Sie sind auf Seite 1von 47

EXERCÍCIOS - REALISMO

1. (FEI-SP)​ Leia atentamente:

I. "Segunda Revolução Industrial, o cientificismo, o progresso tecnológico, o


socialismo utópico, a filosofia positivista de Auguste Comte, o evolucionismo formam
o contexto sociopolítico-econômico-filosófico-científico em que se desenvolveu a
estética realista."
II. "O escritor realista acerca-se dos objetos e das pessoas de um modo pessoal,
apoiando-se na intuição e nos sentimentos."
III. "Os maiores representantes da estética realista/naturalista no Brasil foram:
Machado de Assis, Aluísio Azevedo e Raul Pompéia."
IV. "Poderíamos citar como característica da estética realista: o individualismo, a
linguagem erudita e a visão fantasiosa da sociedade."
Verificamos que em relação ao Realismo/naturalismo está (estão) correta (corretas):

1. apenas I e II.

2. apenas I e III.

3. apenas II e IV.

4. apenas II e III.

5. apenas III e IV.

2. (USF-SP) ​Pode-se entender o Naturalismo como uma particularização do Realismo


que:

1. se volta para a Natureza a fim de analisar-lhe os processos cíclicos de


renovação.

2. pretende expressar com naturalidade a vida simples dos homens rústicos


nas comunidades primitivas.

3. defende a arte pela arte, isto é, desvinculada de compromissos com a


realidade social.

4. analisa as perversões sexuais, condenando-as em nome da moral religiosa.

5. estabelece um nexo de causa e efeito entre alguns fatores sociológicos e


biológicos e a conduta das personagens.

3. (UCS-RS)​ Embora tradicionalmente se considere o ano de 1893 como data final do


Realismo e suas manifestações no Brasil, sabe-se que, na verdade, durante os primeiros
vinte anos do século XX, essa estética desenvolveu-se paralelamente:
1. ao Romantismo e ao Parnasianismo.

2. ao Pré-Modernismo e ao Modernismo.

3. ao Simbolismo e ao Modernismo.

4. ao Simbolismo e ao Pré-Modernismo.

5. ao Parnasianismo e ao Modernismo.

4. (MACK-SP)​ O cientificismo comunicou feitio próprio ao Realismo-Naturalismo.


Assinale a alternativa que ​não​ apresenta o cientista e a respectiva teoria científica ou
filosófica correspondentes à época daquele movimento literário.

1. Darwin – Teoria da evolução das espécies e sua revolução biológica.

2. Comte – Teoria positivista, que explica todos os fenômenos sujeitos às leis


naturais.

3. Taine – Teoria do ambientalismo determinante: a obra de arte como


produto do meio, momento e raça.

4. Claude Bernard - Teorias da medicina experimental, mostrando a


importância da fisiologia no comportamento do indivíduo.

5. Kant – Teoria segundo a qual a razão constrói o mundo da ciência


servindo-se das aparências das coisas, formas de nossa sensibilidade.

5. (UFPR)​ Eça de Queirós afirmava:


"O Realismo é a anatomia do caráter. É a crítica do homem. É a arte que nos pinta a
nossos próprios olhos – para nos conhecermos, para que saibamos se somos verdadeiros
ou falsos, para condenar o que houver de mau na nossa sociedade."
Para realizar essa proposta literária, quais os recursos utilizados no discurso realista?
Selecione-os na relação abaixo e depois assinale a alternativa que os contém:
1. Preocupação revolucionária, atitude de crítica e de combate;

2. imaginação criadora;

3. personagens fruto da observação; tipos concretos e vivos;

4. linguagem natural, sem rebuscamentos;

5. preocupação com mensagem que revela concepção materialista do homem;

6. senso de mistério;

7. retorno ao passado;

8. determinismo biológico ou social.

1. 1, 2, 3, 5, 7, 8.
2. 1, 3, 4, 5, 8.

3. 2, 3, 4, 6, 7,

4. 3, 4, 5, 6, 8.

5. 2, 3, 4, 5, 8.

6. (FGV-SP)​ Há, no romance brasileiro do século XIX, um filão que se caracteriza por
criar quadros da sociedade carioca, com visão crítica dessa sociedade, e "perfis
femininos", que foram inicialmente esboços de análise psicológica. Nele podemos incluir
autores de momentos diferentes como:

1. Joaquim Manuel de Macedo, José de Alencar e Machado de Assis.

2. Joaquim Manuel de Macedo, Martins Pena e Manuel Antônio de Almeida.

3. José de Alencar, Machado de Assis e Álvares de Azevedo.

4. Martins Pena, Machado de Assis e Álvares de Azevedo.

5. Manuel Antônio de Almeida, Martins Pena e José de Alencar.

7. (MACK-SP)​ Assinale a alternativa ​incorreta​ sobre a prosa naturalista:

1. As personagens expressam a dependência do homem às leis naturais.

2. estilo caracteriza-se por um descritivismo intenso, capaz de refletir a


visualização pictórica dos ambientes.

3. Os tipos são muito bem delimitados, física e moralmente, compondo


verdadeiras representações caricaturais.

4. Tem como objetivo maior aprofundar a dimensão psicológica das


personagens.

5. comportamento das personagens e sua movimentação no espaço


determinam-lhe a condição narrativa.

8. (UFPR)
"Marcas de lona suspensas em varais de ferro, umas sobre as outras, encardidas com
panos de cozinha, oscilavam à luz moribunda e macilenta das lanternas. Imagine-se o
porão do navio mercante carregado de miséria. No intervalo das peças, na meia
escuridão dos recôncavos moviam-se corpos seminus, indistintos. Respirava-se um odor
nauseabundo de cárcere, um cheiro acre de suor humano diluído em urina e alcatrão.
Negros, de boca aberta, roncavam profundamente, contorcendo-se na inconsciência do
sono."
Com relação a esse fragmento da obra ​Bom-Crioulo​, de Adolfo Caminha, é correto
afirmar que apresenta a(s) seguinte(s) característica(s) naturalista(s):
1. Tentativa de impessoalidade em relação à voz narrativa.

2. Despreocupação com pormenores descritivos, o que torna o ritmo narrativo


extremamente rápido.

3. Subjetividade na descrição do espaço.

4. Valorização de ambientes exóticos, objetivando a recuperação estética das


figuras marginalizadas socialmente.

5. Preferência por espaços miseráveis e socialmente inferiores.

Está correta a seqüência:

1. I, II e V.

2. I, IV e V.

3. II, III e IV.

4. I, II, III, IV. e V.

5. II, III e V.

9. (FUVEST-SP)
"E naquela terra encharcada e fumegante, naquela umidade quente e lodosa, começou a
minhocar, e esfervilhar, a crescer, um mundo, uma coisa viva, uma geração, que parecia
brotar espontânea, ali mesmo, daquele lameiro, a multiplicar-se como larvas no
esterco."
O fragmento de ​O cortiço​, romance de Aluísio Azevedo, apresenta uma característica
fundamental do Naturalismo. Qual?

1. Uma compreensão psicológica do Homem.

2. Uma compreensão biológica do Mundo.

3. Uma concepção idealista do Universo.

4. Uma concepção religiosa da Vida.

5. Uma visão sentimental da Natureza.

10. (FEI-SP)
"Desnudam-se as mazelas da vida pública e os contrastes da vida íntima; e buscam-se
para ambas causas naturais (raça, clima, temperamento) ou culturais (meio e
educação), que lhes reduzem de muito a área de liberdade. O escritor tomará a sério as
suas personagens e se sentirá no dever de descobrir-lhes a verdade, no sentido
positivista de dissecar os móveis do seu comportamento." (Alfredo Bosi)
O texto refere-se ao:

1. Romantismo

2. Realismo.

3. Simbolismo.

4. Parnasianismo.

5. Modernismo.

11. (F. Objetivo-SP)​ Analise o seguinte fragmento e responda:


"A primeira que se pôs a lavar foi a Leandra, por alcunha a Machona, portuguesa feroz,
berradora, pulsos cabeludos e grossos..." (Aluísio Azevedo)
Descrição de personagens pela acentuação de caracteres biológicos e raciais é
característica do:

1. Romantismo.

2. Realismo.

3. Modernismo.

4. Impressionismo.

5. Naturalismo.

12. (PUC-RJ)​ Estão relacionadas a seguir características de movimentos literários.


Delas, apenas uma não se refere ao Naturalismo. Qual?

1. Busca da objetividade científica.

2. Idealização da natureza.

3. Determinismo biológico.

4. Tematização do psicológico.

5. Aplicação do método experimental.

13. (F.M. Santa Casa-SP)​ As questões A e B referem-se ao mesmo conjunto de textos.

1. "Daí a um mês manifestaram-se claramente os efeitos da pisadela e do


beliscão; sete meses depois teve a Maria um filho, formidável menino de
quase três palmos de comprimento, gordo, vermelho, cabeludo,
esperneador e chorão; o qual, logo depois que nasceu, mamou duas horas
seguidas sem largar o peito."

2. "O jornal publicava também parte do relatório do médico legista, cavalheiro


de honestidade e cultura reconhecidas, já então um dos grandes sociólogos
e etnógrafos do país, relatório que provava que Volta Seca era um tipo
absolutamente normal e que se virara cangaceiro e matara tantos homens
e com tamanha crueldade não fora provocação de nascença. Fora o
ambiente..."

3. "O testamento, que só apareceu e foi aberto depois do enterro,


contemplava com dez contos de réis o afilhado do morto; o mais era
distribuído por hospitais e asilos."

4. "– Está segura! – exclamou o rapaz, sacudido por estas idéias. O sangue
saltava-lhe no corpo; aquela aventura se lhe afigurava a melhor de sua
vida; seu orgulho pueril, de namorador vulgar, espinoteava qual potro que
se pilha às soltas no prado verdejante e proibido. As outras conquistas
vinham logo chamadas por aquelas, e todas as vítimas de sua
sensualidade, ou as cúmplices do seu temperamento e da sua má
educação, enfileiravam-se defronte dele, como um submisso batalhão de
prisioneiros."

A. Para os autores naturalistas, os fatores biológicos, reforçados por outros de ordem


social, determinariam o destino das criaturas. Identifique o excerto de autor naturalista.
B. O realismo que isola Manuel Antônio de Almeida no panorama do romance romântico
provém, em parte, das linhas caricaturais que desenha sua variada galeria de
personagens. Identifique o excerto de sua autoria.
14. (COVEST-PE)​ Assinale ​V​ para verdadeiro e ​F​ para falso. Sobre o
Realismo/Naturalismo brasileiro:

1. Pode-se dizer que uma das maiores influências sofridas foi a do


Positivismo.

2. Por razões de dependência cultural, nosso Realismo apresenta, de modo


geral, as mesmas características do Realismo francês.

3. Uma das principais diferenças entre o Romantismo e o Realismo brasileiros


é que o Realismo tem uma visão idealizada da realidade e o Romantismo
tenta descrever a realidade tal qual é.

4. Os naturalistas mostram, em seus romances, que o homem é determinado


pelo meio e pelo momento histórico.

5. regionalismo, iniciado com ​O sertanejo​, de José de Alencar, é um exemplo


típico do Naturalismo brasileiro.

15. (COVEST-PE)​ Relacione a coluna I com a coluna II.


Coluna I

(1) Valorizou o indianismo com intuito nativista.

(2) Idealizou a vida campestre com verdadeiro estado de poesia.

(3) Analisou o momento histórico, revelando-o em sua miséria moral e econômica.

Coluna II
Realismo

Romantismo

Arcadismo

A seqüência correta, de cima para baixo, é:

1. 3, 1, 2.

2. 3, 2, 1.

3. 2, 3, 1.

4. 2, 1, 3.

5. 1, 3, 2.

16. (UCBA)​ É possível caracterizar o romance naturalista por vários traços, entre os
quais o fato de que nele:

1. as ações dos homens são consideradas resultantes de um compromisso


moral entre o ser humano e ​as forças espirituais, que transcendem a
matéria e tendem ao eterno​.

2. há preferência por temas sociais e psicológicos, visto que o ​objetivo maior


dessa corrente literária é a análise percuciente das causas e conseqüências
dos fatos históricos.

3. se observa uma intenção consciente do escritor no sentido de imprimir à


narração um cunho animista, necessário para explicar a relação entre o
homem e a natureza.

4. a narração exalta ​o homem metafísico​, em oposição ao homem animal,


cujas ações e intenções o escritor analisa e condena, na medida em que
defende uma conduta ética.

5. escritor evita julgar ações e personagens de um ponto de vista ético ou


moral, pois seu intuito é expor e analisar cientificamente a realidade.

17. (MACK-SP)​ Várias características do Realismo estão intimamente ligadas ao


momento histórico, refletindo, dessa forma, as posturas:

1. nacionalista e positivista.

2. positivista e evolucionista.

3. evolucionista e sentimentalista.

4. neoclassicista e socialista.

5. bucólica e antropocêntrica.
18. (PUC-RS)
"[...] uma preta velha, vergada por imenso tabuleiro de madeira, sujo, seboso, cheio de
sangue e coberto por uma nuvem de moscas, apregoava em tom arrastado e
melancólico: 'Fígado, rins e coração'. Era uma vendedeira de fatos de boi. [...] os cães,
estendidos pelas calçadas, tinham uivos que pareciam gemidos humanos, movimentos
irascíveis, mordiam o ar, querendo morder os mosquitos."
Nesse trecho naturalista, Aluísio Azevedo enfatiza a:

1. patologia social.

2. brutalidade do cotidiano.

3. despreocupação ética.

4. força da hereditariedade.

5. ação do meio social.

19. (MACK-SP)​ O romance naturalista de Aluísio Azevedo, em sua busca de


verossimilhança, baseou-se, mais de uma vez, em fatos realmente ocorridos.
O "caso Capistrano" foi um crime que freqüentou a crônica policial carioca da época,
ocorrido por questões de honra. Tal fato teria sido explorado em:

1. mulato.

2. Uma lágrima de mulher.

3. Casa de pensão.

4. A mortalha de Alzira.

5. cortiço.

20. (FEI-SP)​ Observe o fragmento abaixo, pertencente a conhecida obra naturalista:


"Uma escrava cafuza, a quitandeira Bertoleza, que lhe fornecia a comida, tendo perdido
o homem com quem vivia amigada, recebe bem a aproximação de João Romão, logo
tornado seu procurador e conselheiro."
Estamos nos referindo a:

1. Aluísio Azevedo – ​O cortiço.​

2. Aluísio Azevedo – ​Casa de pensão​.

3. Aluísio Azevedo – ​O mulato​.

4. Machado de Assis – ​Quincas Borba.​

5. Raul Pompéia – ​Canções sem metro.​


21. (COVEST-PE)​ Os textos I e II referem-se às questões A e B seguintes.
I. "[...] a sua pele, cor de cobre, brilhava com reflexos dourados; [...] a pupila negra,
móbil, cintilante; a boca forte mas bem modelada e guarnecida de dentes alvos [...] Era
de alta estatura; tinha as mãos delicadas; a perna ágil e nervosa [...], apoiava-se sobre
um pé pequeno, mas firme no andar e veloz na corrida.
Segurava o arco e as flechas com a mão direita caída..."

II. "[Bertoleza] devia ser esmagada, devia ser suprimida [...] ela era o torpe balcão da
primitiva bodega; era o aladroado vintenzinho de manteiga em papel pardo; era o peixe
trazido da praia e vendido à noite ao lado do fogareiro à porta da taberna; era o frege
imundo [...]; era o sono roncado num colchão fétido, cheio de bichos..."
A. Pelas características que apresentam, os dois textos anteriores são, respectivamente:

1. barroco e realista.

2. moderno e moderno.

3. moderno e naturalista.

4. romântico e naturalista.

5. romântico e moderno.

B. Assinale a única alternativa errada:

1. texto I revela a profunda contradição existente em querer valorizar o


nacional sem perder de vista os valores e padrões europeus.

2. texto I é descritivo e a exagerada subjetivação apresenta a personagem


como um ser imponente, idealizado.

3. As metáforas que caracterizam a personagem do texto II são exemplos da


linguagem rude que Aluísio Azevedo utiliza em seus livros.

4. A atmosfera de morbidez criada no texto II contraria os princípios do estilo


de época que o texto I representa.

5. os dois textos são típicos do Modernismo, pois os escritores modernos


amavam demais a liberdade, podendo, portanto, embelezar ou enfear o
que quisessem.

22. (FGV-SP)​ A respeito do autor de ​O Ateneu​, disse Mário de Andrade: "Raul Pompéia,
inconscientemente, foi a última e derradeiramente legítima expressão do barroco entre
nós". Referia-se, com essas palavras, ao:

1. tema nitidamente barroco desenvolvido no romance.

2. fato de que Raul Pompéia viveu no fim da era barroca.


3. requinte verbal da linguagem de Pompéia.

4. espírito religioso da obra.

5. caráter moralista da narração.

23. (FGV-SP)​ No romance ​O cortiço,​ Aluísio Azevedo estabelece uma forte ligação entre
o meio em que vivem as personagens e sua vida material, moral e psicológica. Tal
relação apoia-se nos princípios:

1. do livre-arbítrio religioso.

2. do determinismo científico.

3. do sentimentalismo romântico.

4. do culto à natureza.

5. do ideário modernista.

24. (PUC-RS)​ A redução dos seres humanos ao nível animal, a natureza humana vista
como uma selva onde os fortes, representados por João Romão, devoram os fracos, são
princípios básicos do romance ..... de ..... .

1. A mortalha de Alzira – Aluísio Azevedo.

2. Memorial de Aires – Machado de Assis

3. Casa de pensão – Aluísio Azevedo.

4. cortiço – Aluísio Azevedo.

5. Esaú e Jacó – Machado de Assis.

25. (CESESP-PE)​ Leia os textos seguintes:


Seus romances dividem-se em dois grupos, não porém em duas fases, alternando-se os
românticos e os naturalistas.
"É como romancista social que melhor se afirmou o [seu] talento. É o escritor
apaixonado, o artista combativo, pondo a nu os problemas sociais e morais da realidade
brasileira do seu tempo."
em um dos principais romances, descreve a lenta ascensão do mestiço brasileiro, em sua
participação no campo intelectual, político e social, dificultada pelos preconceitos duma
aristocracia latifundiária e escravocrata.
Embora, como naturalista, pretenda manter uma atitude científica, objetiva e imparcial
na descrição do homem e da sociedade, nele freqüentemente reponta o romantismo
subjacente, no tom polêmico com que combate, por exemplo, o clericalismo, no
apaixonamento com que descreve os males sociais, e em toques de lirismo e patético
diante de personagens vítimas da fatalidade da condição humana.
Esse conjunto de características descreve o mundo literário de:

1. Raul Pompéia.

2. Machado de Assis.

3. Aluísio Azevedo.

4. Inglês de Sousa.

5. Júlio Ribeiro.

26. (PUC-RS)​ Sobre ​O Ateneu,​ de Raul Pompéia, é correto afirmar que:

1. apresenta todas as características do Realismo, exceto a influência do meio


sobre o comportamento do indivíduo.

2. tem como matéria-prima as recordações e impressões da personagem


principal.

3. constitui-se num documento fotográfico da realidade objetiva.

4. segue uma ordem cronológica, apoiando-se no real.

5. não se atém a reflexões críticas em relação ao contexto social.

27. (MACK-SP)​ Assinale a alternativa ​incorreta​ a respeito de ​O Ateneu.​

1. Por apresentar uma estrutura bastante eclética, não se trata de um


romance que tem uma classificação rigorosa como representante de uma
ou outra tendência literária.

2. Tem como narrador em primeira pessoa, Sérgio, que relata fatos ocorridos
com ele no passado.

3. A ação desse romance transcorre no ambiente fechado de um internato,


onde convivem crianças, adolescentes, professores e empregados.

4. A maioria das personagens do romance é apresentada de uma forma


caricatural, realçando seus aspectos negativos.

5. Em função de uma narrativa mais dinâmica, o autor abre mão da análise


psicológica de personagens.

28. (FUVEST-SP)​ Assinale a alternativa correta a respeito de ​O Ateneu,​ romance de


Raul Pompéia:

1. romance de formação que avalia a experiência colegial, por meio de


Sérgio, alter-ego do autor.
2. romance romântico que explora as relações pessoais de adolescentes no
colégio, acenando para o homossexualismo latente.

3. romance naturalista que retrata a tirania do diretor do colégio e o


materialismo de sua mulher com os alunos.

4. romance realista que apresenta um padrão de excelência da escola


brasileira do final do Império.

5. romance da escola do Brasil no final do Império, cuja falência vem


assinalada pelo incêndio do prédio, no final da narrativa.

29. (FESP)​ Identifique o movimento literário, o autor e a obra que traz como
dedicatória a seguinte frase:
"Ao verme que primeiro roeu as frias carnes do meu cadáver dedico como lembrança
estas..."

1. Realismo, Machado de Assis, Memórias póstumas de Brás Cubas

2. Naturalismo, Aluísio Azevedo, O mulato.

3. Naturalismo, Júlio Ribeiro, A carne.

4. Pré-Modernismo, Lima Barreto, Triste fim de Policarpo Quaresma.

5. Romantismo, Álvares de Azevedo, Lembrança de morrer.

30. (UnB-DF)​ De Machado de Assis pode-se afirmar que:

1. em sua prosa, o homem quase desaparece e sobreleva a descrição das


personagens.

2. seu romance ​Ressurreição​, de 1872, inicia a segunda fase do autor, a qual


se caracteriza pela dimensão intimista.

3. na trilogia ​Memórias póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba​ e ​Dom


Casmurro​, o autor explora o tema do adultério, elaborando uma teia de
suspeitas que se sustentam na dissimulação feminina.

4. como ficcionista inicia-se como romântico e evolui para o Realismo.

5. como poeta seus primeiros livros são de caráter simbolista.

6. em seus primeiros livros de versos, vêem-se influências de Gonçalves Dias,


Lamartine e Baudelaire.

7. sua prosa romântica caracteriza-se pelo transbordamento sentimental

8. reproduz nos diálogos de suas personagens a linguagem popular.

31. (USP-SP)
"​Filosofia dos epitáfios

E, aliás, gosto dos epitáfios; eles são, entre a gente civilizada, uma expressão daquele
pio e secreto egoísmo que induz o homem a arrancar à morte um farrapo ao menos da
sombra que passou. Daí vem, talvez, a tristeza inconsolável dos que sabem os seus
mortos na vala comum; parece-lhes que a podridão anônima os alcança a eles mesmos."
O fragmento acima, de ​Memórias póstumas de Brás Cubas,​ exemplifica a seguinte
característica de seu autor:

1. pessimismo com que trata as personagens que ocupam postos


privilegiados na sociedade burguesa, diferentemente do modo como lida
com indivíduos socialmente carentes.

2. uso da ironia como arma de combate às tendências estéticas do


Romantismo, de que nunca sofreu influência.

3. a fixação nos problemas sentimentais, entendidos como única causa da


conduta humana.

4. a tendência à idealização das personagens, herança do Romantismo.

5. a tentativa de compreender a natureza humana naquilo que tem de


universal.

32. (FUVEST-SP)​ [Leia o texto da questão anterior.]


Do ponto de vista da composição, é correto afirmar que o capítulo "Filosofia dos
epitáfios":

1. é predominantemente dissertativo, servindo os dados do enredo e do


ambiente como fundo para a digressão.

2. é predominantemente descritivo, com a suspensão do curso da história


dando lugar à construção do cenário.

3. equilibra em harmonia a narração, à medida que faz avançar a história e


cria o cenário de sua ambientação.

4. é predominantemente narrativo, visto que o narrador evoca os


acontecimentos que marcaram sua saída.

5. equilibra narração e dissertação, com o uso do discurso indireto para


registrar as impressões que o ambiente provoca no narrador.

33. (UFGO)​ Com relação a Machado de Assis, podem-se fazer as seguintes afirmações:

1. literariamente, sua obra inclui contos, poesias e romances.

2. os seus romances da fase realista incluem ​Dom Casmurro, Memórias


póstumas de Brás Cubas, Helena ​e Q​ uincas Borba​.
3. Machado de Assis dá muita importância à paisagem natural da cidade do
Rio de Janeiro, onde suas narrativas transcorrem, descrevendo-a com
colorido e detalhe.

4. Memórias póstumas de Brás Cubas​ é considerado o livro-marco na obra


machadiana, a partir do qual inicia sua fase mais profunda e madura.

5. a visão de mundo de Machado, como se depreende da leitura de seus


romances e contos, é irônica, pessimista e crítica.

6. com respeito ao estilo, Machado de Assis introduz um elemento pouco


comum na literatura de sua época, que é a conversa que o autor/narrador
mantém a todo momento com o leitor.

34. (ITA-SP)
"Tinha-me lembrado a definição que José Dias dera deles, 'olhos de cigana oblíqua e
dissimulada'. Eu não sabia o que era oblíqua, mas dissimulada sabia, e queria verse se
podiam chamar assim [...] deixou-se fitar e examinar. Só me perguntara o que era, se
nunca os vira; eu nada achei de extraordinário; a cor e a doçura eram minhas
conhecidas. A demora da contemplação creio que lhe deu outra idéia do meu intento;
imaginou que era um pretexto para mirá-los mais de perto, com os meus olhos longos,
constantes, enfiados neles, e a isto atribuo que entrassem a ficar crescidos, crescidos e
sombrios, com tal expressão que..."
O excerto faz parte do romance ....., cuja principal personagem feminina é ..... .

1. Memórias póstumas de Brás Cubas – Virgília.

2. Dona Flor e seus dois maridos – Dona Flor.

3. Dom Casmurro – Capitu.

4. cortiço – Rita Baiana.

5. Senhora – Aurélia.

35. (MACK-SP)​ Sobre ​Dom Casmurro​ é correto afirmar que:

1. a partir dos ciúmes de Sancha, Escobar deixa de freqüentar a casa de


Bentinho e Capitu.

2. Ezequiel, sem qualquer sombra de dúvida, apresenta semelhança física


com Escobar.

3. toda a narrativa é parcial, pois se desenvolve a partir da ótica da


personagem-narrador, ou seja, Bentinho.

4. Capitu, devido a seus "olhos de ressaca", deixa claro o adultério cometido.


5. Dona glória, mãe de Bentinho, devido aos conselhos de José Dias, não
chega a mandar o filho para o seminário.

36. (PUC-RS)
"Em vez de ir ao espelho, que pensais que fez Capitu? Não vos esqueçais que estava
sentada de costas para mim. Capitu derreou a cabeça, a tal ponto que me foi preciso
acudir com as mãos e ampará-la; o espaldar da cadeira era baixo. Inclinei-me depois
sobre ela, rosto a rosto, mas trocados, os olhos de um na linha da boca do outro.
Pedi-lhe que levantasse a cabeça, podia ficar tonta, machucar o pescoço. Cheguei a dizer
que estava feia; nem esta razão a moveu."
Na fase da análise psicológica e social, a ficção de Machado de Assis salienta, como
ilustra o texto transcrito a:

1. hipocrisia social.

2. vaidade egoística.

3. ambigüidade feminina.

4. impossibilidade amorosa.

5. insanidade velada.

37. (UNIOESTE-PR)
"Marcela amou-me durante quinze meses e onze contos de réis [...]"

Neste trecho, de ​Memórias póstumas de Brás Cubas,​ Machado de Assis:

1. surpreende o leitor com um vocabulário exótico e comparações


inesperadas.

2. dá seu depoimento autobiográfico e impressionista, através de um estilo


rebuscado e colorido.

3. explora com muita felicidade a "psicologia feminina", razão pela qual foi
aceito com entusiasmo pelo público ansioso de uma literatura romântica.

4. focaliza o emergente proletariado fluminense e os interesses ocultos por


trás de suas ações aparentemente triviais.

5. dá um exemplo da ironia e do humor característicos de sua obra, frutos de


um profundo pessimismo.

38. (UFMS)​ A ação de quase todas as narrativas realistas de Machado de Assis se


passa:

1. em províncias fictícias, nos últimos anos do Brasil-Império.

2. no Rio de janeiro, no decênio que precedeu a Primeira Grande Guerra.


3. em várias regiões do Brasil, no primeiro período republicano.

4. no Rio de Janeiro, ao tempo do Império e da Primeira República.

5. no Rio de Janeiro, nos anos em que se preparava a Independência.

39. (UFCE - adaptada)​ Assinale as afirmativas corretas relativamente à personalidade


literária de Machado de Assis.

1. Iniciou sua carreira literária sob o signo do Romantismo.

2. Em seus romances ​Helena​ e ​Iaiá Garcia,​ ainda se encontra esteticamente


vinculado à maneira romântica.

3. autor repartiu sua produção por vários gêneros, atingindo o ponto mais
alto na crítica literária.

4. A obra poética do autor revela-o como um criador de fina sensibilidade.

5. Na linha do romance psicológico, afirma-se o autor como um dos pioneiros


da ficção brasileira.

40. (UEM-PR)​ Assinale a alternativa incorreta sobre Machado de Assis.

1. Estilo sóbrio, com descrições moderadas.

2. Linguagem vibrante, cheia de metáforas.

3. Senso de humor sutil e velado.

4. Personalidade um tanto melancólica, pessimista.

5. Enfatiza os aspectos psicológicos das personagens.

41. (UCBA)​ Os romances ​Memórias póstumas de Brás Cubas​ e ​O mulato​, do último


quartel do século XIX, inauguram concepções estéticas e filosóficas que se opõem ao:

1. Romantismo.

2. Realismo.

3. Arcadismo.

4. Naturalismo.

5. Simbolismo.

42. (FGV-SP)​ Machado de Assis, a rigor, não foi seguidor fiel de nenhuma escola
literária. No entanto, temos de convir que o autor não deixou de aceitar concepções
próprias do:
1. Neoclassicismo.

2. Ultra-romantismo.

3. Realismo.

4. Futurismo.

5. Modernismo.

43. (Univ. Mogi das Cruzes-SP)​ Unindo o tema do adultério possível e mesclando-o
com cinismo e dúvida, juntando a uma pura amizade de infância a possibilidade de
traição, Machado de Assis elaborou o romance:

1. Quincas Borba.

2. Memorial de Aires.

3. Helena.

4. Paulo e Virgínia.

5. Dom Casmurro.

44. (EU-Ponta Grossa)​ A ironia, apontada como uma das características marcantes da
obra realista de Machado de Assis, tem como fonte:

1. a origem humilde do autor, que o leva a satirizar a burguesia.

2. os preconceitos sociais da época, que marginalizaram o autor.

3. uma visão crítica da sociedade, que caracteriza a ficção realista.

4. as idéias republicanas do autor dentro de uma sociedade monarquista.

5. saudosismo do autor em relação à época do Império.

(FUVEST-SP)​ As questões 45, 46, 47 e 48 referem-se ao trecho seguinte:


"Algum tempo hesitei se devia abrir estas memórias pelo princípio ou pelo fim, isto é, se
poria em primeiro lugar o meu nascimento ou a minha morte. Suposto o uso vulgar seja
começar pelo nascimento, duas considerações me levaram a adotar diferente método: a
primeira é que eu não sou propriamente um autor defunto, mas um defunto autor, para
quem a campa foi outro berço; a segunda é que o escrito ficaria assim mais galante e
mais novo. Moisés, que também contou a sua morte, não a pôs no intróito, mas no
cabo: a diferença radical entre este livro e o Pentateuco."
(Machado de Assis, ​Memórias póstumas de Brás Cubas)​ .

45. (FUVEST-SP)​ o autor afirma que:


1. vai começar suas memórias pela narração de seu nascimento.

2. vai adotar uma seqüência narrativa invulgar.

3. que o levou a escrever suas memórias foram duas considerações sobre a


vida e a morte.

4. vai começar suas memórias pela narração de sua morte.

5. vai adotar a mesma seqüência narrativa utilizada por Moisés.

46. (FUVEST-SP)​ Definindo-se como um "defunto autor", o narrador:

1. pôde descrever sua própria morte.

2. escreveu suas memórias antes de morrer.

3. ressuscitou na sua obra após a morte.

4. obteve em vida o reconhecimento de sua obra.

5. descreveu a morte após o nascimento.

47. (FUVEST-SP)​ Segundo o narrador, Moisés contou sua morte no:

1. promontório.

2. meio do livro.

3. fim do livro.

4. intróito.

5. começo da missa.

48. (FUVEST-SP)​ O tom predominante no texto é de:

1. luto e tristeza.

2. humor e ironia.

3. pessimismo e resignação.

4. mágoa e hesitação

5. surpresa e nostalgia.

49. (E.E. Mauá-SP)​ Sobre o romance ​Memórias póstumas de Brás Cubas​, não é correto
afirmar que:
1. é uma obra inovadora do processo narrativo, que introduz o Realismo no
Brasil.

2. Brás Cubas atua como defunto-narrador, capaz de alterar a seqüência do


tempo cronológico.

3. memorialismo exacerbado acaba por conferir à obra um caráter de crônica.

4. constitui um romance de crítica ao Romantismo, deixando entrever muita


ironia em vários momentos da narrativa.

5. revela crítica intensa aos valores da sociedade e ao próprio público leitor da


época.

50. (PUCC-SP)​ Identifique o trecho em que o narrador de ​Dom Casmurro​ introduz o


romance e considera seu sentido profundo.

1. "Horas inteiras eu fico a pintar o retrato dessa mãe angélica, com as cores
que tiro da imaginação, e vejo-a assim, ainda tomando conta de mim,
dando-me banhos e me vestindo. A minha memória ainda guarda detalhes
bem vivos que o tempo não conseguiu destruir."

2. "O meu fim evidente era atar as duas pontas da vida, e restaurar na
velhice a adolescência. Pois, senhor, não consegui recompor o que foi nem
o que fui. Em tudo, se o rosto é igual, a fisionomia é diferente. É o que vais
entender, lendo."

3. "Faz dois anos que Madalena morreu, dois anos difíceis. E quando os
amigos deixaram de vir discutir política, isto se tornou insuportável. Foi aí
que me surgiu a idéia esquisita de, com o auxílio de pessoas mais
entendidas que eu, compor esta história."

4. "Suposto o uso vulgar seja começar pelo nascimento, duas considerações


me levaram a adotar diferente método: a primeira é que não sou
propriamente um autor defunto, mas um defunto autor, para quem a
campa foi outro berço; a segunda é que o escrito ficaria assim mais
galante e mais novo."

5. "Sua história tem pouca coisa de notável. Fora Leonardo algibebe em


Lisboa, sua pátria; aborrecera-se porém, do negócio, e viera ao Brasil. Aqui
chegando, não se sabe por proteção de quem, alcançou o emprego de que
o vemos empossado."

51. (COVEST-PE)​ Leia atentamente:


"Quando novamente abria os olhos e a carta, a letra era clara e a notícia claríssima.

Escobar vinha assim surgindo da sepultura, do seminário e do Flamengo para se sentar


comigo à mesa, receber-me na escada, beijar-me no gabinete de manhã, ou pedir-me à
noite a bênção do costume. [...] Quando mãe nem filho estavam comigo, o meu
desespero era grande, e eu jurava matá-los ambos, ora de golpe, ora devagar."
Não é correto afirmar em relação ao texto acima (pode haver mais de uma alternativa):

1. foi extraído do romance ​Dom Casmurro​, de Machado de Assis.

2. mostra o sofrimento de Bentinho, que, a cada dia, vê mais semelhanças


entre o filho e o provável amante de Capitu.

3. é fragmento do único romance em que Machado de Assis não se aprofunda


na análise psicológica das personagens.

4. faz parte de um romance típico da fase realista do autor.

5. é narrado em terceira pessoa.

52. (FUVEST-SP)​ A narração dos acontecimentos com que o leitor se defronta no


romance ​Dom Casmurro,​ de Machado de Assis, se faz em primeira pessoa, portanto, do
ponto de vista da personagem Bentinho. Seria, pois, correto dizer que ela se apresenta

1. fiel aos fatos e perfeitamente adequada à realidade.

2. viciada pela perspectiva unilateral assumida pelo narrador.

3. perturbada pela interferência de Capitu que acaba por guiar o narrador.

4. isenta de quaisquer formas de interferência, pois visa à verdade.

5. indecisa entre o relato dos fatos e a impossibilidade de ordená-los.

53. (FEI-SP)
"Em seu último romance, Machado de Assis revela-nos outra face. O romancista
espiritualiza-se, afastando-se da análise das desgraças humanas. Sensíveis mutações
ocorrem, então, em seu espírito, refletindo desprendimento e abnegação. Reconhece-se
no casal Aguiar e D. Carmo o próprio romancista e D. Carolina, acentuando a
coincidência das iniciais: Aguiar e Assis, Carmo e Carolina, além dos traços
autobiográficos na descrição do casal harmônico."
Trata-se do romance:

1. Quincas Borba.

2. Esaú e Jacó.

3. Ressurreição.

4. Dom Casmurro.

5. Memorial de Aires.

54. (CEFET-PR)​ Assinale a alternativa que melhor caracteriza o Realismo:


1. Preocupação em justificar, à luz da razão, as reações das personagens,
seus procedimentos e os problemas sentimentais e metafísicos
apresentados.

2. A apresentação do homem como um ser dominado pelos instintos, taras,


pela carga hereditária, em detrimento da razão.

3. A preocupação em retratar a realidade como ela é, sem transformá-la. O


autor, ao relatar, deverá estar baseado na documentação e observação da
realidade.

4. amor é visto unicamente sob o aspecto da sexualidade e apresentado como


uma mera satisfação de instintos animais.

5. Aspectos descritivos e minuciosos, sempre que possível, baseados na


observação da realidade e do subjetivismo e sentimentalismo do autor.

55. (CEFET-PR)​ Assinale a alternativa que não diz respeito ao Realismo:

1. Finalidade subjetiva da emoção na prosa.

2. Causa e efeito é preocupação do autor.

3. As causas e circunstâncias são importantes.

4. Atitude mais contida que a do Romantismo.

5. empenho na defesa de opiniões.

56. (FMTM)
"Assim, pela primeira vez irrompe na ficção brasileira a psicologia infantil, visto que o
romance romântico preferira focalizar o adolescente ou adulto enredado nas malhas do
amor e da honra, reservando à criança um olhar complacente e via de regra puxado ao
folclórico ou ao melodramático, o que redundava fatalmente em estereotipia e
superficialidade."
Esse filão, que procura aprofundar a análise da alma infantil, foi aberto por

1. Aluísio Azevedo, em ​O mulato​.

2. Raul Pompéia, em ​O Ateneu​.

3. Machado de Assis, em ​Memórias póstumas de Brás Cubas.​

4. José de Alencar, em ​O Sertanejo.​

5. Manuel Antônio de Almeida, em ​Memórias de um Sargento de Milícias.​

57. (PUC-RJ)​ Estão relacionadas abaixo uma série de características de movimentos


literários. Delas apenas uma ​não se refere​ ao Naturalismo. Qual é?
1. Busca da objetividade científica.

2. Idealização da natureza.

3. Determinismo biológico.

4. Tematização do patológico.

5. Aplicação do método experimental.

58. (PUC-RJ)​ Estão relacionados, na primeira coluna, nomes de personagens de ​O


Cortiço​, de Aluísio Azevedo, e na segunda enunciados que podem caracterizá-las.
Numere de forma a indicar a que personagem o narrador atribui qual característica:
( ) Rita Baiana1. amante de João Romão

( ) Firmo2. lutador de capoeira

( ) Jerônimo3. cavouqueiro português

( ) Pombinha4. a flor do cortiço

( ) João Romão5. proprietário do Cortiço

( ) Bertoleza6. amante de Jerônimo

( ) Miranda7. comerciante e comendador

1. 1, 2, 5, 6, 3, 4, 7

2. 4, 3, 2, 1, 7, 6, 5

3. 6, 3, 5, 4, 7, 1, 2

4. 4, 2, 7, 1, 5, 6, 3

5. 6, 2, 3, 4, 5, 1, 7

59. (FMTM)
"Aquilo já não era ambição, era uma moléstia nervosa, uma loucura, um desespero de
acumular, de reduzir tudo a moeda. E seu tipo baixote, socado, de cabelos à escovinha,
a barba sempre por fazer, ia e vinha da pedreira para a venda, da venda às hortas e ao
capinzal..."
Nesse retrato de João Romão, personagem de ​O Cortiço​, patenteia-se a adesão de
Aluísio Azevedo à estética naturalista

1. na insistência em destacar as causas patológicas do comportamento, na


preocupação com os detalhes de descrição do físico.

2. no uso freqüente de hipérboles, na constância dos paradoxos na descrição


do comportamento.
3. no contraste entre a exacerbação dos sentimentos atribuídos à figura
central e a simplicidade da pessoa física.

4. na idealização dos motivos do comportamento, no embelezamento dos


traços físicos mencionados na descrição.

5. na preferência pela narração de episódios, desligados de qualquer


ordenação cronológica.

60. (VUNESP)​ Leia com atenção:


"Raimundo tinha vinte e seis anos e seria um tipo acabado de brasileiro, se não foram os
grandes olhos azuis, que puxara do pai. Cabelos muito pretos, lustrosos e crespos; tez
morena e amulatada, mas fina; dentes claros que reluziam sob a negrura do bigode;
estatura alta e elegante; pescoço largo, nariz direito e fronte espaçosa. A parte mais
característica de sua fisionomia eram os olhos grandes, ramalhudos, cheios de sombras
azuis; pestanas eriçadas e negras, pálpebras de um roxo vaporoso e úmido; as
sobrancelhas muito desenhadas no rosto, como a nanquim, faziam sobressair a frescura
da epiderme, que, no lugar da barba raspada, lembrava os tons suaves e transparentes
de uma aquarela sobre papel de arroz."
O trecho acima transcrito apresenta o retrato físico da personagem principal de um
romance, cujo ano de publicação tem sido tomado didaticamente como fim de um
movimento literário e começo de outro.
Assinale a alternativa que contenha uma afirmação ​incorreta​ sobre esse romance:

1. Raimundo é a personagem do romance ​O Mulato​, responsável pelo título


da obra.

2. Ana Rosa é o nome da heroína de ​O Mulato,​ que, ao final da obra, se casa


com Dias, caixeiro de seu pai e assassino de Raimundo.

3. vilão de ​O Mulato​ é o cônego Diogo, responsável tanto pela morte de José


Pero, pai de Raimundo, quanto pelado próprio Raimundo.

4. Os três principais assuntos tratados por Machado de Assis em ​O Mulato​ são


o racismo, o adultério e a corrupção do clero.

5. Aluísio Azevedo escreveu, além de ​O Mulato​, publicado em 1881, as


seguintes obras: ​O Cortiço, Casa de Pensão, O Coruja, Livro de uma Sogra​.

61. (EU-BA)​ A respeito da ficção de Machado de Assis, pode-se afirmar que

1. se desenvolveu do Romantismo para o Naturalismo, consagrando-se


sobretudo nas crônicas políticas e nos contos satíricos.

2. amadureceu sob a influência de José de Alencar, de quem tomou os temas


e o estilo, tal como se vê em ​Quincas Borba.​
3. é exemplo típico da literatura naturalista, sendo apenas superada pela
obra-prima ​O Cortiço,​ de seu mestre Aluísio Azevedo.

4. representa a conquista da maturidade da literatura nacional a partir de


Memórias Póstumas de Brás Cubas.​

5. atingiu com ​Ressurreição​ e A


​ mão e a luva​ o plano mais alto de nossa
literatura de expressão realista.

62. (FCC-BA)​ ​Memórias Póstumas de Brás Cubas​ é considerado romance divisor de


águas da obra machadiana porque, a partir dele, o autor

1. assume de vez a visão romântica da realidade, apenas esboçada nos


romances da chamada primeira fase.

2. se insere na estética naturalista, ao denunciar as mazelas sociais, os casos


patológicos e os aspectos mais repugnantes da sociedade.

3. procede a uma retificação da própria obra, através da voz de personagens


por meio das quais renega os valores da primeira fase.

4. antecede as conquistas modernistas, com uma postura crítica diante da


civilização industrial e uma atitude de denúncia das misérias do mundo
rural.

5. desmitifica as idealizações românticas e assume uma visão crítica que,


despindo as aparências que encobrem a realidade, busca as razões últimas
das ações humanas.

63. (VUNESP)
"​Óbito do autor

Algum tempo hesitei se devia abrir estas memórias pelo princípio ou pelo fim, isto é, se
poria em primeiro lugar o meu nascimento ou a minha morte. Suposto o uso vulgar seja
começar pelo nascimento, duas considerações me levaram a adotar diferente método: a
primeira é que eu não sou propriamente um autor defunto, mas um defunto autor, para
quem a campa foi outro berço; a segunda é que o escrito ficaria assim mais galante e
mais novo."
"Um Primo

Mamãe conversava muito com tia Gabriela porque elas eram viúvas. E o Pantico
inquietava minha tranqüilidade com anos menos e carrinhos feitos para descidas ladeira
amigo íntimo do copeiro arranjador de almanaques nas farmácias."
Assinale a alternativa falsa:

1. os textos acima são narrados na primeira pessoa.

2. os textos acima caracterizam fases distintas de um mesmo autor, conforme


se pode verificar pelos recursos estilísticos utilizados.
3. os autores dos textos acima são respectivamente Machado de Assis e
Oswald de Andrade.

4. os textos acima constituem trechos dos romances ​Memórias Póstumas de


Brás Cubas​ e ​Memórias Sentimentais de João Miramar​.

5. os autores dos textos acima pertencem respectivamente aos períodos


realista e modernista da prosa de ficção brasileira.

64. (FFCL-BA)

1. Os romances realistas de Machado de Assis fazem crítica das instituições


através da análise psicológica de personagens integradas no meio em que
vivem, ao passo que os romances naturalistas de Aluísio Azevedo
denunciam violentamente a marginalidade das camadas mais
desfavorecidas da população.

2. Tanto os romances realistas de Machado de Assis quanto os naturalistas de


Aluísio Azevedo criam personagens que são verdadeiros tipos e caricaturas,
que fazem ressaltar com sarcasmo as mazelas e vicissitudes de uma
sociedade aristocrática decadente e corrupta.

3. Os romances de Aluísio revelam-se mais realistas que os de Machado, pois,


ao denunciar a crise das instituições, fazem-no por meio da criação de
personagens complexas e ambíguas, analisadas com uma profundidade
psicológica mais sutil e contundente.

Assinale a alternativa que contém o(s) algarismo(s) do(s) enunciado(s) correto(s):

1. I

2. II

3. III

4. I e III

5. II e III

65. (UF-MG)​ Todas as afirmações sobre ​Dom Casmurro,​ de Machado de Assis, estão
certas, exceto:

1. discurso em primeira pessoa favorece o clima de dúvida que paira sobre o


adultério de Capitu, pois o que prevalece na narrativa são as impressões
de Bentinho, o narrador.

2. Além da semelhança de Ezequiel com Escobar, outro fator acentua a


dúvida de Bentinho, sobre a paternidade do filho: a capacidade de
dissimulação de Capitu.

3. adultério, núcleo da narrativa, é um pretexto para se discorrer sobre a


existência humana, subordinada ao poder desintegrador do tempo, que
atua de forma irreversível sobre todas as coisas.

4. A alegoria do tenor italiano, que apresenta a vida como uma ópera


composta por Deus e pelo diabo, projeta-se em todo o romance,
mostrando que, na luta entre as virtudes e os vícios, o Bem sempre
triunfa.

5. Ao tentar reproduzir no Engenho Novo a casa em que se havia criado na


antiga rua de Mata-cavalos, ou ao escrever suas memórias, Dom Casmurro
tenta reconstruir o passado, logrando invocar-lhe as imagens e não as
sensações.

66. (FMTM)​ O romance ​Dom Casmurro,​ de Machado de Assis,

1. filia-se à corrente naturalista, uma vez que o autor, entusiasmado pelas


teses cientificistas da época, elegeu o meio e a hereditariedade como as
forças básicas de construção do seu universo ficcional.

2. é considerado um representante tardio do romance social urbano, na linha


inaugurada por José de Alencar, pelo tratamento ousado e direto dado ao
tema do adultério.

3. representa um dos pontos altos do Realismo brasileiro, pois ultrapassa os


limites de um banal caso de adultério e tem, na condição humana, captada
pelo viés da ironia, a matéria de sua narrativa.

4. deve ser encarado como uma produção independente em relação à nossa


tradição literária, visto que inaugura a chamada prosa poética de cunho
introspectivo, precursora do romance intimista dos anos 30.

5. está comprometido com os postulados da estética pré-modernista, não só


pela escolha corajosa do tema, mas também pela linguagem agressiva, de
denúncia, que investe contra os valores burgueses.

67. (UC-MG)​ das afirmações abaixo, a respeito de Machado de Assis, a única falsa é:

1. a ironia e o humor são grandes suportes de sustentação de sua obra.

2. como ficcionista, dá grande ênfase à psicologia de suas personagens.

3. normalmente, suas personagens são tratadas com severo rigor crítico.

4. sua narrativa sempre focaliza o ambiente urbano do Rio de Janeiro.

5. seus romances estão marcados pela preocupação com a ação e o episódio.

68. (UF-PA)​ No capítulo "Ao Leitor", Brás Cubas (de ​Memórias Póstumas de Brás Cubas​,
de Machado de Assis) classifica sua narrativa como "obra de finado". Tal classificação se
justifica caso se leve em conta que
1. personagem principal termina sendo ministro; o adjetivo "finado" fica por
conta da ironia do autor.

2. personagem-narrador, no presente da narrativa, já não faz parte do mundo


dos vivos.

3. Dona Plácida, personagem fundamental do livro, tinha verdadeira obsessão


pela morte.

4. narrativa se desenvolve através da ação de personagens, todos mortos.

5. centro da narrativa é o amor de Virgília e Brás que, ao fim, não se realiza;


o adjetivo "finado" seria um tributo à morte deste amor.

69. (UF-PA)
"José Dias ia tão contente que trocou o homem dos momentos graves, como era à rua,
pelo homem dobradiço e inquieto. Mexia-se todo, falava de tudo, fazia-me parar a cada
passo diante de um mostrador ou de um cartaz de teatro. Contava-me o enredo de
algumas peças, recitava monólogos em verso. Fez os recados todos, pagou contas,
recebeu aluguéis de casa, para si comprou um vigésimo de loteria. Afinal, o homem teso
rendeu o flexível e passou a falar pausado, com superlativos."
O texto foi extraído de um dos seguintes romances de machado de Assis:

1. Memórias Póstumas de Brás Cubas

2. Quincas Borba

3. Esaú e Jacó

4. Dom Casmurro

5. Memorial de Aires

70. (UFMG)​ Todas as passagens ilustram a capacidade de dissimulação de Capitu,


exceto:

1. "Capitu riscava sobre o riscado, para apagar bem o escrito. Pádua saiu ao
quintal, a ver o que era, mas já a filha tinha começado outra coisa, um
perfil, que disser ser o retrato dele, e tanto podia ser o dele como da mãe:
fê-lo rir, era o essencial."

2. "Minha mãe, dizendo tio Cosme que ainda queria ver com que mão havia
eu de abençoar o povo à missa, contou que dias antes, estando a falar de
moças que se casam cedo, Capitu lhe dissera: 'Pois a mim quem me há de
casar há de ser o padre Bentinho: eu espero que ele se ordene."

3. "Ouvimos passos no corredor, era Dona Fortunata. Capitu compôs-se


depressa, tão depressa que, quando a mãe apontou à porta, ela abanava a
cabeça e ria. Nenhum laivo amarelo, nenhuma contração de acanhamento,
um riso espontâneo e claro."

4. "Muitos homens choravam, as mulheres todas. Só Capitu, amparando a


viúva, parecia vencer-se a si mesma. Consolava a outra, queria arrancá-la
dali. A confusão era geral. No meio dela, Capitu olhou alguns instantes
para o cadáver tão fixa, tão apaixonadamente fixa, que não admira lhe
saltassem algumas lágrimas poucas e caladas."

5. "A minha persuasão é que o coração não lhe batia mais nem menos.
Alegou susto, e deu à cara um ar meio enfiado; mas eu que sabia tudo, vi
que era mentira e fiquei com inveja."

71. (VUNESP)​ O trecho abaixo pertence a célebre romance de Machado de Assis:


"Rubião, logo que chegou a Barbacena e começou a subir a rua que ora se chama de
Tiradentes, exclamou parando:
– Ao vencedor, as batatas!

Tinha-as esquecido de todo, a fórmula e a alegoria. De repente, como se as sílabas


houvessem ficado no ar, intactas, aguardando alguém que as pudesse entender,
uniu-as, recompôs a fórmula, e proferiu-a com a mesma ênfase daquele dia em que a
tomou por lei da vida e da verdade. Não se lembrava inteiramente da alegoria; mas, a
palavra deu-lhe o sentido vago da luta e da vitória."
Como se pôde ler, o personagem do romance exprime uma fórmula, mas não se lembra
da alegoria com que tal fórmula se relaciona. Por sua vez, ambas, fórmula e alegoria,
articulam-se com um "sistema filosófico" de autoria de outro personagem machadiano,
exposto, o sistema, pela primeira vez noutro romance. Considere:

1. romance em que está o trecho acima transcrito.

2. romance em que a fórmula e sua alegoria estão claramente expressas.

3. sistema filosófico ilustrado com a alegoria e sintetizado na fórmula.

4. personagem autor desse sistema filosófico.

5. romance em que o personagem-autor exprimiu pela primeira vez esse


sistema.

Assinale, a seguir, a correlação correta:

1. Quincas Borba; II. Quincas Borba; III. O Humanitismo; IV. Quincas Borba;
V. Memórias Póstumas de Brás Cubas.

2. Memórias Póstumas de Brás Cubas; II. Quincas Borba; III. O Humanitismo;


IV. Quincas Borba; V. Quincas Borba.

3. Com Casmurro; II. Memórias Póstumas de Brás Cubas; III. O


Humanitismo; IV. Quincas Borba; V. Dom Casmurro.
4. Quincas Borba; II. Memórias Póstumas de Brás Cubas; III. O Humanitismo;
IV. Quincas Borba; V. Memórias Póstumas de Brás Cubas.

5. Quincas Borba; II. Dom Casmurro/ III. O Humanitismo; IV. Rubião; V


Quincas Borba.

72. (Unijui-RS)​ Aluísio Azevedo foi introdutor do Realismo no Brasil com a obra ​O
Mulato​ (1881). Sobre o movimento literário pode-se afirmar que:

1. Realismo predomina sobre o Romantismo na 2ª metade do século XIX.

2. realismo e Modernismo, no fundo, tinham as mesmas reivindicações.

3. são causas do Realismo: o progresso da Ciência e o esgotamento do


romantismo.

4. os escritores realistas pretendiam reformular a vida social através de seus


textos.

5. para o Realismo, o comportamento humano é determinado pelo meio.

Sobre a obra pode-se dizer:

1. apresenta um "tipo", o imigrante português Dias, que chega ao Brasil


disposto a tudo para enriquecer.

2. faz parte da composição da obra um personagem chamado Raimundo, com


traços românticos; caráter, riqueza, beleza.

3. romance termina com Dias e Ana Rosa ricos e felizes.

4. Bertoleza tem papel importante, mas suicida-se cravando uma faca no seu
ventre

5. romance ambienta-se claramente em São Luís do Maranhão.

Assinale a resposta que contiver a composição das afirmações ​incorretas​.

1. IV e 4.

2. III e 4.

3. I e 5.

4. II e 4.

5. II e 5.

73. (MACK-SP)​ Assinale a alternativa ​incorreta​ a respeito de ​A Cartomante​, de


Machado de Assis.
1. Vilela e Camilo eram amigos de infância, sendo este funcionário público, e
aquele, magistrado.

2. Quando da morte da mãe de Camilo, vilela e Rita se mostram


extremamente preocupados em ajudar o amigo.

3. conto se inicia com Rita dizendo a Camilo que tinha consultado uma
cartomante.

4. Um dia, próximo do meio-dia, Camilo recebe um bilhete de Vilela, dizendo


que ele fosse à sua casa imediatamente.

5. Passando em frente à casa da cartomante, Camilo se mantém cético e não


a visita.

74. (Unijui-RS)​ ​O Cortiço​ escrito em 1890 é considerada a obra-prima de Aluísio


Azevedo. Escolha nas colocações que seguem a que melhor caracteriza a obra:

1. um dos melhores retratos que já se levantaram do Brasil do II Império, em


que a sobrevivência da estrutura colonial punha à mostra uma numerosa
mostragem de portugueses enriquecidos a empolgar as posições de
comando e uma região mal definida de pretos, mulatos e brancos em pleno
processo de caldeamento e formação, constituindo o escalão mais inferior
da sociedade;

2. retrata a falência da sociedade patriarcal nordestina que, tendo por base


sempre a atividade econômica açucareira, pouco se modificara desde os
fins do século XVIII;

3. reflete as transformações que afetaram a região da campanha na segunda


metade do séc. XIX. Não há nele nenhum delineamento saudosista, ao
contrário de outros textos ficcionais da época;

4. no plano da temática, o rompimento com a tradição narrativa brasileira se


dá pela inserção, ao longo dos relatos, de elementos inverossímeis;

5. fixando a região de campanha, a obra descreve a crise e as divisões entre


os estancieiros do sul do Brasil. O protagonista tenta colocar em prática
certas idéias reformistas, mas fracassa em seus objetivos.

75. (UFV-MG)​ Em se tratando de ​Quincas Borba,​ romance de Machado de Assis, todas


as alternativas abaixo estão corretas, exceto:

1. Humanitismo, teoria filosófica de Quincas Borba, defende o princípio da


liberdade de conservação.

2. A narrativa é lenta com abundância de detalhes.

3. Os personagens são escrupulosos e despidos de egoísmo.


4. A burguesia frívola da corte constitui a sociedade ficcional machadiana.

5. Rubião, personagem central, traz as marcas da fraqueza na luta pela


sobrevivência.

76. (PUC-RS)
"A mais terrível das instituições do Ateneu não era a famosa justiça de arbítrio, não era
ainda a cafua, asilo das trevas e do soluço, sanção das culpas enormes. Era o livro das
notas.
todas as manhãs, infalivelmente, perante o colégio em peso, congregado para o primeiro
almoço, às oito horas, o diretor aparecia a uma porta, com solenidade tarda das
aparições, e abria o memorial das partes."
Em ​O Ateneu​, Raul Pompéia denuncia, como exemplifica o texto, a:

1. perversidade do sistema educacional.

2. relação perigosa entre adolescentes.

3. brutalidade física na educação.

4. vontade de poder do educador.

5. política interesseira da escola.

77. (PUCCAMP-SP)
Texto I

"Iaiá mostrou-se tão expansiva naquela noite e nos seguintes dias, derramou de tal
modo a vida que a enchia que Estela compreendeu tudo o que se passava entre a
enteada e Jorge. Há uns amores, aliás verdadeiros, a que precedem muitas
contrafações; primeiro que a alma os sinta, tem despendido a virgindade em sensações
ínfimas."
Texto II

"Mas não é este propriamente o resto do livro. O resto é saber se a Capitu da Praia da
Glória já estava dentro da de Mata-cavalos, ou se esta foi mudada naquela por efeito de
algum caso incidente."
Os fragmentos acima representam obras que permitem afirmar corretamente sobre
Machado de Assis:

1. Em romances iniciais, o autor se apresenta bastante comprometido com a


herança romântica; nos posteriores, preocupa-se especialmente com a
construção da trama, acompanhando fielmente as personagens em suas
peripécias.

2. Os romances de um primeiro grupo revelam um escritor ainda esperançoso


quanto à natureza humana, por isso preocupado em desvendar-lhe os
mistérios; os de um segundo grupo denotam o pessimismo de quem nada
mais espera do seu semelhante.

3. No início de sua carreira, o escritor mais se comporta como cronista de sua


sociedade e de sua época; com a maturidade artística, opta por estruturar
as narrativas segundo a forma mais freqüente no século XIX.

4. Numa primeira etapa, o escritor ainda se preocupa com a apresentação de


aspectos pitorescos do meio em que vivem as personagens; numa
segunda, omite a apresentação do meio ambiente, fixando-se no retrato da
condição solitária do homem.

5. Num primeiro momento, ainda preso às características mais gerais do


romance do século XIX, o romancista preocupa-se muito com a construção
da trama romanesca; num segundo, o romance se constrói em torno da
análise dos caracteres, buscando apreender-lhes a natureza mais profunda.

78. (VUNESP-SP)
"E assim, pouco a pouco, se foram reformando todos os seus hábitos singelos de aldeão
português: e Jerônimo abrasileirou-se. A sua casa perdeu aquele ar sombrio e
concentrado que a entristecia; já apareciam por lá alguns companheiros de estalagem,
para dar dois dedos de palestra nas horas de descanso, e aos domingos reunia-se gente
para o jantar. A revolução afinal foi completa: a aguardente de cana substituiu o vinho;
a farinha de mandioca sucedeu à broa; a carne-seca e o feijão-preto ao bacalhau com
batatas e cebolas cozidas; a pimenta-malagueta e a pimenta-do-reino invadiram
vitoriosamente a sua mesa (...)"
O trecho que faz parte de um romance, ilustra uma das teses caras a certa escola
literária vigente no Brasil no fim do século XIX e começo do século XX. No caso, essa
tese só se compreende bem se o quadro de referências incluir uma personagem feminina
como causa da transformação do português Jerônimo. Considerando esses pontos,
assinale a alternativa correta:

1. romance é ​A Carne​; a escola, o Naturalismo; a tese, a influência


determinante do momento, e a personagem feminina, Lenita.

2. romance é ​Casa de Pensão​; a escola, o Realismo-naturalismo; a tese, a


influência determinante da raça, e a personagem feminina, Bertoleza.

3. romance é ​O Cortiço​; a escola, o Naturalismo; a tese, a influência


determinante da raça, e a personagem feminina, Rita Baiana.

4. romance é ​O Cortiço​; a escola, o Naturalismo; a tese, a influência


determinante do meio, e a personagem, Rita Baiana.

5. romance é ​O Mulato;​ a escola, o Realismo; a tese, a determinação causal


do meio, e a personagem, Ana Rosa.

79. (FUVEST-SP)
"Saímos à varanda, dali à chácara, e foi então que notei uma circunstância. Eugênia
coxeava um pouco, tão pouco, que eu cheguei a perguntar-lhe se machucara o pé. A
mãe calou-se; a filha respondeu sem titubear;
– Não, Senhor, sou coxa de nascença."

Trecho fundamental do romance, não só dá título a um capítulo, como serve para definir,
com bastante nitidez, o caráter da personagem central. De que obra se trata?

1. Amor de Perdição

2. Fogo Morto.

3. São Bernardo.

4. Memórias Póstumas de Brás Cubas.

5. Primo Basílio.

80. (UFRS)​ Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do trecho


abaixo.
"Os perfis femininos criados por Machado de Assis revelam, por exemplo, mulheres
preocupadas em ascender socialmente e em manter as aparências. Assim, hipócrita e
dissimulada, ....., de ....., assemelha-se à inescrupulosa ...., ávida pelo dinheiro de
Rubião, em ..... ."

1. Conceição - ​Quincas Borba​ - Marcela - ​Uns Braços

2. Marcela - ​A Cartomante​ - Flora - ​Dom Casmurro

3. Virgília - ​Memórias Póstumas de Brás Cubas​ - Sofia - ​Quincas Borba

4. Capitu - ​Memorial de Aires​ - Genoveva - ​Missa do Galo

5. Sofia - ​Esaú e Jacó​ - Virgília - ​O Alienista

81. (ITA-SP) ​Assinale o texto que, pela linguagem e pelas idéias, pode ser considerado
como representante da corrente Naturalista.

1. "... essa noite estava de veia para a coisa; estava inspirada; divina! Nunca
dançara com tanta graça e tamanha lubricidade! Também cantou. E cada
verso que vinha de sua boca [...] era um arrulhar choroso de pomba no
cio. E [...], bêbado de volúpia, enroscava-se todo ao violão; e o violão e
ele gemiam com o mesmo gosto, grunhindo, ganindo, miando, com todas
as vozes de bichos sensuais, num desespero de luxúria que penetrava até
ao tutano com línguas finíssimas de cobra."

2. "Na planície avermelhada dos juazeiros alargavam duas manchas verdes.


Os infelizes tinham caminhado o dia inteiro, estavam cansados e famintos,
[...] Fazia horas que procuravam uma sombra. A folhagem dos juazeiros
apareceu longe, através dos galhos pelados da caatinga rala."

3. "vivia longe dos homens, só sedava bem com animais. Os seus pés duros
quebravam espinhos e não sentiam a quentura da terra. Montado,
confundia-se com o cavalo, grudava-se a ele. E falava uma linguagem
cantada, monossilábica e gutural, que o companheiro entendia."

4. "Do seu rosto irradiava singela expressão de encantadora ingenuidade,


realçada pela meiguice do olhar sereno [...] Ao erguer a cabeça para tirar o
braço de sob o lençol, descera um nada a camisinha de crivo que vestia,
deixando nu um colo de fascinadora alvura, em que ressaltava um ou outro
sinal de nascença."

5. "Hércules-Quasímodo, reflete no aspecto a fealdade típica dos fracos. A pé,


quando parado, recosta-se invariavelmente ao primeiro umbral ou parede
que encontra; a cavalo, se sofreia o animal para trocar duas palavras com
um conhecido, cai logo sobre um dos estribos, descansando sobre a
espenda da sela."

82. (UFSC)​ A(s) citação(ões) extraída(s) do livro ​O Ateneu​ é(são):

1. "Na repartição, os pequenos empregados, amanuenses e escreventes,


tendo notícia desse seu estudo do idioma tupiniquim, deram não se sabe
por que em chamá-lo - Ubirajara."

2. "... chegou a senhora do diretor, D. Ema. Bela mulher em plena


prosperidade dos trinta anos de Balzac, formas alongadas por graciosa
magreza, erigindo, porém, o tronco sobre quadris amplos, fortes como a
maternidade..."

3. "Aristarco todo era um anúncio. Os gestos calmos, soberanos, era um rei –


o autocrata excelso."

4. "Ralf pega a velha maleta do Homig, abre-a devagarinho, como quem abre
uma gaiola de pássaro, para pegá-lo mansamente."

5. "Entrei apressado, atravessei o corredor do lado direito e no meu quarto


dei com algumas pessoas soltando exclamações. Arredei-as e estaquei;
Madalena estava estirada na cama, branca, de olhos vidrados, espuma nos
cantos da boca."

83. (FEI-SP)​ Qual a obra da qual foi extraído o seguinte fragmento e quem a escreveu?
"Idéia só! Idéia sem pernas! As outras pernas não queriam correr nem andar. Muito
depois é que saíram vagarosamente e levaram-me à casa de Capitu. quando ali cheguei,
dei com ela na sala, na mesma sala, sentada na marquesa, almofada no regaço, cosendo
em paz. Não me olhou no rosto, mas a furto e a medo, ou, se preferes a fraseologia do
agregado, oblíqua e dissimulada."

1. Machado de Assis – Memórias Póstumas de Brás Cubas


2. Raul Pompéia – O Ateneu

3. José de Alencar – Senhora

4. Machado de Assis – Dom Casmurro

5. Visconde de Taunay – Inocência.

84. (ITA-SP)​ Marque a opção que identifica autor e obra a que pertence o seguinte
excerto:
"(...) a verdade é que Marcela não possuía a inocência rústica, e mal chegava a entender
a moral do código.
Era boa moça, lépida, sem escrúpulos, um pouco tolhida pela austeridade do tempo, que
lhe não permitia arrastar pelas ruas os seus estouvamentos e berlindas; luxuosa,
impaciente, amiga de dinheiro e de rapazes. Naquele ano, morria de amores por um
certo Xavier, sujeito abastado e tísico, – uma pérola."

1. José de Alencar – ​Senhora

2. Raul Pompéia – ​O Ateneu

3. Joaquim Manuel de Macedo – ​A Moreninha

4. Jorge Amado – ​Jubiabá

5. Machado de Assis – ​Memórias Póstumas de Brás Cubas

85. (MACK-SP)
"Naquele tempo contava apenas uns quinze ou dezesseis anos; era talvez a mais
atrevida criatura da nossa raça e, com certeza, a mais voluntariosa."
Virgília, descrita acima, é personagem do romance machadiano, introdutor do Realismo
no Brasil:

1. Memórias Póstumas de Brás Cubas.

2. D. Casmurro.

3. Memorial de Aires.

4. A Mão e a Luva.

5. nenhuma das anteriores.

86. (PUC-RS)
"Ela saltou em meio da roda, com braços na cintura, rebolando as ilhargas e
bamboleando a cabeça (...) numa sofreguidão (...) carnal, num requebrado luxurioso
que a punha ofegante: já correndo de barriga empinada, já recuando de braços
estendidos, a tremer toda, como se fosse afundando num prazer grosso que nem azeite
em que se não toma pé e nunca se encontra o fundo."
O vocabulário do texto salienta os traços do

1. Romantismo.

2. Realismo.

3. Naturalismo.

4. Impressionismo.

5. Modernismo.

87. (MACK-SP)
"Em certa casa da Rua Cosme Velho

(que se abre no vazio)

venho visitar-te; e me recebes

na sala trastejada com simplicidade

onde pensamentos idos e vividos

perdem o amarelo

de novo interrogando o céu e a noite.

(...)

Conheces a fundo

a geologia moral dos Lobo Neves

e essa espécie de olhos derramados

que não foram feitos para ciumentos.

(...)"

No poema de onde foi extraído o trecho acima, Carlos Drummond de Andrade rende sua
homenagem a um outro autor, a que ele carinhosamente chama de bruxo. De quem se
trata?

1. Mário de Andrade

2. Machado de Assis

3. Oswald de Andrade

4. Manuel Bandeira

5. José de Alencar

88. (FEI-SP)​ Observe as afirmações abaixo e assinale as alternativas corretas:


1. Realismo teve sua origem na França e foi apenas uma renovação no campo
literário.

2. escritor realista deve estudar o exterior dos indivíduos, interrogá-los,


analisar o meio e depois transcrever suas observações procurando ser,
rigorosamente, impessoal.

3. Para o escritor realista o que importa é o que está fora de nós, o objeto
captado pelos sentidos.

4. Realismo é uma obra de ataque à mentalidade burguesa, à ordem social,


clerical e monárquica.

A seqüência que contém ​somente​ afirmativas corretas é:

1. I e IV estão corretas

2. somente IV está correta

3. II, III e IV estão corretas

4. todas estão corretas

5. N.D.A.

89. (UCSal-BA)
"O pior é que era coxa. Uns olhos tão lúcidos, uma boca tão fresca, uma compostura tão
senhoril; e coxa! Esse contraste faria suspeitar que a natureza é às vezes um imenso
escárnio. Por que bonita, se coxa? por que coxa, se bonita? Tal era a pergunta que eu
vinha fazendo a mim mesmo ao voltar para casa, de noite, sem atinar com a solução do
enigma."
Assinale a alternativa cujas propostas, preenchendo as lacunas da frase seguinte,
completariam uma análise adequada do texto apresentado inicialmente.
No excerto transcrito, o narrador, que é o protagonista da história, questiona-se por que
se sente dividido: ele percebe o mundo de um modo ...., mas aspiraria a que ele fosse
organizado de acordo com princípios ..... .

1. romântico / modernos

2. realista a/ modernos

3. realista / românticos

4. moderno / realistas

5. romântico / realistas

90. (CEFET-MG)
"O ..... se tingirá de ....., no romance e no conto, sempre que fizer personagens e
enredos se submeterem ao destino cego das 'leis naturais' que a ciência da época
julgava ter codificado; ou se dirá ....., na poesia, à medida que se esgotar no lavor do
verso tecnicamente perfeito."
No texto acima, preenchem-se as lacunas, respectivamente, com:

1. Realismo / Naturalismo / Parnasianismo

2. Romantismo / Naturalismo / Parnasianismo

3. realismo / Naturalismo / Simbolismo

4. Romantismo / Modernismo / Parnasianismo

5. Romantismo / Modernismo / Simbolismo

91. (UMC-SP)​ Sobre o Realismo pode-se afirmar:

1. Realismo e o Naturalismo são introduzidos em 1881 com as obras


Memórias póstumas de Brás Cubas​ e ​O mulato​.

2. No Realismo há predomínio da vida concreta e exterior sobre a vida interior


e abstrata.

3. melhor da produção realista está na poesia.

4. São corretas as afirmações II e III.

5. Apenas a afirmação II é correta.

6. As três afirmações são corretas.

7. São corretas as afirmações I e II.

8. As três afirmações são incorretas.

(FUVEST-SP)​ As questões 92 e 93 referem-se ao seguinte texto.


"Este último capítulo é todo de negativas. Não alcancei a celebridade do emplasto, não
fui ministro, não fui califa, não conheci o casamento. Verdade é que, ao lado dessas
faltas, coube-me a boa fortuna de não comprar o pão com o suor do meu rosto. Mais;
não padeci a morte de Dª Plácida, nem a semidemência do Quincas Borba. Somadas
umas coisas e outras, qualquer pessoa imaginaria que não houve míngua nem sobra, e
conseguintemente que saí quite com a vida. E imaginará mal; porque ao chegar a este
outro lado do mistério, achei-me com um pequeno saldo, que é a derradeira negativa
deste capítulo de negativas: – Não tive filhos, não transmiti a nenhuma criatura o legado
da nossa miséria."
92. (FUVEST-SP)​ Trata-se do trecho final de ​Memórias póstumas de Brás Cubas,​ de
Machado de Assis. Levando isso em consideração, examine a expressão "ao chegar a
este outro lado do mistério". Com ela, o narrador:

1. refere-se ao mistério da semidemência do Quincas Borba, cuja causa nunca


pôde compreender.

2. alude ao fato de não ter conseguido tornar-se ministro, embora tivesse


condições para tanto.

3. alude ao próprio passado, pois só agora percebe como a sua vida foi inútil
e negativa.

4. refere-se ao mistério da morte, pelo qual ele já passou.

5. refere-se ao mistério do casamento e da paternidade, que ele não


conheceu.

93. (FUVEST-SP)​ O texto evidencia, com clareza, pelo menos uma das características
principais de Machado de Assis:

1. pessimismo ingênuo dos escritores realistas e naturalistas do século XIX.

2. a linguagem rebuscada, de tal modo ambígua, que quase prejudica a


compreensão do sentido.

3. um pessimismo irônico, disfarçado sob a aparência de conformidade


indiferente.

4. gosto pela frase lapidar, carregada de expressões inusitadas.

5. a capacidade de sintetizar, em apenas um parágrafo, todo o enredo do


romance.

94. (CEETEPS-SP)​ Leia, com atenção, o texto abaixo.


"Jerônimo levantou-se, quase que maquinalmente, e, seguido por Piedade, aproximou-se
da grande roda que se formara em torno dos dois mulatos. Aí, de queixo grudado às
costas das mãos contra uma cerca de jardim, permaneceu, sem tugir nem mugir,
entregue de corpo e alma àquela cantiga sedutora e voluptuosa que o enleava e tolhia,
como à robusta gameleira brava o cipó flexível, carinhoso e traiçoeiro.
E viu a Rita Baiana, que fora trocar o vestido por uma saia. Surgir de ombros e braços
nus, para dançar. A lua destoldara-se nesse momento, envolvendo-a com sua coma de
prata, a cujo refulgir os meneios da mestiça melhor se acentuavam, cheios de uma graça
irresistível, simples, primitiva, feita toda de pecado, toda de paraíso, com muito de
serpente e muito de mulher."
Assinale a alternativa que identifica e caracteriza a obra de Aluísio Azevedo a que
pertence o trecho lido.
1. É um trecho de ​O mulato​ em que o autor faz uma crítica violenta aos
preconceitos sociais e à decadência dos costumes da burguesia.

2. Trata-se do romance ​O cortiço​, que focaliza a vida de imigrantes e


pequenos operários dividindo espaços num meio promíscuo e miserável.

3. refere-se a um trecho de ​O cortiço​ em que o autor faz um aprofundamento


psicológico na análise das personagens que vivem numa habitação
coletiva.

4. É um trecho de ​O mulato,​ considerado romance naturalista porque


descreve sensualmente a mulata Rita Baiana com toda a sua força
sedutora, fornecendo uma visão estática de uma situação apreendida
fotograficamente em dado momento.

5. É um trecho do romance ​Casa de pensão​ em que o autor dá local à


descrição do ambiente coletivo onde um provinciano é envolvido pelos
ardis e ciladas da cidade grande.

95. (USF-SP)​ Machado de Assis, na sua obra de ficção narrativa:

1. começou romântico e como tal se manteve na idealização com que


descreve as personagens de suas obras.

2. condenou o romantismo e introduziu no Brasil o realismo, que só trocou


pelo naturalismo.

3. investigou com profundidade o homem universal, nas personagens


cotidianas, indo além da crítica à sociedade.

4. centrou suas críticas na sociedade de sua época; por isso está hoje
ultrapassado: o homem moderno não pode ver-se em suas personagens.

5. norteou-se pelos princípios do naturalismo, ressaltando sempre os fatores


biológicos do comportamento humano.

96. (UFSCar-SP)​ O que sobressai na atividade criadora de Machado de Assis é:

1. a minuciosa busca de soluções aperfeiçoadoras, o que só se conseguiu


após inúmeros e continuados exercícios.

2. a grande capacidade de inspiração, uma vez que a quantidade de


romances que escreveu foi facilitada pela improvisação.

3. equilíbrio entre o improvisador, o inspirado e o artista, que é demonstrado


pelas obras de valor desigual, que ocorrem no decorrer de sua produção
literária.

4. a sinceridade com que manifesta, por linguagem desprovida de metáforas


em cada romance que escreveu, as várias fases de sua biografia.
5. ter iniciado a carreira escrevendo romances realistas, convertendo-se, mais
tarde, ao Naturalismo.

97. (AEEA-GO)
"Algum tempo hesitei se devia abrir estas memórias pelo princípio ou pelo fim, isto é, se
poria em primeiro lugar o meu nascimento ou a minha morte. Suposto o uso vulgar seja
começar pelo nascimento, duas considerações me levaram a adotar diferente método: a
primeira é que eu não sou propriamente um autor defunto, mas um defunto autor, para
quem a campa foi outro berço; a segunda é que o escrito ficaria assim mais galante e
mais novo."
O autor desse trecho é:

1. Machado de Assis.

2. Oswald de Andrade.

3. José de Alencar.

4. Rachel de Queiroz.

5. n.d.a.

98. (UCP-PR)​ Capitu é uma das mais bem construídas personagens da literatura
brasileira. Quem a criou e em que obra?

1. Machado de Assis, ​Dom Casmurro

2. José de Alencar, ​O guarani

3. Machado de Assis, ​O alienista

4. José de Alencar, ​Til

5. José de Alencar, ​Senhora

99. (UM-SP)​ Assinale a alternativa correta sobre o romance ​O Ateneu,​ de Raul


Pompéia.

1. romance se realiza pelo processo memorialista do narrador, permeado por


uma profunda visão crítica.

2. Trata-se de uma crônica de saudades, em que o narrador revela, a cada


instante, vontade de voltar.

3. Ateneu​ representa uma apologia aos colégios internos como forma ideal
para a formação do adolescente.

4. Apesar da tentativa de atingir um estilo realista, a obra mantém uma


estrutura romântica aos moldes de José de Alencar.
5. Todas as personagens do romance buscam identificar-se com o diretor do
Ateneu.

100. (UFPA)​ Os personagens realistas-naturalistas têm seus destinos marcados pelo


determinismo. Identifica-se esse determinismo:

1. pela preocupação dos autores em criar personagens perfeitos, sem defeitos


físicos ou morais.

2. pelas forças atávicas e/ou sociais que condicionam a conduta dessas


criaturas.

3. por ser fruto, especificamente, da imaginação e da fantasia dos autores.

4. por se notar a preocupação dos autores de voltarem para o passado ou


para o futuro ao criarem seus personagens.

5. por representarem a tentativa dos autores nacionais de reabilitar uma


faculdade perdida do homem: o senso do mistério.

101. (UFRGS-RS)​ Assinale a alternativa em que está ​incorreta​ a relação


autor-obra-personagem.

1. Manuel Antônio de Almeida – ​Memórias de um sargento de milícias​ –


Leonardo

2. Joaquim Manuel de Macedo – ​A Moreninha​ – Carolina

3. Raul Pompéia – ​O Ateneu​ – Carlos

4. José de Alencar – ​O guarani​ – Cecília

5. Aluísio Azevedo – ​O cortiço​ – João Romão.

102. (UFPA)​ A ação do determinismo do meio através da figura de Amâncio, estudante


interiorano que entra em contato com a cidade do Rio de janeiro, totalmente deseducado
para tal, nos é contada no seguinte romance de Aluísio Azevedo:

1. mulato

2. Uma lágrima de mulher

3. Casa de pensão

4. coruja

5. cortiço

103. (PUC-RS)​ ​O Ateneu,​ de Raul Pompéia, praticamente não tem enredo; compõe-se
de uma tessitura onde se acumulam situações, experiências, reflexos de caracteres e
intenções selecionados e comunicados do ponto de vista subjetivo do
narrador-personagem. Essas características permitem vincular a obra ao:
1. Romantismo.

2. Realismo.

3. Naturalismo.

4. Impressionismo.

5. Modernismo.

104. (UFRGS-RS) ​No romance ​O cortiço,​ de Aluísio Azevedo, a sintonia com os ideais
naturalistas é acentuada pela seguinte característica básica da história.

1. personagem sobrepõe-se ao ambiente.

2. coletivo sobrepõe-se ao individual.

3. psicológico sobrepõe-se ao social.

4. trabalho sobrepõe-se ao capital

5. A força sobrepõe-se à razão.

105. (UFRGS)
"Não tive filhos, não transmiti a nenhuma criatura o legado de nossa miséria"

O texto acima é:

1. final do testamento de Quincas Borba, que faz de Rubião seu herdeiro, sob
a condição de que cuide de seu cachorro.

2. um comentário de Bentinho, o protagonista de ​Dom Casmurro,​ cujo


temperamento azedo e melancólico lhe valeu o apelido.

3. a conclusão pessimista do Dr. Bacamarte, ao final do conto ​O Alienista,​


após dedicar sua vida ao estudo da "patologia cerebral".

4. desabafo do "defunto-autor" das ​Memórias Póstumas de Brás Cubas,​ ao


final da narrativa.

5. a reflexão do Conselheiro Aires ao encerrar a narrativa do drama de Flora,


em ​Esaú e Jacó​.

106. (UFMG) ​"A concretização do abstrato é uma técnica da ironia machadiana". Todas
as alternativas exemplificam essa afirmação, exceto:

1. "A alma de Rubião bracejava debaixo desse aguaceiro de palavras; mas,


estava num beco sem saída por um lado nem por outro. tudo muralhas.
Nenhuma porta aberta, nenhum corredor, e a chuva a cair."
2. "Vá desapontamento. Misturem-lhe o pesar da separação, não esqueçam a
cólera que o primeiro trovejou surdamente, e nem faltará quem ache que a
alma deste homem é uma colcha de retalhos. Pode ser; moralmente as
colchas inteiriças são tão raras!"

3. "Não esqueça dizer que Rubião tomou a si dizer uma missa por alma do
finado, embora soubesse ou pressentisse que ele não era católico. Quincas
Borba não dizia pulhices a respeito de padres, nem desconceituava
doutrinas católicas; mas não falava nem da Igreja, nem dos padres."

4. "A outra que ri é a alma de Rubião, escutai a cantiga alegre, brilhante, com
que ela desce o morro, dizendo as cousas mais íntimas às estrelas, espécie
de rapsódia feita por uma linguagem que ninguém nunca alfabetou, por ser
impossível achar um sinal que lhe exprima os vocábulos."

5. "Tédio por dentro e por fora. Nada em que espairasse a vista e


descansasse a alma. Sofia meteu a alma em um caixão de cedro, encerrou
o cedro no caixão de chumbo do dia, e deixou-se estar sinceramente
defunta."

(FGV-SP)​ Com base no texto, responda às questões 107 a 109.


"Era necessário, para dourar a família, buscar outra origem, que não cheirasse à
tanoaria e apenas às pacatas. Daí o duplo expediente do pai de Brás Cubas para fugir ao
fabricante de cubas.
Primeiro, deslocou a origem dos Cubas para o licenciado Luís Cubas, que 'primou no
Estado e foi um dos amigos particulares do vice-rei Conde da Cunha'; segundo, atribuiu
o apelido Cubas a uma jornada da África, onde um cavaleiro teria arrebatado trezentas
cubas aos mouros." (Raymundo Faoro, ​Machado de Assis: a pirâmide e o trapézio)​ .
107. (FGV-SP)​ Depreende-se do texto que:

1. pai de Brás Cubas não gostava de apelidos, preferindo os nomes próprios.

2. duplo expediente dificultava a fuga do pai de Brás Cubas das patacas e dos
tonéis.

3. pai de Brás Cubas transportou a família para a África, a fim de enobrecê-la.

4. a família de Cubas procurava esconder suas raízes na burocracia do Estado


e na África.

5. pai de Brás Cubas usou de artifícios para valorizar socialmente sua família.

108. (FGV-SP)​ O texto associa:

1. pataca a vulgaridade e cavalaria a distinção.

2. pataca a apelido e cavalaria a nome de família.

3. burocracia a expediente e pataca a prestígio.


4. mouros a vulgaridade e pataca a distinção.

5. parentesco no Estado a desambição por patacas.

109. (FGV-SP)​ No texto, o termo ​tanoaria​ refere-se às atividades:

1. de ourives, exercidas pelo pai de Brás Cubas.

2. dos mouros.

3. do licenciado Luís Cubas, no Estado.

4. de fabricantes de barris.

5. dos fabricantes de patacas na África.

110. (FUVEST-SP)​ A narração dos acontecimentos com que o leitor se defronta no


romance ​Dom Casmurro​, de Machado de Assis, se faz em primeira pessoa, portanto, do
ponto de vista da personagem Bentinho. Seria, pois, correto dizer que ela se apresenta:

1. fiel aos fatos e perfeitamente adequada à realidade.

2. viciada pela perspectiva unilateral assumida pelo narrador.

3. perturbada pela interferência de Capitu, que acaba por guiar o narrador.

4. isenta de quaisquer formas de interferência, pois visa à verdade.

5. indecisa entre o relato dos fatos e a impossibilidade de ordená-los.

111. (FUVEST-SP)​ Assinalar a alternativa que transcreve passagem do romance


Quincas Borba​, de Machado de Assis:

1. "Era o Quincas Borba, o gracioso menino de outro tempo, o meu


companheiro de colégio, tão inteligente e abastado. Quincas Borba!"

2. "Saberia Rubião que o nosso Quincas Borba trazia aquele grãozinho de


sandice, que um médico supôs achar-lhe? Seguramente, não; tinha-o por
homem esquisito."

3. "Era tarde para mandar o camarote a Escobar; saí, mas voltei no fim do
primeiro ato. Encontrei Escobar à porta do corredor."

4. "Sim, a lamparinha ia morrendo, mas ainda podia dar luz ao regresso de


Paulo. quando Flora o viu entrar e ajoelhar-se outra vez, ao pé do irmão, e
ambos dividirem entre si as mãos dela, mansos e cordatos, ficou
longamente atônita."

5. "Tristão e Fidélia desceram hoje e Aguiar os foi buscar à Prainha. Dali


vieram almoçar ao flamengo, onde D. Carmo esperava os recém-casados e
os abraçou cheia de coração."
112. (UERJ)​ No último capítulo de ​D. Casmurro,​ diz o narrador do romance ao seu
leitor:
"... se te lembras bem da Capitu menina, hás de reconhecer que uma estava dentro da
outra, como a fruta dentro da casca."
Das frases acerca da Capitu menina, expressas a seguir, assinale a alternativa que, de
acordo com o ponto de vista do narrador, poderia servir para confirmar a afirmação
citada.

1. "Calçava sapatos de duraque, rasos e velhos, a que ela mesma dera alguns
pontos."

2. "Capitu chamava-me às vezes bonito, mocetão, uma flor; outras


pegava-me nas mãos para contar-me os dedos."

3. "Capitu foi ao muro, e, com o prego, disfarçadamente, apagou os nossos


nomes escritos."

4. "Lia os nossos romances, folheava os nossos livros de gravuras, querendo


saber das ruínas, das pessoas, das campanhas, o nome, a história, o
lugar."

113. (FATEC-SP)​ Leia atentamente as seguintes afirmações a respeito da obra de


Machado de Assis.

1. Na primeira fase da produção do autor, há traços românticos na


representação das personagens e na estruturação do enredo. ​Quincas
Borba​ é exemplo típico desse período.

2. Na fase realista, o autor está preocupado com a análise psicológica das


personagens, buscando atingir os motivos essenciais da conduta humana,
desmascarando a hipocrisia que há por trás dos atos aparentemente bons
e honestos.

3. enredo, a ação e o tempo da narrativa não têm uma seqüência linear. Os


fatos só têm sentido em função da análise da consciência humana.

4. A problemática central do romance ​Dom Casmurro​ gira em torno do tema


do adultério, e o autor cria um clima de incerteza e ambigüidade que não
permite saber se o adultério de fato ocorreu.

São corretas:

1. todas as afirmações.

2. as afirmações II, III e IV.

3. as afirmações II e III.

4. as afirmações I, II e IV.
5. as afirmações I e IV.