Sie sind auf Seite 1von 65

CONSTRUÇÃO

SUSTENTÁVEL
Reduzindo custos e riscos com a
sustentabilidade em canteiros de obras
Eng. Daniel K. Ohnuma
Comitê Diretor e Consultor Sênior
UNIDADE DE SUSTENTABILIDADE

MATERIAIS
SUSTENTÁVEIS
OPERAÇÃO &
MANUTENÇÃO

INTERIORES
SUSTENTÁVEIS
OBRAS
SUSTENTÁVEIS
SISTEMAS
PREDIAIS
EDIFICAÇÕES
SUSTENTÁVEIS
EFICIENCIA &
CONFORTO
CONSULTORIA DE OBRAS
SUSTENTÁVEIS
INDICADORES DE OBRAS SUSTENTÁVEIS

ÁGUA CARBONO
350 l/m2 250 kgCO2eq/m2

CANTEIROS DE
OBRAS
"Green Buildings"

ENERGIA RESÍDUOS
15 kwh/m2 0,25 m3/m2

CTE (2015)
SISTEMA DE GESTÃO DE OBRAS
SUSTENTÁVEIS | CTE
Prevenir e controlar os impactos ambientais e sociais da construção, gerando valor
para o empreendedor, trabalhadores e sociedade.

Atuação com
Planejamento da obra e Educação ambiental
fabricantes,
estratégias de e responsabilidade
fornecedores e
engenharia sustentável. social.
empreiteiros de obras.
PROJETO DE UM CANTEIRO DE
OBRAS SUSTENTÁVEIS

Plano de Controle de Erosão e Sedimentação |Plano de Setorização de resíduos, água,


energia | Mapeamento de fontes poluidoras de um canteiro de obras
TOP SOIL E PRESERVAÇÃO DA
VEGETAÇÃO LOCAL

Armazenamento e reuso do top soil | Paisagismo do


empreendimento |Proteção de árvores nativas
PROTEÇÃO DO PERÍMETRO DA OBRA

Solo exposto e processo Diques de contenção |


erosivo| Saída de sedimentos lastro de concreto | calha |
da obra. fiada de bloco.
PROTEÇÃO DO PERÍMETRO DA OBRA

Trincheiras drenantes |
Cercas filtrantes | Valas de
contenção de sedimentos.
SISTEMA DE LAVA RODAS

Controle de sedimentos
|Caixas de decantação |
Caixa de separação de
água e óleo | Reuso de
água.
SISTEMA DE LAVA RODAS
“AUTOMATIZADO”

Lavagem de veículos
automatizada | Reuso de
água | Maior mobilidade
CONTROLE SAIDA DE SEDIMENTOS

Área de carga e
descarga
estabilizada e
mantida limpa
Dispensa o uso do
lava rodas.
DRENAGEM PROVISÓRIA DA OBRA:
CONTROLE DE EROSÃO E SEDIMENTOS

Bacias de sedimentação
Trincheiras e valas naturais
de drenagem provisórias.
CONTROLE DE SOLIDOS SEDIMENTÁVEIS E
LEGISLAÇÃO APLICÁVEL

Ensaio de sólidos sedimentáveis através do “cone


de Imhoff”: limite 1ml/l (CONAMA 430/11)
DRENAGEM PROVISÓRIA DA OBRA:
CONTROLE DE EROSÃO E SEDIMENTOS

Sistemas temporários de
retenção de sedimentos.
PROTEÇÃO DE TALUDES PROVISÓRIOS E
DEFINITIVOS CONTRA EROSÃO

Biomanta de fibra de coco | chapisco de cimento e


areia | jateamento de cal | grama | lona plástica.
PROTEÇÃO DAS BOCAS DE LOBO

Contenção de sedimentos
sistemas de drenagem.
CONTROLE DA GERAÇÃO DE POEIRA

Aspersão de água e
estabilização de solos
expostos.
SISTEMA LAVA BICAS: CAMINHÕES
BETONEIRAS DE CONCRETO
SISTEMA DE TRATAMENTO DO
EFLUENTE DO SERVIÇO DE PINTURA
Redução da geração
de resíduos perigosos
| uso de floculante
vegetal | reuso da
água
PREVENÇÃO E CONTROLE DA
CONTAMINAÇÃO DO SOLO E ÁGUA

Sistemas de contenção de
vazamentos | proteção
contra intempéries | Kit
mitigação.
RESÍDUOS PERIGOSOS:
ARMAZENAMENTO TEMPORÁRIO

Gestão de Contaminantes |
CONAMA 420 |
NBR 12235
COLETA SELETIVA NOS CANTEIROS
DE OBRAS
Big-Bags | Tambores |
Resíduos perigosos |
Gesso | Recicláveis |
Entulho classe A |
CONAMA 307
RECICLAGEM DE RESÍDUOS NO
CANTEIRO DE OBRAS

Reciclagem de entulho e
madeira | Britadores móveis
GESTÃO DA QUALIDADE DO AR INTERNO
DURANTE A CONSTRUÇÃO
GESTÃO DO RUÍDO NOS CANTEIROS
DE OBRAS

Monitoramento do ruído |Máquinas |


Equipamentos | Veículos | Vizinhança |
NR 15 – Limites de Ruido
GESTÃO DA ÁGUA E ENERGIA NO
CANTEIRO DE OBRAS

Sistema de
monitoramento remoto |
Setorização da água e
energia |Aquecimento
solar | Reuso de águas
cinzas
GESTÃO DAS EMISSÕES DE GASES DE
EFEITO ESTUFA

Etapas e serviços de obra |Superestruturas de


concreto |Fundações |Maior impacto ambiental na
aquisição de materiais
RESPONSABILIDADE SOCIAL NOS
CANTEIROS DE OBRAS

Alfabetização |Inclusão
digital | Bibliotecas | Serviços
odontológicos | Educação
ambiental |Seconci
|Sinduscon |Senai
GESTÃO DE INDICADORES DE OBRAS
SUSTENTÁVEIS
Monitoramento da previsão
do tempo | Índices
pluviométricos |
Indicadores de resíduos,
emissões, água, energia.
Lançamento de Alteração na Planejar Custo de R$2.292,54
água com qualidade da tratamento do devido à multa.
poluentes na rede água e efluente e garantir
pluvial. interferência na o atendimento da
drenagem urbana Resolução
do local. CONAMA 430.
Atividade de Alteração Planejar localização, A obra paralisou por
escavação em qualidade da água, dimensões, sistema 5 dias e o custo da
época de chuvas e interferência na de tratamento e obra parada foi de
lava-rodas sem drenagem urbana manutenção do R$ 57.600,00/dia.
operar do local, incômodo lava-rodas.
corretamente. à comunidade.
A obra não realizou Não cumprimento Contato com Obra parou por 6
procedimento de da legislação o órgão ambiental meses.
arqueologia local, ambiental. e controle das Custo do dia parado:
sendo embargada. condicionantes da R$ 11.616,00.
licença ambiental da Totalizando mais de
obra. R$ 2 milhões.
Uso de recurso Esgotamento de Verificar viabilidade Economia de
natural para reservas minerais. de substituir agregado R$34,00/m³ de
atividades natural pelo reciclado. agregado, diminuição
provisórias no do volume de resíduos
canteiro de obras. para aterro (uso de classe A
britado).
ECONOMIA: R$ 14 MIL
Vol. gerado (s/ tratamento) = 20.000 (l)
Vol. gerado (c/ tratamento) = 1.600 (l)
Redução (volume) = 92%
Economia custo destinação = 33%
Alto consumo de Escassez de água e Uso de estratégia Economia de
água e geração de aumento do volume alternativa para R$ 46.240,00.
resíduos para de resíduos atividade de cura da Economia de
atividade de para aterro. laje: cura química. 4.760m3 de água.
cura de laje.
área (m2) economia R$/mês

100 4% = 12m3 (média) 150

300 11% = 35m3 (média) 455

500 19% = 57m3 (média) 755

800 Consumo Mensal de Água_Obra SP (m3)


600
400
200
0
Jan-12 Abr-12 Jul-12 Out-12 Jan-13 Abr-13 Jul-13 Out-13 Jan-14 Abr-14 Jul-14 Out-14
Geração de Aumento do volume Alternativas para Envio ao aterro:
grande quantidade de resíduos para aproveitamento do R$192.900,00 (custo).
de resíduos de aterro, contribuição resíduo em obra: Triturador: R$43 mil (custo).
madeira (3.215m³). para aquecimento trituração em obra para Uso para queima:
global devido as uso no paisagismo e R$50 mil (investimento)
emissões de GEE. queima para geração R$3.200,00 (economiamensal).
de energia.
Geração de Aumento do volume Compostagem Aterro sanitário: R$
resíduos de de resíduos para manual ou elétrica 1200,00/mês (3 caçambas de
orgânicos e envio aterro, contribuição em obra. 5m³).
para aterro para aquecimento Compostagem manual:
sanitário. global devido as R$ 700,00 (1 funcionário).
emissões de GEE. Compostagem elétrica:
R$ 65mil (400 funcionários).
Consumo de EE estimado 5.241,6 kwh
para 540 colaboradores:
Manutenção do Redução do custo
Custo mensal estimado
R$ 2.867,17 equipamento em e de consumo
com chuveiros elétricos:
SP demora na de energia.
Valor Aluguel Equipamentos: R$ 1.050,00
chegada de
Economia Mensal: R$ 1.817,17
peças importadas.
Economia Anual: R$ 21.806,04
Produto Valor (m²) Custo
Queima Redução de risco de
Biomanta R$ 4,15 R$ 8.300
rapidamente por desabamento, redução
Lona Plástica 300 micras R$ 10 R$ 20 mil ser material seco, de custo em relação a
fácil proteção comum, não
deslocamento por gera resíduos,
equipamentos, esteticamente mais
veículos e bonito.
pessoas.
Elevada burocracia do Economia prevista, porém não realizada, de R$ 30 mil/ano.
órgão ambiental para reuso Redução da demanda de água de concessionárias.
da água. Fim de uso de água potável para fins não nobres.
Redução emissões GEE.
Aumento de conteúdo reciclado.
Sem alteração de custo.
ECONOMIA: R$ 25 MIL
Resíduos Classe A = 98m³
Lona Plástica = 5m³
Madeira = 90m³
Manta Geotêxtil = 15m³
ECONOMIA: R$ 500 MIL
Lava rodas = R$ 28 mil
Consumo/dia = 130 m³
Reuso/dia = 80 m³
Economia/dia = R$ 1mil
ECONOMIA: R$ 51 MIL
Parede (258m X 2,35m)= 669,75 m²
Fabricação placas de concreto = 563
Sobras de concreto = 25 m³
Economia descarte sobras = R$ 1,6 mil
ECONOMIA: R$ 212 MIL
Qtd. EPI’s (máscaras)/mês = 40 un
Qtd. Filtros/mês = 300 un
Custo total EPI’s/semestre = R$ 7,3 mil
Custo lixadeira c/ aspirador = R$ 43 mil
Total rocha britada = 51 mil
Área circulação veículos = 115mil
ECONOMIA: R$ 30 MIL
Volume top soil = 560 m³
Terreno = 123.000 m²
Área construída = 72.000 m²
Economia: descarte de solo etapa inicial
e com compra de solo para paisagismo.
ECONOMIA: R$ 578 MIL
Demolição (área) = 3.794 m²
Agregado Reciclado = 8.243 m³
Venda Agregado (receita) = R$190 mil
Aterro e Nivelamento = 2.053 m²
Daniel K. Ohnuma
Comitê Diretor - Consultor Sênior
Unidade de Sustentabilidade
daniel@cte.com.br
(11) 99118-9179