You are on page 1of 6

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA GRANDE DOURADOS

TATIANNE MARQUES DE SOUZA

ÉTICA E DIREITOS HUMANOS

Dourados, MS
2019
CENTRO UNIVERSITÁRIO DA GRANDE DOURADOS

TATIANNE MARQUES DE SOUZA RGM 131.1271


ADRIANA KEIKO TAKAHACHI SATURNINO RGM 131.1326

ÉTICA E DIREITOS HUMANOS

Trabalho de Tópicos Avançados em Psicologia


I do 9º semestre do Curso de Psicologia,
Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, do
Centro Universitário da Grande Dourados -
UNIGRAN, prof.ª Dr.ª Ticiana Araújo da
Silva.

Dourados, MS
2019
ÉTICA E DIREITOS HUMANOS – AULA DE TÓPICOS AVANÇADOS I

Os direitos humanos são direitos e liberdades básicas de todos os seres humanos. Seu
conceito também está ligado com a ideia de liberdade de pensamento, de expressão e a
igualdade perante a lei. Será abordado neste trabalho uma breve história dos direitos humanos
e sua importância para psicologia.
A história moderna tem sido marcada por conturbadas mudanças políticas e sociais,
algumas de significância essencial para o rumo da história ocidental e de grande importância
para os povos e nações envolvidas. Os dois principais eventos marcantes do início do século
XX foram as duas grandes guerras mundiais, que juntas provocaram a morte de milhões de
pessoas.
A partir deste contexto histórico, em 1945, em São Francisco, delegados de cinquenta
países se reuniram cheios de esperança com o objetivo da Conferência das Nações Unidas
onde o intuito como forma de manifestar publicamente um repúdio aos crimes contra a
humanidade durante a guerra era formar um corpo internacional para promover a paz e
prevenir futuras guerras. Os membros da ONU aprovaram então em 1948 a Declaração
Universal dos Direitos Humanos, um documento ao qual continha e promovia diversos
direitos considerados fundamentais, incluindo também vários outros direitos que já existiam
em famosas declarações históricas.
Os ideais da organização foram declarados no preâmbulo da sua carta de proposta:
“Nós os povos das Nações Unidas estamos determinados a salvar as gerações futuras do
flagelo da guerra, que por duas vezes na nossa vida trouxe incalculável sofrimento à
Humanidade”. A Carta da nova organização das Nações Unidas entrou em efeito no dia 24 de
outubro de 1945, uma data que é comemorada todos os anos como o Dia das Nações Unidas.
Segundo SADER (2007), a preocupação com direitos se restringia aos direitos do
indivíduo, como a carteira de trabalho, assistência social, aposentadoria, organização sindical
e apelo à Justiça, contestando somente parte do que se tem
chamado primeira e segunda geração de direitos humanos, servindo somente como porta de
entrada para o universo dos direitos sociais.
A evolução dos direitos no Brasil está ligada as diversas constituições brasileiras,
foram oito constituições em que os direitos aparecem desde a promulgação da primeira
constituição onde os princípios de garantia dos direitos políticos e civis já apareciam. Ao
longo da história conforme as necessidades do indivíduo e da população esses direitos foram
se modificando.
O assunto sobre direitos humanos se tornou, portanto, muito relevante para a
população assim como, para os estudos em cursos de graduação, independente da área de
formação, mas principalmente para o curso de psicologia visto que tem como
responsabilidade proteger a integridade psíquica e emocional das pessoas.
O Código de Ética é o instrumento básico para a autorregulação e direção de qualquer
profissão, uma vez que através de seus princípios os profissionais são levados a adotar
determinadas normas de conduta. Isto garante uma maior credibilidade com a clientela, uma
vez que esta se sente protegida contra qualquer dano, considerando-se os Princípios I, II do
Código de Ética da Profissão de Psicólogo (a), que são:
I. O psicólogo baseará o seu trabalho no respeito e na promoção da liberdade, da
dignidade, da igualdade e da integridade do ser humano, apoiado nos valores que embasam a
Declaração Universal dos Direitos Humanos.
II. O psicólogo trabalhará visando promover a saúde e a qualidade de vida das pessoas
e das coletividades e contribuirá para a eliminação de quaisquer formas de negligência,
discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.
É dever de todo profissional utilizar o referencial teórico da profissão. Quando o
Psicólogo não estuda o Código de Ética corre um grande risco de desconhecer os limites
impostos pelo CRP e consequentemente entrar no modelo tecnicista baseado nos diagnósticos
e a superficialidade, sem compreender a subjetividade do sujeito, por isso é necessário na
graduação temas, estudos sobre Os Direitos Humanos para formar um uma formação crítica.
É necessário entender que essa é uma nova cultura que está se construindo e os profissionais
psicólogos não podem deixar de seguir os fatos da realidade que se posiciona contra os
direitos humanos.
Segundo (Benevides, 2007, p. 337) os Direitos humanos são aqueles comuns a todos, a
partir da matriz de direito à vida, sem restrição alguma. São aqueles que decorrem do
reconhecimento da dignidade de todo ser humano, ou seja, quando eles são restritos, cabe aos
defensores dos Direitos Humanos buscarem soluções e proteção ás vítimas.
Diante disso a psicologia ocupa um lugar importante tendo a responsabilidade social
de proteger a integridade e dignidade humana reafirmando os direitos de cada uma delas, onde
se deve preservar, conhecer, respeitar e difundir a cultura dos direitos humanos é dever ético
de todo profissional de Psicologia. Estar atento aos fatos que acontece no cotidiano é
importante para a formação de um pensamento crítico, e não baseado no senso comum. A
Psicologia trabalha com seres humanos em suas mais diversas condições, situações e
contextos, o mesmo se aplica aos Direitos Humanos. Não se quer dizer aqui que se trata da
mesma intervenção, mas, sim, do mesmo objeto de trabalho de prática cotidiana o ser
humano. Quando ocorre a violação dos direitos humanos, ocorre um sofrimento e
adoecimento psíquico, e é onde a Psicologia entra para lutar pelos direitos violados. Por fim,
para garantir esses direitos é necessário a análise e compreensão do ser humano, baseada no
diálogo entre a Psicologia e os Direitos Humanos, para se construir uma sociedade menos
injusta e que tenha como princípio norteador o respeito à dignidade humana.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BENEVIDES, M.V. Direitos humanos: desafios para o século XXI. In: SILVEIRA, R.
M. G. et al. (Orgs.). Educação em direitos humanos: fundamentos teórico-
metodológicos. João Pessoa: Editora Universitária, 2007. p. 335-350.

BALBINO, V. C. R. Violações dos direitos humanos no Brasil e propostas de


mudanças na formação e prática do psicólogo. Psicol. Am. Lat., n. 11, set. 2007.

CFP/ Conselho Federal de Psicologia. Resolução CFP nº 010/05 de 21 de julho de


2005. Disponível em: <https://site.cfp.org.br/wp-
content/uploads/2012/07/Co%CC%81digo-de-%C3%89tica.pdf> Acesso em: 31
març. 2019.

SADER, E. Contexto histórico e educação em direitos humanos no Brasil: da


ditadura à atualidade. In: SILVEIRA, R. M. G. et. al. (Orgs.). Educação em direitos
humanos: fundamentos teórico-metodológicos. João Pessoa: Editora Universitária,
2007. p. 75-83.