Sie sind auf Seite 1von 26

RECEITAS PÚBLICAS

1) (Consultor de Orçamentos-Senado/1996) Tributo é toda a prestação pecuniária


compulsória, em moeda ou outro valor que em moeda possa ser expresso, sem
caráter de sanção de ato ilícito, instituída em lei, cuja cobrança deve ser efetuada
mediante a realização de ato administrativo absolutamente independente da vontade
do servidor responsável.

Comentários: Correta questão. Esta definição é dada pelo artigo 3° do Código


Tributário Nacional. O ato administrativo é plenamente vinculado, ou seja, a lei não
dá margem ao agente da administração tributária no que diz respeito à cobrança de
tributos: em decorrência do princípio da indisponibilidade do interesse público, nada
resta ao agente público a não ser exigir o tributo, uma vez acontecido no mundo real
o fato gerador deste tributo.

2) (Consultor de Orçamentos-Senado/1996) Imposto é o tributo cuja obrigação tem


como fato gerador uma situação independente de qualquer serviço estatal
especificamente prestado ao contribuinte.

Comentários: Correta questão. Art.16 do CTN.

3) (Consultor de Orçamentos-Senado/1996)Taxas são tributos cobrados em função do


exercício do poder de policia do Estado ou pela utilização de serviço público
especificamente prestado ao contribuinte, podendo ter base de cálculo ou fato
gerador idênticos aos dos impostos.

Comentários: Falsa.Art.145 da CF/88. As taxas não poderão ter base de cálculo


próprias de impostos.

4) (Consultor de Orçamentos-Senado/1996)A contribuição de melhoria é um imposto


cobrado para fazer face ao custo de serviços públicos especificamente prestados aos
contribuintes.

Comentários: Falsa, pois a contribuição de melhoria é decorrente de valorização


imobiliária decorrente de obras públicas. Ver Direito Financeiro e Controle Externo,
Valdecir Pascoal, pág 91 e 92, receita pública

5) (Consultor de Orçamentos-Senado/1996)Na classificação econômica das receitas


orçamentárias são sempre consideradas receitas correntes, com exceção das
contribuições de melhoria , que são consideradas como receitas de capital.

Comentários: Falsa, pois, as contribuições de melhoria são consideradas como


receitas correntes tributárias. Ver Direito Financeiro e Controle Externo, Valdecir
Pascoal, pág 91, receita pública.
CUIDADO!!!Os examinadores tentam enganar o candidato afirmando que a receita
de contribuição de melhoria é uma receita de contribuições!

6) (Consultor de Orçamentos-Senado/1996)No Brasil, as receitas lançadas, mesmo que


ainda não arrecadadas no exercício serão consideradas como auferidas neste
exercício, passando a constituir resíduos ativos a serem cobrados em anos
posteriores.

Comentários: Falsa, considerando que o artigo 35 da Lei 4320/64 define que


pertencem ao exercício financeiro as receitas nele legalmente arrecadadas, conclui-
se que é no momento da arrecadação que se inicia a realização da receita.

7) (Consultor de Orçamentos-Senado/1996)Caracterizam-se como receitas derivadas


aquelas que provem da exploração do patrimônio da pessoa jurídica de Direito
Publico.

Comentários: Falsa, a definição de receitas derivadas são aquelas oriundas do


chamado Jus Imperii, ou seja, do poder coercitivo do Estado de impor tributos. Ver
aula 03 Receitas Públicas, pág 13.

8) (Consultor de Orçamentos-Senado/1996)As receitas públicas caracterizam-se, em


sentido amplo, como um ingresso de recursos ao patrimônio público, resultante do
poder de Estado de exigir imposto dos cidadãos para custeamento das necessidades
públicas.

Comentários: Assertiva falsa, pois em sentido amplo, receitas públicas são todos os
ingressos ao cofre público, independente de ter contrapartida do passivo. Ver aula
03 Receitas Públicas, pág 05 à pág 08..

9) (Consultor de Orçamentos-Senado/1996)Deverão ser integralmente previstas na Lei


do Orçamento, em especial, as receitas decorrentes de operações de crédito por
antecipação de receita, as emissões de papel moeda e quaisquer entradas
compensatórias no ativo e no passivo financeiros.

Comentários: fala receitas provenientes de antecipação de receita são autorizadas


na Lei do Orçamento para atender desequilíbrios de caixa ou tesouraria durante a
execução do orçamento. Ver aula 03 Receitas Públicas, pág 12 e 13.

10) (AFCE-TCU/2006)As receitas correntes são as que não provêm da alienação de um


bem de capital ou que não estejam, na lei, definidas como de capital.

Comentários: correão apenas duas as categorias econômicas: Receitas correntes e


receitas de capital. Ver aula 03 Receitas Públicas, pág 8 e 9.

11) (AFCE-TCU/2006)Receitas públicas que estejam por ato do poder público,


vinculadas a realização de despesas correntes, são consideradas receitas de capital.

Comentários: Falsa, pois, receitas correntes são aquelas destinadas a atender


despesas correntes. Ver aula 03 Receitas Públicas, pág 08 e 09.

12) (AFCE-TCU/2006) As receitas de capital provêm da alienação de bens de capital, da


obtenção de empréstimos e das amortizações de empréstimos concedidos.

Comentários: verdadeiras receitas de capital as oriundas de alienação de bens,


amortização de empréstimos, transferência de capital e outras receitas de capital.
Ver aula 03 Receitas Públicas, pág 09 e 10.

13) (AFCE-TCU/2006)As categorias econômicas das receitas públicas podem ser


distribuídas por fontes e subfontes, podendo chegar a um maior detalhamento,
dependendo das necessidades de informação do órgão arrecadador.

Comentários: verdadeira classificada fonte, subfontes, rubrica, alínea e ainda


subalínea. Ver aula 03 Receitas Públicas, pág 11.

14) (AFCE-TCU/2006) As receitas tributárias são uma das fontes das receitas correntes.

Comentários: Correta. São divididas em impostos, taxas e contribuições de


melhoria. Ver aula 03 Receitas Públicas, pág 8.

15) (AFCE-TCU/2006)Estágio correspondente à previsão configura-se com a edição


legal do orçamento.

Comentários: Correta, pois n fase da previsão, nos termos do art. 12 da LRF,


deverão ser observadas as normas técnicas e legais, inclusive considerando
alterações ocorridas na legislação Ver aula 03 Receitas Públicas, pág 14.

16) (AFCE-TCU/2006)Existem determinadas receitas tributárias, como o imposto sobre


a renda de pessoas físicas, em que o estágio de lançamento não é percorrido.

Comentários: fala é feito por homologação ou auto lançamento, pois é feito pelo
próprio contribuinte e homologado pela administração.Valdecir Pascoal, pág 97,
estágios da receita.

17) (AFCE-TCU/2006)A arrecadação é o ato que se relaciona com a entrega de valores,


pelos agentes arrecadadores, ao Tesouro Público.

Comentários: Falsa.O recolhimento é fase onde ocorre à entrega pelos agentes


arrecadadores dos recursos arrecadados à conta única do Tesouro Público. Ver aula
03 Receitas Públicas, pág 13 e 14.

18) (Perito-PF/2007)São exemplos de receitas correntes : impostos, aluguéis de


máquinas, equipamentos ou veículos, dividendos, serviços de comercialização de
produtos agropecuários e receita da dívida ativa não tributária.

Comentários: Correta.tributos, patrimonial, serviços e outras receitas correntes


(dívida ativa tributária e não tributária). Ver aula 03 Receitas Públicas, pág 08 e 09.

19) (Perito-PF/2007)A receita corrente tributária é composta de impostos, taxas,


contribuições sociais, contribuições econômicas e contribuições de melhoria.

Comentários: Falsa.Contribuições embora possuam natureza tributária, nela não


são classificadas. Ver aula 03 Receitas Públicas, pág 8.
20) (Perito-PF/2007)Juros de empréstimos é uma receita corrente de serviço, resultante
das taxas de juros aplicadas a empréstimos concedidos, diferenciando-se dos juros
classificados na receita corrente patrimonial, por se tratar de receita operacional das
instituições financeiras.

Comentários: Correta.Receitas correntes de serviços são decorrentes das atividades


de prestação de serviços, comércio, transporte, comunicação, hospitalares e juros de
empréstimos concedidos.Ver Direito Financeiro e Controle Externo, Valdecir
Pascoal, pág 91, receita pública.

21) (Perito-PF/2007)As operações de crédito e amortização de empréstimos são itens da


receita pública orçamentária de capital, em ambas as transações o governo assume a
posição de devedor.

Comentários: Falsa.Amortizações de empréstimos são receitas obtidas quando o


Estado recebe o valor do principal dos empréstimos concedidos por ele a entidades
públicas ou privadas. Ver aula 03 Receitas Públicas, pág 10.

22) (TCU/1995)O empréstimo compulsório destinado a financiar investimento constitui


receita corrente, por ser de natureza tributária.

Comentários: Falsa. Embora tenha natureza de tributo, ela é considerada receita de


capital, pois é um empréstimo que deverá ser devolvido. Ver Direito Financeiro e
Controle Externo, Valdecir Pascoal, pág 93, receita pública.

23) A receita orçamentária passa por quatro fases, sendo que depois dos dois estágios
vem primeiramente o recolhimento de por último a arrecadação.

Comentário: Falsa. Primeiro vem a arrecadação e por último o recolhimento.


Conceito, pg 11, Aula 3, orçamento público.

24) A previsão da receita, também conhecida como receita orçada, é a estimativa de


quanto se espera recolher durante o exercício financeiro. Com base na estimativa da
receita, o governo planeja e define os gastos que comporão o PPA, LDO e LOA.

Comentário: Falsa. É a estimativa de quanto se espera arrecadar e não recolher,


ainda, comete o erro quando diz que comporão os gastos no PPA e LDO, na verdade
só comporá os gastos da LOA, pois as outras leis são em tese anteriores esta.
Conceito, pg 11, Aula 3, orçamento público.

25) A fase inicial da receita orçamentária é a previsão da receita, a qual, segundo lei de
responsabilidade fiscal exige, apenas, a observância para aquela previsão das normas
técnicas e legais; de acompanhamento de demonstrativos de evolução nos últimos
três anos, da projeção para os dois seguintes àquele a que se referirem, bem como da
metodologia utilizada e das premissas utilizadas.
Comentário: Errado. Conceito, pg 12, Aula 3, orçamento público. Falta a
consideração dos efeitos das alterações nas leis, da variação do índice de preços, do
crescimento econômico ou de qualquer outro fator relevante.

26) Os recursos arrecadados pelo estado, mas que geram um passivo, ou seja, terão que
ser restituídos, posteriormente, são denominados receitas extra-orçamentárias. Ou
seja, são receitas que não estão previstas no orçamento, e corresponde a uma entrada
de recurso que gera para o Estado a obrigação de posterior devolução. Podemos citar
como exemplos: Restos a pagar, amortização de empréstimos concedidos, serviço da
dívida a pagar e outras.

Comentário: Errado. Amortização de empréstimos concedidos são receitas


orçamentárias, Sergio Jund, pg 156, 3 ed., 2008.

27) Uma receita extra-orçamentária nunca poderá se converter em receita orçamentária,


já a receita orçamentária poderá em casos especiais se tornar uma receita extra-
orçamentária.

Comentário: Falsa. Uma receita extra-orçamentária poderá se transforma em


orçamentária quando perder o caráter obrigatório. CONCEITO PÁG. 6, AULA 3
ORÇAMENTO PÚBLICO.

28) A diferença entre receita orçamentária e a extra-orçamentária é o fato que a primeira


vai estar sempre prevista lei orçamentária anual enquanto a última não virá prevista
nesta lei.

Comentário: Errado. Não é sempre, mas pode ou não estar prevista na LOA.
CONCEITO PÁG. 7, AULA 3 ORÇAMENTO PÚBLICO.

29) As Receitas correntes podem ser do tipo: tributárias, de contribuições,


agropecuárias, patrimoniais, industriais, receitas de serviços e outras receitas
correntes.

Comentário: Verdadeiro. Apesar de que falta a receita por transferências correntes


o conceito está correto, pág 7, aula3, orçamento público.

30) Receita Tributária são os ingressos provenientes da arrecadação das receitas de


impostos, taxas e contribuições de melhoria. É uma receita privativa das entidades
competentes para tributar: União, Estados, Distrito Federal e os Municípios,
enquanto a receita de Contribuições é o ingresso proveniente de contribuições
sociais de intervenção no domínio econômico e de interesse das categorias
profissionais ou econômicas, como instrumento de intervenção nas respectivas
áreas, também conhecida como contribuição de melhoria, uma vez que proporciona
previdência, saúde e assistência social aos mais pobres de nossa sociedade.

Comentário: Errada. Não se confunda contribuição de melhoria com contribuição


social, aquela é mais um tipo de tributo, sendo esta um tributo que se caracteriza
pela intervenção do domínio econômico e de interesse das categorias profissionais
ou econômicas, como instrumento de intervenção nas respectivas áreas. Falaremos
mais sobre receita tributária em uma oportunidade próxima. Conceito, pg8, Aula 3,
orçamento público.

31) Receita Patrimonial é o ingresso proveniente de rendimentos sobre investimentos do


ativo permanente, de aplicações de disponibilidades em opções de mercado e outros
rendimentos oriundos de renda de ativos permanentes e receita Agropecuária é o
ingresso proveniente da atividade ou da exploração agropecuária de origem vegetal
o animal, ambas são exemplos de receita corrente.

Comentário: Verdadeira. Conceito, pg 8, aula 3, orçamento público.

32) São exemplos de receita corrente a receita Industrial que é o ingresso proveniente
da atividade industrial de extração mineral, de transformação, de construção e
outras, provenientes das atividades industriais definidas como tal pela Fundação
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatístico – IBGE e a receita patrimonial que é o
ingresso proveniente de outros órgãos ou entidades, referentes a recursos
pertencentes ao ente ou entidade recebedora ou ao ente ou entidade transferidora,
efetivados mediante condições preestabelecidas ou mesmo em qualquer exigências,
desde que o objetivo seja aplicação em despesas correntes.

Comentário: Falsa. O conceito de receita industrial na verdade é o conceito de


receita de transferências correntes. Conceito, pg 8, aula 3, orçamento público.

33) O rol de possibilidades de receitas correntes é taxativo, ou melhor, exaustivo;


somente, podendo ter os tipos ali elencados, quais sejam, tributárias, contribuições,
agropecuárias, industriais, transferências correntes e por último as receitas de
serviços ( denominadas pela legislação como aquelas que o ingresso é proveniente
da prestação de serviço de transporte, saúde, comunicação, portuário, armazenagem,
de inspeção e fiscalização, judiciário, processamento de dados, vendas de
mercadorias e produtos inerentes a atividades da entidade e outros serviços); sob o
risco do administrador ou legislador que acrescentar inovações.

Comentário: Falsa. Existe a possibilidade de se enquadrar em OUTRAS


RECEITAS CORRENTES, por ventura o administrador detectar tipos de receitas
ingressadas por outros motivos não elencadas como exemplo na questão.Conceito,
pg 8, aula 3, orçamento público.

34) O montante previsto para as receitas de capital por operações de crédito não poderá
ser superior ao das despesas de capital constantes do projeto de lei orçamentária.

Comentário: Verdadeira. Conceito, pg 9, aula 3, orçamento público.

35) A exceção à regra de ouro estabelecidas na LRF, a qual bem observa o regramento
da nossa Constituição, são que as receitas de operações de crédito poderiam ser
superiores às despesas de capital, desde que autorizadas, durante o exercício
financeiro, mediante créditos especiais ou extraordinários com finalidades precisas,
aprovadas pelo Poder Legislativo por maioria absoluta.
Comentário: Verdadeira. Conceito, pg 9, aula 3, orçamento público. A exceção que
a questão corretamente aponta está somente na nossa CF, nada se tem na LRF, e por
isso mesmo está com uma ADIN, por ser mais restrita que a CF. Ainda, para piorar,
não é mediante créditos extraordinários, mas créditos SUPLEMENTARES E
ESPECIAIS com finalidade precisa, aprovados pelo poder legiferante por maioria
absoluta. Conceito, pg 9, aula 3, orçamento público.

36) Amortização de Empréstimos é o ingresso proveniente da amortização, ou seja,


recebimento de valores referentes a parcelas de empréstimos ou financiamentos
concedidos em títulos ou contratos, por isso o classifica quanto à categoria
econômica como uma receita de capital e, sob o aspecto de sua natureza, é
classificado como receita extra-orçamentária.

Comentário: Falsa. Amortização de empréstimos concedidos são receitas


orçamentárias e de capital, sob o aspecto de sua natureza e de sua categoria
econômica. Conceito, pg 3 e 9, aula 3, orçamento público.

37) Alienação de Bens, receita de capital, de acordo com sua classificação quanto à
categoria econômica, é o ingresso de recursos provenientes da alienação de todo seu
ativo. ou seja, é a conversão em espécie de bens, mercadorias, títulos e direitos.

Comentário: Falsa. Está incorreta pelo fato de ser bens do ativo permanente, isto é,
conversão em espécie de bens e direitos. Conceito, pg 9, aula 3, orçamento público.

38) A receita orçamentária passa por quatro estágios ou fases, que são: previsão,
lançamento, arrecadação e recolhimento.

Comentário: Verdadeira. Conceito, pg 11, Aula 3, orçamento público

39) A receita orçamentária passa por quatro fases, sendo que depois dos dois estágios
vem primeiramente o recolhimento de por último a arrecadação.

Comentário: Falsa. Primeiro vem a arrecadação e por último o recolhimento.


Conceito, pg 11, Aula três, orçamento público.

40) A previsão da receita, também conhecida como receita orçada, é a estimativa de


quanto se espera recolher durante o exercício financeiro. Com base na estimativa da
receita, o governo planeja e define os gastos que comporão o PPA, LDO e LOA.

Comentário: Falsa. É a estimativa de quanto se espera arrecadar e não recolher,


ainda, comete o erro quando diz que comporão os gastos no PPA e LDO, na verdade
só comporá os gastos da LOA, pois as outras leis são em tese anteriores esta.
Conceito, pg 11, Aula três, orçamento público.

41) A previsão da receita, fase ou estágio inicial da receita orçamentária, começa com as
definições das estimativas da receita, no momento de elaboração da LOA, e encerra-
se com o lançamento fiscal.
Comentário: Verdadeira. Conceito, pg 12, Aula 3, orçamento público.

42) A fase inicial da receita orçamentária é a previsão da receita, a qual, segundo lei de
responsabilidade fiscal exige, apenas, a observância para aquela previsão das normas
técnicas e legais; de acompanhamento de demonstrativos de evolução nos últimos
três anos, da projeção para os dois seguintes àquele a que se referirem, bem como da
metodologia utilizada e das premissas utilizadas.

Comentário: Falsa. Conceito, pg 12, Aula três, orçamento público. Falta a


consideração dos efeitos das alterações nas leis, da variação do índice de preços, do
crescimento econômico ou de qualquer outro fator relevante.

43) Na previsão da receita, de acordo com a LRF, terá que adotar algumas regras, como
exemplo tem de considerar os efeitos das alterações na legislação, da variação do
índice de preços e de ser acompanhada da metodologia utilizada e das premissas
utilizadas.

Comentário: Verdadeira. Conceito, pg 12, Aula 3, orçamento público.

44) Quatro são os estágios da receita ordinária, sendo que o segundo, o lançamento, não
se confunde com o lançamento tributário, pois este é aquele que se verifica o quanto
o contribuinte de um imposto deve para a Fazenda Pública e aquele é justamente
técnica contábil utilizada para o registro das receitas orçamentárias, como exemplo,
a nível federal, as receitas são registradas no SIAF por esta técnica de lançamento.

Comentário: Falsa. Conceito, pg 13, Aula 3, orçamento público. Na verdade o


lançamento, fase da receita orçamentária, não se confunde com o lançamento
contábil.

45) Para alguns doutos o lançamento não é fase da receita orçamentária, de qualquer
maneira, o lançamento ocorre por três modalidades: lançamento de ofício,
autolançamento e lançamento por homologação.

Comentário: Verdadeira. Conceito, pg 13, Aula três, orçamento público.

46) Para alguns doutos no assunto orçamento público o lançamento e a arrecadação


fazem parte das fases da receita orçamentária, as quais são chamadas fases de
execução, por isso mesmo o lançamento não é considerado como estágio ou fase,
uma vez que se funde com a fase da arrecadação.

Comentário: Falsa. Conceito, pg 13, Aula 3, orçamento público. Realmente alguns


doutrinadores não acolhem como lançamento fase da receita tributária, mas não se
justifica por fase de execução, até mesmo porque essa fase é chamada para as fases
de arrecadação e de recolhimento.

47) A arrecadação, terceiro estágio da receita orçamentária, é o momento em que os


contribuintes comparecem perante os agentes arrecadadores e realizam o pagamento
dos seus tributos ou outros débitos para com o Estado, não se confundindo com o
lançamento, fase anterior, que é quando o Estado através de um procedimento
administrativo o qual se verifica a procedência do crédito fiscal, quem e quando se
deve pagar e inscreve em débito o contribuinte.

Comentário: Verdadeira. Conceito, pg 12 e 13, Aula 3, orçamento público.

48) Com a última fase da receita orçamentária, o recolhimento, a qual ocorre à efetiva
entrega da espécie aos cofres do Governo, constitui o início da realização da receita.
Assim, a partir do efetivo recolhimento é que ocorrerá a contabilização da receita,
obedecendo ao regime de caixa.

Comentário: Falsa. Conceito, pg 13 e 14, Aula 3, orçamento público. A fase que dá


o início da realização da receita é com a arrecadação. E, por conseguinte a sua
contabilização, seguindo o regime de caixa.

49) O conceito de Dívida Ativa tributária difere da Dívida Ativa não tributária, o qual
ressalta o fato da primeira estar ligada a todos tributos, isto é, impostos, taxas,
contribuições de melhorias, empréstimos compulsórios, contribuições sociais,
impostos residuais e impostos de guerra; já as não tributárias todas outras fontes que
não apontadas anteriormente.

Comentário: Falsa. Conceito, pg 15, Aula 3, orçamento público. Cuidado, para lei
4320/64, basta à dívida ativa tributaria ser proveniente de crédito dessa natureza
para que seja tributários, assim, os empréstimos compulsórios, as contribuições
instituídas em leis são consideradas como tal. Divergindo da lei 6830/80, art 2, que
faz parte da divida ativa não tributária os empréstimos compulsórios e as
contribuições instituídas em lei.

50) Os estágios da receita pública devem ser percorridos tanto pelas receitas
orçamentárias, quanto pelas receitas extra-orçamentárias.

Comentários: falsa. Os estágios a serem percorridos pela receita são para as receitas
que devam ter autorização legislativa, que são as orçamentárias. Ver aula 03
Receitas Públicas, pág 13 a 16.

51)(Analista Judiciário-TRF/2001)È receita orçamentária efetiva:

a) operação de crédito por antecipação de receita


b) recebimento de empréstimos concedidos em período anterior
c) diferença entre a receita obtida pela venda e o valor contábil do bem vendido
d) recebimento de receita de dívida ativa
e) aluguel do exercício, neste recebido.

Resposta alternativa e. Neste caso a receita aumenta o patrimônio como elemento


novo e positivo.Aula 03-Receitas Públicas.Pág 19 e 20.

52)(Analista Judiciário-TRF/2001)È receita extra-orçamentária:

a) doação recebida em dinheiro


b) impostos arrecadados relativos a exercícios anteriores
c) empréstimo tomado para atender insuficiência de tesouraria;
d) receita de serviços não previstos no orçamento;
e) venda de sucata

Resposta alternativa c.Art. 3º da L4320/64. Operação de crédito por antecipação


de receita é receita extra-orçamentária.Ver aula 03 Receitas Públicas pág. 06 e 07.

ATENÇÂO: Conforme Lei 4320 Comentada, o dispositivo em questão trata de


operação financeira de Tesouraria com efeitos no ativo e no passivo financeiros,
cujo produto não está vinculado a qualquer despesa ou compromisso. A sua
movimentação se faz de forma extra-orçamentária.

53)(Analista Judiciário-TRF/2001)Assinale a alternativa que indique uma receita de


capital:

a) Recita patrimonial
b) Receita industrial
c) Superávit de orçamento corrente
d) Transferência intragovernamental para despesas correntes
e) Receita de dívida ativa

Resposta alternativa c. Ver aula 03 Receitas Públicas, pág. 12. Superávit de


orçamento corrente é receita de capital extra-orçamentária destinada a cobrir déficit
de capital, pois como essa receita já foi considerada como orçamentária no exercício
em que houve o resultado positivo e contabilizada como extra-orçamentária para
que não haja duplicidade de receita.

ATENÇÂO: L4320/64 Art.11 §3º O Superávit do Orçamento Corrente,


resultante do balanceamento dos totais das receitas e despesas correntes, apurado na
demonstração a que se refere o anexo I, não constituirá item de recita orçamentária.
Explicando a aparente contradição, temos que, apurada a diferença das operações
correntes, esta é adicionada às receitas de capital, não constituindo recurso
orçamentário, pois de outra forma, estaria sendo computada novamente como
receita!

54)(AFCE-TCU/1998)São consideradas receitas de capital as provenientes:

a) do poder tributante do Estado


b) de atividades industriais do Estado;
c) de conversão em espécie de bens e direitos;
d) de atividade que provoca aumento do ativo, sem redução concomitante do
mesmo ou sem aumento do passivo;
e) da realização de recursos financeiros oriundos de constituição de dívidas

Resposta: alternativa c, classificação aula 03, pág. 09 e 10. L 4320/64, Art.11 §4º:
São receitas de capital: Operações de crédito, alienação de bens, amortização de
empréstimos, transferências de capital e outras receitas de capital.

55)(TCE-PE/APC/95) Não constituem receitas públicas, no seu sentido estrito as


decorrentes de:
a) venda de bem móvel;
b) empréstimo tomado a longo prazo;
c) operação de crédito por antecipação de receita;
d) arrecadação sem que previstas especificamente no orçamento;
e) cobrança de dívida ativa

Resposta alternativa c, pois todas as receitas extra-orçamentárias são entradas de


recursos com caráter devolutivo, não sendo consideradas como receitas stricto
sensu. Aula 03 Receitas Públicas, pág. 06.
ATENÇÂO: Quanto ao sentido, as receitas públicas podem ser: Lato (Amplo) que é
toda entrada ou ingresso de recursos públicos, que a qualquer título adentra aos
cofres públicos. Restrito (Stricto) toda entrada ou ingresso de recursos que se
incorporam ao patrimônio público sem compromisso de devolução posterior (receita
tributária, patrimonial, de serviços, alienação de bens etc.).

56) (AFC/2000)São consideradas receitas extra-orçamentárias:

a) aluguéis;
b) empréstimos obtidos;
c) recebimento da dívida ativa;
d) cauções em dinheiro efetuadas por prestadores de serviço;
e) as decorrentes de alienações de bens e serviços

Resposta alternativa d, pois as cauções são entradas provisórias que independem


de autorização orçamentária. Da mesma forma que entram ao cofre público, dele
deverá sair, sua permanência é provisória. Aula 03 Receitas Públicas, pág. 06e 07.
ATENÇÂO: São características dos ingressos extra-orçamentários:
 Registrados como passivo financeiro
 Não financiam as despesas extra-orçamentárias
 Geram desembolsos extra-orçamentários
 Não passam pelos estágios da receita
 Seguem classificação contábil
 Tem caráter temporário
 Pertencem a terceiros.

57)(Analista de orçamento-MARE/1999)Não constituem receitas públicas:

a) alienação de bens;
b) alienação de valores;
c) os descontos ocorridos em pagamentos quando consignados a terceiros;
d) recebimentos de empréstimos concedidos a longo prazo;
e) operações de crédito para cobertura de despesas fixadas.

Resposta alternativa c, pagamentos consignados a terceiros, bem como descontos


obtidos representam receitas extraordinárias. Ver aula 03 Receitas Públicas, pág.06.
ATENÇÃO: As receitas extra-ordinárias por serem apenas entradas de recursos
com caráter devolutivo, não são consideradas receitas stricto sensu, tendo em vista
que são registradas como receitas somente para controle e posterior devoluções.
Alienação de bens, alienação de valores, recebimentos de empréstimos, e operações
de crédito são classificadas como receita de capital.
58)(Analista de orçamento-MARE/1999)Relaciona-se diretamente com o princípio da
unidade de tesouraria:

a) a previsão de receita
b) o recolhimento de receitas;
c) a arrecadação de receitas somente;
d) a liquidação da despesa somente;
e) a arrecadação da receita e a liquidação da despesa.

Resposta alternativa b, O recolhimento de receitas é feito mediante recolhimento


de receitas à conta única do tesouro.
Aula 03 Receitas Públicas pág.16.
ATENÇÃO: Os estágios da receita são: previsão, lançamento, arrecadação e
recolhimento. Muitos doutrinadores não consideram o lançamento como estágio da
recita, entretanto as bancas CESPE, FCC e ESAF, para fins de concurso, o
reconhecem.

59)(Audicompmemsp) O quarto nível de arrecadação orçamentária da receita é definida


como:

a) rubrica;
b) fonte;
c) subfonte;
d) alínea;
e) n.d.a

Resposta alternativa a. Aula 03 Receitas Públicas, pág.11.


ATENÇÃO: Conforme a 4º edição do manual de procedimentos da receita pública,
aprovada pela portaria conjunta da secretaria do Tesouro Nacional Secretaria de
Orçamento Federal:
1- Categoria econômica
2- Origem
3- Espécie
4- Rubrica
5- Alínea
6-Subalínea

60) (PFN/1998)A garantia da União no endividamento interno e externo:

a) dependerá das diretrizes orçamentárias, exclusivamente;


b) terá limites e condições estabelecidos pelo Congresso Nacional;
c) dependerá do plano plurianual;
d) dependerá de limites e condições impostas pelo Senado Federal;
e) dependerá de decreto do Presidente da República.

Resposta alternativa d, conforme Valdecir Pascoal, p.111, os termos do art. 52,


incisos V a X, compete ao Senado Federal, dispor sobre limites globais e condições
para operações de crédito externo e interno da União, dos Estados, do DF e dos
Municípios.
IMPORTANTE:
 Dispor sobre dívida mobiliária federal cabe ao Congresso Nacional
 Dispor sobre dívida mobiliária dos Estados, DF e Municípios cabe ao Senado
Federal.
 Dispor sobre dívida consolidada da União, Estados, DF e Municípios cabe ao
Senado Federal.

61)De acordo com as regras da contabilidade pública nacional, é correto afirmar que,
quanto à forma de registro da receita:

a) todas as receitas são fatos modificativos;


b) todos os ingressos são considerados receitas;
c) o regime contábil é o da competência;
d) operações de crédito não são consideradas receitas;
e) todas as receitas são orçamentárias.

Alternativa correta é a b, todos os ingressos serão considerados como receitas, que


poderão ser orçamentárias ou extra-orçamentárias. Ver aula 03 Receitas Públicas,
pág. 06 e 07.
ATENÇÃO:
Os ingressos Públicos se classificam em receitas públicas e receitas não-públicas.
O Prof. Aliomar Baleeiro possui um conceito mais restrito de receita pública:
Receita Pública é a entrada que, integrando-se ao patrimônio público sem quaisquer
reservas, condições ou correspondências no passivo, vem acrescer o seu vulto, como
elemento novo e positivo.
A L 4320/64 Art.11 e as regras pertinentes à escrituração dos fatos contábeis, não
segue a conceituação proposta por Aliomar Baleeiro, pois assinala como receitas
públicas também recursos que tem contrapartida no passivo, como por exemplo, as
operações de crédito, geradoras de endividamento público.

62) (AUD/RECIFE/2003/ESAF) Não compreende renúncia de receita:

a) a anistia;
b) a remissão;
c) o subsídio;
d) o crédito presumido
e) a isenção em caráter geral.

Resposta alternativa e, pois para que se considere renúncia de receita, deverá o


poder público conceder isenções de caráter não geral, atingindo determinadas
pessoas ou categoria. Ver aula 05 – LRF- pág. 09 e 10.
ATENÇÃO:
Art.14 LRF trata de renúncia de receitas. Segundo Ricardo Lobo Torres, a renúncia
de receitas equivale a gasto tributário que saio mecanismos financeiros empregados
na vertente da receita pública (isenção fiscal, redução de base de cálculo ou alíquota
de imposto, depreciações para efeitos de IR, que produzem os mesmo resultados
econômicos da despesa pública (subvenções, subsídios, restituições de impostos,
etc.).

63) (AUD/RECIFE/2003/ESAF) São consideradas receita de capital:


a) Alienações de bens imóveis, investimentos e restituições;
b) Alienação de bens móveis, operações crédito internas e externas;
c) Operações de crédito externo, receita de dívida ativa e indenizações;
d) Restituição, dívida ativa e restos a pagar;
e) Alienação de títulos mobiliários, tarifas de pedágio e arrendamento.

Resposta alternativa b, pois receitas de capital são aquelas oriundas da conversão


em dinheiro de bens móveis ou imóveis e conversão em recursos através de
constituição de dívidas. Aula 03 Receitas Públicas, pág. 09 e 10.
ATENÇÃO:
Investimentos são despesas de capital, receita de dívida ativa é considerada em
receitas correntes como outras receitas correntes, tarifas de pedágio são receitas
correntes também.

64) (AUD/RECIFE/2003/ESAF) Constituem fontes das receitas públicas:

a) Receitas derivadas e Receitas complementares;


b) Receita patrimonial e Receitas Consolidadas;
c) Receita Tributária e Receitas complementares;
d) Receita Extraordinária e Receita judicial;
e) Receita tributária e Receita Patrimonial

Alternativa correta letra e, são fontes de receitas classificadas como correntes.


Aula 03 Receitas Públicas, pág.08.

65) (AUD/RECIFE/2003/ESAF) A Dívida Pública, contraída em curto prazo, para fazer


em face de despesas imediatas de Caixa, denomina-se:

a) Dívida flutuante;
b) Dívida consolidada;
c) Dívida fundada;
d) Dívida suplementar;
e) Dívida Ativa

Alternativa correta A, a dívida flutuante é composta de restos a pagar; serviços da


dívida a pagar; depósitos; débitos de tesouraria (ARO – destinado a cobrir
insuficiência de caixa ou tesouraria). Aula 06 de Contabilidade Pública.Pág. 12 e 13.

66)(TFC/2001) A lei 4320/64, que estatui as normas gerais de direito financeiro,


classifica as receitas públicas em receitas correntes e de capital. Indique entre as
opções abaixo, aquela que representa corretamente as despesas de capital.

a) Receitas tributárias, receitas dos contribuintes, receitas patrimoniais,


transferência de capital e outras receitas de capital.
b) Operações de crédito, alienação de bens, amortização de empréstimo,
transferência de capital e outras receitas de capital.
c) Operações de crédito, alienação de bens, receitas patrimoniais, receitas
agropecuárias recitas industriais.
d) Receitas tributárias, receitas de serviços, amortizações de empréstimos,
transferências de capital e outras receitas de capital.
e) Operações de crédito, receitas tributárias, receitas patrimoniais, transferências de
capital e outras receitas de capital.

Resposta alternativa b. Ver aula 03, Receitas Públicas, pág. 9. Classificação das
receitas de capital;
1-Operações de crédito
2)Alienação de bens
3)Amortização de empréstimos
4)Transferências de Capital
5) Outras receitas de capital

67)(TCE-RN/2000)No que diz respeito à receita pública, pode-se afirmar que:

a) as multas integram tanto as receitas tributárias quanto às de contribuições;


b) os recursos provenientes de endividamento e da privatização das estatais
constituem receitas de capital;
c) receitas originárias são as que provêm da capacidade impositiva do Estado;
d) as receitas extra-orçamentárias constituem excesso de arrecadação, a ser
utilizado na programação das despesas;
e) as dotações orçamentárias podem ser utilizadas independentemente da existência
de recursos nas respectivas fontes.

Resposta alternativa b. Recursos provenientes de endividamento através de


operações de crédito e contratação de empréstimos e financiamentos são uma das
fontes de receita de capital, bem como a alienação de componentes do ativo
permanente, através da conversão de bens e direitos, como venda das empresas
estatais. Ver aula 03,Receitas Públicas,pág. 10.
ATENÇÃO:
As multas não integram as receitas tributárias, mas sim são classificadas como
outras receitas correntes.
Receita originária consiste na receita proveniente da exploração do patrimônio
público, produzidas pelo ativo do Estado. As receitas derivadas consistem nas
receitas provenientes do poder de tributar do Estado.A receita derivada é
classificada como receita corrente!

68)(TCE/ESAF-2001)O compromisso financeiro assumido em razão de mútuo, abertura


de crédito, emissão e aceite de título, aquisição financiada de bens, recebimento
antecipado de valores provenientes da venda a termo de bens e serviços, para efeito
da Lei de Responsabilidade Fiscal é considerado:

a) dívida pública consolidada


b) dívida pública mobiliária;
c) operação de crédito;
d) dívida pública fundada;
e) concessão de garantia.

Resposta alternativa c.Valdecir Pascoal, Direito Financeiro e Controle externo,


pág. 113, em oportuno comentário acerca das novas definições de dívida pública:
I) Dívida Pública Consolidada: Montante total, apurado sem duplicidade, das
obrigações financeiras do ente da federação, assumida em virtude de leis, contratos,
convênios, ou tratados e da realização de operações de crédito, para amortização em
prazo superior a doze meses;
II) Dívida pública mobiliária: títulos emitidos pela União, inclusive as do Banco
Central do Brasil, dos Estados e dos Municípios;
III) Operações de crédito: compromisso financeiro assumido em razão de mútuo,
abertura de crédito, emissão e aceite de título, aquisição financiada de bens,
recebimento antecipado de valores provenientes da venda a termo de bens e
serviços, arrendamento mercantil inclusive com uso de derivativos financeiros.

69)(Auditor/TCE-SE/FCC/2002)Na apuração da Receita Corrente Líquida dos Estados,


deve-se deduzir da receita corrente:

a) a parcela do ICMS entregue aos municípios por determinação constitucional;


b) as retenções de contribuições previdenciárias dos servidores;
c) as operações de crédito realizadas;
d) as retenções de imposto de renda na fonte dos servidores;
e) os encargos patronais.

Resposta alternativa a. Valdecir Pascoal, Direito Financeiro e Controle externo,


pág. 105. Receita corrente líquida é o somatório das receitas tributárias,de
contribuições,patrimoniais,industriais,agropecuárias,de serviços,transferências
correntes e outras receitas correntes.,DEDUZIDOS:
Nos Estados: as parcelas entregues aos Municípios por determinação constitucional
(25% ICMS, 50% IPVA, 25% IPI-Exportação).
ATENÇÃO:
A contribuição dos servidores para o custeio de seu sistema de previdência e
assistência social ,bem como as receitas provenientes de compensação financeira,
entre os diversos sistemas de previdência serão deduzidos na União, nos Estados e
Municípios.

70)(AFC-2000)Acerca da receita pública, é correto afirmar que:

a) Em hipóteses alguma, nenhum tributo poderá ser exigido ou aumentado sem que
a lei o estabeleça, ou cobrado sem prévia autorização orçamentária;
b) o recolhimento deverá ser em estrita observância ao princípio da unidade de
tesouraria;
c) o superávit de orçamento corrente é considerado como receita corrente;
d) o lançamento enseja registro contábil;
e) as receitas correntes constituem, em princípio, fatos permutativos.

Resposta alternativa b. Ver aula 03 receitas públicas, pág. 16.


O recolhimento de todas as receitas far-se-à em estrita observância ao princípio da
unidade de tesouraria, vedada qualquer fragmentação para criação de caixas
especiais.
ATENÇÃO:
A alternativa “a” admite exceções, portanto não é absoluta em relação ao aumento
ou diminuição de alíquotas. Exemplo os tributos com funções extra fiscais, que além
da função fiscal, nestes predomina a função de controle ou intervenção na
economia,ou seja,objetiva intervir numa situação social ou econômica.Exemplo,
II,IE,IPI,IOF.
71)Integra-se ao Patrimônio Público por mutação ou efetivamente, sem correspondência
passiva. Estamos falando das (os):

a) ingressos no disponível;
b) entradas no caixa;
c) receitas extra-orçamentárias;
d) receitas públicas;
e) receitas previstas

Resposta alternativa D. Esse é o conceito de receita pública, que pode ser por
mutação (receitas de capital) ou efetivamente (receitas correntes). A arrecadação de
receitas correntes gera fato contábil modificativo e as de capital, fato permutativo.

72) Um ingresso de numerário será extra-orçamentário quando corresponder:

a) à entrada compensatória no ativo e passivo financeiro;


b) ao aumento de ativo financeiro realizável;
c) a diminuição de passivo financeiro;
d) a diminuição de ativo permanente;
e) ao aumento de passivo permanente.

Resposta alternativa a. Ao arrecadar receitas extra-orçamentárias, registra-se a


entrada do recurso na conta bancos, no ativo financeiro e concomitantemente
registro de depósitos no passivo financeiro.

73) A Lei 4320/64 classifica as receitas públicas em receitas correntes e receitas de


capital. Indique a opção que representa corretamente as receitas de capital.

a) Receitas tributárias, receitas dos contribuintes, receitas patrimoniais,


transferências de capital e outras receitas de capital;
b) Operações de crédito, alienação de bens, amortização de empréstimos,
transferências de capital e outras receitas de capital;
c) Operações de crédito, alienação de bens, receitas patrimoniais, receitas
agropecuárias e receitas industriais;
d) Receitas tributárias, receitas de serviços, amortizações de empréstimos,
transferências de capital e outras receitas de capital;
e) Operações de crédito, receitas tributárias, receitas patrimoniais, transferências de
capital e outras receitas de capital.

Resposta alternativa b. Conforme a 4320/64. Aula 03-Receitas Públicas. Pág 7.

74) Assinale a opção correta em relação às regras a serem obedecidas pelos entes
envolvidos nas transferências de recursos intergovernamentais (Portaria STN nº.
447, de 13.09.2002).

a) As receitas nas entidades beneficiárias das transferências somente devem ser


contabilizadas quando houver o repasse financeiro;
b) As receitas deverão ser reconhecidas no ente recebedor quando ocorrer à
liquidação no repassador, independentemente da transferência financeira;
c) Os entes repassadores deverão informar a cada bimestre o montante das
transferências financeiras efetuadas;
d) Os restos a pagar inscritos pelo repassador não constituem receitas no
beneficiário até que ocorra a transferência financeira;
e) O ajuste da receita no ente recebedor é obrigatório somente no final do
exercício.

Resposta alternativa b. O reconhecimento da receita, nas entidades beneficiárias,


será no momento em que o órgão repassador liquidar a despesa.

75) Assinale a opção que indica afirmação verdadeira em relação à execução


orçamentária da receita.

a) O registro da fixação de recita é contabilizado no sistema financeiro e no sistema


orçamentário;
b) A contabilização ocorre somente no registro da realização da receita;
c) No lançamento, a contabilização ocorre somente no sistema orçamentário ao
passo que na realização a contabilização afeta tanto o orçamentário como o
financeiro.
d) O registro contábil da execução orçamentária da receita em nenhuma situação
afeta o sistema patrimonial.
e) No Plano de Contas Único da Administração Federal as contas do sistema
orçamentário destinadas ao registro da execução da receita estão localizadas no
passivo e as drenadas ao registro da fixação estão localizadas no ativo.

Resposta alternativa c. Se for o caso do lançamento de receita, haverá registro no


sistema orçamentário. Na arrecadação não há dúvida de que são registrados
lançamentos nos sistemas orçamentário e financeiro.

76) A respeito da contabilização da Dívida ativa e sua evidenciarão na Demonstração


das Variações Patrimoniais é correto afirmar que:

a) As inscrições ocorridas no exercício são demonstradas nas Variações Passivas


Extra-Orçamentárias do exercício.
b) As inscrições ocorridas no exercício são demonstradas nas Variações Passivas
Orçamentárias do exercício;
c) Os cancelamentos ocorridos no exercício são demonstrados nas Variações
Ativas Orçamentárias.
d) As inscrições ocorridas no exercício são demonstradas nas Variações Ativas
Extra-Orçamentárias do exercício.
e) Os cancelamentos do exercício são demonstrados nas Variações Passivas
Orçamentárias.

Resposta alternativa d. A inscrição da dívida ativa gera uma variação ativa,


aumentado o patrimônio em função do direito a receber. Sua classificação na DVP
fica no grupo variações ativas independentes da execução orçamentário-acréscimo
patrimonial.
77) O princípio da não afetação da receita, nos termos da Constituição Federal, veda
vinculação:

a) da receita orçamentária em geral;


b) dos tributos em geral;
c) dos impostos, das taxas e das contribuições de melhoria,
d) dos impostos e das taxas;
e) dos impostos.

Resposta alternativa e. Art. 167, cf.

78) O regime orçamentário da receita é estabelecido:

a) pela sua previsão;


b) pela sua arrecadação;
c) pela sua inscrição como dívida ativa;
d) pelo seu recolhimento:
e) pelo seu lançamento.

Resposta alternativa b. Art. 35 da Lei 4.320/64. Aula 03-Receitas Públicas. Pág 13


e 14.

79) Caracteriza receita efetiva:

a) empréstimo tomado a ser pago em período subseqüente;


b) anulação de despesa de pessoal administrativo em exercício subseqüente;
c) alienação de Valores;
d) recebimento de Crédito;
e) incorporação de bens (doação)

Resposta alternativa b. Art. 38, Lei 4.320/64. Aula 03-Receitas Públicas. Pág 17

80)(ESAF-TFC/2000) A Lei nº. 4.320, de 17/03/64, que estatui as normas gerais do


Direito Financeiro, classifica as receitas públicas em receitas correntes e receitas de
capital. Indique, entre as opções abaixo, aquela que representa corretamente as
receitas de capital.

a) Receitas tributárias, receita dos contribuintes, receitas patrimoniais,


transferências de capital e outras receitas de capital.
b) Operações de crédito, alienação de bens, amortização de empréstimos,
transferências de capital e outras receitas de capital.
c) Operações de crédito, alienação de bens, receitas patrimoniais, receitas
agropecuárias e receitas industriais.
d) Receitas tributárias, receitas de serviços, amortizações de empréstimos,
transferências de capital e outras receitas de capital.
e) Operações de crédito, receitas tributárias, receitas patrimoniais, transferências de
capital e outras receitas de capital.
Resposta alternativa b. De acordo com a Lei nº. 4.320, de 17/03/64 que estabelece
quais são as receitas de capital. Aula 03-Receitas Públicas. Pág 9.

81)(Contador-CGM/1999)Os ingressos provenientes da realização de recursos


financeiros, oriundos de constituição de dívidas ou da conversão em espécie de bens
e direitos, classificam-se como receita:

a) patrimoniais;
b) corrente;
c) de capital;
d) transferências;
e) diferidas.

Resposta alternativa c. Art. 11, Parágrafo 2º da Lei 4320/64. Aula 03-Receitas


Públicas. Pág 9

82)(Técnico de Controle Externo-TCE-RJ/1998) A receita orçamentária pertencerá ao


exercício em que for:

a) estimada no exercício;
b) cobrada;
c) arrecadada;
d) inscrita na dívida ativa;
e) lançada.

Resposta alternativa c. Art. 35 da Lei 4320/64. Aula 03-Receitas Públicas. Pág 13


e 14.

83)(Contador-CGM/1999) Como exemplo de receita extra-orçamentária, temos:

a) contribuição de melhoria;
b) taxa;
c) os restos a pagar do exercício;
d) alienação de bens;
e) amortização de empréstimos.

Resposta alternativa c. Art. 103, par único, da Lei 4320/64.

84)(AFC/2002)A receita pública caracteriza-se como um ingresso de recursos ao


patrimônio público. Assinale a opção que não é considerada como receita corrente:
a) receita de contribuições;
b) receita da conversão, em espécie, de bens e direitos;
c) receita patrimonial;
d) receita agropecuária;
e) receita industrial.

Resposta alternativa b. Art. 11, par 2º, da Lei 4320/64. Aula 03-Receitas Públicas.
Pág 6 e 7.

85)(Contador-INPI/2000) As Transferências Correntes são:

a) as receitas decorrentes do retorno de valores anteriormente emprestados a outras


entidades de direito público;
b) as receitas originárias obtidas na aplicação de recursos;
c) as receitas derivadas que não têm classificação específica;
d) os recursos financeiros recebidos de outras pessoas de direito público ou
privado, visando ao atendimento de despesas correntes;
e) as receitas obtidas pela conversão, em espécie, de bens e direitos;

Resposta alternativa d. Art. 38 da Lei 4320/64. Aula 03-Receitas Públicas. Pág 8.

86)(Analista Judiciário-TRF/2002) Na codificação da receita orçamentária, os dígitos


que correspondem à categoria econômica são os:

a) primeiros;
b) primeiros e os segundos;
c) segundos;
d) segundos e os terceiros;
e) terceiros.

Resposta alternativa a. Portaria Nº. 163/2001 – SOF/STN. Aula 03-Receitas


Públicas. Pág 10.

87)) (Auditor do Tesouro Municipal-PMR/2003) São consideradas Receitas de Capital:

a) alienação de Bens Imóveis, Investimentos e Restituições;


b) alienação de Bens Móveis, operações de Crédito Internas e Externas;
c) operações de Créditos Externos, Receitas de Dívida Ativa e Indenizações;
d) restituição, Dívida Ativa e Restos a Pagar;
e) alienação de Títulos Mobiliários, Tarifas de Pedágio e Arrendamentos.
Resposta alternativa b. Art. 11 da Lei 4320/64. Aula 03-Receitas Públicas. Pág. 10

88)(Analista de Controle Externo-TCU/2004) Acerca do conceito e das classificações


das receitas utilizadas nos orçamentos públicos, assinale a alternativa incorreta.

a) As classificações econômicas da receita e da despesa compreendem as mesma


categorias: correntes e capital. O superávit do orçamento corrente, que resulta do
balanceamento dos totais das receitas e despesas correntes, constitui item da
receita orçamentária de capital.
b) São recitas de Capital as provenientes da realização de recursos financeiros
oriundos de constituição de dívidas; da conversão em espécie, de bens e direitos;
os recursos recebidos de outras pessoas de direito público ou privado destinados
a atender despesas classificáveis em Despesas de Capital e, ainda, o superávit do
Orçamento Corrente.
c) Receita orçamentária é a entrada que é acrescida ao patrimônio público como
elemento novo e positivo, integrando-se a eles sem quaisquer reservas,
condições ou correspondência no passivo.
d) Caracterizam-se como receitas derivadas aquelas que provêm da exploração do
patrimônio da pessoa jurídica de Direito Público.
e) As receitas públicas caracterizam-se, em sentido amplo, como um ingresso de
recursos ao patrimônio público, resultante do poder do Estado de exigir
impostos dos cidadãos para custeamento das necessidades públicas.

Resposta alternativa e. Art. 11 da Lei 4320/64. Aula 03-Receitas Públicas. Pág 12

89)De acordo com as regras da contabilidade pública nacional, é correto afirmar, quanto
à forma de registro da receita, que:

a) todas as receitas são fatos modificativos;


b) todos os ingressos são considerados receitas;
c) o regime contábil é o da competência;
d) operações de crédito não são consideradas receitas;
e) todas as receitas são orçamentárias.

Resposta alternativa b. Aula 03-Receitas Públicas. Pág 5.

90)Quanto à natureza econômica da receita e despesa, o orçamento brasileiro a partir de


2000 passou a apresentar duas contas. Assinale a opção correta.

a) operações de crédito e juros da dívida pública;


b) inversões financeiras e receita de contribuição;
c) poupança e déficit;
d) corrente e capital;
e) receita tributária e despesa de pessoal
Resposta alternativa d. Aula 03-Receitas Públicas. Pág 7.
Receitas correntes destinadas a atender despesas correntes, de capital destinan-se a
atender as despesas de mesma categoria.

91)De acordo com os ditames estabelecidos pela Lei nº. 4.320/64, em relação à receita
orçamentária, NÃO é correto afirmar que:

a) o tributo é uma receita derivada que compreende os impostos, taxas e


contribuições;
b) o superávit do orçamento corrente constituirá item de receita orçamentária;
c) o produto da arrecadação do tributo é destinado ao custeio das atividades
exercidas pelas entidades de direito público;
d) as receitas correntes são destinadas a atender despesas classificáveis em
despesas correntes;
e) são exemplos de receitas de capital as provenientes da conversão em espécie,
de bens e direitos

Resposta alternativa b. Aula 03-Receitas Públicas. Pág 10 e 11. O superávit é


considerado receita de capital, porque normalmente é utilizado para cobrir déficit de
capital. Como essa receita já foi considerada como orçamentária no exercício em
que houve o resultado positivo ela é contabilizada como extra-orçamentária para que
não haja duplicidade de receita.

92)De acordo com a norma vigente, as mutações ativas e passivas relacionam-se a


contabilização de fatos permutativos, ao passo que as variações ativas e passivas
relacionam-se a contabilização de fatos modificativos. Assinale, entre as opções
abaixo, aquela que se configura como um fato modificativo:

a) Inscrição da dívida ativa.


b) Recebimento da dívida ativa.
c) Alienação de bens.
d) Aquisição de material de consumo para estoque.
e) pagamento de empréstimos.

Resposta alternativa a. Aula 03-Receitas Públicas. Pág 14.

93)No que diz respeito à receita pública, pode-se afirmar que:

a) as multas integram tanto a receita tributária quanto a de contribuições;


b) os recursos provenientes de endividamento e da privatização de estatais
constituem receitas de capital;
c) receitas originárias são as que provêm da capacidade impositiva do Estado; d) as
receitas extra-orçamentárias constituem excesso de arrecadação, a ser utilizado
na programação das despesas;
d) as dotações orçamentárias podem ser utilizadas independentemente da existência
de recursos nas respectivas fontes.

Resposta alternativa b. Aula 03-Receitas Públicas. Pág 9.


94) No que concerne à classificação da receita pública, marque a alternativa incorreta:

a) As receitas correntes são as que não provêm da alienação de um bem de capital


ou que não estejam, na lei, definidas como de capital.
b) Receitas públicas que estejam, por ato do poder público, vinculadas à realização
de despesas correntes são consideradas receitas de capital.
c) As receitas de capital provêm da alienação de bens de capital, da obtenção de
empréstimos e das amortizações de empréstimos concedidos.
d) As categorias econômicas das receitas públicas podem ser distribuídas por
fontes e subfontes, podendo chegar a um maior detalhamento, dependendo das
necessidades de informação do órgão arrecadador.
e) As receitas tributárias são uma das fontes das receitas correntes.

Resposta alternativa b. Aula 03-Receitas Públicas. Pág 8 e 9.

95) (TRF) O estágio da receita pública, no qual se verifica o princípio da unidade de


tesouraria, é o:

a) do recebimento;
b) do recolhimento;
c) do lançamento;
d) da arrecadação;
e) do empenho.

Resposta alternativa b. Aula 03-Receitas Públicas. Pág 14. IMPORTANTE!! O


recolhimento de todas as receitas far-se-á em estrita observância ao princípio de
unidade de tesouraria, vedada qualquer fragmentação para criação de caixas
especiais.

96)(Assessor Contábil-MPE/RGS/2001) A receita pública classificar-se-á nas seguintes


categorias econômicas: Receitas Correntes e Receitas de Capital. As contribuições
de melhoria são classificadas como:

a) transferências correntes;
b) receita tributária;
c) receita patrimonial;
d) receita industrial;
e) receitas diversas.

Resposta alternativa b. Aula 03-Receitas Públicas. Pág 7.

97)(AFC/2000) Acerca da receita pública, é correto afirmar que:


a) em hipótese alguma, nenhum tributo poderá ser exigido ou aumentado, sem que
a lei o estabeleça, ou cobrado sem prévia autorização legislativa;
b) o recolhimento deve ser feito em estrita observância ao princípio da unidade de
tesouraria;
c) o superávit do orçamento corrente é classificado como receita corrente;
d) o lançamento enseja registro contábil;
e) as receitas correntes constituem, em princípio, fatos permutativos.

Resposta alternativa b. Aula 03-Receitas Públicas. Pág 14.

98)(Auditor do Tesouro Municipal-PMR/2003)Constituem fontes das Receitas públicas:

a) receitas derivadas e receitas complementares;


b) receita patrimonial e receitas consolidadas;
c) receita tributária e receitas complementares;
d) receita extraordinária e receita judicial;
e) receita tributária e receita patrimonial.

Resposta alternativa e.

99)(AFC-STN/2005) Assinale a opção falsa em relação à receita pública, de acordo com


o que dispõe o Manual de Procedimentos da Receita Pública, de que trata a Portaria
STN nº. 219, de 29.04.2004.

a) Receita pública são todos os ingressos de caráter não devolutivo auferidos pelo
poder público.
b) A receita pública efetiva é aquela em que os ingressos de disponibilidades de
recursos não foram precedidos de registro de reconhecimento do direito e não
constituem obrigações correspondentes.
c) Os ingressos provenientes da prestação de serviços são classificados como
Receitas Correntes.
d) A receita pública pode ou não provocar variação na situação patrimonial líquida.
e) As receitas de capital somente podem ser aplicadas em despesa de capital.

Resposta alternativa e. Aula 03-Receitas Públicas. Pág 7 e 9.


100)(AFC-STN/2005) A receita na Administração Pública representa as operações de
ingressos de recursos financeiros nos cofres públicos. Identifique a opção não
pertinente em relação às receitas correntes.
a) receitas imobiliárias
b) receitas de contribuições sociais
c) contribuição de melhoria
d) receita de serviços
e) alienação de bens móveis e imóveis

Resposta alternativa e. Aula 03-Receitas Públicas. Pág 7,8 e 9.