Sie sind auf Seite 1von 16

Surtos de Doenças Transmitidas

por Alimentos no Brasil


Informe 2018
Ministério da Saúde
Secretaria de Vigilância em Saúde
Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis
Coordenação Geral de Doenças Transmissíveis

Fevereiro de 2019
Conceito
• Doença Transmitida por Alimento (DTA): síndrome
geralmente constituída de anorexia, náuseas, vômitos e/ou
diarreia, acompanhada ou não de febre, relacionada à
ingestão de alimentos ou água contaminados.

• Sintomas digestivos não são as únicas manifestações,


podendo ocorrer afecções extraintestinais em diferentes
órgãos, como rins, fígado, sistema nervoso central, dentre
outros.

Fonte: Manual Integrado de Vigilância, Prevenção e Controle de Doenças Transmitidas por Alimentos
(http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_integrado_vigilancia_doencas_alimentos.pdf)
Causas e sintomas
• As DTA podem ser causadas por: bactérias, vírus, parasitas,
toxinas, príons, agrotóxicos, substâncias químicas e metais
pesados.

• O quadro clínico depende do agente etiológico envolvido e


varia desde leve desconforto intestinal até quadros
extremamente sérios, podendo levar a desidratação grave,
diarreia sanguinolenta e insuficiência renal aguda.

Fonte: Manual Integrado de Vigilância, Prevenção e Controle de Doenças Transmitidas por Alimentos
(http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_integrado_vigilancia_doencas_alimentos.pdf)
Notificação
• Início da vigilância de surtos de DTA: 1999
• Surto de DTA: Episódio em que duas ou mais pessoas apresentam os
mesmos sinais/sintomas após ingerir alimentos e/ou água da mesma origem.
• Surtos de DTA constituem Eventos de Saúde Pública (ESP) que podem
representar ameaça à saúde pública
Notificação compulsória imediata ─ Portaria de Consolidação MS-GM nº 4 de
28 de setembro de 2017 (Anexo 1 do Anexo V)

• Nota Informativa nº 26, de 2016 – CGDT/DEVIT/SVS/MS

Informa sobre o fluxo e prazos de notificação de doenças e ESP relacionados à


transmissão hídrica e alimentar entres as SMS, SES e MS

• Registro no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan)


Investigação
Detecção do surto de DTA – ESP que constitua ameaça à saúde pública

VE/ Assistência-SMS Laboratório - SMS


LACEN-SES/ LR VE-SMS
Notificação
compulsória
Análise Encerramento da
imediata
investigação
Até 24h Encaminhamento de
Registro amostras ao laboratório Produção de informes
no SINAN de referência e boletins
Até 7dias
Diagnóstico

Medidas contínuas
Investigação
de prevenção e Legenda
ESP – Evento de Saúde Pública
Coleta de amostras controle LACEN – Laboratório Central de Saúde Pública
LR – Laboratório de referência
clínicas e de alimentos VE – Vigilância Epidemiológica
SMS/SES VISA – Vigilância Sanitária
SMS – Secretaria Municipal de Saúde
Equipe de investigação –SMS/SES SES – Secretaria Estadual de Saúde
SINAN – Sistema de Informação de Agravos de
Notificação
Perfil Epidemiológico
Série histórica de surtos de DTA. Brasil, 2009 a 2018*.

Ano Surtos Expostos Doentes Hospitalizados Óbitos Letalidade


594 24.014 9.407 1.328 12 0,13%
2009
498 23.954 8.628 1.328 11 0,13%
2010
795 52.640 17.884 2.907 4 0,02%
2011
863 42.138 14.670 1.623 10 0,07%
2012
861 64.340 17.455 1.893 8 0,05%
2013
886 124.359 15.700 2.524 9 0,06%
2014
673 35.826 10.676 1.453 17 0,16%
2015
538 200.896 9.935 1.406 7 0,07%
2016
598 47.409 9.426 1.439 12 0,13%
2017
503 18.992 6.803 731 9 0,13%
2018*
Total Geral 6.809 634.568 120.584 16.632 99 0,08%
Fonte: Sinan/SVS/Ministério da Saúde
* Dados preliminares, sujeitos a alteração
Perfil Epidemiológico
Total de surtos de DTA notificados e doentes. Brasil, 2009 a 2018*.

Fonte: Sinan/SVS/Ministério da Saúde


* Dados preliminares, sujeitos a alteração
Perfil Epidemiológico
Surtos de DTA notificados por região. Brasil, 2009 a 2018*.

N = 6.809 surtos

Fonte: Sinan/SVS/Ministério da Saúde


* Dados preliminares, sujeitos a alteração
Perfil Epidemiológico
Distribuição dos surtos de DTA por local de ocorrência. Brasil, 2009 a 2018*.
N = 6.809 surtos

Fonte: Sinan/SVS/Ministério da Saúde


* Dados preliminares, sujeitos a alteração
Perfil Epidemiológico
Distribuição dos alimentos incriminados¹ em surtos de DTA. Brasil, 2009 a 2018*.
N= 2.350 surtos

¹ Excluídos registros de ignorado, inconsistente e inconclusivo (N = 4.459 surtos)

Fonte: Sinan/SVS/Ministério da Saúde


* Dados preliminares, sujeitos a alteração
Perfil Epidemiológico
Distribuição de surtos de DTA por critério de confirmação. Brasil, 2009 a 2018*.

Fonte: Sinan/SVS/Ministério da Saúde


* Dados preliminares, sujeitos a alteração
Perfil Epidemiológico
Distribuição dos 10 agentes etiológicos mais identificados nos surtos de DTA²
Brasil, 2009 a 2018*.

N= 2.431 surtos

² Surtos de DTA encerrados por critério laboratorial


Fonte: Sinan/SVS/Ministério da Saúde
* Dados preliminares, sujeitos a alteração
Perfil Epidemiológico
• Destaques – 2017
– 598 surtos de DTA notificados, com 9.426 doentes, 1.439 hospitalizados e 12
óbitos relacionados;
– Dentre os agentes etiológicos identificados como únicos responsáveis pelos
surtos confirmados laboratorialmente (89 surtos), a Escherichia coli (46,1%/
41 surtos) foi o mais comum, seguida por Salmonella spp (14,6%/13 surtos);
– Dos alimentos suspeitos identificados (215 surtos), a água foi a mais
incriminada (35,8%/77 surtos), seguida pelos alimentos mistos (16,7%/36
surtos), cuja composição possui mais de um grupo alimentar;
– Conforme notificações de anos anteriores, as residências (36,9%/220 surtos)
foram o local de ocorrência mais associado aos surtos de DTA.

Fonte: Sinan/SVS/Ministério da Saúde


Perfil Epidemiológico
• Destaques – 2018*
– 503 surtos de DTA notificados, com 6.803 doentes, 731 hospitalizados e 9
óbitos relacionados;
– Dentre os agentes etiológicos identificados como únicos responsáveis pelos
surtos confirmados laboratorialmente (80 surtos), a Escherichia coli (27,5%/22
surtos) foi o mais comum, seguida por Norovírus (25,0%/20 surtos);
– Dos alimentos suspeitos identificados (167 surtos), a água foi a mais
incriminada (29,9% / 50 surtos), seguida pelos alimentos mistos (23,4%/39
surtos), cuja composição possui mais de um grupo alimentar;
– Conforme notificações de anos anteriores, as residências (35,8%/179 surtos)
continuaram sendo o local de ocorrência mais associado aos surtos de DTA.

Fonte: Sinan/SVS/Ministério da Saúde


* Dados preliminares, sujeitos a alteração
Publicações e dados

Saúde de A a Z
www.saude.gov.br/svs
Disque Saúde - 136

www.saude.gov.br/combateaedes