbe a execução de atividades
se refere ao patrimônio, à renda e aos serviços, vinculados a suas
das, com relação nominal dos atingidos e indicação das restrições de defesa civil.
finalidades essenciais ou às delas decorrentes.
aplicadas. § 6• As polícias militares e corpos de bombeiros militares,
§ 3• As vedações do inciso VI, a, e do parágrafo anterior
forças auxiliares e reserva do Exército, subordinam-se, juntamente
Capítulo 11 não se aplicam ao patrimônio, à renda e aos serviços, relacionados
com as polícias civis. aos Governadores dos Estados, do Distrito com exploração de atividades econômicas regidas pela~ normas
DAS FORÇAS ARMADAS Federal e dos Territórios.
aplicáveis a empreendimentos privados, ou em que haJa contra·
Art. 142. As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo § 7• A lei disciplinará a organização e o funcionamento dos
prestação ou pagamento de preços ou tarifas pelo usuário, nem
Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes órgãos responsáveis pela segurança pública. de maneira a garantir
exonera o promitente comprador da obrigação de pagar imposto
e regulares. organizadas com base na hierarquia e na disciplina, a eficiência de suas atividades.
relativamente ao bem imóvel.
sob a autoridade suprema do Presidente da República, e desti- § 8" Os Municípios poderão constituir guardas municipais
§ 4• As vedações expressas no inciso VI, alíneas b e c, com-
nam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais destinadas à proteção de seus bens. serviços e instalações. confor-
preendem somente o patrimônio, a renda e os serviços, relac~o­
e. por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem. me dispuser a lei.
nados com as finalidades essenciais das entidades nelas mencio-
§ J• Lei complementar estabelecerá as normas gerais a se- nadas.
rem adotadas na organização, no preparo e no emprego das Forças § 5• A lei determinará medidas para que os consumidores
Armadas. Tít ul o VI sejam esclarecidos acerca dos impostos que incidam sobre merca-
§ 2" Não caberá habeas-corpus em relação a punições disci- dorias e serviços.
plinares militares. § 6" Qualquer anistia ou remissão que envolva matéria tribl.J-
DA TRIBUTAÇÃO E DO ORÇAMENTO
Art. 143 . . O serviço militar é obrigatório nos termos da lei. tária ou previdenciária só poderh ser concedida através de lei espe-
§ J• As Forças Armadas compete, na forma da lei. atribuir Capítulo I cífica, federal, estadual ou municipal.
serviço alternativo aos que, em tempo de paz, após alistados, alega· DO SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL Art. 151. É vedado à União:
rem imperativo de consciência, entendendo-se como tal o decor- I - instituir tributo que não seja uniforme em todo o território
rente de crença religiosa e de convicção filosófica ou política, para Seção I
Doa Principio$ Gerais nacional ou que implique distinção ou preferência em relação a
se eximirem de atividades de caráter essencialmente militar. Estado, ao Distrito Federal ou a Município, em detrimento de outro,
§ 2" As mulheres e os eclesiásticos ficam isentos do serviço Art. 145. A União, os Estados. o Distrito Federal e os Municípios admitida a concessão de incentivos fiscais destinados a promover
militar obrigatório em tempo de paz, sujeitos, porém, a outros encar- poderào instituir os seguintes tributos: o equilíbrio do desenvolvimento sócio-econômico entre as diferen-
gos que a lei lhes atribuir. I - impostos; tes regiões do País;
11 - taxas, em razão do exercício do poder de polícia ou 11 - tributar a renda das obrigações da dívida pública dos
Capítulo 111 . pela utilização, efetiva ou potencial, de serviços públicos específicos Estados. do Distrito Federal e dos Municípios, bem como a remune-
DA SEGURANÇA PÚBUCA e divisíveis, prestados ao contribuinte ou postos a sua disposição; ração e os proventos dos respectivos agentes públicos, em níveis
Art. 144. A segurança pública, dever do E.stado, direito e respon- 111 - contribuição de melhoria, decorrente de obras públicas. superiores aos que fixar para suas obrigações e para seus agentes;
sabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública § J• Sempre que possível, os impostos terão caráter pessoal 111 - instituir isenções de tributos da competência dos Esta-
e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguin- e serão graduados segundo a capacidade econômica do contri- dos, do Distrito Federal ou dos Municípios.
tes órgãos: buinte, facultado à administração tributária, especialmente para
I - polícia federal; conferir efetividade a esses objetivos. identificar, respeitados os direi- Art. 152. É vedado aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municí-
tos individuais e nos termos da lei, o patrimônio, os rendimentos pios estabelecer diferença tributária entre bens e serviços, de qual-
11 - polícia rodoviária federal;
e as atividades econômicas do contribuinte. quer natureza, em razão de sua procedência ou destino.
111 - polícia ferroviária federal;
IV - polícias civis; § 2• As taxas não poderão ter base de cálculo própria de
V - policias milítares e corpos de bombeiros militares. impostos. Seção 111
§ )9 A polícia federal. instituída por lei como órgão perma- Art. 146. Cabe à lei complementar: Do$ Impo$t os da União
nente, estruturado em carreira, destina-se a: I - dispor sobre conflitos de competência, em matéria tribu- Art. 153. Compete à União instituir impostos sobre:
I - apurar infrações penais contra a ordem política e social tária, entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios; I - importação de produtos estrangeiros;
ou em detrimento de bens, serviços e interesses da União ou de 11 - regular as limitações constitucionais ao poder de tributar; 11 - exportação, para o exterior, de produtos nacionais ou
suas entidades autárquicas e empresas públicas, assim como outras lU - estabelecer normas gerais em matéria de legislação tri- nacionalizados;
infrações cuja prática tenha repercussão interestadual ou interna- butária, especialmente sobre: UI - renda e proventos de qualquer natureza;
cional e exija repressão uniforme, segundo se dispuser em lei; a) definição de tributos e de suas espécies, bem como, em IV - produtos industrializados;
U - prevenir e reprimir o tráfico ilícito de entorpecentes e relação aos impostos discriminados nesta Constituição, a dos res- V - operações de crédito, câmbio e seguro, ou relativas a
drogas afins, o contrabando e o descaminho, sem prejUJzo da ação pectivos fatos geradores, bases de cálculo e contribuintes; títulos ou valores mobiliários;
fazendária e de outros órgãos públicos nas respectivas áreas de b) obrigação, lançamento, crédito, prescrição e decadência VI - propriedade territorial rural;
competência; tributários; VIl - grandes fortunas, nos termos de lei complementar.
UI - exercer as funções de polícia marítima, aérea e de fron- c) adequado tratamento tributário ao ato C9Qperatívo prati- § ) 9 E facultado ao Poder Executivo, atendidas as condições
teiras; cado pelas sociedades cooperativas. e os limites estabelecidos em lei, alterar as alíquotas dos impostos
IV - exercer, com exclusividade, as funções de polícia judi-
ciária da União. Art. 147 . Competem à União, em Território Federal, os impostos enumerados nos incisos I, 11, IV e V.
§ 29 A polícia rodoviária federal, órgão permanente. estrutu- estaduais e, se o Território não for dividido em Municípios, cumulati· § 2• O imposto previsto no inciso 111:
vamente, os impostos municipais; ao Distrito Federal cabem os I - será informado pelos critérios da generalidade, da univer-
rado em carreira, destina-se, na forma da lei, ao patrulhamento
impostos municipais. salidade e da progressividade, na forma da lei;
ostensivo das rodovias federais.

Jornal da Constituinte 13
11 - não incidirá, nos termos e limites fiXados em lei, sobre cimento destinatário da mercadoria ou do serviço; rendimentos pagos, a qualquer título, por eles, suas autarquias
rendimentos provenientes de aposentadoria e pensão, pagos pela b) sobre o valor total da operação, quando mercadorias fo- e pelas fundações que instituírem e mantiverem;
previdência social da União, dos Estados, do Distrito Federal e rem fornecidas com serviços não compreendidos na competência 11 - cinqüenta por cento do produto da arrecadação do im-
dos Municípios, a pessoa com idade superior a sessenta e cinco tributária dos Municípios; posto da União sobre a propriedade territorial rural, relativamente
anos, cuja renda total seja constituída, exclusivamente, de rendi- X - não incidirá: aos imóveis neles situados;
mentos do trabalho. a) sobre operações que destinem ao exterior produtos indus- 111 - cinqüenta por cento ao produto da arrecadação do im-
§ 39 O imposto previsto no inciso IV: trializados, excluídos os semi-elaborados definidos em lei comple- posto do Estado sobre a propriedade de veículos automotores
I - será seletivo, em função da essencialidade do produto; mentar; licenciados em seus territórios;
U - será não-cumulativo, compensando-se o qu e for devido b) sobre operações que destinem a outros Estados petróleo, IV - vinte e cinco por cento do produto da arrecadação do
em cada operação com o montante cobrado nas anteriores; inclusive lubrificantes, combustiveis líquidos e gasosos dele' deriva- imposto do Estado sobre operações relativas à circulação de merca-
111 - não incidirá sobre produtos industrializados destinados dos, e energia elétrica; dorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual
ao exterior. c) sobre o ouro, nas hipóteses definidas no art. 153, § 5•; e intermunicipal e de comunicação.
§ 4? O imposto previsto no inciso VI terá suas alíquotas fiXa- XI - não compreenderá, em sua base de cálculo, o montante Parágrafo único. As parcelas de receita pertencentes aos Mu-
das de forma a desestimular a manutenção de propriedades impro- do imposto sobre produtos industrializados, quando a operação, nicípios, mencionadas no inciso IV, serão creditadas conforme os
dutivas e não incidirá sobre pequenas glebas rurais, definidas em realizada entre contribuintes e relativa a produto destinado à indus- seguintes critérios;
lei, quando as explore, só ou com sua famílía, o proprietário que trialização ou à comercialização, configure fato gerador dos dois I - três quartos, r..., •""11m o, na proporção do valor adicio-
não possua outro imóvel. impostos; nado nas operações relativas à circulação de mercadorias e nas
§ 5• O ouro, quando defmido em lei como ativo financeiro XII - cabe à lei complementar: prestações de serviços, realizadas em seus territórios;
ou instrumento cambial, sujeita-se exclusivamente à incidência do a) definir seus contribuintes; 11 - até um quarto, de acordo com o que dispuser lei estadual
imposto de que trata o inciso V do caput deste artigo, devido na b) dispor sobre substituição tributária; ou, no caso dos Territórios, lei federal.
operação de origem; a aliquota mínima será de um por cento, c) disciplinar o regime de compensação do imposto;
assegurada a transferência do montante da arrecadação nos se- d) fixar, para efeito de sua cobrança e definição do estabele- Art. 159. A União entregará:
cimento responsável, o local das operações relativas à circulação I - do produto da arrecadação dos impostos sobre renda
guintes termos:
de mercadorias e das prestações de serviços; e proventos de qualquer natureza e sobre produtos industrializados,
I - trinta por cento para o Estado •. o Distrito Federal ou o
Território, conforme a origem ; e) excluir da incidência do imposto, nas exportações para quarenta e sete por cento na seguinte forma:
o exterior, serviços e outros produtos além dos mencionados no a) vinte e um inteiros e cinco décimos por cento ao Fundo
11 - setenta por cento para o Município de origem.
inciso X, a ; de Participação dos Estados e do Distrito Federal;
Art. 154. A União poderá instituir: f) prever casos de manutenção de crédito, relativamente à b) vinte e dois inteiros e cinco décimos por cento ao Fundo
I - mediante lei complementar, impostos não previstos no remessa para outro Estado e exportação para o exterior, de serviços de Participação dos Municípios;
artigo anterior, desde que sejam não-cumulativos e não tenham e de mercadorias; c) três por cento, para aplicação em programas de financia-
fato gerador ou base de cálculo próprios dos discriminados n esta g) regular a forma como, mediante deliberação dos Estados mento ao setor produtivo das Regiões Norte, Nordeste e Centro-
Constituição; e do Distrito Federal. isenções, incentivos e beneficios fiscais serão Oeste, através de suas instituições financeiras de caráter regional,
11 - na iminência ou no caso de guerra externa, impostos de acordo com os planos regionais de desenvolvimento, ficando
concedidos e revogados.
extraordinários, compreendidos ou não em sua competência tribu- § 3• A exceção dos impostos de que tratam o inciso I, b, assegurada ao semi-árido do Nordeste a metade dos recursos desti-
tária, os quais serão suprimidos, gradativamente, cessadas as cau- nados à Região, na forma que a lei estabelecer;
do caput deste artigo e os arts. 153, I e 11, e 156, 111, nenhum
sas de sua criação. outro tributo incidirá sobre operações relativas a energia elétrica, 11 - do produto da arrecadação do imposto sobre produtos
c~mbústíveis líquidos e gasosos, lubrificantes e minerais do País.
industrializados, dez por cento aos Estados e ao Distrito Federal,
Seção IV proporcionalmente ao valor das respectivas exportações de produ-
Seção V tos industrializados.
D os Impostos dos Estados e § 1• Para efeito de cálculo da entrega a ser efetuada de
do Distrito Federal Dos Impostos dos Municípios
acordo com o previsto no inciso I, excluir-se-á a parcela da arreca-
Art. 155. Compete aos Estados e ao Distrito Federal instituir: Art. 156. Compete aos Municípios instituir impostos sobre: dação do imposto de renda e proventos de qualquer natureza per-
I - propriedade predial e territorial urbana; tencente aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios, nos
I - impostos sobre:
a) transmissão causa mortis e doação, de quaisquer bens 11 - transmissão inter vivos, a qualquer título, por ato oneroso, termos do disposto nos arts. 157, I, e 158, I.
de bens imóveis, por natureza ou acessão física, e de direitos reais § 2• A nenhuma unidade federada poderá ser destinada par-
ou direitos;
sobre imóveis, exceto os de garantia, bem como cessão de direitos cela superior a vinte por cento do montante a que se refere o
b) operações relativas à circulação de mercadorias e sobre
a sua aquisição; inciso 11, devendo o eventual excedente ser distribuído entre os
prestações de serviços de transporte interestadual e intermunicipal
e de comunicação, ainda que as operações e as prestações se 111 - vendas a varejo de combustíveis líquidos e gasosos, demais participantes, mantido, em relação a esses, o critério de
iniciem no exterior; exceto óleo diesel; partilha nele estabelecido.
c) propriedade de veículos automotores;
IV - serviços de qualquer natureza, não compreendidos no § 3• Os Estados entregarão aos respectivos Municípios vinte
art. 155, I, b, definidos em lei complementar. e cinco por cento dos recursos que receberem nos termos do
11 - adicional de até cinco por cento do que for pago à União
por pessoas fisicas ou jurídicas domiciliadas nos respectivos territó-
§ J• O imposto previsto no inciso I poderá ser progressivo, inciso 11, observados os critérios estabelecidos no art. 158, parágrafo
nos termos de lei municipal, de forma a assegurar o cumprimento único, I e 11.
rios. a título do imposto previsto no art. 153, 111, incidente sobre
da função social da propriedade.
lucros. ganhos e rendimentos de capital. Art. 160. É vedada a retenção ou qualquer restrição à entrega
§ 1• O imposto previsto no inciso I, a: § 2• O imposto previsto no inciso 11:
I - não incide sobre a transmissão de bens ou direitos incor- e ao emprego dos recursos atribuídos, nesta seção, aos Estados,
I - relativamente a bens imóveis e respectivos direitos, com- ao Distrito Federal e aos Municipios, neles compreendidos adicio-
porados ao patrimônio de pessoa jurídica em realização de capital,
pete ao Estado da situação do bem, ou ao Distrito Federal; nais e acréscimos relativos a impostos.
11 - relativamente a bens móveis, titulas e créditos, compete nem sobre a transmissão de bens ou direitos decorrente de fusão,
incorporação, cisão ou extinção de pessoa jurídica, salvo se, nesses Parágrafo único. Essa vedação não impede a União de condi-
ao Estado onde se processar o inventário ou arrolamento, ou tiver cionar a entrega de recursos ao pagamento de seus créditos.
casos, a atividade preponderante do adquirente for a compra e
domicílio o doador, ou ao Distrito Federa.!;
venda desses bens ou direitos, locação de bens imóveis ou arrenda- Art. 161. Cabe à lei complementar;
111 - terá a competência para sua instituição regulada por
mento mercantil; I - definir valor adicionado para fins do disposto no art. 158,
lei complementar:
a) se o doador tiver domicílio ou residência no exterior; 11 - compete ao Município da situação do bem. parágrafo único, I;
b) se o de cujus possuía bens, era resident e ou domiciliado § 3• O imposto previsto no inciso 111 não exclui a incidência 11 - estabelecer normas sobre a entrega dos recursos de
do imposto estadual previsto no art. 155, I, b, sobre a mesma que trata o art. 159, especialmente sobre os critérios de rateio
ou teve o seu inventário processado no exterior;
IV - terá suas alíquotas máximas fiXadas pelo Senado Fe- operação. dos fundos previstos em seu inciso I, objetivando promover o equilí-
deral.
§ 4• Cabe à lei complementar: brio sócio-econômico entre Estados e entre Municípios;
§ 2:9 O imposto previsto no inciso I, b, atenderá ao seguinte: I - ftxar as alíquotas máximas dos impostos previstos nos 1JJ - dispor sobre o acompanhamento, pelos ben~ficiários,
incisos 111 e IV; do .cálculo das quotas e da liberação das participações previstas
I - será não-cumulativo, compensando-se o que for devido
11 - excluir da incidência do imposto previsto no inciso IV nos arts. 157, 158 e 159.
em cada operação relativa à circulação de merca.dorias ou presta-
exportações de serviços para o exterior. Parágrafo único. O Tribunal de Contas da União efetuará
ção de serviços com o montante cobrado nas anteriores pelo mes-
mo ou outro Estado ou pelo Distrito Federal; Seção VI o cálculo das quotas· referentes aos fundos de participação a que
11 - a isenção ou não-incidência, salvo determinação em Da Repartição das Receitas Tributárias a.l ude o inciso 11.
contrário da legislação: Art. 162. A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípim
a) não implicará crédito para compensação com o montante Art. 157 . Pertencem aos Estados e ao Distrito Federal:
I - o produto da arrecadação do imposto da União sobre divulgarão, até o último dia do mês subseqüente ao da-arrecadação
devido nas operações ou prestações seguintes; os montantes de cada um dos tributos arrecadados, os recurso~
b) acarretará a anulação do crédito relativo às operações renda e proventos de qualquer natureza, incidente na fonte, sobre
rendimentos pagos, a qualquer titulo, por eles, suas autarquias recebidos, os valores de origem tributária entregues e a entregai
anteriores; e a expressão numérica dos critérios de rateio.
111 - poderá ser seletivo, em· função da essencialidade das e pelas fundações que instituírem e mantiverem;
mercadorias e dos serviços; 11 - vinte por cento do produto da arrecadação do imposto
IV - resolução do Senado Federal, de iniciativa do Presidente que a União instituir no exercício da competência que lhe é atribuída
da República ou de um terço dos Senadores, aprovada pela maioria pelo art. 154, I.
absoluta de seus membros, estabelecerá as alíquotas aplicáveis Art. 158 . Pertencem aos Municípios:
às operações e prestações, interestaduais e de exportação; I - o produto da arrecadação do imposto da União sobre
V - é facultado ao Senado Federal: renda e proventos de qualquer natureza, incidente na fonte, sobre
a) estabelecer alíquotas mínimas nas operações internas,
mediante resolução de iniciativa de um terço e aprovada pela maio-
ria absoluta de seus membros;
b) ftxar alíquotas máximas nas mesmas op erações para resol-
ver connito específico que envolva interesse de Estados, mediante
resolução de iniciativa da maioria absoluta e aprovada por dois
terços de seus membros;
VI - salvo deliberação em contrário dos Estados e do Distrito
Federal, nos termos do disposto no inciso XII, g, as alíquotas inter-
nas, nas operações relativas ·à circulação de mercadorias e nas
prestações de serviços, não poderão ser inferiores às previstas para
as operações interestaduais;
VIl - em relação às operações e prestações que destinem
bens e serviços a consumidor final localizado em outro Estado,
adotar-se-á:
a) a aliquota interestadual. quando o destinatário for contri-
buinte do imposto;
b) a alíquota interna, quando o destinatário não for contri-
buinte dele;
VIII - na hipótese da alínea a do inciso anterior, caberá ao
Estado da localização do destinatário o imposto correspondente
à diferença entre a alíquota interna e a interestadual;
IX - incidirá também:
a) sobre a entrada de m ercadoria importada do exterior, ainda
quando se tratar de bem destinado a consumo ou ativo fiXo do
estabelecimento. assim como sobre serviço prestado no exterior,
eabendo o imposto ao Estado onde estiver situado o estabele-

14 JornaldaConstituinte
Parágrafo único. Os dados divulgados pela União serão di~ 11 - indiquem os recursos necessários, admitidos apenas os VIII - busca do pleno emprego;
criminados por Estado e por Município; os dos Estados, por Muni· proverúentes de anulação de despesa, excluídas as que incidam IX - tratamento favorecido para as empresas brasileiras de
dpio. sobre: capital nacional de pequ,eno porte.
a) dotações para pessoal e seus encargos: Parágrafo único. E assegurado a todos o livre exercício de
Capítulo 11 b) serviço da dívida; qualquer atividade econõmica, independentemente de autorização
DAS FINANÇAS PáBUCAS c) transferências tributárias constitucionais para Estados, Mu· de órgãos públicos, salvo nos casos previstos em lei.
nicípios e Distrito Federal: ou
Seção I OI - sejam relacionadas: Art. 171, São consideradas:
/Yormas Gerais a) com a correção de erros ou omissões: ou I - empresa brasileira a constituída sob as leis brasileiras
Art. 163. Lei comP.Iementar disporá sobre: b) com os dispositivos do texto do projeto de lei. e que tenha sua sede e administração no Pais;
I - finanças publicas: § 4° As emendas ao projeto de lei de diretrizes orçamentárias U - empresa brasileira de capital nacional aquela cujo con-
n - .:ftvida pública externa e interna, incluída a das autarquias, não poderão ser aprovadas quando incompativeis com o plano trole efetivo esteja em caráter permanente sob a titularidade direta
fundações e demais entidades controladas pelo Poder Público: plurianual. ou indireta de pessoas físicas domiciliadas e residentes no País
111 - concessão de garantias pelas entidades P,úblicas: § 5" O Presidente da República poderá enviar mensagem ou de entidades de direito público interno, entendendo-se por con-
IV - emissão e resgate de titulas da dívida púb~ca: ao Congresso Nacional para propor modificação nos projetos a trole efetivo da empresa a titularidade da maioria de seu capital
V - fiscalização das instituições financeiras: que se refere este artigo enquanto não iniciada a votação, na Comis- votante e o exercício, de fato e de direito, do poder decisório para
\11 - operações de câmbio realizadas por órgãos e entidades são mista, da parte cuja alteração é proposta. gerir suas atividades.
da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios; § & Os projetos de lei do plano plurianual, das diretrizes § I> A lei poderá, em relação â empresa brasileira de capital
\111 - compatibilização das funções das instituições oficiais orçamentárias e do orçamento anual serão enviados pelo Presidente nacional:
de crédito da União, resguardadas as carKteristicas e condições da República ao Congresso Nacional, nos termos da lei comple- I - conceder proteção e beneficios especiais temporários
operacionais plenas das voltadas ao desenvolvimento regional. mentar a que se refere o art. 165, § 9<'. para desenvolver atividades consideradas estratégicas para a defesa
§ 7' Aplicam-se aos projetos mencionados neste artigo, no nacional ou imprescindiveis ao desenvolvimento do Pais;
Art. 164. A competênçla da União para emitir moeda será exer· que não contrariar o disposto nesta seção, as demais normas relati- O - estabelecer, sempre que considerar um setor impres-
dda exclusivamente pelo banco central. vas ao processo legislativo. cindlvel ao desenvolvimento tecnológico nacional, entre outras con-
§ I" É vedado ao banco central conceder, direta ou indirela· § 8' Os recursos que, em decorrência de veto, emenda ou dições e requisitos:
ménte, empréstimos ao Tesouro Nacional e a qualquer órgão ou rejeição do projeto de lei orçamentária anual, ficarem sem despesas a) a exigência de que o controle referido no inciso U do
entidade que não seja instituição financeira. correspondentes poderão ser utilizados, conforme o caso, mediante caput se estenda às atividades tecnológicas da empresa, assim
§ 2" O banco central poderá comprar e vender títulos de créditos especiais ou suplementares, com prévia e especifica autori· entendido o exercício, de fato e de direito, do poder decisório para
emissão do Tesouro Nacional, com o objetivo de regular a oferta zação legislativa. desenvolver ou absorver tecnologia:
de moeda ou a taJUI de juros. b) percentuais de participação, no capital, de pessoas ffsicas
§ 3" As disponibilidades de caixa da União serão depositadas Art. 167. São vedados: domiciliadas e residentes no Pais ou entidades de direito público
no banco central: as dos Estados, do Distrito Federal, dos Municí- I - o início de programas ou projetos não incluídos na lei interno.
pios e dos órgãos ou entidades do Poder Público e das empresas orçamentária anual: § 21' Na aquisição de bens e serviços, o Poder Público dará
por ele controladas, em instituições financeiras oficiais. ressalvados li - a realização de despesas ou a assunção de obrigações tratamento preferencial. nos termos da lei, à empresa brasileira
os casos previstos em lei. diretas que excedam os créditos orçamentários ou adicionais; de capital nacional.
lll - a realização de operações de créditos que excedam o
Seção 11 montante das despesas de capital, ressalvadas as autorizadas me· Art. 172. A lei disciplinará, com base no interesse nacional, os
Dc<On;- diante créditos suplementares ou especiais com finalidade precisa, investimentos de capital estrangeiro, incentivará os reinvestimentos
aprovados pelo Poder Legislativo por maioria absoluta: e regulará a remessa de lucros.
Art. 165. Leis de iniciativa do Poder Executivo estabelecerão:
I - o plano plurianual; IV - a vinculação de rece1ta de impostos a órgão, fundo Art. 173. Ressalvados os casos previstos nesta Constituição, a
11 - as diretrizes orçamentárias: ou despesa, ressalvadas a repartição do produto da arrecadação exploração direta de atividade econõmica pelo Estado só será per-
DI - os orçamentos anuais. dos impostos a que se referem os arts. 158 e 159, a destinação mitida quando necessária aos imperativos da segurança nacional
§ lo A lei que instituir o plano plurianual estabelecerá, de de recursos para manutenção e desenvolvimento do ensino, como ou a relevante interesse coletivo, conforme definidos em lei.
forma ~ionalizada, as diretrizes, objetivos e metas da adminis- determinado pelo art. 212, e a prestação de garantias às operações § I' A empresa pública, a sociedade de economia mista
tração publica federal para as despesas de capital e outras delas de crédito por antecipação de receita, previstas no art. 165, § 8": e outras entidades que explorem atividade econõmica sujeitam-se
decorrentes e para as relativas aos programas de duração conti- V - a abertura de crédito suplementar ou especial sem prévia ao regime jurfdico próprio das empresas privadas, inclusive quanto
nuada. autorização legislativa e sem indicação dos recursos correspon- às obrigações trabalhistas e tributárias.
dentes; § 2" As empresas públicas e as sociedades de economia
. § .2" A lei de di~izes '!rça'!le1_1tárias compreenderá as metas
e pnor1dades da adrrumstraçao publ1ca federal, mcluindo as despe· \11 - a transposição, o remanejamento ou a transferência tnista não poderão gozar de privilégios fiscais não extensivos às
sas de capital para o exercício flflanceiro subseqüente, orientará de recursos de umà categoria de programação para outra ou de do setor privado.
a elaboração da lei orçamentária anual, disporá sobre as alterações um órgão para outro, sem prévia autorização legislativa; § 3• A lei regulamentará as relações da empresa pública
na legislação tributária e estabelecerá a política de ap~cação das \111 - a concessão ou utilização de créditos ilimitados; com o Estado e a sociedade.
agências financeiras oficiais de fomento. \110 - a utilização, sem autorização legislativa especifica, de § 4• A lei reprimirá o abuso do poder ecoOOmico que vise
§ 3' O Poder Executivo publicará, até trinta dias após o en- recursos dos orçamentos fiscal e da seguridade social para suprir à dominação dos mercados. â eliminação da concorrência e ao
cerramento de cada bimestre, relatório resumido da execução orça· necessidade ou cobrir déficit de empresas, fundações e fundos, aumento arbitrário dos lucros.
mentária. inclusive dos mencionados no art. 165, § 5";
§ 5' A lei, sem prejuízo da responsabilidade individual dos
§ 4" Os planos e programas nacionais, regionais e setoriais IX - a instituição de fundos de qualquer natureza, sem prévia
autorização legislativa. dirigentes da pessoa jurídica, estabelecerá a responsabilidade desta,
previstos nesta Constituição serão elaborados em consonância com sujeitando-a as punições compatíveis com sua natureza, nos atos
o plano plurianual e apreciados pelo Congresso Nacional. § I' Nenhum investimento cuja execução ultrapasse um
exercido financeiro poderá ser iniciado sem prévia inclusão no praticados contra a ordem económica e financeira e contra a econo-
§ 5" A lei orçamentária anual compreenderá: mia popular.
I - o orçamento fiscal referente aos Poderes da União, seus plano plurianual, ou sem lei que autorize a inclusão, sob pena
fundos, órgãos e entidades da administração direta e indireta, inclu· de crime de responsabilidade. Art. 174. Como agente normativo e regulador da atividade eco-
sive fundações instituídas e mantidas pelo Poder Público; § 2" Os créditos especiais e extraordinários terão vigência nômica, o Estado exercerá, na forma da le~ as funções de fiscaliza·
li - o orçamentc- de investimento das empresas em que a no exercício financeiro em que forem autorizados, salvo se o ato ção, incentivo e planejamento, sendo este determinante para o
União, direta ou indiretamente, detenha a maioria do capital social de autorização for promulgado nos últimos quatro meses daquele setor público e indicativo para o setor privado.
com direito a voto; exercício, caso em que, reabertos nos limites de seus saldos, serão § I• A lei estabelecerá as diretrizes e bases do planejamento
111 - o orçamento da seguridade social, abrangendo todas incorporados ao orçamento do exercício financeiro subseqüente. do desenvolvimento nacional equilibrado, o qual incorporará e com·
as entidades e órgãos a ela vinculados, da administração direta § 3' A abertura de crédito extraordinário somente será admi- patibilizará os planos nacionais e regionais de desenvolvimento.
ou indireta, bem como os fundos e fundações Instituídos e mantidos tida para atender a despesas imprevisíveis e urgentes, como as § 2" A lei apoiará e estimulará o cooperativismo e outras
pelo Poder Público. decorrentes de guerra, comoção interna ou calamidade pública, formas de associativismo.
§ 6" O projeto de lei orçamentária será acompanhado de observado o disposto no art. 62. § 3' O Estado favorecerá a organização da atividade garim-
demonstrativo regionalizado do efeito, sobre as receitas e despesas, Art. 168. Os recursos correspondentes às dotações orçamen- peira em cooperativas, levando em conta a proteção do meio am-
decorrente de isenções, anistias, remissões, subsídios e beneficios tárias, compreendidos os créditos suplementares e especiais, desti· biente e a promoção econômico-social dos garimpeiros.
de natureza financeira, tributária e creditícia nados aos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário e do Minis- § 4• As cooperativas a que se refere o parágrafo anterior
§ 7" Os orçamentos previstos no § 5', I e ll, deste artigo, tério Público, ser·lhes·ão entregues até o dia 20 de cada mês, terão prioridade na autorização ou concessão para pesquisa e lavra
compatibilizados com o plano plurianual, terão entre suas funções na forma da lei complementar a que se refere o art. 165, § 9'. dos recursos e jazidas de minerais garimpáveis, nas áreas onde
a de reduzir desigualdades inter-regionais, segundo critério popula- estejam atuando, e naquelas fixadas de acordo com o art. 21,
cional. Art. 169. A despesa com pessoal ativo e inativo da União, dos XXV, na forma da lei.
§ & i\ lei orçamentária anual não conterá dispositivo estra- Estados, do Distrito Federal e dos Municípios não poderá exceder
os limites estabelecidos em lei complementar. Art. 175. Incumbe ao Poder Público, na forma da lei, direta-
nho ã previsão da receita e à fixação da despesa, não se incluindo mente ou sob regime de concessão ou permissão, sempre através
na proibição a autorização para abertura de créditos suplementares Parágrafo úníco. A concessão de qualquer vanta~m ou au-
mento de remuneração, a criação de cargos ou alteraçao de estru- de licitação, a prestação de serviços públicos.
e contratação de operações de crédito, ainda que por antecipação Parágrafo único. A lei disporá sobre:
de receita, nos termos da leL tura de carreiras, bem como a admissão de pessoal, a qualquer
título, pelos órgãos e entidades da administração direta ou indireta, I - o regime das empresas concessionárias e permissioná-
§ 9"> Cabe à lei complementar: rias de serviços públicos, o caráter especial de seu contrato e de
I - dispor sobre o exercício financeiro, a vigência, os prazos, inclusive fundações instituídas e mantidas pelo Poder Público, só sua prorrogação, bem como as condições de caducidade, fiscali·
a elaboração e a organização do plano plurianual, da lei de diretrizes poderão ser feitas:
l - se houver prévia dotação orçamentária suficiente para zação e rescisão da concessão ou permissão:
orçamentárias e da lei orçamentária anual; 11 - os direitos dos usuários;
ll - estabelecer normas de gestão financeira e patrimonial atender às projeções de despesa de pessoal e aos acréscimos
dela decorrentes: lU - política tarifária:
da administração direta e indireta, bem como condições para a IV - a obrigação de manter serviço adequado.
instituição e funcionamento de fundos. ll - se houver autorização especifica na lei de diretrizes orça·
mentárias, ressalvadas as empresas públicas e as sociedades de Art. t 76. As jazidas, em lavra ou não, e demais recursos minerais
Art. 166. Os projetos de lei relativos ao plano plurianual. às economia mista. e os potenciais de energia hidráulica constituem propriedade distin-
diretrizes orçamentárias, ao orçamento anual e aos créditos adicio- ta da do solo, para efeito de exploração ou aproveitamento, e perten-
nais serão apreciados pelas duas Casas do Congresso Nacional, cem à União, garantida ao concessionário a propriedade do produto
na forma do regimento comum. Título. VIl da lavra.
§ 1' Caberá a uma Comissão mista permanente de Sena· § I• A pesquisa e a lavra de recursos minerais e o aproveita-
dores e Deputados: mento dos potenciais a que se refere o caput deste artigo somente
I - examinar e emitir parecer sobre os projetos referidos DA ORDEM ECOI'tÓMICA E FINANCEIRA
poderão ser efetuados mediante autorização ou concessão da
neste artigo e sobre as contas apresentadas anualmente pelo Presi- C!jpitulo I União, no interesse nacional, por brasileiros ou empresa brasileira
dente da República; DOS PRII'ICIPIOS GE.ft>\JS DA de capital nacional. na forma da lei, que estabelecerá as condições
li - examinar e emitir parecer sobre os planos e programas ATMDADE ECONOMICA especificas quando essas atividades se desenvolverem em faixa
nacionais, regionais e setorirus previstos nesta Constituição e exer- de fronteira ·9u terras indígenas.
cer o acompanhamento e a fiscalização orçamentária, sem prejuízo Art. t 70. A ordem econômíca, fundada na valorização do traba- § 2" E assegurada participação ao proprietário do solo nos
da atuação das demais comissões do Congresso Nacional e de lho humano e na livre iniciativa, tem por fim assegurar a todos resultados da lavra, na forma e no valor que dispuser a lei.
suas Casas. criadas de acordo com o art. 58. existência digna, conforme os ditames da justiça social, observados. § 3• A autorização de pesquisa será sempre por prazo deter-
§ 2" As emendas serão apresentadas na Comissão mista, os seguintes princípios: minado, e as autorizações e concessões previstas neste artigo não
que sobre elas emitirá parecer, e apreciadas, na forma regimental, I - soberania nacional; poderão ser cedidas ou transferidas, total ou parcialmente, sem
pelo Plenário das duas Casas do Congresso Nacional. 11 - propriedade privada; prévia anuência do poder concedente.
§ 3' As emendas ao projeto de lei do orçamento anual ou lU - função social da propriedade; § 4• Não dependerá de autorização ou concessão o aprovei-
aos projetos que o modifiquem somente podem ser aprovadas IV - livre concorrência; tamento do potencial de energia renovável de capacidade reduzida
caso: V - defesa do consumidor:
I - sejam compatíveis com o plano plurianual e com a lei \11 - defesa do meio ambiente: Art. 177, Constituem monopólio da União:
de diretrizes orçamentárias; VIl - redução das desigualdades regionais e sociais; I - a pesquisa e a lavra das jazidas de petróleo e gás natural

Jornal da Constituinte 15
e outros hidrocarbonetos fluidos; reforma agrária.
11 - a refmação do petróleo nacional ou estrangeiro; § 1• A alienação ou a concessão, a qualquer título, de terras
UI - a importação e exportação dos produtos e derivados públicas com área superior a dois mil e quinhentos hectares a
básicos resultantes das atividades previstas nos incisos anteriores; pessoa física ou jurídica. ainda que por interposta pessoa, depen-
IV - o transporte marítimo do petróleo bruto de origem na- derá de prévia aprovação do Congresso Nacional.
cional ou de derivados básicos de petróleo produzidos no País, § 2• Excetuam-se do disposto no parágrafo anterior as alie-
bem assim o transporte, por meio de conduto, de petróleo bruto, nações ou as concessões de terras públicas para fins de reforma
seus derivados e gás natural de qualquer origem; agrária.
V - a pesquisa, a lavra, o enriquecimento, o reprocessamen- Art. 189. Os beneficiários da distribuição de imóveis rurais pela
to. a industrialização.e o comércio de minérios e minerais nucleares reforma agrária receberão títulos de domínio ou de concessão
e seus derivados. de uso, inegociáveis pelo prazo de dez anos.
§ 1• O monopólio previsto neste artigo inclui os riscos e Parágrafo único. O título de domínio e a concessão de uso
resultados decorrentes das atividades nele mencionadas, sendo serão conferidos ao homem ou à mulher. ou a ambos, independen-
vedado à União ceder ou conceder qualquer tipo de participação, temente do estado civil, nos termos e cond1ções previstos em lei.
em espécie ou em valor, na exploração de jazidas de petróleo
ou gás natural, ressalvado o disposto no art. 20, § 1•. Art. 190. A lei regulará e limita.rá a aquisição ou o arrendamento
§ 20 A lei disporá sobre o transporte e a utilização de materiais de propriedade rural por pessoa física ou jurídica estrangeira e
radioativos no território nacional. estabelecerá os casos que dependerão de autorização do Con-
gresso Nacional.
Art. 178. A lei disporá sobre:
I - a ordenação dos transportes aéreo, marítimo e terrestre; Art. 191. Quem, não sendo proprietário de imóvel rural ou urba-
11 - a predominância dos armadores nacionais e navios de no, possua como seu, por cinco anos ininterruptos, sem oposição,
bandeira e registros brasileiros e do país exportador ou importador; área de terra, em zona rural, não superior a .cinqüenta hectares,
111 - o transporte de granéis; tornando-a produtiva por seu trabalho ou de sua família, tendo
IV - a utilização de embarcações de pesca e outras. nela sua moradia, adquirir-lhe-á a propriedade.
§ I • A ordenação do transporte internacional cumprirá os Parágrafo único. Os imóveis públicos não serão adquiridos
acordos firmados pela União, atendido o princípio de reciprocidade. por usucapião.
§ 2• Serão brasileiros os armadores, os proprietários, os co-
mandantes e dois terços, pelo menos, dos tripulantes de embar- Capitulo IV
cações nacionais. DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL
§ 3• A navegação de cabotagem e a interior são privativas
de embarcações nacionais, salvo caso de necessidade pública, se- Art. 192. O sistema financeiro nacional, estruturado de forma
gundo dispuser a lei. a promover o desenvolvimento equilibrado do País e a servir aos
interesses da coletividade, será regulado em lei complementar, que
Art. 179. A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios disporá, inclusive, sobre:
dispensarão às microempresas e às empresas de pequeno porte, I - a autorização para o funcionamento das instituições fi-
assim definidas em lei, tratamento juridico diferenciado, visando nanceiras, assegurado às instituições bancárias oficiais e privadas
a incentivá-las pela simplificação de suas obrigações administra- acesso a todos os instrumentos do mercado financeiro bancário,
tivas. tributárias, previdenciárias e creditícias, ou pela eliminação sendo vedada a essas instituições a participação em atividades
ou redução destas por meio de lei. não previstas na autorização de que trata este inciso;
Art. 180. A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios U - autorização e funcionamento dos estabelecimentos de
promoverão e incentivarão o turismo como fator de desenvolvi- seguro, previdência e capitalização, bem como do órgão oficial
mento social e econõmico. fiscalizador e do órgão oficial ressegurador; ,.
UI - as condições para a participação do capital estrangeiro
Art. 181. O atendimento de requisição de documento ou infor- nas instituições a que se referem os incisos anteriores, tendo em
mação de natureza comercial, feita por autoridade administrativa vista, especialmente:
ou judiciária estrangeira. a pessoa fisica ou jurídica residente ou a) os interesses nacionais;
domiciliada no País dependerá de autorização do Poder compe- b) os acordos internacionais;
tente. IV - a organização. o funcionamento e as atribuições do
~pítulo 11 banco central e demais instituições financeiras públicas e privadas;
DA POLITICA URBANA V - os requisitos para a designação de membros da diretoria
do banco centrai e demais instituições financeiras, bem como seus
Art. 182. A política de desenvolvimento urbano, executada pelo impedimentos após o exercício do cargo; ·
Poder Público municipal, conforme diretrizes gerais fiXadas em lei,
VI - a criação de fundo ou seguro, com o objetivo de prote-
tem por objetivo ordenar o pleno desenvolvimento das funções ger a economia popular, garantindo crédítos, aplicações e depósitos
sociais da cidade e garantir o bem-estar de seus habitantes. até determinado valor, vedada a participação de recursos da União;
§ 1• O plano diretor, aprovado pela Câmara Municipal, obri- VIl - os critérios restritivos da transferência de poupança de
gatório para cidades com mais de vinte mil habitantes, é o instru- regiões com renda inferior à média nacional para outras de maior
mento básico da política de desenvolvimento e de expansão urbana.
desenvolvimento;
§ 2• A propriedade urbana cumpre sua função social quando VIII - o funcionamento das cooperativas de crédito e os re-
atende às exigências fundamentais de ordenação da cidade expres- quisitos para que possam ter condições de operacionalidade e
sas no plano diretor.
estruturação próprias das instituições financeiras.
§ 3• As desapropriações de imóveis urbanos serão feitas § 1• A autorização a que se referem os incisos I e 11 será
com frévia e justa indenização em dinheiro. inegociável e intransferível, permitida a transmissão do controle
4• É facultado ao Poder Público municipal, mediante lei da pessoa jurídica titular, e concedida sem ônus, na forma da
especifica para área incluída no plano diretor, exigir, nos termos
lei do sistema financeiro nacional, a pessoa jurídica cujos díretores
da lei federal, do proprietário do solo urbano não edificado, subuti- tenham capacidade técnica e reputação ilibada, e que comprove
lizado ou não utilizado, que promova seu adequado aproveitamento, capacidade econômica compatível com o empreendimento.
sob pena, sucessivamente, de:
§ 20 Os recursos financeiros relativos a programas e projetos
I - parcelamento ou edificação compulsórios;
de caráter regional, de responsabilidade da União, serão deposi-
11 - imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana
tados em suas instituições regionais de crédito e por elas aplicados.
progressivo no tempo;
m- desapropriação com pagamento mediante (rtulos da dí- § 3• As taxas de juros rea.is. nelas incluídas comissões e
vida pública de emissão previamente aprovada pelo Senado Fede- quaisquer outras remunerações direta ou indiretamente referidas
ral, com prazo de resgate de até dez anos, em · parcelas anuais, Art. 185. São insuscetíveis de desapropriação para fins de refor- à concessão de crédito, não poderão ser superiores a doze por
iguais e sucessivas, assegurados o valor real da indenização e os ma agrária: cento ao ano; a cobrança acima deste limite será conceituada
juros legais. I - a pequena e média propriedade rural, assim definida em como crírne de usura, punido, em todas as suas modalidades,
lei, desde que seu proprietário não possua outra; nos termos que a lei determinar.
Art. 183. Aquele que possuir como sua área urbana de até du- 11 - a propriedade produtiva.
zentos e cinqüenta metros quadrados, por cinco anos, ininterrup- Parágrafo único. A lei garantirá tratamento el'pecial à proprie-
tamente e sem oposição, utilizando-a para sua moradia ou de sua dade produtiva e fiXará normas para o cumprimento dos requisitos
família, adquirir-lhe-á o domínio, desde que não seja proprietário Título VIU
relativos a sua função social.
de outro imóvel urbano ou rural.
§ J• O título de domínio e a concessão de uso serão confe- Art. 186. A função social é cumprida 9uando a propriedade DA ORDEM SOCIAL
ridos ao homem ou à mulher, ou a ambos, independentemente ruraJ atende, simultaneamente, segundo criterios e graus de exigên-
do estado civil. cia estabelecidos em lei, aos seguintes requisitos: Capítulo I
§ 20 Esse direito não será reconhecido ao mesmo possuidor I - aproveitamento racional e adequado; DISPOSIÇAO GERAL
por mais de uma vez. 11 - utilização adequada dos recursos naturais disponíveis
§ 3• Os imóveis públicos não serão adquiridos por usuca- e preservação do meio ambiente;
111 - observância das disposições que regulam as relaÇões
Art. 193. A ordem social tem como base o primado do trabalho,
pião. e como objetivo o bem-estar e a justiça sociais.
de trabalho;
Capítulo 111
DA POLíTICA AGRJCOLA E FUNDIÁRIA IV - exploração que favoreça o bem-estar dos proprietários Capítulo 11
e dos trabalhadores. DA SEGURIDADE SOCIAL
E DA REFORMA AGRÁRIA
Art. 184. Compete à União desapropriar por interesse social, Art. 187. A política agrícola será planejada e executada na forma Seção/
para fins de reforma agrária, o imóvel rural que não esteja cum- da lei, com a participação efetiva do setor de produção. envolvendo
prindo sua função social, medíante prévia e justa indenização em produtores e trabalhadores rurais, bem como dos setores de comer- Disposições Gerais
títulos da dívida agrária, com cláusula de preservação do valor cialização, de armazenamento e de transportes, levando em conta,
especialmente: Art. 194. A seguridade social compreende um conjunto íntegra-
real, resgatáveis no prazo de até vinte anos, a partir do segundo do de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade,
I - os instrumentos creditícios e fiscais;
ano de sua emissão, e cuja utilização será definida em lei. destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência
§ 1• As benfeitorias úteis e necessárias serão indenizadas U - os preços compatíveis com os custos de produção e e à assistência social.
a garantia de comercialização;
em dinheiro. Parágrafo único. Compete ao Poder Público, nos termos da
§ 2• O decreto que declarar o imóvel como de interesse 111 - o incentivo à pesquisa e à tecnologia;
lei, organizar a seguridade social, com base nos seguintes objetivos:
social, para fins de reforma agrária, autoriza a União a propor a IV - a assistência técnica e extensão rural; I - universalidade da cobertura e do atendimento;
V - o seguro agrícola;
ação de desapropriação. VI - o cooperativismo; 11 - uniformidade e equivalência dos benefícios e serviços
§ 3• Cabe à lei complementar estabelecer procedimento às populações urbanas e rurais;
VII - a eletrificação rural e irrigação;
contraditório especial, de rito sumário, para o processo judicial 111 - seletividade e distributividade na prestação dos bene-
de desapropriaçao. VIII - a habitação para o trabalhador rural.
ficios e serviços;
§ 4• O orçamento fixará anualmente o volume total de títulos § I • Incluem-se no planejamento agrícola as atividades IV - irredutibilidade do valor dos beneficios;
da dívida agrária, assim como o montante de recursos para atender agroindustriais, agropecuárias. pesqueiras e florestais.
V - eqüidade na forma de participação no custeio;
ao programa de reforma agrária no exercício. § 20 Serão compatibilizadas as ações de política agrícola e VI - diversidade da base de financiamento;
§ 5• São isentas de impostos federais, estaduais e municipais de reforma agrária.
VIl - caráter democrático e descentralizado da gestão admi-
as operações de transferência de imóveis desapropriados para fins Art. 188. A destinação de terras públicas e devolutas será com- nistrativa, com a participação da comunidade, em especial de traba-
de reforma agrária. patibilizada com a política agrícola e com o plano nacional de lhadores, empresários e aposentados.

16 Jornal da Constituinte
I - controlar e fiscalizar procedimentos. produtos e substân-
Capítulo 111
cias de interesse para a saúde e participar da produção de medica- DA EDOCAÇAO, DA COLTORA
mentos, equipamentos, imunobiológicos, hemoderivados e outros
E DO DESPORTO
insumos;
11 - executar as ações de vigilância sanitária e epidemio- Seçào I
lógica, bem como as de saúde do trabalhador;
111 - ordenar a formação de recursos humanos na área de D a Ed ucação
saúde; Art. 20 5. A educação, direito de todos e dever do Estado e
IV - participar da formulação da política e da execução das da família, será promovida e incentivada com a colaboração da
ações de saneamento básico; sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu prepa-
V - incrementar em sua área de atuação o desenvolvimento ro para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.
científico e tecnológico;
VI - fiscalizar e inspecionar alimentos, compreendido o con- Art. 20 6. O ensino será ministrado com base nos seguintes
trole de seu teor nutricional, bem como bebidas e águas para princípios:
consumo humano; I - igualdade de condições para o acesso e permanência
VIl - participar do controle e fiscalização da produção, trans- na escola;
porte. guarda e utilização de substâncias e produtos psicoativos, 11 - liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o
tóxicos e radioativos; pensamento, a arte e o saber;
Vlll - colaborar na proteção do meio ambiente, nele com- 111 - pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas, e
preendido o do trabalho. coexistência de instituições públicas e privadas de ensino;
IV - gratuidade do ensino públi.c o em estabelecimentos ofi-
Seção/li ciais;
Da Previdência Soda/ V - valorização dos profissionais do ensino, garantido, na
forma da lei, planos ele carreira para o magistério público, com
Art. 201. Os planos de previdência social, mediante contribui- piso salarial profissionã1 e ingresso exclusivamente por concurso
ção, atenderão, nos termos da lei, a:
público de provas e títulos, assegurado regime jurídico único para
I - cobertura dos eventos de doença, invalidez, morte, incluí-
todas as instituições mantidas pela União;
dos os resultantes de acidentes do trabalho, velhice e reclusão;
VI - gestão democrática do ensino público, na forma da
Art. 195. A seguridade social será financiada por toda a socie- 11 - ajuda à manutenção dos dependentes dos segurados
de baixa renda; lei;
dade, de forma direta e indireta, nos termos da lei, mediante recur-
VIl - garantia de padrão de qualidade.
sos provenientes dos orçamentos da União, dos Estados, do Distrito 111 - proteção à maternidade, especialmente à gestante;
Federal e dos Municípios, e das seguintes contribuições sociais: IV - proteção ao trabalhador em situação de dese!'Tlprego Art. 207. As universidades gozam de autonomia didático-cien-
I - dos empregadores, incidente sobre a folha de salários, involuntário; tífica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial, e obede-
o faturamento e o lucro; V - pensão por morte de segurado, homem ou mulher. ao cerão ao princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e
11 - dos trabalhadores; cônjuge ou companheiro e dependentes. obedecido o disposto extensão.
111 - sobre a receita de concursos de prognósticos. no § 59 e no art. 202.
Art. 208. O dever do Estado com a educação será efetivado
§ I• As receitas dos Estados, do Distrito Federal e dos Muni- § 1• Qualquer pessoa poderá participar dos benefícios da mediante a garantia de:
cípios destinadas à seguridade social constarão dos respectivos previdência social, mediante contribuição na forma dos planos pre-
I - ensino fundamental, obrigatório e gratuito, inclusive para
orçamentos, não integrando o orçamento da União. videnciários.
os que a ele não tiveram acesso na idade própria;
§ 2• A proposta de orçamento da seguridade social será § 2• É assegurado o reajustamento dos beneficios para pre-
11 - progressiva extensão da obrigatoriedade e gratuidade
elaborada de forma integrada pelos órgãos responsáveis pela saúde, servar-lhes, em caráter permanente, o valor real. conforme critérios
ao ensino médio;
previdência social e assistência social, tendo em vista as metas definidos em lei.
UI - atendimento educacional especializado aos portadores
e prioridades estabelecidas na lei de diretrizes orçamentárias, asse- § 3• Todos os salários de contribuição considerados no cál- de deficiência, preferencialmente na rede regular de ensino;
gurada a cada área a gestão de seus recursos. culo de beneficio serão corrigidos monetariamente.
IV - atendimento em creche e pré-escola às crianças de
§ 3• A pessoa jurídica em débito com o sistema da seguri- § 49 Os ganhos habituais do empregado, a qualquer título, zero a seis anos de idade;
dade social, como estabelecido em lei, não poderá contratar com serão incorporados ao salário para efeito de contribuição previden-
V - acesso aos níveis mais elevados do ensino, da pesquisa
o Poder Público nem dele receber benefícios ou incentivos fiscais ciária e conseqüente repercussão em benefícios, nos casos e na
e da criação artística, segundo a capacidade de cada um;
ou creditícios. forma da lei.
VI - oferta de ensino noturno regular, adequado às condi-
§ 4• A lei poderá instituir outras fontes destinadas a garantir § 5• Nenhum benefício que substitua o salário de contri- ções do educando;
a manutenção ou expansão da seguridade social, obedecido o buição ou o rendimento do trabalho do segurado terá valor mensal
VIl - atendimento ao educando. no ensino fundamental,
disposto no art. 154, I. inferior ao salário mínimo.
através de programas suplementares de material didático-escolar,
§ !:)9 Nenhum beneficio ou serviço da seguridade social po- § 6• A gratificação natalina dos aposentados e pensionistas transporte, alimentação e assistência à saúde.
derá ser criado, majorado ou estendido sem a correspondente terá por base o valor dos proventos do mês de dezembro de cada
§ 1• O acesso ao ensino obrigatório e gratuito é direito públi-
fonte de custeio total. ano.
co subjetivo.
§ 6• As contribuições sociais de que trata este artigo só pode- § 7• A previdência social manterá seguro coletivo, de caráter
rão ser exigidas após decorridos noventa dias da data da publicação complementar e f!lcultativo, custeado por contribuições adicionais.
§ 2• O não-oferecimento do ensino obrigatório pelo Poder
Público, ou sua oferta irregular, importa responsabilidade da autori-
da lei que as houver instituído ou modificado, não se lhes aplicando § 8• E vedado subvenção ou auxílio do Poder Público às
dade competente.
o disposto no art. 150, 111, b. entidades de previdência privada com fins lucrativos.
§ 3• Compete ao Poder Público recensear os educandos no
§ 79 São isentas de contribuição para a seguridade social
as entidades beneficentes de assistência social que atendam às
Art. 202. É assegurada aposentadoria, nos termos da lei. calcu- ensino fundamental, fazer-lhes a chamada e zelar, junto aos pais
lando-se o beneficio sobre a média dos trinta e seis últimos salários ou responsáveis. pela freqüência à escola.
exigências estabelecidas em lei. de contribuição, corrigidos monetariamente mês a mês, e compro-
§ ~ O produtor. o parceiro, o meeiro e o arrendatário rurais, vada a regularidade dos reajustes dos salários de contribuição de
Art. 209. O ensino é livre à iniciativa privada, atendidas as se-
o garimpeiro e o pescador artesanal, bem como os respectivos guintes condições:
modo a preservar seus valores reais e obedecidas as seguintes
cônjuges, que exerçam suas atividades em regime de economia condições: I - cumprimento das normas gerais da educação nacional;
familiar. sem empregados permanentes, contribuirão para a seguri- 11 - autorização e avaliação de qualidade pelo Poder Público.
I - aos sessenta e cinco anos de idade. para o homem,
dade social mediante a aplicação de uma alíquota sobre o resultado e aos sessenta, para a mulher. reduzido em cinco anos o limite Art. 2 10. Serão fíxados conteúdos mínimos para o ensino fun-
da comercialização da produção e farão jus aos benefícios nos damental, de maneira a assegurar formação básica comum e res-
de idade para os trabalhadores rurais de ambos os sexos e para
termos da lei. peito aos valores culturais e artísticos. nacionais e regionais.
os que exerçam suas atividades em regime de economia familiar,
Seção// neste incluídos o produtor rural. o garimpeiro e o pescador arte- § I • O ensino religioso. de matrícula facultativa. constituirá
sanal; disciplina dos horários normais das escolas públicas de ensino
Da Saúde 11 - após trinta e cinco anos de trabalho, ao homem, e, após fundamental. ·
Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido trinta, à mulher, ou em tempo inferior. se sujeitos a trabalho sob § 2• O ensino fundamental regular será ministrado em língua
mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do condições especiais, que prejudiquem a saúde ou a integridade portuguesa, assegurada às comunidades indígenas também a utili-
risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e iguali- física, definidas em lei; zação de suas línguas maternas e processos próprios de aprendi-
tário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recupe- 111 - após trinta anos, ao profes