Sie sind auf Seite 1von 25

Viva Melhor

Marcos Wunderlich

Duas coisas me trouxeram até aqui: minha experiência de vida e um longo processo de autodesenvolvimento e aprendizado. Através desses dois fatores, fui capaz de descobrir algumas chaves bastante importantes para estabelecer um relacionamento mais saudável e pleno

comigo mesmo e com as pessoas ao meu redor, em

todos os âmbitos da vida.

Gostaria, portanto, de compartilhar com você meu conhecimento, para que saibamos lidar de forma mais coerente e assertiva com as dificuldades e percalços do

caminho. Apresentarei a você 15 pontos essenciais para a

transformação pessoal e a harmonização dos relacionamentos. Cada um destes pontos representa um foco que devemos ter na busca de atitudes e posturas que podemos cultivar para nos engrandecer e nos auxiliar a viver melhor.

Contido-Conter

O conceito de Contido-Conter é bastante importante pois é referente à nossa concepção de vida ou visão de mundo. Para a compreensão deste conceito, é preciso olhar o mundo de fora, como um espectador. Como se pudéssemos ver o planeta de longe, girando em torno

de si mesmo e do sol. Vivemos neste planeta, somos

parte dele. E ele tem muito a nos ensinar. Nele estão contidos vários elementos: o ar, a água, a terra, o calor, o espaço. Estes são elementos básicos, pois tudo é composto por eles. Nós inspiramos o ar, portanto o ar também está dentro de nós. Nós bebemos água,

portanto ela está em nosso corpo. O mesmo acontece

com os alimentos vindos da terra. Temos também o calor e o espaço internos, como nos pulmões, no estômago ou até mesmo nos espaços de um simples átomo.

Esta relação com os elementos é uma constante troca.

Estamos sempre respirando, nos alimentando, ingerindo

água, adquirindo e dissipando calor. Em resumo: somos uma mini planeta.

Tudo o que está fora de nós, no planeta, está também aqui dentro de nós. Salvas as devidas proporções, nós

estamos no universo e ele está em nós. Esta é a relação

Contido-Conter. Quando percebida de forma mais intensa e profunda, termina por nos fundir com o todo.

Para fins de exemplificação, podemos pensar no espaço vazio dentro de um copo. O espaço dentro dele é o

mesmo que está fora dele, certo? Ou o espaço de uma casa, também não é o mesmo que está fora dela? O que quero dizer para você, de uma forma mais profunda, é que todos somos um. O ser humano é indissociável do todo. Existe uma unidade, uma totalidade. Quando nos damos conta disto, surgem mudanças profundas dentro de nós. Quando percebemos e sentimos essa indissociabilidade com o todo, ampliamos a nossa consciência e nossa visão. A partir desta ideia, desta contemplação, é possível chegar à percepção da beleza e da perfeição da vida. Isto por si só já é algo que nos

ajuda a viver melhor. Faz com que surja um processo de

amor e compaixão dentro de nós. Este amor, inevitavelmente, estende-se para o outro, porque o outro também faz parte do todo. O outro é um igual. Desta forma adquire-se mais compaixão e respeito por tudo e todos ao redor. Tornamo-nos pessoas melhores,

inseridas no fluxo da vida e nas leis universais.

Comunicação Real

A Comunicação adequada funciona como uma poderosa ferramenta para melhorar relacionamentos. É essencial que se diga o que precisa ser dito. E na hora

certa, da forma certa. Esta é uma maneira de evitar

suposições, “achismos” ou duplas interpretações que acabam muitas vezes por causar desentendimentos. A negociação também é uma estratégia importante para que haja uma comunicação efetiva: negocie de forma explícita com sua equipe, amigos e familiares. Quando

nos comunicamos com clareza, sem segundas intenções

e sem manipulações, passamos a ter, por consequência, mais paz e tranquilidade interior.

Este tipo de comunicação é algo que se pode cultivar. Podemos nos fazer entender pelo outro, assim como podemos entender o outro. Podemos manter o diálogo, a comunicação real, sem nunca levantar a voz. Esta também é uma forma de viver melhor.

Evitar fala inútil

Muitas vezes nos tornamos superficiais ao falar coisas que não precisam ser ditas. Acabamos por comentar programas de TV, reproduzir piadas de mau gosto, debater sobre a vida alheia. Porém, o ser humano está necessitado de contato, de aproximação do outro, de

aprendizado conjunto. E este tipo de fala inútil nos

conduz para o caminho contrário, o afastamento. O aprofundamento das relações humanas se faz necessário, e só pode acontecer através da fala construtiva, da troca de experiências. Compartilhar e ouvir significa aprender. Afinal, todos são nossos professores. Todos têm muito a

nos ensinar. Devemos ser humildes para assumir essa

posição de eternos aprendizes. Até mesmo pessoas que nos afrontam, incomodam ou desafiam são nossos professores. São elas que nos ensinam sobre paciência e sobre resiliência. Para vivermos melhor, portanto, não devemos nos ater à superficialidade.

Quando a fala é útil, ela também respeita a verdade de cada um. Não atinge a vida ou modo de pensar de pessoas ausentes. Aceita a diferença de pensamento do outro sem querer impor o seu.

Tome cuidado quando você achar que está certo. Não há e nunca haverá uma verdade única. Cada um

enxerga a sua verdade. E a verdade que nos serve

hoje, amanhã pode já não servir mais. Tudo muda. Nós mudamos. Passamos por diferentes fases, revemos nossos conceitos, nossas visões. E isto é muito saudável, faz parte da vida.

Então, que tenhamos respeito com o que os outros dizem e cuidado com o que dizemos. O diálogo é positivo, mas a imposição de pensamentos e crenças não é respeitosa.

Viver o Agora

Para viver melhor, é preciso saber viver o agora. Estar

focado no momento presente. Afinal, ele é tudo o que temos. Tudo é sempre o momento presente e sempre será. Estamos eternamente no agora e só temos o agora para viver. O passado não existe mais, é apenas uma memória. O futuro ainda não chegou, é apenas

imaginação. Portanto, vivamos o momento presente. nele há paz. nele pode existir a felicidade que procuramos. Ela nunca está no passado ou no futuro. Conectar-se com o presente é conectar-se com a vida. Faça silêncio agora e perceba a paz que existe à sua volta. Se você for capaz de acessar essa paz, você pode levá-la para tudo o que você faz no dia a dia. Ela é uma paz profunda que já temos, que já está acessível para cada um de nós. Nos acostumamos a buscar felicidade só no futuro, condicionados à realização de algo que ainda não aconteceu. Este tipo de felicidade

condicionada é superficial e passageira. Dependerá de

uma situação externa e terá prazo de validade. A paz do presente é uma felicidade permanente, profunda, própria

da vida.

Viver o agora não significa deixar de fazer planos para o futuro ou apagar o passado. Significa apenas não estar preso a nenhum deles. Muitas vezes tentamos trazer o passado para o presente: reproduzimos velhos

comportamentos, alimentamos memórias, julgamos

pessoas pelo que eram e fizeram. Tentamos também adiantar o futuro: antecipamos preocupações, queremos ter controle de tudo, planejamos em excesso. Como resultado dessas prisões ao passado e ao futuro, temos sintomas como medos, ansiedades, expectativas,

decepções, etc.

Proponho a você que levemos a vida de uma forma mais tranquila, mais solta, mais fluida. Que vivamos o momento presente e percebamos cada momento como um momento único e maravilhoso. Uma dádiva divina para nós.

Valorização da Vida

A Vida é uma consciência profunda que nos faz estar presentes no agora. Ela é um dom completamente gratuito que nos é dado. É uma preciosidade interna,

que está dentro de cada um de nós. A vida não se

resume ao que fazemos ou o que temos. Ela vai bem

mais além. Portanto, evite rotular-se ou rotular os outros. Nós não somos nossos empregos ou as funções que exercemos em sociedade. Não somos gerentes ou

funcionários, pais ou filhos, maridos ou esposas

mais. Estes são apenas personagens que criamos, papéis

que assumimos.

somos

Na verdade, nós somos os criadores destes personagens. Somos seres humanos grandes e maravilhosos que possuem consciência e capacidade criativa o tempo todo.

Procure não se confundir com seu papel e nem se limitar

a ele. Note a vida presente em você o no outro. É a mesma vida, em cada um de nós. Não veja seu filho apenas como seu filho ou sua mãe apenas como sua mãe. Perceba-os como seres humanos iguais a você, partilhando a mesma vida. Abrace-os e sinta a diferença.

De Igual para Igual

Somos, apesar de nossas diferenças, todos iguais. Nossa essência de vida é a mesma. Estar consciente disso é um passo importante para viver melhor e contribuir para que os outros também vivam melhor. Quem tem essa consciência coloca-se sempre de igual para igual perante às pessoas. Sabe que não é melhor e nem pior

que ninguém. Nem acima, nem abaixo.

Para viver melhor, são necessárias atitudes de equanimidade. Ou seja: perceber que tudo surge do um. Tudo é igual, tudo nasce da mesma forma. Então todos temos o mesmo valor. Perceber-se igual ao outro

gera uma paz profunda dentro de nós.

Aprendizagem permanente

Todos nós estamos em constante aprendizagem. Ninguém está pronto. Somos eternos aprendizes. É essencial que tenhamos humildade e aceitemos essa condição. Nunca saberemos tudo e nem mais que o outro. A postura de aprendizagem é o que nos fazer ser cada vez melhores e mais hábeis em tudo o que fazemos.

As pessoas ao nosso redor estão constantemente contribuindo para o nosso crescimento das mais variadas e inusitadas formas. São todos nossos professores. Pessoas chatas, por exemplo, são professores de paciência, de compreensão, de empatia. Um trânsito horrível funciona como um professor de calma. Um morador de rua pode ser um professor de generosidade. As pessoas e situações ativam em nós, o tempo todo, pensamentos e emoções que nos ensinam.

Lealdade e Alegria

Tanto a Lealdade quando a Alegria são duas posturas que optamos por assumir ou não durante a vida. Ambas têm o poder de nos fazer muito mais felizes e

harmoniosos.

Ser leal às pessoas (no trabalho, na família, com amigos

e relacionamentos amorosos) é uma atitude que gera

um campo de felicidade e paz. O companheirismo, bondade e comprometimento são fundamentais para o

equilíbrio tranquilo de tudo.

A alegria, por sua vez, é algo intrínseco ao ser humano. Nós já somos interiormente alegres por natureza, embora às vezes esqueçamos disso. Por vezes nos entregamos às armadilhas da nossa mente, que só enxerga problemas e tristeza. Devemos nos lembrar, no entanto, que o simples fato de estarmos vivos já é motivação o bastante para constante alegria interior.

Entreajuda

Nas relações humanas, a entreajuda se faz uma questão imprescindível para viver melhor. A disposição para ajudar o outro e pedir por ajuda são atitudes que compõem o sentido de irmandade e de utilidade do ser humano.

É admirável a disponibilidade interna de uma pessoa para ajudar a outra. E é algo que todos nós podemos cultivar dentro de nós a partir do conceito de Contido-Conter, ou seja, da consciência de ser parte do todo. Este é um processo que acontece naturalmente.

Desta forma, saímos do mundo do ego, onde só existe o “eu”. A partir de certo ponto, de acordo com nossa ampliação de consciência, não somos mais este “eu”, mas nos tornamos seres que ajudam outras pessoas. E beneficiar outras pessoas é a forma mais rápida e mais

profunda de sermos felizes, de atingirmos ou acessarmos

nossa felicidade plena. Perceba: toda vez que você ajudou alguém, você se sentiu bem. Porque você tirou o ego e se dedicou ao outro. Aí surgiu a felicidade, de forma natural e gratuita.

Esteja, então, sempre disposto a ajudar o outro. Aprecia a

beleza que há nisso. Não espere nada em troca, apenas

faça.

Para relações como casamentos e amizades, a entreajuda genuína é um ponto muito importante. Toda a ajuda concedida ao outro deve ser feita de forma gratuita e sem expectativas. Apenas faça o outro feliz, isto é tudo. Possivelmente um dos grandes aprendizados da minha vida foi perceber que não devemos esperar nada do outro. Assim, toda vez que recebemos algo generoso, aquilo é fonte de alegria. As expectativas frustradas, por outro lado, são fonte de infelicidade.

Esta é uma postura bastante assertiva. As pessoas são como são, os acontecimentos são como são. Se você alimenta expectativas, você acaba por esperar isso ou aquilo e gera um conflito dentro de si mesmo. Aliás,

todos os conflitos só existem dentro de nós mesmos, na

nossa mente. Não existem conflitos externos.

estamos

continuamente atentos e gerar a paz interior, aceitando a

vida e as pessoas como elas são.

Sabendo

disso,

torna-se

mais

fácil

Fim do julgamento,

culpa e vitimização

No mundo relacional, evitar o julgamento é uma atitude sábia. O ser humano é não é julgável. Isto porque não é possível que conheçamos todos os caminhos percorridos pelo outro para ser como é. Não sabemos a história e condições de vida de todas as pessoas. Nem mesmo um juiz julga as pessoas, mas apenas determinados atos que cometeu.

O ser humano está sempre fazendo o melhor que

pode. E ele sempre está buscando ser feliz. Se você

conseguir olhar por esse prisma, você terá compaixão e amor pelas pessoas, oferecerá acolhimento.

Outra atitude sábia no mundo relacional é evitar os jogos de culpa e a vitimização. Parar de tentar

encontrar culpados por seus problemas e assumir o

controle de sua vida. A culpa não é do governo, do seu

chefe ou da sua família. O culpado não é o outro. Nós

temos que saber lidar com as situações como elas são,

de forma assertiva.

criador da sua

realidade. Procurar culpados é como chover no molhado. Ou seja, não leva a nada. Não haverá solução enquanto buscamos culpados ou nos posicionamos

como vítimas.

você é

o

dono da

sua

vida

e

o

Precisamos tomar as rédeas das nossas vidas e perceber a beleza da vida agora, deixando de lado estes condicionamentos e lixos mentais que adquirimos e acumulamos ao longo do tempo. Precisamos deixar de

querer punir as pessoas ou a nós mesmos. A

mentalidade punitiva não conduz à felicidade. Apenas o amor e a compreensão têm esse poder.

Afetividade

Todo ser humano gosta de afeto e é beneficiado por ele. Somos todos, de alguma forma ou de outra, carentes e necessitados de amor e acolhimento. Por este motivo, é essencial a compreensão de que todas as pessoas estão fazendo o melhor que podem no momento e circunstâncias em que se encontram. Assim, conseguimos

ter uma postura amorosa diante do outro. Todos estamos

buscando, de formas diferentes, um mesmo objetivo: o de ser feliz. Tendo isto compreendido, o afeto flui com facilidade.

O amor faz com que você queira ver o outro feliz. Faz

com que você tenha compaixão, que você perceba os

sofrimentos e dificuldades das outras pessoas e tente

ajudá-las. Isto é afetividade. É entender e conviver com

as pessoas como elas são, em harmonia.

Postura Condutora

Ter uma postura condutora significa assumir nossas vidas em nossas mãos. Tomar decisões próprias. Buscar manter o centro em você e não no outro. Aqui voltamos àquela questão: não devemos esperar nada do outro.

Se você tem postura condutora, você não se deixa

influenciar facilmente pelo comportamento do outro. Se o outro adota atitudes ofensivas, grosseiras ou inadequadas, você não revida e não se posiciona da mesma maneira. Pelo contrário: se mantém centrado e condutor de si. Se queremos conduzir nossa vida,

precisamos também saber impor limites: não invadir o

espaço do outro e não nos deixar invadir. Em alguns momentos é importante mostrar atitudes delimitantes e firmes, pois isto ensina aos outros como queremos ser tratados.

Ter uma postura condutora é não se deixar conduzir

pelo mundo, mas ao contrário: é saber se guiar através das dificuldades. É conseguir ter paz dentro de si, apesar de tudo.

Tudo ocorre na mente

A frase é um tanto chocante, mas verdadeira: não existe

realidade. Ou melhor, não existe uma realidade. Cada um de nós, dentro de nossas mentes, criamos o que chamamos de realidade. E este torna-se, portanto, um conceito totalmente particular e subjetivo. O mundo, assim como a realidade, é uma criação de cada ser humano. Nós enxergamos a vida a nosso modo, nós vemos as coisas como queremos ver.

Vemos nossa família, nosso emprego, nossa casa e tudo enfim, como achamos que é. Sob o nosso olhar. Ou seja: se você ampliar sua mentalidade, você vai mudar tudo ao seu redor.

Partindo deste princípio, entende-se que nada está pronto. Tudo está sendo construído a todo momento por nós no agora, do nosso jeito. A consciência de que

estamos criando tudo a cada instante é uma descoberta

maravilhosa. Desta forma podemos buscar evoluir e construir nossa realidade de forma empreendedora, condutora e mais feliz.

No caos há paz

Para viver melhor é importante perceber a paz que há em tudo. Existe uma paz que permeia tudo. Para compreender isto, procure ver o espaço a sua volta. Este

espaço não pode ser tocado, cortado, guardado em uma

caixa. Ele é incorruptível. Nele sempre há paz e você sempre está inserido nele. Basta entrarmos em contato com este espaço e encontraremos paz a qualquer momento. Ali não existe doença, velhice, competições, conflitos ou guerras. Conecte-se intuitivamente com este

espaço e encontre seu centro. O centramento é uma

prática para justamente conectarmo-nos com o espaço e encontrarmos a paz do agora, unindo-a com as coisas que fazemos e vivemos no mundo comum. Temos que tenhamos muitas dificuldades e obstáculos, podemos ter como pano de fundo a perfeita paz. Em algumas

tradições espirituais, isto se chama Unidade da

Processualidade, que significa estarmos conectados com a paz divina em tudo o que vivemos. Então saiba que você pode acessar esta paz interior e profunda mesmo em meio ao caos do mundo, porque ela é inabalável inerente a você.

Oração e Meditação

A oração e a meditação têm o poder de reconectar as pessoas com suas origens e com os aspectos mais sutis e refinados do universo. Ambas permitem a apreciação profunda da beleza que há em tudo.

A meditação propõe que nos coloquemos num espaço

vazio da mente, de onde observamos os pensamentos virem e irem embora, sem embarcamos em nenhum deles. Permanecemos no silêncio da mente, assistindo tudo a partir dessa quietude. Não explicamos nada, não nos envolvemos em nada. Apenas observamos.

Neste silêncio há perfeita paz. Diz-se que Deus está no

silêncio. Deus não está nos conceitos e nas palavras. Ele está além disso. Está dentro e fora de nós o tempo todo, à nossa disposição. Acessamos, portanto, a Deus, por meio da oração e da meditação.

Estas práticas são muito íntimas e particulares, mas é

como podemos nos reconectar com nossa essência criadora e com a fonte da vida. Muitas vezes nos sentimos sozinhos, perdidos, envoltos por dificuldades e problemas. A oração e a meditação nos religam.

A Espiritualidade também é obtida através da oração e da meditação. Ela é o processo mais profundo que o ser

humano pode praticar. É reconhecer e nos fundir com

nossa origem divina, nos tornando um só com nossa essência.

É lembrar de tudo o que sempre fomos. Somos a paz, a alegria e a compaixão. Somos a consciência pulsante e plena. Somos a própria vida, assim como todo o universo é vida.

Apesar de muitas vezes esquecermo-nos disto, somos seres livres por natureza. Sempre fomos livres. Se você se sente preso, você é quem está se prendendo. É uma prisão que você criou. Na verdade nunca existiu limitação alguma.

Para

resultante disto tudo: da oração, da meditação e da

felicidade que é

viver

melhor,

buscamos

a

espiritualidade.

.

Sobre o Autor

Sobre o Autor Marcos Wunderlich é Presidente Executivo do Instituto Holos e precursor na Formação em

Marcos Wunderlich é

Presidente Executivo do Instituto Holos e precursor na Formação em Mentoring, Coaching

e Advice Humanizado no

Brasil.

Criou, a partir de suas pesquisas sobre o comportamento e a mente humana, o Sistema ISOR® de Desenvolvimento de Pessoas e Organizações. Marcos também é

formado por Tim Gallwey, considerado o pai

do Coaching, e atua como Consultor, Master Coach e mentor de executivos mais de 30 anos.