Sie sind auf Seite 1von 13

I-2-PM

Polícia Militar do Estado de São Paulo

INSTRUÇÃO POLICIAL MILITAR

INSTRUÇÕES PARA A MOVIMENTAÇÃO DE POLICIAIS MILITARES

Setor Gráfico do CSM/M Int

Impresso em 2001

4ª Edição

Tiragem: 800 Exemplares

Publicada no Bol G PM 057/01

(com alterações no Bol G PM 156/11 e Bol G PM 163/16)


POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

COMANDO GERAL

São Paulo, 21 de fevereiro de 2001.

DESPACHO Nº DSist-4/322/01.

1. O Comandante Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo, usando das


atribuições conferidas nos termos dos artigos 16 e 43 das I-1-PM (Instruções para
as Publicações da Polícia Militar), aprova, manda pôr em execução e autoriza a
impressão e publicação em anexo ao Boletim Geral PM da (I-2-PM), INSTRUÇÕES
PARA A MOVIMENTAÇÃO DE POLICIAIS MILITARES - 4ª Edição.

2. Autorizo que a presente Instrução seja publicada em anexo a este Boletim


Geral PM.

RUI CESAR MELO

Cel PM - Cmt Geral

2
DISTRIBUIÇÃO

1. Órgãos de Direção
a. Geral
Cmt G ..............................................................................................1
SCmt PM ..........................................................................................1
SCh do EM/PM ..................................................................................1
Seções do EM/PM (cada) ....................................................................2
Gab Cmt G .......................................................................................2
Corregedoria PM ................................................................................2
b. Setorial
Diretoria de Pessoal ......................................................................... 10
Demais Diretorias ..............................................................................2
2. Órgãos de Apoio
OPM (cada).......................................................................................2
3. Órgãos Especiais de Apoio
AG ...................................................................................................2
C Mus ..............................................................................................1
4. Órgãos de Execução
CPC, COM, CPI-1 a 7 e CCB (cada) ......................................................2
CPA/M e CPTran (cada) ......................................................................2
UOp (cada) .......................................................................................2
5. Órgãos Especiais de Execução
CPChq, CPFM, CPRv E GRPAe (cada) ....................................................2
Uop (cada) .......................................................................................2
6. Casa Militar ...........................................................................................2
7. Assessorias Policiais Militares (cada).........................................................1
9. Reserva:
DSist ...............................................................................................5
PM-1 ................................................................................................5
10. Para venda:
no CSM/M Int ..................................................................... as demais

( * ) Obs: os exemplares da distribuição carga deverão ser incluídos em carga nos termos do artigo 57
das I-1-PM (Instruções para as Publicações da Polícia Militar).

3
ÍNDICE ANALÍTICO

Pág
Capítulo I - DA FINALIDADE ........................................................ 5
Capítulo II - DA CONCEITUAÇÃO .................................................. 5
Capítulo III - DOS OBJETIVOS ...................................................... 5
Capítulo IV - DA MOVIMENTAÇÃO ................................................ 6
Seção I - Da Movimentação por Conveniência Própria ..................... 6
Subseção I - Disposições Gerais ................................................... 6
Subseção II - União de Cônjuges .................................................. 7
Seção II - Da Movimentação por Conveniência da Disciplina ............ 8
Seção III - Da Movimentação por Conveniência da Justiça ............... 8
Capítulo V - DA COMPETÊNCIA ..................................................... 8
Capítulo VI - DA PUBLICAÇÃO ...................................................... 9
Capítulo VII - DA APRESENTAÇÃO ................................................ 9
Capítulo VIII - DOS ATOS DECORRENTES DA MOVIMENTAÇÃO ...... 11
Capítulo IX - DAS PRESCRIÇÕES DIVERSAS ................................. 11

OBS: Devido a atualização sofrida pela presente Instrução, o número da página poderá não
corresponder com o assunto.

4
CAPÍTULO I
Da Finalidade

Artigo 1º - A finalidade destas instruções é a de estabelecer normas gerais


para a movimentação de oficiais e praças da Polícia Militar.

CAPÍTULO II
Da Conceituação

Artigo 2º - Organização Policial Militar (OPM), para fins destas instruções,


constitui-se nos Órgãos de Direção, Apoio e Execução previstos no decreto de
organização da Polícia Militar.

Artigo 3º - Quadro Particular de Organização é o documento que estabelece a


estrutura e o desdobramento organizacional de uma OPM, fixando o efetivo
necessário ao desempenho de suas atribuições.

Artigo 4º - Movimentação é a denominação genérica do ato administrativo que


tem por objetivo alocar os oficiais e praças nas OPM para propiciar o cumprimento
das missões afetas à Corporação, estabelecendo a situação funcional do policial
militar.

Artigo 5º - Agregação é a situação de inatividade temporária do policial militar


que, nesse período, fica excluído do estado efetivo da OPM e da Corporação.

CAPÍTULO III
Dos Objetivos

Artigo 6º - A movimentação deverá ser realizada tendo um dos seguintes


objetivos:

I - o atendimento da conveniência do serviço e o preenchimento das vagas


previstas nos QPO, assegurando às OPM o efetivo necessário ao desempenho de
suas missões;

II - a necessidade da freqüência aos cursos e estágios, assegurando o


aprimoramento profissional;

III - o exercício de função ou cumprimento de missão específica, por interesse


do serviço;

IV - o atendimento, respeitado o interesse do serviço, da conveniência do


policial militar;

V - o atendimento da conveniência da disciplina, afastando o policial militar de


OPM ou localidade na qual sua permanência seja inconveniente ou incompatível
com o interesse policial-militar; e

VI - o atendimento às determinações judiciais.

CAPÍTULO IV
Da Movimentação

Artigo 7º - Constituem espécies de movimentação:

5
I - classificação: ato que atribui ao policial militar uma das vagas previstas nos
QPO em decorrência de promoção, reversão ao serviço ativo, reintegração e
término de curso ou estágio de formação;

II - transferência: atribuição de nova OPM ao policial militar, a fim de atender à


conveniência do serviço ou conveniência própria, dentro das vagas previstas no
QPO;

III - adição: ato através do qual o policial militar fica vinculado


temporariamente a outra OPM, sem ocupar vaga prevista no QPO, para freqüência
de curso ou estágio de duração superior a 30 (trinta) dias, exercício de função ou
missão específica compatível com seu posto ou graduação, ou ainda, para controle
da situação funcional do agregado;

III – adição: ato que vincula temporariamente o policial militar a uma OPM
para: (NR). (Redação alterada pelo Bol G PM 156/11).

a) freqüência a curso ou estágio de duração superior a 30 (trinta) dias;


b) exercício de função ou missão específica compatível com o seu posto ou
graduação;
c) controle da situação funcional do agregado e dos policiais recolhidos presos
ao PMRG. (Redação inserida pelo Bol G PM 156/11).

IV – desligamento: ato através do qual o policial militar se desvincula da OPM


ao qual estava adido; e

V – à disposição: situação especial e transitória do policial militar que, sem


integrar o efetivo de uma OPM, está a ela vinculado apenas para freqüência de
curso ou estágio de duração igual ou inferior a 30 (trinta) dias, ficando o controle
dessa situação funcional a cargo da OPM de origem.

Parágrafo único – O policial militar que estiver adido a uma OPM poderá
permanecer nessa situação como se efetivo fosse, sendo considerado para todos os
efeitos como seu integrante, devendo tal circunstância constar na publicação que
originou a adição.

Artigo 8º - As movimentações poderão ser processadas pelas seguintes razões:

I – conveniência do serviço, quando forem decorrentes do interesse do serviço;

II – conveniência própria, quando solicitada pelo policial militar;

III – conveniência da disciplina; ou

IV – conveniência da justiça.

Parágrafo único – As classificações somente se farão por conveniência do


serviço ou própria.

Seção I
Da Movimentação por Conveniência Própria

Subseção I
Disposições Gerais

6
Artigo 9º - São condições para a movimentação por conveniência própria:

I – estar, no mínimo, no bom comportamento, se praça;

II – não estar respondendo a processo disciplinar ou IPM que, por força


regulamentar ou de conveniência para as apurações, recomende a permanência na
OPM;

III – ter cumprido o prazo mínimo estabelecido em edital ou instrução de


concurso para permanência na OPM ou área, a contar da data de sua classificação.

§ 1º - O Aspirante-a-Oficial PM não pode pleitear movimentação por


conveniência própria.

§ 2º - A opção de OPM, quando do término de curso, não é considerada como


pedido do interessado.

§ 3º - A movimentação de policial militar para OPM da qual haja sido


movimentado fica condicionada ao parecer favorável do Comandante da OPM de
destino.

Artigo 10 – O pedido de movimentação por conveniência própria deve ser


instruído através do formulário PM P-74 e somente encaminhado, nos termos do
artigo 18, se preenchidas as condições previstas no artigo anterior.

Artigo 11 – Preenchidas as condições, o policial militar será movimentado ou


incluído no banco de dados (oficial) ou na relação de prioridade de transferência
(praça).

Parágrafo único – O caso que excepcione as normas previstas para o banco de


dados ou para a relação de prioridade de transferência deve ser instruído com a
documentação comprobatória que justifique a necessidade imediata da
movimentação e encaminhado para análise e decisão, nos termos do artigo 18.

Subseção II
União de Cônjuges

Artigo 12 – A movimentação nos termos do artigo 130 da Constituição


Estadual será feita para o município onde o cônjuge tem sua residência.

Parágrafo único – A critério da Administração, será definida a OPM (de


policiamento ostensivo, rodoviário, florestal ou bombeiro) para a qual deva ser feita
a movimentação, dentre aquelas que abrangem o município de residência do
cônjuge.

Artigo 13 – Fica a movimentação sujeita ainda às seguintes condições:

I – não prejudique o serviço;

II – não tenha havido movimentação, nos últimos 5 (cinco) anos, pelo mesmo
fundamento;

III – o município de exercício do cônjuge e sua residência sejam os mesmos;

IV – não haja sido movimentado por conveniência da disciplina ou da justiça.

7
Parágrafo único – Quando os cônjuges prestarem serviços no mesmo
município e um deles for movimentado, por conveniência própria, para OPM
localizada em município diverso, o outro não poderá pleitear sua movimentação nos
termos do artigo 130 da Constituição Estadual.

Artigo 14 – O policial militar deverá juntar ao formulário PM P-74:

I – cópia autenticada da certidão de casamento;

II – certidão expedida pelo órgão onde o cônjuge, servidor público, presta


serviços, com esclarecimentos de sua situação funcional (cargo que ocupa,
município de exercício e se é efetivo, concursado ou nomeado, etc.);

III – comprovante de residência do cônjuge na localidade pleiteada.

Seção II
Da Movimentação por Conveniência da Disciplina

Artigo 15 – A movimentação por conveniência da disciplina ocorrerá quando a


permanência do policial militar em sua OPM tornar-se nociva ou prejudicial à
disciplina, vindo a comprometer o conceito dos seus pares e da Corporação, e
deverá estar vinculada ao processo ou procedimento administrativo que apurar os
fatos.

Seção III
Da Movimentação por Conveniência da Justiça

Artigo 16 – A movimentação será considerada por conveniência da justiça


quando efetivada em atendimento a decisão judicial ou decorrente do interesse da
justiça.

CAPÍTULO V
Da Competência

Artigo 17 – São competentes para efetivar a movimentação de policiais


militares entre as diversas OPM:

I – Governador do Estado, para a movimentação de Coronéis;

II – Secretário da Segurança Pública, para a movimentação de Tenentes


Coronéis e Majores;

III – Comandante Geral, para a movimentação de Capitães e Tenentes que


estejam no Comando ou Chefia de OPM;

IV – Chefe do Estado Maior da Polícia Militar, para a movimentação de Capitães


e Tenentes que não estejam no Comando ou Chefia de OPM; e

V – Diretor de Pessoal, para a movimentação de Praças.

Parágrafo único – A movimentação interna, no âmbito das OPM, é de


competência do respectivo Comandante, observado o disposto no artigo 31 destas
Instruções.

8
Artigo 18 – Os pedidos, propostas e outros expedientes sobre movimentação
devem ser encaminhados:

I – à PM-1 quando tratar de Oficiais Superiores; e

II – à Diretoria de Pessoal, nos demais casos.

Artigo 19 – A documentação referente à movimentação de Oficiais e Praças


entre OPM subordinadas deve obedecer ao seguinte trâmite:

I – no âmbito das Diretorias, do CPC, COM, CPI-1 a 7, CPChq, CPRv, CPFM e


CCB: o Diretor ou Comandante encaminha o expediente para análise, homologação
e publicação do ato; e

II – no âmbito dos CPA: o Comandante, com a aprovação do Comandante do


CPC ou COM, encaminha o expediente para os fins previstos no inciso anterior.

Parágrafo único – A movimentação a que se refere este artigo não pode ser
homologada e publicada pelas autoridades previstas no artigo 17 se a proposta
contrariar estas Instruções, o QPO, a política de pessoal vigente na Corporação ou
outros dispositivos regulamentares.

CAPÍTULO VI
Da Publicação

Artigo 20 – A movimentação será publicada em Diário Oficial ou Boletim Geral


PM.

CAPÍTULO VII
Da Apresentação

Artigo 21 – O policial militar movimentado deve ser apresentado à sua nova


OPM:

I – de imediato, quando movimentado por conveniência da disciplina ou


conveniência da justiça; e

II – no prazo de 10 (dez) dias, quando a movimentação for por conveniência do


serviço ou conveniência própria, salvo se determinado de forma diversa.

II – no prazo de 5 (cinco) dias, quando a movimentação for por conveniência do


serviço ou própria, salvo se expressamente o ato prever de forma diversa. (NR
dada pela Portaria do Cmt G PM1-2/02/16, de 10AGO16)

Parágrafo único – O prazo para a apresentação à nova OPM é contado da


publicação do ato.

Artigo 22 – Caso o policial militar esteja afastado regularmente do serviço


(férias, licença, dispensa convalescença, etc.), em cumprimento de punição, no
exercício da função de detentor executivo ou respondendo a processo
administrativo ou IPM e seja imprescindível sua presença na OPM para a elucidação
dos fatos, o prazo será contado a partir da conclusão do afastamento do
cumprimento da punição, da passagem da carga ou da solução do processo
administrativo ou IPM.

9
Parágrafo único – O Comando da OPM de origem dará ciência ao Diretor,
Comandante ou Chefe da OPM de destino, esclarecendo os motivos e informando a
data prevista para a apresentação.

Artigo 23 – Não poderá ser concedido qualquer afastamento, tal como férias,
licença-prêmio, dispensa, mesmo em caráter excepcional, ao policial militar que
tenha tido publicada sua movimentação mas ainda não haja sido apresentado.

Parágrafo único – Se o policial militar constar do plano de férias e não estiver


previsto o início de fruição desse afastamento até o dia posterior ao da publicação
da sua movimentação, somente poderá iniciar o gozo das férias após a
apresentação na nova OPM.

Artigo 24 – Caso a apresentação não seja efetuada no prazo estabelecido, a


OPM de destino deverá comunicar o fato ao Chefe do Estado Maior da Polícia Militar
ou Diretor de Pessoal, nos termos do artigo 18 destas Instruções.

Artigo 25 – O policial militar só pode ser apresentado à nova OPM após a


publicação da movimentação, salvo:

I – se determinado pelas autoridades constantes no artigo 17;

II – se determinado pelas autoridades constantes no artigo 19, desde que:

a) a movimentação seja no âmbito da respectiva jurisdição;

b) a permanência na OPM seja prejudicial à disciplina ou ocorra motivo de


força maior; e

c) haja vaga na OPM de destino.

§ 1º - No caso da apresentação ser anterior à publicação, a OPM de origem


deve comunicar a medida no prazo de 24 (vinte e quatro) horas, nos termos do
artigo 18 destas Instruções.

§ 2º - O pedido de apresentação imediata de policial militar com destino a OPM


fora do âmbito da jurisdição deve ser encaminhado, nos termos do artigo 18, desde
que enquadrado na alínea “b” do inciso II deste artigo.

Artigo 26 – O policial militar ao receber o ofício de apresentação deve


comparecer:

I – imediatamente à nova OPM, durante o horário de expediente da data


constante do ofício, desde que a movimentação seja no âmbito da Capital, Região
Metropolitana ou da região correspondente ao CPI onde estiver localizada a OPM de
origem;

II – no prazo de 24 (vinte e quatro) horas à nova OPM, caso a movimentação


ocorra para localidade diversa do previsto no inciso anterior e não faça jus a
trânsito; e

III – se fizer jus a trânsito, a apresentação será na data estipulada no ofício,


observadas as disposições dos incisos anteriores.

10
§ 1º - O ofício de apresentação deve ser entregue ao policial militar,
preferencialmente, no início do expediente, devendo nele constar, se houver,
informações adicionais sobre diárias e auxílio-alimentação a que faz jus,
apresentação em juízo, férias e outros afastamentos.

§ 2º - Entregue o ofício de apresentação ao policial militar a OPM de destino


deve ser cientificada desse fato.

Artigo 26 - O policial militar ao receber o ofício de apresentação deve


comparecer à nova OPM:

I - imediatamente, durante o horário de expediente da data constante do ofício,


desde que a movimentação seja no âmbito da Capital ou Região Metropolitana;

II - no prazo de 24 (vinte e quatro) horas, caso a movimentação ocorra para


localidade diversa do previsto no inciso anterior.

§ 1º - O ofício de apresentação deverá ser entregue ao policial militar,


preferencialmente, no início do expediente, devendo nele constar, dentre outros
dados relevantes, datas para apresentação em juízo, direito a férias e outros
afastamentos, cabendo à OPM de origem realizar os lançamentos relativos às
vantagens de frequência até à data da efetiva apresentação, de acordo com
procedimento administrativo padrão relativo a pagamento.

§ 2º - No momento da entrega do ofício, o interessado deverá consignar


ciência na cópia do documento, certificando que foi informado acerca da data, hora
e local em que deve se apresentar na OPM de destino.

§ 3º - Entregue o ofício de apresentação ao policial militar, a OPM de origem


deverá, imediatamente, comunicar esse fato à OPM de destino.

§ 4º - A OPM de destino, por sua vez, controlará a apresentação do policial


militar, atentando para o cumprimento dos prazos definidos neste artigo ou, se for
o caso, no ato de movimentação.

§ 5º - Caso a apresentação não ocorra na data estabelecida, a OPM de destino


adotará as providências necessárias para localização do policial militar e, se for o
caso, tomará as medidas para apuração da responsabilidade disciplinar e penal
militar. (NR dada pela Portaria do Cmt G PM1-2/02/16, de 10AGO16)

Artigo 27 – Os Oficiais e Aspirantes-a-Oficial devem ser apresentados nas


Diretorias, CPC, COM, CPI-1 a 7, CPChq, CPRv, CPFM e CCB, enquanto as Praças
devem ser apresentadas nos Órgãos imediatamente subordinados.

Parágrafo único – Excetuam-se do disposto neste artigo as movimentações


que ocorram no âmbito daqueles Órgãos.

Artigo 27 - O policial militar movimentado deverá ser apresentado diretamente


ao Comandante, Diretor ou Chefe de sua OPM de destino.

Parágrafo único - Quando o policial militar for movimentado para assumir


Comando de OPM, deverá ser apresentado ao Comandante, Diretor ou Chefe da
unidade imediatamente superior à OPM de destino. (NR dada pela Portaria do Cmt
G PM1-2/02/16, de 10AGO16)

11
Artigo 27-A - O policial militar deverá apresentar-se à OPM de destino
utilizando os uniformes descritos nos incisos III (B-3.1 e B-3.2) e IV (B-4.1), do
artigo 17 do Regulamento de Uniformes da Polícia Militar do Estado de São Paulo
(R-5-PM), baixado por meio do Decreto 28.057, de 29 de dezembro de 1987 e suas
alterações, devendo o B-4.1 ser utilizado na sua composição básica, vedado o uso
das peças complementares ou substitutivas específicas previstas no nº 3, item 1,
inciso IV do artigo 17. (Redação acrescentada pela Portaria do Cmt G PM1-2/02/16,
de 10AGO16)

CAPÍTULO VIII
Dos Atos Decorrentes da Movimentação

Artigo 28 – São atos administrativos decorrentes da movimentação, praticados


pelo Diretor, Comandante ou Chefe da OPM:

I – inclusão: ato pelo qual a autoridade integra no estado efetivo da OPM o


policial militar que para ela tenha sido movimentado e apresentado;

II – exclusão: ato pelo qual a autoridade exclui o policial militar do estado


efetivo da OPM; e

III – designação: ato pelo qual a autoridade estabelece a função a ser


desempenhada pelo policial militar.

§ 1º - A inclusão e a exclusão são a contar da efetiva apresentação do policial


militar.

§ 1º - Em qualquer dos casos de movimentação previstos no artigo 7º destas


Instruções, a inclusão e a exclusão são realizados a contar da efetiva apresentação
e recebimento do policial militar, momento no qual, independente de publicação,
será realizada sua inserção no sistema corporativo de controle de pessoal da OPM
de destino. (NR dada pela Portaria do Cmt G PM1-2/02/16, de 10AGO16)

§ 2º - Os atos devem ser publicados em boletim interno da OPM e, no caso do


policial militar adido, deve constar somente a data da apresentação ou retorno,
com menção à especial situação de adido.

Artigo 29 – Processada a movimentação, desde que entre municípios


diferentes e exceto por conveniência própria, a OPM de destino do policial militar,
no ato da sua apresentação, deve encaminhar expediente ao Centro de Despesa de
Pessoal para fins de ajuda de custo, observado o procedimento administrativo
padrão pertinente.

Artigo 30 – A OPM de origem, desde que a movimentação não tenha sido por
conveniência própria, deve providenciar requisição de transporte pessoal e de
bagagem, de acordo com a legislação em vigor.

CAPÍTULO IX
Das Prescrições Diversas

Artigo 31 – Os Comandantes de OPM devem restringir ao máximo as


movimentações internas que impliquem no pagamento de ajuda de custo, por
exemplo, movimentação de Cia, Pel ou P PM, por conveniência do serviço, entre
municípios diversos.

12
Parágrafo único – Havendo necessidade, o pedido de movimentação deve ser
encaminhado ao Diretor de Pessoal devidamente justificado, para análise da
disponibilidade orçamentária própria. (Revogado pelo Bol G PM 156/11).

Artigo 32 - O pedido para a movimentação de policial militar deve estar


instruído com a documentação comprobatória de sua liberação para a OPM
pretendida.

Artigo 33 - A PM-1 e a Diretoria de Pessoal devem manter grade de efetivo das


OPM, permanentemente atualizada, para assessoramento do Comando quanto às
vagas disponíveis.

Artigo 34 - A movimentação publicada somente pode ser revogada ou


retificada caso o policial militar, por motivo justificável, não tiver sido apresentado
à nova OPM.

Parágrafo único - Caso o policial militar já tenha sido apresentado, deve ser
proposta nova movimentação, observados os critérios estabelecidos nestas
Instruções.

Artigo 35 - O policial militar promovido e aguardando a classificação


permanece em sua OPM, nesse interregno, na condição de adido como se efetivo
fosse, concorrendo normalmente às substituições e exercendo função própria de
seu posto ou graduação, se houver.

Artigo 36 - O policial militar adido, exceto o agregado, continua ocupando a


vaga da sua OPM de origem.

Artigo 37 - Após a conclusão de curso de especialização, o policial militar deve,


preferencialmente, servir em OPM que permita a aplicação dos conhecimentos
adquiridos.

Artigo 38 - Ficam revogadas as disposições em contrário, em especial as I-2-


PM, publicadas no Bol G PM 039, de 27Fev98, alteradas pela publicação contida no
item 1 do Bol G PM 076, de 23Abr98, o item 2 do Bol G PM 130, de 13Jul98, e o
item 1 do Bol G PM 084, de 5Mai99.

13