Sie sind auf Seite 1von 2

19 de agosto de 2015

MOSTRAR

ÉTICA E ESPIRITUALIDADE

ÉTICA E ESPIRITUALIDADE

Primeiramente devemos entender o que significa ética, uma palavra tão pequena e tão forte em seu contexto,
ética envolve questões de moral, caráter, envolvendo os seres humanos nas pequenas e grandes questões
comportamentais, sociais e religiosas. Na realidade a religião não deveria ser uma alavanca para se ter ética.
Mas quando falamos de espiritualidade, sim a espiritualidade inspira à ética, observem no caso das
mensagens dos bons espíritos, onde aprendemos conceitos morais, isso nos aprimora, porque através dessas
mensagens evangelizadoras, doutrinarias, conseguimos entender a importância desses valores morais e
espirituais, e o mais bacana de tudo isso é que as pessoas com esse aproveitamento passam a se tornar
pessoas melhores, umas se evangelizam, outras alcançam a redenção, outras se auto reformam e se perdoam,
e tudo isso reflete no meio social.
Quando falamos de ética espiritualista devemos ter em mente esses conceitos, onde todo agrupamento
espiritual sendo ele Espírita, Umbandista e demais, tem sua importância, podem se mudar as dinâmicas e a
ritualística mas o que importa e que deveria se priorizar de fato é o resultado. Às vezes, nos deparamos em
alguns grupos de estudo certa rivalidade entre alguns adeptos de segmentos diferentes entre si, todos
querendo defender o seu peixe com unhas e dentes como se a espiritualidade necessitasse disso. Falta
realmente entendimento justamente sobre a ética espiritual, porque nossos mentores e guias ensinam
justamente ao contrário. Confesso que tenho medo dessas disputas no que condiz a religiosidade e
espiritualidade, a muito ego e pouca espiritualidade.
A ética espiritual nos ensina a ter valores generosos não só consigo mesmo, mas para com nosso semelhante.
Há vários segmentos que tratam a ética espiritual de diferentes formas, mas uma coisa é fato quando essa
suposta “ética” vem com um tom preconceituoso e intolerante, onde o direito de crença é invadido, aonde
esses conceitos supostamente morais vêm com tom de violência. Ali na realidade faltou ética, e onde
supostamente deveria haver valores espirituais há o oportunismo, ganância. E onde falta ética espiritual há
fanatismo, porque não há mais respeito, os valores são deturpados, e isso causa sofrimento, guerra.
Quando as pessoas aprenderem o que engloba essa pequena palavra, aprenderam que não importa a religião
que professem, o que importa é que o bem prevaleça acima de qualquer ato de maldade e violência.
Espiritualidade entenda não é ter uma religião, mas ser alguém com ética e ter valores que visam a pratica do
bem e da caridade e amor ao próximo. Poderiam se juntar ateus, umbandistas, espíritas, budistas, numa só
causa humanitária, todos ali seriam irmãos, porque ali não haveria distinção somente a paz espiritual e
mundial. Todos com sua fé, mas acima de tudo com seu amor. Os bons valores prevaleceriam, ali teria ética.
E porque isso é tão raro? Pensemos.
Entendam ser uma pessoa religiosa não quer dizer que essa pessoa seja espiritualizada. Conheço muitas
pessoas que são ateus e que são mais espiritualizadas que muitas que não saem de templos religiosos.
Acredito que o coração de toda ética deveria ser sustentada na palavra Amor, porque quando o Amor
prevalece à ética se fortalece e se sustenta.
Todos os dias recebemos em nossas casas espirituais tantos irmãos a procura de um aconselhamento, de um
caminho, mas na realidade estão à procura de esperança.
E como atender tantas expectativas, como preencher tantas vidas? Somente apresentando a esses irmãos as
defesas da alma, os ensinando com exemplo e com atitudes que tudo pode sim mudar, basta dar o primeiro
passo na grande estrada da vida. E é preciso ser ético para lidar com tantas vidas, tantas confidências, tantas
histórias.
Mas infelizmente está faltando ética em algumas casas espirituais de diferentes seguimentos religiosos, onde
estão deixando os valores caritativos de lado e fazendo com que suas casas espirituais virem verdadeiros
comércios da fé. Onde quem paga tem atendimento, quem paga tem atenção, e onde está a caridade real
nisso?
Nas grandes virtudes do ser humano há ética, interessante não é mesmo? Quando percebemos a importância
dessa palavra.
Não há religiosidade, espiritualidade sem ética, porque através dos conceitos morais que criam e formam o
caráter do ser humano é que modificamos a nós, ao outro ao mundo.
Todo espiritualista deveria tomar muito cuidado com o ego, porque o ego faz com que achemos que nossas
verdades são absolutas e que não podem jamais serem questionadas. O ego de certa forma vai à contra mão
da ética. Muitos foram vitimas de seu ego, muitos quebraram e se esqueceram da ética, mas o pior é quando
não se tem ética, mas se tem “poder”, neste caso ocorre o caos, onde o mais fraco acaba por se subjugar ao
mais forte. O ser humano tem memória curta, mas as cicatrizes pelo mundo são visíveis e ainda cruentas
devido ao fanatismo, ego, ganância. E creiam o fanatismo está em todos os seguimentos religiosos como uma
doença contagiosa, ali as escondidas prestes a pegar os descuidados e desatentos.
Na minha humilde opinião: não a pratica da espiritualidade sem os valores que englobam a ética e não há
ética sem espiritualidade.
Pois é meu caro irmão e irmã, vejam como é importante entendermos nossos valores sem negligenciar o do
irmão do lado. Como o grande mestre bem claramente nos ensinou “Amai uns aos outros, como eu vos
amei.”
Entendam bem esse conceito moral, porque se agredimos nosso semelhante por pensar diferente de nós, não
estaremos cumprindo esse valor ético.
Podemos mostrar nossas verdades, mas a ética nos impede de impô-las.

Cristina Alves
Dirigente do Templo de Umbanda Ogum 7 Ondas e Cabocla Jupira

Foto de Cristina Alves.


Postado em Sem categoria.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com. Umbanda – Orixá Essência Divina – Templo de
Umbanda Ogum 7 Ondas e Cabocla Jupira