Sie sind auf Seite 1von 9

As frações pertencem ao conjunto dos números racionais e o uso delas está presente em diversas situações

matemáticas. Em algumas sentenças envolvendo frações é preciso o conhecimento adequado de técnicas de


resolução como adicionar, subtrair, multiplicar, dividir e cálculo de potências. Vamos demonstrar a resolução de
algumas expressões seguida de comentários.

Exemplo 1

Reduzir os denominadores ao mesmo valor através do mmc e da proporcionalidade.

Realizar as operações dentro de todos os parênteses

Multiplicar os parênteses

Realizar a simplificação

Exemplo 2

No 1º parênteses, igualar os denominadores e no 2º, aplicar a potenciação

Multiplicar os parênteses
Exemplo 3

1º passo: redução dos denominadores ao mesmo valor.


2º passo: operação entre os numeradores de cada fração.
3º passo: divisão de frações.
4º passo: propriedade da divisão de frações → repete a 1ª fração e multiplica pelo inverso da 2ª.
5º passo: simplificação de frações.

Exemplo 4
A forma geral da equação do 2º grau é ax² + bx + c = 0, onde a, b e c são números reais e a ≠ 0. Dessa
forma, os coeficientes b e c podem assumir valor igual a zero tornando a equação do 2º grau incompleta.

Veja alguns exemplos de equações completas e incompletas:

y2 + y + 1 = 0 (equação completa)
2x2 – x = 0 (equação incompleta, c = 0)
2t2 + 5 = 0 (equação incompleta, b = 0)
5x2 = 0 (equação incompleta b = 0 e c = 0)

Toda equação do segundo grau, seja ela incompleta ou completa, pode ser resolvida utilizando a equação de
Bháskara:

As equações incompletas do 2º grau podem ser resolvidas de outro modo. Veja:

Coeficiente b = 0

Toda equação incompleta do 2º grau, que possui o termo b com valor igual a zero, pode ser resolvida isolando o
termo independente. Observe a resolução a seguir:

4y2 – 100 = 0
4y2 = 100
y2 = 100 : 4
y2 = 25
√y2 = √25
y’ = 5
y” = – 5

Coeficiente c = 0

Se a equação possui o termo c igual a zero, utilizamos a técnica de fatoração do termo comum em evidência.

3x2 – x = 0 → x é um termo semelhante da equação, então podemos colocá-lo em


evidência.
x(3x – 1) = 0 → quando colocamos um termo em evidência dividimos esse termo pelos
termos da equação.

Agora, temos um produto (multiplicação) de dois fatores x e (3x – 1), a multiplicação desses fatores é igual a zero,
para essa igualdade ser verdadeira um dos fatores deve ser igual a zero, como não sabemos se é o x ou o (3x – 1),
igualamos os dois a zero, formando duas equações de 1º grau, veja:

x’ = 0 → podemos dizer que zero é uma das raízes da equação.


e
3x –1 = 0
3x = 0 + 1
3x = 1
x’’ = 1/3 → é a outra raiz da equação.

Coeficiente b = 0 e c = 0

Nos casos em que a equação apresenta os coeficientes b = 0 e c = 0, as raízes da equação do 2º grau incompleta
são iguais a zero. Observe a resolução a seguir:

4x2 = 0 → isolando o x teremos:


x2 = 0 : 4
√x2 = √0
x = ± √0
x’ = x” = 0
Equações são sentenças matemáticas que utilizam números e letras ou somente letras na sua composição,
seguida de sinais operatórios. O principal objetivo das equações é determinar o valor desconhecido através de
resoluções que atendam regras matemáticas. No caso das equações logarítmicas, temos que a incógnita
está presente no logaritmando ou na base do logaritmando. A resolução é feita utilizando as regras operatórias
envolvendo logaritmos. Observe a resolução de algumas equações logarítmicas:

Exemplo 1

log x–1 6=1

Restrição:
x–1>0
x>1

x–1≠1
x≠1+1
x≠2

Resolução:

log x – 1 6 = 1
(x – 1)¹ = 6
x–1=6
x=6+1
x=7

Temos que x = 7, satisfazendo a condição de existência determinada pela restrição. Portanto, conjunto solução
verdadeiro.

Exemplo 2

log 5 (x + 2) = 2

Restrição:

x+2>0
x>–2

Resolução:
log 5 (x + 2) = 2
x + 2 = 5²
x + 2 = 25
x = 25 – 2
x = 23
O conjunto solução x = 23, satisfaz a condição de existência x > –2. Portanto, conjunto solução verdadeiro.

Exemplo 3

log x+2 (2x² + x) = 1

Restrição:

x+2>0
x>–2

x+2≠1
x≠1–2
x≠–1

2x² + x > 0
x*(2x + 1) > 0
x>0
2x + 1 > 0
2x > – 1
x > –1/2

Resolução:

log x+2 (2x² + x) = 1


2x² + x = (x + 2)¹
2x² + x = x + 2
2x² + x – x – 2 = 0
2x² – 2 = 0
2x² = 2
x² = 2/2
x² = 1
√x² = √1
x’ = – 1
x’’ = 1

De acordo com as restrições entre os resultados x’ = 1 e x’’ = –1, temos que considerar somente x = 1, de forma a
tornar o conjunto solução verdadeiro.

Exemplo 4

log2x + log2 (x – 2) = log228

Restrição:

x>0

x–2>0
x>2

log2x + log2 (x – 2) = log228


log2 x * (x – 2) = log228
x * (x – 2) = 8
x² – 2x – 8 = 0

Aplicando Bháskara

∆ = 36

x’ = 4
x’’ = – 2

De acordo com as restrições, devemos considerar somente x = 4, tornando a solução verdadeira.

Equações são expressões algébricas matemáticas que possuem um sinal de igualdade entre duas partes. A
intenção de resolver uma equação é determinar o valor da incógnita (valor desconhecido), aplicando técnicas
resolutivas. Veja exemplos:

2x + 9 = 5
4x + 10 = 3x – 45
x + 6 = 2x + 12
2*(x + 2) = 3*(x – 3)

Equações exponenciais são aquelas em que a incógnita se encontra no expoente de pelo menos uma
potência. A forma de resolução de uma equação exponencial permite que as funções exponenciais sejam também
resolvidas de forma prática. Esse tipo de função apresenta características individuais na análise de fenômenos que
crescem ou decrescem rapidamente. Elas desempenham papéis fundamentais na Matemática e nas ciências
envolvidas com ela, como: Física, Química, Engenharia, Astronomia, Economia, Biologia, Psicologia entre outras.

Exemplos de equações exponenciais:

10x = 100
2x + 12 = 20
9x = 81
5x+1 = 25

Para resolvermos uma equação exponencial precisamos aplicar técnicas para igualar as bases, assim podemos
dizer que os expoentes são iguais. Observe a resolução da equação exponencial a seguir:

3x = 2187 (fatorando o número 2187 temos: 37)


3x = 37
x=7
O valor de x na equação é 7.

Vamos resolver mais algumas equações exponenciais:

2x + 12 = 1024
2x + 12 = 210
x + 12 = 10
x = 10 – 12
x=–2

2 4x + 1 * 8 –x + 3 = 16 –1
2 4x + 1 * 2 3(–x + 3) = 2 -4
2 4x + 1 * 2 –3x + 9 = 2-4
4x + 1 – 3x + 9 = – 4
4x – 3x = –1 – 4 – 9
x = – 14

5 x + 3 * 5 x + 2 * 5 x = 125
5 x+3 * 5 x+2 * 5 x = 5 3
x+3+x+2+x=3
3x = 3 – 5
3x = – 2
x = –2/3

2 3x – 2 * 8 x + 1 = 4 x – 1
2 3x – 2 * 2 3(x + 1) = 2 2(x – 1)
3x – 2 + 3(x + 1) = 2(x – 1)
3x – 2 + 3x + 3 = 2x – 2
3x + 3x – 2x = – 2 + 2 – 3
4x = – 3
x = –3/4

2 2x + 1 * 2 x + 4 = 2 x + 2 * 32
2 2x + 1 * 2 x + 4 = 2 x + 2 * 2 5
2x + 1 + x + 4 = x + 2 + 5
2x + x – x = 2 + 5 – 1 – 4
2x = 2
x=1

As equações são expressões que utilizam letras na representação de valores desconhecidos. Algumas
equações são apresentadas com frações em seu desenvolvimento. Dessa forma, requerem algumas técnicas
fundamentais para a resolução. No caso das frações, devemos reduzir os denominadores ao mesmo valor,
aplicando o cálculo do mínimo múltiplo comum (mmc). Depois de calculado, devemos dividir o novo denominador
pelo anterior e multiplicar o resultado pelo numerador correspondente.
Exemplo 1

Exemplo 2

Sempre que resolver uma equação desse modelo, fique atento aos sinais existentes e ao jogo de sinal em algumas
multiplicações. Ao trocar um elemento de membro, não se esqueça de inverter o sinal. Veja mais exemplos
resolvidos detalhadamente:

Exemplo 3

Exemplo 4
Toda equação fracionária algébrica possui no seu denominador uma incógnita. Devemos sempre
observar as restrições, pois não podemos ter divisões por zero.
A equação abaixo é um exemplo de equação algébrica fracionária que possui restrições:

Resolução de uma Equação Algébrica Fracionária

Exemplo 1

Exemplo 2

Exemplo 3

A densidade de um corpo de massa igual a 600 g e volume x cm³ e diminuída de 50g/cm³ é igual a 100g/cm³. Qual
é o volume desse corpo?