You are on page 1of 1

NASCIMENTO LFA; OLIVEIRA BMS; SA FILHO JCF; NIZIO DAC; ANDRADE TM; BLANK AF.

2016. Caracterização morfológica dos acessos de erva-baleeira do Banco Ativo de


Germoplasma da UFS. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE OLERICULTURA, 54. Anais...
Recife: ABH, p. 450.

1 Caracterização morfológica dos acessos de Erva baleeira do Banco


2 Ativo de Germoplasma da UFS
3
4 Luís Fernando de Andrade Nascimento1; Bruna Maria Santos de Oliveira1; José
5 Carlos Freitas de Sá Filho1; Daniela Aparecida de Castro Nízio1; Thiago Matos
6 Andrade; Arie Fitzgerald Blank1
1
7 UFS – Universidade Federal de Sergipe; Departamento de engenharia agronômica; Jardim Rosa Elze;
8 49100-000 São Cristóvão – SE; luiz.fer.nando@hotmail.com; bruna_barreiros02@hotmail.com;
9 carlos.freitassa@yahoo.com.br; danielanizio@yahoo.com.br; tmaagro@yahoo.com.br;
10 arie.blank@gmail.com
11 RESUMO
12 Varronia curassavica Jacq. é uma espécie medicinal e aromática nativa do Brasil,
13 popularmente conhecida como erva-baleeira e vem sendo utilizada na medicina popular
14 e na indústria farmacêutica, por conter em seu óleo essencial substancias anti-
15 inflamatórias. Objetivou-se com o trabalho caracterizar morfologicamente os acessos de
16 erva-baleeira do Banco Ativo de Germoplasma (BAG) da UFS. O trabalho foi realizado
17 na fazenda experimental “Campus Rural” e no Laboratório de Recursos Genéticos e
18 Óleos Essenciais da UFS. Foram avaliados 27 acessos em triplicata de diferentes
19 regiões do estado de Sergipe e São Paulo. As variáveis analisadas foram: comprimento e
20 largura das lâminas foliares (cm); área foliar (cm²); coloração em RGB e hexadecimal.
21 Foi possível verificar a variabilidade dos acessos do BAG, como: comprimento das
22 folhas que variou de 12,09 a 6,76 cm para os acessos VCUR 105 e VCUR 005
23 respectivamente. Para o formato da copa, 58% das plantas apresentarem formas
24 irregulares e as demais com formas arredondadas. Os acessos apresentam caules com
25 cores marrom claro e escuro, exceto o acesso VCUR 201 que apresentou cor cinza. Para
26 a variável diâmetro de copa, 72,42 % dos acessos tem largura média de 82,33 a 163,33
27 cm, as demais plantas não ultrapassaram os 66,0 cm de largura de copa. A altura das
28 plantas não diferiu estatisticamente com média de 1,91cm. As folhas de erva-baleeira
29 apresentam alta diversidade da intensidade da cor verde na face adaxial, sendo
30 perceptível a variação entre claro e escuro representados pelos referentes códigos
31 hexadecimais #365E08 e #305012 para os acessos VCUR802 e VCUR004
32 respectivamente. Observou-se grande variabilidade morfológica dos acessos de erva
33 baleeira para as variáveis analisadas.
34 PALAVRAS-CHAVE: Varronia curassavica; Atividade biológica; planta medicinal.
35 BLANK, AF; CARVALHO FILHO, JLS; SANTOS NETO, AL; ALVES, PB;
36 ARRIGONI-BLANK, MF; SILVA-MANN, R; MENDONÇA, MC. 2004.
37 Caracterização morfológica e agronômica de acessos de manjericão e alfavaca.
38 Horticultura Brasileira, v. 22, n.1: 113-116.
39 GASPARINO, EC; BARROS, MAVC. 2009. Palinotaxonomia das espécies de
40 Cordiaceae (Boraginales) ocorrentes no Estado de São Paulo. Revista Brasileira de
41 Botânica, v. 32, n.1: 33-55.

Anais 54o Congresso Brasileiro de Olericultura (CD ROM), julho 2016