You are on page 1of 164

CHINA

ESTUDO SOBRE AS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS PARA


PRODUTOS E SERVIÇOS BRASILEIROS
2008

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.


Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Alessandro G. Teixeira
PRESIDENTE DA APEX-BRASIL

Maurício Borges
DIRETOR DE NEGÓCIOS

Ricardo Schaefer
DIRETOR DE PLANEJAMENTO E GESTÃO

Marcos Tadeu Caputi Lélis


COORDENADOR DA UNIDADE DE INTELIGÊNCIA COMERCIAL (UIC)

COLABORAÇÃO
Articulação Internacional
Assessoria Econômica
Mercados Regionais e Centros de Negócios
Unidade de Comunicação e Marketing
Unidade de Gestão do Conhecimento
Unidade de Imagem e Acesso a Mercados
Unidade de Inteligência Competitiva
Unidade de Projetos

SEDE
Setor Bancário Norte, Quadra 1, Bloco B,
Edifício CNC, 10 º andar.
CEP 70041-902
Brasília – DF
Tel. 55 (61) 3426.0202
Fax. 55 (61) 3426.0263
E-mail: ic@apexbrasil.com.br

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.


Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
© 2008 Apex-Brasil
Qualquer parte desta obra poderá ser reproduzida, desde que citada a fonte.

Autoras: Aline Rigelo Peixoto


Suelma Rosa dos Santos

Apoio: Ana Paula Repezza


Rafaela Albuquerque

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.


Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
SUMÁRIO EXECUTIVO Índices de performance logística

evido ao tamanho e ao dinamismo, o


D
4,5
1 Cingapura
mercado chinês apresenta oportunidades 4
8 Hong Kong
3,5
para a comercialização de diversos 3
14 EUA

produtos brasileiros. Ainda que as exportações 2,5


30 China

brasileiras para aquele país tenham crescido 2 39 Índia

61 Brasil
significativamente nos últimos anos, a 1,5
1 99 Russia
participação do Brasil nesse mercado ainda é 0,5
modesta, ou seja, 1,92% do market share 0
chinês. É importante destacar que o Brasil foi, Obs: Os índices de performance logística variam entre 0 e 5, sendo 5 o melhor resultado.
Fonte: Logistics Performance Index/ Banco Mundial. Elaboração: UIC/Apex-Brasil.

em 2007, o 14º maior fornecedor para a China. Atualmente, a maior parte das
Participação do Brasil nas importações chinesas exportações brasileiras para a China está
2,0% concentrada em commodities e em produtos
1,92%
1,8% com baixo valor agregado. Espera-se,
entretanto, que o Brasil aproveite as
1,6% 1,54%
1,42%
1,63% oportunidades que têm surgido em outros
1,51%
1,4% setores, já que apenas 8% dos produtos
1,2% brasileiros exportados para tal destino em 2007
1,02% foram os manufaturados; ressaltando-se que
1,0%
2002 2003 2004 2005 2006 2007 75% dos produtos importados pelos chineses,
Fonte: GTA/GTIS. Elaboração: UIC/Apex-Brasil. nesse mesmo ano, enquadram-se nesta
Além de os empresários brasileiros categoria.
estarem pouco familiarizados com o mercado
chinês, outros desafios impõem-se aos que se
interessam em comercializar com esse
“gigante”. A decisão de se exportar para esse
país deve levar em conta, dentre outros pontos,
o impacto dos custos de transporte e logística
na competitividade brasileira.
Embora a China apresente índices de
performance logística superiores aos do Brasil,
os custos influenciados pela distância entre os
dois países costumam incidir, fortemente, no
preço dos produtos brasileiros.
Performance logística - Brasil e China
4,0
3,7

3,5 3,4 3,4


3,3
3,2
China
3,0 3,0
3,0 Brasil
2,9 3,1
2,8 2,8
2,5 2,6 2,6
2,4
2,0

Obs: Os índices de performance logística variam entre 0 e 5, sendo 5 o melhor resultado.


Fonte: Logistics Performance Index/ Banco Mundial. Elaboração: UIC/Apex-Brasil.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.


Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Exportações brasileiras para a China por valor agregado Apesar do crescimento das importações
100%
chinesas de produtos brasileiros, a participação
US$ 0,88 bi US$ 0,87 bi
US$ 0,52 bi US$ 1,17 bi US$ 0,97 bi US$ 1,14 bi
US$ 1,28 bi US$ 1,94 bi
brasileira nas importações chinesas não chega a
80% US$ 1,00 bi
US$ 0,44 bi US$ 1,23 bi 1% em nenhum dos setores apontados.
US$ 1,08 bi
60%

40% US$ 4,67 bi US$ 6,21 bi US$ 7,93 bi


US$ 1,55 bi US$ 3,23 bi
US$ 2,27 bi
20%

0%
2002 2003 2004 2005 2006 2007
Básicos Semimanufaturados Manufaturados
Fonte: SECEX/MDIC. Elaboração: UIC - APEX Brasil

Importações chinesas por valor agregado

100%

80%
US$ 713 bi
60% US$ 247 bi US$ 343 bi US$ 448 bi US$ 517 bi US$ 612 bi

40%
US$ 54 bi
20% US$ 27 bi US$ 31 bi US$ 37 bi
US$ 16 bi US$ 21 bi
US$ 113 bi US$ 142 bi US$ 189 bi
US$ 33 bi US$ 50 bi US$ 86 bi
0%
2002 2003 2004 2005 2006 2007
Básicos Semimanufaturados Manufaturados
Fonte: GTA/GTIS. Elaboração: UIC - Apex-Brasil.

Entre os setores mais importadores da


economia chinesa, em 2007, destacam-se:
máquinas e motores, petróleo, materiais
elétricos e eletro-eletrônicos e instrumentos de
precisão, que juntos representam quase
metade das importações do país.

Principais Produtos Importados pela China - 2007

1 MÁQUINAS E MOTORES
14%
19%
2 PETRÓLEO

3 MATERIAIS ELÉTRICOS E
ELETRO-ELETRÔNICOS
4 INSTRUMENTOS DE PRECISÃO
3% 13%
5 PRODUTOS MINERAIS
4%
6 PRODUTOS QUÍMICOS
6%
7 PLÁSTICOS E SUAS OBRAS

12% 8 METAIS NÃO FERROSOS


6%
9 PRODUTOS METÁLURGICOS
7%
9%
7% 10 TÊXTEIS

Outros
Fonte: GTIS/GTA. Elaboração: UIC - Apex-Brasil.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.


Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
De acordo com a matriz de alimentícia, borracha e suas obras, farinha para
atratividadei, a maioria dos setores brasileiros animais e metais não-ferrosos – o aumento das
apresenta desempenho positivo no mercado exportações brasileiras supera o crescimento
chinês. Vale frisar que, nesses setores, há das importações totais chinesas. Esses setores
crescimento médio das exportações brasileiras estão aumentando sua participação no
e crescimento médio das importações mundiais mercado e caracterizam-se, portanto, como
chinesas, entre 2002 e 2007, positivos. boas oportunidades.
Para alguns setores – frutas, peles,
tintas, produtos químicos, massas e preparação

PRINCIPAIS OPORTUNIDADES PARA PRODUTOS BRASILEIROS NA CHINA

Matriz de atratividade para setores


Mercado-alvo: China
CRESCIMENTO (X; Y)
Aviões: 166%; 21%
Valor de Referência = US$ 5 bi
Produtos minerais
Taxa de crescimento médio anual das importações mundiais do setor pela China

60%

Instrumentos de Precisão
Metais não ferrosos
Metais e pedras
40%
preciosas

Borracha e suas obras


2002/2007

Produtos químicos
Ferramentas e Talheres Higiene e Cosméticos
Carne de aves
Plásticos e suas obras

Máquinas e motores
20% Sucos
Frutas Massas e preparações alimentícias
Calçados e suas partes Peles e couros
Papel e Celulose
Tintas
Farinhas para animais
Vidro e suas obras
Chocolates, balas
e confeitos
Madeiras e cortiças Produtos metalúrgicos
0%
0% 20% 40% 60% 80% 100%
Fonte: GTIS. Elaboração: UIC APEX-Brasil Taxa de crescimento médio anual das exportações brasileiras do setor para a China 2002/2007 Copyright © 2008 Apex Brasil

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.


Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
US$
Exportação brasileira para o
Importação chinesa do mundo Part. do Brasil
Exportação do Brasil mundo
nas imp.
para China 2007 (US$
Total 2007 Var. % Total 2007 Var. % chinesas
FOB)
(US$ CIF) 06/07 (US$ FOB) 06/07 (%) 2007

Total 10.748.813.792 956.261.491.133 20,8% 160.649.072.830 16,9% 1,1%


Grupos gestores Setores
Setores
6.170.946.350 445.647.793.091 22% 79.002.032.441 18,4% 1,4%
Selecionados
CHOCOLATES, BALAS E CONFEITOS 790.738 110.844.166 12% 297.903.452 -2% 0,7%
CARNE DE AVES 13.060.784 946.227.921 103% 5.019.108.787 45% 1,4%
Alimentos Bebidas FARINHAS PARA ANIMAIS 5.146.657 1.245.675.052 9% 233.546.263 37% 0,4%
e Agronegócio FRUTAS 1.833.294 912.354.498 24% 915.363.616 32% 0,2%
MASSAS ALIMENTÍCIAS E PREPARAÇÕES ALIMENTÍCIAS 8.517.412 938.186.877 21% 669.344.358 41% 0,9%
SUCOS 56.444.950 146.116.305 48% 2.374.044.988 51% 38,6%
AVIÕES 69.510.878 10.486.089.760 -4% 5.067.575.668 47% 0,7%
Máquinas e
BORRACHA E SUAS OBRAS 55.446.794 9.589.315.522 13% 2.036.467.634 26% 0,6%
Equipamentos
MÁQUINAS E MOTORES 235.271.658 119.497.586.172 9% 11.528.051.162 6% 0,2%

Tecnologia e INSTRUMENTOS DE PRECISÃO 18.090.461 71.003.841.294 18% 742.384.597 16% 0,0%


Saúde PRODUTOS QUÍMICOS 129.576.045 53.067.578.084 22% 5.477.767.189 24% 0,2%
CALÇADOS E SUAS PARTES 2.234.603 726.325.966 19% 2.038.057.371 4% 0,3%
HIGIENE PESSOAL E COSMÉTICOS 10.556.777 875.394.830 33% 630.418.939 16% 1,2%
Moda METAIS E PEDRAS PRECIOSAS 8.185.554 6.254.895.398 35% 1.243.136.311 19% 0,1%
PELES, PELETERIA E COUROS E SEUS ARTEFATOS(EXCETO
491.553.864 6.862.135.963 9% 2.353.215.098 16% 7,2%
CALÇADOS E SUAS PARTES)
FERRAMENTAS, TALHERES E OUTRAS OBRAS DE METAIS 6.680.374 3.443.901.532 15% 732.248.840 20% 0,2%
MADEIRAS, CORTIÇAS E OBRAS DE TRANÇARIA 133.761.094 7.951.884.521 22% 3.337.929.473 6% 1,7%
METAIS NÃO-FERROSOS 224.996.442 42.659.107.137 43% 4.995.061.842 13% 0,5%
Casa e Construção PAPEL E CELULOSE 444.207.626 13.870.367.590 22% 4.726.373.367 18% 3,2%
Civil PRODUTOS METÁLURGICOS 347.015.283 31.032.201.307 15% 11.105.706.138 8% 1,1%
PRODUTOS MINERAIS 3.893.698.180 56.952.448.624 66% 12.759.638.785 23% 6,8%
TINTAS 12.794.268 3.804.701.026 8% 371.560.714 11% 0,3%
VIDRO E SUAS OBRAS 1.572.614 3.270.613.546 10% 347.127.849 22% 0,0%
METAISBrasil.
NÃO-FERROSOS 0
Fonte: GTIS/GTA. Elaboração: UIC/Apex

Alguns setores como os relacionados à Na China, os investimentos na área de


construção civil deparam-se com um momento saúde ainda são baixos. Apesar do aumento da
bastante favorável. Devido ao boom nessa renda per capta, o número de médicos e
área, o mercado chinês demanda grandes enfermeiras no país não tem aumentado. Por
quantidades desses produtos. No caso do conseguinte, o país necessita de diversos
Brasil, percebe-se que existem oportunidades produtos utilizados na área da saúde, o que
para diversos setores desse complexo. Insumos pode gerar oportunidades para as exportações
como aço, ferro e cobre representam as brasileiras desse grupo.
maiores exportações brasileiras, mas podem Os setores de alimentos brasileiros
alavancar a venda de outros produtos ainda enfrentam algumas dificuldades para
relacionados. Ações de promoção comercial entrar no mercado chinês. O governo da China
desse segmento podem gerar considerável impõe medidas que dificultam o acesso ao
impacto nas exportações brasileiras para o país. Ademais, critérios pouco objetivos
país. adotados pelos órgãos aduaneiros e de
A expansão da produção industrial fiscalização, eventualmente, prejudicam as
chinesa demanda importação de máquinas e exportações brasileiras. A alternativa,
equipamentos, o que gera oportunidades freqüentemente, utilizada pelas empresas é a
significativas para as empresas brasileiras. Uma triangulação da exportação por meio de Hong
forma para que haja uma grande expansão do Kong.
setor é estabelecer uma boa rede de Para a moda, existem dois mercados
relacionamentos com médias e grandes muito distintos na China: o de luxo e o que
empresas dessa esfera no mercado. Nesse busca melhores preços. O setor de luxo está
sentido, a presença das empresas brasileiras na crescendo significativamente, mas há uma
China pode ser um diferencial competitivo. preferência por produtos de marcas de grande
destaque internacional, como as grifes

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.


Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
européias. O mercado de produtos mais que Hong Kong destacou-se, em 2007, como
acessíveis está sendo amplamente abastecido um dos cinco principais destinos das
por países asiáticos que podem oferecer exportações brasileiras de serviços nessa área.
preços mais baixos. Considerando-se o provável papel de
Comércio de Serviços Hong Kong na intermediação financeira das
100.000
92.000
exportações de serviços para a China, esses
80.000 74.404 números indicam a relevância do mercado
US$ Milhões

62.433 chinês para os serviços brasileiros.


60.000
46.733 Exportações brasileiras de serviços
250
39.744
40.000 33.334
30.430
19.462 200
20.000 16.047
12.584
9.498 9.322 9.551 10.447

US$ Milhões
2 10 6 2 6 10 22
0
150
2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006
Importações Chinesas Exportações Brasileiras Exportações Brasireiras para a China
Fonte: FMI e BACEN. Elaboração: UIC – Apex-Brasil. 100

50

Em termos de exportação de serviços, 0


a principal oportunidade brasileira encontra-se 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007

na categoria serviços a empresas – mais China Hong Kong Fonte: FMI. Elaboração: UIC – Apex-Brasil.

especificamente em exportação na
subcategoria serviços profissionais. Vale notar

Exportações Brasileiras de Serviços para a China


20

18

16

14
US$ Milhões

12

10

0
2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006*
Serviços financeiros 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1,09 1,55
Royalties e licenças 0,00 1,11 1,57 0,00 0,00 0,00 0,00
Outros serviços a empresas 0,00 2,82 2,39 2,26 5,99 8,49 18,81
Serviços governamentais 1,95 5,95 1,95 0,00 0,00 0,00 1,96
Fonte: Bacen. Elaboração: UIC – Apex-Brasil. *Dados Preliminares.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.


Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Quarenta e cinco por cento das Dada a extensão territorial e o modelo de
exportações brasileiras para a China destinam-se desenvolvimento, cada região chinesa deve ser
às cidades de Qingdao, Nanjing e Shanghai, tratada como um mercado com características
localizadas na costa leste do país. Essas mesmas próprias. Com isso, há a necessidade de
cidades também figuram entre as quatro maiores estratégias de inserção e atividades promocionais
cidades importadoras do país. específicas.

Participação das províncias nas importações totais chinesas*


*excluindo Hong Kong e Macau

25
Shanghai; 20,12

Valores relativos a 2007


Total importado pela China: US$ 956 bilhões
Total importado pelas cidades selecionadas: US$ 948,6 bilhões

20
Shenzhen; 14,83
Nanjing; 12,56
Participação % em 2007

15
Huangpu; 7,01
Qingdao; 7,10

10
Tianjin; 5,62

Guangzhou; 3,86
Ningbo; 4,64

Beijing; 3,71

Hangzhou; 2,53
Dalian; 3,13

Gongbei; 2,52

Shijiazhuang; 0,69
Xiamen; 1,92
Zhanjiang; 1,26
Manzhouli; 0,79

5
Changchun; 0,42

Zhengzhou; 0,24
Chongqing; 0,29
Nanning; 0,74

Jiangmen; 0,37

Nanchang; 0,22
Shenyang; 0,29
Chengdu; 0,44

Changsha; 0,23
Urumqi; 0,64

Shantou; 0,42
Fuzhou; 0,63
Wuhan; 0,58

Kunming; 0,14
Yinchuan; 0,05
Lanzhou; 0,23
Haikou; 0,53

Tiayuan; 0,32

Hohhot; 0,23

Guiyang; 0,03
Harbin; 0,19
Hefei; 0,33

Xining; 0,03
Lhasa; 0,00
Xi'na; 0,16

0
Fonte: GTIS. Elaboração: UIC Apex-Brasil

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Participação das exportações brasileiras nas importações das províncias
chinesas*
* excluindo Hong Kong e Macau
30%
Valores relativos a 2007
Qingdao; 25,19%

Total exportado pelo Brasil para a China: US$ 18,3 bilhões


Total exportado pelo Brasil para as cidades selecionadas: US$ 17,0 bilhões
25%

20%
Nanjing; 10,18%
Shanghai; 9,40%

15%
Shijiazhuang; 5,48%
Ningbo; 6,73%
Dalian; 6,66%

Hangzhou; 4,37%
Tianjin; 5,33%

10%
Guangzhou; 3,03%
Huangpu; 3,47%
Nanning; 3,69%

Shenzhen; 2,87%

Zhanjiang; 2,53%
Wuhan; 2,83%

Chongqing; 0,80%

Zhengzhou; 0,65%
Xiamen; 1,51%

Changsha; 0,75%

Nanchang; 0,54%

Changchun; 0,03%
Hefei; 1,82%

Jiangmen; 0,36%

Shenyang; 0,01%
Tiayuan; 0,56%

Gongbei; 0,33%

Yinchuan; 0,02%

Chengdu; 0,01%
Kunming; 0,01%
Shantou; 0,10%

Lanzhou; 0,00%
Guiyang; 0,06%

Urumqi; 0,00%
Fuzhou; 0,09%
Beijing; 0,29%

Haikou; 0,15%

Hohhot; 0,00%
Harbin; 0,18%
5%

Xining; 0,00%
Xi'na; 0,00%
0%

Fonte: GTIS. Elaboração: UIC Apex-Brasil

Matriz de atratividade para setores na China


Distrito: Shangai
60%
Crescimento ( x;y; Importações mundiais
totais)
Taxa de crescimento médio anual das importações mundiais do setor pelo distrito 2002/2007

Metais e pedras preciosas


Café Massas: 444%;41%; US$ 370 mi
Cacau: 153%; 42%; US$ 93 mi
50% Prod. Limpeza: 120%; 33%; US$ 762 mi

Metais não ferrosos


Materiais elétricos e eletroeletrônicos Higiene e Cosméticos
40%

Produtos minerais
Instrumentos de Precisão

Colas e enzimas
30% Borracha e suas obras
Gordura e óleos animais Plásticos e suas obras
Obras de pedra Obras diversas
Impressos
Prod. metalúrgicos Semente
Produtos farmacêuticos;
Produtos químicos
Vidro e suas obras
20% Peles e couros
Chocolates, balas e confeitos Soja
Fumo Tintas
Sucos Máquinas e motores
Farinhas para animais
10%
Madeiras e cortiças Têxteis

Valor de Referência = US$ 1 bi


0%
-10% 10% 30% 50% 70% 90%
Taxa de crescimento médio anual das exportações brasileiras do setor para o distrito 2002/2007
Fonte: GTIS. Elaboração: UIC APEX-Brasil Copyright © 2007 APEX-Brasil

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Matriz de atratividade para setores na China
Distrito: Qingdao

80%
Taxa de crescimento médio anual das importações mundiais do setor pelo distrito

Produtos minerais

Veículos automotores e partes Valor de Referência = US$ 1 bi

60%

Instrumentos de Precisão Borracha e suas


Sucos obras

Metais não ferrosos


2002/2007

40%
Soja
Plásticos e suas obras
Materiais elétricos e
eletroeletrônicos Papel e Celulose
Produtos de limpeza
Tintas Máquinas e motores
20%

Peixes e Têxteis
Crustáceos
Produtos químicos
Madeiras e cortiças Crescimento (x;y; importações mundiais)
Produtos metalúrgicos: 241%; 23%; US$ 2,1 bi
Peles e couros Gorduras e óleos animais: 126%; 23%; US$ 294
0%
-10% 10% 30% 50% 70% 90% 110%

Taxa de crescimento médio anual das exportações brasileiras do setor para o distrito 2002/2007
Fonte: GTIS. Elaboração: UIC APEX-Brasil Copyright © 2007 APEX-Brasil

Matriz de atratividade para setores na China


Distrito: Nanjing

Crescimento (x;y;importações mundiais)


Têxteis: 288%; 24%; US$ 1,9 bi
110%
Taxa de crescimento médio anual das importações mundiais do setor pelo distrito

Metais e pedras preciosas


Valor de Referência = US$ 1 bi

80%

Produtos minerais
2002/2007

Máquinas e motores
50%

Soja

Produtos químicos Papel e Celulose

20%
Produtos minerais

Produtos metalúrgicos

-10% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90%
-10%
Taxa de crescimento médio anual das exportações brasileiras do setor para o distrito 2002/2007
Fonte: GTIS. Elaboração: UIC APEX-Brasil Copyright © 2007 APEX-Brasil

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Uma parte significativa das Em 2007, o Brasil exportou para Hong
exportações de produtos brasileiros para a Kong US$ 1,3 bilhão, o que equivale a mais de
China é triangulada por Hong Kong e, 12% das exportações para a China continental.
eventualmente, por Taiwan e Macau. Isso se Mais da metade das exportações brasileiras
deve a expertise dessas regiões, que se abriram para Hong Kong é composta pelo Capítulo 2 do
ao comércio exterior antes da China sistema harmonizado, que se refere a carnes e
continental e a acordos que trazem condições miudezas comestíveis. Dentro desse grupo,
de comércio privilegiadas. Essa opção deve ser cerca de 57% das exportações são do produto
considerada na formulação de estratégia de SH6 020714 – pedaços e miudezas comestíveis
acesso ao mercado chinês pelas empresas de galos e galinhas da espécie doméstica,
brasileiras. congelados.

Exportações brasileiras para China e região Exportações brasileiras para Hong Kong - 2007

14.000 0,71 18%


US$ Milhões

816 58%
12.000 1.336
0,57
10.000 759
0,36 1.030
826
8.000 888 9%

6.000 10.749
3%
8.400
4.000 6.834 12%
Carnes e Miudezas Comestíveis
2.000
Peles e Couros
0 Outros Produtos de Origem Animal Diversos
2005 2006 2007 Máquinas e Materiais Elétricos, Aparelhos de Som, Imagem, Televisão e Acessórios
China Hong Kong Taiwan Macau Outros
Fonte: GTIS/GTA. Elaboração: UIC - Apex-Brasil. Fonte: GTIS/GTA. Elaboração: UIC - Apex-Brasil.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Matriz de atratividade para setores na China
Distrito: Hong Kong

25%
Taxa de crescimento médio anual das importações mundiais do setor pelo distrito

Material esportivo Valor de Referência = US$ 5 bi


Petróleo Metais não ferrosos

Materiais elétricos e
20%
eletroeletrônicos
Metais e pedras preciosas

Carne suína Carne bovina


15%
Aviões
2002/2007

Produtos farmacêuticos Café

10%

5%

Crescimento (x;y; Importações mundiais totais)


Impressos: 128%;13%;US$ 1,27 bi

0%
0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80%
Taxa de crescimento médio anual das exportações brasileiras do setor para o distrito 2002/2007
Fonte: GTIS. Elaboração: UIC APEX-Brasil Copyright © 2008 Apex Brasil

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
ÍNDICE

1. INTRODUÇÃO ......................................................................................................................18
1.1. OBJETIVO ........................................................................................................................................... 18
1.2. NOTA METODOLÓGICA .......................................................................................................................... 18
2. PERFIL DA CHINA .................................................................................................................19
2.1. ÁREA E LOCALIZAÇÃO ............................................................................................................................ 19
2.2. PRINCIPAIS CIDADES .............................................................................................................................. 19
2.3. POPULAÇÃO (2007) ............................................................................................................................. 19
2.4. DADOS SÓCIO-ECONÔMICOS .................................................................................................................. 20
2.5. PRINCIPAIS SETORES DA ECONOMIA DA CHINA (2006) ................................................................................ 20
2.6. TOTAL IMPORTADO – 2007: .................................................................................................................. 20
6
2.7. TOTAL EXPORTADO – 2007 : ................................................................................................................. 20
6:
2.8. PRINCIPAIS PAÍSES FORNECEDORES (2007) ............................................................................................. 20
6
2.9. PRINCIPAIS PAÍSES DE DESTINO (2007) : .................................................................................................. 20
3. CARACTERÍSTICAS DO PAÍS...................................................................................................21
3.1. ORGANIZAÇÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA ................................................................................................ 21
3.2. ECONOMIA ......................................................................................................................................... 21
3.3. EVOLUÇÃO DAS INDÚSTRIAS PRIMÁRIA, SECUNDÁRIA E TERCIÁRIA .................................................................. 24
3.4. INVESTIMENTOS ................................................................................................................................... 25
3.5. QUESTÕES ECONÔMICO-SOCIAIS ............................................................................................................. 26
3.6. POPULAÇÃO ........................................................................................................................................ 26
3.7. PECULIARIDADES CULTURAIS ................................................................................................................... 27
4. VISÃO DO MERCADO ...........................................................................................................28
4.1. PARTICULARIDADES DO MERCADO ........................................................................................................... 28
4.2. CONSUMO .......................................................................................................................................... 28
4.3. PARTICIPAÇÃO PÚBLICA E PRIVADA NO MERCADO CHINÊS ............................................................................. 32
4.4. COMPRAS GOVERNAMENTAIS ................................................................................................................. 33
4.5. CARACTERÍSITCAS DO COMÉRCIO............................................................................................................. 33
5. CARACTERÍSTICAS REGIONAIS ..............................................................................................35
5.1. IMPORTAÇÕES POR REGIÃO CHINESA ........................................................................................................ 37
5.2. ZONAS DE LIVRE COMÉRCIO E ZONAS DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÕES .................................................... 38
6. ASPECTOS ADUANEIROS E LOGÍSTICOS .................................................................................39
6.1. PROCEDIMENTOS PARA EXPORTAR PARA A CHINA ....................................................................................... 39
6.1.1 Tarifas de importação e barreiras não-tarifárias .............................................................................. 39
6.1.2 Trâmites aduaneiros .......................................................................................................................... 40
6.2. LOGÍSTICA E CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO....................................................................................................... 42
6.2.1. Índice de performance logística ...................................................................................................... 42
6.2.2 Características da logística e distribuição na China ........................................................................ 44
7. IMPORTAÇÕES CHINESAS .....................................................................................................47
7.1. IMPORTAÇÕES CHINESAS POR VALOR AGREGADO ........................................................................................ 49
8. COMÉRCIO BRASIL – CHINA ..................................................................................................50
8.1. EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS PARA A CHINA POR VALOR AGREGADO ................................................................. 51

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
8.2. PARTICIPAÇÃO DO BRASIL NAS IMPORTAÇÕES CHINESAS............................................................................... 52
9. MATRIZ DE ATRATIVIDADE ...................................................................................................53
10. PRINCIPAIS OPORTUNIDADES IDENTIFICADAS ......................................................................57
10.1. ALIMENTOS, BEBIDAS E AGRONEGÓCIOS ................................................................................................... 58
10.1.1 Carne de aves .................................................................................................................................. 59
10.1.2 Chocolates, balas e confeitos .......................................................................................................... 61
10.1.3 Farinhas para animais ..................................................................................................................... 62
10.1.4 Frutas ............................................................................................................................................... 63
10.1.5 Massas alimentícias ........................................................................................................................ 64
10.1.6 Sucos ................................................................................................................................................ 65
10.2. MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS................................................................................................................. 67
10.2.1 Aviões .............................................................................................................................................. 67
10.2.2. Borrachas e suas obras ................................................................................................................... 68
10.2.3 Máquinas e motores ........................................................................................................................ 70
10.3. TECNOLOGIA E SAÚDE ........................................................................................................................... 73
10.3.1 Produtos químicos ........................................................................................................................... 74
10.3.2 Instrumentos de precisão9 .............................................................................................................. 76
10.4. MODA ............................................................................................................................................... 77
10.4.1 Calçados e suas partes..................................................................................................................... 78
10.4.2 Higiene pessoal e cosméticos .......................................................................................................... 79
10.4.3 Metais e pedras preciosas ............................................................................................................... 80
10.4.4 Peles e couros .................................................................................................................................. 82
10.5. CASA E CONSTRUÇÃO CIVIL ..................................................................................................................... 83
10.5.1 Ferramentas, talheres e outras obras de metais ............................................................................. 84
10.5.2 Madeiras e cortiças ......................................................................................................................... 85
10.5.3 Metais não-ferrosos ........................................................................................................................ 87
10.5.4 Papel e celulose ............................................................................................................................... 88
10.5.5 Produtos metalúrgicos..................................................................................................................... 90
10.5.6 Produtos minerais ............................................................................................................................ 92
10.5.7 Tintas ............................................................................................................................................... 94
10.5.8 Vidro e suas obras ........................................................................................................................... 95
11. COMÉRCIO VIA HONG KONG ................................................................................................96
11.1. IMPORTAÇÕES MUNDIAIS DE HONG KONG ................................................................................................ 97
11.2. EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS PARA HONG KONG ........................................................................................ 101
11.3. MATRIZ DE ATRATIVIDADE PARA HONG KONG.......................................................................................... 104
12. EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS ................................................................................................ 106
12.1. IMPORTAÇÕES CHINESAS DE SERVIÇOS .................................................................................................... 107
12.2. EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE SERVIÇOS ................................................................................................. 108
12.3. EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE SERVIÇOS PARA A CHINA ............................................................................. 110
12.3.1. Outros serviços a empresas .......................................................................................................... 111
12.3.2. Serviços financeiros ...................................................................................................................... 113
12.3.3. Royalties e direitos de licença....................................................................................................... 114
13. CONSIDERAÇÕES FINAIS..................................................................................................... 114
14. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ........................................................................................... 116
14.1. SÍTIOS CONSULTADOS: ........................................................................................................................ 116
ANEXOS ....................................................................................................................................... 118
ANEXO I – PRINCIPAIS ACORDOS EM VIGOR ENTRE CHINA E BRASIL ......................................................................... 118
ANEXO II – FEIRAS ......................................................................................................................................... 120
ANEXO III – AÇÕES PARA O MERCADO CHINÊS PLANEJADAS NO ÂMBITO DOS PROJETOS DA APEX-BRASIL ........................ 123

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
ANEXO IV – PRINCIPAIS ÓRGÃOS RELACIONADOS AOS TRÂMITES ALFANDEGÁRIOS DA CHINA ........................................ 124
ANEXO V – CONTATOS IMPORTANTES ............................................................................................................... 125
1. Representações diplomáticas e consulares......................................................................................... 125
1.1 Na China ............................................................................................................................................. 125
1.2 No Brasil ............................................................................................................................................. 126
2. Governo chinês.................................................................................................................................... 127
3. Câmaras de comércio e associações setoriais .................................................................................... 129
4. Empresas de transportes .................................................................................................................... 131
5. Companhias aéreas............................................................................................................................. 132
6. Principais bancos ................................................................................................................................ 132
6.1 Bancos locais da China ....................................................................................................................... 133
ANEXO V – LISTA DE IMPORTADORES CHINESES ................................................................................................... 136
1. Carne de aves ...................................................................................................................................... 136
2. Produtos alimentícios ......................................................................................................................... 137
3. Calçados .............................................................................................................................................. 139
4. Borrachas ............................................................................................................................................ 141
5. Aviões .................................................................................................................................................. 142
6. Frutas .................................................................................................................................................. 142
7. Máquinas e motores ........................................................................................................................... 144
8. Metais e pedras preciosas .................................................................................................................. 146
9. Papel e celulose................................................................................................................................... 151
10. Peles e couros ..................................................................................................................................... 153
11. Plásticos .............................................................................................................................................. 154
12. Produtos cerâmicos............................................................................................................................. 157
13. Produtos minerais ............................................................................................................................... 160

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
1. INTRODUÇÃO

O presente estudo mostra um panorama do mercado chinês com suas características e


peculiaridades. São focadas as relações comerciais entre Brasil e China e, em especial, os setores com
maiores oportunidades para a entrada dos produtos brasileiros nesse país.

1.1. Objetivo

O objetivo principal deste estudo é identificar oportunidades de negócios para as empresas


brasileiras no mercado chinês, com vistas a estimular a ampliação da pauta de exportação de
produtos brasileiros para esse país.

1.2. Nota metodológica

Tendo em vista o modelo político e econômico adotado pela China, o país ainda apresenta algumas
peculiaridades na coleta e divulgação de dados estatísticos. Eventualmente, as estatísticas chinesas
apresentam variação entre os dados apresentados por diferentes órgãos do governo e, em alguns
casos, os dados acabam sendo retificados após a publicação.

Além disso, os dados das importações chinesas relatados pelo governo chinês diferem
substancialmente dos dados das exportações brasileiras para a China apresentados pelo governo
brasileiro. Enquanto a China declara ter importado, em 2007, US$ 18.342.163.709, o Brasil declara ter
exportado para a China US$ 10.748.813.792, o que representa uma diferença de 41%.

Parte dessa variação deve-se ao fato de o Brasil informar suas exportações em FOB – incoterm que
não inclui os valores de frete e seguro – e a China informar suas importações em CIF – que inclui esses
valores. Tendo em mente que os custos com frete do Brasil para a China são deveras elevados, isso
justifica grande parte da alteração nos dados.

Contudo, nem sempre as alterações podem ser justificadas por custos de transporte e seguro. Em
diversos casos, há diferenças nas quantidades reportadas e, para alguns produtos, as exportações
declaradas pelo Brasil são substancialmente maiores do que as importações declaradas pela China.
Esse é o caso do Capítulo 03 do sistema harmonizado – Peixes e frutos do mar –, em que a China
declara ter importado US$ 419.180 do Brasil e o Brasil declara ter exportado US$ 2.416.522 para a
China em 2007 – nesse caso os dados brasileiros são 476% maiores que os chineses.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Vale notar que essas variações não ocorrem somente em relação ao Brasil. Em 2007, as exportações
do Japão e da Coréia do Sul1 foram reportadas, respectivamente, 18% e 21% maiores do que o
informado pela China. Por outro lado, os dados reportados pela China são 1.215% menores dos que
os informados por Hong Kong.

Tomando-se isso como base, esse estudo considera os dados informados pelo governo brasileiro para
análise dos produtos exportados do Brasil para a China. Já os dados das importações totais da China
são informados pelo próprio país2.

Outro ponto que deve ser observado é o alto volume de reimportação da China. Isso se deve, em
grande parte, ao fato de a comercialização de produtos com as zonas de processamento de
exportação ser considerada uma exportação ocorrida com origem e destino sendo a China.

2. PERFIL DA CHINA

2.1. Área e localização

Com uma superfície de aproximadamente 9,6 milhões de Km², a China é o terceiro maior país do
mundo em termos de área terrestre. O país está localizado ao norte do Hemisfério Oriental, na região
sudeste da Eurásia, na região centro-oriental da Ásia, e a oeste do Oceano Pacífico.

2.2. Principais cidades

Xangai, Pequim, Tianjin; Shenyang, Wuhan, Guangzou, Shandong.

2.3. População (2007)3

Estimativa de 1,32 bilhões de habitantes.

1
Segundo o ranking apresentado pela China, Japão e Coréia do Sul são os maiores exportadores para o país.
Alternativamente, se forem levadas em consideração as exportações reportadas por outros países para a China, Hong Kong
torna-se seu principal parceiro comercial.
2
Isso pode gerar diferenças no market share dos produtos brasileiros na China e, por isso, essa variável teve peso reduzido
na identificação das oportunidades para os produtos brasileiros nesse país.
3
FMI – Fundo Monetário Internacional.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
2.4. Dados sócio-econômicos

• Moedas4: Yuan (CYN) ou Renmimbi (RMB) – 7,29 CYN/USD


• Inflação (2007): 4,75%
• Produto interno bruto – PIB – (2007): US$ 3,41 trilhões
• PIB per capita (2007 est.)1: US$ 2.460
• Crescimento do PIB (2007 est.)1: 11,5%
• Investimento direto estrangeiro – IED – (2005)3: US$ 72,4 bilhões
• Índice de desenvolvimento humano: áreas urbanas: 0.81; e áreas rurais 0.67

2.5. Principais setores da economia da China (2006)5

• Indústria: 47,0% do PIB


• Serviços: 41,1% do PIB
• Agricultura: 11,9 % do PIB

2.6. Total importado – 20076:

US$ 956 bilhões

2.7. Total exportado – 20076:

US$ 1.218 bilhões

2.8. Principais países fornecedores (2007)6:

Japão (14,0%), Coréia do Sul (10,9%), Taiwan (10,6%), Estados Unidos da América – EUA – (7,3%) e
Alemanha (4,7%).

2.9. Principais países de destino (2007)6:

EUA (19,1%), Hong Kong (15,1%), Japão (8,4%), Coréia do Sul (4,6%) e Alemanha (4,0%).

4
X-Rates.com.
5
Banco Mundial.
6
Global Trade Atlas (GTA)/Global Trade Information Service (GTIS).

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
3. CARACTERÍSTICAS DO PAÍS

3.1. Organização político-administrativa

A China construiu sua cultura há mais de 4.000 anos e sua unificação política remota a 221 A.C., sendo que sua
influência política no continente asiático existe desde essa época. Desde a dinastia Han, que controlava o país
na época de sua fundação até a queda do império7, a China foi um dos países mais desenvolvidos
tecnologicamente.

O Partido Comunista da China está no poder desde a revolução comunista de Mao Tse Tung que resultou na
fundação da República Popular da China, em 1949. Apesar das mudanças econômicas, o país continua com uma
organização política marxista centrada nesse único partido.

O planejamento estatal vigora com rigor. No país não se pode considerar que haja liberdade política, a censura
e a manipulação de dados (inclusive os estatísticos) são comuns e algumas liberdades pessoais, como o livre
culto religioso, são incipientes.

Administrativamente, a China é dividida em 23 províncias (incluindo Taiwan); 5 regiões autônomas e 4


municipalidades subordinadas diretamente ao governo central e 2 regiões administrativas especiais (Hong Kong
e Macau).

O ordenamento jurídico do país é composto por leis fundamentais do estado, leis básicas, leis comuns, leis e
normas administrativas e leis e normas locais.

Atualmente, a China vive sua quarta geração de liderança política, tendo como chefe de estado Hu Jintao, que
assumiu o poder em 2003. Ele é também líder do Partido Comunista da China.

3.2. Economia

O reconhecimento da China como economia de mercado pela OMC deu-se em 2001; tal processo
iniciou-se em 1978. Este estava focado em três pilares: adaptação ao mercado; privatização das
estatais menores e abertura de capital das estatais maiores.

7
A China foi um império por cerca de 2 mil anos e a queda desse regime ocorreu em 1911.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Os relatórios do International Comparison Programme, do Banco Mundial, divulgados em 2008,
mostram que, levando-se em consideração a paridade do poder de compra, a China é a segunda
maior economia mundial, atrás apenas dos EUA. De acordo com dados do FMI (ver tabela a seguir),
estima-se que o PIB PPP do país foi de US$ 11,6 trilhões em 2007.

Portanto, em 2007, o PIB chinês cresceu 11,4%, em comparação com 11,1% de 2006. Nos últimos
cinco anos, o crescimento do PIB foi superior a 10%. As previsões do Banco Mundial, de fevereiro de
2008, são de que nesse ano o PIB chinês cresça em torno de 9,6%. Em setembro de 2007, imaginava-
se que esse crescimento seria de 10,8%.

Já o PIB chinês, calculado também pela paridade do poder de compra8, era de US$ 11,6 trilhões em
2007 (estimativa), o que equivale a 85% do PIB per capta dos EUA nesse ano. A tabela abaixo traz a
evolução da participação do PIB Chinês no PIB mundial conforme a paridade de poder de compra
entre os anos de 2004 e 2008 (previsão). O gráfico a seguir mostra a participação das maiores
economias no PIB mundial calculado por essa metodologia.

Evolução da participação chinesa no PIB mundial com base na


paridade de poder de compra

2007 2008
2004 2005 2006 (estimativa) (previsão)

13,68% 14,39% 15,08% 15,83% 16,55%


Fonte: International Monetary Fund, World Economic Outlook Database, October 2007.
Elaboração: UIC - Apex-Brasil

8
A paridade do poder de compra corresponde à taxa de câmbio entre duas moedas, calculada de acordo com a quantidade
de cada moeda que é necessária para adquirir um determinado conjunto de produtos e serviços idênticos no país a que
pertence cada moeda. Esse parâmetro é muito utilizado para comparar o poder de compra e bem-estar social entre
diferentes países.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
PIB pela paridade de poder de compra - 2007

18,7% 1 EUA

2 China

3 Índia

40,3% 4 Japão

5 Alemanha
16,0%
6 Reino Unido

7 França

8 Brasil
6,5%
Demais
2,8%
2,8% 3,1% 3,7% 6,0%

Fonte: FMI. Elaboração: UIC - Apex-Brasil. *estimativa

As medidas macro-econômicas em vigor devem garantir à China uma inflação moderada. A inflação
acumulada entre dezembro de 2006 e novembro de 2007 foi de 6,9%.

Como medida para conter a inflação, o Yuan já foi valorizado em 14% entre julho de 2005 – quando o
país deixou de ter o câmbio fixo para adotar uma flutuação controlada – e o fim de 2007. Espera-se
uma valorização do Yuan de cerca de 8% em 2008. Também houve aumento das taxas de juros pelo
Banco do Povo, mas essas permanecem abaixo da inflação.

A tabela abaixo traz os principais indicadores econômicos da China entre 2004 e 2007 (estimativa),
além de previsões para o ano de 2008.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Principais Indicadores Econômicos

2007 2008
2004 2005 2006
(estimativa) (previsão)

PIB, preços correntes


15.988 18.387 21.087 24.689 28.221
(RMB bilhões)
PIB, preços correntes
1.932 2.244 2.645 3.249 3.713
(US$ bilhões)
PIB, preços correntes
10,1 10,4 11,1 11,5 10,0
(% crescimento)
PIB per capita , preços correntes
1.486 1.716 2.013 2.460 2.798
(US$)
PIB com base na paridade de poder de compra
7.769 8.854 10.147 11.606 12.989
(US$ bilhões)
PIB per capta com base na paridade de poder de compra
5.977 6.771 7.722 8.788 9.786
(US$)
Inflação, preço ao consumidor no fim do período
3,2 1,4 2 5,7 3,5
(% anual)
Balanço fiscal
-1,3 -1,2 -0,5 -0,6 -0,9
(% PIB)
Balanço de conta corrente
69 161 250 379 453
(% PIB)
Balanço da conta capital
138 47 -3 100 80
(US$ bilhões)
Reserva em moedas estrangeiras
610 819 1.066 1.529 1.987
(US$ bilhões)
Fonte: FMI e Banco Mundial. Elaboração UIC - Apex-Brasil

3.3. Evolução das indústrias primária, secundária e terciária

A agricultura chinesa cresceu cerca de 4% na primeira metade de 2007, graças aos altos índices de
investimento em infra-estrutura e desenvolvimento. O governo elevou o investimento na área
agrícola em 37,5% no primeiro semestre de 2007. Calcula-se que, em 2008, a produção agrícola
cresça 5,4%.

Prevê-se que o crescimento industrial seja de 10,8% em 20089. Os setores que apresentaram maior
evolução foram o automobilístico, o de equipamentos eletrônicos e o de materiais para construção.

O setor de serviços cresceu 10,6% em 2007. Um crescimento de 10,5% é esperado para o ano de
2008, devido, principalmente, aos jogos olímpicos sediados no país.

Em percentual de participação no total do PIB chinês, o setor primário tem perdido espaço para o
terciário. Já a participação do setor secundário oscilou pouco na última década. O gráfico a seguir
ilustra a participação de cada setor na composição do PIB chinês entre os anos de 1997 e 2006.

9
Contudo, essa previsão pode ser frustrada como reflexo da turbulência financeira mundial gerada pela crise imobiliária dos
Estados Unidos da América.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Composição do PIB Chinês
100%

34% 36% 38% 39%


80% 40% 41% 41% 40% 40% 39%

60%

40% 48% 46% 46% 46% 45% 45% 46% 46% 48% 49%

20%

18% 18% 16% 15% 14% 14% 13%


13% 13% 12%
0%
1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006
Setor Primário Setor Secundário Setor Terciário

Fonte: China Statistical Yearbook2007. Elaboração: UIC - Apex-Brasil.

3.4. Investimentos

O tamanho e o dinamismo da economia chinesa têm atraído cada vez mais investidores estrangeiros.
Em 2007, a China foi a principal receptora de investimentos externos, com US$ 79 bilhões injetados
em sua economia.

A taxa média de impostos pagos por empresas estrangeiras situadas na China é de 15%, enquanto
empresas domésticas pagam cerca de 33%. Por causa dos protestos das empresas locais, em 2008,
essas taxas serão igualadas em 25%. Também cedendo aos apelos locais, em 2007, o governo voltou a
aplicar tarifas de 30% para cerca de 200 tipos de equipamentos industriais que usufruíam de isenção.

O governo chinês divulga que o investimento no país equivale a 45% de seu PIB e que cresce 25% ao
ano. Contudo, a grande maioria dos analistas suspeita que esses números estejam superestimados.

Por outro lado, o governo tem encorajado os empresários nacionais a investirem no exterior como
forma de garantir acesso facilitado a insumos e matérias-primas.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
3.5. Questões econômico-sociais

Os altos índices de desemprego e de subemprego causam grande preocupação na China.


Aproximadamente 25 milhões de empregos serão criados em 2008 para absorver parte da massa de
trabalhadores desempregados, muitos deles vindos das áreas rurais. Anualmente, por volta de 8
milhões de trabalhadores migram destas regiões para as áreas urbanas em busca de melhores
condições e salários.

Há 20 anos, a distribuição de renda chinesa era similar a da Suécia e a da Alemanha. Atualmente,


porém, o nível de desigualdade está entre os piores do mundo. A principal diferença dá-se entre
famílias rurais e urbanas. Contudo, esse problema foi amenizado no ano passado: enquanto que em
2006, a renda per capita das famílias da área rural cresceu 7,4% e a das famílias das áreas urbanas
elevou-se 10,4%; em 2007 o crescimento real dos salários foi de 18,8% nas áreas rurais e de 13,2%
nas áreas urbanas.

O sistema de pensão da China é caótico e tende a piorar com o envelhecimento da população. Em


2015, o país deve ter mais de 233 milhões de pessoas com mais de 60 anos.

O governo está preocupado com os custos ambientais na China, os quais foram estimados em cerca
de 10% da produção econômica do país em 2006.

3.6. População

A população chinesa é a maior do mundo, com cerca de 1,3 bilhões de pessoas. Apesar de ter havido
uma desaceleração na taxa de crescimento, a mesma continua positiva.

Habitam o país pessoas de 56 nacionalidades e etnias diferentes. No entanto, mais de 90% da


população é da etnia Han.

Em 2001, cada lar tinha em média 3,1 pessoas. A média salarial difere bastante entre a zona rural e
urbana: em 2001, na primeira, era de RMB 2.366; enquanto que na última era RMB 6.859.

A idade média dos chineses era de 34 anos em 2005; comparando-se à média de 28 anos em 1995.
Com a melhoria na qualidade dos tratamentos médicos, os chineses estão vivendo mais; aqueles com
mais de 65 anos representam mais de 8% da população.

A escolaridade dos chineses é equivalente à encontrada em outros países em desenvolvimento. Em


2001, 6,7% da população era de analfabetos; 35,7% tinham educação primária; 34,0%, ensino
fundamental; 11,1%, ensino médio e 3,6%, ensino superior.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Entretanto, à exceção da elite, a qualidade dos profissionais que ingressam no mercado de trabalho
ainda apresenta alguns problemas. As universidades são bastante teóricas e, em alguns casos, o
ensino baseia-se em conhecimento já superado.

Faltam aos graduados habilidades práticas demandadas no ambiente de negócios moderno, como
computação e línguas estrangeiras. Assim, apesar de a mão-de-obra pouco qualificada ser barata e
abundante – custa cerca de um terço do valor encontrado nos demais países asiáticos –, é difícil
encontrar profissionais qualificados, bem como mantê-los, devido ao alto custo.

Está havendo grande êxodo rural na China. Enquanto, em 1990, 74% da população era rural; em
2005, apenas 57% mantiveram-se no campo. A previsão é a de que, em 2015, os números invertam-
se e a maior parte do povo chinês viva nas cidades. A tabela abaixo mostra a porcentagem de
população urbana e rural na China entre 1990 e 2015 (previsão).

População Urbana e Rural (%)


2010 2015
1990 1995 2000 2005
(previsão) (previsão)

Urbana 26,4 29 36,2 42,7 47,2 50,4


Rural 73,6 71 63,8 57,3 52,8 49,6
Fonte: Euromonitor International. Elaboração: UIC APEX Brasil.

3.7. Peculiaridades culturais

Na China, jantares e happy hours são fases fundamentais do processo de negociação e das relações
comerciais. Esses são os momentos em que a maioria das dificuldades encontradas durante a
negociação desfazem-se. A troca de presentes também é importante na construção dos
relacionamentos.

A expressão guanxi é famosa e refere-se a uma forte rede de relacionamentos baseada em troca de
favores pessoais – o que é muito comum na China. Aliás, os chineses consideram obrigatória a
retribuição de favores e entendem o guanxi como uma prática natural e legal.

A negociação de preços é considerada a parte mais importante. Posições diretas, que não deixam
margem para flexibilização, não são levadas muito a sério já que é esperado que haja ampla
barganha.

É importante ter em mente que os chineses estão acostumados a uma cultura baseada no taoísmo,
confucionismo e budismo. Eles são, consideravelmente, burocráticos; com relações de poder bem

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
definidas, evitam riscos, são coletivistas, resistentes a mudanças, não são objetivos, comunicam-se de
maneira ambígua e investem pouco em criatividade.

4. VISÃO DO MERCADO

O mercado Chinês sofreu grandes transformações nos últimos anos. Tais mudanças foram
impulsionadas pela abertura econômica e pelas peculiaridades que apresenta. Assim, para a
realização de negócios com a China, é essencial entender suas características, as quais são
mencionadas a seguir.

4.1. Particularidades do mercado

A abertura do mercado chinês evoluiu muito a partir da sua entrada para a OMC em 2001. Tanto
barreiras tarifárias como não-tarifárias destinadas à importação foram reduzidas. Entretanto, o
ambiente de negócio no país é, de fato, complicado. As principais dificuldades de acesso a esse
mercado têm sido a corrupção e a falta de proteção à propriedade intelectual.

Em termos de corrupção, a China alcançou o índice 3,3 no Transparency International's Global


Corruption Perception Index 2006, em uma escala em que 10 significava menos corrupto e 0, mais
corrupto.

Por outro lado, o sistema chinês de proteção à propriedade intelectual tem evoluído aos poucos. Da
mesma forma, a proteção à propriedade privada foi reforçada pela Lei de Direito à Propriedade,
aprovada em março de 2007.

Dado o tamanho da China, a localização dos negócios é de fundamental importância. Há grandes


variações entre uma região e outra – tanto nos hábitos de consumo como no viés administrativo.

Por ter um sistema bancário fraco, fora das grandes cidades, poucos chineses têm conta bancária e
cartões de crédito. Há escassez de oferta de capital para consumo privado no país, já que a maior
parte do crédito disponível é direcionada às empresas estatais.

4.2. Consumo

Para os próximos 10 anos, uma grande expansão do consumo é esperada, guiada pela combinação do
aumento dos salários e do salário mínimo, maiores lucros e ampliação do investimento

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
governamental em áreas rurais. Estima-se que o número de famílias ganhando mais que US$ 5 mil
por ano cresça 24% ao ano. Cerca de 5,8 milhões de famílias chinesas já possuem o estilo “ocidental”
de consumo, com renda superior a US$ 10 mil por ano.

Preocupações com a inflação fizeram com que produtos como petróleo, eletricidade e água tivessem
seus preços congelados em 2007. Produtos alimentícios como óleo, macarrão, carne e ovos também
passaram pelo controle de preços.

Os itens que mantêm alta a inflação na China estão concentrados nos setores de alimentos e energia.
De fato, a alimentação é o principal item nos gastos das famílias chinesas e seu consumo tem
aumentado. Independente da alta dos preços, a tendência é de que o consumo nesse setor não
diminua.

Nota-se também que o consumo está concentrado nas zonas urbanas da China, o que se deve ao
desnível econômico entre a população urbana e a rural do país. Em ambos os casos, o crescimento
anual do consumo chama a atenção. De 2006 para 2007, o consumo em lares urbanos aumentou17%
e, em lares rurais, 13%.

Nas tabelas e gráficos a seguir são mostradas, para área urbana e para área rural, as principais
categorias de produtos consumidos na China entre 2004 e 2006 e a participação de cada categoria no
consumo chinês em 2006.

Consumo doméstico na China - Área urbana


(bilhões de US$)
2004 2005 2006
Alimentos 18.473 20.308 22.951
Habitação 8.167 9.491 11.066
Artigos recreativos, educacionais e
6.838 7.405 8.603
culturais
Transporte e comunicação 5.550 6.668 8.125
Saúde e cuidados pessoais 5.010 5.852 6.572
Vestuário 4.528 5.378 6.395
Utilidades domésticas 2.720 3.021 3.560
Serviços financeiros 1.852 2.132 2.532
Seguro 1.260 1.485 1.864
Outros 1.609 1.803 2.426

Total 56.007 63.541 74.093


Fonte: China Statistical Yearbook 2007. Elaboração: UIC - APEX-Brasil.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Consumo doméstico na China - área urbana
2006
3% Alimentos
3% 2%
5%
Habitação
31%
9% Artigos recreativos,
educacionais e culturais
Transporte e comunicação

Saúde e cuidados pessoais


9%
Vestuário

Utilidades domésticas
11%
15% Serviços financeiros

12% Seguro

Outros
Fonte: China Statistical Yearbook 2007. Elaboração: UIC - Apex-Brasil.

Consumo doméstico na China - Área rural


(bilhões de US$)
2004 2005 2006
Alimentos 9.525 9.924 10.764
Habitação 3.436 4.111 4.815
Artigos recreativos, educacionais e
2.286 2.523 2.699
culturais
Transporte e comunicação 1.778 2.092 2.554
Saúde e cuidados pessoais 1.223 1.461 1.733
Vestuário 1.109 1.269 1.486
Utilidades domésticas 824 952 1.119
Serviços financeiros 386 450 549
Seguro 139 165 207
Outros 532 555 587

Total 21.238 23.501 26.514


Fonte: China Statistical Yearbook 2007. Elaboração: UIC - APEX-Brasil.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Consumo doméstico na China- área rural
2006
1% Alimentos
4% 2% 2%
6% Habitação
41%
6% Artigos recreativos,
educacionais e culturais
Transporte e comunicação

Saúde e cuidados pessoais


10%
Vestuário

Utilidades domésticas
10%
Serviços financeiros

18% Seguro

Outros
Fonte: China Statistical Yearbook 2007. Elaboração: UIC - Apex-Brasil.

Com vistas a demonstrar o consumo de bens eletrônicos e automóveis, a planilha abaixo traz a
quantidade média desses produtos encontrada em lares chineses.

Bens em lares chineses


Quantidade de bens em cada 100 lares
Lares
Urbanos Lares Rurais

Ar condicionados 80,7 6,4


Automóveis 3,4
Cameras 46,9
Computadores 41,5 2,1
Rádio Hi-Fi 28,8
Telefones celulares 137 50,2
Motocicletas 25 41
Refrigeradores 90,7 20,1
Televisão 134,8 105,7
Fonte: China Statistical Abstract 2006, apud How to Export to The
People’s Republic of China/ MRE. Elaboração: UIC - Apex-Brasil.

Tendo em vista a grande diferença entre o consumo nas diversas regiões chinesas, a tabela a seguir
traz o nível de despesa doméstica por região em 2006. Nela, são discriminados os valores das áreas
urbanas e rurais de cada região.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Nível de despesa doméstica chinesa por região - 2006
US$ dólares

Região Todos lares Lares rurais Lares urbanos


Beijing 2.106 961 2.324
Tianjin 1.327 599 1.576
Hebei 621 342 1.131
Shanxi 608 307 1.014
Inner Mongolia 728 354 1.136
Liaoning 870 434 1.175
Jilin 717 373 1.025
Heilongjiang 646 320 930
Shanghai 2.630 1.273 2.799
Jiangsu 1.042 617 1.448
Zhejiang 1.401 791 1.994
Anhui 558 307 997
Fujian 983 539 1.470
Jiangxi 524 353 998
Shandong 882 444 1.406
Henan 582 335 1.117
Hubei 695 356 1.135
Hunan 690 386 1.190
Guangdong 1.360 528 1.873
Guangxi 544 312 991
Hainan 595 351 965
Chongqing 680 294 1.134
Sichuan 565 323 1.043
Guizhou 439 205 1.068
Yunnan 512 269 1.077
Tibet 366 229 918
Shaanxi 499 276 1.134
Gansu 478 236 1.028
Qinghai 531 267 939
Ningxia 642 306 1.094
Xinjiang 528 251 989
Fonte: China Statistical Yearbook 2007. Elaboração: UIC - APEX-Brasil.

4.3. Participação pública e privada no mercado chinês

O crescimento da China baseia-se, em grande parte, na abertura econômica e no desenvolvimento do


setor privado. Desde 1984, o governo chinês tem seguido um plano de privatização das empresas

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
estatais. Atualmente, diversas empresas já foram privatizadas; havendo, inclusive, empresas
estrangeiras com participação em antigas firmas estatais.

Por outro lado, o governo mantém o controle de empresas de setores considerados sensíveis, como
os relacionados à segurança nacional e a matérias-primas estratégicas (como petróleo, carvão e
cereais). O órgão local, que gere as privatizações, é a Comissão Nacional de Gestão dos Ativos
Estatais.

Como pode ser observado na tabela abaixo, entre 1999 e 2003, houve aumento gradual e significativo
da participação de empresas privadas na economia chinesa.

Evolução da Participação dos Setores Público e Privado na China


Setores Não Rurais (%)
Público de Público de
Ano Privado Público Controle Estatal Controle Coletivo

1999 45,3 54,7 40,1 14,7


2000 47,7 52,3 39,6 12,7
2001 51,8 48,2 37,1 11,2
2002 54,6 45,4 35,2 10,1
2003 57,1 42,9 34,1 8,8
Fonte: ABIMAQ. China e o seus Efeito sobre a Indústria de Máquinas e Equipamentos do Brasil.
Elaboração UIC - Apex-Brasil.

4.4. Compras governamentais

O Ministério de Finanças da China informa que as compras governamentais do país em 2006


totalizaram RMB 300 bilhões, o que equivale a US$ 37 bilhões. Isso representa um aumento de quase
2% em relação ao ano anterior.

A legislação que regula as compras governamentais é a Lei de Aquisições Governamentais da


República Popular da China, promulgada em 29 de junho de 2002. Essa lei passou a vigorar em 1º de
janeiro de 2003 e amplia expressivamente o conjunto de compras governamentais sujeitas a controle
do governo.

4.5. Caracterísitcas do Comércio

A China é o segundo maior exportador mundial (com US$ 1.218 bilhões exportados em 2007), atrás
apenas da Alemanha (que exportou US$ 1.327 bilhões nesse ano). Em termos de importações, a
China ocupa a terceira posição (tendo importado US$ 956 bilhões em 2007), após os EUA (US$ 1.953
bilhões) e Alemanha (US$ 1.059 bilhões).
Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
O superávit no comércio exterior manteve-se favorável em 2007, garantindo facilidade ao crédito na
China. Contudo, a oferta de crédito teve seu crescimento desacelerado.

Quanto à demanda, a expectativa é que o foco passe a ser o consumo interno e que a China deixe de
depender das suas exportações e dos investimentos externos para garantir seu crescimento. O
aumento nas importações chinesas corrobora para a tendência de o superávit comercial do país
diminuir. As importações chinesas estão crescendo, principalmente, no valor dos produtos
importados.

Em termos de oferta, espera-se que as exportações de produtos industrializados percam espaço para
o comércio de serviços. No último trimestre de 2007, as exportações de produtos chineses tiveram o
menor crescimento desde 2002. Em 2008, a tendência é que, entre outros fatores, a aplicação de
impostos de exportação, que foram introduzidos em 2007, e a desaceleração econômica de
importantes parceiros comercias da China – como o mercado americano e o europeu – façam com
que suas exportações continuem diminuindo.

O padrão dos produtos exportados pela China também está mudando. Nos últimos anos, mais da
metade das exportações do país eram de produtos de baixo valor agregado. Atualmente, calcula-se
que 30% das exportações chinesas são de produtos de alta-tecnologia. As empresas multinacionais
continuam sendo as principais responsáveis pela produção com maior valor agregado: são delas 60%
dos lucros com exportações de alta tecnologia da China.

O quadro abaixo traz alguns indicadores referentes ao comércio internacional da China.

Indicadores do Comércio Exterior

2007 2008
2006
(estimativa) (previsão)

Comércio exterior Exportação de bens e serviços 21,7% 16,9% 14,4%


(crescimento) Importação de bens e serviços 19,8% 18,1% 16,5%

Comércio exterior Exportação de bens e serviços 39,0% 39,9% 41,3%


(participação no PIB) Importação de bens e serviços 32,9% 34,0% 35,6%

Balanço de contas correntes 207,9 229,0 229,1


· como porcentagem do PIB 7,8% 7,2% 6,3%
Números do comércio Balança comercial 177,6 175,9 165,3
(US$ bilhões) Serviços: crédito 86,4 101,5 165,3
Serviços: débito - 98,6 -110,4 -129,1
Serviços: balança -12,2 -8,8 -9,5
Fonte: Economist Intelligence Unit. Elaboração: UIC APEXBrasil.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
5. CARACTERÍSTICAS REGIONAIS

Na China as diferenças regionais são tantas que o exportador deve planejar seu posicionamento
considerando as diversas localidades como se fossem mercados diferentes. Além de distintos, os
mercados regionais são distantes e independentes, o que traz mais ênfase às estratégias com foco
regional.

As cidades com maior consumo são Pequim, Xangai, Guangzhou, Tianjin, Wuhan e Chongqing. Já as
áreas mais desenvolvidas são o Golfo de Bohai (corredor Pequim – Tianjin), o Delta do Yangzé
(Xangai, Nanjing e Hangzhou) e o Delta do Rio Pérola (Guangdong e Fujian). Além de possuírem renda
mais elevada, os habitantes dessas regiões são mais receptivos a produtos estrangeiros.

Tendo em vista as limitações logísticas e de infra-estrutura do interior do país e a falta de hábito de se


consumir produtos importados, são poucas as importações para regiões como Qinghai, Tibet ou
Mongólia Interior.

A fim de se compreender as peculiaridades regionais, encontram-se na tabela seguinte indicadores de


cada região como população, PIB, IED e comércio exterior, referentes ao ano de 2005.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Diferenças Regionais (2005)
Comércio
População PIB (RMB IED (US$
% do total % do total exterior (US$
(milhões) bilhões) bilhões)
milhões)

Norte
Pequim 15,4 1,2 669 3,8 61 53.486
Tianjin 10,4 0,8 370 2,0 57 54.632
Hebei 68,5 5,2 1.010 5,5 22 19.328
Shanxi 33,6 2,6 4.180 2,3 8 9.093
Mongolia Interior 23,9 1,8 390 2,1 13 5.304

Nordeste
Liaoning 42,2 3,2 801 4,4 82 47.037
Jilin 27,2 2,1 362 2,0 21 7.362
Heilongjiang 38,2 2,9 551 3,0 11 10.469

Leste
Xangai 17,8 1,4 915 5,0 201 181.505
Jiangsu 74,8 5,7 1.831 10,0 266 238.475
Zhejiang 49,0 3,7 1.344 7,3 102 123.811
Anhui 61,2 4,7 538 2,9 16 9.264
Fujian 35,4 2,7 657 3,6 75 56.799
Jiangxi 43,1 3,3 406 2,2 19 4.959
Shandong 92,5 7,1 1.852 10,1 79 89.115

Sudeste
Henan 93,8 7,2 1.059 5,8 21 9.066
Hubei 57,1 4,4 652 3,6 26 9.993
Hunan 63.3 4.8 651 3,6 16 6.960
Guangdong 91.9 7,0 2.237 12,2 289 439.184
Guangxi 46,6 3,6 408 2,2 15 5.763
Hainan 8.3 0,6 90 0,5 9 2.120

Sudoeste
Chongqing 28,0 2,1 307 1,7 8 4.231
Sichuan 82,1 6,3 739 4,0 17 7.675
Guizhou 37,3 2,9 198 1,1 2 2.039
Yunnan 44,5 3,4 347 1,9 8 4.995
Tibet 2,8 0,2 25 0,1 0 132

Noroeste
Shanxi 37,2 2,8 368 2,0 14 6.149
Gansu 25,9 2,0 193 1,1 3 2.987
Qinghai 5,4 0,4 54 0,3 1 490
Ningxia 6,0 0,5 61 0,3 5 1.181
Xinjiang 20,1 1,5 260 1,4 2 8.303
Fonte: China Statistical Yearbook apud Economist Intelligence Unit. Elaboração: UIC APEX Brasil.
Nota: O somatório dos valores de cada localidade não condiz com o total nacional.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
5.1. Importações por região chinesa

Há relativa concentração das importações chinesas por províncias: os cinco maiores importadores são
responsáveis por mais de 60% do total importado pela China. Shangai é responsável por mais de 20%
dos produtos importados, enquanto Shenzhen responde por 15% das importações do país; Nanjing,
por 13%; e Qingdao e Huangpu por 7% cada.

Para os produtos brasileiros, também há alta concentração de destino: os três maiores receptores
respondem por 45% das exportações brasileiras. As principais províncias, também são coincidentes:
Qingdao importa 25% dos produtos brasileiros; Nanjing, 10%; e Shanghai 9%.

Participação das províncias nas importações totais chinesas*


*excluindo Hong Kong e Macau

25
Shanghai; 20,12

Valores relativos a 2007


Total importado pela China: US$ 956 bilhões
Total importado pelas cidades selecionadas: US$ 948,6 bilhões

20
Shenzhen; 14,83
Nanjing; 12,56
Participação % em 2007

15
Huangpu; 7,01
Qingdao; 7,10

10
Tianjin; 5,62

Guangzhou; 3,86
Ningbo; 4,64

Beijing; 3,71

Hangzhou; 2,53
Dalian; 3,13

Gongbei; 2,52

Shijiazhuang; 0,69
Xiamen; 1,92
Zhanjiang; 1,26
Manzhouli; 0,79

5
Changchun; 0,42

Zhengzhou; 0,24
Chongqing; 0,29
Nanning; 0,74

Jiangmen; 0,37

Nanchang; 0,22
Shenyang; 0,29
Chengdu; 0,44

Changsha; 0,23
Urumqi; 0,64

Shantou; 0,42
Fuzhou; 0,63
Wuhan; 0,58

Kunming; 0,14
Yinchuan; 0,05
Lanzhou; 0,23
Haikou; 0,53

Tiayuan; 0,32

Hohhot; 0,23

Guiyang; 0,03
Harbin; 0,19
Hefei; 0,33

Xining; 0,03
Lhasa; 0,00
Xi'na; 0,16

0
Fonte: GTIS. Elaboração: UIC Apex-Brasil

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Participação das exportações brasileiras nas importações das províncias
chinesas*
* excluindo Hong Kong e Macau
30%
Valores relativos a 2007
Qingdao; 25,19%

Total exportado pelo Brasil para a China: US$ 18,3 bilhões


Total exportado pelo Brasil para as cidades selecionadas: US$ 17,0 bilhões
25%

20%
Nanjing; 10,18%
Shanghai; 9,40%

15%
Shijiazhuang; 5,48%
Ningbo; 6,73%
Dalian; 6,66%

Hangzhou; 4,37%
Tianjin; 5,33%

10%
Guangzhou; 3,03%
Huangpu; 3,47%
Nanning; 3,69%

Shenzhen; 2,87%

Zhanjiang; 2,53%
Wuhan; 2,83%

Chongqing; 0,80%

Zhengzhou; 0,65%
Xiamen; 1,51%

Changsha; 0,75%

Nanchang; 0,54%

Changchun; 0,03%
Hefei; 1,82%

Jiangmen; 0,36%

Shenyang; 0,01%
Tiayuan; 0,56%

Gongbei; 0,33%

Yinchuan; 0,02%

Kunming; 0,01%
Chengdu; 0,01%
Shantou; 0,10%

Lanzhou; 0,00%
Guiyang; 0,06%

Urumqi; 0,00%
Fuzhou; 0,09%
Beijing; 0,29%

Hohhot; 0,00%
Haikou; 0,15%
5% Harbin; 0,18%

Xining; 0,00%
Xi'na; 0,00%
0%

Fonte: GTIS. Elaboração: UIC Apex-Brasil

5.2. Zonas de livre comércio e zonas de processamento de exportações

Na China existem 15 zonas de livre comércio (ZLC). Há isenção de impostos para os produtos
processados nesses locais e depois exportados, mas se o produto for destinado ao mercado interno,
ele terá que ser re-importado para a China. Os setores beneficiados são os de matérias-primas,
máquinas, equipamentos e materiais, peças e componentes de construção. Além disso, as ZLCs
disponibilizam facilidades para armazenagem de produtos e, em alguns casos, escritórios comerciais.

As zonas de livre comércio localizam-se nas seguintes cidades: Dalian (província de Liaoning); Futian,
Guangzhou, Shantou, Shatoujiao, Yantian e Zhuhai (todas na província de Guangdong); Fuzhou e
Xiangyu (província de Fujian); Haikou (província de Hainan); Ningbo (província de Zhejiang); Qingdao
(província de Shandong); Tianjin (província de Tianjin); Waigaoqiao (municipalidade de Shanghai); e
Zhangjiagang (província de Jiangsu). Em 2009, o porto Korgas, na região de Xinjiang, irá tornar-se a
décima sexta zona de livre comércio chinesa.

Desde 2000, também há na China áreas geográficas que oferecem incentivos especiais para
exportadores, chamadas de zonas de processamento de exportações (ZPE). Elas situam-se em zonas
de desenvolvimento econômico e tecnológico.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
A principal diferença entre zonas de livre comércio e as zonas de processamento de exportações é
que produtos vindos de empresas de fora da ZPE são tratados como exportações, quando
comercializados para a mesma. Com isso, a empresa que vender para uma firma de uma ZPE terá os
incentivos dedicados a exportadores e a empresa situada na ZPE não paga imposto sobre valor
agregado. Não obstante, vale notar que esses benefícios só são aplicados para produtos que serão
exportados, não incluindo assim maquinários e bens consumidos na própria ZPE.

Existem atualmente 25 zonas de processamento de exportações na China: Chengdu (província de


Sichuan); Chongqing (municipalidade de Chongqing); Dalian (província de Liaoning); Guangzhou e
Shenzhen (província de Guangdong); Hangzhou e Ningbo (província de Zhejiang); Hohhot (região da
Mongólia Interior); Huichen (província de Jilin); Jinqiao e Songjiang (municipalidade de Xangai);
Kunshan, Nantong, Suzhou e Wuxi (província de Jiangsu); Qinhuangdao (província de Hebei); Tianjin
(província de Tianjin); Tianzhu (municipalidade de Pequim); Weihai e Yantian (província de
Shandong); Wuhan (província de Hubei); Wuhu (província de Anhui); Xiamen (província de Fujian);
Xian (província de Shaanxi); e Zhengzhou (província de Henan).

6. ASPECTOS ADUANEIROS E LOGÍSTICOS

6.1. Procedimentos para exportar para a China10

Tendo em vista que as práticas aduaneiras na China são bastante peculiares, serão mencionados a
seguir alguns dados relativos a essas, para subsidiar a avaliação da possibilidade de se exportar para a
China. Ressalta-se que esses são dados gerais e que é sugerido que, antes de realizar negócios com a
China, o exportador brasileiro procure informar-se, detalhadamente, sobre os procedimentos
necessários ao seu produto. Uma vez que a prática pode divergir, substancialmente, da teoria; é
relevante que as informações levantadas sejam checadas com quem tenha experiência nesse
mercado.

6.1.1 Tarifas de importação e barreiras não-tarifárias

Incidem sobre as mercadorias importadas para a China três tipos principais de tarifação: impostos de
importação, taxa de consumo e o imposto sobre valor agregado.

Os impostos sobre bens importados equivalem a 25% do total de arrecadação do governo chinês.
Como as tarifas de importação diminuíram significativamente com a entrada da China na OMC, o
10
Este tópico foi baseado no documento “Country Commerce 2007 – China” do Economist Intelligence Unit e no guia “Como
Exportar para a China”, do Ministério das Relações Exteriores do Brasil (MRE).

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
governo tem adotado uma abordagem mais rigorosa nos procedimentos alfandegários para manter a
arrecadação alta. Auditorias e investigações aduaneiras têm sido mais comuns e mais criteriosas.
Questões técnicas como classificação de mercadorias, declaração de país de origem, taxas e garantias
de pagamentos têm recebido muita atenção.

Vale lembrar que as autoridades aplicam, automaticamente, taxas anti-dumping, caso elas
considerem os preços das mercadorias muito baixos. Cortes tarifários costumam ser compensados
com o aumento dos preços mínimos aceitos para cada mercadoria. A determinação do preço de cada
produto é discricionária, e parece ser decidida conforme a sede da Alfândega.

A entrada da China na OMC fez com que ela começasse a baixar suas tarifas de importação a partir de
2002. Atualmente, o valor médio da tarifa de importação aplicada pela China é de 9,9%, sendo que os
impostos para produtos agrícolas chegam à média de 15,2%, enquanto que os produtos
industrializados recebem 9,1 %11.

O uso de tarifas de importação funciona como uma ferramenta para encorajar o investimento direto
estrangeiro em determinados setores e regiões (em especial as províncias e regiões do oeste).

Desde 2000, há isenção tarifária para produtos que sirvam de insumos para máquinas e
equipamentos a serem exportados pela China12, o que também tem beneficiado empresas
estrangeiras exportadoras instaladas no país.

Em cumprimento aos compromissos assumidos no âmbito da OMC, as barreiras não-tarifárias têm


sido reduzidas. O número de categorias de produtos que necessitam de licenças de importação caiu
de 26 para 3 nos últimos anos. Atualmente, apenas (i) produtos químicos controlados, (ii) produtos
químicos que possam ser transformados em narcóticos e (iii) materiais que prejudicam a camada de
ozônio demandam licenças de importação.

É necessário observar que vários cereais e sementes oleaginosas estão sob um sistema de cotas
tarifárias o qual aplica tarifas proibitivas para importadores chineses que não tenham cotas
sancionadas pelo governo.

Existem também cotas especiais para máquinas, equipamentos eletrônicos e bens de tecnologia em
geral. Assim, é importante checar caso a caso quais são as restrições em vigor.

6.1.2 Trâmites aduaneiros

11
Fonte: OMC.
12
Este regime assemelha-se ao drawback em vigor no Brasil.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Os trâmites aduaneiros continuam sendo deveras complexos na China. A liberação de produto
geralmente leva entre 2 dias e 2 meses. Essa variação deve-se não somente à natureza dos produtos,
mas também ao nível de relacionamento do responsável pela carga com o funcionário local. Também
há portos reconhecidos pela maior celeridade e eficiência, assim como há o oposto.

A parcialidade do governo chinês estende-se a vários outros pontos. Se, por exemplo, um fiscal
decidir inspecionar cada item de um carregamento, ele tem autonomia para fazê-lo, o que pode
tardar demasiadamente a importação. É também preciso tomar cuidado com mercadorias pouco
comuns, que são freqüentemente detidas nos portos.

Semelhantemente, qualquer produto está sujeito à inspeção aduaneira, sendo que algumas
categorias passam por inspeções obrigatórias ou por inspeções de saúde13 seguidas de quarentena.
Todavia, a maioria dos produtos não passa por qualquer inspeção, em especial se houver bom
relacionamento entre o importador e a alfândega.

Também é necessário atentar para a etiquetagem dos produtos exportados. Para entrar na China é
necessária uma etiqueta com as informações básicas do produto em mandarim junto com o selo da
Administração Geral de Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena (AGSQIQ). Essa etiqueta
custa entre US$ 0,50 e US$ 0,60.

O quadro abaixo ilustra o nível de burocratização e os prazos de cada operação de comércio exterior
na China, em 2007.

Trâmites Aduaneiros

Número de documentos necessários na China para importar de outros países 6


Tempo para importar (dias) 24
Custo para importar (US$ por contêiner) 420

Número de documentos necessários na China para exportar para outros países 7


Tempo para exportar (dias) 21
Custo para exportar (US$ por contêiner) 390
Fonte: Euromonitor International. Elaboração: UIC APEX Brasil.

13
Segundo o “Como Exportar para a China”, do MRE, “A China impõe severas restrições à importação da maior
parte de produtos alimentares de origem vegetal e animal com o objetivo de proteger a agricultura nacional.
Todos os animais e plantas com ingressos permitidos no país, bem como os produtos derivados de animais e
plantas, são submetidos a uma inspeção de quarentena pela AGSQIQ”.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
6.2. Logística e canais de distribuição

A China apresenta diversos desafios logísticos devido às distâncias entre cada região e a
complexidade dos seus canais de distribuição. Esse tópico visa a apresentar um panorama do
desempenho logístico da China e algumas particularidades do país.

6.2.1. Índice de performance logística

A China está em uma posição intermediária (30ª) no ranking baseado no índice de performance
logística do Banco Mundial. Esse índice é composto pela média da pontuação alcançada pelos países
em sete categorias: aduanas, infra-estrutura, facilidade de embarque, serviços logísticos, facilidade de
rastreamento, custos de logística interna e tempestividade. As pontuações podem variar entre 0 e 5,
sendo 0 a pior nota e 5 a melhor.

Entre essas categorias, o melhor desempenho da China é em tempestividade, na qual foi alcançada a
pontuação 3,68. Já o seu pior desempenho foi em custos de logística interna em que foram atingidos
2,97 pontos.

Para melhor compreensão, a tabela a seguir apresenta os dados da China comparados com os de
Cingapura, que obtém a melhor classificação em desempenho logístico pelos critérios do Banco
Mundial. Compara-se também com os do Brasil, por causa da familiaridade do mercado.

Chama a atenção o fato de a China posicionar-se, consideravelmente, melhor do que o Brasil no


índice geral: enquanto a China ocupa a 30ª posição, com 3,32 pontos, o Brasil está em 61º, com 2,75.
Já a primeira colocada, Cingapura, obteve 4,19 pontos.

Em todas as categorias, a pontuação chinesa é melhor do que a do Brasil. Na categoria em que a


China está mais bem classificada (serviços logísticos, com o 27º lugar), o Brasil também tem o seu
melhor desempenho (49º)14.

14
Essa mesma classificação é alcançada pelo Brasil na categoria infra-estrutura.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Performance Logística

Índice de Facilidade Custos de


Infra- Serviços Facilidade de Tempes-
País performance Aduanas de logística
estrutura logísticos rastreamento tividade
logística embarque interna

Pont. Rank. Pont. Rank. Pont. Rank. Pont. Rank. Pont. Rank. Pont. Rank. Pont. Rank. Pont. Rank.
China 3,32 30 2,99 35 3,2 30 3,31 28 3,4 27 3,37 31 2,97 72 3,68 36
Brasil 2,75 61 2,39 74 2,75 49 2,61 75 2,94 49 2,77 65 2,58 126 3,1 71
Cingapura 4,19 1 3,9 3 4,27 2 4,04 2 4,21 2 4,25 1 2,7 113 4,53 1
Fonte: Logistics Performance Index/Banco Mundial. Elaboração: UIC - Apex-Brasil

A seguir, observa-se o gráfico com as pontuações da China nas sete categorias que compõem o índice
de performance logística do Banco Mundial. Gráfico com a comparação dos desempenhos chinês e
brasileiro nessas categorias e gráfico com a pontuação no índice de performance logística da China e
de outros países com características afins.

Performance Logística da China


4
Aduanas
3,5
Infra-estrutura
3
Facilidade de
2,5
embarque

2 Serviços logísticos

1,5
Facilidade de
rastreamento
1
Custos de logística
0,5 interna
Tempestividade
0

Fonte: Logistics Performance Index/ Banco Mundial. Elaboração: UIC/Apex-Brasil.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Performance logística - Brasil e China
4,0
3,7

3,5 3,4 3,4


3,3
3,2
China
3,0 3,0
3,0 Brasil
2,9 3,1
2,8 2,8
2,5 2,6 2,6
2,4
2,0

Obs: Os índices de performance logística variam entre 0 e 5, sendo 5 o melhor resultado.


Fonte: Logistics Performance Index/ Banco Mundial. Elaboração: UIC/Apex-Brasil.

Índices de performance logística

4,5
1 Cingapura
4
8 Hong Kong
3,5
14 EUA
3
30 China
2,5
2 39 Índia

1,5 61 Brasil

1 99 Russia
0,5
0
Obs: Os índices de performance logística variam entre 0 e 5, sendo 5 o melhor resultado.
Fonte: Logistics Performance Index/ Banco Mundial. Elaboração: UIC/Apex-Brasil.

6.2.2 Características da logística e distribuição na China15

15
Este tópico teve como principal fonte o livro Doing Business in China do Global Market Briefings.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Só é possível exportar para a China através de um importador certificado pelo governo. Há ainda uma
lista de produtos de importação controlada, que só serão comercializados por importadores com
autorizações especiais, concedidas caso a caso.

Um erro comum é acreditar que escritórios de representação de empresas estrangeiras possam


importar diretamente para o mercado chinês. Pela legislação, essas firmas têm a função de ligação,
podendo trabalhar com promoção comercial, coleta de informações e relações com o cliente. No
entanto, elas não podem realizar transações comerciais com empresas chinesas ou estrangeiras.

De acordo com compromissos firmados na OMC, é possível que uma empresa estrangeira envie um
representante comercial para a China para realizar negociações comerciais. Entretanto, essa pessoa
também não poderá envolver-se com venda direta para os consumidores.

Em grandes portos e aeroportos existem duty bonded warehouses, onde os produtos podem ser
armazenados e re-embalados sem que sejam cobradas as tarifas aduaneiras. Todavia, para ter acesso
ao mercado local, esses bens precisam passar pelos procedimentos normais de importação, que inclui
o pagamento de taxas.

Amostras sem valor considerável podem ser enviadas diretamente para o receptor final, desde que
identificadas como “sem valor comercial”. Contudo, se as aduanas desconfiarem que o valor é maior
do que o declarado, tarifas serão aplicadas arbitrariamente.

O modelo de distribuição da China ainda é tradicional, mas está evoluindo para o modelo ocidental,
devido à abertura comercial do país e o investimento estrangeiro, que se dá, inclusive, no setor de
distribuição, tanto no atacado como no varejo.

É raro que os distribuidores tenham abrangência nacional, dada a complexidade do país. A


distribuição funciona através de redes locais e são poucas as empresas com capacidade de ampla
distribuição, mesmo nas regiões mais desenvolvidas. Isso se deve, principalmente, ao fato de o
modelo de desenvolvimento da China prever cidades auto-suficientes, sem assim privilegiar o
desenvolvimento de redes de comércio.

Além de complicada, a logística na China é bastante cara. Inclusive, os custos relacionados à logística
no país superam os valores alcançados nos EUA e na União Européia, devido à inadequação e
fragmentação das redes de infra-estrutura e de transportes.

As áreas rurais distantes do centro e do norte do país não possuem boa infra-estrutura nem terminais
logísticos e, por isso, enfrentam relativo isolamento geográfico. Por essa razão, geralmente, elas são
ignoradas pelos exportadores.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Vários canais de distribuição atacadista e varejista ainda são monopolizados por empresas estatais. É
comum que grande parte do valor final do produto seja absorvida por esses canais. Em algumas
indústrias, como a farmacêutica, a média da porcentagem do preço retida na distribuição varia entre
40% e 60%.

Há quatro tipos de canais de distribuição na China: non-stop channel; one-stop channel passando por
varejista; one-stop channel passando por franquia; e two-stop channel. Segue abaixo explicação de
cada canal:

 Two-stop channel: há dois intermediários entre o fabricante e o consumidor - o atacadista e o


varejista. É facultativo ao exportador contribuir com o atacadista no desenvolvimento da
cadeia de distribuição ou apenas ter contato com o último. Essa é a forma mais indicada para
as empresas que têm pouca ou nenhuma experiência no mercado chinês.

 One-stop channel via varejista: a venda é feita diretamente para o varejista. Comumente, as
empresas que optam por esse modelo já estão infiltradas nos mercados regionais e mantêm
centros de distribuição em cada região.

 One-stop channel via franquia: uma empresa estrangeira faz um acordo de exclusividade com
um parceiro local, com ampla atuação no mercado. Tal estratégia não permite uma
penetração mais direta no mercado local.

 Non-stop channel: empresas estrangeiras com profundo conhecimento do mercado chinês


vendem diretamente para consumidores finais. Geralmente, as atividades de venda são
apoiadas por um centro de coordenação logística localizado na China. Dependendo do caso,
representantes comerciais são importantes nesse processo. Exemplos de empresas que
optaram por essa estratégia são Electrolux e Vorwerk.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Canais de Distribuição na China

Non-Stop
Fabricante Consumidor
Channel

Fabricante Franquia Consumidor


One-Stop
Channel
Fabricante Varejista Consumidor

Two-Stop
Fabricante Atacadista Varejista Consumidor
Channel

Fonte: GLOBAL MARKET BRIEFINGS. Doing Business with China. Elaboração: UIC Apex-Brasil.

7. IMPORTAÇÕES CHINESAS

As importações chinesas cresceram 20,77% de 2006 para 2007, totalizando US$ 956,26 bilhões. Em
2006, as importações chinesas foram de US$ 791,79 bilhões e, em 2005, de US$ 660,22 bilhões. A
participação dos produtos brasileiros nas importações chinesas foi de 1,92% do total em 2007.

Os setores que tiveram maiores importações em 2007 pela China foram: máquinas e motores (US$
110,82 bilhões); petróleo (US$ 104,67 bilhões); materiais elétricos e eletro-eletrônicos (US$ 96,85
bilhões); instrumentos de precisão (US$ 70,71 bilhões); produtos minerais (US$ 56,87 bilhões);
produtos químicos (US$ 52,63 bilhões); plásticos e suas obras (US$ 45,31 bilhões); metais não-
ferrosos (US$ 42,65 bilhões); produtos metalúrgicos (US$ 30,72 bilhões); têxteis (US$ 24,60 bilhões).

O gráfico a seguir mostra a participação, em 2007, de cada um dos dez setores mais importados pela
China, no total das importações do país.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Principais setores importados pela China - 2007
10,9% Máquinas e motores
11,6%
10,1% Petróleo
Materiais elétricos e eletroeletrônicos
Instrumentos de Precisão
7,4%
Produtos minerais
Produtos químicos
33,5% 5,9% Plásticos e suas obras

5,5% Metais não ferrosos


4,7% Produtos metalúrgicos
2,6% 4,5%
3,2% Têxteis

Fonte: GTIS/GTA. Elaboração: UIC - Apex-Brasil. Outros

Entre os dez setores mais importados pela China, os que tiveram maior crescimento médio entre os
anos de 2002 e 2007 foram produtos minerais, com 62%, e petróleo, com 40%. De forma geral, nota-
se que o grupo dos dez produtos teve destacado crescimento nesse período.

Ao se considerar esse mesmo grupo de produtos, aqueles em que as exportações brasileiras tiveram
maior participação no total importado pela China foram produtos minerais (6,84%) e produtos
metalúrgicos (1,13%).

O setor de produtos minerais é, também, o que, dentro desse grupo do Brasil, apresenta maiores
exportações para China, com US$ 3,9 milhões. Já o setor que teve maior crescimento nas exportações
brasileiras para a China foi o do petróleo, com 636% entre 2002 e 2007.

A tabela abaixo apresenta dados detalhados sobre os dez setores mais importados pela China em
2007.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Principais setores importados pela China

Part. do Brasil
Imp. chinesa do mundo Exp. brasileira para China
nas
importações
Setor Total 2007 Var. Média Repres. Total 2007 Var. Média Repres. mundiais da
(US$ mil) (2002-2007) Total (US$ mil) (2002-2007) Total China (%)
956.261.491 20,8% 10.748.814 28,0% 1,12%
635.893.715 26,5% 66% 5.849.766 92,0% 54% 0,92%
Máquinas e motores 110.829.860 16% 11,59% 234.882 17% 2,19% 0,21%

Petróleo 104.675.218 40% 10,95% 840.178 636% 7,82% 0,80%

Materiais elétricos e eletroeletrônicos 96.856.472 6% 10,13% 18.090 -9% 0,17% 0,02%

Instrumentos de Precisão 70.715.523 37% 7,39% 18.090 19% 0,17% 0,03%

Produtos minerais 56.878.540 62% 5,95% 3.891.859 44% 36,21% 6,84%

Produtos químicos 52.635.821 26% 5,50% 129.290 48% 1,20% 0,25%

Plásticos e suas obras 45.314.923 21% 4,74% 87.145 26% 0,81% 0,19%

Metais não ferrosos 42.659.107 36% 4,46% 224.996 91% 2,09% 0,53%

Produtos metalúrgicos 30.727.887 14% 3,21% 347.015 18% 3,23% 1,13%

Têxteis 24.600.365 8% 2,57% 58.220 30% 0,54% 0,24%

Fonte: GTA/GTIS. Elaboração: UIC/Apex-Brasil

7.1. Importações chinesas por valor agregado

As importações chinesas, nos últimos cinco anos, estão altamente concentradas em produtos
manufaturados. Contudo, a participação desse grupo tem caído gradativamente: enquanto em 2002
sua participação era de 83%, em 2007 ela foi de 75%.

Já os produtos semimanufaturados são os menos participativos: em 2007 eles representaram 6% das


importações chinesas, enquanto os produtos básicos foram responsáveis por 20% das importações do
país.

O gráfico a seguir mostra a evolução das importações chinesas entre 2002 e 2007 por valor agregado.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Importações chinesas por valor agregado

100%

80%
US$ 713 bi
60% US$ 247 bi US$ 343 bi US$ 448 bi US$ 517 bi US$ 612 bi

40%
US$ 54 bi
20% US$ 27 bi US$ 31 bi US$ 37 bi
US$ 16 bi US$ 21 bi
US$ 189 bi
US$ 33 bi US$ 50 bi US$ 86 bi US$ 113 bi US$ 142 bi
0%
2002 2003 2004 2005 2006 2007
Básicos Semimanufaturados Manufaturados
Fonte: GTA/GTIS. Elaboração: UIC/Apex-Brasil.

8. COMÉRCIO BRASIL – CHINA

Nos últimos dez anos, houve acentuado aumento no fluxo comercial entre Brasil e China. Essa
variação ocorreu tanto nas exportações como nas importações brasileiras. Entre os US$ 905 milhões
exportados pelo Brasil para a China em 1998 e os US$ 10.749 milhões exportados em 2007, houve
variação de 1.088%. Já entre os US$ 1.033 milhões importados pelo Brasil da China em 1998 e os US$
12.617 milhões de 2007, houve crescimento de 1.121%.

Ainda que em ambos os anos limites dessa série (1998 e 2007), o Brasil tenha tido déficits comerciais
com a China, isso não ocorreu na maior parte do período: entre 2001 e 2006, o Brasil foi superavitário
com a potência asiática. Ainda assim, a tendência é que em 2008 o déficit brasileiro seja, inclusive,
acentuado.

O gráfico a seguir mostra a evolução do fluxo de comércio entre Brasil e China entre 1998 e 2007.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Fluxo de comércio Brasil - China
13

12

11
US$ Bilhões

10

0
1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007
Export. BR 904.879.640 676.142.137 1.085.301.597 1.902.122.203 2.520.978.671 4.533.363.162 5.441.405.712 6.834.996.980 8.402.368.827 10.748.813.792
Import. BR 1.033.806.095 865.219.126 1.222.098.317 1.328.389.311 1.553.993.640 2.147.801.000 3.710.477.153 5.354.519.361 7.990.448.434 12.617.760.826

Fonte: SECEX/MDIC. Elaboração: UIC - APEX Brasil

8.1. Exportações brasileiras para a China por valor agregado

As exportações brasileiras para a China são, tradicionalmente, focadas em produtos básicos. Em 2007,
74% dos produtos exportados para a China eram dessa categoria; em contraposição com 18% de bens
semimanufaturados e 8% de bens manufaturados. Em 2006, a participação dos produtos básicos
havia sido a mesma de 2007, com o diferencial de que a participação de manufaturados foi maior do
que em 2007. Em 2006, 10% das exportações brasileiras eram de produtos manufaturados e 15%, de
semimanufaturados.

Inclusive, ao se analisarem as exportações brasileiras para a China dos últimos 20 anos, verifica-se
que a participação dos bens manufaturados em 2007 foi a menor de todo o período. Nesse sentido,
cabe ressaltar que grande parte das exportações brasileiras para o país são commodities, como
minério de ferro e soja.

Segue, na seqüência, tabela com dados detalhados sobre as exportações brasileiras para a China de
1998 e 2007 por fator agregado e gráfico com a participação de cada grupo de bens entre os anos
2002 e 2007.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Exportações brasileiras para a China por valor agregado
Produtos Industrializados
Total Produtos Básicos
Ano Subtotal Semi-manufaturados Manufaturados
Partic. Partic. Partic.
US$ FOB Var. US$ FOB Var. US$ FOB US$ FOB Var. US$ FOB Var.
total total total

1998 904.879.640 -17% 628.299.976 11% 69% 276.217.835 152.215.822 -54% 17% 124.002.013 -35 14%
1999 676.142.137 -25% 423.330.844 -33% 63% 252.476.770 145.477.270 -4% 22% 106.999.500 -14 16%
2000 1.085.301.597 61% 739.772.864 75% 68% 344.520.213 140.785.837 -3% 13% 203.734.376 90 19%
2001 1.902.122.203 75% 1.154.984.154 56% 61% 738.364.079 274.335.537 95% 14% 464.028.542 128 24%
2002 2.520.978.671 33% 1.550.628.243 34% 62% 962.556.192 442.419.874 61% 18% 520.136.318 12 21%
2003 4.533.363.162 80% 2.266.346.265 46% 50% 2.254.380.558 1.079.703.304 144% 24% 1.174.677.254 126 26%
2004 5.441.405.712 20% 3.231.762.245 43% 59% 2.200.270.084 1.234.104.538 14% 23% 966.165.546 -18 18%
2005 6.834.996.980 26% 4.673.891.426 45% 68% 2.145.326.093 1.004.870.767 -19% 15% 1.140.455.326 18 17%
2006 8.402.368.827 23% 6.213.222.707 33% 74% 2.154.811.501 1.275.409.848 27% 15% 879.401.653 -23 10%
2007 10.748.813.792 28% 7.927.295.420 28% 74% 2.804.042.274 1.937.018.282 52% 18% 867.023.992 -1 8%
Fonte: SECEX/MDIC. Elaboração: UIC - APEX Brasil

Exportações brasileiras para a China por valor agregado

100% US$ 0,88 bi US$ 0,87 bi


US$ 0,52 bi US$ 0,97 bi US$ 1,14 bi
US$ 1,17 bi
US$ 1,28 bi US$ 1,94 bi
80% US$ 1,00 bi
US$ 0,44 bi US$ 1,23 bi
US$ 1,08 bi
60%

40% US$ 4,67 bi US$ 6,21 bi US$ 7,93 bi


US$ 1,55 bi US$ 3,23 bi
US$ 2,27 bi
20%

0%
2002 2003 2004 2005 2006 2007

Básicos Semimanufaturados Manufaturados


Fonte: SECEX/MDIC. Elaboração: UIC - APEX Brasil

8.2. Participação do Brasil nas importações chinesas

Em 2007, o Brasil foi o 14º maior exportador para a China, sendo o maior exportador da América
Latina. A participação do Brasil nas importações chinesas quase duplicou entre 2002 e 2007,
chegando a 1,92% nesse último ano.

Segue abaixo gráfico com a evolução da participação do Brasil nas importações chinesas entre 2002 e
2007.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Market share das exportações brasileiras na China
2,0%
1,92%
1,8%

1,6% 1,54%
1,63%
1,42%
1,4% 1,51%

1,2%

1,02%
1,0%
2002 2003 2004 2005 2006 2007
Fonte: GTA/GTIS. Elaboração: UIC/Apex-Brasil.

9. MATRIZ DE ATRATIVIDADE

O objetivo da matriz de atratividade é possibilitar uma visão geral acerca dos setores da economia
brasileira com maior dinamismo no mercado chinês. A análise dos setores prioritários foi realizada
por meio da construção de uma matriz de atratividade, a qual levou em consideração as importações
da China e exportações do Brasil entre 2002 e 2007.

A metodologia para a construção da matriz obedeceu às seguintes etapas:

1. Foram criados grupos de SH6 para cada um dos setores da economia brasileira, de acordo
com a classificação da SECEX/MDIC, totalizando 69 setores16;
2. Foram analisadas as taxas de crescimento das exportações brasileiras de cada um dos setores
entre 2002 e 2007 para China (eixo X da matriz);
3. Foram analisadas as taxas de crescimento das importações mundiais destes setores pela
China entre 2002 e 2007 (eixo Y da matriz);
4. O tamanho das bolhas representa o valor das importações mundiais destes setores pela China
em 2007.

16
A lista completa dos setores encontra-se na tabela “Setores”, apresentada na seqüência. É importante frisar
que o setor de serviços não se encontra nesta lista em função de não haver classificação pelo sistema
harmonizado vinculada ao mesmo. Uma análise detalhando esse setor é apresentada no capítulo 8 desse
estudo.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
5. Com vistas a facilitar a percepção do valor representado pelas bolhas, foi criada uma bolha
com o valor de referência de US$ 5 bilhões.

Após a construção da matriz, os setores prioritários foram selecionados de acordo com a seguinte
metodologia:

1. Foram selecionados os setores cujas taxas de crescimento das importações mundiais da China
e exportações do Brasil para a China entre 2002 e 2007 fossem maiores do que 10%;
2. Dos setores identificados como atrativos, foram excluídos os que refletiam apenas
exportações de commodities e aqueles que demonstravam um comportamento instável das
exportações brasileiras na China.
3. A fim de possibilitar uma melhor visualização do gráfico, o eixo X apresenta valores de
crescimento até 100%. O setor que apresentou taxas de crescimento superiores a 100% está
citado em forma de nota no gráfico.

De acordo com esta metodologia, quanto mais alto e mais à direita da matriz um setor estiver, maior
a sua atratividade no mercado-alvo, devendo-se ainda observar o tamanho da bolha para se conhecer
o volume total de importações no último ano.

É importante frisar, finalmente, que a matriz de atratividade espelha dados estatísticos e que o bom
posicionamento de uma determinada categoria de produtos dentro da matriz não garantirá o seu
sucesso no mercado-alvo. Aspectos como barreiras tarifárias e não-tarifárias serão estudados
posteriormente e, como não estão representados no gráfico, a matriz de atratividade consiste apenas
em um indicativo dos setores com maiores potenciais de sucesso na China.

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
SETORES
AÇÚCAR E ÁLCOOL
ADUBOS E FERTILIZANTES
ARMAS E MUNIÇÕES
ÁGUA MINERAL E REFRIGERANTES
ANIMAIS VIVOS
AVIÕES
BEBIDAS DESTILADAS
BORRACHA E SUAS OBRAS
BRINQUEDOS
CACAU E PRODUTOS DE CONFEITARIA
CHOCOLATES, BALAS E CONFEITOS
CAFÉ
CALÇADOS E SUAS PARTES
CARNE BOVINA
CARNE DE AVES
CARNE SUINA
CERVEJA
CEREAIS
CHÁ, MATE E ESPECIARIAS
COLAS E ENZIMAS
DEMAIS CARNES
EMBARCAÇÕES
FARINHAS PARA ANIMAIS
FERRAMENTAS, TALHERES E OUTRAS OBRAS DE METAIS
FRUTAS
FUMO
GORDURA E ÓLEOS ANIMAIS
HIGIENE PESSOAL E COSMÉTICOS
IMPRESSOS
INSTRUMENTOS DE PRECISÃO
LEITE E LATICÍNIOS
MADEIRAS, CORTIÇAS E OBRAS DE TRANÇARIA
MÁQUINAS E MOTORES
MASSAS ALIMENTÍCIAS E PREPARAÇÕES ALIMENTÍCIAS
MATERIAIS ELÉTRICOS E ELETRO-ELETRÔNICOS
MATERIAL ESPORTIVO
METAIS E PEDRAS PRECIOSAS
METAIS NÃO FERROSOS
MÓVEIS
OBRAS DE ARTE
OBRAS DE PEDRA E SEMELHANTES
OBRAS DIVERSAS
OUTROS AÇÚCARES
OUTROS PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL
PAPEL E CELULOSE
PEIXES E CRUSTÁCEOS
PELES E COUROS
PETRÓLEO
PÓLVORA
PLÁSTICOS E SUAS OBRAS
PREPARAÇÕES DE CARNES, PEIXES E CRUSTÁCEOS
PRODUTOS CERÂMICOS
PRODUTOS DE LIMPEZA
PRODUTOS FARMACÊUTICOS
PRODUTOS PARA FOTOGRAFIA
PRODUTOS HORTÍCOLAS E PLANTAS VIVAS
PRODUTOS METÁLURGICOS
PRODUTOS MINERAIS
PRODUTOS ORGÂNICOS
PRODUTOS QUÍMICOS
SEMENTE
SOJA
SUCOS
TÊXTEIS
TINTAS
VEÍCULOS AUTOMOTORES E SUAS PARTES
VEÍCULOS E MATERIAIS DE LINHAS FÉRREAS
VIDRO E SUAS OBRAS
VINHOS, VERMUTES, VINAGRES

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Matriz de atratividade para setores
Mercado-alvo: China
CRESCIMENTO (X; Y)
Aviões: 166%; 21%
Valor de Referência = US$ 5 bi
Produtos minerais
Taxa de crescimento médio anual das importações mundiais do setor pela China

60%

Instrumentos de Precisão
Metais não ferrosos
Metais e pedras
40%
preciosas

Borracha e suas obras


2002/2007

Produtos químicos
Ferramentas e Talheres Higiene e Cosméticos
Carne de aves
Plásticos e suas obras

Máquinas e motores
20% Sucos
Frutas Massas e preparações alimentícias
Calçados e suas partes Peles e couros
Papel e Celulose
Tintas
Farinhas para animais
Vidro e suas obras
Chocolates, balas
e confeitos
Madeiras e cortiças Produtos metalúrgicos
0%
0% 20% 40% 60% 80% 100%
Fonte: GTIS. Elaboração: UIC APEX-Brasil Taxa de crescimento médio anual das exportações brasileiras do setor para a China 2002/2007 Copyright © 2008 Apex Brasil

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
10. PRINCIPAIS OPORTUNIDADES IDENTIFICADAS
A partir da análise dos dados, foram identificadas as seguintes oportunidades de negócios e os setores mais dinâmicos para a exportação
brasileira:
US$
Exportação brasileira para o
Importação chinesa do mundo Part. do Brasil
Exportação do Brasil mundo
nas imp.
para China 2007 (US$
Total 2007 Var. % Total 2007 Var. % chinesas
FOB)
(US$ CIF) 06/07 (US$ FOB) 06/07 (%) 2007

Total 10.748.813.792 956.261.491.133 20,8% 160.649.072.830 16,9% 1,1%


Grupos gestores Setores
Setores
6.170.946.350 445.647.793.091 22% 79.002.032.441 18,4% 1,4%
Selecionados
CHOCOLATES, BALAS E CONFEITOS 790.738 110.844.166 12% 297.903.452 -2% 0,7%
CARNE DE AVES 13.060.784 946.227.921 103% 5.019.108.787 45% 1,4%
Alimentos Bebidas FARINHAS PARA ANIMAIS 5.146.657 1.245.675.052 9% 233.546.263 37% 0,4%
e Agronegócio FRUTAS 1.833.294 912.354.498 24% 915.363.616 32% 0,2%
MASSAS ALIMENTÍCIAS E PREPARAÇÕES ALIMENTÍCIAS 8.517.412 938.186.877 21% 669.344.358 41% 0,9%
SUCOS 56.444.950 146.116.305 48% 2.374.044.988 51% 38,6%
AVIÕES 69.510.878 10.486.089.760 -4% 5.067.575.668 47% 0,7%
Máquinas e
BORRACHA E SUAS OBRAS 55.446.794 9.589.315.522 13% 2.036.467.634 26% 0,6%
Equipamentos
MÁQUINAS E MOTORES 235.271.658 119.497.586.172 9% 11.528.051.162 6% 0,2%

Tecnologia e INSTRUMENTOS DE PRECISÃO 18.090.461 71.003.841.294 18% 742.384.597 16% 0,0%


Saúde PRODUTOS QUÍMICOS 129.576.045 53.067.578.084 22% 5.477.767.189 24% 0,2%
CALÇADOS E SUAS PARTES 2.234.603 726.325.966 19% 2.038.057.371 4% 0,3%
HIGIENE PESSOAL E COSMÉTICOS 10.556.777 875.394.830 33% 630.418.939 16% 1,2%
Moda METAIS E PEDRAS PRECIOSAS 8.185.554 6.254.895.398 35% 1.243.136.311 19% 0,1%
PELES, PELETERIA E COUROS E SEUS ARTEFATOS(EXCETO
491.553.864 6.862.135.963 9% 2.353.215.098 16% 7,2%
CALÇADOS E SUAS PARTES)
FERRAMENTAS, TALHERES E OUTRAS OBRAS DE METAIS 6.680.374 3.443.901.532 15% 732.248.840 20% 0,2%
MADEIRAS, CORTIÇAS E OBRAS DE TRANÇARIA 133.761.094 7.951.884.521 22% 3.337.929.473 6% 1,7%
METAIS NÃO-FERROSOS 224.996.442 42.659.107.137 43% 4.995.061.842 13% 0,5%
Casa e Construção PAPEL E CELULOSE 444.207.626 13.870.367.590 22% 4.726.373.367 18% 3,2%
Civil PRODUTOS METÁLURGICOS 347.015.283 31.032.201.307 15% 11.105.706.138 8% 1,1%
PRODUTOS MINERAIS 3.893.698.180 56.952.448.624 66% 12.759.638.785 23% 6,8%
TINTAS 12.794.268 3.804.701.026 8% 371.560.714 11% 0,3%
VIDRO E SUAS OBRAS 1.572.614 3.270.613.546 10% 347.127.849 22% 0,0%
METAISBrasil.
NÃO-FERROSOS 0
Fonte: GTIS/GTA. Elaboração: UIC/Apex

Copyright © 2008 Apex-Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
A seguir, detalham-se as oportunidades de negócios identificadas em cada um dos setores (grupos gestores)
apontados na tabela anterior17.

10.1. Alimentos, bebidas e agronegócios

Os hábitos de alimentação diferem bastante entre as regiões da China. Os alimentos mais consumidos são
arroz, carne, peixe e vegetais. No norte, produtos da farinha são mais consumidos. Os cantoneses são os
que mais gastam com alimentação.

Desde 2000 tem aumentado, consideravelmente, o número de restaurantes na China. Com seu estilo de
vida mais agitado e maior poder aquisitivo, os chineses comem mais fora, em especial em fast foods (o
consumo nesse tipo de estabelecimento cresceu 120% entre 2000 e 2005). Além disso, os gastos em cafés e
bares cresceram cerca de 135% entre 2000 e 2005.

Com o aumento do padrão de vida, os chineses, que eram habituados à escassez alimentar, passaram a
gastar mais com alimentos caros, como carnes. Por outro lado, ainda há resistências em relação a comidas
processadas, cujo controle de qualidade é fraco na China e gera insegurança.

Alimentos orgânicos e saudáveis têm ganhado espaço. Atualmente, há maior preocupação em consumir
vegetais e frutas – entre as quais as cítricas têm se destacado.

O consumo de bebidas alcoólicas na China também aumentou nos últimos anos devido à mudança no estilo
de vida. Todavia, uma vez que o preço das bebidas importadas é alto e que os chineses não estão
acostumados ao seu sabor, a população local ainda prefere as bebidas tradicionais de seu país.

As bebidas não-alcóolicas também tiveram aumento em suas vendas no período entre 2000 e 2005: 57% de
crescimento no consumo on-trade e 106% no off-trade. Dessas bebidas, as favoritas são as típicas da Ásia,
sucos de frutas e de vegetais, água engarrafada, chás prontos para beber – sendo que os últimos são os de
maior destaque com crescimento de 244% on-trade e 239% off-trade. Já a venda de refrigerantes cresceu
um pouco menos do que a média da categoria: 32% on-trade e 36% off-trade entre 2000 e 2005.

Entre as bebidas quentes, o chá segue como a mais popular, sendo que o chá verde tem destaque nesse
grupo. O consumo per capta de chá on-trade em 2000 foi de 1,1 gramas e em 2005 de 2.0 gramas (aumento
de 76%). Off-trade, esses números subiram para 30 gramas em 2000 e 41 gramas em 2005 (39% a mais). Já
o café teve aumento de 105% no consumo on-trade e 80% no off-trade (de 0,5 para 1,1 e de 2,9 para 5,2

17
Em diversos casos, observa-se que a China consta entre os principais fornecedores para ela própria. Isso se deve à política
adotada em relação às zonas de processamento de exportação, que trata os produtos advindos das mesmas como exportações.
Assim, a operação é registrada como uma exportação de uma área da China para outra área do mesmo país.
Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
gramas per capta, respectivamente), mas continua tendo baixo consumo na China. O café é consumido
principalmente em escritórios e em cafeterias de estilo ocidental.

O quadro a seguir traz um panorama do consumo de alimentos e bebidas em lares urbanos na China entre
os anos de 1997 e 2001.

Consumo per Capta de Alimentos em Lares Urbanos (RMB)

1997 1998 1999 2000 2001


Restaurantes 203,4 227,0 249,6 287,8 341,2
Carnes, aves e seus produtos 459,6 431,2 406,5 411,3 413,5
Vegetais 203,9 197,0 194,6 192,3 194,3
Grãos 238,1 226,8 215,4 188,7 188,1
Produtos Aquáticos 141,0 142,5 144,0 143,5 152,0
Frutas Secas e ao Natural 127,0 120,7 130,0 127,5 131,3
Álcool e Drinks 91,0 91,6 95,3 103,2 103,9
Óleos e Gorduras 70,7 75,3 73,7 66,5 58,9
Fonte: China Statistical Yearbook 2000 e China Statistical Abstract 2002. Apud: Economist Intelligence Unit.
Organização: UIC - APEX Brasil.

A seguir são apresentados os setores do complexo de alimentos, bebidas e agronegócios com maiores
oportunidades no mercado chinês.

10.1.1 Carne de aves

Apesar de o valor de carnes de aves exportadas pelo Brasil à China não ser muito alto, cerca de US$ 13
milhões em 2007, muitos produtos brasileiros são consumidos na China, sendo triangulados via Hong Kong.

Nesse setor, os produtos brasileiros com maior destaque são os do código SH6 020714, que trata de
pedaços e miudezas de galináceos congelados. Mesmo tendo havido queda em suas exportações de 2006
para 2007, nesse último ano o Brasil ainda exportou US$ 13 milhões – o que é quase a totalidade de carnes
de aves brasileiras exportadas para a China nesse ano.

Para Hong Kong, o Brasil exportou US$ 425 milhões em produtos do código 020714, em 2007. Esse valor
representa mais de trinta vezes o valor exportado para a China continental.

No quadro abaixo, seguem os dados sobre as importações chinesas, exportações brasileiras e tarifas
aplicadas pela China aos produtos da classificação 020714.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
US$ Mil
Principais oportunidades do setor de carne de aves

Part. do Brasil Tarifas alfandegárias


Imp. tot. da Exp. brasileira Exp. brasileira Crescimento
SH6 Descrição nas imp. aplicadas ao Brasil pela
China 2007 para a China 2006 para a China 2007 das exp. 06/07
chinesas 2007 China (estimativa)

Pedaços e miudezas comestíveis de


020714 galos e galinhas da espécie doméstica, 916.335 18.886 13.020 -31% 1% 6,56%*
congelados
* Estimativa para a tarifa Ad Valorem de 0,00% e Específica de US$ 87,62 por tonelada
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

São diversas as exigências para a entrada de miudezas de frangos na China, as quais são mencionadas no
quadro a seguir.

Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China


SETOR: Carne de Aves
SH6 Medidas
Authorization for human health protection
Authorization to protect animal health
Prod characteristics req. to protect animal health
020714
Prohibition to protect animal health and life
Prohibition to protect animal health and life
"Test, inspection and quarantine for animal health
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil

O gráfico que se segue apresenta os principais países fornecedores desse setor para o mercado chinês; com
seus respectivos valores exportados no período de 2005 a 2007, sendo que desses destaca-se o fato de o
Brasil ser o segundo maior exportador de carnes de aves para a China.

Principais fornecedores de Carne de Aves para a China - US$ Milhões


Total Imp. Total Imp. Total Imp.
US$ 336,4 US$ 465,4 US$ 946,2
100% 4,8 9,1
19,3 25,3
134,2
90%

80% 119,1
194,7
129,5
70%

60%

50%

40%
311,8 613,6
30%
180,0
20%

10%

0%
2005 2006 2007
FoFonte: GTIS.
EUA Brasil Argentina Canadá Tailândia Outros Elaboração: UIC APEX-Brasil

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
10.1.2 Chocolates, balas e confeitos

As exportações brasileiras de balas, chocolates e confeitos para a China não têm valores tão altos, se
comparados com outros setores, mas têm mostrado bom crescimento. Os produtos de maior destaque são
os da classificação 180690, que tiveram US$ 652 mil exportados do Brasil para a China em 2007 – o que
representa um crescimento de 186% em relação ao valor de 2006.

As planilhas na seqüência trazem, nessa ordem, os valores comercializados e a tarifa média aplicada,
barreiras não-tarifárias e os países com maior market share desses produtos na China.

US$ Mil
Principais oportunidades do setor de chocolates, balas e confeitos
Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira para a Exp. brasileira para Crescimento das Part. do Brasil nas
SH6 Descrição aplicadas ao Brasil pela
China 2007 China 2006 a China 2007 exp. 06/07 imp. chinesas 2007
China (estimativa)
Outros chocolates e
180690 preparações alimentícias 32.897 228 652 186% 2% 8.00%
contendo cacau
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China


SETOR: Chocolates, Balas e Confeitos
SH6 Medidas
180690 none
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil.

Principais fornecedores de Chocolates e Confeitos para a China - US$ Milhões


Total Imp. Total Imp. Total Imp.
US$ 95,9 US$ 99,4 US$ 110,8
100%

90%

80%
45,4
51,7 57,6
70%

60%

50% 7,1
2,6 2,0
40% 8,4 9,6 11,5

30% 8,0 10,1 12,8

20%
25,5 24,7 26,1
10%

0%
2005 2006 2007
Fonte: GTIS.
Itália EUA Austrália Cingapura Coréia do Sul Outros Elaboração: UIC APEX-Brasil

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
10.1.3 Farinhas para animais

O setor de farinhas para animais teve crescimento médio de 79% nas exportações brasileiras para a China
entre os anos de 2002 e 2007, o que é bastante significativo. Dos seus produtos, os mais interessantes para
a indústria brasileira são o do código 230990, em que foram exportados do Brasil para a China US$ 5
milhões em 2007.

A seguir, estão os quadros com os números do comércio, tarifa e medidas não-tarifárias aplicadas e os
principais concorrentes na China com os seus desempenhos nesse mercado.

US$ Mil
Principais oportunidades do setor de farinhas para animais
Crescimento Part. do Brasil nas Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira Exp. brasileira
SH6 Descrição das exp. imp. chinesas aplicadas ao Brasil pela
China 2007 para a China 2006 para a China 2007
06/07 2007 China (estimativa)
Outras preparações para
230990 140.089 4.839 5.027 4% 4% 5,75%
alimentação de animais
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China


SETOR: Farinha para Animais

SH6 Medidas Notas

"Test, inspection and quarantine for animal health" Import Inspection


230990
"Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Principais fornecedores Farinhas paara Animais para a China - US$ Milhões
Total Imp. Total Imp. Total Imp.
US$ 1.255 US$ 1.146 US$ 1.245
100%

193,1 216,2
90% 251,3
28,1
80% 25,0
39,4 49,3
49,6
199,6 53,1
70%
171,5
216,9
60% 96,8

125,6
50%
148,8

40%

30% 713,2
544,3
20% 526,2

10%

0%
2004 2005 2006
Fonte: GTIS.
Font
Peru EUA Chile Índia Rússia Outros Elaboração: UIC APEX-Brasil

10.1.4 Frutas

Das frutas brasileiras, a que teve melhor desempenho no mercado chinês em 2007 foi a castanha de caju
classificada pelo SH6 080132. As exportações desse produto do Brasil para a China, em 2007, foram de US$
1,4 milhões e chama a atenção o fato de não haver registro de exportação desse produto entre 2003 e
2006.

Na seqüência, estão dados do comércio, barreiras tarifárias e não-tarifárias e o desempenho dos principais
fornecedores dessa categoria de produto para a China.

US$ Mil
Principais oportunidades do setor de frutas
Exp. brasileira Exp. brasileira Part. do Brasil Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Crescimento
SH6 Descrição para a China para a China nas imp. aplicadas ao Brasil pela
China 2007 das exp. 06/07
2006 2007 chinesas 2007 China (estimativa)
Castanha de caju, fresca
080132 18.276 - 1.426 - 8% 10.00%
ou seca, sem casca
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China
SETOR: Frutas
SH6 Medidas

Authorization for plant health protection


080132 Product characteristics req. to protect plant health
"Test, inspection and quarantine for plant health"
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil

Principais fornecedores Frutas para a China - US$ Milhões


Total Imp. Total Imp. Total Imp.
US$ 656,3 US$ 737,4 US$ 904,6
100%

90%
195,0
258,1 329,5
80%

70% 17,7
61,5 26,1 34,4
60%
54,7 65,2
50% 92,7
113,4 110,1
40%
108,8 114,2
30% 112,5

20%
180,5 251,3
10% 172,7

0%
2005 2006 2007
Fonte: GTIS Elaboração UIC
Outros Rússia Chile Filipinas EUA TailândiaFo Apex Brasil

10.1.5 Massas alimentícias

As massas alimentícias brasileiras tiveram crescimento médio de 72% nas suas exportações para a China
entre 2002 e 2007. As importações do setor no referido país cresceram 20% no mesmo período. Dos
produtos brasileiros, os com melhor posicionamento no mercado chinês são os das categorias 200830 e
210690.

Encontram-se, a seguir, os valores das exportações brasileiras, importações chinesas, tarifas, medidas não-
tarifárias e o posicionamento dos maiores fornecedores desses produtos para a China.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
US$ Mil
Principais oportunidades do setor de massas alimentícias
Exp. brasileira Exp. brasileira Part. do Brasil Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Crescimento
SH6 Descrição para a China para a China nas imp. aplicadas ao Brasil pela
China 2007 das exp. 06/07
2006 2007 chinesas 2007 China (estimativa)
200830 Cítricos preparados ou conservados 37.192 4.226 4.740 12,18% 13% 20,00%
210690 Outras preparações alimentícias 227.661 - 3.217 - 1% 19.60%
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China


SETOR: Massas Alimentícias
SH6 Medidas
200830 none
210690 none
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil.

Principais fornecedores de Massas Alimentícias para a China - US$ Milhões


Total Imp. Total Imp. Total Imp.
US$ 627,6 US$ 783,6 U$S 946,6
100%

90%

80%
274,1 345,9
456,1
70%

60%

51,6
50% 98,5
11,4
0,0 133,5
40% 64,0
74,6 0,2
80,0
30% 82,2 80,3
84,0
20%

10% 144,3 184,3 192,9

0%
2005 2006 2007
Fonte: GTIS.
EUA Japão Nova Zelândia Argentina Cingapura Outros F Elaboração: UIC APEX-Brasil

10.1.6 Sucos

O Brasil apresenta-se como o principal fornecedor de sucos para o mercado chinês. Em 2007 o país
exportou aproximadamente US$ 56 milhões para o mercado chinês, com cerca de 56%18 de participação nas
importações chinesas.

Os sucos brasileiros com maiores oportunidades na China são os de laranja, sendo que as classificações com
melhor desempenho em 2007 foram 200911, 200919 e 200990.

18
A participação foi calculada conforme as importações declaradas pela China.
Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
As tabelas, que se seguem, apresentam o comércio desses produtos entre Brasil e China19, as tarifas e
barreiras não-tarifárias aplicadas e o desempenho dos principais fornecedores de sucos para a China.
US$ Mil
Principais oportunidades do setor de sucos
Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira Exp. brasileira para Crescimento das Part. do Brasil nas
SH6 Descrição aplicadas ao Brasil pela
China 2007 para a China 2006 a China 2007 exp. 06/07 imp. chinesas 2007
China (estimativa)
Sucos de laranjas, congelados, não
200911 117.750 43.407 45.302 4,37% 38% 7,50%
fermentados
Outros sucos de laranjas, não
200919 393 - 45.302 - 11515% 30.00%
fermentados
200990 Misturas de sucos, não fermentados 7.286 28 45.302 159696% 622% 20,00%
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China


SETOR: Sucos
SH6 Medidas
200911 None
200919 None
200990 None
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil

Principais fornecedores de Sucos para a China - US$ Milhões


Total Imp. Total Imp. Total Imp.
US$ 73,5 US$ 98,9 U$S 146,1
100%
11,1 11,5
90% 23,3
3,0
1,9 4,1 3,0
80% 3,6 7,2

70% 9,0
23,5
33,1
60%

50%

40%

47,2
30%
55,5 78,4
20%

10%

0%
2005 2006 2007
Fonte: GTIS.
Elaboração: UIC APEX-Brasil
Brasil Israel EUA Espanha Tailândia Outros

19
É importante observar que a participação dos produtos brasileiros no mercado chinês está claramente distorcida devido a
diferenças entre as metodologias brasileiras e chinesas. O tópico 1.2 desse estudo, que é intitulado “Nota metodológica”, trata mais
profundamente dessas questões.
Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
10.2. Máquinas e equipamentos

Segundo o “The World Machine-Tool Survey”, a China é o país que mais consome máquinas e ferramentas,
chegando a aproximadamente 40 mil unidades ao ano. Os setores que mais contribuem para esse valor são:
automobilístico, aviação, naval, e engenharia.

A adaptação à economia de mercado e o desenvolvimento de parcerias com empresas estrangeiras fizeram


com que uma parcela das empresas chinesas de máquinas e equipamentos sofresse um processo de
modernização bastante eficaz. Apesar de os maquinários chineses terem a imagem de serem baratos,
porém com menor qualidade do que os concorrentes estrangeiros, algumas empresas chinesas têm
condições de produzirem equipamentos de categoria elevada.

O mercado chinês ainda não é competitivo em máquinas de topo de linha, mantendo assim as importações
desses produtos. A China possui empresas competitivas no ramo de máquinas com nível tecnológico
intermediário. Entretanto, ainda há um déficit na área de mecânica de precisão. Há no país grande oferta de
máquinas de nível tecnológico inferior, destinadas tanto ao mercado interno quanto à exportação.

Atualmente, as principais dificuldades enfrentadas pelo setor na China são a falta de trabalhadores
qualificados, problemas com a prestação de serviços pós-venda e suporte-técnico.

Os setores em que a China é mais competitiva são: equipamentos para o setor naval e off-shore, máquinas
gráficas, máquinas têxteis, movimentação e armazenagem, equipamentos para ginástica, equipamentos
para o controle de qualidade, bombas e motobombas, equipamentos para a refrigeração industrial,
máquinas rodoviárias, equipamentos para transmissão mecânica, equipamentos pesados, máquinas-
ferramenta, equipamentos de saneamento básico, máquinas para plástico, ferramentaria e modelação.

Na seqüência, estão os setores e produtos de destaque do complexo de máquinas e equipamentos na


China.

10.2.1 Aviões

Para o Brasil, existem oportunidades no mercado chinês de peças de aviões. Os SH6s com maior destaque
são o 880320 e 880330, com vendas de, respectivamente, US$ 1,5 milhões e US$ 33 milhões. Os principais
competidores do Brasil no setor de aviões são EUA, França e Alemanha, que detêm juntos mais de 95% do
mercado chinês de aviões.

Nas planilhas a seguir, são encontrados detalhamentos do comércio de aviões com a China e das barreiras
ao acesso a esse mercado. O gráfico seguinte apresenta a performance dos principais fornecedores desse
setor para a China.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
US$ Mil
Principais oportunidades do setor de aviões
Part. do Brasil nas Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira para Exp. brasileira para Crescimento
SH6 Descrição imp. chinesas aplicadas ao Brasil pela
China 2007 a China 2006 a China 2007 das exp. 06/07
2007 China (estimativa)
Trens de aterrissagem e suas partes, para
880320 101.529 558 1.549 177,70% 2% 1.00%
veículos aéreos
880330 Outras partes para aviões ou helicópteros 942.973 6.611 33.155 402% 4% 1.00%

Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China


SETOR: Aviões

SH6 Medidas

880320 None
880330 None
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil.

Principais fornecedores de Aviões para a China - Milhões US$


Total Imp. Total Imp. Total Imp.
US$ 6.610 US$ 10.942 US$ 10.486
100%

90% 1.853 1.356


1.119
80%

70%
1.767 3.249 3.396
60%

50%

40%

30%
3.402 5.635 5.276
20%

10%

0%
2005 2006 2007
Fonte: GTIS.
F
EUA França Alemanha Rússia Espanha Outros Elaboração: UIC APEX-Brasil

10.2.2. Borrachas e suas obras

A média anual do crescimento das exportações brasileiras do setor de borrachas e suas obras para a China,
entre 2002 e 2007, foi de 84%. Existem oportunidades para diversos produtos brasileiros desse setor na
China, conforme pode ser visto na tabela abaixo. Entre esses, os com maiores vendas em 2007 são do
código 400259.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Além das tarifas, que variam entre 7,5% e 11,5%, existem exigências técnicas necessárias para a entrada de
produtos brasileiros nesse mercado, conforme as tabelas que se seguem.

O gráfico após as tabelas mostra a atuação, nos últimos três anos, dos principais fornecedores de borrachas
para a China.

US$ Mil
Principais oportunidades do setor de borrachas e suas obras
Part. do Brasil nas Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira Exp. brasileira Crescimento das
SH6 Descrição imp. chinesas aplicadas ao Brasil pela
China 2007 para a China 2006 para a China 2007 exp. 06/07
2007 China (estimativa)
400211 Látex de borracha sintética ou artificial 96.411 4.382 5.768 31,63% 6% 7,50%

Outras borrachas de estireno-butadieno ou de


400219 estireno-butadieno-carboxiladas, em formas 720.314 9.950 7.671 -23% 1% 7,50%
primárias ou em chapas, folhas ou tiras

Borracha de acrilonitrila-butadieno [nbr], em


400259 formas primárias ou em chapas, folhas ou 227.857 6.778 24.185 256,79% 11% 7,50%
tiras
Borracha de etileno-propileno-dieno
400270 [epdm]não conjugada, em formas primárias 247.862 655 3.381 416% 1% 7,50%
ou em chapas, folhas ou tiras

Tubos de borracha vulcanizada não


400942 endurecida, reforçados ou associados apenas 27.237 1.718 4.631 169,57% 17% 10,00%
com outras matérias, com acessórios

Pneus novos de borracha dos tipos utilizados


401110 113.654 685 680 -1% 1% 10,00%
em automóveis de passageiros
Pneus novos de borracha dos tipos utilizados
401120 84.803 912 4.314 372,86% 5% 10,00%
em ônibus ou caminhões
Juntas, gaxetas e semelhantes de borracha
401693 626.984 837 927 11% 0% 11.50%
vulcanizada não endurecida
Outras obras de borracha vulcanizada, não
401699 433.592 780 1.131 45% 0% 9,00%
endurecida
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China


SETOR: Borrachas e Suas Obras

SH6 Medidas Notas

400211 Product characteristics requirements Registered by State Planning Commission


400219 Product characteristics requirements Registered by State Planning Commission
400259 Product characteristics requirements Registered by State Planning Commission
400270 Product characteristics requirements Registered by State Planning Commission
400942 None
Authorization Import License
401110 Global quotas General Goods
"Testing, inspection etc. req. to ensure human safety" Import Inspection
Authorization Import License
401120 Global quotas General Goods
"Testing, inspection etc. req. to ensure human safety" Import Inspection
141693 None
401699 None
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Principais fornecedores de Borrachas para a China - US$ Milhões
Total Imp. Total Imp. Total Imp.
US$ 4.409 US$ 6.896 US$ 7.752
100%

90%

1.638 2.399 2.639


80%

70%

60% 764,8 792,0


395,1
386,7 406,2
50% 374,5
498,4 618,8
40% 416,1

1.207,0 1.367,0
30% 643,2

20%

942,8 1.640,5 1.930,4


10%

0%
2005 2006 2007

Tailândia Malásia Japão Taiwan Indonésia Outros Fonte: GTIS.


Elaboração: UIC APEX-Brasil

10.2.3 Máquinas e motores

O setor de máquinas e motores é o que apresenta mais produtos com destacada atuação do Brasil,
conforme pode ser visto, em seqüência, na lista. As exportações totais do Brasil para a China desse setor
foram significativas em 2007: US$ 235 milhões. Por outro lado, as importações chinesas desse setor
também são volumosas: somaram, em 2007, cerca de US$ 111 bilhões.

Nas tabelas a seguir, estão os dados do comércio do Brasil e China de produtos desse setor, assim como as
tarifas e medidas não-tarifárias impostas a esses. No gráfico, que segue as planilhas, encontra-se o
desempenho dos principais fornecedores de máquinas e motores à China.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
US$ Mil
Principais oportunidades do setor de máquinas e motores
Part. do Brasil nas Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira para Exp. brasileira para Crescimento
SH6 Descrição imp. chinesas aplicadas ao Brasil pela
China 2007 a China 2006 a China 2007 das exp. 06/07
2007 China (estimativa)
Motores de pistão alternativo, de ignição por
840734 centelha, para propulsão de veículos do 1.183.223 89.069 34.606 -61,15% 3% 10,00%
capítulo 87, de cilindrada > 1.000cm3
Motores de pistão, de ignição por
840820 compressão, diesel ou semi-diesel, utilizados 322.981 549 1.557 184% 0% 17,00%
para propulsão de veículos do capítulo 87
Outras partes exclusiva ou principalmente
840991 destinadas aos motores de pistão, de ignição 1.649.097 13.006 12.337 -5,15% 1% 5,33%
por centelha
Outras partes para motores diesel ou
840999 499.626 3.771 19.935 429% 4% 4,35%
semidiesel
Partes de turbinas e rodas hidráulicas,
841090 179.764 19.680 24.004 21,98% 13% 6,00%
incluídos os reguladores
Bombas para combustíveis, lubrificantes ou
841330 líquidos de arrefecimento, para motores de 342.447 4.776 3.512 -26% 1% 3,00%
ignição por centelha ou por compressão
841360 Outras bombas volumétricas rotativas 292.216 1.986 597 -69,95% 0% 10.00%
841370 Outras bombas centrífugas 521.097 271 667 146% 0% 8.00%
841391 Partes de bombas para líquidos 375.106 1.221 3.757 207,72% 1% 5,00%
841430 Compressores para equipamentos frigoríficos 888.642 29.919 13.159 -56% 1% 9,57%
Outras partes de compressores de ar ou de
841490 717.059 6.249 11.945 91,16% 2% 8,75%
outros gases
Outros aparelhos para filtrar ou depurar
842129 487.966 976 645 -34% 0% 5.00%
líquidos
"Bulldozers" e "angledozers", de lagartas,
842911 55.448 4.724 2.403 -49,14% 4% 7,00%
autopropulsores
Partes de outras máquinas e aparelhos das
843149 1.344.487 18.179 17.170 -6% 1% 5,00%
posições 8426, 8429 e 8430
843359 Outras máquinas e aparelhos para colheita 10.446 341 641 87,68% 6% 8,00%

Outras máquinas e aparelhos para o trabalho


844180 91.925 2.927 1.556 -47% 2% 12,00%
da pasta de papel, do papel ou cartão
Outras máquinas e aparelhos de impressão
844319 226.076 380 1.360 257,92% 1% 9,50%
por offset
Teares para tecidos, de largura > 30cm, sem
844630 873.381 - 2.140 - 0% 8.00%
lançadeiras
845530 Cilindros de laminadores, de metais 348.597 15.826 19.650 24,16% 6% 5,00%
Máquinas-ferramentas (incluídas as prensas)
846210 para forjar ou estampar, martelos, martelos- 471.040 169 8.855 5155% 2% 0,00%
pilões e martinetes
Serras de corrente, hidráulicas o de motor
846781 5.029 1.346 1.268 -5,74% 25% 5,00%
não elétrico, de uso manual
Outras partes e acessórios de máquinas da
847329 121.848 35 1.012 2783% 1% 0,00%
posição 8470
Máquinas e aparelhos para esmagar, moer
847420 204.202 5.260 669 -87,27% 0% 5.00%
ou pulverizar substâncias minerais sólidas
Partes de máquinas e aparelhos da posição
847490 105.244 2.194 1.140 -48% 1% 5,00%
8474
Máquinas de moldar borracha ou plásticos,
847710 931.526 394 765 94,29% 0% 0,00%
por injeção

Máquinas e aparelhos para extração ou


847920 preparação de óleos ou gorduras vegetais 5.302 351 815 132% 15% 10,00%
fixos ou de óleos ou gorduras animais

Outras máquinas e aparelhos mecânicos


847989 5.675.580 2.211 6.107 176,21% 0% 0,00%
com função própria
848110 Válvulas redutoras de pressão 150.411 348 1.901 447% 1% 5,00%

Torneiras e outros dispositivos semelhantes


848180 para canalizações, caldeiras, reservatórios, 2.073.488 1.054 1.324 25,69% 0% 6,00%
cubas e outros recipientes

Outros rolamentos de roletes, incluídos os


848280 170.773 225 550 145% 0% 8.00%
rolamentos combinados
Árvores (veios) de transmissão, incluídas as
848310 de excêntricos (cames) e virabrequins 774.828 10.306 15.696 52,30% 2% 6,00%
(cambotas) e manivelas
Mancais (chumaceiras) sem rolamentos;
848330 192.115 351 1.481 322% 1% 6,00%
"bronzes"
Engrenagens e rodas de fricção, eixos de
esferas ou de roletes; caixas de transmissão,
848340 1.328.708 423 1.268 199,71% 0% 8,00%
redutores, multiplicadores e variadores de
velocidade
848350 Volantes e polias, incluídas as cadernais 114.632 2.673 2.399 -10% 2% 8,00%
Partes de árvores de transmissão,
848390 manivelas, mancais e demais produtos da 548.850 584 2.879 393% 1% 8,00%
posição 8483
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China
SETOR: Máquinas e Motores

SH6 Medidas Notas

840734 "Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
Authorization Import License
840820
Global quotas Machinery or Electrical Equipment
840991 None
840999 None
841090 None
841330 None
841391 None
Authorization Import License
841430 Global quotas Machinery or Electrical Equipment
"Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
841490 None
842129 None
Invite Bid from State Office for Importation
842911 Selective approval of importers
of Machinery and Electrical Equipment
843149 None
843359 None
844180 None
Invite Bid from State Office for Importation
844319 Selective approval of importers
of Machinery and Electrical Equipment
845530 None
Invite Bid from State Office for Importation
846210 Selective approval of importers
of Machinery and Electrical Equipment
846781 None
847329 None
Invite Bid from State Office for Importation
847420 Selective approval of importers
of Machinery and Electrical Equipment
847490 None
847710 Authorization Import License
847920 Não há
Authorization Import License
847989
"Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
848110 None
848180 None
848310 None
848330 None
Invite Bid from State Office for Importation
848340 Selective approval of importers
of Machinery and Electrical Equipment
848350 None
848390 None
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Principais fornecedores de Máquinas e Motores para a China - US$
Total Imp. Total Imp. Total Imp.
US$ 96.418 US$ 109.466 US$ 110.830
100% 1.638 2.399 2.639

90% 7.276 7.589 6.932

80% 8.312 9.686 8.948

70%
11.804 14.468 14.183
60%

50%
12.061 12.947
40% 14.379

30%

20%
21.611 24.124 21.508
10%

0%
2005 2006 2007

Fonte: GTIS.
Japão Alemanha China EUA Taiwan Outros Elaboração: UIC APEX-Brasil

10.3. Tecnologia e saúde

As principais causas de morte na China são, nessa ordem, câncer de pulmão, doenças cardíacas, úlceras,
cirrose e problemas no fígado. Nesse sentido, chamam a atenção os problemas relacionados ao fumo, à
bebida, à má alimentação e ao estilo de vida sedentário.

Ainda que tenha havido melhora no sistema de saúde da China, o mesmo continua problemático. Além de
superlotação, os hospitais públicos enfrentam falta de medicamentos, equipamentos e leitos. Com isso, cai
a qualidade dos atendimentos. Os hospitais particulares têm melhores condições, mas são muito mais
caros.

Surpreendentemente, o número de médicos caiu 22,93% entre 2000 e 2005 e 9,25% entre 1990 e 2005. Já o
número de enfermeiras aumentou 23,79% entre 1990 e 2005, apesar de ter caído 4,74% nos últimos anos
desse período. Também tem havido maior disponibilidade de especialistas em áreas menos convencionais –
como nutricionistas.

É comum ter em casa medicamentos analgésicos, para o estômago e contra febres e resfriados. Por outro
lado, o uso de suplementos minerais e vitamínicos ainda é raro, apesar de mudanças nesse padrão estarem
ocorrendo.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
A seguir, detalham-se as principais oportunidades detectadas nos setores selecionados do complexo de
tecnologia e saúde.

10.3.1 Produtos químicos

Diversos produtos brasileiros do setor de produtos químicos tiveram bom desempenho na China nos
últimos anos. As maiores vendas em 2007 foram dos produtos do código 293371: US$ 50 milhões.

O setor, como um todo, exportou do Brasil para a China, em 2007, US$ 130 milhões; logo o crescimento
médio das exportações entre esses dois mercados, entre os anos de 2002 e 2007, foi 48%.

Abaixo, seguem os dados de comércio dos produtos de maior destaque do setor e as tarifas e medidas não-
tarifárias aplicadas, assim como o posicionamento dos principais fornecedores de produtos químicos para a
China entre 2005 e 2007.

US$ Mil
Principais oportunidades do setor de produtos químicos
Part. do Brasil nas Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira Exp. brasileira Crescimento das
SH6 Descrição imp. chinesas aplicadas ao Brasil pela
China 2007 para a China 2006 para a China 2007 exp. 06/07
2007 China (estimativa)
280469 Outros silícios 117.091 2.816 4.470 58,71% 4% 4.00%
Outras bases inorgânicas; óxidos, hidróxidos
282590 45.419 128 1.124 776% 2% 5.50%
e peróxidos de outros metais
282760 Iodetos e oxiiodetos 7.592 1.985 2.687 35,37% 35% 5.50%
283429 Outros nitratos 1.791 1.283 1.557 21% 87% 5.50%
Outros hidrocarbonetos ciclânicos, ciclênicos,
290219 34.007 - 2.583 - 8% 2.00%
cicloterpênicos
290230 Tolueno 379.468 - 2.271 - 1% 2.00%
290243 p-Xileno 3.336.487 - 9.828 - 0% 2.00%
290244 Mistura de isómeros do xileno 5.708 - 2.536 - 44% 2.00%
290323 Tetracloroetileno (percloroetileno) 15.875 442 2.320 424,56% 15% 5.50%
290513 Butan-1-ol (álcool n-butílico) 427.882 795 4.067 412% 1% 5.50%
290514 Outros butanóis 229.834 4.027 6.209 54,18% 3% 5.50%
290516 Octanol (álcool octílico) e seus isômeros 448.524 5.407 4.944 -9% 1% 5.50%
290519 Outros monoálcoois saturados 348.807 - 1.315 - 0% 5.50%
290539 Outros álcoois dióis, não saturados 344.327 1.795 1.455 -19% 0% 4.75%
290723 4-4-Isopropilidenodifenol e seus sais 856.003 365 867 137,62% 0% 5.50%
Eteres monobutilicos do etilenoglicol ou do
290943 197.736 - 1.333 - 1% 5.50%
dietilenoglicol
Outros éteres monoalquílicos do etilenoglicol
290944 16.339 1.115 2.073 86,01% 13% 5.50%
ou do dietilenoglicol
Outras cetonas acíclicas não contendo outras
291419 23.241 - 1.061 - 5% 5.50%
funções oxigenadas
291440 Cetonas-álcoois e cetonas-aldeídos 6.447 627 1.726 175,02% 27% 5.50%
291539 Outros ésteres do ácido acético 40.055 7 852 12060% 2% 5.50%
291712 Ácido adípico, seus sais e ésteres 535.580 1.777 4.379 146,48% 1% 6.50%
291821 Ácido salicílico e seus sais 1.554 1.114 487 -56% 31% 6.50%
292241 Lisina e seus ésteres e sais 23.970 2.116 6.235 194,59% 26% 5.50%
293371 6-Hexanolactama (epsilon-caprolactama) 1.100.965 20.901 50.069 140% 5% 9.00%
Outros agentes de apresto ou acabamento
380993 164.666 3.148 3.048 -3,17% 2% 6.50%
para a indústria do couro
Catalisador em suporte, tendo como
381512 substância ativa um metal precioso ou um 141.665 - 2.125 - 2% 6.50%
composto de metal precioso
Misturas de alquilbenzenos ou
381700 alquilnaftalenos,exceto as das posições 2707 27.217 773 1.848 139% 7% 6.50%
ou 2902
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China
SETOR: Produtos Químicos

SH6 Medidas Notas

280469 None
282590 None
282760 None
283429 None
290219 None
290230 None
290243 None
290244 None
290323 None
290513 None
290514 None
290516 None
290519 Authorization
290539 None
290723 None
290943 None
290944 None
291419 None
291440 None
291539 None
291712 None
291821 None
292241 None
293371 "Testing, inspection etc. req. to protect environment" Import License
380993 None
381512 None
381700 None
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil.

Principais fornecedores de Produtos Químicos para a China- US$ Milhões


Total Imp. Total Imp. Total Imp.
US$ 38.868 US$ 43.576 US$ 52.635
100%

90%

14.154 15.942 17.563


80%

70%
2.621
60% 1.771 2.005

4.691 5.127 7.252


50%

3.950 4.318 5.298


40%

30%
7.250 8.335 10.152

20%

10% 7.052 7.849 9.749

0%
2005 2006 2007
Fonte: GTIS.
Elaboração: UIC APEX-Brasil
F
Japão Coréia do Sul EUA Taiwan Arábia Saudita Outros

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
10.3.2 Instrumentos de precisão9

As importações chinesas de instrumentos de precisão são bastante altas: US$ 71 bilhões em 2007. Desse
total, o Brasil tem uma participação bem mais modesta: US$ 18 milhões exportados em 2007.

Os SH6 901841 são os produtos brasileiros que ocupam melhor posição neste setor; destacam-se, pois, pela
sua participação de 39% no mercado chinês.

Informações sobre o comércio Brasil-China de instrumentos de precisão e o desempenho dos principais


exportadores desses produtos para a China podem ser vistos a seguir.

US$ Mil
Principais oportunidades do setor de instrumentos de precisão
Part. do Brasil nas Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira para Exp. brasileira para Crescimento das
SH6 Descrição imp. chinesas aplicadas ao Brasil pela
China 2007 a China 2006 a China 2007 exp. 06/07
2007 China (estimativa)
900150 Lentes de outras matérias, para óculos 54.412 41 2.593 6266,26% 5% 20.00%
Prismas, espelhos e outros elementos de
900190 3.430.065 2.925 2.886 -1% 0% 8.00%
óptica, de qualquer matéria, não montados

Aparelhos dentários de brocar, mesmo


901841 combinados com outros equipamentos 8.067 234 3.134 1236,82% 39% 4.00%
dentários
Outros instrumentos e aparelhos para
903289 1.604.343 3.464 3.124 -10% 0% 7.00%
regulação ou controle, automáticos
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China


SETOR: Instrumentos de Precisão

SH6 Medidas Notas

900150 None
900190 None
901841 "Test, inspection and quarantine for human health" Import Inspection
903289 None
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Principais fornecedores de Instrumentos e Precisão para a China - US$
Total Imp. Total Imp. Total Imp.
US$ 51.182 US$ 60.091 US$ 70.715
100%

7.655 8.563 9.708


90%

3.818,7 4.369,6 4.853,2


80%

70% 7.279,1 9.087,7 10.827,7

60%
9.960,6 10.722,2
8.969,0
50%

40%
12.321,6 15.488,9
11.414,4
30%

20%

12.046,4 15.788,9 19.115,0


10%

0%
2005 2006 2007
Fonte: GTIS.
Taiwan Coréia do Sul Japão China EUA Outros Elaboração: UIC APEX-Brasil

10.4. Moda

No período de 2000 a 2005, os gastos per capta com roupas e sapatos, na China, cresceram 245% e 172%,
respectivamente. Entre 2005 e 2007, houve um crescimento médio anual de cerca de 6% e a tendência é
que o mesmo mantenha-se nos próximos cinco anos.

Esses aumentos devem-se ao fato de que, recentemente, o vestuário passou ser considerado um símbolo
de status e de estilo. Entretanto, os gastos dos homens chineses com roupas e calçados são menores do que
a média mundial.

Já a venda de tecidos e matérias para a produção de roupas foi reduzida em cerca de 5%, entre 1990 e
2005. Isso por que a venda de roupas prontas está muito mais acessível. Da mesma forma, os gastos com
conserto de sapatos e roupas e com aluguel desses itens têm caído, já que se tornou mais fácil comprar
objetos novos.

Atualmente, há a concentração de consumidores de moda nas grandes cidades; enquanto que a população
rural não segue o mesmo consumo, pois não tem condições financeiras para bancar essa tendência.
Contudo, espera-se que nos próximos anos o comércio de vestuário nas áreas rurais aumente bastante.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Roupas étnicas típicas da China e marcas locais estão na moda e têm tido maior procura. Ainda é comum
contratar costureiros para fabricá-las.

Em geral, as lojas de departamentos são os principais pontos de vendas para roupas. Boutiques atendem
públicos de maior poder aquisitivo e aqueles que têm seu foco nos melhores preços (ainda que com
qualidade inferior) buscam seus produtos nos hipermercados.

Apesar de representar pouco mais de 1% das importações mundiais de produtos de higiene e cosméticos,
pesquisas indicam que a China é um dos maiores mercados para esse setor, o que indica um potencial,
considerável, de exportações a serem feitas para o país.

Tanto homens como mulheres estão mais preocupados com sua aparência. Até 2000, era muito raro um
homem usar cosméticos ou perfumes; mas, ultimamente, essa situação tem mudado entre os jovens e os
empresários bem-sucedidos.

Já as mulheres gastam muito mais, sendo que o que mais consomem são maquiagens, cujas vendas
aumentaram 68% entre 2000 e 2005. Perfumes e protetores solares também têm tido destaque no setor.

Tanto as mulheres como as garotas chinesas são muito atentas às tendências do setor, facilmente
influenciadas pela mídia e dispostas a investir nos mais modernos produtos disponíveis. Lá as grandes
marcas globais, como Lancôme, Chanel e Shishedo, têm ganhado mercado.

A seguir, apresentam-se as principais oportunidades identificadas para o complexo de moda na China.

10.4.1 Calçados e suas partes

O Brasil exportou US$ 2 milhões em calçados e suas partes para a China em 2007, sendo que os produtos de
maior destaque são os dos códigos 640399 e 640699, com vendas de US$ 776 mil e US$ 1,2 milhão,
respectivamente.

A seguir, estão os quadros com os números do comércio, tarifas e medidas não-tarifárias aplicadas e os
principais concorrentes na China, com os seus desempenhos nesse mercado.

US$ Mil
Principais oportunidades do setor de calçados e suas partes
Part. do Brasil nas Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira Exp. brasileira para Crescimento
SH6 Descrição imp. chinesas aplicadas ao Brasil pela
China 2007 para a China 2006 a China 2007 das exp. 06/07
2007 China (estimativa)
640399 Outros calçados de couro natural 221.778 776 797 2,76% 0% 10.00%

640699 Outras partes de calçados, de outras matérias 184.596 1.282 754 -41% 0% 15.00%

Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China
SETOR: Calçados e Suas Partes

SH6 Medidas

640399 None
640699 None
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil.

Principais fornecedores de Calçados para a China - US$ Milhões


Total Imp. Total Imp. Total Imp.
US$ 541,7 US$ 608,4 US$ 726,3
100%

90%
149,9 186,6
80% 264,0

70%
52,72
66,45
60%
89,20
76,26
50% 94,29
71,86
61,74
40% 46,68 40,54

30% 82,80
104,28 158,97
20%

10% 118,30
110,16
101,78
0%
2005 2006 2007

Fonte: GTIS.
Coréia do Sul China Taiwan EUA Itália Outros Elaboração: UIC APEX-Brasil

10.4.2 Higiene pessoal e cosméticos

O Brasil exportou para a China cerca de US$ 10,5 milhões do setor de higiene pessoal e cosméticos, no ano
de 2007. O produto SH6 330190 é o que mais se destaca. Além de apresentar 66% de crescimento das
exportações brasileiras para o mercado chinês, o Brasil se apresenta como principal fornecedor deste
produto, com 59% participação no mercado.

Nas planilhas que se seguem, são encontrados detalhamentos do comércio de aviões com a China e das
barreiras ao acesso a esse mercado. Logo após, o gráfico apresenta a performance dos principais
fornecedores desse setor para a China.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
US$ Mil
Principais oportunidades do setor de higiene pessoal e cosméticos
Part. do Brasil nas Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira Exp. brasileira Crescimento
SH6 Descrição imp. chinesas aplicadas ao Brasil pela
China 2007 para a China 2006 para a China 2007 das exp. 06/07
2007 China (estimativa)
330112 Óleo essencial de laranja 10.138 1.796 2.866 59,62% 28% 20.00%

Soluções concentradas, subprodutos


330190 terpênicos e soluções aquosas de óleos 10.884 3.880 6.454 66% 59% 20.00%
essenciais; óleoressinas de extração
Outras misturas de substâncias odoríferas
330290 utilizadas como matéria básica para a 110.403 297 941 217% 1% 20,00%
indústria
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China


SETOR: Higiene Pessoal
SH6 Medidas Notas
330112 None
330190 None
330290 None
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil

Principais fornecedores de Higiene Pessoal e Cosméticos para a China -


US$ Milhões
Total Imp. Total Imp. Total Imp.
US$ 561,3 US$ 657,3 US$ 875,4
100%

90%

80% 211,39 251,35 350,73

70%

60% 22,48 30,35 34,63


27,15 18,26 19,89
50%
81,78 89,85 112,90

40%

30% 90,60 122,95 177,67

20%

10% 127,96 144,55 179,57

0%
2005 2006 2007
Fonte: GTIS.
EUA França Japão Malásia Reino Unido Outros Elaboração: UIC APEX-Brasil

10.4.3 Metais e pedras preciosas

Em 2007, o Brasil exportou para a China cerca de US$ 8,2 milhões do setor de metais e pedras preciosas.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Os produtos que apresentaram maior destaque foram as pedras preciosas de códigos 710310 e 710399,
cujos valores exportados foram bem parecidos, ambos com US$ 3,4 milhões.

Encontram-se, a seguir, os valores das exportações brasileiras, importações chinesas, tarifas, medidas não-
tarifárias e o posicionamento dos maiores fornecedores desses produtos para a China.

US$ Mil
Principais oportunidades do setor de metais e pedras preciosas
Part. do Brasil nas Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira Exp. brasileira Crescimento das
SH6 Descrição imp. chinesas aplicadas ao Brasil pela
China 2007 para a China 2006 para a China 2007 exp. 06/07
2007 China (estimativa)
Pedras preciosas ou semipreciosas, em
710310 bruto ou simplesmente serradas ou 33.948 3.458 3.877 12,13% 11% 3.00%
desbastadas
Outras pedras preciosas ou
710399 semipreciosas, trabalhadas de outro 60.275 3.453 3.792 10% 6% 8.00%
modo
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China


SETOR: Metais e Pedras Preciosas

SH6 Medidas

710310 None
710399 None
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil.

Principais fornecedores Metais e Pedras Preciosas para a China - US$ Milhões

Total Imp. Total Imp. Total Imp.


US$ 3.471 US$ 4.619 US$ 6.255
100%

90%
1.056
80% 1.680
2.559

70%
167
195 187
60%
198
282 536
287
50% 271
385
40%
957 1.185
30% 1.339

20%

10% 813 1.081


1.165

0%
2005 2006 2007

Bélgica África do Sul Índia Alemanha Suíça Outros Fonte: GTIS.


Elaboração: UIC APEX-Brasil

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
10.4.4 Peles e couros

Em relação o setor de peles e couros, diversos são os produtos que se apresentam como oportunidade no
mercado chinês. Destaca-se produto de SH6 410411, cujas exportações somaram US$ 175,2 milhões e o
Brasil participa com um significante market share de 35% no mercado chinês.

Além disso, são significativas as exportações brasileiras desse setor para Hong Kong, as quais somaram, em
2007, US$ 240 milhões.

Na seqüência, estão dados do comércio, barreiras tarifárias e não-tarifárias e o desempenho dos principais
fornecedores dessa categoria de produtos para a China.

US$ Mil
Principais oportunidades do setor de peles e couros
Part. do Brasil nas Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira Exp. brasileira Crescimento
SH6 Descrição imp. chinesas aplicadas ao Brasil pela
China 2007 para a China 2006 para a China 2007 das exp. 06/07
2007 China (estimativa)
Couros e peles curtidos, de bovinos ou de
eqüídeos, depilados, no estado úmido (incluindo
410411 665.658 175.248 211.931 20,93% 32% 6.67%
"wet blue"), plena flor, não divididos; divididos,
com a flor
Outros couros e peles curtidos, de bovinos ou de
410419 eqüídeos, depilados, no estado úmido (incluindo 307.599 37.070 55.404 49% 18% 7.00%
"wet blue")

Couros e peles curtidos, de bovinos ou de


410441 eqüídeos, depilados, no estado seco ("crust"), 154.570 46.835 74.499 59,07% 48% 5.00%
plena flor; não divididos; divididos, com a flor

Outros couros e peles curtidos, de bovinos ou de


410449 14.237 2.030 1.085 -47% 8% 6.00%
eqüídeos, depilados, no estado seco ("crust")

Couros e peles inteiros, de bovinos ou de


410711 eqüídeos, preparados após curtimenta ou 35.268 8.642 7.643 -11,57% 22% 6.50%
secagem, plena flor, não divididos
Couros e peles inteiros, de bovinos ou de
410712 eqüídeos, preparados após curtimenta ou 857.481 66.231 98.020 48% 11% 6.50%
secagem, divididos, com a flor
Outros couros e peles inteiros, de bovinos ou de
410719 eqüídeos, preparados após curtimenta ou 63.190 10.508 9.935 -5,46% 16% 6.00%
secagem
Couros e peles, incluídas as ilhargas, de bovinos
410792 ou de eqüídeos, preparados após curtimenta ou 1.394.270 19.272 21.077 9% 2% 5.00%
secagem, divididos, com a flor
Outros couros e peles, incluídas as ilhargas, de
410799 bovinos ou de eqüídeos, preparados após 237.756 13.862 9.292 -32,97% 4% 6.00%
curtimenta ou secagem
Aparas e outros desperdícios de couros ou de
411520 peles preparados ou reconstituídos; serragem, 585 38 1.054 2693% 180% 14.00%
pó e farinha de couro
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China
SETOR: Peles e Couros

SH6 Medidas

410411 None
410419 None
410441 None
410449 None
410711 None
410712 None
410719 None
410792 None
410799 None
411520 None
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil.

Principais fornecedores de Peles para a China - US$ Milhões

Total Imp. Total Imp. Total Imp.


US$ 5.423 US$ 6.276 US$ 6.862
100%

90%

80%
2.471 2.749 3.253
70%

60%

50% 443 602


756
40% 521 757
617
30% 554 523 496

20% 571 574 561

10% 1.071 1.180


863

0%
2005 2006 2007
EUA Coréia do Sul Taiwan China Itália Outros Fonte: GTIS.
Elaboração: UIC APEX-Brasil

10.5. Casa e construção civil

A despeito da desconfiança de alguns especialistas de que há uma “bolha” no setor imobiliário chinês, a
construção civil é um dos setores mais promissores e que mais cresce. No país, está havendo grande êxodo
rural20; isso tem gerado forte efeito no número de construções nas cidades.

20
Conforme mencionado no tópico “População” deste estudo, em 1990, somente 26% da população chinesa
habitavam em áreas urbanas. Esse número passou para 43% em 2005 e deve chegar a 50% em 2015.
Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Devido à política de financiamento habitacional chinesa21, há um grande número de imóveis sendo
construídos na China; com efeito, a demanda por bens e materiais usados nesse setor tem crescido muito.
Em cidades do sul e leste do país, o preço dos imóveis dobrou entre 2000 e 2005. Assim também, como tem
subido o preço dos produtos de casa e construção. Em algumas localidades, o preço médio do metro
quadrado na construção chega a US$ 4 mil, o que se compara somente a determinadas grandes cidades
ocidentais.

Os hipermercados especializados nesse setor fazem muito sucesso. Esses trabalham com diversos produtos,
entre os quais: materiais para construção, ferramentas, equipamentos de jardinagem, móveis e
eletrodomésticos. Além da praticidade, esses estabelecimentos oferecem garantias dos seus produtos.

Apesar de se interessarem por design, os consumidores chineses não são muito criativos em termos de
decoração. Eles não costumam gostar de bricolagem, nem de consertar ou fazer em casa objetos e, se
possível, contratam um decorador ao invés de criar pessoalmente os ambientes de suas casas.

Para o setor de madeiras, também há consideráveis oportunidades na China. Não existem restrições
específicas, além dos certificados fitossanitários habituais; além do mais, os compradores são flexíveis
quanto à qualidade e medida dos produtos.

Na seqüência são apresentados os produtos do complexo de casa e construção civil com maiores
oportunidades na China.

10.5.1 Ferramentas, talheres e outras obras de metais

No ano de 2007, o Brasil exportou para a China aproximadamente US$ 6,7 milhões entre ferramentas,
talheres e outras obras de metais.

O produto que mais obteve destaque foi o de código 820730, com exportação de US$ 1,2 milhão, o qual
apresentou um expressivo crescimento de 326%, em relação ao ano de 2006.

A seguir, estão os quadros com os números do comércio, tarifa e medidas não-tarifárias aplicadas e os
principais concorrentes na China com os seus desempenhos nesse mercado.

21
Na China, os financiamentos bancários cobrem até 80% do valor do imóvel, com taxas de juros de menos de 6% ao
ano e prazo de até 20 anos para quitar a dívida.
Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
US$ Mil
Principais oportunidades do setor de ferramentas, talheres e outras obras de metais
Part. do Brasil nas Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira Exp. brasileira Crescimento
SH6 Descrição imp. chinesas aplicadas ao Brasil pela
China 2007 para a China 2006 para a China 2007 das exp. 06/07
2007 China (estimativa)
Ferramentas intercambiáveis de embutir,
820730 667.960 286 1.217 326,17% 0% 8.00%
estampar ou de puncionar, de metais comuns

Outras guarnições, ferragens e artefatos


830230 semelhantes, para veículos automóveis, de 34.460 1.061 667 -37% 2% 0,00%
metais comuns
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China


SETOR: Ferramentas e Talheres

SH6 Medidas Notas

820730 none
830230 none
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil.

Principais fornecedores Ferramentas e Talheres para a China - US$ Milhões

Total Imp. Total Imp. Total Imp.


US$ 1.255 US$ 1.146 US$ 1.245
100%

193,1 216,2
90% 251,3
28,1
80% 25,0 39,4 49,3
49,6
199,6 53,1
70%
171,5
216,9
60% 96,8

125,6
50%
148,8

40%

30% 713,2
544,3
20% 526,2

10%

0%
2005 2006 2007

Peru EUA Chile Índia Rússia Outros Fonte: GTIS.


Elaboração: UIC APEX-Brasil

10.5.2 Madeiras e cortiças

No que se refere ao setor de madeiras e cortiças, em 2007, o Brasil exportou para a China cerca de US$ 133
milhões em produtos desse segmento. Os produtos que mais se destacaram foram os do código 440729 e
440799, cujas exportações somaram US$ 46,8 milhões e US$ 66,8 milhões, respectivamente.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
A seguir estão detalhadas as principais oportunidades identificadas para o setor de madeiras e cortiças,
assim com as barreiras tarifárias e não-tarifárias e os principais países fornecedores deste setor para o
mercado chinês.

US$ Mil
Principais oportunidades do setor de madeiras e cortiças
Part. do Brasil nas Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira Exp. brasileira Crescimento
SH6 Descrição imp. chinesas aplicadas ao Brasil pela
China 2007 para a China 2006 para a China 2007 das exp. 06/07
2007 China (estimativa)
Madeira de coníferas, serrada, cortada em folhas ou
440710 515.311 2.630 3.737 42,10% 1% 0.00%
desenrolada, de espessura > 6mm
Outras madeiras tropicais, serradas, cortadas em
440729 194.630 48.369 46.816 -3% 24% 0.00%
folhas ou desenroladas, de espessura > 6mm
Outras madeiras, serradas, cortadas em folhas ou
440799 786.731 105.832 66.826 -36,86% 8% 0.00%
desenroladas, de espessura > 6mm
Folhas para folheados e para compensados, de
440839 10.097 963 1.985 106% 20% 5.50%
outras madeiras tropicais, de espessura =< 6mm
Folhas para folheados e para compensados, de
440890 100.386 2.664 3.510 31,74% 3% 3.14%
outras madeiras, de espessura =< 6mm
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China


SETOR: Madeiras e Cortiças

SH6 Medidas Notas

440710 "Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
440729 "Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
440799 "Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
440839 "Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
440890 "Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil.

US$
Principais fornecedores de Madeiras e Cortiças para a China - US$ Milhões
Total Imp. Total Imp. Total Imp.
US$ 5.739 US$ 6.494 US$ 7.577
100%

90%

80% 2.267 2.754 3.289

70%

60%
277
265 232
50% 451 541
547
429 166
327 375
40%
522 439
30%

20% 2.975
1.794 2.162
10%

0%
2005 2006 2007

Rússia Malásia Indonésia EUA Tailândia Outros Fonte: GTIS.


Elaboração: UIC APEX-Brasil

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
10.5.3 Metais não-ferrosos

O Brasil exportou US$ 225 milhões em produtos do setor de metais não-ferrosos para a China no ano de
2007 e apresentou um crescimento anual médio de 91% no valor exportado no período de 2002 a 2007.

Muitos produtos, que não foram exportados no ano de 2006, aparecem como destaque nas exportações do
setor em 2007. Em especial, o produto de código 740311, cujo valor exportado atingiu US$ 199,6 em 2007,
respondendo por aproximadamente 88% das exportações brasileiras do setor.

As planilhas na seqüência trazem, nessa ordem, os valores comercializados e a tarifa média aplicada,
barreiras não-tarifárias e os países com maior market share desses produtos na China.

US$ Mil
Principais oportunidades do setor de metais não ferrosos
Part. do Brasil nas Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira Exp. brasileira Crescimento
SH6 Descrição imp. chinesas aplicadas ao Brasil pela
China 2007 para a China 2006 para a China 2007 das exp. 06/07
2007 China (estimativa)
Cátodos de cobre refinado e seus elementos,
740311 10.311.389 - 199.698 - 2% 2.00%
em formas brutas
740400 Desperdícios e resíduos, de cobre 6.389.462 11.523 6.701 -42% 0% 1.50%
750210 Níquel não ligado, em formas brutas 3.820.515 777 7.113 815,76% 0% 3.00%
761699 Outras obras de alumínio 283.759 529 1.269 140% 0% 12.50%
Zinco não ligado, em formas brutas,
790111 337.062 - 1.187 - 0% 3.00%
contendo, em peso, => 99,99% de zinco
810390 Outras obras de tântalo 21.184 2.174 2.592 19% 12% 8.00%
Gálio, háfnio, índio, nióbio, rênio, tálio e suas
811299 17.044 - 3.618 - 21% 6.00%
obras
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China


SETOR: Metais Não-Ferrosos

SH6 Medidas Notas

740311 Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s. Import Inspection
Registered by State Planning Commission
740400
"Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
750210 none
761699 none
790111 Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s. Import Inspection
810390 none
811299 none
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Principais fornecedores de Metais Não-Ferrosos para a China - US$ Milhões

Total Imp. Total Imp. Total Imp.


US$ 22.221 US$ 29.823 US$ 42.659
100%

90%

80%
11.370 15.180 22.456
70%

60%

50%
1.394 1.996 1.718
40% 3.497
2.011 3.057
30% 3.753
2.300 3.061
20% 5.625
2.174 2.261

10%
2.971 4.270 5.610
0%
2005 2006 2007

Japão Chile Taiwan Coréia do Sul China Outros Fonte: GTIS.


Elaboração: UIC APEX-Brasil

10.5.4 Papel e celulose

Entre os produtos do setor de papel e celulose identificados como oportunidade, destaca-se o de código
470329, com participação de 22% nas importações chinesas e US$ 385,5 milhões exportados pelo Brasil,
responsável por 86% do total de produtos deste setor exportados para o mercado chinês.

A seguir, estão os quadros com os números do comércio, tarifa e medidas não-tarifárias aplicadas e os
principais concorrentes na China com os seus desempenhos nesse mercado.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
US$ Mil
Principais oportunidades do setor de papel e celulose
Part. do Brasil nas Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira Exp. brasileira Crescimento
SH6 Descrição imp. chinesas aplicadas ao Brasil pela
China 2007 para a China 2006 para a China 2007 das exp. 06/07
2007 China (estimativa)
470200 Pasta química de madeira, para dissolução 537.606 32.590 37.920 16,36% 7% 0,00%
Pasta química de madeira de não conífera,
470329 à soda ou sulfato, semibranqueada ou 1.768.836 347.783 385.553 11% 22% 0,00%
branqueada
Papéis contendo < = 10% de fibras obtidas
480254 por processo mecânico, de peso < a 11.641 798 1.111 39,25% 10% 7.50%
40g/m2, em rolos ou em folhas

Papéis contendo < = 10% de fibras obtidas


480255 por processo mecânico, de peso => 112.973 832 722 -13% 1% 5.00%
40g/m2 mas não > 150g/m2, em rolos

Papéis contendo =< 10% de fibras obtidas


por processo mecânico, de peso =>
480256 40g/m2 mas não > 150g/m2, em folhas nas 10.098 7.739 10.678 37,98% 106% 5.00%
quais um lado =< 435mm e o outro =<
297mm, quando não dobradas
Outros papéis contendo < = 10% de fibras
obtidas por processo mecânico, de peso
480257 111.892 852 750 -12% 1% 5.00%
=> 40g/m2 mas não > 150g/m2, em rolos
ou folhas
Outros papéis e cartões de camadas
481092 múltiplas, revestidos de caulim, em rolos 237.517 6.522 5.192 -20,39% 2% 5.00%
ou em folhas
Outros papéis e cartões branqueados,
481159 revestidos, impregnados ou recobertos de 202.591 2.217 1.833 -17% 1% 7.50%
plástico
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China


SETOR: Papel e Celulose

SH6 Medidas Notas

470200 "Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
470329 "Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
480254 None
480255 None
480256 None
480257 None
481092 None
481159 None
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
US$ Principais fornecedores de Produtos Papel e Celulose para a China - US$ Milhões

Total Imp. Total Imp. Total Imp.


US$ 10.510 US$ 11.361 US$ 13.868
100%

90%

80%
4.818 5.165 6.326
70%

60%

508 482 489


50%
918 928
892
40% 1.407
1.169 1.228
30% 1.580
1.058 1.289
20%

10% 2.125 2.279 3.138

0%
2005 2006 2007

Fonte: GTIS.
EUA Canadá Japão Indonésia Taiwan Outros Elaboração: UIC APEX-Brasil

10.5.5 Produtos metalúrgicos

O Brasil exportou para a China cerca de US$ 347 milhões em produtos metalúrgicos no ano de 2007 e
obteve um crescimento médio de 18% no valor exportado, no período de 2002 a 2007.

Segundo a tabela a abaixo, diversos produtos brasileiros apresentaram crescimentos superiores a 100% das
suas exportações para o mercado chinês. Após os dados dos produtos brasileiros com melhores
oportunidades, aparecem os países com melhor posicionamento no mercado chinês.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
US$ Mil
Principais oportunidades do setor de produtos metalúrgicos
Part. do Brasil Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira Exp. brasileira Crescimento
SH6 Descrição nas imp. aplicadas ao Brasil pela
China 2007 para a China 2006 para a China 2007 das exp. 06/07
chinesas 2007 China (estimativa)
Ferro fundido bruto não ligado, contendo, em
720110 239.921 31.018 89.921 189,90% 37% 1,00%
peso =< 0,5% de fósforo
720293 Ferronióbio 206.867 97.791 206.034 111% 100% 2,00%
720421 Desperdícios e resíduos de aços inoxidáveis 1.073.132 66 6.808 10264,00% 1% 0,00%

Produtos laminados planos, de ferro ou aços


não ligados, de largura => 600mm, não
720851 598.613 2.137 839 -61% 0% 6.00%
enrolados, laminados a quente, de espessura
> 10mm, não folheados nem revestidos

Produtos laminados planos, de ferro ou aços


721012 não ligados, de largura => 600mm, 183.743 10.270 3.510 -65,82% 2% 5,00%
estanhados, de espessura < 0,5mm
Produtos laminados planos, de ferro ou aços
não ligados, de largura => 600mm, revestidos
721050 19.094 1.527 1.478 -3% 8% 8.00%
de óxido de cromo ou de cromo e óxido de
cromo
Fio-máquina de ferro ou aços não ligados, de
721391 185.193 18.926 4.409 -76,71% 2% 5,00%
seção circular de diâmetro < 14mm
Produtos laminados planos, de aços
inoxidáveis, laminados a quente, de largura
721913 786.848 71 2.008 2737% 0% 4,00%
=> 600mm, em rolos, de espessura => 3mm e
< 4,75mm
Produtos laminados planos, de aços
721933 inoxidáveis, laminados a frio, de largura => 349.252 3.883 9.997 157,46% 3% 10.00%
600mm, de espessura > 1mm e < 3mm
Produtos laminados planos, de aços
721934 inoxidáveis, laminados a frio, de largura => 594.497 1.733 4.521 161% 1% 10,00%
600mm, de espessura => 0,5mm e =< 1mm
Produtos laminados planos, de aços
721935 inoxidáveis, laminados a frio, de largura => 140.152 1.229 3.062 149,21% 2% 10,00%
600mm e espessura < 0,5mm
Outros tubos de ferro ou de aços não ligados,
730439 63.074 878 1.418 62% 2% 4.33%
sem costura, de seção circular
Outros parafusos e pinos ou pernos, mesmo
731815 com as porcas e arruelas, de ferro fundido, 975.538 2.912 2.985 2,50% 0% 8.00%
ferro ou aço
Outras obras forjadas ou estampadas, de
732619 120.038 460 969 111% 1% 15.25%
ferro ou aço
732620 Obras de fios de ferro ou aço 15.264 588 992 68,79% 7% 14.00%
732690 Outras obras de ferro ou aço 975.001 947 1.153 22% 0% 9.25%
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China


SETOR: Produtos Metalúrgicos

SH6 Medidas Notas

720110 "Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
720293 None
720421 "Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
720439 None
720851 "Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
721012 "Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
721050 Product characteristics requirements Registered by State Planning Commission
731815 None
721391 "Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
721913 "Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
721933 "Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
721934 "Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
721935 "Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
732619 None
732620 None
732690 None
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Principais fornecedores de Produtos Minerais para a China - US$ Milhões

Total Imp. Total Imp. Total Imp.


US$ 28.094 US$ 34.225 US$ 56.879
100%

90%
7.853 10.017
18.753
80%

70% 990 1.287


1.893 1.936
2.502
60% 3.308
4.157
50% 5.757
9.784

40%
7.411
30% 9.160 13.994

20%

10% 5.789
5.503 9.103

0%
2005 2006 2007

Índia Austrália Brasil Chile África do Sul Outros Fonte: GTIS.


Elaboração: UIC APEX-Brasil

10.5.6 Produtos minerais

O Brasil é o terceiro maior fornecedor de produtos minerais para o mercado chinês. Em 2007, o país
exportou cerca de US$ 3,9 bilhões para esse mercado.

O produto de maior destaque, responsável por 80% das exportações do setor, é o de código 260111. Em
2007, o Brasil exportou US$ 3,1 bilhões deste produto, apresentando um crescimento de 45%em relação ao
ano anterior no valor exportado.

Abaixo, seguem os dados de comércio dos produtos de maior destaque do setor e as tarifas e medidas não-
tarifárias aplicadas, assim como o posicionamento dos principais fornecedores de produtos químicos para a
China entre 2005 e 2007.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
US$ Mil
Principais oportunidades do setor de produtos minerais
Part. do Brasil nas Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira Exp. brasileira Crescimento
SH6 Descrição imp. chinesas aplicadas ao Brasil pela
China 2007 para a China 2006 para a China 2007 das exp. 06/07
2007 China (estimativa)
Caulim e outras argilas caulínicas, mesmo
250700 73.998 11.411 13.926 22,04% 19% 3.00%
calcinadas
251611 Granito em bruto ou desbastado 501.765 5.464 4.920 -10% 1% 4.00%
Granito, cortado em blocos ou placas de
251612 2.209 69.198 62.950 -9,03% 2849% 4.00%
forma quadrada ou retangular
252610 Esteatita natural, não triturada nem em pó 533 702 2.028 189% 381% 3.00%
Minérios de ferro não aglomerados e seus
260111 30.947.921 2.141.646 3.118.949 45,63% 10% 0.00%
concentrados
Minérios de ferro aglomerados e seus
260112 2.856.369 487.812 591.337 21% 21% 0.00%
concentrados
Minérios de manganês e seus concentrados,
incluídos os minérios de manganês
260200 ferruginosos e seus concentrados, de teor de 1.299.284 10.135 13.011 28,37% 1% 0.00%
manganês de => 20%, em peso, sobre o
produto seco
260300 Minérios de cobre e seus concentrados 8.670.682 34.188 47.765 40% 1% 0.00%
260700 Minérios de chumbo e seus concentrados 1.621.514 - 13.100 - 1% 0.00%
261000 Minérios de cromo e seus concentrados 1.550.892 7.530 16.441 118% 1% 0.00%
Minérios de nióbio, tântalo ou vanádio, e
261590 76.993 3.944 6.730 71% 9% 0.00%
seus concentrados
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China


SETOR: Produtos Minerais

SH6 Medidas notas

250700 None
251611 None
251612 None
252610 None
260111 Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
260112 Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
260200 Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
260300 Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
260700 None
261000 Testing, inspection etc. req. for purposes n.e.s." Import Inspection
261590 None
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Principais fornecedores de Produtos Minerais para a China - US$ Milhões

Total Imp. Total Imp. Total Imp.


US$ 28.094 US$ 34.225 US$ 56.879
100%

90%
7.853 10.017
18.753
80%

70% 990 1.287


1.893 1.936
2.502
60% 3.308
4.157
50% 5.757
9.784

40%
7.411
30% 9.160 13.994

20%

10% 5.789
5.503 9.103

0%
2005 2006 2007

Índia Austrália Brasil Chile África do Sul Outros Fonte: GTIS.


Elaboração: UIC APEX-Brasil

10.5.7 Tintas

A média anual do crescimento das exportações brasileiras do setor de tintas para a China, entre 2002 e
2007, foi de 42%. Existem oportunidades para alguns produtos brasileiros desse setor, conforme pode ser
visto na tabela abaixo.

Especial destaque dá-se ao produto de código 310120, cuja participação no total importado pela China é de
35%.

Encontram-se, a seguir, os valores das exportações brasileiras, importações chinesas, tarifas, medidas não-
tarifárias e o posicionamento dos maiores fornecedores desses produtos para a China.

US$ Mil
Principais oportunidades do setor de tintas
Part. do Brasil nas Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira Exp. brasileira Crescimento das
SH6 Descrição imp. chinesas aplicadas ao Brasil pela
China 2007 para a China 2006 para a China 2007 exp. 06/07
2007 China (estimativa)
320120 Extrato tanante de mimosa 13.730 4.909 4.843 -1,35% 35% 6.50%
320210 Produtos tanantes orgânicos sintéticos 96.567 666 633 -5% 1% 6.50%
Tintas e vernizes de outros polímeros
320990 sintéticos, dispersos ou dissolvidos em 123.475 3.116 4.462 43% 4% 10.00%
meio aquoso
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China
SETOR: Tintas

SH6 Medidas

320120 None
320210 None
320990 None
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil.

US$
Principais Fornecedores de Tintas para a China - US$ Milhões

Total Imp. Total Imp. Total Imp.


US$ 3.079 US$ 3.510 US$ 3.804
100%

90%
1.023,6 1.139,5 1.253,4
80%

70%

252,0 309,7 355,9


60%
269,4 321,4 347,1
50%
343,0 375,2 361,9
40%

30% 534,5 570,0 579,0

20%

10% 656,9 794,3 907,5

0%
2005 2006 2007
Fonte: GTIS.
Japão Taiwan Coréia do Sul Alemanha EUA Outros Elaboração: UIC APEX-Brasil

10.5.8 Vidro e suas obras

As exportações brasileiras para a China do setor de vidros e suas obras em 2007 somaram,
aproximadamente, US$ 1,6 milhão. O produto de maior destaque, nesse período, é o de código SH6 701912,
cujo valor exportado somou US$ 889 mil.

As tabelas abaixo apresentam a descrição deste produto, as barreias aplicadas pela China e os principais
fornecedores do setor de vidros para o país.

US$ Mil
Principais oportunidades do setor de vidro e suas obras
Tarifas alfandegárias
Imp. tot. da Exp. brasileira Exp. brasileira Crescimento Part. do Brasil nas
SH6 Descrição aplicadas ao Brasil pela
China 2007 para a China 2006 para a China 2007 das exp. 06/07 imp. chinesas 2007
China (estimativa)
Mechas ligeiramente torcidas
701912 36.402 - 895 - 2% 12.00%
("rovings"), de fibras de vidro
Fonte: GTIS e Market Access Map/ITC. Elaboração: UIC APEX-Brasil

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Medidas Não-Tarifárias Aplicadas ao Brasil pela China
SETOR: Vidros
SH6 Medidas

701912 None
Fonte: Radar Comercial. Elaboração: UIC, APEX-Brasil

Principais fornecedores de Vidros para a China - US$ Milhões


Total Imp. Total Imp. Total Imp.
US$ 2.545 US$ 2.984 US$ 3.223
100%

90% 509,6 639,7 788,3

80%
166,8 206,9
70% 258,7
296,3
403,4
60% 375,3
170,9
169,4
196,9
50%
572,1
40% 653,6
722,9

30%

20%
829,6 911,6 881,8
10%

0%
2005 2006 2007

Japão Taiwan Coréia do Sul China EUA Outros Fonte: GTIS.


Elaboração: UIC APEX-Brasil

11. COMÉRCIO VIA HONG KONG

Para variados grupos de produtos, costuma ser vantajoso triangular o comércio com a China via Hong Kong.
Essa região administrativa especial detém grande expertise em comércio exterior e exerce as funções de um
hub logístico – não só para a China como para diversos países da região.

Até o início da década de 1990, quase todos os produtos importados pela China passavam por Hong Kong.
Entretanto, nos últimos anos, as cadeias de distribuição multinacionais têm influenciado a distribuição na
China, possibilitando que produtos, tradicionalmente importados via Hong Kong, possam chegar
diretamente à China continental. Ainda assim, atualmente continua havendo considerável comércio por
meio dessa região.

Ressalta-se que ao se exportar para Hong Kong perde-se o controle do destino final dos produtos. Uma das
desvantagens desse procedimento é que o exportador não exerce influência direta sobre o preço final e
sobre a distribuição do produto. Assim, o empresário pode reduzir sua margem de lucro e perder chances

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
de desenvolver uma rede de relacionamentos própria na China, o que aumenta sua dependência de um
agente ou de uma empresa de Hong Kong.

11.1. Importações mundiais de Hong Kong

Hong Kong importou, em 2007, US$ 370 bilhões, o que equivale a três vezes as importações brasileiras e um
terço das importações chinesas. O principal parceiro comercial dessa região é a China, que é responsável
por 45,8% (US$ 169 bilhões) das importações de Hong Kong e 48,2% (US$ 168 bilhões) de suas exportações.

Nos gráficos a seguir, seguem as principais origens das importações de Hong Kong e os principais destinos
de suas exportações.

Importações de Hong Kong - 2007

14,3% 1 China

2 Japão
1,7%
1,9% 3 Taiwan

2,2% 4 Coréia do Sul


2,7% 45,8%
5 EUA
4,2%
6 Cingapura

4,2% 7 Malásia

8 Tailândia
5,3%
9 Índia

7,4% 10 Alemanha

10,3% Outros

Fonte: GTIS/GTA. Elaboração: UIC - Apex-Brasil.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Exportações de Hong Kong - 2007

18,8%
1 China

2 EUA

3 Japão
1,4%
1,6% 4 Reino Unido
1,9% 48,2% 5 Alemanha
2,0%
2,1% 6 Coréia do Sul

3,0% 7 Taiwan

8 Cingapura
3,0%
9 Países Baixos
4,4%
10 Índia

Outros
13,5%

Fonte: GTIS/GTA. Elaboração: UIC - Apex-Brasil.

Nas importações totais de Hong Kong, destaca-se a posição do capítulo 85, que trata de máquinas e
materiais elétricos, aparelhos de som, imagem, televisão e acessórios, cujas importações somaram US$ 150
bilhões, equivalente a 40,6% do total importado pelo país.

O gráfico abaixo mostra a participação das dez categorias de produtos (SH2) mais importados por Hong
Kong e a planilha, na seqüência, traz os 40 principais produtos, por SH2, importados pelo país.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Importações mundiais de Hong Kong por SH2 - 2007

Máquinas e Materiais Elétricos, Aparelhos de


Som, Imagem, Televisão e Acessórios
22% Máquinas, Equipamentos e Instrumentos
Mecânicos
41% Pérolas, Pedras Preciosas ou Semipreciosas,
Metais, Bijuterias e Moedas
1% Plásticos e suas Obras
2%

Brinquedos e Artigos Esportivos


3%
Artigos e Equipamentos Médico-
3% Odontológicos e Hospitalares
3% Combustíveis, Óleos e Ceras Minerais
3%
Vestuário e Acessórios de Malha
4%
6% 12% Vestuário e Acessórios, Exceto de Malha

Aparelhos de Relojoaria

Outros
Fonte: GTIS/GTA. Elaboração: UIC - Apex-Brasil.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Importações Mundiais de Hong Kong (US$)
SH2 Produto 2005 2006 2007
Máquinas e Materiais Elétricos, Aparelhos de Som,
85 109.377.700.672 127.245.589.656 150.539.635.735
Imagem, Televisão e Acessórios
84 Máquinas, Equipamentos e Instrumentos Mecânicos 42.972.994.111 48.979.798.457 46.010.301.461
Pérolas, Pedras Preciosas ou Semipreciosas, Metais,
71 13.752.162.432 16.606.625.572 20.680.716.438
Bijuterias e Moedas
39 Plásticos e suas Obras 13.408.103.709 14.549.499.313 14.816.092.684
95 Brinquedos e Artigos Esportivos 8.626.878.369 9.996.350.160 12.142.345.508
Artigos e Equipamentos Médico-Odontológicos e
90 9.720.716.504 10.997.313.539 11.543.477.357
Hospitalares
27 Combustíveis, Óleos e Ceras Minerais 7.969.079.016 9.790.612.331 11.347.386.064
61 Vestuário e Acessórios de Malha 9.245.558.944 9.480.235.670 9.893.523.369
62 Vestuário e Acessórios, Exceto de Malha 8.027.107.860 8.255.316.495 8.252.245.243
91 Aparelhos de Relojoaria 4.629.960.689 4.369.615.109 5.293.440.623
64 Calçados e suas Partes 5.387.522.908 5.251.791.561 5.138.539.717
52 Algodão 4.730.472.594 4.943.311.890 4.849.614.717
42 Obras e Artigos de Couro 4.243.924.850 4.392.760.282 4.826.691.561
72 Aço e Ferro Fundido 3.641.044.409 3.481.858.158 3.955.181.413
41 Peles e Couros 3.626.433.769 3.875.934.412 3.570.245.121
74 Cobre e suas Obras 2.002.705.627 3.000.797.753 3.352.672.744
Veículos Automóveis e Outros Terrestres, Partes e
87 2.705.244.326 2.658.139.339 3.063.768.767
Acessórios
60 Tecidos de Malha 2.728.795.048 2.848.195.680 2.789.337.742
48 Papel, Cartão e Obras de Pasta de Celulose 2.380.735.245 2.386.076.292 2.380.670.753
29 Produtos Químicos Orgânicos 1.645.498.793 1.857.821.789 2.243.537.990
2 Carnes e Miudezas Comestíveis 1.356.028.164 1.554.715.974 2.201.466.085
3 Peixes, Crustáceos e Outros Invertebrados Aquáticos 1.711.258.864 1.859.278.834 2.025.699.995
54 Filamentos Sintéticos ou Artificiais 1.869.935.540 1.835.812.856 1.734.800.620
73 Obras de Ferro e Aço 1.494.996.157 1.468.279.674 1.558.920.908
33 Óleos, Produtos de Perfumaria e Preparações Cosméticas 1.139.255.789 1.264.769.119 1.501.539.382
43 Peles Com Pêlo e suas Obras 1.632.541.598 1.736.629.673 1.484.932.818
70 Vidro e suas Obras 1.472.927.358 1.391.171.864 1.395.753.089
Móveis, Mobiliário Médico-Cirúrgico; Colchões, Almofadas
94 1.628.900.902 1.410.302.402 1.333.946.389
e Semelhantes
38 Produtos da Indústria Química 1.113.859.488 1.260.236.522 1.330.883.867
30 Produtos Farmacêuticos 871.618.757 1.029.822.408 1.300.388.067
49 Livros, Jornais e Produtos Gráficos 946.546.684 1.089.787.033 1.273.058.271
32 Extratos Taninos, Pigmentos e Corantes 1.312.014.351 1.274.197.295 1.258.619.458
8 Frutas, Cascas de Cítricos e de Melões 960.568.427 1.060.063.984 1.254.945.093
88 Aeronaves e Aparelhos Espaciais 1.001.025.552 773.558.928 1.209.524.111
76 Alumínio e suas Obras 989.484.418 1.140.394.203 1.135.097.812
55 Fibras Sintéticas ou Artificiais 1.250.600.327 1.226.433.587 1.116.618.915
83 Obras de Metais Comuns 1.011.690.120 1.033.511.519 1.097.513.376
96 Obras Diversas de Mercadorias e Produtos Diversos 940.388.040 921.757.373 1.056.149.755
22 Bebidas Alcoólicas e Vinagre 910.741.728 857.620.466 1.039.560.655
40 Borrachas e suas Obras 951.089.099 1.035.714.384 986.784.038
Outros 15.247.091.251 15.561.087.925 16.747.220.836

Total 300.635.202.488 335.752.789.484 370.732.848.546


Fonte: GTIS/GTA. Elaboração: UIC - Apex-Brasil.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
11.2. Exportações brasileiras para Hong Kong

Em 2007, o Brasil exportou para Hong Kong US$ 1.335 milhões, o que representa 0,36% das importações
totais desse país e 0,83% do total das exportações brasileiras.

As exportações brasileiras para Hong Kong em 2007 equivalem a 12,43% do valor exportado para a China
consular. Como quase metade das exportações de Hong Kong é para a China, é plausível considerar a
possibilidade de que cerca de US$ 650 milhões das exportações brasileiras que passam pela zona
administrativa especial têm como destino final a China.

O gráfico a seguir mostra a evolução das exportações brasileiras para a China continental e para as
economias que fazem parte desse país. Se considerarmos o grupo dessas quatro economias, Hong Kong e
Taiwan representam, respectivamente, 10,35% e 6,32% das exportações brasileiras para a região. Já Macau
tem impacto pouco expressivo nas exportações brasileiras.

Exportações brasileiras para China e região


11

10
US$ Bilhões

0
2005 2006 2007
China 6.833.668.267 8.399.521.068 10.748.813.792
Hong Kong 888.392.139 1.029.676.898 1.335.608.108
Taiwan 826.123.635 759.010.602 815.912.269
Macau 355.185 568.628 711.731

Fonte: GTIS/GTA. Elaboração: UIC - Apex-Brasil.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Entre os setores exportados pelo Brasil para Hong Kong, há grande destaque para o capítulo 2 do sistema
harmonizado, referente a carnes e miudezas comestíveis. Essa categoria representa 57,9% das exportações
brasileiras para Hong Kong, com US$ 773 milhões exportados em 2007; logo, ela sobressai-se pelo
crescimento nos últimos anos. O valor exportado em 2007 foi 70% maior que os US$ 454 milhões de 2006,
que, por sua vez, foi 52% maior que os US$ 298 milhões exportados em 2005.

Entre os produtos classificados no capítulo 02 do sistema harmonizado, há grande destaque para o SH6
0207.14, referente a pedaços e miudezas comestíveis de galos e galinhas da espécie doméstica, congelados,
cujas exportações brasileiras em 2007 foram de US$ 424 milhões, que equivalem a 55% do capítulo 02 e a
32% do total exportado do Brasil para Hong Kong.

Além do capítulo 2, são expressivos os capítulos 41 – peles e couros – e 5 – outros produtos de origem
animal diversos. Foram exportados nessas categorias, respectivamente, US$ 238 milhões e US$ 118
milhões.

Os gráficos a seguir mostram a participação dos cinco principais produtos exportados do Brasil para Hong
Kong e a participação dos cinco principais produtos classificados no capítulo 02.

Exportações brasileiras para Hong Kong - 2007

18%
58%

9%

3%
12%
Carnes e Miudezas Comestíveis
Peles e Couros
Outros Produtos de Origem Animal Diversos
Máquinas e Materiais Elétricos, Aparelhos de Som, Imagem, Televisão e Acessórios
Outros
Fonte: GTIS/GTA. Elaboração: UIC - Apex-Brasil.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Exportações brasileiras do capítulo 02 para Hong
Kong - 2007
17%

13%
57%

10%
3%

Pedaços e miudezas comestíveis de galos e galinhas da espécie doméstica, congelados


Outras carnes de suíno, congeladas
Carnes de bovino, desossadas, congeladas
Outras miudezas comestíveis de bovino, congeladas
Outras miudezas comestíveis de suíno, congeladas
Fonte: GTIS/GTA. Elaboração: UIC - Apex-Brasil.

A planilha a seguir traz os valores comercializados, em 2007, dos 30 principais produtos de exportação do
Brasil para essa região administrativa especial da China.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Exportações brasileiras para Hong Kong - 2007

SH2 Produtos Valor (US$)

2 Carnes e Miudezas Comestíveis 773.281.985


41 Peles e Couros 237.782.962
5 Outros Produtos de Origem Animal Diversos 118.335.935
Máquinas e Materiais Elétricos, Aparelhos de Som, Imagem,
85 46.904.372
Televisão e Acessórios
Pérolas, Pedras Preciosas ou Semipreciosas, Metais, Bijuterias e
71 18.655.784
Moedas
44 Madeira e Obras de Madeira 16.344.478
Preparações de Carne, Peixes, Crustáceos ou de Outros
16 13.824.572
Invertebrados Aquáticos
25 Sal, Enxofre, Terras, Gesso, Pedras, Cal e Cimentos 11.935.542
15 Gorduras, Óleos e Ceras de Origem Animal e Vegetal 10.530.249
64 Calçados e suas Partes 9.407.645
40 Borrachas e suas Obras 7.217.020
39 Plásticos e suas Obras 7.182.103
26 Minérios, Escórias e Cinzas 6.646.026
8 Frutas, Cascas de Cítricos e de Melões 5.882.592
3 Peixes, Crustáceos e Outros Invertebrados Aquáticos 4.737.042
43 Peles Com Pêlo e suas Obras 4.143.788
24 Fumo (Tabaco) e seus Sucedâneos, Manufaturados 4.131.993
90 Artigos e Equipamentos Médico-Odontológicos e Hospitalares 3.979.910
70 Vidro e suas Obras 3.040.348
29 Produtos Químicos Orgânicos 3.016.351
84 Máquinas, Equipamentos e Instrumentos Mecânicos 3.008.082
72 Aço e Ferro Fundido 2.759.718
48 Papel, Cartão e Obras de Pasta de Celulose 2.582.544
28 Produtos Químicos Inorgânicos e Compostos 2.354.735
9 Café, Chá, Mate e Especiarias 1.821.121
52 Algodão 1.521.808
38 Produtos da Indústria Química 1.415.710
30 Produtos Farmacêuticos 1.412.477
47 Pastas de Madeira, Papel ou Cartão de Reciclar 1.186.202
18 Cacau e suas Preparações 942.045
Outros 9.622.969

Total 1.335.608.108
Fonte: GTIS/GTA. Elaboração: UIC - Apex-Brasil.

11.3. Matriz de atratividade para Hong Kong

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Os setores que tiveram destacado desempenho em Hong Kong foram: aviões; café; carne suína; carne
bovina; impressos; materiais elétricos e eletroeletrônicos; material esportivo; metais e pedras preciosas;
metais não-ferrosos; obras de arte; petróleo; produtos farmacêuticos.

Dentre esses, destaca-se a atuação brasileira na exportação de aviões. Enquanto as importações totais de
Hong Kong desse setor cresceram em média 14% ao ano entre 2002 e 2007, as exportações brasileiras
cresceram 73%.

As maiores exportações brasileiras entre os grupos selecionados é no setor de metais não-ferrosos: US$ 791
milhões em 2007. Já o setor mais importado por Hong Kong é o de materiais elétricos e eletroeletrônicos:
US$ 149 bilhões em 2007.

Matriz de atratividade para setores na China


Distrito: Hong Kong

25%
Taxa de crescimento médio anual das importações mundiais do setor pelo distrito

Material esportivo Valor de Referência = US$ 5 bi


Petróleo Metais não ferrosos

Materiais elétricos e
20%
eletroeletrônicos
Metais e pedras preciosas

Carne suína Carne bovina


15%
Aviões
2002/2007

Produtos farmacêuticos Café

10%

5%

Crescimento (x;y; Importações mundiais totais)


Impressos: 128%;13%;US$ 1,27 bi

0%
0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80%
Taxa de crescimento médio anual das exportações brasileiras do setor para o distrito 2002/2007
Fonte: GTIS. Elaboração: UIC APEX-Brasil Copyright © 2008 Apex Brasil

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
12. EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS

Tendo em vista a classificação utilizada pelo Fundo Monetário Internacional (FMI)22 e os dados do Banco
Central do Brasil (Bacen)23, entre 2000 e 200624, o Brasil exportou serviços para a China em apenas quatro
categorias: serviços financeiros; royalties e licenças; outros serviços a empresas e serviços governamentais.

A fonte primária dos dados de exportação de serviços, fundamentada pelo balanço de pagamentos
brasileiros, é o contrato de câmbio firmado pelas empresas prestadoras de serviços com o banco em que se
realizou o recebimento da remessa. Dessa maneira, os dados restringem-se aos setores em que o
Regulamento do Mercado de Câmbios e Capitais Internacionais (RMCCI), de 2005, permite a classificação de
setor exportador de serviços.

Cabe ressaltar que a origem das transações relacionadas ao comércio de serviços não representa o local da
prestação do serviço. Trata-se, de fato, do local de origem do pagamento. Ademais, é freqüente a
intermediação financeira do comércio entre país contratante e país prestador de serviços, em terceiros
países. Os países que servem de triangulação para as transações comerciais são utilizados porque oferecem
privilégios tributários, sigilo bancário ou livre conversibilidade de moedas. O país de origem das remessas
também pode diferir do local de realização dos serviços, quando o contratante utiliza a sede ou um
escritório em país próximo ao local de execução do serviço para firmar o contrato e realizar o pagamento.

No tocante ao dimensionamento real do comércio mundial de serviços, é necessário recordar que o General
Agreement on Trade in Services (GATS) reconhece a existência de quatro modalidades de prestação de
serviços: (1) comércio transfronteiriço, (2) consumo no exterior, (3) presença comercial e (4) movimento
temporário de pessoas físicas. Como os dados estatísticos a respeito desse comércio originam-se no balanço
de pagamentos dos países, os resultados representam, principalmente, a modalidade de comércio
transfronteiriço. Além disso, nem todos os serviços exportados nas outras modalidades são, efetivamente,
registrados nos balanços comerciais dos países. Dessa maneira, a mensuração do comércio, por falta de
outros meios de registro, é sub-dimensionada.

22
Entre os vários sistemas de classificação de setores de serviço, o mais utilizado é “Service Sectorial Classification List”, conhecido
por W/120, utilizado pela Organização Mundial do Comércio (OMC) e pelo “General Agreement on Trade in Service” (GATS), e o
“Central Product Classification” (CPC), das Nações Unidas. A classificação de serviços utilizados, neste estudo, entretanto, baseia-se
nos setores contemplados nos itens do balanço de serviços da 5ª edição do Manual de Balanço de Pagamento do Fundo Monetário
Internacional (FMI), denominado “Extended Balance of Payments Services Classification” (EBOPS). A escolha fundamenta-se, na
obrigatoriedade, dos países membros do FMI de fornecer informações econômico-financeiras, de acordo com o Art. VIII, seção 5, do
Convênio Constitutivo do Fundo.
23
O Bacen é o órgão do governo brasileiro responsável por informar, na conta de transações correntes, o fluxo do comércio de
serviços, como detalhamento do balanço de pagamentos brasileiros.
24
Os dados desse ano são preliminares.
Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
12.1. Importações chinesas de serviços

A pujança e a diversidade da economia chinesa podem ser observadas também no setor de serviços, cujas
exportações aumentaram em 23%, de 2005 para 2006. Isso demonstra a demanda ampla de serviços
apresentada na figura a seguir, que contempla as importações chinesas totais de serviços.

O segmento com maior crescimento sustentado, entre 2000 e 2006, foi o setor denominado outros serviços
a empresas, que engloba: serviços jurídicos, serviços contábeis, de auditoria e assessoria tributária, serviços
de consultoria em administração, gestão e relações públicas, serviços de engenharia consultiva e de
arquitetura, publicidade, pesquisa de mercado e pesquisas de opinião pública, pesquisa e desenvolvimento,
serviços agrícolas e de mineração no local, tratamento de dejetos e descontaminação, serviços agrícolas e
de mineração no local, outros serviços empresariais e serviços prestados entre empresas relacionadas.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Importações Chinesas de Serviços

30.000

25.000

20.000
US$ Milhões

15.000

10.000

5.000

-
2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006

Transpo rte 3.671 4.635 5.720 7.906 12.068 15.427 21.015


Viagem 16.231 17.792 20.385 17.406 25.739 29.296 33.949
Serviços de comunicação 1.345 271 550 638 440 485 738
Serviços de construção 602 830 1.246 1.290 1.467 2.593 2.753
Serviços de seguro 108 227 209 313 381 549 548
Serviços financeiro s 78 99 51 152 94 145 145
Serviços co mputacio nais e 356 461 638 1.102 1.637 1.840 2.958
info rmacio nais
Ro yalties e licenciamentos 80 110 133 107 236 157 205
Outro s serviços a empresas 7.663 8.448 10.419 17.427 19.952 23.283 28.973
Serviços pessoais, culturais e de 11 28 30 33 41 134 137
recreação
Serviços Governamentais 285 433 363 359 378 495 579

Fonte: FM I. Elabo ração : UIC – A pex-Brasil.

Os destaques nas importações chinesas, entre 2005 e 2006, são os setores de serviços computacionais com
variação de 60,7%; os serviços de comunicação, de 52%; os serviços de transportes, de 36%; royalties e
licenciamentos, na ordem de 30%.

12.2. Exportações brasileiras de serviços

As exportações brasileiras de serviços são tão diversificadas quanto as importações chinesas. Os setores de
outros serviços a empresas, transportes e viagens apresentam participação e crescimento significativos na
pauta de exportação, como indica a figura abaixo.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Exportações Brasileiras de Serviços
9.000

8.000

7.000

6.000
US$ Milhões

5.000

4.000

3.000

2.000

1.000

-
2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006*
Transpo rte 1.409 1.422 1.536 1.822 2.467 3.139 3.439
Viagem 1.810 1.731 1.998 2.479 3.222 3.861 4.316
Serviço s de co municação 36 242 135 449 243 239 205
Serviço s de co nstrução 318 296 61 35 61 86 99
Serviço s de seguro 312 180 206 124 105 134 324
Serviço s financeiro s 376 317 390 363 423 507 738
Serviço s co mputacio nais e 34 27 36 29 53 88 102
info rmacio nais
Ro yalties e licenciamento s 125 112 100 108 113 102 150
Outro s serviço s a empresas 4.478 4.335 4.270 4.108 4.893 6.644 8.491
Serviço s pesso ais, culturais e de 63 58 58 54 47 56 81
recreação
Serviço s Go vernamentais 537 604 761 877 957 1.192 1.517
Fo nte: B acen. Elabo ração : UIC - A pex-B rasil. * Dado s P reliminares

A oferta exportável em outros serviços a empresas, alcançando US$ 8,4 bilhões de exportações totais e US$
1,5 milhão para a China, e reflete um conjunto amplo de serviços profissionais. Os serviços computacionais
e de informação, que, além dos serviços de informática, envolvem os serviços de informação, tais como
serviços de agências de notícias e serviços de provimento de informação, na pauta de exportações
brasileiras, alcançaram US$ 102 milhões em 2006.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
12.3. Exportações brasileiras de serviços para a China

O total comercializado em serviços brasileiros, na China, em 2006, foi de US$ 26,56 milhões, o que equivale
a 0,25% do valor exportado em produtos. Contudo, imagina-se que o valor real das exportações brasileiras
de serviços para a China seja maior do que o acima exposto.

Essa possível distorção decorre das dificuldades de registro e das freqüentes intermediações financeiras
entre país consumidor e país fornecedor de serviços, mencionados anteriormente. Vale notar que é possível
que empresas, que não são chinesas, estejam contratando serviços por meio de suas matrizes, de maneira
que a origem da remessa poderia ser qualquer outro país.

No caso específico da China, chama a atenção o valor exportado pelo Brasil para Hong Kong: US$ 235
milhões de dólares, em 2006. Tendo em vista que não é provável que o Brasil tenha relações comerciais em
serviços tão aprofundadas com esse país e que Hong Kong enquadra-se no caso de intermediação financeira
acima mencionado. Infere-se que os serviços estejam sendo prestados na China e pagos via bancos dessa
zona administrativa especial.

A figura abaixo traz as exportações brasileiras para a China, por tipo de serviço, entre 2000 e 200625.

25
Os dados referentes a 2006 são preliminares.
Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Exportações Brasileiras de Serviços para a China
20

18

16

14
US$ Milhões

12

10

0
2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006*
Serviço s financeiro s 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1,09 1,55
Ro yalties e licenças 0,00 1,11 1,57 0,00 0,00 0,00 0,00
Outro s serviço s a empresas 0,00 2,82 2,39 2,26 5,99 8,49 18,81
Serviço s go vernamentais 1,95 5,95 1,95 0,00 0,00 0,00 1,96
Fo nte: Bacen. Elabo ração : UIC – A pex-B rasil. *Dado s Preliminares.

12.3.1. Outros serviços a empresas

Entre as categorias com registro de exportação de serviços para a China no balanço brasileiro de
pagamentos, destacou-se o grupo de outros serviços prestados a empresas, o qual não apresentava dados
de exportações, em 2000, e que, entre 2001 e 2006, teve crescimento de 567%.

De 2005 para 2006, enquanto as importações chinesas mundiais de outros serviços empresariais cresceram
24,4% e as exportações brasileiras totais cresceram 27,85%, as exportações brasileiras para a China
aumentaram em 121,5%.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Outros serviços a empresas
23.283 28.973
17.427 19.952
7.663 8.448 10.419 8.491
4.893 6.644
4.478 4.335 4.270 4.108

18,81
8,49
5,99
2,82 2,39 2,26

2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006*

Exportações brasileiras para a China


Importações chinesas totais
exportações brasilerias totais
Fonte: FMI e BACEN. Elaboração: UIC – Apex-Brasil.

Ao se considerar a possível triangulação financeira em Hong Kong para o pagamento das prestações de
outros serviços na China, é relevante destacar o volume de US$ 233,6 milhões recebidos de Hong Kong pelo
Brasil. Pode-se deduzir que parte desse valor esteja relacionado ao comércio de serviços com a China.

Se comparadas as importações de outros serviços a empresas da China e de Hong Kong, nota-se, a despeito
das diferenças econômicas e demográficas, um volume muito superior de importações nessa zona
administrativa especial. A discrepância observada reforça o argumento de ser possível que Hong Kong
esteja servindo de intermediário financeiro para as contratações chinesas.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Outros serviços a empresas
comparação entre China e Hong Kong

233.697
49.052 71.677
7.000 5.420 8.065
3.550 1.904

18,81
5,99 8,49
2,82 2,39 2,26

2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007

importações chinesas oriundas do Brasil importações de Hong Kong oriundas do Brasil

Fonte: BACEN. Elaboração: UIC – Apex-Brasil.

Pode-se depreender dos dados apresentados que as oportunidades para o Brasil na China, no tocante a
exportação de serviços, concentram-se, principalmente, nos serviços profissionais prestados a empresas.
Fundamenta-se a oportunidade no crescimento da demanda chinesa, no aumento da oferta brasileira e no
crescimento da participação brasileira na China.

12.3.2. Serviços financeiros

Em 2007, a China ocupou a 25ª posição no ranking dos principais destinos das exportações de serviços do
Brasil, alcançando o total de US$ 2,3 milhões. Outros países, com possíveis intermediações financeiras,
também devem ser considerados nesse caso: Hong Kong com US$ 2,4 milhões e Taiwan com US$ 1,17
milhão.

O crescimento das exportações de serviços financeiros brasileiros para a China relaciona-se à presença de
bancos brasileiros naquele país, a exemplo do Itaú BBA e do Banco do Brasil. A presença dessas empresas
relaciona-se às oportunidades financeiras do mercado e à presença comercial brasileira.

As operações do Banco Itaú iniciaram-se em 2005, atuando apenas no atacado. Segundo o Banco Itaú S/A,
os principais clientes em Xangai são empresas brasileiras com presença comercial ou de operações naquele
mercado. Além da China, este banco também se encontra em Hong Kong, onde há uma corretora para
vender ações e títulos de dívida aos investidores asiáticos.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
O Banco do Brasil, por sua vez, atende clientes pessoa física e pessoa jurídica. O público alvo continua sendo
as empresas brasileiras presentes na China. Ainda há um restrito número de clientes chineses.

12.3.3. Royalties e direitos de licença

Participa do setor de royalties o recebimento de venda de franquias comerciais e direitos similares; além de
todos os tipos de direitos de autoria, de marca, de patente e afins. Dada a fragilidade do registro de dados
de transação comercial e a dificuldade de classificação no estabelecimento do contrato de câmbio como
royalties, os valores das exportações brasileiras destes e os direitos de licenças aparecem apenas entre 2000
e 2003.

As dificuldades relatadas por empresas, que mantêm relações comerciais com a China, indicam que há
movimentações de recebimento de remessas de royalties que não obtiveram a anuência de alíquota zero,
prevista nas exportações de serviços da RMCCI. Caso isso esteja, sistematicamente, acontecendo, é
justificável a ausência de registro no período de 2003 a 2006; ainda que existam contratos de cessão de
direitos de empresas brasileiras para o mercado chinês.

Ademais, é comum que ganhos de direitos e royalties sejam re-investidos no próprio país em que se gerou a
receita; a depender do tipo de setor como, por exemplo, o de franquias. Segundo dados da Associação
Brasileira de Franquias (ABF), hoje apenas a Arezzo está na China, utilizando a estratégia de entrada no
mercado pelo franchising.

13. CONSIDERAÇÕES FINAIS


Dados o tamanho e o dinamismo, o mercado chinês apresenta inúmeras oportunidades para diversos
produtos brasileiros. É notório que as exportações brasileiras para a China cresceram, consideravelmente,
nos últimos anos; no entanto, a participação do Brasil nesse mercado ainda é modesta, 1,92% do market
share chinês. Ressalta-se que o Brasil foi, em 2007, o 14º maior fornecedor para a China.

Os empresários brasileiros estão pouco familiarizados com o mercado chinês. Os altos custos de transporte
e logística na competitividade brasileira são desafios a serem vencidos por aqueles que desejam exportar
para a China. Apesar de o país apresentar índices de performance logística superiores aos do Brasil, os
valores influenciados pela distância entre os dois costumam impactar, fortemente, o preço dos produtos
brasileiros. Além disso, há considerável dificuldade de penetração no mercado chinês, que pode ser
superada com o estabelecimento de parcerias com empresas locais.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Hoje, a maior parte das exportações brasileiras para a China está concentrada em commodities e produtos
com baixo valor agregado, mas espera-se que o Brasil aproveite as oportunidades que têm surgido em
outros setores. Afinal, apesar de apenas 8% dos produtos brasileiros exportados para a China, em 2007,
serem manufaturados, 75% dos produtos importados pela China, nesse ano, foram de produtos dessa
categoria.

Alguns setores como os relacionados à construção civil deparam-se com um momento bastante positivo na
China. Devido ao boom na construção civil no país, o mercado demanda grandes quantidades desses
produtos. No caso do Brasil, percebe-se que existem oportunidades para diversos setores desse complexo.
Insumos como aço, ferro e cobre representam as maiores exportações brasileiras, contudo podem
alavancar a venda de outros produtos relacionados. Ações de promoção comercial desse complexo podem
gerar impacto bastante positivo nas exportações brasileiras para o país.

A expansão da produção industrial chinesa demanda importação de máquinas e equipamentos, o que gera
oportunidades significativas para as empresas brasileiras. Uma boa rede de relacionamento com médias e
grandes empresas dessa esfera no mercado pode levar a negócios vultosos. Nesse sentido, a presença das
empresas brasileiras na China pode ser um diferencial competitivo.

Na China, os investimentos na área de saúde ainda são baixos. Apesar do aumento da renda per capta, o
número de médicos e enfermeiras no país não tem acompanhado a demanda. Entretanto, o país necessita
de diversos produtos utilizados na área médica, o que pode gerar oportunidades para as exportações
brasileiras desse grupo.

Os alimentos ainda enfrentam algumas dificuldades para entrar no mercado chinês. O governo da China
impõe algumas medidas que dificultam o acesso ao país. Ademais, critérios pouco objetivos adotados pelos
órgãos aduaneiros e de fiscalização que prejudicam as exportações brasileiras.

Para a moda, existem dois mercados muito distintos na China: o de luxo e o que busca melhores preços. O
setor de luxo, na China, está crescendo significativamente, mas há uma preferência por produtos de marcas
de grande destaque internacional, como as da Europa. O mercado de produtos mais acessíveis está sendo
amplamente abastecido por países asiáticos, que podem oferecer preços mais baixos.

Em termos de exportação de serviços, a principal oportunidade brasileira encontra-se na categoria serviços


a empresas, mais especificamente em exportação de serviços profissionais. Vale notar que Hong Kong é
registrado como um dos cinco principais destinos das exportações brasileiras de serviços. Tendo em mente
a provável intermediação financeira das exportações para a China feita por Hong Kong, esses números
indicam a relevância do mercado chinês para os serviços brasileiros.

Inclusive, uma parte significativa das exportações brasileiras para a China é triangulada por Hong Kong e,
eventualmente, por Taiwan e Macau. Isso se deve a expertise dessas regiões, que se abriram ao comércio

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
exterior antes da China continental, e a acordos que trazem condições de comércio privilegiadas. Essa
opção deve ser considerada na formulação de estratégia de acesso ao mercado chinês das empresas
brasileiras.

14. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BEIJING CDS INFORMATION CONSULTING CO., LTD. How to Export to The People’s Republic of China.
Ministry of Foreign Relations of Brazil, 2006.

CHINA STATISTICS PRESS. China Statistical Yearbook 2007. 2007.

EUROMONITOR INTERNATIONAL. China business environment: Deepening allure. 2007

------ China: Country Factfile. 2008

------ China: Country Profile. 2007.

------ Consumer Lifestyles in China. 2006.

GLOBAL MARKET BRIEFINGS. Doing Business with China. Quinta Edição. GMB Publishing Limited, 2005.

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES. Como Exportar: República Popular da China. Brasília, 2007.

THE ECONOMIST INTELLIGENCE UNIT. China economy: Quick View - Trade surplus narrows as exports
ease. 2008

------ China economy: The upside of inflation. 2008.

------ China: Country Commerce 2007. 2007.

------ China: Country Profile 2007. 2007.

------ China regulations: Legal obligations. 2007.

14.1. Sítios Consultados:

Banco Mundial: http://www.worldbank.org/

BrazilTradeNet: http://www.braziltradenet.gov.br/

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Divisão de Atos Internacionais/ Ministério das Relações Exteriores do Brasil:
http://www2.mre.gov.br/dai/Home.htm

Euromonitor International: http://www.portal.euromonitor.com/portal/server.pt?

Events Eye: http://www.eventseye.com/

Fundo Monetário Internacional: http://www.imf.org/external/index.htm

Global Trade Atlas / Global Trade Information Service: http://www.gtis.com/gta/

Market Access Map / international Trade Centre: www.macmap.org

National Bureau of Statistics of China: http://www.stats.gov.cn/english/

Oanda: http://www.oanda.com/

People’s Daily Online: http://english.peopledaily.com.cn/

Radar Comercial: http://radarcomercial.desenvolvimento.gov.br/radar/

Setor de Promoção Comercial do Brasil em Pequim: http://www.brazil.org.cn/secom/secom_pt.htm

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
ANEXOS

Anexo I – Principais acordos em vigor entre China e Brasil

São listados abaixo os principais acordos bilaterais em vigor entre a China e o Brasil de interesse para os
exportadores brasileiros26. Os textos dos mesmos estão à disposição na Divisão de Atos Internacionais do
Ministério das Relações Exteriores do Brasil27.

• Acordo de Comércio (1978);


• Convênio de Transportes Marítimos (1980);
• Protocolo Adicional ao Acordo de Comércio (1984);
• Memorando sobre Cooperação em Matéria Siderúrgica (1984);
• Protocolo de Cooperação em Matéria de Siderurgia (1985);
• Memorado de Entendimento sobre Minério de Ferro (1990);
• Protocolo de Intenções sobre o Incremento do Comércio Bilateral de Minério de Ferro e
a Promoção da Exploração Conjunta de Reservas de Minério de Ferro (1993);
• Acordo sobre Serviços Aéreos (1997);
• Acordo sobre Quarentena Vegetal (1997);
• Acordo sobre Cooperação em Matéria de Quarentena e Saúde Animal (1998);
• Memorando de Entendimento sobre Cooperação Industrial entre o MDIC do Brasil e a
SDPC da China (2002);
• Memorando de Entendimento na Área de Segurança Sanitária e Fitossanitária de
Produtos Alimentares (2004);
• Acordo, p t n, para Flexibilização da Concessão de Vistos para Empresários (2004);
• Memorando de Entendimento sobre o Estabelecimento da Comissão Sino-Brasileira de
Alto Nível de Concertação e Cooperação (2004);
• Protocolo sobre Quarentena e Condições Sanitárias e Veterinárias de Carne de Aves a
ser Exportada do Brasil para a República Popular da China (2004);
• Protocolo sobre Quarentena e Condições Sanitárias e Veterinárias de Carne Bovina a ser
Exportada do Brasil para a República Popular da China (2004);
• Memorando de Entendimento sobre Cooperação em Matéria de Comércio e
Investimento (2004);
• Memorando de Entendimento sobre Cooperação na Área de Proteção Ambiental
(2005);
• Memorando de Entendimento sobre Cooperação em Conservação da Biodiversidade
Florestal (2005);

26
Fonte: Divisão de Atos Internacionais do Ministério das Relações Exteriores do Brasil.
27
Os textos de alguns acordos podem ser encontrados pela página na internet dessa Divisão:
http://www2.mre.gov.br/dai/bichina.htm
Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
• Memorando de Entendimento em Cooperação Industrial (2005);
• Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da República
Popular da China sobre o Fortalecimento da Cooperação na Área de Implementação de
Infra-Estrutura de Construção (2006).

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Anexo II – Feiras

Feiras Internacionais na China


Setor : Alimentos e Bebidas
FHC - FOOD & DRINK '2008
04 a 06 de Dezembro, 2008
http://www.fhcchina.com/
AGRI CHINA 2008
07 a 09 DE ABRIL. 2008
http://www.agri-china.cn/
INTERFOOD CHINA 2008
03 a 05 de Junho, 2008
http://www.faircanton.com/
BIOFACH CHINA 2008
03 a 05 de Junho , 2008
http://www.biofach-china.com/
BAKERY CHINA 2008
20 a 22 de Maio, 2008
http://www.bakery-china.de/
SIAL CHINA '2008
14 a 16 de Maio, 2008
http://www.sialchina.com/
WORLD OF FOOD CHINA 2008
03 A 05 DE Setembro, 2008
http://www.worldoffoodchina.com/
INTERWINE CHINA 2008
03 a 05 de Junho, 2008
http://www.faircanton.com/
COFFEE FESTIVAL CHINA 2008
12 a 14 de maio,2008
http://www.faircanton.com/coffee/
SIFSE 2008
28 a 30 de Junho, 2008
http://www.sifse.com/en/index.asp
Fonte: Events Eye. Elaboração UIC Apex-Brasil

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Feiras Internacionais na China
Setor : Aeronáutico/Aéroespacial
AVIATION EXPO CHINA 2009
29 a 29 de Setembro, 2009
http://www.beijingaviation.com/
AVIONICHINA 2008
27 a 29 de Novembro, 2008
http://www.avionichina.com/
CAIE 2008
27 a 29 de Novembro, 2008
www.gracefair.com
AIRSHOW CHINA 2008
04 a 09 de novembro, 2008
http://www.airshow.com.cn/
INTER AIRPORT CHINA 2008
02 a 04 de dezembro, 2008
www.interairportchina.com
Fonte: Events Eye. Elaboração UIC Apex-Brasil

Feiras Internacionais na China


Setor : Saúde
CHINA MED 2008
03 a 05 de Abril, 2008
www.chinamed.net.cn
MEDTEC CHINA GUANGZHOU 2008
07 a 11 de Setembro, 2008
www.medtecchina.com
MES CHINA 2008
15 e 16 de Setembro, 2008
www.gracefair.com/cn
BIOTECH CHINA 2008
28 a 30 de Maio, 2008
http://www.biotech-china.com/
Fonte: Events Eye. Elaboração UIC Apex-Brasil

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Feiras Internacionais na China
Setor : Moda
CHINA SHOES DONGGUAN 2008
16 a 18 de Abril de 2008
http://www.chinashoesexpo.com/
CANTON DYE 2008
09 a 11 de Junho de 2008
http://www.cantontextile.com/dye
CANTON FABRIC 2008
09 a 11 de Junho de 2008
http://www.cantonfabric.com.cn/
FASHION ACCESSORIES - GUANGZHOU 2008
30 de junho a 02 de julho, 2008
http://www.globalsources.com/
ALL CHINA LEATHER EXHIBITION 2008
03 a 05 de Setembro de 2008
http://www.aplf.com/
CTFE 2008
02 a 04 de Junho de 2008
http://www.ctfe.com.cn/en
MODA SHANGHAI 2008
03 a 05 de Setembro de 2008
http://www.aplf.com/
CHINA LEATHER 2008
24 a 26 de Setembro de 2008
http://www.donnor.com/leather/
Fonte: Events Eye. Elaboração UIC Apex-Brasil

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Anexo III – Ações para o mercado chinês planejadas no âmbito dos projetos da Apex-Brasil

Ações planejadas no âmbito dos projetos da Apex -2008


Tipo de Data Data
Projeto Evento Cidade
Evento Início Término
Feira Internacional China - 2007 -
ABIC - Associação Brasileira da Indústria Exportadora de Café China Xangai 5/3/2008 8/3/2008
BSCA
ABICALÇADOS - Promoção Comercial do Calçado Brasileiro - FASE IV Feira Moda Shanghai China Xangai 28/3/2008 31/3/2008

ABICALÇADOS - Promoção Comercial do Calçado Brasileiro - FASE IV Feira China China Hong Kong 31/3/2008 2/4/2008
ABIMAQ - 2007/2009 - PSI de Promoção de Comércio Exterior de
Projeto Vendedor Àsia China Xangai 1/1/2009 30/6/2009
Máquinas e Equipamentos
ANAFIM - Programa Setorial Integrado de Promoção das Exportações Missão
Visita aos Mercados 2008 Xangai 1/10/2008 21/11/2008
de Instrumentos Musicais do Brasil - Fase II Comercial
ASSINTECAL 2007/2009 - Projeto de Internacionalização de Empresas
Feira SHOES & LEATHER China Guangzhou 28/5/2008 31/5/2008
de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos

ASSINTECAL 2007/2009 - Projeto de Internacionalização de Empresas


Feira ALL CHINA China Xangai 5/9/2008 7/9/2008
de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos

ASSINTECAL 2007/2009 - Projeto de Internacionalização de Empresas Feiras no


Feira APLF - Março/2008 Hong Kong 31/3/2008 2/4/2008
de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos Exterior

ASSINTECAL 2007/2009 - Projeto de Internacionalização de Empresas Feiras no


Feira ALL CHINA - Setembro/2008 Xangai 5/9/2008 7/9/2008
de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos Exterior

ASSINTECAL 2007/2009 - Projeto de Internacionalização de Empresas Feiras no


Feira APLF - Abril/2009 Hong Kong 28/3/2009 30/3/2009
de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos Exterior

ASSINTECAL 2007/2009 - Projeto de Internacionalização de Empresas Feira SHOES & LEATHER - Feiras no
Guangzhou 28/5/2009 31/5/2009
de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos Junho/2009 Exterior
ASSINTECAL Feira APLF China Hong Kong 31/3/2008 2/4/2008
CICB - PROGRAMA BRASILEIRO PARA EXPANSÃO DA EXPORTAÇÃO DE Feira Guangzhou International Shoes Feiras no
Guangzhou 1/4/2008 30/6/2008
COUROS & Leather Exhibition Exterior

CICB - PROGRAMA BRASILEIRO PARA EXPANSÃO DA EXPORTAÇÃO DE Feira Guangzhou International Shoes
China Guangzhou 28/5/2008 31/5/2008
COUROS & Leather Exhibition
CICB - PROGRAMA BRASILEIRO PARA EXPANSÃO DA EXPORTAÇÃO DE
Feira APLF China Hong Kong 31/3/2008 2/4/2008
COUROS
IBGM 2007/2009 - Projeto Setorial Integrado de Apoio às Exportações September Hong Kong Watch & Feiras no
Hong Kong 1/9/2008 1/9/2008
de Gemais, Jóias e Afins Jewellery Fair 2008 Exterior
IBGM 2007/2009 - Projeto Setorial Integrado de Apoio às Exportações Prospecção de Novas Feiras no Feiras no
Xangai 28/11/2008 28/11/2008
de Gemais, Jóias e Afins Exterior – Shanghai 2008 Exterior
IBGM 2007/2009 - Projeto Setorial Integrado de Apoio às Exportações September Hong Kong Watch &
China Hong Kong 15/9/2008 19/9/2008
de Gemais, Jóias e Afins Jewellery Fair 2008
IBRAVIN FHC China China Xangai 4/12/2008 6/12/2008
IPD Biofach Shangai China Xangai 29/5/2008 31/5/2008
Missão
ONIP - PSI Petróleo Missão China Xangai 23/6/2008 27/6/2008
Comercial
Fonte: SIGEOR Apex-Brasil Elaboração UIC - Apex-Brasil

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Anexo IV – Principais órgãos relacionados aos trâmites alfandegários da China28

São os seguintes os órgãos ligados ao regime e aos trâmites alfandegários na China:

• Administração Geral da Alfândega


Controla a importação de mercadorias, recolhe impostos e taxas, elabora estatísticas comerciais, além de
combater o contrabando com o apoio das forças policiais. A Administração Geral da Alfândega opera em
cerca de 300 portos de entrada, metade dos quais na província de Guangdong.

• Ministério do Comércio
Administra as licenças de importação e o sistema de cotas. O Ministério estabeleceu o Escritório de
Notificação e Consultas à OMC para lidar com temas relativos à China e à OMC.

• Comissão de Tarifas Aduaneiras do Conselho de Estado


Estabelece as tarifas aplicadas. Essa Comissão é presidida pelo Ministro das Finanças e conta com a
participação do Chefe da Administração Geral da Alfândega e do Ministério do Comércio.

• Administração Geral de Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena


Supervisiona a inspeção, as quarentenas e os padrões técnicos exigidos dos bens importados.

• Administração de Certificação e Credenciamento da República Popular da China


Responsável por unificar a administração, supervisão e coordenação das certificações e credenciamentos na
China, e a criação de normas nacionais compatíveis com as regras da OMC. A Administração tem uma
ampla área de atuação, que inclui:
 Regras e normas relativas à certificação, credenciamento, licenças de segurança, registros sanitários
e avaliações de conformidade na China;
 Catalogação de produtos sujeitos à certificação e licenças de segurança compulsórias;
 Avaliação de registros sanitários para unidades de fabricação e processamento que utilizam
alimentos e cosméticos importados, além da responsabilidade pela notificação do registro no
exterior das unidades de fabricação;
 Responsabilidade pela certificação de laboratórios de calibragem, análise e inspeção;
 Responsabilidade pela avaliação do credenciamento dos laboratórios envolvidos na inspeção,
quarentena e supervisão de segurança nas fronteiras;
 Cooperação com o Ministério do Comércio e com a Administração Estatal de Indústria e Comércio
para regular as operações dos órgãos de certificação, análise e inspeção de outros países e regiões;
 Representação da China em órgãos internacionais e regionais.

28
Trecho adaptado do guia “Como Exportar para a China”, do MRE.
Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Anexo V – Contatos importantes29

1. Representações diplomáticas e consulares

1.1 Na China

Embaixada do Brasil
27, Guang Hua Lu, Beijing, 100600
Pequim - República Popular da China
Tel.: + 86 (10) 6532-2881
Fax: + 86 (10) 6532-2751
E-mail: info@brazil.org.cn
Homepage: www.brazil.org.cn

Setor de Promoção Comercial (Secom)


E-mail: secom@brazil.org.cn
Homepage: www.brazil.org.cn/secom/secom_pt.htm
Horários de funcionamento: 9h às 13h e 14h30 às
18h.

Consulado-Geral do Brasil em Xangai – Setor de Promoção Comercial (Secom)


1375 Huaihai Zhonglu, 10/F, Qihua Tower,
Shanghai 200031 – República Popular da China
Tel.: + 86 (21) 6437-0110
Fax: + 86 (21) 6437-0160
E-mail: secom.xangai@shiuol.cn
secom@consbrasxangai.com
Zona de jurisdição consular: Xangai, províncias de Zhejiang e Jiangsu

Consulado-Geral do Brasil em Hong Kong – Setor de Promoção Comercial (Secom)


Rooms 2014-21 Sun Hung Kai Center 30, Harbour Road Wanchai
Hong Kong S. A. R. China
Tel.: + 852 2525-7003 / 2525-7002
Fax: + 852 2877-2813
E-mail: secomhkg@brazilianconsulate.org.hk
Zona de jurisdição consular: Hong Kong e Macau

29
Fonte: guia “Como Exportar para a China”, do MRE.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Escritório Comercial em Taipé – Setor de Promoção Comercial (Secom)
5F. Chung Shan N. Rd., Sec. 6, Shihlin, Taipei, Taiwan
Tel.: + 886 (2) 2835-7388
Fax: + 886 (2) 2835-7034
E-mail: secom@braziltrade.org.tw

1.2 No Brasil

Embaixada da República Popular da China


SES - Av. das Nações, Quadra 813 Lote 51
70443-900 Brasília – DF
Tel.: (061) 2195-8200
Fax: (061) 3346-3299
Homepage: www.embchina.org.br

Seção Comercial da Embaixada Chinesa


SHIS, Quadra 08, Conj. 05 Casa 20, Lago Sul
71620-255 Brasília – DF
Tel.: (061) 3248-1446
Fax: (061) 3248-2139
E-mail: webmaster@chinaembaco.org.br/por

Consulado-Geral da China em São Paulo


Rua Estados Unidos, 1071 Jardim América
01427-001 São Paulo – SP
Tel.: (011) 3082-9877
Fax: (011) 3062-4396

Seção Comercial do Consulado Geral da China em São Paulo


Rua Bolívia, 107 Jardim América
01437-040 São Paulo – SP
Tel.: (011) 3062-2663
Fax: (011) 3064-1813
E-mail: conchi@sti.com.br
Zona de Jurisdição Consular: São Paulo e Paraná

Consulado-Geral da China no Rio de Janeiro


Rua Muniz Barreto, 715 - Botafogo

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
22251-090 Rio de Janeiro – RJ
Tel.: (021) 2551-4578
Fax: (021) 2551-5736
E-mail: comccco@consulado-china-rj.org.br

2. Governo chinês

Ministério de Relações Exteriores


100701, R.P. da China
Tel.: + 86 (10) 6596-1114
Fax: + 86 (10) 6596-3340
Homepage: www.fmprc.gov.cn

Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (NDRC)


38 Yuetannanjie, Xicheng District, Pequim 100824, R.P.da China
Tel.: + 86 (10) 6850-2114
Fax: + 86 (10) 6851-2929
Homepage: www.ndrc.gov.cn

Comissão Nacional de Administração de Ativos (SASAC)


26 Xuanwumen Xidajie Pequim 100053, R.P. da China
Tel.: + 86 (10) 6319-3616, 6319-2000
Fax: + 86 (10) 6319-3624
Homepage: www.sasac.gov.cn

Ministério de Finanças (MOF)


3 Nansanxiang, Shanlihe, Xicheng District, Pequim 100820, R.P. da China
Tel.: + 86 (10) 6855-1114
Fax: + 86 (10) 6850-2466
Homepage: www.mof.gov.cn

Banco Nacional da China (PBoC)


32 Chengfang St. Xicheng District, Pequim 100800, R.P. da China
Tel.: + 86 (10) 6619-4114
Fax: + 86 (10) 6601-5346
Homepage: www.pbc.gov.cn

Comissão Reguladora de Negócios Bancários da China (CBRC)


No. 33, Chengfangjie, Xicheng District, Pequim 100800, R.P. da China

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Tel.: + 86 (10) 6619-4560
Fax: + 86 (10) 6605-1834
Homepage: www.cbrc.gov.cn

Administração de Câmbio do Estado (SAFE)


No. 18, Fucheng Road, Huarong Mansion, Haidian District, Pequim 100037 R.P. da China
Tel.: + 86 (10) 6840-2255
Fax: + 86 (10) 8840-2315
Homepage: www.safe.gov.cn

Ministério da Agricultura (MOA)


11 Nongzhangguan Nanli, Pequim 100026, R.P. da China
Tel.: + 86 (10) 6419-2452, 64191114
Fax: + 86 (10) 6419-2466
Homepage: www.agri.gov.cn

Ministério do Comércio (MOFCOM)


2, Chang’an St. (E), Pequim 100731, R.P. da China
Tel.: + 86 (10) 6512-1919, 65198114
Fax: + 86 (10) 6519-8173
Homepage: www.mofcom.gov.cn

Administração Geral para Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena (AQSIQ)


9, Madian Rd. (E), Haidian District, Pequim 100088, R.P. da China
Tel.: + 86 (10) 8226-2114
Fax: + 86 (10) 8226-0600
Homepage: www.aqsiq.gov.cn

Administração de Certificação e Acreditação da República Popular da China (CNCA)


9, Madian Rd. (E), Haidian District, Pequim 100088, R.P. da China
Tel.: + 86 (10) 8226-2759
Fax: + 86 (10) 8226-07532
Homepage: www.cnca.gov.cn

Administração Geral de Aduanas


6, Jianguomennei St. Pequim 100730, R.P. da China
Tel.: + 86 (10) 6419-4114, 6519-5040
Fax: + 86 (10) 6512-6020, 6519-5170
Homepage: www.customs.gov.cn

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Administração Nacional de Alimentos e Remédios
38A, Beilishi Rd. Pequim 100810, R.P. da China
Tel.: + 86 (10) 8837-1540, 6831-1986, 6831-5647,
6831-3973
Fax: + 86 (10) 6831-1982
Homepage: www.sda.gov.cn

Administração Nacional de Indústria e Comércio


8, Sanlihe Rd.(E), Pequim 100820, R.P. da China
Tel.: + 86 (10) 6803-2233, 6802-2771
Fax: + 86 (10) 6802-0848
Homepage: www.saic.gov.cn

Escritório Nacional de Propriedade Intelectual


6, Jinmenqiao Xitucheng Road. Pequim 100088, R.P. da China
Tel.: + 86 (10) 62093-1114, 6209-3289
Fax: + 86 (10) 6201-9615
Homepage: www.cpo.cn.net

Administração Nacional de Turismo


9A, Jianguomennei St. Pequim 100740, R.P. da China
Tel.: + 86 (10) 6520-1720
Fax: + 86 (10) 6513-7871
Homepage: www.cnta.gov.cn

3. Câmaras de comércio e associações setoriais

Câmara Chinesa de Comércio para Importação e Exportação de Maquinaria (CCCME)


904, 9th Floor, Building 12, Panjiayuan Office Building,
Panjiayuan Nanli, Chaoyang District, Pequim 100021 China
Tel.: + 86 (10) 5828-0861
Fax: + 86 (10) 5828-0860
E-mail: international@cccme.org.cn
Homepage: www.cccme.org.cn

Câmara Chinesa de Comércio para Importação e Exportação de Gêneros Alimentícios, Produtos Nativos e
Derivados de Animais (CFNA)
No. 21, Xitangzi Lane, Dongcheng District, Beijing 100006
Tel.: + 86 (10) 6513-2567, 6513-2390

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Fax: + 86 (10) 6522-7911, 6513-9064
E-mail: webmaster@cccfna.org.cn
Homepage: www.cccfna.org.cn

Câmara Chinesa de Comércio para Importação e Exportação de Têxteis (CCCT)


7/F., Building 12, Panjiayuannanli, Beijing 100021
Tel: + 86 (10) 6773-9291, 6773-9270 (consulting)
Fax: + 86 (10) 6773-9206
E-mail: info@texchamber.org.cn
Homepage: www.ccct.org.cn/english/default.htm

Câmara Chinesa de Comércio para Importação e Exportação de Produtos Industriais Leves, Artes & Ofícios
(CCCLA)
10/F., Building 12, Panjiayuannanli, Beijing 100021
Tel.: + 86 (10) 6773-2686, 6773-5207, 6773-2707
Fax: + 86 (10) 6773-2698, 6773-2689
E-mail: cccla@ciet.cn.net
Homepage: www.ccla.org.cn

Câmara Chinesa de Comércio de Importação e Exportação de Metais, Minerais e Substâncias Químicas


(CCCMC)
17th Floor, Prime Tower, No. 22, Chawai Street, Chaoyang
District, Beijing 100020 China
Tel.: + 86 (10) 6588-0325, 6588-2823
Fax: + 86 (10) 6588-2825
E-mail: webmaster@cccmc.org
Homepage: www.cccmc.org.cn

Câmara Chinesa de Comércio para Importação e Exportação de Remédios e Produtos de Saúde


(CCCMHPIE)
8/F., Building 12, Panjiayuannanli, Beijing 100021
Tel.: + 86 (10) 6773-4761
Fax: + 86 (10) 6773-4768
E-mail: cccmhpie@public3.bta.net.cn
Homepage: www.cccmhpie.org.cn/

Associação Chinesa Internacional de Empreiteiros (CHINCA)


10th Floor, Zhongjian Mansion, No. 15, Sanlihe Road,
Haidian District, Pequim 100037
Tel: + 86 (10) 8808-3070, 8808-3099

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Fax: + 86 (10) 8808-3100
E-mail: infodept@public.bta.net.cn
Homepage: www.chinca.org/english/e.htm

Conselho Empresarial Brasil-China (CEBC)


Rua Santa Luzia, 651 / 30° andar
CEP 20030-041 Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (021) 3212-4350
Fax: (021) 3212-4351
E-mail: cebc@cebc.org.br
Homepage:www.cebc.org.br/

4. Empresas de transportes

Empresas de Transporte Marítimo Megatranz Transportes Ltd. (escritório de representação de Xangai)


227, Huangpi Bei Lu –18th Floor Unit 12 Xangai 200003 China
Tel.: + 86 (21) 6375-8199
Fax: + 86 (21) 6375-8132
E-Mail: megatranz.shanghai@megatranz.com
Homepage: www.megatranz.com

COSCO Container Lines Ltd., Co.


Tel.: + 86 (21) 6584-2692
Fax: + 86 (21) 6584-9303

COSCO da América do Sul Ltda.


Tel.: (011) 3177-2888
Fax: (011) 3177-2877

SINOTRANS
Tel.: (021) 2531-2036
Fax: (021) 2531-2817
E-mail: sinotransbr@rionet.com.br

PANALPINA China Ltd. (escritório de Pequim)


Tel.: + 86 (10) 6462-3781-5

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Fax: + 86 (10) 6460-5639

Trans-Link Exhibition Forwarding (HK) Ltd.


29/F., Fook Lee Commercial Central, Town Place, 33
Lockhart Road, Wanchai, Hong Kong
Tel.: + 852 2866-2505
Fax: + 852 286-62421
E-mail: enquiry@trans-link.com.hk
Homepage: www.trans-link.com.hk

5. Companhias aéreas

Varig Linhas Aéreas Brasileiras (Varig Log)


Room 325, Aviation Center, No. 1600, Nanjing West
Road, Xangai 200040 China
Tel.: + 86 (21) 6249-1375/1376/1369
Fax: + 86 (21) 6249-1368
E-mail: robhisa@public.sta.net.cn
Homepage: www.variglog.com

Varig Linhas Aéreas Brasileiras


29th Floor, Gloucester Tower, The Landmark,11, Pedder Street, Hong Kong
Tel.: (reservas): + 852 2511-1234
Tel.: + 852 2511-1828
Fax: + 852 2519-3357
E-mail: cesar.yu@varig.com

6. Principais bancos

Banco do Brasil – Hong Kong


Representante: Sr. Sergio A. M. Leite
Unit 3601, 36/F., Tower 2, Lippo Center, 89 Queensway, Admiralty
Hong Kong (SAR) China
Tel.: + 852 2521-6411
Fax: + 852 2587-9990
E-mail: brasil@pacific.net.hk

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
6.1 Bancos locais da China

Banco da China
No. 1, Fuchengmennei Dajie Pequim 100818 China
Tel.: + 86 (10) 6601-6688, 6601-1829
Fax: + 86 (10) 6601-4096
Homepage: www.bank-of-china.com

Escritório de representação do Banco da China em São Paulo


Tel: (011) 3283-1079
Fax: (011) 3283-2730
E-mail: bankofchinasp@uol.com.br

Banco Industrial e Comercial da China


No. 15, Cuiwei Lu, Pequim 100036 China
Tel.: + 86 (10) 6825-7770
Fax: + 86 (10) 6825-7774
Homepage: www.icbc.com.cn

Banco de Agricultura da China


5./F. Yu Long Hotel, 40 Fucheng Road, Pequim 100036 China
Tel.: + 86 (10) 6847-5346
Fax: + 86 (10) 6847-5329
Homepage: www.abichina.com

Banco de Construção da China


25, Finance Street, Pequim 100032 China
Tel.: + 86 (10) 6759-7208
Fax: + 86 (10) 6759-8618
Homepage: www.ccb.com.cn

Banco CITIC
No. 8, Chaoyangmen North Street, Dongcheng District, Pequim 100027 China
Tel.: + 86 (10) 6554-2388
Fax: + 86 (10) 6554-2181
Homepage: www.citicib.com.cn

Everbright Banco da China


No. 6 Fuxingmenwai Dajie, Pequim 100045 China

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Tel.: + 86 (10) 6856-5577
Fax: + 86 (10) 6856-1260
Homepage: www.cebbank.com

Banco Huaxia
No. 111, Xidan North Street, Pequim 100032 China
Tel.: + 86 (10) 6615-1199
Fax: + 86 (10) 6618-8484
Homepage: www.hxb.com.cn

Banco Mercantil
China Merchants Bank Tower, No.7088, Shennan Boulevard,
Shenzhen 518040 China
Tel.: + 86 (755) 319-8888
Fax: + 86 (755) 319-5555, 319-5777
Homepage: www.cmbchina.com

Guangdong Banco de Desenvolvimento


83, Nonglin Xia Road, Guangzhou 510080 China
Tel.: + 86 (20) 8731-0888
Fax: + 86 (20) 8731-0779
Homepage: http://ebank.gdb.com.cn

Shenzhen Banco de Desenvolvimento Ltda.


No. 5047 First Floor, Shenzhen Development Bank Plaza,
Shennan East Road, Shenzhen 518011 China
Tel.: + 86 (755) 208-8888 ext. 8120
Fax: + 86 (755) 208-1816
Homepage: www.sdb.com.cn/

Shanghai Pudong Banco de Desenvolvimento


No. 50 Ningbo Lu, Shanghai 200002 China
Tel.: + 86 (21) 6329-6188
Fax: + 86 (21) 6323-2036
Homepage: www.spdb.com.cn/

Banco de Desenvolvimento Asiático, Escritório de Pequim


Homepage: www.asiandevbank.org

Banco Mundial, Escritório de Pequim

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
9th Floor, Building A, Fuhua Mansion, No. 8, Chaoyangmen
Beidajie, Dongcheng District, Pequim 100027 China
Tel.: + 86 (10) 6554-3361
Fax: + 86 (10) 6554-1686
Oficial de Assuntos Externos
Homepage: www.worldbank.org.cn

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Anexo V – Lista de importadores chineses30

1. Carne de aves

CITIC Trading Co. Ltd.


Endereço: Beijing 100004 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 84861409
Fax: +86 10 64662161

Guangdong Foreign Economic Development Corp., Foshan Co.


Endereço: Foshan, Guangdong 528000 Guangdong [China]
Tefefone: +86 757 83359318
Fax: +86 757 83352005

Shenzhen Guangshen Food Co. Ltd.


Endereço: Shenzhen, Guangdong 518033 Guangdong [China]
Tefefone: +86 755 83600335
Fax: +86 755 83331011

Fujian Building Materials Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Fuzhou, Fujian 350001 Fujian [China]
Tefefone: +86 591 87559143
Fax: +86 591 87559103

Zhejiang Xinda Group Co. Ltd.


Endereço: Hangzhou, Zhejiang 310006 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 571 87031888
Fax: +86 571 87031999

Changchun Cereals, Oils & Foodstuffs Imp. & Exp. Co.


Endereço: Changchun, Jilin 130041 Jilin [China]
Tefefone: +86 431 7879300

Jiangxi Cereals, Oils & Foodstuffs Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Nanchang, Jiangxi 330002 Jiangxi [China]

30
Fonte: Kompass
Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Tefefone: +86 791 6211660
Fax: +86 791 6223843

Jiangxi Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Nanchang, Jiangxi 330002 Jiangxi [China]
Tefefone: +86 791 6372416
Fax: +86 791 6225884

Jiangsu Cereals, Oils & Foodstuffs Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Nanjing, Jiangsu 210001 Jiangsu [China]
Tefefone: +86 25 52202999
Fax: +86 25 52201906

2. Produtos alimentícios

Jiangxi Hua Xia Foreign Trade Corp. Ltd.


Endereço: Nanchang, Jiangxi 330046 Jiangxi [China]
Tefefone: +86 791 6350715
Fax: +86 791 6350918

Jining Yongjia Trade Co. Ltd.


Endereço: Jining, Shandong 272100 Shandong [China]
Tefefone: +86 537 3151837
Fax: +86 537 3151826

China National Processed Food Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Beijing 100005 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 65268888
Fax: +86 10 65278629

China Aeolus Automotive Ind Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Shenzhen, Guangdong 518031 Guangdong [China]
Tefefone: +86 755 83360865
Fax: +86 755 83360860

Ningbo Yitai Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Ningbo, Zhejiang 315012 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 574 87300325
Fax: +86 574 87295204

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
The Department Co. of Huhhot
Endereço: Hohhot, Inner Mongolia 010010 Mongolia Interior [China]
Tefefone: +86 471 6927124
Fax: +86 471 6927090

China Sciences Resources (Ke Hua) Technology Trading Corp.


Endereço: Beijing 100006 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 65132634
Fax: +86 10 65132640

Lanzhou Xinli Imp. & Exp. (Group) Corp.


Endereço: Lanzhou, Gansu 730030 Gansu [China]
Tefefone: +86 931 8461262
Fax: +86 931 8465050

Chuzhou Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Chuzhou, Anhui 239000 Anhui [China]
Tefefone: +86 550 3041301
Fax: +86 550 3042756

Foshan Native Product Import & Export Co. Ltd.


Endereço: Foshan, Guangdong 528000 Guangdong [China]
Tefefone: +86 757 83380281
Fax: +86 757 83380323

Zhaoqing Native Produce Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Zhaoqing, Guangdong 526020 Guangdong [China]
Tefefone: +86 758 2832441
Fax: +86 758 2834539

Zhongshan Native Produce Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Zhongshan, Guangdong 528400 Guangdong [China]
Tefefone: +86 760 8803784
Fax: +86 760 8801219

CHINAPACK Ningbo Imp. & Exp. Co. Ltd.


Endereço: Ningbo, Zhejiang 315010 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 574 87340008
Fax: +86 574 87284157

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Ningbo Native Produce & Animal By-products Imp. & Exp. Corp.
Endereço: Ningbo, Zhejiang 315010 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 574 87319525
Fax: +86 574 87320274

China Export Bases Development, Hunan Corp.


Endereço: Changsha, Hunan 410001 Hunan [China]
Tefefone: +86 731 2282026
Fax: +86 731 2282102

Anhui International Techno-economic Cooperation Corp.


Endereço: Hefei, Anhui 230061 Anhui [China]
Tefefone: +86 551 2840975
Fax: +86 551 2840991

Fujian Aquatic Products Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Fuzhou, Fujian 350005 Fujian [China]
Tefefone: +86 591 3332407
Fax: +86 591 6652339

Guangdong Foreign Economic Development Corp., Zhanjiang Co.


Endereço: Zhanjiang, Guangdong 524001 Guangdong [China]
Tefefone: +86 759 2223278
Fax: +86 759 3381776

Huidong Foreign Economic Development Co.


Endereço: Huidong, Guangdong 516300 Guangdong [China]
Tefefone: +86 752 8832928
Fax: +86 752 8823862

3. Calçados

Foshan Nanhai Tairong Shoes Co., Ltd.


Endereço: Foshan, Guangdong 528521 Guangdong [China]
Tefefone: +86 757 86779883
Fax: +86 757 86788958

CHINALIGHT, Technical Service Co.


Endereço: Beijing 100021 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 67766688

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Fax: +86 10 67747291

Qingdao Jinyang Shoes Co. Ltd.


Endereço: Qingdao, Shandong 266032 Shandong [China]
Tefefone: +86 532 84852130
Fax: +86 532 84855374

Chuzhou Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Chuzhou, Anhui 239000 Anhui [China]
Tefefone: +86 550 3041301
Fax: +86 550 3042756

Ningbo Arts & Crafts Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Ningbo, Zhejiang 315000 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 574 87178598
Fax: +86 574 87298166

Zhejiang Arts & Crafts Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Hangzhou, Zhejiang 310003 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 571 87238888
Fax: +86 571 87063838

Fujian Rongjiang Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Fuzhou, Fujian 350001 Fujian [China]
Tefefone: +86 591 87825666
Fax: +86 591 87825966

Fapai Group Co. Ltd.


Endereço: Wenzhou, Zhejiang 325027 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 577 88999999
Fax: +86 577 86906811

Shanghai Jianpu Imp. & Exp. Co. Ltd.


Endereço: Shanghai 200002 Shanghai [China]
Tefefone: +86 21 63297422
Fax: +86 21 63291981

Gansu Ruichi Trading Co. Ltd.


Endereço: Lanzhou, Gansu 730000 Gansu [China]
Tefefone: +86 931 8816375

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Fax: +86 931 8818800

Zhejiang Zhongda Group Co. Ltd.


Endereço: Hangzhou, Zhejiang 310005 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 571 85155000
Fax: +86 571 85777050

Beijing Daily Used Goods Wholesale Market


Endereço: Beijing 100036 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 68515514
Fax:

Jiangsu Animal By-products Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Nanjing, Jiangsu 210001 Jiangsu [China]
Tefefone: +86 25 52306185
Fax: +86 25 52306282

Wuzhou Leather Products Factory


Endereço: Wuzhou, Guangxi 543003 Guangxi [China]
Tefefone: +86 774 3828149
Fax: +86 774 3827839

4. Borrachas

Zhanjiang Animal By-products Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Zhanjiang, Guangdong 524008 Guangdong [China]
Tefefone: +86 759 2221947
Fax: +86 759 2228212

Nanhai Animal By-products Imp. & Exp. Corp. Of Guangdong


Endereço: Nanhai, Guangdong 528200 Guangdong [China]
Tefefone: +86 757 86325320
Fax: +86 757 83372558

Guangdong Animal By-products Imp. & Exp. Group, Foshan Co.


Endereço: Foshan, Guangdong 528000 Guangdong [China]
Tefefone: +86 757 83200605
Fax: +86 757 83200605

Shantou New Era Imp. & Exp. Co. Ltd.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Endereço: Shantou, Guangdong 515041 Guangdong [China]
Tefefone: +86 754 8161759
Fax: +86 754 8161758

5. Aviões

China National Machinery Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Beijing 100037 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 68991110
Fax: +86 10 68343162

China Ocean Helicopter Corp.(COHC)


Endereço: Shenzhen, Guangdong 518000 Guangdong [China]
Tefefone: +86 755 26971888
Fax: +86 755 26971617

XAC Group
Endereço: Xi'an, Shaanxi 710000 Shaanxi [China]
Tefefone: +86 29 86201721
Fax: +86 29 86203970

Shanghai Airlines
Endereço: Shanghai 200041 Shanghai [China]
Tefefone: +86 21 62558888
Fax: +86 21 62558989

China Aviation Supplies I&E Corp.


Endereço: Beijing 100022 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 65682255
Fax: +86 10 65680903

China National Aero-Technology Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Beijing 100101 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 84972255
Fax: +86 10 84971088

6. Frutas

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
China National Machinery Imp. & Exp. Corp.
Endereço: Beijing 100037 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 68991110
Fax: +86 10 68343162

China Ocean Helicopter Corp.(COHC)


Endereço: Shenzhen, Guangdong 518000 Guangdong [China]
Tefefone: +86 755 26971888
Fax: +86 755 26971617

Qingdao Han King Trading Co. Ltd.


Endereço: Qingdao, Shandong 266071 Shandong [China]
Tefefone: +86 532 86675831
Fax: +86 532 86675833

Yantai Flying Wheel Group Co. Ltd.


Endereço: Yantai, Shandong 264001 Shandong [China]
Tefefone: +86 535 6088807
Fax: +86 535 6088974

Qingdao Free Trade Zone BEIYA International Trading Co,.Ltd.


Endereço: Qingdao, Shandong 266071 Shandong [China]
Tefefone: +86 532 85932563
Fax: +86 532 85878855

China National Aero-Technology Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Beijing 100101 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 84972255
Fax: +86 10 84971088

China National Sugar & Wine Corp.


Endereço: Beijing 100044 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 68365088
Fax: +86 10 68317261

Cixi Haitong Food Group Co. Ltd.


Endereço: Cixi, Zhejiang 315300 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 574 63039988
Fax: +86 574 63039898

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Ningbo Native Produce & Animal By-products Imp. & Exp. Corp.
Endereço: Ningbo, Zhejiang 315010 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 574 87319525
Fax: +86 574 87320274

Dandong Happy Food Co. Ltd.


Endereço: Dandong, Liaoning 118000 Liaoning [China]
Tefefone: +86 415 3122495
Fax: +86 415 3137812

CITIC Trading Co. Ltd.


Endereço: Beijing 100004 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 84861409
Fax: +86 10 64662161

Zhongshan Native Produce Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Zhongshan, Guangdong 528400 Guangdong [China]
Tefefone: +86 760 8803784
Fax: +86 760 8801219

Xiamen Aquatic Products Development Co.


Endereço: Xiamen, Fujian 361005 Fujian [China]
Tefefone: +86 592 2575253
Fax: +86 592 2026575

Fuzhou Native Produce & Animal By-products Imp. & Exp. Co.
Endereço: Fuzhou, Fujian 350005 Fujian [China]
Tefefone: +86 591 87855338
Fax: +86 591 87855228

7. Máquinas e motores

Siemens Ltd., China


Endereço: Beijing 100102 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 64721888
Fax: +86 10 64721454

Wenling Jinma Micro Motor Co. Ltd.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Endereço: Wenling, Zhejiang 317527 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 576 6986900
Fax: +86 576 6986919

Shanghai Dongyu Materials Co. Ltd.


Endereço: Pudong xinqu 200122 Shanghai [China]
Tefefone: +86 21 51313528
Fax: +86 21 58301938

Shenyang Ludao Electronic Technology Development Co.


Endereço: Shenyang, Liaoning 110003 Liaoning [China]
Tefefone: +86 24 23848811
Fax: +86 24 23893281

Hebei Energetic-ox Motor Group (Hengshui Electric Motor Co. Ltd.)


Endereço: Hengshui, Hebei 053000 Hebei [China]
Tefefone: +86 318 2150842
Fax: +86 318 2121463

Hebei Machinery Import & Export Co., Ltd.


Endereço: Shijiazhuang, Hebei 050051 Hebei [China]
Tefefone: +86 311 87055954
Fax: +86 311 87045546

Shanghai Honyee Cleaning Equipment Co. Ltd.


Endereço: Minhang Qu 201100 Shanghai [China]
Tefefone: +86 21 62709898
Fax: +86 21 62701605

Suzhou Hengliang Imp & Exp Co. Ltd


Endereço: Suzhou, Jiangsu 215004 Jiangsu [China]
Tefefone: +86 512 68298157
Fax: +86 512 68298191

China National Electronics Imp. & Exp. Corp. (CEIEC)


Endereço: Beijing 100036 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 68296205
Fax: +86 10 68223907

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Fashion Yulong(Beijing) Trade Co., Ltd.
Endereço: Beijing 100069 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 52258088
Fax: +86 10 52258099

8. Metais e pedras preciosas

AT&M Refractory Material and Ceramics Branch


Endereço: Beijing 100081 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 62182734
Fax: +86 10 62182213

Shuidong Rare Metals Industry Co.


Endereço: Dianbai, Guangdong 525400 Guangdong [China]
Tefefone: +86 668 5528783
Fax: +86 668 5522314

Foshan Camaron Aluminium Co. Ltd.


Endereço: Foshan, Guangdong 528055 Guangdong [China]
Tefefone: +86 757 88911162
Fax: +86 757 88911158

Shanghai Puyuan Foreign Economic & Trading Company


Endereço: Shanghai 200001 Shanghai [China]
Tefefone: +86 21 63517275
Fax: +86 21 63525345

Gansu Ruichi Trading Co. Ltd.


Endereço: Lanzhou, Gansu 730000 Gansu [China]
Tefefone: +86 931 8816375
Fax: +86 931 8818800

China Excelsior Aluminium Co. Ltd.


Endereço: Shenzhen, Guangdong 518067 Guangdong [China]
Tefefone: +86 755 26691775
Fax: +86 755 26692424

CMIEC, Jilin Ferrous Alloy Co.


Endereço: Jilin, Jilin 132002 Jilin [China]
Tefefone: +86 432 2733185

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Fax: +86 432 2732058

Jiangxi Hua Xia Foreign Trade Corp. Ltd.


Endereço: Nanchang, Jiangxi 330046 Jiangxi [China]
Tefefone: +86 791 6350715
Fax: +86 791 6350918

Seamet International Chemical Co. Ltd.


Endereço: Dalian, Liaoning 116001 Liaoning [China]
Tefefone: +86 411 82819829
Fax: +86 411 82656726

Hunan Hezhong Trading Co. Ltd.


Endereço: Changsha, Hunan 410005 Hunan [China]
Tefefone: +86 731 2568058
Fax: +86 731 2232488

China National Non-ferrous Metals Imp. & Exp. Corp. (CNIEC)


Endereço: Beijing 100053 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 63023382
Fax: +86 10 63011397

Shanghai Puyuan Foreign Economic & Trading Company


Endereço: Shanghai 200001 Shanghai [China]
Tefefone: +86 21 63517275
Fax: +86 21 63525345

Gansu Ruichi Trading Co. Ltd.


Endereço: Lanzhou, Gansu 730000 Gansu [China]
Tefefone: +86 931 8816375
Fax: +86 931 8818800

Xiamen Haodesheng Stone & Arts Co.


Endereço: Xiamen, Fujian 361012 Fujian [China]
Tefefone: +86 592 5938888
Fax: +86 592 5249999

CITIC Trading Co. Ltd.


Endereço: Beijing 100004 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 84861409

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Fax: +86 10 64662161

Gansu Metallurgical Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Lanzhou, Gansu 730000 Gansu [China]
Tefefone: +86 931 8875881
Fax: +86 931 8417909

Gansu Non-ferrous Metals Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Lanzhou, Gansu 730000 Gansu [China]
Tefefone: +86 931 8412110
Fax: +86 931 8412197

Guangzhou Machinery & Equipment Imp. & Exp. Co.


Endereço: Guangzhou, Guangdong 510060 Guangdong [China]
Tefefone: +86 20 83540888
Fax: +86 20 83542858

Beijing Lexel International Trade Co.


Endereço: Beijing 100045 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 68024475
Fax: +86 10 68024476

China National Non-ferrous Metals Imp. & Exp. Jiangxi Co.


Endereço: Nanchang, Jiangxi 330046 Jiangxi [China]
Tefefone: +86 791 6279143
Fax: +86 791 6224982

China Railway Imp. & Exp. Co.


Endereço: Beijing 100045 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 68010405
Fax: +86 10 68010406

Ningbo Native Produce & Animal By-products Imp. & Exp. Corp.
Endereço: Ningbo, Zhejiang 315010 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 574 87319525
Fax: +86 574 87320274

China North Industries Shenzhen Corp.


Endereço: Shenzhen, Guangdong 518033 Guangdong [China]
Tefefone: +86 755 33649280

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Fax: +86 755 33649278

Cixi Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Cixi, Zhejiang 315300 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 574 27836624
Fax: +86 574 27836668

Doumen Foreign Economic Development Co.


Endereço: Doumen, Guangdong 519100 Guangdong [China]
Tefefone: +86 756 5523646
Fax: +86 756 5523646

Gaoming Foreign Economic Development Co.


Endereço: Gaoming, Guangdong 528500 Guangdong [China]
Tefefone: +86 757 8881962
Fax: +86 757 8881398

Hunan Machinery Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Changsha, Hunan 410001 Hunan [China]
Tefefone: +86 731 2282603
Fax: +86 731 2282606

Qingyuan Foreign Economic Development Co.


Endereço: Qingyuan, Guangdong 511515 Guangdong [China]
Tefefone: +86 763 3360823
Fax: +86 763 3360748

Shenzhen Shenhua Group Co.


Endereço: Shenzhen, Guangdong 518002 Guangdong [China]
Tefefone: +86 755 82235192
Fax: +86 755 82226853

Yuebei Non-ferrous Metals Imp. & Exp. Co.


Endereço: Shaoguan, Guangdong 512000 Guangdong [China]
Tefefone: +86 751 8885726
Fax: +86 751 8885726

Zhuhai Commercial Service Co.


Endereço: Zhuhai, Guangdong 519020 Guangdong [China]
Tefefone: +86 756 8885425

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Fax: +86 756 8887609

Zhuhai Yuejiao Industrial (Group) Co. Ltd.


Endereço: Zhuhai, Guangdong 519000 Guangdong [China]
Tefefone: +86 756 3330785
Fax: +86 756 3330785

CHINALIGHT, Footwear & Headgear Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Beijing 100021 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 67791530
Fax: +86 10 67747271

Tangshan Industrial Products Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Tangshan, Hebei 063000 Hebei [China]
Tefefone: +86 315 2827257
Fax: +86 315 2827257

China Songhai Industrial Corp.


Endereço: Xiamen, Fujian 361012 Fujian [China]
Tefefone: +86 592 5613282
Fax: +86 592 5061420

Chongqing Iron & Steel Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Chongqing 400080 Chongqing [China]
Tefefone: +86 23 68849394
Fax: +86 23 68849181

Chongqing Metals & Minerals Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Chongqing 400020 Chongqing [China]
Tefefone: +86 23 67524206
Fax: +86 23 67526008

CMIEC, Guizhou Co.


Endereço: Guiyang, Guizhou 550005 Guizhou [China]
Tefefone: +86 851 5931255
Fax: +86 851 5825820

CMIEC, Hainan Co.


Endereço: Haikou, Hainan 570125 Hainan [China]
Tefefone: +86 898 66776734

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Fax: +86 898 66779985

CMIEC, Magang Corp.


Endereço: Ma'anshan, Anhui 243003 Anhui [China]
Tefefone: +86 555 2891182
Fax: +86 555 2324391

Deli Jewelry Co. Ltd


Endereço: Guangzhou, Guangdong 511490 Guangdong [China]
Tefefone: +86 20 34804805
Fax: +86 20 34804805

China National Pearl, Diamond, Gem & Jewellery Imp. & Exp. Corp.
Endereço: Beijing 100020 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 65513990
Fax: +86 10 65531064

9. Papel e celulose

ARJO Wiggins Paper Products (Beijing) Co. Ltd.


Endereço: Beijing 100022 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 86470099
Fax: +86 10 64174660

Beijing Talent Stationery Co., Ltd.


Endereço: Daxing 102600 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 60592988
Fax: +86 10 60592788

Shanghai Puyuan Foreign Economic & Trading Company


Endereço: Shanghai 200001 Shanghai [China]
Tefefone: +86 21 63517275
Fax: +86 21 63525345

Xinxiang Bailu Chemical Fibre Co. Ltd.


Endereço: Xinxiang, Henan 453011 Henan [China]
Tefefone: +86 373 3978970
Fax: +86 373 3096610

CHINAPACK Ningbo Imp. & Exp. Co. Ltd.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Endereço: Ningbo, Zhejiang 315010 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 574 87340008
Fax: +86 574 87284157

CITIC Trading Co. Ltd.


Endereço: Beijing 100004 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 84861409
Fax: +86 10 64662161

Chongqing Light Industrial Products Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Chongqing 400020 Chongqing [China]
Tefefone: +86 23 67858582
Fax: +86 23 67856296

Chinalight Ningbo Imp. & Exp. Co. Ltd.


Endereço: Ningbo, Zhejiang 315010 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 574 87250818
Fax: +86 574 87280447

Fujian Hongda Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Fuzhou, Fujian 350003 Fujian [China]
Tefefone: +86 591 87807365
Fax:

China National Publishing Industry Trading Corp.


Endereço: Beijing 100011 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 64249492
Fax: +86 10 64214540

Sinochem Shanghai Import & Export Corp.


Endereço: Shanghai 200002 Shanghai [China]
Tefefone: +86 21 63289888
Fax: +86 21 63283968

China National Packaging Plastic Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Beijing 100022 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 87774917
Fax:

China National Pulp & Paper Corp.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Endereço: Beijing 100021 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 67780372
Fax: +86 10 67747294

Fitco Trading (Shanghai) Corp. Ltd.


Endereço: Shanghai 200021 Shanghai [China]
Tefefone: +86 21 63858488
Fax: +86 21 63856238

10. Peles e couros

Jiangsu Animal By-products Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Nanjing, Jiangsu 210001 Jiangsu [China]
Tefefone: +86 25 52306185
Fax: +86 25 52306282

Xiamen Haishan Ind. Co. Ltd.


Endereço: Xiamen, Fujian 361009 Fujian [China]
Tefefone: +86 592 5553918
Fax: +86 592 5053903

Guangdong Light Industrial Products, Suitcases Co.


Endereço: Guangzhou, Guangdong 510110 Guangdong [China]
Tefefone: +86 20 83333415
Fax: +86 20 83355214

Zhongyue Light Industrial Imp. & Exp. Goods Packaging Assoc. Corp.
Endereço: Guangzhou, Guangdong 510116 Guangdong [China]
Tefefone: +86 20 83351514
Fax: +86 20 83308515

Jiangsu Hongdou (Group) Corp.


Endereço: Xishan, Jiangsu 214199 Jiangsu [China]
Tefefone: +86 510 83585565
Fax: +86 510 88350139

Chongqing Animal By-products Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Chongqing 400020 Chongqing [China]
Tefefone: +86 23 67522013
Fax: +86 23 67522015

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Qinghai Xinli Cashmere Textile Foreign-Trade Co. Ltd.
Endereço: Xining, Qinghai 810007 Qinghai [China]
Tefefone: +86 971 5316378
Fax: +86 971 5316117

Anhui Import & Export Co. Ltd.


Endereço: Hefei, Anhui 230088 Anhui [China]
Tefefone: +86 551 5338855
Fax: +86 551 5338900

Hangzhou Cereals, Oils & Foodstuffs Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Hangzhou, Zhejiang 310014 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 571 85303388
Fax: +86 571 85302116

Zhejiang Xinda Group Co. Ltd.


Endereço: Hangzhou, Zhejiang 310006 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 571 87031888
Fax: +86 571 87031999

Hangzhou Cereals, Oils & Foodstuffs Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Hangzhou, Zhejiang 310014 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 571 85303388
Fax: +86 571 85302116

Zhejiang Xinda Group Co. Ltd.


Endereço: Hangzhou, Zhejiang 310006 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 571 87031888
Fax: +86 571 87031999

11. Plásticos

Xinxiang Bailu Chemical Fibre Co. Ltd.


Endereço: Xinxiang, Henan 453011 Henan [China]
Tefefone: +86 373 3978970
Fax: +86 373 3096610

Guanghan Chemical Advanced Materials Factory

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Endereço: Guanghan, Sichuan 618300 Sichuan [China]
Tefefone: +86 838 5224098
Fax: +86 838 5224098

Shanghai Runhong Dyes Imp.& Exp. Co. Ltd.


Endereço: Shanghai 200002 Shanghai [China]
Tefefone: +86 21 63210716
Fax: +86 21 63215844

Beijing Lexel International Trade Co.


Endereço: Beijing 100045 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 68024475
Fax: +86 10 68024476

Hubei Nete Geosynthetics Co. Ltd.


Endereço: Yichang, Hubei 443003 Hubei [China]
Tefefone: +86 717 6341902
Fax: +86 717 6341523

Ningbo Firewheel Thermal Insulation & Sealing Co. Ltd.


Endereço: Shanghai 200000 Shanghai [China]
Tefefone: +86 21 55100619
Fax: +86 21 55100485

Ningbo Tianqin Imp. & Exp. Co. Ltd.


Endereço: Ningbo, Zhejiang 315000 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 574 87812515
Fax: +86 574 87812555

Gore Fitration Products (Shanghai) Co.


Endereço: Shanghai 200040 Shanghai [China]
Tefefone: +86 21 62471999
Fax: +86 21 62479199

Beijing Kehua Chemical New-tech Co.


Endereço: Beijing 100080 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 62554017
Fax: +86 10 62565854

Shantou Ocean Enterprises (Group) Co.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Endereço: Shantou, Guangdong 515041 Guangdong [China]
Tefefone: +86 754 8250515
Fax: +86 754 8253419

TIANSHENG SEALING LTD.


Endereço: Cixi, Zhejiang 315302 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 574 63827777
Fax: +86 574 63822555

Economos Shanghai
Endereço: Shanghai 200040 Shanghai [China]
Tefefone: +86 21 62076475
Fax: +86 21 62076439

Dandong Visionseal Co. Ltd.


Endereço: Dandong, Liaoning 118009 Liaoning [China]
Tefefone: +86 415 6158092
Fax: +86 415 6157612

Deluxe Spas Co., Ltd.


Endereço: Foshan, Guangdong 528244 Guangdong [China]
Tefefone: +86 757 85611979
Fax: +86 757 85627822

XI'AN BI-WAY ELECTRIC MECHANICAL CO., LTD.


Endereço: Xi'an, Shaanxi 710075 Shaanxi [China]
Tefefone: +86 29 88330965
Fax: +86 29 88330977

Changzhou Sinochem Qinfeng Plastics Co. Ltd.


Endereço: Changzhou, Jiangsu 213018 Jiangsu [China]
Tefefone: +86 519 8828729
Fax: +86 519 8828730

Hubei Nete Geosynthetics Co. Ltd.


Endereço: Yichang, Hubei 443003 Hubei [China]
Tefefone: +86 717 6341902
Fax: +86 717 6341523

Shanghai Hitec Plastics Co., Ltd.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Endereço: Fengxian 201401 Shanghai [China]
Tefefone: +86 21 37441655
Fax: +86 21 37441677

12. Produtos cerâmicos

Tianjin Arts & Crafts Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Tianjin 300040 Tianjin [China]
Tefefone: +86 22 23311516
Fax: +86 22 23317828

Beijing Jingnan Application Technology Institute


Endereço: Beijing 100053 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 83547788
Fax: +86 10 63573665

Beijing Zongyuan Building Material Co. Ltd.


Endereço: Beijing 102600 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 61267593
Fax: +86 10 61267993

China National Huayu Imp. & Exp. Trading Corp.


Endereço: Beijing 100027 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 64629628
Fax: +86 10 64617544

China National Water Resources & Electric Power Materials & Equipment Co. Ltd.
Endereço: Beijing 100045 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 51967603
Fax: +86 10 51967895

China Tea Shareholding Corp.


Endereço: Beijing 100747 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 64204127
Fax: +86 10 64204101

Chongqing Light Industrial Products Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Chongqing 400020 Chongqing [China]
Tefefone: +86 23 67858582
Fax: +86 23 67856296

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Chuzhou Imp. & Exp. Corp.
Endereço: Chuzhou, Anhui 239000 Anhui [China]
Tefefone: +86 550 3041301
Fax: +86 550 3042756

Dandong Visionseal Co. Ltd.


Endereço: Dandong, Liaoning 118009 Liaoning [China]
Tefefone: +86 415 6158092
Fax: +86 415 6157612

Fujian Furniture Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Fuzhou, Fujian 350001 Fujian [China]
Tefefone: +86 591 87532772
Fax: +86 591 87506060

Fujian Fuxing Industrial Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Fuzhou, Fujian 350001 Fujian [China]
Tefefone: +86 591 87551608
Fax: +86 591 87551624

Fujian Rongjiang Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Fuzhou, Fujian 350001 Fujian [China]
Tefefone: +86 591 87825666
Fax: +86 591 87825966

Guangdong Fotao Group Corp. Ltd.


Endereço: Foshan, Guangdong 528031 Guangdong [China]
Tefefone: +86 757 2712288
Fax: +86 757 2711188

Guangzhou Arts & Crafts Imp. & Exp. Corp., Panyu Co.
Endereço: Panyu, Guangdong 511400 Guangdong [China]
Tefefone: +86 20 84618232
Fax: +86 20 84614547

Guangzhou Light Ind. Products I&E Group, General Merchandise I&E Co.
Endereço: Guangzhou, Guangdong 510120 Guangdong [China]
Tefefone: +86 20 83336185
Fax: +86 20 83339285

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Hawson (Fujian) Co. Ltd.
Endereço: Quanzhou, Fujian 362011 Fujian [China]
Tefefone: +86 595 22688168
Fax: +86 595 22688618

Hebei Arts & Crafts Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Shijiazhuang, Hebei 050071 Hebei [China]
Tefefone: +86 311 87700317
Fax: +86 311 87789474

KINGART SANITARY WARE CO. LTD.


Endereço: Hangzhou, Zhejiang 311245 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 571 83520288
Fax: +86 571 83520287

Ningbo Yuyao MECLA Foreign Trade Corp.


Endereço: Yuyao, Zhejiang 315400 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 574 62708921
Fax: +86 574 62707508

Qingdao Lianda Lifeng International Trading Co. Ltd.


Endereço: Qingdao, Shandong 266071 Shandong [China]
Tefefone: +86 532 85931281
Fax: +86 532 85931282

Shanghai Jianpu Imp. & Exp. Co. Ltd.


Endereço: Shanghai 200002 Shanghai [China]
Tefefone: +86 21 63297422
Fax: +86 21 63291981

Shenzhen Constructive Equipments & Materials Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Shenzhen, Guangdong 518003 Guangdong [China]
Tefefone: +86 755 25416951
Fax: +86 755 25416951

TIANSHENG SEALING LTD.


Endereço: Cixi, Zhejiang 315302 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 574 63827777
Fax: +86 574 63822555

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
13. Produtos minerais

Sanya Foreign Economic Trade Co.


Endereço: Sanya, Hainan 572000 Hainan [China]
Tefefone: +86 898 88213658
Fax: +86 898 88213301

Guangxi Non-ferrous Metals Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Nanning, Guangxi 530012 Guangxi [China]
Tefefone: +86 771 2828847
Fax: +86 771 2805252

Qingdao Yijia Tongshang Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Qingdao, Shandong 266071 Shandong [China]
Tefefone: +86 532 85918395
Fax: +86 532 85918396

Beijing Non-ferrous Metals Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Beijing 100053 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 63013953
Fax: +86 10 63011397

China National Minerals Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Beijing 100101 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 64916666
Fax: +86 10 64916411

China Qing'an International Trade Co. Ltd.


Endereço: Beijing 100027 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 64605227
Fax: +86 10 64604158

Guangzhou Metals & Minerals Imp. & Exp. Ltd.


Endereço: Huadu, Guangdong 510810 Guangdong [China]
Tefefone: +86 20 81087995
Fax: +86 20 81080513

Qinghai Non-ferrous Metals Imp. & Exp. Corp.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Endereço: Xining, Qinghai 810006 Qinghai [China]
Tefefone: +86 971 8232492
Fax: +86 971 8232423

Dashiqiao Foreign Trade Corp.


Endereço: Dashiqiao, Liaoning 115100 Liaoning [China]
Tefefone: +86 417 5813339
Fax:

Ningbo Yitai Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Ningbo, Zhejiang 315012 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 574 87300325
Fax: +86 574 87295204

Dashiqiao Foreign Trade Corp.


Endereço: Dashiqiao, Liaoning 115100 Liaoning [China]
Tefefone: +86 417 5813339
Fax:

Ningbo Yitai Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Ningbo, Zhejiang 315012 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 574 87300325
Fax: +86 574 87295204

Baoting Foreign Economic Relations & Trade Co.


Endereço: Baoting, Hainan 572300 Hainan [China]
Tefefone: +86 898 83668571
Fax:

CMIEC, Shanxi Co.


Endereço: Taiyuan, Shanxi 030001 Shanxi [China]
Tefefone: +86 351 4049041
Fax: +86 351 4049041

Shanxi Machinery Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Taiyuan, Shanxi 030002 Shanxi [China]
Tefefone: +86 351 8368342
Fax: +86 351 4040693

China National Coal Industry Imp. & Exp. Group Corp. (CNCIEC)

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Endereço: Beijing 100011 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 64287188
Fax: +86 10 64287100

China Sciences Resources (Ke Hua) Technology Trading Corp.


Endereço: Beijing 100006 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 65132634
Fax: +86 10 65132640

CITIC Trading Co. Ltd.


Endereço: Beijing 100004 Beijing [China]
Tefefone: +86 10 84861409
Fax: +86 10 64662161

Gansu Metallurgical Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Lanzhou, Gansu 730000 Gansu [China]
Tefefone: +86 931 8875881
Fax: +86 931 8417909

Ningbo United Group Co. Ltd.


Endereço: Ningbo, Zhejiang 315803 Zhejiang [China]
Tefefone: +86 574 86222256
Fax: +86 574 86221320

China North Industries Shenzhen Corp.


Endereço: Shenzhen, Guangdong 518033 Guangdong [China]
Tefefone: +86 755 33649280
Fax: +86 755 33649278

Qingyuan Foreign Economic Development Co.


Endereço: Qingyuan, Guangdong 511515 Guangdong [China]
Tefefone: +86 763 3360823
Fax: +86 763 3360748

Yuebei Non-ferrous Metals Imp. & Exp. Co.


Endereço: Shaoguan, Guangdong 512000 Guangdong [China]
Tefefone: +86 751 8885726
Fax: +86 751 8885726

Shantou SEZ Ceramics Corp.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Endereço: Shantou, Guangdong 515041 Guangdong [China]
Tefefone: +86 754 8262696
Fax: +86 754 8260205

Chongqing Iron & Steel Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Chongqing 400080 Chongqing [China]
Tefefone: +86 23 68849394
Fax: +86 23 68849181

Chongqing Metals & Minerals Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Chongqing 400020 Chongqing [China]
Tefefone: +86 23 67524206
Fax: +86 23 67526008

CMIEC, Guizhou Co.


Endereço: Guiyang, Guizhou 550005 Guizhou [China]
Tefefone: +86 851 5931255
Fax: +86 851 5825820

CMIEC, Hainan Co.


Endereço: Haikou, Hainan 570125 Hainan [China]
Tefefone: +86 898 66776734
Fax: +86 898 66779985

CMIEC, Magang Corp.


Endereço: Ma'anshan, Anhui 243003 Anhui [China]
Tefefone: +86 555 2891182
Fax: +86 555 2324391

Guizhou Chemicals Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Guiyang, Guizhou 550001 Guizhou [China]
Tefefone: +86 851 6827276
Fax: +86 851 8642150

Hunan Metals & Minerals Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Changsha, Hunan 410001 Hunan [China]
Tefefone: +86 731 2282329
Fax: +86 731 2283305

Jiangmen Jingyuan Trading Co. Ltd.

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.
Endereço: Jiangmen, Guangdong 529050 Guangdong [China]
Tefefone: +86 750 3361098
Fax: +86 750 3399129

Longchuan Imp. & Exp. Trade Co.


Endereço: Longchuan, Guangdong 517300 Guangdong [China]
Tefefone: +86 762 6752186
Fax: +86 762 6752186

Ruyuan Imp. & Exp. Trade Co.


Endereço: Ruyuan, Guangdong 512700 Guangdong [China]
Tefefone: +86 751 5382524
Fax: +86 751 5383509

Shaoguan Metals & Minerals Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Shaoguan, Guangdong 512023 Guangdong [China]
Tefefone: +86 751 8251972
Fax: +86 751 8251972

Xiamen Metallurgical Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Xiamen, Fujian 361009 Fujian [China]
Tefefone: +86 592 5135731
Fax: +86 592 5135705

Yunfu Metals & Minerals Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Yunfu, Guangdong 527300 Guangdong [China]
Tefefone: +86 766 8826107
Fax: +86 766 8828625

Zhuhai Metals & Minerals Imp. & Exp. Corp.


Endereço: Zhuhai, Guangdong 519070 Guangdong [China]
Tefefone: +86 756 3260120
Fax: +86 756 3260120

Copyright © 2008 Apex Brasil • Todos os direitos reservados.

Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº. 9.610, de 19/2/1998. Venda proibida. Distribuição gratuita pela Apex-Brasil.