Sie sind auf Seite 1von 4

A Grammar of Biblical Hebrew:

nova reedição de gramática


clássica do hebraico bíblico

The Grammar of Biblical Hebrew: A new reedit


ion of the classical grammar of Biblical Hebrew

A Grammar of Biblical Hebrew: nueva reedición


de la gramática clásica del hebreo Bíblico
Edson de Faria Francisco.

RESUMO
Resenha do livro Joüon, Paul; Muraoka , Takamitsu. A Grammar of Biblical He-
brew. Second Reprint of the Second Edition, with Corrections. Subsidia Biblica
27. Roma: Gregorian & Biblical Press, 2009. 816p. xliv + 772p.

ABSTRACT
Book Review of JO ü ON, Paul; MURAOKA, Takamitsu. The Grammar of Bibli-
cal Hebrew. Second Reprint of the Second Edition, with Corrections. Subsidia
Biblica 27. Roma: Gregorian & Biblical Press, 2009. xliv + 772p.

RESUMEN
Reseña del libro: JOÜON, Paul; MURAOKA, Takamitsu. A Grammar of Biblical
Hebrew. Second Reprint of the Second Edition, with Corrections. Subsidia Biblica
27. Roma: Gregorian & Biblical Press, 2009. xliv + 772p

Desde o século XVI foram produzidas inúmeras gramáticas dedicadas


ao hebraico bíblico. Uma das primeiras gramáticas que se tem notícia é
aquela composta por Johann Reuchlin (1506), intitulada De rudimentis
hebraicis. Nos séculos seguintes surgiram outros trabalhos gramaticais que
foram relevantes, tornando-se clássicos para o estudo da língua original da
Bíblia Hebraica, entre os quais pode-se mencionar a de Wilhelm Gesenius
(1813), intitulada Hebräische Grammatik. Esta edição foi traduzida para o
inglês, ampliada e revisada por Emil Kautzsch e Arthur E. Cowley (1910
e 1980), sob o título Gesenius’ Hebrew Grammar. Tal obra tornou-se uma
das principais referências para a composição de inúmeras gramáticas do
hebraico bíblico, tanto para aquelas consideradas elementares quanto
para aquelas tidas como avançadas. Entretanto, tal obra, que ainda é
publicada, não passou por revisão substancial ou atualização que seriam
realmente necessárias.

Revista Caminhando v. 15, n. 1, p. 141-144, jan./jun. 2010 141


No início dos anos 1920, Paul Joüon (1923), professor de hebraico
bíblico no Pontificium Institutum Biblicum, de Roma, na Itália, escreveu
em francês a sua Grammaire de l´hébreu biblique, a qual, com o passar
do tempo, alcançou patamar de uma das principais e relevantes gramá-
ticas dedicadas ao hebraico bíblico. Sua obra tem servido de referência
para o estudo aprofundado e avançado sobre a língua original da Bíblia
Hebraica, sendo, igualmente, fonte para vários trabalhos relacionados ao
universo bíblico.
No início dos anos 1990, Takamitsu Muraoka (1991), professor de
hebraico bíblico na Universidade de Leiden, na Holanda entre 1991 e 2003,
dedicou-se à tradução para o inglês, ampliação e atualização da gramática
de Joüon, sendo publicada sob o título A Grammar of Biblical Hebrew. A
obra foi reeditada em 1993, com correções, sendo reimpressa até 2005,
sempre em dois volumes. Por causa do trabalho de Muraoka, a referida
gramática pôde alcançar público mais amplo, sendo, igualmente, conhecida
por novas gerações de estudantes e de estudiosos do hebraico bíblico.
A segunda edição apareceu em 2006 (reimpressão com correções,
2009), agora em único volume. Tal publicação, sempre com revisões e
atualizações, procura acompanhar o progresso da pesquisa acadêmica
relacionada às línguas semíticas em geral e ao hebraico bíblico em
particular. Outra novidade é que o livro traz recentes itens bibliográficos
relacionados à Bíblia Hebraica, como novas edições, dicionários, con-
cordâncias, entre outras obras.
Um dos méritos da gramática de Joüon-Muraoka (2009) deve-se
à sua abrangência e à sua profundidade no tratamento dos tópicos gra-
maticais do hebraico bíblico. Uma das razões que se pode mencionar
é o caráter científico adotado por Joüon-Muraoka (2009) em relação ao
seu objeto de estudo, sempre fundamentado em importantes referên-
cias acadêmicas. Outra razão está na exposição clara e lúcida sobre
cada tema ao longo do trabalho. Motivo relevante da obra, que deve
ser mencionado, está na inclusão de determinados tópicos geralmente
negligenciados ou pouco abordados por outros trabalhos gramaticais, tais
como: breve introdução histórica do hebraico bíblico, breve histórico da
gramática do hebraico bíblico, acentos de cantilação, massorá, questões
fonéticas, entre outros assuntos que complementariam ou enriqueceriam
o conhecimento sobre o idioma original da Bíblia Hebraica. Tais temas
são importantes para se obter visão mais ampla sobre o hebraico bíblico
e sobre a Bíblia Hebraica. Além disso, item relevante que se pode encon-
trar na obra é que esta não apenas trata da descrição gramatical, mas,
igualmente, trata da sintaxe. Possivelmente, os dois destaques principais
que se pode mencionar sobre a gramática de Joüon-Muraoka (2009) são
a abordagem aprofundada dos tópicos gramaticais e o importante espaço

142 Edson de Faria Francisco. A Grammar of Biblical Hebrew


dado à sintaxe. Este último item, normalmente, não incluso ou pouco
abordado em diversas gramáticas.
Nas edições precedentes da citada gramática, havia abundantes
comentários e referências bibliográficas colocados entre os tópicos. Na
atual edição, tanto os comentários quanto as referências bibliográficas são
colocadas sempre no rodapé da página, e não mais no meio do corpo do
texto. Tal disposição tornou o texto mais claro e menos confuso. Nessa
nova edição, há itens ausentes nas edições prévias, como um índice de
autores citados e uma aprofundada bibliografia que abrange 43 páginas.
Este último relevo é importante para o conhecimento sobre itens bibli-
ográficos relacionados tanto com o universo do hebraico bíblico quanto
com o da Bíblia Hebraica.
Um dos detalhes técnicos que se pode comentar a respeito da
gramática de Joüon-Muraoka (2009) é em relação ao tipo gráfico hebraico
utilizado na obra. Desde as edições anteriores, a fonte hebraica usada
possui traços delgados, não se destacando de maneira satisfatória em
meio a um texto escrito em caracteres latinos. Na nova edição, a situa-
ção, de certa forma, não melhorou, pois o tipo gráfico é um pouco menor,
tendendo a se perder no meio de vocábulos escritos em letras latinas.
Apesar de tal particularidade, a obra não perde sua importância e sua
utilidade para os dias atuais, mas seria importante que o editor pudesse
rever tal questão nas futuras reedições.
Desde os anos 1980, vem surgindo publicações no Brasil de obras
dedicadas às línguas bíblicas, tanto para o hebraico bíblico quanto para
o grego bíblico. Todavia, nenhuma obra similar à gramática de Joüon-
Muraoka (2009) apareceu, ainda, no mercado editorial nacional (feliz
decisão foi a publicação da Introdução à Sintaxe do Hebraico Bíblico,
de Bruce K. Waltke e Michael P. O’Connor [2006]). O trabalho de Joüon-
Muraoka (2009) mereceria tradução para a língua portuguesa, por se
tratar de obra clássica e avançada para o estudo e para a pesquisa do
hebraico bíblico. No mercado brasileiro estão disponíveis várias obras
úteis e importantes, mas que servem, principalmente, para contato inicial
com a língua original da Bíblia Hebraica. Todavia, seria imprescindível
livro avançado que pudesse servir para estudos mais aprofundados e para
pesquisa acadêmica. Certamente, muitos estudiosos falantes da língua
portuguesa se sentiriam presenteados e estariam gratos por saberem que
a referida gramática de tal alto nível e de tal importância, estivesse sendo
vertida para o idioma nacional.

Revista Caminhando v. 15, n. 1, p. 141-144, jan./jun. 2010 143


Referências

Gesenius, Wilhelm. Hebräische Grammatik. Halle: Rengerschen Buchhandlung, 1813.


Gesenius, Wilhelm; Kautzsch, Emil; Cowley, Arthur E. Gesenius’ Hebrew Gram-
mar. 2. ed. Oxford: Clarendon Press, 1980.
Joüon, Paul. Grammaire de l´hébreu biblique. Roma: Pontificium Institutum
Biblicum, 1923.
Joüon, Paul; Muraoka, Takamitsu. A Grammar of Biblical Hebrew. Subsidia Biblica
14. 2 vols. Roma: Pontificium Institutum Biblicum, 1991.
Joüon, Paul; Muraoka, Takamitsu. A Grammar of Biblical Hebrew. Second
Reprint of the Second Edition, with Corrections. 2. ed. Subsidia Biblica 27. Roma:
Gregorian & Biblical Press, 2009.
Reuchlin, Johann. De rudimentis hebraicis. Pforzheim: Thomas Anselm, 1506.
Waltke, Bruce K.; O’Connor, Michael P. Introdução à Sintaxe do Hebraico Bíblico.
São Paulo: Cultura Cristã, 2006.

144 Edson de Faria Francisco. A Grammar of Biblical Hebrew