Sie sind auf Seite 1von 28

CORRAQUE O

CHINELO
VEM AÍ !
(A HISTÓRIA DE BILECO)
VOLTAR AO MENU PEÇAS INFANTIS

PEÇA TEATRAL INFANTIL DE ANDRÉ FAXAS – 1992

Registrada no EDA da BN-RJ sob o nº 91.161 livro 124 Folha 453, na SBAT sob o nº 2561 . registro do autor André Faxas
na SBAT: 31533

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Dica: Para salvar a peça em formato word (doc), clique em editar, selecionar tudo, até todo o texto coberto com a cor preta. Dê um clique
com o botão do mouse da direita, selecione “recortar”, abra o word (documento em branco), clique novamente com o botão do mouse da
direita, logo após selecione “colar”. Clique em “colar”, que todo o texto será transferido para o word. Clique novamente em “salvar
como”, digite o nome do arquivo e edite conforme o seu gosto.

CONTATOS COM O AUTOR: e-mail: andrefaxas@bol.com.br

telefones: (21) 2416.2628 / 87326349

PERSONAGENS:

BILECO- O garoto levado

DENTE- Malandro e cariado

ESTÔMAGO- Faminto e gorducho

UNHA- Suja e vaidosa

CORAÇÃO- amigo e conselheiro


DR. MARINHO- O dentista cruel

SEU WELLINGTON- Pai de Bileco. Desinteressado

SEU AZEVÊDO- Vendedor de doces

BIANCA- Namorada de Bileco

PS. DENTE – SEU AZEVÊDO - mesmo ator

ESTÔMAGO- DR. MARINHO- mesmo ator

CORAÇÃO- SEU WELLINGTON- mesmo ator

UNHA – BIANCA - mesma atriz

CENÁRIO: À CRITÉRIO DO DIRETOR, TENDO COMO SUGESTÕES, O QUARTO


DO BILECO, O QUINTAL DA SUA CASA, ETC.

ÁUDIO: VOZ DA MÃE DO BILECO.

(CHINELOS VOAM PELO PALCO)

VOZ DA MÃE- Bileco, Bileco ! Cadê você, menino ? Você vai ver só quando eu te
encontrar, moleque ! O chinelo vai esquentar no teu lombo ! Onde já se viu ? Não fez a
lição, não foi à escola. Sujou o quarto, quebrou meu vaso de planta. Bateu no gato, xingou a
vizinha, roubou manga na casa do seu José ! Pulou o muro da igreja, manchou sua camisa
nova, levantou a saia da empregada ! Puxou o cabelo da tua irmã, amarrou a lata no rabo do
cachorro, quebrou o rádio do teu pai, gastou a sua mesada toda em picolé ! Bileco !!!!!!
Cadê você, garoto ????

(MÚSICA TEMA DA PEÇA, ALEGRE E DANÇANTE) (BILECO DANÇA E PULA


ATÉ O TÉRMINO DA MÚSICA)

BILECO (AO PÚBLICO) – Tudo bem, pessoal ? Sabem quem sou eu ? Bileco, o mais
levado de todos os meninos ! Ganhei o concurso mundial de levadêz e peraltice. Concorri
contra mais de 600 milhões de crianças em todo o mundo e venci. Essa aqui é a quinta casa
que eu moro nesse ano, pois as outras quatro, eu quebrei tudo. Nem tenho mais brinquedos,
pois os que eu tinha, quebrei. Eu sou o melhor ! Vocês também são levados ? Pintam o sete
também ? Botam o mundo de cabeça pro ar ? Mas, garanto que não são tão bons como eu !
Já fui expulso de 15 colégios, de 20 clubes e o pior, vocês saberão agora: quando eu nasci,
fui expulso do próprio berçário. Mas não liguem, nem todo mundo é perfeito.(BILECO
BOCEJA) Sabem de uma coisa ? Eu estou com um sono... Também, hoje trabalhei à beça.
Quebrei sete janelas... três vasos... dez copos... (ADORMECE)

(EFEITOS MUSICAIS)(MÚSICA DE NINAR) (DEPOIS DE ALGUM TEMPO,


SURGE DENTE)

DENTE- Aiiiiiiiiiii !!!!!!! Que dor ! Esse Bileco hoje mastigou chiclete, tomou sorvete,
refrigerante e ainda por cima, foi dormir sem escovar os dentes. Aliás, deixa eu me
apresentar: eu sou o dente, com certeza, o mais bonito e forte órgão do corpo humano.

(DENTE CANTA SUA MÚSICA)

Eu sou o Dente, o mais bonito

Mordo tudo que eu ver

Eu sou branquinho, engraçadinho

Mordo tudo pra você

Tratem bem de mim crianças

Me escovem todos os dias

Sempre depois das refeições

Depois e antes de dormir

Só tenho medo de uma coisa

Do homem de branco

Essa figura sinistra

O nome dele é dentista.


DENTE- E, como eu não quero ir ao dentista, vou aproveitar que ele está dormindo e vou
escovar os dentes. Aliás, me escovar. ( PEGA UMA ENORME ESCOVA DE DENTES E
COMEÇA A SE ESCOVAR) (SENTE ENORME ALEGRIA E PRAZER EM SER
ESCOVADO) Que gostoso. Como é bom ser escovado ! Esse creme dental... Hunnnn...
Agora, amiguinhos, prestem atenção em como se escovar os dentes de maneira correta.
(UTILIZA A ESCOVA GIGANTE, PARA DEMONSTRAR ÀS CRIANÇAS) Peguem uma
escova em bom estado, sem estar careca e passem um bom creme dental com flúor. Pegue a
escova nessa posição e comece a escovar-nos, de baixo pra cima e de cima pra baixo.
Nunca escove assim (MOSTRA A ESCOVAÇÃO NA HORIZONTAL), pois pode ser
prejudicial a nós dentes, chamados pelos cientistas, de órgãos duros que guarnecem as
maxilas do homem e que servem especialmente para morder e triturar os alimentos.

(EFEITO DE ÁUDIO)(MÚSICA PARA ENTRADA DO ESTÔMAGO) (ESTÔMAGO


ENTRA CORRENDO ATRÁS DE DENTE, ABORRECIDO E IRRITADO)

DENTE- O que foi, bolo fofo ? Desculpe... O que foi, Estômago ?

ESTÔMAGO – Você é muito cínico mesmo, cabeça cariada. Vai me dizer que já se
esqueceu ?

DENTE- Mas o que eu fiz ?

ESTÔMAGO (IMITANDO DENTE) – O que eu fiz ???? Seu amigo da onça ! Quer ver os
outros pelas costas, não é ? Seu aprendiz de dentadura ! (AO PÚBLICO) Sabem o que ele
fez, amiguinhos ? Deixou o Bileco engolir duas bolinhas de gude. (CHORA)(DENTE RI)
Está rindo de quê ???

DENTE (CÍNICO) – Qual o sabor da bolinha de gude ? Laranja, uva ou abacaxi ?

ESTÔMAGO (INGÊNUO) – Sabe que eu não reparei. Mas, bem que eu senti um gostinho
de morango... (CAI NA REAL E SE IRRITA) Eu já vou te dizer o sabor ! Mas, antes,
quebrarei todos os dentes da sua boca ! Ou melhor, te quebrarei inteiro ! (AMEAÇA
DENTE)
DENTE (APAZIGUANDO) – Calma, meu amigo Estômago. Eu vou te explicar: você
conhece o Bileco, né Maguinho ? Ele come tudo o que vê, exceto comida. E, de repente,
não é que o pestinha pega duas bolas de gude e enfia tudo na boca... Você queria o quê ?
Que eu mastigasse as bolinhas e me partisse ao meio ? Tá certo que eu sou forte, mas não
sou de ferro. E, além do mais, a essa altura do campeonato, você já deve ter mandado as
bolinhas lá pro intestino e ficou tudo bem.

ESTÔMAGO- A menorzinha eu mandei para o compadre intestino. Mas a bilha


grandalhona, ainda está aqui dentro. (CHORA)

DENTE (CONSOLANDO-O)- Que é isso, meu amigo ? Aonde está aquele sujeito que
agüentava qualquer coisa ? Até Nescau com Coca-cola ?

ESTÔMAGO- É que, ultimamente, eu não tenho mais agüentado o Bileco. Só come


besteira: é bala, sorvete, doce, é aquele biscoitinho amarelo que gruda no meu corpo e me
faz um mal danado. É aquele chiclete que você mastiga, mastiga, mastiga e nunca desce. E
quando desce, me enrola todo. Que saudade de um feijão, de um arroz, de um bifezinho,
uma saladinha, um suco de laranja. E o pior, é que o Bileco tem tudo isso e desperdiça. Ele
não lembra das outras crianças que vivem por aí, que não tem nem um pedaço de pão para
comer.

DENTE- Deixa de tristeza, Maguinho. Que tal se eu fosse lá na cozinha preparar alguma
coisa para eu mastigar e você comer ?

ESTÔMAGO- Ôba, estou morrendo de fome !

(DENTE SAI DE CENA) (ESTÔMAGO CANTA A SUA MÚSICA)

Eu sou Estômago, o mais gordinho

Como tudo que eu ver


Eu sou fofinho e cheirosinho

Como tudo pra você

Tratem bem de mim crianças

Comam coisas saudáveis

Salada, batata, bife à milanêza

Arroz, feijão, maçã de sobremesa

Só tenho medo de uma coisa

Do homem da porta da escola

Com seus biscoitos e sorvetes

É o vendedor de balas.

(VOLTA DENTE, COM UMA LATA DE ERVILHAS NA MÃOS)

DENTE- Estômago, o pai do Bileco foi à geladeira e assaltou tudo. Só sobrou essa lata de
ervilhas aqui.

ESTÔMAGO- Com a fome que estou, como qualquer coisa.

(DENTE ABRE A BOCA DO BILECO E JOGA AS ERVILHAS) (DORMINDO,


BILECO COME)(ESTÔMAGO E DENTE, RESPECTIVAMENTE, FAZEM O
MOVIMENTO DE DIGERIR E MASTIGAR)(ALEGRIA TOTAL)

(UNHA ENTRA EM CENA, REPREENDENDO AMBOS)

UNHA- Mas que baixeza é essa ? Isso aqui virou casa da sogra ? Dois brutamontes como
vocês, pulando feito dois bebezinhos. Por isso é que ninguém dá valor a vocês.
DENTE- Olha quem fala ? Só vive grande e suja ! (DENTE E ESTÔMAGO RIEM)

UNHA- Pelo menos, meu filho, eu sou a parte mais reparada do corpo das pessoas. Todos
prestam atenção em mim, até quando eu estou grande e suja. Comigo é bem mais fácil: é só
me cortar um pouquinho, que eu cresço de novo. Agora, com você... (DIRIGE-SE A
DENTE) Essa cárie horrível na tua cabeça, toda podre, feia... Com você, Dentinho, só
botando uma dentadura no teu lugar ! (ESTÔMAGO RI) (UNHA AGORA SE DIRIGE A
ELE) E você, seu bofe ? Tá rindo de quê ? Por acaso, já reparou essa tua barriga ridícula ?

(DENTE E ESTÔMAGO FICAM IRADOS) (CONFABULAM)

DENTE- Você está pensando o mesmo que eu, Estômago ?

ESTÔMAGO- Estou sim. Principalmente, depois dela ter me chamado de bofe.

DENTE- Então, Dona Unha... A senhora acha que pode ir ofendendo a gente assim, né ?
Pode ir me chamando de dente cariado, chamar o meu amigo Maguinho de bofe ? Pois é,
então a senhora vai receber o troco !

UNHA- Que troco ? Eu não comprei nada.

(ESTÔMAGO PÕE O DEDO DE BILECO NA BOCA)(BILECO RÓI A UNHA)


(DENTE DEMONSTRA ROER A UNHA)

UNHA- Me solta ! Tire essas cáries imundas de cima de mim ! Não me roa mais, ouviu ?
(UNHA CANTA)

Eu sou a Unha, a mais charmosa

Arranho tudo que eu ver

Sou transparente e delicada

Arranho tudo pra você

Tratem bem de mim crianças

Quando eu crescer me corte

Não me passe muito esmalte

Eu tenho alergia.

Só tenho medo de uma coisa

Do cabeça preta

Essa figura demente

O nome dele é dente.

DENTE- Cuidado pra quando você cantar, não quebrar os vidros.

UNHA- Cuidado pra quando você falar, não jogar esse mal-hálito em cima de mim.

DENTE- Me segura, Maguinho ! Me segura ! Senão...Senão... Eu te rôo !

UNHA- Grosseiro !
DENTE- Tela de esmalte !

UNHA- Esconderijo de feijão !

DENTE- Assassina de piolho !

UNHA- Abridor de garrafa !

(BATE BOCA GENERALIZADO)(ENTRA EM CENA, CORAÇÃO)(TODOS PARAM


DE BRIGAR)

ESTÔMAGO- Coração, você também veio...

DENTE- Por que você está triste, Coração ?

CORAÇÃO- Por que vocês brigam ?

UNHA- Foi ele quem começou.

DENTE- Foi ela.

CORAÇÃO- Não importa quem começou. O importante é que nunca comece. Por motivo
algum, por razão nenhuma. Para que brigar, se a gente pode amar ? O amor é tão mais
bonito! Por que se aborrecer por causa de um defeito ? Só porque a Unha é grande ou suja,
ou o Dente é cariado, ou se o Estômago é gordo ou mole ? Para que tanta inveja, tanta
vaidade ? Temos que saber, é que se não nos unirmos, nunca transformaremos o Bileco em
um menino bom. Vamos, gente. Vamos fazer as pazes.

(DENTE E UNHA FAZEM AS PAZES)

(CORAÇÃO CANTA)

Eu sou Coração, o mais sincero

Amo tudo que eu ver

Eu sou vermelho e apaixonado

Amo tudo pra você.

Tratem bem de mim crianças

Não façam malcriação

Vivam sempre apaixonadas

E cantem essa canção

TODOS Lá, lá, lá, lá, lá, lá, lá, lá

Lá, lá, lá, lá, lá, lá, lá , lá

Só tenho medo de uma coisa

Dessa coisa sem beleza

Que entristece as pessoas

O nome dela é tristeza

ESTÔMAGO- Ah, Coração. Essa música me fez lembrar o grande amor da minha vida:
sopa de ervilha !

DENTE- E a minha ? Foi a escova mais bonita que me escovou até hoje. Era dourada,
cerdas fortes e macias.
UNHA- Eu me lembrei também do meu grande amor: aquele esmalte azul-aniz, que me
passaram...

ESTÔMAGO- Mas, espera aí: o Bileco pinta Unha ?

UNHA- Foi um acidente. O Bileco quis pintar a cara da boneca da irmã dele, com o
esmalte de sua mãe. Só que ele deixou o esmalte escorregar da sua mão e caiu sobre mim.
Ah, nunca mais vou esquecer daquele esmalte...

DENTE- Grande coisa, um esmaltezinho vagabundo.

ESTÔMAGO- E você, Coração ? Qual o seu grande amor ?

CORAÇÃO- O meu grande amor ? É a menina mais bonita, a mais bonita do mundo ! A
menina das tranças, que tira as melhores notas da escola: Bianca !

DENTE- Bianca ? Eu não conheço nenhuma Bianca.

ESTÔMAGO- Você está esquecido, Dentinho ? Bianca, é aquela menina que toma sorvete
com o Bileco, na hora do recreio.

DENTE- É mesmo. Toda vez que ele toma sorvete com ela, eu fico doendo, mas fico feliz.
Por que isso acontece, Coração ?

CORAÇÃO- Porque o amor supera todas as dores, todos os rancores e todas as tristezas.
Mas, às vezes, o amor se cansa de sofrer e chora. É o que acontece com o Bileco : eu faço
de tudo para que ele seja um menino bom, que escove os dentes, corte as unhas, coma
alimentos saudáveis, que estude. E ele faz justamente o contrário. Com isso, eu fico triste,
envelheço e choro. (CORAÇÃO CHORA)

UNHA- Chora não, Coração. Ele também me maltrata, me rói, me suja.

DENTE- E comigo, Coração ? Ele não me escova há meses. Olha o tamanho da cárie que
eu tenho na cabeça.

ESTÔMAGO- Eu sou quem mais sofre. Não como um prato de comida há dias. É só
besteira que o Bileco me dá.

CORAÇÃO- Eu nem ligo para o fato do Bileco ser levado e sapeca. Eu até gosto, pois
estou sempre em aventura. Mas, tudo tem um limite. E eu só digo isso, porque eu sei que o
Bileco não é feliz assim. Quer apenas provar pra gente, que é uma pessoa capaz e forte.
Mas, no fundo, ele tem muito medo. Pois, sabe que um dia a infância vai acabar. E aí,
quando tiver que encarar o mundo dos adultos, vai ser muito mais difícil. (CHORA)

DENTE- Nós precisamos bolar um plano para tornarmos o Bileco um menino bom.

UNHA- Bileco, menino bom ? Impossível.

ESTÔMAGO- É mais fácil eu virar sarapatel de angu à baiana, do que o Bileco se tornar
um menino bom.

CORAÇÃO- Nada disso, Estômago. Todos podemos mudar. Basta querermos, basta
termos força de vontade.
UNHA- Você acha então, que se ele quiser, não me rói mais ?

CORAÇÃO- Claro.

ESTÔMAGO- Ou então, se quiser, poderá comer salada de legumes ?

DENTE- E me escovar todos os dias ?

CORAÇÃO- Claro, Bileco poderá ser o melhor menino do mundo.

ESTÔMAGO- Porque o pior, ele já é.

UNHA- E o que poderemos fazer ?

CORAÇÃO- Acho que a gente tem que conversar com ele.

DENTE- Você está maluco, Coração ? Se a gente conversar com ele, aí que vai ser pior.

ESTÔMAGO- Temos que prendê-lo e obrigá-lo a fazer tudo o que não gosta.

CORAÇÃO- Não! Não podemos usar a violência como arma. Quando o Bileco apronta
alguma arte, o que fazem com ele ?

TODOS- Tacam o chinelo nele !


DENTE- E aí ele diz...

TODOS- Corra que o chinelo vem aí !

CORAÇÃO- E será que adianta ? Não adianta nada. Logo após o chinelo passar, ele
apronta de novo. Temos que tratá-lo com carinho.

ESTÔMAGO- Com bastante carinho ! Por isso, vou à cozinha preparar um churrasquinho
para o Bilequinho !

(BILECO ACORDA)(AO SAIR, ESTÔMAGO É O ÚNICO QUE PERCEBE ISSO)


(BILECO ESTÁ ENFURECIDO) (ESTÔMAGO TENTA AVISAR AOS OUTROS, MAS
PERDE A VOZ)

DENTE- O que foi, Maguinho ? Perdeu a voz ? Acabou a carne ? Está estragada ? Sem
sal ? O que foi ????

ESTÔMAGO (COM MUITO MEDO) – O Bileco... O Bileco... Acordou !!!!!!!

TODOS (EM PÂNICO) – O Bileco acordou !!!!!!!!!!!

BILECO- (IRADO, CORRENDO ATRÁS DOS ÓRGÃOS) – Então, vocês querem me


mudar, não é ? Querem que eu coma salada, escove os dentes, corte as unhas, não faça
malcriação, que não pinte o sete ? Vocês são todos bobalhões e bocoiós ! E nunca me farão
ser um bobalhão e bocoió, entenderam ?
CORAÇÃO- Mas você seria bem mais feliz, Bileco.

BILECO- Eu seria um tonto igual a você !

UNHA- Bileco, imagine se você não roesse mais as unhas ? Ficaria mais bonito e teria um
monte de namoradas.

DENTE- Se me escovasse todos os dias, não teria mais dor de dente.

ESTÔMAGO- E se comesse alimentos saudáveis, teria mais forças para se divertir.

CORAÇÃO- E se fosse um menino bom, teria todos esses coleguinhas para brincar.

BILECO (GRITANDO) – Eu não quero nada disso ! Não quero ser quieto ! Sou o menino
mais levado do mundo, faço malcriação e não gosto de escola ! E é melhor vocês irem
embora, senão, vocês vão ver o que eu vou aprontar !

(BILECO CANTA)

Eu sou Bileco, o mais levado

Quebro tudo que eu ver

Eu sou pestinha e safadinho

Quebro tudo pra você

Vão embora daqui crianças

Não torrem a paciência

Não vou à escola, não sou bobão

E vou tudo explodir !


Só tenho medo de uma coisa

Da coisa que já vai surgir

TODOS O quê que é ?

Corra que o chinelo vem aí

Corra que o chinelo vem aí

Corra que o chinelo vem aí !

DENTE- Por favor, Bileco...

CORAÇÃO- Ainda há tempo de mudar, vamos ser amigos ?

BILECO- Eu não quero amigos. Só quero aprontar, vou virar o mundo de cabeça pra
baixo. E vocês vão ver só, eu vou ser o Rei !

ESTÔMAGO- Então Rei, que tal a gente fazer uma boquinha ?

UNHA- Um Rei precisa de unhas bem limpinhas...

DENTE- E de dentes bem branquinhos...

CORAÇÃO- E do coração em paz.


BILECO (GRITANDO) – Chega ! Vocês são muito chatos ! Vou aprontar com todos vocês
!

CORAÇÃO- Mas, Bileco, nós fazemos parte de você. Nós somos você também.

BILECO- Não são nada. O meu dente não é tão cariado assim, minha unha não é tão suja
assim, meu estômago não está com tanta fome assim e meu coração não é tão medroso
assim.

UNHA- Está enganado, Bileco. Você é que não está se vendo.

BILECO (FURIOSO) – Vocês fizeram eu perder a minha paciência. E a primeira é você,


Unha !

(ELE COMEÇA A ROER AS UNHAS)(UNHA E DENTE EXECUTAM AS


EXPRESSÕES CORPORAIS DEVIDAS)

BILECO- Agora são vocês dois: Dente e Estômago !

(BILECO PEGA UM CHICLETE, COMEÇANDO A MASTIGÁ-LO) (DENTE E


ESTÔMAGO EXPRESSAM DOR E DESCONFORTO)(CORAÇÃO FICA
ANGUSTIADO,CHORA)

BILECO- E por fim você, Coração !

CORAÇÃO- Comigo, você pode fazer o que quiser, Bileco. Você me maltrata, quando
você maltrata o teu semelhante.
BILECO (SEM GRAÇA) – Você é muito bôbo ! Vou pra rua aprontar !

(BILECO SAI DE CENA)

DENTE- Eu não te avisei, Coração ? Com ele não dá pra conversar.

ESTÔMAGO- Ele é muito mau.

UNHA- Acho melhor nós irmos embora e deixar ele se destruir.

CORAÇÃO- Não podemos nos esquecer, que se ele se destruir, nos destruiremos também.
Temos é que bolar um plano, para torná-lo um menino bom. (AO PÚBLICO) Alguém tem
um plano aí ? (À CRITÉRIO DA DIREÇÃO, OS ATORES DEVERÃO PERGUNTAR ÀS
CRIANÇAS SOBRE A SOLUÇÃO DO PROBLEMA)

DENTE- Eu tenho um plano !

(OS QUATRO, EM CENA, FAZEM UMA CONFERÊNCIA SECRETA)(SAEM DE


CENA) (VOLTA BILECO)(ESTÁ COM UMA ATIRADEIRA NAS MÃOS)

BILECO (AO PÚBLICO) – Sabem o que eu fiz, pessoal ? Acabei de matar três
passarinhos, com essa atiradeira aqui. Legal, né ? Passarinho foi feito pra isso mesmo, pra
ser morto. Ainda mais como um caçador como eu, o maior caçador do mundo ! Mas,
mudando de assunto, vocês viram aqueles órgãos bocoiós ? Sabem pra onde eles foram ?
Devem ter ido embora, para não me encherem mais o saco, não é ? Eles são muito bobos. O
Dente não agüenta um sorvete. O Estômago só gosta de comida ruim. A Unha, por qualquer
coisinha, suja. E o Coração ? Se derrete e chora por tudo. Pra mim, eles não valem nada.
Não preciso deles pra viver, só quero brincar, pintar e bordar !
(VOLTA DENTE)

BILECO- Veio me encher o saco de novo, Dente ?

DENTE- Não, Bileco. Você pode continuar a ser levado, a tomar sorvete, a não me escovar
mais... Não me importo.

BILECO- Como não se importa ? Ainda há pouco, você estava com aquele papo careta...

DENTE- Mas eu mudei de idéia. Quer um chiclete ? (DENTE DÁ UM CHICLETE A


BILECO)

BILECO- O quê ? Você, me oferecendo chiclete ?

(PEGA O CHICLETE E MASTIGA)(DENTE FINGE QUE NÃO SOFRE COM A DOR)


(EFEITO DE ÁUDIO: VOZ DA MÃE)

VOZ DA MÃE- Bileco ! Doutor Marinho veio fazer-lhe uma visita !

(DENTE E BILECO ASSUSTAM-SE)

BILECO (CUSPINDO O CHICLETE) – Dr. Marinho !

DENTE (AMEDRONTADO) – O dentista !


BILECO- O que será que ele veio fazer aqui ?

DENTE- Nem imagino...

BILECO- Então se esconda, Dente. Ele não pode te ver.

DENTE- Ele não pode me ver, só você tem esse poder.

(EFEITO DE ÁUDIO: ÓPERA)(ENTRA DR. MARINHO, SARCÁSTICO)


(APROXIMA-SE DE BILECO, QUE ESTÁ DESESPERADO)

DR. MARINHO- Oi, Bileco !

BILECO (GAGUEJANDO)- Oi, Dr. Marinho...

DR. MARINHO- Eu vim fazer-lhe uma visita. Ver como estão os seus dentes, já que não
vais ao meu consultório há mais de ano. (GARGALHA)(RODEIA BILECO, LHE PÕE
SENTADO NA CADEIRA) (AMARRA-LHE UM BABADOR)(DENTE FICA COM
MUITO MEDO) (DR. MARINHO OBSERVA OS DENTES) Hunnnnnn, que dentinhos
mais cariados ! Não devem ser escovados há meses. Como eu não tenho tempo, vou
escolher um dente para obturá-lo... Vejamos... Esse aqui, o cabeça preta !

DENTE- Eu ?

DR. MARINHO- Esse nojentinho mesmo ! Se bem, que esse aqui, nem para obturar dá. E
a única saída é... arrancá-lo !
DENTE (GRITANDO DESESPERADO) – Não !!!

BILECO- Por favor, Dr. Marinho... Não arranque o Dente. Apesar de tudo, eu gosto muito
dele. Eu prometo que vou escová-lo todos os dias.

DR. MARINHO- Não tem perdão ! Esse Dente safado será arrancado. Abra a boca,
Bileco ! (O DENTISTA PEGA UM ENORME BOTICÃO E ARRANCA O DENTE DA
BOCA DO BILECO)(DENTE CAI NO CHÃO)(BILECO CHORA SOBRE ELE)(DR.
MARINHO LEVA DENTE EMBORA) Eu vou, mais eu volto ! Volto e arranco o resto !
Vais ficar banguela ! (GARGALHA)

(DR. MARINHO SAI DE CENA)(BILECO CHORA)

BILECO (CHORANDO)- Como é que eu vou viver agora, sem meu dente?

(UNHA ENTRA EM CENA)

UNHA- O que houve, Bileco ? Por que está chorando ?

BILECO- Foi o Dente, Unha. Ele morreu.

UNHA- O Dente morreu ? Coitado, no fundo eu até gostava dele. Ele me roía, mas era sem
querer.

BILECO (VOLTANDO AO NORMAL)- Pois, se você quer saber, eu nunca gostei dele.
Não está me fazendo falta alguma. E, pra seu governo, nem de você eu gosto.
(ENTRA SEU WELLINGTON, PAI DO BILECO)(ESTÁ COM UMA GRANDE
TESOURA NAS MÃOS)

UNHA (AO PÚBLICO) – Esse aí é o Seu Wellington, pai do Bileco. Ele nem liga para o
filho, só veio aqui com essa tesoura, porque a mulher dele mandou.

SEU WELLINGTON- Bileco, garoto bobo. Senta aqui, que a tua mãe me mandou cortar
tua unha.

BILECO- Eu não quero cortar essa Unha nojenta não ! Quero que ela morra. Não serve pra
nada, só pra reclamar de tudo. Não está nunca satisfeita, sempre descontente. Não quero
cortar !

(UNHA, ESCUTANDO AS PALAVRAS DE BILECO, VAI CAINDO NO CHÃO)(A


INTENÇÃO DA CENA É MOSTRAR A UNHA MORRENDO)

SEU WELLINGTON- Olha como você fala com seu pai, Bileco ! Eu mando em você ! Se
eu quero cortar tua Unha, é porque tem que cortar e pronto ! (BILECO SE CALA)(SENTA
NA CADEIRA)(SEU PAI PEGA SUA MÃO E TENTA CORTAR A UNHA)(NÃO
CONSEGUE, POIS UNHA ESTÁ MORTA) Bileco, não está dando pra cortar sua unha.

BILECO- Por que, pai ?

SEU WELLINGTON- Porque a sua Unha morreu, Bileco. Não dá pra cortar, ela está se
quebrando e ficando seca.

BILECO (CHORANDO) – Não pode ser, pai. Ela não pode ter morrido...
SEU WELLINGTON- Morreu sim ! E de tanto ser roída ! Vou pegar a vassoura, para tirá-
la daqui. (SEU WELLINGTON SAI DE CENA) (BILECO CHORA, SOBRE A UNHA)

BILECO- Unha ? Por que você foi morrer ? O que eu falei, foi da boca pra fora. Eu queria
que você vivesse...

(VOLTA SEU WELLINGTON, RETIRANDO A UNHA COM A VASSOURA) (SAEM


DE CENA)

(ENTRA ESTÔMAGO)

ESTÔMAGO- Oi, Bileco. Eu quero te dizer que ainda estou com fome. E que estou sem
comer há dois dias.

BILECO- Eu tenho problemas muito mais graves para resolver, do que ficar comendo.

ESTÔMAGO- Mas se você não comer, vai ficar mais fraco ainda.

BILECO- Não preciso comer para ser forte.

ESTÔMAGO- Está enganado, Bileco. Todos nós precisamos. Precisamos de vitaminas,


proteínas e sais minerais.

BILECO- Eu não preciso de nada disso, vá embora !

ESTÔMAGO- Por que você não gosta de mim, Bileco ?


BILECO- Porque você é chato e não gosta de coisas gostosas.

ESTÔMAGO- Enganou-se novamente, Bileco. Comida também é gostosa. E você ainda é


feliz, pois tem toda a comida que precisar. Você não lembra das crianças, que vivem nas
ruas e não têm o que comer ?

BILECO- Então, faça o seguinte: Pegue toda a comida que eu tenho e dê para as
criancinhas abandonadas.

ESTÔMAGO- Você não tem jeito mesmo.

(ENTRA EM CENA SEU AZEVEDO, O VENDEDOR DE DOCES) (ESTÁ COM UMA


BANDEJA DE GULOSEIMAS, OFERECENDO-AS AO PÚBLICO)(BILECO
OBSERVA)(ESTÔMAGO FICA COM MUITO MEDO)

BILECO- Olhe quem está aí ?! O Seu Azevedo, vendedor de balas e biscoitos. Você não
quer comer, para ficar forte ? Pois então... (GRITA) Seu Azevedo, venha cá !!!!!!

(SEU AZEVEDO APROXIMA-SE)

SEU AZEVEDO – Vem cá é baleiro de trem. E eu não sou baleiro de trem, sou baleiro da
porta da escola. O quê vai querer Moleco ? Bisdoce, dola ou baloito ?...Xii, errei tudo. O
quê vai querer, Bileco ? Biscoito, bala ou doce ?

BILECO- Eu vou querer...

SEU AZEVEDO (INTERROMPENDO) – Não precisa desponrrês, Moleco. Aliás, não


precisa responder, Bileco. Vou te mostrar o novo produto que eu aquiridi, digo, adquiri: O
novo boscoito kanfri borsa jaranla, isto é, o novo biscoito Franklin sabor laranja !
(MOSTRA O BISCOITO)(BILECO PEGA)

BILECO- Deve ser uma delícia, Seu Azevedo.

SEU AZEVEDO- Sim, Bolique. É amu lidécia ! Sim, Bileco. É uma delícia.

(BILECO COME O BISCOITO) (ESTÔMAGO VAI ADOECENDO) (BILECO SENTE


DORES)

BILECO- Seu Azevedo, acho que esse biscoito está estragado...

SEU AZEVEDO- Tá não, deixa eu ver o lapro de livadade, quer dizer, o prazo de
validade... (LÊ O RÓTULO DO BISCOITO) Válido até 30 de fevereiro de 1500. Tá
novinho...

BILECO (COM DORES)- Meu estômago está morrendo e o culpado é o senhor !

SEU AZEVEDO- Eu não tenho pacul nhunema od eque atonqueceu... Xii, errei tudo. Eu
não tenho culpa nenhuma do que aconteceu ! Vou enrroba, embora, vender os çôdes,
doces !

(SEU AZEVEDO SAI DE CENA)(ESTÔMAGO ESTÁ MORTO)(BILECO CHORA,


VOLTA CORAÇÃO)

BILECO- Não morra não, Estômago.


CORAÇÃO- Eles morreram, não foi ? Nós estamos muito tristes, Bileco.

BILECO- Mas, Coração, eu fiz tudo certo.

CORAÇÃO (AO PÚBLICO) – Ele fez tudo certo ? Só falta agora você me matar. Mas, se
fizer isso, morrerá também.

BILECO- Agora, estou vendo quem é você, Coração. Um falso. Logo agora que eu estou
precisando de você, me abandona. É um amigo da onça.

CORAÇÃO- Sabe quem eu vi ontem, Bileco ? Bianca, a tua namorada.

(MÚSICA)(ENTRA BIANCA, BASTANTE TRISTE)

BILECO (SUSPIRANDO) – Bianca...

CORAÇÃO (SUSPIRANDO) – Bianca...

BILECO- Por que você está triste, Bianca ?

BIANCA- Porque estou muito decepcionada, Bileco.

BILECO- Mas você está decepcionada com quê, Bianca ?


BIANCA- Porque existe um menino muito mau e sem sentimento.

BILECO- E o quê que esse menino fez, Bianca ?

BIANCA- Esse menino tão mau e sem coração, simplesmente destruiu todo o meu jardim
de rosas. Pisou e matou todas as flores. Só por prazer.

BILECO- E quem é esse menino, Bianca ?

BIANCA- Esse menino é você, Bileco.

(BIANCA SAI DE CENA CHORANDO) (CORAÇÃO CAI NO CHÃO)

BILECO- Bianca, me perdoa ? Eu não queria matar suas flores ! (VAI ATÉ CORAÇÃO)
Coração !!!! Não morra, Coração ! Só falta você...

CORAÇÃO (MORRENDO) – Agora não dá mais tempo, Bileco. Acabou tudo.

(CORAÇÃO MORRE)(MÚSICA TRISTE)

BILECO (CAINDO TAMBÉM) – Coração ! Eu prometo que serei bom ! Coração,


Coração...

(BILECO MORRE)(UNHA E DENTE VOLTAM, SILENCIOSAMENTE) (ACORDAM


CORAÇÃO E ESTÔMAGO, QUE SAEM DE CENA)(AO TÉRMINO DA MÚSICA,
BILECO ACORDA)
BILECO (AO PÚBLICO )- Eu tive um sonho horrível. Sonhei que meu Dente tinha
morrido, minha Unha, meu Estômago e meu Coração também. Eu também tinha morrido.
Agora percebo, que preciso ser bom e justo, não é ? Que tenho que escovar os dentes todos
os dias, cortar as unhas, me alimentar direito, estudar para ser alguém na vida, não é ?
Tenho que respeitar meus pais, meus professores, respeitar a natureza. E também preciso
ser respeitado, pois sou uma criança e mereço ser feliz. Mas, agora, eles morreram e não
adianta mais nada...

(ABAIXA A CABEÇA E CHORA)(MÚSICA)(ENTRAM, LENTAMENTE, UNHA,


DENTE, ESTÔMAGO E CORAÇÃO) (ESTÃO FELIZES E PERDOAM BILECO)
(TODOS SE ABRAÇAM) (MÚSICA FINAL)

fim