Sie sind auf Seite 1von 4

Comunidade Cristão O Redentor

Cabo Frio, 15 de maio de 2019


Traduzido do livro de estudos “The message of Romans – 2003” de Timothy Keller

Romanos 6:1-14

Resumo

6: 1 - A 1ª pergunta:

“A mensagem da salvação pela graça leva você a permanecer inalterado moralmente?”

6: 2-10 Resposta a parte 1 - “Não - o evangelho te dá o conhecimento do seu novo status em


relação ao pecado”

v.2 Nós morremos para o pecado quando nos tornamos cristãos.

vv.3-5 “Nós sabemos” que quando fomos batizados com Cristo, morremos com ele
para que pudéssemos viver uma nova vida.

vv.6-7 "Sabemos" que o nosso antigo eu foi posto de lado para que a influência do
pecado em nós fosse anulada

vv.8-10 “Nós sabemos” que o poder da ressurreição de Cristo também triunfará em


nós.

6: 11-14 - Resposta a parte 2 - “Não - o evangelho também lhe dá poder sobre o pecado.

v.11 Embora você saiba que está morto para o pecado, você deve tratar-se como
morto para o pecado

vv.12-13 Agora você pode obedecer ao pecado OU obedecer a Deus, então obedeça a
Deus

v.14 Já que você não está mais debaixo da lei, o domínio do pecado sobre você será
quebrado

1. Por que Paulo coloca a questão no verso 1? E que novo assunto ajudará Paulo a apresentar
nos próximos capítulos?

O evangelho da “justiça recebida” (em oposição à “justiça merecida”) é radical - diz que nossos
esforços morais não podem contribuir nem um pouco para a nossa salvação. Esta mensagem é
única e sem paralelo entre as religiões e filosofias do mundo. Paulo sabe de muita experiência
que surge imediatamente uma questão em qualquer discussão sobre esse evangelho; se
nossas boas ações são “inúteis” para ganhar nossa salvação, por que ser bom então? Se o
evangelho diz: "Você é salvo pela graça, não por uma boa vida", essa mensagem não deixa o
destinatário moralmente inalterado? Em suma: Paulo está perguntando: “A mensagem do
evangelho leva você a mudar os padrões pecaminosos em sua vida? E se isso acontecer, como
é que isso acontece? A mensagem apenas nos encoraja a continuar pecando, então a graça
continuará cobrindo? ”

Em certo sentido, a resposta de Paulo a essa pergunta não é um desvio ou uma digressão. Na
objeção crítica à justificação, está embutida uma compreensão fundamental da doutrina. A
resposta essencial de Paulo é: “Você só pode dizer uma coisa dessas se não entender o
ensinamento. Se você entendeu o ensino do evangelho, você não tiraria deduções como essa
”. Isso o leva a simplesmente reaplicar e explicar a doutrina da justificação e de nossa união
com Cristo (5: 12-21).

No entanto, em outro sentido, isso introduz uma nova seção. Isso leva Paulo a discutir como o
evangelho leva a uma vida santa e transformada. Em outras palavras, os capítulos 1-5
explicaram o que Deus realizou para nós no evangelho, mas os capítulos 6-8 nos dizem o que
Deus realizará em nós através do evangelho. Esses capítulos nos dizem como “experimentar” o
evangelho. Eles nos dizem como o evangelho é dinamite que produz mudanças profundas e
massivas em nosso caráter e comportamento reais.

2. v.2 - O que significa dizer que “morremos para o pecado?”


Essa frase é crucial para todo o capítulo, pois Paulo a afirma repetidamente.

A. Respostas inadequadas típicas:

1. "Morreu para o pecado" significa que não queremos mais pecar; o pecado não tem
mais poder ou influência sobre nós. Mas se este fosse o verdadeiro significado, Paulo não teria
que escrever 6: 12-14. Se um cristão não quer pecar, por que insistir para que ele não o faça?
Além disso, 7:18 mostra que um cristão ainda tem muitos desejos pecaminosos.

2. “Morreu para o pecado” significa que não mais devemos pecar; o pecado é agora
inadequado para o cristão. Mas como a primeira interpretação vai longe demais, esta não vai
longe o suficiente. Paulo diz corajosamente que morremos, não devemos morrer.

3. “Morreu para o pecado” significa que estamos nos afastando lentamente do


pecado; o pecado está enfraquecendo em nós. Mas o termo “morto” que Paulo usa
certamente significa algo mais forte que isso. Além disso, o tempo grego usado neste verbo é o
tempo aoristo. Isso se refere a uma ação única, passada e única. Paulo não está se referindo a
um processo contínuo.

4. “Morreu para o pecado” significa que renunciamos ao pecado; em algum momento


(como o nosso batismo) nós desautorizamos o comportamento pecaminoso. Isso é improvável,
porque vv.3-5 explica que essa “morte” é o resultado de nossa união com Cristo. É o resultado
de algo feito para nós, não algo que fizemos.

5. “Morreu para o pecado” significa que não somos mais culpados de pecado; que
nossos pecados não podem nos condenar, porque eles são perdoados em Cristo. Isso é
verdade, mas esse provavelmente não é o significado aqui. A pergunta antes de Paulo é: "Se a
culpa pelo seu pecado desapareceu totalmente, que incentivo alguém tem para viver sem
pecado?" Então, Paulo está tentando explicar como o evangelho afeta a maneira como
vivemos.

B. Resposta: no momento em que você se torna um cristão, você não está mais sob o
“reinado” ou “poder dominante” do pecado. Explicação:
Isto é o mesmo que dizer (6:14) que o pecado não tem o “domínio” sobre nós porque estamos
“debaixo da graça!” Isto é o mesmo que dizer (6:12) que não temos mais que obedecer ao
pecado, e assim ele não reina mais. "Não deixe o pecado reinar ... que você obedeça aos seus
maus desejos". Paulo acaba de dizer em 5:21 que "o pecado reinou ... assim também a graça
pode reinar". Em outras palavras, o pecado ainda tem poder, mas não pode forçar seus
ditames sobre você. Em 1: 18-32, Paulo diz que, fora de Cristo, somos "abandonados" por
nossos desejos pecaminosos. Anteriormente, aqueles desejos pecaminosos reinavam e
governavam tão sobre nós que não pudemos vê-los como pecaminosos e, portanto, não
pudemos resistir a eles. Nós estávamos completamente sob o controle deles. Agora, no
entanto, o pecado não pode mais nos dominar. Agora temos a capacidade de resistir e de nos
rebelar contra seus ditames.

Compare v.2 com estes textos: Cl.1: 13 - "Ele nos resgatou do domínio das trevas e nos trouxe
para o reino do Filho que ele ama." Atos 26:18 - "... para abrir os olhos, e para os converter
das trevas para a luz e do poder de Satanás para Deus. ”

Isso não significa que o pecado não esteja mais dentro de você ou que não tenha mais
influência e poder dentro de você. Isso acontece. Mas o pecado já não pode ditar para você. O
verso 7 diz: "Qualquer um que tenha morrido foi liberto do pecado." Isso significa que, embora
você possa obedecê-lo, e embora (a Bíblia prediga) você o obedeça, o fato permanece que
você não precisa mais obedecê-lo.

“...no momento em que nos tornamos cristãos, estamos mortos, completamente mortos, para
o reino do pecado. Estamos completamente fora do território do pecado ... Mas agora imagino
alguém apresentando uma objeção: "Como você pode dizer uma coisa dessas? Ainda
pecamos, ainda sentimos o poder da tentação e o poder do pecado; como, portanto, você
pode dizer honestamente que está morto para a lei e para o reino e para todo o domínio do
pecado?" Respondo assim. Nós devemos diferenciar entre o que é verdadeiro de nossa posição
como um fato e nossa experiência ... o que ele diz é que cada pessoa no mundo neste
momento está sob o reino e lei do pecado ou então sob o reino e regra da graça ... é um ou
outro, ele não pode ter um pé em cada posição ... [Por quê?] Ele está 'em Adão' ou 'em Cristo'.

D.M. Lloyd-Jones

3. Quais são os sinais de que uma pessoa não está mais sob o “domínio” (v.14) e o “reinado”
(v.12) do pecado?

É fácil supor que o “reino do pecado” se refere a pecados evidentes, violentos e óbvios. Mas
uma vida de moralidade exterior, e interesse no estudo da Bíblia, um gozo de deveres religiosos
pode estar presente e o pecado ainda reinará! O sinal de que o domínio do pecado está
quebrado: Nós não mais “vivemos em pecado” (v.2b). O que isso significa?

Paulo diz que, se "morremos para o pecado", não podemos mais "viver nele". Algumas
pessoas acreditam que isso se refere ao pecado. Isto é, alguns interpretam Paulo dizendo: “já
que somos cristãos, não pecamos mais”. De fato, há uma declaração em I João 3: 9 que diz:
“Quem é nascido de Deus não comete pecado ”. Mas em outros lugares João diz que nenhum
cristão pode reivindicar estar sem pecado (1: 8), e veremos que Paulo ainda descreve os
cristãos como tendo pecado (7:18). O pecado ainda tem poder em nós.

“Viver nele” provavelmente significa algo como “nadar nele” ou “respirar seu ar” ou “deixar ser
o principal teor da sua vida”. Assim, “viver em pecado” significaria coisas como :
a) tolerar isso. Os cristãos podem pecar, mas o pecado os entristece e repele. Essa mesma
tristeza e desgosto é um sinal de que o pecado não tem domínio. O pecado só pode enganar
você completamente se você não puder ver o que é.

b) Não progredir com isso. Paulo quer diser que os cristãos não podem mais “praticar o
pecado habitualmente” ou “praticá-lo incessantemente” sem diminuir. Quando os cristãos
cedem ao pecado, eles não podem permanecer lá permanentemente. O desgosto e a doença
do pecado os expulsam novamente.

Em resumo, Paulo não está dizendo que os cristãos não podem cometer atos individuais de
pecado, nem mesmo que eles não possam lutar com os pecados habituais. Ele está dizendo
que eles não podem continuar permanecendo e permanecendo no reino do pecado. Eles não
podem continuar deliberadamente, sem desgosto ou diminuição.

4. vv.3-5 Como Paulo mostra que a salvação através da união com Cristo necessariamente
leva a uma vida transformada se afastando do pecado?

v.3 - “Sabemos” que fomos batizados em sua morte para viver uma nova vida. Paulo está
pensando no batismo no modo de imersão. A palavra grega baptizdo costumava ser usada para
se referir ao afogamento ou afundar e, portanto, tinha conotações de morte. Ainda (perceba),
a água não é mencionada aqui. Paulo está se referindo à realidade espiritual para a qual o
batismo na água aponta. Paulo já nos ensinou em 5: 12-21 que estamos em união com Cristo.
Quando acreditamos, estamos legalmente unidos a Cristo, de modo que tudo o que é verdade
sobre ele é legalmente verdadeiro para nós. Desde que Cristo morreu, e pessoas mortas são
libertas do pecado, então estamos livres do pecado.

v.4 - Mas nossa união com Cristo não pára por aí. Desde a morte de Cristo levou à sua
ressurreição e uma nova vida da mesma forma, a nossa união com Cristo deve levar a uma
nova vida. Se acreditarmos em Cristo, uma mudança de vida acontecerá, não mais viveremos
em pecado.

v.5 - Paulo diz que a “nova vida” em que vivemos agora aponta para o futuro estado de glória
perfeita em que entraremos. Certamente estaremos unidos a ele em sua ressurreição. A
palavra “certamente” flui da nossa união com ele.

Resumo: Porque não somos salvos por nossas obras, mas pela união com Cristo, portanto
todas as coisas que aconteceram a Cristo devem acontecer conosco, incluindo sua perfeita
nova vida sem pecado! Qualquer um que entenda o evangelho realmente verá esse resultado
necessário.