Sie sind auf Seite 1von 17

LIGA ACADÊMICA JURÍDICA DE MINAS GERAIS

Ligante

Ligante

ORIENTAÇÕES: Como elaborar um projeto de pesquisa para a construção de um artigo?

Betim

2019

Ligante

Ligante

ORIENTAÇÕES: Como elaborar um projeto de pesquisa para a construção de um artigo?

Projeto de artigo apresentado ao Núcleo de Estudos Avançados em Direito Civil da Liga Acadêmica Jurídica de Minas Gerais, como pré- requisito para conclusão das atividades propostas pela referida liga

Orientador: Weverton Fernandes Bento Alves

Betim

2019

SUMÁRIO

1

INTRODUÇÃO

7

1.1 Tema

7

1.2 Problema

7

1.3 Hipóteses

7

 

1.4 Objetivo

8

1.4.1

Objetivos específicos

9

1.5

Justificativa

9

2 REFERENCIAL TEÓRICO

11

3 METODOLOGIA

13

4 CRONOGRAMA

15

REFERÊNCIAS

17

7

1 INTRODUÇÃO

O que será escrito? Inicie dizendo qual é o seu objeto de estudo, o seu tema. O tema já deve trazer, em sua descrição, o problema. Apresente genericamente a gênese do problema, o contexto do problema, sob

o ponto de vista sociocultural, da história, do Direito, ou de outro aspecto que permita situar o problema que pretende investigar em sua inter-relação com a sociedade.

O pesquisador não se posiciona sobre o tema, apenas reproduz sua realidade.

1.1 Tema

Anuncie o tema a ser pesquisado, de forma delimitada. Geralmente, o tema delimitado corresponde ao título do projeto.

1.2 Problema

O problema de pesquisa é a mola propulsora de todo o trabalho de pesquisa.

Depois de definido o tema, levanta-se uma questão para ser respondida através de

uma hipótese - ou mais -, que será confirmada ou negada através do trabalho de pesquisa.

O Problema é criado pelo próprio autor e relacionado ao tema escolhido, ou

seja, corresponde a uma questão específica que você quer investigar dentro do seu

tema. Uma questão que pode e mereça ser investigada.

1.3 Hipóteses

Uma hipótese é uma afirmação que pode ser desafiada. Como tal, uma hipótese de trabalho é uma frase que possibilita questionar o "Como?", "De que modo?" e o Por quê? de algo. O objetivo de uma hipótese é aclarado com a questão "Para quê?" Em resumo, uma hipótese de trabalho deve ser, concomitantemente: uma afirmação (I); 2) simples (II); sujeita à negação (III). Afirmação (I), porque uma hipótese não é uma pergunta, uma hipótese é uma

8

afirmação sobre algo. Simples (II), pois, uma boa hipótese é escrita em linguagem simples, de maneira a expressar exatamente o que está em jogo. Sujeita à negação (III), tendo em vista que uma hipótese deve poder ser negada. Caso seja impossível estabelecer a sua negação dificilmente será considerada uma hipótese.

No Direito, este é um exemplo de hipótese:

O reconhecimento do namoro qualificado resguarda os amantes da imposição ilegítima de deveres e ultraje a direitos”.

1.4 Objetivo

A apresentação dos objetivos varia em função da natureza do projeto. Nos objetivos da pesquisa cabe identificar claramente o problema e apresentar sua delimitação. Apresentam-se os objetivos de forma geral e específica. O objetivo geral define o que o pesquisador pretende atingir com sua investigação. (Use apenas uma frase para delimitar o objetivo proposto, podendo ser formando por uma ou mais orações). Os objetivos específicos definem etapas do trabalho a serem realizadas para que se alcance o objetivo geral. Podem ser: exploratórios, descritivos e explicativos. Assim, deve-se sempre utilizar verbos no infinitivo para iniciar os objetivos:

Exploratórios (conhecer, identificar, levantar, descobrir)

Descritivos (caracterizar, descrever, traçar, determinar)

Explicativos (analisar, avaliar, verificar, explicar)

Este é a única parte de todo o Projeto que deve aparecer na forma de tópicos, ao contrário dos demais que deverão ser apresentados em texto cursivo e problematizado. Assim, ele é geralmente curto, e não deve conter muitos objetivos, especialmente em Ciências Sociais, pois poderá desvirtuar a pesquisa para meandros que não se conseguirá alcançar.

9

1.4.1 Objetivos específicos

a) 1;

b) 2; e

c) 3.

1.5 Justificativa

Podem estar envolvidos na justificativa as possibilidades que o projeto tem para ser desenvolvido levando-se em consideração a sua própria carga de experiências e níveis formativos, que auxiliem demonstrar que você é o pesquisador ideal para desenvolvê-la. Como a Justificativa nada mais é que “convencer o outro”, é importante o pesquisador colocar-se na posição de alguém alheio à pesquisa para analisar os motivos pelos quais seria levado a ler tal estudo. Assim, é importante realizar também conexões do seu tema a outras pesquisas, bibliografias, descobertas recentes, em função de que a importância do tema a ser trabalho, cresce à medida que consigamos ligá-lo ao mundo externo.

10

11

2 REFERENCIAL TEÓRICO

Consiste em apresentar um resumo do que já foi escrito sobre o tema. Uma pesquisa não parte do zero, por isso o pesquisador deverá fazer uma pesquisa prévia sobre o que já foi escrito acerca do tema em que se pretende estudar. Mesmo que seja uma pesquisa de campo inédita, que avalia uma situação concreta desconhecida em um dado local, alguém ou um grupo, em algum lugar, já deve ter feito pesquisas iguais ou semelhantes, ou mesmo complementares de certos aspectos da pesquisa pretendida. Uma procura de tais fontes, documentais ou bibliográficas, torna-se imprescindível para que não haja duplicação de esforços. A citação das principais conclusões a que outros autores chegaram permite salientar a contribuição da pesquisa realizada, demonstrar contradições ou reafirmar comportamentos e atitudes.

a) A literatura indicada deverá ser condizente com o problema em estudo.

b) Citar literatura relevante e atual sobre o assunto a ser estudado.

c) Apontar alguns dos autores que serão consultados.

d) Demonstrar entendimento da literatura existente sobre o tema.

12

13

3 METODOLOGIA

(COMO FAZER? COM QUÊ? QUANDO? O QUE? COM QUEM? ONDE?). A metodologia da pesquisa em um planejamento deve ser entendida como o conjunto detalhado e sequencial de métodos e técnicas científicas a serem executados ao longo da pesquisa, de tal modo que se consiga atingir os objetivos inicialmente propostos e, ao mesmo tempo, atender aos critérios de menor custo, maior rapidez, maior eficácia e mais confiabilidade de informação (BARRETO; HONORATO, 1998). As hipóteses serão fundamentais nesse momento porque indicarão ao pesquisador, ainda sem o conhecimento devidamente aprofundado sobre o tema, ávido por respostas, a selecionar os meios mais adequados para obter indicações e/ou conclusões acerca das suas indagações. Numa pesquisa bibliográfica a metodologia consiste em descrever as fontes de pesquisa (as referências iniciais) e o processo de estudo, a proposta de seleção das leituras, isto é, porque alguns autores foram escolhidos e outros não. Quanto aos seus objetivos, ou seja, por meio do tipo de conhecimento que o pesquisador quer produzir, a pesquisa consiste em: a) pesquisa exploratória; b) pesquisa descritiva; c) pesquisa explicativa; d) seletiva; e) crítica ou reflexiva; f) analítica; g) pesquisa qualitativa; h) quantitativa; i) quali-quantitativa (ou mista). Quanto ao procedimento utilizado na coleta de dados, a pesquisa se classifica em: a) pesquisa bibliográfica; b) pesquisa documental; c) pesquisa experimental; d) estudo de caso controle; e) levantamento; f) estudo de caso; g) estudo de campo.

Quanto aos métodos de abordagem, a pesquisa pode ser:

a) Método indutivo: Procura pensar os problemas de pesquisa em um raciocínio ascendente, no qual se parte da observação de fenômenos particulares, procura-se identificar regularidades entre eles, para então chegar a uma generalização, propondo como conclusão quase que uma lei ou teoria sobre o objeto pesquisado;

b) Método

dedutivo:

Pensa

os

problemas

em

um

movimento

lógico

14

descendente, ou seja, a partir de uma premissa maior considerada verdadeira (uma lei ou teoria) submete-se uma segunda premissa (premissa menor) e pela lógica chega-se a uma conclusão que já estava presente nas remissas trabalhadas pelo pesquisador;

c) Método hipotético-dedutivo: Este método busca sempre testar as hipóteses formuladas para responder aos problemas de pesquisa. Se as hipóteses não resistem aos testes, que buscam falsear a hipótese, serão refutadas e o caminho investigativo será recomeçado. Se a hipótese resistir ao teste de falseamento, aí sim poderá ser assumida como uma conclusão da investigação;

d) Método dialético: Pensa a realidade não como algo dado e estabilizado, mas procura identificar o processo, os conflitos existentes e as contradições envolvidas na análise de um problema de pesquisa. No método dialético, é preciso identificar pares dialéticos que estão em distintos polos da relação dialética. Dada uma tese, é necessário identificar sua antítese, para, ao analisar suas relações e interpenetrações, chegar a uma nova compreensão da realidade, a que o método chama de síntese;

Na pesquisa documental ou de campo é necessário, ainda, delimitação e descrição (se necessário) dos instrumentos e fontes escolhidos para a coleta de dados: entrevistas, formulários, questionários etc. A indicação do procedimento para a coleta de dados, que deverá acompanhar o tipo de pesquisa selecionado, isto é:

a) para pesquisa experimental; indicar o procedimento de testagem;

b) para a pesquisa descritiva: indicar o procedimento da observação:

entrevista, questionário, análise documental, entre outros.

15

4 CRONOGRAMA

(São as etapas da pesquisa, relacionadas ao tempo utilizado para a realização do trabalho/projeto.) É necessário indicar o cronograma de realização do trabalho, o que dependerá do tempo disponível para a realização da pesquisa. A pesquisa deve ser dividida em partes, com previsão do tempo necessário para passar de uma fase a outra. Algumas partes que podem ser executadas simultaneamente enquanto outras dependem das fases anteriores. Assim, o cronograma visa distribuir o tempo total disponível para a realização da pesquisa, incluindo nesta divisão a apresentação e/ou entrega do trabalho realizado. Ademais, frisa-se que o cronograma pode variar por vários fatores, como, por exemplo, uma pesquisa para determinada entidade que precisa do resultado em uma data delimitada. Conforme exemplo abaixo.

Atividades

Jun.

Jul.

Ago.

Set.

Out.

Nov.

20xx

20xx

20xx

20xx

20xx

20xx

Pesquisa

X

X

       

bibliográfica

Revisão da

 

X

X

     

literatura

Redação

   

X

X

   

Preliminar

Revisão e

     

X

X

 

Correção

Redação Final

       

X

 

Apresentação/ Entrega do trabalho

         

X

16

17

REFERÊNCIAS

As referências bibliográficas deverão ser feitas de acordo com as normas da

ABNT, assim como todo o trabalho. Sugere-se a utilização das orientações da PUC

Minas que, de forma muito clara, demonstra como realizar toda formatação

(PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS, 2019), acessível

neste link:

Deve estar no tamanho 12, com a mesma fonte utilizada no corpo do texto,

alinhada à esquerda, espaçamento simples e em ordem crescente. Conforme a

citação indireta feita na página 7 (METODOLOGIA) e a citação indireta feita nesta

página, cujas referências na correta formatação seguem:

BARRETO, Alcyrus Vieira Pinto; HONORATO, Cezar de Freitas. Manual de sobrevivência na selva acadêmica. Rio de Janeiro: Objeto Direto, 1998.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS. Pró-Reitoria de Graduação. Sistema Integrado de Bibliotecas. Orientações para elaboração de trabalhos científicos: projeto de pesquisa, teses, dissertações, monografias, relatório entre outros trabalhos acadêmicos, conforme a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). 3. ed. Belo Horizonte: PUC Minas, 2019. Disponível em:

www.pucminas.br/biblioteca. Acesso em: 28 jun. 2019.