Sie sind auf Seite 1von 306

Arte de VER EDUCAÇÃO VISUAL

Arte de FAZER EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

CADERNO DE APOIO Carla Costa

AO PROFESSOR
Isabel Sousa
José Manuel Mesquita
Pedro Miguel Passarinho
Rui Castro Lobo
Tiago Lança

o o
5. /6. ANOS
Documentos Planificações Projetos
de apoio

A F

Avaliação Fichas
de trabalho
Índice

Introdução ............................................................ 3 Modelos de plano de aula – Educação


Tecnológica
Documentos de apoio o
Modelo de plano de aula 5. ano......................... 80
o
Modelo de plano de aula 6. ano......................... 81
Articulação dos manuais com as Metas
Curriculares de Educação Visual e Educação
Tecnológica Projetos
Arte de Ver – Educação Visual ...............................7
Sugestão de projetos
Arte de Fazer – Educação Tecnológica ................22
Síntese dos projetos de Educação Visual e
Guia de exploração de recursos multimédia Educação Tecnológica.......................................... 83

Plataforma Digital 20 ...........................................33 Planificação geral dos projetos


Arte de Ver – Educação Visual .............................34
Articulação curricular interdisciplinar.................. 92
Arte de Fazer – Educação Tecnológica.................39
Educação Visual ................................................... 93
Educação Tecnológica.......................................... 98
Planificações
Desenvolvimento de projetos
Planificação anual – Educação Visual
Educação Visual
o
Planificação anual 5. ano ....................................45 1. Turismo sustentável .................................102
o
Planificação anual 6. ano ....................................46 2. Galinhas coloridas ....................................108
3. Postal de Natal tridimensional .................117
Planificação a médio prazo – Educação Visual
o
4. Imagem e movimento ..............................122
Planificação a médio prazo 5. ano......................47
o
5. Livro do Ano .............................................128
Planificação a médio prazo 6. ano......................55
o
6. Papagaio de papel ....................................133
Atividades simplificadas 5. ano ..........................60
o
7. Padrão coletivo ........................................140
Atividades simplificadas 6. ano ..........................61
Educação Tecnológica
Modelos de plano de aula – Educação Visual 1. Horta suspensa.........................................145
o
Modelo de plano de aula 5. ano.........................62 2. Tecelagem criativa ...................................150
o
Modelo de plano de aula 6. ano.........................63 3. Candeeiro de Natal ..................................154
4. Máscara de Carnaval ................................159
Planificação anual – Educação Tecnológica 5. Movimentos em cadeia ...........................164
o
Planificação anual 5. ano ....................................64 6. Brinquedo autómato ................................169
o 7. Modelação em sabão ...............................174
Planificação anual 6. ano ....................................66

Planificação a médio prazo – Educação


Tecnológica
o
Planificação a médio prazo 5. ano......................67
o
Planificação a médio prazo 6. ano......................72
o
Atividades simplificadas 5. ano ..........................78
o
Atividades simplificadas 6. ano ..........................79
Avaliação
o
Fichas de avaliação diagnóstica – Educação Ficha 4 – Projeto 5. ano ....................................252
o
Visual Ficha 5 – Técnica 6. ano ...................................255
o
o
5. ano ................................................................179 Ficha 6 – Representação 6. ano........................258
o
o
6. ano ................................................................182 Ficha 7 – Discurso 6. ano ..................................261
o
o
Critérios de correção 5. ano .............................185 Ficha 8 – Projeto 6. ano ....................................264
o
Critérios de correção 6. ano .............................186
Outras fichas
Fichas de avaliação diagnóstica – Educação Lista de verificação de aprendizagens
o
Tecnológica – Educação Visual 5. ano ..................................267
o Lista de verificação de aprendizagens
5. ano ................................................................188 o
o
– Educação Visual 6. ano ..................................269
6. ano ...............................................................191
o
Lista de verificação de aprendizagens
Critérios de correção 5. ano ............................194 o
– Educação Tecnológica 5. ano ........................271
o
Critérios de correção 6. ano ............................196 Lista de verificação de aprendizagens
o
– Educação Tecnológica 6. ano ........................273
Fichas de avaliação
Ficha de autoavaliação do aluno ......................275
o
Educação Visual – Geometria Geral 5. ano ......198 Metodologia de projeto ou de resolução de
Educação Tecnológica – Representação – problemas .........................................................277
o
Grandezas físicas/Medição 5. ano....................208 Como pesquisar e organizar informação ..........278
Educação Tecnológica – Representação – Como organizar um trabalho de grupo .............279
o
Movimento 6. ano ............................................210
Como fazer e apresentar um trabalho escolar .280
Critérios de correção Grandezas físicas/Medição
o Interpretação de uma obra de arte ..................282
5. ano ................................................................213
o O meu dicionário ilustrado de Geometria ........283
Critérios de correção Movimento 6. ano .........214

Fichas de trabalho

Fichas informativas
Educação Visual
o
Ficha 1 – Técnica 5. ano ..............................215
o
Ficha 2 – Representação 5. ano ..................217
o
Ficha 3 – Discurso 5. ano ............................219
o
Ficha 4 – Técnica 6. ano ..............................221
o
Ficha 5 – Representação 6. ano ..................223
o
Ficha 6 – Discurso 6. ano ............................225
o
Ficha 7 – Projeto 6. ano ..............................227
Ficha 8 – Estudo da letra ..............................229
Ficha 9 – Óvulo/Rosto (1 a 5) .......................235
Educação Tecnológica
o
Ficha 1 – Técnica 5. ano ..............................243
o
Ficha 2 – Representação 5. ano ..................246
o
Ficha 3 – Discurso 5. ano ............................249
Introdução

A proposta que desenvolvemos para os manuais Arte de Ver e Arte de Fazer teve por base, desde o
início, a premissa simples de melhorar o que havia sido feito nos projetos anteriores. Este processo
de melhoramento foi influenciado pela utilização daqueles projetos na sala de aula nos últimos anos
e pelas preocupações e sugestões de melhoria que foram sendo levantadas pelos professores ao
longo do período de vigência dos projetos anteriores. Iniciámos, então, um trabalho de atualização
de conteúdos, de simplificação de algumas matérias e de aprofundamento de outras. Tudo isto
resultou na reescrita completa dos textos dos manuais, na criação de um Caderno de Apoio ao
Professor mais completo e no desenvolvimento de recursos multimédia mais adequados.

Manuais
Tal como nos projetos anteriores, a organização dos manuais das duas disciplinas e a sua divisão por
anos é semelhante. Procurámos, no entanto, aligeirar a forma como a informação e os conteúdos
são apresentados, tornar a mancha gráfica mais dinâmica e apelativa para o aluno, sem deixar de
permitir uma leitura sequencial do texto didático. Especificamente em relação às palavras do texto
didático, quisemos que fossem mais simples e as frases mais curtas, possibilitando, por isso, a
introdução de mais e melhores imagens e exemplos.
Nos manuais, decidimos manter uma estrutura que tem por base as Metas Curriculares e os
domínios que estas propõem, conforme se pode verificar no capítulo seguinte deste Caderno,
intitulado «Articulação dos manuais com as Metas Curriculares de Educação Visual e Educação
Tecnológica».
Assim, mantendo o nome dos domínios e a ordem que estes assumem nas Metas Curriculares,
transformámos cada Objetivo Geral numa interrogação que determina o início do percurso didático
e de aprendizagem. Logo após a pergunta, é apresentada uma resposta curta e genérica, que satisfaz
apenas superficialmente a questão inicial, aguçando a curiosidade para a leitura e exploração
subsequentes.
Os Descritores de Desempenho foram abreviados e surgem, sempre que possível, na sua sequência
original em forma de tópicos que enquadram o desenvolvimento do texto. Cada Objetivo Geral e
Descritor de Desempenho abordados são transcritos na página de abertura de cada tópico.
No final de praticamente todos os tópicos, sempre que se considerou necessário, são propostas
atividades curtas e simples na rubrica «Experimenta/Faz mais». Como o próprio nome indica,
tratam-se de atividades em duas fases, que apoiam a consolidação da matéria apresentada e
permitem a realização autónoma por parte do aluno.
Terminada a interrogação, o percurso didático recomeça com uma nova interrogação,
correspondente ao Objetivo Geral seguinte.
Ao longo de cada tópico, surgem ao lado do texto didático os principais conceitos destacados ou
descodificações sucintas de termos, com vista a ajudar o aluno a compreender com mais facilidade
a matéria em estudo.
Sempre que necessário, a rubrica «Aprendo mais» apresenta, no manual de Educação Tecnológica,
informação complementar sobre as matérias em estudo. No final de cada domínio, é apresentada uma

© Texto | EV/ET 3
síntese em forma de afirmação, por oposição ou corolário das interrogações anteriores. Este momento
conclusivo reúne e relembra, sob a forma de perguntas e respostas, a totalidade do conteúdo abordado.
A sequência didática preconizada tem o seu corolário numa atividade maior, que mobiliza todos os
conhecimentos e competências adquiridos ao longo do domínio, a que demos o nome de «Aplico o que
aprendi». São atividades passo a passo, apresentadas com apoio visual, que concretizam, em cada
domínio, a natureza e orientação prática dos objetivos gerais de cada Domínio inscrito nas Metas
Curriculares.
Ainda no âmbito da aplicação e sistematização dos conhecimentos adquiridos, cada domínio
apresenta um teste curto de escolha múltipla (rubrica «Testo os meus conhecimentos»). Estes
pequenos testes de verificação surgem no final de cada domínio no manual de Educação
Tecnológica, e no final do 5.o e do 6.o anos no manual de Educação Visual.
Faltará dizer que cada domínio tem uma cor diferente para se identificar com facilidade.
Por último, decidimos apresentar, na parte final de cada um dos manuais, um capítulo dedicado a
projetos.
É nosso objetivo promover não só a integração e aplicação dos saberes teóricos e práticos
específicos das disciplinas de Educação Visual e de Educação Tecnológica, mas também, sempre que
possível, uma articulação destas com os saberes de outras disciplinas, promovendo a dimensão
transversal do conhecimento e imprimindo um verdadeiro sentido prático das aprendizagens
realizadas neste nível de escolaridade. Propomos sete projetos por disciplina.
As planificações destes projetos são apresentadas neste Caderno de forma autónoma.

Caderno de Apoio ao Professor


Com o Caderno de Apoio ao Professor pretendemos, essencialmente, apresentar um conjunto de
recursos que ajudem o professor a planificar, a avaliar e a fornecer informação e atividades
complementares aos seus alunos.
As planificações sugeridas permitem o planeamento, separado ou em conjunto, das atividades
apresentadas nos manuais, e propõem a simplificação de algumas destas atividades para alunos com
dificuldades, designadamente os alunos abrangidos pelo Decreto-Lei n.o 3/2008, de 7 de janeiro.
As planificações dos projetos mostram a mobilização e a articulação dos conteúdos não só entre as
disciplinas de Educação Visual e de Educação Tecnológica, mas também entre estas e todas as outras
disciplinas que integram a matriz curricular do 2.o Ciclo do Ensino Básico.
As nossas propostas de avaliação incluem fichas de avaliação diagnóstica, apresentadas por
disciplina e por ano, e três fichas de avaliação (uma para Educação Visual – Geometria – e duas para
Educação Tecnológica – Grandezas físicas/Medição e Movimento).
Os testes curtos, apresentados ao longo dos manuais na rubrica «Testo os meus conhecimentos», e
os testes interativos, disponibilizados na plataforma digital , também podem ser utilizados como
instrumentos de avaliação.
De acordo com a nossa experiência, é também muito útil disponibilizar aos alunos a «Lista de
verificação de aprendizagens», organizada por disciplina e por ano do projeto, e a «Ficha de auto-
avaliação do aluno». Estas fichas encontram-se no presente Caderno de Apoio ao Professor.
4 © Texto | EV/ET
A este respeito, sublinhamos que a ficha de autoavaliação do aluno é uma ferramenta essencial no
processo de aprendizagem. Procurou-se subdividir os parâmetros, tanto no domínio cognitivo como
no comportamental, em conjuntos operativos que os alunos pudessem entender (Manusear, Saber,
Elaborar, Perceber, Ser e Estar), bem como explicar cada um deles. Acrescentou-se também uma
dimensão dialética à ficha, ao interpelar o aluno sobre o que mais gostou e o que menos gostou,
direcionando a autoavaliação para aquilo que pode ser melhorado.

Para os professores utilizadores dos projetos serão disponibilizados dois recursos para exploração na
sala de aula: a roda cromática gigante, para Educação Visual, e o tabuleiro de mecanismos e
movimento para Educação Tecnológica. As sugestões de utilização destes materiais serão
disponibilizadas no início do ano letivo em .

Recursos multimédia
Por último, uma breve referência aos recursos multimédia desenvolvidos para os projetos,
disponíveis na plataforma digital de apoio ao projeto 20 Aula Digital ( ) que, devido à sua
importância, são apresentados em secção autónoma. A relevância do audiovisual e da interatividade
no apoio à didática destas disciplinas é indiscutível e imprescindível. Desta forma, os recursos
propostos foram pensados e executados tendo sempre como pressuposto a sua eficácia em sala de
aula, como complemento das explicações do professor e como motivação para as aprendizagens.
Tentamos imprimir nos materiais desenvolvidos toda a qualidade e pertinência que soubemos.
Esperamos que estes materiais sejam úteis e facilitadores do trabalho diário e que nos ajudem a
despertar nos nossos alunos o interesse pela Arte de Ver e de Fazer.
Ficamos agora à disposição dos colegas e aguardamos todas as sugestões que entendam enviar, no
sentido de melhorar o nosso trabalho.

Bom ano letivo para todos!

© Texto | EV/ET 5
Articulação dos manuais com as Metas Curriculares
de Educação Visual e Educação Tecnológica

Arte de Ver (Educação Visual)


Nota: a identificação dos Descritores de Desempenho dos projetos finais do manual consta do capítulo «Projetos».

Interrogação/ Materiais Aplicação de


Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
5.o Ano
x Técnica x Conhecer 1.1. Distinguir características x O que são x Lápis de grafite x Experimenta/ x Crio o meu
(T5) materiais de vários materiais materiais x Lapiseira, borracha, Faz mais próprio mobile
riscadores e riscadores (lápis de riscadores? afia-lápis e esfuminho página 9 (página 26)
respetivos grafite, lápis de cor, lápis x Lápis de cor x Testo os meus
suportes físicos de cera, marcadores, x Lápis de cera x Experimenta/ conhecimentos
(OG1). pastel de óleo e seco, x Pastel de óleo Faz mais – Técnica T5
guache, aguarela e tinta x Pastel seco página 11 (página 75)
da China). x Marcadores
x Tinta da China x Experimenta/
x Aguarela Faz mais x Ficha de
x Guache página 12 avaliação
x Pincel e godé diagnóstica –
x Experimenta/ 5.o ano
Faz mais
página 13

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


1.2. Analisar características x O que são x Papel
de diversos suportes suportes? x Características do papel x Experimenta/
(papel «cavalinho», papel x Tipos de papel Faz mais
vegetal, papel diverso). x Formatos universais do página 14
papel
x Experimenta/
Faz mais
x Dominar 2.1. Utilizar corretamente x O que é o x Desenho técnico página 15
materiais materiais básicos do desenho x Materiais de desenho
básicos desenho técnico (régua, técnico? técnico x Experimenta/
de desenho esquadros, transferidor, x Traçado rigoroso Faz mais
técnico (OG2). compasso). página 16

7
8
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
2.2. Experimentar diferenças
de traçado rigoroso x Experimenta/
utilizando diversos Faz mais
suportes físicos. página 17

x Experimenta/
Faz mais
x Dominar a 3.1. Desenvolver ações x Quero saber o página 18
aquisição de orientadas para que são
conhecimento experiências que se riscadores, x Experimenta/
prático (OG3). transformam numa parte suportes e Faz mais
ativa do conhecimento desenho página 21
prático. técnico.
3.2. Distinguir grupos x Síntese do domínio
singulares de recursos e (página 25)
de técnicas
de execução. x Exploração do
manual (páginas 8 a
27)

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


x Animação simples:
Transferidor
x Animação simples:
Régua e esquadro
x Animação simples:
Compasso
x Apresentação: Lápis
de grafite, lápis de
cor
x Apresentação:
Marcadores
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
x Apresentação:
Pastel seco
x Apresentação: Lápis
de cera e pastel de
óleo
x Apresentação:
Aguarela e tinta da
China
x Apresentação:
Guache
x Vídeo:
Lápis de grafite
x Vídeo:
Lápis de cor
x Vídeo:
Lápis de cera
x Vídeo:
Marcadores
x Vídeo:
Pastel seco
x Vídeo:

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Guache
x Vídeo:
Aguarela
x Vídeo:
Tinta da China
x Exploração da
apresentação-
-síntese:
Quero saber o que
são riscadores,
suportes e desenho
técnico

9
10
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
x Vídeo-atividade:
Crio o meu próprio
mobile
x Teste interativo:
Técnica T5

x Ficha 1 – Técnica 5
x Representação x Compreender a 4.1. Distinguir a noção de x Para que serve x Elementos geométricos x Experimenta/ x Faço uma
(R5) Geometria ponto, linha, plano. a Geometria? simples (ponto; linha; Faz mais composição
enquanto 4.2. Identificar no ambiente plano; superfície; volume) página 31 gráfica com
elemento de ou nas construções x Representar traçados cubos
organização da humanas, elementos geométricos simples x Experimenta/ texturados
forma (OG4). geométricos simples (relembrar elementos Faz mais (página 57)
(ponto, linha, plano, geométricos; traçar linhas página 35 x Testo os meus
superfície e volume). paralelas; traçar linhas conhecimentos
4.3. Representar perpendiculares) x Experimenta/ –
corretamente traçados x Construir polígonos e Faz mais Representação

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


geométricos simples dividir segmentos de reta página 49 R5
(traçados de linhas e circunferências em (página 76)
paralelas e partes iguais (relembrar x Experimenta/
perpendiculares). elementos da Faz mais
4.4. Construir polígonos e circunferência; construir página 51 x Teste
dividir segmentos de reta triângulos equiláteros,
Geometria
e circunferências em isósceles e escalenos; x Experimenta/ o
Geral 5. ano
partes iguais. dividir segmentos de reta Faz mais
em partes iguais e em página 55
qualquer número de
partes iguais) x Síntese de domínio
(página 56)
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
x Divisão da circunferência
e construção de x Exploração do
polígonos regulares manual (páginas 30
inscritos (divisão da a 57)
circunferência em três
partes iguais e construção
de um triângulo x Animação: Divisão
equilátero; divisão da de um segmento de
circunferência em seis reta
partes iguais e construção x Animação simples:
de um hexágono e um Divisão de uma
polígono estrelado de seis circunferência
pontas; divisão da x Animação simples:
circunferência em quatro Divisão da
partes iguais e construção circunferência em
de um quadrado; divisão seis partes iguais e
da circunferência em construção de um
cinco partes iguais e hexágono
x Explicar 6.1. Analisar vários tipos x Para que serve construção de um x Animação simples:
a estrutura de estruturas (natural, a estrutura? pentágono e de um Divisão da

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


como suporte artificial, arquitetónica polígono estrelado de circunferência em
da forma (OG6). e modular). cinco pontas) cinco partes iguais e
6.2. Reconhecer que construção de um
a estrutura está pentágono
intimamente ligada x Apresentação:
à forma/função, quer nos x Tipos de estruturas Ponto e linha
objetos e materiais, quer x Apresentação:
nos seres vivos. x Forma e função Plano, superfície e
6.3. Distinguir o módulo volume
como elemento gerador x Módulo e padrão x Apresentação: Traçar
da estrutura, criando e linhas paralelas e
representando padrões perpendiculares

11
12
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
através da utilizando das x Apresentação:
leis de criação (repetição Elementos da
e ritmo, alternância, circunferência
translação, rotação e x Apresentação:
simetria). Tipos de estrutura,
forma e função
x Apresentação:
x Reconhecer a 5.1 Identificar a textura x O que é a Módulo e padrão
textura como uma sensação textura? x Apresentação:
enquanto visual e tátil (lisa, Texturas
aspeto visual ponteada, rugosa, x Exploração da
das superfícies ondulada, macia e apresentação-
(OG5). irregular). -síntese:
5.2. Observar características x Quero saber
da textura, classificando- x A textura como representar formas
-as (naturais e artificiais) sensação visual e tátil e superfícies
e identificando-as nos x Vídeo-atividade:
grandes espaços. x Texturas naturais e Faço uma
5.3. Distinguir o desenho artificiais à nossa volta composição gráfica
como um meio que com tubos

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


permite criar e exprimir x Criar e exprimir texturas texturados
visualmente a textura. através do desenho x Teste interativo:
Representação R5

x Dominar a 7.1. Desenvolver ações x Quero saber


representação orientadas para a representar
x Ficha 2 –
como representação formas e
Representação 5
instrumento de esquemática que utiliza superfícies.
registo (OG7). elementos geométricos.
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
7.2. Desenvolver capacidades
de representação
orgânica, através da
identificação das
proporções naturais e
das relações orgânicas.
x Discurso x Conhecer 8.1. Identificar a utilização dos x O que é a x Os cinco sentidos x Experimenta/ x Construo uma
(D5) diferentes cinco sentidos humanos comunicação? Faz mais narrativa visual
tipologias na comunicação. x Agentes e tipos de página 61 (página 74)
de comunicação 8.2. Distinguir os agentes da comunicação (agentes x Testo os meus
(OG8). comunicação (emissor, da comunicação; tipos x Experimenta/ conhecimentos
mensagem, recetor, de comunicação) Faz mais – Discurso D5
código, ruído e meio) e páginas 62-63 (página 77)
analisar os tipos de x Narrativa visual
comunicação (direta e x Experimenta/
indireta). Faz mais
8.3. Diferenciar elementos da página 66
narrativa visual
(perspetiva de narração, x Experimenta/
Faz mais

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


personagens e contexto).
página 67

x Experimenta/
x Distinguir 9.1. Enumerar diferentes x Como x Códigos de comunicação
(gravuras paleolíticas; Faz mais
códigos e tipos de códigos de comunicamos?
hieróglifos; sistemas página 69
suportes comunicação (gravura
utilizados pela paleolítica, hieróglifos, numéricos; língua
gestual; caligrafia; x Síntese de domínio
comunicação sistemas numéricos,
código Morse; código (página 73)
(OG9). caligrafia, bandeiras,
Braille; bandeiras; sinais
sinais, cor (semáforos),
de trânsito; cor dos x Exploração do
pictogramas, símbolos). semáforos; pictogramas; manual (páginas 60
símbolos) a 74)

13
14
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
9.2. Classificar diversos x Suportes impressos
suportes impressos (pergaminho; papel; x Apresentação:
(pergaminho, papel, tecido) Os cinco sentidos,
tecido). agentes e tipos de
9.3. Identificar meios de x Meios de comunicação comunicação
comunicação e a sua (escrita; sonora; x Apresentação:
evolução em função da audiovisual; multimédia Narrativa visual
evolução técnica e social e hipermédia) x Apresentação:
(sonora – telefone, rádio, Códigos de
podcast; escrita – jornal, comunicação
revista, cartaz, BD; x Apresentação:
audiovisual – televisão e Suportes impressos
cinema; multimédia, x Apresentação:
hipermédia – CD, TV Meios de
digital, internet). comunicação
x Exploração da
x Dominar 10.1. Desenvolver ações x Quero apresentação-síntese:
a comunicação baseadas na organização comunicar Quero comunicar
como um sequencial da informação, através de através de imagens
processo com o objetivo de relatar imagens.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


x Teste interativo:
de narrativa uma história que contém Discurso D5
visual (OG10). um agregado de ações,
relevantes para a boa
estruturação da
x Ficha 3 – Discurso 5
comunicação.
10.2. Desenvolver capacidades
de enunciação de um
discurso, que descreva
factos e acontecimentos
numa determinada
sequência temporal.
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
6.oAno x Compreender 1.1. Identificar a influência da x O que é a cor? x Luz e cor x Experimenta/ x Elaboro o meu
x Técnica características e textura ou da dimensão x Influência da textura e da Faz mais próprio cartaz
qualidades da na perceção da cor. dimensão na perceção da página 87 (página 93)
(T6)
cor (OG1). 1.2. Distinguir diferenças cor x Testo os meus
entre cor e pigmento x Diferenças entre cor-luz x Experimenta/ conhecimentos
(síntese aditiva e síntese e cor-pigmento (síntese Faz mais – Técnica T6
subtrativa). aditiva; síntese página 91 (página 141)
1.3. Identificar cores primárias subtrativa)
e cores secundárias, cores x Relações cromáticas x Síntese de domínio
complementares e (círculo cromático: cores (página 92)
x Ficha de
relações de branco/preto, primárias e cores
avaliação
quente/fria, claro/escuro. secundárias; cores x Exploração do
manual (página 80 diagnóstica –
complementares; o
relação cores a 93) 6. ano
quentes/cores frias;
relação branco/preto;
x Reconhecer a 2.1. Identificar os valores x Qual é a relação claro/escuro) x Apresentação:
simbologia e o simbólicos da cor (sinais simbologia e o Cor – Textura e
significado da de trânsito, normas significado da dimensão
cor (OG2). industriais, etc.). cor?

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


x Apresentação: Cor-
2.2. Distinguir a importância x Valor simbólico da cor -luz (síntese aditiva)
da cor na construção do (em normas e regras; e cor-pigmento
sentido das mensagens. nos sinais de trânsito; (síntese subtrativa)
nas sinaléticas x Apresentação:
industriais) Relações
x A cor na comunicação e cromáticas (circuito
x Dominar 3.1. Desenvolver ações x Quero na construção de cromático)
procedimentos orientadas para a compreender a mensagens x Apresentação: A cor
sistemáticos e investigação que cor, as suas e o seu sentido
metodológicos transforma os resultados características x Apresentação:
(OG3). numa parte ativa do e o seu Valores simbólicos
conhecimento. significado. da cor

15
16
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
3.2. Desenvolver capacidades x Exploração da
de observação e apresentação-
compreensão do meio -síntese: Quero
cromático envolvente. compreender a cor,
as suas
características e o
seu significado
x Vídeo-atividade:
Elaboro o meu
próprio cartaz
x Teste interativo:
Técnica T6

x Ficha 4 – Técnica 6
x Representação x Conhecer as 4.1. Distinguir a posição x Como se x Representação do x Experimenta/ x Faço uma
(R6) interações dos relativa de duas retas no relacionam os espaço Faz mais composição
objetos no espaço (complanares: objetos no x Posição relativa de retas página 99 gráfica
espaço (OG4). paralelas e concorrentes; espaço? no espaço aplicando

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


não complanares). x Posição relativa entre x Experimenta/ escalas
4.2. Reconhecer a posição reta e plano Faz mais (página 109)
relativa entre reta e x Posição absoluta dos página 101 x Testo os meus
plano (pertencente, objetos no espaço conhecimen-
paralela ou concorrente). x Posição relativa dos x Experimenta/ tos –
4.3. Identificar a posição objetos Faz mais Representação
relativa de objetos no x Leitura do espaço página 103 R6 (página 142)
espaço (objetos isolados,
posição absoluta: x Experimenta/
horizontal, vertical, Faz mais
oblíqua). página 107
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
4.4. Reconhecer a posição de x Síntese de domínio
objetos no espaço (página 108)
relativa ao observador ou
a outros objetos (longe, x Exploração do
perto, à frente, atrás, manual (páginas 96
paralela, perpendicular, a 109)
etc.).
4.5. Discriminar fatores que
facilitam a leitura do x Animação simples:
espaço (espaço aberto e Escalas, plantas,
espaço fechado). mapas e alçados
x Apresentação: Retas
x Representação do no espaço e no
x Representar 5.1. Explorar relações entre a x Como plano
representamos objeto
elementos parte interna e a
os elementos x Relação entre o interior x Apresentação:
físicos num superfície de um objeto, Posição absoluta e
físicos (de um e a superfície de um
espaço (OG5). e utilizar na sua relativa dos objetos
objeto) no objeto
representação elementos x Apresentação:
espaço? x Relação entre um objeto
como dimensão, Interior e superfície
e as suas representações
transparência/opacidade de um objeto

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


(escala; redução
e luz/cor. x Apresentação:
e ampliação: método
5.2. Comunicar graficamente Relação entre
da quadrícula; mapas
e verbalmente as objeto e as suas
e plantas; alçados)
relações existentes entre representações
um objeto e as respetivas x Exploração da
representações (escala apresentação-
de plantas, mapas e -síntese:
alçados). Quero saber como
se relacionam e
representam
objetos no espaço

17
18
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
x Dominar a 6.1. Desenvolver ações x Quero saber x Vídeo-atividade:
representação orientadas para a como se Faço uma
bidimensional representação da forma, relacionam e composição gráfica
(OG6). da dimensão e da posição representam aplicando escalas
dos objetos no espaço. objetos no x Teste interativo:
6.2. Interpretar e codificar as espaço. Representação R6
propriedades básicas do
mundo visual, através de
elementos de x Ficha 5 –
representação Representação 6
bidimensional.

x Discurso x Compreender 7.1. Explicar a noção e o valor x O que é o x Noção e valor do x Experimenta/ x Represento um
(D6) o conceito de do património. património? património Faz mais animal
património 7.2. Identificar tipos de página 115 característico
(OG7). património cultural x Tipos de património da minha
(natural, material e cultural (natural; x Experimenta/ região
imaterial). material; imaterial) Faz mais (página 124)
7.3. Enquadrar a obra de arte x A obra de arte como página 117 x Testo os meus

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


enquanto património património cultural e conhecimentos
cultural e artístico. artístico x Experimenta/ – DIscurso D6
Faz mais (página 143)
página 121

x Reconhecer o 8.1. Distinguir a importância x Qual é a x Importância do x Desdobrável –


papel e a do património artístico, importância do património de cada Património mundial
influência do cultural e natural de cada património para região em Portugal/
património na região, para a afirmação a afirmação da x Experiência pessoal na Património mundial
sociedade da identidade de cada identidade interpretação do de origem
(OG8). uma. regional? património portuguesa
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
8.2. Relacionar que a x Síntese de domínio
experiência pessoal (página 123)
condiciona o modo como
se interpretam imagens e x Exploração do
artefactos. manual (páginas
112 a 125)

x Reconhecer o 9.1. Desenvolver ações x Quero saber o


papel do orientadas para o estudo que é o x Infografia:
discurso no de trajetórias históricas património, o O «nosso» património
âmbito de reconhecendo a sua seu papel e x Apresentação:
trajetórias influência até ao influência. Noção, valor e tipos
históricas momento presente. de património
(OG9). 9.2. Distinguir o papel das x Apresentação:
trajetórias históricas na A obra de arte
perceção do futuro. x Vídeo-atividade:
Represento um
animal característico
da minha região
x Teste interativo:

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Discurso D6

x Ficha 6 – Discurso 6

x Projeto x Reconhecer 10.1. Articular elementos do x O que é um x Elementos básicos do x Experimenta/ x Realizo um
(P6) princípios discurso gráfico (cor, discurso discurso gráfico Faz mais cartaz
básicos contraste, fundo-figura, gráfico? x Teoria da Gelstalt página 133 dinâmico sobre
da criação de texto e imagem, etc.). a importância
um discurso 10.2. Aplicar elementos da x Experimenta/ da reciclagem
(OG10). Teoria da Gestalt no Faz mais (página 139)
âmbito da comunicação página 137

19
20
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
(continuidade, segregação, x Síntese de domínio
semelhança, unidade, (página 138) x Testo os meus
proximidade, pregnância e conhecimentos
fechamento). x Exploração do – Projeto P6
10.3. Articular e aplicar manual (páginas (página 144)
elementos da Teoria da 128 a 140)
Gestalt e do discurso
gráfico, adequados ao
emissor, à mensagem e x Animação: Teoria
ao recetor. da Gestalt
x Apresentação:
Gestalt na
x Desenvolver a 11.1. Estimular o sentido x Como x Sentido crítico na comunicação
capacidade de crítico no âmbito da avaliamos a comunicação (imagem; x Apresentação:
avaliação crítica comunicação, através do criação de um texto) Adequação do
na criação de reconhecimento dos discurso x Organização formal dos discurso gráfico
um discurso elementos do discurso e gráfico? elementos gráficos x Exploração da
(OG11). do seu enquadramento x Adequação da apresentação-
na mensagem. mensagem aos suportes -síntese:
11.2. Adequar uma mensagem e recetores (tipos de Quero

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


em função dos suportes e cartazes) compreender e
dos recetores que se avaliar os
pretende atingir. elementos de um
discurso gráfico
x Vídeo-atividade:
x Dominar 12.1. Desenvolver ações x Quero Realizo um cartaz
atividades orientadas para a procura compreender e dinâmico sobre a
coordenadas e de novas ideias e avaliar os importância da
interligadas para respostas para um elementos de reciclagem
a realização de problema, tendo como um discurso
um objetivo objetivo identificar e gráfico.
(OG12). definir alternativas.
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
12.2. Desenvolver capacidades x Teste interativo:
para a procura da melhor Projeto P6
solução, para a apreciação
dos prós e dos contras e
para a avaliação crítica das
x Ficha 7 – Projeto 6
soluções alcançadas.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


21
22
Arte de Fazer (Educação Tecnológica)
Nota: a identificação dos Descritores de Desempenho dos projetos finais do manual consta do capítulo «Projetos».
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
o
5. Ano
x Técnica x Reconhecer o 1.1. Identificar o conceito de x Para que serve x Tecnologia e x Experimenta/Faz mais x Crio o meu
(T5) papel da tecnologia e diferenciá-lo da a tecnologia? técnica página 13 lápis de
tecnologia noção de técnica. x Evolução grafite
(OG1). 1.2. Distinguir contextos históricos tecnológica x Experimenta/Faz mais (página 19)
de evolução da tecnologia. x Influência da página 16 x Testo os meus
1.3. Identificar a influência da tecnologia conhecimen-
tecnologia no ambiente natural, x Desdobrável – tos – Técnica
humano e construído. evolução e T5 (página 21)
decomposição de um
objeto técnico
x Ficha de
x Discriminar a 2.1. Definir o conceito de objeto x O que é um x Definição e x Síntese de domínio avaliação
relevância do técnico. objeto técnico? evolução do (página 18) diagnóstica –
objeto 2.2. Distinguir a evolução histórica objeto técnico o
5. ano
técnico de alguns objetos técnicos e a x Influência do x Exploração do manual
(OG2). sua repercussão na evolução da objeto técnico (páginas 8 a 21)
sociedade. x Interpretar e

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


2.3. Relacionar a influência dos decompor um
objetos técnicos, como resposta objeto técnico x Animação: Evolução
às necessidades humanas.
tecnológica
2.4. Interpretar objetos técnicos,
x Apresentação:
sendo capaz de os decompor e
Para que serve a
compreender a função das suas
tecnologia?
partes.
x Exploração da
apresentação-síntese:
x Dominar 3.1. Desenvolver ações orientadas x Quero Quero conhecer a
aquisição de para a decomposição dos conhecer a tecnologia e o objeto
conhecimento objetos, enumerando e tecnologia e o tecnológico
prático (OG3). analisando os elementos que os objeto
constituem. tecnológico.
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
3.2. Aplicar conhecimentos que x Vídeo-atividade: Crio o
evidenciem objetivamente meu lápis de grafite
a estrutura do objeto, as suas x Teste interativo:
características e funções. Técnica T5

x Ficha 1 – Técnica 5
x Representação x Reconhecer 4.1. Inferir a existência de diversos x O que são x Grandeza física x Experimenta/Faz mais x Crio a minha
(R5) tipos de tipos de grandeza grandeza física (Sistema página 29 balança
grandeza e (comprimento, ângulo, massa, e medição? Internacional de (página 36)
respetivos tempo, temperatura). Unidades; tipos x Experimenta/Faz mais x Testo os
instrumentos 4.2. Identificar respetivos de grandeza) página 31 meus
de medição instrumentos de medição (régua x Instrumentos de conhecimen-
(OG4). graduada, transferidor, balança, medição x Síntese de domínio tos –
relógio, termómetro). (comprimento e (página 35) Representa-
régua; ângulo e ção R5
transferidor; x Exploração do manual (página 39)
massa e balança; (páginas 24 a 39)
tempo e relógio;
temperatura e x Ficha de
termómetro)

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


x Simulador: Conversor Avaliação –
de unidades Grandezas
x Discriminar a 5.1. Identificar a importância das x Para que serve x Medição x Link: Físicas/
conveniência medições rigorosas. a medição? expedita e App de medir Medição
de medições 5.2. Estabelecer a relação entre medição comprimentos e
rigorosas na qualidade do instrumento de rigorosa ângulos com o
execução de medida e previsão do erro. x Medida e erro telemovél
trabalhos 5.3. Articular com rigor unidades de (fontes de x Animação: Medição de
(OG5). medida e instrumentos de incerteza de comprimento e ângulo
medição em função das medição; x Animação:
grandezas que se pretendem categorias de Medição de massa,
determinar. erro de temperatura e tempo
medição)

23
24
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
x Dominar a 6.1. Desenvolver ações orientadas x Quero x Grandeza física, x Apresentação:
representação para o registo de informação de conhecer unidade de O que são grandeza
como modo racional e conciso. grandezas medida e física e medição?
instrumento 6.2. Interpretar e representar físicas e efetuar instrumento de x Apresentação:
de exposição informação, com o objetivo de medições. medição Para que serve a
rigorosa organizar e hierarquizar medição?
(OG6). conteúdos. x Vídeo-atividade: Crio a
minha própria balança
x Teste interativo:
Representação R5

x Ficha 2 –
o
Representação – 5.
ano
x Discurso x Aplicar 7.1. Identificar vocabulário x O que é a x Vocabulário x Experimenta/Faz mais x Vou
(D5) princípios da específico da área tecnológica, comunicação tecnológico página 43 representar
comunicação utilizando-o para comunicar tecnológica? x Instruções e graficamente
tecnológica ideias e opiniões. esquemas x Experimenta/Faz mais um robô
(OG7). 7.2. Interpretar instruções e página 45 (página 54)
esquemas gráficos/técnicos. x Testo os

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


x Experimenta/Faz mais meus
página 46 conhecimen-
tos – Discurso
x Desenvolver 8.1. Organizar e ilustrar informação x Como x Organizar e x Experimenta/Faz mais D5
princípios da gráfica/técnica, específica da comunicamos ilustrar página 48 (página 55)
comunicação área tecnológica. tecnologia? informação
tecnológica 8.2. Produzir instruções e esquemas x Sistemas, x Experimenta/Faz mais
(OG8). gráficos/técnicos, utilizando codificações e página 50
sistemas discursivos, simbologias
codificações e simbologias (representação x Síntese de domínio
técnicas. das vistas; (página 53)
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
representação x Exploração do manual
em perspetiva; (páginas 42 a 55)
escalas;
cotagem; tipos
de linhas) x Animação:
x Dominar a 9.1. Desenvolver ações orientadas x Quero saber Vistas de um desenho
comunicação para o encadeamento comunicar x Apresentação:
como um cronológico de acontecimentos. tecnologia O que é a comunicação
processo de 9.2. Desenvolver capacidades de tecnológica?
organização enumerar, caracterizar e x Apresentação:
de factos registar os factos observados. Como comunicamos
(OG9). tecnologia?
x Exploração da
apresentação-síntese:
Quero saber
comunicar tecnologia
x Vídeo-atividade:
Vou representar um
robô
x Teste interativo:
Discurso D5

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


o
x Ficha 3 – Discurso – 5.
ano
x Projeto x Distinguir as 10.1. Identificar recursos naturais x O que são x Fontes de x Experimenta/Faz mais x Construo um
(P5) principais (carvão, petróleo, vento, água, fontes de energia página 61 labirinto
fontes de etc.) aplicados na produção de energia? (energias elétrico
energia energia. renováveis; x Experimenta/Faz mais (página 72)
(OG10). 10.2. Enumerar e examinar diferentes não renováveis) página 65 x Testo os meus
fontes de energia (renováveis e x Impacto social e conhecimen-
não renováveis). ambiental da x Experimenta/Faz mais tos
exaustão das página 69 (página 75)

25
26
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
10.3. Reconhecer o impacto social e fontes
ambiental da exaustão das energéticas x Síntese de domínio
fontes energéticas naturais. (página 71)

x Exploração do manual
x Compreender 11.1. Reconhecer diversos processos x Como é que se x Processos de (página 58 a 75)
processos de de produção de energia (sol, produz e se produção de
produção e de vento, desníveis de água, transforma a energia a partir
transformação combustível, etc.). energia? de fontes de x Simulador: Construção
de energia 11.2. Analisar e classificar diversos energia de circuito elétrico
(OG11). processos de transformação de renováveis e x Animação:
energia (mecânica, não renováveis Fontes de energia
eletroquímica, x Processos de renováveis e não
eletromagnética). transformação renováveis
de energia x Animação: Produção e
transformação de
energia
x Explorar 12.1. Distinguir operadores elétricos x Como funciona x A eletricidade x Apresentação:
soluções na construção de circuitos a eletricidade? x Cuidados a ter O que são fontes de
energéticas no elétricos simples. com a energia?
âmbito dos 12.2. Utilizar operadores elétricos no eletricidade x Apresentação: Como
desenvolvimento de projetos,

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


operadores x Operadores se produz e se
elétricos de baixa complexidade. elétricos transforma a energia?
(OG12). x Circuito elétrico x Apresentação: Como
simples funciona a
x Regras de eletricidade?
poupança de x Vídeo:
x Dominar 13.1. Desenvolver ações orientadas x Quero saber energia O que é a energia?
procedimentos para metodologias de aquisição como é, como
de conhecimento prático. x Vídeo:
de análise e se produz e
13.2. Identificar unidades funcionais, Engenharia num
sistematização funciona a
compostas por um ou mais minuto – perigos da
(OG13). energia.
eletricidade
elementos, que agregados
cumprem uma função. x Link:
Energia sem fim
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
x Link:
Energias renováveis
x Vídeo-atividade:
Construo um labirinto
elétrico

x Ficha 4 – Projeto 5
o
6. Ano
x Técnica x Conhecer a 1.1. Identificar diferentes tipos de x O que são x Origem e x Experimenta/Faz mais x Construo um
(T6) origem e materiais (papel, argila, têxteis, materiais? propriedades página 85 banco com
propriedades madeiras e metais). dos materiais diferentes
dos materiais 1.2. Distinguir propriedades físicas (tipos de x Experimenta/Faz mais materiais
(OG1). dos diferentes tipos de materiais; página 91 reciclados
materiais (cor, brilho, cheiro, propriedades (página 93)
textura, etc.). físicas e x Síntese de domínio x Testo os
1.3. Avaliar características e propriedades (página 92) meus
propriedades dos materiais que mecânicas; conhecimen-
condicionam o seu armazenamento; x Exploração do manual tos – Técnica
armazenamento. normalização e (páginas 78 a 95) T6
1.4. Enumerar diferentes formas de apresentação (página 95)

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


apresentação dos materiais no no mercado)
mercado (normalização). x Animação:
Propriedades físicas
x Ficha de
dos materiais
avaliação
x Reconhecer 2.1. Relacionar processos de x Como se x Papel x Animação:
diagnóstica –
processos de transformação de matérias- transformam as x Madeira Das matérias-primas o
6. ano
transformação -primas com os materiais. matérias- x Argila aos materiais
das principais 2.2. Identificar as -primas em x Têxteis x Apresentação:
matérias- ferramentas/utensílios mais materiais? x Metais O que são materiais?
-primas (OG2). adequados à transformação das x Apresentação: Como
matérias-primas em materiais. se transformam as
matérias-primas em
materiais?

27
28
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
2.3. Explicar modificações das x Apresentação:
propriedades dos materiais de Qual é o impacto da
acordo com as suas utilizações. extração de matérias-
2.4. Realizar ensaios para -primas no ambiente?
determinar propriedades x Vídeo:
mecânicas como dureza, Geração 20-30 papel
maleabilidade, etc. (ex. barro). x Vídeo:
Geração 20-30
reciclagem
x Distinguir 3.1. Avaliar o impacto ambiental x Qual é o x Impacto x Link:
alterações no provocado pelo processo de impacto da ambiental da Reciclagem
meio extração das matérias-primas. extração de extração de x Exploração da
ambiente 3.2. Reciclar e empregar materiais, matérias- matérias-primas apresentação-síntese:
determinadas de forma a reduzir o seu -primas x A reciclagem e a Quero saber o que são
pela ação impacto ambiental. no ambiente? redução do materiais e como se
humana impacto transformam matérias-
(OG3). ambiental -primas
x Os «3 R» x Vídeo-atividade:
Construo um banco com
x Dominar 4.1. Desenvolver ações orientadas x Quero saber o diferentes materiais
procedimen- para experiências que se que são reciclados

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


tos transformam numa parte ativa materiais e x Teste interativo:
sistemáticos e do conhecimento. como se Técnica T6
metodológi- 4.2. Distinguir grupos singulares de transformam
cos (OG4). recursos e tecnologias. matérias-
-primas.
x Ficha 5 – Técnica 6

x (R6) x Conhecer 5.1. Identificar tipos de movimento x O que é o x Tipos de x Experimenta/Faz mais x Construo uma
Representação diversos tipos quanto à sua variação no espaço movimento? movimento página 101 mesa de
de (trajetória: retilíneos e (variação no matraquilhos
movimentos curvilíneos). espaço; variação x Experimenta/Faz mais (página 108)
(OG5). no tempo) página 106
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
5.2. Enumerar tipos de movimento x Síntese de domínio x Testo os
quanto à sua variação no tempo (página 107) meus
(ritmo: periódicos, uniformes e conhecimen-
acelerados). x Exploração do manual tos –
(páginas 98 a 111) Representa-
x Reconhecer 6.1. Identificar processos de x Como se x Contexto ção R6
operadores transformação e de transmissão transmite e se histórico (página 111)
mecânicos de (ex. movimento de oscilação transforma o x Processos de x Animação:
transmissão periódico do pêndulo do relógio movimento? transformação Tipos de movimento
e de no movimento circular dos e transmissão x Animação: Processos x Ficha de
transformação ponteiros; movimento retilíneo do movimento de transformação do avaliação –
do movimento da corda no movimento (movimento movimento Movimento
(OG6). curvilíneo, pendular do sino). oscilatório do x Animação:
6.2. Representar e desenvolver pêndulo do Mecanismos simples
mecanismos simples, relógio e x Animação:
empregando processos de movimento O que é o movimento?
transmissão/conservação de circular dos x Animação:
movimento. ponteiros; Como se transmite e se
movimento transforma o
retilíneo da movimento?
corda e
x Exploração da

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


movimento apresentação-síntese:
curvilíneo do
Quero saber o que é o
sino)
movimento, como é
x Mecanismos transformado e
simples transmitido
x Vídeo-atividade:
x Dominar a 7.1. Desenvolver ações orientadas x Quero saber o
Construo uma mesa de
representação para a investigação e registo de que é o
matraquilhos
esquemática processos mecânicos. movimento,
como registo 7.2. Desenvolver capacidades de como é
de representação morfológica e transformado e
informação estrutural. transmitido. x Ficha 6 -
(OG7). Representação – 6

29
30
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
x Discurso (D6) x Distinguir a 8.1. Identificar as fases necessárias x O que têm em x Organização e x Experimenta/Faz mais x Construo uma
linguagem para a organização e comum os planificação de página 115 bicicleta
dos processos planificação de tarefas (espaço processos de tarefas (página 127)
de utilização, de trabalho, preparação de fabrico, x Higiene e x Experimenta/Faz mais x Testo os
de fabrico e materiais e ferramentas, listas construção e segurança no página 122 meus
de construção de componentes, etc.). utilização? local de conhecimen-
(OG8). 8.2. Compreender a problemática da trabalho x Síntese de domínio tos – Discurso
higiene e da segurança no local (página 126) D6 (página
de trabalho (noções de higiene e 129)
segurança individual e coletiva, x Exploração do manual
riscos gerais e a sua prevenção, (páginas 114 a 129)
o papel da organização e
limpeza na prevenção de riscos
de trabalho, etc.). x Apresentação:
O que têm em comum
fabrico, construção e
x Compreender 9.1. Discriminar ferramentas e x O que significa x Ferramentas e utilização?
processos máquinas mais indicadas a cada fabricar e máquinas x Apresentação:
técnicos de tarefa (nomenclatura, construir? x Técnicas de O que significa fabricar
fabrico e de componentes, uso técnico, fabrico e construir?
construção segurança específica de uso, x Uniões rígidas e x Vídeo:

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


(OG9). preparação, conservação e móveis Engenharia num
manutenção). x Tipos de uniões minuto – soldadura
9.2. Identificar técnicas de fabrico e materiais x Link:
mais indicadas a cada tarefa
Higiene e segurança
(processos de corte,
x Exploração da
conformação, moldagem e de
apresentação-síntese:
acabamento).
Quero reconhecer
9.3. Identificar e distinguir uniões
processos de fabrico e
rígidas de uniões móveis (fixas e
de construção
desmontáveis).
x Vídeo-atividade:
Vamos construir uma
bicicleta?
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
9.4. Relacionar tipos de união com os x Teste interativo:
materiais (ex. aparafusar peças de Discurso D6
madeira difere do aparafusar
peças em metal).
x Ficha 7 – Discurso 6
x Dominar a 10.1. Desenvolver ações orientadas x Quero
comunicação para a demonstração de factos e reconhecer
orientada acontecimentos, que enunciam processos de
para a relações de causa e efeito. fabrico e de
demonstração 10.2. Distinguir encadeamentos construção.
(OG10). sequenciais e agregados de ações.

x Projeto x Conhecer 11.1. Compreender o conceito de x O que é uma x Forma, função e x Experimenta/Faz mais x Crio uma
(P6) tipos de estrutura (forma, função, estrutura? módulo da página 135 estrutura de
estrutura módulo). estrutura corpo
(OG11). 11.2. Identificar diferentes tipos de x Tipos de x Experimenta/Faz mais humano
estruturas (naturais e artificiais; estruturas página 141 (página 143)
fixas e móveis). (naturais e x Testo os
11.3. Analisar a evolução histórica dos artificiais; fixas x Síntese de domínio meus
processos de construção de e móveis) (página 142) conhecimen-

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


estruturas. x Evolução tos – Projeto
histórica da x Exploração do manual P6 (página
construção de (páginas 132 a 144) 144)
estruturas
(construção
com pedra e x Animação:
com madeira; A evolução histórica
com tijolo; com dos processos de
cimento; com construção de
metais; com estruturas
betão) x Apresentação:
O que é uma
estrutura?

31
32
Interrogação/ Materiais Aplicação de
Ano/Domínio Objetivo Geral Descritor de Desempenho Temática
Afirmação didáticos conhecimentos
x Explorar 12.1. Reconhecer a função das x Qual é a x Função das x Apresentação:
estruturas no estruturas e dos seus relação entre a estruturas e dos Qual é a relação entre
âmbito da componentes (suporte de forma e a seus a forma e a função de
forma e cargas, suporte de forças função de uma componentes uma estrutura?
função exteriores, manter a forma, estrutura? x Esforços a que x Vídeo:
(OG12). proteger e ligar os estão sujeitas Forma e função das
componentes). as estruturas estruturas
12.2. Identificar os esforços a que x Desenvolvimen- x Exploração da
estão sujeitas as estruturas to de estruturas apresentação-síntese:
(tração, compressão, flexão, Quero conhecer tipos,
torção e corte). formas e funções de
12.3. Desenvolver estruturas estrutura
considerando materiais, x Teste interativo:
processos de construção e Projeto P6
forma/função. x Vídeo-atividade: Crio
uma estrutura de
corpo humano
x Dominar 13.1. Desenvolver ações orientadas x Quero
atividades para a identificação de conhecer tipos,
coordenadas requisitos e recursos formas e
disponíveis. x Ficha 8 – Projeto 6
e interligadas, funções de
13.2. Desenvolver capacidades que se

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


para a estrutura.
realização de direcionam para a procura da
um objetivo melhor solução, para a
(OG13). apreciação dos prós e dos
contras e para a avaliação crítica
das soluções alcançadas.
Guia de exploração de recursos multimédia –
Arte de Ver e Arte de Fazer

Plataforma digital
É uma ferramenta que permite o acesso a um vasto conjunto de recursos multimédia associados aos projetos
Arte de Ver e Arte de Fazer. Inclui sugestões de utilização/exploração dos recursos multimédia que
constituem a versão de demonstração deste componente. Adicionalmente, disponibiliza todos os conteúdos
do Caderno de Apoio ao Professor em formato editável.

Recursos disponíveis Quant. Quant.


O que são?
em EV ET
Os simuladores do Arte de Ver e Arte de Fazer permitem analisar
Simuladores – 2
diferentes situações através da manipulação de objetos/variáveis.
Permitem auxiliar o professor na explicação dos conteúdos,
Animações recorrendo a exemplos animados que facilitam a compreensão do 9 13
aluno.
Estão associadas a cada questão presente em cada domínio.
Apresentações Apresentam uma animação faseada de todos os conteúdos do
32 18
(em PowerPoint®) manual, utilizando sobretudo imagens de grande qualidade e
complementares às utilizadas no manual.
As apresentações em PowerPoint® de síntese respondem
Apresentações-
esquemática e sucintamente às questões apresentadas ao longo
-síntese 8 8
do domínio, permitindo relacionar e recordar os conteúdos
(em PowerPoint®)
abordados em cada um.
Permitem demonstrar as técnicas de desenho e pintura descritas
Vídeos no manual, assim como relacionar os temas abordados na 8 6
disciplina com o quotidiano.
Permitem apoiar na explicação da atividade e na demonstração da
Vídeo-atividades 8 8
execução das etapas do procedimento descritas no manual.
Contemplam a totalidade dos conteúdos abordados. No final de
cada teste, é fornecido um relatório com a indicação das questões
Testes interativos 7
que acertou/falhou, sendo possível fazer a comparação entre as 8
respostas dadas e as respetivas soluções.
O canal do Youtube dos projetos reúne uma grande diversidade de vídeos de elevado
Canal Youtube interesse motivacional e pedagógico. Para facilitar a sua seleção, os vídeos estão
organizados por tema dos manuais.
Links Links para sites úteis que se relacionam com os temas abordados nas disciplinas.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 33


34
Recursos digitais do projeto Arte de Ver (Educação Visual)
Apresentações-
Apresentações -síntese
Domínio Animações (em PowerPoint®) (em PowerPoint®) Vídeos Vídeo-atividades Testes interativos

x Transferidor x Grafite, x Quero saber x Lápis de grafite


Lápis de cor como se faz – x Lápis de cor
x Régua e esquadro x Marcadores Técnica 5 x Lápis de cera
x Pastel seco x Marcadores
x Compasso x Construção x Testo os meus
x Lápis de cera e pastel x Pastel seco
Técnica T5 de um mobile conhecimentos –
de óleo x Guache
Técnica T5
x Aguarela e tinta da x Aguarela
China x Tinta da China
x Guache

x Divisão do segmento x Ponto e linha


de reta
x Plano, superfície e
x Divisão de uma volume
circunferência

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


x Traçar linhas paralelas
x Divisão da e perpendiculares x Quero saber x Faço uma
circunferência em representar composição x Testo os meus
Representação R5 seis partes iguais e x Elementos da formas e gráfica conhecimentos –
construção de um circunferência superfícies com tubos Representação R5
hexágono texturados
x Tipos de estrutura
x Divisão da
circunferência em x Forma e função
seis partes iguais e
construção de um x Módulo e padrão
pentágono
x Texturas
Apresentações-
Apresentações -síntese
Domínio Animações (em PowerPoint®) (em PowerPoint®) Vídeos Vídeo-atividades Testes interativos

x Os cinco sentidos,
agentes e tipos de
comunicação

x Narrativa visual x O que é a


x Testo os meus
comunicação?
Discurso D5 conhecimentos –
x Códigos de Como
Discurso D5
comunicação comunicamos?

x Suportes impressos

x Meios de comunicação
x Cor: textura
e dimensão

x Cor-luz (síntese aditiva)


e cor-pigmento x Quero

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


(síntese subtrativa) compreender a
x Testo os meus
cor, as suas x Elaboro o meu
Técnica T6 x Relações cromáticas conhecimentos –
características próprio cartaz
(círculo cromático) Técnica T6
e o seu
significado
x A cor e o seu sentido

x Valores simbólicos da
cor

35
36
Apresentações-
Apresentações -síntese
Domínio Animações (em PowerPoint®) (em PowerPoint®) Vídeos Vídeo-atividades Testes interativos

x Retas no espaço e no
plano
x Quero saber
x Posição absoluta e como se
relativa dos objetos x Faço uma
relacionam e
composição x Testo os meus
x Escalas de plantas, representam
Representação R6 gráfica conhecimentos –
mapas e alçados x Interior e superfície de objetos no
aplicando Representação R6
um objeto espaço
escalas

x Relação entre um
objeto e as suas
representações
x Noção, valor e tipos x Quero
x O «nosso» de Património compreender o x Represento um
x Testo os meus
Património que é o animal
Discurso D6 conhecimentos –
x A obra de arte património, o característico da
Discurso D6
seu papel e minha região

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


influência

x Teoria da Gestalt x Gestalt x Quero x Realizo um x Testo os meus


na comunicação compreender e cartaz dinâmico conhecimentos –
avaliar os sobre Projeto P6
x Adequação elementos de a importância
Projeto P6 do discurso gráfico um discurso da reciclagem
gráfico
Página Recurso Metas Curriculares (OG/DD) Sugestões de exploração
Apresentação: Pastel seco Técnica T5

OG1
1.1 Distinguir características de vários materiais x Auxiliar de apresentação
riscadores (lápis de grafite, lápis de cor, lápis e de exploração de conteúdos
14
de cera, marcadores, pastel de óleo e seco, guache, do tópico relativo ao pastel
aguarela e tinta-da-China). seco.

Vídeo: Pastel seco OG1


1.1 Distinguir características de vários materiais x No decurso da aula, como apoio
riscadores (lápis de grafite, lápis de cor, lápis à demonstração da técnica
de cera, marcadores, pastel de óleo e seco, guache, de pintar com o pastel seco.
aguarela e tinta-da-China).
14
OG3
3.1 Desenvolver ações orientadas para experiências
que se transformam numa parte ativa
do conhecimento prático.
3.2 Distinguir grupos singulares de recursos

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


e de técnicas de execução.
Apresentação: Quero saber o que são OG1
riscadores, suportes e desenho técnico 1.1 Distinguir características de vários materiais x Auxiliar de sistematização e de
riscadores (lápis de grafite, lápis de cor, lápis de resumo de conteúdos do
cera, marcadores, pastel de óleo e seco, guache, domínio Técnica 5.
aguarela e tinta-da-China).
25 1.2 Analisar características de diversos suportes (papel
«cavalinho», papel vegetal, papel diverso)

OG3
3.2: Distinguir grupos singulares de recursos e de
técnicas de execução.

37
38
Página Recurso Metas Curriculares (OG/DD) Sugestões de exploração
Vídeo-atividade: OG1
Construo o meu próprio mobile 1.1 Distinguir características de vários materiais x Apoiar na demonstração
riscadores (lápis de grafite, lápis de cor, lápis das etapas de execução
de cera, marcadores, pastel de óleo e seco, guache, da atividade final deste domínio.
aguarela e tinta-da-China).
1.2 Analisar características de diversos suportes
(papel «cavalinho», papel vegetal, papel diverso).

OG2
2.1 Utilizar corretamente materiais básicos do desenho
26
técnico (régua, esquadros, transferidor, compasso).
2.2 Experimentar diferenças de traçado rigoroso
utilizando diversos suportes físicos.

OG3
3.1 Desenvolver ações orientadas para experiências
que se transformam numa parte ativa
do conhecimento prático.
3.2: Distinguir grupos singulares de recursos e técnicas
de execução.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Animação: Representação R5
Divisão de uma circunferência OG4
4.4: Construir polígonos e dividir segmentos de reta x No decurso da aula, como apoio
e circunferências em partes iguais. à divisão da circunferência
em três partes iguais.
45
x No final da aula, para rever
os conteúdos abordados.
Recursos digitais do projeto Arte de Fazer (Educação Tecnológica)
Apresentações-
Apresentações -síntese Vídeo- Link
Domínio Simuladores Animações (em PowerPoint®) (em PowerPoint®) Vídeos -atividades Testes interativos

x Evolução x Para que serve a x Quero conhecer a


tecnológica tecnologia? tecnologia e o x Testo os meus
objeto x Crio o meu
Técnica T5 conhecimentos –
tecnológico lápis de grafite
x Objeto técnico x O que é um Técnica T5
– bicicleta objeto técnico?
x Medição de x App de medir
comprimento x O que são comprimentos
e ângulo grandeza física e x Quero conhecer e ângulos com
x Testo os meus
x Conversor de medição? grandezas físicas o telemóvel
Representação conhecimentos –
unidades e efetuar x Crio a minha
R5 x Medição de Representação
medições balança
massa, x Para que serve a R5
temperatura e medição?
tempo

x O que é a
comunicação

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


tecnológica? x Vou
x Quero saber x Testo os meus
x Vistas de um representar
Discurso D5 comunicar conhecimentos –
desenho graficamente
x Como tecnologia Discurso D5
um robô
comunicamos
tecnologia?

39
40
Apresentações-
Apresentações -síntese Vídeo- Link
Domínio Simuladores Animações (em PowerPoint®) (em PowerPoint®) Vídeos -atividades Testes interativos

x O que são fontes


x Fontes de de energia? x O que é a
energia
x Quero saber energia?
x Construção renováveis e x Energia sem
não renováveis x Como se produz o que é, como se x Construo um x Testo os meus
de circuito fim
Projeto P5 e se transforma a produz e funciona x Engenharia labirinto conhecimentos –
elétrico x Energias
energia? a energia num elétrico Projeto P5
x Produção e renováveis
minuto –
transformação
x Como funciona a perigos da
de energia
eletricidade? eletricidade

x O que são
materiais?

x Propriedades x Geração

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


físicas dos x Como se 20-30 –
x Quero saber o x Construo um
materiais transformam as papel
que são materiais banco com x Testo os meus
matérias-primas
Técnica T6 e como se diferentes conhecimentos x Reciclagem
em materiais?
x Das matérias- transformam x Geração materiais – Técnica T6
-primas aos matérias-primas 20-30 – reciclados
materiais x Qual é o impacto reciclagem
da extração de
matérias-primas
no ambiente?
Apresentações-
Apresentações -síntese Vídeo- Link
Domínio Simuladores Animações (em PowerPoint®) (em PowerPoint®) Vídeos -atividades Testes interativos

x Tipos de x O que é o
movimento movimento?
x Quero saber
o que é o x Testo os meus
x Processos de x Como se x Construo uma
Representação movimento, conhecimentos
transformação transmite mesa de
R6 como é – Representação
do movimento e se transforma matraquilhos
transformado R6
o movimento?
e transmitido
x Mecanismos
simples
x O que têm em x Higiene
comum os e segurança
processos
de fabrico, x Quero
x Engenharia
construção reconhecer x Testo os meus
num x Construo
Discurso D6 e utilização? processos conhecimentos
minuto – uma bicicleta
de fabrico – Discurso D6
soldadura
e de construção
x O que significa

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


fabricar e
construir?
x O que é uma
x A evolução estrutura?
x Quero conhecer x Crio uma
histórica dos x Forma e x Testo os meus
tipos, formas estrutura
Projeto P6 processos x Qual é a relação função das conhecimentos
e funções de de corpo
de construção entre a forma estruturas – Projeto P6
estrutura humano
de estruturas e a função de
uma estrutura?

41
42
Página Recurso Metas Curriculares (OG/DD) Sugestões de exploração
Apresentação: O que são fontes Projeto P5
de energia?
OG10
10.1 Identificar recursos naturais (carvão, petróleo, x Auxiliar de apresentação
58 vento, água, etc.) aplicados na produção de energia. e de exploração de conteúdos
do tópico relativo às fontes
10.2 Enumerar e examinar diferentes fontes de energia
de energia.
(renováveis e não renováveis).
10.3 Reconhecer o impacto social e ambiental da
exaustão das fontes energéticas naturais.

Vídeo: O que é a energia?


OG10
10.2 Enumerar e examinar diferentes fontes de energia x Entender o conceito de energia.
(renováveis e não renováveis). x Distinguir diferentes tipos de
58 10.3 Reconhecer o impacto social e ambiental da energia.
exaustão das fontes energéticas naturais. x Entender que fontes de energia
existem e para que são
utilizadas.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Animação: Fontes de energia renováveis e
OG10
não renováveis
10.1 Identificar recursos naturais (carvão, petróleo, x Enumerar diferentes fontes de
vento, água, etc.) aplicados na produção de energia. energia e agrupá-las em fontes
10.2 Enumerar e examinar diferentes fontes de energia de energia renováveis e não
(renováveis e não renováveis). renováveis.
59
x Referir alguns processos de
OG11 produção de energia.
11.1 Reconhecer diversos processos de produção de x Entender alguns impactos que
energia (sol, vento, desníveis de água, a exploração e a utilização de
combustível, etc.). diferentes fontes de energia
podem provocar.
Página Recurso Metas Curriculares (OG/DD) Sugestões de exploração
Apresentação: Como se produz e se
transforma a energia?
OG11
11.1 Reconhecer diversos processos de produção de x Auxiliar de apresentação e de
62 energia (sol, vento, desníveis de água, exploração de conteúdos do
combustível, etc.). tópico relativo à produção e
11.2 Analisar e classificar diversos processos transformação de energia.
de transformação de energia (mecânica,
eletroquímica, eletromagnética).

Animação: Produção e transformação de


energia
OG11
11.1 Reconhecer diversos processos de produção de x Entender alguns processos de
energia (sol, vento, desníveis de água, produção de energia.
62 combustível, etc.). x Distinguir diferentes processos
11.2 Analisar e classificar diversos processos de de transformação de energia,
transformação de energia (mecânica, dando exemplos.
eletroquímica, eletromagnética).

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Apresentação: Como funciona a
eletricidade?
OG12
12.1 Distinguir operadores elétricos na construção de x Auxiliar de apresentação e de
66 circuitos elétricos simples. exploração de conteúdos do
12.2 Utilizar operadores elétricos no desenvolvimento tópico relativo ao
de projetos, de baixa complexidade. funcionamento da eletricidade.

43
44
Página Recurso Metas Curriculares (OG/DD) Sugestões de exploração
Simulador: Construção de circuito elétrico OG12
12.1 Distinguir operadores elétricos na construção de x Utilizar a primeira secção do
circuitos elétricos simples. recurso para introduzir o
conceito de circuito elétrico e
12.2 Utilizar operadores elétricos no desenvolvimento dar exemplos de diferentes
67 de projetos, de baixa complexidade. operadores.
x Utilizar o simulador para
manipular diferentes operadores
elétricos, construindo diferentes
circuitos.
x Distinguir circuitos elétricos em
série e em paralelo.
Apresentação: Quero saber o que é, como
OG10
se produz e funciona a energia
x Distinguir as principais fontes de energia.
OG11
x Auxiliar de sistematização e de
71 x Compreender processos de produção e de resumo de conteúdos do
transformação de energia. domínio.
OG12
x Explorar soluções energéticas no âmbito dos

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


operadores elétricos.

Vídeo-atividade: Construo um labirinto OG12


elétrico 12.1 Distinguir operadores elétricos na construção de
circuitos elétricos simples.
12.2 Utilizar operadores elétricos no desenvolvimento x Apoiar na demonstração das
de projetos, de baixa complexidade. etapas de execução da
72 OG13 atividade final de cada domínio
13.1 Desenvolver ações orientadas para metodologias do manual.
de aquisição de conhecimento prático.
13.2 Identificar unidades funcionais, compostas por
um ou mais elementos, que agregados cumprem
uma função.
Planificação anual – Educação Visual

Planificação anual 5.o ano


Domínio Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Materiais Avaliação Período
o
1. Conhecer materiais riscadores e 1.1 Materiais riscadores Crio o meu x Manual x Avaliação 1.
respetivos suportes físicos. próprio Arte de Ver de
1.2 Suportes mobile diagnóstico
2. Dominar materiais básicos de 2.1; 2.2 x x Avaliação
Técnica
desenho técnico. formativa
Desenho técnico
3. Dominar a aquisição de 3.1; 3.2
x Avaliação
conhecimento prático.
sumativa
o
4. Compreender a Geometria 4.1; 4.2; 4.3; Faço uma x Manual x Avaliação 2.
enquanto elemento de 4.4 Geometria composição Arte de Ver formativa
organização da forma. gráfica com
5. Reconhecer a textura enquanto 5.1; 5.2; 5.3 Textura cubos x x Avaliação
Representação aspeto visual das superfícies. texturados sumativa
6. Explicar a estrutura como suporte 6.1; 6.2; 6.3
da forma.
Estrutura
7. Dominar a representação como 7.1; 7.2
instrumento de registo.
o
8. Conhecer diferentes tipologias de 8.1; 8.2; 8.3 Tipos de Construo uma x Manual x Avaliação 3.
comunicação. comunicação narrativa visual Arte de Ver formativa

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Agentes da
comunicação x x Avaliação
Narrativa visual sumativa
Discurso 9. Distinguir códigos e suportes 9.1; 9.2; 9.3 Códigos de
utilizados pela comunicação. comunicação
10. Dominar a comunicação como 10.1; 10.2 Suportes impressos
um processo de narrativa Meios de
visual. comunicação

Observações Os projetos serão trabalhados quando o professor considerar conveniente.

45
46
Planificação anual 6.o ano
Domínio Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Materiais Avaliação Período
o
1. Compreender características e 1.1; 1.2; 1.3 Cor Elaboro o meu x Manual x Avaliação de 1.
qualidades da cor. próprio cartaz Arte de ver diagnóstico
2. Reconhecer a simbologia e o 2.1; 2.2 Simbologia da cor sobre um filme x Avaliação
Técnica significado da cor. Importância da cor de animação x formativa
3. Dominar procedimentos 3.1; 3.2 na construção do
sistemáticos e metodológicos. sentido das x Avaliação
mensagens sumativa
o
4. Conhecer as interações dos 4.1; 4.2; 4.3; Relação dos objetos Faço uma x Manual x Avaliação 2.
objetos no espaço. 4.4; 4.5 no espaço composição Arte de ver formativa
5. Representar elementos físicos 5.1; 5.2 Elementos físicos do gráfica
Representação aplicando x
num espaço. objeto no espaço
escalas x Avaliação
6. Dominar a representação 6.1; 6.2
bidimensional. sumativa
o
7. Compreender o conceito de 7.1; 7.2; 7.3 Tipos de património Represento um x Manual x Avaliação 2.
património. animal Arte de ver formativa
característico da
8. Reconhecer o papel e a influência 8.1; 8.2 Importância do
minha região x
Discurso do património na sociedade. património
x Avaliação
9. Reconhecer o papel do discurso 9.1; 9.2

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


sumativa
no âmbito de trajetórias
históricas.
o
10. Reconhecer princípios básicos 10.1; 10.2; Discurso gráfico – Faço um cartaz x Manual x Avaliação 3.
da criação de um discurso. 10.3 Teoria da Gestalt dinâmico sobre Arte de ver formativa
a importância
11. Desenvolver a capacidade de 11.1; 11.2 Comunicação –
da reciclagem x
Projeto avaliação crítica de um discurso. criação de um
12. Dominar atividades 12.1; 12.2 discurso gráfico x Avaliação
coordenadas e interligadas, para sumativa
realização de um objetivo.

Observações Os projetos serão trabalhados quando o professor considerar conveniente.


Planificação a médio prazo – Educação Visual

Planificação a médio prazo 5.o ano


Educação Visual – 5.o ano
Escola Planificação de médio prazo
Departamento Curricular Ano letivo Turma
o
Professor Início N. de aulas
Domínio a trabalhar Técnica (T5) Trabalho a desenvolver Crio o meu próprio mobile

Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Estratégias Materiais Avaliação


1. Conhecer 1.1; 1.2 ͻ Lápis de grafite ͻ Experimenta/Faz mais ͻ Exploração da ͻ Tinta da China Formativa:
materiais ͻ Lapiseira, borracha, página 9 apresentação: Lápis de ͻ Guache ͻ Observação
riscadores e afia-lápis e esfuminho cera e pastel de óleo direta
ͻ Aguarela
respetivos
ͻ Lápis de cor ͻ Experimenta/Faz mais ͻ Pastel de óleo ͻ Grelhas
suportes físicos.
ͻ Lápis de cera página 11 ͻ Exploração da preto, amarelo e de registo
apresentação: vermelho
ͻ Pastel de óleo
Pastel seco
ͻ Pastel seco ͻ Experimenta/Faz mais ͻ Pastéis secos à
página 12 escolha do aluno
ͻ Marcadores
ͻ Exploração da ͻ Lápis de cor
ͻ Tinta da China Sumativa:
apresentação: Aguarela e

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


ͻ Experimenta/Faz mais ͻ Lápis de cera ͻ Aplicação do
ͻ Aguarela Tinta da China
página 13 ͻ Lápis de grafite teste
ͻ Guache
ͻ Marcadores preto, interativo:
ͻ Pincel e godé ͻ Exploração da Testo os meus
ͻ Experimenta/Faz mais amarelo,
ͻ Papel apresentação: Guache conhecimentos
página 14 verde-claro e
ͻ Características do castanho (T5)
papel ͻ Apresentação do vídeo: ͻ Cartolina preta e
ͻ Experimenta/Faz mais
ͻ Tipos de papel Lápis de grafite branca
página 15
ͻ Formatos universais ͻ Cartão
do papel ͻ Apresentação do vídeo: ͻ Papel de cenário
ͻ Experimenta/Faz mais
Lápis de cor
página 16 ͻ Papel «cavalinho»
A3 e A4

47
48
ͻ Apresentação do vídeo: ͻ Papel vegetal
Lápis de cera ͻ Papel de lustro
ͻ Papel de jornal
ͻ Revistas
ͻ Compasso
ͻ Régua
ͻ Esquadro
ͻ Tesoura
ͻ Furador
ͻ Cola
ͻ Palhinhas
ͻ Ripas de madeira
2. Dominar 2.1; 2.2 ͻ Desenho técnico ͻ Experimenta/Faz mais ͻ Apresentação do vídeo: ͻ Fio de nylon
materiais básicos ͻ Materiais de desenho página 17 marcadores ͻ Afia-lápis
de desenho técnico ͻ Apresentação do vídeo: ͻ Secador de cabelo
técnico. pastel seco
ͻ Traçado rigoroso ͻ Experimenta/Faz mais ͻ Godés
página 18 ͻ Apresentação do vídeo:
ͻ Esponja
guache
ͻ Pincéis
ͻ Experimenta/Faz mais ͻ Apresentação do vídeo:
3. Dominar a 3.1; 3.2 aguarela

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


página 21
aquisição de
ͻ Apresentação do vídeo:
conhecimento
tinta da China
prático. ͻ Crio o meu próprio
mobile ͻ Exploração da síntese:
Quero saber o que são
riscadores, suportes e
ͻ Exploração do manual desenhos técnicos
(páginas 8 a 27)
ͻ Apresentação do vídeo:
Construção de um mobile
ͻ Apresentação da ͻ Manual Arte de Ver
animação: Transferidor
ͻ
ͻ Computador
Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Estratégias Materiais Avaliação
ͻ Apresentação da ͻ Internet
animação: Régua e ͻ Vídeoprojetor
esquadro
ͻ Lápis de cor
ͻ Lápis de cera
ͻ Apresentação da
ͻ Marcadores
animação: Compasso
ͻ Apresentação: Lápis de ͻ Pastel seco
grafite, lápis de cor ͻ Pastel de óleo
ͻ Lápis de grafite
ͻ Apresentação:
Marcadores

Observações

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


49
50
Educação Visual – 5.o ano
Escola Planificação a médio prazo
Departamento Curricular Ano letivo Turma
o
Professor Início N. de aulas
Faço uma composição gráfica
Domínio a trabalhar Representação (R5) Trabalho a desenvolver
com cubos texturados

Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Estratégias Materiais Avaliação


4. Compreender a 4.1; 4.2; 4.3; ͻ Ponto ͻ Experimenta/Faz mais ͻ Exploração do ͻ Manual Arte de Ver Formativa:
Geometria 4.4 ͻ Linha página 31 manual (páginas 30 a ͻ ͻ Observação
enquanto ͻ Plano 57) ͻ Computador direta
elemento de ͻ Superfície ͻ Experimenta/Faz mais ͻ Internet ͻ Grelhas
organização da ͻ Volume página 35 ͻ Apresentação da ͻ Vídeoprojetor de registo
forma. ͻ Relembrar elementos animação: ͻ Canetas pretas
geométricos ͻ Experimenta/Faz mais Divisão de uma (diferentes
ͻ Traçar linhas paralelas página 49 circunferência espessuras)
ͻ Traçar linhas ͻ Cartolina preta
perpendiculares ͻ Experimenta/Faz mais ͻ Apresentação da ͻ Régua Sumativa:
ͻ Relembrar elementos da página 51 animação: ͻ Compasso ͻ Aplicação do
circunferência Divisão da

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


ͻ Lápis de grafite teste
ͻ Construir triângulos ͻ Experimenta/Faz mais circunferência em interativo:
ͻ Tesoura
ͻ Construção de um triângulo página 55 seis partes iguais e Testo os meus
ͻ Folha de papel
equilátero construção de um conhecimentos
«cavalinho» A4
ͻ Construção de um triângulo hexágono (R5)
ͻ Faço uma composição ͻ Riscadores à
isósceles
gráfica com cubos escolha do aluno ͻ Ficha de
ͻ Construção de um triângulo ͻ Apresentação da avaliação
texturados ͻ Cola
escaleno animação: Geometria
ͻ Divisão do segmento de Divisão da ͻ Marcadores o
Geral 5. ano
reta em partes iguais circunferência em ͻ Revistas
(CAP)
ͻ Divisão do segmento de cinco partes iguais e ͻ Palitos
reta em qualquer número construção de um ͻ Guache
de partes iguais pentágono ͻ Limão
5. Reconhecer a 5.1; 5.2; 5.3 ͻ Divisão da circunferência ͻ Exploração da
textura enquanto em três partes iguais e apresentação:
aspeto visual das construção de um triângulo Ponto e linha
superfícies. equilátero
ͻ Divisão da circunferência ͻ Exploração da
em seis partes iguais e apresentação: Plano,
construção de um superfície e volume
hexágono e um polígono
estrelado de seis pontas ͻ Exploração da
ͻ Divisão da circunferência apresentação:
em quatro partes iguais e Traçar linhas
construção de um paralelas e
quadrado perpendiculares
ͻ Divisão da circunferência
em cinco partes iguais e ͻ Exploração da
construção de um apresentação:
pentágono e um polígono Elementos da
estrelado de cinco pontas circunferência
6. Explicar a textura 6.1; 6.2; 6.3 ͻ Tipos de estruturas
como suporte da ͻ Forma e função ͻ Exploração da
forma. ͻ Módulo e padrão apresentação:
ͻ A textura como sensação Tipos de estrutura
visual e tátil

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


ͻ Texturas naturais e ͻ Exploração da
artificiais à nossa volta apresentação: Forma
ͻ Criar e exprimir texturas e função
através do desenho
ͻ Exploração da
apresentação:
Módulo e padrão

ͻ Exploração da
apresentação:
Texturas

51
52
Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Estratégias Materiais Avaliação
7. Dominar a 7.1; 7.2 ͻ Exploração da
representação apresentação-
como -síntese:
instrumento de Quero saber
registo. representar formas e
superfícies

ͻ Apresentação do
vídeo-atividade:
Faço uma
composição gráfica
com tubos
texturados
Observações

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Educação Visual – 5.o ano
Escola Planificação a médio prazo
Departamento Curricular Ano letivo Turma
o
Professor Início N. de aulas

Domínio a trabalhar Discurso (D5) Trabalho a desenvolver Construo uma narrativa visual

Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Estratégias Materiais Avaliação


8. Conhecer 8.1; 8.2; 8.3 ͻ Os cinco sentidos ͻ Experimenta/Faz ͻ Exploração do ͻ Manual Arte de Ver Formativa:
diferentes ͻ Agentes da comunicação mais página 61 manual ͻ ͻ Observação
tipologias de ͻ Tipos de comunicação (páginas 60 a 74); ͻ Computador direta
comunicação. ͻ Narrativa visual ͻ Experimenta/Faz ͻ Internet ͻ Grelhas de
ͻ Gravuras paleolíticas mais páginas 62-63 ͻ Exploração da ͻ Vídeoprojetor registo
ͻ Hieróglifos apresentação: ͻ Lápis de grafite
ͻ Sistemas numéricos ͻ Experimenta/Faz Os cinco sentidos, ͻ Papel «cavalinho»
9. Distinguir códigos 9.1; 9.2; 9.3 mais página 66 agentes e tipos de
ͻ Língua gestual ͻ Régua
e suportes comunicação
ͻ Caligrafia ͻ Esquadro Sumativa:
utilizados pela
ͻ Código Morse ͻ Experimenta/Faz ͻ Marcadores ͻ Aplicação
comunicação. ͻ Exploração da
ͻ Código Braille mais página 67 ͻ Lápis de cor do teste
apresentação:

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


ͻ Bandeiras ͻ Cartolina interativo:
ͻ Experimenta/Faz Narrativa visual Testo os meus
ͻ Sinais de trânsito ͻ Bloco de notas
mais página 69 amarelo conhecimentos
ͻ Cor dos semáforos ͻ Exploração da (D5)
ͻ Pictogramas apresentação:
ͻ Experimenta/Faz
ͻ Símbolos Códigos de
mais página 71
ͻ Pergaminho comunicação
ͻ Papel
ͻ Construo uma
ͻ Tecido ͻ Exploração da
narrativa visual
ͻ Jornal apresentação:
ͻ Revista Suportes impressos
ͻ Cartaz
ͻ Banda desenhada

53
54
ͻ Telefone ͻ Exploração da
ͻ Rádio apresentação:
ͻ Podcast Meios de comunicação
ͻ Televisão
ͻ Cinema ͻ Exploração da
ͻ CD apresentação-síntese:
ͻ TV digital Quero comunicar
ͻ Internet através de imagens

Observações

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Planificação a médio prazo 6.o ano

Educação Visual – 6.o ano


Escola Planificação a médio prazo

Departamento Curricular Ano letivo Turma

o
Professor Início N. de Aulas

Domínio a trabalhar Técnica (T6) Trabalho a desenvolver Elaboro o meu próprio cartaz

Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Estratégias Materiais Avaliação


1 Compreender 1.1; 1.2; 1.3 ͻ Luz e cor ͻ Experimenta/Faz mais ͻ Exploração do manual ͻ Manual Arte de Formativa:
características e ͻ Influência da textura e da página 87 (páginas 80 a 93) Ver ͻ Observação
qualidades da dimensão na perceção da ͻ direta
cor. cor ͻ Experimenta/Faz mais ͻ Exploração da ͻ Computador ͻ Grelhas de
ͻ Diferenças entre cor-luz página 91 apresentação: Cor: ͻ Internet registo
(síntese aditiva) e cor- textura e dimensão ͻ Vídeoprojetor
-pigmento (síntese ͻ Elaboro o meu próprio ͻ Papel «cavalinho»
subtrativa) cartaz ͻ Exploração da A3 e A4
ͻ Relações cromáticas apresentação: ͻ Canetas de feltro Sumativa:

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


(círculo cromático): Cor-luz (síntese
ͻ Lápis de grafite ͻ Aplicação do
ͻ Cores primárias e cores aditiva) e cor-
ͻ Cartolinas teste interativo:
secundárias -pigmento (síntese
ͻ Cola Testo os meus
ͻ Cores complementares subtrativa)
ͻ Tesoura conhecimentos
ͻ Relação cores ͻ Guache (T6)
ͻ Exploração da
quentes/cores frias
apresentação: ͻ Pincéis
ͻ Relação branco/preto
Relações cromáticas ͻ Godés
ͻ Relação claro/escuro
(círculo cromático) ͻ Papel vegetal
ͻ Valor simbólico da cor
ͻ Revistas
ͻ Valor simbólico da cor ͻ Exploração da ͻ Folhetos de
em normas e regras apresentação: supermercado
ͻ Valor simbólico da cor A cor e o seu sentido.

55
56
2. Reconhecer a 2.1; 2.2 nos sinais de trânsito ͻ Exploração da
simbologia e o ͻ Valor simbólico da cor nas apresentação:
significado da cor sinaléticas industriais Valores simbólicos da
ͻ A cor na comunicação e cor
na construção de
mensagens
ͻ Quero compreender a
cor, as suas
características e o seu
significado

3. Dominar 3.1; 3.2 ͻ Exploração da


procedimentos apresentação-síntese:
sistemáticos e Quero compreender a
metodológicos. cor, as suas
características e o seu
significado

ͻ Apresentação da
vídeo-atividade:
Elaboro o meu
próprio cartaz

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Observações
Educação Visual – 6.o Ano
Escola Planificação a médio prazo
Departamento Curricular Ano letivo Turma
o
Professor Início N. de Aulas
Faço uma composição gráfica
Domínio a trabalhar Representação (R6) Trabalho a desenvolver
aplicando escalas

Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Estratégias Materiais Avaliação


4. Conhecer as 4.1; 4.2; 4.3; ͻ Representação do espaço ͻ Experimenta/ ͻ Exploração do manual ͻ Manual Arte de Formativa:
interações dos 4.4; 4.5 ͻ Posição relativa de retas Faz mais (páginas 96 a 109) Ver ͻ Observação
objetos no no espaço página 99 ͻ direta
espaço. ͻ Posição relativa entre ͻ Apresentação da animação: ͻ Computador ͻ Grelhas de
reta e plano ͻ Experimenta/ Escalas de plantas, mapas e alçados ͻ Internet registo
5. Representar 5.1; 5.2 ͻ Posição absoluta dos Faz mais ͻ Exploração da apresentação: ͻ Vídeoprojetor
elementos
objetos no espaço página 101 Retas no espaço e no plano ͻ Régua
físicos num
ͻ Posição relativa dos ͻ Lápis de grafite
espaço.
objetos ͻ Experimenta/ ͻ Exploração da apresentação: ͻ Esquadro
ͻ Leitura do espaço Faz mais Posição absoluta e relativa dos ͻ Papel Sumativa:
ͻ Representação do objeto página 103 objetos «cavalinho» A3 ͻ Aplicação do
ͻ Relação entre o interior e ͻ Cartolinas teste interativo:
a superfície de um objeto ͻ Experimenta/ ͻ Exploração da apresentação: ͻ Lápis de cor Testo os meus
6. Dominar a 6.1; 6.2 Interior e superfície de um objeto

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


ͻ Relação entre um objeto Faz mais ͻ marcadores conhecimentos
representação e as suas representações: página 107 ͻ Cola (R6)
ͻ Exploração da apresentação:
bidimensional. ͻ Escala ͻ Tesoura
Relação entre objeto e as suas
ͻ Redução e ampliação: ͻ Faço uma representações ͻ Frutos
método da quadrícula composição
ͻ Mapas e plantas gráfica ͻ Exploração da apresentação-síntese:
ͻ Alçados aplicando Faço uma composição gráfica
escalas aplicando escalas

ͻ Apresentação da vídeo-atividade:
Faço uma composição gráfica
aplicando escalas
Observações

57
58
Educação Visual – 6.o ano
Escola Planificação a médio prazo
Departamento Curricular Ano letivo Turma
o
Professor Início N. de Aulas
Represento um animal característico
Domínio a trabalhar Discurso (D6) Trabalho a desenvolver
da minha região

Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Estratégias Materiais Avaliação


7. Compreender o 7.1; 7.2; 7.3 ͻ Noção de património ͻ Experimenta/ ͻ Exploração do manual ͻ Manual Arte de Formativa:
conceito de ͻ Valor do património Faz mais página 115 (páginas 112 a 125) Ver ͻ Observação
património. ͻ Património natural ͻ direta
ͻ Património cultural ͻ Experimenta/ ͻ Apresentação da animação: ͻ Computador ͻ Grelhas de
material Faz mais página 117 O «nosso» Património ͻ Internet registo
ͻ Património cultural ͻ Vídeoprojetor
imaterial ͻ Experimenta/ ͻ Exploração da apresentação: Noção, ͻ Lápis de grafite
8. Reconhecer o 8.1; 8.2 ͻ A obra de arte como Faz mais página 121 valor e tipos de Património ͻ Papel
papel e a património cultural e «cavalinho» A3 Sumativa:
influência do artístico ͻ Experimenta/ ͻ Exploração da apresentação: ͻ Régua ͻ Aplicação do
património na ͻ Importância do Faz mais página 122 A obra de arte ͻ Esquadro teste
sociedade. património de cada ͻ Papel seda interativo:
região ͻ Represento um ͻ Exploração da apresentação-síntese: ͻ Cola branca Testo os meus

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


ͻ Experiência pessoal animal Quero saber o que é o património, o ͻ Cola líquida conhecimentos
na interpretação do característico da seu papel e influência ͻ Água (D6)
património minha região ͻ Guache
9. Reconhecer o 9.1; 9.2 ͻ Exploração do desdobrável – ͻ Arame/ripas de
papel do Património mundial em Portugal / madeira
discurso no Património mundial de origem ͻ Tesoura
âmbito de portuguesa ͻ Cartolina branca
trajetórias A3
históricas. ͻ Apresentação da vídeo-atividade: ͻ Lápis
Represento um animal característico ͻ Pincel
da minha região
Observações
Educação Visual – 6.o ano
Escola Planificação a médio prazo
Departamento Curricular Ano letivo Turma
o
Professor Início N. de aulas
Realizo um cartaz dinâmico sobre a
Domínio a trabalhar Projeto (P6) Trabalho a desenvolver
importância da reciclagem

Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Estratégias Materiais Avaliação


10. Reconhecer 10.1; 10.2; 10.3 ͻ Elementos básicos ͻ Experimenta/ ͻ Exploração do manual ͻ Manual Arte de Ver Formativa:
princípios básicos do discurso gráfico Faz mais página (páginas 128 a 140) ͻ ͻ Observação
da criação de um ͻ Teoria da Gestalt 133 ͻ Computador direta
discurso. ͻ Sentido crítico na ͻ Apresentação da animação: ͻ Grelhas de
ͻ Internet
comunicação ͻ Experimenta/ Teoria da Gestalt registo
ͻ Vídeoprojetor
ͻ Imagem Faz mais página
ͻ Exploração da apresentação: ͻ Máquina
ͻ Texto 137 Sumativa:
11. Desenvolver a 11.1; 11.2 Gestalt na comunicação fotográfica
capacidade de ͻ Organização ͻ Impressora ͻ Aplicação do
avaliação crítica formal dos ͻ Realizo um cartaz teste
ͻ Exploração da apresentação: ͻ Lápis de grafite
na criação de um elementos dinâmico sobre a interativo:
Desenvolver um projeto ͻ Papel «cavalinho»
discurso. gráficos importância da Testo os meus
reciclagem ͻ Régua conhecimentos

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


ͻ Adequação da ͻ Exploração da apresentação-
12. Dominar 12.1; 12.2 mensagem aos ͻ Cola (P6)
-síntese:
atividades suportes e ͻ Tesoura
Quero compreender e avaliar
coordenadas e recetores ͻ Cartolinas brancas
os elementos de um discurso
interligadas, para ͻ Tipos de cartazes ͻ Marcadores
gráfico
a realização de
um objetivo.
ͻ Apresentação da vídeo-
-atividade:
Realizo um cartaz dinâmico
sobre a importância da
reciclagem
Observações

59
60
Atividades simplificadas 5.o ano
Educação Visual – 5.o ano
o
Atividade simplificada Alunos abrangidos pelo Decreto-Lei n. 3/2008, de 7 de janeiro

Domínio a trabalhar Técnica (T5) Trabalho a desenvolver Crio o meu próprio mobile

 Em vez de recortar primeiro os círculos, o aluno pode aplicar as diferentes técnicas numa folha e recortar depois. Caso o aluno tenha dificuldades motoras
elevadas, pode substituir o desenho de círculos por o de triângulos. Os triângulos podem ser previamente cortados em cartão e o aluno pode utilizá-los
como molde, para fazer o contorno, e depois cortá-los.
 O fio de nylon pode ser substituído por um fio mais grosso (como, por exemplo, fio de lã) e agrafado.

Educação Visual – 5.o ano


o
Atividade simplificada Alunos abrangidos pelo Decreto-Lei n. 3/2008, de 7 de janeiro
Faço uma composição gráfica com cubos
Domínio a trabalhar Representação (R5) Trabalho a desenvolver
texturados
 Em vez de cubos, o aluno pode usar quadrados. Estes podem ser previamente desenhados e recortados em cartão e utilizados como molde.
 Em vez de recortar primeiro os elementos no papel «cavalinho», o aluno pode aplicar as diversas técnicas e recortar depois.
 Na composição com pontos, o aluno pode utilizar um pincel de esponja redonda.
Na composição com linhas, o aluno pode utilizar diferentes tipos de linhas livres (retas, curvas, quebradas, onduladas, etc.).

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET



 Para criar texturas, o aluno pode recorrer ao uso de materiais com lã, ráfia, botões, etc.

Educação Visual – 5.o ano


o
Atividade simplificada Alunos abrangidos pelo Decreto-Lei n. 3/2008, de 7 de janeiro

Domínio a trabalhar Discurso (D5) Trabalho a desenvolver Construo uma narrativa visual

 Os retângulos podem ser dados previamente ao aluno.


 Caso tenha dificuldades motoras elevadas, o aluno pode, em vez de desenhar, pesquisar imagens em revistas e jornais e construir a sua narrativa visual
através de recortes.
Atividades simplificadas 6.o ano
Educação Visual – 6.o ano
o
Atividade simplificada Alunos abrangidos pelo Decreto-Lei n. 3/2008, de 7 de janeiro
Domínio a trabalhar Técnica (T6) Trabalho a desenvolver Elaboro o meu próprio cartaz

 Caso o aluno revele dificuldades motoras elevadas, poderá ser fornecido ao aluno o contorno das imagens já impresso.
 O aluno poderá pintar com técnica do esponjado.

Educação Visual – 6.o ano


o
Atividade simplificada Alunos abrangidos pelo Decreto-Lei n. 3/2008, de 7 de janeiro
Domínio a trabalhar Representação (R6) Trabalho a desenvolver Faço uma composição gráfica aplicando escalas

 Poderá ser fornecido ao aluno moldes da tesoura, em cartão, nos respetivos tamanhos, e o aluno fará o contorno dos mesmos nas cartolinas de cor.

Educação Visual – 6.o ano


o
Atividade simplificada Alunos abrangidos pelo Decreto-Lei n. 3/2008, de 7 de janeiro

Domínio a trabalhar Discurso (D6) Trabalho a desenvolver Represento um animal característico da minha região

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


 Caso o aluno revele dificuldades motoras elevadas, poderá ser fornecido ao aluno o contorno do animal já impresso.
 Os rolos (espirais) poderão ser substituídos por pedaços de papel amachucado.

Educação Visual – 6.o ano


o
Atividade simplificada Alunos abrangidos pelo Decreto-Lei n. 3/2008, de 7 de janeiro
Faço um cartaz dinâmico sobre a importância da
Domínio a trabalhar Projeto (P6) Trabalho a desenvolver
reciclagem
 A imagem desenhada e a mensagem escrita podem ser substituídas por recortes de imagens e textos (letras) sobre a temática.
 Caso o aluno revele dificuldades motoras elevadas, o formato do cartaz (dinâmico) poderá ser alterado para um cartaz-plano, tendo igualmente
textura/relevo, obtidos pela montagem (colagens) realizada.

61
Modelos de plano de aula – Educação Visual

62
Modelo de plano de aula 5.o ano
Plano de aula – Educação Visual – 5.o ano Turma Aulas previstas
o
Aula n. Objetivos TÉCNICA REPRESENTAÇÃO DISCURSO PROJETO
Gerais 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
1.1 2.1 3.1 4.1 5.1 6.1 7.1 8.1 9.1 10.1
Descritores de 1.2 2.2 3.2 4.2 5.2 6.2 7.2 8.2 9.2 10.2
____/____/________
Desempenho 4.3 5.3 6.3 8.3 9.3
4.4
Conteúdos Sumário Estratégias Recursos Faltas
Materiais riscadores Geometria Presença
Suportes Estrutura Atraso
Desenho técnico Textura Material
Comunicação – Tipos
Disciplinar
de comunicação
Comunicação –
Meios de
comunicação
o
Nota: Este plano de aula prevê todos os domínios, descritores e conteúdos de Educação Visual do 5. ano. Este documento está disponível em formato digital, em ,

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


para poder ser alterado pelos professores.
Modelo de plano de aula 6.o ano
Plano de aula – Educação Visual – 6.o ano Turma Aulas previstas
o
Aula n. Objetivos TÉCNICA REPRESENTAÇÃO DISCURSO PROJETO
Gerais 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
1.1 2.1 3.1 4.1 5.1 6.1 7.1 8.1 9.1 10.1 11.1 12.1
1.2 2.2 3.2 4.2 5.2 6.2 7.2 8.2 9.2 10.2 11.2 12.2
____/____/________ Descritores
1.3 4.3 7.3 10.3
4.4
Conteúdos Sumário Estratégias Recursos Faltas
Cor Tipos de património Presença
Importância do
Simbologia da cor Atraso
património
Relação dos objetos no Discurso gráfico –
Material
espaço Teoria da Gestalt
Comunicação –
Elementos físicos do
Criação do discurso Disciplinar
objeto no espaço
gráfico

o
Nota: Este plano de aula prevê todos os domínios, descritores e conteúdos de Educação Visual do 6. ano. Este documento está em formato digital, em , para poder

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


ser alterado pelos professores.

63
Planificação anual – Educação Tecnológica

64
Planificação anual 5.o ano
Domínio Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Materiais Avaliação Período
o
1. Reconhecer o papel da 1.1; 1.2; 1.3 Técnica e x Manual Arte de x Avaliação de 1.
tecnologia. tecnologia ver diagnóstico
2. Discriminar a relevância do 2.1; 2.2; 2.3; 2.4 Objeto técnico x Avaliação
Técnica objeto técnico. Criação de um x formativa
3. Dominar a aquisição de 3.1; 3.2 lápis de grafite
conhecimento técnico. x Avaliação
sumativa
o
4. Reconhecer tipos de grandeza e 4.1; 4.2 Grandeza física x Manual Arte de x Avaliação 2.
respetivos instrumentos de ver formativa
medição.
5. Discriminar a conveniência de 5.1; 5.2; 5.3 Medição Criação de uma x x Avaliação
Representação medições rigorosas na execução balança sumativa
de trabalhos.
6. Dominar a representação como 6.1; 6.2
instrumento de exposição
rigorosa.
o
7. Aplicar princípios da Comunicação x Manual Arte de x Avaliação 2.
comunicação tecnológica. 7.1; 7.2 tecnológica ver formativa

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


8. Desenvolver princípios da Representação
Discurso comunicação tecnológica. 8.1; 8.2 gráfica de um x x Avaliação
9. Dominar a comunicação como 9.1; 9.2 Domínio da robô sumativa
um processo de organização de comunicação
factos.
o
10. Distinguir as principais fontes 10.1; 10.2; 10.3 Fontes de energia x Manual Arte de x Avaliação 3.
de energia. ver formativa
Projeto 11. Compreender processos de 11.1; 11.2 Energia – Construção de
produção e de transformação Produção e um labirinto x x Avaliação
de energia. transformação elétrico sumativa
12. Explorar soluções energéticas
12.1; 12.2
no âmbito dos operadores
Operadores
elétricos.
elétricos
13. Dominar procedimentos de
13.1; 13.2
análise e de sistematização.

Observações

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


65
66
Planificação anual 6.o ano
Domínio Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Materiais Avaliação Período
o
1. Conhecer a origem e propriedades dos 1.1; 1.2; 1.3; Materiais x Manual Arte x Avaliação de 1.
materiais. 1.4 de ver diagnóstico
2. Reconhecer processos de transformação 2.1; 2.2; 2.3; Matérias-primas x Avaliação
das principais matérias-primas. 2.4 x formativa
Técnica
3. Distinguir alterações no ambiente 3.1; 3.2 Impacto ambiental
determinadas pela ação humana.
x Avaliação
4. Dominar procedimentos sistemáticos
sumativa
metodológicos. 4.1; 4.2
o
5. Conhecer diversos tipos de movimento. 5.1; 5.2 Tipos de x Manual x Avaliação 2.
movimentos Arte de ver formativa
6. Reconhecer operadores mecânicos de 6.1; 6.2 Transmissão e
Representação transmissão e de transformação do transformação de x
movimento. movimento x Avaliação
7. Dominar a representação esquemática 7.1; 7.2 sumativa
como registo de informação.
o
8. Distinguir a linguagem dos processos de 8.1; 8.2 Procedimentos no x Manual x Avaliação 2.
fabrico, construção e utilização. fabrico, construção Arte de ver formativa
e utilização

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Discurso 9. Compreender processos técnicos de 9.1; 9.2; 9.3; Processos de x
fabrico e de construção. 9.4 fabrico e de x Avaliação
10. Dominar a comunicação orientada 10.1; 10.2 construção sumativa
para a demonstração.
o
11. Conhecer tipos de estrutura 11.1; 11.2; 11.3 Tipos de estruturas x Manual Arte x Avaliação 3.
de ver formativa
12. Explorar estruturas no âmbito da 12.1; 12.2; Estruturas – relação
Projeto forma e função. 12.3 entre a forma e x
13. Dominar atividades coordenadas e função
x Avaliação
interligadas, para a realização de um 13.1; 13.2 sumativa
objetivo.
Observações
Planificação a médio prazo – Educação Tecnológica

Planificação a médio prazo 5.o ano


Educação Tecnológica – 5.o ano
Escola Planificação a médio prazo
Departamento curricular Ano letivo Turma
o
Professor Início N. de aulas
Domínio a trabalhar Técnica (T5) Trabalho a desenvolver Crio o meu lápis de grafite

Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Estratégias Materiais Avaliação


1. Reconhecer o 1.1; 1.2; 1.3 x Tecnologia e técnica x Experimenta/Faz x Exploração do manual x Manual Arte de Formativa:
papel da x Evolução tecnológica mais página 13 (páginas 8 a 21) ver x Observação
tecnologia. x Influência da x direta
tecnologia x Apresentação da animação: x Computador x Grelhas de
x Definição e evolução Evolução tecnológica x Internet registo
do objeto técnico x Experimenta/Faz x Vídeoprojetor
x Influência do objeto mais página 16 x Exploração da apresentação: x Esferográfica
2. Discriminar a 2.1; 2.2; 2.3; Para que serve a tecnologia?
técnico x Lápis de grafite
relevância do 2.4
x Interpretar e x Minas de grafite Sumativa:
objeto técnico.
decompor um objeto x Exploração do desdobrável – x Papel de lustro x Aplicação do

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


técnico x Crio o meu lápis evolução e decomposição de teste interativo:
x Régua
de grafite um objeto técnico Testo os meus
x Tesoura
conhecimentos
x Cola branca (T5)
x Exploração da apresentação-
-síntese: Quero conhecer a x Afia-lápis
3. Dominar a 3.1; 3.2
aquisição de tecnologia e o objeto x Pincel
conhecimento tecnológico
técnico.
x Apresentação da vídeo-
-atividade: Crio o meu lápis
de grafite
Observações

67
68
Educação Tecnológica – 5.o ano
Escola Planificação a médio prazo
Departamento curricular Ano letivo Turma
o
Professor Início N. de aulas
Domínio a trabalhar Representação (R5) Trabalho a desenvolver Crio a minha balança

Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Estratégias Materiais Avaliação


4. Reconhecer tipos 4.1; 4.2 x Grandeza física x Experimenta/ x Exploração do manual x Manual Arte de Formativa:
de grandeza e x Sistema Internacional de Faz mais (páginas 24 a 39) ver x Observação
respetivos Unidades página 29 x Utilização do simulador – x direta
instrumentos de x Tipos de grandeza conversor de unidades x Computador x Grelhas de
medição. x Instrumentos de medição: x Apresentação da animação: x Internet registo
x Comprimento e régua Medição de comprimento e x Vídeoprojetor
x Ângulo e transferidor x Experimenta/ ângulo x Régua
5. Discriminar a 5.1; 5.2; 5.3 x Massa e balança Faz mais x Apresentação da animação:
conveniência de x Lápis de grafite
x Tempo e relógio página 31 Medição de massa,
medições x Papel «cavalinho»
x Temperatura e temperatura e tempo Sumativa:
rigorosas na x Ripas de madeira
termómetro x Exploração da x Aplicação do
execução de x Correntes
x Medição expedita apresentação: O que são teste interativo:
trabalhos. x Camarões
x Medição rigorosa x Crio a minha grandeza física e medição? Testo os meus

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


x Exploração da x Vasos de plástico
x Fontes de incerteza de balança conhecimentos
medição apresentação: Para que x Pedras de (R5)
6. Dominar a 6.1; 6.2 x Categorias de erro de serve a medição? diversas
x Ficha de
representação medição x Exploração da dimensões
avaliação:
como x Grandeza física, unidade apresentação-síntese: x Guaches Representação
instrumento de medida e instrumento Quero conhecer grandezas x Pincel – Grandezas
de exposição de medição físicas e efetuar medições físicas/Medição
rigorosa. o
x Apresentação da vídeo- 5. ano
-atividade: Crio a minha
balança

Observações
Educação Tecnológica – 5.o ano
Escola Planificação a médio prazo
Departamento curricular Ano letivo Turma
o
Professor Início N. de aulas
Vou representar graficamente
Domínio a trabalhar Discurso (D5) Trabalho a desenvolver
um robô

Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Estratégias Materiais Avaliação


7. Aplicar princípios 7.1; 7.2 x Vocabulário tecnológico x Experimenta/Faz x Exploração do manual x Manual Arte de Formativa:
da comunicação x Instruções e esquemas mais página 43 (páginas 42 a 55) ver x Observação
tecnológica. x Organizar e ilustrar x direta
informação x Experimenta/Faz x Apresentação da animação: x Computador x Grelhas de
x Sistemas, codificações e mais página 45 Vistas de um desenho x Internet registo
simbologias x Vídeoprojetor
x Representação das vistas x Experimenta/Faz x Exploração da x Lápis de grafite
8. Desenvolver 8.1; 8.2 x Representação em mais página 46 apresentação: O que é a x Papel «cavalinho»
princípios da perspetiva comunicação tecnológica? A3 Sumativa:
comunicação x Escalas x Experimenta/Faz x Régua x Aplicação do
tecnológica. x Cotagem mais página 48 x Exploração da teste interativo:
x Esquadro
x Tipos de linhas apresentação: Como x Afia-lápis Testo os meus

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


9. Dominar a 9.1; 9.2 x Experimenta/Faz comunicamos tecnologia? x Papel conhecimentos
comunicação mais página 50 quadriculado (D5)
como um x Exploração da
processo de x Vou representar apresentação-síntese:
organização de graficamente um Quero saber comunicar
factos. robô tecnologia

x Apresentação da vídeo-
-atividade: Vou representar
graficamente um robô
Observações

69
70
Educação Tecnológica – 5.o ano
Escola Planificação a médio prazo
Departamento curricular Ano letivo Turma
o
Professor Início N. de aulas
Domínio a trabalhar Projeto (P5) Trabalho a desenvolver Construo um labirinto elétrico

Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Estratégias Materiais Avaliação


10. Distinguir as 10.1; 10.2; 10.3 x Fontes de energia x Experimenta/Faz x Exploração do manual x Manual Arte de Formativa:
principais x Energias renováveis mais página 61 (páginas 58 a 75) Ver x Observação
fontes x Energias não x direta
de energia. renováveis x Utilização do simulador – x Computador x Grelhas
x Impacto social e x Experimenta/Faz Construção de circuito x Internet de registo
ambiental da exaustão mais página 65 elétrico x Vídeoprojetor
das fontes energéticas x Lápis de grafite
11. Compreender 11.1; 11.2 x Produção de energia a x Apresentação da animação: x Papel «cavalinho» Sumativa:
processos de partir de fontes de x Experimenta/Faz Fontes de energia x Cartolina x Aplicação do
produção e de energia renováveis mais página 69 renováveis e não renováveis x Pilha de 1,5V teste interativo:
transformação x Produção de energia a Testa os teus
x Fio de cobre
de energia. partir de fontes de x Apresentação da animação: x Íman neodímio conhecimentos
energia não renováveis (P5)
x Construo um Produção e transformação x Marcadores

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


x Processos de labirinto elétrico de energia
x Alfinete de cabeça
transformação de
energia x Palhinha
x Exploração da
x Pau de espetada
x Operadores elétricos apresentação: O que são
x X-ato
x Cuidados a ter com a fontes de energia?
eletricidade x Caixa de sapatos
x Operadores elétricos x Papel colorido
x Exploração da
x Circuito elétrico apresentação: Como se x Fio de eletricidade
simples produz e se transforma a x Pilha de 9V
x Regras de poupança de energia? x Lâmpada pequena
energia x Casquilho
12. Explorar 12.1; 12.2 x Exploração da x Pistola de cola
soluções apresentação: quente
energéticas no Como funciona a x Alicate
âmbito dos eletricidade? x Furador
operadores
elétricos. x Exploração da síntese:
Quero saber como se
produz e funciona a energia
13. Dominar 13.1; 13.2
procedimentos x Apresentação do vídeo:
de análise e de O que é a energia?
sistematização.
x Apresentação do vídeo:
Engenharia num minuto –
perigos da electricidade

x Visualização da vídeo-
-atividade: Construo um
labirinto elétrico

Observações

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


71
72
Planificação a médio prazo 6.o ano

Educação Tecnológica – 6.o ano


Escola Planificação a médio prazo
Departamento curricular Ano letivo Turma
o
Professor Início N. de aulas
Construo um banco com diferentes
Domínio a trabalhar Técnica (T6) Trabalho a desenvolver
materiais reciclados

Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Estratégias Materiais Avaliação


1. Conhecer a 1.1; 1.2; 1.3; x Origem e propriedades dos x Experimenta/ x Exploração do manual x Manual Formativa:
origem e 1.4 materiais Faz mais (páginas 78 a 95) Arte de Ver x Observação
propriedades x Tipos de materiais página 85 x direta
dos materiais x Propriedades físicas e x Apresentação da x Computador x Grelhas de
propriedades mecânicas dos x Experimenta/ animação: x Internet registo
materiais Faz mais Propriedades físicas x Vídeoprojetor
x Armazenamento dos materiais página 91 dos materiais x Papel «cavalinho»
x Normalização e apresentação dos x Lápis de grafite
materiais no mercado x Construo um x Apresentação x Teques Sumativa:
x Transformação de matérias-primas banco com da animação: x Barro x Aplicação do

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


em materiais (características, diferentes Das matérias-primas x Cartolinas teste interativo:
propriedades mecânicas, materiais aos materiais Testo os meus
x Tintas acrílicas
armazenamento, normalização e reciclados conhecimentos
x Garrafas de
apresentação no mercado) x Exploração da (T6)
plástico
x Papel apresentação:
x Cola
x Madeira O que são materiais?
x Tesoura
x Argila
x Canetas de
x Têxteis x Exploração da
acetato
x Metais apresentação:
x Caixa de fruta
x Impacto ambiental da extração de Como se transformam
x Lixa
2. Reconhecer 2.1; 2.2; 2.3; matérias-primas as matérias-primas em x Jornal
processos de 2.4 x A reciclagem e a redução do materiais? x Cola branca
transformação impacto ambiental x Esponja
das principais x Os «3 R» x Exploração da x Tecido
matérias-primas apresentação: x Agrafador de
Qual é o impacto da parede
extração das matérias- x Cápsulas de café
-primas no ambiente? vazias
x Régua
x Visualização do vídeo:
Geração 20-30 – papel

x Visualização do vídeo:
Geração 20-30 –
reciclagem

x Exploração da
apresentação-síntese:
3. Distinguir 3.1; 3.2 Quero saber o que são
alterações no materiais e como se
meio ambiente transformam matérias-
determinadas -primas
pela ação

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


humana. x Apresentação da vídeo-
-atividade:
Construo um banco
com diferentes
materiais reciclados
4. Dominar 4.1; 4.2
procedimentos
sistemáticos
metodológicos

Observações

73
74
Educação Tecnológica – 6.o ano
Escola Planificação a médio prazo
Departamento curricular Ano letivo Turma
o
Professor Início N. de aulas
Domínio a trabalhar Representação (R6) Trabalho a desenvolver Construo uma mesa de matraquilhos

Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Estratégias Materiais Avaliação


5. Conhecer diversos x Tipos de movimentos x Experimenta/ x Exploração do x Manual Arte de Ver Formativa:
tipos de x Variação no espaço dos tipos Faz mais manual (páginas 98 a x x Observação
movimento 5.1; 5.2 de movimento página 101 111) x Computador direta
x Variação no tempo dos tipos x Internet x Grelhas de
de movimento x Apresentação da x Vídeoprojetor registo
x Processos de transformação animação: Tipos de x Régua
de movimento x Experimenta/ movimento x Lápis de grafite
x Processos de transmissão de Faz mais x Papel «cavalinho» A3
movimento página 106 x Apresentação da x Cola Sumativa:
x Movimento oscilatório do animação: Processos x Tesoura x Aplicação do
6. Reconhecer
pêndulo do relógio e de transformação do teste interativo:
operadores 6.1; 6.2 x Tampas de plástico
movimento circular dos movimento Testo os meus
mecânicos de x Palitos

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


ponteiros x Construo uma conhecimentos
transmissão e de x Cartão microcanelado
transformação do x Movimento retilíneo da corda mesa de x Apresentação da (R6)
x Esferovite
movimento e movimento curvilíneo do matraquilhos animação: x Ficha de
sino Mecanismos simples x Caixa de cartão com cerca
avaliação:
7. Dominar a 7.1; 7.2 de 30 cm de comprimento
x Mecanismos simples Representação
representação x Varas cilíndricas de
x Exploração da – Movimento
esquemática madeira com 1 centímetro o
apresentação: O que 6. ano
como registo de de diâmetro e 1 metro de
é o movimento?
informação comprimento ͒
x Molas de madeira
x Exploração da
x Fita-cola de pintor͒
apresentação: Como
se transmite e se x Berlindes ͒
transforma o x Tesoura ͒
movimento? x Tinta de guache
x Chave de fendas
x X-ato
x Cola de madeira
x 2 caixas de fósforos
x Pincel
x Marcador
Observações

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


75
76
Educação Tecnológica – 6.o ano
Escola Planificação a médio prazo
Departamento curricular Ano letivo Turma
o
Professor Início N. de aulas
Domínio a trabalhar Discurso (D6) Trabalho a desenvolver Construo uma bicicleta

Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Estratégias Materiais Avaliação


8. Distinguir a 8.1; 8.2 x Organização e x Experimenta/ x Exploração do manual x Manual Arte de Ver
linguagem dos planificação de tarefas Faz mais (páginas 114 a 129) x Formativa:
processos de x Higiene e segurança no página 115 x Computador x Observação
utilização, de local de trabalho x Exploração da apresentação: x Internet direta
fabrico e de x Ferramentas e x Experimenta/ O que têm em comum os x Vídeoprojetor x Grelhas de
construção. máquinas Faz mais processos de fabrico, construção x Lápis de grafite registo
x Técnicas de fabrico página 122 e utilização? x Papel «cavalinho»
9. Compreender 9.1; 9.2; 9.3; x Uniões fixas e móveis A3
processos 9.4 x Tipos de uniões e x Experimenta/ x Exploração da apresentação: x Régua
técnicos de materiais Faz mais O que significa fabricar e x Esquadro Sumativa:
fabrico e de página 123 construir? x 16 paus de gelado x Aplicação do
construção.
x 2 rolhas de cortiça teste interativo:
x Construo uma x Visualização do vídeo: x Alicate Testo os meus

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


bicicleta? Engenharia num minuto – conhecimentos
x X-ato
soldadura (D6)
x Pionés ou prego
fino
10. Dominar a 10.1; 10.2 x Exploração da apresentação-
x 4 clipes
comunicação -síntese: Quero reconhecer
x 4 CD
orientada processos de fabrico e de
construção x Elástico comum
para a
demonstração. x Pistola de cola
quente
x Apresentação da vídeo-atividade:
Construo uma bicicleta

Observações
Educação Tecnológica – 6.o ano
Escola Planificação a médio prazo
Departamento curricular Ano letivo Turma
o
Professor Início N. de aulas
Crio uma estrutura
Domínio a trabalhar Projeto (P6) Trabalho a desenvolver
de corpo humano

Objetivos Gerais Descritores Conteúdos Atividade Estratégias Materiais Avaliação


11. Conhecer tipos 11.1; 11.2; x Forma, função e módulo x Experimenta/ x Exploração do manual x Manual Arte de Ver Formativa:
de estrutura 11.3 da estrutura Faz mais (páginas 132 a 144) x x Observação
x Estruturas naturais e página 135 x Computador direta
artificiais x Apresentação da animação: x Internet x Grelhas de
12. Explorar 12.1; 12.2;
x Estruturas fixas e móveis x Experimenta/ A evolução histórica dos processos x Vídeoprojetor registo
estruturas no 12.3 Faz mais de construção de estruturas
x Evolução histórica da x Lápis de grafite
âmbito da construção de estruturas página 141
forma e x Papel «cavalinho»
x Construção com pedra e x Exploração da apresentação: x Régua
função. com madeira x Crio uma O que é uma estrutura? x Cola Sumativa:
x Construção com tijolo estrutura de x Aplicação do
x Tesoura
x Construção com corpo x Exploração da apresentação: teste
13. Dominar 13.1; 13.2 x Fósforos
cimento humano Qual é a relação entre a forma e a interativo:
atividades x Paus de espetada
função de uma estrutura? Testo os meus

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


x Construção com metais
coordenadas e x Palitos
x Construção com betão conhecimentos
interligadas, x Massa de modelar
x Função das estruturas e x Visualização do vídeo: (P6)
para a x Barro
dos seus componentes Forma e função das estruturas
realização de x 1,4 m de arame
x Esforços a que estão
um objeto. revestido
sujeitas as estruturas x Exploração da apresentação-
x 50 cm de arame fino
x Desenvolvimento de -síntese: Quero conhecer tipos,
formas e funções de estrutura x Pregos (grampos)
estruturas
x Cola quente
x Apresentação da vídeo-atividade: x Base de madeira
Crio uma estrutura de corpo x Pasta de papel
humano x Tinta de guache
Observações

77
78
Atividades simplificadas 5.o ano
Educação Tecnológica – 5.o ano
o
Atividade simplificada Alunos abrangidos pelo Decreto-Lei n. 3/2008, de 7 de janeiro
Domínio a trabalhar Técnica (T5) Trabalho a desenvolver Crio o meu lápis de grafite

 Em vez de minas de lapiseira, o aluno poderá utilizar minas de grafite (mais grossas e mais resistentes).

Educação Tecnológica – 5.o ano


o
Atividade simplificada Alunos abrangidos pelo Decreto-Lei n. 3/2008, de 7 de janeiro
Domínio a trabalhar Representação (R5) Trabalho a desenvolver Crio a minha balança

 As ripas de madeira deverão ser fornecidas ao aluno já com as devidas marcações.

Educação Tecnológica – 5.o ano


o
Atividade simplificada Alunos abrangidos pelo Decreto-Lei n. 3/2008, de 7 de janeiro
Domínio a trabalhar Discurso (D5) Trabalho a desenvolver Represento graficamente um robô

 Em vez de o aluno fazer o seu próprio esboço, poderá pesquisar a imagem frontal de um robô e representá-la.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


 Pode ainda ser fornecido ao aluno a representação do robô (nas diferentes vistas) em tracejado e o aluno fazer o seu contorno.

Educação Tecnológica – 5.o ano


o
Atividade simplificada Alunos abrangidos pelo Decreto-Lei n. 3/2008, de 7 de janeiro
Domínio a trabalhar Projeto (P5) Trabalho a desenvolver Construo um labirinto elétrico

 Em vez de construir o circuito elétrico no interior da caixa (labirinto elétrico), o aluno deverá apenas desenvolver as ligações do circuito simples (fio de
eletricidade, lâmpada, pilha) numa placa de madeira, por exemplo.
 Os fios de eletricidade deverão ser fornecidos ao aluno já descarnados.
Atividades simplificadas 6.o ano
Educação Tecnológica – 6.o ano
o
Atividade simplificada Alunos abrangidos pelo Decreto-Lei n. 3/2008, de 7 de janeiro
Construo um banco com diferentes materiais
Domínio a trabalhar Técnica (T6) Trabalho a desenvolver
reciclados
 O material deverá ser fornecido ao aluno já com as medidas certas e devidas marcações.
 Em vez de forrar a caixa com papel de jornal, o aluno poderá simplesmente pintá-la.
 Caso o aluno revele elevadas dificuldades motoras, deverá ser auxiliado por um colega ou pelo professor aquando do processo de agrafar os elementos.

Educação Tecnológica – 6.o ano


o
Atividade simplificada Alunos abrangidos pelo Decreto-Lei n. 3/2008, de 7 de janeiro
Domínio a trabalhar Representação (R6) Trabalho a desenvolver Construo uma mesa de matraquilhos
 O material deverá ser fornecido ao aluno já com as devidas marcações.
 Para realizar os punhos, caso o aluno apresente elevadas dificuldades motoras, poderá aplicar-se papel (papel de cozinha, folha de jornal) antes da fita-cola
de pintor. Desta forma, o aluno só terá de envolver a fita-cola uma única vez em redor da vara.
 As molas poderão ser pintadas de uma só cor, com a técnica do esponjado.

Educação Tecnológica – 6.o ano


o

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Atividade simplificada Alunos abrangidos pelo Decreto-Lei n. 3/2008, de 7 de janeiro
Domínio a trabalhar Discurso (D6) Trabalho a desenvolver Construo uma bicicleta
 Caso o aluno revele dificuldades motoras elevadas, o material deverá ser entregue ao aluno já com as devidas medições, cortes, furos e dobragens.
 O aluno deverá desenvolver a atividade a par com um colega ou com a orientação e o auxílio do professor.

Educação Tecnológica – 6.o ano


o
Atividade simplificada Alunos abrangidos pelo Decreto-Lei n. 3/2008, de 7 de janeiro
Domínio a trabalhar Projeto (P6) Trabalho a desenvolver Construo uma estrutura de corpo humano
 Caso o aluno revele dificuldades motoras elevadas, a estrutura deverá ser entregue ao aluno com as dobras (do arame revestido) previamente feitas.
 A pasta de papel poderá ser substituída por massa de modelar ou papel crepe colorido (amachucando pequenos pedaços para assim formar pequenas
bolas, e colar ao longo da estrutura) e a pintura poderá ser realizada com a técnica do esponjado.

79
Modelos de plano de aula – Educação Tecnológica

80
Modelo de plano de aula 5.o ano
Plano de aula – Educação Tecnológica – 5.o ano Turma Aulas previstas
o
Aula n. Objetivos TÉCNICA REPRESENTAÇÃO DISCURSO PROJETO
Gerais 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13
1.1 2.1 3.1 4.1 5.1 6.1 7.1 8.1 9.1 10.1 11.1 12.1 13.1
1.2 2.2 3.2 4.2 5.2 6.2 7.2 8.2 9.2 10.2 11.2 12.2 13.2
____/____/________ Descritores
1.3 2.3 5.3 10.3
2.4
Conteúdos Sumário Estratégias Recursos Faltas
Comunicação
Técnica e tecnologia Presença
tecnológica
Domínio da
Objeto técnico Atraso
comunicação
Grandeza física Fontes de energia Material
Energia – Produção e
Medição Disciplinar
transformação

o
Nota: Este plano de aula prevê todos os domínios, descritores e conteúdos de Educação Tecnológica do 5. ano. Este documento está disponível em formato digital,

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


em , para poder ser alterado pelos professores.
Modelo de plano de aula 6.o ano
Plano de aula – Educação Tecnológica – 6.o ano Turma Aulas previstas
o
Aula n. Objetivos TÉCNICA REPRESENTAÇÃO DISCURSO PROJETO
Gerais 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13
1.1 2.1 3.1 4.1 5.1 6.1 7.1 8.1 9.1 10.1 11.1 12.1 13.1
1.2 2.2 3.2 4.2 5.2 6.2 7.2 8.2 9.2 10.2 11.2 12.2 13.2
____/____/________ Descritores
1.3 2.3 9.3 11.3 12.3
1.4 2.4 9.4
Conteúdos Sumário Estratégias Recursos Faltas
Procedimentos no
Materiais fabrico, construção e Presença
utilização
Processos de fabrico e
Matérias-primas Atraso
construção
Impacto ambiental Tipos de estruturas Material
Estruturas – relação
Tipos de movimentos Disciplinar
entre a forma e função
Transmissão e
transformação de
movimento
o
Nota: Este plano de aula prevê todos os domínios, descritores e conteúdos de Educação Tecnológica do 6. ano. Este documento está disponível em formato digital,

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


em , para poder ser alterado pelos professores.

81
Sugestão de projetos

Síntese dos projetos de Educação Visual e de Educação Tecnológica


Com um capítulo dedicado a projetos, os manuais Arte de Ver e Arte de Fazer pretendem promover
não só a integração e a aplicação dos saberes teóricos e práticos específicos de Educação Visual e de
Educação Tecnológica, mas também, sempre que possível, uma articulação destes com os saberes
de outras disciplinas, promovendo a dimensão transversal do conhecimento e imprimindo um
verdadeiro sentido prático das aprendizagens realizadas neste nível de escolaridade.
O desenvolvimento de projetos vem recuperar, de uma forma muito natural e consistente, o
trabalho articulado entre Educação Visual e Educação Tecnológica, procurando voltar a trazer as
aprendizagens que outrora se realizavam numa única disciplina, a de Educação Visual e Tecnológica,
em par pedagógico de docentes.
Esta metodologia didática baseada no desenvolvimento de pequenos e muito simples projetos,
mediante a exploração de um trabalho individual e em contexto de grupo, tem igualmente como
finalidade estimular o desenvolvimento da autonomia, do espírito crítico e da criatividade – através
da capacidade de criar, de representar e de comunicar através da linguagem visual, em Educação
Visual, e de criar e de construir, em Educação Tecnológica – bem como motivar para o
desenvolvimento da expressão plástica e visual individual, do espírito empreendedor para resolver
problemas práticos, incrementando, ao mesmo tempo, o espírito de equipa e de entreajuda.
Julgamos, também, que o desenvolvimento de projetos, enquanto fonte de motivação extrínseca,
pode estimular fortemente a motivação intrínseca dos alunos, já que os conhecimentos teóricos e
práticos da disciplina são mobilizados para o desenvolvimento de trabalhos de natureza prática
dotados de significado simbólico, expressivo, prático, entre outras.
Muito embora ao longo dos manuais se apresente, para cada Domínio, um conjunto de exercícios
práticos de consolidação das matérias específicas em estudo, julgamos fundamental que se
desenvolvam, pelo menos, dois projetos ao longo do ano letivo, a fim de permitir elevar a um outro
patamar de mobilização do conhecimento as aprendizagens nestas disciplinas.

Projetos sugeridos – Educação Visual

1. Turismo sustentável
2. Galinhas coloridas
3. Postal de Natal tridimensional
4. Imagem e movimento
5. Livro do Ano
6. Papagaio de papel
7. Padrão coletivo

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 83


1. Turismo sustentável
Articulação
Síntese do projeto 5.o ano 6.o ano
disciplinar
A Organização das Nações Unidas (ONU) declarou 2017 como EV X X
o Ano Internacional do Turismo Sustentável para o
ET X X
Desenvolvimento. Esta resolução visa «reconhecer a
importância do turismo internacional (…) para melhorar a PORT. X X
compreensão entre os povos em todos os lugares, promover ING. X X
a importância da herança de várias civilizações e fortalecer o
valor inerente da diversidade cultural, contribuindo assim HGP X X
para o fortalecimento da paz no mundo» 1. CN X X
Com base neste tema, pretende-se realizar um pequeno MAT.
vídeo inspirado no título Turismo sustentável na minha terra,
filmado com o telemóvel, para poder ser divulgado na
ED. MUS. X X
internet.

2. Galinhas coloridas
Articulação
Síntese do projeto 5.o ano 6.o ano
disciplinar
O tema deste projeto baseia-se no acontecimento artístico EV X X
CowParade, uma exposição de arte pública internacional que
ET X X
tem sido apresentada nas principais cidades do mundo desde
2000. PORT.
Com base neste tema, pretende-se realizar uma exposição ING. X
semelhante, intitulada Galinhas coloridas, constituída por
HGP
galinhas de papel decoradas de forma criativa, em que os
temas de base podem ser variados, de acordo com a CN X X
potencial articulação disciplinar: As galinhas de Barcelos; As MAT.
galinhas-sardinhas; As galinhas sabem Geometria; As
galinhas também sabem fazer contas; A galinha dos ovos de
ED. MUS. X X
ouro.

1
Resolução da Organização das Nações Unidas, 2017, Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento
(http://www.un.org/ga/search/view_doc.asp?symbol=A/C.2/70/L.5/Rev.1, consultado em 21.12.2016. Original em língua inglesa.)
84 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET
3. Postal de Natal tridimensional
Articulação
Síntese do projeto 5.o ano 6.o ano
disciplinar
O Natal é uma festa cuja tradição, de origem católica, EV X X
simboliza o nascimento de Jesus Cristo. Atualmente é
ET X X
também comemorado por muitos não cristãos, estando
associado a costumes como a troca de cartões e de PORT.
presentes, o enfeitamento da árvore de Natal, a montagem ING. X X
do Presépio, bem como de variadas outras decorações.
Indissociável, também, a personagem do Pai Natal, uma HGP
figura relacionada com os presentes que as crianças recebem CN
no dia 24 ou 25 de dezembro (ou mesmo no dia 7 de janeiro,
segundo algumas tradições). MAT.

É com base neste tema que se pretende desenvolver o


projeto. Partindo da pesquisa sobre o significado do Natal e ED. MUS.
terminando com a construção de postais em pop-up.

4. Imagem e movimento
Articulação
Síntese do projeto 5.o ano 6.o ano
disciplinar
Ao longo dos tempos, o ser humano tentou animar formas, EV X X
de modo a simular o movimento que se observa naquilo que
ET X X
nos rodeia. Algumas dessas tentativas não passaram da
utilização de apenas duas imagens. Em 1912, a perceção de PORT.
movimento foi descrita por Max Wertheimer como
ING.
«movimento aparente», uma vez que, na realidade, as duas
imagens não se movem, mas é apenas o observador que tem HGP
a perceção desse movimento. Obter animação a partir de CN
duas imagens diferentes está na origem daquilo que hoje
conhecemos como cinema de animação. MAT.

Este projeto parte da pesquisa sobre a ilusão do movimento


em cinema de animação e termina na animação de um
ED. MUS.
desenho simples, constituído por duas imagens diferentes
entrelaçadas.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 85


5. Livro do Ano
Articulação
Síntese do projeto 5.o ano 6.o ano
disciplinar
O «livro do Ano» de turma é um testemunho único, contendo EV X X
a imagem de cada um dos alunos da turma (em caricatura),
ET X
acompanhada de um pequeno texto descrevendo algumas
das suas características mais importantes e interessantes. PORT. X X
Trata-se do registo gráfico e escrito de um tempo que se ING.
transformará em memória afetiva com o passar dos anos.
HGP
Este projeto pretende, assim, começar pela pesquisa sobre as
proporções da figura humana e de como podemos distorcê-la CN
para se transformar em caricatura, passando pela descrição MAT.
escrita de características pessoais de cada aluno, terminando
com a aprendizagem de uma encadernação simples. ED. MUS.

6. Papagaio de papel
Articulação
Síntese do projeto 5.o ano 6.o ano
disciplinar
Os papagaios de papel foram inventados na China, onde EV X X
existiam os materiais ideais para a sua fabricação tal como
ET X X
seda para a asa, fio de seda para a linha e canas de bambu
para a estrutura. As histórias sobre estes engenhos chegaram PORT.
à Europa somente no final do século XIII. Ao longo dos ING.
tempos, os papagaios de papel tiveram múltiplas aplicações,
como, por exemplo, para voo humano ou para fins militares, HGP
científicos e meteorológicos, entre outros. Atualmente, os CN
festivais de papagaios são uma forma de entretenimento em
diversas partes do mundo. MAT.

Perceber a relação entre a forma de um objeto e a sua


estrutura e o papel que ambas desempenham no sucesso da ED. MUS.
função, é o conceito central deste projeto.

86 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


7. Padrão coletivo
Articulação
Síntese do projeto 5.o ano 6.o ano
disciplinar
O stencil permite a realização de uma imagem ou de um EV X X
padrão mediante o controlo da aplicação de tinta numa
ET
superfície, através de uma «máscara» que impede a
passagem da tinta para essa superfície. Designa-se por stencil PORT.
a «máscara» que se utiliza para realizar o desenho ou o ING.
padrão, assim como o produto resultante. A «máscara» do
stencil pode ser feita de papel, de plástico, de metal ou HGP
mesmo de madeira. CN
Partindo do estudo e da elaboração de módulos simples e MAT.
simétricos, passando pela realização dos stencils necessários
para que cada módulo seja composto, pelo menos, por duas
cores e terminando na pintura do padrão, este é um projeto ED. MUS.
que favorece o trabalho de grupo.

Projetos sugeridos – Educação Tecnológica

1. Horta suspensa
2. Tecelagem criativa
3. Candeeiro de Natal
4. Máscara de Carnaval
5. Movimentos em cadeia
6. Brinquedo autómato
7. Modelação em sabão

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 87


1. Horta suspensa
Articulação
Síntese do projeto 5.o ano 6.o ano
disciplinar
É cada vez mais necessário o desenvolvimento de hábitos de ET X
alimentação saudável junto de crianças e jovens, tendo em
EV X
conta os problemas crescentes de saúde que afetam estas
camadas de população, de que são exemplos o aumento da PORT.
obesidade e da diabetes juvenis. ING.
Como tal, este projeto pretende ser um contributo para o
HGP
desenvolvimento da educação para a saúde, já que visa a
criação de uma pequena horta suspensa recorrendo a CN X
materiais de uso quotidiano reciclados, ao mesmo tempo MAT.
que desenvolve os conhecimentos práticos do macramé, a
partir da elaboração de uma estrutura vertical que sustente
pequenos recipientes com terra que contenham plantas e ED. MUS.
legumes comestíveis.

2. Tecelagem criativa
Articulação
Síntese do projeto 5.o ano 6.o ano
disciplinar
A tecelagem é, provavelmente, uma das mais antigas formas ET X
de artesanato, sendo hoje em dia utilizada praticamente
EV X
apenas a nível industrial. Trabalhada manualmente no
passado, hoje faz parte de uma indústria de que não PORT.
podemos prescindir. É este o ponto de partida para o ING.
desenvolvimento do presente projeto.
HGP
Assim, pretende-se que os alunos adquiram conhecimentos
técnicos básicos de tecelagem, através da construção de um CN
pequeno tear manual, ao mesmo tempo que desenvolvem a MAT.
criatividade através da conceção e construção de pequenas
peças tecidas, às quais atribuam alguma utilidade prática ou
ED. MUS.
meramente decorativas.

88 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


3. Candeeiro de Natal
Articulação
Síntese do projeto 5.o ano 6.o ano
disciplinar
O Natal é comemorado pela grande maioria da população ET X
portuguesa. Uma das características visíveis do Natal são as
EV X
iluminações das cidades, vilas e aldeias. Estas iluminações
dão vida e cor às noites de inverno. PORT.
Assim, com base neste tema, o projeto a desenvolver ING.
contempla a pesquisa sobre a origem do Natal e a sua
HGP
evolução histórica, a reflexão sobre o que significa
verdadeiramente para os alunos e a construção de um CN
candeeiro de Natal, mobilizando os conhecimentos que vão MAT.
adquirindo nas aulas de Educação Tecnológica e também de
Educação Visual. ED. MUS.

4. Máscara de Carnaval
Articulação
Síntese do projeto 5.o ano 6.o ano
disciplinar
O Carnaval é uma festa cuja tradição, de origem Cristã, ET X
simboliza o «adeus à carne». A palavra deriva do latim carnis
EV X
levale, que significava «retirar a carne». Como forma de
preparação desta época, organizavam-se festejos populares PORT.
que, de acordo com os costumes, eram normalmente ING.
extravagantes e exagerados. A utilização das máscaras é uma
das formas mais comuns de se viver esta época festiva. HGP
É com base neste tema que se pretende desenvolver o CN
projeto. Partindo da pesquisa sobre o significado do Carnaval MAT.
e terminando com a construção de uma máscara para cada
aluno, mobilizando os conhecimentos desta disciplina. ED. MUS.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 89


5. Movimentos em cadeia
Articulação
Síntese do projeto 5.o ano 6.o ano
disciplinar
Há jogos a partir dos quais se podem aprender, de forma ET X
lúdica, conceitos básicos de Física, tais como os movimentos
EV X
em cadeia e a energia potencial elástica.
PORT.
Este projeto pretende ser uma aplicação prática dos
conhecimentos adquiridos na disciplina de Educação ING.
Tecnológica, a partir da construção de diferentes jogos que
HGP
explorem o efeito de dominó, também conhecido como
efeito em cascata ou em cadeia – utilizando diferentes peças, CN
tais como cartas de jogo ou peças de dominó – e que MAT.
brinquem com a energia potencial elástica, como a Bomba de
palitos, que utiliza pauzinhos de madeira entrelaçados que
ganham vida e movimento, depois de solta a pressão ED. MUS.
estabelecida entre si.

6. Brinquedo autómato
Articulação
Síntese do projeto 5.o ano 6.o ano
disciplinar
Autómatos são brinquedos mecânicos móveis, que ET X
combinam conceitos básicos de engenharia com expressão
EV X
artística, nos quais o movimento é conseguido através do
recurso a rodas dentadas, engrenagens ou manivelas, que PORT.
podem ser construídas de modo muito simples, utilizando a ING.
imaginação e recorrendo a materiais de uso quotidiano.
HGP
Assim, este projeto pretende ser uma aplicação prática dos
conhecimentos adquiridos nesta disciplina, através da CN
construção de um objeto lúdico, neste caso, a construção de MAT.
um carrossel de papel que ganha movimento com a ajuda de
pequenas e coloridas engrenagens. ED. MUS.

90 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


7. Modelação em sabão
Articulação
Síntese do projeto 5.o ano 6.o ano
disciplinar
A modelação de materiais, como a argila, é muito antiga. ET X
Hoje em dia existem muitos outros materiais, fabricados
EV X
industrialmente, como a plasticina ou a pasta FIMO, próprios
para a modelação decorativa e lúdica, muito utilizados por POR. X
crianças e jovens em contexto escolar. O sabão, dada a ING. X
facilidade com que nele se pode esculpir, também pode ser
utilizado para criar formas diversas, sejam elas mais HGP
figurativas ou mais abstratas. CN
É com base no processo de manipulação criativa e técnica de MAT.
materiais moldáveis que se pretende estimular os alunos, no
sentido de desenvolverem conhecimentos básicos de
modelação, utilizando um material de fácil aquisição e ED. MUS.
manipulação, como o sabão.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 91


Planificação geral dos projetos

Articulação curricular interdisciplinar


As atividades aqui sugeridas pretendem ser um estímulo e um ponto de partida para o desenvolvimento
do trabalho de projeto e a desejável articulação interdisciplinar.
De facto, este tipo de metodologia didática permite que os alunos mobilizem os conhecimentos
teóricos e práticos específicos – tanto da Educação Visual e da Educação Tecnológica como de outras
disciplinas da sua matriz curricular – em processos mais abrangentes e significativos de
aprendizagem, ao mesmo tempo que promove o desenvolvimento transversal das suas capacidades.
É através do conhecimento em ação que as aprendizagens se podem transformar em verdadeiras
competências pessoais, relacionais e sociais, necessárias a um crescimento equilibrado e holístico
das crianças destes níveis etários, tal como é preconizado na Lei de Bases do Sistema Educativo 1.
Tendo em conta o desenvolvimento da sociedade em que vivemos, com novas exigências
tecnológicas e profissionais, o sistema de ensino tem necessariamente de se atualizar e de procurar
preparar as novas gerações para uma evolução constante e rápida.
Esta vontade de promover um ensino mais atualizado e adaptado à sociedade de hoje está patente
nos documentos recentemente divulgados pelo Ministério da Educação, designadamente Perfil dos
alunos à saída da escolaridade obrigatória2 e Referencial de Educação para o Desenvolvimento3.
É, pois, inegável a relevância de um ensino que promova aprendizagens com base em atividades de
projeto, desejavelmente de dimensão interdisciplinar, ou seja, que propicie o «ensino de métodos
que permitam ver o contexto e o conjunto, em lugar do conhecimento fragmentado», como refere
Guilherme d’Oliveira Martins no prefácio de Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória.
Assim, apresentam-se, em seguida, os quadros que mostram a maneira como os projetos sugeridos
nos manuais Arte de Ver e Arte de Fazer podem mobilizar e articular os conteúdos não só das
disciplinas de Educação Visual e de Educação Tecnológica, mas de outras que se inserem na matriz
curricular do 2.o Ciclo do Ensino Básico.

1
http://www3.uma.pt/nunosilvafraga/wp-content/uploads/2007/07/lei-de-bases-do-sistema-educativo.pdf (consultado a
15.03.2017)
2
http://dge.mec.pt/sites/default/files/Noticias_Imagens/perfil_do_aluno.pdf (consultado a 15.03.2017)
3
http://www.dge.mec.pt/sites/default/files/ECidadania/educacao_desenvolvimento/Documentos/referencial_de_educacao_
para_o_desenvolvimento.pdf (consultado a 15.03.2017)
92 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET
Educação Visual
1. Turismo sustentável
Disc. Metas Curriculares/Programas 5.o ano 6.o ano
വ Conhecer materiais riscadores e respetivos suportes físicos (T5|OG1).
വ Dominar a aquisição de conhecimento prático (T5|OG3). T5 X T6 X
വ Reconhecer a simbologia e o significado da cor (T6|OG2).
വ Reconhecer a textura enquanto aspeto visual das superfícies (R5|OG5).
വ Dominar a representação como instrumento de registo (R5|OG7).
R5 X R6 X
വ Conhecer as interações dos objetos no espaço (R6|OG4).
വ Dominar a representação bidimensional (R6|OG6).

EV വ Conhecer diferentes tipologias de comunicação (D5|OG8).


വ Distinguir códigos e suportes utilizados pela comunicação (D5|OG9).
വ Dominar a comunicação como um processo de narrativa visual
(D5|OG10).
D5 X D6 X
വ Compreender o conceito de património (D6|OG7).
വ Reconhecer o papel e a influência do património na sociedade (D6|OG8).
വ Reconhecer princípios básicos da criação de um discurso (P6|OG10).
വ Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um P6 X
objetivo (P6|OG12).
വ Dominar a comunicação como um processo de organização de factos
(D5|OG 9).
വ Distinguir alterações no meio ambiente determinadas pela ação humana
(T6|OG3).
ET വ Distinguir a linguagem dos processos de utilização, de fabrico e de X X
construção (D6|OG8).
വ Compreender processos técnicos de fabrico e de construção (D6|OG9).
വ Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização
de um objetivo (P6|OG13).
o o
വ Oralidade (5. e 6. anos).
PORT. o o X X
വ Leitura e escrita (5. e 6. anos).

വ Compreensão Oral/Listening (L5).


വ Leitura/Reading (R5).
വ Produção Oral/Spoken Production (SP5).
വ Escrita/Writing (W5).
വ Domínio Intercultural/Intercultural Domain (ID5).
ING. X X
വ Compreensão Oral/Listening (L6).
വ Leitura/Reading (R6).
വ Produção Oral/Spoken Production (SP6).
വ Escrita/Writing (W6).
വ Domínio Intercultural/Intercultural Domain (ID6).
o
വ A Península Ibérica: Localização e Quadro Natural (5. ano).
HGP o X X
വ Portugal Hoje (6. ano).
o
വ Diversidade de seres vivos e suas interações com o meio (5. ano).
CN o X X
വ Agressões do meio e integridade do organismo (6. ano).
വ Composição (se o grupo-turma pretender compor um tema original para o
filme).
ED. MUS. X X
വ Interpretação (se os alunos preferirem executar peças musicais já escritas
em partitura).

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 93


2. Galinhas coloridas
Disc. Metas Curriculares/Programas 5.o ano 6.o ano
വ Conhecer materiais riscadores e respetivos suportes físicos (T5|OG1).
വ Dominar a aquisição de conhecimento prático (T5|OG3). T5 X T6 X
വ Reconhecer a simbologia e o significado da cor (T6|OG2).
വ Reconhecer a textura enquanto aspeto visual das superfícies (R5|OG5).
R5 X R6 X
വ Dominar a representação bidimensional (R6|OG6).
EV വ Conhecer diferentes tipologias de comunicação (D5|OG8).
വ Compreender o conceito de património (D6|OG7). D5 X D6 X
വ Reconhecer o papel e a influência do património na sociedade (D6|OG8).
വ Reconhecer princípios básicos da criação de um discurso (P6|OG10).
വ Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um P6 X
objetivo (P6|OG12).
വ Distinguir alterações no meio ambiente determinadas pela ação humana
(T6|OG3).
വ Distinguir a linguagem dos processos de utilização, de fabrico e de
ET construção (D6|OG8). X
വ Compreender processos técnicos de fabrico e de construção (D6|OG9).
വ Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (P6|OG13).

വ Compreensão Oral/Listening (L5).


ING. X
വ Leitura/Reading (R5).
o
വ Diversidade de seres vivos e suas interações com o meio (5. ano).
CN o X X
വ Agressões do meio e integridade do organismo (6. ano).

വ Composição (se o grupo-turma pretender compor um tema original para a


cerimónia de inauguração da exposição).
ED. MUS. X X
വ Interpretação (se os alunos preferirem executar peças musicais já escritas
em partitura).

94 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


3. Postal de Natal tridimensional
Disc. Metas Curriculares/Programas 5.o ano 6.o ano
വ Conhecer materiais riscadores e respetivos suportes físicos (T5|OG1).
വ Dominar materiais básicos de desenho técnico (T5|OG2).
T5 X T6 X
വ Dominar a aquisição de conhecimento prático (T5|OG3).
വ Compreender características e qualidades da cor (T6|OG1).
വ Compreender a geometria enquanto elemento da organização da forma
(R5|OG4).
EV വ Explicar a estrutura como suporte da forma (R5|OG6).
R5 X R6
വ Dominar a representação como instrumento de registo (R5|OG7).
വ Conhecer diferentes tipologias de comunicação (D5|OG8).
D5 X D6 X
വ Reconhecer o papel e a influência do património na sociedade (D6|OG8).
വ Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (P6|OG12).
P6 X
വ Dominar a aquisição de conhecimento técnico (T5|OG3).
വ Discriminar a conveniência de medições rigorosas na execução de
ET trabalhos (R5|OG5). X X
വ Conhecer a origem e propriedades dos materiais (T6|OG1).
വ Explorar estruturas no âmbito da forma e função (P6|OG12).
വ Compreensão Oral/Listening (L5).
വ Leitura/Reading (R5).
ING. X X
വ Domínio Intercultural/Intercultural Domain (ID5).
വ Domínio Intercultural/Intercultural Domain (ID6).

4. Imagem e movimento
Disc. Metas Curriculares/Programas 5.o ano 6.o ano
വ Conhecer materiais riscadores e respetivos suportes físicos (T5|OG1).
T5 X T6
വ Dominar a aquisição de conhecimento prático (T5|OG3).
വ Compreender a geometria enquanto elemento de organização da forma
(R5|OG4). R5 X R6
EV വ Dominar a representação como instrumento de registo (R5|OG7).
വ Reconhecer o papel do discurso no âmbito de trajetórias históricas
(D6|OG9).
D5 D6 X

P6
വ Discriminar a conveniência de medições rigorosas na execução de
trabalhos (R5|OG5).
ET വ Conhecer diversos tipos de movimentos (R6|OG5).
X X
വ Dominar a comunicação orientada para a demonstração (D6|OG10).

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 95


5. Livro do Ano
Disc. Metas Curriculares/Programas 5.o ano 6.o ano
വ Conhecer materiais riscadores e respetivos suportes físicos (T5|OG1).
T5 X T6
വ Dominar a aquisição de conhecimento prático (T5|OG3).
വ Reconhecer a textura enquanto aspeto visual das superfícies (R5|OG5).
R5 X R6
വ Dominar a representação como instrumento de registo (R5|OG7).

EV വ Dominar a comunicação como um processo de narrativa visual


(D5|OG10).
D5 X D6 X
വ Reconhecer o papel do discurso no âmbito de trajetórias históricas
(D6|OG9).
വ Desenvolver a capacidade de avaliação crítica na criação de um discurso
(P6|OG11).
P6 X

ET വ Compreender processos técnicos de fabrico e de construção (D6|OG9). X


വ LEITURA E ESCRITA (LE5) | (16) Escrever textos descritivos | 16.1:
Escrever descrições de pessoas, objetos ou paisagens, referindo
características essenciais e encadeando logicamente os elementos
PORT. selecionados. X X
വ LEITURA E ESCRITA (LE6) | (6) Ler textos diversos | 6.1: Ler textos
narrativos, descrições; retrato, textos de enciclopédia e de dicionário,
entrevistas, texto publicitário, notícias, cartas e roteiros.

6. Papagaio de papel
Disc. Metas Curriculares/Programas 5.o ano 6.o ano
വ Dominar materiais básicos de desenho técnico (T5|OG2).
T5 X T6
വ Dominar a aquisição de conhecimento prático (T5|OG3).
വ Compreender a geometria enquanto elemento da organização da forma
(R5|OG4).
വ Explicar a estrutura como suporte da forma (R5|OG6).
R5 X R6 X
EV
വ Conhecer as interações dos objetos no espaço (R6|OG4).
D5 D6
വ Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (P6|OG12).
P6 X
വ Discriminar a relevância do objeto técnico (T5|OG2).
വ Dominar a aquisição de conhecimento técnico (T5|OG3).
വ Aplicar princípios da comunicação tecnológica (D5|OG7).
വ Conhecer a origem e propriedades dos materiais (T6|OG1).
വ Distinguir alterações no meio ambiente determinadas pela ação humana
(T6|OG3).
ET വ Distinguir a linguagem dos processos de utilização, de fabrico e de X X
construção (D6|OG8).
വ Compreender processos técnicos de fabrico e de construção (D6|OG9).
വ Conhecer tipos de estrutura (P6|OG11).
വ Explorar estruturas no âmbito da forma e função (P6|OG12).
വ Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (P6|OG13).

96 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


7. Padrão coletivo
Disc. Metas Curriculares/Programas 5.o ano 6.o ano
വ Dominar materiais básicos de desenho técnico (T5|OG2).
വ Dominar a aquisição de conhecimento prático (T5|OG3). T5 X T6 X
വ Compreender características e qualidades da cor (T6|OG1).
വ Compreender a geometria enquanto elemento da organização da forma
EV (R5|OG4). R5 X R6
വ Explicar a estrutura como suporte da forma (R5|OG6).

വ Distinguir códigos e suportes utilizados pela comunicação (D5|OG9). D5 X D6


P6

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 97


Educação Tecnológica
1. Horta suspensa
Disc. Metas Curriculares/Programas 5.o ano 6.o ano
വ Conhecer a origem e propriedades dos materiais (T6|OG1).
വ Reconhecer processos de transformação das principais matérias-primas
(T6|OG2).
T5 T6 X
വ Distinguir alterações no meio ambiente determinadas pela ação humana
(T6|OG3).
വ Dominar procedimentos sistemáticos e metodológicos (T6|OG4).
R5 R6
ET വ Distinguir a linguagem dos processos de utilização, de fabrico e de
construção (D6|OG8).
വ Compreender processos técnicos de fabrico e de construção (D6|OG 9).
D5 D6 X
വ Dominar a comunicação orientada para a demonstração (D6|OG10).
വ Conhecer tipos de estrutura (P6|OG11).
വ Explorar estruturas no âmbito da forma e função (P6|OG12).
P5 P6 X
വ Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (P6|OG13).
വ Compreender o conceito de património (D6|OG7).
EV X
വ Reconhecer o papel e a influência do património na sociedade (D6|OG7).
വ Trocas nutricionais entre o organismo e o meio: nos animais
(1. Compreender a importância de uma alimentação equilibrada e
segura).
വ Trocas nutricionais entre o organismo e o meio: nas plantas
CN (11. Compreender a importância das plantas como fonte de nutrientes,
X
de matéria-prima e de renovação do ar atmosférico).
വ Transmissão de vida: reprodução nas plantas (15. Compreender o
mecanismo de reprodução das plantas com semente).

98 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


2. Tecelagem criativa
Disc. Metas Curriculares/Programas 5.o ano 6.o ano
വ Conhecer a origem e propriedades dos materiais (T6|OG1).
വ Reconhecer processos de transformação das principais matérias-primas
(T6|OG2).
T5 T6 X
വ Distinguir alterações no meio ambiente determinadas pela ação humana
(T6|OG3).
വ Dominar procedimentos sistemáticos e metodológicos (T6|OG4).
R5 R6
ET വ Distinguir a linguagem dos processos de utilização, de fabrico e de
construção (D6|OG8).
വ Compreender processos técnicos de fabrico e de construção (D6|OG 9).
D5 D6 X
വ Dominar a comunicação orientada para a demonstração (D6|OG10).
വ Conhecer tipos de estrutura (P6|OG11).
വ Explorar estruturas no âmbito da forma e função (P6|OG12).
P5 P6 X
വ Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (P6|OG13).
വ Compreender características e qualidades da cor (T6|OG1).
EV വ Compreender o conceito de património (D6|OG7). X
വ Reconhecer o papel e a influência do património na sociedade (D6|OG7).

3. Candeeiro de Natal
Disc. Metas Curriculares/Programas 5.o ano 6.o ano
വ Reconhecer o papel da tecnologia (T5|OG1).
വ Discriminar a relevância do objeto técnico (T5|OG2). T5 X T6
വ Dominar a aquisição de conhecimento técnico (T5|OG3).
R5 R6
വ Distinguir a linguagem dos processos de utilização, de fabrico
e de construção (D6|OG8).
വ Compreender processos técnicos de fabrico e de construção (D6|OG 9).
D5 D6 X
വ Dominar a comunicação orientada para a demonstração (D6|OG10).
ET വ Distinguir as principais fontes de energia (P5|OG10).
വ Compreender processos de produção e de transformação de energia
(P5|OG11).
വ Explorar soluções energéticas no âmbito dos operadores elétricos
(P5|OG12).
വ Dominar procedimentos de análise e de sistematização (P5|OG13).
P5 X P6 X
വ Conhecer tipos de estrutura (P6|OG11).
വ Explorar estruturas no âmbito da forma e função (P6|OG12).
വ Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (P6|OG13).
വ Compreender a geometria enquanto elemento de organização da forma
(R5|OG4).
വ Explicar a estrutura como suporte da forma (R5|OG6).
വ Reconhecer a simbologia e o significado da cor (T6|OG2).
EV വ Dominar procedimentos sistemáticos e metodológicos (T6|OG3). X X
വ Compreender o conceito de património (D6|OG7).
വ Reconhecer o papel e a influência do património na sociedade (D6|OG8).
വ Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (P6|OG12).

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 99


4. Máscara de Carnaval
Disc. Metas Curriculares/Programas 5.o ano 6.o ano
T5 T6
R5 R6
വ Distinguir a linguagem dos processos de utilização, de fabrico e de
ET construção (D6|OG8). D5 D6 X
വ Compreender processos técnicos de fabrico e de construção (D6|OG9).
വ Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (P6|OG13).
P5 P6 X
വ Dominar a representação bidimensional (R6|OG6).
EV വ Compreender o conceito de património (D6|OG7). X
വ Reconhecer o papel e a influência do património na sociedade (D6|OG8).

5. Movimentos em cadeia
Disc. Metas Curriculares/Programas 5.o ano 6.o ano
T5 T6
വ Conhecer diversos tipos de movimento (R6|OG5).
വ Reconhecer operadores mecânicos de transmissão e de transformação R5 R6 X
ET do movimento (R6|OG6).
D5 D6
P5 P6 X
EV വ Compreender características e qualidades da cor (T6|OG1). X

6. Brinquedo autómato
Disc. Metas Curriculares/Programas 5.o ano 6.o ano
T5 T6
വ Conhecer diversos tipos de movimento (R6|OG5).
വ Reconhecer operadores mecânicos de transmissão e de transformação R5 R6 X
ET do movimento (R6|OG6).
D5 D6
P5 P6 X
EV വ Dominar a representação bidimensional (R6|OG6). X

100 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


7. Modelação em sabão
Disc. Metas Curriculares/Programas 5.o ano 6.o ano
വ Conhecer a origem e propriedades dos materiais (T6|OG1).
വ Reconhecer processos de transformação das principais matérias-primas
(T6|OG2).
T5 T6
വ Distinguir alterações no meio ambiente determinadas pela ação humana
(T6|OG3).
വ Dominar procedimentos sistemáticos e metodológicos (T6|OG4).
ET
R5 R6
വ Compreender processos técnicos de fabrico e de construção (D6|OG9). D5 D6 X
വ Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (P6|OG13).
P5 P6 X
വ Dominar a representação bidimensional (R6|OG6).
വ Compreender o conceito de património (D6|OG7).
EV വ Reconhecer princípios básicos da criação de um discurso (P6|OG10). X
വ Desenvolver a capacidade de avaliação crítica na criação de um discurso
(P6|OG11).

PORT. വ Ler e interpretar textos literários (EL6). X


വ Produção Oral/Spoken Production (SP6).
ING. X
വ Escrita/Writing (W6).

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 101


Desenvolvimento de projetos

Educação Visual

1. Turismo sustentável

Produto
Realização de um pequeno vídeo.

Apresentação
Este projeto pretende promover o desenvolvimento de aprendizagens teórico-práticas específicas
no âmbito da disciplina de Educação Visual.
O projeto tem, para além disso, uma dimensão multidisciplinar. Assim, para a sua concretização,
pode ter a colaboração de disciplinas como Educação Tecnológica, Educação Musical, Ciências
Naturais, História e Geografia de Portugal, Português e Inglês.

Material necessário
Item
Papel de desenho (A3).
Cartolina branca (A4).
Lápis de cor ou marcadores (canetas de feltro).
Tesoura.
Tubos de plástico (para balões) (em alternativa: canas muito pequenas).
Fita-cola (ou Bostik).
Cartão maquete para a realização do «palco».
Molas para papel.
Smartphone (capaz de gravar vídeo).
Tripé para o smartphone (ou suporte improvisado).

102 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Desenvolvimento da atividade

Tema
A Organização das Nações Unidas (ONU) declarou 2017 como o Ano Internacional do Turismo
Sustentável para o Desenvolvimento. Esta resolução visa «reconhecer a importância do turismo
internacional (…) para melhorar a compreensão entre os povos em todos os lugares, promover a
importância da herança de várias civilizações e fortalecer o valor inerente da diversidade cultural,
contribuindo assim para o fortalecimento da paz no mundo» 1.
Com base neste tema, pretende-se realizar um pequeno vídeo (com cerca de 3 minutos), inspirado
no título Turismo sustentável na minha terra, a ser filmado com o telemóvel, com o objetivo de
possibilitar a sua publicação no YouTube e no site da escola ou do agrupamento.

Objetivos
1. Abordar, analisar e debater com os alunos o tema da sustentabilidade associada às atividades
turísticas (manter limpos e arranjados os lugares públicos, como os jardins, as praças, as ruas,
os monumentos, ver exemplos de turismo rural e de aventura, etc.).
2. Desenvolver a capacidade de pesquisa e de organização de informação sobre a história e as
características geográficas da localidade onde se situa a escola.
3. Desenvolver conhecimentos básicos sobre a realização de um audiovisual: elaboração de um
guião ou de um storyboard.
4. Desenvolver a capacidade de síntese, no discurso verbal, através da construção de frases
simples e eficazes, capazes de transmitir as mensagens pretendidas.
5. Mobilizar conhecimentos práticos e capacidades criativas para a construção de um cenário
que represente um determinado espaço da localidade onde se situa a escola (monumentos,
espaços verdes, etc.) e dos elementos móveis que irão participar na ação (árvores, animais,
pessoas, frases, etc.).
6. Promover a capacidade de mobilização dos conhecimentos específicos da disciplina de
Educação Visual e de outros domínios transdisciplinares, através da realização de uma
atividade multidisciplinar de projeto.
7. Aprender a utilizar a metodologia do trabalho de projeto.
8. Desenvolver as capacidades criativas na resolução de problemas práticos.
9. Desenvolver atitudes colaborativas e de entreajuda no âmbito do trabalho de grupo.

Metodologia e recursos
Para desenvolver este projeto, é necessário aplicar a metodologia do trabalho de projeto. Para tal,
é fundamental que, em primeiro lugar, se conceba e se planifiquem as várias etapas do
desenvolvimento do projeto, tendo em conta que se deve:
1. abordar e compreender o conceito de sustentabilidade ambiental e de turismo sustentável,
através de pesquisa orientada na internet (em computadores, tablets ou smartphones) e com
o apoio da disciplina de Ciências Naturais;

1
Resolução da Organização das Nações Unidas, 2017, Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento
(http://www.un.org/ga/search/view_doc.asp?symbol=A/C.2/70/L.5/Rev.1, consultado em 21.12.2016. Original em língua inglesa.)
Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 103
2. proceder a um pequeno estudo sobre as características históricas e geográficas da localidade
onde se situa a escola, com o apoio da disciplina de História e Geografia de Portugal;
3. elaborar um pequeno guião do filme, com a descrição sintética das várias sequências que têm
de ser filmadas, ou um storyboard, com desenhos esboçados de cada sequência que importa
registar, para orientação aquando da realização do vídeo;
4. escrever os textos, com o apoio da disciplina de Português, que irão ser lidos, em tempo real,
no momento das filmagens;
5. construir um pequeno cenário que represente um ponto de interesse turístico da localidade
onde se situa a escola, no qual será desenrolado uma parte da ação do vídeo. O cenário pode,
eventualmente, ser construído sobre várias cartolinas colocadas frontalmente, paralelas umas
às outras, de modo a criar a ideia dos vários planos do espaço natural ou edificado que se
quer representar aquando da filmagem (para dar uma perceção de profundidade do espaço
físico). Nas cartolinas devem ser desenhadas (ou coladas) imagens significativas e
representativas de edifícios ou espaços públicos que identifiquem a localidade onde se situa a
escola;
6. desenhar e recortar, em cartolina, as palavras e os objetos que irão surgir ao longo da
narrativa, que serão falados em voz-off no momento da filmagem. Cada um desses elementos
fica preso a um tubo de plástico (para balões), de forma a poder ser manipulado durante a
ação do vídeo, entrando e saindo do campo visual de acordo com a narrativa (as mãos dos
alunos, em princípio, não deverão aparecer nas filmagens, mas esta opção pode ficar em
aberto, tendo em conta as opções estéticas e de linguagem feitas);
7. O vídeo final da turma será composto pelos vídeos dos diversos pontos de interesse turístico
que cada grupo de alunos desenvolveu;
8. opcionalmente, cada ponto de interesse turístico poderá ser introduzido por um grupo de
atores de papel (ilustrações que representem cada um dos alunos que compõe o grupo que
realizou esse trabalho);
9. É somente necessário um «palco» (em cartão maquete) para a realização dos vídeos (sugere-
-se que esta tarefa seja desenvolvida pelo/a professor(a)).

Articulação com as Metas Curriculares de Educação Visual


Esta atividade mobiliza um conjunto diversificado de conhecimentos teóricos e práticos específicos
da disciplina de Educação Visual, no âmbito dos diversos domínios inscritos nas Metas Curriculares,
designadamente:
 TÉCNICA (T5) – Conhecer materiais riscadores e respetivos suportes físicos (OG 1) e Dominar
a aquisição de conhecimento prático (OG 3).
 REPRESENTAÇÃO (R5) – Dominar a representação como instrumento de registo (OG 7).
 DISCURSO (D5) – Conhecer diferentes tipologias de comunicação (OG 8), Distinguir códigos e
suportes utilizados pela comunicação (OG 9) e Dominar a comunicação como um processo de
narrativa visual (OG 10).
 TÉCNICA (T6) – Reconhecer a simbologia e o significado da cor (OG 2).
 REPRESENTAÇÃO (R6) – Dominar a representação bidimensional (OG 6).
 DISCURSO (D6) – Compreender o conceito de património (OG 7) e Reconhecer o papel e a
influência do património na sociedade (OG 8).

104 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


 PROJETO (P6) Reconhecer princípios básicos da criação de um discurso (OG 10) e Dominar
atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um objetivo (OG 12).

Articulação com outras disciplinas


Educação Tecnológica:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através do apoio ao desenvolvimento geral do
projeto, integrando os saberes e os saber-fazer específicos, de acordo com as Metas Curriculares, no
âmbito dos seguintes domínios:
 Discurso|D5 – Dominar a comunicação como um processo de organização de factos (OG9).
 Técnica|T6 – Distinguir alterações no meio ambiente determinadas pela ação humana (OG3).
 Discurso|D6 – Distinguir a linguagem dos processos de utilização, de fabrico e de construção
(OG8) e Compreender processos técnicos de fabrico e de construção (OG9).
 Projeto|P6 – Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (OG13).

Ciências Naturais:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através do apoio à compreensão por parte dos
alunos do conceito de sustentabilidade ambiental, integrando-o nas Metas Curriculares respetivas,
no contexto dos domínios:
 Diversidade de seres vivos e suas interações com o meio (5.o ano).
 Agressões do meio e integridade do organismo (6.o ano).

História e Geografia de Portugal:


A articulação com esta disciplina deve ser feita através de uma pequena abordagem histórica sobre
a localidade onde se situa a escola, procurando integrar essas aprendizagens no âmbito dos
domínios específicos das Metas Curriculares da disciplina:
 A Península Ibérica: Localização e Quadro Natural (5.o ano).
 Portugal Hoje (6.o ano).

Português:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através do apoio à produção do texto escrito, para
posterior leitura (oralidade), no momento da realização do vídeo, com o objetivo de o narrar,
fornecendo assim a informação pretendida ao espetador. A articulação com as Metas Curriculares
desta disciplina é feita no âmbito dos seguintes domínios:
 Oralidade (5.o e 6.o anos).
 Leitura e escrita (5.o e 6.o anos).

Educação Musical:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através do apoio à produção de um ambiente musical
de fundo (banda sonora no filme), que poderá será executado no momento da realização do vídeo.
A articulação com o programa da disciplina é feita tendo em conta as seguintes áreas:
 Composição (se o grupo-turma pretender compor um tema original para o filme).
 Interpretação (se os alunos preferirem executar peças musicais já escritas em partitura).

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 105


Inglês:
A articulação com esta disciplina deve ser feita utilizando palavras em língua inglesa no decurso da
mensagem que se pretende transmitir. Como o tema lida com a questão do Turismo e, portanto,
com a necessidade de comunicar de um modo mais universal possível, pode ser interessante o
recurso a palavras em inglês, em jeito de tradução das palavras portuguesas. Esta abordagem pode
ser integrada nas Metas Curriculares, no âmbito dos seguintes domínios:
 Compreensão oral/Listening – 5.o ano A1+
5.o Compreender discursos simples, articulados de forma clara e pausada
 Leitura/Reading 5.o ano A1+
3. Ler frases e pequenos textos em voz alta
 Produção Oral/Spoken Production 5.o ano A1+
5. Produzir corretamente sons, entoações e ritmos da língua
 Leitura/Reading 6.o ano A2
6. Ler frases e pequenos textos em voz alta
 Produção Oral/Spoken Production 6.o ano A2
7. Expressar-se, com vocabulário simples, sobre assuntos familiares do dia a dia

Links de interesse para consulta


 Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=sEhL0i5aASk
Vídeo promotor de uma proposta (vencedora) do Orçamento Participativo de 2016 da Câmara Municipal de Lisboa, a de
requalificação do jardim do Caracol, um espaço verde densamente arborizado, localizado nas freguesias de Arroios e da
2
Penha de França, em Lisboa, com vista a transformá-lo num dos principais jardins de Lisboa .

Imagens

Desenhar um pequeno cenário Colorir o cenário e contornar a Desenhar as palavras necessárias à


que represente um ponto marcador fino. narrativa.
de interesse turístico da localidade
onde se situa a escola.

Colorir e contornar a marcador fino as Recortar as palavras. Fixar, com o auxílio de Bostik, as
palavras. palavras a tubos de plástico.

2
https://op.lisboaparticipa.pt/op/propostas/575ddf305c28680900d34278 (consultado em 15.03.2017)
https://www.facebook.com/jardimcaracoldapenha/ (consultado em 15.03.2017)
106 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET
Desenhar os objetos necessários Colorir e contornar a marcador fino Recortar os objetos.
à narrativa. os objetos.

Fixar, com o auxílio de Bostik, os Montar o palco com o auxílio de Treinar a «representação».
objetos a tubos de plástico. molas de papel.
Fixar, também com o recurso a
molas de papel, o cenário na
«parede» de fundo do palco.

Realizar os takes necessários até Juntar num vídeo final os diversos Opcionalmente, cada ponto de
que tudo esteja correto pontos de interesse turístico. interesse turístico poderá ser
(geralmente não sai bem à introduzido por um grupo de atores
primeira, nem à segunda). de papel.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 107


2. Galinhas coloridas

Produto
Realização de exposição denominada Galinhas Coloridas.

Apresentação
Este projeto pretende promover o desenvolvimento de aprendizagens teórico-práticas específicas
no âmbito da disciplina de Educação Visual.
Este projeto pode ter uma dimensão multidisciplinar através da colaboração de outras disciplinas,
tais como Educação Tecnológica, Inglês, Ciências Naturais e Educação Musical.

Material necessário
Item
Balão.
Papel de jornal ou outro papel.
Papel higiénico.
Cola branca vinílica (cola branca de madeira).
Guaches (em embalagens grandes).
Pincel e/ou esponja.
Tesoura.
Papel de desenho (A4).
Cartolina de cor (50 cm u 65 cm).
Cola celulósica transparente.
Lápis de grafite.
Borracha.
Lápis de cor ou marcadores (canetas de feltro).

108 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Desenvolvimento da atividade
Tema
1. O tema deste projeto baseia-se no acontecimento artístico CowParade, uma exposição de
arte pública internacional que tem vindo a ser apresentada nas principais cidades do mundo
desde 2000. A apresentação é constituída por um conjunto significativo de esculturas de vacas
em fibra de vidro, decoradas por artistas locais e distribuídas por lugares públicos (estações de
metro, avenidas importantes e parques, etc.). No final, as vacas são leiloadas e o dinheiro é
entregue a instituições de caridade. Em Lisboa, a exposição realizou-se em 2006.
2. Com base neste tema, pretende-se realizar uma exposição semelhante, intitulada Galinhas
Coloridas, constituída por galinhas construídas em papel e decoradas de forma criativa pelos
alunos.
3. O professor pode sugerir um tema que sirva de base ao desenvolvimento criativo dos alunos,
como, por exemplo, «As galinhas de Barcelos», «As galinhas-sardinhas» (articulando com os
conteúdos de Educação Visual sobre património), «As galinhas sabem Geometria»
(articulando com os conteúdos respetivos de Educação Visual), «As galinhas também sabem
fazer contas» (articulando com os conteúdos de Matemática), «A galinha da vizinha…» ou «A
galinha dos ovos de ouro» (articulando com os conteúdos de Português, através do estudo
das expressões idiomáticas e dos contos populares), entre outras ideias.

Objetivos
1. Conhecer um evento artístico de âmbito internacional.
2. Debater e compreender o fenómeno artístico em causa, de modo a alargar o âmbito do
pensamento crítico e a cultura artística.
3. Desenvolver a capacidade de mobilização dos conhecimentos específicos da disciplina de
Educação Visual e de outros domínios disciplinares, através da realização de uma atividade de
projeto.
4. Aprender a utilizar a metodologia do trabalho de projeto.
5. Desenvolver as capacidades criativas na resolução de problemas práticos.
6. Desenvolver atitudes colaborativas e de entreajuda no âmbito do trabalho de grupo.

Metodologia e recursos
Para desenvolver este projeto, é necessário aplicar a metodologia do trabalho de projeto. Para tal,
é fundamental, em primeiro lugar, conceber e planificar as várias etapas do desenvolvimento do
projeto, tendo em conta que se deve:
1. Conhecer e compreender o evento artístico – CowParade – através de pesquisa orientada, na
internet (em computadores, tablets ou smartphones), e da exposição de informação por parte
do professor da disciplina.
2. Compreender o vocábulo CowParade, em língua inglesa, através do apoio da disciplina de
Inglês.
3. Conhecer, de forma genérica, as características da galinha (e galo), com o apoio da disciplina
de Ciências Naturais.
4. Executar o estudo de cor (com os lápis de cor e os marcadores), em folha de papel de desenho A4.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 109


5. Iniciar a construção das galinhas (execução do corpo), mediante a utilização do «papel
machê».
 Encher o balão até ao tamanho pretendido.
 Cortar as folhas de jornal em tiras com, aproximadamente, 1,5 cm de largura.
 Num recipiente, misturar (em partes iguais) a cola branca com a água.
 Passar, uma a uma, as tiras de jornal pela mistura de cola com água, retirar o excesso e
aplicar no balão, até se obter, no mínimo, três camadas.
 Deixar secar.
 Depois de seco, revestir com papel higiénico com a ajuda de um pincel embebido na
mistura de cola com água.
 Deixar secar.
 Pintar de acordo com o estudo de cor realizado por cada aluno.
6. Executar os restantes elementos para a construção das galinhas:
 Passar para uma folha de cartolina (50 u 65 cm) os moldes do pescoço, das asas, dos olhos,
das penas da cauda, do bico, da crista e da barbela.
 Recortar os diversos elementos.
 Pintar com as tintas de guache, de acordo com o estudo prévio de cor, e deixar secar.
 Colar com cola celulósica transparente os diversos elementos do corpo da galinha.
7. Organizar uma exposição dos trabalhos e promover uma cerimónia de inauguração, com a
execução de uma peça musical e eventual convite aos pais/encarregados de educação para
assistirem à exposição.

Articulação com as Metas Curriculares de Educação Visual


Esta atividade mobiliza um conjunto diversificado de conhecimentos teóricos e práticos específicos
da disciplina de Educação Visual, no âmbito dos diversos domínios inscritos nas Metas Curriculares,
designadamente:
 TÉCNICA (T5) – Conhecer materiais riscadores e respetivos suportes físicos (OG 1) e Dominar
a aquisição de conhecimento prático (OG 3).
 REPRESENTAÇÃO (R5) – Reconhecer a textura enquanto aspeto visual das superfícies (OG 5).
 TÉCNICA (T6) – Reconhecer a simbologia e o significado da cor (OG 2).
 REPRESENTAÇÃO (R6) – Dominar a representação bidimensional (OG 6).
 DISCURSO (D6) – Compreender o conceito de património (OG 7) e Reconhecer o papel e a
influência do património na sociedade (OG 8).
 PROJETO (P6) – Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (OG 12).

110 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Articulação com outras disciplinas
Educação Tecnológica:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através do apoio ao desenvolvimento geral do
projeto, integrando os saberes e os saber-fazer específicos, de acordo com as Metas Curriculares, no
âmbito dos seguintes domínios:
 Técnica|T6 – Distinguir alterações no meio ambiente determinadas pela ação humana
(OG3).
 Discurso|D6 – Distinguir a linguagem dos processos de utilização, de fabrico e de construção
(OG8) e Compreender processos técnicos de fabrico e de construção (OG9)
 Projeto|P6 – Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (OG13).

Inglês:
A articulação com esta disciplina pode ser feita tendo em conta a universalidade da língua inglesa.
Assim, este assunto pode ser abordado nesta disciplina, no sentido de fazer compreender aos alunos
o significado da palavra. Esta abordagem por ser integrada nas Metas Curriculares, no âmbito dos
seguintes domínios:
 Compreensão oral/Listening 5.o ano A1+
5. Compreender discursos simples, articulados de forma clara e pausada.
 Leitura/Reading 5.o ano A1+
3. Ler frases e pequenos textos em voz alta.

Ciências Naturais:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através de uma sucinta caracterização física da
galinha, da sua utilização em larga escala na alimentação humana e do impacto ambiental da
indústria pecuária. Esta abordagem deve ser integrada nas Metas Curriculares, no âmbito dos
seguintes domínios:
 Diversidade de seres vivos e suas interações com o meio (5.o ano).
 Agressões do meio e integridade do organismo (6.o ano).

Educação Musical:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através do apoio à realização de uma peça musical
para a inauguração da exposição coletiva Galinhas coloridas. Pretende-se que esta exposição
envolva a comunidade escolar e, eventualmente, a comunidade educativa caso se pretenda convidar
pais/encarregados. A articulação com o programa da disciplina é feita tendo em conta as seguintes
áreas:
 Composição (se o grupo-turma pretender compor um tema original para o filme).
 Interpretação (se os alunos preferirem executar peças musicais já escritas em partitura).

Links de interesse para consulta


 CowParade: https://pt.wikipedia.org/wiki/CowParade#CowParade (consultado em 15.03.2017)
 Escultor Pascal Knapp: https://pt.wikipedia.org/wiki/CowParade#CowParade (consultado em 15.03.2017)
 Receita do «papel machê»: https://pt.wikipedia.org/wiki/Papel_mach%C3%AA (consultado em
15.03.2017)
Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 111
Imagens

Revestir o balão com as tiras de Deixar secar. Revestir com papel higiénico
jornal (ou papel) mergulhadas embebido na mistura de cola e água.
numa mistura de cola e água.

Deixar secar. Pintar de acordo com o estudo de Passar para uma folha de cartolina.
cor realizado por cada aluno. Recortar os moldes do pescoço…

...das asas, dos olhos… ... das penas da cauda… ... do bico, da crista e da barbela.

112 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Pinta, de acordo com o estudo Deixar secar. Colar com cola celulósica
prévio de cor, com as tintas de transparente os diversos
guache. elementos...

... ao corpo da galinha.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 113


Recursos de apoio
1. Desenho que pode servir de base ao estudo da cor:

2. Exemplos simples de estudo de cor:

114 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


3. Desenho dos moldes das diversas partes da galinha:

Olhos

Bico

Pescoço

Asas

Barbela
Crista

Penas da cauda

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 115


4. Fotografias de edições internacionais de CowParade:

116 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


3. Postal de Natal tridimensional

Produto
Realização de um postal de Natal tridimensional.

Apresentação
Este projeto pretende promover o desenvolvimento de aprendizagens teórico-práticas específicas
no âmbito da disciplina de Educação Visual.
O projeto pode ter uma dimensão multidisciplinar através da colaboração de outras disciplinas, tais
como Educação Tecnológica e Inglês.

Material necessário
Item
Papel de desenho (A4).
Lápis de grafite.
Borracha.
Régua.
Lápis de cor.
Marcador preto fino (caneta de feltro).
Tesoura (ou, em alternativa, x-ato).
Cola (em tubo ou em stick).

Desenvolvimento da atividade
Tema
O Natal é uma festa cuja tradição, de origem católica, simboliza o nascimento de Jesus Cristo.
Atualmente é também comemorado por muitos não cristãos, estando associado a costumes
como a troca de cartões e de presentes, o enfeitamento da árvore de Natal, a montagem do
Presépio, bem como de variadas outras decorações. Indissociável, também, a personagem do Pai
Natal, uma figura relacionada com os presentes que as crianças recebem no dia 24 ou 25 de
dezembro (ou mesmo no dia 7 de janeiro, segundo algumas tradições).
É com base neste tema que se pretende desenvolver o projeto. Partindo da pesquisa sobre o
significado do Natal e terminando com a construção de postais em pop-up.

Objetivos
1. Conhecer o significado da festa do Natal.
2. Aprender a elaborar um postal tridimensional, desenvolvendo conhecimentos básicos de pop-up.
3. Desenvolver a capacidade de mobilização dos conhecimentos específicos da disciplina de EV e
de outros domínios disciplinares, através da realização de uma atividade de projeto.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 117


4. Aprender a utilizar a metodologia do trabalho de projeto.
5. Desenvolver as capacidades criativas na resolução de problemas práticos.
6. Desenvolver atitudes colaborativas e de entreajuda no âmbito do trabalho individual e de grupo.

Metodologia e recursos
Para desenvolver este projeto, é necessário aplicar a metodologia do trabalho de projeto. Para tal,
é fundamental que, em primeiro lugar, se conceba e se planifiquem as várias etapas do
desenvolvimento do projeto, tendo em conta que se deve:
1. pesquisar na internet e na biblioteca da Escola informações sobre o significado original da
festa do Natal;
2. articular com a disciplina de Inglês no que diz respeito ao reconhecimento desta tradição no
Reino Unido, através das suas especificidades;
3. abordar os conteúdos teóricos específicos de Educação Visual no desenvolvimento deste
projeto;
4. registar algumas ideias através do desenho, até chegar à solução pretendida, para então
elaborar o postal;
5. dobrar a folha de desenho A4 em quatro partes;
6. desenhar:
വ o texto na frente do postal;
വ a esquadria e o elemento tridimensional numa das metades (que se irá sobrepor ao fundo);
വ a esquadria e a imagem de fundo no interior do postal;
7. colorir, usando lápis de cor, os diversos elementos desenhados;
8. contornar, com marcador fino, os diversos elementos desenhados;
9. recortar a área entre o elemento tridimensional e a esquadria;
10. realizar a dobra central inferior para fora e duas dobras para dentro (entre a dobra central e
os limites exteriores do postal);
11. colar a área da esquadria, ao fundo, com exceção da zona central, que dobra para fora;
12. colar também ao fundo, a parte do elemento tridimensional que não fica na zona central
que dobra para fora;
13. realizar uma exposição dos postais elaborados na turma.

Articulação com as Metas Curriculares de Educação Visual


Esta atividade mobiliza um conjunto diversificado de conhecimentos teóricos e práticos específicos
da disciplina de Educação Visual, no âmbito dos diversos domínios inscritos nas Metas Curriculares,
designadamente:
 TÉCNICA (T5) – Conhecer materiais riscadores e respetivos suportes físicos (OG 1), Dominar
materiais básicos de desenho técnico (OG2) e Dominar a aquisição de conhecimento prático
(OG 3).
 REPRESENTAÇÃO (R5) – Compreender a Geometria enquanto elemento da organização da
forma (OG 4), Explicar a estrutura como suporte da forma (OG 6) e Dominar a representação
como instrumento de registo (OG 7).
118 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET
 DISCURSO (D5) – Conhecer diferentes tipologias de comunicação (OG 8).
 TÉCNICA (T6) – Compreender características e qualidades da cor (OG 1).
 DISCURSO (D6) – Reconhecer o papel e a influência do património na sociedade (OG 8).
 PROJETO (P6) – Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (OG 12).

Articulação com outras disciplinas


Educação Tecnológica:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através do apoio à compreensão por parte dos
alunos do conceito de sustentabilidade ambiental, integrando-o nas respetivas Metas Curriculares,
no contexto dos domínios:
 TÉCNICA T5 – Dominar a aquisição de conhecimento técnico (OG 3).
 REPRESENTAÇÃO R5 – Discriminar a conveniência de medições rigorosas na execução de
trabalhos (OG 5).
 TÉCNICA T6 – Conhecer a origem e propriedades dos materiais (OG 1).
 PROJETO P6 – Explorar estruturas no âmbito da forma e função (OG 12).

Inglês:
A articulação com esta disciplina pode ser feita tendo em conta a universalidade do tema e da língua
inglesa. Assim, este assunto pode ser abordado nesta disciplina, no sentido de fazer compreender
aos alunos as especificidades da comemoração do Natal no mundo anglo-saxónico, bem como de
possibilitar a elaboração de postais em língua inglesa. Esta abordagem pode ser integrada nas Metas
Curriculares desta disciplina, no âmbito dos seguintes domínios:
 Leitura/Reading 5.o ano A1+
4. Compreender textos breves e simples
 Escrita/Writing 5.o ano A1+
5. Produzir com ajuda, frases simples
 Domínio intercultural/Intercultural domain 5.o ano A1+
8. Conhecer o seu meio e o dos outros para compreender a diversidade
6.o ano A2
10. Conhecer o seu meio e o dos outros para comparar universos diferenciados

Links de interesse para consulta


Vídeos:
 https://www.youtube.com/watch?v=2xxbwT6za6I (consultado em 15.03.2017)
 https://www.youtube.com/watch?v=ZNMS5GKPbuU (consultado em 15.03.2017)
 https://www.youtube.com/watch?v=erKeSg4xcr0 (consultado em 15.03.2017)

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 119


Imagens

Dobrar a folha de desenho A4 em Desenhar o texto na frente do Desenhar a esquadria.


quatro partes. cartão.

Desenhar o elemento Desenhar uma linha à volta do Desenhar a esquadria interior do


tridimensional numa das metades elemento tridimensional. cartão.
(que se irá sobrepor ao fundo).

Desenhar a imagem de fundo no Colorir com lápis de cor. Contornar com marcador fino.
interior do cartão.

Colorir com lápis de cor. Contornar com marcador fino. Colorir com lápis de cor.

120 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Contornar com marcador fino. Recortar a área entre o elemento Realizar a dobra central inferior
tridimensional e a esquadria. para fora.
Fazer, depois, duas dobras para
dentro (entre a dobra central e os
limites exteriores do cartão).

Vista interior do cartão. Vista exterior do cartão.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 121


4. Imagem e movimento

Produto
Realização de um desenho simples, composto por duas imagens que permite a perceção
de movimento.

Apresentação
Este projeto pretende promover o desenvolvimento de aprendizagens teórico-práticas específicas,
no âmbito da disciplina de Educação Visual.
Este projeto pode ter uma dimensão interdisciplinar através a colaboração da Educação
Tecnológica.

Material necessário
Item
Papel de desenho (A4).
Cartolina preta A4 (tarefa a desenvolver pelo/a professor(a)).
Lápis de grafite.
Marcador preto ou de cor (canetas de feltro).
Borracha.
Régua.
X-ato (a utilizar preferencialmente pelo/a professor(a)).
Tesoura.
Régua metálica (opcional).

Desenvolvimento da atividade
Tema
Ao longo dos tempos, o ser humano tentou animar formas, de modo a simular o movimento que se
observa naquilo que nos rodeia. Algumas dessas tentativas não passaram da utilização de apenas
duas imagens. Em 1912, a perceção de movimento foi descrita por Max Wertheimer como
«movimento aparente», uma vez que, na realidade, as duas imagens não se movem, mas é apenas o
observador que tem a perceção desse movimento. Obter animação a partir de duas imagens
diferentes está na origem daquilo que hoje conhecemos como cinema de animação.
Este projeto parte da pesquisa sobre a ilusão do movimento em cinema de animação e termina na
animação de um desenho simples, constituído por duas imagens diferentes entrelaçadas.

122 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Objetivos
1. Utilizar corretamente materiais básicos de desenho técnico (régua e esquadro).
2. Desenvolver ações orientadas para a perceção de movimento a partir de duas imagens
sequenciais, de preferência repetitivas (saltar, bater asas, etc.).
3. Representar corretamente traçados geométricos simples (linhas paralelas).
4. Identificar meios de comunicação e a sua evolução em função da evolução técnica e social
(cinema de animação).
5. Reconhecer a posição de objetos no espaço relativamente ao observador ou a outros objetos.
6. Aplicar elementos da Teoria da Gestalt no âmbito da comunicação (continuidade).
7. Promover a capacidade de mobilização dos conhecimentos específicos da disciplina de
Educação Visual e de outros domínios disciplinares, através da realização de uma atividade de
projeto.
8. Aprender a utilizar a metodologia do trabalho de projeto.
9. Desenvolver as capacidades criativas na resolução de problemas práticos.
10. Desenvolver atitudes colaborativas e de entreajuda no âmbito do trabalho de grupo.

Metodologia e recursos
Para desenvolver esta atividade, é necessário aplicar a metodologia do trabalho de projeto. Para
tal, é fundamental que, em primeiro lugar, se conceba e planifiquem as várias etapas do
desenvolvimento do projeto, tendo em conta que se deve:
1. abordar e compreender o conceito de perceção de movimento e de animação, através de
pesquisa orientada na internet (em computadores, tablets ou smartphones);
2. abordar os conteúdos teóricos específicos de Educação Visual no desenvolvimento deste
projeto;
3. proceder a um pequeno estudo sobre movimentos repetitivos, em pessoas, animais ou na
natureza;
4. desenhar, numa folha de desenho A4, ao alto, uma esquadria de 3 cm. Em seguida, desenhar
20 linhas horizontais, afastadas 1 cm entre si;
5. desenhar, a traço leve, uma imagem na área compreendida pelas 20 linhas horizontais;
6. desenhar, a traço leve, sobre a imagem anterior, uma imagem que lhe seja sequencial;
7. preencher, com marcador preto ou de cor, linha sim, linha não, a primeira dessas imagens.
Realizar a mesma tarefa para a segunda imagem, preenchendo agora as linhas que ficaram
vazias. Ter muita atenção para não ultrapassar os limites definidos pelas linhas;
8. desenhar, numa cartolina preta A4, ao alto, uma esquadria de 3 cm. Em seguida, desenhar 21
linhas horizontais afastadas 1 cm entre si – tarefa a desenvolver preferencialmente pelo/a
professor(a), uma vez que apenas é necessária uma «persiana» (ver modelo abaixo);
9. na cartolina preta A4, cortar com x-ato as 21 linhas traçadas (bem como a linha do topo da
esquadria), de forma a obter uma «persiana» que irá ocultar, alternadamente, cada uma das
imagens entrelaçadas – tarefa a desenvolver preferencialmente pelo/a professor(a);

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 123


10. desenhar e recortar, ainda nas margens dessa cartolina A4, quatro quadrados que ajudarão a
limitar o movimento desta «persiana». Finalmente, desenhar e recortar, no topo inferior,
uma pega para possibilitar a realização do movimento da «persiana» – tarefa a desenvolver
preferencialmente pelo/a professor(a);
11. Desenhar, na folha dos desenhos entrelaçados e utilizando como molde a «persiana», os dois
quadrados superiores laterais;
12. mover a «persiana» o equivalente ao tamanho de um quadrado (1 cm) para baixo e
desenhar, utilizando como molde a «persiana», os quatro quadrados inferiores laterais;
13. recortar e dobrar estes quatro quadrados que servirão para limitar o movimento da
«persiana»;
14. colocar a «persiana» sobre cada um dos desenhos elaborados pelos alunos, para apreciar a
criatividade e eficácia do movimento aparente realizado;
15. proposta adicional: filmar com um smartphone o movimento aparente resultante da
movimentação da «persiana» e posterior colocação online, como forma de partilha dos
diversos trabalhos realizados.

Articulação com as Metas Curriculares de Educação Visual


Esta atividade mobiliza um conjunto diversificado de conhecimentos teóricos e práticos específicos
da disciplina de Educação Visual, no âmbito dos diversos domínios inscritos nas Metas Curriculares,
designadamente:
 TÉCNICA (T5) – Dominar materiais básicos de desenho técnico (OG 2) e Dominar a aquisição
de conhecimento prático (OG 3).
 REPRESENTAÇÃO (R5) – Compreender a geometria enquanto elemento de organização da
forma (OG 4) e Dominar a representação como instrumento de registo (OG 7).
 DISCURSO (D5) – Distinguir códigos e suportes utilizados pela comunicação (OG 9).
 REPRESENTAÇÃO (R6) – Conhecer as interações dos objetos no espaço (OG 4).
 PROJETO (P6) – Reconhecer princípios básicos da criação de um discurso (OG 10).

Articulação com outras disciplinas


Educação Tecnológica:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através do apoio ao desenvolvimento geral do
projeto, integrando os saberes e os saber-fazer específicos, de acordo com as Metas Curriculares, no
âmbito dos seguintes domínios:
 Representação|R5 – Discriminar a conveniência de medições rigorosas na execução de
trabalhos (OG 5).
 Representação|R6 – Conhecer diversos tipos de movimentos (OG 5).
 Discurso|D6 – Dominar a comunicação orientada para a demonstração (OG 10).
Links de interesse para consulta
Vídeos:
 https://www.youtube.com/watch?v=JLfLSjbm4s8 (consultado em 15.03.2017)
 https://www.youtube.com/watch?v=LOTqX8ddLwg (consultado em 15.03.2017)
 https://www.youtube.com/watch?v=RBgeKdVHWCs (consultado em 15.03.2017)
124 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET
Imagens

Desenhar, numa folha de desenho Desenhar 20 linhas horizontais, Desenhar, a traço leve, uma
A4, ao alto, uma esquadria com 1 cm de intervalo entre cada imagem na área compreendida
de 3 cm. uma. pelas 20 linhas horizontais.

Desenhar, a traço leve, sobre Preencher, com marcador preto ou Realizar a mesma tarefa para a
a imagem anterior, uma imagem de cor, linha sim, linha não, a segunda imagem, preenchendo
que lhe seja sequencial. primeira das imagens. agora as linhas que ficaram vazias.

Desenhar, a partir da «persiana», Recortar e dobrar estes quatro Colocar a «persiana» sobra cada
os dois quadrados superiores quadrados que servirão para limitar um dos desenhos elaborados pelos
laterais. o movimento da «persiana». alunos, para apreciar a criatividade
Mover a «persiana» o equivalente e eficácia do movimento aparente
ao tamanho de um quadrado realizado.
(1 cm) para baixo.
Desenhar, a partir da «persiana»,
os dois quadrados inferiores
laterais.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 125


Recursos de apoio
1. Modelo de «persiana»:

126 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


2. Modelo-base para a realização de imagens entrelaçadas (se pretender imprimir esta base para os
alunos nela realizarem as imagens entrelaçadas, a imagem está disponível em , com o título:
Projeto 4_persiana.eps. Imprima a imagem a 100%).

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 127


5. Livro do Ano

Produto
Realização de um livro do ano de turma em imagens.

Apresentação
Este projeto pretende promover o desenvolvimento de aprendizagens teórico-práticas específicas
no âmbito da disciplina de Educação Visual.
O projeto tem, para além disso, uma dimensão multidisciplinar pelo que, para a sua concretização,
pode ter a colaboração de disciplinas como Educação Tecnológica e Português.

Material necessário
Item
Papel de desenho (A4).
Lápis de grafite.
Borracha.
Régua.
Marcador preto fino (caneta de feltro).
Marcador preto (caneta de feltro).
Furador.
Agulha e linha.
Cartolinas de cor (A4) para a capa e contracapa.

Desenvolvimento da atividade

Tema
Apesar de ser sobretudo uma tradição dos países anglo-saxónicos, o «Livro do Ano» de uma turma é
um testemunho único, uma vez que contém a imagem de cada aluno e algumas das suas
características em texto. No entanto, é indispensável a passagem de algum tempo para que este
registo adquira o adequado valor sentimental. Se combinarmos com este conceito alguma tradição
nacional, anteriormente observável em «livros do ano» de ensino superior, onde a representação
dos alunos era realizada sobretudo através de ilustração (habitualmente caricaturada), temos todos
os ingredientes para a realização de um «livro do ano» inesquecível.
Apesar de a ilustração ser a base do desenvolvimento deste projeto, há que começar pela pesquisa
sobre as proporções naturais e a sua distorção, passar pela descrição escrita de características
pessoais e terminar numa encadernação simples.

128 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Objetivos
1. Distinguir características de vários materiais riscadores (como o lápis de grafite ou os
marcadores).
2. Distinguir grupos singulares de recursos e de técnicas de execução.
3. Distinguir o desenho como um meio que permite criar e exprimir visualmente a textura.
4. Desenvolver capacidades de representação orgânica, através da identificação das proporções
naturais e das relações orgânicas.
5. Desenvolver ações baseadas na organização sequencial da informação, com o objetivo de
relatar uma história que contém um agregado de ações, relevantes para a boa estruturação da
comunicação.
6. Distinguir o papel das trajetórias históricas na perceção do futuro.
7. Adequar uma mensagem em função dos suportes e dos recetores que se pretende atingir.
8. Representar corretamente letras em linha de contorno.
9. Desenvolver a capacidade de realizar uma encadernação simples (tipo encadernação
japonesa).
10. Promover a capacidade de mobilização dos conhecimentos específicos da disciplina de
Educação Visual e de outros domínios disciplinares, através da realização de uma atividade
de projeto.
11. Aprender a utilizar a metodologia do trabalho de projeto.
12. Desenvolver as capacidades criativas na resolução de problemas práticos.
13. Desenvolver atitudes colaborativas e de entreajuda no âmbito do trabalho de grupo.

Metodologia e recursos
Para desenvolver este projeto, é necessário aplicar a metodologia do trabalho de projeto. Para tal,
é fundamental que, em primeiro lugar, se conceba e se planifiquem as várias etapas do
desenvolvimento do projeto, tendo em conta que se deve:
1. tomar contacto, através da apresentação da informação por parte do docente, com o
processo de representação da face humana e de representação de letras em linha de
contorno;
2. abordar e compreender o conceito de caricatura, através de pesquisa orientada na internet
(em computadores, tablets ou smartphones);
3. desenhar, numa folha de desenho A4, ao alto, uma margem esquerda de 3 cm;
4. desenhar, no topo dessa folha A4, a traço leve e com letras em linha de contorno, o número e
o primeiro nome do aluno;
5. desenhar, por baixo do número e do nome, a traço leve, a face do/a aluno/a, respeitando,
grosso modo, as proporções da representação da face humana, exagerando apenas um ou
outro elemento da face;
6. desenhar, por baixo da face, um corpo, que deverá ter uma dimensão idêntica à da face, o que
irá realçar ainda mais a desproporção que se espera encontrar numa caricatura (cabeça
grande e corpo demasiado pequeno);

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 129


7. descrever, por baixo da caricatura, em três colunas:
 na primeira coluna, «o que mais gosto de estudar» e, por baixo, «o que menos gosto de
estudar»;
 na segunda coluna, «o que mais gosto de fazer» e, por baixo, «o que menos gosto de
fazer»;
 na terceira coluna, escrever «o que mais gosto de comer» e, por baixo, «o que menos
gosto de comer»;
 finalmente, descrever, por baixo das três colunas, «o que quero ser quando for grande»;
8. passar, com marcador preto de ponta fina, a caricatura realizada e todos os textos escritos na
folha;
9. para finalizar esta etapa do trabalho, aplicar utilizando o lápis, por decalque, uma textura que
ocupe parcialmente o fundo da caricatura;
10. para a realização de um livro do ano para cada aluno/a, é necessário que cada um(a) realize
tantas fotocópias do seu trabalho quanto o número de alunos/as que a turma possui, assim
como mais uma fotocópia (para que o professor possa ficar também com um exemplar);
11. desenhar, no centro de uma das cartolinas (capa), a traço leve e com letras em linha de
contorno, o número do ano de escolaridade, a letra da turma e, por baixo, o ano letivo.
Preencher, com marcador preto, as letras e números desenhados;
12. para finalizar o trabalho, realizar a encadernação do conjunto das fotocópias com as
caricaturas dos colegas, do desenho original do/a próprio/a aluno/a e das duas capas,
utilizando uma encadernação simples (tipo encadernação japonesa). Sugere-se que as
perfurações necessárias sejam realizadas com o auxílio do/a professor(a).

Articulação com as Metas Curriculares de Educação Visual


Esta atividade mobiliza um conjunto diversificado de conhecimentos teóricos e práticos específicos
da disciplina de Educação Visual, no âmbito dos diversos domínios inscritos nas Metas Curriculares,
designadamente:
 TÉCNICA (T5) – Conhecer materiais riscadores e respetivos suportes físicos (OG 1) e Dominar
a aquisição de conhecimento prático (OG 3).
 REPRESENTAÇÃO (R5) – Reconhecer a textura enquanto aspeto visual das superfícies (OG 5)
e Dominar a representação como instrumento de registo (OG 7).
 DISCURSO (D5) – Dominar a comunicação como um processo de narrativa visual (OG 10).
 DISCURSO (D6) – Reconhecer o papel do discurso no âmbito de trajetórias históricas (OG 9).
 PROJETO (P6) – Desenvolver a capacidade de avaliação crítica na criação de um discurso (OG
11).

Articulação com outras disciplinas


Educação Tecnológica:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através do apoio ao desenvolvimento geral do
projeto, integrando os saberes e os saber-fazer específicos, de acordo com as Metas Curriculares, no
âmbito dos seguintes domínios:
 Discurso|(D6) – Compreender processos técnicos de fabrico e de construção (OG 9).

130 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Português:
A articulação com as Metas Curriculares desta disciplina é feita no âmbito dos seguintes domínios:
 Leitura e Escrita (LE5)
(16) Escrever textos descritivos
 Leitura e Escrita (LE6)
(6) Ler textos diversos

Links de interesse para consulta


 Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=1Snjfao47DI (consultado a 15.03.2017)

Imagens

Desenhar, numa folha de desenho Desenhar, no topo dessa folha A4, Desenhar, por baixo do número e
A4, ao alto, uma margem esquerda a traço leve e com letras em linha do nome, a traço leve, a face do/a
de 3 cm. de contorno, o número e o aluno/a, respeitando, grosso
primeiro nome do aluno. modo, as proporções da
representação da face humana,
exagerando apenas um ou outro
elemento da face.

Desenhar, por baixo da face, um Descrever, por baixo da caricatura, …na segunda coluna, «o que mais
corpo, que deverá ter uma em três colunas: na primeira gosto de fazer»; por baixo, «o que
dimensão idêntica à da face, assim coluna, «o que mais gosto de menos gosto de fazer»…
realçará ainda mais a desproporção estudar»; por baixo «o que menos
que se espera encontrar numa gosto de estudar»…
caricatura (cabeça grande e corpo
demasiado pequeno).

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 131


…na terceira coluna, «o que mais Finalmente, descrever por baixo Passar com marcador preto de
gosto de comer»; por baixo, «o que das três colunas «o que quero ser ponta fina a caricatura realizada e
menos gosto de comer». quando for grande». todos os textos escritos na folha.

Para finalizar esta etapa do Desenhar, no centro de uma das Para finalizar o trabalho, realizar a
trabalho, aplicar utilizando o lápis, cartolinas (capa), a traço leve e encadernação do conjunto das
por decalque, uma textura que com letras em linha de contorno, o fotocópias com as caricaturas dos
ocupe parcialmente o fundo da número do ano de escolaridade, a colegas, do desenho original do/a
caricatura. letra da turma e, por baixo, o ano próprio/a aluno/a e das duas
letivo. capas, utilizando uma
Preencher, com marcador preto, as encadernação simples
letras e os números desenhados. (tipo encadernação japonesa).

Sugere-se que as perfurações


necessárias sejam realizadas com o
auxílio do/a professor(a).

132 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


6. Papagaio de papel

Produto
Construção de um papagaio baseado numa forma geométrica.

Apresentação
Este projeto pretende promover o desenvolvimento de aprendizagens teórico-práticas específicas,
no âmbito da disciplina de Educação Visual.
Este projeto pode ter uma dimensão interdisciplinar através a colaboração da Educação
Tecnológica.

Material necessário
Item
Papel de desenho (A3).
Lápis de grafite.
Borracha.
Régua.
Compasso.
Saco grande de plástico transparente de baixa densidade (do tipo utilizado na compra de fruta).
Saco de plástico preto para lixo.
Tiras de cana com, aproximadamente, 50 cm.
Fita-cola (fita adesiva).
Tesoura.
Linha de croché.

Desenvolvimento da atividade

Tema
Os papagaios de papel foram inventados na China, onde existiam os materiais ideais para a sua
fabricação tal como seda para a asa, fio de seda para a linha e canas de bambu para a estrutura. As
histórias sobre estes engenhos chegaram à Europa somente no final do século XIII. Ao longo dos
tempos, os papagaios de papel tiveram múltiplas aplicações, como, por exemplo, para voo
humano ou para fins militares, científicos e meteorológicos, entre outros. Atualmente, os festivais
de papagaios são uma forma de entretenimento em diversas partes do mundo.
Perceber a relação entre a forma de um objeto e a sua estrutura e o papel que ambas
desempenham no sucesso da função, é o conceito central deste projeto.
Para o desenvolvimento deste projeto, há que partir da pesquisa sobre a diversidade de papagaios
de papel existentes, passar pela sua construção com materiais acessíveis e terminar no voo dos
mesmos.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 133


Objetivos
1. Utilizar corretamente materiais básicos de desenho técnico (régua e compasso).
2. Desenvolver ações orientadas para experiências que se transformam numa parte ativa do
conhecimento prático.
3. Construir polígonos e dividir circunferências em partes iguais.
4. Reconhecer que a estrutura está intimamente ligada à forma/função nos objetos.
5. Distinguir a posição relativa de duas retas no espaço (complanares: retas paralelas e retas
concorrentes).
6. Reconhecer a posição relativa entre reta e plano (pertencente).
7. Desenvolver capacidades para a procura da melhor solução, para a apreciação dos prós e dos
contras e para a avaliação crítica das soluções alcançadas.
8. Promover a capacidade de mobilização dos conhecimentos específicos da disciplina de
Educação Visual e de outros domínios disciplinares, através da realização de uma atividade de
projeto.
9. Aprender a utilizar a metodologia do trabalho de projeto.
10. Desenvolver atitudes colaborativas e de entreajuda no âmbito do trabalho de grupo.

Metodologia e recursos
Para desenvolver este projeto, é necessário aplicar a metodologia do trabalho de projeto. Para tal,
é fundamental que, em primeiro lugar, se conceba e se planifiquem as várias etapas do
desenvolvimento do trabalho, tendo em conta que se deve:
1. abordar a história, diversidade e utilização dos papagaios de papel, através de pesquisa
orientada na internet (em computadores, tablets ou smartphones);
2. desenhar, numa folha de desenho A3, uma circunferência com 12,5 cm de raio, e dividir essa
circunferência em três partes iguais;
3. desenhar o triângulo equilátero inscrito e depois recortar esse triângulo;
4. em seguida, recortar o fundo de um saco de plástico de baixa densidade e colocar o saco
sobre a mesa de trabalho o mais direito possível, com as aberturas para a esquerda e para a
direita. Colocar o triângulo anteriormente recortado junto à parte inferior direita do saco,
agarrar o triângulo junto com o plástico e dar-lhe uma volta para a esquerda. Em seguida,
dobrar o plástico que sobra na esquerda sobre o triângulo de papel. Por fim, cortar o plástico
que sobra para além do triângulo de papel. Obteve-se assim, um hexágono de plástico;
5. colocar o hexágono de plástico em cima da mesa de trabalho e posicionar uma das tiras de
cana de forma a unir dois vértices opostos;
6. colocar meio pedaço de fita-cola, voltada para cima, por baixo do vértice do hexágono de
plástico e colocar a outra metade sobre a extremidade da tira de cana. Realizar a mesma
operação no vértice oposto. Repetir estas operações para cada par de vértices opostos. No
final, reforçar cada canto com uma tira de fita-cola, mas agora perpendicular à tira de cana;
7. com um troço de linha de croché, unir bem no centro, as três tiras de cana;

134 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


8. unir, também com linha de croché, as seis extremidades das canas, esticando bem a linha,
como forma de reforçar a estrutura;
9. ainda com linha de croché, unir dois vértices adjacentes, mas com a linha suficientemente
larga, de modo a fazer um «V» até ao centro do papagaio. Em seguida, dar um laço no meio
da linha;
10.fazer um furo no centro do papagaio, para conseguir colocar um outro troço de linha de
croché atado, nas tiras de cana, bem no centro do papagaio. Unir este troço de linha ao
anterior com um nó, de modo que o anterior faça um ângulo de, aproximadamente, 300 com a
superfície do papagaio;
11. ainda com a linha de croché, unir as duas extremidades da tira de cana que ficou na
horizontal, forçando a mesma a curvar-se para a parte de trás (operação semelhante a
colocar a corda de um arco de flechas);
12. por último, recortar em tiras (na vertical) um saco de plástico de lixo preto. As tiras deverão
ter, mais ou menos, 5 cm de largura. Unir duas tiras com fita-cola para, assim, fazer uma tira
comprida. Realizar, aproximadamente, sete tiras compridas;
13. reforçar com uma tira de fita-cola a aresta inferior do hexágono do papagaio e, também com
fita-cola, colar aí as sete tiras da cauda;
14. realizar duas metades de hexágono em duas folhas A3 de papel de seda (para isso pode ser
utilizado o triângulo recortado, mas antes é necessário retirar uma tira com cerca de 3 cm de
largura a um dos lados). Decorar com um desenho que pode ser simplesmente geométrico,
como, por exemplo, diversos hexágonos concêntricos, ou algo mais divertido, como uma
caveira do tipo «pirata», ou, ainda, qualquer coisa relacionada com a História de Portugal,
por exemplo. Deixar essa escolha à criatividade de cada aluno;
14. colorir o desenho realizado com recurso a marcadores (canetas de feltro);
15. colocar estas duas metades do hexágono de papel entre o plástico e as tiras de cana,
fixando-as uma à outra com fita-cola;
16. ligar a linha de croché que sobrou à amarração do papagaio e esperar pelo vento;
17. organizar uma exposição na escola com os papagaios construídos;
Proposta adicional: filmar com um smartphone os voos dos diversos papagaios de papel para
posterior colocação online, como forma de partilha do trabalho realizado.

Articulação com as Metas Curriculares de Educação Visual


Esta atividade mobiliza um conjunto diversificado de conhecimentos teóricos e práticos específicos
da disciplina de Educação Visual, no âmbito dos diversos domínios inscritos nas Metas Curriculares,
designadamente:
 TÉCNICA (T5) – Dominar materiais básicos de desenho técnico (OG 2) e Dominar a aquisição
de conhecimento prático (OG 3).
 REPRESENTAÇÃO (R5) – Compreender a Geometria enquanto elemento da organização da
forma (OG 4) e Explicar a estrutura como suporte da forma (OG 6).
 REPRESENTAÇÃO (R6) – Conhecer as interações dos objetos no espaço (OG 4).
 PROJETO (P6) Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (OG 12).

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 135


Articulação com outras disciplinas
Educação Tecnológica:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através do apoio ao desenvolvimento geral do
projeto, integrando os saberes e os saber-fazer específicos, de acordo com as Metas Curriculares, no
âmbito dos seguintes domínios:
 Técnica|T5 – Discriminar a relevância do objeto técnico (OG 2) e Dominar a aquisição de
conhecimento técnico (OG 3).
 Discurso|D5 – Aplicar princípios da comunicação tecnológica (OG 7).
 Técnica|T6 – Conhecer a origem e propriedades dos materiais (OG 1) e Distinguir alterações
no meio ambiente determinadas pela ação humana (OG 3).
 Discurso|D6 – Distinguir a linguagem dos processos de utilização, de fabrico e de construção
(OG 8) e Compreender processos técnicos de fabrico e de construção (OG 9).
 Projeto|P6 – Conhecer tipos de estrutura (OG 11), Explorar estruturas no âmbito da forma e
função (OG 12) e Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (OG 13).

Links de interesse para consulta


Site: https://en.wikipedia.org/wiki/Kite (consultado em 15.03.2017)
Vídeos:
 https://www.youtube.com/watch?v=aTYQ_1qmZOk (consultado em 15.03.2017)
 https://www.youtube.com/watch?v=2FSlUd6XR1c (consultado em 15.03.2017)

136 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Imagens

Desenhar, numa folha de desenho Recortar esse triângulo. Em seguida, recortar o fundo de
A3, uma circunferência com 12,5 um saco de plástico de baixa
cm de raio. Dividir essa densidade.
circunferência em três partes Colocar o saco sobre a mesa de
iguais. trabalho o mais direito possível,
Desenhar o triângulo equilátero com as aberturas para a esquerda
inscrito. e para a direita.
Colocar o triângulo anteriormente
recortado junto à parte inferior
direita do saco.

Agarrar o triângulo junto com o Em seguida, dobrar o plástico que Por fim, cortar o plástico que sobra
plástico e dar-lhe uma volta para a sobra na esquerda sobre o para além do triângulo de papel.
esquerda. triângulo de papel.

Obteve-se, assim, um hexágono de Colocar o hexágono de plástico em Colocar meio pedaço de fita-cola,
plástico. cima da mesa de trabalho. voltada para cima, por baixo do
Posicionar uma das tiras de cana, vértice do hexágono de plástico.
de forma a unir dois vértices Colocar a outra metade sobre a
opostos. extremidade da tira de cana.
Realizar a mesma operação no
vértice oposto.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 137


Repetir estas operações para cada No final, reforçar cada canto com Com um troço de linha de croché,
par de vértices opostos. uma tira de fita-cola, mas agora unir bem no centro as três tiras de
perpendicular à tira de cana. cana.

Unir, também com linha de croché, Ainda com linha de croché, unir Fazer um furo no centro do
as seis extremidades das canas, dois vértices adjacentes, mas com papagaio, para conseguir colocar
esticando bem a linha, como a linha suficientemente larga, de um outro troço de linha de croché
forma de reforçar a estrutura. modo a fazer um «V» até ao atado, nas tiras de cana, bem no
centro do papagaio. centro do papagaio.
Em seguida, dar um laço no meio Unir este troço de linha ao anterior
da linha. com um nó, de modo que o
anterior faça um ângulo de,
o
aproximadamente, 30 com a
superfície do papagaio.

138 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Ainda com a linha de croché, unir Só falta realizar e colocar a cauda Reforçar, com uma tira de fita-
as duas extremidades da tira de no papagaio. Para tal, recortar em -cola, a aresta inferior do
cana que ficou na horizontal, tiras (na vertical) um saco de hexágono do papagaio.
forçando a mesma a curvar-se plástico de lixo preto. As tiras Colar aí, também com fita-cola, as
para a parte de trás (operação deverão ter mais ou menos 5 cm sete tiras da cauda.
semelhante a colocar a corda de de largura.
um arco de flechas). Unir duas tiras com fita-cola, para
fazer uma tira comprida.
Realizar, aproximadamente, sete
tiras compridas.

Realizar duas metades de Decorar com um desenho que Colorir o desenho realizado com o
hexágono em duas folhas A3 de pode ser simplesmente recurso a marcadores (canetas de
papel de seda (para isso pode-se geométrico, como, por exemplo, feltro).
utilizar o triângulo recortado. diversos hexágonos concêntricos,
Antes, porém, é necessário retirar ou algo mais divertido, como uma
uma tira com cerca de 3 cm de caveira do tipo «pirata», ou, ainda,
largura a um dos lados). qualquer coisa relacionada com a
Na imagens, as demostrações História de Portugal, por exemplo.
estão feitas com papel de desenho.

Colocar estas duas metades do Ligar a linha de croché que sobrou


hexágono de papel entre o plástico à amarração do papagaio e
e as tiras de cana, fixando-as uma esperar pelo vento.
à outra com fita-cola.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 139


7. Padrão coletivo

Produto
Realização de um padrão coletivo utilizando stencil.

Apresentação
Este projeto pretende promover o desenvolvimento de aprendizagens teórico-práticas específicas
no âmbito da disciplina de Educação Visual.

Material necessário
Item
Papel de desenho (A4).

Lápis de grafite.

Borracha.

Régua (e esquadro).

Folha de desenho (A3) ou cartolina (50 u 65 cm).

Tesoura (em alternativa, x-ato).

Pedaço de esponja.

Prato de plástico.

Guaches.

Pincel.

Desenvolvimento da atividade
Tema
O stencil permite a realização de uma imagem ou de um padrão ao controlar a aplicação de tinta
numa superfície, através de uma «máscara» que impede a passagem da tinta para essa superfície,
salvo nos recortes de formas ou de letras previamente realizados. Chama-se stencil tanto à
«máscara» que se utiliza para realizar o desenho ou o padrão, como ao produto resultante da
utilização desta técnica. A «máscara» do stencil pode ser feita de papel, de plástico, de metal ou
mesmo de madeira.
Partindo do estudo e da elaboração de módulos simples e simétricos, passando pela realização dos
stencils necessários para que cada módulo seja composto por, pelo menos, duas cores, e
terminando na pintura do padrão, este é um projeto que favorece o trabalho de grupo.

140 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Objetivos
1. Utilizar corretamente materiais básicos de desenho técnico (régua e esquadro).
2. Desenvolver ações orientadas para experiências que se transformam numa parte ativa do
conhecimento prático.
3. Construir polígonos e dividir circunferências em partes iguais.
4. Representar corretamente traçados geométricos simples (traçados de linhas paralelas e
perpendiculares).
5. Distinguir o módulo como elemento gerador da estrutura, criando e representando padrões.
6. Classificar diversos suportes impressos.
7. Identificar cores primárias e cores secundárias, cores complementares e relações de
branco/preto, cores quentes/frias e claro/escuro.
8. Desenvolver capacidades para a procura da melhor solução, para a apreciação dos prós e dos
contras e para a avaliação crítica das soluções alcançadas.
9. Promover a capacidade de mobilização dos conhecimentos específicos da disciplina de
Educação Visual, através da realização de uma atividade de projeto.
10. Aprender a utilizar a metodologia do trabalho de projeto.
11. Desenvolver atitudes colaborativas e de entreajuda no âmbito do trabalho de grupo.

Metodologia e recursos
Para desenvolver este projeto, é necessário aplicar a metodologia do trabalho de projeto. Para tal,
é fundamental que, em primeiro lugar, se conceba e se planifiquem as várias etapas do
desenvolvimento do projeto, tendo em conta que se deve:
1. abordar a história, diversidade e utilização dos stencils, através de pesquisa orientada na
internet (em computadores, tablets ou smartphones);
2. desenhar, numa folha de desenho A4, uma grelha para módulos com 5 cm de lado. Realizar
estudos para um módulo simétrico que será pintado, pelo menos, com duas cores;
3. desenhar e recortar dois quadrados com 15 cm de lado. Dobrar ao meio cada um dos
quadrados. Desenhar com essa metade, ao baixo, três linhas verticais separadas por uma
distância de 5 cm, e uma linha horizontal, situada a 2,5 cm do vinco da dobra;
4. desenhar nos retângulos centrais (2,5 cm u 5 cm) metade do desenho do módulo escolhido para
realizar o padrão (como está dobrado ao meio e é simétrico, basta desenhar metade do módulo);
5. recortar com uma tesoura os elementos que correspondem a uma cor (como a folha está
dobrada, não é necessária a utilização do x-ato). Recortar, depois, na outra folha, os
elementos que correspondem à segunda cor (notar que, se existissem mais cores no módulo,
seriam necessários mais quadrados de 15 cm de lado, tantos quantas as cores utilizadas no
módulo);
6. os passos 3, 4 e 5 também podem ser realizados num quadrado com 20 cm de lado, de modo
a realizar, também, o módulo com 10 cm de lado (em vez de apenas 5 cm de lado). Isto
permitirá combinar, no padrão final, módulos de 5 cm de lado com módulos de 10 cm de lado;
7. traçar uma grelha com 5 cm de lado na folha A3 (ou cartolina), onde se irá realizar o padrão;

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 141


8. Iniciar a pintura, utilizando o molde que corresponde à cor mais clara. Preparar o guache num
prato (ou numa superfície lisa). Posicionar o molde com o apoio da grelha e utilizar a esponja
com movimentos verticais para recolher a tinta e depois pintar o molde, também com
movimentos verticais suaves. Repetir esta etapa, quadrado sim, quadrado não, de forma que
o molde não se sobreponha a pinturas que ainda estejam frescas. Se o molde ficar demasiado
húmido, deixar secar antes de continuar (provavelmente será necessário realizar mais do que
um molde para cada cor);
9. após realizar a pintura com a cor mais clara, repetir a etapa para a cor mais escura;
Proposta adicional: realizar uma exposição das impressões elaboradas pela turma.

Articulação com as Metas Curriculares de Educação Visual


Esta atividade mobiliza um conjunto diversificado de conhecimentos teóricos e práticos específicos
da disciplina de Educação Visual, no âmbito dos diversos domínios inscritos nas Metas Curriculares,
designadamente:
വ TÉCNICA (T5) – Dominar materiais básicos de desenho técnico (OG 2) e Dominar a aquisição
de conhecimento prático (OG 3).
വ REPRESENTAÇÃO (R5) – Compreender a geometria enquanto elemento da organização da
forma (OG 4) e Explicar a estrutura como suporte da forma (OG 6).
വ DISCURSO (D5) – Distinguir códigos e suportes utilizados pela comunicação (OG 9).
വ TÉCNICA (T6) – Compreender características e qualidades da cor (OG 1).

Links de interesse para consulta


Vídeos:
വ https://www.youtube.com/watch?v=YLx8Z0ny5rI (consultado em 15.03.2017)
വ https://www.youtube.com/watch?v=BzQ38ER3aSg (consultado em 15.03.2017)
വ https://www.youtube.com/watch?v=CaRbK52b-xA&list=UUvmMvsUlfoy6TZ-
YtpCSR_w&feature=sharecontrol&index=11 (consultado em 15.03.2017)

142 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Imagens

Desenhar, numa folha de desenho Realizar estudos para um módulo Desenhar e recortar, dois
A4, uma grelha para módulos com simétrico que será pintado, pelo quadrados com 15 cm de lado.
5 cm de lado. menos, com duas cores. Dobrar ao meio cada um dos
quadrados.

Desenhar com essa metade, ao Desenhar nos retângulos centrais Recortar com uma tesoura os
baixo, três linhas verticais (2,5 cm u 5 cm) metade do elementos que correspondem a
separadas 5 cm, e uma linha desenho do módulo escolhido para uma cor (devido à folha estar
horizontal a 2,5 cm do vinco da realizar o padrão (como está dobrada, não é necessária a
dobra. dobrado ao meio e é simétrico, utilização do x-ato).
basta desenhar metade do
módulo).

Recortar, na outra folha, os Os passos 3, 4 e 5 também podem Traçar uma grelha com 5 cm de
elementos que correspondem à ser realizados num quadrado com lado na folha A3 (ou cartolina)
segunda cor. 20 cm de lado, de modo a realizar onde se irá realizar o padrão.
também o módulo com 10 cm de
lado (em vez de apenas 5 cm de
lado).

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 143


Iniciar a pintura com o molde que Repetir esta etapa, quadrado sim Após pintar com a cor mais clara,
corresponde à cor mais clara. quadrado não, de forma que o reiniciar as etapas, usando, agora,
Posicionar o molde com o apoio da molde não se sobreponha a a cor mais escura.
grelha. pinturas que ainda estejam
frescas.

Ter sempre em conta, que na Na pintura dos módulos maiores, a Bom trabalho!
pintura o molde, não se deve técnica a utilizar é a mesma.
sobrepor a pinturas ainda frescas.

144 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Educação Tecnológica

1. Horta suspensa
Produto
Criação de uma pequena horta suspensa.

Apresentação
Com esta atividade, pretende-se promover o desenvolvimento de aprendizagens teórico-práticas
específicas, no âmbito da disciplina de Educação Tecnológica, através da realização de um projeto.
Este projeto tem uma dimensão interdisciplinar, pelo que pode ter a colaboração de outras
disciplinas, tais como Educação Visual e Ciências Naturais.

Material necessário
Item
Cana de bambu, vara de madeira ou tronco de árvore como suporte da estrutura.
Frascos de vidro (por exemplo, de iogurte) ou de plástico (por exemplo, garrafas de água cortadas ao meio).
Terra para plantar/semear.
Plantas comestíveis ou sementes de vegetais ou ervas aromáticas.
Corda de algodão ou outro tipo de fio.
Smartphone (com câmara fotográfica).
Cartolinas (no caso da elaboração de pósteres).
Tesoura.
Cola.
Computadores com software de apresentações multimédia.

Desenvolvimento da atividade
Tema
É cada vez mais necessário o desenvolvimento de hábitos de alimentação saudável junto de crianças
e jovens, tendo em conta os problemas crescentes de saúde que afetam estas camadas de
população, de que são exemplos o aumento da obesidade e da diabetes juvenis.
Assim, baseado nesta problemática, este projeto visa 1) a criação de uma pequena horta suspensa,
recorrendo a materiais de uso quotidiano reciclados, e 2) a aprendizagem e aplicação do macramé,
de modo a elaborar uma estrutura vertical que sustente pequenos recipientes com terra que
contenham plantas e legumes comestíveis.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 145


Objetivos
1. Aprender macramé e saber construir pequenas estruturas utilizando os nós mais simples.
2. Sensibilizar para a ideia do recurso, sempre que possível, à reciclagem de materiais.
3. Sensibilizar para a importância de uma alimentação saudável, rica em legumes, e para o gosto
da criação e manutenção de pequenas hortas individuais ou coletivas.
4. Aprender a distinguir algumas das plantas comestíveis mais comuns na nossa culinária,
através da observação atenta das suas características formais, entre outras ações.
5. Conhecer uma forma artesanal antiga que a nossa cultura incorporou e que tem origem na
cultura de outros povos.
6. Desenvolver a capacidade de mobilização dos conhecimentos específicos da disciplina de
Educação Tecnológica e de outros domínios disciplinares, através da realização de uma
atividade de projeto.
7. Aprender a utilizar a metodologia do trabalho de projeto.
8. Desenvolver o espírito crítico, através do questionamento lógico perante as soluções criadas.
9. Desenvolver a autonomia e o sentido de responsabilidade relativamente às aprendizagens de
natureza prática, que requerem um manuseamento tecnicamente responsável dos diversos
materiais e dos utensílios e instrumentos de trabalho.
10. Desenvolver as capacidades criativas na resolução de problemas práticos.
11. Desenvolver atitudes colaborativas e de entreajuda no âmbito do trabalho de grupo.

Metodologia e recursos
Para desenvolver este projeto, é necessário aplicar a metodologia do trabalho de projeto. Para tal,
é fundamental que, em primeiro lugar, se conceba e se planifiquem as várias etapas do
desenvolvimento do trabalho, tendo em conta que se deve:
1. pesquisar na internet e na biblioteca da escola informações sobre a origem do macramé, um
processo artesanal antigo que faz parte do património cultural português, com o apoio da
disciplina de Educação Visual, de acordo com as suas Metas Curriculares;
2. pesquisar na internet e na biblioteca da escola informações relativas ao modo como se podem
criar e manter pequenas plantações de legumes comestíveis, em ambiente fechado;
3. articular os conhecimentos da disciplina de Ciências Naturais no que diz respeito à
importância do desenvolvimento de uma alimentação saudável e segura, que inclua legumes
como fonte importante de nutrientes, por um lado, e no que se refere ao crescimento das
plantas e à sua reprodução com semente, por outro;
4. abordar os conteúdos teóricos específicos de Educação Tecnológica no desenvolvimento
deste projeto;
5. aprender a executar os nós mais simples do macramé;
6. preparar todo o material necessário à execução da horta suspensa, sendo que o trabalho
pode ser realizado individualmente ou em pequenos grupos de alunos;
7. construir uma estrutura feita em macramé, presa a um suporte escolhido (cana de bambu,
vara de madeira ou troco de árvore), que irá suportar os recipientes para as plantas a cultivar;

146 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


8. preparar os diversos recipientes (frascos de vidro ou garrafas de plástico cortadas ao meio),
com terra adequada, para semear ou plantar um vegetal;
9. com recurso ao smartphone, fotografar regularmente o crescimento de cada planta, de
modo a poder elaborar, mais tarde, uma reportagem sobre o processo de crescimento das
plantas, que pode ser feita através da elaboração de pósteres em cartolina, com as fotografias
coladas e legendadas, para exposição na escola, ou mediante a elaboração de uma
apresentação visual digital, recorrendo a uma aplicação adequada, para publicação na
internet (no site da escola, por exemplo);
10. organizar uma visita guiada à exposição, na sala de aula, das hortas suspensas, para dar a
conhecer e explicar aos alunos do 1.o ciclo de todo o Agrupamento os trabalhos realizados e
os conhecimentos adquiridos, recorrendo, também, aos pósteres ou à apresentação visual
digital elaborados.

Articulação com as Metas Curriculares de Educação Tecnológica


Esta atividade mobiliza um conjunto diversificado de conhecimentos teóricos e práticos específicos
da disciplina de Educação Tecnológica, no âmbito dos diversos domínios inscritos nas Metas
Curriculares, designadamente:
വ TÉCNICA (T6) – Conhecer a origem e propriedades dos materiais (OG1), Reconhecer processos
de transformação das principais matérias-primas (OG2) e Dominar procedimentos
sistemáticos e metodológicos (OG4).
വ DISCURSO (D6) – Distinguir a linguagem dos processos de utilização, de fabrico e de
construção (OG 8) e Dominar a comunicação orientada para a demonstração (OG10).
വ PROJETO (P6) – Conhecer tipos de estrutura (OG11), Explorar estruturas no âmbito da forma
e função (OG12) e Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (OG13).

Articulação com outras disciplinas


Educação Visual:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através do apoio ao desenvolvimento geral do
projeto, integrando os saberes e os saber-fazer específicos, de acordo com as Metas Curriculares, no
âmbito dos seguintes domínios:
വ Discurso|D6 – Compreender o conceito de património (OG7) e Reconhecer o papel e a
influência do património na sociedade (OG8).
Ciências Naturais:
A articulação com esta disciplina pode ser feita através do desenvolvimento do tema da alimentação
saudável, que inclua as plantas e outros vegetais como base para a ingestão de vitaminas, minerais e
fibras, fundamentais para o crescimento e desenvolvimento equilibrado do nosso organismo. Esta
abordagem por ser integrada nas Metas Curriculares, no âmbito dos seguintes domínios:
o
വ Processos vitais comuns aos seres vivos (6. ano): Trocas nutricionais entre o organismo e o
meio: nos animais (1. Compreender a importância de uma alimentação equilibrada e
segura); Trocas nutricionais entre o organismo e o meio: nas plantas (11. Compreender a
importância das plantas como fonte de nutrientes, de matéria-prima e de renovação do ar
atmosférico); Transmissão de vida: reprodução nas plantas (15. Compreender o mecanismo
de reprodução das plantas com semente).

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 147


Links de interesse para consulta
Vídeos (plantar e semear em casa):
 https://www.youtube.com/watch?v=OroYt8GM7As (consultado em 15.03.2017)
 https://www.youtube.com/watch?v=uPoZYrE31yc (consultado em 15.03.2017)
Vídeos (suporte de vaso em macramé e tapeçaria em macramé):
 https://www.youtube.com/watch?v=0rO8XS2pgGE (consultado em 15.03.2017)
 https://www.youtube.com/watch?v=P7TaIO8L0jY (consultado em 15.03.2017)

Imagens

Exemplo de material sugerido. Cortar 4 fios de trapilho (dois de A partir de cada grupo de 4 fios,
cada cor) com cerca de, pelo começar a fazer os nós de
menos, 2 m. macramé (os dois fios do meio
Dobrar cada um dos fios ao meio. ficam esticados e os dois de cada
Juntar os fios dois a dois de modo lado criam o nó, envolvendo os
a criar grupos de 4 fios. primeiros).
Atar cada grupo, com um nó, à Fazer nós seguidos até se atingir
cana. cerca de 15 cm.

De modo a criar uma estrutura Para tornar a estrutura mais Continuar a fazer os nós de acordo
mais compacta com os nós, criativa e resistente, introduzir com os processos anteriormente
selecionar agora 2 fios de cada mais uma cana de bambu. descritos.
grupo diferente e repetir a
elaboração dos nós.

148 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Cortar ao meio as garrafas No final, elaborar uma etiqueta
plásticas, para assim se construir (com um quadrado de cartolina
os vasos de cada planta a cultivar. presa a um palito) a ser colocada
Em seguida, fazer-se os nós finais na planta.
na estrutura de macramé, de Regar regularmente a planta e
modo que sustentem bem os posicioná-la num local com boa
vasos. iluminação.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 149


2. Tecelagem criativa

Produto
Construção de um pequeno tear manual.

Apresentação
Com esta atividade, pretende-se promover o desenvolvimento de aprendizagens teórico-práticas
específicas, no âmbito da disciplina de Educação Tecnológica, através da realização de um projeto.
Este projeto deve ter a colaboração da disciplina de Educação Visual.

Material necessário
Item
Pequenos galhos de árvore.
Prato de papel descartável.
Novelos de lã ou de linha para tricô, de diversas cores
Trapilho de diversas cores.
Agulha grossa de coser.
Tesoura.

Desenvolvimento da atividade
Tema
A tecelagem é, provavelmente, uma das mais antigas formas de artesanato, sendo hoje em dia
utilizada praticamente apenas a nível industrial. Trabalhada manualmente no passado, hoje faz
parte de uma indústria de que não podemos prescindir. É este o ponto de partida para o
desenvolvimento do presente projeto.
Assim, pretende-se que os alunos adquiram conhecimentos técnicos básicos de tecelagem, através
da construção de um pequeno tear manual, ao mesmo tempo que desenvolvem a criatividade
através da conceção e construção de pequenas peças tecidas, às quais atribuam alguma utilidade
prática ou meramente decorativas.

Objetivos
1. Conhecer, de forma sumária, a evolução tecnológica dos processos de tecelagem até aos dias
de hoje, como resposta a uma necessidade humana.
2. Conhecer a origem e as propriedades dos materiais têxteis.
3. Conhecer algumas produções têxteis específicas de diferentes regiões, que caracterizam a
cultura portuguesa e fazem parte do seu património.
4. Construir pequenos teares explorando diversas formas e recursos materiais.
5. Sensibilizar para a ideia do recurso à reciclagem de materiais sempre que possível.

150 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


6. Aprender o ato de tecer, através do entrelaçamento de fios de uma trama.
7. Utilizar diferentes tipos de linhas e de cores, de forma a desenvolver a criatividade, a
exploração plástica (da cor e da textura têxtil) e a sensibilidade estética.
8. Desenvolver a capacidade de mobilização dos conhecimentos específicos da disciplina de
Educação Tecnológica e de outros domínios disciplinares, através da realização de uma
atividade de projeto.
9. Aprender a utilizar a metodologia do trabalho de projeto.
10. Desenvolver o espírito crítico, através do questionamento lógico perante as soluções criadas.
11. Desenvolver a autonomia e o sentido de responsabilidade relativamente às aprendizagens de
natureza prática, que requerem um manuseamento tecnicamente responsável dos diversos
materiais e dos utensílios e instrumentos de trabalho.
12. Desenvolver as capacidades criativas na resolução de problemas práticos.
13. Desenvolver atitudes colaborativas e de entreajuda no âmbito do trabalho de grupo.

Metodologia e recursos
Para desenvolver este projeto, é necessário aplicar a metodologia do trabalho de projeto. Para tal,
é fundamental que, em primeiro lugar, se conceba e se planifiquem as várias etapas do
desenvolvimento do trabalho, tendo em conta que se deve:
1. pesquisar na internet e na biblioteca da escola informações sobre a origem e a evolução
tecnológica dos processos de tecelagem até aos dias de hoje, como resposta a uma
necessidade humana, bem como as diferentes características de tecelagem artesanal
portuguesa que fazem parte do seu património, com o apoio da disciplina de Educação Visual,
de acordo com as suas Metas Curriculares;
2. abordar os conteúdos teóricos específicos de Educação Tecnológica no desenvolvimento
deste projeto;
3. conceber a peça que se pretende realizar, tendo em conta a forma, as cores e a função que
irá ter (trabalho individual);
4. construir pequenos e simples teares, por parte de cada aluno, recorrendo a materiais diversos
(troncos de árvore com mais do que um ramo, prato de papel descartável, entre outros
materiais);
5. preparar o material necessário para tecer: fios de natureza e cor diversas, agulha comprida e
grossa, tesoura;
6. organizar uma exposição dos trabalhos num local apropriado da Escola como, por exemplo, a
biblioteca.

Articulação com as Metas Curriculares de Educação Tecnológica


Esta atividade mobiliza um conjunto diversificado de conhecimentos teóricos e práticos específicos
da disciplina de Educação Tecnológica, no âmbito dos diversos domínios inscritos nas Metas
Curriculares, designadamente:
വ TÉCNICA (T6) – Conhecer a origem e propriedades dos materiais (OG1), Reconhecer processos
de transformação das principais matérias-primas (OG2), Distinguir alterações no meio
ambiente determinadas pela ação humana (OG3) e Dominar procedimentos sistemáticos e
metodológicos (OG4).

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 151


വ DISCURSO (D6) – Distinguir a linguagem dos processos de utilização, de fabrico e de
construção (OG 8), Compreender processos técnicos de fabrico e de construção (OG 9) e
Dominar a comunicação orientada para a demonstração (OG10).
വ PROJETO (P6) – Conhecer tipos de estrutura (OG11), Explorar estruturas no âmbito da forma
e função (OG12) e Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (OG13).

Articulação com outras disciplinas


Educação Visual:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através do apoio ao desenvolvimento geral do
projeto, integrando os saberes e os saber-fazer específicos, de acordo com as Metas Curriculares, no
âmbito dos seguintes domínios:
വ Técnica|T6 – Compreender características e qualidades da cor (OG1).
വ Discurso|D6 – Compreender o conceito de património (OG7) e Reconhecer o papel e a
influência do património na sociedade (OG8).

Links de interesse para consulta


Vídeos (construção de teares simples):
 https://www.youtube.com/watch?v=z3PEPggJ97o (consultado em 15.03.2017)
 https://www.youtube.com/watch?v=U0TZenGosns (consultado em 15.03.2017)
 https://www.youtube.com/watch?v=rriQgEiUAvc (consultado em 15.03.2017)

Imagens

Exemplo de material sugerido. Fazer incisões, com cerca de 2 cm, A imagem mostra como estão
entre os gomos do prato, colocar o presos (nas costas do prato) os
fio, em diâmetros, por toda a diâmetros de fio.
superfície do prato.

O tear está pronto a ser utilizado. Cortar um fio longo (cerca de 1,5 Selecionar outra cor de lã e repetir
m) e enfiá-lo numa agulha. o procedimento anterior.
Iniciar a tecelagem, fazendo
passar o fio ora por baixo, ora por
cima, de cada diâmetro de linha
amarela.
152 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET
Continuar a selecionar cores No final da peça tecida, retirá-la Fazer o acabamento final da peça.
diferentes para as lãs, de modo a da estrutura de papel.
tecer criativamente a peça. Cortar as extremidades dos
diâmetros amarelos e dar um nó
em cada um deles, de modo a ficar
mais compacta.

Começar a colocar a lã de base, a Iniciar o processo de tecelagem, tal Finalizar a tecelagem do trabalho,
partir da qual se irá tecer a peça. como descrito anteriormente, que se pretende criativa, de modo
escolhendo uma primeira cor. a elaborar uma peça única.
Proceder-se ao seu acabamento
final.

Dois resultados diferentes partindo


da mesma técnica de tecelagem.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 153


3. Candeeiro de Natal

Produto
Construção de um candeeiro de Natal.

Apresentação
Com esta atividade, pretende-se promover o desenvolvimento de aprendizagens teórico-práticas
específicas, no âmbito da disciplina de Educação Tecnológica, através da realização de um projeto.
Este projeto deve ter a colaboração da disciplina de Educação Visual.

Material necessário
Item
Caixa de cartão (por exemplo, caixa de sapatos).
Cartolinas e papéis de diversa natureza (celofane, de seda, etc.).
Cola universal sem solvente (que serve também para folha de espuma).
Marcador grosso preto.
Tesoura.
X-ato
Fio elétrico (cerca de 1,5 m de comprimento).
Casquilho.
Lâmpada.
Interruptor para candeeiro.
Ficha elétrica macho (sem terra).

Desenvolvimento da atividade
Tema
O Natal é comemorado pela grande maioria da população portuguesa. Uma das características
visíveis do Natal são as iluminações das cidades, vilas e aldeias. Estas iluminações dão vida e cor às
noites de inverno.
Assim, com base neste tema, o projeto a desenvolver contempla a pesquisa sobre a origem do Natal
e a sua evolução histórica, a reflexão sobre o que significa verdadeiramente para os alunos e a
construção de um candeeiro de Natal, mobilizando os conhecimentos que vão adquirindo nas aulas
de Educação Tecnológica e também de Educação Visual.

154 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Objetivos
1. Conhecer, de forma sumária, a origem do Natal e a sua evolução histórica.
2. Refletir sobre a dimensão religiosa e cultural do Natal nos dias de hoje.
3. Sensibilizar para o recurso à reciclagem de materiais.
4. Aprender a construir um candeeiro aplicando os conhecimentos básicos de um circuito
elétrico.
5. Desenvolver a capacidade de mobilização dos conhecimentos específicos da disciplina de
Educação Tecnológica e de outros domínios disciplinares, através da realização de uma
atividade de projeto.
6. Aprender a utilizar a metodologia do trabalho de projeto.
7. Desenvolver o espírito crítico, através do questionamento lógico perante as soluções criadas.
8. Desenvolver a autonomia e o sentido de responsabilidade relativamente às aprendizagens de
natureza prática, que requerem um manuseamento tecnicamente responsável dos diversos
materiais e dos utensílios e instrumentos de trabalho.
9. Desenvolver as capacidades criativas na resolução de problemas práticos.
10. Desenvolver atitudes colaborativas e de entreajuda no âmbito do trabalho de grupo.

Metodologia e recursos
Para desenvolver este projeto, é necessário aplicar a metodologia do trabalho de projeto. Para tal,
é fundamental que, em primeiro lugar, se conceba e se planifiquem as várias etapas do
desenvolvimento do trabalho, tendo em conta que se deve:
1. pesquisar na internet e na biblioteca da escola informações sobre a origem do Natal e a sua
evolução;
2. debater o tema do Natal nos dias de hoje, refletindo sobre a forma como é comemorado
atualmente, tendo em conta o aproveitamento da sociedade de consumo em contraponto
com os valores primordiais, que estão na base da Festa do Natal;
3. articular os conhecimentos desenvolvidos na disciplina de Educação Visual, através da
compreensão do conceito de estrutura enquanto suporte da forma, bem como da simbologia
das cores associadas ao tema do Natal;
4. abordar os conteúdos teóricos específicos de Educação Tecnológica no desenvolvimento
deste projeto;
5. preparar todo o material necessário para a execução do candeeiro, sendo que o trabalho
pode ser realizado individualmente ou em pequenos grupos de alunos;
6. para a construção do candeeiro, recortar um retângulo em cinco das seis faces da caixa de
cartão, de modo a deixar uma margem de 3 ou 4 cm a partir do limite exterior de cada face
(criando uma moldura);
7. aproveitando, como moldes, os retângulos retirados às faces da caixa, recortar formas iguais
em cartolina(s) escolhida(s) para o efeito;
8. em cada um destes retângulos de cartolina, desenhar e recortar formas diversas relacionadas
com o Natal, sejam elas figurativas ou geométricas (estrelas e círculos);

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 155


9. sobre esses retângulos, colar papel translúcido de cor (celofane, de seda, vegetal, etc.), no
lado que fica virado para o interior da caixa, de modo a deixar passar a luz emitida pela
lâmpada;
10. montar e colar os retângulos em cada uma das faces da caixa;
11. montar o circuito elétrico do candeeiro (fio elétrico, interruptor, casquilho e ficha elétrica
macho), de modo a passar, primeiro, o fio elétrico por um orifício num dos lados da caixa;
12. colar o casquilho à base interior do candeeiro e colocar uma lâmpada;
13. organizar uma exposição dos candeeiros na biblioteca da escola ou noutro espaço acessível
à comunidade escolar, como forma de iluminar a escola durante a época do Natal.

Articulação com as Metas Curriculares de Educação Tecnológica


Esta atividade mobiliza um conjunto diversificado de conhecimentos teóricos e práticos específicos
da disciplina de Educação Tecnológica, no âmbito dos diversos domínios inscritos nas Metas
Curriculares, designadamente:
വ TÉCNICA (T5) – Reconhecer o papel da tecnologia (OG1), Discriminar a relevância do objeto
técnico (OG2) e Dominar a aquisição de conhecimento técnico (OG3).
വ DISCURSO (D6) – Distinguir a linguagem dos processos de utilização, de fabrico e de
construção (OG 8), Compreender processos técnicos de fabrico e de construção (OG 9) e
Dominar a comunicação orientada para a demonstração (OG10).
വ PROJETO (P5) – Distinguir as principais fontes de energia (OG10), Compreender processos de
produção e de transformação de energia (OG11), Explorar soluções energéticas no âmbito
dos operadores elétricos (OG12) e Dominar procedimentos de análise e de sistematização
(OG13).
വ PROJETO (P6) – Conhecer tipos de estrutura (OG11), Explorar estruturas no âmbito da forma
e função (OG12) e Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (OG13).

Articulação com outras disciplinas


Educação Visual:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através do apoio ao desenvolvimento geral do
projeto, integrando os saberes e o saber-fazer específicos, de acordo com as Metas Curriculares, no
âmbito dos seguintes domínios:
വ REPRESENTAÇÃO|R5 – Explicar a estrutura como suporte da forma (OG6).
വ TÉCNICA|T6 – Reconhecer a simbologia e o significado da cor (OG2) e Dominar
procedimentos sistemáticos e metodológicos (OG3).
വ Discurso|D6 – Compreender o conceito de património (OG7) e Reconhecer o papel e a
influência do património na sociedade (OG8).
വ PROJETO|P6 – Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (OG12).

156 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Links de interesse para consulta
Imagens (ideias para a construção de candeeiros):
 http://greensavers.sapo.pt/2017/02/20/desperdicios-de-cartao-de-lojistas-ganham-nova-vida-como-
candeeiros/ (consultado em 15.03.2017)
 http://www.somosmulheres.com/como-fazer-candeeiro-infantil-reciclado-ideias-decoracao.html
(consultado em 15.03.2017)
 https://decoracion2.com/lamparas-originales-recicladas/ (consultado em 15.03.2017)
Vídeos:
 Tutorial: Fanal Kanji Sakura – https://www.youtube.com/watch?v=AF4IxgRGvrU (consultado em
15.03.2017)
 https://www.youtube.com/watch?v=YRORFYnOm5I (consultado em 15.03.2017)

Imagens

Exemplo de material sugerido. Cortar um retângulo, na tampa da Vazar a tampa da caixa para
caixa, deixando uma moldura com posterior acabamento.
cerca de 3 cm de largura.

Decorar as molduras de cada lado Aplicar cola nas molduras internas


Repetir a operação nos restantes 4
da caixa com a técnica que se da caixa, para se poder colar, no
lados da caixa (deixando a base
desejar (colagem de cartolina, final, os retângulos feitos em
inferior intacta).
pintura com marcador de feltro cartolina e papel celofane de cor,
grosso, guache, etc.). para acabamento final do
candeeiro.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 157


Recortar com a ajuda de um x-ato, Cartolina dourada com figuras Colar papel celofane de cor, no
numa cartolina de cor, figuras geométricas recortadas. verso da cartolina, de modo a
geométricas diversas. deixar passar a luz, dando-lhe cor.

Montar o interruptor e a ficha Colar o casquilho no interior da Candeeiro terminado.


elétrica no fio elétrico, bem como o caixa, depois de se ter enrolado
casquilho. uma tira de cartão sobre ele (e
Não esquecer: o casquilho é colocado um elástico), de modo a
montado depois de se ter passado criar uma superfície mais estável.
o fio elétrico no orifício da caixa de
cartão.

Candeeiro aceso em sala com luz. Candeeiro aceso em sala sem luz.

158 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


4. Máscara de Carnaval

Produto
Construção de uma máscara de Carnaval.

Apresentação
Com esta atividade, pretende-se promover o desenvolvimento de aprendizagens teórico-práticas
específicas, no âmbito da disciplina de Educação Tecnológica, através da realização de um projeto.
Este projeto deve ter a colaboração da disciplina de Educação Visual.

Material necessário
Item
Tecido de feltro de diversas cores.
Fio ou fita de elástico.
Tesoura.
Agulha.
Linhas de algodão coloridas de croché.
Algodão em rama.

Desenvolvimento da atividade

Tema
O Carnaval é uma festa cuja tradição, de origem Cristã, simboliza o «adeus à carne». A palavra
deriva do latim carnis levale, que significava «retirar a carne». Como forma de preparação desta
época, organizavam-se festejos populares que, de acordo com os costumes, eram normalmente
extravagantes e exagerados. A utilização das máscaras é uma das formas mais comuns de se viver
esta época festiva.
É com base neste tema que se pretende desenvolver o projeto. Partindo da pesquisa sobre o
significado do Carnaval e terminando com a construção de uma máscara para cada aluno,
mobilizando os conhecimentos desta disciplina.

Objetivos
1. Conhecer o significado original da festa do Carnaval.
2. Aprender a construir uma máscara de Carnaval desenvolvendo conhecimentos básicos de
costura.
3. Desenvolver a capacidade de mobilização dos conhecimentos específicos da disciplina de
Educação Tecnológica e de outros domínios disciplinares, através da realização de uma
atividade de projeto.
4. Aprender a utilizar a metodologia do trabalho de projeto.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 159


5. Desenvolver o espírito crítico, através do questionamento lógico perante as soluções criadas.
6. Desenvolver a autonomia e o sentido de responsabilidade relativamente às aprendizagens de
natureza prática, que requerem um manuseamento tecnicamente responsável dos diversos
materiais e dos utensílios e instrumentos de trabalho.
7. Desenvolver as capacidades criativas na resolução de problemas práticos.
8. Desenvolver atitudes colaborativas e de entreajuda no âmbito do trabalho individual e de
grupo.

Metodologia e recursos
Para desenvolver este projeto, é necessário aplicar a metodologia do trabalho de projeto. Para tal,
é fundamental que, em primeiro lugar, se conceba e se planifiquem as várias etapas do
desenvolvimento do trabalho, tendo em conta que se deve:
1. pesquisar na internet e na biblioteca da escola informações sobre o significado original da
festa do Carnaval;
2. articular os conhecimentos da disciplina de Educação Visual no que diz respeito ao
reconhecimento desta tradição em Portugal, através das suas diferenças de região para
região;
3. abordar os conteúdos teóricos específicos de Educação Tecnológica no desenvolvimento
deste projeto;
4. preparar todo o material necessário para a execução da máscara, trabalho que deve ser
realizado individualmente pelos alunos;
5. aprender técnicas básicas de corte em tecido de feltro e de costura – ponto alinhavado e
ponto caseado (ver subtítulo «Links de interesse para consulta») – para aplicar na construção
da máscara em tecido de feltro;
6. pesquisar ideias de máscaras na internet como ponto de partida para a conceção da máscara
individual de cada aluno;
7. registar algumas ideias através do desenho, até chegar à solução pretendida, para então
elaborar o molde, em papel;
8. cortar as peças de tecido de feltro, a partir dos moldes elaborados (de modo a ficarem duas
partes, que serão cosidas entre si, para poderem conter, quando necessário, o enchimento
em algodão);
9. encher algumas zonas da máscara com algodão, de modo a proporcionar mais
tridimensionalidade à máscara;
10. coser as diversas peças da máscara, utilizando os pontos (alinhavado e caseado) de acordo
com os efeitos pretendidos;
11. organizar uma festa de Carnaval da turma e participar nas festas da escola.

160 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Articulação com as Metas Curriculares de Educação Tecnológica
Esta atividade mobiliza um conjunto diversificado de conhecimentos teóricos e práticos específicos
da disciplina de Educação Tecnológica, no âmbito dos diversos domínios inscritos nas Metas
Curriculares, designadamente:
വ DISCURSO (D6) – Distinguir a linguagem dos processos de utilização, de fabrico e de
construção (OG 8), Compreender processos técnicos de fabrico e de construção (OG 9) e
Dominar a comunicação orientada para a demonstração (OG10).
വ PROJETO (P6) – Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (OG13).

Articulação com outras disciplinas


Educação Visual:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através do apoio ao desenvolvimento geral do
projeto, integrando os saberes e os saber-fazer específicos, de acordo com as Metas Curriculares, no
âmbito dos seguintes domínios:
വ REPRESENTAÇÃO|R6 – Dominar a representação bidimensional (OG6).
വ DISCURSO|D6 – Compreender o conceito de património (OG7) e Reconhecer o papel e a
influência do património na sociedade (OG8).
വ PROJETO|P6 – Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (OG12).

Links de interesse para consulta:


Imagens (ideias para a construção de máscaras):
 http://blog.elo7.com.br/inspiracao/da-cabeca-a-mesa-boas-ideias-para-o-seu-
carnaval.html/attachment/post-carnaval1 (consultado em 15.03.2017).
 http://infantil.inesquecivelcasamento.com.br/26-mascaras-tematicas-para-festas-infantis/ (consultado
em 15.03.2017)
 http://blog.elo7.com.br/faca-voce-mesmo/faca-voce-mesmo-mascara-de-carnaval-de-coruja.html
(consultado em 15.03.2017)
Vídeos (ideias para a construção de máscaras):
 https://www.youtube.com/watch?v=oecRhM56pDo (consultado em 15.03.2017)
 https://www.youtube.com/watch?v=pIDnPmN2Iwc (consultado em 15.03.2017)
 https://www.youtube.com/watch?v=BDf_skvM7nk (consultado em 15.03.2017)
Costura (informações de como costurar feltro à mão – pontos básicos):
 http://www.revistaartesanato.com.br/como-costurar-feltro (consultado em 15.03.2017)
 http://www.artecomquiane.com/2008/09/aprendendo-costurar-com-o-feltro.html (consultado em
15.03.2017)

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 161


Imagens

Exemplo de material sugerido. Desenhar o molde de uma das


partes da máscara, em papel
«cavalinho», através do desenho
do contorno da mão do aluno.

Recortar o molde da mão feito em Não é necessário repetir o molde Recortar o tecido de feltro após ter
papel. com a outra mão: basta colocar o sido desenhado com o molde
molde na posição simétrica, anteriormente descrito.
quando se for recortar em tecido
de feltro.

Unir as peças cor de laranja,


Cortar duas peças iguais com o Coser a peça azul sobre uma das
através da costura com o ponto
formato idêntico ao da imagem peças cor de laranja, aplicando o
caseado, deixando a parte de
para a outra parte da máscara. ponto alinhavado.
baixo aberta.

Abrir a peça costurada e encher Imagem da máscara antes de ser Imagem da máscara antes de ser
com algodão em rama, para cosida. cosida.
depois ser cosida.

162 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Imagem da máscara já cosida. Aplicar elástico de rolinho, que Máscara acabada e colocada.
deve ficar preso a cada um dos
lados da máscara.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 163


5. Movimentos em cadeia

Produto
Construção de diversos jogos com peças que ganham movimento encadeado ou explodido.

Apresentação
Com esta atividade, pretende-se promover o desenvolvimento de aprendizagens teórico-práticas
específicas, no âmbito da disciplina de Educação Tecnológica, através da realização de um projeto.
Este projeto deve ter a colaboração da disciplina de Educação Visual.

Material necessário
Item
Peças de dominó.
Paus de gelado.
Baralho de cartas.
Tintas para pintura dos paus (por exemplo, guache, acrílicos, marcadores de feltro, tinta de spray, tinta em
lata, entre outros).
Smartphone (com câmara fotográfica).

Desenvolvimento da atividade

Tema
Há jogos a partir dos quais se podem aprender, de forma lúdica, conceitos básicos de Física, tais
como os movimentos em cadeia e a energia potencial elástica.
Este projeto pretende ser uma aplicação prática dos conhecimentos adquiridos na disciplina de
Educação Tecnológica, a partir da construção de diferentes jogos que explorem o efeito de dominó,
também conhecido como efeito em cascata ou em cadeia – utilizando diferentes peças, tais como
cartas de jogo ou peças de dominó – e que brinquem com a energia potencial elástica, como a
Bomba de palitos, que utiliza pauzinhos de madeira entrelaçados que ganham vida e movimento,
depois de solta a pressão estabelecida entre si.

Objetivos
1. Aprender os conceitos básicos relativos à noção de movimento que se encontram
identificados nas Metas Curriculares de Educação Tecnológica.
2. Desenvolver a capacidade de pesquisar informação sobre jogos que exploram o efeito dominó
e a Bomba de palitos, para ampliar o nível de conhecimento relativo ao tema e como forma de
motivação para o desenvolvimento do projeto.

164 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


3. Desenvolver as capacidades de concentração e de persistência, bem como as capacidades de
psicomotricidade fina, através da montagem dos diferentes jogos, em pequenos grupos de
alunos.
4. Promover a capacidade de mobilização dos conhecimentos específicos da disciplina de
Educação Visual através da realização de uma atividade interdisciplinar de projeto.
5. Aprender a utilizar a metodologia do trabalho de projeto.
6. Desenvolver as capacidades criativas na resolução de problemas práticos.
7. Desenvolver atitudes colaborativas e de entreajuda no contexto do trabalho de grupo.

Metodologia e recursos
Para desenvolver esta atividade é necessário aplicar a metodologia do trabalho de projeto. Para tal,
é fundamental que, em primeiro lugar, se conceba e planifiquem as várias etapas do
desenvolvimento do trabalho, tendo em conta que se deve:
1. abordar os conteúdos teóricos específicos de Educação Tecnológica para o desenvolvimento
deste projeto;
2. pesquisar na internet vídeos sobre a forma como se constroem os jogos que exploram o
efeito dominó e a «bomba de palitos»;
3. preparar todo o material necessário à execução dos diversos jogos, por parte de cada grupo
de alunos;
4. montar, com as diversas peças (de dominó ou cartas de jogo), os jogos que irão ser
construídos para pôr em prática e compreender os movimentos de efeito de cascata;
5. pintar com diferentes cores os paus de gelado, aplicando quer cores quentes, quer cores frias,
de modo a aprender estas características cromáticas, com o apoio da disciplina de Educação
Visual;
6. montar a «bomba de palitos» numa superfície ampla (no chão da sala de aula ou no pátio da
escola), de modo a ficar com o maior comprimento possível (2 metros no mínimo), para se poder
observar bem as caraterísticas do movimento que a «explosão» dos paus de gelado cria;
7. filmar com o smartphone os movimentos de cada jogo, para se poderem observar e analisar
posteriormente por parte da turma.

Articulação com as Metas Curriculares de Educação Tecnológica


Esta atividade mobiliza um conjunto diversificado de conhecimentos teóricos e práticos específicos
da disciplina de Educação Tecnológica, no âmbito dos diversos domínios inscritos nas Metas
Curriculares, designadamente:
വ REPRESENTAÇÃO (R6) – Conhecer diversos tipos de movimento (OG5), Reconhecer
operadores mecânicos de transmissão e de transformação do movimento (OG6).

Articulação com outras disciplinas


Educação Visual:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através do apoio ao desenvolvimento geral do
projeto, integrando os saberes e os saber-fazer específicos, de acordo com as Metas Curriculares, no
âmbito dos seguintes domínios:
വ Técnica|T6 – Compreender características e qualidades da cor (OG1).

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 165


Links de interesse para consulta
Vídeos (como criar jogos que lidam com o efeito dominó):
 https://www.youtube.com/watch?v=ycolw7209us (consultado em 15.03.2017)
 https://www.youtube.com/watch?v=lo6x4eulY9g (consultado em 15.03.2017)
 https://www.youtube.com/watch?v=wbyhic0aPtw (consultado em 15.03.2017)
 https://www.youtube.com/watch?v=YCDbiAhxJ4M (consultado em 15.03.2017)
Vídeos (como criar a Bomba de palitos):
 https://www.youtube.com/watch?v=i1HqAsPwR38 (consultado em 15.03.2017)
 https://www.youtube.com/watch?v=ujDY9vwnne4 (consultado em 15.03.2017)

Imagens

Exemplo de material sugerido. Começar a colocar peças de Continuar a montar as peças de


dominó de forma sequencial. acordo com as indicações
Verificar o espaço deixado entre anteriores.
elas: quando uma peça tombar,
deve embater na seguinte e fazê-la
tombar.

Continuar a montar as peças de Continuar a montar as peças de Conclusão da montagem das


acordo com as indicações acordo com as indicações peças.
anteriores. anteriores, procurando elaborar
um desenho interessante.

166 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Testar a queda das peças, para se Testar o jogo, fazendo cair a Este jogo pretende mostrar o
poder verificar se a distância entre primeira peça, de modo que todas movimento em cadeia ou o efeito
elas é a adequada. as peças seguintes tombem, de cascata.
também, sequencialmente.

Colocar duas cartas, uma contra a Continuar o processo com o maior Com um número razoável de
outra, de modo que fiquem número possível de cartas (é cartas equilibradas, fazer cair a
estáveis e imóveis. preciso muita paciência para este primeira sobre as outras.
jogo, pois elas tombam com Observar o efeito do movimento
facilidade). em cadeia ou efeito de cascata.

Montar o jogo, começando com a Colocar a peça vermelha, de forma Colocar a peça verde, em seguida,
peça amarela e colocando a peça entrelaçada, por baixo da peça de modo a ficar entrelaçada, por
cor de laranja por cima. amarela e passando por cima da baixo da peça amarela e por cima
cor de laranja. de vermelha.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 167


Colocar agora a peça azul, de Continuar a montagem, seguindo Continuar a montagem,
forma entrelaçada, por baixo da para a colocação da peça violeta, colocando, com a mesma lógica, a
peça cor de laranja e por cima da que fica por baixo da vermelha e peça amarela.
verde. por cima da azul.

Continuar a montagem, colocando Montar a mais comprida estrutura No final, colocar a última peça de
em seguida a peça cor de laranja. possível. modo a fechar e a pressionar todas
as outras.
Observar a tensão que fica em
toda a estrutura.

Para fazer explodir a «bomba de


palitos», retirar a primeira peça
colocada (amarela).
Observar o efeito da explosão.
Este jogo deve ser feito em área
aberta, para se poder ver bem o
efeito final.

168 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


6. Brinquedo autómato

Produto
Construção de um carrossel de papel com movimento.

Apresentação
Com esta atividade, pretende-se promover o desenvolvimento de aprendizagens teórico-práticas
específicas, no âmbito da disciplina de Educação Tecnológica, através da realização de um projeto.
Este projeto deve ter a colaboração da disciplina de Educação Visual.

Material necessário
Item
Folha de cartão prensado (5 mm) ou placa de MDF.
Cartão canelado de diferentes cores.
Cartolinas de cores diversas.
X-ato.
Tesoura.
Régua metálica.
Palhinhas (plástico ou cartão).
Pregos compridos.
Linha de algodão (para croché).
Cola branca vinílica (cola branca de madeira).
Pincel (para aplicação da cola).

Desenvolvimento da atividade
Tema
Os autómatos são brinquedos mecânicos móveis, que combinam conceitos básicos de engenharia
com expressão artística, nos quais o movimento é conseguido através do recurso a rodas dentadas,
engrenagens ou manivelas, que podem ser construídas de modo muito simples, utilizando a
imaginação e recorrendo a materiais de uso quotidiano.
Assim, este projeto pretende ser uma aplicação prática dos conhecimentos adquiridos nesta
disciplina, através da construção de um objeto lúdico, neste caso, a construção de um carrossel de
papel que ganha movimento com a ajuda de pequenas e coloridas engrenagens.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 169


Objetivos
1. Aprender os conceitos básicos relativos à noção de movimento que se encontram
identificados nas Metas Curriculares de Educação Tecnológica.
2. Desenvolver a capacidade de pesquisa de informação sobre brinquedos autómatos, como
forma de ampliar o nível de conhecimento relativo ao tema e como forma de motivação para
o desenvolvimento do projeto individual do aluno.
3. Desenvolver as capacidades criativas e imaginativas através da personalização do projeto de
grupo (divisão da turma em pequenos grupos) – a forma e as cores do carrossel –, ainda que
partindo de uma base comum a todos os projetos da turma.
4. Mobilizar conhecimentos práticos na utilização de materiais e de instrumentos diversos para a
construção do carrossel por parte de cada grupo.
5. Promover a capacidade de mobilização dos conhecimentos específicos da disciplina de
Educação Visual e de outros domínios transdisciplinares, através da realização de uma
atividade interdisciplinar de projeto.
6. Aprender a utilizar a metodologia do trabalho de projeto.
7. Desenvolver as capacidades criativas na resolução de problemas práticos.
8. Desenvolver atitudes colaborativas e de entreajuda, mesmo quando se trata de um trabalho
individual.

Metodologia e recursos
Para desenvolver este projeto, é necessário aplicar a metodologia do trabalho de projeto. Para tal,
é fundamental que, em primeiro lugar, se conceba e planifiquem as várias etapas do
desenvolvimento do trabalho, tendo em conta que se deve:
1. abordar os conteúdos teóricos específicos de Educação Tecnológica no desenvolvimento
deste projeto;
2. pesquisar na internet e na biblioteca da escola informações sobre brinquedos autómatos,
como ponto de partida para o desenvolvimento do projeto do aluno. Muito embora o ponto
de partida seja igual para todos os grupos da turma, pretende-se que cada aluno possa
introduzir no seu carrossel elementos (em concreto, cores e formas) que personalizem o seu
projeto;
3. preparar todo o material necessário à execução do carrossel, por parte de cada grupo de
alunos;
4. construir as diversas peças que constituem o carrossel:
 a base em cartão prensado, coberta por uma cartolina de cor;
 os cilindros feitos com tiras de cartão canelado enroladas e coladas, em que um deles
envolve uma palhinha que servirá de estrutura e de suporte à parte superior e inferior do
carrossel;
 os círculos em cartolina de cor que constituem as bases superior e inferior do carrossel;
 as tiras que devem fazer os acabamentos finais das peças;
 os elementos do carrossel que ficam presos à parte superior, com linha de algodão (de
croché), e que adquirem movimento quando o carrossel roda (elementos esses que
devem ser personalizados por cada grupo de alunos);

170 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


5. montar todos os elementos do carrossel, manuseando com cuidado e procurando
desenvolver o domínio técnico na utilização dos diversos instrumentos de trabalho de
desenho, de corte e de colagem das diversas peças;
6. no final da construção dos projetos, e com recurso ao smartphone, fazer pequenos vídeos de
cada carrossel em movimento;
7. visionar os registos feitos em vídeo, em contexto de grupo-turma, para voltar a abordar o
tema do movimento como forma de consolidar o conhecimento adquirido.

Articulação com as Metas Curriculares de Educação Tecnológica


Esta atividade mobiliza um conjunto diversificado de conhecimentos teóricos e práticos específicos
da disciplina de Educação Tecnológica, no âmbito dos diversos domínios inscritos nas Metas
Curriculares, designadamente:
വ REPRESENTAÇÃO (R6) – Conhecer diversos tipos de movimentos (OG5), Reconhecer
operadores mecânicos de transmissão e de transformação do movimento (OG6).

Articulação com outras disciplinas


Educação Visual:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através do apoio ao desenvolvimento geral do
projeto, integrando os saberes e o saber-fazer específicos, de acordo com as Metas Curriculares, no
âmbito dos seguintes domínios:
വ Representação|R6 – Dominar a representação bidimensional (OG6).

Links de interesse para consulta


Sites e blogues (como construir um carrossel de papel):
 http://www.espacoinfantil.com.br/carrossel-de-papel-para-montar-com-molde/ (consultado em
15.03.2017)
 http://euamoartesanar.blogspot.pt/2014/05/carrossel-de-papel.html (consultado em 15.03.2017)
Vídeos (como construir um carrossel de papel em origami e engrenagens com diversos materiais):
 https://www.youtube.com/watch?v=hCsk9AzxVUY (consultado em 15.03.2017)
 https://www.youtube.com/watch?v=cn5Ln7MoNEs (consultado em 15.03.2017)

Imagens

Exemplos de material sugerido. Cortar uma tira em cartão Construir mais dois cilindros
canelado com cerca de 12 cm. idênticos (com cerca de 10 e 8 cm,
Colar em volta de uma palhinha e respetivamente).
colar, para formar um cilindro O cilindro pequeno irá servir de
compacto. suporte para se poder rodar (tipo
manivela) o cilindro no qual estiver
preso.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 171


Preparar a base do carrossel, com Cobrir a base de cartão com uma Colocar os três cilindros ao lado
o cartão prensado, no qual se pode cartolina de cor. uns dos outros para se poder
colar dois retângulos espessos, a marcar o lugar exato onde se
servir de pés. devem colocar os pregos que os
irão sustentar.

Colocar os cilindros enfiados em Desenhar e recortar as peças a Parte superior do carrossel


cada um dos pregos. partir das quais se irá construir a («chapéu»).
parte superior do carrossel.

Continuar a desenhar e recortar Colocar os fios que vão prender os Colar o círculo à base interna da
mais peças do carrossel: dois elementos que vão «voar», quando parte superior do carrossel.
círculos, para prender os fios de o carrossel rodar.
algodão e para servir de base ao
carrossel.

172 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Imagem da parte superior do Imagem dos cilindros presos sobre Desenhar e recortar os elementos
carrossel terminada. os pregos, com a base do carrossel que irão ficar presos aos fios de
já montada. croché.

Montar todas as restantes peças Segurando o pequeno cilindro,


do carrossel. rodar o cilindro ao qual está preso,
de modo a fazer rodar os cilindros
restantes e, por sua vez, o
carrossel.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 173


7. Modelação em sabão

Produto
Construção de uma máscara de Carnaval.

Apresentação
Com esta atividade, pretende-se promover o desenvolvimento de aprendizagens teórico-práticas
específicas, no âmbito da disciplina de Educação Tecnológica, através da realização de um projeto.
Este projeto deve ter a colaboração da disciplina de Educação Visual.

Material necessário
Item
Barra de sabão azul e branco (ou sabonete).
Goivas para gravura ou teques para modelagem de barro ou talheres de carne ou de peixe (garfo e faca).
Pano (para limpeza das mãos).
Saco de plástico (para guardar o sabão).
Papel A4 para desenho.
Lápis de grafite.
Borracha.
Afia-lápis.
Cartolinas.

Desenvolvimento da atividade

Tema
A modelação de materiais, como a argila, para obtenção de formas e criação de objetos com
diversas funções – práticas, simbólicas ou estéticas – é muito antiga.
Hoje em dia, existem muitos outros materiais fabricados industrialmente, próprios para a
modelação de objetos de natureza decorativa ou lúdica, como, por exemplo, a plasticina ou a pasta
FIMO, muito utilizados por crianças e jovens em contexto escolar.
Um dos materiais igualmente utilizados para a modelação artesanal é o sabão azul e branco e o
sabonete de glicerina, dada a facilidade com que neles se conseguem esculpir as formas, para além
de serem muito aromáticos.
É com base no processo de manipulação criativa e técnica de materiais moldáveis que se pretende
estimular os alunos para a aquisição de conhecimentos básicos de modelação, utilizando um
material de fácil aquisição e manipulação, com o objetivo de conceberem e esculpirem uma
pequena peça em sabão.

174 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Objetivos
1. Reconhecer a origem ancestral da modelação dos materiais, como a argila, para obtenção de
formas e criação de objetos com diversas funções – práticas, simbólicas ou estéticas.
2. Conhecer, de forma sumária, a origem e a composição do sabão como resposta a uma
necessidade humana.
3. Conhecer também o sabonete como um produto semelhante, mas mais cuidado, que
utilizamos todos os dias na nossa higiene pessoal.
4. Desenvolver ideias, através do registo desenhado, para a modelação posterior em sabão.
5. Desenvolver capacidades técnicas e a destreza manual na manipulação de utensílios e de
ferramentas, através da modelação do sabão.
6. Desenvolver a capacidade de mobilização dos conhecimentos específicos de Educação
Tecnológica e de outros domínios disciplinares, através da realização de uma atividade de
projeto.
7. Aprender a utilizar a metodologia do trabalho de projeto.
8. Desenvolver o espírito crítico, através do questionamento lógico perante as soluções criadas e
a resolução de problemas surgidos.
9. Desenvolver a autonomia e o sentido de responsabilidade relativamente às aprendizagens de
natureza prática, que requerem um manuseamento tecnicamente responsável dos diversos
materiais e dos utensílios e instrumentos de trabalho.
10. Desenvolver as capacidades criativas na resolução de problemas práticos.
11. Desenvolver atitudes colaborativas e de entreajuda no âmbito do trabalho individual e de
grupo.

Metodologia e recursos
Para desenvolver este projeto, é necessário aplicar a metodologia do trabalho de projeto. Para tal,
é fundamental que, em primeiro lugar, se conceba e se planifiquem as várias etapas do
desenvolvimento do trabalho, tendo em conta que se deve:
1. tomar contacto, através da apresentação da informação por parte do professor, com os
processos artesanais e industriais da modelação de materiais cerâmicos, em documentários,
através da internet, mediante fotografias ou mesmo através de visita de estudo a uma olaria
artesanal ou a uma fábrica de produção industrial de objetos em cerâmica;
2. pesquisar na internet e na biblioteca da escola informações sobre a origem e a composição do
sabão, material fabricado há muito tempo pelo ser humano, como resposta às suas
necessidades básicas de higiene;
3. abordar os conteúdos teóricos específicos de Educação Tecnológica no desenvolvimento
deste projeto;
4. articular com a disciplina de Português, para leitura e análise de um conto infantil, de uma
fábula ou de um conto de tradição popular escolhido pela turma, que sirva de tema de base
para o desenvolvimento dos trabalhos de modelação a realizar pelos alunos;
5. conceber o objeto ou a personagem que se pretende moldar, através de esboços desenhados
sobre papel, com o apoio da disciplina de Educação Visual, de acordo com as suas Metas
Curriculares, com vista à obtenção das diversas personagens e dos demais elementos
constituintes da narrativa escolhida;
Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 175
6. aprender a manusear utensílios e ferramentas, no sentido do desenvolvimento de um
conhecimento técnico básico para a modelação da barra de sabão, com os devidos cuidados
de higiene e de segurança;
7. modelar a barra de sabão com vista ao desenvolvimento do trabalho individual do aluno;
8. tirar fotografias de cada uma das peças moldadas e colá-las em cartolinas, de modo
organizado, de acordo com a narrativa;
9. escrever pequenos textos que sirvam de legendas para as imagens, de modo a permitir a
compreensão da história por parte do observador;
10. com o apoio da disciplina de Inglês, escrever em língua inglesa pequenas frases para colocar
debaixo dos textos em português (ideias-síntese da narrativa ou apenas das suas
personagens);
11. organizar uma exposição dos trabalhos num local apropriado da escola (biblioteca, etc.), que
inclui os objetos moldados em sabão bem como a ilustração do conto infantil.

Articulação com as Metas Curriculares de Educação Tecnológica


Esta atividade mobiliza um conjunto diversificado de conhecimentos teóricos e práticos específicos
da disciplina de Educação Tecnológica, no âmbito dos diversos domínios inscritos nas Metas
Curriculares, designadamente:
വ TÉCNICA (T6) – Conhecer a origem e propriedades dos materiais (OG1), Reconhecer processos
de transformação das principais matérias-primas (OG2), Distinguir alterações no meio
ambiente determinadas pela ação humana (OG3) e Dominar procedimentos sistemáticos e
metodológicos (OG4).
വ DISCURSO (D6) – Compreender processos técnicos de fabrico e de construção (OG 9).
വ PROJETO (P6) – Dominar atividades coordenadas e interligadas, para a realização de um
objetivo (OG13).

Articulação com outras disciplinas


Educação Visual:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através do apoio ao desenvolvimento geral do
projeto, integrando os saberes e os saber-fazer específicos, de acordo com as Metas Curriculares, no
âmbito dos seguintes domínios:
വ Representação|R6 – Dominar a representação bidimensional (OG6).
വ Discurso|D6 – Compreender o conceito de património (OG7).
വ Projeto|P6 – Reconhecer princípios básicos da criação de um discurso (OG10) e Desenvolver
a capacidade de avaliação crítica na criação de um discurso. (OG11).
Português:
A articulação com esta disciplina deve ser feita através da escolha, da leitura e da análise de um
conto infantil, de uma fábula ou de um conto de tradição popular ou que sirva de inspiração e de
base à conceção das figuras/personagens a moldar em sabão. A articulação com as Metas
Curriculares desta disciplina é feita no âmbito dos seguintes domínios:
വ Compreensão de textos EL6 – Textos de literatura para crianças e jovens, da tradição popular e
adaptações de clássicos; outros textos literários selecionados (listagem do PNL – Plano
Nacional de Leitura).
176 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET
Inglês:
A articulação com esta disciplina pode ser feita através da construção de uma pequena frase em
língua inglesa, associada à fotografia tirada ao trabalho de cada aluno (figura modelada em sabão),
no âmbito da construção da narrativa final. Esta abordagem pode ser integrada nas Metas
Curriculares da disciplina de Inglês, no âmbito dos seguintes domínios:
വ Produção Oral/Spoken Production SP6 | Escrita/Writing W6.

Links de interesse para consulta


Sites e blogues (construção de esculturas em sabão por alunos):
 http://cantinhodaunidade.com.br/especialidade-de-modelagem-e-fabricacao-de-sabao/ (consultado em
15.03.2017)
 http://profaislana.blogspot.pt/2015/09/esculturas-em-sabao.html (consultado em 15.03.2017)
 https://www.youtube.com/watch?v=U0TZenGosns (consultado em 15.03.2017)
Vídeo (exemplo de como esculpir em sabão):
 https://www.youtube.com/watch?v=kUAvEPi4hNU (consultado em 15.03.2017)

Imagens

Exemplo de material sugerido. Desenhar no papel a figura que se Desenhar na barra de sabão os
irá esculpir na barra de sabão. contornos da figura anteriormente
desenhada.

Começar a esculpir a figura,


retirando pedaços de sabão.

Exemplos de esculturas realizadas pelos alunos.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 177


Ficha de avaliação diagnóstica
Educação Visual | 5.o Ano

Escola: ________________________________________________________________________________________

Aluno: ______________________________________________ Ano: _____ Turma: _____ Data: ___/___/_____

Classificação: ____________________ Professor: ___________________________________________________

Encarregado de Educação: _____________________________________________________________________

Estás num novo ano letivo e tens novas disciplinas. A avaliação diagnóstica serve para que o teu
professor perceba o que sabes sobre a disciplina de Educação Visual.

1. Assinala a frase que consideras mais completa e que melhor define o que será a disciplina
de Educação Visual.
É uma disciplina de variante artística, na qual irás desenvolver a tua criatividade.
É uma disciplina de variante artística, na qual vais experimentar diversos materiais e técnicas,
aprender as formas e representar o que nos rodeia.
É uma disciplina de variante artística, na qual podes exprimir as tuas emoções,
desenvolver a tua imaginação e representar as tuas ideias.

2. Para o desenho e para a escrita necessitas de um suporte, nomeadamente, o papel. Identifica


quatro tipos de papel diferentes.

3. Para colorires os teus desenhos, podes utilizar diferentes materiais riscadores. Enumera quatro
materiais riscadores diferentes.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 179


4. Faz corresponder os elementos da coluna A à descrição da coluna B e ao nome da coluna C, por
forma a tornar a informação válida.

A B C
1.
1. Tem duas pontas: 1. Esquadro
uma para colocar
a mina de grafite;
a outra é chamada
ponta seca.
2.
2. Tem uma forma 2. Compasso
triangular.

3.
3. Serve para traçar 3. Transferidor
linhas retas.

4.
4. Serve para medir 4. Régua
ângulos.

II

1. Observa a imagem seguinte.

Identifica:

1.1 uma reta: _______________________________


1.2 uma semirreta: _______________________________
1.3 um segmento de reta: _______________________________
1.4 duas retas paralelas: _______________________________
1.5 duas retas perpendiculares: _______________________________
180 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET
2. Pinta ambos os desenhos abaixo de acordo com as indicações respetivas. Usa os marcadores.

Pinta com linhas: Pinta com pontos:

III

1. Conta uma narrativa visual (uma história em banda desenhada) sobre uma situação à tua
escolha. Não te esqueças que a tua história deve ter imagens, texto e uma sequência lógica.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 181


Ficha de avaliação diagnóstica
Educação Visual | 6.o Ano

Escola: ________________________________________________________________________________________

Aluno: ______________________________________________ Ano: _____ Turma: _____ Data: ___/___/_____

Classificação: ____________________ Professor: ___________________________________________________

Encarregado de Educação: _____________________________________________________________________

1. Faz corresponder as propriedades dos suportes às respetivas características.

1. Gramagem a) Os papéis podem ser lisos ou rugosos.

2. Textura b) Os papéis podem ter várias cores e tonalidades.

3. Resistência c) Os papéis são mais grossos ou mais finos de acordo


com o seu peso por m2.

4. Cor d) Os papéis podem ser mais fáceis ou mais difíceis de


cortar, furar, dobrar ou vincar, por exemplo.

2. Que materiais utilizas para o desenho rigoroso? Identifica-os e desenha-os.

Nome

Ilustração

3. Quais são as cores primárias?

_______________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________

182 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


II

1. Completa o quadro seguinte.

Nome Ilustração Definição

Diâmetro

É um segmento de reta que une o centro a


qualquer outro ponto da circunferência.

Circunferência

2. Na ilustração seguinte, identifica:

2.1 usando vermelho, três linhas reta na posição vertical;

2.2 usando azul, uma linha reta na posição horizontal;

2.3 usando verde, duas linhas retas na posição oblíqua;

2.4 usando amarelo, duas retas perpendiculares;

2.5 usando castanho, duas retas paralelas.

183
III

1. Quais são os tipos de comunicação que conheces?

_______________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________

2. Quais são os agentes da comunicação?

_______________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________

3. Identifica quatro meios de comunicação escrita.

IV

1. O cartaz é um meio de comunicação escrita. Desenvolve um cartaz informativo do início do ano


letivo.

184 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Critérios de correção | Ficha de avaliação diagnóstica
Educação Visual | 5.o Ano

Grupo I Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total


1. Assinala a opção mais correta. 2 2
Papel de lustro 2
Apresenta quatro
Papel «cavalinho» 2
tipos de papel
2. 8
diferentes. Papel de cenário 2
Por exemplo:
Papel vegetal 2
Marcadores 2
Apresenta quatro
Lápis de cor 2 42
materiais riscadores
3. 8
diferentes. Lápis de cera 2
Por exemplo:
Guache 2
A1 / B4 / C3 2+2+2
A2 / B3 / C4 2+2+2
4. 24
A3 / B1 / C2 2+2+2
A4 / B2 / C1 2+2+2
Grupo II Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total
Reta 2
Semirreta 2
1. Identifica: Segmento de reta 2 10
Retas paralelas 2 28
Retas perpendiculares 2
Linhas 9
2. Pinta utilizando: 18
Pontos 9
Grupo III Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total
Apresenta uma sequência. 10
1. Apresenta coerência. 10 30 30
Revela criatividade. 10

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 185


Critérios de correção | Ficha de avaliação diagnóstica
Educação Visual | 6.o Ano

Grupo I Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total


1. c) 2

Faz a correspondência 2. a) 2
1. 8
correta. 3. d) 2

4. b) 2
Esquadro 2
30
Compasso 2
Identifica os materiais.
2. Transferidor 2 16
Régua 2
Desenha corretamente os instrumentos. 2+2+2+2
3. Identifica as três cores primárias. 2+2+2 6
Grupo II Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total
2
2
2

Completa corretamente os espaços em branco 2


1. 16
do quadro. 2
2
2 24
2
Posição vertical 3
Posição horizontal 1
2. Identifica: Posição oblíqua 2 8
Retas perpendiculares 1
Retas paralelas 1
(continua)

186 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


(continuação)

Grupo III Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total

Identifica os tipos de Comunicação direta 2


1. 4
comunicação. Comunicação indireta 2

Identifica os agentes Emissor 2


2. 4
de comunicação. Recetor 2
16
Cartaz 2
Identifica quatro
meios de Revista 2
3. 8
comunicação escrita. Jornal 2
Por exemplo:
Banda desenhada 2
Grupo IV Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total
Revela criatividade. 5
Revela rigor. 10
1. 30 30
Organiza a informação de forma coerente. 10
Aplica corretamente técnicas de pintura. 5

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 187


Ficha de avaliação diagnóstica
Educação Tecnológica | 5.o ano

Escola: ________________________________________________________________________________________

Aluno: ______________________________________________ Ano: _____ Turma: _____ Data: ___/___/_____

Classificação: ____________________ Professor: ___________________________________________________

Encarregado de Educação: _____________________________________________________________________

Estás num novo ano letivo e tens novas disciplinas. A avaliação diagnóstica ajuda-nos a
perceber o que sabes sobre a disciplina de Educação Tecnológica.

1. Assinala a frase que consideras mais completa e que melhor define o que será a
disciplina de Educação Tecnológica.
É uma disciplina que te ajuda a entender o mundo tecnológico.
É uma disciplina que te ajuda a entender o mundo tecnológico através de processos
técnicos.
É uma disciplina onde se adquirem capacidades de resolução de problemas e
aptidões técnicas e manuais, através da aplicação de conhecimentos necessários.

2. Desenha dois objetos, à tua escolha, de acordo com as instruções seguintes.

Um objeto com uma função prática Um objeto com uma função estética
(ou seja, que usas no dia a dia) (que serve para enfeitar)

188 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


II

1. Marca, na régua que se encontra abaixo, as medidas seguintes:


8 cm / 2 cm / 0,5 cm / 8,5 cm / 19,5 cm / 6 cm / 1,5 cm / 15 cm / 1 cm / 19 cm

2. Observa as imagens e lê as frases seguintes. Completa as frases, de acordo com cada imagem.

O braço da criança forma um As bandeiras formam um A linha da cana forma um


ângulo ________________________. ângulo ____________________. ângulo _____________________.

3. Faz corresponder cada imagem da coluna A a um termo da coluna B, que indica o que esse objeto
mede, e ao respetivo nome desse objeto na coluna C.

Coluna A Coluna B Coluna C


1.
1. Comprimento 1. Relógio

2.
2. Massa 2. Régua

3.

3. Tempo 3. Termómetro

4.

4. Temperatura 4. Balança

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 189


III

1. Cada objeto tem um conjunto de palavras associadas que nos permitem facilmente identificá-lo.
Indica, para cada conjunto, o objeto que se relaciona com esse conjunto de palavras.

Rato Ecrã Roda

Teclado Bateria Guiador

Ecrã Cartão SIM Corrente

Monitor Operadora Pedal

A. Objeto:________________ B. Objeto: _______________ C. Objeto: _______________

IV

1. As energias renováveis estão sempre em constante renovação na natureza. Já as energias


não renováveis existem em quantidades limitadas, vão-se esgotando e não podem ser
renovadas. Faz a ligação entre cada tipo de energia e as imagens respetivas.

Energias renováveis

Energias não renováveis

190 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Ficha de avaliação diagnóstica
Educação Tecnológica | 6.o ano

Escola: ________________________________________________________________________________________

Aluno: ______________________________________________ Ano: _____ Turma: _____ Data: ___/___/_____

Classificação: ____________________ Professor: ___________________________________________________

Encarregado de Educação: _____________________________________________________________________

1. Ordena as imagens (de 1 a 4) da bicicleta mais antiga para a mais recente.

2. Quais são as funções que os objetos podem ter?

3. Preservar e conservar a natureza é fundamental para termos um planeta saudável.


Assim, os «3 R» têm um papel importante. Os «3 R» representam as iniciais de três palavras.
Quais?

II

1. Completa o quadro seguinte de acordo com a tabela do SI (Sistema Internacional de Unidades):

Grandeza de base Unidade Símbolo


metro
kg
segundo
Corrente eléctrica

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 191


2. Observa a imagem. Consideras que o avião apresenta um movimento retilíneo (em linha reta) ou
um movimento curvilíneo (com mudanças de direção)?

_________________________________________

III

1. Desenha os seguintes tipos de traços.

Traço contínuo forte

Traço contínuo fino

Traço interrompido

Traço e ponto

2. Lê atentamente a frase seguinte. Risca o que não interessa, de modo que a frase esteja correta.
A segurança no decurso de uma tarefa é muito importante. Para tal, deverás ter o teu espaço de
trabalho organizado e limpo / com muitas ferramentas e materiais.

IV

1. Completa as frases com renováveis ou não renováveis.


As energias ______________________________ são recursos naturais inesgotáveis, mesmo que usadas
continuamente. São consideradas energias «limpas» por não poluírem o ambiente.
As energias ______________________________ além de serem um recurso esgotável, diminuem à
medida que são utilizadas. Estas energias são perigosas para a saúde do ser humano e
extremamente poluentes para a natureza.

192 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


2. Dá dois exemplos de:

elementos que controlam a passagem de


elementos que geram energia elétrica:
corrente elétrica:

3. Faz a ligação entre cada tipo de estruturas e as imagens respetivas.

Estruturas naturais

Estruturas artificiais

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 193


Critérios de correção | Ficha de avaliação diagnóstica
Educação Tecnológica | 5.o Ano

Grupo I Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total

1. Assinala a opção mais correta. 2 2


Revela rigor 4

Tem noção de
Desenha um objeto com 3
proporção 10
função prática.
Tem noção de
2. 3 22
perspetiva

Revela rigor 4

Desenha um objeto com Tem noção de 3


proporção 10
função estética.
Tem noção de
3
perspetiva
Grupo II Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total

8 cm 2
2 cm 2
0,5 cm 2
8,5 cm 2
19,5 cm 2
1. Mede corretamente. 20
6 cm 2
1,5 cm 2
15 cm 2
1 cm 2 47
19 cm 2
Ângulo reto 5
2. Identifica. Ângulo obtuso 5 15
Ângulo agudo 5
A1 / B4 /C3 1+1+1
A2 / B3 / C1 1+1+1
3. 12
A3 / B2 / C4 1+1+1
A4 / B1 / C2 1+1+1
(continua)

194 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


(continuação)

Grupo III Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total

A. Computador 5
1. Identifica. B. Telemóvel 5 15 15

C. Bicicleta 5
Grupo IV Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total

Energias 4
1. Faz a ligação correta. renováveis 16 16
Energias não 4
renováveis
Energias não 4
renováveis
Energias 4
renováveis

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 195


Critérios de correção | Ficha de avaliação diagnóstica
Educação Tecnológica | 6.o Ano

Grupo I Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total


Enumera corretamente
1. 8 8
as imagens.
Prática 3
Identifica as
2. funções dos Simbólica 3 9
objetos. 26
Estética 3
Reduzir 3
Identifica o
3. significado dos «3 R». Reutilizar 3 9
Reciclar 3
Grupo II Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total
2
2
2

Completa corretamente os espaços 2


1. 16
em branco. 2 21

2
2
2

Identifica o movimento
2. 5 5
retilíneo.

Grupo III Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total


Traço contínuo
4
forte
Traço contínuo
Representa 4
1. fino 16
corretamente.
Traço
4 21
interrompido
Traço e ponto 4
«com muitas
Risca o que não
2. ferramentas e 5 5
interessa.
materiais»
(continua)

196 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


(continuação)

Grupo IV Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total

renováveis 4
1. Completa. 8
não renováveis 4
Elementos que Pilhas 2
geram energia
elétrica (por ex.): Baterias 2 32
2. Elementos que Tomadas 2 8
controlam a
passagem de
corrente elétrica (por Interruptores 2
ex.):
3. Estrutura 4
Faz a ligação natural
correta.
Estrutura 4
natural
16 16
Estrutura 4
artificial
Estrutura 4
natural

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 197


Ficha de avaliação
Educação Visual | Geometria Geral 5.o ano

Escola: ________________________________________________________________________________________

Aluno: ______________________________________________ Ano: _____ Turma: _____ Data: ___/___/_____

Classificação: ____________________ Professor: ___________________________________________________

Encarregado de Educação: _____________________________________________________________________

Antes de começares o teste, preenche o cabeçalho e lê todas as perguntas, certificando-te que não
tens nenhuma dúvida. O teste é feito a caneta, à exceção dos traçados geométricos e traçados
auxiliares, que devem ser executados com lápis, régua, esquadro e compasso.

1. Preenche a grelha seguinte.

Identificação Definição Representação gráfica

1.1 Ponto

1.2 Linha

2. Indica os tipos de linha que conheces e preenche a grelha seguinte.

Identificação Definição Representação gráfica

2.1

2.2

2.3

198 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


3. Indica os tipos de linha reta que conheces e preenche a grelha seguinte.

Identificação Definição Representação gráfica

3.1

3.2

3.3

4. Indica as relações entre linhas retas que conheces e preenche a grelha seguinte.

Identificação Definição Representação gráfica

4.1

4.2

4.3

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 199


5. Indica as diferentes posições que a linha reta pode ter no espaço e preenche a grelha seguinte.

Identificação Representação gráfica

5.1

5.2

5.3

6. Representa os segmentos de reta seguintes.

Segmento de reta Representação gráfica

6.1 [AB] = 5 cm

6.2 [CD] = 6,5 cm

6.3 [EF] = 7,7 cm

200 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


7. Traça a mediatriz do segmento de reta [AB] = 4,5 cm.

8. Preenche as frases seguintes, de modo a obteres afirmações corretas.

8.1 Ao contrário dos pontos geométricos e das linhas geométricas, os planos têm
______________________________________ e ______________________________________.

8.2 Um plano pode ser definido por _________________________________________________________________ ou


_________________________________________ ou, ainda, _______________________________________________________.

9. Qual é a diferença entre plano e superfície?

9.1 __________________________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 201


10. Indica os triângulos que conheces em função dos lados e preenche a grelha seguinte.

Identificação Definição Representação gráfica

10.1

10.2

10.3

202 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


11. Preenche a grelha seguinte.

Identificação Definição Representação gráfica

11.1 Circunferência

11.2 Raio

11.3 Diâmetro

11.4 Corda

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 203


12. Traça uma circunferência com 4 cm de raio e divide-a em duas partes iguais.

204 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


13. Traça uma circunferência com 3,5 cm de raio e divide-a em três partes iguais.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 205


14. Traça uma circunferência com 5 cm de diâmetro e divide-a em quatro partes iguais.

206 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


15. Traça uma circunferência com 6 cm de diâmetro e divide-a em seis partes iguais.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 207


Ficha de avaliação
Educação Tecnológica | Representação –
Grandezas físicas/Medição 5.o ano

Escola: ________________________________________________________________________________________

Aluno: ______________________________________________ Ano: _____ Turma: _____ Data: ___/___/_____

Classificação: ____________________ Professor: ___________________________________________________

Encarregado de Educação: _____________________________________________________________________

1. O que são grandeza física e medição?

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

2. Grandezas de base são as que têm somente uma unidade de medida; grandezas derivadas são as
que resultam da junção de duas ou mais unidades de medida.

Completa os seguintes quadros:

Grandeza de base Unidade de medida Símbolo


metro
quilograma
segundo
ampere

Grandeza derivada Unidade de medida Símbolo


área/superfície m2
volume m3
velocidade m/s
aceleração m/s2

208 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


3. Completa o quadro seguinte com o nome do instrumento de medição e a grandeza física que mede.

Instrumento de medição Nome: O que mede:

___________________________ ___________________________

___________________________ ___________________________

___________________________ ___________________________

___________________________ ___________________________

II

1. Para que serve a medição?


_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

2. Faz a ligação de forma correta.

Medição expedita

Medição rigorosa

3. Todas as medições dependem de variáveis que nem sempre são possíveis de controlar. Identifica
as fontes de incerteza de medição.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 209


Ficha de avaliação
Educação Tecnológica |Representação –
Movimento 6.o ano

Escola: ________________________________________________________________________________________

Aluno: ______________________________________________ Ano: _____ Turma: _____ Data: ___/___/_____

Classificação: ____________________ Professor: ___________________________________________________

Encarregado de Educação: _____________________________________________________________________

1. O que é o movimento?

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

2. Identifica o tipo de movimento representado em cada uma das imagens:

_____________________ _____________________ _____________________ _____________________

3. A variação do movimento no espaço e no tempo pode originar diversos tipos de movimento.


3.1 Faz a ligação correta entre os elementos de ambas as colunas.

Movimento periódico

Variação do movimento no espaço Movimento recíproco ou alternado

Movimento circular

Movimento acelerado ou retardado

Variação do movimento no tempo Movimento uniforme

Movimento oscilatório

Movimento retilíneo

210 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


II

1. Como se transmite e se transforma o movimento?


_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

2. A transformação do movimento consiste em alterar um movimento transformando-o noutro


dentro do mesmo mecanismo. Identifica os operadores mecânicos abaixo apresentados.

______________________________ ______________________________ ______________________________

3. A transmissão do movimento consiste em passar o movimento de um componente para o outro,


dentro do mesmo mecanismo. Dá quatro exemplos nos quais ocorra transmissão de movimento.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 211


III

1. Em cada uma das figuras, assinala com setas o sentido do movimento (a) a i)). Não te esqueças
que a seta define o início do movimento na figura ao lado de cada seta.

a) b) c)

e)
d) f)
g) h) i)

2. Explica o mecanismo de uma bicicleta.

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________________________________________________________________________

212 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Critérios de correção | Ficha de avaliação diagnóstica
Educação Tecnológica | Representação – Grandezas físicas/Medição 5.o ano

Grupo I Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total

1. Diz o que são grandeza física e medição. 12 12

2. Completa as tabelas. 2 u 12 24

termómetro/temperatura 3+3 60
Completa relógio/tempo 3+3
3. 24
corretamente. balança/massa 3+3
régua/comprimento 3+3

Grupo II Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total

1. Diz para que serve a medição. 12 12


2. Faz a ligação correta. 4u4 16
Naturais 4 40
Identifica fontes de
3. Humanas 4 12
incerteza de medição.
Instrumentais 4

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 213


Critérios de correção | Ficha de avaliação diagnóstica
Educação Tecnológica | Representação – Movimento 6.o ano

Grupo I Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total

1. Diz o que é o movimento. 10 10


Retilínea 3
Identifica o tipo Circular 3
2. 12 36
de movimento. Oscilatório 3
Curvilínea 3
3. Faz a ligação correta. 2u7 14

Grupo II Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total

Diz como se transmite e transforma o


1. 10 10
movimento.
Engrenagens
4
cónicas
Identifica os operadores
2. Cremalheira 12
mecânicos. 4
e pinhão
34
Parafuso-sem-fim 4
Roldanas 3
Dá exemplos que
proporcionem a Correias 3
3. 12
transmissão de Correntes 3
movimento.
Rodas dentadas 3

Grupo II Aspetos a avaliar Cotação parcial Cotação total

1. Assinala o sentido correto 2u9 18 30


2. Explica o funcionamento da bicicleta 12 12

214 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Educação Visual
Ficha 1 – Técnica 5.o ano
Escola: _______________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

1. 2.

Perpetuum Mobile, 2004. Grafite Outros Destinos, 2003. Grafite sobre


sobre papel, 160 u 120 cm. papel, 160 u 120 cm.

3.

Memórias de um Eletrão, 2003. Grafite sobre


papel, 120 u 160 cm.

Jorge Martins nasceu em Lisboa, em 1940.


Frequentou a Escola de Belas-Artes de Lisboa entre 1957 e 1961. Em 1958,
integrou a Sociedade Cooperativa de Gravadores Portugueses. Com o início da
Guerra Colonial, partiu para Paris onde viveu durante vários anos. Expôs em
França, Suécia, Bélgica, Estados Unidos da América e Brasil. Em 1991, fixou
residência em Lisboa, continuando ligado a galerias nacionais e internacionais.
Em 2013, o Museu de Arte Contemporânea de Serralves, no Porto, dedicou-
-lhe uma exposição retrospetiva.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 215


Com base nas três imagens cria uma composição com lápis de grafite. Deves usar três gradações de
grafite (que podem corresponder aos lápis B, H e HB). Deves também procurar criar volumes (como
a figura cilíndrica na imagem 1), formas em alto contraste (como a figura recortada no fundo muito
escuro da imagem 2) e sobreposição de manchas, linhas e «esfumados» (como encontras na
imagem 3).

216 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Educação Visual
Ficha 2 – Representação 5.o ano
Escola: _______________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

Composição Geométrica, c. 1947, Nadir Afonso, óleo sobre tela. 94 u 104,3 cm.

Nadir Afonso nasceu em Chaves, em 1920.


Em 1948, concluiu o curso de Arquitetura na Escola de Belas-Artes do Porto,
com uma tese intitulada A arquitetura não é uma arte. Trabalhou como
arquiteto em Paris, com Le Corbusier, a partir de 1946, e no Brasil, com Oscar
Niemeyer, no início da década seguinte.
Pintou sempre durante todo o seu percurso, tendo exposto em Portugal,
França, Itália e Brasil. Escreveu vários ensaios sobre arte. Em 2010, o Museu
do Chiado dedicou-lhe uma exposição retrospetiva. Morreu em 2013, em
Cascais. Três anos depois foi inaugurado, na cidade de Chaves, o Museu de
Arte Contemporânea Nadir Afonso.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 217


1. Com base na obra de Nadir Afonso da página anterior, e recorrendo aos materiais de desenho
técnico, constrói em cada quadrado uma circunferência, um triângulo equilátero, um triângulo
isósceles e um triângulo escaleno.

2. Repete abaixo as figuras que criaste no exercício anterior mas seguindo uma ordem diferente.
Em seguida, pinta todas as figuras e os fundos com lápis de cor.

218 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Educação Visual
Ficha 3 – Discurso 5.o ano
Escola: _______________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

1. 2.

3. 4.

História Dramática de um Ovo (4/27), 1967, António Areal, esmalte sobre platex, sobre tela.
100 u 91 cm cada.

António Areal nasceu em 1934, no Porto.


O seu percurso artístico começou em 1953, inicialmente com uma linguagem
próxima do Surrealismo e, mais tarde, estabelecendo afinidades com a arte Pop.
Publicou em 1968 o volume Textos de intervenção na vanguarda das artes visuais.
Entre 1966 e 1973, a sua produção foi intensa. Faleceu ainda bastante novo, em
1978. A Fundação Calouste Gulbenkian dedicou-lhe uma exposição retrospetiva em
1990. Grande parte das suas obras foi incorporada no acervo do Museu Calouste
Gulbenkian.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 219


A História Dramática de um Ovo é uma obra composta por 27 quadros (dos quais só se apresentam
os quatro que constam da página anterior).

1. Desenha, nos quadrados numerados, os quadros apresentados na página anterior. O número do


quadrado corresponde ao número do quadro.

2. Nos restantes quadrados, desenha as partes que faltam da história, como se de uma banda
desenhada se tratasse. Não te esqueças de pensar num início para a história e numa boa
conclusão. Também deves incluir e completar os balões com o que diriam as personagens.

3. Por fim, pinta todos os desenhos que fizeste.

2 3

220 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Educação Visual
Ficha 4 – Técnica 6.o ano
Escola: _______________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

Jenufa II, 1983, Paula Rego, Vivian Girls na Tunísia, 1984,


acrílico sobre papel, 239 u 202 cm. Paula Rego, acrílico sobre tela,
200 u 100 cm.

Paula Rego nasceu em Lisboa, em 1935.


Estudou em Londres entre 1952 e 1956, na Slade School of Art.
Regressou a Portugal em 1957. Começou por viver na Ericeira, até
1963, e depois entre Inglaterra e Portugal, acabando por fixar a sua
morada na capital inglesa em 1976. Expôe regularmente em
Portugal desde os anos 1960 e no Reino Unido a partir dos anos
1980. Em 2009 foi inaugurada, em Cascais, a Casa das Histórias
Paula Rego, um museu dedicado à sua obra.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 221


1. Escolhe três figuras dos quadros da página anterior. Desenha-as e pinta-as, usando as cores
primárias da síntese subtrativa.

2. Volta a desenhar essas figuras, agora em outras posições. Em seguida, pinta-as com as cores
complementares respetivas.

222 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Educação Visual
Ficha 5 – Representação 6.o ano
Escola: _______________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

Atelier, Lisbonne, 1934-1935, Vieira da Silva, óleo sobre tela, 115 u 146,5 cm.

Maria Helena Vieira da Silva nasceu em Lisboa, em 1908.


Estudou pintura, desenho e escultura na Academia de Belas-Artes de
Lisboa e anatomia na Faculdade de Medicina de Lisboa. Em 1928, foi viver
para Paris, onde conheceu o pintor húngaro Arpad Szenes com quem
acabou por casar. Viveu no Brasil entre 1940 e 1947. Embora nunca tenha
perdido a ligação a Portugal, naturalizou-se francesa em 1956, país que
lhe concedeu vários prémios de destaque. Em 1994, foi inaugurada em
Lisboa a Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva, dois anos após a morte da
pintora.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 223


Considera os cinco planos que configuram o espaço abaixo representado: teto, chão, paredes e
fundo. Considera também os outros dois planos apresentados.

1. Pinta o chão e o teto com o mesmo material e as paredes e o fundo com outro material.
Preenche com linhas os dois planos remanescentes.

2. Utilizando tesoura, cola e diferentes tipos de papel, cria uma nova composição. Podes utilizar
papéis não opacos nos dois planos à frente das paredes.

224 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Educação Visual
Ficha 6 – Discurso 6.o ano
Escola: _______________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

Pop Galo, 2016, Joana Vasconcelos, escultura com nove metros de


altura (com 17 mil azulejos e 16 mil lâmpadas LED).

Joana Vasconcelos nasceu em Paris, em 1971.


Veio para Lisboa muito pequena, onde vive e trabalha atualmente.
Frequentou a Escola Artística António Arroio, o Ar.Co – Centro de Arte e
Comunicação Visual, e o então IADE – Instituto de Arte e Design. Expõe
regularmente desde meados dos anos 1990, tendo o seu trabalho
tomado uma dimensão internacional a partir do ano 2000. No seu
percurso mais recente, destacam-se a exposição no Palácio de Versalhes
em 2012 e a representação oficial portuguesa na Bienal de Veneza de
2013. O Museu Coleção Berardo dedicou-lhe, em 2010, uma exposição
retrospetiva.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 225


O Pop Galo representa um Galo de Barcelos (um símbolo típico da cultura portuguesa) forrado com
azulejos – outro símbolo do património cultural português.

A palavra «azulejo» tem origem no termo árabe azzelij, que significa «pequena pedra polida».
Apesar da cor azul ter dominado inicialmente a produção de azulejo, mais tarde começou a usar-se
também o amarelo-ocre e outras cores.
No quadrado abaixo, utilizando apenas o azul e o amarelo, desenvolve um estudo para um azulejo.
Nele deves representar o Galo de Barcelos e, pelo menos, mais outros dois objetos do património
cultural português.
Podes começar por desenhar a lápis de grafite e, depois, pintar com a tinta de guache, caneta de
feltro ou pastel de óleo. Não te esqueças que os azulejos são normalmente simétricos e têm os
contornos decorados.
Sê criativo!

226 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Educação Visual
Ficha 7 – Projeto 6.o ano
Escola: _______________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

Porta da Harmonia, 1957, José de Almada O Ponto de Bauhütte, 1957, José de Almada
Negreiros, óleo sobre tela, 60 u 60 cm. Negreiros, óleo sobre tela, 60 u 60 cm.

Quadrante I, 1957, José de Almada Relação 9/10, 1957, José de Almada


Negreiros, óleo sobre tela, 60 u 60 cm. Negreiros, óleo sobre tela, 60 u 60 cm.

José de Almada Negreiros nasceu em São Tomé, em 1893.


Começou a expor individualmente em 1912. Em 1915, publicou o célebre
Manifesto Anti-Dantas e colaborou na revista Orpheu. Em 1917, fundou a revista
Portugal Futurista. Escreveu o romance Nome de Guerra, em 1925.
Nos anos seguintes, viveu em Madrid, interveio na Exposição do Mundo
Português e realizou obra nas gares marítimas de Alcântara da Rocha do Conde
de Óbidos, assim como nas universidades de Lisboa e de Coimbra.
a
Ganhou, entre outros, o Prémio Columbano na 7. Exposição de Arte Moderna,
em 1942, e o Prémio Nacional de Artes, em 1959. Morreu em 1970, em Lisboa.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 227


O objetivo desta atividade é compor um cartaz apelativo e informativo sobre a figura de Almada
Negreiros. Considera as várias formas e palavras que apresentamos a seguir.

1. Com lápis de grafite, transfere as formas e as palavras para uma folha de papel vegetal.

2. Em seguida, deverás transferi-las do papel vegetal para uma folha de papel A4, agrupando-as de
um modo graficamente interessante.

Sugerimos-te que uses uma cor escura, como, por exemplo, o preto.

almada são tomé poeta PESSOA


MANIFESTO anti-dantas orpheu Portugal
futurista escritor madrid CULTURA
EXPOSIÇÃO desenho pintor lisboa

228 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Educação Visual
Ficha 8 – Estudo da letra
Escola: _______________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

A «arte de desenhar letras» possui um conceito simples: consiste na criação de um abecedário,


normalmente desenhado à mão (com lápis de grafite, esferográfica ou tinta da China, entre outros),
com uma relação entre as diferentes letras (que pode ser de altura, largura ou apenas estética),
tendo subjacente uma finalidade ou um objetivo.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 229


Na imagem abaixo, apresentamos-te um tipo de letra, geométrica e simples, no qual é utilizada uma
quadrícula. Podes utilizá-la com facilidade, por exemplo, na decoração da capa onde guardas os teus
trabalhos ou na execução do título de um cartaz.

230 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


1. Aproveita a quadrícula seguinte e tenta replicar o abecedário.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 231


2. Observa materiais que utilizas nas aulas de Educação Visual como o lápis de grafite, a borracha,
os lápis de cor, os marcadores, os pincéis, a régua, o esquadro ou o transferidor.

2.1 Cria um abecedário com esses materiais, inspirado nas imagens seguintes.

2.2 Faz a identificação da tua capa utilizando as letras que criaste com esses materiais.

232 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


3. Observa algumas ferramentas próprias de Educação Tecnológica tal como o martelo, a chave de
fendas, o esquadro, ou as réguas articuladas, entre outras.

3.1 Sobre uma cartolina, com uma cor do teu agrado, cria as diferentes letras do teu nome
utilizando as ferramentas próprias de Educação Tecnológica. Inspira-te nas imagens abaixo.

3.2 Fotografa cada letra, imprime e faz uma montagem para identificares a tua capa.

4. Recorta e monta um alfabeto em três dimensões. Pede ao teu professor que te forneça as
planificações das letras.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 233


No presente Caderno de Apoio ao Professor, fornecemos o exemplo da planificação de uma letra.
As restantes letras do alfabeto encontram-se disponíveis em .

234 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Educação Visual
Ficha 9 – Óvulo/Rosto (1)
Escola: _______________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

O óvulo é uma linha curva fechada, realizada através de quatro arcos de circunferência
concordantes (dois iguais e dois diferentes). Em baixo explicamos-te como podes desenhar
facilmente um óvulo e utilizá-lo para realizar diversas atividades.

Construção de um óvulo através de uma circunferência:

Numa circunferência, traça o Com a ponta seca em B, abre o Une os arcos de circunferência,
segmento de reta [AB] (diâmetro) compasso a mais de metade do prolongando-os até intersetarem
passando pelo ponto O. segmento de reta [AB] e traça a circunferência em dois pontos
dois arcos de circunferência. C e D.
Com a mesma abertura, mas com
a ponta seca em A, traça outros
dois arcos de circunferência.

Traça uma semirreta com início Com a ponta seca em A, abre o Com a ponta seca em D, abre o
em A e passando por D. compasso até B e traça um arco compasso até E e traça o arco de
Traça outra semirreta com início de circunferência até intersetar a circunferência até F.
em B, também passando por D. semirreta AD. Eis o teu óvulo.
Com a mesma abertura, coloca a
ponta seca em B e traça um arco
de circunferência até intersetar a
semirreta BD.
Determinas assim os pontos E e F.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 235


Educação Visual
Ficha 9 – Óvulo/Rosto (2)
Escola: _______________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

O rosto pode ter formatos diferentes. No entanto, o óvulo é um dos formatos mais usados quando
se pretende desenhar um rosto. Assim, quando desenhas um rosto, deves ter em conta a seguinte
divisão do óvulo.

Divide o óvulo pelo seu Divide o eixo de simetria Divide a última parte em Divide a segunda parte
eixo de simetria. em quatro partes iguais. quatro partes iguais. em 10 partes iguais na
vertical.

Divide a terceira e a
quarta parte ao meio.

Agora que tens as


marcações feitas,
podes começar a
desenhar os diversos
elementos que
compõem o rosto.
Observa em que
marcação são
desenhados os
elementos seguintes:
z sobrancelhas
z olhos
z nariz
z boca
z orelhas
z cabelo

236 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Biblioteca do rosto

Boca

Olhos

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 237


Orelhas

Nariz

238 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Cabelos

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 239


Educação Visual
Ficha 9 – Óvulo/Rosto (3)
Escola: _______________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

Aplica o que aprendeste sobre a construção do óvulo e as proporções do rosto e faz o teu
autorretrato.

240 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Educação Visual
Ficha 9 – Óvulo/Rosto (4)
Escola: _______________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

A imagem abaixo é uma obra de arte do artista norte-americano Andy Warhol, que é mundialmente
conhecido como um dos grandes representantes do movimento artístico Pop Art.

Também podes fazer a tua obra ao estilo Pop art.


Começa por desenhar o teu autorretrato.
Em seguida, faz quatro fotocópias utilizando uma escala de redução.
Depois, aplicando a técnica da aguarela, ou através da colagem de papel vegetal colorido ou de
papel celofane colorido, cria o teu autorretrato segundo o estilo Pop Art.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 241


Educação Visual
Ficha 9 – Óvulo e rosto (5)
Escola: _______________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

Uma forma bastante engraçada de «criares» rostos é através da técnica de colagem.


Aproveita revistas velhas, folhetos de supermercado, brochuras de viagens, entre outros materiais,
e com a ajuda de uma tesoura, de cola e de uma folha colorida da tua preferência, cria personagens
engraçadas. Dá largas à tua imaginação e diverte-te.

242 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Educação Tecnológica
Ficha 1 – Técnica 5.o ano
Escola: ________________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

1. Cadeira da série Objetos 2. Cadeira Gonçalo, Fábrica Arcalo 3. Redesign Cadeira Portuguesa,
Transfigurados, Tomás Taveira. Material: aço (metal). Nuno Ladeiro. Material:
polipropileno (plástico)
com injeção de ar.

4. Cadeiras alentejanas. Material: 5. Cadeiras do período Joanino em exposição


madeira e buinho (espécie no Palácio Nacional da Ajuda, Lisboa.
vegetal local).

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 243


1. Observa com atenção as figuras da página anterior. Lê as legendas respetivas.
1.1 Quais são as cadeiras que te parecem ser de fabrico artesanal? Porquê?

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

1.2 Das duas cadeiras de fabrico industrial apresentadas:


1.2.1 qual é a cadeira que parece ser mais pesada?
1.2.2 qual é a cadeira que foi concebida há mais tempo?
1.2.3 qual é a cadeira mais recente?

Justifica as tuas respostas.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

244 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


1.3 Todas estas cadeiras têm uma função prática: servem para nos podermos sentar nelas. Mas
os objetos técnicos também têm outras funções.

1.3.1 Em que cadeiras te parece estar muito presente a função estética?


1.3.2 E em que cadeiras te parece estar muito presente a função simbólica?

Justifica as tuas respostas.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 245


Educação Tecnológica
Ficha 2 – Representação 5.o ano
Escola: ________________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

A primeira fábrica de produção de vidro em Portugal, a Real Fábrica de Vidros da


Marinha Grande, foi estabelecida pelo Marquês de Pombal em 1769. Desde então, as
várias fábricas da região mantiveram viva essa tradição, através da produção de peças
de grande qualidade.

1. 2.

3.

246 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


1. Observa com atenção as imagens anteriores.

1.1 Sabendo qual é a altura, utilizando a régua e fazendo o cálculo necessário, determina qual é
o diâmetro máximo do vaso da figura 1. Escreve-o em metros (m).

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

1.2 É possível encher um garrafão de 5 litros com 10 garrafas iguais à da figura 2. A que
grandeza se está a fazer referência? Qual é a quantidade dessa grandeza que a garrafa pode
comportar? Escreve-a em mililitros (ml).

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

1.3 Para ser enviada pelo correio, a mesma garrafa precisa de ser acomodada dentro de uma
caixa. Quais podem ser as dimensões mínimas dessa caixa? E qual é o seu volume? Escreve
as respostas usando as unidades de medida adequadas.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 247


1.4 Com o transferidor, mede o ângulo que o funil da figura 3 faz com a linha horizontal. Que
tipo de ângulo se trata? Escreve a tua resposta usando as unidades de medida adequadas.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

2. Antes de solidificar, o vidro é colhido do forno, soprado e moldado numa cana sempre em
rotação. A temperatura no forno atinge uma temperatura de 1200o C. A que unidade de medida
se refere essa letra C?

___________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

248 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Educação Tecnológica
Ficha 3 – Discurso 5.o ano
Escola: ________________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

A marca Nelo estabeleceu-se em 1978. Desde a sua formação, a empresa fabricou mais de 30 mil
barcos, variando nos modelos, nos processos e nas tecnologias de construção. Hoje em dia, é o
maior fabricante de canoas no mundo.

1.

2.

3.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 249


1. Observa com atenção as figuras da página anterior.

1.1 Identifica as três vistas do caiaque.

1. ___________________________________________________

2. ___________________________________________________

3. ___________________________________________________

2. Tendo em conta que as cotas apresentadas correspondem às dimensões reais, e medindo com a
régua o comprimento (loa) e a largura (boca) do barco, consegues determinar a que escala está
representado? Uma pista: se estivesse representado à escala 1:100, o comprimento no desenho
seria de 5,2 cm.

_______________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________

3. Representa corretamente na grelha abaixo duas secções do caiaque – transversal e longitudinal –


assinaladas pelas linhas vermelhas. Se precisares, recorre a uma folha de papel vegetal para
transferires as imagens. Assinala também a altura (pontal) do barco com a respetiva cota.

250 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


4. Completa a frase com uma das palavras seguintes.

termo vocabulário objeto

Loa, boca e pontal são exemplos do ___________________________ específico do universo da


náutica.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 251


Educação Tecnológica
Ficha 4 – Projeto 5.o ano
Escola: ________________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

1. 2.

3. 4.

5. 6.

252 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


1. Observa com atenção as figuras da página anterior.

1.1 Identifica as figuras que ilustram dois tipos de energia renovável e os respetivos nomes.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

2. Explica, por palavras tuas, o que são energias não renováveis.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

3. Identifica nas figuras dois exemplos de combustíveis fósseis. Indica de que combustíveis fósseis
se trata.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 253


4. Explica, por palavras tuas, o processo de transformação da energia hidroelétrica em eletricidade.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

5. Observa as figuras 5 e 6. Indica qual é a que apresenta a lâmpada elétrica energeticamente mais
eficiente. O que significa, no caso das lâmpadas, eficiência energética?

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

254 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Educação Tecnológica
Ficha 5 – Técnica 6.o ano
Escola: _________________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

1. Cortiça armazenada. Corticeira Amorim. 2. Papel higiénico colorido. Renova.

3. Lápis de grafite hexagonal Viarco.

4. Fábrica de papel. The Navigator Company.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 255


1. Observa com atenção as figuras da página anterior. Lê as legendas respetivas.

1.1 O que têm em comum todos os produtos apresentados?

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

1.2 Além de matéria-prima vegetal, o lápis de grafite tem outro tipo de matéria-prima. Indica-a.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

256 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


1.3 Descreve por palavras tuas o processo de fabrico do papel.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

1.4 Dá um exemplo de normalização do papel.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

1.5 Menciona uma propriedade mecânica do papel higiénico.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

1.6 Onde podemos encontrar exemplos de utilização da cortiça? Dá dois exemplos.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 257


Educação Tecnológica
Ficha 6 – Representação 6.o ano
Escola: ________________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

A Órbita foi fundada em 1971 e é o resultado da junção de várias empresas fabricantes de bicicletas.
Hoje em dia, a percentagem de bicicletas exportadas ronda os 70% do total de produção.

1. Bicicleta 1971. Modelo para senhora.

258 Editável e fotocopiável © Texto | 100% Vida | EV/ET


1. Observa com atenção o esquema seguinte, que representa o mecanismo de uma bicicleta.
Cada circunferência representa uma peça que roda num eixo.

1.1 Indica no esquema, através de setas direcionais, o movimento que ocorre em todas as
peças.
Ordena as letras apresentadas de acordo com a ordem do movimento das quatro peças.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

1.2 Na bicicleta, como se chama o elemento que transmite o movimento de um eixo para o
outro?

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 259


2. Observa a imagem seguinte.

2.1 Como se chama a trajetória que a Terra descreve à volta do Sol? Uma pista: o nome dessa
trajetória tem algo em comum com a bicicleta da página anterior.

_______________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________

2.2 Como classificarias essa trajetória?

_______________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________

2.3 Como classificarias o movimento da Terra à volta do Sol no espaço? E no tempo?

_______________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________

260 Editável e fotocopiável © Texto | 100% Vida | EV/ET


Educação Tecnológica
Ficha 7 – Discurso 6.o ano
Escola: ________________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

1. Pintura de cerâmica. 2. Andorinha em cerâmica.

4. Faianças Bordallo Pinheiro, Caldas da Rainha,


3. Galo de Barcelos.
moldes para as andorinhas.

5. Construção naval. 6. Barcos, Sesimbra.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 261


1. Observa com atenção as figuras da página anterior. Lê as legendas respetivas.

1.1 Que processo de fabrico é retratado na figura 1, estando o objeto finalizado na figura 3?

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

1.2 Que processo é referido na figura 4?

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

1.3 Indica dois exemplos de união de madeira: um através de união direta e outro através de
união indireta.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

1.4 Indica dois processos de unir madeira sem recorrer a componentes de ligação.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

262 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


1.5 Indica três ferramentas usadas na construção naval em madeira: uma auxiliar, uma de
aplainar e outra de serrar.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

2. Explica por palavras tuas porque é que não se deve usar pregos na construção dos cascos em
madeira dos barcos de pesca.

_______________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 263


Educação Tecnológica
Ficha 8 – Projeto 6.o ano
Escola: ________________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

1. Ponte 25 de Abril, Lisboa. 2. Ponte Luís I, Porto.

3. Armadilhas de pesca. 4. Torre de Belém, Lisboa.

5. Algar de Benagil, Algarve. 6. Torre dos Clérigos, Porto.

264 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


1. Observa com atenção as figuras da página anterior. Lê as legendas respetivas.

1.1 Além de ambas as imagens mostrarem pontes, o que têm em comum as figuras 1 e 2?

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

1.2 O que têm em comum as figuras 4, 5 e 6?

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 265


1.3 Indica a figura que apresenta uma estrutura natural e o seu respetivo nome.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

1.4 Indica a figura que apresenta uma estrutura móvel e o seu respetivo nome.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

2. Qual é o esforço a que as pontes estão mais sujeitas? Explica por que razão é que as pontes
apresentadas anteriormente possuem a forma que podes ver nas figuras.

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________________

266 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Lista de verificação de aprendizagens
Educação Visual | 5.o ano
Escola: ________________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

Ao longo deste ano letivo, sempre que aprenderes um novo conteúdo, preenche a tabela seguinte.
Esta tabela ajuda-te a perceber o que já sabes e o que ainda precisas de melhorar.
Educação Visual – 5.o ano
Aprendi Já sei Preciso Pág.
(data) melhorar manual
O que são materiais riscadores?
Lápis de grafite
Lapiseira, borracha, afia-lápis e esfuminho
Lápis de cor
Lápis de cera
Pastel de óleo
Pastel seco
Marcadores
Tinta da China
Técnica T5

Aguarela
Guache
Pincel e godé
O que são suportes?
Papel
ͻ Características do papel
ͻ Tipos de papel
ͻ Formatos universais do papel
O que é o desenho técnico?
Desenho técnico
ͻ Materiais de desenho técnico
Traçado rigoroso
Para que serve a Geometria?
Elementos geométricos simples
ͻ Ponto
ͻ Linha
ͻ Plano
ͻ Superfície
ͻ Volume
Representação R5

Representar traçados geométricos simples


ͻ Relembrar elementos geométricos
ͻ Traçar linhas paralelas
ͻ Traçar linhas perpendiculares
Construir polígonos, dividir segmentos de reta e
circunferências em partes iguais
ͻ Relembrar elementos da circunferência
ͻ Construir triângulos
- Construção de um triângulo equilátero
- Construção de um triângulo isósceles
- Construção de um triângulo escaleno
ͻ Dividir segmentos de reta
- Divisão do segmento de reta em partes iguais

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 267


Educação Visual – 5.o ano
Aprendi Já sei Preciso Pág.
(data) melhorar manual
- Divisão do segmento de reta em qualquer número de
partes iguais
ͻ Divisão da circunferência e construção de polígonos
regulares inscritos
- Divisão da circunferência em três partes iguais e
construção de um triângulo equilátero
- Divisão da circunferência em seis partes iguais e
construção de um hexágono e um polígono estrelado de
seis pontas
- Divisão da circunferência em quatro partes iguais e
construção de um quadrado
- Divisão da circunferência em cinco partes iguais e
construção de um pentágono e um polígono estrelado de
cinco pontas
Para que serve a estrutura?
Tipos de estruturas
Forma e função
Módulo e padrão
O que é a textura?
A textura como sensação visual e tátil
Texturas naturais e artificiais à nossa volta
Criar e exprimir texturas através do desenho
O que é a comunicação?
Os cinco sentidos
Agentes e tipos de comunicação
ͻ Agentes da comunicação
ͻ Tipos de comunicação
ͻ Narrativa visual
Como comunicamos?
Códigos de comunicação
ͻ Gravuras paleolíticas
ͻ Hieróglifos
ͻ Sistemas numéricos
ͻ Língua gestual
ͻ Caligrafia
Discurso D5

ͻ Código Morse
ͻ Código Braille
ͻ Bandeiras
ͻ Sinais de trânsito
ͻ Cor dos semáforos
ͻ Pictogramas
ͻ Símbolos
Suportes impressos
ͻ Pergaminho
ͻ Papel
ͻ Tecido
Meios de comunicação
ͻ Meios de comunicação escrita
ͻ Meios de comunicação sonora
ͻ Meios de comunicação audiovisual
ͻ Meios de comunicação multimédia e hipermédia

268 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Lista de verificação de aprendizagens
Educação Visual | 6.o ano
Escola: ________________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

Ao longo deste ano letivo, sempre que aprenderes um novo conteúdo, preenche a tabela seguinte.
Esta tabela ajuda-te a perceber o que já sabes e o que ainda precisas de melhorar.
Educação Visual – 6.o ano
Aprendi Já sei Preciso Pág.
(data) melhorar manual
O que é a cor?
Luz e cor
Influência da textura e da dimensão na perceção da cor
Diferenças entre cor-luz e cor-pigmento
ͻ Cor-luz (síntese aditiva)
ͻ Cor-pigmento (síntese subtrativa)
Relações cromáticas (círculo cromático)
ͻ Cores primárias e cores secundárias
Técnica T6

ͻ Cores complementares
ͻ Relação cores quentes/cores frias
ͻ Relação branco/preto
ͻ Relação claro/escuro
Qual é a simbologia e o significado da cor?
Valor simbólico da cor
ͻ Valor simbólico da cor em normas e regras
ͻ Valor simbólico da cor nos sinais de trânsito
ͻ Valor simbólico da cor nas sinaléticas industriais
A cor na comunicação e na construção de mensagens
Como se relacionam os objetos no espaço?
Representação do espaço
Posição relativa de retas no espaço
Posição relativa entre reta e plano
Posição absoluta dos objetos no espaço
Representação R6

Posição relativa dos objetos


Leitura do espaço
Como representamos os elementos físicos (de um objeto) no espaço?
Representação do objeto
Relação entre o interior e a superfície de um objeto
Relação entre um objeto e as suas representações
ͻ Escala
ͻ Redução e ampliação: método da quadrícula
ͻ Plantas e mapas
ͻ Alçados

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 269


Educação Visual – 6.o ano
Aprendi Já sei Preciso Pág.
(data) melhorar manual
O que é o património?
Noção e valor do património
ͻ Noção do património
ͻ Valor do património
Discurso D6

Tipos de património
ͻ Património natural
ͻ Património cultural material
ͻ Património cultural imaterial
A obra de arte como património cultural e artístico
Qual é a importância do património para a afirmação da identidade regional?
Importância do património de cada região
Experiência pessoal na interpretação do património
O que é um discurso gráfico?
Elementos básicos do discurso gráfico
Teoria da Gestalt
Projeto P6

Como avaliamos a criação de um discurso gráfico?


Sentido crítico na comunicação
ͻ Imagem
ͻ Texto
ͻ Organização formal dos elementos gráficos
Adequação da mensagem aos suportes e recetores
ͻ Tipos de cartazes

270 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Lista de verificação de aprendizagens
Educação Tecnológica | 5.o ano
Escola: ________________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

Ao longo deste ano letivo, sempre que aprenderes um novo conteúdo, preenche a tabela seguinte.
Esta tabela ajuda-te a perceber o que já sabes e o que ainda precisas de melhorar.
Educação Tecnológica – 5.o ano
Aprendi Já sei Preciso Pág.
(data) melhorar manual
Para que serve a tecnologia?
Tecnologia e técnica
Técnica T5

Evolução tecnológica
Influência da tecnologia
O que é um objeto técnico?
Definição e evolução do objeto técnico
Influência do objeto técnico
Interpretar e decompor um objeto técnico
O que são grandeza física e medição?
Grandeza física
ͻ Sistema Internacional de Unidades
ͻ Tipos de grandeza
Instrumentos de medição
ͻ Comprimento e régua
Representação R5

ͻ Ângulo e transferidor
ͻ Massa e balança
ͻ Tempo e relógio
ͻ Temperatura e termómetro
Para que serve a medição?
Medição expedita e medição rigorosa
ͻ Medição expedita
ͻ Medição rigorosa
Medida e erro
ͻ Fontes de incerteza de medição
ͻ Categorias de erro de medição
Grandeza física, unidade de medida e instrumento de medição

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 271


Educação Tecnológica – 5.o ano
Aprendi Já sei Preciso Pág.
(data) melhorar manual
O que é a comunicação tecnológica?
Vocabulário tecnológico
Instruções e esquemas
Como comunicamos tecnologia?
Discurso D5

Organizar e ilustrar informação


Sistemas, codificações e simbologias
ͻ Representação das vistas
ͻ Representação em perspetiva
ͻ Escalas
ͻ Cotagem
ͻ Tipos de linhas
O que são fontes de energia?
Fontes de energia
ͻ Energias renováveis
ͻ Energias não renováveis
Impacto social e ambiental da exaustão das fontes energéticas
Como é que se produz e se transforma a energia?
Processos de produção de energia
Projeto P5

ͻ Produção de energia a partir de fontes de energia


renováveis
ͻ Produção de energia a partir de fontes de energia não
renováveis
Processos de transformação de energia
Como funciona a eletricidade?
A electricidade
ͻ Cuidados a ter com a eletricidade
Operadores elétricos
Circuito elétrico simples
Regras de poupança de energia

272 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Lista de verificação de aprendizagens
Educação Tecnológica | 6.o ano
Escola: ________________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

Ao longo deste ano letivo, sempre que aprenderes um novo conteúdo, preenche a tabela seguinte.
Esta tabela ajuda-te a perceber o que já sabes e o que ainda precisas de melhorar.
Educação Tecnológica – 6.o ano
Aprendi Já sei Preciso Pág.
(data) melhorar manual
O que são materiais?
Origem e propriedades dos materiais
ͻ Tipos de materiais
ͻ Propriedades físicas e propriedades mecânicas dos materiais
ͻ Armazenamento dos materiais
ͻ Normalização e apresentação dos materiais no mercado
Como se transformam as matérias-primas em materiais?
ͻ Da madeira ao papel
ͻ Características do papel
Papel ͻ Propriedades mecânicas do papel
ͻ Armazenamento do papel
ͻ Normalização e apresentação no mercado
ͻ Da árvore à madeira
ͻ Características da madeira
Madeira ͻ Propriedades mecânicas da madeira
ͻ Armazenamento da madeira
ͻ Normalização e apresentação no mercado
Técnica T6

ͻ Do barreiro à argila
ͻ Características da argila
Argila ͻ Propriedades mecânicas da argila
ͻ Armazenamento da argila
ͻ Normalização e apresentação no mercado
ͻ Da ovelha ao têxtil de lã (malha)
ͻ Características dos têxteis
Têxteis ͻ Propriedades mecânicas dos têxteis
ͻ Armazenamento dos têxteis
ͻ Normalização e apresentação no mercado
ͻ Do minério ao ferro
ͻ Características dos metais
Metais ͻ Propriedades mecânicas dos metais
ͻ Armazenamento dos metais
ͻ Normalização e apresentação no mercado
Qual é o impacto da extração de matérias-primas no ambiente?
Impacto ambiental da extração de matérias-primas
A reciclagem e a redução do impacto ambiental
ͻ Os «3 R»

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 273


Educação Tecnológica – 6.o ano
Aprendi Já sei Preciso Pág.
(data) melhorar manual
O que é o movimento?
Tipos de movimento
Variação no espaço dos tipos de movimento
Variação no tempo dos tipos de movimento
Representação R6

Como se transmite e se transforma o movimento?


Contexto histórico
Processos de transformação e transmissão do movimento
ͻ Processos de transformação do movimento
ͻ Processos de transmissão do movimento
ͻ Movimento oscilatório do pêndulo do relógio e movimento
circular dos ponteiros
ͻ Movimento retilíneo da corda e movimento curvilíneo do
sino
Mecanismos simples
O que têm em comum os processos de fabrico, construção e utilização?
Organização e planificação de tarefas
Higiene e segurança no local de trabalho
O que significa fabricar e construir?
Ferramentas e máquinas
Discurso D6

Grupos de ferramentas e máquinas


ͻ Medir, traçar e verificar
ͻ Serrar e cortar
ͻ Desbastar, ensamblar e aplainar
ͻ Furar
ͻ Auxiliares
Técnicas de fabrico
Uniões fixas e móveis
Tipos de uniões e materiais
O que é uma estrutura?
Forma, função e módulo da estrutura
Tipos de estruturas
ͻ Estruturas naturais e artificiais
ͻ Estruturas fixas e móveis
Evolução histórica da construção de estruturas
Projeto P6

ͻ Construção com pedra e com madeira


ͻ Construção com tijolo
ͻ Construção com cimento
ͻ Construção com metais
ͻ Construção com betão
Qual é a relação entre a forma e a função de uma estrutura?
Função das estruturas e dos seus componentes
Esforços a que estão sujeitas as estruturas
Desenvolvimento de estruturas

274 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Ficha de autoavaliação do aluno

Escola: _______________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

o o o
1. Período 2. Período 3. Período
<3 3 4 5 <3 3 4 5 <3 3 4 5

Quase sempre

Quase sempre

Quase sempre
Raramente

Raramente

Raramente
Parâmetros

Às vezes

Às vezes
Às vezes
Sempre

Sempre

Sempre
Manusear
Trago e uso os materiais/instrumentos
adequados
Sou correto/a e rigoroso/a com os materiais
Domino as técnicas (sei o que fazer)
Saber
Conhecimento / Capacidade / Competência

Exprimo bem as minhas ideias (sou claro/a)


Aplico os conceitos certos (sou correto/a)
Analiso as várias hipóteses (sou ponderado/a)
Elaborar
Defino o(s) problema(s) (sei qual é/quais são o(s)
objetivo(s))

Tenho eficácia visual e técnica (os meus


trabalhos/projetos são compreendidos)

Justifico as minhas opções (explico o porquê


daquilo que faço)
Perceber
Sou sensível (associo materiais, formas, objetos
e cores com sentido e de maneira pensada)

Sou expressivo/a (experimento fazer contrastes,


criar variações e intensidades)

Sou criativo/a (tento obter um resultado


surpreendente ou diferente do normal)

Ser e estar
Sou pontual e assíduo/a
Cumpro com as regras da disciplina
Atitudes

Sou interessado/a e empenhado/a


Tenho autonomia e organização
Faço os trabalhos de casa
Sou verdadeiro/a na autoavaliação

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 275


o o o
1. Período 2. Período 3. Período/Final
Nível (1 a 5) Nível (1 a 5) Nível (1 a 5)

Concordo Concordo Concordo


Não concordo Não concordo Não concordo

Este período gostei de: Este período gostei de: Este período gostei de:

Este período não gostei de: Este período não gostei de: Este período não gostei de:

Posso melhorar: Posso melhorar: Posso melhorar:

Ass.:_______________________________ Ass.:_______________________________ Ass.:_______________________________

data ________/____/________ data ________/____/________ data ________/____/________

276 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Metodologia de projeto
ou de resolução de problemas

Para conseguirmos encontrar as soluções adequadas aos nossos desejos, necessidades ou


problemas, desenvolvemos uma metodologia específica e adequada, designada por metodologia de
projeto ou método de resolução de problemas. Trata-se de uma sequência de etapas, que começa
com a definição de um problema e termina com a produção da sua solução.

Estuda o teu problema Através da internet e da biblioteca


Pesquisa e recolhe informações sobre o tema da escola, faz pesquisa de
informações sobre o assunto
relacionado com o teu problema.
relacionado com o teu problema.

Desenvolve soluções Organiza bem a informação que


recolheste, selecionando aquela que
Seleciona, organiza e trata a informação que
consideras mais importante para o teu
recolheste e opta por uma solução que te
projeto. Depois, descreve o modo como
pareça a melhor!
vais desenvolver o teu projeto.

Planifica o teu trabalho Pensa nas diversas tarefas que tens de realizar
para concretizares o teu projeto: por exemplo,
Organiza e planifica as tarefas necessárias para a
que materiais e técnicas vais utilizar, quanto
concretização do teu projeto.
tempo necessitas para cada fase do teu trabalho
e que custos podes ter de despender.

Executa o teu projeto Realiza todas as tarefas que


identificaste, explorando os
Executa as tarefas que planificaste
materiais e as técnicas que
anteriormente, de modo a concretizares o teu
escolheste utilizar.
projeto.

Avalia o teu produto final Observa e analisa aquilo que elaboraste,


verificando se a solução encontrada resolve
Avalia, finalmente, o resultado do teu
o problema identificado inicialmente.
trabalho.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 277


Como pesquisar
e organizar informação
Para pesquisares e organizares informação, deves considerar:

 A definição das tarefas e do tema  A identificação dos meios e das


a pesquisar: fontes de informação:

ͻ Em primeiro lugar, define com rigor o ͻ Em terceiro lugar, identifica os meios e as


objetivo da tua pesquisa: se se trata da fontes necessárias: certifica-te de que recursos
realização de um trabalho escrito para uma necessitas para pesquisares informação. A
disciplina, da preparação de uma apre- internet é muito útil, mas nas tuas pesquisas
sentação oral para os teus colegas ou do consulta também outras fontes de informação
estudo de matéria para um teste. como livros, enciclopédias, dicionários ou
documentários audiovisuais. Podes consultar
ͻ Em segundo lugar, clarifica o tema a estes recursos na biblioteca da escola, na
pesquisar: define com objetividade o tema da biblioteca municipal ou mesmo em tua casa.
tua pesquisa, para te concentrares bem no
mesmo e não dispersares o teu trabalho e o
teu esforço.

 A seleção da informação:
ͻ Em quarto lugar, seleciona a informação que é importante recolheres: ao longo da tua pesquisa, vais
encontrar muita informação. Deves aprender a selecionar aquilo que vai ao encontro do teu tema,
eliminando o que não é necessário. Este processo é fundamental para evitar que fiques com demasiada
informação, o que acaba por te desviar do tema e de te confundir relativamente àquilo que é mesmo
necessário saberes. Nesta fase, podes pedir ajuda ao teu professor, aos teus pais ou a outro adulto que
te possa orientar.

 O tratamento e a utilização  A avaliação do processo:


da informação:

ͻ Em quinto lugar, faz um resumo da ͻ Em sétimo lugar, avalia o trabalho realizado: após
informação: lê e sublinha as frases mais terminares a pesquisa e fazeres a leitura e o resumo da
importantes dos textos que recolheste informação que recolheste, é muito importante que
e, em seguida, faz um resumo dos tenhas consciência se aquilo que fizeste cumpriu com
textos com palavras tuas. os teus objetivos e satisfez as tuas necessidades.

ͻ Em sexto lugar, arquiva a tua ͻ Assim, é fundamental perceber que, neste processo, é
informação: após todo este trabalho de essencial pensar, relacionar, organizar, escrever e
pesquisa e tratamento da informação, comunicar de forma clara, objetiva e eficaz.
deves guardar toda a informação que
produziste, num computador ou no teu ͻ Por isso, esta fase da avaliação do processo é muito
dossiê da escola, de modo organizado, importante para poderes corrigir os erros e melhorar a
para poderes utilizá-la sempre que forma como realizaste o teu trabalho. Só assim
necessitares. conseguirás evoluir nas tuas aprendizagens!

278 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Como organizar um trabalho
de grupo

Num trabalho de grupo, deves ter em conta:

 A definição do grupo:  A divisão de tarefas:

ͻ Em primeiro lugar, deve ser constituído o ͻ Em terceiro lugar, devem ser definidas as
grupo de trabalho, quer seja pelos alunos ou tarefas a realizar no decurso do trabalho e
pelo professor. Para que o trabalho seja feito quem as vai realizar: como ponto de partida,
com entusiasmo e prazer e para que os deve ser elaborada uma lista de tarefas que
resultados sejam os melhores para todos, é tenha em conta todas as fases do trabalho. As
fundamental que o respeito, a entreajuda e o tarefas devem ser justamente distribuídas e
esforço de cada um sejam fatores que todos de acordo com os gostos e capacidades de
saibam evidenciar. cada elemento da equipa.

ͻ Em segundo lugar, o grupo de trabalho deve


eleger um elemento que fique responsável
pelo grupo, que o coordene e que fale em
nome de todos os seus elementos.

 A calendarização:
ͻ Em quarto lugar, o elemento responsável pelo grupo deve fazer um calendário com as datas de
conclusão de cada tarefa, indicando, para cada tarefa, o nome do elemento responsável por assegurá-
-la e o prazo de que dispõe para o efeito.

ͻ Para que o trabalho decorra sem problemas, é muito importante fazerem-se pontos de situação e
reuniões entre todos, como vista a identificar situações em que um colega tenha de ser ajudado ou a
ajustar o prazo de realização de uma tarefa.

 A avaliação do teu trabalho:  A avaliação do trabalho de grupo:

ͻ Em quinto lugar, uma vez terminado o ͻ Em sexto lugar, além da reflexão individual é
trabalho, cada elemento da equipa deve também muito importante fazer-se uma
fazer um balanço sobre o modo como avaliação coletiva, devendo os elementos do
realizou o trabalho e como assegurou as grupo conversar sobre o trabalho realizado
tarefas que lhe foram atribuídas. em equipa, percebendo o que correu bem e o
que correu mal e, assim, conseguirem melhorar
ͻ Esta fase é muito importante, pois sabemos o trabalho em equipa.
que é muito fácil julgarmos o trabalho dos
outros e esquecemo-nos de refletir sobre o
nosso próprio trabalho. Só desta maneira é
que podemos perceber melhor quais os
nossos pontos fracos e quais os aspetos em
que devemos melhorar no próximo trabalho
de grupo em que participarmos.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 279


Como fazer e apresentar
um trabalho escolar

Para fazeres e apresentares um trabalho escolar, deves considerar:

Num trabalho escrito:  A capa:


ͻ Quando elaborares um trabalho escrito, não
te esqueças das partes que o mesmo deve Nome do agrupamento de escolas
conter e que a seguir se descrevem. Nome da escola
ͻ Não te esqueças também de ser muito Nome da disciplina
organizado para conseguires desenvolver Nome do Professor(a)
bem todas as tarefas. Título do trabalho
(Imagem: fotografia ou desenho, adequados ao
tema)
Nome(s) do(s) aluno(s)

 O índice:
O índice mostra que informações vão ser abordadas no trabalho e as páginas em que se encontram, tal
como podes ver no exemplo a seguir:
Introdução… 2
1. Tipos de movimento… 3
1.1. Movimentos retilíneos… 4
2. Operadores mecânicos… 6
2.1. Mecanismos simples… 8
Conclusão… 11

 A introdução:  O desenvolvimento:

Na introdução, deves explicar as O desenvolvimento é a parte fundamental do teu trabalho.


razões que te motivaram a realizar o É aí que vais dar a conhecer informações de interesse sobre
trabalho. Deves também dizer, de o tema escolhido e explicá-las da melhor maneira possível,
modo simples e objetivo, como é que para que quem as leia possa entendê-las. Não deves
se encontra organizada a informação apenas fazer cópia da informação que recolheste, mas
ao longo do trabalho. Finalmente,
tentar escrevê-la por palavras tuas. Se escreveres frases
podes ainda relatar como é que
correu todo o processo, desde a retiradas de autores (citações), deves colocá-las entre
pesquisa, a seleção da informação e aspas e referir a fonte (onde as foste retirar). Se colocares
até à redação final, se foi fácil realizar imagens, deves legendá-las e numerá-las, pela ordem em que
o trabalho ou se tiveste algumas aparecem ao longo do trabalho.
dificuldades.

280 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


 A conclusão:  As fontes consultadas:

A conclusão é a parte final do trabalho. A No teu trabalho, deves indicar as fontes de


sua função é destacar as ideias mais informação que consultaste, o que inclui livros,
importantes que apresentaste no desenvol- revistas, jornais, CD, DVD e sites da internet. Para
vimento do tema. Se ficaste com algumas indicares as fontes consultadas, segue os exemplos
dúvidas, podes exprimi-las aqui. Por último, seguintes:
podes ainda referir a importância que este Indicação de livro: apelido do autor; nome do autor;
trabalho teve nas tuas aprendizagens e se O
título da obra (em itálico); n. da edição; local;
ficaste a gostar mais do tema que editora; ano.
abordaste.
Indicação de site: endereço do site; data da consulta.

 Os anexos:

Os anexos são, por exemplo, documentos, imagens ou gráficos que reforçam o que queres explicar no
teu trabalho. Se quiseres usar anexos, deves numerá-los da seguinte forma: I, II, III, IV ou 1, 2, 3, 4. Os
gráficos devem ter legenda (gráfico A, B, etc.).

 A apresentação digital:

Podes apresentar o teu trabalho à


tua turma numa apresentação feita
no computador, em que o texto é
ilustrado com imagens. Deves fazê-la
de forma simples e objetiva, aplicando
contraste entre as letras e o fundo;
deves evitar a utilização de animações
em excesso, assim como a leitura do
que está escrito nos slides.

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 281


Interpretação de uma obra de arte
Escola: ________________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

Preenche cada uma das seguintes caixas A, B, C e D, de acordo com o pedido e em forma de tópicos.
Depois, transforma o conteúdo de cada caixa num parágrafo. No final, vais conseguir escrever um
texto articulado seguindo a ordem A, B, C e D.

A. CONHECIMENTO / informações técnicas e factos


sobre a obra
B. OBSERVAÇÃO / C. SENTIDO /
formas e materiais mensagens ou
_________________________________________________________________________________
/ o que a obra significados / o
mostra? _________________________________________________________________________________
que a obra quer
_________________________________________________________________________________ dizer?
___________________________

___________________________ ___________________________

___________________________ REPRESENTAÇÃO gráfica simplificada da obra ___________________________

___________________________ ___________________________

___________________________ ___________________________

___________________________ ___________________________

___________________________ ___________________________

___________________________ ___________________________

___________________________ ___________________________

___________________________ ___________________________

___________________________ ___________________________

___________________________ ___________________________

___________________________ ___________________________

___________________________
D. EMOÇÃO / sensações e sentimentos que a obra ___________________________
transmite
___________________________ _________________________________________________________________________________ ___________________________

___________________________ _________________________________________________________________________________ ___________________________

___________________________ _________________________________________________________________________________ ___________________________

_________________________________________________________________________________

282 Editável e fotocopiável © Texto | 100% Vida | EV/ET


O meu dicionário ilustrado
de Geometria
Escola: ________________________________________________________________________________________
Aluno: _______________________________________ N.o: ____ Ano: ____ Turma: ____ Data: ___/___/_____

Preenche os campos de acordo com as indicações dadas e cria o teu próprio dicionário de Geometria.

Ponto
Definição (página 30) Representação gráfica

O ponto no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 283


Linha
Definição (página 31) Representação gráfica

A linha no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

284 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Linhas paralelas
Definição (página 32) Representação gráfica

As linhas paralelas no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 285


Linhas concorrentes
Definição (página 32) Representação gráfica

As linhas concorrentes no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

286 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Linhas perpendiculares
Definição (página 32) Representação gráfica

As linhas perpendiculares no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 287


Linha reta
Definição (página 36) Representação gráfica

A linha reta no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

288 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Semirreta
Definição (página 36) Representação gráfica

A semirreta no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 289


Segmento de reta
Definição (página 36) Representação gráfica

O segmento de reta no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

290 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Linhas retas horizontais
Definições (página 36) Representação gráfica

As linhas retas horizontais no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 291


Linhas retas verticais
Definições (página 36) Representação gráfica

As linhas retas verticais no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

292 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Linhas retas oblíquas
Definições (página 36) Representação gráfica

As linhas retas oblíquas no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 293


Plano
Definição (página 32) Representação gráfica

O plano no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

294 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Planos paralelos
Definição (página 33) Representação gráfica

Os planos paralelos no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 295


Planos concorrentes
Definição (página 33) Representação gráfica

Os planos concorrentes no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

296 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Circunferência
Definição (página 39) Representação gráfica

A circunferência no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 297


Círculo
Definição Representação gráfica

O círculo no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

298 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Diâmetro e raio
Definições (página 39) Representações gráficas

O diâmetro e o raio no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 299


Corda e arco de circunferência
Definições (página 39) Representações gráficas

A corda e o arco de circunferência no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

300 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Superfície
Definição (página 34) Representação gráfica

As superfícies no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET 301


Volume
Definição (página 35) Representação gráfica

O volume no mundo real (recorta e cola uma ou mais imagens)

302 Editável e fotocopiável © Texto | EV/ET


Notas
AMOSTRA NÃO COMERCIALIZÁVEL
De acordo com o artigo 21.o da Lei n.o 47/2006, de 28 de agosto, este
exemplar destina-se ao órgão da escola competente para a adoção de
manuais escolares.

978-111-11-4391-6

9 781111 143916

www.leya.com www.texto.pt