Sie sind auf Seite 1von 4

Arte, o que é isso?

Não existe uma resposta pronta e acabada para essa questão


Valéria Peixoto de Alencar*
Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação

Palavra de origem latina, "ars" significa técnica ou habilidade. Segundo alguns dicionários, arte é a
"produção consciente de obras, formas ou objetos voltada para a concretização de um ideal de
beleza e harmonia ou para a expressão da subjetividade humana".

Ou, ainda, "podemos incluir o termo arte como a atividade artística ou o produto da atividade
artística. O que poderia ser o produto final da manipulação humana sobre uma matéria-prima
qualquer".

Sem definição exata


Não é possível definir objetivamente o que é arte. Não existe uma resposta pronta e acabada - e
são muitas as concepções.
Mesmo sem possuir uma definição exata do conceito de Arte, não temos dificuldade em identificar
algumas produções da humanidade como "obras de arte".

Para compreender a obra de arte, em qualquer época, é preciso considerar o contexto em que
esta foi produzida. A obra de arte expressa uma determinada experiência através de uma
organização.

Tal experiência pode ser um pensamento, uma ideologia, uma época ou lugar, por exemplo, a
pintura "Segunda Classe" de Tarsila do Amaral, ou a "Mona Lisa".

Observe a reprodução dessa obra de Da Vinci.

"Mona Lisa", de Leonardo da Vinci (1503-1506).


Museu do Louvre, França.
Arte, para quem?
Alguns problemas surgem ao se classificar uma obra como arte, quando a pessoa que a produziu
sequer tinha pensado nisso. É o caso da arte egípcia, ou, mais próxima de nós, da arte indígena.

No Egito antigo, toda a atividade "plástica", estava a serviço da religião, cujas características eram
politeísmo, crença na imortalidade da alma e Juízo Final.

A crença de que após a morte a alma voltaria para habitar o corpo, ou para algo que lembrasse o
morto, fazia as pessoas, dentro de suas possibilidades financeiras, desenharem figuras nas
paredes - das pirâmides para os faraós, dentro de casa, para os mais pobres - a chamada arte
tumular.

Povos que não conceituavam ou conceituam a arte como tal, elaboravam (como na Pré-
História), ou ainda elaboram (como entre os indígenas), objetos importantíssimos e de uma
beleza ímpar. Mas o fazem com finalidades diversas (religiosas, utilitárias etc.), não para
serem apreciados em um museu ou expostas numa galeria.
Abano de palha: usado por povos da Amazônia para agitar o fogo.

E a arte contemporânea?
Se levarmos em conta a etimologia da palavra ("ars" significa técnica ou habilidade), muitos
artistas não expressam suas idéias através de uma habilidade técnica. Eles possuem tal
habilidade, mas estão preocupados em transmitir outras questões, provocar outras reflexões.

Em 1913, momento das vanguardas européias, Marcel Duchamp propôs obras, chamadas
"ready-made", feitas a partir de objetos do dia-a-dia. Não foi o artista quem os produziu.
São apresentados de forma descontextualizada e sem a possibilidade de serem utilizados na
finalidade para a qual foram construídos.

"Roda de bicicleta", Marcel Duchamp


(1913): não é possível utilizar o banco
ou a roda que compõem essa obra de
ate.

Com essa proposição, Duchamp chamou a atenção para a arte produzida naquele momento. Ela
não é mais uma representação do real, como um retrato. Ela é a própria realidade.

Quem decide
O objeto de arte não representa, ele é. Mesmo se o artista não tiver produzido os elementos que
compõem sua obra. Ele também provoca o conceito de arte como associado a um ideal de belo e
à crítica de arte.

O que conta são todas essas questões e muitas outras que a obra pode suscitar.

Se não existe uma definição do conceito arte, quem afinal decide o que é obra de arte ou não?

Muitos são os fatores para se admitir uma produção como sendo obra de arte: a história, o
mercado de arte, a aceitação entre os artistas e, principalmente, a crítica.

Atividade crítica
A arte, como resultado de análise e avaliação, pode adquirir novas dimensões e formas de
expressão por meio da crítica. Esta colabora para que a sociedade se mantenha atenta aos
valores da arte no passado e no presente.

Todas as formas de arte admitem a atividade crítica, isto é, um discurso, um pensamento, sobre o
objeto artístico.

A arte é sempre um produto da humanidade que expressa suas experiências e emoções através
da linguagem.

Na história da arte, podemos levar essas transformações, vistas até aqui, a todas as
manifestações: a literatura, o teatro, a dança, o cinema, a fotografia, a música e tantas outras que
surgem, como a web arte - e outras que ainda vão surgir.

Para refletir

Observe no seu bairro se existem pessoas produzindo arte: grafite, música, dança, artesanato, fotografia. O
que está sendo produzido? Podem ser consideradas obras de arte?

Valéria Peixoto de Alencar* é historiadora formada pela USP e cursa o mestrado em Artes no Instituto de Artes
da Unesp.