You are on page 1of 15

A Comunidade rural e seus problemas históricos e sociológicos

Quanta dos nossos cidadãos, intelectuais, historiadores e sociólogos e até mesmo passando
por uma de nossas pessoas, e descobrir o seu Rosto original ou incerto perdido sua monotonia,
ou admirando o seu pitoresco, estão conscientes de que esta cidade não se reduz a um monte
de homens acidentais , animais e coisas de que o exame revela uma estrutura complexa
organização?
O estudo de uma aglomeração rural, em qualquer país, verificar saldos mais sutil do que o
esperado no início: as proporções entre a extensão das terras agrícolas, florestas e pastagens,
entre grupos de seres vivos que se alimentam de sua peça chão. Este estudo, que passa a partir
dos fatos objetivos para as ações humanas relacionadas a eles, também verificar saldos sem
materialies expressa racionalmente queridos pelos homens, são obtidos de forma cega e
mecanicamente, demonstram uma consciência, difícil de entender e mais difícil ainda
definido. Aqui é uma curiosa mistura de sabedoria, liderança, confiança, sabedoria rotina
credulidade camponesa. A análise revela fissuras, finalmente, em ordem, as incertezas em sua
sabedoria, mais ou menos desequilíbrios duráveis, devido a causas mais ou menos profunda: é
para decidir questões, Necessidades, tendências, conflitos, ajustes ou desajustes. Este corpo
que nem sempre somos capazes de ver, nos é dado, sem enbargo, o olhar, com sua estrutura e
seu horizonte. Por seu turno, a conscientização da comunidade organizada deste é camuflada
na vida dos indivíduos que dele participam: tão secreto é sensível como realidade imediata.
organização e consciência conter e continuar a sua história. Passaram. Neste lugar e viveu ali
qualquer solução pacífica, Simplesmente proposto no morro, cidades exisitó muito antes da
família, apenas para manter e monopolizar as nossas esperanças e sonhos de hoje. Esta cidade
que é muito tempo perdido em uma paz cinzenta e reticente disse lutas ardentes contra
senhores, príncipes ou reis. Pouco ficou do passado, nada resta. Nada e ainda tudo da mesma
maneira as pessoas. Estabelece o seu passado, por assim dizer, as nossas cidades. Esta rua em
Paris, um hotel na Idade Média de distância de modernidade se em torno de você e estabelece
sua distância no tempo. Edifícios justapostos, ruínas romanas, nas margens jogado nas idades
no espaço da história, a sucessão das eras. A última parte do EM até mesmo as feridas da
pedra. Por outro lado, na aldeia, o castelo cercado por suas terras, agricultores e meeiros, seu
prestígio e poder, continua a ser um elemento atual e ativo da vida rural. A antiga casa
senhorial, fica às vezes muito pouco da fazenda solar ea casa parece uma habitação burguesa
e camponesa mais coordenada. O passado, que não analisa, é muitas vezes perdido é
estabelece em um único bloco anacrônico e obsoleto. Daí o caráter tanto da sociologia difícil
e recente rural, a ciência de hoje, que não pode esquecer a história, pois nele, como em outros
lugares, mais do que em outros lugares, os restos históricos e obras no atual. Observemos, em
primeiro lugar, os escazes documentos, textos literários fornecer informações sobre a vida
rural, uma escassez que ocorre precisamente nos momentos em que a agricultura
predominaram, de longe, sobre qualquer outra atividade. Este facto, cheio de significado,
mostra que grandes fragmentos da realidade desaparecer em termos ideológicos. Sem ir mais
longe, o que vem do século XVII? Alguns cuandros (Le Naim). Alguns textos famosos: cenas
de Molière (Don Juan), as fábulas de La Fontaine, uma página negra de La Bruyère. Menos
Conecidos alguns textos (em Francion Sorel, por exemplo). E isso é tudo. No século XVII,
quando ele se afasta ea realidade rural tradicional, que aparece na literatura, Rosseau. A nova
agricultura, tipo capitalista, parece encontrar seus teóricos, seus ideólogos: os Fisiocratas. É
necessário, no entanto, aguardam o fim do que alguns historiadores chamam, talvez com
algum exagero, a revolução agrícola do século XVIII é preciso esperar a revolução industrial
da economia, ou seja, o domínio crescente da indústria sobre a agricultura ea cidade sobre o
campo, de modo que os ideólogos descobriu em si mesma e se o camponês Realidade.
Eles alcançá-lo no momento em que murcha em em uma profunda crise, e até mesmo
desaparece com respeito às suas formas tradicionais. Como explicar este súbito interesse de
escritores, historiadores, para a realidade rural? Desejo melancólico para o desaparecimento
da vida patriarcal, que teve a beleza e grandeza, apesar das suas limitações, expressões da
importância política alcançada pela burguesia rural e os proprietários de terras, o notável?
Ambos, sem dúvida. Lembre-se, mais profundamente na análise, dois grandes escritores -
Areia Balzac e George - deixa documentos valiosos sobre a vida rural no século XIX. A honra
de ter iniciado o estudo científico da história camponês francês encontra-se especialmente em
um grande número de estudiosos regionais, também esquecida, cuja pesquisa, realizada
durante a segunda metade do século XIX, ainda são válidas até hoje: Léopold Delisle
(Normandia), Charles de Ribbe (Provence), Brutalis ... (22).
Apenas emergente, história e sociologia rural foram objet um arrebatamento ousado
ideológica. Se a doutrina dos fisiocratas reflete as idéias e os interesses da burguesia grande
progressivo do século XVIII, as teorias de Le Play expresam claramente as preocupações e os
objectivos da burguesia no poder. Esse jogo foi Le agricultores interessados, famílias e
comunidades rurais? Porque eles descobriram as virtudes, os valores morais: estabilidade,
obediência, resignação. Dizê-lo explicitamente, sem qualquer paragem e reconhecer que
mesmo esses valores morais são, ao mesmo tempo e valores, sobretudo, políticos. Jogar eu
sonhei de restaurar as comunidades tradicionais, familiares e pessoas, então já em discolucíon
completo. Dedicado ao estudo desses fatos sociais nos Pirinéus, teve a audácia de propor uma
regra e modelo de uma família de quinze pessoas (Melouga, Cauterets) residentes em uma
casa com três quartos e consumiu um total de três quilos de açúcar e cinqüenta atualmente
litros de vinho. A ambiguidade da ideologia reacionária aparece claramente nas obras deste
estilo, a burguesia, que foi enriquecido com a extensão do mercado, enquanto elogiado por
razões políticas pouco claras, formas de vida anteriores e exteriores para a economia
comercial e industrial ! Apesar destas deficiências, em alguns aspectos, as monografias da
Reprodução Le são exemplares. O orçamento familiar Melouga - um documento que se volta
contra seu autor - é insuperável em termos de precisão e rigor nas observações sociológicas.
Da mesma forma, a sociologia descritiva, empirista e positivista Jogo Le, bloqueio de
instruções normativas e fato metafísico altamente duvidosa, abriu uma série de obras
sociológicas e literárias dedicadas à vida no campo, em que, o mínimo que podemos dizer é
que conhecimento não avançar a ciência. Você pode trazer a situação considerados modelos
tendecioso e estudos do problema na França e mesmo além, isto é, sua politização? Não. É um
fato, e também um fato sociológico de grande importância. O. De direita no estudo dos
problemas dos camponeses (passado, presente e futuro do campesinato) se opõem e se opõe a
uma tendência para a esquerda Uma obra que tentar justificar certas teses descripiciones
empirista moral, metafísica e política opor trabalho histórico, que entiendem realidade em seu
movimento e suas tendências, os trabalhos visa, portanto, funciona influenciado pelo
marxismo ou marxista explicitamente. Não precisa nem lembrar os nomes mais famosos do
que a sucessão magnífica de historiadores, sociólogos, que procuravam ambos os documentos
e constatou a realidade viva, e assim enriqueceram a compreensão da agricultura francesa?
Notemos também a contribuição significativa da escola da geografia humana, apesar de certas
obras não alienar uma geografismo um pouco rígida, e outros têm vastas enciclopédias
regionais, encontramos um pouco de tudo: de geologia, geografia, física, estudos habitat
descritptivos e como economia da história de vida, política e sociologia e até propriamente
falando isso. Esta mostra, forma disto, até que ponto a noção de geografia humana precisa
agora de ser revisto e esclarecido. Durante vinte anos, tanto em França como no estrangeiro e
nas colônias francesas, administradores, sociólogos, etnógrafos e geógrafos foram poupados o
prestígio filosófico derivado da lógica formal, e prejudicar as perspectivas distorcidas e
afundar o absurdo barbárie todos os tipos de realidades: a vida da comunidade, o
consuentudinario direito, o pensamento imediata ... África, em Madasgacar na Indochina, e
em outros lugares, os pesquisadores descobriram sob vários nomes, esta realidade tão próxima
de nós: o povo, os camponeses, a comunidade camponesa. (Veja as obras de Labouret,
Weulersse, Sicard, etc. Trabalho Verão Maine e Baden Powell (Antigos mais) foi assim
completada e enriquecida com as contribuições mais recentes. Nos EUA sociologia rural
tornou-se recentemente a ciência especializada , um ramo da sociologia geral e é ensinada nas
universidades. Esta posição privilegiada pode ser explicado pela os graves problemas de
agricultura americana. No entanto, a enorme contribuição dos tratados de Sociologia Rural
não estão sempre em proporção ao seu tamanho. No que diz respeito à comunidade rural - as
pessoas - os autores desses tratados estudado a fundo, com mapas e diagramas, o
desenvolvimento de serviços, as áreas (áreas de serviço) cobertos por uma paixão pelo
carteiro, médico, escola, o shopping, igreja, etc. Mesmo o estudo sociométricamentre visita
fazenda vizinha troca famílias no sábado! O descritptivo caráter e política em um momento
que a sociologia é muitas vezes manifestada. Os autores do estudo, como fatos simples entre
outros fatos, os esforços de certas associações ou organizações mais ou menos institucionais
(comissões, clubes, etc) para esquecer os membros da comunidade rural as diferenças de
prestígio, fortuna contar. Este atributo Kolb e Brunner, de acordo com Moreno, um poder
terapêutico de tudo o que reforça a identificação da comunidade e consciência. Reconhecemos
sem dificuldade, com uma terminologia diferente, e outras condições, actidud de Jogar Le.
Juntos, esses sociólogos acusam o fato de lidar com uma realidade sem um passado, e, por
assim dizer, sem densidade histórica. Daí o caráter, empirista, decriptivo, não histórico, as
suas investigações. Na URSS, o estudo da realidade rural está necessariamente ligado à
tentativa de transformar essa realidade, isto é, a teoria econômica e política. Sociologia rural,
no entanto, sua própria ordem: a análise das tradições locais ou força nacionalesaún.
Sociologia Rural estuda as condições dos sistemas de agricultura camponesa desenvolvida
pela evolução histórica e torna-se parcialmente agrobiologia a considerar (alternância de
culturas, etc.) Finalmente, numerosas obras históricas continuaram o estudo iniciado há algum
tempo de comunidades rurais (MIR) e parentes (dvor), sua formação, seu declínio, a sua
dissolução. Primeiro, deve distinguir três aspectos cueston, ou melhor, três histórico-
sociológicas realidades relacionadas, embora inposibles confuso: a) a comunidade maior: clã,
associação ou federação de povos, b) a comunidade da aldeia que propriamente falando, ou
comunidade rural, c) família, comunidade (comunidade igonorada pelos nossos historiadores:
a família patriarcal, zadruga, dvor, etc. O segundo desses três termos, ou seja, a comunidade
de pessoas (certamente a forma menos estudada da sociedade), estamos principalmente
preocupados. O que são as comunidades de pessoas? Importa especificar a sua noção e dar
uma [definição em reunir os diferentes aspectos revelados pela análise. (Nossa [definição em,
que pode parecer abstrato e a priori, de fato e concretamente resume uma análise já feita, e
aprofundá-lo.) A) A comunidade rural ou A comunidade rural ou comunidade de pessoas que
são uma força é uma força produtiva, e não um modo de produção. É uma força produtiva,
embora, obviamente, está relacionada com o desenvolvimento das forças produtivas: a
organização de trabalhar a terra sob certas condições técnicas (ferramentas) e social (divisão
do trabalho, formas de cooperação). Todos os historiadores da comunidade rural têm insistido
no fato de que, ao mesmo tempo (no século XVIII, nos vinte anos de Primeiros nosso século
na Rússia), esta comunidade tem dificultado o desenvolvimento das forças produtivas
impiendindo liberdade de culturas , paralisando os esforços de progressão individualismo
agrário, em seguida, submeter o indivíduo a coerção introdução entorpeciendola tradicional de
novas culturas e novos instrumentos, etc. Georges Lefebvre, Henri e Marc Bloch Sé têm feito
a este respeito uma documentação crucial. Uma vez que historicamente conflitantes forças
entrada COM produtivas, a comunidade rural e não pode identificá-los-estar. mas não é ele
próprio um modo de produção. Em efeco, a vila aparece uma vez que não são fixos no chão
de um grupo de homens, anteriormente nômades ou seminômades. Desaparece, o significado
preciso da palavra, dadas certas condições, especialmente a exploração de grandes dimensões
(tipo Antigo: propriedades villae romanas, o poder feudal tipo aristocrático, de estilo
industrial: grandes explorações capitalistas, chojov socialista). A comunidade rural é mantida,
defendida, desaparece ou é reconstituído sob diferentes modos de produção: escravidão,
feudal, capitalista, socialista. Permanece mais ou menos vivo, escalada ou dissolução [em,
desde os primeiros tempos até os dias atuais, certamente não estranha às vicissitudes da
história e transformações econômicas e políticas, mas própria vida e história. Sem dúvida,
portanto, constitui uma forma de comunidade, como a família ou nação, todas as formas que
aparecem, transformam, desenvolver ou morrer sob certas condições, ao nível das forças
produtivas e do modo de produção, não tão identificado com estas determinações do processo
sócio-econômico.
b) A comunidade rural é uma forma de comunidade orgânica, e não reduzido a uma
solidariedade mecânica de artigos individuais. Ter sucesso onde a troca de bens, dinheiro,
economia monetária e da comunidade individualismo se dissolve, é substituído pelos
indivíduos recíprocas exterioradad e livre contrato. Conformidade reúne organicamente, não
indivíduos, mas comunidades parciais e subordinadas, as famílias (de diferentes tipos, mas
inseparável da organização geral da comunidade). Você pode se surpreender ao ver que nós
usamos aqui a antiga distinção entre solidariedade orgânica e solidariedade mecânica de
elementos sociológicos. A solidariedade orgânica, a comunidade, a história precede a
solidariedade mecânica. Esta última representa a dispersão, a dissolução, o individualismo
puro, atomização da comunidade orgânica. Isto acontece apenas solidária Quando mecânica é
reconstituído em mais ou menos novo, após um período de dissolução. c) A noção de
comunidade rural, é evidene você não pode fazer abstração do sistema de propriedade.
Quando os triunfos de propriedade no sentido de direito romano (propriedade Quiritarian), a
comunidade tende a desaparecer ou desaparecer completamente. Este trinfuo da propriedade
privada, o jus utendi et abutendi representa um propriendad abstrato limitando caso em que o
privado (individual) foi proclamado os direitos da família, ou nação, ou estado, fizeram
limitado . Além disso, a propriedade absoluta colectiva é também um caso limite. Desde a
mais remota antiguidade, bens de consumo e alguns dos instrumentos foram objecto de
apropriação de privacidade. Da mesma forma acontecerá no futuro, na medida do nosso
conhecimento nos permite fornecer econômica, política e sociológica. A ausência desta
distinção tão simples e óbvia - entre a produção em massa e bens de consumo - tem
contribuído para confundir muitas questões relacionadas ao regime de propriedade. Na
verdade, todas as sociedades foram localizadas e estão situados entre esses limites abstratos,
de propriedade coletiva e propriedade privada, mais ou menos próximos a qualquer limite.
Como a relação variável entre esses termos, podemos estabelecer o início de uma
classificação das formas de comunidade: a propriedade coletiva e propriedade indivisa.
Distingámoslas cuidadosamente. Palavras de propriedade coletiva designar uma organização
social que não seria como apropriação privada. O sistema social do clã, com base na recolha
de alimentos selvagens e de caça e pesca no passado chegar perto desse limite. Mas as
palavras também designar o direito de propriedade coletiva do domínio eminente para
reservar determinados tipos de comunidades, deixando seus grupos primários (famílias ou
mesmo vilarejos) o usufruto, uso e posse da terra usufruto útil. Por exemplo, quando esiste -
até mesmo em alguns aspectos como o mir no final do século XVIII e mais tarde -
redistribuição periódica da terra, quando um lote de cada grupo elementar é considerada
apenas como atribuição provisória, ainda será falado em alguns casos, propriedade coletiva.
As palavras de designação propriedade não dividida, pelo contrário, o solo não tenha ainda
sido atribuído aos grupos primários, quando a propriedade particular, estabilizadas. O indivisa
co-existe, então, com a propriedade privada, apesar da existência desses dois termos ou
conflito profundo. Assim, os donos estabelecidos em todos os países, historicamente tenderam
a beliscar ou propriedades repartise indivisas comunidades rurais (objecto de crcados na
história Inglês, plebeus franceses. No final do século xviii, etc. pastagens, montanhas e da
comunidade rural indivisa francês. na escala da propriedade, da família e da casa, muitas
vezes permaneceu propriedade indivisa da comunidade familiar (embora neste caso o regime
de propriedade desenvolvido rapidamente à cabeça propriedade individual da casa,
paterfamilias é baseado em uma propriedade, ou indivisa coletiva. Atribuição de forma igual.
As comunidades de pessoas na Associação, dentro de alguns grandes comunidades familiares
dentro da comunidade da aldeia e dos membros individuais dentro da comunidade familiar,
pode ter direitos iguais aos bens coletivos ou indivisíveis. Neste caso, receber lotes iguais se
atribuição provisória, periodicamente ou permanentemente. Aplicação de novos lotes são
iguais em caso de dissolução da comunidade. Atribuição de acções desiguais. Os mesmos
grupos ou elementos de grupos podem ter, ou receber (às vezes por engano e violência, ou por
um processo natural de diferenciação) direitos desiguais. Por exemplo, a tabela das maiores
comunidades da aldeia unidade receberia um pró-rata da sua população ou a riqueza, ou a
força. Tabela da comunidade da aldeia, as famílias receberiam doações (temporária ou
permanente) proporcionais ao número de bocas para alimentar, ou implementos agrícolas
REALIZADA, ou gado de propriedade, ou mesmo a participação nos gastos, ou a riqueza
adquirida (riqueza em dinheiro quando o estabelece economia monetária). Além disso,
finalmente, no quadro limitado da família, alguns membros - as mulheres, filhas, filhos
menores, as crianças geralmente em - podem perder os direitos para o benefício de um
membro privilegiado: pai, irmão, às vezes eu tenho pai, irmão, às vezes Big Sister, ou
meninos Benjamim.
d) A análise das relações de propriedade não se esgota, sem falar no Nonion comunidade
rural. Isso também envolve disciplinas coletivas, extremamente variada em suas formas e
vigor. O estudo dessas disciplinas introduz o sociólogo na vida real dos grupos de
camponeses: pastores e por vezes uma aldeia inteira comunidades pastores coletivos
migrações pastorais organizadas; campos ou folhas dispostas em setores com culturas
regulamentadas (rotativa) pastejo livre é ou seja, campos abertos a todos os animais da
comunidade, de cortar a grama da casa são apenas alguns casos, o mais familiar, mais nos
cercou, ainda observável em muitas partes do interior da França como exemplos de
disciplinas coletivas . Em nossos modernos cooperativas agrícolas, que em certo sentido
reconstituído (num técnico, econômico e político novo) comunidade organizada
individualismo, do século XVIII novo lugar para parar de disciplinas coletivas.
Estas disciplinas não devem ser tratados sob o regime de durkeiminiano: pena obrigação.
Estas disciplinas tiveram e ainda têm uma base prática. Aqueles que queriam fugir deles
poderia fazer, exceto em determinados momentos da comunidade endurecimento. Mas
qualquer vantagem encontranon essa independência? Considere um exemplo específico. Em
todas as comunidades rurais, incluindo solução completa, mesmo na maioria dos
idividualizadas, relações de vizinhança são extremamente importantes. Sua forma e conteúdo
diferentes: em casos estritamente PRÁTICAS (troca de ajuda em mais pesado o trabalho
souhaitage, em Gâtinas, Arban no Limousin e Marche, em outros casos com práticas
ritualização marcados (Basco e Bearn, onde os vizinhos têm um papel formal nas cerimônias,
casamentos, funerais), e em outros casos são quase exclusivamente suntuaris (com no caso de
visitas recíprocas, estudadas por sociólogos americanos). quase sempre têm relações de
vizinhança tinha ou manter uma base prática. obviamente, na comunidade francesa ex-rural, o
trabalho sobre as parcelas justapostas e troca de apoio para este trabalho exigiu a
simultaneidade de culturas e isso foi feito em nome de uma mentalidade ou uma entidade
coletiva, mas por razões muito simples. Em uma zação obrigação prática correspondeu
igualmente prática: o indenpendente, por si só, teria visto sua terra invadida pela comunidade
de gado, tinha feito a jogada infeliz de roubar suas terras para a agricultura itinerante. Mas a
forma regular das parcelas, que há muito tem intrigado os historiadores e sociólogos, deve ser
atribuído a razões práticas que as tradições um tanto misteriosas. Na antiga comunidade, o
eregular maneira possível evitar, na ausência de limites, sebes, cercas, - as disputas do
limitesm constestaciones e processos. Se isso for verdade, pode-se falar de disciplinas, e não
obrigações coletivas, que devemos falar sobre reciprocidade safra regularizada, a rotação não
forçada, sugerindo a idéia de pressão colectiva fora - exceto em casos especiais, a saber bom
agricultor tradicional ...
c) Por fim, esta organização sempre tendência para gerar papéis. Recursos em primeiro quase
puramente técnicas: a assembleia geral da comunidade, ou conjunto restrito de chefes de
família, delegou seus poderes para alguns de seus membros, cualiticados para seu
conhecimento. Anciãos e notáveis posteriores. Este conselho técnico previsto as datas
importantes (colheitas, safras, a partir rebanhos transumantes), que regulamenta as ações de
interesse coletivo, discutindo os eventos, supervisionou a organização de festivais, realizando
ritos habituais. Este conselho dependia, então, a organização da comunidade ao longo do
tempo (trabalho e cronograma de férias) e local (distribuição de lotes e lotes, de obras de
interesse geral, etc. Mas essas funções, confiante no início (democraticamente) os indivíduos
que representam a comunidade, em vez temporano ou mais tarde não poderia ser separado de
outros tipos de funções:. políticas funções Eles tinham vários aspectos: defesa da comunidade
contra as pressões e perigos, exeriores de arbitragem dentro do comunidade, e diferenciados
entre os grupos de interesse diferentes e classes sociais start-ups e connstituidas - poder,
finalmente, teve na comunidade por um dos seus membros ou por um elemento estranho
nomebre de um estado superior a ela .. . Liegamos e uma definição: A comunidade rural
(rural) é uma forma de grupos sociais organizados como formas historicamente específicas,
um conjunto de famílias estabelecidas ou indivisas bens coletivos, a propriedade privada
outro, de acordo com índices variáveis, mas sempre historicamente determinada. Estão
relacionados por disciplinas coletivas e designado - mesmo quando a vida guarda própria
comunidade - dirigentes responsáveis por dirigir a realização destas tarefas de interesse geral.
Agora olhe para os problemas levantados pela realidade histórico-sociológico da própria
definição, e outros estão parcialmente resolvidos por ele esclarecidos. a) Problemas de
origem. Nós, historicamente e sociologicamente relacionado formas de comunidade agrícola
com um grupo original, primitivo, elementar, indiferenciado? A ausência de uma distinção a
ser imposta, como visto anteriormente entre os instrumentos (meios de produção, com terra
considerada um meio de produção) e de propriedade conasumo (imediata ou não) tem
confundido a discussão sobre o comunismo primitivo. Essas hipóteses, apesar das objeções
que foram abordados, e repousa precisamente na ausência de distinção mencionado acima,
hoje em dia é mais satisfatória. Resta estabelecer as condições específicas do solo figación
nômades ou seminômades. Na invenção da agricultura (provavelmente por mulheres),
realizado por grupos semi-nômades nas despalazamientos desses grupos, a combinação do
trabalho de fazenda de gado (e também com a guerra, pilhagem, estupro e emprego escravos,
etc), há uma vasta documentação histórica e etnográfica na pendência da sua elaboração
teórica. Mais especificamente, em relação à comunidade da aldeia, o problema original é
colocada como o resultado, esta comunidade, o discolucion, ou o surto do grupo primitivo
(clã), ou uma associação de grupos primários (comunidades familiares)? O problema
apresentado sob a forma de dilema resumo pode parecer falso e insolúvel. Em alguns casos,
sob determinadas condições históricas, parece plausível que qualquer dispersão,
diferenciação, pop grupo primitivo, as pessoas, então formariam a partir de uma comunidade
já existente. Em outros casos - a limpeza da terra, concentração conquista, aumentando a
densidade da população em um território - as pessoas podiam ser formados por associação de
agrupamentos mais familiares limitadas. A história da comunidade camponesa russa, o
Blackbird obstchina (comunidade primitiva), (comunidade administrativamente
incorporadas), a lavoura ea colonização de vastas áreas do sul da Rússia, parece mostrar os
dois tipos de treinamento fornecido sob momento histórico e sociológico. b) problemas
filacion de sucessão, causalidade sociológica. Contra o evolucionismo simplificar o final do
século XIX, representada especialmente por E. de Laveley, deve-se admitir que a evolução da
comunidade rural tem sido mais complexo e mais robusto do que se pensava então. Esses
primeiros teóricos, particularmente Lavelye, tiveram o grande mérito de perceber a unidade
do problema, a sucessão de formas de comunidade. Mas as analogias estabelecidas para eles
hoje parecem um tanto precipitada. Assim, comparando a idade, a comunidade Lavelye
silenciável o zadruga balcania franceses e os russos Mir, ligando toda a comunidade primitiva.
Hoje sabemos que os mir Frue uma criação administrativa do poder czarista do século XVIII -
como, aliás, uma tradição velho país, e com resultado, o poder do Estado propôs, como a
escola de Frederic Le Play, definido no seu vantagem da realidade mudando. Por seu turno, a
comunidade e zadruga silenciável - comunidades familiares e as pessoas como mir - diferem
muito em função e autoridade do chefe de família. O historiador e sociólogo não pode
suportar a hipótese de uma evolução contínua (que, desde o século XIX, já havia sido
ultrapassado por Engels). As comunidades camponesas já havia sido transformado ao longo
do nosso território, a diferenciação, e um princípio de dissolução, quando os romanos
chegaram. Cesar é um testamento a isso e mostra a existência entre os gauleses de chefias
locais ou regionais, e lealdade. Direito romano, a noção de propriedade Romandy, a
constituição de vastos domínios, acentuou essa desintegração e levou possivelmente a um
desaparecimento parcial da comunidade camponesa. Mas isso é reconstituído e reforçada no
que tinha mantido durante o discolucion lenta da sociedade antiga e, especialmente, após a
fixação do piso dos invasores bárbaros, eles trouxeram uma renovação da comunidade, não
germânica, mas como bárbaros, ou seja, mais perto da sociedade primitiva. Esta histórica e
sociológica, de suma importância, pode ser demonstrado pela análise de uma série de textos
(Lex Romana Wisigothorum: Condenação de Paulo, Breviário de Alarico, ou Liber Forun-
Judicum; leis Reaswindo de Wamba, etc. .) A análise, para o Sul da França (e em Espanha)
deste Compromisso entre o direito romano eo barbaro direito (consuetudinário, comunidade)
parece mostrar de forma satisfatória uma reconstituição ou uma reafirmação da comunidade
rural (agropastoril) em a zona em questão. O erro dos historiadores era, muitas vezes, ao que
parece, considerando a lei visigótica como um direito germânico, ao invés de lei comum
considerado bárbaro. Os fatos mostram a complexidade da sociológica contemporânea, a
inter-relação dos fenômenos humanos. Hoje, vemos a sobrevivência de profundidade, e até
mesmo alguns de consolidação da família patriarcal. Neste tipo de família, o objetivo
principal da organização é ativos de transmissão intactas cometidas ao chefe de família
(paterfamilias). Subsiste na primogenitura, e para manter a torção do Código Civil, ou
contornar as leis relativas à herança (oficialmente corrigido pela legislação recente). No País
Basco, Béarn Bigorre e esta preservação da família patriarcal está ligado também para limpar
a sobrevivência da comunidade de pessoas. Em outra parte, vemos uma individualização
extrema, que leva tanto a família e as pessoas, o desaparecimento da mentalidade e de
propriedade da comunidade. Por fim, o vasto movimento cooperativo - movimento - apresenta
uma reconstituição da comunidade de pessoas, em uma marca, técnico, económico e político
novo. Apesar da variedade e complexidade das formas, apesar da descontinuidade interrupen
processo histórico-sociológica, a hipótese de uma sucessão causal das formas de propriedade
e comunidade merece ser examinada. Apenas esta hipótese pode desenvolver uma teoria
científica para explicar os fatos. Apenas para que possamos dominar o processo sociológico,
uma inteligível encontrarie estruturação, e, assim, abordar a análise dos fatos, históricos e
atuais. Segundo essa hipótese, o grupo estudou a passagem que leva da comunidade primitiva
indiferenciada para a solução desse diferencial por cada uma das comunidades - a partir da
propriedade coletiva à propriedade privada, da desigualdade para a igualdade, a partir do
grupo a comunidade orgânica a sua dispersão. Mas ao mesmo tempo, em diferentes épocas, e
particularmente na nossa, tentando inverter as tendências apareceu caminhando para uma
igualdade social e legal dos indivíduos, para uma reconstituição da comunidade em uma nova
e mais ou menos. Assim, a teoria sociológica pode e deve cooperar com a história, a economia
política, para extrair a lei geral do processo, omitindo contingentes ou formas aberrantes, sem
ignorar a extrema complexidade dos fatos. c) questões históricas: a interação de formas.
Deduzimos, portanto, que a comunidade rural não é nada imutável ou eterna. Sob certas
condições, desapareceu ou foi. Talvez desapareza completamente: em formas industrializadas
de agricultura (o grande fazenda capitalista, ou, estrutura econômica e social totalmente
diferente, o chojov) não pode mais falar da cidade ou comunidade rural sobre o significado
preciso desses termos. Como toda a realidade histórica, o desenvolvimento da comunidade
camponesa, foi reafirmada e foi dissolvida. Em que condições? Este é o problema histórico,
concebido em toda a sua amplitude. Apenas começou a reconstruir essa história, enterver, por
exemplo, a luta feroz, a luta sustentada por comunidades agrícolas contra as forças externas,
contra o feudalismo da Idade Média contra o Estado centralizado mais tarde (este conflito
continua até hoje sob novas formas, tendências e acidentes variados, grande parte do mundo:
África, Ásia, etc.). A atenção dos historiadores da nossa Idade Média e nosso antigo regime é
definida quase que exclusivamente em comunidades urbanas e cidades. No entanto, o
movimento camponês, a qualquer tempo, não inferior em importância para as cidades. O que
precede, acompanha e nos porões. O esforço, fundamental, das massas camponesas,
agrupadas ou agrupadas em comunidades rurais, podemos atribuir o fim do declínio do
mundo antigo, ou o fim da anarquia feudal. Na esteira longe dos tempos modernos,
encontramos uma espécie de revolução dos servos, a revolução incompleta, esporádica, mas
econômica profunda, social, jurídica e política de uma só vez, assim como violento, logo lenta
e profunda, mas eu fui a emancipação parcial da classe camponesa e na forma de posse da
terra pelos camponeses. Fato sociológico: não é, ou não só social, diferenciação desigualdade,
de condições, levando à dissolução da comunidade. Para atingir este efeito é ncesito o
solvente a partir da economia comercial, e também a pressão, hábil ou brutal, o Estado. O
progresso histórico, aqui como alhures, é feita sobre a destruição de formas que teve seu
momento de grandeza e força. Nota, de passagem, o problema das relações entre a
comunidade agrícola e as formas superiores de economia (economia de mercado, em seguida,
industrial, capitalista e socialista em último lugar), bem como sua relação com o Estado.
Como exemplo, vamos citar a questão política de grande rural do antigo regime, que tem sido
tão pouco explorado pelos historiadores. A lei do desenvolvimento desigual de formas
análogas, ea interação dessas formas (que coexistem em diferentes fases da vida) parece ser
uma das grandes leis da história. Enquanto em algumas regiões da França (norte, leste, parte
da Central, do Sul do Mediterrâneo), a comunidade rural de novo uma nova vida sob a
influência dos bárbaros, em outras regiões esta reconstituição foi incompleto ou inexistente. A
influência do direito romano foi interrompido apensas Mediterrane no Sul, mas no Ocidente, a
dissolução da comunidade, o individualismo, muito velho, foi agravada pela recuperação de
terras tardia do francês. O progresso histórico, aqui como alhures, é feita sobre a destruição de
formas que teve seu momento de grandeza e força. Nota, de passagem, o problema das
relações entre a comunidade agrícola e as formas superiores de economia (economia de
mercado, em seguida, industrial, capitalista e socialista em último lugar), bem como sua
relação com o Estado. Como exemplo, vamos citar a questão política de grande rural do
antigo regime, que tem sido tão pouco explorado pelos historiadores. A lei do
desenvolvimento desigual de formas análogas, ea interação dessas formas (que coexistem em
diferentes fases da vida) parece ser uma das grandes leis da história. Enquanto em algumas
regiões da França (norte, leste, parte da Central, do Sul do Mediterrâneo), a comunidade rural
de novo uma nova vida sob a influência dos bárbaros, em outras regiões esta reconstituição
foi incompleto ou inexistente. A influência do direito romano foi interrompido apensas
Mediterrane no Sul, mas no Ocidente, a dissolução da comunidade, o individualismo, muito
velho, foi agravada pela recuperação de terras tardia do francês. No entanto, houve interação,
influências recíprocas, assim, nos séculos XI e XII a influência do Mediterrâneo começaram a
excluir o direito comum, a região dos Pirinéus da Catalunha-Roussillon. Se a hipótese é
verificada aqui admitido, ter existido na França várias civilizações agrárias, determinado pelas
condições meteorológicas, técnicas, ou causas técnicas. Não só existiu em diferentes graus e
modalidades de dissolução ou a reconstituição da comunidade rural. O problema se coloca.
Em suma, propomo-nos a considerar o estudo histórico e sociológico da comunidade rural
como um dos fios para manter a complexidade dos assuntos humanos. d) Outras questões.
Nós apenas mencionarios: problema de condições pessoais (mulheres, crianças) na
comunidade rural, passado e presente, os problemas de consciência e ideologia: a sabedoria
camponesa, sentimiennto da organização, sagrado e ritualização do tempo e espaço da
comunidade ... Nesta análise Puento, histórica e sociológica é o estudo do folclore, a
elaboração de mitos, etc. Conclusões: Deste modo, são necessários num determinado sector,
as perspectivas de uma sociologia científica e concreta de cada vez. Hoje a vida no campo não
tem autonomia. Você não pode evoluir de acordo com leis próprias, está relacionada, em
muitos aspectos com a economia em geral, a vida doméstica, a vida urbana, a tecnologia
moderna ... No entanto, o estudo desta realidade rica e complexa, passada e presente, está
sempre antes da ocorrência ou continuação de uma linha original: a comunidade rural. Quais
são agora quase todos os nossos povos, com exceção feitas das tendências mais recentes?
Comunidades em solução completa! ... Este breve estudo estabeleceu, ou pelo menos sugerido
a possibilidade de uma teoria explicativa da formação original, e eslabonando reconstituir
seus momentos sucessivos, não separadas da história geral e da vida social. Se e é verdade
que a comunidade rural pode renascer hoje, em função das demandas modernas em uma base
moderna, nada mais emocionante do que este revival, talvez no sentido novo possa surgir na
Terra.
Perspectivas da Sociologia rural
Um artigo anterior, em Cahiers de Sociologie Internationales levanta e alguns dos problemas
da sociologia rural. Por isso, é hora de romper todas as perspectivas deste ramo da sociologia,
apresentando - e sujeitando discussão - um manual de projecto ou do Tratado. Podemos falar
de um mundo camponês, não no sentido de que a realidade rural constitui um mundo isolado,
mas por conta de sua extraordinária variedade e características próprias. Vamos insistir mais
uma vez em um paradoxo (aparente): esse fato tem sido ignorado, especialmente quando
quantitativa e qualitativa vida dominada social. Enquanto a realidade urbana, com suas
instituições e ideologias, enquanto os modos sucessivos de produção, com as suas
supraestruturas, nadou na zona rural e descansou em uma grande base agrícola, os homens de
meio e as classes dominantes deu pouca atenção ao estômago e o fígado, quando ele funciona
bem. Vida camponesa apareceu como uma daquelas situações familiares que parecem natural,
e não até tarde tornam-se objetos da ciência. Aforismo de Hegel deve ser o cabeça de toda a
metodologia das ciências sociais: o familiar, não a torna conecido. Gestos verdade válida para
a vida diária - por exemplo, para comprar ou vender um item qualquer -, por gestos de
trabalho, para a vida social como um todo, ou também para a vida camponesa. As realidades
dos camponeses tornaram-se o objeto da ciência, desde a época banhados a problemas
práticos. Na França, meados do século XIX, os bens móveis e distribuição de terras, a partição
dos bens, o êxodo rural começou a incomodar as autoridades. A constituição do mercado
nacional exige uma remodelação da estrutura agrária: a concentração da comercialização da
propriedade, e especialização da produção. Mais tarde, essas questões se sobrepõem, a prata
no mercado de primeiro mundo, então modernas técnicas: confecção de preços, a
rentabilidade, a introdução da mecanização. As situações familiares e não familiares, pouco a
pouco, são julgados dignos de estudos de juros e científica. Claramente, se a sociologia rural
se desenvolveu os EUA, a razão é o problema da terra, que muito precocupado sucessivos
governos. Atualmente, em todo o mundo, o problema agrário que resulte ou tenha surgido, em
várias formas. Reformas agrárias aconteceram, ou terão, um pouco por toda parte:
democracias populares, China, México, Egito, Itália, Japão, Índia, etc. Sem mencionar as
grandes transformações da agricultura na União Soviética. Naturalmente essas mudanças e as
reformas têm características profundamente diferentes e formas de acordo com as
condiciantes e regimes políticos. Expressam claramente a imensidão e globais atuais
problemas agrícolas. No entanto, os sociólogos têm estudado o primitivo com o estudo do
desenvolvimento urbano e industrial, ignorando, por assim dizer, esta realidade tão vasto no
tempo e no espaço. Na França, foram os historiadores e geógrafos que iniciaram o estudo da
realidade rural. Hoje, suas obras devem ser reconsideradas, concretizada e integrados tanto na
concepção geral, que só pode trazer sociologia, concebido como um estudo de todo o
processo social e suas leis. Escusado será dizer eo fato de que os metaconjuntos (domésticos e
globais estruturas sociais e políticas) têm contribuído enormemente para a transformação das
estruturas agrícolas. Especializações do mercado nacional e global derivados (a nível
nacional, podemos tomar como exemplo os vinhedos do Sul, e plantações de café no mundo
do Brasil). A organização social e política, a ação dos planos estaduais - ou os planos, ou as
suas falhas - já agiu e reagiu depende mais, nem mesmo na Ásia ou África, a partir de
acontecimentos mundiais. Tão interessante quanto isso, e em contradição com isso, é este
outro aspecto da realidade: relíquias arrastar agricultura residups o passado mais distante. Isto
é especialmente verdadeiro nos países não planejadas, atrasada ou subdesenvolvidos, ou seja,
colonial, mas também em países Europeus o (Ocidental). Mesmo em uma única região, os
Pirinéus, você pode ver uma pequena distância um do outro: crescimento latino mais arcaica e
arado de trator, a sobrevivência da comunidade agrícola (propriedade coletiva e exploração e
gramíneas), juntamente com a moderna cooperativa exploração mecanizada grande ...
Experimental Utopia: um novo urbanismo
Mesmo se o indivíduo será compensado com a mediocridade de energia e sorte de partida, sempre
será necessário para um povo que jogar todos os seus recursos para este empreendimento entre a
história ea lenda, de sol e neve, entre os metais e de ondas, entre trabalhar e jogar, entre a
necessidade ea fantasia, o que pode tornar a vida no limiar desta nova era. Estas linhas
verdadeiramente poéticas, isto é, que evocam e provocam a criação, final Giraudoux escreveu o
prefácio à Carta de Atenas. Programáticas pensado para portend o tamanho do mundo moderno.
Poderia servir como epígrafe para a coleção Die Neue Stadt, uma equipe de arquitetos e sociólogos,
professores e Egli Winkler, Aebli, e acaba de ser publicado em Zurique. Este volume, magnificamente
ilustrado, resumir o trabalho anterior sobre a construção de um novo complexo urbano: uma cidade
de trinta mil habitantes ou menos na Furthal, não muito longe de Zurique. Os autores apresentam
um plano preciso que atenda aos requisitos determinados.
Nos estudos anteriores foram usados quase todos os domínios de conhecimento e prática científica.
Solos e das águas do vale (Furthal), seus microclimas, produtos locais, a estrutura social e história dos
povos existentes foram minuciosamente estudados por especialistas. Outros técnicos,
principalmente arquitetos tentaram compreender como um todo os problemas da nova cidade e
para este fim, eles se voltaram para a sociologia. Este enorme esforço teórico resultou em planos
criptografados em cluindo a publicação.