Sie sind auf Seite 1von 45

PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE

PETRÓLEO
GIOVANI CAVALCANTI NUNES
CADEIRA ELETIVA DO CURSO DE ENGENHARIA QUÍMICA
AULA 1 EXPLORAÇÃO

1
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
CALENDÁRIO (aguardar confirmação)

• Provas sem consulta


• P1 out/2017
• P2 dez/2017
• Segunda Chamada, matéria toda. Dez/2017
• Prova Final Dez/2017

2
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
BIBLIOGRAFIA
• Notas de aula
• Thomas, J. E. (Organizador); “FUNDAMENTOS DE ENGENHARIA
DEPETRÓLEO”; Editora Interciência, 2° Edição, 2001
• Rosa, A. J., Carvalho, R. S., Xavier, J. A. D. ENGENHARIA DE
RESERVATÓRIOS DE PETRÓLEO. Editora Interciencia, 2006.
• Rocha, L. A. S., Azevedo, C. T., “PROJETOS DE POÇOS DE PETROLEO,
Editora Interciencia, 2007.
• Harbaugh, J. W., Davis, J. C., Wenderbourg, J. Computing Risk for Oil
Prospects: Principles and Programs. Pergamon Elsevier Science, 1995.
• Johnston, D., INTERNATIONAL PETROLEUM FISCAL SYSTEMS AND
PRODUCTION SHARING CONTRACTS. PennWell Books, 1994.
• Babusiaux, D, et al., Oil and Gas Exploration and Production. Reserves,
costs, contracts. Editions Technip, Paris, 2007.

3
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO

4
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO

5
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
GERAÇÃO DO PETRÓLEO
• A maior parte do petróleo foi gerado pela retenção de
matéria orgânica por milhares de anos em ambiente isento
de oxigênio, a altas pressões e a temperaturas entre 65º e
160º C. Estas condições existem no subsolo da Terra onde
temperatura e pressão aumentam a medida que nos
aproximamos de seu centro.

6
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
GERAÇÃO DO PETRÓLEO
• A Terra é composta de uma fina camada externa de 100 km
chamada crosta terrestre e 6400 km de uma grande quantidade
de matéria flúida em seu centro a altissimas temperaturas onde
se encontra o magma.
• A crosta terrestre é composta de diversas camadas de rochas
magmáticas, ditas placas tectônicas, resultantes do resfriamento
do magma. As tensões geradas pela massa fluída interna se
manifesta através do movimento das placas tectônicas (criando
montanhas, provocando rachaduras na crosta, etc.) e vulcões.
7
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
FORMAÇÃO DOS CONTINENTES

8
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
GERAÇÃO DO PETRÓLEO
• É necessário ainda que a matéria orgânica se encontre
retida em rocha que apresente espaços vazios (porosidade)
no seu interior a fim de permitir seu acúmulo, geração e
escoamento do petróleo.
• Esta porosidade é uma característica das rochas
sedimentares que resultam da deposição de detritos de
outras rochas ou do acúmulo de detritos de conchas ou,
ainda, da precipitação química de sais dissolvidos nas águas
dos rios, lagos e mares.
9
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
GERAÇÃO DO PETRÓLEO

• Erosão. Chuvas e ondas provocaram erosão das rochas


magmáticas presentes nas montanhas. Através de rios
estes sedimentos foram carreados e depositados no solo
dos oceanos em diversas camadas. Junto com estes
sedimentos foi se acumulando matéria orgânica, restos
mortais de diversos organismos vivos.
• Oceanos tem geração própria. Precipitação de carbonato
de cálcio e magnésio. Conchas de diversos tipos de
organismos vivos e corais são também uma fonte
importante de sedimentos carbonáticos.

10
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
ROCHAS SEDIMENTARES

11
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
CONSOLIDAÇÃO DE ROCHAS SEDIMENTARES
• Soterramento e aumento de temperatura e pressão resultam
na consolidação das rochas sedimentares e transformação de
matéria orgânica em petróleo.
– Camadas de sedimentos de areia se transformaram em arenitos.
– As rochas calcárias – ou carbonatos como são conhecidas - foram
formadas a partir de conchas, corais e deposição química de
carbonato de cálcio ou magnésio.
– Folhelhos e argilitos se formaram a partir da argila, diferindo no
aspecto físico pois folhelhos apresentam formato em laminas
enquanto que os argilitos apresentam aspecto mais maciço.
– As camadas de sal se transformaram rochas conhecidas como
saltitos.

12
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
ROCHAS SEDIMENTARES: CARBONÁTICAS

13
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
DEFORMAÇÕES: DOBRAS, FALHAS e
DESCONFORMIDADES

14
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
ESTRATIFICAÇÃO DE ROCHAS SEDIMENTARES

15
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
GERAÇÃO DO PETRÓLEO
• Temperaturas até 65º C há predominância da atividade bacteriana que
transforma a matéria orgânica num polímero chamado querogeneo,
gás metano e água. Este processo é conhecido como Diagênese.
• Em temperaturas entre 65º C e 165º C ocorre a quebra das moléculas
de querogeneo gerando hidrocarbonetos líquidos e gasosos. Este
processo é conhecido como Catagênese.
• Em temperaturas entre 165º C e 210º C tem-se a quebra dos
hidrocarbonetos líquidos e sua transformação em gas. Este processo é
conhecido como Metagênese.
• Acima de 210º C tem-se a degradação dos hidrocarbonetos em CO2,
carbono (ou grafite) e gás metano. Este processo é chamado de
Metamorfismo onde inicia-se o processo de transformação da rocha
pela alta temperatura e alta pressão. O xisto é uma rocha metamórfica.

16
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
GERAÇÃO DO PETRÓLEO

17
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
PERMEABILIDADE
• Defini-se matriz a parte sólida da rocha e poros ao espaço
vazio preenchido por fluidos sejam estes água, óleo ou gás. A
porosidade (tamanho e forma dos sedimentos), tipo de óleo,
forças de adesão, tipo de rocha, são alguns dos fatores
determinantes na permeabilidade da rocha

18
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
MIGRAÇÃO DO PETRÓLEO
• Através dos poros ou por falhas o petróleo gerado tende a sair da rocha geradora
no subsolo para a superfície da Terra, em movimento natural dos fluidos para
locais de menor pressão.
• Para que haja um reservatório de petróleo que este seja aprisionado numa
armadilha geológica. Este aprisionamento se dá numa rocha dita reservatório
(permeável como as sedimentares) cercada por rocha selante (impermeável
como as magmáticas).
• Rochas Selantes
– Granitos e basaltos => rochas selantes pois são magmáticas.
– Rochas metamórficas que resultam da consolidação de rochas preexistentes
submetidas a altas temperaturas e pressões, como mármores e gnaisses
– Folhelhos e saltitos (resultante da concentração de sais) são também rochas selantes
pois apesar de serem rochas sedimentares possuem baixíssima permeabilidade.

19
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
MIGRAÇÃO E ACÚMULO DE PETRÓLEO

20
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
PERMEABILIDADE

• q = vazão volumétrica através do meio poroso (cm3/s)


• K = permeabilidade (darcy)
• A = representa a área aberta ao fluxo (cm2)
• µ = viscosidade (cp)
• L = comprimento do meio poroso (cm)
• P1 – P2 = corresponde a diferença de pressão associada a
perda de carga no meio poroso (atm)
21
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
PERMEABILIDADE

22
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
PERMEABILIDADE
• A porosidade (tamanho e forma dos sedimentos), tipo de óleo,
forças de adesão, tipo de rocha, granulometria são alguns dos
fatores determinantes na permeabilidade da rocha.
• Argila apresenta grãos muito pequenos e suas rochas - folhelhos
ou argilitos - geralmente têm baixíssima permeabilidade, sendo
normalmente consideradas impermeáveis.
• O fraturamento aumenta sua permeabilidade pois os fluidos
podem escoar pelas fraturas.
• A permeabilidade dos arenitos irá variar conforme o grau de
compactação ao qual foi submetido.

23
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
SATURAÇÃO
• A rocha reservatório possui um volume poroso total Vp que
corresponde a soma dos volumes de óleo Vo, gás VG e água VW.
• A porosidade Ф é determinada experimentalmente a partir de
amostras da rocha reservatório.
• ó

• A saturação do óleo é definida como a fração do volume


poroso total ocupado pelo óleo ou seja So = Vo/VP. A soma das
saturações é igual a 1.
• SO + SG + SW = 1
• Uma rocha com alta saturação de óleo é indicativo da
presença de grandes volumes de óleo. Este volume irá
depender também da altura e da área da formação rochosa.

24
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
EXPLORAÇÃO
• O mapeamento das
bacias sedimentares
• Agencia Nacional de
Petroleo usa para
definir áreas de
interesse nos leilões de
concessões
exploratórias.

25
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
26
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
EXPLORAÇÃO
• No processo de leilão de uma área exploratória a ANP disponibiliza
seu mapeamento feito para cada uma das áreas. Após pagar pelo
direito de exploração de uma área (ou bloco) as empresas
produtoras de petróleo estabelecem um programa exploratório.
• A primeira etapa de um programa exploratório => estudo geológico
com o propósito de reconstituir as condições de formação e
acumulação de hidrocarbonetos em uma determinada região.
• O conhecimento acumulado com os estudos realizados permitem
definir a melhor estratégia de exploração do campo. A perfuração
do poço pioneiro visa confirmar ou não o modelo geológico
previsto.

27
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
EXPLORAÇÃO
• Numa campanha exploratória importa entender o potencial produtor de toda uma
região. Os hidrocarbonetos podem estar presentes na forma líquida, gasosa, como
gás retido na agua ou em minas de carvão, no xisto e outros tipos de depósitos de
hidrocarbonetos viscosos. As acumulações podem variar em número, tamanho e
qualidade. A indústria almeja encontrar campos de grande tamanho, com alta
produtividade e óleo leve de boa qualidade.
• Ao decidir por uma campanha exploratória contam também a saúde financeira da
companhia, as condições contratuais do bloco exploratório, a distancia para a fonte
de suprimentos e as perspectivas de preço futuro do barril de petróleo.
• Contratos de concessão de direitos exploratórios com curto prazo de vencimento
ou próximos a outros blocos produtores de petróleo podem, por exemplo, acelerar
a decisão de perfuração de poços visando manter o bloco por mais tempo.

28
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
EXPLORAÇÃO
• Estudos geológicos e geofísicos (estudo da terra usando medidas
de suas propriedades físicas) visam entender a formação e
transformações ocorridas na Terra e possibilitar a determinação de
localidades propícias a geração e acumulo de petróleo.
• Num primeiro momento aquelas formações rochosas que afloram
na superfície, como resultado das deformações anticlinais e falhas,
são mapeadas por fotografias aéreas.

29
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
ESTRATIGRAFIA
• Estudos denominados estratigráficos
permitem que se façam inferências sobre
a história geológica da subsuperfície local.
• Estratigrafia faz o estudo da sucessão
original e idade das rochas estratificadas,
assim como suas formas, distribuição,
composição litológica (composição
química, densidade, porosidade, etc),
conteúdo paleontológico (espécies
animais e vegetais), buscando inferir seu
ambiente de origem e sua história
geológica. Nas cartas estratigráficas são
mostradas a cronologia, litologia, etc,

30
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
INVESTIGAÇÃO INDIRETA: GEOFÍSICA
• Métodos sísmicos, gravimétricos e eletromagnéticos.
• Os métodos gravimétricos e eletromagnéticos são potenciais
pois correspondem a medidas dos campos gravitacional e
magnético da Terra. Suas intensidades estão relacionadas com
as propriedades das rochas em subsuperfície nos pontos de
medida.
• O método gravimétrico permite fazer estimativas da espessura
de sedimentos em uma bacia sedimentar além de indicar a
presença de rochas com densidades diferenciadas como as
rochas metamórficas e domos de sal.

31
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
MÉTODOS POTENCIAIS
• Os métodos eletromagnéticos tem como objetivo medir pequenas
variações na intensidade do campo magnético terrestre, conseqüência
da distribuição irregular de rochas magnetizadas em subsuperfície.
• Medem propriedades eletromagnéticas das rochas, muito relacionadas
com a presença de fluidos ou de minerais metálicos. As variações nas
propriedades magnéticas produzidas por diferentes rochas podem ser
comparadas, por analogia, com o teor de magnetita (minério a base de
ferro) nestas. Por exemplo sabe-se que formações rochosas a base de
sílica têm baixo teor de magnetita e, assim sendo, apresentam baixos
valores de susceptibilidade magnética.

32
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
SÍSMICA
• O princípio básico do método sísmico envolve a medida do
tempo de propagação e amplitude de ondas refletidas nas
formações rochosas, com a finalidade de delinear as
estruturas geológicas do subsolo. As fontes de energia
sísmica mais utilizadas em terra são dinamite ou vibrador em
terra.
• No levantamento marítimo são usados canhões de ar
comprimido. As ondas partem destas fontes, refletem nas
interfaces e chegam a um conjunto de receptores
devidamente posicionados.
33
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
SÍSMICA

34
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
SÍSMICA

35
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
SÍSMICA

• Além de ser função de massa específica das rochas, a


velocidade de propagação das ondas também depende da
porosidade, tipo de fluido presente na rocha e outros.

36
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
MAPEAMENTO GEOLÓGICO
• Os métodos indiretos são uma primeira abordagem no
mapeamento de estruturas com potencial para acumulação de
petróleo.
• Os resultados auxiliam na construção dos mapas geológicos que
são continuamente atualizados pelos exploracionistas.
• Nos mapas, as áreas compostas unicamente por rochas
magmáticas e metamórficas (não sedimentares) são
praticamente eliminadas, como também pequenas bacias com
espessura sedimentar muito reduzida ou sem estruturas
favoráveis à acumulação.

37
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
INTERPRETAÇÃO
• A definição de locais considerados interessantes para a
exploração decorre da interpretação feita sobre seus atributos
geológicos e geofísicos. Não podemos afirmar que haverá
petróleo, apenas que as chances aumentam. É necessário
perfurar poço exploratório.

38
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
INTERPRETAÇÃO
• Um auxílio importante na previsão do comportamento de uma
formação e na geração de seu modelo geológico é obtido a
partir de analogia com reservatórios já descobertos, maduros.
• Reservatórios análogos
– mesma idade geológica de formação e mesma bacia sedimentar
– história de deposição (tipo de rocha) e elementos arquiteturais
semelhantes (falhas)
– propriedades de rocha e característica de fluido semelhantes.

39
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
POÇO EXPLORATÓRIO
• Offshore => altos custos
• Poço exploratório => mínimo custo visando exclusivamente a
obtenção de informações, sendo abandonado posteriormente.
• Localização.
– Estudos geológicos + histórico de poços já perfurados
– Sísmica rasa visando determina irregularidades da geologia submarina
e definição do melhor local para instalação da cabeça do poço. A partir
daí defini-se então a melhor trajetória para que o poço atinja a zona
produtora de petróleo.

40
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
POÇO EXPLORATÓRIO
• Rotação de coluna com broca. Fragmentos de
rocha são removidos por fluido (lama) de
perfuração. O fluido de perfuração => esfriar a
broca, transportar fragmentos de rochas,
garantir a estabilidade das paredes do poço,
etc.
• Tubos de aço são usados para revestir as
paredes do poço. A perfuração ao longo da
trajetória do poço é afetada pelo tipo e
espessura das diversas camadas de rochas.
• Cálculos estruturais determinam os limites de
pressões e tensões que podem levar ao colapso
deste e massa específica do fluido de
perfuração a ser utilizado.
41
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
SONDAS
• Sondas Terrestres

42
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
INDÍCIOS DE HIDROCARBONETOS
• Aumento da velocidade da perfuração.
• Surgência natural = súbito retorno de hidrocarbonetos poço
acima em fenômeno conhecido como kick. A fim de evitar dano
à sonda fluidos de perfuração de densidade adequada são
utilizados para controlar este kick.
• Na perfuração de poços exploratórios amostras das rochas
(testemunhos) são recolhidas e analisadas quanto a sua
densidade, composição química, identificação de fosseis
presentes, presença de hidrocarbonetos, etc.

43
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
POÇO EXPLORATÓRIO
• Amostras de calha

44
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES
POÇO EXPLORATÓRIO
• Testemunho

45
PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO GIOVANI CAVALCANTI NUNES