Sie sind auf Seite 1von 2

INTRODUÇÃO

A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA) foi descoberta em 1981 nos EUA após a investigação de casos de sarcoma de Kaposi, pneumonia por Pneumocystis carini e deficiência do sistema imunológico sendo provocada pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV). Doenças oportunista as quais na maior parte dos casos não são consideradas patogênicas para o indivíduo imunologicamente saudável, são comuns em pacientes com SIDA, tal grupo de enfermidades é composto de infecções causadas por vírus, bactérias, fungos, protozoários e pelas neoplasias.

Dados de 2017 mostram uma prevalência de 36,9 milhões de pessoas vivendo com HIV tendo como incidência 1,8 milhões de casos novos e 940 mil mortalidades.

A Saccharomyces cerevisiae é uma levedura bastante utilizada para a produção de pão e vinhos além de estar presente em probióticos, sua virulência até então é considerada baixa para os

seres humanos, existem casos de fungemia descritos na literatura em pacientes imunocomprometidos por SIDA ou neoplasias, porem pessoas imunocompetentes podem apresentar o mesmo quadro infecioso. A clinica descrita nos pacientes com infecção por esse fungo é semelhante a provocada por candidíase, como a esofagite e pericardite.

RELATO DE CASO Paciente feminina, 71 anos, admitida no Hospital Universitário Joao de Barros Barreto. Diagnóstico prévio de Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, há cerca de

5 anos, com uso irregular de Terapia Antirretroviral. Procedente do Hospital Regional de Salinópolis, onde esteve internada por 35 dias, devido a febre persistente, hematêmese, dor hipogástrica e melena. Ao exame físico, estava consciente, orientada, febril ao toque, com dor a palpação profunda em abdômen, além de edema em membros inferiores. Os exames laboratoriais demonstraram hemoglobina de 7,8 mg/dL e linfócitos de 910/mm 3 . Conduta inicial:

Ceftriaxona endovenosa (2 g), para prevenção de Peritonite Bacteriana Espontânea; 1 concentrado de hemácias, tomografia computadorizada de tórax e abdome total, raio x de tórax, endoscopia digestiva alta, exames laboratoriais, hemocultura e urinocultura.

de

hospitalização, Endoscopia Digestiva Alta demonstrou lesão de antro gástrico, com aspecto compatível a neoplasia gástrica. Logo, ao ser solicitada a biópsia gástrica, notou-se adenocarcinoma gástrico. No 11 dia de internação, iniciou-se o protocolo de sepse, com Cefepime 1000 mg e Metronidazol 5 mg/Ml, por 7 dias. Evoluiu para pneumotórax, sendo realizada drenagem torácica fechada, no 12 dia de hospitalização. Com 3 semanas de internação hospitalar, hemorragia digestiva alta persistente e constipação há 13 dias.

No 36 dia de hospitalização, paciente foi submetida a gastroenteroanastomose latero-lateral e omentectomia, devido ao quadro de adenocarcinoma gástrico. 2 dias após, bacterioscopia demonstrou crescimento de leveduras, sendo introduzido Anfotericina B 50 mg. Apresentou piora do estado geral, referindo dor intensa em epigástrio, além

No

segundo

dia

de urinocultura com Enterococcus faecalis > 100.000 UFC/mL. Logo, após conversa com familiares, concordaram com cuidados paliativos, sendo suspenso o medicamento antifúngico. No 44 dia de internação hospitalar, evoluiu a óbito. Hemocultura posterior demonstrou presença de Saccharomyces cerevisiae.

CONCLUSAO

Pacientes com doenças de base as quais deprimem o sistema imunológico como SIDA e neoplasia estão suscetíveis a apresentarem infecções oportunista por agentes etiológicos até então considerados de baixa virulência para os

seres humanos, como a levedura Saccharomyces cerevisiae. Tal agente deve ser considerado emergente quanto a possibilidade de fungemia em condições especiais como a demonstrado no relato de caso.

O tratamento realizado com fluconazol ou anfotericina B demonstra ser eficaz na maior parte dos casos para a eliminação do patógeno, mas em situações em que as doenças de base estão em estadiamento avançados o prognóstico tem a tendência de ser negativo. Dessa forma, as hemoculturas

e urocultura devem ser realizadas com o

proposito de encontrar o microrganismo

o mais precoce possível e trata-lo.