Sie sind auf Seite 1von 16

25/11/2018

Vade Mecum

26.ª edição – 2018

ISBN: 9788553172047

DECRETO N. 9.451, DE 26 DE JULHO DE 2018

(DOU de 27 de julho de 2018)

Regulamenta o art. 58 da Lei n. 13.146, de 6 de julho de 2015, que institui a Lei Brasileira de Inclusão da
Pessoa com Deficiência - Estatuto da Pessoa com Deficiência.

Página Artigo Alteração

Art. 58, caput •• O Decreto n. 9.451, de 26-7-2018, em vigor após 18 meses da sua data de
1096
(Lei n. 13.146) publicação (DOU de 27-7-2018), regulamenta este artigo.

AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE N. 1.931

( DOU de 1 de agosto de 2018)

Página Artigo Alteração

Art. 10, §
2.º, 2.ª
nota •• O STF, no julgamento da ADI n. 1.931 (DOU de 1-8-2018), julgou parcialmente
1801
procedente os pedidos para declarar a inconstitucionalidade desse § 2.º.
(Lei n.
9.656/98)

Art. 35-E,
caput, 2.ª
nota •• O STF, no julgamento da ADI n. 1.931 (DOU de 1-8-2018), julgou parcialmente
1808
procedente os pedidos para declarar a inconstitucionalidade desse artigo.
(Lei n.
9.656/98)

LEI N. 13.699, DE 2 DE AGOSTO DE 2018

(DOU de 3 de agosto de 2018)

Altera a Lei n. 10.257, de 10 de julho de 2001 (Estatuto da Cidade), para instituir diretriz de política urbana que
visa a garantir condições condignas de acessibilidade, utilização e conforto nas dependências internas das
edificações urbanas, inclusive nas destinadas à moradia e ao serviço dos trabalhadores domésticos.

Página Artigo Alteração

XIX - garantia de condições condignas de acessibilidade, utilização e conforto


nas dependências internas das edificações urbanas, inclusive nas destinadas à
Art. 2.º, XIX
moradia e ao serviço dos trabalhadores domésticos, observados requisitos
1009 (Lei n. mínimos de dimensionamento, ventilação, iluminação, ergonomia, privacidade e
10.257/2001) qualidade dos materiais empregados.

•• Inciso XIX acrescentado pela Lei n. 13.699, de 2-8-2018.

1/1
25/11/2018

Vade Mecum

26.ª edição – 2018

ISBN: 9788553172047

AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE N. 2.139

AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE N. 2.160

AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE N. 2.237

(DOU de 7 de agosto de 2018)

Página Artigo Alteração

Art. ●● O STF, nas ADI 2.139, 2.160 e 2.237, de 1º-8-2018 (DOU de 7-8-2018), julgou
625-D, parcialmente procedente os pedidos para dar interpretação conforme a CF a este
caput, artigo, “assentando que a Comissão de Conciliação Prévia constitui meio legítimo, mas
879 2.ª não obrigatório, de solução de conflitos, permanecendo o acesso à Justiça resguardado
nota para todos os que venham a ajuizar demanda diretamente ao órgão judiciário
competente, e para manter hígido o inciso II do art. 852-B da CLT, no sentido de se
(CLT) considerar legítima a citação nos termos estabelecidos na norma”.

Art.
852-B,
903 II, 2.ª ●● Vide nota ao art. 625-D, caput, da CLT.
nota

(CLT)

AÇÃO DIRETA DE CONSTITUCIONALIDADE N. 2.237

(DOU de 8 de agosto de 2018)

Página Artigo Alteração

Art. 24, ●● O STF, na ADC n. 17, de 1.º-8-2018 (DOU de 8-8-2018), declarou a


II, caput, constitucionalidade deste dispositivo e propôs a seguinte tese de julgamento: “É
1712 nota constitucional a exigência de 6 (seis) anos de idade para o ingresso no ensino
(Lei n. fundamental, cabendo ao Ministério da Educação a definição do momento em que o
9.394/96) aluno deverá preencher o critério etário”.

Art. 31, ●● O STF, na ADC n. 17, de 1.º-8-2018 (DOU de 8-8-2018), declarou a


caput, 2ª constitucionalidade deste dispositivo e propôs a seguinte tese de julgamento: “É
1713 nota constitucional a exigência de 6 (seis) anos de idade para o ingresso no ensino
(Lei n. fundamental, cabendo ao Ministério da Educação a definição do momento em que o
9.394/96) aluno deverá preencher o critério etário”.

Art. 32, ●● O STF, na ADC n. 17, de 1.º-8-2018 (DOU de 8-8-2018), declarou a


caput, 2ª constitucionalidade deste dispositivo e propôs a seguinte tese de julgamento: “É
1713 nota constitucional a exigência de 6 (seis) anos de idade para o ingresso no ensino
(Lei n. fundamental, cabendo ao Ministério da Educação a definição do momento em que o
9.394/96) aluno deverá preencher o critério etário”.

1/2
25/11/2018

Vade Mecum

26.ª edição – 2018

ISBN: 9788553172047

RESOLUÇÃO N. 3, DE 7 DE AGOSTO DE 2018

(DOU de 16 de agosto de 2018)

Acrescenta o § 3.º ao art. 24 do Regulamento Geral da Lei n. 8.906/94 (Estatuto da Advocacia e da OAB).

Página Artigo Alteração

§ 3.º O Conselho Seccional em que o advogado mantenha inscrição


Art. 24, § 3.º
suplementar deverá registrar a punição disciplinar imposta por outra Seccional,
987 (Regulamento no CNA, em até 24 (vinte e quatro) horas, a contar da comunicação de que trata
Geral da o art. 70, § 2.º, do EAOAB.
OAB)
•• § 3.º acrescentado pela Resolução n. 3, de 7-8-2018.

MEDIDA PROVISÓRIA N. 848, DE 16 DE AGOSTO DE 2018

(DOU de 17 de agosto de 2018)

Altera a Lei n. 8.036, de 11 de maio de 1990, que dispõe sobre o Fundo de Garantia

do Tempo de Serviço, para possibilitar a aplicação de recursos em operações de crédito destinadas às entidades
hospitalares filantrópicas e sem fins lucrativos que participem de forma complementar do Sistema Único de
Saúde.

Página Artigo Alteração

n) consignação de recebíveis, exclusivamente para operações de crédito destinadas


às entidades hospitalares filantrópicas e sem fins lucrativos que participem de forma
complementar do Sistema Único de Saúde - SUS, em percentual máximo a ser
definido pelo Ministério da Saúde; e
Art. 9.º,
I, n e o •• Alínea n com redação determinada pela Medida Provisória n. 848, de 16-8-2018.
1453
(Lei n. O texto anterior dizia: “n) outras, a critério do Conselho Curador do FGTS;
8.036/90)
•• Inciso I e alíneas com redação determinada pela Lei n. 9.467, de 10-7-1997”.

o) outras, a critério do Conselho Curador do FGTS;

•• Alínea o acrescentada pela Medida Provisória n. 848, de 16-8-2018.

1454 Art. 9.º, § 2.º Os recursos do FGTS deverão ser aplicados em habitação, saneamento básico,
§§ 2.º e infraestrutura urbana e em operações de crédito destinadas às entidades
3.º hospitalares filantrópicas e sem fins lucrativos que participem de forma
complementar do SUS, desde que as disponibilidades financeiras sejam mantidas
(Lei n. em volume que satisfaça as condições de liquidez e de remuneração mínima
8.036/90) necessária à preservação do poder aquisitivo da moeda.

•• § 2.º com redação determinada pela Medida Provisória n. 848, de 16-8-2018.

O texto anterior dizia: “§ 2.º Os recursos do FGTS deverão ser aplicados em


habitação, saneamento básico e infraestrutura urbana. As disponibilidades
financeiras devem ser mantidas em volume que satisfaça as condições de liquidez e
remuneração mínima necessária à preservação do poder aquisitivo da moeda”.

1/2
25/11/2018

§ 3.º O programa de aplicações deverá destinar, no mínimo, sessenta por cento


para investimentos em habitação popular e cinco por cento para operações de
crédito destinadas às entidades hospitalares filantrópicas e sem fins lucrativos que
participem de forma complementar do SUS.

•• § 3.º com redação determinada pela Medida Provisória n. 848, de 16-8-2018.

O texto anterior dizia: “§ 3.º O programa de aplicações deverá destinar, no mínimo,


60% (sessenta por cento) para investimentos em habitação popular”.

§ 9.º A Caixa Econômica Federal, o Banco do Brasil S.A. e

o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES poderão atuar


como agentes financeiros autorizados para aplicação dos recursos do FGTS em
operações de crédito destinadas às entidades hospitalares filantrópicas e sem fins
lucrativos que participem de forma complementar do SUS.

•• § 9.º acrescentado pela Medida Provisória n. 848, de 16-8-2018.

§ 10. Nas operações de crédito destinadas às entidades hospitalares filantrópicas e


sem fins lucrativos que participem de forma complementar do SUS, serão
observadas as seguintes condições:
Art. 9.º,
§§ 9.º e •• § 10 acrescentado pela Medida Provisória n. 848, de 16-8-2018.
1454 10
I - a taxa de juros efetiva não será superior àquela cobrada
(Lei n.
para o financiamento habitacional na modalidade pró-cotista ou outra que venha a
8.036/90)
substituí-la;

•• Inciso I acrescentado pela Medida Provisória n. 848, de 16-8-2018.

II - a tarifa operacional única não será superior a cinco décimos por cento do valor
da operação; e

•• Inciso II acrescentado pela Medida Provisória n. 848, de 16-8-2018.

III - o risco das operações de crédito ficará a cargo dos agentes financeiros de que
trata o § 9.º.

•• Inciso III acrescentado pela Medida Provisória n. 848, de 16-8-2018.

2/2
25/11/2018

Vade Mecum

26.ª edição – 2018

ISBN: 9788553172047

SÚMULA N. 603, DO STJ

(DJE de 27 de agosto de 2018)

Página Artigo Alteração

Súmula 603
2452 603. (Cancelada.)
(STJ)

LEI N. 13.711, DE 24 DE AGOSTO DE 2018

(DOU de 27 de agosto de 2018)

Altera a Lei n. 13.103, de 2 de março de 2015, para prever isenção, em todo o território nacional, da cobrança
de pedágio sobre eixos suspensos de veículos de transporte de cargas que circularem vazios nas vias terrestres
federais, estaduais, distritais e municipais.

Página Artigo Alteração

2235 Art. 17 Art. 17. Em todo o território nacional, os veículos de transporte de cargas que
circularem vazios ficarão isentos da cobrança de pedágio sobre os eixos que
(Lei n. mantiverem suspensos.
13.103/15)
•• Caput com redação determinada pela Lei n. 13.711, de 24-8-2018.

§ 1.º O disposto no caput deste artigo abrange as vias terrestres federais,


estaduais, distritais e municipais, inclusive as concedidas.

•• § 1.º acrescentado pela Lei n. 13.711, de 24-8-2018.

§ 2.º Os órgãos e as entidades competentes da União, dos Estados, do Distrito


Federal e dos Municípios disporão sobre as medidas técnicas e operacionais para
viabilizar a isenção de que trata o caput deste artigo.

•• § 2.º acrescentado pela Lei n. 13.711, de 24-8-2018.

§ 3.º Até a implementação das medidas a que se refere o § 2.º deste artigo,
considerar-se-ão vazios os veículos de transporte de carga que transpuserem as
praças de pedágio com um ou mais eixos mantidos suspensos, assegurada a
fiscalização dessa condição pela autoridade com circunscrição sobre a via ou pelo
agente designado na forma prevista no § 4.º do art. 280 da Lei n. 9.503, de 23 de
setembro de 1997 (Código de Trânsito Brasileiro).

•• § 3.º acrescentado pela Lei n. 13.711, de 24-8-2018.

§ 4.º Para as vias rodoviárias federais concedidas ou delegadas, será adotada a


regulamentação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

•• § 4.º acrescentado pela Lei n. 13.711, de 24-8-2018.

§ 5.º Ficam sujeitos à penalidade prevista no art. 209 da Lei nº 9.503, de 23 de


setembro de 1997 (Código de Trânsito Brasileiro), os veículos de transporte de
cargas que circularem com eixos indevidamente suspensos.

•• § 5.º acrescentado pela Lei n. 13.711, de 24-8-2018.

§ 6.º O aumento do valor do pedágio para os usuários da rodovia a fim de


compensar a isenção de que trata o caput deste artigo somente será adotado após
1/2
25/11/2018

esgotadas as demais alternativas de reequilíbrio econômico-financeiro dos


contratos.

•• § 6.º acrescentado pela Lei n. 13.711, de 24-8-2018.

LEI N. 13.714, DE 24 DE AGOSTO DE 2018

(DOU de 27 de agosto de 2018)

Altera a Lei n. 8.742, de 7 de dezembro de 1993, para dispor sobre a responsabilidade de normatizar e
padronizar a identidade visual do Sistema Único de Assistência Social (Suas) e para assegurar o acesso das
famílias e indivíduos em situações de vulnerabilidade ou risco social e pessoal à atenção integral à saúde.

Página Artigo Alteração

§ 4.º Cabe à instância coordenadora da Política Nacional de Assistência Social


normatizar e padronizar o emprego e a divulgação da identidade visual do Suas.
Art. 6.º,
§§ 4.º e •• § 4.º acrescentado pela Lei n. 13.714, de 24-8-2018.
1623 5.º
§ 5.º A identidade visual do Suas deverá prevalecer na identificação de unidades
(Lei n. públicas estatais, entidades e organizações de assistência social, serviços,
8.742/93) programas, projetos e benefícios vinculados ao Suas.

•• § 5.º acrescentado pela Lei n. 13.714, de 24-8-2018.

Parágrafo único. A atenção integral à saúde, inclusive a dispensação de


medicamentos e produtos de interesse para a saúde, às famílias e indivíduos em
Art. 19,
situações de vulnerabilidade ou risco social e pessoal, nos termos desta Lei, dar-se-
parágrafo
á independentemente da apresentação de documentos que comprovem domicílio ou
1626 único
inscrição no cadastro no Sistema Único de Saúde (SUS), em consonância com a
(Lei n. diretriz de articulação das ações de assistência social e de saúde a que se refere o
8.742/93) inciso XII deste artigo.

•• Parágrafo único acrescentado pela Lei n. 13.714, de 24-8-2018.

SÚMULA N. 85, DO JEF

(DJE de 29 de agosto de 2018)

Página Artigo Alteração

85. É possível a conversão de tempo comum em especial de período(s) anterior(es) ao


advento da Lei n. 9.032/95 (que alterou a redação do § 3.º do art. 57 da Lei n.
Súmula
8.213/91), desde que todas as condições legais para a concessão do benefício
2457 85
pleiteado tenham sido atendidas antes da publicação da referida lei,
(JEF) independentemente da

data de entrada do requerimento (DER).

MEDIDA PROVISÓRIA N. 850, DE 10 DE SETEMBRO DE 2018

( DOU de 11 de setembro de 2018)

Autoriza o Poder Executivo federal a instituir a Agência Brasileira de Museus - Abram e dá outras providências.

Página Artigo Alteração

§ 3.º O servidor cedido que não atua diretamente na unidade que exerce a
atividade publicizada perceberá as vantagens do cargo a que fizer jus no órgão de
origem quando for ocupante de primeiro ou segundo escalão na organização social.
Art. 14, §
3.º •• § 3.º com redação determinada pela Medida Provisória n. 850, de 10-9-2018.
1799
(Lei n. O texto anterior dizia: “§ 3.º O servidor cedido perceberá as vantagens do cargo a
9.637/98) que fizer jus no órgão de origem,

quando ocupante de cargo de primeiro ou de segundo escalão na organização


social”. 2/2
25/11/2018

Vade Mecum

26.ª edição – 2018

ISBN: 9788553172047

RESOLUÇÃO N. 4, DE 4 DE SETEMBRO DE 2018

(DOU de 21 de setembro de 2018)

Altera o disposto no caput e nos §§ 1.º, 2.º e 3.º do art. 131 e acrescenta os arts. 156-B e 156-C do
Regulamento Geral do Estatuto da Advocacia e da OAB (Lei n. 8.906/94).

Página Artigo Alteração

Art. 131. São admitidas a registro apenas chapas completas, que deverão
atender ao mínimo de 30% (trinta por cento) e ao máximo de 70% (setenta por
cento) para candidaturas de cada sexo, com indicação dos candidatos aos
cargos de diretoria do Conselho Seccional, de conselheiros seccionais, de
conselheiros federais, de diretoria da Caixa de Assistência dos Advogados, bem
como do Conselho Federal e das Subseções, sendo vedadas candidaturas
isoladas ou que integrem mais de uma chapa.

Art. 131, •• Caput com redação determinada pela Resolução n. 4, de 4-9-2018.


caput, §§ 1.º § 1.º O percentual mínimo previsto no caput deste artigo aplicar-se-á quanto às
a 3.º diretorias dos Conselhos Seccionais, das Caixas de Assistência e do Conselho
997
(Regulamento Federal e deverá incidir sobre os cargos de titulares e de suplentes, se houver.
Geral da •• § 1.º com redação determinada pela Resolução n. 4, de 4-9-2018.
OAB)
§ 2.º Para o alcance do percentual mínimo previsto no caput deste artigo, far-
se-á o arredondamento de fração para cima somente quando esta for superior a
0,5 (zero vírgula cinco).

•• § 2.º com redação determinada pela Resolução n. 4, de 4-9-2018.

§ 3.º As regras deste artigo aplicam-se também à chapas das Subseções.

•• § 3.º com redação determinada pela Resolução n. 4, de 4-9-2018.

Art. 156-B. As alterações das regras estabelecidas no art. 131, caput e


parágrafos 1.º, 2.º e 3.º, deste Regulamento Geral, promovidas em 2018,
passarão a vigorar a partir das eleições de 2021, inclusive.

Arts. 156-B e •• Artigo acrescentado pela Resolução n. 4, de 4-9-2018.


1002
156-C Art. 156-C. As eleições nos Conselhos Seccionais e nas Subseções em 2018 e
no Conselho Federal em 2019 serão regidas pelas regras do Provimento n.
146/2011 e deste Regulamento Geral, vigentes em 2018.

•• Artigo acrescentado pela Resolução n. 4, de 4-9-2018.

MEDIDA PROVISÓRIA N. 852, DE 21 DE SETEMBRO DE 2018

(DOU de 24 de setembro de 2018)

Dispõe sobre a transferência de imóveis do Fundo do Regime Geral de Previdência Social para a União, sobre a
administração, a alienação e a gestão dos imóveis da extinta Rede Ferroviária Federal S.A. - RFFSA, extingue o
Fundo Contingente da Extinta RFFSA - FC e dispõe sobre a gestão dos imóveis da União.

Página Artigo Alteração

1/8
25/11/2018

1628 Art. 28-A Art. 28-A. (Revogado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.)

(Lei n. •• O texto anterior dizia: “Art. 28-A. Constitui receita do Fundo Nacional de
8.742/93) Assistência Social, o produto da alienação dos bens imóveis da extinta Fundação
Legião Brasileira de Assistência.

•• Artigo acrescentado pela Medida Provisória n. 2.187-13, de 24-8-2001”.

§ 7.º Para fins de regularização nos registros cadastrais da

Secretaria do Patrimônio da União do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento


e Gestão das ocupações ocorridas até 10 de junho de 2014, as transferências de
posse na cadeia sucessória do imóvel serão anotadas no cadastro dos bens
dominiais da União para o fim de cobrança de receitas patrimoniais dos
Art. 7.º, § responsáveis, não dependendo do prévio recolhimento do laudêmio.
7.º •• § 7.º com redação determinada pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.
1790
(Lei n. O texto anterior dizia: “§ 7.º Para efeito de regularização das ocupações ocorridas
9.636/98) até 27 de abril de 2006 nos registros cadastrais da Secretaria do Patrimônio da
União, as transferências de posse na cadeia sucessória do imóvel serão anotadas
no cadastro dos bens dominiais da União para o fim de cobrança de receitas
patrimoniais dos respectivos responsáveis, não dependendo do prévio recolhimento
do laudêmio.

•• § 7.º acrescentado pela Lei n. 11.481, de 31-5-2007”.

§ 6.º Para fins de regularização nos registros cadastrais da

Secretaria do Patrimônio da União do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento


Art. 13, § e Gestão dos aforamentos ocorridos até 10 de junho de 2014, as transferências de
6.º posse na cadeia sucessória do imóvel serão anotadas no cadastro dos bens
1791 dominiais da União para o fim de cobrança de receitas patrimoniais dos respectivos
(Lei n. responsáveis, não dependendo do prévio recolhimento do
9.636/98)
laudêmio.

•• § 6.º acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

Art. 16-D. O adquirente receberá desconto de vinte e cinco

por cento na aquisição à vista, com fundamento no art. 16-A, desde que atendidas
as seguintes condições, cumulativamente:

•• Caput com redação determinada pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

O texto anterior dizia: “Art. 16-D. O adquirente receberá desconto de 25% (vinte e
cinco por cento) na aquisição à vista, com fundamento no art. 16-A desta Lei,
requerida no prazo de um ano, contado da data de entrada em vigor da portaria de
Art. 16-D, que trata o art. 16-C desta Lei, que incluir o bem na lista de imóveis sujeitos à
caput, I e alienação.

1793 II •• Caput acrescentado pela Lei n. 13.465, de 11-7-2017”.


(Lei n. I - tenha sido apresentada manifestação de interesse para a aquisição à vista com
9.636/98) o desconto que trata o caput no prazo de trinta dias, contado a partir da data do
recebimento da notificação que informar a inclusão do imóvel na portaria de que
trata o art. 16-C; e

•• Inciso I acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

II - tenha sido efetuado o pagamento à vista do valor da alienação no prazo de


sessenta dias, contado a partir da data da manifestação de interesse do
adquirente.

•• Inciso II acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

1793 Art. 18, § § 5.º Na hipótese de destinação à execução de empreendimento de fim lucrativo,
5.º a cessão será onerosa e, sempre que houver condições de competitividade, serão
observados os procedimentos licitatórios previstos em lei e o disposto no art. 18-B.
(Lei n.
9.636/98) •• § 5.º com redação determinada pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

2/8
25/11/2018

O texto anterior dizia: “§ 5.º A cessão, quando destinada à execução de


empreendimento de fim lucrativo, será onerosa e, sempre que houver condições de
competitividade, deverão ser observados os procedimentos licitatórios previstos
em lei”.

Art. 18-B. Os imóveis da União que estiverem ocupados por entidades desportivas
de quaisquer modalidades poderão ser objeto de cessão em condições especiais,
dispensado o procedimento licitatório, observadas as seguintes condições:

•• Caput acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

I - exclusivamente para ocupações anteriores a 5 de outubro de 1988; e

•• Inciso I acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

II - pelo prazo máximo de 30 anos, admitidas prorrogações

por iguais períodos.

•• Inciso II acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

§ 1.º A cessão será formalizada por meio de termo ou de contrato, do qual


constarão expressamente as condições estabelecidas.

Art. 18-B •• § 1.º acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

1794 (Lei n. § 2.º A cessão será tornada nula, independentemente de ato especial, se ao
9.636/98) imóvel vier a ser dada aplicação diversa da prevista no termo ou no contrato, no
todo ou em parte,

observado o disposto no § 5.º do art. 18.

•• § 2.º acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

§ 3.º As entidades desportivas de que trata este artigo receberão desconto de


cinquenta por cento sobre os débitos inadimplidos relativos a preços públicos pelo
uso privativo de área da União quanto ao período que antecedeu a data de
formalização do termo ou do contrato.

•• § 3.º acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

§ 4.º O desconto de que trata o § 3.º somente será concedido aos interessados
que requererem a regularização até 31 de dezembro de 2019 e fica condicionado
ao deferimento do pedido pela Secretaria do Patrimônio da União do Ministério do
Planejamento, Desenvolvimento e Gestão.

•• § 4.º acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

1795 Art. 24-A Art. 24-A. Na hipótese de concorrência ou leilão público deserto ou fracassado na
venda de bens imóveis da União, os imóveis poderão ser disponibilizados para
(Lei n. venda direta.
9.636/98)
•• Caput com redação determinada pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

O texto anterior dizia: “Art. 24-A. Na hipótese de ocorrência de leilão deserto ou


fracassado na venda de bens imóveis da União, os referidos imóveis poderão ser
disponibilizados para venda direta.

•• Caput acrescentado pela Lei n. 13.465, de 11-7-2017”.

Parágrafo único. Fica a Secretaria do Patrimônio da União

do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão

autorizada a conceder desconto de até dez por cento sobre o valor estabelecido em
avaliação vigente na hipótese de concorrência ou leilão público deserto ou
fracassado por duas vezes consecutivas, referente a imóvel cujo valor de avaliação
seja de até R$ 5.000.000,00 (cinco milhões de reais).

•• Parágrafo único com redação determinada pela Medida Provisória n. 852, de 21-
9-2018.

O texto anterior dizia: “Parágrafo único. Na ocorrência de leilão deserto ou


fracassado por duas vezes consecutivas, cujo valor de avaliação do imóvel seja de
até R$ 5.000.000,00 (cinco milhões de reais), a Secretaria do Patrimônio da União

3/8
25/11/2018

(SPU) fica autorizada a conceder desconto de até 10% (dez por cento) sobre o
valor estabelecido em avaliação vigente.

•• Parágrafo único acrescentado pela Lei n. 13.465, de 11-7-2017”.

IV - sociedades de economia mista voltadas à execução de programas de provisão


habitacional ou de regularização fundiária de interesse social;

•• Inciso IV com redação determinada pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-


2018.

O texto anterior dizia: “IV – sociedades de economia mista voltadas à execução de


programas de provisão habitacional

ou de regularização fundiária de interesse social; ou

•• Inciso IV acrescentado pela Lei n. 11.481, de 31-5-2007”.

Art. 31, V - beneficiários, pessoas físicas ou jurídicas, de programas de provisão


caput, IV a habitacional ou de regularização fundiária de interesse social desenvolvidos por
VI órgãos ou entidades da administração pública, para cuja execução seja efetivada a
1795
doação; ou
(Lei n.
9.636/98) •• Inciso V com redação determinada pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-
2018.

O texto anterior dizia: “V – beneficiários, pessoas físicas ou jurídicas, de


programas de provisão habitacional ou de regularização fundiária de interesse
social desenvolvidos por órgãos ou entidades da administração pública, para cuja
execução seja efetivada a doação.

•• Inciso V acrescentado pela Lei n. 11.481, de 31-5-2007”.

VI - instituições filantrópicas, devidamente comprovadas como entidades


beneficentes de assistência social, e organizações religiosas.

•• Inciso VI acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

Art. 31, §
§ 6.º Na hipótese de que trata o inciso VI do caput, a escolha da instituição será
6.º
1796 precedida de chamamento público, na forma prevista em regulamento.
(Lei n.
•• § 6.º acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.
9.636/98)

§ 1.º Na hipótese de o empreendimento envolver áreas originariamente de uso


comum do povo, poderá ser autorizada a utilização dessas áreas, mediante cessão
de uso na forma do disposto no art. 18, condicionada, quando necessário, à
apresentação de licença ambiental, que ateste a viabilidade do empreendimento,
observadas as demais disposições legais pertinentes.

•• Anterior parágrafo único com redação determinada pela Medida Provisória n.


852, de 21-9-2018.
Art. 42, §§ O texto anterior dizia: “Parágrafo único. Quando o empreendimento
1.º e 2.º necessariamente envolver áreas originariamente de uso comum do povo, poderá
1796
(Lei n. ser autorizada a utilização dessas áreas, mediante cessão de uso na forma do art.
9.636/98) 18, condicionada, quando for o caso, à apresentação do Estudo de Impacto
Ambiental e respectivo relatório, devidamente aprovados pelos órgãos
competentes, observadas as demais disposições legais pertinentes”.

§ 2.º A regularidade ambiental é condicionante de contratos de destinação de


áreas da União e, comprovada a existência de comprometimento da integridade da
área pelo órgão ambiental competente, o contrato será rescindido sem ônus para a
União, sem prejuízo das demais sanções cabíveis.

•• § 2.º acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

2273 Art. 11, Art. 11. O adquirente receberá desconto de vinte e cinco por cento na aquisição à
caput, I e vista, com fundamento no art. 4.º, desde que atendidas as seguintes condições,
II cumulativamente:

•• Caput com redação determinada pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

4/8
25/11/2018

(Lei n. O texto anterior dizia: “Art. 11. O adquirente receberá desconto de 25% (vinte e
13.240/15) cinco por cento) na aquisição à vista, com fundamento no art. 4.º desta Lei,
requerida no prazo de um ano, contado da data de entrada em vigor da portaria de
que trata o art. 8.º desta Lei que incluir o bem na lista de imóveis sujeitos à
alienação.

•• Caput com redação determinada pela Lei n. 13.465, de 11-7-2017”.

I - tenha sido apresentada manifestação de interesse para a aquisição à vista com


o desconto que trata o caput no prazo de trinta dias, contado a partir da data do
recebimento da notificação que informar a inclusão do imóvel na portaria de que
trata o art. 8.º; e

•• Inciso I acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

II - tenha sido efetuado o pagamento à vista do valor da alienação no prazo de


sessenta dias, contado a partir da data da manifestação de interesse do
adquirente.

•• Inciso II acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

Art. 14. Fica a União autorizada a transferir aos Municípios a gestão das orlas e
praias marítimas, estuarinas, lacustres e fluviais federais, inclusive as áreas de
Art. 14, bens de uso comum com exploração econômica, tais como calçadões, praças e
caput parques públicos, excetuados:
2273
(Lei n. •• Caput com redação determinada pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.
13.240/15) O texto anterior dizia: “Art. 14. Fica a União autorizada a transferir aos Municípios
litorâneos a gestão das praias marítimas urbanas, inclusive as áreas de bens de
uso comum com exploração econômica, excetuados:”.

§ 3.º A União poderá contratar, por meio de processo licitatório, prestação de


serviços de constituição, de estruturação, de administração e de gestão de fundo
de investimento, para os fins de que trata o caput, dispensada a licitação para a
Art. 20, § contratação de instituições financeiras oficiais federais.
3.º
2274 •• § 3.º com redação determinada pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.
(Lei n.
13.240/15) O texto anterior dizia: “§ 3.º Para os fins deste artigo, a União poderá selecionar
fundos de investimentos administrados por instituições financeiras oficiais federais,

independentemente de processo licitatório”.

Art. 20-A. Para os fins do disposto no art. 20, a União fica

autorizada a prever no instrumento convocatório a hipótese de realização das


despesas iniciais de estruturação do fundo de investimento, observada a
Art. 20-A disponibilidade financeira e orçamentária.
2274 (Lei n. •• Caput acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.
13.240/15)
Parágrafo único. As despesas de que trata o caput serão amortizadas por meio
do recebimento de cotas equivalentes aos valores despendidos.

•• Parágrafo único acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

2274 Art. 22 Art. 22. Os imóveis que constituem o patrimônio imobiliário do Fundo do Regime
Geral de Previdência Social poderão ser transferidos para o patrimônio da União,
(Lei n. que lhes dará destinação, assegurada a compensação financeira, na forma
13.240/15) estabelecida em regulamento.

•• Caput com redação determinada pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

O texto anterior dizia: “Art. 22. Assegurada a compensação financeira, na forma do


regulamento, os imóveis que constituem o Fundo do Regime Geral de Previdência
Social e que, na data de publicação desta Lei, estiverem ocupados irregularmente
há mais de cinco anos e possam ser destinados à regularização fundiária de
assentamentos urbanos, nos termos da Lei n. 11.977, de 7 de julho de 2009,
poderão ser transferidos para o patrimônio da União, que lhes dará aquela
destinação”.

5/8
25/11/2018

§ 1.º Os atos necessários à avaliação dos imóveis, à operacionalização física,


documental, contábil e financeira da transferência indicada no caput serão objeto
de ato conjunto da Secretaria do Patrimônio da União do Ministério do
Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, da Secretaria do Tesouro Nacional do
Ministério da Fazenda e do Instituto Nacional do Seguro Social.

•• § 1.º acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

§ 2.º A compensação financeira corresponderá ao valor de avaliação dos imóveis,


acrescido, quando for o caso, da taxa de ocupação prevista no art. 7.º da Lei n.
9.702, de 17 de novembro de 1998, calculada após o decurso do prazo para
desocupação dos imóveis.

•• § 2.º acrescentado pela Medida Provisória n. 852, de 21-9-2018.

LEI N. 13.715, DE 24 DE SETEMBRO DE 2018

(DOU de 25 de setembro de 2018)

Altera o Decreto-Lei n. 2.848, de 7 de dezembro de 1940 (Código Penal), a Lei n. 8.069, de 13 de julho de
1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente), e a Lei n. 10.406, de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil), para
dispor sobre hipóteses de perda do poder familiar pelo autor de determinados crimes contra outrem igualmente
titular do mesmo poder familiar ou contra filho, filha ou outro descendente.

Página Artigo Alteração

Parágrafo único. Perderá também por ato judicial o poder familiar aquele que:

•• Parágrafo único acrescentado pela Lei n. 13.715, de 24-9-2018.

I - praticar contra outrem igualmente titular do mesmo poder familiar:

•• Inciso I acrescentado pela Lei n. 13.715, de 24-9-2018.

a) homicídio, feminicídio ou lesão corporal de natureza grave ou seguida de morte,


quando se tratar de crime doloso envolvendo violência doméstica e familiar ou
menosprezo ou discriminação à condição de mulher;

•• Alínea a acrescentada pela Lei n. 13.715, de 24-9-2018.


Art.
1.638, b) estupro ou outro crime contra a dignidade sexual sujeito à pena de reclusão;
222 parágrafo
único •• Alínea b acrescentada pela Lei n. 13.715, de 24-9-2018.

(CC) II - praticar contra filho, filha ou outro descendente:

•• Inciso II acrescentado pela Lei n. 13.715, de 24-9-2018.

a) homicídio, feminicídio ou lesão corporal de natureza grave ou seguida de morte,


quando se tratar de crime doloso envolvendo violência doméstica e familiar ou
menosprezo ou discriminação à condição de mulher;

•• Alínea a acrescentada pela Lei n. 13.715, de 24-9-2018.

b) estupro, estupro de vulnerável ou outro crime contra a dignidade sexual sujeito à


pena de reclusão.

•• Alínea b acrescentada pela Lei n. 13.715, de 24-9-2018.

II – a incapacidade para o exercício do poder familiar, da tutela ou da curatela nos


Art. 92, crimes dolosos sujeitos à pena de reclusão cometidos contra outrem igualmente
442 II titular do mesmo poder familiar, contra filho, filha ou outro descendente ou contra
tutelado ou curatelado;
(CP)
•• Inciso II com redação determinada pela Lei n. 13.715, de 24-9-2018.

§ 2.º A condenação criminal do pai ou da mãe não implicará a destituição do poder


Art. 23, § familiar, exceto na hipótese de condenação por crime doloso sujeito à pena de
950 2.º reclusão contra outrem igualmente titular do mesmo poder familiar ou contra filho,
filha ou outro descendente.
(ECA)
•• § 2.º com redação determinada pela Lei n. 13.715, de 24-9-2018.

6/8
25/11/2018

LEI N. 13.718, DE 24 DE SETEMBRO DE 2018

(DOU de 25 de setembro de 2018)

Altera o Decreto-Lei n. 2.848, de 7 de dezembro de 1940 (Código Penal), para tipificar os crimes de
importunação sexual e de divulgação de cena de estupro, tornar

pública incondicionada a natureza da ação penal dos crimes contra a liberdade sexual e dos crimes sexuais
contra vulnerável, estabelecer causas de aumento de pena para

esses crimes e definir como causas de aumento de pena o estupro coletivo e o estupro corretivo; e revoga
dispositivo do Decreto-Lei n. 3.688, de 3 de outubro de 1941 (Lei das Contravenções Penais).

Página Artigo Alteração

Importunação sexual

Art. 215-A. Praticar contra alguém e sem a sua anuência ato libidinoso com o
Art. 215-
objetivo de satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro:
457 A
Pena - reclusão, de 1 (um) a 5 (cinco) anos, se o ato não constitui crime mais
(CP)
grave.

•• Artigo acrescentado pela Lei n. 13.718, de 24-9-2018.

§ 5.º As penas previstas no caput e nos §§ 1.º, 3.º e 4.º deste artigo aplicam-se
Art. 217-
independentemente do consentimento da vítima ou do fato de ela ter mantido
457 A, § 5.º
relações sexuais anteriormente ao crime.
(CP)
•• § 5.º acrescentado pela Lei n. 13.718, de 24-9-2018.

Divulgação de cena de estupro ou de cena de estupro de vulnerável, de


cena de sexo ou de pornografia

Art. 218-C. Oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, vender ou expor à venda,


distribuir, publicar ou divulgar, por qualquer meio - inclusive por meio de
comunicação de massa ou sistema de informática ou telemática -, fotografia, vídeo
ou outro registro audiovisual que contenha cena de estupro ou de estupro de
vulnerável ou que faça apologia ou induza a sua prática, ou, sem o consentimento
da vítima, cena de sexo, nudez ou pornografia:

Pena - reclusão, de 1 (um) a 5 (cinco) anos, se o fato não

constitui crime mais grave.


Art. 218- •• Caput acrescentado pela Lei n. 13.718, de 24-9-2018.
457 C
Aumento de pena
(CP)
§ 1.º A pena é aumentada de 1/3 (um terço) a 2/3 (dois terços) se o crime é
praticado por agente que mantém ou tenha mantido relação íntima de afeto com a
vítima ou com o fim de vingança ou humilhação.

•• § 1.º acrescentado pela Lei n. 13.718, de 24-9-2018.

Exclusão de ilicitude

§ 2.º Não há crime quando o agente pratica as condutas descritas no caput deste
artigo em publicação de natureza jornalística, científica, cultural ou acadêmica com
a adoção de recurso que impossibilite a identificação da vítima, ressalvada sua
prévia autorização, caso seja maior de 18 (dezoito) anos.

•• § 2.º acrescentado pela Lei n. 13.718, de 24-9-2018.

Art. 225. Nos crimes definidos nos Capítulos I e II deste Título, procede-se
Art. 225 mediante ação penal pública incondicionada.
457
(CP) •• Caput com redação determinada pela Lei n. 13.718, de 24-9-2018.

Parágrafo único. (Revogado pela Lei n. 13.718, de 24-9-2018.)

458 Art. 226, II - de metade, se o agente é ascendente, padrasto ou madrasta, tio, irmão,
7/8
25/11/2018

II cônjuge, companheiro, tutor, curador, preceptor ou empregador da vítima ou por


qualquer outro título tiver autoridade sobre ela;
(CP)
•• Inciso II com redação determinada pela Lei n. 13.718, de 24-9-2018.

IV - de 1/3 (um terço) a 2/3 (dois terços), se o crime é praticado:

•• Inciso IV acrescentado pela Lei n. 13.718, de 24-9-2018.

Estupro coletivo
Art. 226,
a) mediante concurso de 2 (dois) ou mais agentes;
458 IV
•• Alínea a acrescentada pela Lei n. 13.718, de 24-9-2018.
(CP)
Estupro corretivo

b) para controlar o comportamento social ou sexual da vítima.

•• Alínea b acrescentada pela Lei n. 13.718, de 24-9-2018.

III - de metade a 2/3 (dois terços), se do crime resulta gravidez;

•• Inciso III com redação determinada pela Lei n. 13.718, de 24-9-2018.


Art. 234-
459 A, III e IV IV - de 1/3 (um terço) a 2/3 (dois terços), se o agente transmite à vítima doença
sexualmente transmissível de que sabe ou deveria saber ser portador, ou se a
(CP)
vítima é idosa ou pessoa com deficiência.

•• Inciso IV com redação determinada pela Lei n. 13.718, de 24-9-2018.

Art. 61

491 (Decreto- Art. 61. (Revogado pela Lei n. 13.718, de 24-9-2018.)


lei n.
3.688/41)

SÚMULA N. 617, DO STJ


( DJE de 1 de outubro de 2018)

Página Artigo Alteração

Súmula 617. A ausência de suspensão ou revogação do livr amento condicional antes do


2452 n. 617, término do período de prova enseja a extinção da punibilidade pelo integr al
do STJ cumprimento da pena.

8/8
25/11/2018

Vade Mecum

26.ª edição – 2018

ISBN: 9788553172047

LEI N. 13.721, DE 2 DE OUTUBRO DE 2018

(DOU de 3 de outubro de 2018)

Altera o Decreto-Lei n. 3.689, de 3 de outubro de 1941 (Código de Processo Penal), para estabelecer que será
dada prioridade à realização do exame de corpo de delito

quando se tratar de crime que envolva violência doméstica e familiar contra mulher

ou violência contra criança, adolescente, idos ou pessoa com deficiência.

Página Artigo Alteração

Parágrafo único. Dar-se-á prioridade à realização do exame de corpo de


delito quando se tratar de crime que envolva:

Art. 158, •• Parágrafo único acrescentado pela Lei n. 13.721, de 2-10-2018.


parágrafo
513 I - violência doméstica e familiar contra mulher;
único
•• Inciso I acrescentado pela Lei n. 13.721, de 2-10-2018.
(CPP)
II - violência contra criança, adolescente, idoso ou pessoa com deficiência.

•• Inciso II acrescentado pela Lei n. 13.721, de 2-10-2018.

LEI N. 13.725, DE 4 DE OUTUBRO DE 2018

(DOU de 5 de outubro de 2018)

Altera a Lei n. 8.906, de 4 de julho de 1994, que "dispõe sobre o Estatuto da Advocacia e a Ordem dos
Advogados do Brasil (OAB)", e revoga dispositivo da Lei n. 5.584, de 26 de junho de 1970, que "dispõe sobre
normas de Direito Processual do Trabalho, altera dispositivos da Consolidação das Leis do Trabalho, disciplina a
concessão e prestação de assistência judiciária na Justiça do Trabalho, e dá outras providências".

Página Artigo Alteração

§ 6.º O disposto neste artigo aplica-se aos honorários assistenciais, compreendidos


como os fixados em ações coletivas propostas por entidades de classe em
substituição processual, sem prejuízo aos honorários convencionais.
Art. 22,
•• § 6.º acrescentado pela Lei n. 13.725, de 4-10-2018.
§§ 6.º e
980 7.º § 7.º Os honorários convencionados com entidades de classe para atuação em
substituição processual poderão prever a faculdade de indicar os beneficiários que,
(Lei n.
ao optarem por adquirir os direitos, assumirão as obrigações decorrentes do
8.906/94)
contrato originário a partir do momento em que este foi celebrado, sem a
necessidade de mais formalidades.

•• § 7.º acrescentado pela Lei n. 13.725, de 4-10-2018.

1/2
25/11/2018

1293 Art. 16 Art. 16. (Revogado pela Lei n. 13.725, de 4-10-2018.)

(Lei n.
5.584/70)

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO NA ADI N. 5.617

(DOU de 10 de outubro de 2018)

Página Artigo Alteração

•• O STF, na ADI n. 5.617, de 15-3-2018 (DOU de 23-3-2018), declarou a


inconstitucionalidade, por arrastamento, deste § 5.º-A. No julgamento dos
Art. 44, § Embargos de Declaração na ADI n. 5.617, de 3-10-2018 (DOU de 10-10-2018),
5.º-A, 2.ª assegurou que, “sem que haja a redução de 30% do montante do fundo alocado a
1669 nota cada partido para as candidaturas femininas, os recursos financeiros de anos
anteriores acumulados nas contas específicas” de que cuida esse § 5.º-A “sejam
(Lei n. adicionalmente transferidos para as contas individuais das candidatas no
9.096/95) financiamento de suas

campanhas eleitorais no pleito geral de 2018”.

•• O STF, na ADI n. 5.617, de 15-3-2018 (DOU de 23-3-2018), declarou a


inconstitucionalidade, por arrastamento, deste § 7.º. No julgamento dos Embargos
Art. 44, §
de Declaração na ADI n. 5.617, de 3-10-2018 (DOU de 10-10-2018), assegurou
7.º 2.ª
que, “sem que haja a redução de 30% do montante do fundo alocado a cada partido
1669 nota
para as candidaturas femininas, os recursos financeiros de anos anteriores
(Lei n. acumulados nas contas específicas” de que cuida esse § 7.º “sejam adicionalmente
9.096/95) transferidos para as contas individuais das candidatas no financiamento de suas

campanhas eleitorais no pleito geral de 2018”.

2/2