Sie sind auf Seite 1von 39

CABOS DE REDE DE PAR TRANÇADO

PAR TRANÇADO
TIPOS DE CABO PAR TRANÇADO
O CABO UTP
CONECTOR RJ-45
PADRÕES DE CONECTORIZAÇÃO
INTERLIGANDO DOIS COMPUTADORES
INTERLIGANDO TRÊS OU MAIS COMPUTADORES
MONTAGEM DO CABO DE REDE DE PAR TRANÇADO
HUBS

PAR TRANÇADO
Há alguns anos a rede feita com cabo de par trançado vem substituindo as redes construídas
com cabos coaxiais de 50 Ohms devido principalmente a facilidade de manutenção, pois com o cabo
coaxial é muito trabalhoso achar um defeito devido que se houver um mau contato ou qualquer
problema com as conexões em algum ponto da rede o problema se refletirá em todas as maquinas da
rede, o que não acontece em uma rede de par trançado.
Outro motivo é a vantagem de se atingir maior taxa de transferência podendo trabalhar não
somente a 10 Mbps, mas também a 100 Mbps (Fast Ethernet) ou até 1000 Mbps (1 Gigabite Ethernet).
Da-se o nome de cabo de par trançado devido que os pares de fios se entrelaçarem por toda a
extensão do cabo, evitando assim interferências externas, ou do sinal de um dos fios para o outro.
Se utilizarmos cabos convencionais haverá comunicação sim , mas com ruídos que prejudicaria
muito a comunicação entre as maquinas.
Como em qualquer comunicação que estejam varias maquinas envolvidas os dados só podem ser
recebidos ou enviados por uma máquina por vez, enquanto as outras máquinas esperam para enviar
os seus dados, se o pacote de dados chegar corrompidos, a máquina que os recebeu pede que eles
sejam enviados novamente e isto custará mais tempo de espera das outras máquinas, então quanto
mais perfeito a linha que trafega os dados, mais rápida será a rede, utilizando-se placas especiais
´Fast Ethernet´ e cabos CAT 5 chegarmos até a 100 Mb por segundo.
Com a popularização das conexões rápidas ( Speed, Cabo etc... ) as placas de 100 Mb e os Hubs
tornaram-se acessíveis no seu preço, portanto são as ideais para uma pequena rede ou rede
domestica, e também deve ser utilizado o cabo UTP CAT 5.
Deve-se verificar também a ligação do cabo de acordo com os sinais envolvidos, como no
conector RJ 45 para a ligação de rede convencional (10 ou 100 Mbps) somente os pinos 1,2,3 e 6 são
na verdade utilizados então devemos fazer a ligação de acordo com o mostrado na figura 2, se
ligarmos os pinos de acordo com a figura 1, a rede também funcionaria, mas com ruídos a menos de
10 Mb/s e jamais funcionaria a 100 Mb/s podendo até travar os computadores da rede.
TIPOS DE CABO PAR TRANÇADO
Existem dois tipos básicos de cabos par trançado:
UTP - Unshielded Twisted Pair - Par trançado sem blindagem.
Este é sem duvida o cabo mais utilizado neste tipo de rede, o cabo UTP é de fácil manuseio,
instalação e permite taxas de transmissão em até 100 Mbps com a utilização do cabo CAT 5 são
usados normalmente tanto nas redes domesticas como nas grandes redes industriais e para distancias
maiores que 150 metros hoje em dia é utilizados os cabos de fibra ótica que vem barateando os seus
custos.

STP - Shielded Twisted Pair - Par trançado com blindagem.


O cabo brindado STP é muito pouco utilizado sendo basicamente necessários em ambientes
com grande nível de interferência eletromagnética. Deve-se dar preferência a sistemas com cabos de
fibra ótica quando se deseja grandes distâncias ou velocidades de transmissão, podem ser encontrados
com blindagem simples ou com blindagem par a par.

O CABO UTP
Os cabos UTP foram padronizados pelas normas da EIA/TIA com a norma 568 e são divididos em
5 categorias, levando em conta o nível de segurança e a bitola do fio, onde os números maiores
indicam fios com diâmetros menores, veja abaixo um resumo simplificado dos cabos UTP.
Tipo Uso

Voz (Cabo
Categoria 1
Telefônico) São utilizados por equipamentos de telecomunicação e não devem ser
Dados a 4 Mbps usados para uma rede local
Categoria 2
(LocalTalk)

Categoria 3 Transmissão de até 16 MHz. Dados a 10 Mbps (Ethernet)

Categoria 4 Transmissão de até 20 MHz. Dados a 20 Mbps (16 Mbps Token Ring)

Categoria 5 Transmissão de até 100 MHz. Dados a 100 Mbps (Fast Ethernet)
CABO UTP SECÇÃO

topo

CONECTOR RJ-45

PINAGEM
NÚMERO DOS
DESTINAÇÃO
PINOS
TD+ Transmite dados
1
TD- Transmite dados
2
3 RD+ Recebe dados

6 RD- Recebe dados

4, 5, 7, 8 Reservados ( não utilizados )

CONECTOR RJ-45 ( TOMADA )


PINAGEM

CONECTOR RJ-45 MACHO PARA MONTAGEM

CONECTOR RJ-45 MONTADO


A seqüência de cores na prática não é importante mas a norma EIA/TIA 568A determina:
branco e verde, verde, branco e laranja, azul, branco e azul, laranja, branco e marrom, marrom.
Essa seqüência deve ser usada pra ligar um computador a um hub. Se você quer ligar dois
computadores diretamente deve ter o cuidado de inverter os fios 1 de um conector com o 3 do outro e
o 2 de um com o 6 do outro.

topo

PADRÕES DE CONECTORIZAÇÃO
Conectorização T568A (Strainght Through) para 10BaseT e
100BaseT
pino função cor
cor

1 + TD Vd/Br

2 - TD Verde

3 + RD Lr/Br

4 N/Utilizado Azul
5 N/Utilizado Az/Br

6 - RD Laranja

7 N/Utilizado Mr/Br

8 N/Utilizado Marrom

Esquema de ligação sem cruzamento algum (Strainght


Through) conforme norma EIA/TIA 568A "Este é o esquema
de ligação mais utilizado em todo o mundo"

Conectorização T568B (Half Cross) para 10BaseT e 100BaseT


cor pino função cor

1 + TD Lr/Br

2 - TD Laranja

3 + RD Vd/Br

4 N/Utilizado Azul

5 N/Utilizado Az/Br

6 - RD Verde

7 N/Utilizado Mr/Br

8 N/Utilizado Marrom

Esquema de ligação com cruzamento parcial de T568A


(Half Cross) conforme norma EIA/TIA 568A

Conectorização T568A (Strainght Through) para 1000BaseT (Gigabit


Ethernet)
cor pino função cor

1 +BI_DA Vd/Br

2 - BI_DA Verde
3 +BI_DB Lr/Br

4 +BI_DC Azul

5 -BI_DC Az/Br

6 - BI_DB Laranja

7 +BI_DD Mr/Br

8 - BI_DD Marrom

Esquema de ligação conforme norma EIA/TIA 568A para 1000BaseT, a


codificação das cores é a mesma, modificando-se somente os sinais e que neste
tipo de ligação se utiliza todos os pinos de ligação para os sinais (full duplex)

Conectorização Cross Over (Cruzamento Total)


T568A para 1000BaseT (Gigabit Ethernet)
cor pino função cor

1 +BI_DA Lr/Br

2 - BI_DA Laranja

3 +BI_DB Vd/Br

4 +BI_DC Mr/Br

5 -BI_DC Marrom

6 - BI_DB Verde

7 +BI_DD Azul

8 - BI_DD Az/Br

topo

INTERLIGANDO DOIS COMPUTADORES


Para se interligar apenas dois computadores com cabo par trançado podemos executar a
interligação do tipo Cross (cruzamento) que é feito conforme o mostrado na figura abaixo, se não
existisse o cruzamento não seria possível a comunicação pois um PC tentaria enviar sinais para a porta
de transmissão de sinal do outro PC e não para a porta de recepção.
Vantagem : Neste tipo de conexão é a não necessidade de se investir em um HUB
concentrador basta apenas obedecer os sinais obedecendo a inversão do pino 1 para 3 e 2 para 6.
Desvantagem : Somente é possível interligar dois computadores.
Observação: Este tipo de interligação também é utilizada para se interligar HUB a HUB (cascatear)
quando não tem ou não é utilizada a porta UpLink do HUB
+ TD Transmite dados para + RD Recebe dados
1 3
- TD Transmite dados para - RD Recebe dados
2 6
+ RD Recebe dados para + TD Transmite dados
3 1
- RD Recebe dados para - TD Transmite dados
6 2

Para fazer um cabo com cruzamento parcial, utilize a ligação T568A em uma ponta e T568B na outra
(funciona para para 10Base-T e 100Base-TX

CONECTOR 1 "Half Cross" CONECTOR 2 "T568A"

cor pino função função pino cor

1 + TD + TD 1

2 - TD - TD 2

3 + RD + RD 3

4 N/Utilizado N/Utilizado 4

5 N/Utilizado N/Utilizado 5

6 - RD - RD 6

7 N/Utilizado N/Utilizado 7
8 N/Utilizado N/Utilizado 8

Para fazer um cabo com cruzamento total, utilize a ligação T568A em uma ponta e Cross Over na
outra
(funciona para para 10Base-T, 100Base-T,1000Base-T)

CONECTOR 1 "Cross Over" CONECTOR 2 "T568A"

cor pino função função pino cor

1 +BI_DA +BI_DA 1

2 - BI_DA - BI_DA 2

3 +BI_DB +BI_DB 3

4 +BI_DC +BI_DC 4

5 -BI_DC -BI_DC 5

6 - BI_DB - BI_DB 6

7 +BI_DD +BI_DD 7

8 - BI_DD - BI_DD 8

topo

INTERLIGANDO TRÊS OU MAIS COMPUTADORES


Para se interligar três ou mais computadores com cabo par trançado é necessário um HUB
interligando todas as máquinas, no mercado encontra-se Hubs de 4,8,16 e 32 portas, a ligação é
conforme a figura abaixo obedecendo-se a trança do cabo ( ver fig.2):
topo

MONTAGEM DO CABO DE REDE DE PAR TRANÇADO


1 - Corta-se o cabo no comprimento desejado
2 - Em cada ponta, com a lamina do alicate climpador retira-se a
capa de isolamento azul com um comprimento aproximado de 2 cm.
3 - Prepare os oitos pequenos fios para serem inseridos dentro do
conector, obedecendo a seqüência de cores desejada.
Após ajustar os fios na posição corta-se as pontas dos mesmos com
um alicate ou com a lamina do próprio climpador para que todos
fiquem no mesmo alinhamento e sem rebarbas, para que não
ofereçam dificuldades na inserção no conector RJ-45.
4 - Segure firmemente as pontas dos fios e os insira cuidadosamente
no conector observando que os fios fiquem posicionados no conector
exatamente em sua posição correta.
5 - Inserir o conector já com os fios colocados dentro do alicate
climpador, e pressionar até o final.

topo

HUBS

Hubs são dispositivos utilizados para conectar os equipamentos que compõem uma rede são
chamados de dispositivos concentradores pois com o Hub, as conexões da rede fica todas em um só
ponto, ficando cada equipamento com o seu cabo próprio sem interferência um com o outro.
O gerenciamento da rede é favorecido e a solução de problemas facilitada, uma vez que o defeito
fica isolado no segmento de rede. Cada hub pode receber vários micros, atualmente temos hub’s com
4,8,16 e 32 portas.
Os HUBs necessitam apenas de ser alimentados para funcionar, não necessitas de software para
que cumpram sua finalidade em uma rede, na verdade os PCs envolvidos na comunicação entre eles
não reconhecem ou enxergam o HUB, devido a isto podemos desconectar qualquer PC de um HUB sem
causar nenhum problema de funcionamento do sistema operacional, o que acontecerá será apenas que
o PC deixara de se comunicar com a rede, e ao religarmos o cabo tudo se normalizará.

Normalmente é indicado pelos fabricantes dos HUBs que a distancia entre o PC e HUB não seja
maior que 100 metros, mas pode-se exceder esta distância para até 150 metros que normalmente não
causará problema nenhum, lógico que deverá ser observados alguns fatores assim como:
• As conexões sejam bem feitas.
• O cabo par trançado seja de boa qualidade.
• Não haja interferência eletromagnética (o cabo não pode trafegar junto ou próximo a fiação
elétrica
• No lançamento do cabos ele nunca deve ser tracionado, pois perderá suas características
elétricas.
Podemos interligar vários Hubs (cascateamento), se por exemplo temos dois Hubs de oito portas e
precisamos de interligar doze máquinas fazemos o seguinte.
• Colocamos seis cabos em cada Hub e conectamos outro cabo interligando os dois Hubs, sendo
que o comprimento do cabo de interligação não deve ser menor que 0,5 metros ou maior que
cinco metros (especificação da maioria dos fabricantes)
• Alguns Hubs já vem com uma porta especial (porta UpLink) está porta é igual as demais com a
diferença de não ter os sinais de transmissão e recepção cruzados como as outras e uns tem
até uma pequena chave ao lado da saída UpLink para se ativar ou desativar o cruzamento dos
sinais mas se no seu HUB não houver a saída UpLink devemos confeccionar o cabo Cross-Over
como o que usamos para interligar dois computadores.
• Na verdade é sempre bom obter informação no catálogo técnico do equipamento ou no site do
fabricante para se evitar perda de tempo ou até perda do próprio equipamento

topo

EIA/TIA - Eletronic Industries Alliance / Telecommunications Industry Association.


Orgão norte-americano responsável pela padronização dos sistemas.

Super Segredos de Software: domine o Microsoft Office

Ter, 20 Jul - 13h30

Os softwares que você usa no dia-a-dia - como navegador, pacote de escritório, media players, o próprio Windows e
seus acessórios - são muito mais poderosos do que você imagina. Eles estão carregados de recursos desconhecidos
que tornam o micro mais fácil de usar, respondem a atalhos de teclado super-rápidos dos quais você nunca ouviu
falar e aceitam plug-ins e extras que podem economizar minutos, talvez até horas, no seu dia-a-dia.
Mas encontrar todos estes atalhos e recursos ocultos geralmente significa perder tempo folheando manuais ou
fuçando complexos sistemas de ajuda, e muitas das dicas mais úteis são justamente aquelas nas quais você nunca
tinha pensado antes. Felizmente, você não precisa perder tempo procurando, nós fizemos isto por você. Continue
lendo e aproveite nosso tesouro de segredinhos para seus programas favoritos.
Embora seu trabalho possa ser maçante em alguns momentos, usar o Office não precisa ser assim. O pacote de
aplicativos de escritório da Microsoft tem um punhado de segredinhos ocultos que podem facilitar o serviço. Todas as
dicas a seguir valem para o Microsoft Office 2007.
Truques do Word
Converta seus arquivos PDF: PDF to Word é um serviço web bastante interessante que converte arquivos PDF em
documentos do Word para que você possa editá-los. Como alternativa você pode baixar e instalar em seu PC o Nitro
PDF Reader, um software da nesna empresa que oferece recursos similares aos do site.
PDF to Word transforma arquivos PDF em documentos editáveis
Maximize suas macros: se você passa um bocado de tempo em frente ao Word, considere o uso da função de
Macros para gravar e automatizar tarefas repetitivas. Primeiro, habilite a aba "Developer": no Office 2007 clique no
globo com a logo do Office no canto superior esquerdo da janela, depois no botão "Opções do Word" e marque a
opção "Mostrar guia Desenvolvedor na Faixa de Opções". Então abra a guia Desenvolvedor e use o botão "Macros"
para gravar suas próprias Macros (globais ou específicas a um documento) e atribuí-las a atalhos de teclado ou
botões na barra de ferramentas.
Navegue com miniaturas: ficar "rolando" a tela só para chegar ao final de um longo documento é uma perda de
tempo. Clique na aba Exibição e marque a opção "Miniaturas" para adicionar uma barra na lateral esquerda da janela
mostrando miniaturas de todas as páginas de um documento. Para ir direto a uma página, basta clicar na miniatura
correspondente.
Word: miniaturas ajudam a navegar por documentos longos
Elimine a formatação do texto: quer copiar e colar um bloco de texto sem levar junto sua formatação original? Para
fazer isto começe copiando o texto (Control+C), depois abra o menu "Editar" (ou clique na seta abaixo do botão
"Colar" na Faixa de Opções), escolha "Colar Especial" e selecione a opção "Texto não formatado". Este método é
perfeito para remover hyperlinks de texto copiado de páginas da web.
Mostre ao resto do ffice quem manda
Traga os menus de volta: se você ainda não se acostumou à Faixa de Opções (Ribbon) do Office 2007 mesmo após
três anos de uso, então é melhor se livrar dela de vez. O UBitMenu é um add-on para o Office que restaura o antigo
sistema de menus usado até o Office 2003. E o que é melhor: é gratuito para uso pessoal.
Torne seus documentos privados: você pode deixar um documento do Word ou planilha do Excel mais seguros
salvando-os com uma senha (e se quiser, pode definir diferentes senhas para que, por exemplo, algumas pessoas
possam modificar os documentos enquanto outras podem apenas ler). Para definir senhas abra o documento, clique
no "globo" no canto superior esquerdo da janela, escolha "Salvar Como", clique no menu "Ferramentas" ao lado do
botão "Salvar" na caixa de díalogo e escolha o item "Opções Gerais". Lá você poderá definir senhas de criptografia e
de gravação do documento.
Proteja seus documentos com senha e defina quem pode lê-los ou modificá-los
Encontre uma mensagem de e-mail perdida: por padrão, nas buscas por "Todos os Itens de Email" o Outlook 2007
não leva em consideração mensagens na pasta Mensagens Excluídas. Se você está procurando por uma mensagem
que você acha que apagou, não irá encontrá-la na busca a não ser que mude este comportamento: clique no menu
Ferramentas, Opções, Preferências e Opções de Pesquisa. Marque a caixa ao lado do ícone da lixeira, clique OK e
em OK novamente na janela anterior. Pronto.
Livre-se das notificações: você já teve uma sessão produtiva em frente ao micro impiedosamente arruinada por uma
notificação de e-mail inoportuna? Para desativar os sons e mensagens de notificação que aparecem na bandeja do
sistema vá até Ferramentas, Opções, Preferências, Opções de email e clique no botão "Opções de email
avançadas". Desmarque todos os quatro itens que aparecem sob o item "Quando novos itens chegarem na Caixa de
Entrada".
Insira uma nova planilha em um documento do Excel: para adicionar uma nova planilha a um documento do Excel
sem ter de passar pelos menus, basta teclar a combinação Shift+F11.

Navegando sem usar o mouse: sim, é possível!


Confira atalhos para tornar a navegação mais fácil, além de um software que te ajuda a usar
internet, Twitter e até mesmo acessar sites de notícias utilizando apenas as setinhas do seu
teclado

Link da matéria:

Mouse Fighter
O mouse ainda é um dos artigos imprescindíveis para quem usa computador. Alguns fabricantes têm lançado
máquinas sensíveis ao toque, mas ainda é uma solução distante da maioria do público. Então, o ratinho é
quem continua mandando! Mas e se algum dia você ficar sem mouse, ou ele começar a falhar, e ainda assim
precisar fazer algo urgente na internet? Bom, é melhor estar preparado. Então veja algumas dicas de como
navegar pela web com o Firefox ou o Internet Explorer usando apenas o seu teclado.
Se você precisa selecionar o trecho de algum texto dentro da página de navegação, basta aperta a tecla F7.
Em seguida o cursor aparecerá no texto da página, assim como aparece no Word, quando você escreve
alguma coisa. Aí você pode circular pelo conteúdo usando apenas as setinhas do seu teclado. Para desabilitar
a função basta selecionar F7 novamente. Agora você quer entrar em um novo site? Basta apertar as teclas
ALT + D. Dessa forma você conseguirá digitar o nome do portal na barra de endereços.
Tá precisando voltar à pagina incial do seu navegador? Nesse caso é só selecionar Alt + HOME e pronto!
CTRL + N você abre uma nova janela do browser e ao apertar CTRL + T uma nova aba aparece para sua
navegação. O botão F5 ou a junção de CTRL + R fazem com que a página aberta seja atualizada. Para
localizar uma palavra específica na página que você está, basta aplicar o comando F3.
A tecla TAB pode ser bastante útil. Com ela, você consegue passar pelos links que estão na página, ou então
pelos campos de formulários e barra de endereços. Mas é chato quando você quer deixar o cursor em um
campo e ele acaba ultrapassando o destino.. pra resolver isso é só apertar SHIFT + TAB. Com esse comando
o cursor percorre o caminho contrário. Simples, não é?
Bom, mas se você cansou de navegar usando apenas as teclas do computador, aperte CTRL+W e todas as
suas abas serão encerradas... e aí você corre para comprar logo um mouse novo...
Mas você sabia que é perfeitamente possível navegar pela internet, publicar mensagens no twitter, no orkut,
acessar sites de notícias sem precisar usar o mouse, e sem ter que usar teclas de atalho? Bom, quem te ajuda
a fazer tudo isso é esse programinha aqui. Veja como ele funciona.
Ao instalar o software no seu computador, ele vai exibir essa telinha de instruções mostrando a função de
cada tecla. Para movimentar a setinha do mouse, você precisa apenas mexer nas setinhas do seu teclado para
cima, para baixo e para os lados... a letra A substitui o botão esquerdo do mouse. E a letra S faz a vez do
botão direito. Então, para abrir algum arquivo, basta apertar duas vezes o A. Bem simples, não é?!
Para você acionar a função de substituir o mouse pelo teclado, é preciso entrar nessa telinha, selecionar esta
segunda opção e, em seguida, pressionar o botão CAPS LOCK. A partir daí você vai perceber que o cursor
do mouse até vai ganhar um formato diferente. Para desativar o comando, basta apertar novamente o CAPS
LOCK. Nesta abinha de Settings, é possível alterar a velocidade que os comandos são dados.
Quer fazer o download de mais essa dica? Então acesse agora olhardigital.com.br e clique nesta matéria em
destaque na home. Lá você vai encontrar o caminho para baixar o software e também uma lista com outros
atalhos para você se dar bem na internet, mesmo com o mouse pedindo, por favor, pra se aposentar. Corre
lá!
Processadores de texto
Use as fontes artísticas no Word

Comente

Por Eric Costa


2 de setembro de 2010

• RSS

• TWITTER

• ENVIE

• IMPRIMA

• ESPALHE

• Google

• Yahoo!

• Windows Live

• BlogBlogs

• Gostei

• diHITT

• Digg

• facebook

• del.icio.us

• Netvibes

• Rec6

• Technorati

• twitter
• Linkk

Tags:
• Escritório

• Microsoft Office

• Processadores de texto

• Word

Dicas relacionadas:
• Conecte o Outlook a sites sociais

• Habilite a barra de status do Notepad

• Faça links no estilo wiki no OneNote

• Do YouTube para o PowerPoint

Novo padrão de fontes do processador de textos é mais bonita e permite o uso de recursos artísticos

O Word 2010 tem compatibilidade com o padrão de fontes OpenType, criado pela Microsoft e Adobe para substituir o TrueType,
que é usado no Windows desde a versão 3.1. Além do visual mais bonito, há suporte a recursos artísticos, como ligaturas — as
ligações entre letras que simulam a escrita manual. Para habilitar isso, utilize uma fonte compatível com OpenType, como a
Gabriola, que vem no novo Office. Tecle um texto, selecione-o e pressione Ctrl + D. Passe à guiaAvançado e altere as opções na
seção Recursos OpenType. Em particular, habilite todas as ligaturas e alterne entre os efeitos estilísticos para visualizar as
opções artísticas para a fonte. Um recurso curioso está na caixa de opção Forma de Número. Ao selecionar Estilo Antigo, os
números ficam alinhados como numa máquina de escrever antiga, com posições diferentes na linha.
O Excel pode ser um grande aliado na hora de organizar informações. Imagine, por exemplo, que você tenha
um buffet e queira listar dados referentes aos próximos eventos -- isso inclui informações como o nome dos
clientes, o serviço, o local, a data e o valor. Ao listar esses dados em colunas, é possível criar filtros que
ajudem a organizar a informação de acordo com diferentes critérios, como o valor (do menor para o maior)
ou a data do evento (a partir da mais próxima). Confira a seguir as explicações -- baseadas na versão 2007 do
programa -- e aprenda como fazer Getty Images
Abra o Microsoft Excel 2007

Preencha as colunas da planilha com os dados necessários para organizar as informações. No exemplo: Cliente,
Serviço, Local, Data d

Selecione a coluna de Valor R$. Vá até a aba Início, no grupo Números. Selecione Formatar Células > Moeda > 2
casas decimais > Símbolo R$ e clique em OKo Evento e Valor R$

Selecione a coluna de Data do Evento. Vá até a aba Início, no grupo Números. Selecione Formatar Células > Data >
Tipo: 14/03/01 e clique em OK

Preencha as colunas de Cliente, Serviço, Local, Data do evento e valor R$

Selecione toda a linha de títulos (linha 3, a linha que contém os títulos da planilha). Vá à aba Início > Edição >
Classificar e Filtrar > Filtro e clique sobre esta opção Reprodução

Ao lado de cada título, foi criada uma caixa de combinação -- indicada por uma setinha ao lado do título --, onde
podemos filtrar os campos de cada coluna. Para isso, é só clicar sobre a seta Reprodução

Podemos utilizar também critérios ou valores que não estão na lista, com a opção Personalizar Classificação.
Primeiro selecione a planilha. Depois, vá até a abaInício > Edição > Classificar e Filtrar > Personalizar
Classificação e clique sobre esta opção

Ao seguir os passos do slide anterior, a janela Classificar será aberta. Você poderá então escolher os critérios de
filtros para sua planilha

e clicar na seta ao lado do primeiro campo, Classificar por, você verá todos os títulos utilizados para compor a
planilha. Exemplo: Cliente, Serviço, Local, Data do evento e valor R$
Vamos selecionar um dos títulos para que possamos visualizar como utilizar a função de filtro. No exemplo foi
utilizado o campo Serviço. O campo Classificar manteve a opção Valores, enquanto o campo Ordem ficou com a
opção De A a Z. Em seguida, clique em OK

Perceba que os dados da planilha foram reordenados de acordo com os critérios escolhidos: tipo de serviço, por
ordem de A a Z e pelo valor (do menor para o maior)

vamos utilizar outro critério de filtro, mantendo os critérios utilizados anteriormente. Clique na seta ao lado do título
Cliente. Uma caixa abrirá exibindo as possíveis classificações da coluna e também dos dados ela possui. Clique na
opção Filtros de texto

Perceba que, ao clicar em filtros de texto, mais critérios poderão ser utilizados para o filtro. Exemplo: selecione o
filtro ''é diferente de'' e clique sobre esta opção

Você verá a janela de Personalizar AutoFiltro, onde poderá definir o critério que deseja. Neste exemplo, queremos
que o filtro seja feito na coluna Clientes de todo nome diferente de JAMES. Em seguida, dê OK R

O Cliente James não aparece mais na lista de Clientes, porque a planilha selecionou todos os clientes que não
tinham o nome James, conforme solicitado na opção Personalizar AutoFiltro

Caso queira voltar à planilha com todas as informações iniciais, clique novamente na seta ao lado do título Cliente.
Quando a janela abrir novamente, selecione a opção Limpar Filtro de Cliente

A planilha voltará com as mesmas informações existentes antes de utilizar o critério de filtro. Ou seja: James está de
volta

Os mesmos critérios podem ser utilizados para as demais colunas. Agora vamos exemplificar a coluna de Valor R$.
Clique na seta ao lado do título Valor R$, e você verá uma caixa com as alternativas para classificar os dados da
coluna (do menor número para o maior, por exemplo). Clique na opção Filtros de Número. Ao fazer isso, mais
critérios poderão ser utilizados para o filtro

amos utilizar o filtro chamado É Maior ou Igual a: clique sobre essa opção. No exemplo, queremos na coluna Valor
R$ todo valor maior ou igual a R$ 2.000,00. Dê OK

Perceba que agora só ficaram na planilha os itens conforme o critério definido anteriormente: todo valor maior ou
igual a R$ 2.000,00

Para limpar os filtros, basta selecionar a planilha, ir à aba Início > Edição > Classificar e Filtrar > Limpar e clique
sobre esta opção

Depois de retirados os filtros, a planilha voltará ao formato inicial

http://tecnologia.uol.com.br/album/como_classificar_colunas_excel_album.jhtm#fotoNav=1

Super Segredos de Software: domine o Microsoft Office

Ter, 20 Jul - 13h30

Os softwares que você usa no dia-a-dia - como navegador, pacote de escritório, media players, o próprio Windows e
seus acessórios - são muito mais poderosos do que você imagina. Eles estão carregados de recursos desconhecidos
que tornam o micro mais fácil de usar, respondem a atalhos de teclado super-rápidos dos quais você nunca ouviu
falar e aceitam plug-ins e extras que podem economizar minutos, talvez até horas, no seu dia-a-dia.
Mas encontrar todos estes atalhos e recursos ocultos geralmente significa perder tempo folheando manuais ou
fuçando complexos sistemas de ajuda, e muitas das dicas mais úteis são justamente aquelas nas quais você nunca
tinha pensado antes. Felizmente, você não precisa perder tempo procurando, nós fizemos isto por você. Continue
lendo e aproveite nosso tesouro de segredinhos para seus programas favoritos.
Embora seu trabalho possa ser maçante em alguns momentos, usar o Office não precisa ser assim. O pacote de
aplicativos de escritório da Microsoft tem um punhado de segredinhos ocultos que podem facilitar o serviço. Todas as
dicas a seguir valem para o Microsoft Office 2007.
Truques do Word
Converta seus arquivos PDF: PDF to Word é um serviço web bastante interessante que converte arquivos PDF em
documentos do Word para que você possa editá-los. Como alternativa você pode baixar e instalar em seu PC o Nitro
PDF Reader, um software da nesna empresa que oferece recursos similares aos do site.
PDF to Word transforma arquivos PDF em documentos editáveis
Maximize suas macros: se você passa um bocado de tempo em frente ao Word, considere o uso da função de
Macros para gravar e automatizar tarefas repetitivas. Primeiro, habilite a aba "Developer": no Office 2007 clique no
globo com a logo do Office no canto superior esquerdo da janela, depois no botão "Opções do Word" e marque a
opção "Mostrar guia Desenvolvedor na Faixa de Opções". Então abra a guia Desenvolvedor e use o botão "Macros"
para gravar suas próprias Macros (globais ou específicas a um documento) e atribuí-las a atalhos de teclado ou
botões na barra de ferramentas.
Navegue com miniaturas: ficar "rolando" a tela só para chegar ao final de um longo documento é uma perda de
tempo. Clique na aba Exibição e marque a opção "Miniaturas" para adicionar uma barra na lateral esquerda da janela
mostrando miniaturas de todas as páginas de um documento. Para ir direto a uma página, basta clicar na miniatura
correspondente.
Word: miniaturas ajudam a navegar por documentos longos
Elimine a formatação do texto: quer copiar e colar um bloco de texto sem levar junto sua formatação original? Para
fazer isto começe copiando o texto (Control+C), depois abra o menu "Editar" (ou clique na seta abaixo do botão
"Colar" na Faixa de Opções), escolha "Colar Especial" e selecione a opção "Texto não formatado". Este método é
perfeito para remover hyperlinks de texto copiado de páginas da web.
Mostre ao resto do ffice quem manda
Traga os menus de volta: se você ainda não se acostumou à Faixa de Opções (Ribbon) do Office 2007 mesmo após
três anos de uso, então é melhor se livrar dela de vez. O UBitMenu é um add-on para o Office que restaura o antigo
sistema de menus usado até o Office 2003. E o que é melhor: é gratuito para uso pessoal.
Torne seus documentos privados: você pode deixar um documento do Word ou planilha do Excel mais seguros
salvando-os com uma senha (e se quiser, pode definir diferentes senhas para que, por exemplo, algumas pessoas
possam modificar os documentos enquanto outras podem apenas ler). Para definir senhas abra o documento, clique
no "globo" no canto superior esquerdo da janela, escolha "Salvar Como", clique no menu "Ferramentas" ao lado do
botão "Salvar" na caixa de díalogo e escolha o item "Opções Gerais". Lá você poderá definir senhas de criptografia e
de gravação do documento.
Proteja seus documentos com senha e defina quem pode lê-los ou modificá-los
Encontre uma mensagem de e-mail perdida: por padrão, nas buscas por "Todos os Itens de Email" o Outlook 2007
não leva em consideração mensagens na pasta Mensagens Excluídas. Se você está procurando por uma mensagem
que você acha que apagou, não irá encontrá-la na busca a não ser que mude este comportamento: clique no menu
Ferramentas, Opções, Preferências e Opções de Pesquisa. Marque a caixa ao lado do ícone da lixeira, clique OK e
em OK novamente na janela anterior. Pronto.
Livre-se das notificações: você já teve uma sessão produtiva em frente ao micro impiedosamente arruinada por uma
notificação de e-mail inoportuna? Para desativar os sons e mensagens de notificação que aparecem na bandeja do
sistema vá até Ferramentas, Opções, Preferências, Opções de email e clique no botão "Opções de email
avançadas". Desmarque todos os quatro itens que aparecem sob o item "Quando novos itens chegarem na Caixa de
Entrada".
Insira uma nova planilha em um documento do Excel: para adicionar uma nova planilha a um documento do Excel
sem ter de passar pelos menus, basta teclar a combinação Shift+F11.

Etiquetas Usando Excel


como fazer uma etiqueta básica de endereço, muito usada para correspondências (por isso, as colunas estão
divididas em "Nome", "Endereço", "Bairro", "Cidade", "Estado" e "CEP". Você pode substituir essas
informações, dependendo de sua necessidade.
Preencha com as informações completas do endereço
No processo de preenchimento, é importante saber o modelo da etiqueta e quantas etiquetas cabem na folha,
para que as informações possam ser inclusas no item "quantidade", que aparecerá no Word. O modelo mais
utilizado é a de 30 etiquetas por página. Copie e cole a primeira linha para as demais -- claro que, se a
etiqueta for para vários destinatários diferentes, os diferentes endereços completos devem aparecer um em
cada linha.
alve o arquivo com um nome e local de fácil aceso. No exemplo, o arquivo foi salvo com o nome Etiqueta
Endereço, na pasta Meus Documentos. O Excel já pode ser fechado
Agora abra o Microsoft Word
Vá até a aba Correspondências
Vá até Iniciar Mala Direta > Etiquetas
Você verá que a caixa de diálogo Opções de etiqueta abrirá
Selecione Número do produto > 30 por página (desde que o modelo de página de etiqueta seja este; o mais
comum) e clique em OK
Vá até Selecionar Destinatários > Usar lista existente
Será aberta uma caixa de diálogo onde você localizará o arquivo de Excel salvo anteriormente. Selecione o
arquivo e clique em abrir
Na caixa de diálogo Selecionar tabela, escolha Plan 1. Foi essa a planilha utilizada na inclusão dos dados, no
Excel
Após selecionar a planilha, o próximo passo será levar as informações do Excel para o arquivo do Word --
usamos os dois programas para que os dados sejam exibidos da forma adequada
Vá em Correspondências > Inserir Campo de mensagem
Agora os dados deverão ser inclusos na ordem desejada. O primeiro campo será o Nome. Clique em Enter
Agora inclua Endereço e dê um espaço. Depois inclua Bairro e dê Enter
Agora inclua Cidade e dê um espaço. Digite " / " depois inclua Estado e dê Enter
Agora vamos incluir o último item: o CEP e dar Enter
Para que as informações fiquem certas ao tamanho da etiqueta, vamos diminuir a fonte. Selecione os dados >
Vá até a aba início > E selecione a fonte 9
Volte para a aba Correspondências e clique em atualizar etiquetas. A folha de etiquetas será preenchida
Clique agora em Visualizar resultados, para ver as informações que foram criadas anteriormente na planilha
do Excel
Para imprimir as etiquetas, vá à aba Correspondências > Concluir e mesclar > Imprimir documento
Caixa de Diálogo > Mesclagem para impressora > Selecione a opção desejada > dê OK
Ao abrir a caixa de diálogo Imprimir, clique em Propriedades
Mude o tamanho do papel para Carta (formato da folha de etiqueta) > Clique em OK. A imagem voltará para a
tela anterior à caixa de diálogo Imprimir: dê OK e as etiquetas serão impressas sem desperdícios

Zecharia-Sitchin
Rede portátil: switch USB e cabos de dois pares
Publicado em 18/04/2009 – 07:57
por Carlos Morimoto
Quem precisa viajar muito acaba sempre inventando um conjunto de utilidades para ter mais funções em menos
objetos. Foi justamente da necessidade de ter muitas funções em pouco espaço que levou ao surgimento dos
canivetes suíços entre tantas outras coisas.
Para quem trabalha com informática, uma necessidade comum é criar redes rapidamente entre vários PCs, para
trocar arquivos ou fazer outras atividades. As soluções mais comuns para isso são usar cabos cross-over ou
configurar uma rede wireless ad-hoc.
Ambas as soluções possuem limitações, já que um cabo cross-over permite ligar apenas dois PCs e uma rede ad-
hoc usando placas B ou G oferece uma velocidade relativamente baixa.
Outra abordagem é usar um hub-switch tradicional e cabos de rede, o que acaba sendo a solução mais simples se
você tiver os cabos à mão, mas, por outro lado, traz a desvantagem de fazer com que você precise levar o hub e
um punhado de cabos na mala.
Vamos então a uma dica rápida de como reduzir o volume, criando uma "rede de viagem", com um hub e alguns
cabos de rede dentro do menor peso e volume possível.
A primeira dica é que a maioria dos hub-switchs baratos (especialmente os modelos da Encore) utilizam fontes de
5V e 600 mAh, que viraram uma espécie de "padrão" entre fontes de alimentação de baixo custo por serem
também utilizadas pela maioria dos modelos de celulares. Isso permite que o fabricante produza um volume muito
grande de modelos de fontes e carregadores, trocando apenas o conector e o corpo plástico, o que derruba os
custos:

Uma coisa interessante com relação à essas fontes é que, na grande maioria dos casos, elas podem ser
substituídas diretamente por um conector USB, já que uma porta USB também oferece 5V, com
uma amperagem bem próxima (500 mAh).
O USB é um barramento serial, por isso os conectores possuem apenas 4 contatos, sendo dois para a transmissão
dos dados (um para enviar, outro para receber) e os outros dois para a transmissão de eletricidade.
Os dois pinos para a transmissão de dados são os dois mais centrais, enquanto os para energia são os dois
externos. Olhando um conector USB com os contatos virados para baixo, o pino da direita é o positivo, enquanto o
da esquerda é o neutro. Dentro do cabo, o fio vermelho é o positivo, o preto é o neutro, enquanto o verde e o
branco são os usados para transmissão de dados:

Isso permite que você descarte a fonte de alimentação, substituindo-a por um conector USB. Basta arrumar um
cabo USB sem uso, cortar o conector e ligar os fios preto e vermelho nos dois pólos do fio da fonte, observando a
polaridade.
Outra dica é que no padrão 100BASE-TX (vulgo 10/100) são usados apenas os pares laranja e verde para
transmitir dados. Você pode tirar proveito disso para crimpar um punhado de cabos mini-crossover para levar
junto com o hub, aproveitando-se do fato de que retirando dois dos pares e a jaqueta plástica, os cabos ficarão
bem mais leves. Não é uma solução muito ortodoxa e obviamente não deve ser usada em redes fixas, mas para
redes temporárias (usando cabos de comprimento curto) é um quebra-galho que funciona bem:
Como todos os hub-switchs atuais são capazes de detectar o uso dos cabos cross e "descruzar" os pares
automaticamente, você pode utilizar os cabos cross para ligar todos os micros, com a vantagem de também poder
utilizá-los quando quiser ligar dois micros diretamente. A pinagem para os cabos de dois pares fica:
Lado A:
1- Branco com Laranja
2- Laranja
3- Branco com Verde
4- Nada
5- Nada
6- Verde
7- Nada
8- Nada
Lado B:
1- Branco com Verde
2- Verde
3- Branco com Laranja
4- Nada
5- Nada
6- Laranja
7- Nada
8- Nada
Se preferir, você pode também usar a pinagem do lado A nas duas pontas, crimpando assim cabos retos.
Juntando o hub USB e os cabos de dois pares, você monta um "kit" de rede com um volume bastante reduzido:
Veja que no meu caso optei por desmontar o hub, descartando a carcaça plástica e simplesmente cobrindo a placa
com um filme de plástico antiestático para reduzir o volume, mas esse último passo é opcional. :)

Rede portátil: switch USB e cabos de dois pares


Publicado em 18/04/2009 – 07:57
por Carlos Morimoto
Quem precisa viajar muito acaba sempre inventando um conjunto de utilidades para ter mais funções em menos
objetos. Foi justamente da necessidade de ter muitas funções em pouco espaço que levou ao surgimento dos
canivetes suíços entre tantas outras coisas.
Para quem trabalha com informática, uma necessidade comum é criar redes rapidamente entre vários PCs, para
trocar arquivos ou fazer outras atividades. As soluções mais comuns para isso são usar cabos cross-over ou
configurar uma rede wireless ad-hoc.
Ambas as soluções possuem limitações, já que um cabo cross-over permite ligar apenas dois PCs e uma rede ad-
hoc usando placas B ou G oferece uma velocidade relativamente baixa.
Outra abordagem é usar um hub-switch tradicional e cabos de rede, o que acaba sendo a solução mais simples se
você tiver os cabos à mão, mas, por outro lado, traz a desvantagem de fazer com que você precise levar o hub e
um punhado de cabos na mala.
Vamos então a uma dica rápida de como reduzir o volume, criando uma "rede de viagem", com um hub e alguns
cabos de rede dentro do menor peso e volume possível.
A primeira dica é que a maioria dos hub-switchs baratos (especialmente os modelos da Encore) utilizam fontes de
5V e 600 mAh, que viraram uma espécie de "padrão" entre fontes de alimentação de baixo custo por serem
também utilizadas pela maioria dos modelos de celulares. Isso permite que o fabricante produza um volume muito
grande de modelos de fontes e carregadores, trocando apenas o conector e o corpo plástico, o que derruba os
custos:
Uma coisa interessante com relação à essas fontes é que, na grande maioria dos casos, elas podem ser
substituídas diretamente por um conector USB, já que uma porta USB também oferece 5V, com
uma amperagem bem próxima (500 mAh).
O USB é um barramento serial, por isso os conectores possuem apenas 4 contatos, sendo dois para a transmissão
dos dados (um para enviar, outro para receber) e os outros dois para a transmissão de eletricidade.
Os dois pinos para a transmissão de dados são os dois mais centrais, enquanto os para energia são os dois
externos. Olhando um conector USB com os contatos virados para baixo, o pino da direita é o positivo, enquanto o
da esquerda é o neutro. Dentro do cabo, o fio vermelho é o positivo, o preto é o neutro, enquanto o verde e o
branco são os usados para transmissão de dados:

Isso permite que você descarte a fonte de alimentação, substituindo-a por um conector USB. Basta arrumar um
cabo USB sem uso, cortar o conector e ligar os fios preto e vermelho nos dois pólos do fio da fonte, observando a
polaridade.
Outra dica é que no padrão 100BASE-TX (vulgo 10/100) são usados apenas os pares laranja e verde para
transmitir dados. Você pode tirar proveito disso para crimpar um punhado de cabos mini-crossover para levar
junto com o hub, aproveitando-se do fato de que retirando dois dos pares e a jaqueta plástica, os cabos ficarão
bem mais leves. Não é uma solução muito ortodoxa e obviamente não deve ser usada em redes fixas, mas para
redes temporárias (usando cabos de comprimento curto) é um quebra-galho que funciona bem:
Como todos os hub-switchs atuais são capazes de detectar o uso dos cabos cross e "descruzar" os pares
automaticamente, você pode utilizar os cabos cross para ligar todos os micros, com a vantagem de também poder
utilizá-los quando quiser ligar dois micros diretamente. A pinagem para os cabos de dois pares fica:
Lado A:
1- Branco com Laranja
2- Laranja
3- Branco com Verde
4- Nada
5- Nada
6- Verde
7- Nada
8- Nada
Lado B:
1- Branco com Verde
2- Verde
3- Branco com Laranja
4- Nada
5- Nada
6- Laranja
7- Nada
8- Nada
Se preferir, você pode também usar a pinagem do lado A nas duas pontas, crimpando assim cabos retos.
Juntando o hub USB e os cabos de dois pares, você monta um "kit" de rede com um volume bastante reduzido:
Veja que no meu caso optei por desmontar o hub, descartando a carcaça plástica e simplesmente cobrindo a placa
com um filme de plástico antiestático para reduzir o volume, mas esse último passo é opcional. :)

Rede portátil: switch USB e cabos de dois pares


Publicado em 18/04/2009 – 07:57
por Carlos Morimoto
Quem precisa viajar muito acaba sempre inventando um conjunto de utilidades para ter mais funções em menos
objetos. Foi justamente da necessidade de ter muitas funções em pouco espaço que levou ao surgimento dos
canivetes suíços entre tantas outras coisas.
Para quem trabalha com informática, uma necessidade comum é criar redes rapidamente entre vários PCs, para
trocar arquivos ou fazer outras atividades. As soluções mais comuns para isso são usar cabos cross-over ou
configurar uma rede wireless ad-hoc.
Ambas as soluções possuem limitações, já que um cabo cross-over permite ligar apenas dois PCs e uma rede ad-
hoc usando placas B ou G oferece uma velocidade relativamente baixa.
Outra abordagem é usar um hub-switch tradicional e cabos de rede, o que acaba sendo a solução mais simples se
você tiver os cabos à mão, mas, por outro lado, traz a desvantagem de fazer com que você precise levar o hub e
um punhado de cabos na mala.
Vamos então a uma dica rápida de como reduzir o volume, criando uma "rede de viagem", com um hub e alguns
cabos de rede dentro do menor peso e volume possível.
A primeira dica é que a maioria dos hub-switchs baratos (especialmente os modelos da Encore) utilizam fontes de
5V e 600 mAh, que viraram uma espécie de "padrão" entre fontes de alimentação de baixo custo por serem
também utilizadas pela maioria dos modelos de celulares. Isso permite que o fabricante produza um volume muito
grande de modelos de fontes e carregadores, trocando apenas o conector e o corpo plástico, o que derruba os
custos:
Uma coisa interessante com relação à essas fontes é que, na grande maioria dos casos, elas podem ser
substituídas diretamente por um conector USB, já que uma porta USB também oferece 5V, com
uma amperagem bem próxima (500 mAh).
O USB é um barramento serial, por isso os conectores possuem apenas 4 contatos, sendo dois para a transmissão
dos dados (um para enviar, outro para receber) e os outros dois para a transmissão de eletricidade.
Os dois pinos para a transmissão de dados são os dois mais centrais, enquanto os para energia são os dois
externos. Olhando um conector USB com os contatos virados para baixo, o pino da direita é o positivo, enquanto o
da esquerda é o neutro. Dentro do cabo, o fio vermelho é o positivo, o preto é o neutro, enquanto o verde e o
branco são os usados para transmissão de dados:

Isso permite que você descarte a fonte de alimentação, substituindo-a por um conector USB. Basta arrumar um
cabo USB sem uso, cortar o conector e ligar os fios preto e vermelho nos dois pólos do fio da fonte, observando a
polaridade.
Outra dica é que no padrão 100BASE-TX (vulgo 10/100) são usados apenas os pares laranja e verde para
transmitir dados. Você pode tirar proveito disso para crimpar um punhado de cabos mini-crossover para levar
junto com o hub, aproveitando-se do fato de que retirando dois dos pares e a jaqueta plástica, os cabos ficarão
bem mais leves. Não é uma solução muito ortodoxa e obviamente não deve ser usada em redes fixas, mas para
redes temporárias (usando cabos de comprimento curto) é um quebra-galho que funciona bem:
Como todos os hub-switchs atuais são capazes de detectar o uso dos cabos cross e "descruzar" os pares
automaticamente, você pode utilizar os cabos cross para ligar todos os micros, com a vantagem de também poder
utilizá-los quando quiser ligar dois micros diretamente. A pinagem para os cabos de dois pares fica:
Lado A:
1- Branco com Laranja
2- Laranja
3- Branco com Verde
4- Nada
5- Nada
6- Verde
7- Nada
8- Nada
Lado B:
1- Branco com Verde
2- Verde
3- Branco com Laranja
4- Nada
5- Nada
6- Laranja
7- Nada
8- Nada
Se preferir, você pode também usar a pinagem do lado A nas duas pontas, crimpando assim cabos retos.
Juntando o hub USB e os cabos de dois pares, você monta um "kit" de rede com um volume bastante reduzido:
Veja que no meu caso optei por desmontar o hub, descartando a carcaça plástica e simplesmente cobrindo a placa
com um filme de plástico antiestático para reduzir o volume, mas esse último passo é opcional. :)

3DNow
Autor: Gabriel Torres Última Atualização: 11 de abril de 2005

Categoria: Processadores

Implementação do conceito SIMD feito pela AMD e introduzida a partir de


seu processador K6. Todos os processadores da AMD a partir do K6 têm
esta tecnologia.

São 21 instruções que têm o objetivo aumentar o desempenho de


aplicações 3D, compactação de áudio e vídeo, etc.

Para usar esta tecnologia, o processador tem que ter instruções deste tipo
e o programa tem que ter sido compilado (ou seja, escrito) de forma a usar
estas instruções, para aproveitar

486DXODP
Autor: Gabriel Torres Última Atualização: 26 de abril de 2005

Categoria: Processadores

Processador 486 Overdrive, um 486 que pode ser encaixado em qualquer


um dos tipos de soquetes usados pelos processadores 486 (soquete 1,
soquete 2 e soquete 3). Também conhecido pelo nome-código P23T.
Termos Relacionados:

ABNT
Autor: Última Atualização: 11 de abril de 2005

Categoria: Outros

Associação Brasileira de Normas Técnicas


(1) É o órgão responsável pela normalização técnica no país, fornecendo a
base necessária ao desenvolvimento tecnológico brasileiro, fundada em
1940. É uma entidade privada, sem fins lucrativos, reconhecida como
Fórum Nacional de Normalização – ÚNICO – através da Resolução n.º 07
do CONMETRO, de 24.08.1992. A ABNT é membro fundador da ISO
(International Organization for Standardization), da COPANT (Comissão
Panamericana de Normas Técnicas) e da AMN (Associação Mercosul de
Normalização).

(2) Padrão de teclado com normas regidas pela ABNT, que tem como
característica principal a tecla "Ç". Apresenta diferença na disposição das
teclas de símbolos, quando comparado ao teclado US-Internacional
(teclado sem o Ç) e possui 107 teclas, no mínimo.
Links Relacionados:
• http://www.abnt.org.br/

AC3
Autor: Gabriel Torres Última Atualização: 04 de fevereiro de 2006

Categoria: Áudio

Audio Codec 3, Codificador/Decodificador de Áudio 3


É o nome original do padrão de áudio Dolby Digital. Trata-se de um
sistema de compressão de áudio de seis canais (5.1) usando um algoritmo
baseado em perda de dados. Como o áudio digital de seis canais ocupa
muito espaço físico, ele precisa ser obrigatoriamente compactado. Sua taxa
de transmissão (bitrate) varia de 384 Kbps a 448 Kbps (embora seja
teoricamente capaz de ir até 640 Kbps). Todo sistema DVD suporta este
formato.

C:\Documents and Settings\Faf\Configurações locais\Dados de aplicativos\BVRP


Software\Motorola Phone Tools\Contacts.mdb
C:\Documents and Settings\Faf\Dados de aplicativos\Microsoft\Address Book\Faf.wab

eBoostr 4.0 build 554


• Principal
• Nossa Opinião
• Comentários
• Tira-Dúvidas

19/4/2010Gratuito para testar


Tamanho: 3,53 MB
28.858 downloads
Sistema: Windows XP/Vista/7/2000/2003
Empresa: eBoostr Team

Nota dos usuários

16 votos
Opine
"Pouca memória RAM? Tenha resultados semelhantes ao do
ReadyBoost no seu Windows XP."

Apesar de muitos usuários ainda terem medo — leia-se não se adaptarem aos recursos — de utilizar o
Windows Vista, ninguém pode negar que muitos recursos do novo sistema da Microsoft são excelentes para
uma melhoria diária. Um dos novos recursos do Windows Vista é o ReadyBoost, que infelizmente não possui
uma versão para o Windows XP. No entanto, com o eBoostr isto é irrelevante, pois ele funciona de maneira
semelhante ao ReadyBoost e proporciona resultados muito bons aos usuários do XP.
Funcionamento
eBoostr tem um modo de funcionamento bem curioso: o programa simulará que seu pendrive é parte da
memória RAM, e assim acelerará o carregamento de programas e do sistema. Além de ser necessário um
pendrive, o programa exige que o usuário utilize uma porta USB 2.0, porque é a única que oferece alta
velocidade.
Caso o usuário prefira, é possível configurar para que o eBoostr faça o carregamento dos programas em
memórias flash, e deste modo faz-se necessário que o usuário possua um leitor de cartões com velocidade
mínima de 2,5 MB/sec.
A instalação do programa é muito rápida, porém será solicitado que você reinicie seu computador. Após a
reinicialização será solicitado que você configure seu programa, e é nesta etapa que você deve optar se deseja
utilizar o pendrive ou uma memória flash.
eBoostr que conta com uma tradução em português, não tem segredos. Mostrando claramente em sua janela
as principais velocidades de acesso e detalhes de como está operando, você não terá de se preocupar com o
programa, podendo ignorá-lo e utilizar seu sistema normalmente.

Anúncios Google

Desktop Virtual Citrix www.Citrix.com.br/XenDesktop


Plataforma Flexível. Personalização P/ Cada Tipo de Usuário. Confira!
Amendoim e a saúde www.proamendoim.com.br
Conheça os benefícios que o consumo de amendoim traz para a sua saúde.

MCITP, MCSA, MCSE, MCTS www.green.com.br


Cursos Oficiais Microsoft em 15x Carreiras, Exames e Certificações

Compre Power 15MG GVT www.gvt.com.br/Protect


Ganhe modem wi-fi, serviços de proteção e controle de conteúdo.

• Observações
• Sistema operacional Windows XP/Vista/7/2000/2003
• 2 horas de uso em cada inicialização do sistema
• Antes de instalar o eBoostr você pode criar um ponto de restauração do Windows, assim, se não gostar do
programa ou se ele não funcionar corretamente, você pode simplesmente restaurar o sistema para um ponto
anterior à instalação do programa.Clique aqui e aprenda a criar um ponto de restauração.

Equipe Baixaki Nossa OpiniãoAcima você conferiu uma descrição completa sobre o eBoostr e
suas funcionalidades, saiba agora o que achamos dele:

Não só na teoria, mas na prática é perfeitamente possível notar um ganho de desempenho durante o
carregamento de programas mais pesados. Infelizmente, esta versão do eBoostr é demonstrativa e limita o
ganho de desempenho por duas míseras horas.
A configuração do programa é simples, e os detalhes exibidos durante o funcionamento são suficientes para
provar aos usuários que o programa realmente está atuando. Contudo, não resta dúvidas que o desempenho
realmente melhora apenas em sistemas que possuam pouca memória RAM, ou seja, para usuários que
possuam 2GB ou mais de memória não perceberão grandes resultados e talvez não se contentem com o
resultado provido pelo programa.

"Saiba que programas são configurados para serem executados durante a inicialização
do sistema ou login."

Autoruns exibe os programas configurados para serem executados durante a inicialização do sistema ou no
login, mostrando a ordem em que os processos são rodados pelo Windows. Esses programas incluem entradas
de registro como Run, RunOnce e outras. Configure o Autoruns para exibir outros locais, incluindo extensões
shell do Internet Explorer, barras de ferramentas, objetos de ajuda do navegador, notificações Winlogon,
serviços auto-executáveis e muito mais. Autoruns vai muito além do MSConfig...

Autoruns conta com uma opção muito interessante chamada Autoruns´ Hide Signed Microsoft Entries que ajuda
a identificar as imagens que foram adicionadas ao seu sistema e fornece opções para procurar por elas em
outras contas. Também inclui um pacote equivalente a linha de comando para saídas no formato CSV.

Você irá se surpeender com a quantidade de executáveis lançados automaticamente!


Anúncios Google

Desktop Virtual Citrix www.Citrix.com.br/XenDesktop


Plataforma Flexível. Personalização P/ Cada Tipo de Usuário. Confira!

Banda Larga 15 MG GVT www.gvt.com.br/Protect


Ultravelocidade c/ antivírus, controle de conteúdo e wi-fi grátis

Windows 7 é na Smart www.smartconsulting.com.br


Licenças Windows Server, SQL Server Office, Exchange, CRM. 11 3881-7262

O Segredo da Lottofácil oSegredodaLotofacil.com


Ganhe até R$2000,00 Logo de Cara 13, 14 e 15 Pontos Garantidos

• Observações
• Sistema operacional Windows XP/Vista/7
• Para o programa funcionar apropriadamente no Windows 7, você deverá clicar com o botão direito do mouse no
arquivo autoruns.exe e clicar em "Executar como administrador" ou "Run as administrator".

• Antes de instalar o Autoruns você pode criar um ponto de restauração do Windows, assim, se não gostar do
programa ou se ele não funcionar corretamente, você pode simplesmente restaurar o sistema para um ponto
anterior à instalação do programa.Clique aqui e aprenda a criar um ponto de restauração.
• Artigos Relacionados
• Dicas para você não gastar nada e usar um PC mais rápido
• Mito ou verdade: muitos arquivos no HD deixam o micro lento?
• Vitaminas para PCs antigos
• Dicas para se prevenir e remover as pragas mais difíceis do PC
• Removendo programas que inicializam junto com o Windows
• ver todos

• Outras Opções
• Ferramentas para Sistemas
Compare o Autoruns com alguns downloads similares

Glary Utilities
Microsoft Virtual PC

nLite

• Comentários
• Envie sua opinião!
ver todas8 pessoas opinaram sobre o Autoruns

escabecil otimo23/4/2010é rapido e facil de usar

André Daltro Cada vez Melhor.28/3/2010Caramba..Tava precisando de


uma programa assim.. Valeu Baixaki. ^^) Recomendo.

Vinícius é bom29/1/2010mas não preciso dele por ter outros pacotes de


aplicativos com essa função

antonio pedro frança silveira Windows 7 best quick easy


light ...31/10/2009Melhorou desempenho e rápido eu recomendo... mas tenha muito cuidado não se mexam
essa aki drivers, Boot Execute e winlogon. ;) si vc se mexer até pode travar aparecer tela azul da morte!!!
agradeço viu.
samuel Excelente24/10/2009Com esse programa, desativei até alguns
outros programas ocultos que iniciavam junto com windows

Google Docs › Artigos de Ajuda › Apresentações do Google › Primeiros passos › Como obter informações do Google Docs › Atalhos do tecl
Ocultar

Parte superior do formulário

Instalar

Adicione a extensão Visualizador de PDF e PowerPoint do Docs no seu Google Chrome


Parte inferior do formulário
Veja documentos de PowerPoint, PDF e outros formatos diretamente no seu navegador.Saiba mais
Como obter informações do Google Docs: Atalhos do teclado para as Apresentações do Goo
Imprimir

Os atalhos do teclado ajudam a economizar tempo ao permitir que você não tire nunca as mãos do teclado para usar o
Caso use o Mac, você poderá usar os atalhos a seguir substituindo a tecla Ctrl por Command (ou a tec

Função Atalho

Negrito Ctrl B

Copiar Ctrl C

Itálico Ctrl I

Inserir novo slide Ctrl M*

Salvar Ctrl S

Sublinhar Ctrl U

Colar Ctrl V

Recortar Ctrl X

Mover uma tela abaixo Page Down

Mover uma tela acima Page Up


Google Docs > Artigos de Ajuda > Google Planilhas > Primeiros Passos > Como obter Informações do Google Docs atalhos de teclado> pa
Ocultar
Parte superior do formulário

Instalar

Adicione uma Extensão Visualizador de PDF e PowerPoint do Docs não Seu Google Chrome
Parte inferior do formulário
Veja Documentos de PowerPoint, PDF e Outros Formatos Diretamente Seu Navegador não.Saiba Mais

Como Estão os Informação solicitadas Não Disponíveis nenhuma Momento n o Seu Idioma, Mas VOCÊ NA PoDE selecionar Lista Abaixo
o download da Barra de ferramentas do Google, sites Traduzir PoDE Que instantaneamente parágrafo 42 Idiomas.
• Inglês (E.U.)

Como obter Informações do Google Docs: Os atalhos de teclado para as planilhas do Google

Imprimir

Nota: Se você usar um Mac, você pode usar os atalhos abaixo substituindo Ctrl com a tecla Command (ou "tecla da maçã).

Função Tecla de atalho

Movimento dentro de planilhas

Mover uma célula para cima, baixo, esquerda


Setas
ou direita

Mover uma célula para a direita Tabulação

Mover uma célula para a esquerda Shift + Tab

Mover para o fim da linha Final

Ir para a última célula da área de dados Ctrl + End

Mover para o início da linha Casa

Mover para o início da planilha Ctrl + Home

Ir para a célula mais à esquerda em linha atual Ctrl + seta para a esquerda,

Ir para a célula mais à direita na linha atual Ctrl + seta para a direita

Ir para a célula base da área de coluna atual Ctrl + seta para baixo

Ir para a célula mais alto na coluna atual Ctrl + seta para cima

Move para a próxima planilha Ctrl + Page Down

Mover para a planilha anterior Ctrl + Page Up

Mover uma tela à direita. Alt + Page Down

Mover uma tela à esquerda Alt + Page Up

Vá até a célula ativa quando várias células são


Ctrl + Backspace *
selecionadas

folhas Switch Ctrl + Shift + PageUp / Down *


Movimento dentro de um intervalo selecionado

Move de cima para baixo no intervalo selecionado Entrar

Move de baixo para cima no intervalo selecionado Shift + Enter

Move da esquerda para a direita no intervalo selecionado. Se


as células em uma única coluna está selecionada, mover Tabulação
para baixo.

Move da direita para a esquerda no intervalo selecionado. Se


Shift + Tab
as células em uma única coluna está selecionada, mover-se.

Entrada / edição de dados

Selecione a planilha inteira Ctrl + A *

Bold o conteúdo da célula selecionada Ctrl + B

Copie o conteúdo da célula selecionada Ctrl + C

Procurar palavras ou frases dentro da planilha Ctrl + F

Itálico ao conteúdo da célula selecionada Ctrl + I

Impressão Ctrl + P

Copie o conteúdo da célula selecionada direito (usado em


Ctrl + R
combinação com Shift + seta)

Salvar Ctrl + S

Sublinhar o conteúdo da célula selecionada Ctrl + U

Colar o conteúdo da célula selecionada Ctrl + V

Cortar o conteúdo da célula selecionada Ctrl + X

Refazer a última ação Ctrl + Y

Desfazer a última ação. Ctrl + Z

Completar uma entrada de célula e seleciona a célula


Entrar
abaixo

Completar uma entrada de célula e seleciona a célula


Shift + Enter
anterior acima

Comece uma nova linha na mesma célula Alt + Enter

Inserir quebra de linha em uma célula Ctrl + Enter

Completar uma entrada de célula e selecionar a próxima


Tabulação
célula à direita
Completar uma entrada de célula e seleciona a célula
Shift + Tab
anterior à esquerda

Editar a célula ativa e posicione o ponto de inserção no


F2
final do conteúdo da célula

Editar comentário Shift + F2

Cancelar entrada de célula Esc

Editar a célula ativa e, em seguida, limpá-lo ou excluir o


caractere anterior na célula ativa como você editar o Retrocesso
conteúdo da célula

Excluir o caractere à direita do ponto de inserção, ou


Excluir
excluir a seleção

Selecione a coluna inteira Ctrl + barra de espaço

Selecione a linha inteira Shift + barra de espaço

Shift + baixo, para cima,


Manual selecione à esquerda, seta para a
direita

Faça uma cópia do documento de Ctrl + Shift + S

Diversos Atalhos

Wrap fórmula atual em um ArrayFormula Shift + Ctrl + Enter

Inserir a data atual na célula Ctrl +;

Inserir hora atual na célula Ctrl +:

Abra atalhos de teclado ajuda Ctrl + /

* Esses atalhos estão disponíveis somente quando estiver usando a nova versão de planilhas do Google.

São Paulo - Quer evitar que seus documentos caiam nas


mãos erradas? Aprenda neste tutorial como proteger seus
diretórios com senhas pessoais.
Reportagem feita a partir de dúvida de leitor; saiba mais

Na vida real ou virtual, basta que você decida ter acesso exclusivo a algo para que uma fechadura ou uma senha especial
barrarem estranhos.

Por que com o Windows teria que ser diferente? Os motivos para que o usuário proteja pastas com senhas são os mais diversos.

Você pode usar um PC compartilhado, querer proteger informações confidenciais ou apenas contar com dados fundamentais que
você não pode se dar ao luxo de perder.

Independente da opção, é bom aprender que o sistema operacional da Microsoft oferece a opção de trancar informações.
A função que protege seus dados estipulando senhas para pastas, no entanto, nunca foi comum ao Windows - apenas na versão
XP o usuário se deparou com a possibilidade.

A falta de idéia que muitos usuários têm sobre a função se explica pelo fato de a Microsoft não permitir a definição de uma senha
diretamente no diretório – todo o sistema é feito por meio da compactação de arquivos.

O processo é simples. Crie uma nova pasta no seu disco rígido para organizar todos os documentos que deverão ficar longe dos
olhos alheios.

Após terminar sua seleção, selecione todos os documentos e, após apertar o botão direito do mouse sobre o grupo, escolha a
opção “Pasta Compactada” dentro do menu “Enviar para”.

A pasta zipada será criada instantaneamente no mesmo diretório onde estão os arquivos originais.

Antes de estipular a senha, vale um lembrete: caso os documentos sejam realmente necessários, seria sensato guardá-los em
outra mídia, no freqüente caso dos usuários se esquecer da senha definida.

Aprenda a criar pastas protegidas com senhas no Windows XP


Por Guilherme Felitti, repórter do IDG Now!
Publicada em 24 de novembro de 2006 às 18h35
Atualizada em 30 de abril de 2010 às 23h13

• E-mail

• Imprima

• Comente

• Erros?

• a

• a
• a
• retweet12

• Recomendar!


Continuação da página anterior

Além das clássicas instruções sobre backup, outra opção é enviar sua pasta compactada, sem qualquer senha ainda, para
serviços de armazenamento online ou para seu próprio e-mail, se o tamanho permitir.

Clique sobre a nova pasta compactada, que deverá ter todos os documentos selecionados, e, após clicar sobre o menu “Arquivo”,
escolha a opção “Adicionar Senha”.

Na nova janela aberta, o Windows pede que o usuário digite duas vezes a senha escolhida. Confirme o termo que você escolheu
e aperte “Ok”.

Pronto. Desta maneira, você criou uma pasta compactada que só pode ser acessada por usuários que saibam a senha pessoal.

Para aumentar a segurança, o usuário pode criptografar os dados. Ainda que não prime por ser a mais forte, a função impede que
documentos sejam abertos fora do computador onde foram protegidos - o seu, no caso.

Selecione os documentos e, com o botão direito, clique em “Propriedades”. Na aba “Geral”, clique em “Avançado” e selecione a
opção “Criptografar o conteúdo para proteger dados”.

Uma última dica: por mais difícil que seja a senha criada - confira aqui dicas para formular senhas mais fortes -, a ferramenta do
Windows não impede que um usuário mal intencionado delete toda sua pasta.
Por isto, vale frisar o lembrete de que, se os dados são realmente importantes, a definição senha deve ser acompanha de um
back-up.