Sie sind auf Seite 1von 197

gftf\

§à
,T'III
,R'E|rUNA D! UBtRIiIí!IÂ

Mensagem no I 13/2018/PAL

Uberlândia-MG,4 de dezembro de 2018

Senhor Presidente,

Encaminho a Vossa Excelência, para apreciação dessa


Casa Legislativa, o Projeto de Lei Complementar no otg/zota
anexo, que "ALTERA A LEI No íí.967, DE
29 DE SETEMBRO DE 2014 E SUAS ALTERAÇÕES, OUE "DISPÔE
SOBRE O PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DO QUADRO
DA EDUCAÇÃO DA REDE PUBLICA MUNICIPAL DE ENSINO DE
UBERúNDIA E DA OUTRAS PROVIDÊNCIAS'' E DA OUTRAS
PROVIDÊNCIAS'.

Nos termos da Exposiçâo de lvlotivos anexa' busco nos


integrantes dessa Casa o acol mento necessário Para aprovar o
presente Projeto de Lei, Por ser interesse público.

)ru
J
ODELMO LEÃO
Prefeito

@
§.4
rI§-
?rffÍnm Dt ullrurDn

PRoJETO DE LEt COMPLEMENTAR No 0re/2018

A LEI NO 11.967, DE 29 DE
ALTERA
SETEMBRO DE 2014 E SUAS
nlreRRçôes, euE "DtsPoE soBRE o
PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES
Do euADRo oR roucRçÃo DA REDE
PUBLICA MUNICIPAL DE ENSINO DE
usenlÂNorR E DA
ourRAS
pnovroÊrucrns', E oÁ
ourRAS
pRovroÊrucres.

O PREFEITO DE UBERLANDIA,
Faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a
seguinte Lei:

'I [t
Ís Í5
Art. 1o Fica alterada a Lei
no í1.967, de 29 de setembro de
Jt4
2014 e suas alterações, que passa a vigorar com a seguinte redação:

.CAPíTULO II

DA GESTÃO, DO QUADRO DE PESSOAL, DA COMPOSI


E DA LOTAÇÃO',INR)

"4rt.3o...

Vll -
garantia e incentivo de programas que contemplem a
formação continuada na área de atuação dos servidores;
..." (NR)

"Art. 3o-A O Quadro de Pessoal dos Servidores é composto:



l - do quadro rmanente do sde provimento efetivo;
I
q.»,
gl p€/
.t$ü'*"". B ,§
B

Fà4;
'v.-J
vtsTo.'' o
o
o
e-:
\c

ííõe- oga.))
§à
,zraI-
PnttIrtutÁ gt utuüttDtt

ll - do quadro em extinção dos cargos de provimento efetivo e


função pública;

lll - do quadro dos cargos de provimento em comissão


instituídos por lei específica." (NR)

"Aú. 4o Caberá à Administração Direta Municipal avaliar, sob


seus critérios de oportunidade, conveniência e disponibilidade
orçamentária, a adequação do quadro de pessoal às respectivas
necessidades e o correspondente redimensionamento, consideradas,
entrê outras, as seguintes variáveis:

..." (NR)

"Art. 50 Ao Plano de Carreira aplicam-se os seguintes


conceitos:
ÉÀ
ITÀ
l-
plano de carreira: conjunto de princípios, diretrizes ê normas
que regulam o desenvolvimento funcional dos servidores titulares de
cargos de provimento efetivo;

ll - carreira: desenvolvimento no cargo estruturado por .um


matriz de vencimento;

lll -
padrão de vencimento: posição do servidor na tabela
vencimento em função das progressõês por mérito e capacitação
profissional, cuja diferença entre os padrões dar-se-á no percentual de
2,42o/o (dois vírgula quarenta e dois por cento);
ffi"
lV - cargo: conjunto de atribuições, deveres
ê
.1Íí"ià-,.
responsabilidades que devem ser cometidos ao servidor público /so)..,! ' a,l1o}
municipal, criado por lei, número certo, com denominação própria, (;,'ll&,":?
carga horária de trabalho específica

Pal r/§
el?:
munera çao;
\_z

.\\üfl?3" - ,Ô

w
\o
-i
q.Y(
I _-t),,
l
IST o
Ct o'
^ {
tu
zrx-
ttÍEruu Dr rr$üllul
Vl - nível de qualificação: posição do servidor na tabela de
vencimento em decorrência da formação escolar que supere as
exigências no cargo, cuja diferença entre os níveis dar-se-á nos
percentuais constantes no Anexo ll-A desta Lei;

lX - matriz de vencimento: tabela que compreende os níveis de


classificação e de vencimento base dos cargos, conforme Anexo I
desta Lei;

Xl - nível de classificação: posição dos grupos ocupacionais


organizados a partir do requisito de escolaridade, nível de
responsabilidade, conhecimentos, habilidades específicas, formação
especializada, risco e esforço físico para o desempenho de suas
atribuições;

Xll - grupo ocupacional: conjunto de cargos agrupados


segundo o requisito de escolaridade, nível de responsabilidade, ht
conhecimentos, habilidades específicas, formação especializada, risco 'ir
e esforço físico para o desempenho de suas atribuições,

Xlll - servidores lotados na educação: conjunto de servidores


que atuam na educação, nas instituições de ensino e nos órgãos
educação, exercendo atividades-fim ou atividades-meio, as quai
essenciais e necessárias ao funcionamento do sistema de c{
incluem nesse conceito, o magistério e o pessoal de apoio tco
administrativo e os demais servidores do quadro geral que a
vinculados à Secretaria Municipal de Educação;

quadro da educação: conjuntos de cargos que


XIV -
compõem a estrutura da rede pública municipal de ensino de
Uberlândia, incluindo os cargos do Quadro do Magistério e demais
cargos que possuem relação com o processo de aprendizagem, quais
sejam, o lnstrutor de Língua de Sinais, o lntérprete de Língua de
Sinais, o Educador lnÍantil l, o Profissional de Apoio Escolar e o
3
lntérprete Educacional.
u.t
o .a

XV-q uadro do magistério: conjunto de servidores que


,í. exercem-a docên cia e as ativida uporte pedagógico direto à
íiiJ
,í., -:.:§ I
.\$ffo1".
!,§--x
, d§

\ir" "ÍrZ
V189,'
8"í
-o"ie
oa'
*)'
\l
nffflurr Dr ut tirDu
docência, incluindo, portanto, professores, os profissionais de
os
direção, de coordenação pedagógica e os de inspeção escolar. Cabem
aos profissionais do quadro do magistério as atribuições de ministrar,
planejar, inspecionar, supervisionar, orientar e gerir a educação básica;

professor ou docente: profissional do quadro do


XVI -
magistério no exercício efetivo da docência responsável por realizar,
implementar e consumar o processo de aprendizagem dos alunos da
Rede Pública Municipal de Ensino, ocupando a posição cêntral do
quadro do magistério;

XVll -
hora/aula: fração de tempo com duração de 50
(cinquenta) minutos em que e dividido o turno escolar, destinada ao
desempenho das atividades letivas do Professor, no exercício da
docência, com a participação efetiva do aluno no desenvolvimento de
atividades de ensino e aprendizagem;

XVlll - hora/atividade: consiste no desenvolvimento das


atividades do Professor, no exercício da docência, quando nas
atribuiçóes de planejamento, estudo, formação continuada,
colaboração com a administração da unidade, participação em
reuniões, eventos de trabalho e outras atividades inerentes ao P§et
Político Pedagógico da unidade educacional." (NR)
\

"Art. 6o Os cargos do Plano de Carrei ra dos Servidores


Quadro da Educação estão estruturados em 6 (seis) nívei
classificação, F, G, H, l, J e K de acordo com o disposto no An x o lll
desta Lei." (NR)

"Art. 6o-A No Plano de Carreira dos Servidores do Quadro d


Educação, cada nível de classificação está organizado em 23 (vinte e
três) padrões de vencimento, em 5 (cinco) níveis de qualificação nos
níveis F, G e H, e em 4 (quatro) níveis de qualificação nos níveis l, J e
K, de acordo com o disposto no Anexo I desta Lei." (NR)

Á gal d
í_a -
l: . e)
^\
íe a
q
ri
'ot
t ü- á Í'i6rõ
ql'J
tu
zrI-
?lffúrutl !t uttiLirDtl
"cnpÍrulo tv-R
DO CONCURSO PUBLICO"(NR)

"Art. 7o-A O Município de Uberlândia deverá promover


concurso público, para provimento de cargos vagos, comprovada a
inexistência de candidatos aprovados em concursos anteriores, com
prazo de validade em vigor.

§ 1o Na realização do concurso público, conforme


as
características do cargo a ser provido, poderão ser aplicadas provas ou
provas e títulos, podendo ser utilizadas, também, provas práticas ou
prático-orais, avaliação física, e avaliação psicológica para ingresso
nos cargos de provimento efetivo.

§ 2o O concurso público terá a validade de até 2 (dois) anos,


podendo ser prorrogado, uma única vez, pot igual período.
q""
.ú {i
§ 3o As condições de realização do concurso público e os ãts
he
requisitos para inscrição dos candidatos serão fixados em edital que úlB
será divulgado de modo a atender ao princípio da publicidade." (NR)

"Art. 7o-B Fica vedada a nomeação de candidato aprovado e


novo concurso enquanto houver candidato aprovado em co
anterior, com prazo de validade vigente.

Parágrafo Unico. A aprovação êm concurso não gera dire a


nomeação, a qual se dará a exclusivo critério da Administração, dent
do prazo de validade do concurso, na forma da Lei." (NR)"

..CAPíTULO V

DO PROVIMENTO NO CARGO E DAS FORMAS DE


DESENVOLVIMENTO NA CARREIRA"(NR) §
ISTO

"Art. 80 O provimento no cargo do Plano de Carreira dos


Servidores do Quadro da Educação far-se-á no padrão de vencimento
Z"'I,:,1"
.í-G -ir [ --_ +
e n ívgl-de qualificação ini ldoca iante concurso público, nos
Ís" r \\ ii'
tai
i\94r a
Ê
o ,L

'Y-lÀ- .;j J

\{tr,l o
o
ô
Na!c q
."t

4
Íú
é.;1à
ZTYA
,trEÍrüu Dr u*ltirDtt
termos dos cargos de provimento efetivo constantes no Anexo lll e
observados os requisitos estabelecidos no Anexo lV, ambos desta Lei."
(NR)

"Art. 9o..

3o Progressão por qualificação é o instituto pelo qual o


§
servidor, em efetivo exercício no cargo, muda de nível de qualificação,
no mesmo cargo e nível de classificação, decorrente da análise e
aprovação da documentação que comprove a conclusão de curso de
educação formal, devidamente reconhecido pelo Ministério da
Educação, que exceda as exigências para ingresso no cargo, nos
termos desta Lei. ,+: Éi

§Ê
gr
-5
ti
À-


§ 60 Progressão por mérito profissional é o instituto pelo qual o
servidor, em efetivo exercício no cargo, muda para o padrão de
vencimento imediatamente subsequente, dentro do mesmo cargo, nível
de classificação e nível de qualificação, a cada 2 (dois) anos de efeti
exercício no cargo, desde que o servido r apresente resultado fixa d e
programa de avaliação de desempenho. ú

§ 7o Progressão por capacitação p rofissional é o instituto


qual o servidor, em efetivo exercício no cargo, muda de padrão de
vencimento, no mesmo cargo e nÍvel de classificação, decorrente da
obtenção pelo servidor de certificação em programa de capacitaçã
compatível com o cargo efetivo ocupado e a carga horária mínimâ
exigida, respeitado o interstício de 2 (dois) anos, no limite de 5 (cinco)
progressões, nos termos da tabela constante do Anexo V desta Lei.

/"" r',

W
..." (NR)"

..CAPíTULO V-A

ffi ,'sí
,"WU, q
DA JORNADA DE TRABALHO"(NR)


::,:,
?üÍITIUII DI U|IIIIIDII

"Art. 9o-A Os servidores públicos municipais do Quadro da


Educação da Rede Pública Municipal de Ensino de Uberlândia,
cumprirão carga horária de trabalho semanal, conforme constantes no
Anexo lll:

| - instrutor de língua de sinais e intérprete de língua de sinais:


20 (vinte) horas;

ll - educador infantil I e profissional de apoio escolar: 25 (vinte


e cinco) horas;

lll - professor: 20 (vinte) horas;

lV - intérprete educacional: 25 (vinte e cinco) horas;


5*l
;F
i§t
úÉ
V - analista pedagógico e inspetor escolar: 30 (trinta) horas;

§ 10 Para os servidores ocupantes dos cargos de Professo


quando em regência de turma, % (um terço) da carga horária sem
de trabalho destina-se aatividades de planejamento, e
Í)
colaboração com a administração da unidade, participação
reuniões, eventos de trabalho e outras atividades inerentes ao Pro
Político Pedagógico da unidade, nos termos dos limites estabelecidos
pela Secretaria Municipal de Educação

§ 2o As aulas dos
servidores ocupantes dos cargos de
Professor, quando em regência de turma, serão, quando possível,
concentradas em 4 (quatro) dias da semana, desde que não haja
qualquer prejuÍzo ao ensino e ao horário de aulas dos alunos.
.t.
I

To.ô
§ 3o Para os servidores ocupantes dos cargos de Professor, a _v
carga horária de trabalho de 20 (vinte) horas semanais, poderá ser
acrescida, para regência de turma, até o limite máximo constitucional
de 40 (quarenta) horas semanais, em caráter excepcional e temporário,
d6
G8rô/
§
3l Ce

t ô- so
ffis aaé:/

/§r
,tÍ'Itruil Dr ltuüttDtl
por necessidade do serviço, com vencimento proporcional, mediante
proposta da Secretaria Municipal de Educação.

§ 4o Para os servidores ocupantes dos cargos de Professor,


lntérprete Educacional, Analista Pedagógico e lnspetor Escolar poderá
haver a opção de jornada de trabalho para 40 (quarenta) horas
semanais nas escolas de formação e de tempo integral, conforme vier
a ser estabelecido em regulamento.

5o A jornada de trabalho dos cargos


§ de Professor será
estruturada em hora/aula e horaiatividade." (NR)

'Art.9o-B Os servidores ocupantes dos cargos de


provimento
efetivo de Educador lnfantil l, Profissional de Apoio Escolar, lnstrutor de E
Língua de Sinais, lntérprete de Língua de Sinais, Professor, lntérprete
Educacional, Analista Pedagógico e lnspetor Escolar, terão direito a 30 c
;1
(trinta) dias de Íérias anuais consecutivas, acrescidos de 15 (quinze)
:r,
dias de recesso, distribuÍdos nos períodos de recesso escolar, de ú
E
acordo com o interesse da unidade escolar.

Parágrafo Único. Os dias de recesso, previstos capuÍ dest


artigo, poderão ser aumentados em ate 15 (quinze) dias, desde e
este aumento seja compatível com o cumprimento do cal
escolar." (NR)"

..CAPíTULO VI

DA REMUNERAÇÃO E DO VENCTMENTO"(NR)

*Art. 1 1-A. As Tabelas de Vencimento dos cargos,


§
resultantes de uma matriz, cujo eixo vertical reflete os padrões d
vencimento das progressões por mérito profissional e por capacitação
e o eixo horizontal se refere aos níveis da progressão p ção.

(# N"* o-

§o
§
[gã"
\ 9io
ge*
e?,t
i
Q
RÍiEfr
-0.4_ê
nlErflu u!:Úxxr
Dt

§ 1o No eixo horizontal das tabelas de vencimento, os níveis de


qualiÍicação têm, em relação ao vencimento do mesmo padrão, o
acréscimo em percentuais conforme disposto no Anexo ll-4.

§ 2" No eixo vertical das tabelas de vencimento, os padrões


têm, em relação ao vencimento do mesmo nível de qualificação, o
acréscimo em percentuais de 2,42Yo (dois vírgula quarenta e dois por
cento)." (NR)

"Art. 14. Fica mantido o incentivo de zona rural, nos termos da


Lei Complementar no 347, de 20 de fevereiro de 2004 e suas
alterações." (NR)

"Art. í 5. Os servidores ocupantes dos cargos de provimento


efetivo de Professor farão jus a gratificação no percentual de 5% (cinco E,q
;+
por cento) quando no exercício da docência em turmas de í o Período üir
da Educação lnfantil até o 2o Ano do Ensino Fundamental,
devidamente informadas no Educacenso, das escolas da red
municipal de ensino." (NR)
o

Parágrafo único. Para efeito da concessão da g ifica


prevista no caput deste artigo, cabe à Secretaria Muni
Educação a avaliação e o acompanhamento do servidor em exercício
nas turmas em que se processa a alfabetização." (NR)

"Art. 17. A revisão do vencimento inicial dos cargos de cada


carreira levará em conta as diretrizes estabelecidas pelo Município de
Uberlândia, inclusive a sua capacidade financeira, com observância ao
inciso X do artigo 37 da Constituição Federal de 1988." (NR) sü
-§ I

\,2

"Art. 19. O enquadramento do servidor público municipal n GeÍ.i,

matriz de vencimento será efetuado mediante opção irretratável


respectivo titular, observando-se o tempo de exercício no cargo q
esteja ocupando, e o certificado de conclusão de curso de educa
r.iíiili,
íi;.. ll Ír.
formal devidamente reconhecido pelo Ministerio da Educação, q
p qêl

i.-.j tl a s
-!)L,:, n
\:lr*;/ 0^§'\
ni6íí
vrslo
é.1à
,ru- Dr utlüllxr
?rÍEttrrr
exceda o requisito de ingresso no cargo, nos termos dos Anexos l, lV e
V desta Lei.

..." (NR)

"Art. 25. Compete à Secretaria Municipal de Administração, por


intermédio da Diretoria Administrativa de Pessoal ou outro órgão que
vier a acompanhamento, a supervisão, o
substituí-lo, o
assessoramento, à avaliação e a implementação do Plano de Carreira
dos Servidores do Quadro da Educação da Rede Pública Municipal de
Ensino de Uberlândia." (NR)

"Art. 3'l .
Ficam dispostos os respectivos quantitativos dos
cargos de provimento efetivo, constantes do Anexo Vlll." (NR)

"Art. 31-A Ficam transÍormados os cargos, e distribuÍdas as


respectivas vagas, nos Grupos Ocupacionais e cargos equivalentes,
nos termos do Anexo Vlll." (NR)

"4rt.32. ...

ParágraÍo único. O total de vagas dos cargos cons ntes


Anexo Vlll desta Lei abrange o número de vagas dos cargos desc S
nos Anexos da Lei Complementar no 347, de 20 de fevereiro de 2004 e
suas alterações." (NR)

'Art. 33. Os cargos e vagas relacionados no Anexo lX desta Lei


serão extintos quando da ocorrência de sua vacâncla, e as funções
públicas previstas, quando do desligamento.

6
Parágrafo Único. As ocorrências dispostas no caput de 7 e
artigo referem-se, no que couber, às hipóteses elencadas no arl. 47
Lei Complementar no 040, de 05 de outubro de 1992 e alteraçõe
(NR)
P .l
,Í:':tri; g?3q@
§\
N 'rY:,
sro§/
\.i'#-/ S;- --l
2
"18-
s a'.§ VISÍO
ruErril !a útlüfulll
o
cargo de provimento efetivo Professor
'Art. 33-A Fica extinto
Auxiliar para Educação lnfantil e suas 1.000 (mil) vagas, nos termos do
Anexo Vlll desta lei." (NR)

"Art. 33-B Ficam extintas í'l (onze) vagas do cargo de


provimento efetivo de lnstrutor de Língua de Sinais, nos termos do
Anexo Vlll desta lei." (NR)

"Art. 33-C Ficam extintas 10 (dez) vagas do cargo de


provimento efetivo de lntérprete de Língua de Sinais, nos termos do
Anexo Vlll desta lei." (NR)

"Art. 33-D Ficam extintas í366 (mil trezentos e sessenta e seis)


vagas do cargo de provimento efetivo Professor l, nos termos do Anexo
Vlll desta lei." (NR)

"Art. 33-E Ficam transformadas as especialidades, nos .

respectivos cargos de provimento efetivo, nos termos do Anexo V desta -


lei" (NR) 'r
,.,

a
denominação do cargo de
"Art. 33-F Fica alterada
provimento efetivo de Educador lnfantil ll para Profissional de Apoio
Escolar, conforme disposto nos Anexos lll, V e Vlll, e respectivas
atribuiçóes constantes no Anexo lV desta lei." (NR)

"Art. 33-G Fica criado o cargo de provimento efetivo


lntérprete Educacional na Estrutura do Plano de Carreira
Servidores do Quadro da Educação da Rede Pública Munici e c'

Ensino de Uberlândia, do Grupo Ocupacional de Analista de Língua d


Sinais.

§ 1o Ficam criadas 20 (vinte) vagas do cargo indicado no caput


deste artigo, conforme disposto no Anexo Vlll desta Lei.

§ 20 As atribuições do cargo ind o caput encontram-se


previstas no Anexo lV desta lei." (NR)

ía.

lí)

-'To
.*'*

d.ê

ec
o w
,*Erüu Da crrüfuDu
'Art. 33-H Ficam criadas 2.075 (duas mil, e setenta e cinco)
vagas para os cargos de Professor, conforme disposto no Anexo Vlll
desta Lei." (NR)

'Art. 33-l Fica criado o cargo de


provimento efetivo de
Professor de Libras na Estrutura do Plano de Carreira dos Servidores
do Quadro da Educação da Rede Pública Municipal de Ensino de
Uberlândia, do Grupo Ocupacional Professor.

Parágrafo Único. As atribuições e vagas do cargo de que trata


o caput deste artigo encontram-se previstas respectivamente nos
Anexos lV e Vlll desta Lei." (NR)

cargo de provimento efetivo de


"Art. 33-J Fica criado o '

Professor de Atendimento Educacional Especializado na Estrutura do


PlanodeCarreiradosServidoresdoQuadrodaEducaçãodaRede
E
Pública Municipal de Ensino de Uberlândia, do Grupo Ocupacional .-!

Professor.

Parágrafo Unico. As atribuições e vagas do cargo de que trata


o caput deste artigo encontram-se previstas respectivamente n
Anexos lV e Vlll desta Lei." (NR)

"Art. 33-K Ficam transformadas as especial id ES


Orientador Educacional e Supervisor Escolar no cargo de provi
eÍetivo de Analista Pedagógico, nos termos do Anexo lll d esta ei, e
atribuições constantes no Anexo lV desta Lei." (NR)

"Art. 33-L Fica declarada a desnecessidade dos cargos d


Professor de Filosofia e Professor de Ensino Fundamental, com o
aproveitamento de seus ocupantes em outros cargos, nos termos do
§3o, do art. 41 da Constituição Federal." (NR)
rPnl
\]

s
ISTO
fa &

ffi
t.
VISTO
G

Éí$,
'tm/' a o

VIS
nrrmurr Da llanllll^
"Art. 35-A Aos servidores titulares de cargo efetivo do quadro
da Educação que não Íizeram a adesão ao Plano de Carreira e
desejarem exercer o respectivo direito mediante Termo de Adesão, fica
concedido novo prazo de 60 (sessenta) dias, a contar da publicação do
edital convocatório, conforme disposições do enquadramento que trata
esta lei.

§ 1o No transcurso do novo prazo de adesão, os servidores que


exercerem seu direito ficam submetidos às regras do Plano de Carreira
com suas devidas alterações, desvinculando-se automaticamente das
disposições anteriores que tratam sobre o tema ou que contrariem as
normas aqui dispostas.

§ 20 O efeito financeiro contar-se-á a partir do primeiro dia do <r, E


mês subsequente a entrega do termo de adesão, submetendo-se a ã[
todos os dispositivos contidos neste Plano de Carreira, bem como suas 'i, 6
c^
:l g:i
alterações. À- f;f

,3à
3o Aos servidores que, no transcurso do novo prazo
§
estabelecido em edital convocatório, estiverem impossibilitados de
exercerem seu direito de adesão por motivo de licença, o prazo de 60
(sessenta) dias ficará suspenso enquanto perdurar a situação." (NR)

Art. 20 Ficam revogados os seguintes dispositivos da L


11 .967, de 29 de setembro de 2Q14 e suas alterações:

| - parágrafo único do artigo 4o;

ll - incisos V, Vll, Vlll e X do artigo


@
50;

lll - incisos l, ll, lll, lV, V, Vl e Vll do artigo 60;


tou
rq^

lV - artigo 70;
I
cr"n1_ TO
^)
+ "J

VISÍO
l-o» ol
é."à
ál-
PrÍIlrurr DÍ üftttÂxDll

V - §1o e §2o, bem como os incisos l, ll, lll, lV, V e Vl do artigo


80

Vl - incisos I e V, bem como o §1o, §2', §9' e §1 0 do artigo go;

Vll - artigo 16;

Vlll - incisos l, ll, lll e lV, bem como o §1o e §2o do artigo 25;

lX - artigo 27;
]fLh

oÉi
X - artigo 28;
E;r
Lt !q
E-
Xl - artigo 28-A; .f
jjà
ntr
X - artigo 29;

Xl - artigo 30;

Xl - artigo 34;

Xll - artigo 36;


c

Xlll - Anexo ll

Art. 3o Ficam revogados os seguintes dispositivos da Lei


Complementar no 347, de 20 de fevereiro de 2004 e suas alterações:

| - §4" do artigo 22i


wo
?
ll - inciso l, §2o e §3" do artigo 26. -
ta
lo
1a' ! o c-
1
{ VTSTO
,r-
Éíà
PRI'íTURÂ D' UsITIÀIIDII

Art. 4o Fica acrescido à Lei no 11.967, de 29 de setembro de


2014 e suas alterações, o Anexo ll-A nesta Lei.

Art. 5o Esta Lei Complementar entra em vigor na data de sua


publicação.

Ube ndia, 4 ae dezembro de 201ti

llt,.
LMO LEÃO
Prefeito

D MELAZO
Secretária Municipal de Administraçáo

O&ol",1-o-w _zJ ..,i,i


-
CÊLIA MARIA DO NASCIMENTO TAVARES
Secretária Municipal de Educação

.4.e\a rrâ
la'ç"
/:
l>
\ al

dq i:..
@
t"4'

i""fih-i
r,i!v
?MEITUII D: UITITIIDU

t:
I:

i:;

ANEXOS Éft
d,
-el
F:


!H
i€
EN

z(m-".

Wi
c

!J

ÍsÍõ- o!9'

Ú'-r
PrtfqÍuu Dr ulnutDu

"ANEXO I

TABELAS DE VENCIMENTO BASE DOS CARGOS

Nível de ClassiÍicação F

lnstrutor de Língua de Sinais e lntérprete de Língua de Sinais


Médio Técnico Graduação Especialização Mestrado
Padrão
F-t F-[ F- t F-tv F-V
,|
1.466,42 1.613,05 1 .77 4,36 2.O40,52 2.448,61

2 í .501,91 1.652,09 1|817 ,30 2.089,90 2.507,87

3 1.538,25 1 .692,07 1.861,28 2.140,47 2.568,57

4 1 .575,47 1.733,02 1.906,32 2.192,27 2.630,72

5 1 .6í 3,59 1.774,96 1 .952,46 2.245,32 2.694,39

6 1 .652,65 1 .817 ,91 1.999,70 2.299,66 2.759,59

7 1 .692,64 'I .86'l ,91 2.048,10 2.355,32 2.826,37

I I .733,60 I .906,97 2.097 ,66 2.412,31 2.894,78

9 1.775,56 '1
.953,12 2.148,43 2.470.68 2.964,82 eÊ
'10 1 .8í 8,53 2.000,38 2.200,41 2.530,48 3.036,57 EE
üEi
11 1.862,53 2.048.79 2.253,67 2.591,71 3.110,06 Ea'
12 1.907,61 2.098,37 2.308,21 2.654,44 3.185,33

13 1.953,77 2.149,15 2.364,06 2.718,67 3.262,41 Eà
14 2.001,05 2.201,16 ?.421 ,28 2.784,47 3.341,36

í5 2.049,47 2.254,43 2.479,87 2.851,85 3.422,22

16 2.099,07 2.308,98 2.539,88 2.920,86 3.505,03

17 2.'t49,87 2.364,86 2.601,35 2.991,55 3.589,86


't8 2.201 ,90 2.422,09 2.664,30 3.063,94 3.676,73

19 2.255,18 2.480,70 2.728,78 3.'138,09 3.765,71

20 2.309,76 2.540,7 4 2.794,81 3.214,O3 3.856,84

21 2.365,66 2.602,23 2.862,44 3.291 ,81 3.950,17

22 2.422,91 2.665,20 2.931 ,72 3.371,47 4.045,77 !


,2-
23 2.481,54 2.729,70 3.002,66 3.453,07 4.143,68 I
o

("t
2
niíí
U9
%
zrx-
?tlÍIlIUt Dr ulttttxDu

Nível de ClassiÍicação G
Educador lnfantil l, ProÍissional de Apoio Escolar

Médio Técnico Graduação Especialização Mestrado


PadÍão

G-l G-ll G- G-tv G-V

1 1.535,13 1 .61 1 ,88 1 .773,06 2.039,02 2.446,83

2 1 .572,28 1.650,88 1.815,97 2.088,37 2.506,05

3 1 .610,32 1.690,83 1.859,92 2.138,91 2.566,69

4 1.649,29 1.731,75 í.904,93 2.190,66 2.628,80

5 'l .689,20 1.773,66 1 .951,03 2.243,69 2.692,42

6 1.730,08 1 .816,59 1.998,24 2.297,98 2.757,58

7 1 .771 ,95 1.860,5s 2.046,60 2.353,59 2.824,31

I 't .814,83 1.905,57 2.096,1 3 2.410.54 2.892,65

9 1.858,75 1.951,68 2.146,86 2.468,89 2.962,66

10 í.903,73 1.998,92 2.198,81 2.528,63 3.034,36

11 1.949,80 2.047,29 2.252,02 2.589,82 3.107,79


'12 1 .996,98 2.096,83 2.306,52 2.452,49 3.í83,00 ü

í3 2.045,32 2.147,58 2.362,34 2.7',t6,69 3.260,02 É


14 2.094,81 2.199,55 2.419,51 2.782,43 3.338,92

15 2.145,50 ?.252,78 2.478,06 2.849,77 3.419,72


't6 2.197,43 2.307,30 2.538,O2 2.918,73 3.502,47
'17 2.250,61 2.363,13 2.599,45 2.989,37 3.587,23

18 2.305,07 2.420,32 2.662,36 3.061,70 3.674,05

19 2.360,85 2.478,90 2.726,78 3.135,80 3.762,96

20 2.417,98 2.538,88 2.792,77 3.21 1 ,68 3.854,02

21 2.476,49 2.600,33 2.860,35 3.289,41 3.947,29

22 2.536,43 2.663,26 2.929,57 3.369,02 4.O42,81

23 2.597,8',1 2.727,70 3.000,48 3.450,54 4.140,66


! 5 ,]ô
.:

-a o

á-s$emà
, à-§ cr,í dl
"s

t/
@-
%
áIlI
Pr[ÍtÍru ulrrt,ixDu

Nívêl de ClassiÍicação H
ProÍessor I

Magistério Graduação Especialização Mestrado Doutorado


Padrão
H-t H-[ H- H-tv H-V

1 1 .425,19 1.995,27 2.294,57 2.753,48 3.304,18

2 1 .459,69 2.043,56 2.350,09 2.820,11 3.384,í4

3 1.495,01 2.093,01 2.406,97 2.888,36 3.466,04

4 1.531,19 2.143,66 2.465,22 2.958,26 3.549,91

5 1.568,24 2.'195,55 2.524,88 3.029,85 3.635,82

6 1 .606,20 2.248,67 2.585,98 3.103,17 3.723,81

7 1.645,07 2.303,',10 2.648,55 3.178,26 3.813,92

8 1.684,87 2.358,83 2.712,65 3.255,19 3.906,22

9 1.725,65 2.415,91 2.778,30 3.333,96 4.000,75

10 1 .767,41 2.474,37 2.845,54 3.414,64 4.097,56

í.810,18 4.196,73 €E
't1 2.534,25 2.914,39 3.497 ,27
'Ê !i
12 1.853,99 2.595,58 2.984,92 3.581,90 4.298,28 {.t §
13 1.898,86 2.658,40 3.057,16 3.668,59 4.402,30 5E
't4 1.944,81 2.722,73 3.131,14 3.757,37 4.508,84 E§
,!à
't5 'r .991 ,87 2.788,62 3.206,92 3.848,30 4.617,96

16 2.O40,07 2.856,10 3.284,52 3.94'1,43 4.729.71

17 2.089,45 2.925,23 3.364,00 4.036,80 4.844,17

18 2.140,01 2.822,58 3.445,42 4.'Í 34,50 4.961,40

19 2.191,79 3.068,52 3.528,80 4.234,55 5.081 ,46

20 2.244,84 3.142,77 3.614,20 4.337,03 5.204,43

21 2.299,17 3.218,83 3.701,65 4.441,98 5.330,38

22 2.354,80 3.296,72 3.791 ,24 4.549,48 5.459,37

23 2.411,79 3.376,51 3.882,98 4.659,58 5.591,49


p
S

oo:

r".-qà
k#
fttftÍTutl Dt t ttitlltDu

Nível de Classificeção I

lntérprête Educacional
Graduação Especialização Mêstrado Doutorado
Padrão
t-t t- l-l t-tv
I 1 .995,27 2.294,57 2.753,48 3.304,18

2 2.043,56 2.350,09 2.820,11 3.384,14

3 2.093,01 2.406,97 2.888,36 3.466,04

4 2.143,66 2.465,22 2.958,26 3.549,91

5 2.195,55 2.524,88 3.029.85 3.635,82

6 2.248,67 2.585,98 3.'r03,17 3.723,81

7 2.303,10 2.648,55 3.17I,26 3.813,92

8 2.358,83 2.712,65 3.255,19 3.906,22

9 2.415,91 2.778,30 3.333,96 4.000,75


't0 2.474,37 2.845,54 3.414,64 4.097,56

11 2.534.25 2.9'14,39 3.497,27 4.196,73


E
12 2.595,58 2.984,92 3.581,90 4.298,28
*
13 2.658,40 3.057,16 3.668,59 4.402,30

't4 2.722,73 3.131,14 3.757,37 4.508,84


't5 2.788,62 3.206,92 3.848,30 4.617,96

16 2.856,10 3.284,52 3.941,43 4.729,71

17 2.925,23 3.364,00 4.036,80 4.844,17

í8 2.996,02 3.445,42 4.134,50 4.961,40


't9 3.068,52 3.528,80 4.234,55 5.081,46

20 3.142,77 3.614,20 4.337,03 5.204,43

21 3.218,83 3.701,65 4.441 ,98 5.330,38

22 3.296,72 3.791,24 4.549,48 5.459,37

23 3.376,51 3.882,98 4.659,58 5.591,49


!
3 2

Íi§Íõ- u).'
s,!4
,rufr
? Í:M'nl DI UffTl.ITDlr

Nível de Glassificação J
Professor
Graduação Especializagão Mestrado Doutorado
Padrão
J-t J-[ J-lll J.IV
1 1.995,27 2.294,57 2.753,48 3.304,18

2 2.043.56 2.350,09 2.820,11 3.384,14

3 2.093,01 2.406,97 2.888,36 3.466,04

4 2.143,66 2.465,22 2.958,26 3.549,91

5 2.195,55 2.524,88 3.029,85 3.635,82

6 2.248,67 2.585,98 3.103,17 3.723,81

7 2.303.10 2.648,55 3.178,26 3.813,92

8 2.358,83 2.712,65 3.255,19 3.906,22

I 2.415,91 2.778,30 3.333,96 4.000,75


't0 2.47 4,37 2.845,54 3.414,64 4.097,56

1',l 2.534,25 2.914,39 3.497,27 4.196,73

12 2.595,58 2.984,92 3.581,90 4.298,28

13 2.658,40 3.057,16 3.668,59 4.402,30

't4 2.722,73 3.131,14 3.757,37 4.508,84 É.{


15 2.788,62 3.206,92 3.848,30 4.6't7 ,96

16 2.856,10 3.284,52 3.941,43 4.729,71

'17 2.925,23 3.364,00 4.036,80 4.844,17

18 2.996,02 3.445,42 4.134,50 4.961,40

19 3.068,52 3.528,80 4.234,55 5.081,46

20 3.142,77 3.614,?0 4.337,03 5.204,43

21 3.218,83 3.701,65 4.441,98 5.330,38

22 3.296,72 3.791,24 4.549,48 5.459,37

23 3.376,51 3.882,98 4.659,58 5.591,49


.l
.s

í
vis iõ-'
§,à
,r\-r
?ITTIITUII DI UIIITIIUI

Nível de Classificação K

Analista Pedagógico e lnspetoÍ Êscolar


Graduação Especialização Mestrado DoutoÍado
Padrão
K-l K- K- l K-tv
,| 4.130,22 4.956,26
2.992,91 3.441,84

2 3.065,34 3.525,14 4.230,17 5.076,20

3 3.139,52 3.610,45 4.332,54 5.199,04

4 3.215,50 3.697,83 4.437,38 5.324,86

5 3.293,32 3.787,31 4.544,77 5.453,73

6 3.373,01 3.878,97 4.654,75 5.585,70

7 3.454,63 3.972,83 4.767 ,39 5.720,88

I 3.538,24 4.068,98 4.882,77 5.859,33

9 3.623,86 4.167,45 5.000,93 6.001,12

10 3.71 1,56 4.268,29 5.121 ,95 6.'146,35

11 3.801,39 4.371,59 5.245,91 6.295,09

12 3.893,38 4.477,39 5.372,86 6.447,43

't3 3.987,59 4.585,73 5.502,89 6.603,46

14 4.084,1 0 4.696,71 5.636,05 6.763,26


't5 4.182,93 4.810,36 5.772,44 6.926,93
't6 4.284,16 4.926,78 5.912,14 7.094,57

17 4.387,83 5.046,01 6.055,21 7.266,25


't8 4.494,02 5.168,12 6.201 ,75 7.442,09

19 4.602,78 5.293,19 6.35't,83 7.622,20

20 4.714,16 5.421,28 6.505,54 7.806,65

21 4.828,24 5.552,48 6.662,98 7.995,58

22 4.945,09 5.686,85 6.824,23 8.189,07

23 5.064,76 5.824,47 6.989,37 8.387 ,24


,/" ,,

Ío

6-'â%à\

&ud
nttíflrl Dr ulrruMl

ANEXO II-A
euADRo DE eERCENTUATs DE PRocRESSÃo PoR ouALlFlcAÇÃo

Escolaridade % Progressâo por


Nível de classificaÇáo QualiÍicaçáo

ENSTNo MÉDro rÉcNtco '10

GRADUAÇÃO 10
F
ESPECIALIzAÇÃo 15

MESTRADO 20

ENStNo MÉDto rÉcNtco


GRADUAÇÃO 10
G
ESPEcTALTzAÇÃo 15

MESTRADO 20

ESPECIALIzAÇÃO tc

H MESTRADO 20

DOUTORADO 20

ESPEcIALIzAÇÃo 15

I M ESTRADO

DOUTORADO 20

ESPECIALIZAÇÃO tc

J MESTRADO 20

DOUTORADO 20

ESPECTALTzAÇÃo 15

K MESTRADO 20

DOUTORADO 20
5

bz

"t

6ffiryà
g', 6 §di
§-P
,tatartull Dt ütltúrDu

ANEXO III
QUADRO GERAL E CARGA HORARIA DOS CARGOS

Carga
NÍvel de Grupo horária
Cargo
classificaçáo ocupacional
semanal

Assistente de lnstrutor de Língua de Sinais 20h


F Língua de
Sinais lntérprete de Língua de Sinais 20h

Assistente Educador lnfantil I 25h


Educacional Profissional de Apoio Escolar 25h

H Professor I Professor I 20h

Analista de 25h
I Língua de lntérprete Educacional
Sinais

Professor de Ciências da Natureza 20h

Professor de Arte 20h

Professor de Educação Física 20h *§


Professor de Geografia 20h En
H?§
Professor de História 20h Êos
ProÍessor de Matemática 20h

Professor de Língua Portuguesa 20h Jü
J ProÍessor Professor de EducaÇão lnfantil e 10 ao 20h
50 ano

Proíessor de Ensino Religioso 20h

Professor de lnglês 20n


Professor de Libras 20h

Professor de Atendimento Educacional 20h


Especializado

PÍofessor de Filosofia 20h

ProÍessor de Ensino Fundamental 20h ipui


.is
Especialista de Analista Pedagógico
30h 35
K
Educação lnspetor Escolar 30h

30
VISTO
é.à
,rf-
mfftÍIull Dr ultlúxul
ANEXO IV
DEScRTÇÃo DAS ArRrBUrÇÕES Dos cARGos

ruivel oe cuasstrtcnçÃo r

rNsrRUToR oe úNoua DE stNAts


ATRIBUIÇOES

Ensinar a
Língua Brasileira de Sinais para alunos com surdez e
comunidade escolar, utilizando metodologia específica, em grupos ou
lmente;
ind ivid ua
Preparar professores, demais educadores das escolas e comunidade
em relação ao domínio da língua de sinais;
Verificar as condições e o estado de conservação dos rêcursos
pedagógicos a ser utilizados, providenciando ou confeccionando, se
houver necessidade, para assegurar a correta execução de tarefas e
atividades programadas;
Determinar as sequencias das atividades a ser executadas pelos
alunos, orientando-lhes, individualmente ou em grupo, sobre a forma
correta de execução das atividades; Hf.
Acompanhar e avaliar o processo de ensino-aprendizagem da língua üÊi
de sinais, propondo alternativas de melhorias para atender às EH
necessidades dos alunos; .Y ]5
Motivar e aconselhar os alunos, a fim de contribuir para a incorporação
de hábitos e atitudes que facilitem o desenvolvimento psicossocial dos
5E
mesmos; E§
Participar de eventos e cursos de formação continuada;

Participar das atividades administrativas, de controle e de apoio
referentes à sua área de atuação;
Participar de grupos de trabalho e/ou reuniões com unidades da
Prefeitura e outras entidades públicas e particulares, realizando
estudos, emitindo pareceres ou fazendo exposições sobre situações
e/ou problemas identificados, opinando, oferecendo sugestões,
revisando e discutindo trabalhos técnico-científicos, para fins de
formulação de diretrizes, planos e programas de trabalho afetos ao
Município;
Executar outras tarefas da mesma natureza ou nível de complexidade
associadas ao seu cargo ou ambiente organizacional.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO DO CARGO

Ensino Médio Completo e certificado de formação e qualificação par{,


lnstrutores de Língua Brasileira de Sinais emitidos pelo Ministério da\
Educação - MEC ou Associações de Pessoas com Surdez ou
Federação Nacional de Educação e lntegração dos Surdos - FENEIS

C es
gg .,.ir Ed
q=d
vj?
8;là
á\!r
?ttEllurl Dt ulnuxlll
ou Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e Atendimento
às Pessoas com Surdez - CAS ou Centro Municipal de Estudos e
Projetos Educacionais Julieta Diniz - CEMEPE.

INTÉRPRETE DE LINGUA DE SINAIS

ATRIBUIçÕES
Traduzir e interpretar palavras, conversações, narrativas, palestras,
atividades didático-pedagógicas, reproduzindo em Libras ou na
modalidade oral da Língua Portuguesa o pensamento e a intenção do
emissor, em situações onde seja necessária a sua presença, a critério
da Secretaria Municipal de Educação;
Assessorar nas atividades de ensino e pesquisa;
Examinar previamente o texto original a ser trad uzido/interpretado,
quando possível;
Transpor o texto para a Língua Brasileira de Sinais, consultando
dicionários, outras fontes de informações, considerando as diferenças
regionais;
lnterpretar as produções de textos, escritas ou sinalizadas das pessoas
surdas;
Participar de eventos e cursos formação continuada;
Participar das atividades administrativas, de controle e de apoio c
referentes à sua área de atuação;
Participar de grupos de trabalho e/ou reuniões com unidades da t!
Prefeitura ê outras entidades públicas e
particulares, realizando
estudos, emitindo pareceres ou fazendo exposições sobre situações
e/ou problemas identificados, opinando, oferecendo sugestões,
revisando e discutindo trabalhos técnico-científicos, para fins de
formulação de diretrizes, planos e programas de trabalho afetos ao
Município;
Executar outras tarefas da mesma natureza ou nÍvel de complexidade
associadas ao seu cargo ou ambiente organizacional.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO DO CARGO

Ensino Médio Completo e certificado de formação e qualificação de


Língua Brasileira de Sinais emitidos pelo Ministério da Educação -
MEC ou Associações de Pessoas com Surdez ou Federação Nacional
de Educaçáo e lntegração dos Surdos - FENEIS ou Centro de
Capacitação de Profissionais da Educação e Atendimento às Pessoas
com Surdez - CAS ou Centro Municipal de Estudos e Projetos
à

v
Educacionais Julieta Diniz - CEMEPE.
s

ffi
o êsá
g4
áNI
,ffmruu DI u! rixDu

Hível oe clesstnceçÃo e

EDUCADOR INFANTIL I

ATRIBUIÇOES

Auxiliar o no desenvolvimento das atividades lúdico-


professor
educativas, pautando-se no respeito à dignidade, aos direitos, as
especificidades e diferenças sociais, econômicas, culturais, étnicas e
religiosas;
Confeccionar recursos materiais, utilizados nas atividades lúdico-
educativas;
Oferecer aos alunos materiais que incentivem a criatividade, a
habilidade, entre outros, para possibilitar o desenvolvimento intelectual,
psicomotor e social;
Acompanhar, orientar, estimular e executar a higiene pessoal dos
alunos, observando as alterações em termos de saúde e nutriçáo;
Ensinar aos alunos hábitos de limpeza, higiene, disciplina e tolerância,
entre outros atributos morais e sociais;
Auxiliar na solução de problemas individuais dos alunos, encaminhando
gil
ao especialista os casos em que seja necessária assistência especial;
Organizar, consêrvar e cuidar da higienização do material lúdico- ÉÍa
pedagógico, equipamentos e quaisquer outros materiais utilizados
pelos alunos;
Preencher o formulário de frequência dos alunos;

Estimular, preparar e acompanhar o repouso dos alunos;
Auxiliar nas atividades de promoção da integração escola-família-

comunidade, por meio de reuniões com pais, professores e demais
profissionais de ensino;
Socorrer o aluno em casos de pequenos acidentes e de emergência,
tomando as providências necessárias, segundo orientação recebida do
profissional da área, levando-a ou encaminhando-a ao posto de saúde
ou médico mais próximo, informando os pais ou responsáveis;
Organizar todo material referente às atividades com os alunos, assim
como roupas, toalhas, produtos de higiene pessoal e calçados de uso
dos alunos;
Executar atividades de higienização dos alunos, como banho, troca de
fraldas, escovação de dentes, limpeza das mãos, deambulação, entre
outras que se fizerem necessárias;
Auxiliar na organização e promoção de trabalhos complementares de
caráter cívico, cultural, vocacional ou recreativo, incentivando o espírito
de liderança, a sociabilização e a formação integral dos alunos; !
Participar de eventos e cursos formação continuada;
Participar das atividades administrativas, de controle e de apo oÊ
referentes à sua área de atuação;

âsa
-ir'c,

vlSÍO §il
-$g
§,,à
á\-r
?*Emnr Dr utlltllDu
Participar de grupos de trabalho e/ou reuniões com unidades da
Prefeitura e outras entidades públicas e particulares, realizando
estudos, emitindo pareceres ou fazendo exposições sobre situações
e/ou problemas identificados, opinando, oferecendo sugestões,
revisando e discutindo trabalhos técnico-científicos, para fins de
formulação de diretrizes, planos e programas de trabalho afetos ao
Município;
Executar outras tarefas da mesma natureza ou nível de complexidade
associadas ao seu cargo ou ambiente organizacional.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO DO CARGO

Ensino Médio Completo

PROFISSIONAL DE APOIO ESCOLAR

ATRTBUTçOES

Desenvolver e executar atividades lúdico-educativas, desde a


Educação lnfantil ao 90 Ano do Ensino Fundamental, no ensino regular
e na modalidade de educação especial, pautando-se no respeito à
dignidade, aos direitos, as especificidades e diferenças sociais,
econômicas, culturais, étnicas e religiosas;
Confeccionar recursos materiais, utilizados nas atividades lúdico-
educativas;
Oferecer aos alunos materiais que incentivem a criatividade, a
habilidade, entre outros, para possibilitar o desenvolvimento intelectual,
psicomotor e social;
Acompanhar, orientar, estimular e êxecutar a higiene pessoal dos
alunos, observando as alterações em termos de saúde e nutrição;
Ensinar aos alunos hábitos de limpeza, higiene, disciplina e tolerância,
entre outros atributos morais e sociais;
Auxiliar na solução de problemas individuais dos alunos, encaminhando
ao especialista os casos em que seja necessária assistência especial;
Organizar, conservar e cuidar da higienização do material lúdico-
pedagógico, equipamentos e quaisquer outros materiais utilizados
pelos alunos;
Preencher o formulário de frequência dos alunos;
Estimular, preparar e acompanhar o repouso dos alunos;
Auxiliar nas atividades de promoção da integração escola-família- .l
comunidade, por meio de reuniões com pais, professores e demais
profissionais de ensino;
Socorrer o aluno em casos de pequenos acidentes e de emergência, *9
tomando as providências necessárias, segundo orientação recebida do
profissional da área, levando-a ou encaminhando-a ao posto de saúde

ÍsÍô-
é.à
á\I
,ftEÍÍUTT DI UtTltÁIuI

ou médico mais próximo, informando os pais ou responsáveis;


Organizar todo material referente às atividades com o aluno, assim
como roupas, toalhas, produtos de higiene pessoal e calçados de uso
das crianças;
Executar atividades de higienização dos alunos, como banho, troca de
fraldas, escovação de dentes, limpeza das mãos, deambulação, entre
outras que se fizerem necessárias;
Auxiliar na organização e promoção de trabalhos complementares de
caráter cívico, cultural, vocacional ou recreativo, incentivando o espírito
de liderança, a sociabilização e a formação integral dos alunos;
Acompanhar, orientar, estimular e executar atividades relativas a
alimentação, higiene, locomoção, saúde, segurança e bem estar junto o
aluno com deficiência e/ou Transtornos Globais do Desenvolvimento
(TGD), sempre que validada a necessidade pela Equipe de
Atendimento Educacional Especializado em consonância com a
Assessoria Pedagógica;
Desenvolver atividades com recursos imagéticos, materiais concretos,
revistas, jornais, letras móveis, recortes de livros didáticos, e outros, de
modo a tornar acessíveis os conteúdos curriculares oferecidos pelo
Professor, respeitando as especificidades apresentadas pelo aluno
relacionadas à sua condição de funcionalidade;
Atuar de forma articulada com os professores da sala comum, da sala k
E!
de recursos multifuncionais, bem como com os outros profissionais do
contexto escolar; ;E ';
Organizar tempos e espaços que privilegiem o brincar como forma de §â
expressão, pensamento e interação; isr
Auxiliar o aluno na organização do material, manuseio e registro do -=k
conteúdo no caderno; ;À
Auxiliar o professor e a equipe pedagógica da escola no Hà
desenvolvimento das atividades com os alunos e turmas, propiciando a
acessibilidade do aluno aos conteúdos ministrados em classe comum;
Auxiliar o aluno na condução ou locomoção em horário de entrada,
saída ou em quaisquer outras necessidades fora da sala;
Realizar a mediação do desenvolvimento e aprendizagem do aluno que
necessite de auxílio especial para que este tenha acesso aos
conhecimentos e conteúdo dentro da sala de aula;
Colaborar com o trabalho em grupo na sala de aula, integrando o aluno
nas tarefas e auxiliando o professor para atende-lo em sua diferença;
Auxiliar o aluno na realização das avaliações ocorridas na sala de aula,
realizando estratégias desenvolvidas pelos professores do Atendimento
Educacional Especializado (AEE);
Fazer interlocução/interação com os profissionais da instituição escolar rPald
{s4,
na qual esteja atuando, para reflexão, avaliação e apêrfeiçoamento d §
sua prática profissional, bem como para elaboração do projeto políti
pedagógico;
Participar de eventos e cursos formação continuada;
Partlcipar das atividades administrativas, de controle e de apoio

6.S'tr$à
§§ "-í 'ef
''*4"-ry
nffrmru !a

referentes à sua área de atuação;


Participar de grupos de trabalho e/ou reuniões com unidades da
Prefeitura e outras entidades públicas e particulares, realizando
estudos, emitindo pareceres ou fazendo exposições sobre situações
e/ou problemas identificados, opinando, oferecendo sugestões,
revisando e discutindo trabalhos técnico-científicos, para fins de
formulação de diretrizes, planos e programas de trabalho afetos ao
Município;
Executar outras tarefas da mesma natureza ou nível de complexidade
associadas ao seu cargo ou ambiente organizacional.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO DO CARGO

Curso Técnico de Nível Médio na modalidade Normal ou Magistério ou


Licenciatura Plena em Pedagogia ou Normal Superior. Acrescido de
Curso de Cuidador para apoio ao aluno com deficiência nas escolas,
com carga horária mÍnima de 80 (oitenta) horas.

NivEL DE cLASsrFrcAçÃo H

PROFESSOR I

ATRIBUIçOES
Ministrar aulas, atividades pedagóglcas planejadas, propiciando
aprendizagens significativas para os educandos, desde a Educação
lnfantil ao 50 Ano do Ensino Fundamental;
Elaborar plano de aula, programas e planos de trabalho, de acordo com
a proposta pedagógica da escola e do regimento escolar;
Seguir as diretrizes político-pedagógicas da Rede Pública Municipal de
Ensino, respeitadas as peculiaridades da unidade educativa,
integrando-se à ação pedagógica, como copartícipe na elaboração e
execução da mesma;
Acompanhar e avallar o desenvolvimento do processo pedagógico dos
alunos, atribuindo-lhes notas ou conceitos, registrando frequência e
avaliações nos prazos fixados, bem como relatórios de aproveitamento,
de acordo com o regimento escolar;
Promover aulas e trabalhos de recuperação paralela com os alunos
que apresentêm necessidade de atenção específica;
Participar das reuniões de pais, reuniões pedagógicas, encontros de .t
formação, seminários e outros da mesma natureza, promovidos pelo
§
Município;
Realizar os planejamentos, rêglstros e relatórios necessários ao
processo pedagógico;
/oq
.9s"
§Ê Y-à §{,'l
'2::t-ç«681

á\fr
PmÍ:llu Dr ulnlixDlr

Participar ativamente do processo de integração da escola-família-


comunidade;
Observar e registrar o processo de desenvolvimento dos alunos, tanto
individualmente como em grupo com o objetivo de acompanhar o
processo de ensino-aprendizagem;
Elaborar e organizar atividades com desenhos, pintura, de conversação
ou canto, entre outras, a fim de auxiliar no desenvolvimento físico,
mental e social dos alunos;
Organizar solenidades comemorativas de fatos marcantes,
promovendo concursos, debates, dramatizações ou jogos para ativar o
interesse dos alunos pelos acontecimentos histórico-sociais da pátria;
Participar de eventos e cursos formação continuada;
Participar das atividades administrativas, de controle e de apoio
referentes à sua área de atuação;
Participar de grupos de trabalho e/ou reuniões com unidades da
Prefeitura e outras entidades públicas e particulares, realizando
estudos, emitindo pareceres ou fazendo exposições sobre situações
e/ou problemas identificados, opinando, oferecendo sugestões,
revisando e discutindo trabalhos tecnico-científicos, para fins de
formulação de diretrizes, planos e programas de trabalho afetos ao - f.
Município; 9{ Hi
Executar outras tarefas da mesma natureza ou nível de complexidade Er*
associadas ao seu cargo ou ambiente organizacional. U::
2,:s
REQUISITOS PARA PROVIMENTO DO CARGO ."8
rH
ãÉ
<rts
Curso Técnico de nível médio na modalidade Normal ou Magistério

NíVEL DE CLASSIFICAçÃO I

INTÉRPRETE EDUCACIONAL

ATRTBUTÇÕES

Traduzir e interpretar a Língua Portuguesa para a Língua Brasileira de


Sinais ou a Língua Brasileira de Sinais para a Língua Portuguesa nos
diversos contextos da escola, de forma a ampliar habilidades funcionais
dos alunos com surdez;
Atuar como intérprete do aluno com surdez frente às situações de
comunicação em sala de aula e outras açôes no contexto escolar que
demandem a interlocução entre ouvintes e pessoas com surdez; .t:&,,J":i
Estabelecer a intermediação comunicativa entre os usuários de Língu a/ à2
Brasileira de Sinais e os de Língua Oral/LÍngua Portuguesa no contextdr
§ )
T o id-'
escolar, trad uzindo/interpretando as atividades escolares, com ol
objetivo de assegurar o acesso aos alunos com surdez à educação;

tíffi"r CJ
e5

ÇrLr
é.:à
ZUI
lttftmrlt Dr utttlÁxDll

lnterpretar com fidedignidade, não omitindo nenhuma fala da


comunicação estabelecida entre o ouvinte e o aluno com surdez;
Redirecionar ao professor regente os questionamentos, dúvidas,
sugestões e observações dos alunos;
Estimular sem parcialidade a relação direta entre alunos com surdez e
professor regente, ou entre alunos com surdez e outros participantes
da comunidade escolar;
Esclarecer e apoiar o professor regente no que diz respeito à escrita
dos alunos com surdez, acompanhando-o, caso necessário e, mediante
solicitação, na correção das avaliações e na leitura dos textos dos
alunos;
Buscar, quando necessário, o auxílio do professor regente, antes,
durante e após as aulas, com o objetivo de garantir a qualidade de sua
atuação, bem como a qualidade do acesso dos alunos com surdez à
educação;
Traduzir e interpretar nos diferentes setores da Prefeitura Municipal de
Uberlândia, ou em outros espaços e eventos em que houver
necessidade, a critério da Secretaria Municipal de Educação;
Participar de eventos e cursos formação continuada;
Participar das atividades administrativas, de controle e de apoio
referentes à sua área de atuação;
Participar de grupos de trabalho e/ou reuniões com unidades da Tr Ê;
Prefeitura e outras entidades públicas e particulares, realizando H15
estudos, emitindo pareceres ou fazendo exposições sobrê situações §n
e/ou problemas identificados, opinando, oferecendo sugêstões, Êes
revisando e discutindo trabalhos técnico-científicos, para fins de rF

formulação de diretrizes, planos e programas de trabalho afetos ao
Município;
Lrà
Executar outras tarefas da mesma natureza ou nível de complexidade
associadas ao seu cargo ou ambiente organizacional.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO DO CARGO

Profissional ouvinte com Graduação em Tradução e lnterpretação, com


habilitação em Língua Brasileira de Sinais/Língua Portuguesa, ou
Licenciatura Plena em Pedagogia ou Normal Superior, ambos
acrescidos do certificado de proficiência em LÍngua Brasileira de Sinais
e certificado de tradutor/intérprete emitidos pelo Ministério da Educação
- MEC ou expedidos por instituições credenciadas por Secretarias de
Educação, ou por Associações de Pessoas com Surdez ou Federação
-
Nacional de Educação e lntegração dos Surdos FENEIS ou Centro
de Capacitação de Profissionais da Educação e Atendimento às
Pessoas com Surdez - CAS ou Centro Municipal de Estudos e Projetos ! h.,
Educacionais Julieta Diniz - CEMEPE.
TO

#'âà
Á
(3Ê §-.'
c

Ks"ry
§..4
/'Yf
,lúüIurr Dl ül:tl'ltllr
ruível oe classrrrcnçÃo .t

PROFESSOR

arnreurçÕes
Ministrar aulas, atividades pedagógicas planejadas, propiciando
aprendizagens significativas para os educandos, desde a Educação
lnfantil ao go Ano do Ensino Fundamental, observando as
especificidades e exigências do cargo;
Elaborar plano de aula, programas e planos de trabalho, de acordo com
a proposta pedagógica da escola e do regimento escolar;
Seguir as diretrizes político-pedagógicas da Rede Pública Municipal de
Ensino, respeitadas as peculiaridades da unidade educativa,
integrando-se à ação pedagógica, como copartícipe na elaboração e
execução da mesma;
Acompanhar e avaliar o desenvolvimento do processo pedagógico dos
educandos, atribuindo-lhes notas ou conceitos, registrando frequência
e avaliações nos prazos fixados, bem como relatórios de ar
1aÊ l:--:
aproveitamento, de acordo com o regimento escolar;
Promover aulas e trabalhos de recuperação paralela com os alunos
que apresentem necessidade de atenção específica;
Participar das reuniões de pais, reuniões pedagógicas, encontros de .tltJ
formação, seminários e outros da mesma natureza, promovidos pelo hs
Município; ir l4
Realizar os planejamentos, registros e relatórios necessários ao
processo pedagógico;
Participar ativamente do processo de integração da escola-família-
comunidade;
Observar e registrar o processo de desenvolvimento dos alunos, tanto
individualmente como em grupo com o objetivo de acompanhar o
processo de ensino-a prend izagem;
Elaborar e organizar atividades com desenhos, pintura, de conversação
ou canto, entre outras, a fim de auxiliar no desenvolvimento físico,
mental e social dos alunos;
Organizar solenidades comemorativas de fatos marcantes,
promovendo concursos, debates, dramatizações ou jogos para ativar o
interesse dos alunos pelos acontecimentos histórico-sociais da pátria;
Participar da elaboração do P§eto Político Pedagógico da sua unidade
escolar;
Participar de eventos e cursos formação continuada;
Participar das atividades administrativas, de controle e de apoio
referentes à sua área de atuação;
Participar das atividades de treinamento e aperfeiçoamento de pessoa "r'{

técnico e auxiliar, realizando-as em serviço ou ministrando aulas e TO


palestras, a fim de contribuir para o desenvolvimento qualitativo dos
recursos humanos em sua área de atuaÉo;
CE
\o
a,

aisõ-
tu
z,ÍKa
PRararÍtir ot u!ttúxDtl

Participar de grupos de trabalho e/ou reuniões com unidades da


Prefeitura e outras entidades públicas e particulares, realizando
estudos, emitindo pareceres ou fazendo exposições sobre situaçóes
e/ou problemas identificados, opinando, oferecendo sugestões,
revisando e discutindo trabalhos técnico-científicos, para fins de
formulação de diretrizes, planos e programas de trabalho afetos ao
Município;
Executar outras tarefas da mesma natureza ou nível de complexidade
associadas ao seu cargo ou ambiente organizacional.

a) Professor de Ciências da Natureza

Requisitos para provimento do cargo de Professor de Ciências da


Natureza: Licenciatura Plena em Ciências da Natureza ou Licenciatura
Plena em Biologia com habilitação em Ciências da Natureza

b) Professor de Arte

Requisitos para provimento do cargo de Professor de Arte:


Licenciatura Plena em Educação Artística, ou Licenciatura Plena em
Artes Visuais ou Licenciatura Plena em Artes Cênicas ou Teatro ou
Licenciatura Plena em Música ou Licenciatura Plena em Dança ou
Licenciatura Plena em Artes Plásticas. Ê1 E'

c) Professor de Educação Física


É t?.
Requisitos para provimento do cargo de Professor de Educação
Física: Licenciatura Plena em Educação Física. H.q
,3S
d) Professor de Geografia

Requisitos para provimento do cargo Professor de Geografia:


Licenciatura Plena em Geografia.

e) Professor de História

Requisitos para provimento do cargo de Professor de História:


Licenciatura Plena em História

f) Professor de Matemática

Requisitos para provimento do cargo de Professor de Matemática:


Licenciatura Plena em Matemática ou Licenciatura Plena em Ciência
com Habilitação em Matemática.

g) Professor de Língua Portuguesa

c C,d
r[g
"- Jê o-

e -ç'«-o&J
?tttÍÍTuu Dr utrtúxut
Requisitos para provimento do cargo de Professor de Língua
Portuguesa: Licenciatura Plena em Letras, com habilitação em Língua
Portuguesa ou Licenciatura Plena em Língua Portuguesa

h) Professor de Educação lnfantil e 1o ao 5o ano

Requisitos para provimento do cargo de Professor de Educação


lnfantil e ío ao 5o ano: Licenciatura Plena em Pedagogia ou Normal
Superior, com habilitação específica em área própria; ou Licenciatura
Plena em Pedagogia com habilitação nas séries iniciais da Educação
Básica; ou conclusão até o final de 2007, em curso de Licenciatura
Plena em Pedagogia, desde que tenham cursado com aproveitamento
em Estrutura e Funcionamento da Educação Básica ou equivalente,
Metodologia da Educação lnfantil ou equivalente, Prática de Ensino-
Estágio Supervisionado na Educação Básica, com carga horária
mínima de 300 (trezentas) horas, de acordo com o disposto no art. 65
da Lei no 9394 de í996. O apostilamento da habilitação para o
exercício do magistério deverá constar no verso do diploma.

i) Professor de Ensino Religioso

Requisitos para provimento do cargo de Professor de Ensino


Religioso: Licenciatura Plena em Ensino Religioso ou Ciências da
Religião ou Educação Religiosa; ou Licenciatura Plena em qualquer
área do conhecimento, cujo currículo conste conteúdo relativo a
Ciências da Religião, Metodologia e Filosofia do Ensino Religioso ou
Educação Religiosa, com carga horária mÍnima de 500 (quinhentas)
horas ou; Licenciatura Plena em qualquer área do conhecimento,
acrescida de pós-graduação lato sensu em Ensino Religioso, Educação
Religiosa ou Ciências da Religião, com carga horária mínima de 360
(trezentas e sessenta) horas.

j) Professor de lnglês

Requisitos para provimento do cargo de Professor de lnglês:


Licenciatura Plena em lnglês; ou Licenciatura Plena em Letras com
habilitação em lnglês

j) Professor de Libras

Atribuições específi cas:


Ensinar a Língua Brasileira de Sinais no Atendimento Educacional !
Especializado - AEE e no ênsino regular, utilizando metodologia d
ensino bilíngue;
s Tro."-,
Organizar e Administrar as turmas de AEE, durante sua atuação,
segundo padróes determinados pela instituição; -,,
Elaborar e executar planejamento de AEE em parceria com os demais

,ffiàa:
igê ".. §
\ê""-1
0w.{
?tl,tÍTurr Dr u]:IlÀrDll

professores do AEE, definindo o número de atendimentos e os


materiais que deverão ser produzidos;
Planejar previamente as aulas, buscando sempre os melhores recursos
e estratégias para o ensino da LIBRAS;
ldentificar, elaborar, produzir e organizar serviços, recursos
pedagógicos, de acessibilidade e estratégias, considerando as
necessidades específicas dos alunos, elaborando plano de atuação;
Reconhecer as habilidades e necessidades dos alunos de forma a
promover o desenvolvimento, fluência e aperfeiçoamento de todos os
alunos no uso da LIBRAS;
Estabelecer a articulação com os professores das salas de aula e com
os demais profissionais da escola, visando a disponibilização dos
serviços e recursos e o desenvolvimento de atividades para a
paúicipação e aprendizagem dos alunos nas atividades escolares, bem
como parcerias com áreas intersetoriais;
Orientar os demais professores e as famílias sobre recursos
pedagógicos e de acessibilidade utilizados pelos alunos de forma a
ampliar suas habilidades, promovendo sua autonomia e participação;
Promover o ensino de LIBRAS paÍa a comunidade escolar,
profissionais e pais, bem como para os demais alunos da escola em
sala de aula para que a interlocução aconteça.
., !;
Requisitos para provimento do cargo de Professor de Libras :
Licenciatura Plena em Libras ou em Letras (LIBRAS/Língua Portuguesa
como segunda Língua); ou Licenciatura Plena em Pedagogia ou -= Írô
Normal Superior, ambos acrescidos do certificado de proficiência em §ti gE
Língua Brasileira de Sinais emitido pelo Ministério da Educação - MEC (-)s
ou por instituições credenciadas por Secretarias de Educação, ou por
Associações de Pessoas com Surdez ou Federação Nacional de
Educação e
lntegração dos Surdos FENEIS ou Centro de
-
Capacitação de Profissionais da Educação e Atendimento às Pessoas
com Surdez CAS ou Centro Municipal de Estudos e Projetos
-
Educacionais Julieta Diniz - CEMEPE.

j) Professor de Atendimento Educacional Especializado

Atribuições específicas:
Atuar com os alunos público da Educação Especial em todas as
atividades escolares nas quais se fizerem necessárias;
ldentificar, elaborar, produzir e organizar serviços, recursos
pedagógicos, de acessibilidade e estratégias considerando as
necessidades específicas dos alunos público-alvo da Educação
Especial; \l I t1
;:.,
Elaborar e executar plano de Atendimento Educacional Especializado s 6'2
avaliando a funcionalidade e a aplicabilidade dos recursos pedagógico
sTo,
e de acessibilidade;
Organizar o tipo e o número de atendimentos aos alunos na sala de

@t+
9E t.c
,2Y.
Áli
A-.
-.J O

K"''".,-'- "§/
'./
§4
tx-
Pt!ftrÍuRt Di uSEtútDtA

recursos mu ltifuncio na is;


Acompanhar funcionalidade e a aplicabilidade dos recursos
a
pedagógicos e de acessibilidade na sala de aula comum do ensino
regular, bem como em outros ambientes da escola;
Orientar professores e famílias sobre os recursos pedagógicos e de
acessibilidade utilizados pelo aluno;
Ensinar e usar a tecnologia assistiva de forma a ampliar habilidades
funcionais dos alunos, promovendo autonomia e participação;
Estabelecer articulação com os professores da sala de aula comum,
visando à disponibilização dos serviços, dos recursos pedagógicos e de
acessibilidade e das estratégias que promovem a participação dos
alunos nas atividades escolares.

Requisitos para provimento do cargo de Professor


de
Atendimento Educacional Especializado: Licenciatura Plena em
qualquer área do conhecimento e Curso de Especialização a nível de
pós-graduaçáo /aÍo sensu em Educação Especial, ou em Atendimento
Educacional Especializado, com carga horária mínima de 360
(trezentas e sessenta) horas.

NíVEL DE CLASSIFICAçÃO K

ANALISTA PEDAGOGICO
ATRTBUTÇÕES

e intervir pedagogicamente junto às unidades


Coordenar, assessorar
escolares desenvolvendo atividades voltadas pa os alunos,
professores e comunidade escolar;
Coordenar a elaboração coletiva e acompanhar a efetivação do Projeto
Político Pedagógico da unidade escolar, avaliando e reelaborando-o
periodicamente, alinhando-o às políticas públicas de educação;
Elaborar e implementar, juntamente com a equipe pedagógica da
instituição, seu Plano de Ação, tendo como referência as diretrizes para
o trabalho dos pedagogos na Rede Pública Municipal de Ensino de
Uberlândia;
Acompanhar diariamente o processo didático-pedagógico desenvolvido
no âmbito escolar por meio de entrevistas, aconselhamentos e
encaminhamentos, quando necessários, a outros profissionais; I
Planejar situações didático-pedagógicas a
partir das dificuldades\
identificadas nas avaliações, visando à aprendizagem qualitativa dos
alunos;
Proceder à análise dos dados do aproveitamento escolar, de forma a
desencadear um processo de avaliação e reflexão sobre esses dados,

,^,*Br.
r/'r. í
3

R o'sta4
g;là
7zr-
PtEtEtTt RÂ DE utERúrDtA

junto à comunidade escolar, com vistas a promover a aprendizagem de


todos os alunos:
Propiciar aos educandos a aquisiçáo de conhecimentos sobre diversas
profissões, de interesse dos mesmos, informando-os acerca de
ocupações existentes no país, requisitos para ingresso nos diversos
tipos de trabalho e sobre remunerações, ou levando-os a conhecerem
pessoalmente estes dados, para possibilitar-lhes escolhas na vida
profissional;
Auxiliar na resolução de problemas dos alunos, aconselhando-os sobre
suas condutas ou encaminhando ao especialista os casos que exigem
atendimento especial;
Promover a integração escola-família-comunidade, organizando
reuniões com os pais, professores, para possibilitar a utilização de
todos os meios capazes de realizar a educação integral dos alunos;
Coordenar e acompanhar o processo de avaliação no contexto escolar,
identificando casos que necessitam de intervenção pedagógica;
Coordenar, acompanhar, orientar e avaliar a efetivação do processo
didático-pedagógico;
Orientar o corpo docente no desenvolvimento de suas potencialidades
profissionais, assessorando-o técnica e pedagogicamente, paÊ
incentivo a criatividade, o espírito de autocrítica, o espírito de equipe e
a busca do aperfeiçoamento;
Auxiliar o processo de elaboração dos Planos de Trabalho do
professor, promovendo a melhor utilização de todos os espaços da
instltuição, como salas de aula, biblioteca, laboratórios, quadra, pátio,
dentre outros;
Promover a construção de estratégias pedagógicas para a superação
Ê
de todas as formas de discriminação, preconceito e exclusão social;
Desenvolver a formação continuada tn loco, promovendo e
coordenando reuniões pedagógicas e grupos de estudo para reflexão e
aprofundamento de temas relativos à prática pedagógica, visando à
elaboração de propostas de intervenção para a qualidade do ensino;
Subsidiar o aprimoramento teórico-metodológico do coletivo de
profissionais do estabelecimento de ensino, promovendo estudos
sistemáticos, pesquisas, trocas de experiências, debates, oficinas
pedagógicas;
Coordenar e participar de Conselhos de Classe, juntamente com os
outros membros da Equipe Pedagógica, discutindo as situações de
aprendizagem de todos os alunos e buscando estratégias para sua
5
melhoria;
.!
ldentificar junto aos professores, alunos que tenham dificuldades e/o
necessidades de atendimentos especializados, encaminhand lsTo
sempre que necessário;
Promover reuniões junto aos profissionais de serviço especializado e
v
"à,;

de apoio escolar, que atendem alunos com necessidades educativas


especiais ou alunos com dificuldades de aprendizagem, visando ao
intercâmbio de informações, à troca de experiências e à articulação do
)t'.

,.@-
igã \r"-
E*l

qd: g:'
9.4
Ú.YZ
rftnmrrlDrut ÁrDtl

trabalho pedagógico entre Educação Especial e Ensino Regular;


Auxiliar na pioÀoção das relações interpessoais no ambiente de
trabalho com colegas, alunos, pais e demais segmentos da
comunidade escolar;
Assessorar o gestor da escola nos aspectos pedagógicos, na
elaboração, no desenvolvimento e na avaliação de atividades que
buscam a integração entre a escola-comunidade, bem como entre a
escola e outras instituições afins;
Participar de eventos e cursos formação continuada;
Participar das atividades administrativas, de controle e de apoio
referentes à sua área de atuação;
Participar das atividades de treinamento e aperfeiçoamento de pessoal
tecnico e auxiliar, realizando-as em serviço ou ministrando aulas e
palestras, a fim de contribuir para o desenvolvimento qualitativo dos
recursos humanos em sua área de atuação;
Participar de grupos de trabalho e/ou reuniões com unidades da
Prefeitura e outras entidades públicas e particulares, realizando
estudos, emitindo pareceres ou fazendo exposições sobre situações
e/ou problemas identificados, opinando, oferecendo sugestôes,
revisando e discutindo trabalhos técnico-científicos, para fins de
formulação de diretrizes, planos e programas de trabalho afetos ao
MunicÍpio;
Executar outras tarefas da mesma natureza ou nível de complexidade
associadas ao seu cargo ou ambiente organizacional.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO DO CARGO

Licenciatura Plena em Pedagogia e habilitação ou Curso de


Especialização a nível de pós-graduação /aÍo sensu em Orientação
Educacional ou Supervisão Escolar, com carga horária mínima de 360 {-1 Fl
(trezentas e sessenta) horas; ou Licenciatura Plena em qualquer área
do conhecimento e Curso de Especialização a nível de pós-graduação
/aÍo sensu em Orientação Educacional ou Supervisão Escolar, com
carga horária mínima de 360 (trezentas e sessenta) horas.

INSPETOR ESCOLAR

ATRTBUTÇÕES :-\
! ü"1àn
Desenvolver atividades de natureza pedagógica e administrativa
oi,
relacionadas à legislação, estrutura, organização e funcionamento das
escolas da rede municipal, processo de ensino aprendizagem,
coordenação, assessoramento e intervenção pedagógica pêrantê as
unidades escolares;
Exercer o controle externo das escolas, tanto no domínio pedagógico
como no administrativoifi nanceiro;

,ffi'-B
Ksl: \*4
tu
zr-
PrElllutt DI uEtrúrDn

Orientar e apoiar às instituições escolares em suas ações educacionais


e exercer a intermediação entre as escolas e o sistema gestor;
Orientar, assistir e inspecionar de forma geral o processo administrativo
e pedagógico das escolas, elaborando termo de visita de forma
fidedigna;
Orientar preventivamente e normatizar as ações pertinentes aos
estabelecimentos de ensino da rede pública municipal e CEMEPE, em
conformidade com a legislação vigente;
Emitir pareceres referentes às questões educacionais para os diversos
órgãos do Município de Uberlândia, outros órgãos públicos e entidades
privadas;
Organizar e acompanhar todo o processo de atendimento à demanda
escolar como realização de inscrições, classificação dos inscritos e
efetivação de matrículas;
Colaborar com a equipe da escola em projetos e experiências
pedagógicas que proponham melhoria do processo de ensino-
aprend izagem;
Acompanhar e orientar quanto ao preenchimento correto do censo
escolar, livro de ponto, diários de classe, livro de transferências
expedidas, livro de registro de matrículas, livro de atas de resultados
finais, livro de atas de exames especiais, ficha de matrícula, histórico
escolar, ficha individual, sistema web;
Verificar sempre que necessário a documentação dos alunos, dando
atenção especial aos anos iniciais e finais e passar as orientações
necessárias;
Analisar, junto à equipe pedagógica, os casos de classificação e
reclassificação, dando as devidas orientações;
Acompanhar a elaboraçáo e implementação do Projeto Político-
Pedagógico da escola;
lncentivar, participar e apreciar as atividades culturais promovidas pela
escola, visando ao fortalecimento da relação entre família e escola;
Fiscalizar o cumprimento da legislação nas parcerias entre a Secretaria
Municipal de Educação e os membros da rede de proteção à criança e
ao adolescente;
Participar da avaliação de estágio probatório do servidor não estável
quando designado;
Analisar os laudos do servidor readaptado, verificando se as restrições
estão coerentes com o trabalho desenvolvido pelo mesmo; p o-'
-
Orientar a escola na elaboração e atualização do regimento escolar, ! üJ:)
quadro curricular e calendário escolar, resguardando as normas legais "1
vigentes, acompanhando o seu cumprimento;
Analisar, periodicamente, os resultados das avaliações escolares com
a equipe pedagógica da escola, para adoção de novas metodologias e
técnicas de ensino;
Atender as solicitações advindas da Secretaria Municipal de Educação
ou de outros órgãos na averiguação e proposição de ações para a
solução de problemas;

1"@r4

Ísõ-t:;
!-wj-/
PI:'HTUnI DT U$IúTíDII

Orientar quanto ao preenchimento de documentos referentes à


escrituração escolar;
Participar de reuniões, estudos, pesquisas, encontros e cursos de
aperfeiçoamento oferecidos pela Secretaria Municipal de Educação e
outros órgãos;
Acompanhar o trabalho de validação de atos escolares, quando
necessário;
Fazer a escrituração inerente à função e entregá-la em tempo hábil;
Participar de sindicância por determinação de autoridade competente;
Orientar o processo de autorização das escolas;
Promover a interação entre a escola e a Secretaria Municipal de
Educação e vice- versa;
Mediar a relação entre a direção das escolas e todos os setores da
Secretaria Municipal de Educação, inclusive, acompanhando a solução
das demandas apresentadas;
Promover a integração entre o pessoal da escola, proporcionado um
trabalho de equipe;
Mediar conflitos entre os vários segmentos da escola efetivando os
encaminhamentos necessários;
Zelar pela coerência da política educacional com as necessidades do
processo ensino-aprendizagem dentro da escola, com competência
técnica;
Consolidar dados estatísticos para controle, divulgação e providências
cabíveis que vislumbrem a qualidade da educação;
Assessorar pedagogicamente o processo ensino-aprendizagem dos J
estabelecimentos de ensino; .!
Colaborar com a direção da escola nas demandas necessárias do
processo educacional;
Acompanhar juntamente com o diretor da escola e a Diretoria de
Desenvolvimento Humano da Secretaria Municipal de Educação o
processo de elaboração e aplicação do fluxograma de turmas, alunos e
profissionais das escolas;
Acompanhar juntamente com o diretor da escola os cadastro de
gratificações, aumento de carga horária, bem como a regularidade de
toda movimentação de pessoal;
Participar no processo de elaboração de legislações pertinentes à
educação;
Realizar plantões de atendimento à comunidade escolar no setor de
coordenação da lnspeção Escolar; ai

Prestar assessoria ao Conselho Municipal de Educação;


2
Participar de eventos e cursos formação continuada;
Participar das atividades administrativas, de controle e de apoi o TO
referentes à sua área de atuação;
Participar das atividades de treinamento e aperÍeiçoamento de pessoal
técnico e auxiliar, realizando-as em serviço ou ministrando aulas e
palestras, a fim de contribuir para o desenvolvimento qualitativo dos
recursos humanos em sua área de atuação;

§'r=
ÍsÍõ-
%
tx-
PNtTíTURT DE

Participar de grupos de trabalho e/ou reuniões com unidades da


Prefeitura e õutras entidades públicas e particulares, realizando
estudos, emitindo pareceres ou fazendo exposições sobre situações
e/ou problemas identificados, opinando, oferecendo sugestÕes,
revisando discutindo trabalhos técnico-científicos, para Íins de
e
formulação de diretrizes, planos e programas de trabalho afetos ao
Município;
Representar Secretaria Municipal de Educação em eventos e
a
reuniões de outros órgáos, quando solicitado;
Executar outras tarefãs da mesma naluÍeza ou nível de complexidade
associadas ao seu cargo ou ambiente organizacional.

REQUISITOS PARA PROVIMENTO DO CARGO

Licenciatura Plena em Pedagogia e habilitação ou Curso de


Especialização a nível de pós-graduação lato sensu em lnspeção
Escolar, cotn cârga horária mínima de 360 (trezentas e sessenta)
horas; ou Licenciatura Plena em qualquer área do conhecimento e
Curso de Especialização a nível de pós-graduação lato sensu em
lnspeção Escolar, com carga horária mínima de 360 (trezentas e
sessenta) horas.
! 5

ST o.à
,/

.a !l
r:
!? ,:l
:!u
E-&
,r4

c,
,.6NY?r" i3{
ô' -§

\ür
^ Ju'
Y V|STO e.,1
Él'.b
trx-
PmÍ:mrrr Dr u*[ÀllDll
ANEXO V
OUADRO DE ENQUADRAMENTO NOS CARGOS

Carga
Nível de Grupo horária
Cargo semanal Especialidade anterior
Classificação Ocupacional

lnstrutor de Língua 20h lnstrutor de Língua de


Assistente de de Sinais Sinais
F Língua de
Sinais lntérprete de Língua 20h lntérprete de Língua de
de Sinais Sinais

Educador lnfantil I
2sh Educador lnfantil I
Assistente
G
Educacional ProÍissional de
Apoio Escolar 25h Educador lnfantil ll

H Professor I Professor I 20h Professor

Professor d 20h
Ciências da
Natureza

Professor de Arte 20h

Professor de 20h
Educação Física J
Docente
Professor de 20h
!9
Geografia

Professor de 20h
História
J Professor
Professor de 20h
Matemática

ProÍessor de LÍngua 20h


Portuguesa

Professor de 20h
Educação lnfantil e
1o ao 50 ano \r5
Á
PÍoíessor de Ensino 20h
Religioso

ProÍessor de lnglês 20h


,q oui

Analista Orientador Educacional


30h
Especialista Pedagógico Supervisor Escolar
K
de Educação
30h lnspetor Escolar
lnspetor Escolar

,@â,
ià#li
*"1h
,rxr
PtI':tIUtt Dt utHuxDlr

OUADRO DE ENOUADRAMENTO DOS CARGOS QUE ESTAO SOB A


ÉGIoe on LEI CoMPLEMENTAR NO 34712OO4 E SUAS ALTERAÇÕES

Carga
Nivel de Grupo horária
Cargo semanal
ClassiÍicação Ocupacional

Assistente
Educador lnfantil I
25h Educador lnfantil
Educacional

20h Professor cujo requisito de


H Professor I Professor I ingresso no cargo foi
magistério/normal

Professor de 20h
Ciências da
Natu reza

ProÍessor de Arte 20h

Professor de 20h
Educação Física Professor cujo requisito dê
Proíessor de 20h
ingresso no cargo foi
Graduação/área
Geografra

Professor de 201'l
Históna
J Professor
Professor de 20h
l\4atemática

Professor de Língua 20h


Portuguesa

Professor de 20h

Educação lnfantil e 5
ao 5o ano
1o
é
Professor de Ensino
Religioso

Professor de lnglês
20h

20h
q
Especialista de
Educação/Supervisor
30h Escolar
Analista
Especialista de
Pedagógico
Educação/Orientador
Especialista de Educacional
K
Educação
Orientador Educacional

Especialista de
30h Educação/lnspetor Escolar
lnspetor Escolar
lnspetor Escolar

.(x§'$srgir.
.9E - =a-.
9r3" tJ*.'
$.P
'&:".-';'j'
?rÍEÍrum Dl úrtutul

ANEXO VIII
QUADROS DEMONSTRATIVOS DE VAGAS DOS CARGOS

Nívêl de Cargo N' dê Grupo No de Nô de No de Cargo N' ds


Qualificação anteíor vagas Ocupacional vâgas vagas vagas Í' vagas '
oxtlntas criadas
por €ata
Lêi

lnstrutor de 14 Assistente de lnstrutor de 3


Língua de Lingua de Língua de
Sinais Sinâis 21 0 '13 Sinais
F Í\-
f-

lntérprete de lntérprete de 10
Lingua de Língua de J]
20 }:
Sinais Sinais

'+
q
Educadoí 657 !E
lnÍantil I
Educador 2189 Assistente
G lnfantil Educacional 0 0 2189

Profissional de 1532 Er;


Apoio Escolar
-5e
.r r!
àN
,r lS
H PrcÍessor I 2498 Professor I
't 366 0 1132 Professor I

Analista de lntérprete
Língua de Educacional
Novo Cargo 20 20 20
Sinais

Proíessor de '130 !
Ciências da
J Professor ll 2401 Proíessoí 0 2075 4476 Natuaeza

ProÍessor de 209
Arte

Professor de 294
Educação
Física

,*$%; (§Ü
:9.o c e
g'g t'"* §-§
(l ;
'qr-41
Nível de Cargo N' de Grupo N" d€ N" de No do Cargo N" de
Qualiricação anterior vagas Ocupacional vagaa vagas vagas r' vagas ?
êxtintas criadas
por êsta
Lei

Professor de 106
Geografia

Prcfessor de '108
História

Professor de
l\.4atêm ática

Professor de 184
Língua
Portuguesa

Professor de 2769
Educação
lnfanül e 10 ao
50 ano

ProÍêssor de 96
Ensino
Religioso

ProÍessor de 68
lnglês

Professoí de 50
Libras

Professor de 300
Atendimento
Educacional
Especializado

!
PÍofessor de 1

Filosofia

ProfessoÍ de 5
Ensino
Fundamental

úÍí\ ! G

í16õ-
Nível de Cargo N' de Grupo N' de No de N' de Cargo No de
Qualiíicação antêrior vagas Ocupacional vagas vagas vagas t' vagas ?
extintas criadas
por estâ
Lei

Professor 1000 1000


Auxiliar para
EducaÉo
lnfantil

Especjalista Analista 5'! 8


de Pedagógico
571 Especialista
K EducaÉo 0 0 571
de Educáçao

lnspetor
Escolar

1'Vagas distribuídas conforme grupos ocupacionais equivalentes e respectivos carSos


2' Número total de vagas (disponíveis e ocupadas) por cargo existente (inclui o número de vagas dos cargos
equivalentes da Lei Complementar ne 347, de 20 dê fevereiro de 2004 e suas alterações)

.ffiR;,,,
lis*/n-k"-t.'J',
, I E' ///) -"
I \"-',4t8fô §
\-{c '{í:
\- "--, ;,
.,.i ,i

ü
c
\o

r@r"
{§ cztr - 5
,3!"
YEv-*'" 4
§s=
N:':[UTT DT U]ITIiIDII
ANEXO IX

QUADROS DOS CARGOS E DAS FUNÇÕES P^ÚBLICAS OUE SERÃO


EXTINTOS OUANDO DA VACANCIA

Nivel de Grupo Ocupacional No de


Cârgo
clessificaÇão vagas

lnstrutor de Língua de Sinais


F Assistente de Língua de 3
Sinais
lnterprete de Língua de 10
Sinais

G Assistente Educacional EducadoÍ lnfantil I oJ/

H Professor I Professor I 1132

Nível de classiÍlcaÇão FunçÕes Públicas No de vagas

Professor - 01 04

H Professor - 02 02

ProÍessor - 03 - Horista 01

Professor - 04 01

!5 ti;"%.

'ce
L{
l:

AiEÍõ-
Q
g:à
r-
,'ÍÍIÍIUrl DI U'IlllrDII

exeoslçÃo DE Monvos no018/2018/sMA/cAB


Secretaria Municipal de Administração

Uberlândia, 29 de novembro de 2018


Senhor Prefeito,

Submetemos à apreciação de Vossa Excelência o Projeto de


Lei,que "ALTERA A LEI No 11.967, DE 29 DE SETEMBRO DE 2014 E
SUAS ALTERAÇOES, QUE "DISPÕE SOBRE DE O PLANO
CARREIRA DOS SERVIDORES DO QUADRO DA EDUCAÇÃO DA
REDE PUBLICA MUNICIPAL DE ENSINO DE UBERLÂNDIA E DÁ
OUTRAS PROVIDÊNCIAS", E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS".

A Secretaria Municipal de Administração, com a participação


da Secretaria Municipal de Educação, por meio de discussões e
apontamentos sobre a estrutura funcional do serviço público municipal, ra
E
encaminha o projeto de lei que tem por objetivo alterar o Plano de s*
Carreira dos Servidores Públicos do Quadro da Educação da Rede ü, 9r
Pública Municipal de Ensino de Uberlândia alterando, revogando e
inserindo novos artigos na lei que versa sobre o tema, lei no í 1.967 de 3 lii
L_
29 de setembro de 2014 e na Lei Complementar no 347, de 20 de -= É'a
r0 $,
fevereiro de 2OO4 e suas alterações. â r.:)

úà
Acreditamos, com isso, estar seguindo em direção à
concretização dos princípios da administração pública consagrados na
Constituição Federal de 1988, atendendo, simultaneamente, ao direito
coletivo dos servidores bem como o interesse público municipal em
prestar um serviço público de qualidade, além de promover a
racionalização da estrutura organizacional do quadro de servidores
públicos do município de Uberlândia. A presente matéria legislativa e
de competência privativa do chefe do poder executivo do município,
pois abrange todos os servidores públicos municipais.

Nesse sentido, os planos de caneira no serviço público no


quadro da Educação não devem ser modelos anacrônicos que
precocemênte envelhecem e se deterioram em um curto espaço de
tempo. O plano de carreira, portanto, não pode se tornar um mero
depósito de vantagens pessoais, rapidamente agregadas, desprovido

lr
de qualquer perspectiva ou estabilidade profissional e remuneratória. A

9u
r..-@*;
l=P, *' §-.
To
Kr:dr
é"à
,zraxr !I ufIlrirDu
'l$trÍurr
regulamentação do serviço público com valorizaçáo pessoal e
profissional dos servidores deve se adequar com a realidade do
município e estar em consonância com a identidade funcional que o
município deposita em seus servidores.

Por conseguinte, o plano de carreira do servidor público no


quadro da Educação deve ser base de sustentação para a
profissionalização da função pública, reconhecendo e recompensando
o desenvolvimento de talentos e de potencialidades humanas e, ao
mesmo tempo, sinalizando aos gestores, as necessidades de
melhorias e de inovações na efetividade das ações de Estado. Para
tanto, é necessário que a construção do plano de carreira resulte de
um projeto pluralizado, construído a partir de uma movimentação
intema, mas que absorva também a percepção social do resultado a
ser gerado, desenvolvida a partir de realidades Íuncionais específicas,
da cultura organizacional da instituição, posicionando-se em direção ao
interesse público. Nesse entendimento, o plano precisa estar em
sincronismo com a realidade do serviço público e a especificidade de
cada carreira.

O plano de carreira da educação estrutura-se em três


diretrizes, quais sejam: (i) a valorização do profissional da educação no
desenvolvimento de sua carreira pública; (ii) a racionalização da
estrutura organizacional do quadro de servidores públicos da educação
em consonância com os demais órgãos públicos municipais de modo a
possibilitar o funcionamento orgânico da Administração Pública; e, (iii)
oferta de educação pública básica de qualidade em sincronia com os
preceitos constitucionais, com as diretrizes da educação nacional e em
conformidade com as políticas nacionais de educação inclusiva.

Nesse sentido, todas as propostas de mudanças se dão em


acordo com estas diretrizes pré-fixadas, procurando equilibrar na
mesma equação, o atendimento educacional de qualidade, a
Íuncionalidade da educação municipal dentro dos limites econômicos e
financeiros do município, bem como a valorização do profissional da
educação municipal.

Dessa forma, a criação de conceitos adicionais no artigo 50 da


Lei 11.967 do Município de Uberlândia, referentes: (i) aos servidores
lotados na educação; (ii) ao quadro da educação; (iii) ao quadro do
magistério; e, (iv) ao conceito específico do professor refletem a
s
.á*".,., l-o'
Eiveü

W ec ;'p"

§ ÍrsÍó-
§.,4
ZxI
,Il$Ítuu DE utl[irDu
intenção desta alteração legislativa na valorização do profissional da
educação em paralelo com o melhor atendimento educacional,
estruturando as carreiras desse sistema em torno do professor, o qual
detém a função primordial nessa pirâmide, a de conduzir o processo de
ensino e aprendizagem, relacionando-se diretamente com o aluno.

Sobre as funções exercidas pelo pedagogo escolar, a proposta


pretende unir as funções do orientador escolar e do supervisor,
transformando-os em um único cargo, algo que já acontece na prática
há vários anos, assim, a mudança visa sincronizar a estrutura
organizacional das carreiras públicas à realidade do município. Um dos
sentidos da mudança é ampliar transparência na realização de
concursos públicos e na posse de servidores dessa carreira. Logo, a
criação do cargo de analista pedagógico objetiva instituir um
profissional dentro do ambiente escolar com domínio das atividades de
planejamento pedagógico, voltado tanto para os professores quanto
para os alunos da rede municipal de ensino.

A respeito da revogação do artigo que institui o percentual de


20% (vinte por cento) aos profissionais do Atendimento Educacional
Especializado - AEE, tal revogação não representa retirada de direitos
do servidor, ou muito menos, prejuízo para a prestação educacional de a.' Pl
qualidade, pelo contrário, tal disposição foi suprimida pela criação de
um cargo específico com atribuições adequadas às normas de inclusão
i
escolar.
!! {:l
ãH
A mudança, portanto, guia-se pela especificidade, pela melhor EÉ!i]
rJ
execução das atividades relacionadas ao atendimento da educação
inclusiva e pelo aperfeiçoamento dos profissionais que exercem tais
atividades, ou seja, a criação de um cargo específico para exercer
essas atribuições se dá de forma consentânea aos ditames legais
sobre o tema da inclusão, bem como resguardando o corpo funcional
da Administração.

o
plano de carreira da Educação Pública de
No mais,
Uberlândia contempla uma função essencial do Poder Público
Municipal, qual seja a promoção da educação pública, gratuita e de
qualidade. Nesse sentido, a importância e a especificidade desta
atividade exige um plano de carreira distinto do plano geral e que
atenda as circunstâncias dessa área. Portanto, o plano de carreira,
além de ser um instrumento de reitos do servidor público, é um pilar
\j5 elar,
41 .9'
J)

i>9

§ VISTO
§.4
z,aÀJaDr ttrrüfux
'tErlüu
organizacional da atividade administrativa e fio condutor paru a
efetivação do melhor interesse público.

Dentro desse mesmo entendimento, existem também as


recomendações do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais -
TCE-MG sobre o último concurso instaurado, mas não realizado por
esta municipalidade, que foi suspenso por violar diversos parâmetros
constitucionais para sua normal execução. As recomendações do
tribunal vão de encontro com a proposta da presente alteração
legislativa em vários pontos já mencionados acima. Em primeiro lugar,
a questão do total de vagas ofertadas, o concurso faz menção à parte
do edital que informa o total de vagas do cargo, sem contudo, explicitar
o número de vagas ocupadas por cada especialidade.

Em outros pontos, o TCE questiona os requisitos de acesso, a


jornada de trabalho e as atribuições. Com a presente proposta, busca-
se adequar esses pontos, inclusive na proposta existe a inserção de
capítulos específicos, como, o da jornada de trabalho, o do provimento,
o dos vencimentos e da remuneração, todos tem o escopo de
uniformizar a estrutura funcional das carreiras públicas.

Sobre a alteração dos anexos da lei, o principal fio condutor


que motiva esta proposta repousa na racionalização da Administração
Pública com adequação do quadro funcional à realidade, bem como a
promoção de correções e ajustes para aperfeiçoar a operabilidade do
serviço público e extirpar os problemas decorrentes das atribuições ' .
i

genéricas. Nesse sentido, a alteração dos anexos caminha parâ a


melhor gestão do material humano em consonância com o dever do
Município de promover educação pública gratuita de qualidade.

Por conseguinte, a alteração da nomenclatura dos anexos,


bem como do seu conteúdo em alguns casos foram pontuais
justificados pela realidade funcional do municÍpio. A mudança, nesse
contexto, vai de encontro à mudança metodológica que permeia toda a
proposta de alteração legislativa e as recomendações do Tribunal de
Contas do Estado de Minas Gerais, como por exemplo: (i) modificação
e
na classificação na estruturação dos cargos, alterando as
nomenclaturas de especialidades e carreira para, cargos e grupos
ocupacionais, respectivamente (ii) alteração do quadro funcional, com a
transformações de cargos, respeitados e mantidos os salários, as
atribuições, responsabilidades eos critérios para ingresso; (iii)
.o1

éryâ
!á ,/.ó Ed
eJecnç?
í:5"4-'4
%
zrx-
nEHrurr x úr rfuxr
alteração do quadro especial em extinção, acrescentando cargos a
este quadro, porém, respeitando os servidores que ainda pertencem a
estes, bem como retirando cargos do quadro em extinção para retorná-
los ao quadro funcional.

Por fim, em relação aos anêxos da Lei no í 1'967 de 2014' as


modificações pretendidas objetivam parametrizar o quadro funcional à
realidade do município de Uberlândia, alterando, pontualmente,
algumas atribuições. Criando o anexo de cargos que irão compor o
quadro permanente e o quadro de funções públicas que irão ser
extintos, bem como os que ficaram no quadro em extinção até sua
vacância por completo, além de um anexo que fixa um demonstrativo
de vagas existentes e preenchidas, oportunizando visualizar a
realidade e projetar o futuro funcional do quadro público de pêssoal da
Educação do município de Uberlândia.

Diante de todos os argumentos expostos, a mudança


legislativa é o meio constitucional de alterar uma situação problemática
criada por meio de uma legislação ainda em fase de inicial de vigência.
Os destinatários da proposta são os próprios servidores públicos
municipais e a atividade da administração de promover a Educação
pública de qualidade para todos os cidadãos com valorização do Íd r'.
';"
profissional da Educação.
{! f.,

A
presente alteração legislativa tem por objetivo, sanear
Er\
.\
defeitos do atual Plano de Carreira do Município de Uberlândia - MG,
criado pela Lei 11.967, de 29 de setembro de 2014, assim como,
encontrar soluções para problemas em curso e futuros contidos na
referida norma, adaptando este instrumento pa@ sua melhor
funcionalidade, e com isso, garantir a melhor gestão da Educação
municipal, primando pela valorização dos profissionais desta área.
Portanto, todos os pontos que mêrecem e devem ser adequados no
plano de carreira caminham para aprimorar a evolução funcional dos
profissionais da Educação, de quem está, e de quem pretende
ingressar, no serviço público deste município.

Os aspectos legais da proposta de alteração legislativa


encontram respaldo na Constituição da República de 1988, em seu
capítulo Vll, seção I e ll (da Administração Pública, noções gerais e dos
servidores públicos), nos artigos 37, incisos, ll, V e )(Xll e 39,
parágrafos 10 , 20 , 3o, 5o e 80. Nesse sentido , a altera visa conformar
\{

o
vrsÍo ,.
nttEruu !a llrüirxl
o plano em vigor com os preceitos da Administração Pública, bem
como alinhar o presente plano aos critérios fixados pela Constituição
de 1988.
A presente matéria é de reserva legal do poder público
municipal conforme art. 30, incisos, I e ll da Constituição da República
de 1988. Portanto, para a proposição da presente norma existe
autorização constitucional expressa que determina a competência
privativa do chefe do Poder Executivo em promover tal iniciativa,
conforme os aspêctos legais elencados no tópico acima.

Por fim, em termos quantitativos, a presentealteração


legislativa consolida o quadro funcional da Educação do município de
Uberlândia com os seguintes números:

Quantitativo

0'l Cargos criados por esta Lei 03

02 Cargos em extinção o4

03 Cargo extinto 01

04 Total de cargos 22

05 Vagas dos cargos criadas por esta Lei 2095

06 Vagas dos cargos extintas por esta Lei 2387

07 Vagas dos cargos que serão extintas quando da 1802


vacância

08 Vagas das funções públicas que serão extintas quando 08


da vacância

09 Total de vagas dos cargos 8401

10 Total de vagas ocupadas dos cargos 5131

11 Total de vagas disponíveis dos cargos 3270

Diante do exposto, restaram demonstrados os critérios que


motivaram a presente alteração normativa, e nesse sentido, ressalta-se
que a mudança é essencial para a fluidez estrutural do governo que
conduz a Administração Pública, e da mesma forma, fica evidenciado
que a alteração se guia pela valorização do serviço público e da

\ar
,: r#§'"q'
:
Ee cc^ ;'
@; ":J""'"?,b §d-
g4
tpf
xrEür Dr tatrllau
evolução funcional de suas carreiras, visando a melhor prestação à
sociedade de uma Educação pública e gratuita de qualidade.

A tabela a seguir, fomecida pela Diretoria Administrativa de


Pessoal/SMA desse Município, demonstra de forma detalhada o
impacto provisional que irá ocorrer casos todos os servidores fora do
plano façam a opção de aderi-lo:

SECRETARIA SALÁRIO SALÁRIO POS IMPACTO


ATUAL (20í8) ENQUADRAMENTO MENSAL
(lncluso encargos
previdenciários)

SM DE R$148.669,84 R$'183.375,06 R$ 51.706,30


EDUCAÇÃO

IMPACTO
ANUAL
R$689.244,98

,q

Data de referência: 11/2018 .9

Obseruações:
No impacto mensal estão sendo considerados os valores das Ê
j_1
Obrigações Patronais + Aporte 9,8196
No valor anual estão sendo considerados os valores referentes a sà
I.]à
Gratificação Natalina e !/, de Férias
Essas, Senhor Prefeito, são as razões pelas
quais
submetemos à consideração de Vossa Excelência o Projeto de Lei em
questão.
Respeitosamente,

**6/,W?",4W,^."
Secretária Municipal de Administração

C_r.t- c"r,l., ciÀ) . '


Célia Maria do Nascimento Tavares
Secretária Municipal de Educação
./.à\a
.9'o a

n9-"
n$gruu DI uüü,Àrxr

QUADRO COMPARATTVO DAS ALTERAçOES PROPOSTAS

Texto atual em vigor Proposta de alteração

..CAPÍTULO
CAPíTULO II II

DA GESTÃO, DO QUADRO DE DA GESTÃO, DO QUADRO DE


PESSOAL E DA LOTAÇÃO PESSOAL, DA COMPOSIÇÃO E
DA LOTAÇÃO'(NR)

Art. 30 ... "Art. 30 ...


Vll - garantia de programas de Vll - garantia e incentivo de
qualificação, orientados pela programas que contemplem a
educação em direitos humanos, formação continuada na área de
que contemplem a formação atuação dos servidores;" (NR)
específica e a geral, nesta
incluÍda a educação formal;

Art. 3o-A O Quadro de Pessoal


dos Servidores é composto:
l- do quadro permanente dos
cargos de provimento efetivo;
ll - do quadro em extinção dos
cargos de provimento efetivo e
função pública;
(Não há correspondência) lll - do quadro dos cargos de
provimento em comissão
instituídos por lei específica.
(artigo incluído)

Art. 4o Caberá à Secretaria "Art. 40 Caberá à Administração


Municipal de Administração em Direta Municipal avaliar, sob seus
conjunto com a
Secretaria critérios de oportunidade,
Municipal de Educação avaliar conveniência e
disponibilidade
anualmente a
adequação do
orçamentária, a
adequação do
quadro de pessoal às suas
necessidades e o
seu quadro de pessoal às respectivas

iáta.à
! S

ffi
/:
\c
ie
DI

Têxto atual em vigor Proposta de alteração

red imensionamento, necessidades e o correspondente


consideradas, entre outras, as redimensionamento,
seguintes variáveis: consideradas, entre outras, as
seguintes variáveis:
Parágrafo único. Os cargos
instituídos por esta Lei possuem
natureza transversal, exceto os .. '(NR)
cargos de Professor l, Professor
ll e Professor Auxiliar para a (Parágrafo único - revogado)
Educação lnfantil, e observados
os processos de trabalho, a
lotação dos servidores nas
unidades administrativas
constitui objeto de avaliação do
Município por intermédio da
Secretaria Municipal de
Administração, em conjunto
com a Secretaria Municipal de
Educação.
l{ .-
Art. 5o Para todos os efeitos "Art. 50 Ao Plano de Carreira -El
desta Lei aplicam-se os aplicam-se os seguintes
seguintes conceitos: conceitos:" (NR) Ê^-
i}§
| - de carreira dos
plano "l - plano de carreira: conjunto de
s*
'! llJ

servidores: conjunto de princípios, diretrizes e normas


princípios, diretrizes e normas que regulam o desenvolvimento
que regulam o desenvolvimento funcional dos servidores titulares
profissional dos servidores de cargos de provimento efetivo;"
titulares de cargos que integram (NR)
determinada carreira,
constituindo-se em instrumento
de gestão do órgão;

ll - carreira: conjunto de cargos "ll - carreirâ: desenvolvimento no


da mesma natureza de trabalho, cargo estruturado por uma matriz
hierarquizados segundo o nível de vencimento;" (NR)
de complexidade e o grau de I
responsabilidade de suas
/'$ n
atribuições, dentro do qual se
dá o desenvolvimento V"x ÍÉÍó-
profissional do servidor; \
.t 5 ,/^ç\
s .a

(!g.e
o
v
.ôJ 2
Ílíõ-
§,.à
zrI§-
PrrÍíÍutl Dt ultruÀrDu

Textq atual em vigor Proposta de alteração

lll - padrão de vencimento: "lll - padrão de vencimento:


posição do servidor na escala posição do servidor na tabela de
de vencimento da carreira em vencimento em função das
função do nível de capacitação progressões por mérito e
e cargo; capacitação profissional, cuja
diÍerença entre os padróes dar-
se-á no percentual de 2,42o/o
(dois vírgula quarenta e dois por
cento);" (NR)

lV - cargo: conjunto de "lV - cargo: conjunto de


especialidades de mesmo nível atribuições, deveres e
de complexidade, hierarquia e responsabilidades que devem ser
responsabilidades previstas na cometidos ao servidor público
estrutura organizacional, com municipal, criado por lei, número
vista a atender às necessidades certo, com denominação própria,
institucionais; carga horária de trabalho
específica e remuneração;" (NR)

V - especialidade: conjunto de
atribuições e responsabilidades (V revogado) E.ã
previstas na estrutura do cargo ',' l'l':

que atendem às necessidades t


institucionais e são cometidas
ao servidor; Eqr
õ*I
üô
*
Vl - nível de qualificação: "Vl - nível de qualificação:
posição do servidor na matriz posição do servidor na tabela de
hierárquica dos padrões
de vencimento em decorrência da
vencimento em deconência da formação escolar que superê as
capacitação por qualificação, exigências no cargo, cuja
realizada após o ingresso, que diÍerença entre os níveis dar-se-á
supere as
exigências para nos percentuais constantes no
ingresso na carreira, cargo e Anexo ll-A desta Lei;" (NR)
especialidade;

VII -
ambiente organizacional: (Vll revogado)
área específica de atuação do
servidor, integrada por
atividades afins ou
complementares, organizada a
ãl
.l 5 t4o,o(
i:
3 l>
o ,-d \o
\'^a
ni
ÍÉÍô-
,.-...

PIIÍTIIUII DI

Texto atuál em vigor Proposta de alteraçãó

partir das necessidades


institucionais e que orienta a
política de desenvolvimento de
pessoal;

Vlll - usuários: pessoas ou


coletividades internas ou (Vlll revogado)
externas que usufruem direta ou
indiretamente dos
serviços
prestados pela municipalidade;

lX -
matriz hierárquica: tabela "lX - matriz de vencimento: tabela
que compreende a hierarquia de que compreende os níveis de
vencimento básico dos cargos, classificação e de vencimento
composta por uma coluna de 23 base dos cargos, conforme
(vinte e
três) padrões de Anexo I desta Lei;" (NR)
vencimentos, conforme Anexo I
desta Lei, com diferença entre
os padrões constante
no
percentual de
2,42o/o (dois
vírgula quarenta e
dois Por
cento);

X - cargos de natureza
transversal: são aqueles cuja (X revogado)
atuação do ocupante deriva de
atividades comuns a todos ou Êfr
diversos órgãos da ÉÀ
Administração Pública .!à
Municipal, de forma sistêmica,
dentro do processo de trabalho
do Município,
independentemente do órgão de
lotação do servidor.

Xl - nível de classificação:
posição dos grupos ocupacionais
(Não há correspondência)
organizados a partir do requisito
de escolaridade, nível de
responsabilidade,
conhecimentos, habilidades
específicas, formação
especializada, risco eesforço

í.%
./Á
l§""
Í-f
l>
o-
n

"ng; i_i.iç?v
§s:Z
§.à
á\!r
Texto atual em vigor Proposta de alteração

físico para o desempenho de


suas atribuições;
(inciso incluído)

Xll - grupo ocupacional: conjunto


de cargos agrupados segundo o
requisito de escolaridade, nível
(Não há correspondência) de responsabilidade,
conhecimentos, habilidades
específicas, formação
especializada, risco e esÍorço
físico para o desempenho de
suas atribuições,
(inciso incluído)

Xlll - servidores lotados na


educação: conjunto de servidores
que atuam na educação, nas
(Não há correspondência) instituições de ensino e nos
-g ,-
órgãos da educação, exercendo
atividades-fim ou atividades-
-ci a
meio, as quais são essenciais e
necessárias ao funcionamento do 8""
sistema de ensino; incluem nesse .ttr
conceito, o magistério eo üH
pessoal de apoio técnico- Jà
administrativo e os demais
servidores do quadro geral que
atuam vinculados à Secretaria
Municipal de Educação;
(inciso incluído)

XIV - quadro da educação:


conjuntos de cargos que
compõem a estrutura da rede
(Não há correspondência) pública municipal de ensino de
Uberlândia, incluindo os cargos
do Quadro do Magistério e
demais cargos que possuem
relação com o processo de
a
{oó
! 5
íJ
l>

Çf
\o-
Ío
§,14
ú'l-f
?rrIltTul Dt uttllÁxsl

Texto atual em vigor Proposta de alteração

aprendizagem, quais sejam, o


lnstrutor de Língua de Sinais, o
lntérprete de Língua de Sinais, o
Educador lnfantil l, o Profissional
de Apoio Escolar e o lntérprete
Educacional.
(inciso incluído)

XV - quadro do magistério:
conjunto de servidores que
exercemadocênciaeas
(Não há correspondência) atividades de suporte pedagógico
dirêto à
docência, incluindo,
portanto, os
professores, os
profissionais de
direção, de
coordenação pedagógica e os de
inspeção escolar. Cabem aos
profissionais do quadro do
magistério as
atribuições de
ministrar, planejar, inspecionar,
supervisionar, orientar e gerir a
educação básica; ü ,y,
(inciso incluído)
ãr-
XVI - professor: profissional do
5es
quadro do magistério no exercício
efetivo da docência responsável
-tr
ü-E
hr-
(Não há correspondência) por realizar, implementar e ü|!
consumar o
processo de
aprendizagem dos alunos da
Rede Pública Municipal de
Ensino, ocupando a
posição
central do quadro do magistério.
A palavra docente pode ser
utilizada como sinônimo de
professor;
(inciso incluído)

XVll - hora/aula: fração de tempo


(Não há correspondência) com duração de 50 (cinquenta)
minutos em que é dividido o turno

\l5 /é
-.,1

TO
VISÍO
DI ulr[ixDu

Texto atual em vigor Proposta de alteração

escolar, destinada ao
desempenho das atividades
letivas do Professor, no exercício
da docência, com a participação
efetiva do alunono
desenvolvimento de atividades de
ensino e aprendizagem;
(inciso incluído)

XVlll - hora/atividade: consiste no


(Náo há correspondência) desenvolvimento das atividades
do Professor, no exercício da
docência, quando nas atribuições
de planejamento, estudo,
formação continuada,
colaboração com a administração
da unidade, participação em
reuniões, evento de trabalho e
outras atividades inerentes ao
Projeto Político Pedagógico da
unidade educacional.
(inciso incluído)
.h ir:
4:i
Jcê
'v {.!
Art. 6o A carreira do Quadro da "Art. 6o Os cargos do Plano de Eld
.EF
Educação da Rede Pública Carreira dos Servidores do UB
Municipal de Ensino de Quadro da Educação estão
Uberlândia é composta de 7 estruturados em 6 (seis) níveis de
(sete) cargos: classificação, F, G, H, l, J e K de
| - Educador lnfantil;
acordo com o disposto no Anexo
lll desta Lei." (NR)
ll - lnstrutor de Língua de
Sinais;
lll - lntérprete de Língua de
(incisos revogados)
Sinais;
lV - Professor ;

V - Professor
Vl - Professor Auxiliar para
Educação lnfantil;

5 it

TO
ÍÉÍõ- Jerno ,
é"4
z,,i§I
Texto atual em vigor Proposta de alteração

Vll - Especialista de Educação.


(Redação dada pela Lei
n'12.05012014)

Art. 6o-A No Plano de Carreira


dos Servidores do Quadro da
Educação cada nível de
classificação está organizado em
(Não há correspondência) 23 (vinte e três) padrões de
vencimento, em 5 (cinco) níveis
de qualificação nos níveis F, G e
H em 4 (quatro) níveis de
qualificação nos níveis l, J e K,
de acordo com o disposto no
Anexo I desta Lei.
(artigo incluído)
-ü r'
Art.7o = !,i
i,-q: Ei
(AÉ. 70 Revogado)
(Dispõe sobre as atribuições (Matéria tratada no Anexo lV) l:s
gerais dos cargos que -m
integram o Plano de Carreira,) ã,8
.3S

(Não há correspondência) CAPíTULO IV.A


DO CONCURSO PUBLICO
(capítulo incluído)

Art. 7o-A O Município de


Uberlândia deverá promover
concurso público, para
provimento de cargos vagos,
comprovada a inexistência de
(Não há correspondência)
candidatos aprovados em
concursos anteriores, com prazo
de validade em vigor.

.l

#r&
Rg/ "ú-
tu
áI(I
Texto atual em vigor Proposta de alteração

§ 1o Na realização do concurso
público, conforme as
características do cargo a ser
provido, poderão ser aplicadas
provas ou provas e títulos,
podendo ser utilizadas, também,
provas práticas ou prático-orais,
avaliação física, e avaliação
psicológica para ingresso nos
cargos de provimento efetivo.
§ 2" O concurso público terá a
validade de até 2 (dois) anos,
podendo ser prorrogada, uma
única vez, por igual período.
§ 3o As condições de realização
do concurso público e os
requisitos para inscrição dos
candidatos serão fixados em
edital que será divulgado de
modo a atender ao princípio da
publicidade.
Éd.
(aÉigo incluído)
.! lE
Art. 7o-B Fica vedada a E.ô
nomeação de candidato
aprovadoem novo concurso 'r tl
r,ts
enquanto houver candidato dul
aprovado em concurso anterior,
com prazo de validade vigente.
(Não há correspondência)
Parágrafo único. A aprovação em
concurso não gera direito à
nomeação, a qual se dará a
exclusivo critério da
Administração, dentro do prazo
de validade do concurso, na
forma da Lei.
(artigo incluído)

.,1

@q vlsÍc
\.,y
,l:ErIUll De ú]ttrlrur

Texto atual em vígor Proposta de alteração

..CAPÍTULO V
CAPÍTULO V
DO INGRESSO NO CARGO E DO PROVIMENTO NO CARGO
DAS FORMAS DE E DAS FORMAS DE
DESENVOLVIMENTO NA DESENVOLVIMENTO NA
CARREIRA CARRETRA" (NR)

Art. 8o O ingresso nos 'Art. 8o O provimento no cargo do


cargos do Plano de Carreira dos Plano de Carreira dos Servidores
Servidores do
Quadro da do Quadro da Educação far-se-á
Educação da Rede Pública no padrão de vencimento e nível
Municipal de
Ensino de de qualificação inicial do cargo,
Uberlândia far-se-á no padrão mediante concurso público, nos
de vencimento inicÍal do 1o termos dos cargos de provimento
(primeiro) nÍvel de qualificação efetivo constantes no Anexo lll e
da Tabela de Vencimentos, observados os requisitos
mediante concurso público de estabelecidos no Anexo lV,
provas ou de provas e títulos, ambos desta Lei." (NR)
observados os
requisitos
estabelecidos no Anexo lV ti
desta Lei. (§í'e §2' revogados) c: !i
.5-
§ 1o O concurso público referido -
.Ê il
no caput deste artigo poderá ser (incisos I, I!, lll, lV, V e VI É'"
realizado por
áreas de revogados) Jo
especialidade, organizado em 1 gts
(uma) ou mais fases, bem como
incluir curso formação, (matéria revogada aqui
de e
*B
conforme dispuser o Plano de tratada no capítulo lV-A)
Desenvolvimento dos
Servidores lntegrantes da
Carreira do
Quadro da
Educação da Rede Pública
Municipal de
Ensino de
Uberlândia.
§ 2o O edital do concurso
público de que trata o caput
deste artigo definirá:
l- as características de cada
fase do concurso público,
ll - os requisitos de
escolaridade;

! lré
l:l

ffi,
I>
\"
tu
,TNI
lrfimrr uarnixDll
DI

Texto atual em vigor Proposta de alteração

lll - a formação especializada;


lV - experiência profissional;
V - os critérios êliminatórios e
classiÍicatórios;
Vl - eventuais restrições e
condicionantes decorrentes do
ambiente organizacional ao qual
serão destinadas as vagas.

Art. 9o O desenvolvimento
do servidor público municipal na
carreira dar-se-á
§ 3o Progressão por qualificação
é o instituto pelo qual o servidor,
exclusivamente por progressão,
em efetivo exercício no cargo,
que poderá ocorrer nas muda de nível de qualificação, no
seguintes modalidades: mesmo cargo e nível de
I - progressão funcional; classificação, decorrente da
ll - progressão por qualificação; análisê e aprovação da
documentação que comprove a
lll - progressão por mérito conclusáo de curso de educação
profissional; formal, devidamente reconhecido
lV - progressão por capacitação pelo Ministério da Educação, que
profissional; exceda as exigências paê
V - progressão por ingresso no cargo, nos termos
desta Lei.
reconhecimento de notório
saber.

§ 10 Progressão Funcional é o § 6o Progressão por mérito i1 *
instituto pelo qual oservidor profissional é o instituto pelo qual
com mais de 3 (três) anos de o servidor, em efetivo exercício
efetivo exercício no cargo e na no cargo, muda para o padrão de
especialidade muda de vencimento imediatamente
ambiente organizacional ou subsequente, dentro do mesmo
especialidade, dentro do mesmo cargo, nível de classificação e
cargo, decorrente da obtenção nível de qualificação, a cada 2
de aprovação em processo de (dois) anos de efetivo exercício
qualificação funcional. no cargo, desde que o servidor
apresente resultado fixado em
§ 2o A progressão funcional de programa de avaliação de
que trata o artigo 1o desta Lei
desempenho.
ocorrerá a qualquer momento
da carreira em que o servidor § 70 Progressão por capacitação
estável assim o requerer e proÍissional é o instituto pelo qual

/;: -s

!e
,-< I=
''Í!
Í6Í-0- 1
g4
Z\I
Texto atual em vigor Proposta de alteração

apresentar documentação o servidor, em efetivo exercíci o


comprobatória de obtenção da no cargo, muda de padrão de
qualificação necessária à vencimento, no mesmo cargo e
mudança pretendida. nível de classificação, deconente
da obtenção pelo servidor de
§ 3o Progressão por qualificação certificação em
programa de
é o instituto pelo qual o servidor
em efetivo exercício no cargo e capacitação, compatível com o
na sua especialidade muda de cargo efetivo ocupado e a carga
nível de qualificação, dentro do horária mínima exigida,
mesmo cargo e especialidade respeitado o interstício de 2 (dois)
decorrente da obtenção de anos, no limite de 5 (cinco)
progressões, nos termos da
certificação em curso de
educação formal devidamente tabela constante do Anexo V
reconhecido pelo Ministério da desta Lei.
Educação, que exceda às ..." (NR)
exigências para ingresso na
carreira, cargo e especialidade.
(incisos I e V revogados)
§ 4o O requerimento paÍa
progressão por qualificação (§1", §2o, § 9o e § í0 revogados)
deverá ser protocolizado no
Núcleo de Protocolo da
Secretaria Municipal de
Administração, devendo ser
anexado documento hábil que
comprove a conclusão de curso
de educação formal
devidamente reconhecido pelo
Ministério da Educação, nos
termos do § 30 deste artigo.
§ 5o Deferida a progressão por
qualificação, o servidor será
posicionado no nível de
qualificação correspondente ao
grau obtido, em padrão de
vencimento na mesma posição
que ocupava anteriormente,
conforme Anexo I desta Lei,
com efeitos financeiros a partir
do primeiro dia do mês
subsequente ao protocolo do
requerimento.
§ 6o Progressão por mérito
profissional é o instituto pelo g\
.,-*i11--)-'r-
! /-:
,g ià
o Íi§iõ-
*.1b
Z\-
xiEIIun ot u!!tüxD[

Texto atual em vigor Proposta de alteração

qual o servidor em efetivo


exercício no cargo e na sua
especialidade muda para o
padrão de vencimento
imediatamente subsequente,
dentro do mesmo cargo e
especialidade, a cada 2 (dois)
anos de efetivo exercÍcio no
cargo, limitada a 17 (dezessete)
progressões, desde que o
servidor apresente resultado
fixado em programa de
avaliação de desempenho,
observado o respectivo padrão
de vencimento obtido por meio
da progressão por capacitação
profissional.
§ 7o Progressão por
capacitação profissional é o
instituto pelo qual o servidor em
efetivo exercício no cargo e na
sua especialidade muda de
padrão de vencimento, dentro
do mesmo nível de qualificação,
na mesma especialidade e n!l
cargo, decorrente da obtenção :q'

pelo servidor de certificação em
programa de capacitação, H.S
compatível com o cargo 'À
ocupado, o ambiente
organizacional e a carga horária
mínima exigida, respeitado o
interstício de 2 (dois) anos, no
limite de 5 (cinco) progressões,
nos termos da tabela constante
do Anexo X desta Lei.
§ B" O servidor que fizer jus à
progressão por capacitação
profissional será posicionado no
padrão de vencimento
imediatamente subsequente, no
mesmo nível de qualificação.
§ 9" Progressão por
,zátari]-,
5

,§ 2

o
úÉ
g,à
,zra-r
PftÍTMIrl DI UÍIIIXDII

Texto atual em vigor Proposta de alteração

reconhecimento notório de
saber é o instituto pelo qual o
servidor em efetivo exercício no
cargo e na sua especialidade
muda de nível de qualificação,
dentro do mesmo cargo e
especialidade, decorrente do
reconhecimento de competência
por notório saber, nos termos da
Lei Federal no 9.394, de 20 de
dezembro de 1996 e suas
alterações, especialmente do
parágrafo único do art. 66.
§ 10 Entende-se
por
reconhecimento de notório
saber o processo pelo qual se
reconhecem a competência, a
produtividade e a experiência
que transcedem o domínio :r
institucional e sejam de domínio
público, comprovadas por *ir
produção artística, científica ou
cultural, qualitativamente
d iferenciada e quantitativamente
i-l H
regular.
,E hl

(Não há correspondência) CAPíTULO V-A


DA JORNADA DE TRABALHO
(capítulo incluído)

Art. 9o-A Os servidores públicos


municipaisdo Quadro da
Educação da Rede Pública
Municipal de Ensino de
Uberlândia, cumprirão carga
horária de trabalho semanal,
(Não há correspondência) conforme constantes no Anexo
ilt:
-,,.-.:-\.
..1

§ I:
V j.i ai
Í6Íd r91
Texto atual em vigor Proposta dê alteração

| - instrutor de língua de sinais e


intérprete de língua de sinais: 20
(vinte) horas;
ll - educador infantile I
profissional de apoio escolar: 25
(vinte e cinco) horas;
lll - proÍessor: 20 (vinte) horas;
lV - intérprete educacional: 25
(vinte e cinco) horas;
V - analista pedagógico e
inspetor escolar: 30 (trinta) horas;

§ 1" os servidores
Para
ocupantes dos cargos de
Professor, quando em regência
de turma, % (um terço) da carga
horária semanal de trabalho
a atividades de
destina-se
planejamento, estudo,
colaboração com a administração
da unidade, participaçâo em
reuniões, eventos de trabalho e
outras atividades inerentes ao
Projeto Político Pedagógico da ET
unidade, nos termos dos limites útÀ
estabelecidos pela Secretaria
Municipal de Educação.

§ 2o As aulas dos servidores


ocupantes dos cargos de
Professor, quando em regência
de turma, serão, quando
possível, concentradas em 4
(quatro) dias da semana, desde
que não haja qualquer prejuízo
ao ensino e ao horário de aulas
dos alunos.

§ 3o Para os servidores

ffiài
p
5

-..'
'§-=it
lEã Eõr ,1
,rrrElltll !l

Texto atual em vigor Proposta de altêração

ocupantes dos cargos de


Professor, a carga horária de
trabalho de 20 (vinte) horas
semanais, poderá ser acrescida,
para regência de turma, até o
limite máximo constitucional de
40 (quarenta) horas semanais,
em caráter excepcional e
temporário, por necessidade do
serviço, com vencimento
proporcional, mediante Proposta
da Secretaria MuniciPal de
Educação.

§ 4o Para os servidores
ocupantes dos cargos de
Professor, lntérPrete
Educacional, Analista
Pedagógico e lnspetor Escolar
poderá haver a opção de jornada "g

de trabalho para 40 (quarenta) -.Ê


horas semanais nas escolas de .à fB

formação e de tempo integral, Êe1


conforme vier a ser estabelecido :", &
em regulamento. H}
IJÀ

§ 5o A jornada de trabalho dos


cargos de Professor será
estruturada em hora/aula e
hora/atividade." (NR)

(aÉigo incluído)

(Não há correspondência) Art. 9o-B Os servidores


ocupantes dos cargos de
provimento efetivo de Educador
lnfantil l, Profissional de Apoio
Escolar, lnstrutor de Língua de
./:::^,,,
/o.
g1à
,/Ya
,ftttJlull !t
Texto atual em vigor Propostâ de altêração

Sinais, lntérprete de Língua de


Sinais, Professor, lntérprete
Educacional, Analista
Pedagógico e lnspetor Escolar,
terão direito a 30 (trinta) dias de
férias anuais consecutivas,
acrescidos de 1 5 (quinze) dias de
recesso, distribuídos nos
períodos de recesso escolar, de
acordo com o interesse da
unidade escolar.
Parágrafo único. Os dias de
recesso, previstos capuÍ deste
artigo, poderão ser aumentados
em até quinze dias, desde que
este aumento seja compatível
com o cumprimento do calendário
escolar.
(aÉigo incluído)

..CAPÍTULO VI
CAPíTULO VI
DA REMUNERAÇÃO DA REMUNERAÇÃO E DO
VENCIMENTO" (NR) Idl
ÍI{a
E'À
(Não há correspondência) Art. 11-A As Tabelas de
Vencimento dos cargos, são
resultantes de uma matriz, cujo
eixo vertical reflete os padrões de
vencimento das progressões por
mérito profissional e por
capacitação e o eixo horizontal se
refere aos níveis da progressão
por qualificação.

§ 1o No eixo horizontaldas
tabelas de vencimento, os níveis
de qualificação têm, em relação
ao vencimento do
mesmo
padrão, o acréscimo em
/'-<ata
l@" 9a

.ü.

Í16Í

zrx-
x!ftmrlt Dr t l[túxDll

Têxto atual em vigor Proposta de alteração

percentuais conforme disposto no


Anexo ll-4.
§ 2o No eixo vertical das tabelas
de vencimento, os padrões têm,
em relação ao vencimento do
mesmo nível de qualificação, o
acréscimo em percentuais de
2,42% (dois vírgula quarenta e
dois por cento).
(artigo incluído)

Art. 14 Ficam mantidos o "Art. í4. Fica mantido o incentivo


incentivo de zona rural e o de zona rural, nos termos da Lei
adicional de percurso, de que Complementar no 347, de 20 de
trata a Lei Complementar no fevereiro de 2004 e suas
347 , de 2004 e suas alterações.
alterações." (NR)

ú r.:
(adicional de percurso 'l, F:
revogado) ^F,
?*
'd ô:-

Art. 15 Ficam mantidas as "Art. 1 5. Os servidores ocupantes z'


írÊ

gratificações pelo exercício em dos cargos de provimento efetivo
classe com alunos com de Professor farão jus a

1)E
necessidades educacionais gratificação no percentual de 57o
especiais em
escolas no (cinco por cento) quando
programa básico legal por e no
docência em sala de aula onde exercício da docência em turmas
se proceda a
alfabetização, de 1o Período da
Educação
conforme estabelecido no artigo lnfantil até o 2o Ano do Ensino
26 da Lei Complementar no 347, Fundamental, devidamente
de 2OO4 e suas altera@es. informadas no Educacenso, das
escolas da rede municipal de
ensino." (NR)
Parágrafo único. Para efeito da
concessão da gratificação
prevista no caput deste artigo,
cabe à Secretaria Municipal da
Educaçãoaavaliaçãoeo
acompanhamento do servidor em

É
o
= V'/4'

VISÍO
j
PMN|IUü D: UIIltlrDrr

Texto atual em vigor Proposta de alteração

exercício nas turmas em que se


processa a alfabetização." (NR)

Art. 16 Os servidores (Art. 16 revogado)


ocupantes dos cargos de
Professor l, Professor ll e
Professor Auxiliar para
Educação lnfantil readaptados
Íazem jus às gratificações
própriasda nova atividade de
que resulte a readaptação,
desde que atendidas as
condições necessárias ao seu
recebimento, conforme
regulamentação.

Art. 1 7 Os pisos remuneratórios "Á.rt. 17. A revisão do vencimento


dos servidores ocupantes dos inicial dos cargos de cada
cargos de Professor l, Professor carreira levará em conta as
ll e Professor Auxiliar para diretrizes estabelecidas pelo :: i:
Educação lnfantil, no nível de Município de Uberlândia, _i5
qualificação de graduação inclusive a sua capacidade
instituídos nesta Lei, serão, no financeira, com observância ao
mínimo, os mesmos praticados inciso X do artigo 37 da l:

no Piso Nacional da Educação. Constituição Federal de 1988."


(NR) Éh
:NY
L)a

Art. 19 O enquadramento do "Art. 19. O enquadramento do


servidor público na matÍiz servidor público municipal na
hierárquica será efetuado matriz de vencimento será
mediante opção irretratável do efetuado mediante opção
respectivo titular, observando-se irretratável do respectivo
titular,
o tempo de exercício no cargo observando-se o
tempo de
que esteja ocupando, conforme exercício no cârgo que esteja
relação constante do Anexo Vl ocupando, eo
certificado de
desta Lei, e o certificado de conclusão de curso de educação
conclusão de curso de formal devidamente reconhecido
educação formal devidamente pelo Ministério da Educação, que
reconhecido pelo Ministério da exceda o requisito de ingresso no
Educação, quê exceda o cargo, nos termos dos Anexos l,
requisito de ingresso em sua lVeVdestaLei. !

9\a r
l',)
,5
l> ;§
Y.
JP)
Íi§Íí
§;à
Ú-

Texto atual em vígor Proposta de alteração

carreira, cargo e especialidade, ..." (NR)


nos termos do § 3o do art. 9o
desta Lei.

Art. 25. A Mesa "Art. 25. Compete à Secretaria


Permanente de Negociação - Municipal de Administração, por
MPN, vinculada à Secretaria intermédio da Diretoria
Municipal de Administração, Administrativa de Pessoal ou
terá como atribuições o outro órgão que vier a substituí-
acompanhamento, a lo, o acompanhamento, a
supervisão, o assessoramento e supervisão, o assessoramento, à
a avaliação da implementação avaliação e a implementação do
do Plano de Carreira dos Plano de Carreira dos Servidores
Servidores do Quadro da do Quadro da Educação da Rede
Educação da Rede Pública Pública Municipal de Ensino de
Municipal de Ensino de Uberlândia." (NR)
Uberlândia, cabendo-lhe, em
especial:
(incisos l, ll, lll e lV revogados)
| - propor normas
regulamentadoras desta Lei
relativas às diretrizes gerais, (§ í' e § 2o revogados)
ingresso, progressão,
capacitação e avaliação de -er §
desempenho;
ll -acompanhar a ã!r
implementação e propor Ê9r
alteraçôes no Plano de Carreira :!
td
dos Servidores do Quadro da
;rl

Educação da Rede Pública
ris
Municipal deEnsino de
Uberlândia;
lll - avaliar anualmente as
propostas de lotação dos
cargos, conforme parágrafo
único do artigo 4o desta Lei;
-
lV examinar os casos
omissos referentes ao Plano de
Carreira dos Servidores do
Quadro da Educação da Rede
Pública Municipal de Ensino de
Uberlândia, encaminhando-os à 5.

apreciação dos órgãos (;

i: o a.
l> {
\ VISIO
coQ
§."tà
,fIIrI
Texto atual em vigor Proposta de alteração

competentes.
§ 10 Para o trabalho de
supervisão do Plano de Carreira
dos Servidores Públicos do
Quadro da Educação da Rede
Pública do Município de
Uberlândia, o número de
membros, a Íorma de
designação, a duração do
mandato e os critérios e
procedimentos de trabalho da
Mesa Permanente de
Negociação - MPN serão
estabelecidos em regulamento.
§ 20 Os integrantes da
Mesa Permanente de
Negociação - MPN não
perceberão qualquer forma de
remuneração por esta atividade,
seja na forma de jeton,
gratificações por desempenho
de função ou outras similares.

jl
Art. 27 Respeitadas as jornadas an

especiais eas autorizações (Aft. 27 revogado matéria pF


legais para aumento de carga tratada no Capítulo V-A)
e EÊI
õF
horária, os servidores públicos E
municipais do
Quadro da
Educação cumprirão as
seguintes jornadas de trabalho
semanais:
l- Educador lnfantil: 30 (trinta)
horas;
l- Educador lnfantil: 25 (vinte e
cinco) horas; (Redação dada
pela Lei n' 12.31612015)
ll - Professor I e ProÍessor ll: 20
(vinte) horas;
lll -Professor Auxiliar para
Educação lnÍantil: 30 (trinta)
horas; 5
Á
ara

é'
t+ ..,1
t>
\ vlsÍo
é"1à
Z\-
Texto atual em vigor Proposta de alteração

lV - Pedagogo: 30 (trinta) horas,


ressalvado o disposto no
parágrafo único do art. '13 desta
Lei;
lV - Especialista de Educação:
30 (trinta) horas, ressalvado o
disposto no parágrafo único do
art. 13 desta Lei; (Redação
dada pela Lei n' 12.05012014)
V- lnterprete de Língua de
SÍnais e lnstrutor de Língua de
Sinais: 20 (vinte) horas.
- No caso dos
Parágrafo Único
servidores ocupantes dos
cargos de Professor l, Professor
ll, Professor Auxiliar para
Educação lnfantil e de
Pedagogo poderá haver a
opção para 40 (quarenta) horas -s
1- ç-
nas escolas de formação e de .ú Fl
tempo integral, conforme a ser
estabelecido em regulamento.

- No caso dos
Parágrafo Unico
servidores ocupantês dos Ilr
E-E
cargos de ProÍessor 1, Ê
Professor ll, Professor Auxiliar
para Educação lnfantil e de
Especialista de Educação
poderá haver a opção para 40
(quarenta) horas nas escolas de
formação e de tempo integral,
conforme a ser estabelecido em
regulamento. (Redação dada
pela Lei no 12.05012014)

Art. 28 Para os servidores (AÉ. 28 revogado e


matéria
ocupantes dos cargos de tratada no Capítulo V-A)
Professor l, Professor e ll
Professor Auxiliarpara
Educação lnfantil, quando em
regência de turma, um terço da
jornada semanal de trabalho Á
!

6n
stô
C
i-o
c^.'í -.{

VISTO

I c
Texto atual em vigor Proposta de alteração

destina-se a atividadês de
planejamento, atualização,
pesquisa, produção coletiva,
formação permanente,
colaboração com a
administração da unidade,
participação em reuniões,
eventos de trabalho e outras
atividades inerentes ao Projeto
Político Pedagógico da unidade,
nos termos dos limites
estabelecidos pela Secretaria
Municipal de Educação, para
cada nível de ensino, tipo de
unldade e atividade do servidor.
(Redação dada pela Lei no
12.05012014)
o As aulas dos servidores
§ í
ocupantes dos cargos de
Professor l, Professor ll e
Professor Auxiliar para
Educação lnfantil serão, quando
possível, concentradas em
quatro dias da semana, desde
que não haja qualquer prejuízo ê*
,!Ê
ao ensino e ao horário de aulas
dos alunos. EÀ
-8S
§ 20 Dois terços das horas
destinadas a atividades
pedagógicas consideradas
extraclasse poderão ser
cumpridas, da forma e no local
que melhor convier ao docente.

Art. 28-A Dentre as 25 (vinte e (Art. 28-A revogado)


cinco) horas semanais da
jornada de trabalho do cargo de
Educador lnfantil, conforme
disposto no inciso I do arl. 27
desta Lei, 01 (uma) hora deverá
a
ser dedicada estudos e
formação continuada, a
ser 5
realizados na própria escola
l,e,\ alt
.ü.
/,1
t) )
F vlsro
§,4
ZIII
?t*ütutl Dr uttltttBt

Texto atual em vigor Proposta de alteração

onde o servidor se encontra


lotado, conforme determinação
do Diretor da respectiva unidade
escolar, ou em outro local
previamente designado pela
Secretaria Municipal de
Educação, desde que não seja
prejudicado o integral
atendimento aos alunos
(Redação acrescida pela Lei no
12.31612017)

Art. 29 Os servidores ocupantes (Art. 29 revogado e matéria


dos cargos de provimento tratada no Capítulo V-A)
efetivo de Professor l, Professor
ll, Professor Auxiliar para
Educação lnfantil, Especialista
de Educação e Educador lnfantil
terão direito a 30 (trinta) dias de
férias anuais consecutivos,
acrescidos de 15 (quinze) dias
de recesso alternados, ãE
.5 r-
distribuídos nos períodos de
recesso escolar, de acordo com =-
o interesse da unidade.
(Redação dada pela Lei no
ʧ
12.31712015) "à
o Os demais servidores do
§ í
Quadro da Educação da Rede
Pública de Ensino do Município
de Uberlândia têm direito a
trinta dias de férias anuais.
§ 2" Os dias de recesso,
previstos neste artigo, poderão
ser aumentados em até quinze
dias, desde quê este aumento
seja compatÍvel com o
cumprimento do calendário
escolar de duzentos dias letivos.
§ 3o Os demais servidores do
Quadro da Educação em
exercício efetivo nas unidades
educacionais da Secretaria
.-:íiii--:-/. -ã,\
o? r
a,

A
cnq
(.---'
!t

Texto atual em vigor Proposta de alteração

Municipal de Educação poderão


ter até quinze dias de recesso
alternados, distribuídos nos
períodos de recesso escolar, de
acordo com o interesse da
unidade, desde que, seja
compatível com o cumprimento
do calendário escolar.
§ 4o O recesso de que trata este
artigo será garantido também
aos servidores contratados por
tempo determinado para
exercerem funções
correspondentes, nos termos da
Lei no 9.626, de 22 de outubro
de 2OO7 e suas alterações.
(Redação acrescida pela Lei no
,n ]
12.317t2015) !l

Art. 30 Em virtude do que (Art. 30 revogado)


dispõe o art. 30 c/c o art. 61, lll
da Lei Federal no 9.394 de 20
de dezembro de 1996 ê suas
alterações, os servidores : à
públicos municipais ocupantes ,. Ê:
úu
do cargo de provimento efetivo
cie Educador lnfantil, na
especialidade Educador lnfantil
ll, poderão valer-se do acúmulo
de cargos públicos previsto no
arl. 37, XVI da Constituição da
República Federativa do Brasil.

Art. 31 Ficam criados e "Art. 31. Ficam dispostos os


incluídos no Quadro de Pessoal respectivos quantitativos dos
do MunicÍpio, com seus cargos de provimento efetivo,
respectivos quantitativos, os constantes do Anexo Vlll." (NR)
cargos de provimento efetivo
constantes no Anexo Vlll desta
Lei, a ser providos mediante
concurso público.
I
a a o
--t

P vlsÍo
oflq
tu
,ru-
?r$Írult Dr urntixDll

Têxto âtuâl em vigor Proposta de alteração

Art. 31-A Ficam transformados os


(Não há correspondência) cargos, e
distribuídas as
respectivas vagas, nos Grupos
Ocupacionais e
cargos
equivalentes, nos termos do
Anexo Vlll.
(artigo incluído)

4t1.32 "Art.32

Parágrafo único. Os
cargos Parágrafo único. O total de vagas
constantes no Anexo Vlll desta dos cargos constantes no Anexo
Lei abrangem os
cargos Vlll
desta Lei
abrangem o
descritos nos Anexos das Lei número de vagas dos cargos
Complementar no 347, de 20 de descritos nos Anexos da Lei
fevereiro 2004 de e
suas Complementar no 347, de 20 de
alterações. fevereiro 2004 de suas e
alterações." (NR)

Art. 33. As especialidades 'Art. 33. Os cargos e vagas .5 ,-.:,

relacionadas no Anexo lX que a relacionados no Anexo lX desta


esta se integra serão extintas à Lei serão extintos quando da
medida de sua vacância, sendo gN
1!É
ocorrência de sua vacância, e as
as vagas aproveitadas para os
funções públicas previstas, 3ts
cargos equivalentes do Plano
de Carreira dos Servidores do quando do desligamento.
Quadro da Educação da Rede Parágrafo Único. As ocorrências
Pública Municipal de Ensino de dispostas no caput deste artigo
Uberlândia, cuja referência se
encontra no Anexo V desta Lei. referem-se, no que couber, às
hipóteses elencadas no art. 47 da
Lei Complementar no 040, de 05
de outubro de 1992 e alterações."
(NR)

(Não há correspondência) Art. 33-A Fica extinto cargo de o


provimento efetivo Professor
Auxiliar para Educação lnfantil e 5

STO
/oJ I

'À'3/ =
e.] on/ VISÍO
§.1à
áEI
,tt,llluRl

Texto atual em vigor Proposta de alteração

suas 1.000 (mil) vagas, nos


termos do Anexo Vlll desta lei.
(artigo incluído)

(Não há correspondência) Art. 33-B Ficam extintas 11


(onze) vagas do cargo
de
provimento efetivo de lnstrutor de
Língua de Sinais, nos termos do
Anexo Vlll desta lei.
(aÉigo incluído)

(Não há correspondência) Art. 33-C Ficam extintas 10 (dez)


vagas do cargo de provimento
efetivo de lntérprete de Língua de
Sinais, nos termos do Anexo Vlll
desta lei.
(aÉigo incluído)

lq
(Não há correspondência) Art. 33-D Ficam extintas 1366
(mil trezentos e sessenta e seis)
1' g.l
vagas do cargo de provimento ÉLa
efetivo ProÍessor l, nos termos do
Anexo Vlll desta lei.
,u*
(artigo incluído)

À
(Não há correspondência) Art. 33-E Ficam transformadas as
especialidades, nos respectivos
cargos de provimento efetivo, nos
termos do Anexo V desta lei.
(artigo incluído)

(Não há correspondência) Art. 33-F Fica alterada a


denominação do cargo de
provimento efetivo de Educador
lnfantil ll para Profissional de
Apoio Escolar, conforme disposto

/a ?ta
/."' sTo
o
Íl
t
a
7 ꤗ- ,?,
Texto atual em vigor Proposta de alteÍação

nos Anexos lll, V e Vlll, e


respectivas atribuições
constantes no Anexo lV desta lei.
(artigo incluído)

(Não há correspondência) Art. 33-G Fica criado o cargo de


provimento efetivo de lntérprete
Educacional na Estrutura do
Plano de Careira dos Servidores
do Quadro da Educação da Rede
Pública Municipal de Ensino de
Uberlândia, do Grupo
Ocupacional de Analista de
Língua de Sinais.

§ 1o Ficam criadas 20 (vinte)


vagas do cargo indicado no caput
deste artigo, conforme disposto
no Anexo Vlll desta lei.

§ 2o As atribuições do cargo
indicado no caput encontram-se
oÉ:
previstas no Anexo lV desta lei.
(artigo incluído)
l:

rrF
(Não há correspondência) Art. 33-H Ficam criadas 2081 EH
EH
(duas mil, e oitenta e uma) vagas
para os cargos de Professor,
conforme disposto no Anexo Vlll
desta lei.
(aÉigo incluído)

Art. 33-l Fica criado o cargo de


provimento efetivo de Professor
de Libras na Estrutura do Plano
de Carreira dos Servidores do
Quadro da Educação da Rede
(Não há correspondência) Pública Municipal de Ensino de
Á ! s

0.
al ô *í-
ÍÉÍ-o-
q

Texto atual em vígor Proposta de alteração

Uberlândia, do Grupo
Ocupacional Professor.
Parágrafo Unico. As atribuições e
vagas do cargo de que trata o
capuÍ deste artigo encontram-se
previstas respectivamente nos
Anexos lV e VIll desta Lei." (NR)
(aÉigo incluído)

(Não há correspondência) "Art. 33-J Fica criado o cargo de


provimento eÍetivo de Professor
I
de Atendimento Educacional
Especializado na Estrutura do
Plano de Carreira dos Servidores
do Quadro da Educação da Rede
Pública Municipal de Ensino de
Uberlândia, do Grupo
Ocupacional Professor.
Parágrafo Unico. As atribuições e -rÃ
\rJ t:l
vagas do cargo de que trata o
ii ti
capuÍ deste artigo encontram-se
previstas respectivamente nos 5gr
Anexos lV e Vlll desta Lei." (NR) }EI
(artigo incluído) TÀ

(Não há correspondência) Art. 33-K Ficam transformadas as


especialidades de Orientador
Educacional e Supervisor Escolar
no cârgo de provimento efetivo
de Analista Pedagógico, nos
termos do Anexo lll, e atribuiçôes
constantes no Anexo lV desta lei.
(aÉigo incluído)

(Não há corres pondência) Art. 33-L Fica declarada a


desnecessidade dos cargos de pal
!5
\ -/í.-§
6
l1
E a
.À'f/ VISÍO

7ea a/
Texto atua! em vigor Proposta de alteração

Professor de Filosofia e Professor


de Ensino Fundamental, com o
aproveitamento de seus
ocupantes em outros cargos, nos
termos do §3o, do art. 41 da
Constituição Federal.
(artigo incluído)

Art. 34 A Administração Pública (Art. 34 revogado)


Municipal, no prazo de'l (um)
ano a contar da publicação
desta Lei, promoverá avaliação
e exame da política relativa aos
contratos de prestação de
serviços por tempo determinado
e à criação e extinção de
cargos.

(Não há correspondência) Art. 35-A Aos servidores titulares


de cargo efetivo do quadro da
Educação que não Íizeram a -q

adesão ao Plano de Carreira e *R


desejarem exercer o respectivo
direito mediante Termo de d+::
Adesão, fica concedido novo leq
prazo de 60 (sessenta) dias, a '.! E
contar da publicação do edital H§
convocatório, conforme

disposições do enquadramento
que trata esta lei.
§ transcurso do novo prazo
1o No
de adesão, os servidores que
exercerem seu direito ficam
submetidos às regras do Plano
de Carreira com suas devidas
alterações, desvinculando-se
automaticamente das disposições
anteriores que tratam sobre o
tema ou que contrariem as
normas aqui dispostas
§ 2" O efeito financeiro contar- !

o8
,"*

-ir§ó-
Texto atual em vigor Proposta de alteração

á a partir do primeiro dia do mês


subsequente a entrega do termo
de adesão, submetendo-se a
todos os dispositivos contidos
neste Plano de Carreira, bem
como suas alterações.
§ 3o Aos servidores que, no
transcurso do novo pÍazo
estabelecido em edital
convocatório, estiverem
impossibilitados de exercerem
seu direito de adesão por motivo
de licença, o prazo de 60
(sessenta) dias ficará suspenso
enquanto perdurar a situação.
(artigo incluído)

Art. 36 Os ambientes (Art. 36 revogado)


n
organizacionais dispostos no í1 .,-
Anexo ll que a esta se integra
serão revistos quando do É o"'
estabelecimento do Plano de .* ti
Desenvolvimento dos
-E es
integrantes do Plano de Carreira
-f1
dos Servidores do Quadro da iB
f,P
Educação da Rede Pública "jlB
Municipal de Ensino de
Uberlândia prevÍsto no artigo 26
desta Lei.

(Não há correspondência) Art. 2o Ficam revogados os


seguintes dispositivos da Lei no
11.967, de 29 de setembro de
2014 e suas alterações:
| - parágrafo único do artigo 4o;

ll - incisos V, Vll, Vlll e X do


artigo 50;

lll - incisos l, ll, lll, lV, V, Vl e Vll !

,4(er aÍt 5To


/n'q
2
E
,' ao/ V!STO
Texto atual em vigor Proposta de alteração

do artigo 6o;

lV - artigo 7o;
V - §1" e §2o, bem como os
incisos l, ll, lll, lV, V e Vl do artigo
Bo;

Vl - incisos I e V, bem como o


§1o, §2o, §9o e §10 do artigo 90;
Vll - artigo 16;
Vlll - incisos I, ll, lll e lV,
bem
como o §1o e §2o do artigo 25;
lX - artigo 27;
X - artigo 28;
Xl - artigo 28-A;
X - artigo 29;
Xl - artigo 30;
Xl - artigo 34;
Xll - artigo 36;
Xlll - Anexo ll.
(artigo incluído)

(Não há correspondência) Art. 3o Ficam revogados os


seguintes dispositivos da Lei
Complementar n" 347, de 20 de
fevereiro de 2004 e suas
alterações:
| - §4o do atligo 22;
ll - inciso I, §2o e §3o do art. 26.
(artigo incluído)

(Não há correspondência) Art. 40 Fica acrescido à Lei no


11.967, de 29 de setembro de
2014 e suas alterações, o Anexo !
5
*
ffi
arla
,f/
t_'
P
t<
fc-
é:à
á\r
trtftÍTull Dt uSt ,lxDll

Texto atual em vigor Proposta de alteração

ll-A nesta Lei.


(artigo incluído)

QUADRO COMPARATTVO DAS ALTERAçOES PROPOSTAS NOS


ANEXOS

Texto atual em vigor Proposta de alteração

ANEXO I ANEXO I

MATRIZ HIERARQUICA E TABELA TABELAS DE VENCIMENTO


DE VENCIMENTO BÁSICO DOS BASE DOS CARGOS
CARGOS (Nova redação exercício 20í 8)

t
ANEXO II
ti ...
LISTA DE AMBIENTES (Anexo revogado)
ir8
ORGANIZACIONAIS
5 -."
HE
c--
ANEXO II-A 'vtj
(Não há correspondência) QUADRO DE PERCENTUAIS e8
L' Sl
DE PROGRESSÃO POR
ouALrFrcAÇÃo
(Anexo incluído)

ANEXO III ANEXO III


LISTA DE CARGOS E
QUADRO GERAL E CARGA
ESPECIALIDADES DO PLANO DE
HORÁRIA DOS CARGOS
CARREIRA
(Nova redação -
Red im e ns ion ame nto dos
cargos e inclusão de carga
horária)

ANEXO IV ANEXO IV
DESCRTÇÃO DAS ATRTBUTÇÕES DESCRTÇÃO DAS
el
ó
larr
Ç\

É
VI
.'.V
n/ VISTO
P$llm,lt DI

Texto atual em vigor Proposta de alteração

DAS ESPECIALIDADES ATRTBUTÇÔES DOS CARGOS


(Nova redação - alterações
nas atribuições e requisatos
para provimento nos cargos)

ANEXO V ANEXO V
TABELA DE ENQUADRAMENTO QUADRO DE
DE CARGOS E ESPECIALIDADES ENQUADRAMENTO NOS
CARGOS
(Nova redação -
Redimensionamento dos
cargos, alteração de
especialidade para cargo,
previsáo para novas adesões)

ANEXO VIII ANEXO VIII


QUANTITATIVO DE VAGAS QUADRO DEMONSTRATIVO
EXISTENTES E CRIADAS DE VAGAS DOS CARGOS
(Nova redação -
Redimensionamento de
cargos e vagas)

ANEXO IX ANEXO IX
TABELA DE ESPECIALIDADES QUADROS DOS CARGOS E
QUE SERAO EXTINTAS QUANDO DAS FUNÇÔES PUBLICAS
DAVACÂNCA COM QUE SERAO EXTINTOS
APROVEITAMENTO DAS VAGAS QUANDO DA VACÂNCIA
PARA O CARGO CRIADO POR (Nova redação -
ESTA LEI Red imensionamento de
cargos e inclusão das
funções públicas em
extinção)
I

C-.1cc,'4r]s\,ür,,---l
v retra aSi zo Célia Maria do Nascimento Tavares
Secretária Municipal de Secretária Municipal de
Administração Educaçáo

I
t:t

I
É'-"'1à
,rI- Dr urrlirDü
'lffrÍruu

PARECER NO 01 8/20.18/SMA
Secretaria Municipal de Administração
Uberlândia-MG, 29 de novembro de 2018.

Referência: EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS No 0í8/2018/SMA

I. RELATORIO.
Trata-se de Projeto de Lei que tem por objetivo, alterar o
Plano de Carreira do MunicÍpio de Uberlândia - MG, criado pela Lei
1 1.967 de 29 de setembro de 2014.

É o relatório, passa-se a opinar.

rt. FUNDAMENTaçÃo.
a
manifestação ln casu
lnicialmente, registre-se que
cinge-se à análise dos aspectos de constitucionalidade e legalidade da
proposição apresentada, bem como da observância da técnica ÊF,
,! tl
legislativa, à luz da ordenamento jurídico vigênte, não adentrando,
portanto, em aspectos relativos ao mérito, à conveniência e à E!4
oportunidade da prática da proposta, que estão reservados à esfera
discricionária do gestor público competente, tampouco examinar
questões de natureza eminentemente técnica, administrativa e/ou
financeira.
Os aspectos legais da proposta de alteração legislativa
encontram respaldo na Constituição da República de 1988, em seu
capítulo Vll, seção I e ll (da Administração Pública, noções gerais e dos
servidores públicos), nos artigos 37, incisos, ll, V e XXll e 39,
parágrafos 10 , 20 , 3o , 50 e 80.
As alterações propostas visam sanar as irregularidades
apontadas pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais,
conÍorme decisão e
relatório técnico emitido nos autos da
Representação no 997.592, na Ação Civil Pública no 5015313-

@
l*ã c,.< ;-
aP'g
?

c
a ulo '

R=ei'
§à
Ú'À-tl:rüirxr
,ünnúll Dr

48.2016.8.13.0702 proposta pelo Ministério Público Estadual, bem


como adequar a legislação aos princípios norteadores da
Administração Pública e às necessidades do Município, inclusive com o
redimensionamento do quadro de pessoal a vista da grave crise
orçamentário-financeira.

Nesse sentido, a alteração visa conformar o plano em vigor


com os preceitos da Administração Pública, racionalizar a estrutura
organizacional do funcionalismo público, bem como alinhar o presente
plano aos critérios fixados pela Constituição de 1988.

Sobre o aspecto formal da proposta, a presente matéria é de


reserya legal do poder público municipal conforme art.30, incisos, le ll
da Constituição da República de 1988. Portanto, para a proposição da
presente norma existe autorização constitucional expressa quê
determina a compêtência privativa do chefe do Poder Executivo em
promover tal iniciativa, conforme os aspectos legais elencados no
tópico acima.

Sobre os aspectos materiais, as alterações não ferem direitos


ou princípios constitucionais, visto que não restringe direitos dos
servidores, ou criam obrigações inconstitucionais a estes ou ao
município. Nesse sentido, em todas as mudanças propostas, o objetivo
é adequar o presente texto à realidade do município, corrigindo
imprecisões observadas com a prática e a vigência da lei atual,
contudo, sem atingir núcleos de direitos conquistados ou violar
preceitos fixados na Constituição da República de 1988. kti
E ,lr

ilt. coNcLUSAO.

Ante o exposto, conclui-se pela constitucionalidade formal


e material e legalidade da proposta sob exame, não se vislumbrando,
por conseguinte, óbice jurídico ao u trâmite

Paulo Henriq e Soares tsTO /


"9:
Assessor Jurídico
,ie\i rrrA
?
l
iQ.no
(
I=9 ni

§",4-
ESTIMATIVO IMPACTO ORÇAMENTÁRIO
PREFEITL'RA MUNICIPAL DE I]BERLÂNDIA
AlteÍação da Lei Municipal n' I1.966. de 29 de setembro de 2014

I]STIMA'I'IVÀ DO IMPACTO
ORÇANIT]NTÁRIO IMPÀCTO
RCÀI,IZADO / PRO.IETÀDO
PR(X;R^IrAÇÃO OR(rA\,rrNl ÁRrA (jânêiro x novembro-201t / 2019)
- A fXf,CtlTAR (irneiro s ORÇAMENTÁRIO
dezcmbro/2019)
VALOR ÀNUAL
M€nsal r]XI]RCÍCIO EXERCíCIO
A EXECUTAR
ORÇADO PROJETADOT (incluso €ncargos 2020 2021
tJnidade Subunidadc Função Subfunção Programa Ação Ficha s.\t.rx) previdencirírios)
(inclüso 13" saláÍio e
(rnuâl) (rnuâl)
rnusl - 2019 rnurl - 2019
l/3 de férias)
07 0l t2 365 2002 2.30t 7061 100 57.246.000,00 76.681 .362,t I -19.435.362.11 51.706,30 R$ 689.244,9t 749.071,44 t46.675,45
57 246 00U.00 76.68r.162.r r -19.435.362.11 5t_706_-10 RS 6Ít9-24,í.98 RS 749 071 44 RS 846.675.45
a.
+Calculado com base na média executâdâ nos meses dejâneio a novembro/2ol8 mais a sua estimativa até dezembro 20r8, paÍa pÍojeção de gastos em 2019

FON'I'I.] DE RE(]T]RSOS
FUNCIONAL PROGRÁMÁTICA FONTf
l.lnrdâde
o7
Subunidade
0l t2 ,r6l 2001 2295
Frcha
6801
Fonte

t'o t AL
l0l -20 124.607 ,09
-2t.t21.601.01)
I
DECL.{RAÇAO:

Orçamenúrias para 2019 e 853. de 14 de dezembro de 2017 - Plano Plurian!3'l2018-2021

UbeÍlândia, 30 dc 8

c-íi-

de FiÍEílFs
ꤛ-

Caarra lfuniriffil dê l,lLê rLa.Éi:ri

wkq$ lÊlw mÍirl


É!4à
ZR-
PNl'EIIURÀ DE UB!'TÂ[DIÀ

DECLARAÇÃO

A Secretária Municrpal de Educaçáo no uso de suas


atribuiçÕes legais DECLARA, referente à Exposição de lVlotivos no
018/2018/SIMA que o orçamento comporta a realização dos dispêndios
previstos e que, em atendimento ao disposto na Lei Complementar Federal no
101, de 4 de maio de 2000 e suas alterações - Lei de Responsabilidade Fiscal,
as despesas do Projeto de Lei em questão têm adequação orçamentário-
financeira na LOA - Lei Orçamentária Anual conforme projeto encaminhado à
Câmara lVlunicrpal para aprovação, na LDO - Lei de Diretrizes Orçamentárias
para2018 - Lei Municipal no 12.769, de g de agosto de 2Oj7 -, e no ppA -
Plano Plurianual 2018-2021 - Lei Municipal no 12.853, de 14 dezembro de
2017

Motivos supracitado 0," tl:f


J""1,'"".:i"J"[
SETEMBRO DE 2014 E SUAS ALTERAÇOES, QUE "DtSpÕE SOBRE O
gãr:13Ê':?"JE
l'"llTil
PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DO QUADRO DA EDUCACÃO
DA REDE PUBLICA NNUNICIPAL DE ENSINO DE UBERúNDIA E,DÁ
OUTRAS PROVTDÊNCtAS', E DA OUTRAS pROV|DÊNCtAS parte integrante
do referido Projeto de Lei, e dos cálculos dos valores estimatúos do impacto
orçamentário/financeiro apresentados sobre os gastos com pessoal e encargos
sociais, para o exercício de 2019, da Administração Direta, cujas despeÁas
neste exercício financeiro, correrão por conta da dotaçâo orçamentária.
12 365 2002.2.301, UO: 07, UA: 01.

Uberlândia-tt/G, 27 de novembro de 2018

< .. ( _-
^s.., ,.i r çu r.
CELIA MARIA DO NASCIMENTO TAVARES
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
30t11t2UA Lei Ordinária í1967 2014 de Uberlândiâ [.4G

rÂrlers
\v §U
zr§s
www.LeisMunicipais.com.br

versão consol'idada, com alterações até o dia 07/12/2075

LEI NO 11.967, DE 29 DE SETEMBRO DE2014,

orspÕe soBRE DE o PLANo


CARREIRA DOS SERVIDORES DO
euADRo DA EDUcAÇÃo REDE
púeLrcn MUNtctPAL DE ENStNo DE
ol
ueeRLÂNorl
pnouoÊHcras.
E oÁ ourRAs

O PREFEITO MUNICIPAL, Faço saber que a Càmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte Lei

Capítulo I
DAS DISPoSIÇÔES PRELIMINARES

Esta Lei dispõe sobre o Plano de Carreira dos Servidores do Quadro da Educação da Rede
Pública Municipal de Ensino de Uberlândia, composto pelos cargos de provimento efetivo detalhados
no Anexo lll desta Lei.

AÍ1. 2" O Plano de Carreira dos Servidores do Ouadro da Educação da Rede Pública l\íunicipal de
Ensino de Uberlândia aplica-se a todos os servidores públicos da Educaçáo dos quadros permanente e
em extinção ê função pública, aos aposentados e pensionistas, respeitada, em todos os casos, a
opÇão prevista no Capítulo Vll desta Lêi.

Parágrafo único. Esta Lei aplica-se aos lnstrutores de Língua de Sinais, aos lntérpretes de LÍngua de
Sinais e aos Educadores lnfanlis com suas reclassiíicações.

Capítulo ll
DA GESTÃO DO QUADRo DE PESSoAL E DA LoTAçÃo

Ertr-l A gestão dos cargos do Plano de Carreira dos Servidores do Quadro da Educação da Rede
Pública Municipal de Ensino dê Uberlândia observará os seguintes princípios e diretrizes:

| - natureza, função social e objetivos do Município;

ll - dinâmica dos processos de trabalho nas diversas unrdades administrativas e as competências


específi cas deles decorrentes;

lll - qualidade, reÍerenciada socialmente, do processo de trabalho com garantia dos padrões de ensino-
aprendizagem e o projeto político pedagógico de cada unidade educacional;

lV - vinculação ao planejamento estratégico participativo e ao desenvolvimento da gestão pública


cidâdã:
30t11t2018 Lei Ordinária íí967 2014 de Ubeíândia MG
V - investidura em cada cargo condicionada à prévia aprovaÉo em concurso público de provas ou de
provas ê títulos;

Vl - desenvolvimento do servidor vinculado aos ob.jetivos institucionais;

Vll - garantia de programas de qualificação, orientados pela educação em direitos humanos, que
contemplem a formação especíÍica e a geral, nesta incluída a educação formal;

Vlll - avaliação do desempenho funcional dos servidores, como processo pedagógico, realizada
mêdiante critérios objetivos decorrentes das mêtas institucionais, referenciada no caráter coletivo do
trabalho e nas expectativas dos usuários;

lX - garantia das condições adequadas de trabalho;

X- e chefia, sem distinção de


oportunidade de acesso às atividades de direção, assessoramento
gênero, raça, etnia, condição de sexualidade, geração, dentre outrâs particularidades do sujeito,
rêspeitadas as normas específicas;

Xl - aplicaçáo das normas estatutárias próprias do MunicÍpio previstas em lei especíÍica;

Xll - promoção de atendimento ao público, orientada por relaÇõês igualitárias de gênero, raÇa, êtnia,
condição de sexualidade, geração e outras particularidades do su.ieito.

Art. 40 Caberá à Secretaria Municipal de Administração em conjunto com a Seôretaria l\ilunicipal de


Educação avaliar anualmente a adequação do quadro de pessoal às suas necessidades e o seu
redimensionamento, consideradas, entre outras, as seguintes variáveis:

l- garantia de padrões de qualidade, conforme metas estabelecidas no Plano Nacional de Educaçáo;

ll - demandas institucionais e direitos educacionais;

lll -
proporção entre os quantitativos da força de trabalho do Plano de Carreira dos Servidores do
Quadro da Educaçáo da Rede Pública de Ensino de Uberlândia e usuários do serviço público;

IV - inovaçÕes tecnológicas;

V - modernização e democratização dos procêssos de trabalho no âmbito da lnstituição

PaÍáyafo único. Os cargos instituÍdos por esta Lei possuem natureza transversal, exceto os cargos de
ProÍessor I, Professor ll e Professor Auxiliar para a EducaÉo lnfantil, e obseNados os processos de
trabalho, a lotação dos servidores nas unidades administrativas constitui objeto de avaliação do
lvlunicípio por intermédio da Secretaria Municipal de Administração, em conjunto com a Secretaria
Municipal de EducaÇão.

Capítulo lll
DOS CONCEITOS

IrãFl Para todos os efeitos desta Lei aplicam-se os seguintes conceitos:

l-plano de carreira dos servidores: conjunto de princípios, diretrizes ê normas que regulam o
desenvolvimento proÍissional dos servidores titulares de cargos que integram determinada caneira,
constituindo-se em instrumento de gestão do órgão;

ll - carreira: conjunto de cargos da mesma natureza de trabalho, hierarquizados segundo o nível de


complexidade e o grau de responsabilidade de suas atribuiÇões, dentro do qual se dá o

httpsr//leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandialei-ordinai,al2}l4t'l197/11967/lei-ordinaÍia-n-11967-2014{ispoe-sobre-o-plânodecaneiraios 239
30t11t2018 Lêi Ordinária 11967 2014 de Ubêrlândia MG

desenvolvimento profissional do servidor;

lll - padrão de vencimento: posição do servidor na escala de vencimento da carreira em funÉo do nível
de capacitação e cargo;

lV - cargo: conjunto de especialidades de mesmo nível de complexidade, hierarquia e


responsabilidades previstas na estrutura organizacional, com vista a atender às necessidades
institucionais;

V - especialidade: conjunto de atribuiçÕes e responsabilidades previstas na estrutura do cargo que


atendem às necessidades institucionais e são cometidas ao servidor;

Vl - nível de qualiÍicação: posição do servidor na matriz hierárquica dos padrões de vencimento em


decorrência da capacitação por qualificação, realizada após o ingresso, que supere as exigências para
ingresso na carreira, cargo e especialidade;

Vll - ambiente organizacional: área especíÍica de atuaÇão do servidor, integrada por atividades aÍins ou
complemenlares, organizada a partir das necessidades institucionais e que orienta a política de
desenvolvimento de pessoal;

Vlll - usuários: pessoas ou coletividades internas ou extemas que usuÍruem direta ou indiretamente
dos serviços prestados pela municipalidade;

lX -
matriz hierárquica: tabela que compreende a hierarquia de vencimento básico dos cargos,
composta por uma coluna de 23 (vinte e três) padrões de vencimentos, conforme Anexo ldesta Lei,
com diÍerença entre os padrões constante no percentual de 2,42% (dois vkgula quarenta e dois por
cento);

X - cargos de natureza lransversal: são aqueles cuja atuação do ocupante deriva de atividades comuns
a todos ou diversos órgãos da Administração Pública Municipal, de forma sistêmica, dêntro do
processo de trabalho do Município, independentemente do órgão de lotaçáo do servidor.

Capítulo lV
DA ESTRUTURA DO PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DO QUADRO DA EDUCAÇÃO DA :

REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO DE UBERúNOIA .:

Art. 6' A carreira do Quadro da Educação da Rede Pública Municipal de Ensino de Uberlândia é
composta de 7 (setê) cargos:

l- Educador lnfantil;

ll - lnstrutor de Língua de Sinais;

lll - Intérprete de Língua de Sinais;

lV - Professor l;

V - Professor Il;

Vl - Professor Auxiliar para Educação lnfantil;

Vl]-+edag€g€.

Vll - Especialista de Educação. (Redação dada pela Lei no'12.050/2014)


30t11t2018 Lêiordinárie 1'1967 2014 de Uberlândia MG

São atribuições gêrais dos cargos que integram o Plano de Carreira dos Servidores Públicos
do Quadro da Educação da Rede Pública Municipal de Ensino de Uberlândia, sem prejuízo das
atribuiçÕês específicas de cada cargo e das especialidades, observados os requisitos de qualiÍicação e
competências definidos nas respectivas especialidades:

l- Educador lnfantil:

a) desenvolver atividades na educaÇão infantil;


b) garantir o atendimento de qualidade às crianças, mantendo a indissociabilidade entre o cuidar e o
educar;
c) contribuir para o desenvolvimento integral da criança e para o processo de ensino-aprendizagem;

ll - lnstrutor de LÍngua de Sinais: ministrar o Ensino de Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS na rede
municipal de ênsino, bem como a toda a comunidade interessada;

lll - lntérprete de Língua de Sinais: interpretar em LIBRAS, aulas, palestras, conÍerências, discursos,
evenlos similares, pÍestando este serviço em situações onde seja necessária sua presença;

lV - Professor I

a) planejar, organizar, exêcutar e avaliar as atividades inerentes aos objetivos ê metas institucionais no
âmbito da educação;
b) assessorar os gestores;
c) exercer ativldades docentes diretamente com alunos no nível da educação inÍantil e ensino
Íundamental até o 5" (quinto) ano;
d) coordenar as atividades de sua unidade administrativa, projetos ou programas quando requisitado
pela administração municipal;
e) exercer atividades pedagógicas e de apoio à docência;
0 prestar atendimenlo ao usuário dos serviços públicos;

V - Proíessor ll:

a) planejar, organizar, executar e avaliar as atividades inerentês aos objetivos e metas institucionais no
âmbito da educação;
b) assessorar os gestores;
c) exercer atividades docentes diretamente com alunos no nível da educação infantil e ensino;
Íundamental até o 9o (nono) ano; l

d) exercer atividades pedagógicas e de apoio à docência; ,L{


ÊÉtÀl
i

e) coordenar as atividades de sua unidade administrativa, poetos ou programas quando requisitado l


-,
pela administraÇão municipal;
0 prestar atendimenlo ao usuário dos serviços públicos;

Vl - Professor Auxiliar para Educação lnfantil

a) planejar, organizar, executar e avaliar as atividades inerentes aos objetivos e metas institucionais no
âmbito da educação infantil;
b) assessorar os gestores;
c) exercer atividades docentes diretamentê com alunos no nível da educação infantil;
d) coordenar as atividades de sua unidade administrativa, projetos ou programas quando requisitado
pela Administração Municipal;
e) prêstar atendimento ao usuário dos serviços públicos;

Vll Pedagêgo: realizar atividades de natureza pedâgégiêa relacienadâs ê6mlegislaçãei organizagãe e


funGiênamente sistemas de ênsino; prêGesse
de dê
ensine aprendizagemi êeordenaçãei
3011112018 Lei Ordináda 1'1967 2014 de Ubedândia MG

Vll -Especialista de Educação: realizar atividades de natureza pedagógica relacionadas com


lêgislação, organização ê funcionamenlo de sistemas dê ensino, processo de ensino- aprendizagem,
coordenação, assessoramento e intêrvenção pedagógica perante as unidades escolares. (Redação
dada pela Lei n" 12.05012014)

§ 10 As atribuições gerais reÍeridas nestê artigo serão exercidas de acordo com o ambiente
organizacional, constantes do Anexo ll desta Lei.

§ 2" As atribuiçõês de cada especialidade encontram-se descritas no Anexo lV desta Lei.

Capítulo V
DO INGRESSO NO CARGO E DAS FORMAS DE DESENVOLVIMENTO NA CARREIRA

Aí.80 O ingresso nos cargos do Plano de Carreira dos Servidores do Quadro da Educação da Rede
Pública Municipal de Ensino de Uberlândia far-se-á no padrão de vencimento inicial do 1'(pÍimeiro)
nÍvel de qualificação da Tabela de Vencimentos, mediante concurso público de provas ou de provas e
tÍtulos, observados os requisitos estabelecidos no Anexo lV desta Lei.

§ 1o O concurso público referido no caput deste artigo poderá ser realizado por áreas de especialidade,
organizado em 'l (uma) ou mais fasês, bem como incluir curso de formação, conformê dispusêr o Plano
de Desenvolvimento dos Servidores lntegrantes da Carreira do Quadro da EducaÇão da Rede Pública
Municipal de Ensino de Uberlândia.

§ 20 O edital do concurso público de que trata o capul deste artigo definirá

| - as características de cada Íase do concurso público,

ll - os requisilos de escolaridadê;

lll - a Íormação especializada;

lV - experiência profissional;
i: ,ra


_ {..r
V - os critérios eliminatórios e classiÍicatórios; H r:r

Vl - eventuais restrições e condicionantes decorrentes do ambiente organizacional ao qual serão


5*
destinadas as vagas.

Art. 90 O desenvolvimento do servidor público municipal na carreira dar-se-á exclusivamente por


progressão, que poderá ocorrer nas seguintes modalidades

| - progressão funcional;

ll - progressão por qualiÍicação;

lll - progressão por mérito proÍissional;

lV - progressão por capacitação proÍissional;

V - progressão por reconhecimento de notório saber

§ Progressão Funcional e o instituto pelo qual o servidor com mais de 3 (três) anos de efetivo
'1o

exercício no cargo e na especialidade muda de ambiente organizacional ou especialidade, dentÍo do


mesmo cargo, decorrente da obtenÇão de aprovação em processo de qualificação funcional.
3011112018 Lei Ordinária í1967 20't4 de Uberlândia MG

§ 20 A progressão funcional de que trata o artigo 1o desta Lei ocorrerá a qualquer momento da carreira
êm que o servidor estável assim o requerer e apresentar documentaÇão compÍobatória de obtenÉo da
qualiÍicação necessária à mudança pretendida.

§ 30 Progressão por qualiÍicação é o instituto pelo qual o servidor em efetivo exercício no cargo e na
sua especialidade muda de nÍvel de qualiflcação, dentro do mesmo cargo e especialidade decorrente
da obtenção de certificação em curso de educação formal devidamente reconhecido pelo Ministério da
EducaÉo, que êxceda às exigências para ingresso na carreira, cargo e especialidade.

§ 40 O requerimento para progressão por qualiÍicaçáo deverá ser protocolizado no Núcleo de Protocolo
da Secretaria Municipal de Administração, devendo ser anexado documento hábil que comprove a
conclusão de curso de educaÇão formal devidamente reconhecido pelo Ministério da Educação, nos
termos do § 30 deste artigo.

§ 50 Deferidaa progressão por qualificação, o servidor será posicionado no nível de qualiÍicaÇão


correspondente ao grau obtido, em padrão de vencimento na mesma posição que ocupava
anteriormente, conÍorme Anêxo ldesta Lei, com efeitos Íinanceiros a partir do primeiro dia do mês
subsequente ao protocolo do requerimento.

§ 6o Progressão por mérito proÍissional é o instituto pelo qual o servidor em efetivo exercício no cargo e
na sua especialidade muda para o padrão dê vencimento imediatamente subsequente, dentro dol C\
mesmo cargo e especialidade, a cada 2 (dois) anos de efetivo exercício no cargo, limitada a @
(dezessete) progressões, desde que o servidor apresente resultado Íixado em programa de
de desempenho, observado o respectivo padrão de vencimento obtido por meio da :i
capacitação proÍissional. oo
.(
§ 7o Progressão por capacitação profissional é o instituto pelo qual o servidor em
cargo e na sua especialidade muda de padrão de vêncimento, dentro do mesmo nível de
t:
na mesma especialidade e cargo, decorrente da obtenção pelo servidor de certiÍicação em
)
a
de capacitação, compatívêl com o cargo ocupado, o ambiente organizacional ê a carga horária E
exigida, respeitado o interstício de 2 (dois) anos, no limite de 5 (cinco) progressões, nos termos da
tabela constante do Anexo X desta Lei. t
§ 8" O sêrvidor que Íizer jus à progressão por capacitação profissional será posicionado no padrão de
vencimento imediatamente subsequente, no mesmo nível de qualificação.

§ 9o Progressão por reconhecimento de notório saber é o instituto pelo qual o servidor em efetivo
exercício no cargo e na sua especialidade muda de nível de qualiÍicação, dentro do mesmo cargo e
especralidade, decorrente do reconhecimento de competênciâ por notório saber, nos termos da Lei
Federal no 9.394, de 20 de dezembro de 1996 e suas alterações, especialmente do parágrafo único do
art.66.

§ 10 Entende-se por reconhecimento de notório saber o processo pelo qual se reconhecem a


competênôia, a produtividade e a experiência que transcedem o domínio institucional e sejam de
domínio público, comprovadas por produção artística, científica ou cultural, qualitativamente
diferenciada e quantitativamente regular.

§ 11 O processo dê avaliação de desempênho será normatizado por lei conforme as diretrizês


estabelecidas no Plano de Desenvolvimento dos Servidores Públicos da Carreira do Quadro da
EducaÇão da Rede Pública Municipal de Ensino de Uberlândia.

CapÍtulo Vl
DA REMUNERAÇÃO

Art. í0 A remuneração dos integrantes do Plano de Carreira dos Servidores do Quadro da Educação

https://teismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandialeiatdinaÍiat2}1411197/11967/lei-ordinaria-n-11967-2014-dispoe-sobre-o-planoiêcâneira{os...6/39
3011112018 Leiordinária 1'1967 2014 de Uberiândia MG

da Rede Pública Municipal de Ensino de Uberlândia será composta do vencimento básico,


correspondente ao valor estabelecido para o padrão de vencimento do nível de qualiÍicação ocupado
pelo servidor, acrescido dos incentivos previstos nesta Lei e das demais vantagens pecuniárias
estabelecidas em lêi.

íí O vencimento básico dos cargos do Plano de Carreira dos Servidores Públicos do Quadro da
Art.
Educação da Rede Pública do Município de Uberlândia estão estruturados na forma do Anexo ldesta
Lei.

§ 1o Está compreêndido no vencimento básico de que trata o caput deste artigoo percentual de 6,5%
(seis vírgula cinco por cento) a título de revisão geral anual da remuneração dos servidores públicos
municipais, nos termos do art. 37, X, da Constituição Federal de 1988.

§ 2" Se o percentual de inflação anual for superior a 6,5% (seis vírgula cinco por cênto), será
complementada a revisão geral anual de que trata o § 1o deste artigo.

§ 30 Os valores constantes das Tabelas do Anexo I a que se refere o caput deste artigo contemplam,
além da revisão geral anual prevista no §'to deste artigo, reajustes diÍerenciados a fim de promover
adequação dos vencimentos básicos à realidade do mercado

Àft.12 Na hipótêse do enquadramento, após a aplicação do reajuste anual, caso o vencimento básico
resulte a menos quê o recebido pelo servidor na data de publicação desta Lei, proceder-se-á ao
pagamento da dlferença com parcela complementar, sob a denominaÇão de Vencimento Básico
Complementar - VBC.

Parágrafo único. A parcela complementar de que trata o caput deste artigo será considêrada como
parte integrante do novo vencimento básico, incidindo sobre ela todas as vantagens êstabelecidas por
lei da mesma forma que no vencimento básico, aí incluídos os reajustes anuais sobre este aplicados.

Art.Na composição remuneratória estabelecida por esta Lei, foram incorporadas no vencimento
13
J
básico descrito no Anexo I que a esta se integra, as seguintes vantagens pessoais:

l- vantagem pessoal referente a mudança de plano de carreira disposta na Lei Complementar no 347,
de 20 de fevereiro de 2004 e suas alterações;

ll - vantagens pessoais de 0,2o/o (zero vírgula dois por cento), 0,4o/o (zero vírgula quatro por cento) e
0,60/o (zero vÍrgula seis por cento), previstas nas Leis Complementares nos 347, de 2004 e suas ,,
alterações e 437 , de 27 de dezembro de 2006.

ParágraÍo único. A gratificação de 45o/o (quarenta e cinco por cento) prevista no § 40 do art. 45 da Lei
Complementar n'347, de 2004 e suas alteraÇões comporá a remuneração dos servidores que hoje a
percebem, lnspetores, Supervisores e Orientadores do Quadro Suplementar da Lei Complementar no
347, de 2004 e suas alterações, desde que cumpram a jomada de 8 (oito) horas diárias ou 40
(quarenta) horas semanais nas seguintes condições:

I - 6 (seis) horas diárias ou 30 (trinta) horas semanais no local de trabalho;

ll - 2 (duas) horas diárias ou 10 (dez) horas semanais em atividades destinadas a planejamento,


estudos, atualizações, pesquisas, produções cientÍficas coletivas e formaÇão permanente, pertinentes
ao exercício das atribuições do cargo.

Ficam mantidos o incentivo de zona rural e o adicional de percurso, de que trata a Lei
Art. í4
Complementar no 347, de 2004 e suas alterações

A.t.Ficam mantidas as gratiÍicaçóes pelo exercício em classe com alunos com necessidades
15

educacionais especiais em escolas no programa básico legal e por docência em sala de aula onde se
htps://lejsmunicipais.com.br/a 1i mg/u/uberla ndiallei{,.dií\atia|2014t1197111967 tlei-otdinaria-n-11967-20'14-dispoe-sobre-o-planMe carÍeiraios 7139
3011112,18 Leiordinária 1'1967 2014 de Uborlândia MG
proceda a alfabêtização, conforme estabelecido no artigo 26 da Lei Complementar no 347, de 2004 e
suas alterações.

Art. Os servidorês ocupantês dos cargos de ProÍessor l, Proíessor ll e PíoÍessor Auxiliar para
16

Educação lnfanlil readaptados fazem jus às gratificações próprias da nova atividade de que resulte a
readaptação, desde que atendidas as condições necessárias ao seu recebimento, conÍorme
regulamentação.

Atl. Os pisos rêmuneratórios dos servidores ocupantes dos cargos de Professor l, Professor ll e
17

Professor Auxiliar para Educação lnÍantil, no nível de qualiÍicação de graduação instituÍdos nesta Lei,
seÍão, no mÍnimo, os mesmos praticados no Piso Nacional da Educação.

CapÍtulo Vll
DO ENOUADRAMENTO

Art. 18 O enquadramento será efetuado dê acordo com as Tabelas de Correlação, constantes dos
Anexos V e Vl, desta Lei.

Art. O enquadramento do servidoÍ público na matriz hierárquica será efetuado mediante opção
19

irretratável do respectivo titular, observando-se o tempo de exercício no cargo que este.ia ocupando,
conforme relação constante do Anexo Vl desta Lei, e o certificado de conclusão de curso de educação
formal devidamente reconhecido pelo Ministério da Educação, que exceda o requisito de ingresso em
sua carreira, cargo e especialidade, nos termos do § 3" do art. 90 desta Lei.

§ 1' Será concedido um padrão dê vencimento para cada dois anos de exercÍcio no cargo de
provimento efetivo que o servidor seja o titular, nos termos do Anexo Vl desta Lei.

§ 20 O tempo residual de exercício apurado após o enquadramento será considerado para a


subsequente progressão por mérito proÍissional.

ae-ggislaçãe-mrrÊiêipat
'v t''
§ 3o Para efeito de enquadramento será considerado o tempo de exercício nos cargos relacionados no. ,
lr:l
Anexo Vl desta Lei, com as alterações de nomenclatura que lenham sofrido por força de legislação
municipal, e o tempo que o servidor exerceu as atribuições próprias de seu cargo atual, ainda que sob
a tutela do regime jurídico celetista. (Redação dada pela Lei no 12.05012014)

Art. O enquadramento dos servidores públicos, ocupanles de Íunção pública, estabilizados nos
20

têrmos do art. 19 do Ato das DisposiÇões Constitucionais Transitórias da Constituição Federal,


conslante do Anexo Xl que a esta se integra, será feito levando-se em conta o tempo de efetivo
exercício e a apresentação de certiÍicados de conclusão de cursos de educação formal devidamenle
reconhecidos pelo lvlinistério da Educação, conforme Anexo Vl desta Lei.

§ O enquadramento previsto no caput deste artigo não altêra a natureza jurídica definida pela Lei
1o
Complementar Municipal n" 003, de 11 de janeiro de 1991 e suas alterações, que instituiu o Regime
JurÍdico Único do Servidor Público do Município de Uberlândia.

§ 20 Aos servidores ocupantes de função pública aplica-se o disposto nos arls. 9o e 12 desta Lei.

§ 30 As funções públicas de que trata o caput deste artigo serão extintas quando de sua vacância.

Art. O enquadramento dos servidores inativos e pensionistas que tenham paridade de proventos,
21

nos termos do artigo 70 da EC n0 41, de í9 de dezembro de 2013 e suas alterações, ocorrerá da

https://leismunicipats.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-ordinaria/2014/1197/11967/lei-ordinaria-n-11967-2014-dispoe-sobre-cplano-de-c€Íeira{os...8/39
3011112018 Lei Ordinária 11967 2014 de Uberlândia MG

mesma forma que o enquadramento dos servidores em atividade, por meio de expressa opção e
considerando a situação funcional do servidor ate a data de concessão de sua aposentadoria.

ParágraÍo único. Todas as fasês do enquadramento previstas nêsta Lei, no tocante aos servidores
inativos e pensionistas, serão de responsabilidade do lnstituto de Previdência dos Servidores Públicos
do Município de Uberlândia - IPREMU.

Arl. 22 O enquadramento dos cargos de que trata o artigo 1o desta Lei dar-se-á mediante opção
iÍretratável do respectivo titulaÍ, dentro do prazo de 60 (sessenta) dias a contar da publicação do edital
convocatório.

§ 1ô A opção de que trata o caput deste artigo dar-se-á mediante apresentação do Termo de Opção
devidamente assinado pelo servidor ou procurador constituído, conforme modelo constante do Anexo
Vll desta Lei.

§ 2' O servidor que não Íormalizar a opÉo pelo enquadramento no prazo estabelecido no caput deste
artigo comporá quadro em extinção e será submetido à legislação especíÍica do cargo ocupado.

§ 30 Ocorrendo a hipótese prevista no § 20 dêste artigo, quando da vacância do cargo, havêrá a


transformação em cargo equivalente do Plano de Caneira dos Servidores do Quadro da Educação da
Rede Pública Municipal de Ensino de Uberlândia.

§ 4o O servidor que fizer a opção pelo enquadramento na carreira de que trata o Plano de Carreira dos
Servidores do Quadro da Educação da Rede Pública Municipal de Ensino de Uberlândia será
submetido às regras específicas definidas nesta Lêi e em seus regulamentos, respeitadas as normas
estatutárias aplicáveis aos servidores públicos.

SEÇÃO ÚNICA
DA COMISSÃO DE ENQUADRAMENTO

Art. 23 Será instituída uma Comissão de Enquadramento responsável pela aplicação do disposto
neste Capítulo, na Íorma prevista em regulamento.
€H
§ 10 O resultado do trabalho efetuado pela Comissão de que trata o caput deste artigo será
homologado por meio de decreto.
s]

§ 20 A Comissão de Enquadramento terá no máximo 14 (quatorze) membros e será composta,


paritariamente, por servidores integrantes do Plano de Carreira dos Servidores do Quadro da
Educação da Rede Pública Municipal de Ensino de Uberlândia, mediante indicação dos seus pares,
escolhidos entre seus representantes na Mesa Permanente de NegociaÇão - MPN, e por
representantes da Administração Pública Municipal, designados pelo Chêfe do Poder Executivo, por
meio de decreto.

§ 3o Os criterios e procedimentos dê trabalho da Comissão de Enquadramento serão estabelecidos em


regulamento.

§ 4" Os integrantes da Comissão de Enquadramento não perceberão qualquer Íorma de remuneraÉo


por essa atividade, se.ia na forma de jeton, gratiflcações por desempenho de função ou outras
similares.

Àrt.24 O servidor terá ate 30 (trinta) dias, a partir da data de publicaÉo dos atos de enquadramento
de que trata este Capítulo, para interpor recurso na Comissão de Enquadramento, quê dêcidirá no
píazo de 60 (sessenta) dias.
3011112018 LeiOrdinária 11967 2014 de Uberlândia MG

Parágrafo único. lndeferido o recurso pela Comissão de Enquadramento, o servidor poderá recorrer à
Diretoria de Desenvolvimento Humano da Secretaria Municipal de Administração.

Capítulo Vlll
DA SUPERVISÃO E DO ACOIV,IPANHAMENTO

Art. 25 A Mesa Permanente de NegociaÇão - MPN, vinculada à Secretaria Municipal de


Administração, terá como atrlbuições o acompanhamento, a supervisão, o assessoramento e a
avaliaçáo da implementação do Plano de Carreira dos Servidores do Quadro da Educação da Rede
Pública Municipal de Ensino de Uberlândia, cabendo-lhe, em especial:

l- propor normas regulamentadoras desta Lei relativas às diretrizes gerais, ingresso, proglessão,
capacitação e avaliação de dêsempenho;

ll - acompanhar a implementaçáo ê propor alterações no Plano de Carreira dos Servidores do Quadro


da Educação da Rede Pública Municipal de Ensjno de Uberlândia;

lll - avaliar anualmente as propostas de lotaçáo dos cargos, conÍorme parágraÍo único do artigo 40
desta Lei;

lV - examinar os casos omissos refêrentes ao Plano de Carreira dos Servidores do Quadro da


Educação da Rede Pública Municipal de Ensino de Ubêrlândia, encaminhando-os à apreciação dos
órgãos competentes.

§ 1" Para o trabalho de supervisão do Plano de Carreira dos Servidores Públicos do Quadro da
Educação da Rede Pública do Município de Uberlândia, o número de membros, a forma de
designação, a duração do mandato e os critérios e procedimentos de trabalho da Mesa Permanente de
Negociação - MPN serão eslabelecidos em regulamento.

§ 2o Os integrantes da Mesa Permanente de NegociaÇão - MPN não perceberão qualquer forma de


remuneração por esta atividade, seja na forma de jeton, gratiÍicações por desempenho de Íunçáo ou
outras similares. .

Capítulo lX ,:-j,

DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO DOS INTEGRANTES DO PLANO DE CARREIRA DOS


SERVIDORES DO QUADRO DA EDUCAÇÃO DA REDE PÚBLICA IVUNICIPAL DE ENSINO DE
UBERLÂNDIA

Art.26 A política institucional do Município de Uberlândta contemplará o Plano de Desenvolvimento


dos lntegrantes do Plano de Carreira dos Servidores do Quadro da Educação da Rede Pública
Municipal de Ensino de Uberlândia, observados os princípios e diretrizes do artigo 30 desta Lei.

§ 1" O Plano de Desenvolvimento dos lntegrantes do Plano de Carreira dos Servidores do Quadro da
Educação da Rede Pública Municipal de Ensino de Uberlândia deverá conter:

| - Programa de Capacitação;

ll - Programa de Avaliação de Desempenho.

§ 20 O Plano de Desenvolvimento dos lntegrantes do Plano de Carreira dos Servidores do Quadro da


Educação da Redê Pública Municipal de Ensino de Uberlândia será elaborado com base em diretrizes
estabelecidas em lei, no pÍazo de até 180 (cento e oitenta) dias, a contar da publicação desta Lei.

§ 3o A partir da publicação da lei de que trata o § 2o deste artigo, a Administração Pública Municipal
disporá de 12 (doze) meses para elaboraÇão dos Programas de Capacitação e de AvaliaÉo de
301l-t t2018 Lei Ordinária 11967 2014 de Uberlândia MG

Desempenho.

tempo computado entre a data em


§ 40 Para a progressão por mérito proflssional será aproveitado o
que tiveÍ ocorrido a última progressão e a data em que tiver sido feita a implantação do Programa de
Avaliação de Desempenho, previsto neste artigo, segundo os critérios vigentes até a datâ da
publicação desta Lêi e aplicáveis ao Plano de carreira e Remuneração dos servidores da Educação do
Município de Uberlândia anterior.

os servidores terão sua


§ 5o Enquanto não for estabelecido o Programa de Avaliação de Desempenho,
progressáo por mérito proÍissional de forma automática.

§ 6" progressão por mérito proíssional caso sua avaliação de


Fica garantida ao servidor a
desempenho deixe de ser realizada por motivos alheios à sua vontade.

Capítulo X
DAS DISPOSIÇÓES FINAIS E TRANSITÓRIAS

Respeitadas as jornadas especiais e as autorizaçõês legais para ãumento de carga horária, os


Aí1.27
servidores públicos municipais do Quadro da EduôaÇáo cumprirão as seguintes .iornadas de trabalho
semanais:

@i
| - Educador lnÍantil: 25 (vinte e cinco) horas; (Redação dada pela Lei no 12.316120151

ll - Professor I e Professor ll: 20 (vinte) horas;

lll - Professor Auxiliar para Educação lnfantil: 30 (trinta) horas;

lV Pedagego: 30 (trinta) heras; ressalvade o dispestê nê parágraíe úni6e de art: 13 desta tei;
J ._,-.

lV - Especialista de EducaÇáo: 30 (trinla) horas, ressalvado o disposto no parágraÍo único do ârt. 13 T\I
desta Lel; (RedaÉo dâda pela Lêi no 12.05012014) ,ii

V - lntérprete de Língua de Sinais e lnstrutor de Língua de Sinais: 20 (vinte) horas.

parágrafo único - No caso dos sêrvidores ocupantes dos cargos de Professor 1, Professor ll, Professor
Auxiliar para Educação lnfantil e de Especialista de Educação poderá haver a opçáo pa 40
(quarenta) horas nas escolas de formação e de tempo integral, conforme a Ser estabelecido em
regulamento. (Redação dada pela Lei n'12.050/2014)

A+*-44

Para oS servidores ocupantes dos cargos de Professor l, Proíessor ll e Proíessor Auxiliar para
Art.28
Educação lnfantil, quando em regência de turma, um terço da jornada semanal de trabalho destina-se
a atividades de planejamento, atualizaçáo, pesquisa, produção coletiva, formaÇão permanente,
https://teismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-ordinaria/2014 t11g7l11967llei-o.t,inaria-n-'11967-2014-dispoe-sobrê-o-plano-de-careirado 11/39
got11l2o1a Lei ordinária 11967 2014 de Uberiândiâ MG

colaboÍaÇãocomaadministraÇãodaunidade,participaçãoemÍeuniÕes,eventosdetrabalhoeoutras
nos termos dos limites estabelecidos
atividades inerentes ao Proietá Político Pedagógico da unidade,
unidade e atividade do
pela secretaria Municipal ie Educação, paía cada nível de ensino, tipo de
servidor. (Redação dada pela Lei no 12'050/2014)

§loAsaulasdosservidoresocupantesdoscargosdeProfessorl,ProfessorlleProÍessorAuxiliar
semana' desde que
quatro dias da
para Educação lníantil serão, quando possível, concentradas em
não haja qualquer prejuízo ao ensino ê ao horário de aulas dos alunos'

§20Doisterçosdashorasdestinadasaatividadespedagógicasconsidêradasextraclassêpoderãoser
cumpridas, da Íorma e no local que mêlhor convier ao docente'

cargo de Educador
Art.28-A entÍe as 25 ( vinte e cinco) hoÍas semanais da jornada de tÍabalho do
(uma) hora deverá ser dedicada a
lnfantil, conforme disPosto no inciso I do aç:. 27 desta Lei' 01
onde o servidor se encontra lotado'
êstudos e Íormação continuad a, a ser realizados na própria escola
conforme determinaçáo do D iretor da respectiva unidade escolar, ou
em oulro local previamente
designado pêla Sêcretaria Municipal de Educação, desde
que não seja prejudicado o integral
.12.31612017')
atendimento aos alunos (Redação acrescida pela Lei n

Âá=-+9

rn+e+esse4a-u+idade-
Ai{- fg

a6e

AÉ. 29 Os servidores ocupantes dos cargos de provimento efetivo de Professor l' Professor ll'
lnfantil terão direito a
Proíessor Auxiliar para Educação lnÍantil, Esp ecialista de Educagão e Educador
30 (trinta) dias de férias anuais consecutivos, acrescidos de 15 (quinze) dias de
recesso alternados,
unidade (Redação dada
distribuídos nos períodos de recesso escolar, de acordo com o interesse da
pela Lei no 12.31712015\ Eià
j ,lr

§ 1o os demais servidores do Quadro da Educação da Redê Pública de Ensino do Município de


Uberlândia têm direito a trinta dias de Íérias anuais.

em até quinzê dias' desde


§ 2" Os dias de recesso, previstos neste artigo' poderão ser aumentados
que este aumento seja compatível com o cumprimento do calendário escolar de duzentos dias letivos'

efetivo nas unidades educacionais da


§ 3. Os demais servidores do Quadro da Educação em exercício
Secretaria Municipal de Educaçáo podêrão ter até quinze dias de recêsso alternados, distribuídos nos
períodos de recesso escolar, de acordo com o interesse da unidade, desde que, seia compalÍvel com o
cumprimento do calendário escolar.

por tempo
s 4. O recesso de que trata este artigo será garantido também aos servidores contratados
determinado para exercerem funções correspondentes, nos termos da Lei no 9.626, de 22 de outubro
de 2OO7 e suas alteraçóes. (Redação acrescida pela Lei n0 12.31712015)

Art. 30 6í, lll da Lei Federal no 9.394 de 20 de dezembro


Em virtude do que dispõe o art. 30 c/c o art.
de 1996 e suas alterações, os servidores públicos municipais ocupantes do cargo de provimento
efetivo de Educador lnfantil, na especialidade Educador lnfantil ll, poderão valer-se do acúmulo de
cargos públicos previsto no art. 37, XVI da Constituiçáo da RepÚblica Federativa do Brasil.

AÍt.3í Ficam criados e incluÍdos no Quadro de Pessoal do Município, com seus respectivos
quangtativos, os cârgos de provimento efetivo constantes no Anexo Vlll desta Lei, a ser providos
ndiatleiatdina at2jl4tllgT lll96T llei-oÍdinaria-n-'t 1967-2014-dispoe-sobre-o-plano-de-caneiraio 12139
https://teismunicipais.com.br/a'1lmg/u/uberla
30t11t2018 LeiOrdinária 11967 2014 de Ubêrlândia MG

mediante concurso Público.

no 347, de 20 de fevereiro
Por ocasião da Publica ça o desta Lei, os caÍgos Lei ComplementaÍ
Art. 32
transíormados nos cargos
de 2004 e suas alterações que esliverem vag os serão automaticamente
equivalentes do Plano de Carreira dos Servidores do Quadro d a Educação da Rede Pública do
Lei'
Municipal dê Ensino de Uberlândia, conforme o Anexo V, desta

ParágraÍo único. os cargos constantes no Anexo Vlll desta


Lei abrangem os cargos descritos nos
e suas alterações'
Anexos das Lei Complementar no 347, de 20 de fevereiro de 2oO4

sêrão extintas à mêdida de


Art.33 As especialidad es relacionadas no Anêxo lX quê a esta se integra
do Plano de Carreira dos
sua vacância, sêndo as vagas aProve itadas para os cargos equivalentes
Servidores do Quadro da Educaçáo da Rede Pública Municipal
de Ensino de Uberlândia' cuja
reíerência se encontra no Anexo V desta Lei'

Art. 34A Admlnistraçá o Pública Municipal, no prazo de 1 (um) ano a contar


da publicaÇão desta Lei'
promovêrá avali ação e examedapolíticarelativaaoscontratosdeprestaçãodeserviçosportempo
delerminado e à criação e extinção de cargos'
passam a
Arl.35 o cargo de Secretário Escolar e a função públioa de Agente Administrativo Escolar,
integrar oPlanodeCarreiradosServidoresPÚblicosdaAdministraçãoDi[etadoMunicípiode
Uberlândia

integra serão revistos


Art. Os ambientes org anizacionais dispostos no Anexo ll que a esta se
36

quando do estabelecimento do Plano de Desenvolvimento dos integrantes


do Plano dê Carreira dos
Ensino de Uberlândia previsto no
Servidores do Quadro da E ducaçáo da Rede Pública Municipal de
artigo 26 desta Lei.

AÉ. 37As normas e disPos itivos abaixo rêlacionados, os quais serão automaticamente
revogados com '-l
que não optarem pelo
a vacância do Último cargo Po r cada um deles regido, aplicam-se aos servidores
desenvolvimento no Plano de Carreira d os Servidores do Quadro da EducaÉo
da Rede Pública
Municipal de Uberlândia previsto nesta Lêi:

l- art. 1o da Lei Complementar no 381, de 18 de outubro 2004;

473, de '19 dê marÇo de 2008;


ll - art. 50 da Lei Complementar no

lll - art. 3'da Lei n" 9.347, de 26 de outubro de 2006;

lV - Lei Complem er'lat 347, de 20 de fevereiro de 2004;

V - art. 60 da Lei Complementar no 439, de 27 de dezembro de 2006;

Vl - Lei n'9.783, 19 de março de 2008;

Vll - art. 1", lll, Lei n' '10.325, de 23 de novembro de 2009;

Vlll - Lei no 11.056, de 22 de fevereiro de 2012;

lx - Lei no 11.148,de22 de junho de 2012.

Art. 38Fica extinto o cargo de provimento efetivo de Auxiliar de Biblioteca da Carreira de Auxiliar
Administrativo constante do Anexo Vlll, da Lei Complementar n'347 de 20 de Íevereiro de 2004 e suas
alterações.

Art. 39 As dêspesas advindas da execução desta Lei correrão por conta de dotaçôes constantes dos
30t1112018 LeiOrdinária '1'1967 2014 de Uberlândia MG

respectivos orçamentos.

Art. 40 EstaLeientraráemvigornadatadesuapublicaçãoeproduziráefeitosfinancêirosapartirde
1o de janeiro de 2015.

Uberlândia, 29 de setembro de 2014

Gilmar Machado
Prefeito

Aulor do Proleto: PreÍeito Municipal


LMS/gcmm/PGM N" 7 .01212014-

ANEXO I

MATRIZ HIERÁRQUICA E TABELA DE VENCIMENTOS BÁSICO DOS CARGOS

I
EXÉRCÍCrO 2015
I

I
Educador Infanti'!
L

I
I Médio I Médio + Formaçáo I I Espec'i àti zâçáo I

Pêdagógica I
t====:-==: 1l
|
-=====-===========
RÍ 1.272,86lRÍ 1. 3 35, s0 lRt 1.470,15 lRl 1.690,67 lR, 2.028,
I

IRJ 1.505,73 lRÍ 1.731, 59 IRJ 2.077,


2lRJ r..303,66 lR, 1.168,84
liJ 1.401,97 lRÍ 1.542,17 lRÍ 1.773,49 lRt 2.126,
3lRÍ 1.335,21
IRJ 1.579,49 lRl 1.816,41 IRJ 2.179,
I
4lRÍ 1.367, s2 lRÍ 1.43 5 ,90

5lRÍ 1.400,51 lRÍ 1.470,65 lRÍ 1.617,71 lRÍ 1.850,37 lRÍ 2.232,
I

6tRÍ 1.434, S1 !Rl 1. s06,21 IRJ 1.656,86 lRl 1.905,39 lRl 2.286,
I

7lRt 1.469,22 lRi 1.s42,69 lRl 1.696,95 lRt 1.9s1,50 lRl 2,341,

EIRÍ 1.504,78 lRt 1.580,02 lRt 1.71E,02 lRt 1.998,72 lRt 2.396,
I

9IRJ L. s,11,20 IRJ 1.618,26 lRt 1.780,08 lRs 2.047,09 lRÍ 2.4s6,

10lRt 1. 578,19 IRJ 1.65 7,42 lRt 1,823,16 IRJ 2.096,63 lRt 2.51S,
I

I
11lRÍ 1.616,69 lRÍ 1.697,53 lRÍ 1,E67,2E let 2.L47,17 IRJ 2.576,

12IRJ 1.65 5,82 lRt 1.73E,61 lRt 1.912,47 lRl 2.r.99,34 lRt 2.639,

13lRS 1.695,89 lR3 1.780,68 lRt 1.958,75 tRt 2.252,56 lRl 2.701,

14lRt 1.736,93 lR, 1.823,77 1Rr 2.006,15 lRl 2.307,07 lit 2.768,

15lRt L.778,96 lRÍ 1.867,91 lRl 2.054,70 lRl 2.362,91 lRl 2.83s,
I

16lRÍ 1.822,01 lRÍ 1.913,11 lRl 2.104,42 lRÍ 2.420,09 lRt 2.904,
I

17lRÍ 1.866,10 lRl 1.9 59,41 1Rr 2.15 S,3 5 lRÍ 2.478,65 lRl 2.974,

18lRÍ 1.911,25 lRt 2.005,83 lRÍ 2.207,51 lRl 2.538,64 lRÍ 3.046,

19lRÍ 1.9 57, 52 IRJ 2.055,19 IRJ 2.260,93 lRt 2.600,07 lRt 3.120,

I 20lRÍ 2.004,89 lRÍ 2.105,11 lRt 2.31s,65 lRt 2.662,99 IRÍ 3.195,

I 21 RJ 2.053,41 lRt 2.156,0E lRt 2.371,69 l(t 2,127,44 lRÍ 3.272,

I 22IRJ 2.103,10 lRl 2.208,25 lRl 2.429,08 lRl 2.793,44 lR$ 3.3 52,

23lRÍ 2.151,99 lRt 2.261,69 IRJ 2.467.86 lRt 2,861,04 IRJ 3.433,
30111t2018 Lei Ordináriâ 11967 20'14 de Uberlândia MG

Educador hfantil
i4édio | Édio + Fomaçáo I Graduação I Esp€citlização I r,t€
I P€daeóglca I ll
----=----=-:-.-l | :-:---:---l --.-==----==----=-. .'._:_--=-.'.---t______,
|
llRt 1.469,02 l{t L.542,47 lR, 1.696,71 lRt 1.951, 22 lRÍ 2.341,
t------.
2lRt 1.504,57 lRt 1.579,79 le.t L.7t1,77 lRt 1.99E,44 lRt 2.39E,
-t---------------------t---------------------t----------------------t----------------------t-------
3lRÍ 1.540,9E IRJ 1.51E.02 liJ 1.779,63 lRt 2.046,80 lRt 2.456,
4lRÍ 1.578,27 lRÍ 1.657,16 IRJ 1.822,90 lRl 2.096,33 lR§ 2.s1s,
| --------------------- | ---------------------- I -------
5IRJ 1.616,46 lRÍ 1.697,28 lRt 1.867,01 lRs 2.741 ,07 lRl 2.576,
| ---------------------
6 RJ 1.655,58 lR, 1.718, I6 lRt 1.912,19 lRt 2.199,02 1Rr 2.638,
---------------------- | ----------------------t ------.
|
7lR$ 1.695.65 lRÍ 1.7E0,43 li3 1.956,47 l"t 2.2s2,24 lRt 2.702,
t---------------------t---------------------t----------------------t----------------------t-------
8IRJ 1.736,68 lR§ r..82 3, 51 lRt 2 .005,87 lR, 2.306,74 lRt 2,768,
t-------
9lRi 1.77E,71 lR$ 1. E67,64 lRÍ 2.054,41 lRt 2.362,57 lRl 2.83 5,
t------
10lR§ l..821,7 5 lR, 1.912,84 IRJ 2.104,12 IRJ 2 .,{19, 74 lRl 2.903,
t-------
11lRJ 1. E65, E4 lRl 1.959,13 lRl 2.155,04 lRt 2.47E,30 lRr 2.97l,
t----------------------t-------
12lRÍ 1.910,99 IRJ 2.006,54 IRJ 2.207,20 lRl 2.5 38,2 7 lRt 3.045,
I 13IRS 1.9 57,24 lRi 2.055,10 lRÍ 2.260,61 lRr 2.s99,70 lRl 3.1r.9,
---------------------- | ---------------------- t------
|
14lRJ 2.004,60 lRt 2.104,83 lRi 2.315,32 lRt 2.662,61 tRJ 3.19s,
t---------------------t---------------------t----------------------t----------------------t-------
15lRt 2.053,11 lAl 2,!55,77 lRt 2.371,35 lqt 2.727,05 lRt 3.272,
t------'
16liJ 2.102,60 IRJ 2.207,94 IRJ 2 .42 E,73 lRt 2.793,04 lRt 3. 51, 3

l ----------------------t------
17lR$ 2 .15 3,69 IRJ 2.261,37 IRJ 2.4E7,51 IRJ 2.860,64 lRl 3.432,
| ---------------------
18lRÍ 2.205,81 lrJ 2.315,10 IRJ 2.547,71 lRÍ 2.929,86 lRÍ 3.s1s,
l---------------------t----------------------r----------------------t-------
I 19lRÍ 2.259,19 tRÍ 2.372,15 lRt 2.609,36 lRt 3.000,77 IRJ 1.600,

20lRt 2.r13,86 IRJ 2 .429, 5 5 lR, 2.672,51 lR, 3.073,3E lRi 3,688,

21lRÍ 2.369,85 lRÍ 2.488,3s IRJ 2.737,18 1Rr 3.147,75 l1s 3,177 ,
| ---------------------- t ---------------------- t------
i 22lRS 2.427,21 lRt 2.54E,57 lRÍ 2.803,42 lRt 3.223,94 IRJ 3.868,
t------'
23IRJ 2.485,94 lRl 2.610,24 lú 2.a1L,27 IRJ 3.301,95 lR3 3.962,
t_

,!

https://teismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-ordinaria/20'14/1'197/11967/lei-ordinaria-n- 1í 967-20'14-dispoe-sobre-o-plano-de-caneira-do 15/39


30t11t2018 Lei Ordinária 11967 20'14 de Uberlândia MG

I P.dráo I EXÉRCÍCrO 2015


I
I I Instrutor ê Intérprete de Línguas dê sinais
I

I I Especial i zaçáo I

t-=.
1t RJ 1.117,621 RÍ 1.36 3. 50 | RÍ t. 521,8 5 RJ 1.7 50,13 |
t------------------
2l Rs 1.349,511 iÍ 1.416,96 | RJ 1. 5 5E,6E I RJ 1.792,481

| --------------------- t---
I 101 Rl 1. 634,0r. I Rt 1.715,711 R, 1.887,281 Rt 2.170,371
------------------------ | ---
L1 R, 1.673,551 RÍ 1.757,2t1 Rt 1.932,951 Rt 2.222,891
t--
12 RJ 1,714,05 | RÍ 1.799,751 Rl 1.979,73 | RÍ 2.276,681
I 131 Rt 1.755,t31 Rt 1.841.301 rS 2,027,641 Rt 2.331,781
---------t---------------------t---------------------t------------------------t------------------------t--
141 RÍ 1.798,011 R3 1.687,911 Rt 2.076,701 À! 2,388,211
1sl Rt 1.841,52 | RJ 1.933,60 Rt 2.126,96 | Rt 2.446,00 |

t---

201 RJ 2.075,401 R3 2.179,171 R$ 2.397,081 Rt 2.756,651


-t---------------------t---------------------t------------------------t------------------------t---
21t RJ 2.12s,621 it 2.231,901 RÍ 2.455,091 RJ 2.823,361

72l Rl 2.177,06 | RJ 2.265,911 RJ 2.514,511 RJ 2.891,681 -.à


t--'
2ll Rt 2.229,751 RJ 2.341,23 Rt 2.575,161 Rt 2.961,661
t_t_
30t11t2018 Lei Ordinára 1'1967 2014 dê Uberlândia [,1G

I EXERCICrO 2016
I

I I rnstrutor e Intérprete de Línguas de sinais


I

I I c.aduação I Especial ização I rc


l-----:---!_=_--* ----.-
|
1 RJ 1-403,27 | RJ 1.541,591 RJ 1.697.951 R3 1.952,651

I 17 RJ 2.0s7,291 Rl 2.263,021 Rt 2.489,311 Rt 2.862.731


t---------------------t---------------------t----------------------t----------------------t------.
18t Rt 2.107,081 Rr 2.317,791 Rí 2.549,571 Rt 2.912,001

l---------------------t---------------------l----------------------t----------------------t-------
211 RÍ2.263,79|RJ2.490,17|r!2,739'18|r,3.150'06|Rt'3'78(<
l---------------------t---------------------t----------------------t----------------------t-------
22l RJ 2.318,571 RJ 2.550,431 RJ 2.805,471 RJ 3.226,291RS.3.871
r---------------------l---------------------t----------------------t----------------------t-------
2ll RÍ 2.374,5E1 Rt 2.612,151 Rt 2.E73,361 it 3.304,371Rt .3.963 i:
30t11t2UA Lei Ordanária íí967 2014 dê Uberlândia MG

I EXERCÍCrO 2015
I

I
I Mâsi stério I Gíâdueçáo I Especi al izaçáo I irêstrado I Dou
t-----4.!...'E.:t--i---'
1RÍ .1.284,67 RÍ 1.79E,62 | rt 2.068,641 Rr 2.4E2,371
2lRJ.1.315,97
31Rt.1.347,61 I

4lRt .1.380,43 | RJ 1.932,601 RJ 2.222,491 Ri 2.666,991


-t---------------------t----------------------l----------------------t---------------------t-------
I 5lRt .1.41.3,84 | RÍ 1.979,371 Rt 2.276,271 R3 2.731,531

6lRJ.1.448,05 Rs 2,027,27| RJ 2.331,16 | rt 2.797,631


| --------------------- | ----------------------t---------------------r -------

l----------------------t----------------------t---------------------t------.
I LO R, 1.593,39 | Rr 2.230,751 R,2,565,361 Rr 3.078,431
t---------------------t----------------------t----------------------t---------------------t-------
111 Rl 1.631,951 R§ 2.284,731 RS 2-627,441 R, 3.152,931
I

| ----------------------t--------------------- | ------.
r7l R5 1-863,721 RJ 2.637,211 RÍ 3.032,791 rJ 3.639,141
---t----------------------l----------------------l---------------------t------.
l 181 RÍ 1.929,301 RJ 2.701,031 RJ 3.106,181 p.S 3.727,421
t----------------------t----------------------t---------------------t-------
191 R, 1.975,99 | Rt 2.766,391 RJ 3.1E1,351 Rt 3.817,621
t---------------------t----------------------t----------------------t---------------------t-------
20 Rt 2.023,811 RJ 2.813,341 R§ 3.2s8,341 RS 3.910,011

211 Rt 2.072,791 RS 2.901,901 RJ 1.337,191 Ãt 4.004,631


---t----------------------j----------------------t---------------------t------
221 RÍ 2.122,951 RÍ 2.972.131 Rt 3.417,951 Rt 4.101,541
23 RJ 2.174,331 RJ 3.044,061 RJ 3,500,661 it 4.200, E0l
t_t_
30t11t201a Lea Ordinária 1'1967 2014 de Uberlândia MG

EXERCÍCrO 2016
I

Graduaçáo I Espêciâ'l i zaçáo I irestrado I rrou


t=-----.-'....'-Et-----.
1l Rt 1.363,82 | ÀJ 1.909,l5 | RJ 2.195,761 Rr 2.614,911
r---------------------t----------------------t----------------------t---------------------t-------

I 101 Rl 1.691,301 Rr 2.367,621 R3 2.723,001 Rr 3.267,501


| --------------------- | --------------------- | ---------------------- | ---------------------l -------
111 RJ 1.732,231 Rt 2.42s,121 Rt 2,788,891 Rt j.345,671
l---------------------t----------------------t----------------------t---------------------t-------

| --------------------- l------.
16t Rl 1..952, 2 2 | RJ 2.733,111 Rt 3.143,081 aJ 3.77!,7O1
I ---------------------
t7l Rl 1.999,471 Rs 2.799,26 | Rt 3.219,111 RJ 3.852,971

I 1El Rt 2.047, E6l RÍ 2.E67,001 RJ 3 .297,0 5 1 Rt r. 956,46 |

r---------------------r----------------------t----------------------t---------------------t------.
22 Rl 2.253,401 R§ 3.154,761 RJ 3.627,981 Rt 4.t53,571
r---------------------t----------------------l----------------------t---------------------l-------
231 Rt 2.307,931 RJ 3,231,111 Rt 3.715,771 RÍ 4.458,931
r_t_t_ t_
30t11t201A Lêi Ordinária 11967 2014 de Uberlândia MG

I ExERcÍcÍo 2015
I

I I

I Especi àl izãçio I Í€str.do I oout,


t===--:--!.'.--'...-'t----.,
1l RJ 1.798.821 RÍ 2.066,641 R$ 2.4E2,37 !

7l Rl 2.076,331 Rt 2.387,781 RJ 2.865,341


------t--------------------------t------t--------------------------l
I El Rt 2.126,5E1 Rt 2,445,551 RÍ 2.934,661
t-----------
9 RJ 2.17E,04 i RJ 2.504,7t I R! 3.005,70 |
10 Rt 2.230,75 | RJ 2.565,36 | RÍ 3.078,431

2t RJ 2.901,901 R, 1.337,19 Rt 4.004,63 |

221 RJ 2,972,131 R$ 3.417,951 Rt 4.101,541


------t--------------------------t------t--------------------------t-----------
231 RS 3.044,061 R' 1.500,661 RJ 4.200,E01
l_t_

https://leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-ordinaria/2014 h197l11967llei-o.dinaria-n-'11967-2014-dispoe-sobre-o-plano-de-carreka-do 20139


30t11t2018 Lei Ordinária 1'1967 2014 de Uberlândia MG

I EXERCICrO 2016
I

Profcssor Ir
Grâduação l Especial ização l Mestràdo l Doutorado

I Rt 1.909,351
t ------------------------- |
2l Rt 1.955,561 Rr 2.248,891 RJ 2.698,671 RÍ
r-------------------------t-------------------------t--------------'
3 RJ 2.002,881 RÍ 2.303,32t il 2,763,981 RÍ

4l Rr 2.051,151 Rs 2.359,06 RJ 2.830,871 RÍ


-----l-------------------------t-------------------------l-----l---------------
5l Rs 2.101,001 Rs 2.416,151 RÍ 2.899,381 rl
I

i:

:!

httpsr/teismunicipais.com.bÍ/a 1/mg/u/uberlandia/lei-ordinari12Ol4/1197/11967/lei-ordinaria-n-11967-2014-dispoe-sobre-o-plano{e cãneira4o.. 21t39


30t11t2018 Lei Ordinária 11967 2014 de Uberlândia L4G

I ÉXERCÍCIO 2015
I

I Profêssor Áuxiliar parã a Educaçáo rnfântil


I

I édio na Ííoda]idade Normal | Grãdsaçáo I Especlâlizaçáo | üestrado I Dor

llrj .I.284,87 I R$ 1.798,E21 Rl 2.068,641 it 2.482,371 Rt


------t--------------------------t---------------------t----------------------t--------------l-----
2lRJ .1.315,97 | RJ 1.842,351 Rt 2.118,701 R5 2.542,441 RJ

11RJ.1.3,17,81 Rt 1.886,94 | RJ 2.159,981 RS 2.603,971 R3


t--------------------------t---------------------l----------------------l--------------l-----
41Rs.1.380.43 Rt 1.932,60 | Rl 2.222,491 RS 2.666,991 RJ

5 RJ.1.413.84 Rt 1.979,37 | Rt 2.276,271 Rt 2.731,531 Rt


t--------------------------t---------------------t----------------------t--------------t-----
6 iJ .1.44E,05 I Rl 2.027 ,27 R$ 2.331,361 Rt 2.797,631 Rt
|

t--------------------------r---------------------t----------------------t--------------t-----
7) Rl 1.463,091 RS 2.076,331 it 2.387,781 R$ 2.865,341 RÍ
t--------------------------l---------------------t----------------------r--------------r----.
E Rl 1.51E,981 RJ 2.126,581 Rt 2.445,561 Rt 2.934,661 Rt
t--------------------------t---------------------t----------------------l--------------l-----
9 Rt 1,555,741 RJ 2.178,041 Rt 2.504,751 Rt 1.005,701 is
t--------------------------L---------------------t----------------------t--------------t----.
10 RÍ 1.593,391 Rt 2.230,751 RJ 2.565,361 Rt 3.076,431 Rt
t--------------t----
11 RÍ 1.531,9s1 RJ 2.264,731 Rt 2.627,441 Rt 3.152,931 RÍ
t--------------------------t---------------------t----------------------t--------------t----.
72 Rt 1,671,4Si RJ 2.340,021 il 2.691,031 R! 3.229,231 RÍ
t-------------r---------------------l-----
131 RÍ 1.711,89 Rt 2.396,651 Rr 2.755,151 RJ 3.307,361 RS
t----- ------- ------t----------------------t--------------l----.

I
I
t_

https://leismunicipais.com.br/a'1lmg/u/uberlandaa/lei-oÍdinaria/201411197111967 Aet-o'dinaria-n-11967-2014-dispoe-sobre-o-plande-câneirado 22t39


3011112018 Lei Ordinária 11967 2014 de Ubêrlândia MG

EXERCÍCIO 2016

Professor Àuxi'liar pa.ã a Educaçáo Infantil


Médio nã nodãl idedê I I Espêciâ'lizaçáo I Mêstrado
ror a'l I

r--------------------r------------------------t------------------------t--------------------t------
I 6 rt 1.sl7,o3l RJ 2.151,ô41 Rt 2.474,621 À5 2.969,541
t-----'
tl RÍ 1.574,231 RJ 2.203,921 Rt 2.534,501 iÍ 3.041,40 |
t--------------------

t------
151 RS 1.906,101 rJ 2.668,541 Rt 3.06E,621 rt 3.682,581
t--------------------t------------------------t------------------------t--------------------t-----,
161 RJ 1.9s2,221 RS 2.713,111 R$ 3.143,081 RJ 3,771,701
l--------------------t------------------------t------------------------l--------------------t-----,
I t7t RJ 1.999,471 RJ 2.799,261 Rt 3.219,141 Rt 3.E62,971

I 181 ií 2.047,861 Rt 2.867,001 Rí 3.297,051 it 3.956,461


r--------------------t------------------------t------------------------t--------------------t------

221 iÍ 2.253,401 Rr 3,154,761 RS 3.527,961 RJ 4,153,571


r--------------------t------------------------t------------------------t--------------------t------
231 Rr 2.307,931 R$ 3.231,111 Rt 3.715,771 Rt 4.458,931
t_
30t11t2018 LeiOrdinária 11967 2014 de Uberlândia MG

llcr.Cs.çáel-6p€€iali.âçãelrk6t.eC€leeut€
ltttt
I 11 1l r,698,311 ft5 3.101,96t 1J 3.733,561

| ,l ítJLt9t,99l nt 3.331,711 n3 1.Ogo,l8l


ltttt
I 51 1t ..969,051 n5 1".,"1 nt r,097,i91
ltttt
I 5l ^a r,919,9s1 rJ 3,'97,0.1 Rt 1,106,.51
+ .l R5 3,11.!'9+ Ír5 3.t81,671 1, 1.298,001
rtttt
I 8l Rl 3.1891171 nJ t.668,31 n, ..102,011

I 9l nr 3.267,961 n, a.7t7,1tl ftt 1.59t,t11


I 191 R5 3.315rr1 R$ 3,818,0t1 nt 1,617,551

I r1l 11 3,117'rgl ^' e 911,1€l nr 1',..,,91


ltttt
| 131 1J 3,519,911 1t.,!16,5.1 Rt 1,81],851
| 131 3r 3,59",981 RS r,r31,221 11 1.961,071
ltttt
I lrl Âa 3.681,981 Rt..lt1,37l RJ 5,08r,131
ltttt
| 151 na 3.7.1,081 Rr.tt6,7,l R§ 5 rC.,ogl
ltttl
I 16{ nt 1,86:,3.1 nI .,111!691 nl i.33o,Crt

I 181 1Í'r.051,511 n! 1.559,37t nr 5.591r'.1


tt+lt

ttttt
I t1+- RJ'.t52,861 eJ 5,0!5,í91 n5 6,006,9"1
ttttt
I l'l &Í ,,t8,lql -.5,26,931 R, € 15.,311
I l3l nt 1.s65,9t1 nÍ 5,151,00, nÍ 6.30r,.91

J
30t11t2018 LeiOrdinária 1'1967 2014 de Uberlândiâ MG

Especialista de Educaçáo

lEspecialização lüestrâdo
I 1l RJ 2.69E,2l Rl 3.102,961 Rt 1.723,561 Rt 4.468,27
--------- t ----------------l'
I 2l RÍ 2.763,531 Rt 3.17E,061 RJ 1.813,571 RJ 4.576,401
---------l t----------------
3t Rl 2.830,401 RÍ 1.254,971 RÍ 1.905,961 RS 4.687,151
---------l t---
---------l--,--------t--------- ----l
4) RÍ 2.898,901 Rt 3.333,741 Rt 4.000,481 RJ 4.800,581
--------l l----------l
5l Rt 2.969,0s/ Rl 3.414, {11 RJ 4.097,291 Rt 4.916,751
---------l -----------t t--------------
6t R, 1.040,901 Rt 3.497,041 RÍ 4.196,451 RS 5.035.74 |
---------l ---------------- t-----------------l
7l Rt 1.114,491 Rt 3.581,671 Rt 4.298,001 Rl 5.157,601
----l l----------------l
I 8i RJ 3.189,87i Rl 3.668,351 RÍ 4.402,011 RÍ 5.282,421
---------t- -- ---------l l----------------l
9l R, 1.267,061 Rr 3.757,121 RÍ 4.508,541 R§ 5.410,25
---------l ----------------l t----------------l
101 Rl 3.346,12 | Rr 3.848,041 Rr 4.617,651 R$ 5.541,18|
---------l
1rl Rs 3.427,101 RJ 3.941,161 4.729,401 Rt 5.675,261
---- -- ---
|
^J t----------------t
121 Rr 3.510,041 RÍ 4.036,541 RJ 4.843,851 R§ 5.812,621
---------l t-------------l t----------------l
131 RÍ 3.594,98 | RÍ 4.114,221 RÍ 4.961,07 | RJ 5.953,281
--------- | ---------------- -----------------l
|
t4l RÍ 3.661,981 Rt 4.234,271 RÍ 5,0õ1,131 Rt 6.097,15 t

--------- I ---------,------ I t----------------l


151 R3 3.771,08 | Rs 4.336,741 RJ 5.204,091 RJ 6,244,911
---------l ----------------l t----------------t
151 iJ 3.E62,34 | Rl 4.441,691 Rt 5.330,011 Rt 6.396,041
---------l t-----------------t ---------------- t-------------,-- |
171 RJ 3.955,611 RJ 4.549.181 RJ 5.,r59,021 Rl 6.550,821
---------t | ---------------- t---------------- |
181 Rt 4.051,541 Rr 4.659,271 R$ 5.591,121 it 6.709.35t
---------l t-----------------l l----------------l
191 RJ 4.r49,591 Rt 4.772,021 Rt 5.726.431 R§ 6.E71.72t
---------r ----------------l-----------------l
201 RJ 4.250,011 RS 4.887,511 RJ 5.865,011 RJ 7.038,011
------l l----------------l
211 Rt 4.352,861 Rt 5.005,79i Rt 6.006,941 RJ 7.208,111
-------l
2?l Rt 4.458,201 Rt 5.1.26,931 RÍ 6.152,111 Rt 7.382,771
l-----------------l t----------------l
231 RÍ 4.566,081 RS 5.251,001 Rt 6.301,201 iJ 7.561,441
_t (Redaçáo dada pela L€i no t2.050/ 2014)

il [:,

c
if ri.

Et!
30111t2018 LeiOrdinária 11967 2014 de Ubêrlândia MG

I r1l nÍ 3.617,691 Rt 1,+83r,.1 na 5.9t0,011

| 1,1 RI t.l.5t.:l R, t.t81,s8l Rt 5,1,r,191


'lttt
I 131 1l a.815,881 nt 1.388,351 nt 5,:65,0:l
[ 111 nt ].998,.t1 Rt t.t91,l6l trÍ 5,39t,151

| 151 1t.,991,t91 nt t,6ol,tll n3 5,5tt,871

I 161 1..,999,6.1 Rr,,111,a:l n3 5,657,551


tlttl
| 1.1 r. r.198,881 ftg 1,828r'2t n,5,791,151

I 1ôl R, 1,.91,571 nr 5,065,351 R,6.078,a11


ttttt
| 2gl R§ 1,511,+61 ng 5.187,81 1t 6,325,t01

+ 1"1 1t',7t2,1t1 Rt 5,111t951 ,lJ Í.5t9,t51

:!
30t11t20 t8 LeiOrdinária 11967 20'14 de Uberlândia MG

Especiàl i sta de Éducaçao


I I

| 6rad'raçáo I Especiàlização | üestrado I Doutorado

1l Rs 2.864,011 RJ 3.29t,631 Rt 3.952,361 RS 4.742,83


----------------t---------------
I |
I 2 Rl 2.933,34 RS 1.171,34
| RJ 4.04E,01 Rl 4.857,61
| ----------------t --------------- |
I rl RJ 3.004,ll RÍ 3.454,981 Rt 4.145,971 RJ 4.975,16
I

--t t----------------l
I 4 Rt 3.077,03 RÍ 3.5t6,591 RJ 4.246,301 RJ t.095,56
|
---------l | ---------------- | --------------- |
5l is 3.151,501 RÍ 3.624,221 Rt 4.349,061 RJ 5.216,88
---------l t-
6l Rs 1,227,76 RJ 3.711,931 it 4.454,311 RÍ 5.145.17
I ----------------- t ---------------- t--------------- l
7 Rt l.105,87 RJ 3.E01,751 iJ 4.562,101 R$ 5.474,53
| ----------------t--------------- |
a R5 l. 185 ,88 R$ 3.893,761 RS 4.672,511 R$ 5.607,01

; RJ 3.467,8r RÍ 1,967,991 RJ 4.785,581 Rt 5.742,70

10 RJ l. 551, 73 R$ 4.084,491 R$ 4.901,391 RJ 5.8E1,67

;; R$ 3.637,69 Rl 4.183,341 Rr 5.020,011 RS 6.024,01

12 RJ 3.725,72 Rl 4.284,581 RJ 5.141,491 R$ 6.169,791


t---------l
,; RJ 3 - 815 ,88 Rt 4.186,261 RJ 5.265,92J Ri 6.319,101
l----------------t
14 Rt 1.908.21 Rl 4,494,461 RÍ 5.393,351 RJ 6.472,021
-;; l----------------l
RÍ 4.002,80 RJ 4.603,221 iÍ 5.s23,871 RJ 6.628,641
t---------------l
16 RJ 4.099,67 RJ 4.714,621 RJ 5.6t7.551 RJ 6.7E9,061
. -;; l---------------l
RJ 4.198,88 Rt 4.82E,721 Rt 5.794,461 R5 6.953,351
t----------------t--------------- |
18 Rl 4.100, s0 Rs 4.945,571 R3 5.934,691 RÍ 7.121,621

I ,; Rt 4.404,57 RÍ 5.065,251 Rl 6.078,311 Rt 7.293,97 |


t---------------l
20 RJ 4. t11,16 RJ s.187.831 RJ 6.225,101 RJ 7.470,481
.. .,; t----------------l
RJ 4.620,31 Rt 5.311,381 RJ 6.376,061 R$ 7.6S1,271
t---------------l
22 Rs 4. 732,14 RÍ 5.441,961 Rr 6,510,361 Rt 7.836,431
r---------------- | --------------- |
;; RJ 4.846,66 Rl 5.573,661 RÍ 6.688,391 iJ 8.026,071
(Rêdàçáo dadà pela Lei no 12.050/2014)

ANEXO II

LISTA DE AMBIENTES ORGANIZACIONAIS

| - Governança Organizacional:

O Ambiente Organizacional de Governança Organizacional tem por Íinalidade â execução de ações


voltadas para a organização dos sistemas gerenciais internos que sejam necessários ao
funcionamento e ao cumprimento dos ob.ietivos atinentes a cada área funcional de resultados da
AdministraÇão Municipal, assim como ao controle das atividades exercidas.

ll - Sustentabilidade Social

O Ambiente Organizacional de Sustentabilidade Social tem por finalidade a êxecução de ações que
sejam necessárias à promoÇão humana da população em termos educacionais, assistência e
prevenção à saúde, programas sociais de elevaçáo da dignidade e da cidadania das pessoas, ecologia
e meio ambiente, cultura, esporte, lazer, segurança pública, visando ao desenvolvimento social da
comunidade.

lll - Sustentabilidade Econômica:

O Ambiente Organizacional de Sustentabilidade Econômica tem por Íinalidade a execução de ações


que promovam o desenvolvimento empresarial do MunicÍpio, o espÍrito empreendedor e a elaboração
30111t2018 LeiOrdinária 11967 20'14 de Ubêrlândia MG

de projetos para a estruturação e o desenvolvimento da economia local, gerando empregos, trabalho e


renda, bem como o crescimento da arrêcadação municipal.

lV - lnÍraestrutura:

O Ambientê Organizacional de lnfraestrutura tem por finalidade a execução de ações voltadas para o
desenvolvimento da infraestrutura de serviços, construção e manutenção de êquipamentos urbanos,
assim como a execução de obras quê são disponibilizadas às comunidades municipais, de forma a
propiciar a melhoria da qualidade de vida da população.

ANEXO III

LISTA DE CARGOS E ESPECIALIDADES DO PLANO DE CARREIRA

ESPECIALIDÁDÉ
-====-t:=--====-====:!=:==,-=l
Educâdor rnfantí l lÊducâdor rnfantil r I

t-----------------------------------------------l
I lEducador Ínfantil rr I

1a!!::!::-:!-:r::-1-araa:-----------.-...-tIj*;:1!rr::tj!-:rr:r:-..--.-.-..--.-.--tl
Intérprete de Língua dê sinâis lrntérpretê de Língua dê sinâis I

Prof€ssor r lprofessor I

-------l---------------------------l
Profêssor u loocêntê I

Professor auxiliar para Educâçáo rnfantil lProfessor auxi liar I

lInspetor Esco'lâr I

lo.i€ntador Escolâr
I
I

-----------------------------------------------t -l
lsupervisor Esco]ar I

ANEXO IV

DESCRIÇÃO DAS ATRIBUIÇOES DAS ESPECIALIDADES

CARGO: EDUCADOR INFANTIL

ESPECIALIDADE: EDUCADOR INFANTIL I

ArRtBUtÇÓES
- Confeccionar recursos materiais, utilizados nas atividades lúdico-educativas;
- Auxiliar o professor no desenvolvimento das atividades lúdico-pedagógicâs;
- Acompanhar, orientar, estimular e executar a higiene pessoal das crianças, observando as altêÍações
em termos de saúde e nutrição;
- Ensinar às crianÇas hábitos de limpeza, higiene, disciplina e tolerância entre outros atributos morais e
sociais;
- Organizar, conseryar e cuidar da higienização do material lúdico-pedagógico, equipamentos e
quaisquer outros materiais utilizados pelas crianças;
- Preencher o íormulário de frequência das crianças;
- Estimular, preparar e acompanhar o repouso das crianças;
- Auxiliar nas atividades de promoÇão da integração escola-família-comunidade, por meio de reuniões
com pais, professores e demais profissionais de ensino;
- Socorrer a criança em casos de pequenos acidentes e de emergência, tomando as providências
necessárias, segundo orientação recebida do proÍissional da área, levando-a ou encaminhando-a ao
posto dê saúde ou médico mais próximo, informando os pais ou responsáveis;
- Organizar todo material referente às ativldades com as crianças, assim como roupas, toalhas,
produtos de higiene pessoal e calçados de uso das crianÇas;
- Executar atividades de higienização das crianças, como banho, troca de Íraldas, escovação de
httpsJ/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia,/lei-ordinaria/20'l4i 1197/11967/lei-ordinaria-n-1'1967-2014-dispoe-sobre-o-plano-de-carreira-do 2A139
3011112018 Lêi Ordinária 11967 2014 de Ubertândia MG

dentês, limpeza das mãos, entre outras;


- Participar das atividades adminislrativas, de controle e apoio referentes à sua área de atuação;
- Auxiliar na organização e promoção de trabalhos complementarês de caráter cÍvico, cultural e
vocacional ou recreativo, conscientizando os educandos e orientando para incentivar o espírito de
liderança dos alunos e concorrer para a sociabilização e formação integral dos mesmos;
- Exêcutar outras atribuições da mesma natureza e responsabilidade.
- Participar de eventos e cursos formação continuada.

PRÉ.REQUISITOS PARA PROVII\,4ENTO DO CARGO/ESPECIALIDADE

Formagão: Ensino Médio

CARGO: EDUCADOR INFANTIL

ESPECIALIDADE: EDUCADOR INFANTIL ll

ATRIBUIÇÔES
- Desenvolver e executar atividades lúdico-pedagógicas, orienlando e avaliando os resultados de sua
aplicação;
- Confeccionar recursos materiais utilizados nas atividades lúdico-educativas;
- Auxiliar o professor no desenvolvimento das atividades lúdico-pedagógicas;
- Desenvolver, atividades lúdico-educativas, oferecendo materiais que incentlvem a criatividade, a
habilidade, entre outros, para possibilitar o desenvolvimento intelectual, psicomotor e social da criança;
- Acompanhar, orientar, estimular e executar a higiene pessoal das crianças, observando as alterações
em termos de saúde e nutrição;
- Ensinar às crianças hábitos de limpeza, higiene, disciplina e tolerância entre outros atributos morais e -t
sociais;
- Auxiliar na solução de problemas individuais dos alunos, encaminhando ao especialista os casos em
que seja necessária assistência especial;
- Organizar, conseryar e cuidar da higienização do material lúdico-pedagógico, equipamentos e
quaisquer outros materiais utilizados pelas crianÇas;
- Preencher o formulário de frequência das crianças;
- Estimular, preparar e acompanhar o repouso das crianças; .
- Auxiliar nas atividades de promoção da integração escola-família-comunidade, por mêio de reuniões
com pais, proÍessores e demais profissionais de ensino;
- Socorrer a criança em casos de pequenos acidentes ê de emergência, tomando as providências
necessárias, segundo orientação recebida do proflssional da área, levando-a ou encaminhando-a ao
posto de saúde ou médico mais próximo, inÍormando os pals ou responsáveis;
- Organizar todo material refêrente às atividades com as crianças, assim como roupas, toalhas,
plodutos de higiene pessoal e calçados de uso das crianças;
- Executar atividades dê higienização das crianças, como banho, troca de fraldas, escovação de
dentes, limpeza das mãos, entre outras;
- Participar das atividades administrativas, de controle e apoio referentes à sua área de atuação;
- Auxiliar na organizagão e promoção de trabalhos complementares de caráter cívico, cultural e
vocacional ou recrealivo, conscientizândo os educandos e orienlando para incentivar o espírito de
liderança dos alunos e concorrer para a sociabilização e formação integral dos mesmos;
- Participar de eventos e cursos de Íormação continuada;
- Executar outras atribuições da mesma natureza e responsabilidade.

PRÉ-REOUISITOS PARA PROVIIVENTO DO CARGO/ESPECIALIDADE

FormaÇão: Ensino médio, na modalidade normal, Õu Curso Normal Superior ou Pedagogia

CARGO: INSTRUTOR DE L|NGUA DE SINAIS


httpsr/leismunicipais.com.br/a 1/mg/u/uberlandia/lei-ordinaria/2014/1'197/1'1967/lei-ordinaria-n-'l t 967-2014-dispoe-sobre-o-plano{ecaneirado 29/39
30111/2018 Lêi Ordinária 1'1967 2014 de Uberlândaa MG

ESPECIALIDADE: INSTRUTOR DE LÍNGUA DE SINAIS

ATRTBUTÇÔES
- Ensinar LIBRAS para crianças, jovens e adultos com surdez, utilizando metodologia especÍfica, em
grupos ou individualmente;
'Preparar professores, demais educadores das escolas e comunidade em relação ao domínio da
língua de sinais;
- VeriÍicar as condições e o estado de conservaÇão dos recursos pedagógicos a ser utilizados,
providenciando ou confêccionando, se houver necessidade, para assegurar a correta execução de
tarefas e âtividades programadas;
- Determlnar as sequências das atividades a ser executadas pelos alunos, orientando-lhes,
individualmente ou em grupo, sobre a forma correta de execuÇão das atividades;
- Acompanhar e avaliar o processo de ensino-aprendizagem da língua de sinais, propondo alternativas
de melhorias para atender às necessidades dos alunos;
- l\4otivar e aconselhar os alunos, a Íim de contribuir para a incorporação de hábitos e atitudes que
íacilitem o desenvolvimento psicossocial dos mesmos;
- Executar outras atribuições da mesma nalweza e responsabilidade.

PRÉ.REQUISIToS PARA PRoVIMENTo Do CARGo/ESPECIALIDADE

Formação: Ensino Médio e certiÍicado de Íormação e qualiÍicaçáo para lnstrutores de LÍngua Brasileira
de sinais emitidos pelo Ministério da Educação - MEC ou Associações de pessoas com surdêz ou
Federação Nacional de Educação e lntegração dos surdos - FENEIS ou centro de capacitação de
ProÍissionais da Educação e Atendimento às Pessoas com surdez - cAS ou centro Municipal de
Estudos e Projetos Educacionais Julieta Diniz - CEIvlEpE, dentre outros.

CARGO: INTERPRETE DE LíNGUA DE SINAIS i


ESPECIALIDADE: INTERPRETE DE LÍNGUA DE SINAIS

ATRIBUIÇÓES
'TêduziÍ e interprêtar palavras, convêrsações, narrativas, palestras, atividades didático-pedagógicâs,
reproduzindo em Libras ou na modalidade oral da Língua Portuguêsa o pensamento e a intenção do
emissor;
- Assessorar nas atividades de ensino e pesquisa;
- Examinar previamente o texto original a ser traduzido/interpretado, quando possível;
- Transpor o texto para a Língua Brasileira de Sinais, consultando dicionários, outras fontes de
informações, considerando as diÍerenÇas regionais;
- lnterpretar as produções de textos, escritas ou sinalizadas das pessoas surdas;
- Executar outras atribuiÇõês da mesma natureza e responsabilidadê.

PRÉ.REQUISITOS PARA PROVIMENTO DO CARGO/ESPECIALIDADE

Formação: Ensino Médio e certiÍicado de formação e qualiÍicâção de Língua Brasileira de Sinais


emitidos pelo Ministerio da Educação - MEC ou Associações de Pessoas com Surdez ou Federação
Nacional de Educação e lntegração dos Surdos - FENEIS ou Centro de Capacitação de Profissionais
da Educação e Atendimento às Pessoas com Surdez - CAS ou Centro Municipal de Estudos e Projetos
Educacionais Julieta Diniz - CEMEPE, dentre outros.

CARGO: PROFESSOR I

ESPECIALIDADE: PROFESSOR
301111201A Lêaordinária í1967 2014 de Ubêdândiâ Mc

ATRIBUIÇÔES
- Ministrar aulas, atividades pedagógicas planejadas, propiciando aprendizagens signiÍlcativas para os
educandos, dêsde a Educação lnfantil ao 50 Ano do Ensino Fundamental;
- Elaborar programas e planos de trabalho no que for de sua competência, de acordo com a proposta
pedagógica da escola e de seu regimento escolar;
- Seguir as diretrizes político-pedagógicas da Rede Pública Municipal de Ensino, respeitadas as
peculiaridades da unidade educativa, integrando-se à ação pedagógica, como copartÍcipe na
elaboração e execuÉo da mesma;
- Acompanhar e avaliar o desenvolvimento do processo pedagógico dos educandos, atribuindo-lhes
notas ou conceitos, registrando frequência e avaliações nos pÍazos Íixados, bem como relatórios de
aproveitamento, de acordo com o regimento escolar;
- Promover aulas e trabalhos de recuperação paralela com os educandos que apresentem necessidade
de atenÉo especíÍica;
- Participar das reuniões de pais, reunlões pedagógicas, encontros de Íormação, seminários e outros
da mesma natureza, promovidos pelo MunicÍpio;
- Realizar os planejamentos, registros e relatórios necessários ao processo pedagógico;
- Participar ativamentê do processo de integração da escola-famÍlia-comunidade;
- Observar e registrar o processo de desenvolvimento dos educandos, tanto individualmente como em
grupo com o objetivo de acompanhar o processo de ensino-aprendizagem;
- Executar outras atribuições da mesma natureza e responsabilidade.

PRÉ-REQUISITOS PARA PROVIMENTO DO CARGO/ESPECIALIDADE

Formação: Nível Técnico, modalidade Normal ou Magisterio.

CARGO: PROFESSOR ll
{

ESPECIALIDADE: DOCENTE

ATRIBUIÇÕES
- Ministrar aulas, atividades pedagógicas planejadas, propiciando aprendizagens sígnificâtivas para os
educandos, desde a êducação infantil ao go (nono) ano do Ensino Fundamental;
- Elaborar programas e planos de trabalho no que Íor de sua competência, de acordo com a proposta
pedagógica da escola e seu regimento escolar;
- Seguir as diretrizes político-pedagógicas da Rêde Pública Municipal de Ensino, respeitadas as
peculiaridades da unidade educativa, integrando-se à ação pedagógica, como copartícipe na
elaboraÉo e execução da mesma;
- Acompanhar e avaliar o desenvolvimento do processo pedagógico dos educandos, atribuindoihes
notas ou conceitos, registrando a frequência e avaliações nos prazos fixados, bem como relatórios de
aproveitamento, de acordo com o regimenlo escolar;
- Promover aulas e trabalhos de recuperação paralela com os educandos que apresentem necessidade
de atençáo específica;
- Participar das reuniÕes de pais, reuniões pedagógicas, encontros de formação, seminários e outros
da mesma natureza, promovidos pelo Município;
- Realizar os planejamentos, registros e relatórios necessários ao processo pêdagógico;
- Participar ativamente do processo de integraÇão da escola-família-comunidade;
- Observar e registrar o processo de desenvolvlmento dos educandos, tânto individualmente como em
grupo com o objetivo de acompanhar o processo de ensino-aprendizagem;
- Executar outras atribuições da mesma natureza e responsabilidade.

PRE-REOUISITOS PARA PROVITVENTO DO CARGO/ESPECIALIDADE

Formação: Normal Superior ou Licenciatura Plêna com observância da área de conhecimento.


30t11t201a LêiOrdinária 11967 2014 de Uberlândiâ MG

CARGO: PROFESSOR AUXILIAR PARA EDUCAçÃO INFANTIL

Especialidade: PROFESSOR AUXILIAR

ATRIBUIÇÓES
- Atuar em atividades de educação infantil, atendendo, no que lhe compete, a criança que, no inÍcio do
ano letivo, possua idade variável entre 0 (zero) e 5 (cinco) anos e 8 (oito) meses;
- Executar atividades baseadas no conhecimento científico acerca do desenvolvimento integral da
criança de ate 5 (cinco) anos e 8 (oito) meses de idade, consignadas na pÍoposta político-pedagógica;
- Organizar tempos e espaços que privilegiem o brincar como Íorma de expressão, pensamento e
interação;
- Desenvolver atividades objetivando o cuidar e o educar como eixos norteadores e indissociáveis do
desenvolvimento iníantil;
- Assegurar que a criança na educação infantil tenha suas necessidades básicas de higiene,
alimentação, saúde, seguÍança e bem-estar atendidas de forma adequada;
- Executar atividades de higienização das crianças, como banho, troca de fraldas, escovação de
dentes, limpeza das mãos, entre outras atividades;
- Propiciar situações em que a criança possa construir sua autonomia;
- lmplementar atividades que valorizem a diversidade sociocultural da comunidade atendida e ampliar o
acesso aos bens socioculturais e artísticos disponíveis;
- Executar suas atividades, pautando-se no respeito à dignidade, aos direitos ê às especiÍicidadês da
I
criança de ate 5 (cinco) anos e (oito) meses de idade, em suas diferenças individuais, sociais,
econômicas, culturais, étnicas, religiosas, sem qualquer discriminação;
- Colaborar e participar de atividades que envolvam a comunidade;
- Colaborar no envolvimento dos pais ou de quem os substitua no processo de desenvolvimento
infantil;
- lnteragir com os demais profissionais da instituição educacional na qual atua, para construção
coletiva do projeto político-pedagógico;
- Participar de atividades de qualiÍicação proporcionadas pela administração municipal; -Íl
- Participar de atividades vinculadas à formação permanente;
- Refletir e avaliar sua prática proÍissional, buscando aperfeiçoá-la;
- Planelar e executar o trabalho docentê dentro da especiÍicidade da educação inÍantil;
- Acompanhar e avaliar sistematicamente o processo educacional, fazêndo os registros necessários,
inclusive apurar a frequência diária;
í :,,i
- Executar outras atribuições da mesma natureza ê responsabilidade.
:e t:, ':1
I
TBI
PRE-REQUISITOS PARA PROVIMENTO DO CARGO/ESPECIALIDADE
LrÉ
Formação: Ensino Médio completo na Modalidade Normal.

êARêê*+EDn€O€ê
CARGO: ESPECIALISTA DE EDUCAÇÃO (Redação dada pela Lei no 12.050120141

ESPECIALIDADE: INSPETOR ESCOLAR

ATRIBUIÇÓES
- Orientar, assistir e inspecionar de forma geral o processo administrativo e pedâgógico das escolas,
elaborando termo de visita de forma fidedigna;
- Normatizar junto à Secretaria Municipal de Educaçáo as aÇões pertinentes aos estabelecimentos de
ensino da rede pública municipal e CEMEPE, em conformídade com a legislação vigente;
- Emitir pareceres referentes às questões educacionais para os diversos órgãos do Município de
Uberlândia, outros órgãos públicos e entidades privadas;
- Organizar e acompanhar todo o processo dê atendimento à demanda escolar como realização de
inscrições, classificação dos inscritos e efetivação de matrículas;
- Colaborar com a equipe da escola em projetos e experiências pedagógicas que proponham melhoria
httpsr/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-ordinaria/20'14/1197/'11967/lei-ordinariâ-n-1 1967-20'14-dispoe-sobre-o-plano-de-carreira-do 32/39
30t11t2018 LeiOrdinária 11967 2014 de Uberlândia MG

do processo de ensino-aprendizagem;
- OÍientar quanto ao atendimento dos alunos defasados em conteúdo e em ano/idade;
- Analisar e propor medidas necessárias para regularizaÉo da vida escolar do aluno;
- Orientar quanto ao preenchimento correto do Educacenso, livro de ponto, diários de classe, livro de
transferências expedidas, Iivro de registro de matrículas, livro dê atas de resultados finais, livro de atas
de exames especiais, Íicha de matrículâ, histórico escolar, ficha individual, sistema web;
- VeriÍicar sempre que necessário a documentação dos alunos, dando alenção especial aos anos
iniciais e Íinais e passar as orientaÉes necessárias;
- Analisar, junto à equipe pedagógica, os casos de classiÍicação e reclassiÍicação, dando as devidas
orientações;
- Acompanhar a elaboração e implementaÉo do Projeto Político-Pedagógico da êscola;
- lncentivar, participar e apreciar as atividades culturais promovidas pela escola, visando ao
fortalecimento da relação entre família e escola;
- Promover a integração entre o pessoal da escola, proporcionado um trabalho de equipe;
- Onentar a escola na elaboraÉo e atualização do regimento escolar, quadro curricular e calendário
escolar, resguardando as normas legais vigentes, acompanhando o seu cumprimento;
- Analisar, periodicamente, os resultados das âvaliações escolares com a equipe pedagógica da
escola, para adoção de novas metodologias e técnicas de ensino;
- Atender as solicitações advindas da Secretaria Municipal de Educação ou de outros órgãos na
averiguação e proposição de ações para a solução de problemas;
- O[ientar quanto ao preenchimento de documentos reíerentes à escrituração êscolar;
- Participar de reuniões, esludos, pesquisas, encontros e cursos de apeíeiçoamento oÍerecidos pela
Secretaria Municipal de Educação e outros órgãos:
- Acompanhar o trabalho de validação de atos escolares, quando necessário;
- Fazer a escrituração inerente à função e entregá-la em tempo hábil;
- Participar de sindicância por determinação de autoridade competente; -í
- Orientar o processo de autorização das escolas;
- Promover a interação entre a escola e a Secretaria Municipal de Educação e vice- versa;
- Zelar pela coerência da política educacional com as necessidades do processo ensino-aprendizagêm
dentro da escola, com competência técnica;
- Consolidar dados estatísticos para controle, divulgaÇão e providências cabíveis que vislumbrem a
qualidade da educação;
- Assessorar pedagogicamente o processo ensino-aprendizagem dos estabelecimentos de ensino;
- Acompanhar juntâmente com o gestor e a Assessoria de Desenvolvimento Humano da Secretaria
Municipal de Educação o processo de êlaboração e aplicação do fluxograma de turmas, alunos e
profissionais das escolas;
- Participar no processo de elaboração de legislações pertinentes à educação;
- Realizar plantões dê atendimento à comunidade escolâr no setor de coordenação da lnspeção
Escolar;
- Prestar assessoria ao Conselho Municipal de Educação;
- Executar oulras atribuições da mesma natureza e responsabilidade.

PRÉ-REQUISIToS PARA PRoVIMENTo Do CARGo/ESPECIALIDADE

Formação: Graduação em Pedagogia, com habilitação na área de lnspeção Escolar, ou Habilitação em


Pedagogia - Licenciatura, ou llcenciado em qualquer área, com pós-graduaÉo lato sensu -
especialização em lnspeção Escolar.

Experiência: no mínimo seis meses de docência adquirida em qualquer nÍvel ou sistema de ensino
público ou privado.

CAR€€++EDA€€€ê
CARGO: ESPECIALISTA DE EDUCAÇÁO (Redação dada pela Lei no 12.050120141

W
https://leismunicipais.com.br/a 1/mg/u/uberlândia/lei-ordinaria/201411197/11967/lei-ordinaria-n11967-2014-dispoe sobre{-plano-de-carÍelra{o 33/39
30111t20',t8 LêiOrdinária 11967 2014 de Uberlândiâ MG

ESPECIALIDADE: ORIENTADOR EDUCACIONAL (RedâÇão dada pela Lei no 12.05012014)

ATRIBUIÇÔES
-Coordenar a elaboração coletiva e acompanhar a efetivação do Projeto Político Pedagógico da
unidade escolar, avaliando e reelaborando-o periodicamente, alinhando-o às polÍticas públicas de
educação;
Elaberar e implementaíi juntamente 6om a êquipe pedagágiGa da instituíçãê; seu Planê de
^gãe;
gnsine+e-Ugergnei+
- Elaborar e implêmentar, juntamente com a equipe pedagógica da instituição, seu Plano de Ação,
tendo como referência as diretrizes para o trabalho dos Especialistas de Educação na Rede Pública
Municipal de Ensino de Uberlândia; (Redação dada pela Lei no 12.O50t2O14)
- Acompanhar diariamente o processo didático-pedagógico desenvolvido no âmbito êscolar por meio
de entrevistas, aconselhamentos e encaminhamentos, quando necessários, a outros profissionais;
- Planejar e replanejar situações didático-pedagógicas a partir das dificuldades identiÍicadas nas
avallações, visando à aprendizagem qualltativa dos alunos;
- Proceder à análise dos dados do aproveitamento escolar, de Íorma a desencadear um processo de
avaliação e reflexão sobre esses dados, junto à comunidade escolar, com vistas a promover a
aprendizagem de todos os alunos;
- Propiciar aos educandos a aquisição de conhecimentos sobre diversas profissões, de interesse dos
mesmos, informando-os acerca dê ocupações existentes no país, requisitos para ingresso nos diversos
tipos de trabalho e sobre remunerações, ou levando-os a conhecerem pessoalmente estes dados, para
possibilitar-lhês escolhas na vida proÍissional;
- Auxiliar na resolução dê problemas dos alunos, aconselhando-os sobre suas condutas ou
encaminhando ao especialista os casos que exigem assistência especial,
- Promover a integração escola-Íamília-comunidade, organizando reuniões com os pais, professores,
para possibilitar a utilizaÇão de todos os meios capazes de rcalizat a educaÇão integral dos alunos;
- Coordenar e acompanhar o processo de avaliação no contexto escolar, identiÍlcando casos que
necêssitam de intervenção pedagógica:
- Coordenar, acompanhar, orientar e avaliar a efetivação do processo didático-pedagógico;
- Orientar o corpo docente no desenvolvimento de suas potencialidades profissionais, assessorando-o
técnica e pedagogicamente, para incentivar-lhe a criatividade, o espírito de autocrítica, o espírito de
equipe e a busca do aperfeiçoamento;
- Auxiliar o processo de êlaboração dos Planos de Trabalho do Docente, promovendo a melhor
utilizaÇão de todos os espaços da instituição, como salas de aula, biblioteca, laboratórios, quadra, r
pátio, dentre outros;
- Promover a construção de estratégias pedagógicas para a superação de todas as formas de
discriminação, preconceito e exclusão social;
- Desenvolver a formação continuada in loco, promovendo e coordenando rêuniões pedagógicas e
grupos de estudo para reflexão e aprofundamento de lemas relativos à prática pedagógica, visando à
elaboração de propostas de intervenção para a qualidade do ensino;
- Subsidiar o aprimoramento teórico-metodológico do coletivo de proÍissionais do estabelecimento de
ensino, promovendo estudos sistemáticos, pesquisas, trocas de experiências, debates, oficinas
pedagógicas;
-Coordenar e participar de Conselhos de Classe, juntamentê com os outíos membros da Equipê
Pedagógica, discutindo as situaÇões de aprendizagem de todos os alunos e buscando estratégias para
sua melhoria;
- ldentiÍicar junto aos professores, alunos que tenham diÍlculdades e/ou necessidades de atendimentos
especializados, encaminhando-os sempre que necessário;
- Promover reuniões junto aos profissionais de serviço especializado e de apoio escolar, que atendem
alunos com necessidades educativas especiais ou alunos com dificuldades de aprendizagem, visando
ao intercâmbio de informaçôes, à troca de experiências e à articulação do trabalho pedagógico entre
Educação Especial e Ensino Regular;
- Auxiliar na promoÇão das relaçóes interpessoais no âmbiente de trabalho com colegas, alunos, pais e
demais segmentos da comunidade escolar;
- Assessorar o gestor da escola nos aspectos pedagógicos, na elaboração, no desenvolvimento e na
3011112018 Leiordinária 1.1967 2014 de ubertãndia MG
avaliação de atividades que buscam a integração entre a escola-comunidade, bem como entre a
escola e outras instituições afins;
- Executar outÍas atribuições da mesma natureza e responsabilidade.

PRÉ-REOUISITOS PARA PROVIMENTO DO CARGO/ESPECIALIDAOE:

Formação: Graduação êm Pedagogia, com habilitação na área de Orientagão Escolar, ou Graduação


em Pedagogia - Licenciatura, ou llcenciado em qualquer área com pós-graduação lalo sensu -
especializaçáo em Orientação Escolar.

Experiência: no mÍnimo seis meses de docência adquirida em qualquer nÍvel ou sistema de ensino
público ou pÍivado.

CARGO: PEDAGOGO

ESPECIALIDADE: SUPERVISOR ESCOLAR

ATRtBUtÇÔES
-Coordenar a elaboração coletiva e acompanhar a efetivação do Projeto Político Pedagógico da
unidade escolar, avaliando e reelaborando-o periodicamente, alinhando-o às políticas públicas de
educação;
- e implementar, juntamente com a equipe pêdagógica da instituição, seu Plano de Ação,
Elaborar
tendo como referência as diretrizes para o trabalho dos pedagogos na Rede Públcia Municipal de
Ensino de Uberlândia;
- Acompanhar diariamente o processo didático-pedagóglco desênvolvido no âmbito escolar por meio
de entrevistas, aconselhamentos e encaminhamentos, quando necessários, a outros proÍissionais;
- Planejar e replanejar situações didático-pedagógicas a partir das diÍiculdades identiÍicadas nas
avaliações, visando à aprendizagem qualitativa dos alunos;
- Proceder à análise dos dados do aproveitamento escolar, de forma a desencadear um processo de
avaliaçáo e reflexão sobre esses dados, junto à comunidade escolar, com vistas a promover a
aprendizagem de todos os alunos;
- Propiciar aos educandos a aquisição de conhecimentos sobre diversas proÍissões, de interesse dos
mesmos, informando-os acerca de ocupações existentes no país, requisltos para ingresso nos diversos
tipos de trabalho e sobre remunerações ou levando-os a conhecerem pessoalmente estes dados, para :.
possibilitar-lhes escolhas na vida profissional;
- Auxiliar na resolução dê problemas dos alunos, aconselhando-os sobre suas condutas ou ,

encaminhando ao especialista os casos que exigem assistência êspecial;


- Promover a integração escola-família-comunidade, organizando reuniões com os pais, professores,
para possibilitar a utilização de todos os meios capazes de realizar a educação integÍal dos alunos;
- Coordenar e acompanhar o processo de avaliação no contexto escolar, identiflcando câsos que
necessitam de intervençáo pedagógica;
- Coordenar, acompanhar, orientar e avaliar a efetivação do processo didático-pedagógico;
- Orientar o corpo docente no desenvolvimento de suas potencialidades profissionais, assessorando-o
técnica e pedagogicamente, para incentivar-lhe a criatividade, o espÍrito de autocrítica, o espírito de
equipe e a busca do aperfeiçoamento;
- Auxiliar o processo de elaboração dos Planos de Trabalho do Docente, promovendo a melhor
utilizaçâo de todos os espaços da instituição, como salas de aula, biblioteca, laboratórios, quadra,
pátio, dentre outros;
- PÍomover a construção de estratégias pedagógicas para a superação de todas as formas de
discriminação, preconceito e exclusão social;
- Desenvolver a formação continuada ln ,/oco, promovendo e coordenando reuniões pedagógicas e
grupos de estudo para reflexão e aprofundamento de temas relativos à prática pedagógicâ, visando à
elaboraÇão de propostas de intervenção para a qualidade do ensino;
- Subsidiar o aprimoramento teórico-metodológico do coletivo de profissionais do estabelecimento de
ensino, promovendo estudos sistemáticos, pesquisas, trocas de experiências, debates, oficinas
httpsr/leismunicipais.com.bía1/mg/u/uberlandia/lei-ordinaria/20'14/1197/11967/lei-ordinaria-n-11967-2014-dispoe-sobre-o-planode-caneira{o.,. 35/39
3011112018 Lei Ordinária 11967 2014 dê Uberlândia MG

pedagógicas;
- CoordenaÍ e participar de Conselhos de Classe, juntamentê com os outros membros da Equipê
Pedagógica, discutindo as situações de aprendizagem de todos os alunos e buscando estratégias para
sua melhoria;
- ldêntificar junto aos professores, alunos que tenham diÍiculdades e/ou necessidadês de atendimentos
especializados, encaminhando-os sempre que necessário;
- Promover reuniões junto aos proÍissionais de serviço especializado e de apoio escolar, que atendem
alunos com necessidades educativas especiais ou alunos com diÍiculdades de aprendizagem, visando
ao intercâmbio de inÍoÍmações, à troca de experiências e à articulaçáo do trabalho pedagógico entre
Educação Especial e Ensino Regular;
- Auxiliar na promoção das relações interpessoais no ambiente de trabalho com colegas, alunos, pais e
demais segmentos da comunidade escolar;
- Assessorar o gestor da escola nos aspectos pedagógicos, na elaboraÇão, no desenvolvimento e na
avaliação de atividades que buscam a integraÇão entre a escola-comunidade, bem como entre a
escola e outras instiluições aÍins.
- Executar outras atribuições da mesma natureza e responsabilidade.

PRÉ-REOUISITOS PARA PROVIMENTO DO CARGO/ESPECIALIDADE

Formação: Graduação em Pedagogia, com habilitação na área de Supervisão Escolar, ou Graduação


em Pedagogia - Licenciatura, ou licenciado em qualquer área com pós-graduação lato sensu -
especialização em Supervisão Escolar.

Experiência: no mínimo seis mesês de docência adquirida em qualquer nível ou sistema de ensino
público ou privado.

ANEXO V

TABELA DE ENQUADRAMENTO DE CARGOS E ESPECIALIDADES

I c^RGo I EspEcraLrDÀDE I catco axrErroR I


t----..-_-:--.t-!.:----_t--E_____t_:ry
lEducador hfantil lEdrrcador rnfantil r lEducedor Infanti]
tttt I

I lEducador hfantil tr I I

Instrutor d€ Lí.gua dê sinais llnstrutor de Lihgua de sinais llnstrutor dê Língua de sinâis

Intérprete de Línquâ de 5ihâis lhtérprêtê d€ Lingua dê sinais llntérprêtê de Línguâ dê sinals


professor r lprofêssor lprofêssores cojo rêquisito dê lngrêssol
I lno cârgo original foi I 'r ..1
I lhasi stério/noma'l I .r
profêssor
t--------------------t--------------------
rr lDocente lprofessor cujo requislto dê ingrêssol
I lno cargo or-iginâ'l foi g.aduaçáo I

lEspe.i ali sta dê Educãçáô lhspêtor Escolar lEsp€ci âlista dê Educaçáol


Itêdesege I l(rnspêtor Escolar) ê rnspetor Escolâr I

I e+iêá+.dô+-+€€€l* l5€f€€irl-i€+â---- l
I I (e.i€ntàCe. €s€slar) c e.iênr-de. I

I lEÊ€êli+ I

I orientàdor Educacional lEspeciâlista de Educaçáo I

I l(orientador Éducàcionàl ) e orientadorl


I lEduca.ional I

I supervi sor Escotar lEspêcialistâ dê Educaçáol


I l(supervi5or EscolÀr) . supêrvisorl
I lEscol ar I
I

ANEXO VI
TABELAS DE CONVERSÃO E CRITÉRIOS DE ENQUADRAMENTO
30111t2018 Lei Ordinária 11967 20'14 do Uberlândia MG

l---------------l
4l 3l

5 3l
t---------------l
6 4l

7 4l

t---------------l
151 8
I---------------l
I

n
I

I
ii'i...
t---------------l
I

.* 5_

i2 i\a

EL{

ANEXO VII
TERMO DE OPÇÃO
30t11t2018 Lei Ordinária 11967 2014 de Uberlándia MG

PLAI{O DE CÁRiEIRÁ OO5 SERVIDOREs PÚALICOS OO QUADRO DA ÉDUCÀçÃO OÁ REOE I

PÚBLICA T4UNICIPAL DE ENSINO DE UBERLÀNOIA I


TERXO DE OPçÃO I
-=-:====--=:l
DADOS DO SERVIDOR: I

INOME:

vênho, nos terros da tei coiplêínêÍrtar nô xx, de xx dê xxxxxxxx de 2014, I


obs€rvado o disposto no capítulo vrr, optar, en caráter i rretratávê'l, porl
int€grar o Plaão de carrei.a dos sêrvidores do Ouad.o da Éducaçáo da Redel
:::lr:1:::r:tIl :: :::r:: 1::::lit:ti:_- _ __ ____-_-----------_-_---1,

:i]i::::l:it:i-:-::i:iT:1
uhêrláídlà - r.G / /
.--l
'
I
I
assi natura do servidor I

órgáo r.runi.ípio)

assinatura/MâtrJcu'la ou carinbo do sêívidor dà comissão de Enqu.drahento

ANEXO VIII

QUANTITATIVO DE VAGAS EXISTENTES E CRIADAS

-n

| -------------------------------t------------------------------- |

lEspecialista de Educação 4911 801 (Redação dadâ pêla rei n.

.O número de vagas existentes inclui o número de vagas dos cargos equivalentes da Lei
Complementar no 347 12004

ANEXO IX
TABELA DE
ESPECIALIDADES QUE SERÃO EXTINTAS OUANDO DA VACÂNCIA COM
APROVEITAMENTO DAS VAGAS PARA O CARGO CRIADO POR ESTA LEI

ESPECIALIDADE
Educador lnfantil I
Professor

ANEXO X
TABELA DE PROGRESSÃO pOR CAPAC|TAÇÃO pROFtSS|ONAL
30t11t201A LeiOrdinária 1'1967 2014 de Ubeíândia MG

NÍVEL DE cLAssrFrcÁçÂo I

I
I

I
;; -- -- --------------------l------------------l
-----------;l;;;;---- --- ----------------l
I rrr 190 ho.ãs I

I IV 1120 horâs
I

I 1150 horâs

ANEXO XI
TABELA DE ENQUADRAMENTo DE FUNÇÓES

REFERÊICTA I ÊUNçÃO PÚBLICA I

t----------'.:l
Professor r - 01
lProfêssor I
I |------------------------------------ |

lprofêssor 02 I
t--
I lProf€ssor 03 - Ho.ista I

I |------------------------------------ r
I lProfêssor 04 I

Data de lnserção no Sistema LeisMunicipais: 14h1/2017


30t11t2014 Lei Complêmentar 347 2004 de Uberlândia MG

rÂrrers
\v/ SNU
DZr§J
www.L€isMunicipais.com.br

versão consolidada, com a'lterações até o dia oL/L2/2OlS

LEI COMPLEMENTAR No 347, de 20 de fevereiro de 2OO4


(Vide Lêi no 11.966/2014)

DISPÔE SOBRE O PLANO DE


CARGOS, CARREIRA E
REMUNERAÇÃO DOS SERVIDORES
DA EDUCAçÃO DO MUNIGíPIO DE
UBERLANDIA REVOGA A LEI E
COMPLEMENTAR NO 049, DE í2 DE
JANEIRO DE í993 E SUAS
ALTERAçÕES POSTERIORES.

O PREFEITO MUNICIPAL, Faço sabeÍ que a Câmara Municipal de Uberlândia decreta, e eu sanciono
a seguinte Lei Complemenlar:

TÍTULo I
DAS DtsPostÇôES tNtctAts

Capítulo I
Dos PRTNCíPtos

Aít. 'l o Esta Lei Complementar dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração dos
Servidores da Educação do Município de Uberlândia, de acordo com o art. 161, I e ll, da Lei Orgânica ,,

Municipal, e com os seguintes princípios e valores:


.
irl

l- a valorização do servidor da Educação como condição essencial para o sucesso de uma política
educacional voltada para a qualidade;

ll - a promoção funcional na carreira, de acordo com a formação e qualificaÉo profissional do servidor


e a avaliação do seu desempenho;

lll - a participação do servidor na elaboraÇáo e execução do Projeto Político Pedagógico da Escola;

lV - a socialização do conhecimento como condição de implementação e alicerce da horizontalidade


nas relaçóes intêrnas e externas da escola;

V - o compromisso com uma escola verdadeiramente cidadã, ou seja, estatal, quanto ao Íinanciamento,
pública, quanto à destinação, e autônoma, quanto à gestão.

Capítulo ll
DAS DEFINIÇÔES

https://leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementa 2OO4l3Sl34Tllei-complementar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-plano-de-cargos- 1/63


30111t2018 Lei Complemêntar 347 2004 de Ubeílândaa MG

i;,12 Para os efeitos desta Lei Complementar, entende-se por

l- cargo público - o conjunto de atribuições, deveres e


responsabilidades, conferidas ao servidor
público, criado por lei, com denominação própria, número certo e vencimento específlco;

ll - servidor público da educação - toda pessoa física legalmente investida em cargo público de
provimento efetivo ou em comissão que integra o quadro de pessoal da Educação;

lll - clâsse de cargos - o agrupamento dê cargos da mesma natureza funcional, mesma referência de
vencimento, mesma denominação e substancialmente idêntico quanto ao nÍvel dê ÍormaÉo, grau de
diÍlculdade e responsabilidade para o seu exercício:

lV - carreira - série de classes do mesmo grupo operacional, semelhantes quanto à natureza do


trabalho e organizadas segundo o grau de complexidade, qualiÍicação, formação e responsabilidade no
seu desempenho;

V - grupo ocupacional - o conjunto de carreiras com afinidades entre si quanto à natureza do trabalho e
ao grau de conhecimento exigido para seu desempenho;

Vl - progressão vertical - o posicionamenlo do servidor a um grau remuneratório superior àquele em


que se encontra, pela mudança de nível, na mesma classe, decorrente da avaliação do seu
desempenho;

Vll - progressão horizontal - a inclusão do servidor em determinada classe devido a sua qualiÍicaÇão e
formação profissional no exercício do cargo, comprovado pela sua Íormação escolar ou aprovaÇâo em
seleção competitiva interna;

Vlll - tabela de vencimentos - o conjunto organizado em símbolos das retribuições pecuniárias


adoladas pelo Poder Público; -<l

lX - sÍmbolo - a posição dos cargos públicos na tabela de vencimentos;

X - órgão - o conjunto de atividades considerado como unidade da estrutura orgânica do Poder


Executivo;

Xl - Iotaçáo - a unidade onde o servidor é designado para desempenhar as suas atribuições


,:!

TíTULo II
DO PLANO DE CARREIRA

Capítulo I

DA COr\4POSrÇÃO

Art. 3o O Plano de Carreira dos Servidores da EducaÇão do MunicÍpio compõe-se dos cargos

| - dos servidores eíetivos da CaÍreira do Pessoal Administrativo;

ll - dos servidores efetivos da Carreira do Magistério Municipal.

Art. 4o lntegram a Carreira do Magistério Municipal, os servidores que exercem atividades de docência
e os que oferecem suporte pedagógico direto a tais atividades, incluÍdas as de direção escolar,
planejamento, inspeção, supervisão e rientação escolar.

httpsl//teismunicipais.com.br/a 1/mg/u/uberlandia/lei-complementa tl2}O4l35t347llei-complêmentar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-plano{e-cargos-.. 263


30t11t2018 Lei Complêmêntar 347 2004 de Uberlândia [rG

Art.5" lntegram a Carreira do Pessoal Administrativo os servidores que exercem atividades de


suporte e apoio lécnico e administrativo nos órgãos da Secretaria Municipal de Educaçâo.

Capítulo ll
DAS CARREIRAS

Art. 6' Os cargos do Pessoal Administrativo da Educação do Município congregam-se nas seguintês
carrerras

| - Agente de Apolo Administrativo;

ll - Auxiliar Administrativo;

lll - Assistente Administrativo;

lV - Técnico Administrativo;

V - Técnico de Nível Superior

Os cargos do l\4agistério Municipal congregam-se nas seguintes carreiras:

l- Professor, constituída dos proÍissionaís que exêrcem atividadês de docência;

ll - Especialista de Educação, constituída dos profissionais que oferecem suporte pedagógico direto às
atividades de docência, incluídas as de direção escolar, planejamento, inspeção, supervisão e
orientação escolar.

Capítulo lll
DAS CLASSES
n
6lasses, indiêadas per lêtras maiúsêulas; êenfêrme â formaçãe esoelar mínima exigida para o
previmente ne earge er+eada elasse; sende;

Art. 8'
Cada carreira nominada nos artigos 6o e 70 desta Lei Complementar, é estrulurada em classes,
indicadas por letras maiúsculas, conforme a formação escolar mínima exigida para o provimento no
i11
cargo em cada classe, sendo: (Redação dada pela Lei no 11.148120121

| - Agente de Apoio Administrativo, Classes A, B, C e D;

ll - Auxiliar Administrativo, Classes B, C, D e E;

lll - Assistente Administrativo, Classes C, D, E e F;

lV - Técnico Administrativo, Classes D, E , F e G; e

V - Técnico de Nível Superior e as Carreiras do Magistério, Classes E, F, G e H.

§ 1o. A formação escolar exigida para o provimênto do cargo em cada classe é

| - Classe A - conclusão da 4" serie do ensino Íundamental;

ll - Classe B - conclusão do ensino fundamental;

lll - Classe C - conclusão de curso de nível médio;


httpsJ/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementar/2004/35/347/lei-complementrar-n-347-2004-dispoê-sobre-o-plano{e-cargos- 3i63
30t11t2018 Lei ComplêmentaÍ 347 2004 dê UbeÍlândia MG

lV - Classe D - conclusão de curso técnico de nível médio;

V - Classe E - conclusão do curso de graduação plena, compatível com a função exercida no cargo;

Vl - Classe F - conclusão do curso de especializaÇão, com duração mínima de trezentas e sessenta


horas;

Vll - Classe G - conclusão do curso de mestrado: ê

Vlll - Classe H - conclusão do curso de doutorado.

i€r
em-á+ea-çe+resÉrndente e eemp em ãe nes termes da legislagãe vigente, para a deeêneia em
íáreas espe6m6a

§ 2". Para a caneia de Proíessor, a Classe E se refere à conclusão do ensino superior em curso de
licenciatura, de graduação plena, com habilitaÇÕes específicas em área própria, nos termos da
legislação vigente para docência na Educação lníantil, do primeiro ao quinto ano do Ensino
Fundamental e do sexto ao nono ano do Ensino Fundamental. (Redação dada pela Lei no 11.14812012)

is_anes

§ 3". Para a carreira de Especialista de Educação, a Classe E se refere a graduação plena em


Pedagogia, com habilitaçâo em orientaçáo educacional, supervlsão escolar ou inspeção escolar,
conforme área especÍÍica, ou licenciatura plena em qualquer área do conhecimento com especialização
em orientação educacional, supervisão êscolar ou inspeção escolar, além dê experiência docente
mÍnima dê sejs meses adquirida em qualquer nível ou sistema de ensino, público ou privado. (Redação
dada pela Lei n" 11.14812012)

prá
Eds€açãê.

§ 40. Para os cargos de Carreira do Magistério e de Técniôo de Nível Superior, os cursos nominados
nos incisos V Vl, Vll e Vlll, do parágraÍo primeiro, deste artigo, são de graduação plena e de pós-
graduação, em área própria, compatível com a função exercida pelo servidor no cargo de provimento
efetivo, reconhecidos por órgão próprio do Ministério da Educação ou ministrados conforme as normas
do Conselho Nacional de Educação. (Redação dada pela Lei no 1'1.14812012)

§ 5o. Competem ao órgão próprio da Secretaria Municipal de Administração a análise e a aprovação da


documentaÇão referente à formação escolar do servidor, para efeito de seu provimento no cargo, na
forma desta Lei Complementar.

§ 6". No cargo de Secretário Escolar Íica acrescentado a Classe C, nível médio e formaÉo especíÍica,
como referência para o seu provimento.

CapÍtulo lV
DOS NíVEIS EM CADA CLASSE

httpsJ/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/ubeíandia/lei-complementa 2OO4t3Sl34Tllei-complementar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-plano-de-cargos-.. 4t63


30t11t2018 Lei Complêmentar 347 2004 dê Ubêrlândia MG

Art. As Classes das Carreiras dos Servidores da Educação, desdobram-se em níveis, indicados por
9o

algarismos arábicos, que constiluem a linha de progressão vertical, conforme Anexo l.

ParâgraÍo único. Cada classe tem trinta e cinco níveis, sendo o nível um, de provimento inicial do
servidor no cargo, e os demais trinta e quatro níveis, de progressão vertical na respectiva classe da
carreira.

TÍTULo III
DO QUADRO OE PESSOAL DOS SERVTDORES DA EDUCAÇÃO

CapÍtulo I

DA COMPOSTÇÃO

Art. í0 O Quadro de Pessoal dos Servidores da Educação é composto

| - do quadro permanente dos cargos de provimento efetivo;

ll - do quadro suplementar dos cargos de provlmento efetivo em extinção; e

lll - do quadro dos cargos de provimento em comissão e das Íunções gratiÍcadas

Capítulo ll
DO PROVIMENTO

Art. íí Os cargos do Quadro dos Servidores da Educação do MunicÍpio são providos mediânte

l- nomeação eÍetiva, precedida de aprovação em concurso público de provas ou de provas e títulos


para ingresso em vaga dê nível inicial da classe das carreiras dos cargos do quadro de provimento -t
efetivo;

ll - nomeação em comissão, para ingÍesso em vaga de cargo de provimento em comissão e das


funçôes gratificadas;

lll - enquadramento dê servidores efetivos em exercÍcio nos cargos criados pêlas Leis
Complementares 049/93 e 101/95 e demais alterações posteriores, na forma desta Lei Complementar.

§ 1". O ato de provimento, de competência do Prefeito, deve conter, necessariamente, as seguintes


indicações, sob pena de nulidade da posse:

| - a denominação do cargo e demais elementos de identificação;

ll - o Íundamento legal e indicação do nível de vencimento do cargo; e

lll - a indicação dê que o cargo se faz cumulativamente com outro cargo público, quando for o caso e
nos termos da Lei.

§ 20. Na nomeação efetiva do servidor será obedecida, rigorosamente, a sua ordem de classiÍlcação no
concurso público para o provimento do cargo.

aispeste-em+ei

§ 30. A nomeação e exoneração dos cargos de provimento em comissáo obedecerá o disposto em Lei.

httpsr/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementa 2OO4|3Sl34T llei-çomplementar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-plano-de-cargos-... 5/63


30t11t2018 Lei Complemsntar 347 2004 de Ubêrlândia MG

(Redação dada pela Lei n' 11 .14812012)

Atl. 12 O servidor nomeado para cargo de provimento efetivo Íicará sujeito, durante os três primeiros
anos de efetivo exercício no cargo, a estágio probatório e avaliação espêcial de desempenho, por
comissão especialmente instituÍda para esta finalidade.

Art. 13 A mudança de carreira ou de cargo somente pode ocorrer mediante nomeação efetiva,
precedida de concurso público de provas ou de provas e títulos

Capítulo lll
DO CONCURSO PÚBLICO

Art. í4 O Município de Uberlândia promoverá Concurso Público, pelo menos de quatro em quatro
anos, para provimênto das vagas existentes, comprovada a indisponibilidade de candidatos aprovados
em concursos anteriores, com prazo de validade em vigor.

§ 1o. O concurso público será por área de conhecimento, quando coubeç respeitada a formaçâo
acadêmica mÍnima exigida para o exercício do cargo.

§ 20. Na realizaçáo do concurso público, poderáo ser aplicadas provas escritas, práticas ou prático-
orais, conforme as características do cargo a ser provido.

§ 30. O concurso público terá a validade de até dois anos, podendo ser prorrogada, uma única vez, por
igual período.

§ 40. As condições de realizaçáo do concurso público e os requisitos para inscrição dos candidatos
serão fixados em edital, que será divulgado de modo a atender ao princípio da publicidade.

Art. 15 Fica vedada a convocaÇão de candidato aprovado em novo concurso enquanto houver
candidato aprovado em concurso anterior, com prazo de validadê vigente.

Parágrafo único. A aprovação em concurso não gera direito de nomeação, a qual se dará a exclusivo
-t
critério da Administraçáo, dentro do prazo de validade do concurso, na forma da Lei.

TÍTULo IV
DA PROt\,,tOÇÂO

CapÍtulo I
DAS FORMAS DE PROIVIOÇÃO

tr,rrs A promoção do servidor da Educação é feita mediante: (Redação dada pela Lei Complementar
n" 439/2006)

| - a progressáo horizontal para a classe correspondente, dêvido à sua qualificação e formação


proíssional para o exercício do cargo, comprovado pela sua formação escolar ou sua aprovação em
seleção competitiva interna;

ll - a progressão vertical para o servidor estável para um grau remuneratório superior àquele em que se
encontra, pela mudança de nÍvel, na mesma classe, decorrente da avaliaÇão do seu desempenho.

httpsr/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementar/2004/35/347/lei-complementar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-plano-de-cargos-...6/63
3011112018 Lei Complementar 347 2004 de Uberlândia MG

(Redação dada pêla Lêi Complementar no 439/2006)

@ estável eGerre imediatamenle após a análise e a aprêvaçáo

§ 1o. A progressão horizontal do sêrvidor ocorrê, mediante requerimênto, imediatamente após a análise
ea aprovação da documentaçáo que comprove a sua formação escolar pela Comissão de
Desenvolvimento Funcional. (Redação dada pela Lei Complementar n" 439/2006)

§ 2o. A progressão horizontal do servidor eslável, para as duas últimas classes de cada carreira, pode
ocorrêr também pela sua aprovação em processo de seleção competitiva interna que comprove a sua
qualiflcação e formação proÍissional, para o exercício do cargo, equivalente à Íormação escolar exigida
para o provimento do cargo êm cada classe, na forma desta Lei Complementar.

§ 30. A progressão vêrtical do servidor estável pode ocorrer após setecentos e trinta dias de efetivo
exercÍcio de atividades no cargo, no nÍvel em quê se encontre, conforme o grau que obtenha em sua
avaliação.

§ 40. A progressão vertical do servidor estável será de um ou dois níveis, desde que obtenha, em sua
avaliação de desempenho, o grau dois ou três, respectivamente.

§ 5o Ao servidor aprovado no estágio probatório será concêdida a progressão vertical de dois níveis, a
partir do primeiro dia do mês subseqüente ao da sua aprovaÇão.

§ 6". O efeito Íinanceiro decorrênte da progressão horizontal do servidor, quando aprovada, terá inÍcio
a partir do primeiro dia do mês subseqüente ao do protocolo de toda a documentação comprobatória
da sua formação escolar ou de sua decretação.

Capítulo ll
DA PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA

Art. A comprovagão da qualiÍicação e formação proÍissional do servidor da Carreira do Pessoal


'17

Administrativo, para efeito de sua progressão horizontal para as duas últimas classes de cada carreira,
será feita mediante prova de habilidade especíÍica, em quê se apure a capacidade íuncional do
servidor equivalente à íormação escolar da classe a que concorra.

§ 1o A comprovação da qualificaçáo e formação proÍissional do servidor será feita por meio de testes ''.
de habilidades e conhecimentos, teóricos, práticos e práticoteóricos. :

§ 20. A classiÍicação dos candidatos à progressão horizontal basear-se-á nos resullados obtidos nos
têstes de habilidades e conhêcimentos.

§ 3'. A decretação da progressão horizontal obedecerá rigorosamente à ordem de classiÍicação dos


servidores nos testes de habilidades e conhecimentos realizados.

§ 40. Terá preferência para a progressão horizontal, em caso de empate na classiÍicação, o servidor
que contar maior tempo efetivo no serviço público municipal e, permanecendo o empate, o mais idoso.

§ 5o. Do resultado da prova cabe recurso ao Secretário de Administração e deste, reconsideração ao


Prefeito, no pruzo de dez dias da ciência , que decidirá no grazo de 30 (trinta) dias.

lTã?il Para concorrer à progressão horizontal, mediante prova de habilidade especÍÍica, o servidor
deverá, cumulativamente:

| - cumprir o interstício mínimo, indicado para a classe imediatamente anterior à classe em que o

' 7 t63
httpsJ/leismunicipais.com.br/a.1/mg/u/uberlandia/lei-complementaÍt20041351347tlet-complementar-n-347-2004-dispoe-sobr+o-plano{e-cargos-
3011112018 L€i Complementar 347 2004 de Uberlândiâ MG

servidor prêtende concorrer, deÍjnido neste artigo;

ll - ter obtido o grau três no resultado da soma das duas avaliações de desempenho consecutivas para
efeito de sua última progressão vertical;

lll - ter concluído a formação escolar da classe em que se encontre.

Parágrafo único. O interstÍcio mínimo de exercício efetivo no cargo e na classe imediatamente antêrior
à classe em que o servidor pretende concorrer à progressão horizontal, mediante seleção competitiva
interna, é:

l- para a classe C, quatro anos na classe B;

ll - gaÍa a classe D, três anos na classe C;

lll - para a classe E, cinco anos na classe D;

lV - para a classe F, três anos na classe E;

V - paÍa a classe G, quatro anos na classe F;

Vl - para a classe H, cinco anos na classe G.

Arr. 19 A prova de habilidade especíÍica, para efeito de progressão horizontal em cada cargo, se
processará por despacho do Secretário de Administração, sempre que haja número de cargos
disponÍveis na classe, deÍinidos na forma desta Lei Complementar.

Parágrafo único. O número de cargos disponíveis em cada classe, para efeito da progressáo horizontal
mediante o processo de prova de habilidade específica será, no mínimo, uma, ê em relação ao total de
vagas do cargo, no máximo, 2Oo/o (vinte por cento) para a penúltima classe e 10% (dez por cento) para
a última classe.
-l
TÍTULO V
DOS VENCIMENTOS

Art. 20 As Tabelas de Vencimentos dos cargos nas respectivas carreiras, classes e níveis,
relacionando cada um deles ao valor do vencimento inicial em cada carreira, são resultantes de uma ,

matriz, cujo eixo vertical reflete os níveis da progressão vertical do servidor, e o eixo horizontal se
refere às classes da progressão horizontal, constam do Anexo l, desta Lei Complementar.

§ 1o. No eixo vêrtical, da tabela de vencimentos, cada nível, a partir do nível inicial, tem um incrêmento
de 1,2%, (um vírgula dois por cento) em relação ao vencimento do nível anterior.

§ 2". No eixo horizontal da tabela de vencimentos de cada carreira, as classes têm, em relação ao
vencimento do mêsmo nível da classe anterior da carreira, um incremento de:

| - Classe B, 8% (oito por cento);

ll - Classe C, 10% (dez por cento);

lll - Classe D, 5% (cinco por cento);

lV - Classe É, 10% (dez por cento);

V - Classe F, 15% (quinze por cento);

https://leismunicipâis.com.br/a'1lmg/u/uberlandiaíei-complementar2OO4/35/347neLcomplementaÍ-n-347-2004{ispoe-sobre-o-planoie'GaÍgos- 8/63
30t11t201a Lei Complementar 347 2004 de Uberlàndia [,'!G

Vl - Classe G, 20% (vinte por cento); e

Vll - Classe H, 20% (vinte por cento)

An. 21 A revisão do vencimênto inicial dos cargos de cada Carreira dos Servidores da Educação
levará em conta as diretrizes estabelecidas pêlo Conselho Nacional de Educação e a capacidade
Íinanceira do Município, inclusive diante do aumento progressivo decorrente de despesas devido a
implementação deste Plano.

ParágraÍo único. A revisão do vencimento inicial de cada cargo tem como reÍerência a natureza do
trabalho, o grau de diÍiculdade, a Íesponsabilidade ea formação escolar exigida para o seu
desempenho.

TíTULo VI
DA JORNADA DE TRABALHO

Á.r1.22 Para o desempenho das atribuições próprias das atividades, descritas no Anexo Vlll desta Lei,

os Servidores da Educação terão as seguintes jornadas de horas semanais de trabalho por cargo
(Regulamentado pelo Decreto no 13.366/20'12)

ive
ga-Saueaçae;

edu€aÉe:{Redaçã€3ad+peta tei eemplementar no,í7312009)

l- 30 (trinta) horas semanais para os servidores que integram as carreiras do pessoal administrativo da
Secretaria Municipal de Educâção, exceto paÍa o cargo de Educador lnfantil, que terá jornada de 25
(vinte e cinco) horas semanals; (Redação dada pela Lei no 12.316/2015)

ll - vinte horas semanais, para os servidores que integram as carreiras de Professor e Especialista de
Educação e dos cargos dê lnstrutor de Linguagem de Sinais e lntérpretê de Linguagem de Sinais.

i!

§ í'. Para os docentes, um têrço da jornada semanal de 20 (vinte) horas destina-se a atividades de
planejamento, atualização, pesquisa, produção coletiva, formação permanente, colaboração com a
administração da unidade, participação em reuniões, eventos de trabalho e outras atividades inerentes
ao Projeto PolÍtico Pedagógico da Unidade, e, nos termos dos limites estabelecidos pela Secretaria
Municipal de Educação, para cada nível de ensino, tipo de unidade ê a atividade do sêrvidor. (RedaÇão
dada pela l.ei n' 11.14812012)

§ 2". A jornada de trabalho de vinte horas semanais, por cargo de ProÍessor, pode ser aumentada até o
limite máximo de quarenta horas semanais, em caráter excepcional e temporário, por necessidade do
serviço, com vencimenlo proporcional, mediante proposta da Secretaria Municipal de Educação, na

httpsJ/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementatl2OO4t3St34Ttlei-ÇomplementaÊn-347-2004-dispoe-sobre-o-plano-de-cargos-...9/63
3011112018 Lei Complementar 347 2004 dê Ubertândia MG

forma desta Lei Complementar. (Redação dada pela Lei Complementar no 47312008)

§ 30. A jornada de quarenta horas semanais pode ser cumprida em turnos diários contínuos de seis
horas, peíazendo trinta hoÍas semanais, coníorme a nêcessidade do serviço.

§ 40. Dentre as 25 (vinte e cinco) horas semanais da jornada de trabalho do cargo de Educador lnfantil,
conÍorme disposto no inciso I deste artigo, 01 (uma) hora deverá ser dedicada a estudos e formação
continuada, a ser realizados na própria escola ondê o servidor se encontra lotado, conforme
determinação do Diretor da respectiva unidade escolar, ou em outro local previamente designado pela
Secretaria Municipal de Educação, desde que não seja prejudicado o integÍal atendimento aos alunos.
(RêdaÇão dada pela Lei n" 12.316/20í5)

TITULo VII
DAS VANTAGENS ESPECIAIS

Capítulo I

DO TRANSPORTE PARA A ZONA RURAL

O transporte do servldor que atua em escola na zona rural, até o seu local de trabalho, e de
Arl. 23
responsabilidade do MunicÍpio de Uberlândia

Arl. 24 O servidor que atua na zona rural terá direito ao adicional de percurso, conforme tabela
deÍinida pela Secretaria Municipal de Educação

CapÍtulo ll
DAS FÉRIAS E DO RECESSO

A#

reeess€ es€êl€+deaeerde eem e interesse da Unidade,

Ar1. 25Os servidores ocupantes dos cargos de provimento eÍetivo de Professor, em exercício efetivo
nas atividades de docência, e de Educador lníantil terão dlreito a 30 (trinta) dias de Íérias anuais
consecutivos, acrescidos de 15 (quinze) dias de recesso alternados, distribuídos nos períodos de
recesso escolar, de acordo com o interesse da unidade. (Redação dada pela Lei no 12.31712015)

§ 1o. Os demais servidores das Carreiras dos Servidores da Educação têm direlto a trinta dias de férias '

an uais.

§ 2". Os dias de recesso, previstos neste artigo, poderão sêr aumentados em até quinze dias, desde
que êstê aumento seja compatível com o cumprimento do calendário escolar de duzentos dias lelivos.

§ 3". Os demais servidores das Carreiras dos Servidores da Educação, em exercício efetivo nas
unidades educacionais da Secretaria da Educação poderáo ter até quinze dias de recesso alternados,
distribuídos nos perÍodos de recesso escolar, de acordo com o interesse da Unidade, desde que, sela
compatível com o cumprimento do calendário escolar.

§ 4" O direito ao recesso de que trata este artigo será garantido também aos servidores contratados
por tempo determinado para exercerem Íunções correspondentes, nos termos da Lei no 9.626, de 22
de outubro de 2007 e suas alterações. (Redação dada pela Lei no 12.31712015)

Capítulo lll
DAS GRATIFICAÇÕES

httpsr/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementa 2O04l35l347llei-complementar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-plano-de-cargos... 10/63


3011112018 Lei Complementar 347 2004 de Uberlândia N.4G

Arl.26 O servidor da Carreira do Magistério, Íará Jus a gratificações, nos casos e percentuais abaixo
relacionâdos

| - 20yo (vinte por cento) para os cargos de provimento êfetivo abaixo descritos, pelo exercício em
classe com alunos com necessidades educacionais especiais em escolas do Programa Básico Legal,
Atendimento Educacional Especializado, sendo:

a) Professor;
b) Especialista de Educação, funções de Supervisor Escolar e Orientador Educacional;
c) Supervisor Escolar e Orientador Educacional, do Quadro Suplementar; (Redação dada pela Lei nô
11.14812012)

ll - 5o/o para o ProÍessor quê exerça a docência em classe onde se processa a alfabetizaÇão.

§ 'lo. Cabe à Secrêtaria Municipal de Educação aprovar a inclusão da escola no Programa Básico
Legal, Atendimento Educacional Especializado e reconhecer a existência da classe onde se processa a
alÍabetização. (Redação dada pela Lei no 11.14812012)

§ 20. A relação dos servidores que farão jus às gratiÍicações referidas neste artigo será incluída na
lotação do pessoal do Quadro dos Servidores da Educação, na forma do aft.27.
-{
§ 3'. Cabe à Secretaria Municipal da Educação a avaliação e o acompanhamento das classes com
alunos com necessidades educacionais espêciais para efeito da concessão das gratificações previstas
neste artigo.

TÍTULO VIII
DA MOVIMENTAÇÃO

CapÍtulo I

DA LOTAÇÂO

A lotação do pessoal do quadro dos Servidores da Educação nas respectivas unidades, é


At1. 27
aprovada, anualmente, pela Secretaria Munícipal de Administração, conforme proposta da Sêcretaria
Municipal de Educação, tendo em vista as necessidades do Ensino Público Municipal, a garantia do
padrão de qualidade do Ensino e o Projeto Político Pedagógico de cada unidade educacional.

§ 1o. O número de professores e dos demais Servidores da Educação lotados em cada unidade, tem
como referência inicial a média do número de alunos por professor, estabelecida pela Secretaria
Municipal de Educação.

§ 20. O servidor da educação, em exercÍcio em mais de uma unidadê, será lotado na unidade onde
presta mâior número de horas de tÍabalho.

Capítulo ll
DA REMOÇÃO

Art. 28 A remoção é o ato mediante o qual o servidor efetivo pâssa a exercer suas íunÇões em outro

https://leismunicipais.com.bía 1/mg/u/uberlandia/leFcomplementaí2004/35/347/lei-complementar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-plano-de-cargos... 1í163


301'1112018 Lei Complêmentar 347 2OO4 de Uberlândia MG

órgão, ou unidade administrativa da Administração Direta, Autarquia ou Fundações, sem que se


modiflque a sua situação funcional.

§ A Íemoção será feita pela Secrêtaria Municipal de Administração, mediante proposta do Secretário
1o
Municipal de Educação, considerada a conveniência do serviço e pode ser determinada:

| - a pedido do servidor estável;

ll - de ofÍcio, por necessidade do ensino.

§ 20 A remoção, a pedido do servidor estável, somente pode ocorrer após o seu efetivo exercício de,
no mÍnimo, um ano no local onde estiver dêsignado para desempenhar as suas atribuigões.

§ 30 Fica vedada a Íemoção de lotação do servidor duranle o seu estágio probatório, ressalvados os
casos definidos no próprio processo de avaliação especial do respectivo estágio.

No processo de escolha para o preênchimento da vaga, decoÍrente da remoção a pedido do


Art- 29
servidor ou da sua nomeação, terá precedência sobre os demais, o servidor melhor classificado no
mais antigo concurso público para o provimento do cargo e assim, sucessivamente.

§ O processo de escolha para o preenchimento da vaga, através da remoção, será Íeito no período
1o.
de quinze de setembro a trinta de novembro de cada ano, e será anunciado pela Secretaria Municipal
de Educação, através de edital, no qual deverá constar:

| - a relação de vagas disponíveis em cada unidade;

ll - a descrição detalhada do processo;

lll - o cronograma do processo, indicando, inclusive, os prazos para recurso.

§ 2'.
Na descrição da vaga deverá constar: a unidade, o turno, e, se for o caso, a disciplina e a carga
horária disponÍvel.

Art. 30 Para a remoçáo de oÍício, por necessidade do ensino, será escolhido o servidor efetivo que
tenha sido lotado mais recentemenle na vaga do mesmo turno.

PaÍágtaÍo único. A Secrelaria Municipal de Educação poderá determinar de ofÍcio a remoção do .

servidor, em caráter provisório e excepcional, desde que seja plenamente justificável, para o bom
andamento do trabalho e aceito pelo Diretor da unidade do servidor.

TíTUtE X
DA+\ÁAI'AçAê (TíTULO REVOGADO PELA LEI NO 9113/2005)

Â#1

@
I e envolvimentê; a partiGipagáe ativa na elaberaçãe e execuçãe de Preieto Pêlítiêo Pedagégiê€ da

@;
;
lll e eenheeimente de servider na área de ssa atividade;

€a+gêi
V e permanente investimente em sua fermaçãe preÍissienal; em instituiçães eredeneiadas; es em

'12y63
https://leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementa 2OO4l3St34T llei-complementar-n-347-2004{ispoe-sobre-o-planode-cargo§...
3011112018 Lei Complementar 347 2004 de Uberlândia MG

Vl ê trâtamente 6em prestezai respeite e de ferma esGlareGedêra es paisi e êomunidade em geral e


€s-€êlegâs{e+abalh€É
Vll e €empremisso éti6o prêfissional dê servidêr,
Parágrafe úniêê, Na avaliaçãê dê dêsêmpenhê do seryidor efêtivê; ne exerêíoie de êargo em Gemissão

P€PU+a9ãê',-e

s€FÍid€+-estiveÉatuander (Artigo Revogado pela Lei no 9113/2005)

^*.J3
ee+aueaçae-, +ensUeran
I e envêlvimentêi a pârtiGipaçãe etiva na elabêragãê ê exe6uçã6 de Prêiêtê Pêlíti6e P€dagégi6o da
unidade e e oêmpreml
@i

@ Prejete PelÍtiee Pedagégiee da unidade;


V 6 Genhe6imente dê pr66esse dê gestãê ê dê€ preGediínênto6 administretivês relaeiênadêE aê 6eu
eafgêi

eeleg€§+e-{rabalh€r
Vll ê êempremiss€ éti6ê prêÍis'ienal de servidêÊ (Artigo Revogado pela Lei no 9113/2005)

AIl.-+3
preeea+mentes,
t--€u{€-€Yâliaçaei d
d+€eFÀdêFi
a|€§-s€us-parest
b)€-eh€fa-imediata.t

€onh€€imeêtq€ s€têr ê e€rupe de trabalhê; e

seFlid€r€stive+-atuâflde

prêcess+deavaliaçãe; êênferme as diretrizes gerais da Se6retaria Muni6ipal de


^dmiristragãê,

ies
prâvistês nesta tei Cêmplême']tar; sendo êbrigatária a indiGaçãê des fatêB; des deGumentesi da6
6i16unetân6ias ê dê
§ 1', E assegurado oêmpanhar têdês ê$

ffi
ãê-eê

dia€.
i9ãe.
ãei
ll kês servideres iridieades pele Seêretáriê Munioipal de Administragãe;
lll três servideres indieades pele Sindieate de êategeria des Servideres Munieipais'
httpsi//leismunicipais.com.br/a1lmg/u/ubeíandia/lei-complementa 2OO4l3Sl34T/|eiicomplementar-n-347-2004-di§poe-sobre-o-plano-de-cárgos 13/63
3011112018 Lêi Comptementar 347 2OO4 de Ubertándia MG

(Artigo
Revogado pela Lei no 9'1í3/2005)

afiJ4

eteitepetes+eus-pa+es;

@
lV ee eargêsi êtljos números de sêrvideres efetivês nãe feÍem sufiÊiente8 para atingir e quorum

sua-€xistên€ia'

de-ávati€çã€i€€-€aps ig€.

membí€+

(Artigo Revogado pela Lei no


9113/2005)

A+935

(Artigo
Revogado pela Lei no 911312005)

Â,É,-35

aeviaas-p+evieeneias- (Artigo Revogado pela Lei no 9113/2005)

TÍTULO X
DAS DISPOSIÇÓES GERAIS

Capítulo I
DO PROJETO POLíTICO PEDAGÓGICO DA UNIDADE

Aít. O Projeto Político Pedagógico da Unidade é instrumento básico da deÍinição da política


37
pedagógica e da gestão democrática da unidade, sêndo referência para a avaliaÉo de seu
desempenho.

§ 1". O Projeto Político Pedagógico dâ Unidade é quadrienal e será revisto, a cada ano, por proposta
httpsr/leismunicipais.com.br/a 1/mg/u/ubeíandia/lei-complementa 2004l35l347llei-complementar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-planode-cargos 14t63
3011112018 Lei Complementar 347 2004 de Uberlándia MG

da comunidade escolar, confoÍme as diretrizes definidas pela Secretaria Municipal dê Educação.

§ 20. A definição das diretrizes e dos indicadores, para a revisão do Projeto Político Pedagógico, pela
Sêcretaria Municipal da Educaçáo, será precedida de ampla consulta à comunidade escolar.

§ 3". O servidor da educação terá participação ativa na elaboração, no acompanhamento e


implementação do Projeto PolÍtico Pedagógico de sua Unidade, bem como nas decisões colegiadas.

§ 40. Ao docente, cabe definir, nos termos das diretrizes pedagógicas dâ Secretaria Municipal de
Educação e da Unidade, os objetivos, os processos, os métodos de ênsino e a avaliação.

CapÍtulo ll
DO PROGRAMA DE FOR|\íAÇÃO E QUAL|F|CAÇÃO DO SERVTDOR

Fica instituído, como atividade permanente da Secretaria Municipal da Educação, o Programa


Art. 38
de Formação e Qualificação do Sêrvidor da Educação, tendo como objêtivos:

| - promover a qualificação e apeíeiçoamenlo proÍissional do sêrvidor em cursos da educação básica,


proÍissional e superior;

ll - criar e desenvolver habilidades, hábitos, valores e comportamentos adequados ao digno exercício


da função pública;

lll - capacitar o servidor para o desempenho de suas atribuições específicas, orientando-o no sentido
de obler os rêsultados deÍlnidos no Planejamento da sua unidade ou grupo de trabalho;

lV - estimular desenvolvimento funcional, criando condições propícias ao constante aperfeiçoamento


profissional dos servidores; e

V - integrar os objetivos pessoais de cada servidor, no exercício de suas atribuiçóes, às Ílnalidades do


Sistema Municipal dê Ensino como um todo;

Vl - criar e desenvolver práticas e valores pedagógicos visando a eliminação de todas as Íormas de


preconceito e de discriminação de grupos sociais diferenciados, Íortalecendo a cidadania e observando i
o respeito mútuo. i:

Parágrafo único. O servidor terá a oportunidade de qualiÍlcação e aperÍeiçoamento proflssional,


inclusive em nível de pós-graduaÇão, com licenciamento remunerado para este fim, de acordo com as
normas estabelecidas pela Secretaria Municipal de Educação.

Capítulo lll
DA APLTCAÇÃO DO ESTATUTO DOS SERVTDORES PÚBL|COS

AÍt. 39 O ProÍessor, lotado ou no exercício de cargo comissionado na Secretaria Municipal de


Educação, no exercício de mandato elelivo, ou ainda, de direção do sindicato da classe, desde que
autorizado por lei, será considerado no efetivo exercício do cargo de Professor, para todos os efeitos
da Lei, exceto para o direito ao recesso anual de quinze dias.

Parágrafo único. Os benefícios rêsultantes do disposto neste artigo serão contados a partir do dia
primeiro de fevereiro de 200í .

Art. 40 Ao servidor que integra as Carreiras dos Servidores da Educação aplica-se

| - o Estatuto dos servidores do Município;

httpsJ/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementa Íl2O04l351347llei-complementar-n-347-2004-dispoe-sobÍe-o-plano-de-cargos.., 15/63


3011112018 Lei Complementar 347 2OO4 de Ubêrlândia Mc
ll - a legislaÇão complementar pertinente, relativa às questões não tratadas nesta Lei Complementar.

Art.41 E vedado o desvio de Íunção

Capítulo lV
DA CEDÊNCIA

Àft. 42 A cedência para funções fora do Sistema Municipal de Ensino somente será admitida em
caráter provisório e excepcional, a critério da Secretaria Municipal de EducaÉo, Íicando o órgão
beneficiado com o ônus decorrente.

§ A cessáo podêrá ser concedida, mediante convênio, com ônus paÍa o Município, desde que seja
10.
comprovada e aceita a sua relevância para a educação.

§ 20. A avaliação de desempenho do servidor cedido, para efeito de sua progressão vertical na
carreira, terá como referência a sua aluação junto ao órgáo ou entidade em estiver em exercício.

Capítulo V
DA CONTRATAÇÃO POR TEMPO DETERMINADO

É admitida, em caráter excepcional, e por prazo não superior a doze mesês, a contratação de
Art. 43
servidor da educação, através de processo seletivo simpliÍicado, na forma das normas estabelecidas
pela Secretaria l\ilunicipal de Educaçáo, para substituir o professor aíastado, temporária ou
definitivamentê, de suas funções, ou ainda, para atender às necessidades de programas êspeciais
têmporários.

Capítulo VI -<l
DO REGIMENTO DA UNIDADE

Secretaria l\4unicipal de Educação estabelecerá as diretrizes básicas para a eÍaboração dos


Atl. 11
Regimentôs das Unidades.

o regime disciplinar dos Servidores da Educação fazem parte do


Parágrafo único. As atribuições e '
Regimento da Unidade, aprovado pela Secretaria Municipal de Educação, por proposta de cada
comunidade êscolar. I

TíTULo XI
DAS DISPOSIÇÔES TRANSITÓRIAS E FINAIS

Capítulo I

DO ENQUADRAMENTO

Art. Os cargos das Careiras dos Servidores da Educaçáo são, inicialmente, providos por
45
enquadramento dos atuais servidores da área da êducação que ocupâm os cargos eÍetivos, de
atribuição igual ou equlvalente aos novos cargos constantes do Anexo ll, respeitada a titulação mínima
exigida por esta Lei Complementar.

§ O servidor é enquadrado no nível correspondenle ao seu atual padrão de vencimento, conÍorme


1o.
as tabelas do Anexo lV desta Lei Complementar, na classe de sua carreira, que corresponde à sua
formação escolar.

§ 2o. Os atuais servidores eÍetivos da área da educação, enquadrados nos quadros da nova Carreira,
terão os seus vencimentos deÍinidos conforme as tabelas de vencimentos do Anexo V desta Lei
Complementar.
httpsJ/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberiandia/lei-Çomplementar2004/35/347/lei-complementar-n-347-2004{ispoe-sobre-o-plano-de-cargos 16/63
30t1't t2018 Lei Complementar 347 2004 de Ubêrlândia lúG

§ 3o. Decorrido o prazo de sêtecentos e trinta dias, após a vigência desta Lei, os servidores da Careira
de Professol enquadrados no Quadro Suplementar da nova Carreira, Anexos ll e V, e que não tenham
concluído, naquela data, o curso de especialização, ficarão sujêitos à tabela de vencimentos do Anexo

§ 4'. Os servidores ocupantes dos cargos de Orientador, Supervisor e lnspetor Escolar, do Quadro
Suplementar em extinção, em exeÍcício nas unidades educacionais do Município, farão jus da
gratificação no valor de 45% (quarenta e cinco por cento) em seus vencimentos básicos, da jornada de
quarenta horas semanais - Anexos lll e V desta Lei.

§ 5o Os professores do quadro suplementar em extinçáo terão incluída a gratificaÇão de vinte por cento
êm seus vencimentos básicos, pelo exercício de regência de sala. (Redaçáo dada pela Lei no
9783/2008)

§ 60. Fica mantidâ a gratificação pelo exercício êm escola dâ zonâ rural àqueles que continuâm lá
residindo, com os respectivos valores e exclusivamente para os servidores relacionados no anêxo Vlll
destâ Lei-

§ 7o. Os servidores do Quadro Suplementar terão seus vêncimentos reajustados na mesma data e no
mesmo percentual que os demais Servidores da Educação.

§ 80. Os atos coletivos de enquadramento serão expedidos, sob forma de listas, através de decreto do
Prefeito Municipal.

§ 90. Para efeito de enquadramento fica acrescentada a Classe B para o cargo de Educador lnfantil.

Art. 46 Os cargos vagos e os que forem vagando, em Íazáo do enquadramento previsto nesta Lei
Complementar Íicarão extintos

§ 1o. O número de cargos da nova carreira, definidos no Quadro Permanente, inclui o número de
cargos do Quadro Suplementar do anexo ll desta Lei.

§ 2o. O número de caÍgos do QuadÍo Permanente Íixado por esta Lei Complementar inclui os cargos ..
providos através do enquadramento dos atuais servidores e os cargos do Quadro Suplementar, .

composto de cargos de provimento efetivo em extinção.

Capítulo ll
DA PROVA DE HABILIDADE ESPECíFICA EXCLUSIVA

Até noventa dias da conclusão do processo de enquadramento, previsto nesta Lei


Aí1. 17

Complementar, será aberto o processo de prova de habilidade especÍÍlca exclusiva, para efeito de
progressão horizontal para o servidor das carreiras do pessoal administrativo que satisfaça
cumulativamente, às seguintes condições:

| - estiver ainda investido na classe inicial de seu cargo; e

ll - ter completado oito anos de exercício efetivo no cargo até a data da vigência desta lei.

§ 1o. O número de cargos disponíveis para a progressão horizontal, para a segunda classe da carreira
do cargo, mediante o processo de prova de habilidade especÍÍlca exclusiva será, no mínimo, uma, no
máximo 10% (dez por cento), em relação ao total de vagas do cargo.

https://leismunicipais.com.br/a'1lmg/u/uberlandia/lei-complementaÍl2114l35t347tlei-complementar-n-347-2004{ispoqsobre-o-plano-de-cárgos 17t63
30111t201A Lei Complemenlar 347 2004 de Uberlândiâ N.,!G

§ 20. A prova de habilidade êspecífica exclusiva, prevista neste artigo, será feita conforme prêceitua o
processo de rcalizaçáo da prova de habilidade especíÍca desta Lei Complementar.

Capítulo lll
DOS INDICADORES DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

A Secretaria Municipal de Educação adotará no prazo de sessenta dias da vigência desta Lei
Arl.48
Complementar os indicadores para a elaboração e revisão do Projeto PolÍtico Pêdagógico de cada
unidade.

Parágrafo único. Na definição dos indicadores serão ouvidos os representantes da categoria dos
servidores da educação.

Capítulo lV
DO PRAZO PARA COMPLETAR A FORMAÇÃO ESCOLAR

A.t. 49 O servidor da educação que não tenha, na data de seu enquadramento nas carreiras
instituídas por esta Lei, a formação escolar exigida para o provimento na classe inicial da sua carreira,
terá prazo até 24 de dezembro de 2006 para completar a sua formação escolar até o nível exigido pela
mesma.

§A partir do prazo estabelecido neste artigo, o proÍessor ficará impedido de exercer a docência, e o
lÔ.
especialista de educação, as suas Íunções.

§ 20. O professor ou o especialista de educação impedido de exercer suas funções, na íorma deste
artigo, será readaptado em outro cargo, na forma da Lei.

Capítulo V
DO QUADRO E DAS TABELAS DE VENCIIVIENTOS J
O Quadro dos Servidores da Educação e o vencimento inicial de cada caÍreira e dos cargos
Art. 50
comissionados de Diretor e Vice Diretor Escolar, a partir da vigência desta Lei Complêmentar, constam
dos Anexos ll e lll desta Lei.

Art. As unidades educacionais da rede municipal de Ensino serão classiÍcadas mediante decreto, a
51

cada ano, pela Secretaria Municipal de Educação, de acordo com a sua tipologia, que serão ,!
designadas pelas letras maiúsculâs A, B, C e D, conforme o número de alunos, de turnos e a --!
diversidade de seus níveis de ensino.

ParágraÍo único. A Secretaria Municipal de Educação estabelecerá, mediante portaria, o modelo para a
definição da tipologia das unidades educacionais.

Capítulo Vl
DA CONCENTRAÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO

As aulas de cada docente serão, quando possÍvel, concentradas em quatro dias da semana,
Art, 52
desde que tal concentração seja feita sem qualquer prejuízo ao ensino e ao horário de aulas dos
alunos.

ParágraÍo único. Dois terços das horas destinadas à atividades pedagógicas "extra classe" poderão ser
cumpridas, da forma e no local que mêlhor convier ao docente.

httpsr/leismunicipais.com.br/a'1lmg/u/uberlandia/1ei-complementatt2OO4t3Sl34T/,ei-cr,mplementaFn-347-2004-dispoe-§obre-o-planoie-cargos.,.'18/63
30t11t201A Lei Complemêntar 347 2004 dê Uberlândia MG

Capítulo Vll
DA IMPLEMENTAÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO

àea+ividêdes-:exka-€.la€sê+

desta+êf-€ompl€men{a*

AÉ,53 Para os docentes que lecionam para as classes de Educação lnfantil e 1o ao 50 ano do Ensino
Fundamental, fica assegurado o percentual de 33% (trinta e três por cento) da jornada de trabalho
destinadas às atividades extra classe. (Redação dada pêla Lei no 11.14812012\

Capítulo Vlll
DA REVISÃO DOS PROCESSOS DE CEDÊNCIA

Art. 54 Os processos de autorização de cessão de servidor municipal serão revistos no prazo de


sessenta dias da vigência desta Lei e, se determinado o retorno do servidor ao exercício de sua Íunção
de origem no Município, esta ocorrerá no prazo de cento e oitenta dias da notiÍicaçáo.

Capítulo lX
DA V|GÊNC|A DE |TEM ESPECíFICO DA AVALTAÇÃO DE DESEMPENHO

Art.55O resultado da avaliação do seÍvidor considerando o item c do Art. 32 será contado para efeito
de sua progressão vertical, a partir da 2a avaliação anual de desempenho.

CapÍtulo X
DAS DtSPOStÇÔES FTNAtS

Art.56 lntegram esta Lei Complementar os seguintes Anexos

| - Tabela de Vencimentos;

ll - Quadro PeÍmanente e Suplementar dos Servidores da Educação;

lll - Tabela de Vencimento dos Cargos Comissionados;

lV - Tabela de Equivalência entre o Padrão de Vencimento anterior ê o nível de vencimento da nova


carreira;

V - Tabela de Vencimentos - Referência novembro de 2OO2:

Vl - Tabela de Vencimentos para ProÍessores do Quadro Suplementar decorridos sêtecentos e trinta


dias da vigência desta Lei - referência novembro de 2002;

Vll - Relação dos servidores com gratificação pelo exercÍcio em escola da zona rural;

Vlll - Descrição e atribuições típicas dos cargos.

Art. Ficam mantidas as funções gratificadas de Diretor e Vice Diretor de escola municipal
57

instituÍdas pela Lei Complementar 049192 paÍa os servidores que se encontrarem no exercício
daquelas funções na data da vigência desta Lei.

httpsr/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei.complemênta 2OO4l35l347llei-compiementar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-planode-cargos 19/63


30t11t2018 Lei Complêmentar 347 2004 de Uberlândia MG

Parágrafo único. A nomeação para os Cargos Comissionados de Diretor e Vicê Diretor de escola
municipal, instituÍdos por esta Lei, somente pode ocorrer pela demissão ou conclusão do mandato dos
cargos referidos no caput deste artigo.

Art. 58 Nas Tabelas de Vencimentos do Anexo V e dos Cargos Comissionados do Anexo lll já esta
incluído o abono concedido pela Lei no 7.800, de 02.07.01, alterada pela Lei n.7.831 de 25.09.01

AÍt. 59 Para Ílns de convocação de candidatos aprovados, ato do Prefeito fará a adequação das
nomenclaturas dos cargos para os quais Íoi realizado concurso público às novas nomenclaturas dos
cargos previstos nesta Lei Complementar, observada a compatibilidade de funções, carga horária e
escolaridade.

Art. 60 O tempo decorrido para Íins de progressão previsto no art. 21 da lei Complementar no 101, de
29 de março de '1995 e art. 49 da Lei Complementar no 049, de 12 de janeiro de 1.992, não utilizado
para este Íim até a data da publicaÇão desta Lei Complementar, será considerado para íins de
enquadramento do servidor no novo plano, na forma estabelêcida em lei específica a ser encaminhada
pelo Preíeito à Câmara no prazo de até cento ê oitenta dias.

§ 1o. O enquadramento, quando for o caso, dependerá de disponibilidade Íinanceira com prévia
inclusão na Lei de Diretrizês OrÇamentárias e na Lei Orçamentária Anual.

§ 20. Fica o Poder Executivo autorizado a dispensar a realização de avaliação êxigida nos artigos
referidos no caput no período mencionado.

Art.6'í Nos casos omissos aplicar-se-á as disposições do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração
dos servidores da Administração Direta do Município

Os proventos dos servidores aposentados serão revislos conforme disposto no s8o, do art. 40
Art. 62
da Constituição Federal

AÉ.63 Ficam revogadas as Leis Complementares nos 049, de 12 de janeiro de 1.993, 120, de 19 de
julho de 1995 e demais alterações posteriores.

Art.64 Esta Lei Complementar entra em vigor na data de sua publicação

Uberlândia, 20 de fêvereiro de 2004.

ZAIRE REZENDE
Prefeito
PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DA EDUCAÇÃO

ANEXO I
TABELA DE VENCIMENTOS

PESSOAL ADMINISTRATIVO

https://leismunicipâis.com.br/a 1/mg/u/uberlandia/lei-complementa 2004l35l347llet-complementar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-plano-d€-cargos... 20/63


30111t2018 Lei Complemêntar 347 2004 de Ub€íândia MG

AGENTE DE ÂPOIO ADMINISTRAÍIVO I

-------+------- |
CLASSE AIBI clDl
NÍvEL 4.SÉRIEI FUND I MÉDIO ITÉC.MÉDI
=--===l-=--l :----t=---==-t
1 1,000 11,0E0 | 1,188 L,247
2 L,OL2 I 1,093 | 1,202 t,26z
3 1,024 I 1,106 11,217 \,27a
1,016 | 1,119 | 1,231 1,293
5 1,049 11,133 t1,246 1,30E
6 1,061 11,146 | 1,261 L,324
7 L,O71 | 1,160 | 1,276 1,340
6 1,087 11,174 11,291 1,356
9 1, 100 | 1.188 11,307 L,372
10 1,113 | 1,,202 | L,323 1,389
11 t,\27 11,217 11,339 1,405
t2 1,140 t1,231 11,35s 1,422
13 1,154 I L,246 | A,377 1,439
14 1,16E 11,261 | 1, tE7 L,457
15 1,182 I1,276 I L,404 1,474
16 1,196 I 1.292 11.121 L,492
lt 1,210 11.307 11.438 1,510
18 L,22s I 1.323 I 1.45 5 1,528
19 L,240 | 1,339 | 1,473 1,546
20 1,254 I 1,355 11.490 1,565
2L L,269 | 1,371 | 1,5OE 1,583
22 1,28 5 I 1.387 I 1.526 1,602
23 1,100 11,404 11,544 1,622
24 1,316 11,421 11,563 1,641
zs 1,331 11,138 | 1,5E2 1,661
26 L, 347 11,455 11,601 1,5E1
27 1,364 I L,473 | L,620 L,7OL
2E 1,380 | 1,490 | 1,639 L,72L
29 L,J97 | 1,508 11,559 1,742
30 1,2113 I 1,526 I 1,679 1,763
l1 1,430 11,545 11,699 L,784
32 I,447 | 1,561 | 1,720 1,806
3l 1,465 I 1. t82 I 1.740 1,E27
34 1,182 11,601 11,761 1,849
l5 1,500 11,620 11,782 7,87L
l_t_

I AUXILIAR AOMINISTRATIVO
+------- |
crassÉl B lclDl EI
====== | ======= I ---: I ===--=-
NÍvEL I FUND. I|lÉolo ITÉc.,rÉD I suP. I
--==-''1-==--==l
1 1,000 I 1,100 I 1,15 5 L,27L
2 1,012 11,11.3 | 1, 169 1,285
3 L,024 | I,L27 | 1, 1E3 1,301
4 1,036 I 1.140 I 1, L97 L,3L7
5 1,049 11,154 | 1, 2LL 1,3r l
6 1,061 | 1,168 | 1, 226 1,349
7 1,074 11,182 | 1, 24L 1,165
6 1,087 11,196 | 1, 256 1,lE1
9 1,100 1,210 | 1, 27L 1,398
10 1,111 11,225 | 1, 2E6 1,414
11 t,127 1 1,239 | 1, 317 L,449
1l 1,154 11,269 | 1, 333 1,466
14 1,16E 11,285 | 1, 349 L,484
15 1,182 | 1,300 | 1, 365 1,501
16 1,196 | 1,316 | 7, 38t 1,519
L7 1,210 I 1.ll1 I 1, 396 1,538
1E L,225 | L,347 | 1 ,415 1,556
19 1,240 1r.,363 | 1, 432 1,613
22 1,285 11,413 I 1, 484 L,632
2) 1,300 11,430 | L, 502 1,652
24 1,316 11,447 | 1, 520 L,672
25 1,331 t1.465 I 1, 538 1,692
26 L,347 | 7,482 | 1 ,556 | L,7L2
27 1,364 | 1,500 | 1, 575 L,732
28 1,380 11,518 I 7, 594 1,753
29 1,397 11,536 | 1, 613 1,774
30 1,411 11,555 | 1, 632 L,796
3L 1,430 11,573 | 1, 6t2 1.,817
32 L,447 I r,592 I L, 672 1,839
33 1,465 11,511 | L, 692 1,883
35 1,500 11,650 I 1, 733 1,906
_t_t_

ANEXO I
TABELA DE VENCIMENOS

httpsr/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberiandia/lei-complementart2OO4l35l34Tllei-complementar-n-347-2004{ispoe-sobreo-planoie-cargos,. 21163
30t11t201A Lêi Complemenlar 347 2004 de Uberlândia MG

PESSOAL ADM I N ISTRATIVO

ASSISTENTE AOI'II{ISTIÂÍIVO ]
__+_______+____-__ I
cLAssEl c D I EI F
==-===t======= ==--=- =--=-= --='-==
I I

NÍvEL MÉOIO TÉc.,rEol 5uP. I EsP.


===-=*l:t:==,==
I 1 1, 000 1,050 1,15 5 1,32E
I 2 1, oL2 1,063 1,169 1,341
I 3 1, 024 1,07 5 1,183 1,360
I 1, 0t6 1.,06E I,L97 L,377
I 5 1, 049 1,101 t ,211. 1,393
I 6 I, 061 1,tL5 t,226 1,410
I 7 1. 074 1.128 1,241 1,477
I 6 1, 087 1,141 1,256
I 9 I, 100 1,155 t,271 1,461
I 10 L, 113 1,169 1,286 L,479
I 11 1, L27 1,183 r.,101 L,497
I 12 7, 140 1,197 I,3L7 1,514
I 1l 1, 154 L, ZLz 1,33 3 1,533
I L4 L, 168 7,226 1,349 1,551
I 15 1, 182 L,24L 1,36s 1,570
I 16 L, 196 1256 1,3E1 1,589
I L7 1, 210 !,27L 1,196 1,508
I 16 1, 225 1,286 1,415 L,627
I 19 1, ?40 1,301 1,432 1,646
I 20 1, 254 1,333 1,449 1,666
I 21, 1, 269 1,333 1,119 1,594
I 2l 1, 2693 1,313 1,466 1,686
I 2Z L, 285 1,349 1,484 L,706
I 23 L, 300 1,365 1,502 t,727
I 24 1, 316 1,381 1,520 1,718
I 25 1, 331 1,398 1,s38 L,769
I z6 1, 347 1,415 1, S56 1,790
I 27 1, 364 1,432 L,575 1, E11
I 28 1, 380 1,449 1,594 1,833
I 29 I, 397 7,466 1,611 1,85 5
I 30 L, 413 1,4E4 1,632 L,877
I 31 t, 430 1,502 1,652 1,900
I 32 1, L,520 1,,672 1,923
I 33 1, 465 1,51E 1,692 1,946
I 34 L, 442 1 ,56 L,7L2 1,969
I 35 1, 500 I ,575 1,733 1,993

1/mg/u/uberlandia/lei-complementa tt2OO4l35l347llei-complementar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-plano-de-cargos. 22t63


https://leismunicipais.com.brla
30111t201A Lei Complementar 347 2004 de Uberlândia MG

TÉcNrco ÁDr4rt{rsrR Ttvo I


__+_______+_______ |
CLASSEI DIEIF IGI
-=--- ---== -==-===
t I I :-: t-.--.=- I
NÍVEL TÉc. úÉo i4EsT. I

-=---=-t
1 1,000 L,100 1,255 1,518
2 1,012 1,1r,3 1,2E0 1,536
3 1,024 1,L27 1,296 1,55 5
1,036 1,140 1,311 r,573
5 1,049 1,154 L,327 1,592
6 1,061 1,168 1,343 1,611
7 L,074 1,182 1,359 1,631
8 1,0E7 1,196 1,:t75 1,650
9 1,100 1,210 1,392 1,670
10 1,113 't,225 1,408 L,690
11 !,t27 1,239 1,425 1,710
t2 1,140 1,254 L,442 1,737
13 1,154 1,269 1,460 L,752
14 1,166 1,28 5 't,47? L,773
15 1,1E2 1,300 1,49 5 L,794
16 1,196 1,316 1,511 1, El5
!7 1,210 1,331 t,531 1.837
16 1,225 t,347 1,549 1,859
19 1,24O 1,361 L,56E 1,882
z0 1,254 t,3E0 1,587 1,904
2l L,269 1,396 1,606 !,927
22 1,28t 1,413 1,625 1,9S0
23 1,300 1,430 1,645 Lt971
24 1,315 L,447 1,654 L,997
25 1,331 1,45 5 1,684 2,021
26 L, 347 L,4EZ 1,705 2,045
27 1,364 1,500 L,725 2,O7O
28 1,380 1,516 L,746 2,095
29 L,397 1,536 L,767 2,tzo
30 L,4t3 1,555 1,7EE 2,L45
31 1,430 1,573 1,809 2,t7L
32 L,117 1,592 1,831 2,L97
3l 1,465 1,611 1,85 3 2,224
34 L,482 1,631 1,87 5 2,250
35 1,500 1,650 1,898 2,277

ANEXO I
TABELA DE VENCIMENTOS

PESSOAL ADMINISTRATIVO

httpsJ/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementar/2OO4l35l347tlei-camplementar-n-347-2004dispoe-sobre-o-plano-de-cargos...23163
30111t2018 Lei Complêmentar 347 2004 dê Ubêrlândia [,4G

CLÂS5E EIFIGIHI
:: | :=:=:= | ===-==--t -.==á-: I
SUPERIOR I ESPÉCIALIZAçÂO I T4ESTRADO I OOLTÍORADO I
É=:-= | -.=-t=r-l =--===-- | =----: I
I 1 1,000 1,150 1,380 1,656
I 2 1,012 1,164 \,397 '1,,676
I 3 L,OZ4 1,178 1,411 1,696
I 1,036 1,192 1,430 1,716
I 5 1,049 1,206 L,447 L,737
I 6 1,061 L,22t 1,465 1,758
I 7 !,o74 1,235 1,4E2 1,779
I 8 1,087 1,250 1,500 1,800
I 9 1,100 I,265 1,518 1,822
I 10 1,113 1,2E0 1,536 1,8114
I 11 1,,127 1,296 1,555 1,866
I L2 1,140 1,311 1,573 1,888
I 13 1,1S4 7,327 1,592 1,911
I 14 1,168 1,343 1,611 1,934
I 15 1,182 1,359 1,631 1,95 7
I 16 1,196 1,3 75 1,650 1,980
I L7 1,21.0 1,392 L,670 2,004
I 18 1,,225 1,409 1,690 2,O2A
I 19 1,240 7,425 l,711 2,053
I 20 L,254 1,443 1,731 2,077
I 2! 1,269 1,460 t,7s2 2,toz
I 22 1,285 L,477 L,771 2,127
I 23 1,300 1,495 I 1,794 2,153
I 24 1,316 1,513 I 1,816 2,t79
I 25 1,311 1,531 I 1.837 2,205
I 26 L, 347 1,550 I 1,859 2,231
I 27 1,364 1,566 I 1,882 2,258
I 28 1,380 1,587 I 1,90,1 2,285
I 29 1 ,197 1,606 I L,927 2,313
I 30 1,413 1,62 5 I 1,950 2,340
I 31 1,430 1,645 I 1,974 2,369
I 32 1,447 1,665 I 1,997 2,397
I 33 1,465 1,685 I 2,02L 2,426
I 34 1,442 1,705 I 2,046 2,155
I 35 1, S00 L,725 I 2,O70 2,184
t_ t_t_t
.J
ANEXO I
TABELA DE VENCIMENTOS

https://teismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/leLcomplementarl2OO4l3st34T/.ei-complementar-n-347-2004{ispo+sobre-o-plano-de-cargos...24163
30111t201A Lêi Complêmentar 347 2004 de Ubêrlândia MG

t--------t---------l
CLÁSSE ElFlclHl
==-=-!= -:===:===== | =-====-- t -.=--====
t |
N vÉL SUPEÂIOR I ESpECIALtZÁçÂO liaÉsÍRÀDO IOOUTORÂOO I

-.==---= | --=€.r{- | r--==--= t.!s=Eã |


I 1 1,000 1, 150 1,380 1,656
I 1, 012 1, L64 I L,397 1,676
I l 1, 024 L, L7E I I,411 1,696
I 4 1, 036 1,192 I 1,430 1,716
I 5 1, 049 1,206 I L,737
I 6 1, 061 L,22! I 1,465 1,758
I 7 1, 074 1,235 I 1,482 1,779
I 8 1, 087 1,250 I 1,500 1,800
I 9 1, 100 1,265 I 1,518 L,422
I 10 1, 113 1,280 I 1,536 1,6,14
I 11 1, !27 1,296 I 1.555 1,856
I 12 1, 140 1,311 I 1,571 1,886
I 13 I, 154 7,327 I 1,592 1,911
I 14 1, 168 1,143 I 1,611 1,934
I 15 1, 182 1,359 I 1,631 1,957
I 16 1, 196 1,375 I 1,650 L,960
I t7 1, 210 L,392 I 1,670 2,004
I 18 1, 225 1,409 I 1,690 2,02E
I 19 1, 240 1,425 I L,7!\ 2,051
I 20 1, 25{ L,443 I 1,731 2,O77
I 2L 1, 269 1,460 I L,752 z,!02
I 22 1, 2E5 L,477 L,773 2,t27
I 23 1, 300 1,495 I 1,794 2,153
I 24 1, 316 1, t13 I 1,816 2,179
I 25 1. 331 1,531 I L,837 2,205
I 26 1, 347 1,550 I 1,859 2,23L
I 27 1, 364 1,56E I 1,882 2,258
I 28 1., 380 1,587 I 1,904 2,2E5
I z9 1, 197 1,606 I 1,927 2,313
I 30 1, 413 1,625 I 1,950 2,340
I 31 1, 430 1,545 I 7,9?4 2,369
I 32 t, 447 1,665 I L,997 2,397
I 33 1, 465 1,6E5 I 2,021 2,126
I 34 1, 482 1,705 I 2,016 2,455
I 35 1, 500 1,725 I 2,O70 z ,444
I_t_l

PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DA EDUCAÇÃO

ANEXO II
QUADROS PERMANENTE E SUPLEMENTAR

ANEXO II
QUADRO PERMANENTE
PESSOAL ADMINISTRATIVO
É

httpsJ/leismunicipais.com.br/a'1lmg/u/uberlandia/lei-complementa 2OO4l3Sl34Tllei-complementar-n-347-2004iispoe-sobre-o-plano{e-cargos.. 25i63


30t11/2014 Lei Complementar 347 2004 de Uberlândia À4G

CÁRRETRÂ| FoirÁçÃo I CÁR6O VENCTi4ENTO CÂRG | N" DE CÁRGOs I


I I CÀRGO lVErC. I
I ESCOLÁR I NOVO lrNrCtAL IHOúRIAI-----+--------l ANÍÉRIOR lrNICIA!l
I I IEi,I REAIS I SÉi,IANAL I NOVOS IANÍERIOR I IAI TER. I

aEentedel4'sériê | agêntê | 691,65 | 40h | 12601 631 lauxi'liâr | 311,411 (12 vaqàs criadas oela Lei no 11.4
apoio ldo €nsino I dê sêrv.l :1r,44 I I €,€l ldê sêrviçosl I (Redaçáo dada p€là rei nô 11.13912
adr. lFundam. I Gerâis I I 11?481 lcêrals I I

I I I I I I 5E7 lMêíênd. | 311,411


| --------- | ----------- t--------- | -------l -----t--------t -----------t-------l
auxiliar lEnsino laux. d€ 366,38 | 40h | 15 | 15 laux. de | 366,381
adninis- lFund entâl I Biblio- llllBib'llolt
trativo lcohpl€to I t€ca lllltecall
---------l t--------- ----------t -------t----- t --------t ----------- | ------- |
assist. lEnsino
I lconp]eto l---------l----------l-------l-----l--------l-----------l-------l
I lassist, | 99t,61 l4oh 104 I I I l(01 vâga criada pe]a Lei n. u.459/l
I ÍÁdn. I I 103 I I I | (Redaçáo dãda pêra r€i no 11.319/20l
I I t---------t ----------t -------t ----- l-------- t -----------l-------l
I I | Édllcederl 165,59 I 19h | 69e I l5s laex i.. d€l 3:5rttl (159 yage§ .-ieCes pê1. rêi €e r]ei{
I I

I I --------- | ----------t------- t----- | -------- | ----------- t ------- |


I €du(àdori 674,99 l40h l7s0 l I I I

I I Infantill I I I I I l(Redaçáo dãdà pêlâ Lêi no Lo.32s/2oo<.


I I l ------- -----t--------t-----------l-------l r

| | llnf.ntÊl I I I I I I (Êer.çá. C.C. pet. rêi no 11,Os./.e


I --------- | ----------t -------t ----- | -------- t ----------- | ------- |
995.61 25h | 17891 - | - I - | (s3 vaqas criadÀs pela Lei n" 11.45Í
:€à | r,736l I I I (Rêdação dada pelâ L€i no 11..339/20j
t------- ------- | -----t -------- I -----------t -------r
dêl 52s,97 20h ,l llnstrutor | 465,591 (10 vagas criâdàs pelâ rei complem
I lMédio Língua I I l4-t ldê Línsua I I
I I tt Ildê sl nais I I

I 5inâis I I lt ltr
I I I tt ttt
I l I lt rlt
I I l---------t----------t -------t-----t--------t-----------t-------l

| | lcê6inei6l I I I ldê sin.j5 I I

I I t--------- t----------t-------t-----t--------t-----------t-------l
I l lrntérp. 762,53 I 20h ?o llntérpíete I

I I ld€ Linsual lde Línguâ |


I I lde sinà'i s I lde sinais
tt
I
I I ll (Redação dadà pê]a L€i no 10.325/20(
I I | --------- | ----------t ------- | ----- --------l-----------l | I
I I 566,82 40h 111 111 lsecretário I | I 52 5 ,971
I I I rio lEsco]âr I I I

I I lEscolâí I

-------l-----t--------t ---------l
tt
t--------
Íécnico de I tttt
Nívê] rédiol lttt
-----------t-------- ------- | ----- | --------t ----------- |
Gíâdueção I I I I l I lt
I I I I I I tt
I
_t_t_t_t_t_t_t
I I I I I tt

ANEXO II
QUADRO PERMANENTE
CARREIRA DO MAGISTÉRIO

I caRco Novo I vE|cDaEúro lcÂRGA HoúRralNo DE cÂRcosl


I IINIGÍAL Eü REÂISI SEiIANAL I Novos I
| ---------=====.==========:.:t =-.-=--======t============ |
lrrefês5e. | 6l',69 | 301 | 191: (*r) |

t----------------t-------------t------------l
iProfessor | 1.335,81 | 20h | 4399 | (20 vâsâs criadas pêla Lei no 11.45912013)
I L , oat" | (Rêdãçáo dada pela Lei nô 1L.3|9/2OL3)
t---------------l---------------- t------------- t------------ |

lE5F.€i.li5t. C.l 70:!15 | 20\ | :95 ("2) | (vê1Êi_..rte .lt€íâCe pêla lei n' 94471:eCg

lE5pe€ieliste Cel 905,6' | 20' ' 316 I

| ----------------t ------------ I
LÉspecialista del 1, t35,81 | 20h I 151 (02 vaqàs criadas pê]â Lei no 11.45912013)
l€ducaçáo I tt z4t (Rêdaçáo dada pêla têi n' 11.319/2013)
I

https://teismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementar/2OO4l35l347llei-complementaÊn-347-2004-dispoe-sobre-o-plano{e-cargos 26t63
3011112018 Lei ComplementaÍ 347 2004 de uberlândia MG

(.1) O número de vagas deste cargo corresponde às do cargo de


Proíessor (P-1, P-ll, P-lll, P-lV P-V e PVI) pertencentes ao
Quadro Suplementar.
('2) O número de vagas destê caÍgo corresponde às do cargo de
lnspetor Escolar (lE-|, lE-ll E lE-lll), Supervisor Escolar
(EE-|, EE-ll, EE-lll) e Orientador Escolar (EE-ll, EE-lll,
EE-lV) pertencenles ao Quadro Suplementar.

ANEXO II
OUADRO SUPLEMENTAR

I vENcrúENTo I caRGA I cLÁssÉ DE lir" DE cÀRcosl


lINrcrÁL I HoRÁRrÁ
FERÊNct^
| RE
p/l I
lEil REArs IsEi,taNAL |ENeuaDR MENroI I
| -==--==l --=--:--- | ..êÉ.É |
lrnspêtor Esco'lãr ---== 40h 16
lI.speto. Escol a. Í L.522,54 40h ,
llnspetor Esco'l ar II 1.596,66 40h
llnspetor €sco'l ar III !.674,49 40h
loriêntado. Escolar 40h : 111
lorientador Êscolâr r 787,75 40h
lOri€ntador Escolâr II 908,05 40h ;
loriêntador Escolar III 972,70 ,l0h
lori êntador Escolar rv 1.05r1,99 40h G

-l 20h I 4322 | (Redação dada pêla r€i no L0.325/2009)


311,41 | 20h I I

129,43 I 20h I I

434, s2 | 20h I I
s27,25 | 20h I É I

-l 20h I I

-l 20h I G I
supêrvi sor Esco].r -l 40h I I 169
supervi sor Csco'lar I 787,15 | 40h l I
supervi sor Escolâí II 90E,Os I 40h I I
supervi soí Esco l ar IIJ 972,05 | 40h I I
5up€rvisor Escolar IV 1.054,99 I 40h I G I
-<t
_t_t_t
rl
-" t-
PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DA EDUCAÇÃO
-,, lt
ANEXO III
TABELAS DE VENCIMENTOS DOS CARGOS COMISSIONADOS .a --

ANEXO lll (Vide Lei n" 10.549/2010)
QUADRO DOS CARGOS COMISSIONADOS
DIRETOR E VICE DIRETOR ESCOLA tVUNICIPAL (Cargos Remanejados pelo Decreto no
13.399t2012\
GRATIFICAÇÃO DE FUNÇÃO

https://leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-compiementa 2OO4t3Sl34T llei-c,aÍlplementar-n-347-2OO4dispoq sobre o-planoie-cargos... 27163


30111/2018 Lêj Complemêntâr 347 2004 dê Ubêrlândiâ [rG

I caRco Er4 I IoRNADÁ DÉ QlrÂ[ÍroaDE GnÂTr FrcÁçÁo I


cor4r55Ão | I

I I TRABALHo I IoE FUNçÁo EMI


| | sEr,taxÁL I IREÁr5 t
l=--===-===-========t:---=----t-.=-.-==-=t==========-l
IerRsTen €5Éc,.- 1l ,9 he-.6 pEl 1l I 1.7t5,90 |
lelRsreR s8.e'1^ 1l ,9 her.. pEl J.l I t,951r15 | (Rêd.çáô CrCâ pqla,e: -ô 9'r6,'t997)
ler,lE-el Esces\n al re &-.6 eEl 15 ' ,,951,15 I (nêdâçáe C.dã pel. lei -ô 941'lZO0-)
lErnEÍoR E5€er\1 1l ,g he.e€ B-l 16 | 1.951126 | (ftedaçãe Cede pêtâ rêi Õô 9185/iOO7)
lerlErel EsceE\n *l .9 heras pEl :1 | :.118,19 | (n€deçie c.cã pera ler ío 9569/1907)
lpr,lE-o1 Eseet\n rl 10 re-.5 eEl 25 | ..11t,19 | (nêd.çáe dâdâ F€lr lei rô 956í/1907)
lg.n.rel Escol^n 1g reF.5 oEl l5 | ir118,19 | (ÂeCâçá6 drCã l€lâ,-i rô 9779l1q98)
lprlErsl Escela ^l
'' '9 l.â-as pEl :7 | :.516,77 | (&edaçaE dàda pet. !êi n. 1o.t1tr,tCo9)

lerftEÍe& 5660!'1 11 19 h€..F p-l ,3 | t,931É6 I ('leCaçãe C.Câ pe1â rêi nô 14,7C./.011)
lerREreft E§€e,^- 1l ,9 he..E eEl tr6 | 2.931r56 | Orêd.§áe C.de pê1. rêi nô 11,015/:?!')
lprft6r0n €5€eE11 1l l9 hgrà5 pEl 17 I ttt71,71 | (nedeçáe Câda pête !êi €Eopten€nra. 10 55tl2glt)
lernEreÍr Er€el\n 11 10 h6re6, à-l 50 | ',112,31 | (nedeçáe dad. Fetàrêi nô t&.3t9l3913)
lDrR€ÍoR EscoLAR - al 40 horàs o€l 51 I 3.712.21 | (Redação dada pêta Lêj í. 11.4s9l/201j)
tltlt
lprnEren €5€er11 Bl 10 hêr.E | 11 I 1t906,99 |
lprnEreR €s€er1n Bl 10 hêr.É | 15 | :,3t.,11 I (nêCâçae dâCâ peta rei o" .56e/tog7)

IoIREÍoR EscoLAR - Bl 40 ho.as I 1? | 3.705,21 | (Rêdação dada peta rei conptenentár no 555/2013)
ttltt
|941ET0R Es€er\n €l19 her.E pÉl t1 | ] oge,€q I

lerâErêr E5€e1.1 €l .t0 hsr.É p-l 15 | :,808,92 | (ÊeCeçae r.cà Ferâ !êi no lg.og5/toCa)
lprnErel €5€or^' €l 19 her.E ^El 16 I ,,066,79 | (ír€Cãç:ê C-Ca pêI. rêi no 11,168/:C12)
lDrREroR EsaoLÂR - cl 40 hores DEI 17 I 4.066.29 | (R€daçáo dadã pêtà rei compten€ntar no s5s/2013)
ltttr
lDrREroR EscorÂR - ol 40 horâs oEl 30 I 2.296,00 |
lvrcE DrrEToR Esc.-al 20 horas I I 66E,OO I
ltttt
lvr€E erlE-sn E5c, Bl :0 Lsrr§ | 6 | 95i,CO +
va€E prnEÍeft EsE, sl 19 heí.r 7 I r,t79,38 | (Rêdeçàe Cade peta rêj no 10.0'5,,:C0t)
lvrcE DrRÉÍoR Esc.-Bl 20 horas 10 1.852,62 | (R€daçáo dada pêlâ Lei complênentar n. 555,/2011)
tt
IVICE ^115101 Esc, el r0 h€r.E I 36 | ] Ol,,t! | (nêdeçဠdrdr per. rêr no U.158/t01.)
lvrcE DriEloR €sc.-cl 20 horas i 28 | 2.013.t8 | (Redação dàdâ petà Lêj cohplêíentar no 555/2013)
ltttt
lvlcE DIREÍoR Esc,-Dl 20 horâs | 100 | 1.149,00 |
lDrREroR oE EscoLÁ | I 4 I 2,934,56 | (cargo criado p€ta Lei n" 11046/2011)
l_t_t_l
DE = DedicaÇão Exclusiva

-{
PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DA EDUCAÇÃO

ANEXO IV
CARREIRA DO MAGISTÉRIO

TABELA DE EQUIVALÊNCIA ENTRE O PADRÃO


DE VENCIMENTO ANTERIOR E O NÍVEL DE
VENCIMENTO DA NOVA CARREIRA

httpsr/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementatl2OO4l35l34TAei-Cfmplementar-n-347-2004iispoe-sobre-o-planode-cargos.. 28163
30/11t2018 Lei Complementar 347 2004 de Uberlândia MG

NÍVEL OE I
IVENCIMENTO vENCL,tÉúrO I

DA NOVA CARiErnÁl
E==i._.===-:*I
1l
2l
3l
4l
----------------l
B 5t
6l
7l
8t
----------------l
I c I 9l
I I 10
11
1

I I I

I I L2 I

I 13 I

I I 14 I

I I 15 I

I I 16 I

----------------l
I E I L7 I

I I 18 I

I I 19 I

I I 20 I

I I 21, I

I I 22 I

I I I

I I z4 I

I I 25 I

I I 26 I

I I 27 I
I I 28 I

I I 29 I

I I 30 I

I I 31 I

I I 32 I
I I 33 I

I I 34 I

I I 35 I

ANEXO IV
PESSOAL ADMNINISTRATIVO

TABELA DE EQUIVALÊNCIA ENTRE O PADRÃO


DE VENCIMENTO ANTERIOR E O NÍVEL DE
VENCIMENTO DA NOVA CARREIRA

httpsr/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/leLcomplementaÍ120041351347net-complementar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-plano{e-câr9os...29/63
30t11t2018 Lei Complementar 347 2004 dê Ubêrlândia MG

PAORÃO DÉ NÍVEL DE I

VÉNCIIIENTO VEICII.E|{TO I
ÂNÍERIOR DA NOVA CÀiRÉ1RÂI
:=-|
1l
2t
----------------l
3t
4l
----------------l
sl
6l
----------------t
D 7l
EI
----------------l
E 9l
10 I

----------------l
11 I
12 I

----------------l
G 13 I

14 I

H 1sI
16 I

----------------l
lrl L7 l
tt 18 I

t---------- ----------------l
lrl 19 I
tt 20 I

tt 2L I

tt 22 I
tt I
lt 24 I

lt 25 I

tt 26 I

tt 27 I

tt 28 I
tl 29 I
tt 30 I

tt 31 I

tt 32 I

tl 33 I
tl 34 I
tt 35 I
l_t-.==-l
-=1

ANEXO V
TABELA DE VENCIMENTOS PESSOAL ADMINISTRATIVO

ReÍerência - novembro 2002

https://leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lêi-complementar/2004/35/347llei-complementar-n-347-2004-dispoe-sobr+o-planoie-cârgos...30/63
30t11t2018 Lei Complemenlar 347 2004 de Uberlândia lúG

I AGENTÉ DE ÂPOIO ADÀ4INISTRATIVO I

CLA55E

NÍvET 4' SÉRIÉ FUND. I 14ÉDrO lTÉC.r,rÉO. I

-=---:-- -----==- =---=---- I


l I

I 1 311,41 336,32 369.96 388,4t


I z I 31S, 15 340,36 393,11
I 3 I 318,93 344,44 37E,89 397,83
I I 322,76 348,58 383,43 402,61
I 5 I )26,61 3 52 ,76 3E6,04 107,44
I 6 I 330,55 356,99 192,69 4!2,33
I 7 I 334,52 361,2E 397,4O 4L7,27
I 8 I 13E,53 36 t,61 4O2,17 422,24
I 9 I 342, 59 370,00 4O7 ,OO 427,35
I 1o I 146,70 374,14 411,88 132,1a
I 11 I 3 50,86 378,93 416,83 437,67
I 12 I 355,07 383,48 421,E1 442,92
I I 359,33 388,08 426,49 448,23
I 14 363,65 392,74 432,0L 451,61
I 15 368,01 397,45 437,20 4S9, 06
I 16 172,43 402,22 442,44 164,56
I L7 I 376,90 407,05 447 ,7 5 470,14
I 18 I 381,42 4l-1,93 453,12 475,78
I 19 I 3E6,00 116,87 45E,56 481,49
I 20 I 390,63 421,88 464,06 I 487 ,27
I ZL 395, 31 426,94 469,63 I 493,L2
I zz I 400,06 432,06 475,27 I 499,03
I 23 I 404,86 437,25 4E0,97 I 505,02
I 24 I 409,72 442,49 486,74 I 511,08
I 2S I 414,63 447 , EO 492,59 I 517,21
I 26 I 419,61 15 3, 18 498,50 I s23,42
I z7 I 421,64 45E,62 504,48 I 529,70
I 28 I 429.71 464,72 510,53 I 5 36,06

I 29 I 414,90 469,69 516,66 I 512,49


I 30 I 440,t2 475,33 522,86 I 549,00
I l1 I 445,40 481,03 529,13 555,59
I 32 I 50 ,74 466,80 535,48 562,26
I 33 I 4 56 15 492,64 541,91 569,00
I 34 I 61 63 49E,56 5,18,41 57 t,61
I 35 I 67 16 504,54 554,99 582,71
t_t_t_t_t_l

AUXILIAR ADMINISTRATIVO
ClasseBCDE

i.l ú-a

., I'l
ʧ1
,-, l]]

httpsr/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/ubeíandia/lei-complementar/2004/35/347llei-Çomplementar-n-347-2004{ispoÊsobreo-planúe-cargos. 31/63
30t11/201A Lei Complementar 347 2004 de Uberlândia N4G

I AUXIIIAR ÁDiiII{I5TRÁTIVO I
--------+---------l
cLÂssEl lclDl
===-==l t==-==.:ãt:===
NÍvEL I I r4ÉDro lTEc.ÍÉo. SUPERIOR]
-==--=t --=-*- --==---- ==--=---. ---==--==t
| |
I 1 166,3E 401,02 423,t7 465,49
I 2 370 7E I 407,85 I 4ZA,25 471,07
I 3 375 21 I 4L2,75 I 413,39 476,72
I 379 73 I 4L7,70 I 4 38, 59 442,45
I 5 384 29 I 422,7L I 443,E5 488,21
I 6 388,90 I 427,79 I 449,18 494,09
I 391,56 I 432,92 I 454,57 500,02
I E 398,29 I 438,11 I 460,02 506,02
I 9 403,07 I 443,37 I 465,54 512,09
I 10 407,90 I 448,69 I 471,13 51E,24
I 11 412,80 I 45a,08 I 475,78 524,46
I 12 4L7 ,7 5 I 459,51 I 482,50 530,75
I 13 422,76 I 465,04 I 488,29 s37,L2
I 74 427 ,64 I 470,62 I 494,15 543, t7
I 15 432,97 I 476,27 I 500,08 550,09
I 16 43E,L7 I 481,98 I 506,08 556,69
I L7 443,42 I 487,77 I 512,16 561, 3 7
I 1E 444,?S I 493,62 I 518. t0 570,13
I 19 454,L3 I 499,54 I 524,52 576,97
I 20 459,58 I 505,54 I 510,82 583,90
I ZL 455,10 I 511,50 I 517,19 590,90
I 22 470,58 I 517,74 I 543,53 597,99
I 23 476,32 I 523,96 I 550,15 605,17
I 24 482,04 Í 530,24 I 556,76 6t2,43
I 25 487,A1 I 536,61 I 563,44 619,7E
I 26 493,68 543,05 570,20 627 ,22
I 27 499,60 549,56 s77,04 534,75
I 28 505,60 556,16 583,97 642,16
I 29 511,67 562,83 590,97 650,07
I 30 517,81 569,59 598,07 657,87
I 31 524,O2 576,12 605,24 665,77
I 32 530,11 5E3,14 612,50 673,76
I 33 536,67 590,34 619,86 6E1,E4
I 34 541,11 597,42 627,29 690,02
I 35 549,63 604,59 634,A2 696,30

ANEXO V
TABELA DE VENCIMENTOS
PESSOAL ADMIN ISTRATIVO .9 !f
J <,r
Referência - novembro 2002 'J tai
tsH

httpsr/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementa 2004135t347tlet-complementaÊn-347-2004-dispoe-sobre-o-plano-de-cargos.. 32y63


30t11t201A Lêi Complêmentar 347 2004 de Uberlándia N4G

I ASSISTENTE ADMINISTRAÍIVO
l------+-------- +---------l
lcLÂssEl c IDIEIFI
| ===:==== -=:{= l€sPEcraL
| t -.-=----r I

NIvEL MÉDIo lTEc.xÉDro lsuPEiroi I

| ------=. | -=_-,- I úr--_-__ |


I I 5, 59 48E,87 537,76 | 514,42
I 2 L, 18 I 494,74 544,2L I 625,84
I 3 6, 3 I 500,67 s50,74 | 633, r5
I 82,5 5 I 506,6E 557,35 | 640,95
I 5 48E,3 I 5L2,7 6 564,04 | 64E,54
I 6 494,2 0 I 518,91 570,81 | 656,,13
I 7 500,11 I 525,1,1 577,66 | 664,30
I 6 506,14 I s31,44 584,59 | 672,24
I 9 512,21 I 537,82 s91,60 | 680,34
I 10 518,36 I ,44,27 596,70 I 688.51
I 11 524,58 I 550,81 605,E9 I 696,77
I LZ 5 30,87 I 557,41 613,16 | 705. t 3
I 13 517,24 I 564,10 620, s1 I 71t,59
I 14 I 5.t3,69 570,A7 627,96 | 722,a5 I

I 1S I 550, Z1 577,72 635,S0 | 730,82 I

I 16 I 556,62 584,66 I 643,12 | 739,59 I

I l7 I 563,50 59!,67 I 650,84 I 74E,47 I

I 18 I 570,26 594,77 I 65E,65 I 757,45 I

Í 19 I 577,10 605,96 I 666,s5 | 766,54


I 20 I 584,01 613,23 I 674,55 | 775,73
I 2! I 591,04 620,59 l 682,6s I 785,04
I 22 I 59E,13 628,03 I 690,64 | 794,46
I I 605,31 615,57 I 699,13 I 804,00
I 24 I 6L2,57 643,20 I 707,52 | 813,65
I 25 619,92 650,92 I 716,01 I 823,41
I 26 627,36 65E,73 I 724,60 | 63 3 ,29
I 27 614,89 666,63 I 733,30 | 443,29
I 28 642,51 674,63 742,09 | 853,41
I 29 650,22 682,73 7S1,00 | 863,65
I 30 658,02 690,92 760,01 | E74,OL
I 31 66s,92 699,21 769,13 | 88.r,50
I 673,9a 707,60 778,36 | 895,12
I 33 681,99 7L6,O9 787,70 | 905,86
I 34 690,1E 724,69 797,L5 | 916,73
I l5 694,46 733,3E E06,72 | 927,73
t_t_t_t_l_t

CLASSE I D EIFIGI
==E:===t :=-is-.= | =-===-E-- |
NÍvEL IEC Éa sUPERIORI ESPEC. IíESÍRADO I
:---== I -E-E=.r= | ---=-!.-. I
1 594,95 654,45 | 752,6L I 903,11
2 602,09 662,30 I 76L,54 | 913,97
3 609,31 670,25 I 770,78 I 924,941
4 616,63 678,29 I 780,01 I 936,041
5 624,O3 686,41 | 789,39 | 947 ,27 |
6 631,51 694,67 I 798,87 I 958,641
7 639,09 703,00 | 808,45 | 970,14 {.j.
E 646,76 7!L,41 | 816,15 I 98r,7El
9 551,52 719,97 | 827 ,97 I 993, s7 |
10 662.3E 728,61 | 837,91 11.00s,491
11 670,33 737,36 | 847 ,96 11.017,ss1
12 678,37 746,21 | 858,14 11.029,76
t4 694,75 761,22 | 878,86 11.0s4,631
1S 703,08 773,39 | 889,40 11.067,281
16 7Lt,52 782,67 | 900,07 11.080,091
l7 720,06 792,O7 | 910,6E 11.093,051
1E 728,70 801,57 | 921,81 11..106,171
19 737,45 611,19 | 932,E7 11.119,441
20 746,29 820,92 | 944,06 11.112,87
2L 755,25 830,77 | 95 t ,39 I t.L46,47 )

22 764,3L 840,74 | 966,86 11.160,231


21 173,48 850,83 978,46 11.1.74,151
I
24 782,77 861.,04 990,20 11.188,241
|
25 792,16 871,3E 11.002,06 11.202,50
25 E01,67 881,83 11.014,11 11.215,931
27 811,29 892,4L 11.025,2E 11.231,53
28 82).,02 903,12 I 1.01E, 59 11.246,311
29 830,87 913,96 | 1.051,05 | 7.26r,27
30 840,84 924,93 11.063,67 | 1.276,40
31 850,93 936,03 11.076,43 | 1.291,72
32 861,1S 947,26 11.089,35 | 1,.107 ,22 )

871,48 958,63 1L,702,42 I r.122,90


34 881,91 970,1l 11.115,65 l1.l3E,7E
892,52 9E1,77 11.129,04 11.3s4,65
_t_t_t_ t_t

httpsJ/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementar/2OO4l3'l34Tlleicomplementar-n-347-2004-dispoe-sobrqo-plano4o-cargos.. 33/63
30111/201A Lei Complêmentâr 347 2004 de Ubeíândia Mc

ANEXO V
TABELA DE VENCIMENTOS - PESSOAL ADMINISTRATIVO

Referência - novembro 2002

| ÀssrsTENTE aDíINrsTRÁTrvo E FoRxÁçÃo ÉspEcÍFrc |


I II{5TRUÍoR oE LINGUÂ DE sINAIs I

I INÍÉRPRETE D€ IÍNGUA DE SINÂI5 I

l------+---------+--- -+-------- |
laLÁssEl clDlElFl I

l ------ | --------- | -------- | --------l ------ t -------- |


lNÍvEL I lr.ÉDro lrÉc.MÉD. I sup. I Esp. I

1l 465,59 525,97 552,27 1607,501 69E,62 |


2l 47 L,18 532,28 58,90 1614,791 707,001
3l 476,43 538,67 55
60 1622,L6 7L5,49
4l 482,55 545,13 72
39 1629,631 724,07
5t 488,34 5 51.67 79
26 1617,18t 732,76
6t 494,20 558,29 E6
2L 1644,831 74L,55
7l 500.13 564,99 93
24 1652,57 | 750,45
6l 506,14 57L,77 600 36 1660,40 | 759,46
9l 512,2L 576,64 607 57 1668,321 764,57
10 1
518,36 5E5,5E 614 86 1676,141 777,EO
12 I 5 30.87 599,72 629 70 1692,671 796,57
13 I 537,21 606 91 6)7 26 1700,991 806,13
14 I 511,69 614 20 644 91 709,401 815,81
15 I 550,21 62L 57 552 55 71,7,911 E25, 60
16 I 5 56,82 629 o3 660 48 726,53 | 83 5, 50
17 I 561,50 636 57 668 40 73S,241 645, 5l
1El 570,26 644 ZL 676 42 744,07 855, 68
19 I s77,10 651 94 684 54 753,00 865, 94
20t 5E4,03 6S9 77 692 76 762,03 876, l4
21 I 591,04 667 68 701 07 77t,t8 886, 85
22 I 598,13 675 70 709 4E 780,43 a97,191
23 I 605,3r 683 80 718 00 1789,79 908,261
24 I 6L2,57 692 o1 726 61 1799,27 919,161
25 I 619,92 700 31 735 l3 1806,86 930,19 |
26 I 627 ,36 70E 72 744 15 1818,57 941,36 |
27 634,69 7',l7 22 753 08 1828,3e 952,651
28 642,51 725 63 752 12 1836,l3 964,081
29 650,22 734 5zl 7?L z7 1848,39 975,551
l0 658,02 743 35 7 80,52 1E58, 5 7 967,36 |
31 665,92 752 z7 7E9,89 1866,E6 999,211
67),9L 761 l0 99,37 1879,30 1.011,20 |
3l 681,99 770 8 08,96 1869,86 1.023,l3l
34 690,1E 779 66 E 1E,67 1900, s3 1.015,611
35 698,46 749 o4 8 28,49 1911,3411.048,04|
_t_t_t
:
ANEXO V iiq t..,
TABELA DE VENCIMENTOS i!

PESSOAL ADMINISTRATIVO
*,À
Assistente Administrativo ê formaÉo especíÍica

ReÍerência - novembro 2002

https://leismunicipais.com.brla1lmg/u/uberlandia/lei-complementatl2OO4I3SI3ÁT/ei-complementar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-plano-de-cargos. 34/63
30t11t2018 Lêi Complementar 347 2004 dê Ubêrlándia [4G

EO(]CÂDOR INFANTIL
+------+------ |
cLAssEl lBlcl ol EIFI
------ I ------t -----,1------ t---t------l |
NÍVEL I lFuND. lnÉoro rÉc.iíÉDl suP. lEsPEc.
I I

==---t..:t:-tt...:I --=--t------t=:-l
1 1325, E21366,38 t465,59 4E6,E71 537, 761 616,42
| |
2 I 329, 7 3 | 37O, 7 8 | 17 L,L8 | 491 ,711 514 ,2Ll62s ,811
3 1333,691375,23 476,81| 500,671 550,74 163t, 35 |
4 1337,69 t79.73 4E2,551 506,6E 1 557,351640,95 1

5 1341,74 384,29 4EE,34l 512, 761 564,041648,64l


6 1345.84 36E,90 494,201 s1E,91l 570,81t656,43 |
7 1349,99 193,56 500,11| 525,141 s77,661 664, 301
I 1354,19 39E,29 506,141 511,44 | 5E4,591672,2E I
9 1358,44 403,07 512,211 537,821591,60 6E0,311
10 1362,75 407,90 518,36 | 544.271598.70 688,511
11 1167,10 472 ,80 524,581 s50,81160s 89 696,77
12 l17L,SO 417,75 5 30,671 557,411613 16 705,13
13 1375,96 122,76 537,241 564,10l620 51 713, 59
14 1380,47 427 ,64 543,691 570, E7 | 627 , 96 722,15
15 t385,04 432,97 550,21 577,721 635, 50 730,42
16 1389,66 438,17 5 56,82 5E4,661 641,12 739,59
17 1194,34 443.42'563,50 s91,67 | 650,84 748,47
18 1199,07 448,751570,26 598,77 | 6t8,65 757,45
19 1403,86 454,13 | 577,10 605,951 666,55 766,54
20 4OE,70 459,58 | 584,03 513,2 3 | 674,55 775,71
2t 413,61 46s.101591,04 620.591 582,65 785,04
22 4LA,57 470.68 ts9E,13 628.01t690.54 794,46
423,59 476.121605,31 635,571699,13 804,00
24 426,68 482,0416L2,57 643,201707 .52 813,65
25 433,82 487,831619.92 650,9217L6 01 821,4t
z6 439,03 493,6E1627,36 658,731724 60 831,29
27 444,29 499,601634,89 566,63 | 733, 30 443,29
28 449,63 50s,601642,51 671,63 | 742, 09 85 3 ,41
29 455,02 511,671650,22 682,731 751,00 853,65
30 460,4E 517,811656,02 690,921 760,01 874,01
31 466,01 524,021665,92 699,2r,I 769,131884,50
471,60 510,311673,91 707,601 778,361895,12
33 477,26 5r6,671681,99 716,091787,701905,86
34 482,99 513,111690,1E 724,691797.r5t916.73
35 488,781s49,631698,461 733,381806,721927,73l
t_t_l_l_t_t_l_l -\,

ANEXO V
TABELA DE VENCIMENTOS
PESSOAL ADMIN ISTRATIVO
Assistente Administrativo e formaÉo específica

Referência - novembro 2002

hnps://leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementatl20O4l35l347/.ei-complementar-n-347-2004iispoe-sobre'o-plano-de-cargos...35/63
30111t2018 Lei Complementar 347 2004 de Uberlândia irc

c!assEl c DlÉlFlcl
------t------l ------- l------- | -------- t-------- |
NIvEL I lr,rÉoro E EsPEa. ÍÉc i,rÉD | suP. I EsP. I MEsÍ. l
t----t ------l--=----t----t--_-l
1 1s25,97 | 566,62 594,9s | 654,451 752,611 903,131
2 I 512,2E I s73,42 602,091 662,301 76t,641 913,971
3 1536,67 | 580,30 609,31 670,25 | 770.7A1 924.941
4 1s45,131 5E7,26 616,63 678,29 | 780,03 | 936,04 |
5 Is s1,67 594,31 624,01 686.431 789,391 947.27 |
6 1558,29 601,44 631,51 694,67 | 798,871 9 58.64 I
7 1564,991 608,66 639,09 703,001 80E,451 970,141
8 1s71,77 | 615,95 646,76 7t!,14 | 818,151 961,7E I
9 | 578.64 | 623,36 654,52 719,97 827,97 | 993,571
10 | 585,58 530,64 662,38 724,6L E37,9111.005,49 |
11 1s92,611 538,41 670,33 737,36 847,9611.017,55 |
l2 | 599.721 646,O7 674,37 746,21 8sE,1411.029,76 |
1l 1606,911 6s3,82 686,51 7ss,16 868,4311.042,12 |
L4 1614,201 661,67 694,75 764,22 878,86 |1.05,{,6l I
15 t62L,57 | 669,51 701,06 773,39 889,4011.067,2E I
t6 1629,03 677,64 lLL,52 742,67 900,0711.060,09 |
t7 1636,571 685,77 720,06 792,07 9r0, E811.093,05 |
18 1644,211 694,00 728,7O 601,57 921,8r 11. r.06,17 |
19 1651,94 | 702,33 737,45 811,19 932,8711.119,44 |
20 16s9,771 7LO,76 746,29 820,92 944,0611.132,87 |
2t 1667,681 179,29 755,25 830,77 9s5,3911.146,471
22 1675,701 727,92 764,3L 440,7 4 966,8611.160,23 |
23 16E3,801 736,65 773,4a 8 50,83 978,4611.174,15 |
24 1692,011 745,49 742,77 8 61,04 990,201t .16E,24 |
1700,311 7 54,44 792,L6 8 71,38 1 . 002 . 06 I 1 . 202 . 50 I
z6 17o8.721 763,49 601,67 8 81, E3 1.014,1111.216,93 |
27 1717,221 772,65 811,29 6 92 41 1.026,2811.231,53I
28 1725,831 781,93 821,02 901, 12 1.038,5911.246,311
29 1734,541 791,31 630,E7 913, 96 1.051.0511.261,27 |
30 1743,351 E00,80 840,84 924,9) r . 06, ,67 11 .27 6 ,40 l
31 17s2,271 810,41 8 50,93 936,03 1. o7 6,4111.29!,7 2 |
32 1761,30 | 820,L1 861,15 917,26 1.089,3511.307,22 Í
33 1770,441 829,98 671,48 9s8,63 1.102,4211.322,90 |
34 1779,681 E39,94 881,94 970,11 1.115,6511.338,78 |
l5 1789,041 850,02 1892,52 941,77 1.129,0411.354,85 |
t_t l_ _l_t_t
I
ANEXO V
TABELA DE VENCIMENTOS
PESSOAL ADMINISTRATIVO

Referência - novembro 2002 É .-,-

.! tj
is
.j i§

https://leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complemêntar/2004/35/347llei-complementar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-plano-de-cargos...36/63
30111t201A LeiComplêmentar 347 2004 de Ubêrlândiâ NíG

CLASSEI E lFlclHt
------t---- |---------t --------- t--------- |
NÍvEL I EsP. I irEsT. I oouÍ. I

-=---==- | =--==---. | ---==--=- | -=----.=- |


1 876,3r1 L.OO7,76 1.209,311 1.451,17
2 886,831 1.019,8s 1.22 3,82 | 1,46a,5a
3 497 ,47 1.032,09 1.218,511 1.486,21
904,24 1.o44,47 1.253,37 | 1.504,04
5 919,14 1.057,01 1.268,4r I L.522,09
6 930.17 1.069,69 1.283,63 | 1. 540,l5
7 941,33 1.082,53 L.2 99,031 1 558,84
8 952,62 1.095,52 1.1 L4,621 1 s77,54
9 964,06 1.108,66 1.3 30,40 | 1 596,48
10 97 5,62 1.121,97 1.3 46,351 1 615,63
11 987,33 1.135,43 62,521 1.615.02
\2 999,18 1.149,06 1.1 7a,a7l 1.654,64
13 1.011,17 1.162, E4 1.395.411 1.674,50
L4 1.021,30 1.176,80 1..412,151 1.694,59
15 1.03 5, 58 1.190,92 1.429,101 1.714,93
16 1.048,01 1.205,21 L.446,25 | 1.73 5 , 50
17 1.060,59 1.219,67 1.463,611 1.756,l3 |
18 1.073 ,31 1.234,3L 1.481,17 | L.777,4L1
L9 1.086,19 1.249.L2 1.498,95 | L.798,741
20 1.099,23 1.264,11 1.516,931 1. E20,32 |
2L L.LL?,42 L,279,2a 1. 535,14 | 1.842,16 |
z2 1.125,71 1.294,61 1.553,561 1.864,271
23 r..139,28 1.310,17 1.572,20 | 1. E85,64
24 1.152,95 1.325,89 1.591,07 | 1.909,281
2S 1.166,78 1.341,80 1.610,15 11.932,191
26 1.180.78 L.357 ,90 1.629,48 11.9ss,381
27 1. 194,95 L.474,20 7.649,O4 11.978,841
28 1.209,29 1.390,69 1.668, E2 12.002,591
29 1.223,60 1.2107, 38 1.6EE,85 12.026,621
30 1..238,49 1.424,26 1.709,12 12.050,941
31 1.253,35 1.441,36 1.729,6l 12.07s,551
32 1.268,39 1.4s8, 65 1.7S0,38 12.100,461
33 1.283,61 1.476,16 L.777,19 12.125,66i
34
35
1.299,02 1.,193 ,87
1.314,60 1.511,80
1.792,61 12.151,171
|
1.814,15 2.L76,991
n
l_l

ANEXO V
TABELA DE VENCIMENTOS
QUADRO PERMANENTE
E

Referência - novembro de 2002 ,2

httpsr/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementar/2004/35/347/lei-complementar-n-347-20044ispoe-sobre-o-plano-de-cargos...37/63
30t11t2018 Lêi Complêmêntar 347 2004 de Uberlândia MG

cLASSEI EIFIGIHI
-------- | --------t -------- | ---------
NÍvET sUP. I ESP. IMESTRADO IOOUTORÁDO
=-:-t!...:tr---:t:=-:*
1 624,691 71E,39 E62,07 | 1..034,49
2 632,191 727,0L a7z,42l 1 046,90
3 639,771 735,74 882,891 1 059,46
4 647,451 744,57 E93 ,48 | 1 072,ta
5 655,221 75 t, 50 904,201 1 085,04
6 66r,081 762,54 915,05 | I 09E,06
7 67r,04 | 7 7!,69 926,03 | 1 111,24
8 679.091 7E0,95 937,151 1 124,58
9 687,241 790,3l 948,391 1 13E,07
10 695.491 799, El 959,771 I 151,73
11 703,83 609,41 97t,29 1 165,55
72 7L2,2A 819,12 962,95 1 179, 53
13 720,83 828,9S 994,74 1 193,69
14 729,4E E3E,90 1.006,6E 1 208,01
15 73E,23 848,96 1.016,76 I 222,5L
L6 747 ,09 859,15 1.030,98 1 237,LA
L7 7 56,05 869,46 1.043 , 3 5 1 z5z,03l
18 765,13 879,90 1.055,87 1 257,051
19 774,31 690,45 1.06E,55 1 282,25
20 783,50 901,14 1.081,37 1 297 ,64
ZL 791,00 911,95 1.094,34 1 3L3,21
22 802,52 922,90 1.107,48 1 728,97
23 812,15 91t,97 L. \ZO,77 1 344,92
z4 821,90 945,lE L,L34,22 L 361,06
831,76 956,52 1.L47,83 1 377,39
26 841,74 96E,00 1. L61,60 1 393,92
27 8 51.,84 1.175.54
979,62 1 410,65
28 862,06 991,37
1.189,6s 1 427,57
29 472,1L !,003,27 1.203,92 1 144,7L
30 882.88 1.015,31 1.2t8,17 1 452,01
31 891,47 1.O27,19 1.2l2,99 1 179,59
32 904,19 1.039,82 t.247,74 1 197 ,34
915,04 1.052 , 30 L.262,75 1 515,31
34 926,02 1.064,9311.293,25 1 5 51, E9
t_ _t_

ANEXO V
TABELA DE VENCIMENTOS
Referência - novembro de 2002
-=1

QUADRO SUPLEMENTAR

https://leismunicipais.com.br/a'1lmg/u/uberlandia/lei-complementa 2OO4l3Sl34Tllei-complementar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-Plan04e-cargos.. 38/63


30t11t2018 Lei Complementar 347 2004 de Uberlândia MG

I rnspêtor Escolâr I

| --- ------+--------+--------+--------+---------- I

lclasselElFlGlHl
r---------t----t-ttl
lRêfêrêíciâl Illl
antêrio. I r I rr lrrr I ry I

t-------- | -------- | -------- |


Nível lsupêriorl Esp. lü€stradol Doutoradol
---=='--:t-:--==r-=---:t-===--==t--==--:=-t
1 1 1. 522, 541 1. 596, 661 1.674,49 | L.758,21
2 11.540.8111.615,82 11.694,58 L.779,11
3 1.559,3011.635,21 11.714,92 1. E00,66
4 1.576,0111.654, E3 1 1.73 5, 50 L.422,27
5 1.596,9511.674,69 | 1.7 56, l2 L.444,14
6 1.616,1111.694,79 11.777,40 t.466,27
7 1.635.5011.715.12 1r.798,73 1.888,67
8 1.655,1311.735,71 11.820,31 1 .911,33
9 1.674,9911.755,53 11.842,r.6 1 .934,26
10 1.695,0911,777,61 11.864,26 1 .957,48
11 1.715,4311.798,94 11. E86,63 1 .9E0,97
L2 1.736,0211.620,53 l)..909,27 2 .oo4,74
13 1.7 56, E511.642.3E 11.932.19 2 .028,79
L4 1.777,9311.861,49 | 1,95 5,37 2 .051,14
15 1.799,2711.886,86 11.978, E4 2 .077,78
16 1. E20, E611.909,50 12.002,58 2 .LOZ,77
L7 1.842,711L.932,42 12,026,61 2 .127,94
1E 1.864, E211.955.61 j2 .050,93 2 .151,48
19 1.887,20 t1.979,07 12.07s,54 2 .179,32
20 1.909,8512.002,82 12.100,4s 2 .205,47
27 11.932,7612.026,86 12. r.25,66 z .23L,94
22 I 1.955,9612.051.16 12.1s1.16 2 .258,72
1L.979,4312.O75.79 12.175,9E 2 .265,83
24 12.003,1812.100,70 12.203,10 2 .311,26
25 12.027,2212.t25,91, 12.229,54 2 .341,01
26 |2.051,5512.151,42 12.256,29 z .369,11
27 12.o76,t7l2-L77,24 12.2a3,37 2 .397 ,54
28 12.101, 0612.203,36 12.3t0,77 2 .426,31
29 12 . L26 ,2912 -229 , EO 12.33E,50 z 455,42
30 12.151.8112.256, S6 12.366,s6 2 484,E9
31 12 , t7 7 ,6112 .281 ,64 l2.394,96 2 511,77
32 l2.201.7612.311.0,r 12.123,70 2 544,88
33 12.230,2112.338,78 l2_4s2,78 2 575,42
34 12.256,9712.366,84 12.482,22 606,33
35 2. 2E4,05 1 2. 395,241 2. 512,00 2 617,60 |

l_r_r_l_t
-,
ANEXO V
TABELA DE VENCIMENTOS
Referência - novembro de 2002

OUADRO SUPLEI\,4ENTAR

httpsr/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementaÍt2}O4lg5l347llet-complementar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-plano-de-cargos...39/63
30t11t201A Lêi Complemenlar 347 2004 de Uberlândia MG

ORIEIITAOOR ESCOLAR . SUPERVISOR ESCOLÁR I


--_+-________ I

lcrassEl ElFl6lsl
t------t--------- --------- | ------- | -------- | --------- |
lrtl
I IIIIIIIIVIVI
---------t ------- t-------- | --------- |
IVEL LIC.PLENÁI ESP. IXESTRADO IOOUTORÂDO I

=---==--= | --*.. | =-r-=--- | ---=-.: I


I 747,75 908,05 972,701 1054,991 1137,33 |
797,20 918,95 964,3E1 1067,65 | 1150,97 |
3 806,77 929,97 996,19 1080,47 | 1164,791
816,45 941,13 1008,14 1091,431 t178,761
5 826,25 952,43 1O2O,21 1119,83 | L207,221
7 846,20 975,42 1014,87 1133,2 7 | 122t,7t1
E 856,35 9E7,L3 11057,41 1146,87l 1236, 37 |
9 866,63 994,97 1070,10 1160,63 | 1251,211
10 477,03 1010,96 1082 94 1174,561 1?66,22 |
11 887, 5 5 1023,09 1095 94 1188,6s I 1281,42 |
L2 698,20 103 5, 17 1109 09 L202,92 | L296,791
13 908,98 LO47,79 ltl22, 40 1217,351 1312,35 |
14 919,89 1060,37 1113s, 87 1231,96 | 1328,101
1.5 930,93 1073,09 11149, 50 L246,711 1344,011
15 942,10 t0E5,97 11163, 29 1261,70 | 1360,171
L7 953,40 1099,00 lL).77,25 LZ76,E4 | 1376,49 |
18 964,84 1112,19 1119r,38 L292 ,!7 | 1391,011
19 976,42 1L2 5, 53 1120s,67 L3O7 ,67 | L4O9,72 |
20 988,14 1139, 04 l!220,!4 L323,37 | 1426,64 |
2t 1000,00 1152,71 1t234,78 1339,251 L443,761
22 1012,00 1166,54 11249,60 135t,321 1461,09 |
23 LO24,14 1180,54 11254,60 1371,58 | 1478,621
24 1036,43 t 194,71 11279,77 1386,041 1514,32
26 1061,4s 1223,55 11310,67 1421,55 | 1532,49
27 1074,1,9 1238,24 11326,40 1438,611 1550,88
2a 1087,06 1253,09 11342,31 14s 5 , E7l 1569,49
29 1100,13 1268,13 | 13 s8,42 L473,341 15E8,32
30 1113,33 12E3,35 17374,72 1491,02 | 1607,38
31 1126,69 1298,7S 11391,22 1508,92 | !626,67
32 1140,21 1314,31 11407,91 L527,O2l 1646,19
33 1153,89 1330,11 11424,81 154S,351 1665,95
34 L167,74 L346,07 11441,91. 1563,891 1685,94
1181,75 1362,22 11459,21 1582,661 1706,17
t_t_ _t_t_t_

ANEXO V - TABELA DE VENCIMENTOS


Referência - novembro de 2002

QUADRO SUPLEMENTAR ; ..-

.- if
:iI
Éd
ú.}{

httpsJ/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementarl2OO4l35B4Tfêi-complementar-n-347-20O4iispoe-sobre-o-plano{e-cargos..,40/63
30t11t201A Lei Complêmentar 347 2004 de Ubêrlândia MG

llElFlGlHl
-------l --------- t---------- l------- | -------t -------- |

PI PII PIII PIV I PvlPVrl


t-------t-------l
Nivê'l riagi st. I Mag+1 I Espêc.l irest. I

t--:-tl...r:l
I 1 311,,111 329.43 434,52 527,25 659,061 731,56 | 877 ,47 |
I 2 315,15 3 33, 3E 439,73 I 533,56 666,971 740,34 | 8E8,411
I 3 318,91 3 37, 3E 445,O1 I 539,98 674,971 749,22 | 899,071
I 4 322,76 341,43 450,35 I 546,46 6E3,07 | 758,211 909,861
I 5 326,61 345,53 455,76 I 5 5 3,02 691,27 | 767,31,1 920,771
I 6 330,55 349,68 167,22 I t59,65 699,57 | 776,521 931,82 |
I 7 3 34, 52 3 51,87 466,76 I 566,37 707,961 785,84 943,001
I I 338,53 358,12 472,36 I s73, t7 7\6,161 795,27 954,321
I 10 346,70 366,76 443,76 I 587,00 733,761 8L4,47 977,361
I 11 3 50,86 37L,17 489,57 I 594,05 ? 42,561 824,24 989,091
I t2 3 5 5,07 37 5 ,62 495,44 I 601, LE 751,47 | 834,11 1000,961
I 13 359,33 380,13 5Ot,19 I 608,39 760,49 | 844,14 1012,97 |
I 14 36l, 65 384,69 507,41 I 615,69 769,611 854,27 1025,13 |
I 15 168,01 389,31 511,50 I 621,08 77 6,a51 864,52 1037,43 |
I 16 172,4) 193,9E 519.66 630.56 768,201 874,90 1049,6E I
I t7 375,90 398,70 525,89 538,12 797,651 885,40 1062,48 |
I 18 381,42 403,49 532,20 645,7A 807,23 | 696,02 1075,231
I 19 3E6,00 408,3l 5 38, 59 553, 5 3 816,911 906,77 1101,19 |
I ZL 395, 31 41E,19 551,59 669,31 616,64 | 928,67 111.4,40 |
I 23 404,E6 424,29 564,91 685,47 E56,84 | 95L,09 1141,311
I 24 409,72 133,,{3 57L,69 693,69 867 ,72 | 962,s0 1155,00 |
I 25 4L4,63 43E,63 578,55 7LO,44 88E,051 9E5,74 1182,891
I 27 424,64 449,22 7t8,97 89E,711 997 ,57 1.197,0E I
28 429,74 454,61 599,63 727,60 909,50 | 1009,54 1211,45 |
29 434,90 160,06 606,83 736,33 920,411 1021,65 L225 ,99 |
30 44O,72 465,5E 614,1L 745,16 9t1,45 | 1033,91 L240,70 |
l1 445,40 47L,77 621,4E 751,LL 942,631 1046,32 1255,591
3Z 15O,74 476,63 628,93 763,15 953,941 1058,E6 1270,65 |
l3 456,15 4E2,55 636,4E 772,3! 965,391 1071,5E 12E5,90 |
35 467,16 494,20 651, E 5 ?90,96 988,7011097,46 1316,951
_t_t_t

---t
ANEXO VI
TABELA DE VENCIMENTOS PARA PROFESSORES DO
QUADRO SUPLEIVENTAR DECORRIDOS SETECENTOS
E TRINTA OIAS DA VIGÊNCIA DESTA LEI -
REFERÊNCIA NOVEIVBRO 2002. QUADRO SUPLEMENTAR

httpsJ/leismunicipais.com.br/a 1/mg/u/uberlandia/lei-complementa Íl2OO4l351347llet-complementar-n-347-2004-dispos sobre-o-planoie-cargos.. 41/63


30t11t2018 Lei Complementâr 347 2004 dê Uberlândia MG

classêl I EIFIGIHI
------l-------l -------t---------
anteí. I Pr
I tt
PII I PIII
I PVI I PVII I
------t-------l -------t--------- -------t-------l
xívêl lr4agi st. I [âq+1 ILic.curt. r4êst. looutor. I
------l---=---l .!-r*=t----- ----=-t-==----t
I 1 111,41 329,43 1
434,52 527,25 606,14 727,6L1 873,131
I 2 I15 ,15 313 , 38 1
439,7 3 533,58 613,61 736,11 883,60 |
I l 31E,931 337,381 445,01 539,98 620,98 745,17 894,211
I 322,761 341,431 450.35 546,46 628,43 754,11 904.94 |
I 5 326,631 345,531 455,76 55 3,02 635,97 763,16 915,801
I 6 330,55 | l49,6El 46L,22 559,65 6113,60 772,32 9?6,791
I 7 334,52 | 15 3 ,871 465,76 566,37 651,32 781,59 937,911
I 8 t38,53 358,121 472,35 573,L7 659,14 79O,97 949,16
I 9 142,59 362,421 47E,03 587,00 675,05 ô10,07 972,04
I 11 3 50,86 I 177,t7 | 489,57 s94,05 683,16 819,79 983,74
I L2 355,07 375,621 495,44 601,18 691,15 839,58 1007, so
I L4 163,551 384,691 so7,4t 615,69 708.05 849,55 1019,59
I 368,011 389,t11 513,50 623,08 716,54 859,65 1031,82
I 16 372,4al 193,961 519,66 630.56 725,!4 87O,!7 1044,20
I L7 376,901 398.701 525,E9 638,L2 733,84 880,61 1056,7l
I 1.8 381,421 403,491 532,20 645,74 742,65 691,18 1069,41
I t9 186,00 408,33 | 538,59 653, 5 3 751,55 901.87 1082,2s
I 20 190,63 413,211 545,05 661,37 760,58 912,69 1095,23
I 2L 395, 31 418,191 551,59 669,31 769,7L 923,65 110E,3E
I 2Z 400,06 423,2L1 5 58,21 677 ,34 778,94 934,73 1121,68
I 23 404,86 428,291 564,91 685,47 788,29 945,95 1135,14
I 24 409,72 43 3,43 | 571,69 693,69 797,75 957,30 Lt48,76
I 25 4L4,63 438,611 578,55 702,02 807 , t2
96E,79 1162,54
I 26 419,61 443,E91 565,49 7L0,44 817,01 9E0,41 !L76,49
I 27 424,64 449,221 592,52 718,97 826,81 992,18 1190,61
I 2A 429,74 454,611 t99,63 727,60 835,71 1004,08 L2O4,9O
I 29 434,90 460,06 | 606,83 736,33 846,78 1016,13 1219,36
I lo 440,12 465,5E1 614,11 745,16 856,94 1028,33 1233,99
I l1 445,4O 471,L7 | 621,48 754,L7 867,22 1040,67 1248,80
I 32 450,74 476,811 628,93 763,1s 877,63 10s3,15 1263,78
I t3 456,1s 482,551 636,48 772,3L 888,16 1065,79 L278,9s
I 34 461,61 488,341 644,L2 781,58 898,82 1078,58 1294,30
I 35 467,16 494,201 651,85 790,96 909,6011091,52 1309,83
_t_t_

PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DA EDUCAÇÃO

=t
ANEXO VII
RELAÇÃO DOS SERVIDORES COM GRATIFICAÇÃO
PELO EXERCíCIO EM ESCOLA DA ZONA RURAL

RELAÇÃO DOS SERVTDORES COM tNCENT|VO DE ZONA RURAL


,::
|
li4ÁTRÍcuLÁ floi4E lvaLoR Ett|
I I IREÂrs I
t=--==--*t--*==--=-=a__:-t:____t
12810 -0 lcRIsÍÍNA DE FÁTIMÀ oLrvEriÁ pacHEco | 128,011
176]0 .9 ICRISTINA DE FÁTIMA OTIVÉIRA PACHECO I 128,01I
J1O7SO.6 IDARLENE FEÀREIRÁ I 55,04I
I45O -2 IEDNA FERREIRA DOs SANTOS I{ENDES I 195,25I
1105E4-6 lGrsLEr MRQUES DÁ srlvÁ | 56,041
19609-1 IMNA TERREIRÂ DOs SAirTOS I 128,011
11107-0 rÂNDrnÁ cosTA BARBOSÀ I 56,041
1288- 7 I]ANEIDES TÂRTA SITVA DO{INGUES GOUVEIAI 128,01I
14702 - 3 IJANEIOES i4ÁRrÀ SrLVA OOMI GUES GOUVEIAI 128.011
19613-0 IJÂflETE IiARQUE5 DA sILvA iIoRÁE I 1O2,3OI
l1o54l -0 ILEDESII DAS GRÁ( 5 FUiÍÀDO ÉVANCELTSTAI 1O2,3Ol
18744 -0 ILETLA t-UCrA LEi,rÉS CÁRNETRO DAVAI{CO I 128,011
16681 -E IIÉILA TUCIA LEIiES CARNEIRO DAVANCO I 12E.O1I
I8919-2 ILUCELIA BARBÂRÀ iIORÁE5 HORTENCIO I 128,01I
1289- 5 iLUZrÁ ALVES BORGES I 195,251
15312-0 lr4ÂRIA APARECIDA DE Ar,loRlr,l FAGUNDES I 128,011
19829-9 lríÀRra ÁpaREcroa oLrvErR srlva I 102,301
1294 -L |MAR!E,{E DoS pÁssos I 12E.011
14713 -9 |MÀRLENE Dos passos | 53,371
19204. 5 INEILAIAR BERNARDES @i.Es BoRGES I 56,04I
1295-8 IREGINA HELENA oE oLtvEIRA priiEr{ÍEL I 128,011
16613-3 ISOLANGE DE FATIiIA BARBOSA PÀIJLA I 56,04I
16360 -6 lsoliIa r,rENDoNc GUTRELLT DA srLvÀ | 102,301
17288-5 lsoNra MENDoNCÀ GUTRELIr DA srlva I 102,301
1303-4 ISUZANA SrrVA DUÍi PERETR I 257,291
112164 -9 |ÍÊiEZINXA PrÍÍO ROSÁ | 128,011
t_t-l-t

httpsr/leismunicipais.com.br/a'1lmg/u/uberlandia/lei-complemeniaÍl2OO4l35l3/7llei-complementaÊn-347-2004-dispoÊsobre-o-plano{e-cargos.. 42:/63
30t11t2018 Lei Complementar 347 2004 de Uberlândia MG

PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DA EDUCAÇÃO

ANEXO VIII
DESCRIÇÃO E ATRIBUIÇÔES TíPICAS DOS CARGOS

ANEXO VIII . QUADRO PERMANENTE


CARREIRA - MAGISTÉRIO

rea+C€-PR€€s'gR

He€€+içã€-S+nt€ti6a-

@iâdaesêêla,
muiç€es+{pieâs+

fe€{lP€+açã€+ês alunos; reunióesi auto aperÍeigeamenle e pesquisa êdu€aêional;

@er rendimente dê ensinê;

6onsultandê nanuais do instruÉe para f^6ilitar ê ênsine aprêndi-ado;

@ pêten6iatidades;

e dêealunês pel€s aêênteGiínentes históriêê


s€€iai+d€-Fítfi+
+
ade Bré es6slar;

'* {J
êons+ataf-â-€fi€á€iâ{rês mél€'des adetadesi

@reblemas e temada de inieiativas;

)#ti6e Pedâgógieê da unidadê,


4=Req{risi!rsfa{€+

termes da legislaçãe vigente para deeêneia nas primeiras séries eu eieles da edueagãe bási6a,
@
PrêmoÉo: Prêgressãê herizontal Gerresp€nden+ê aê gra{, dê esoeleridedê e aperÍeiçêamente
p+egssiecaf
PÍêgressão v€rtiGal mediante a avaliâqãe dê dês€mpenhe,
H€€Í{temef,tê:
iêe_

1. Cargo: PROFESSOR
httpsr/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementia12004/35/347/leLcomplementar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-planode-cargos 43/63
30t11t2018 LeiComplementar 347 2004 de Uberlândia MG

PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL E PRIMEIRO AO QUINTO ANO DO ENSINO


FUNDAMENTAL

2. Descrição Sintética

Compreende os cargos que se destinam a executar regência efetiva de atividade, árêa de


estudo ou
disciplina com alunos de educação infantil e de primeiro ao quinto ano do ensino fundamental,
nas
escolas públicas do Municíplo, para aprimoramento tanto do processo ensino-aprendizagem
como da
ação educacional, com participação ativa na vida comunilária da escola.

3. AtribuiçÕes TÍpicas

- Elaborar programas e planos de lrabalho para controle e avaliação do rendimento escolaÍ,


recuperação dos alunos, reuniões, auto-aperfeiçoamênto e pesquisa educacional;
- Elaborar o plano de aura, serecionando o assunto e determinando a metodorogia, com base nos
objêtivos fixados para obter melhor rendimento do ensino;
- Selecionar ou confeccionar o material didático a seÍ utilizado, valendo-se das próprias aptidões
ou
consultando manuais de instruÇão para facilatar o enslno_aprendizado;
- Ministrar aulas na Educação lnÍantil e do Primeiro ao Quinto Ano do Ensino Fundamêntal,
transmitindo os contêúdos pertinentes de forma integrada e através de atividades, para proporcionar
aos alunos os meios elementârês de comunicação e instruí-los sobre os princÍpios
básicos de conduta
e formação necessária ao desenvolvimento de suas potencialidades;
- organizar solenidades comemorativas de fatos marcantes da vida brasilelra, promovendo
concursos,
debates, dramatizações ou iogos para alivar o interesse dos alunos pelos
acontecimentos histórico-
sociais da pátria;
- organizar e elaborar atividades educarivas, levândo as crianças a se exprimirem
através de
desenhos, pinlura, conversaÇão, canto ou por outros meios, ajudando-as nestas
atividades, para
desenvolver física, menlal, emotiva e socialmente os educandos, em idade pré_escolar;
- Ensinar às crianças hábitos de limpeza, higiene, disciplina e tolerância -<f
entre outros atributos morais e
sociais, empregando recursos áudio-visuais ou outros meios a fim de contribuir para
sua educação;
- Elaborar e aplicar testes, provas e outros métodos usuais de avaliação,
baseando-se nas atividades
desenvolvidas e na capacidade média da crasse, para verificar o aproveitamenro
dos arunos e
constalar a eficácia dos métodos adotados;
- Elaborar fichas cumurativas,
boretins de controre e reratórios, apoiando-se na observação do
comportamento e dêsempenho dos arunos e anotando atividadês eÍetuadas,
métodos empregados e
os problemas §urgidos, para manter um registro que permita dar informações
ao Serviço de Orientação
Pedagógica, com vistas à solução dos problemas e tomada de iniciativas;
- Desenvolver atividades de planejamento, atualização, pesquisa, produção coletiva,
formaÇão; e
!:
permanente' colaboÍação com a administração da unidade, participando
de reuniões, eventos de
trabalho;
- outras atividades inerentes ao projeto político pedagógico da unidade

4. Requisitos para Provimento:

conclusão do ensino superior em curso de licenciatura, de graduagão plena, com habilitaçõês


específicas em área própria, nos termos da legislação vigente para docência na Educação lnfantil e do
Primeiro ao Quinto ano do Ensino Fundamental.

5. Perspectiva de Desenvolvimento Funcional

- Promoção: Progressão horizontal corespondente ao grau de escolaridade e aperfeiçoamento


proÍissional;
- Progressão vertical mediante a âvaliaÇão de desempenho.

6. RecÍutamento:
https://leismunicipais.com.br/a 1/mg/u/uberlandia/lei-complementa 20Ml3Sl?ÁTllei-complementar-n-347-2004{ispoe-sobre-o-planoie-cargos... 44163
30111t2018 Lei Complementar 347 2004 de Uberlândia lúG

- Externo, no mercado de irabalho, mediante concurso público. (Redação dada pela Lei no
11.14812012),

í=-Ca+ge++ReFESSeR
PROFESSoR D^S SÉR|ES eU ctetos FtN^tS p^ EBUc^ç^e B^S|C^
2=+es€riçãe€+F+e+iêa'

a-+*igt*içees+ipieas=

e ensine;
Sele6iêna ou €onfeêGiona ê rB€terial didátiêe a 6e+-utili-ader valendo sê das próprias aptidões êH

ni6a9ãê e instruí

petene+amaAes,

iêê_
seeia*+a-p.it+i+
J
ffietades;
Elabera Ílêhas êumulativas; beletins dê êêntrele e relatériês; apêiando se na ebservsçãs do

P€dâgé€Ê€ar-€€m vi€tasi sê'ugão des prêblemas ê têmada de iniêiative6;

4=-Req*}is+têsfar€+revimefiê

leffi€s4á]€€islisã€-vigieâ+ê+ara{€€êf,€i€ â6 6éries êu 6i6lês finais da eduêeção básiêa,


@ienat
Premeçãe: Pregressãe herizental eerrespendente ae grau- de eseelaridade e aperfeigeamente
p+e*ss+en+
Progressãe verti€al-mediante a avaliaÉedê dêsempenhe,
H€€ru{af,€€+ê:
iêe-

1. Cargo: PROFESSOR

PROFESSOR DE SEXTO AO NONO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

2. DescriÇão Sinlética:

Compreende os cargos que se destinam a executar regência efetivâ de atividade, área de estudo ou
disciplina com alunos do sexto ao nono ano, nas escolas públicas do Município, para aprimoramento
tanto do processo ensino-aprendizagem como da ação educacional, com participaÇão ativa na vida
https://leismunicipais.com.br/a'1lmg/u/uberlandia/lei-complementa Í12004t351347 tlei-complementar-n-347-2004-dispoe sobre-o-plan04e-cargos 45i63
30111t2018 Lêi Complementar 347 2004 de Ubêrlândia MG

comunitária da escola

3. Atribuições Típicas

- Elaborar programas e planos de trabalho para controle e avaliação do rendimento escolar,


recuperação dos alunos, reuniões, auto-aperfeiçoamento e pesquisa educacional;
- Elaborar o plano de aula, selêcionando o assunto e determinando a metodologia, com base nos
objetivos fixados paÍa obter melhor rendimento do ensino;
- Selecionar ou confecciona o material didático a ser utilizado, valendo-se das próprias aptidões ou
consultando manuais de instrução para facilitar o ensino-aprendizado;
- Ministrar aulas no ensino fundamental, transmitindo os conteúdos pertinentes de forma integrada e
através de atividades, para proporcionar aos alunos os meios elementares de comunicação e instrui-
los sobre os princípios básicos de conduta e formação necessária ao desenvolvimento de suas
potencialidades;
- Organizar solenidades comemorativas de fatos marcantes da vida brasileira, promovendo concursos,
debates, dramatizações ou jogos para ativar o interesse dos alunos pelos acontecimentos histórico-
sociais da pátÍia;
- Elaborar e aplicar testes, provas e outros métodos usuais de avaliação, baseando-se nas atividades
desenvolvidas e na capacidade média da classe, para verificar o aproveitamento dos alunos e
constatar a ef:cácia dos métodos adotados;
- Elaborar Ílchas cumulativas, boletins de controle e relatórios, apoiando-se na observaÉo do
comportamento e desempenho dos alunos e anotando atividades efetuadas, métodos empregados e
os problêmas surgidos, para manter um registro que permita dar informações ao Serviço de Orientaçáo
Pedagógica, com vistas à solução dos problemas e tomada de iniciativas;
- Desenvolver atividades de planejamento, alualizaçáo, pesquisa, produÇão coletiva, formação;
- Permanente colaboração com a admlnistração da unidade, participando de reuniões, eventos de
trabalho e outÍas atividades inerentes ao Projêto político pedagóglco da unidade.

4. Requisitos para Provimento


§

conclusão do ensino superior em curso de licenciatura, de graduação plena, com habilitação


específica em árêa própría (Licenciatura Plena em Arte, Educação Física, Ensino Religioso, lnglês,
Matemática, Geografia, História, Língua Portuguesa, ciências, conÍorme a área de atuação), nos
termos da legislaÇão vigente para docência do sexto ao Nono Ano do Ensino Fundamental.

5. Perspectíva de Desenvolvimento Funcíonal

- Promoção: Progressão horizontal correspondente ao grau de escolaridade e aperfeiçoamento


profissional;
- Progressão vertical mêdiante a avaliação de desempenho.

6. Recrutamento

Externo, no mercado de trabalho, mediante concurso público. (Redação dada pela Lei no 11.14812012\

@
INSPETER trSCOtAR
He€€+içãosin{eti6â=

@o a6s demais Espêoialistas daÊ êÊcelas de Muni6ípie,


Htribr*i瀀6+ípi€a€,
erientar; assistir ê eêntrêlar de fêrma geral ê preêesse administratiyê e pedagógi6ê das esêelasi
grientari preventivementei es açéês- desenvêlvidas na esêele pera +Gumprimente legal e efiêez de
suâ§+ina+idadesi

httpsr/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementar/2OMl35/347/lei-complementar-n-347-200&ispoe.sobre'oplanoie-cargos..' 46/63
3011112018 Lei comptemontar 347 2004 de uberlândia MG

númere{e-vagffif,sid€randê a demanda ês€olafi

prop€nhâm-melhofi +Fêi

e pÍeper medidas neêessárias par+regularizaçãê de vida esêêlar dê alunoi


^nalisar

@trÍeula; histórl
iee
teffninais e pas6ar a

o{i€fi{aç€e+
Âeem^anhar a elaberaçãe e implementaÉe de Prejele Pelitiee Pedagégiee da eseelai
Parti6ipar e apreeiar as atividades €ulturais premevidas pela es6€la;
Premever a integraçãe entre e pesseal de eeeela, visende um trabalhe de equipe;
b
ês€ola+i+e€gsafdand€ as n€Ímas legais vigentes; aê€mparúando e seu êumprimentê;

@
Atender as selieitaçêes para seluçãe de preblemas;
erienlar quanto as preenGhímente de deêumentes referentes a esêrituraçáe eÊGolaFi

de+dü€a9ã€-€-ês$ês-órgã€si
e trabalho de validaçãe de ates e§Gelaresi quando neêesúrie;
^êompanhar
Fazer a e'êriluraçãê inêrente à fungãe e entregá la em têmpe hábil;
Partieipar de ^reeesse de -indieâneia quande indieadei
grientar o proGessê de autorizag〠da eseelai
Fa-er e interaçáe entre a esêêla e a Secreteria Muni6ipal de Edueaçãe;
E€l€e{
ensinêapFendizagêm dentro da ê€6slar 6êm 6empetêneia téêni6a; e
êênsêlidar levantamentês para êontrêle ê tratamentê estatístiGê dês dadeg es6êlares,
4=+eqdsitêsfa{++rêviment€=

êu-privâd€r
@Funeienal
pr€f,ss+êâ+
Pregressãê-verti6al medianle a avaliagão de desempênhe.
H€€HJ{âmeF+e:
Exte+n€i-ê€-m€r€ed€3€ {rabalhê, mediante 6ênêurs6 públi6e,

1. Cargo: ESPECIALISTA DE EDUCAÇÃO

INSPETOR ESCOLAR

2. DescriÇão Sintética:

Compreende os cargos que se deslinam a executar atividades de hspeçáo Escolar, no ensino de


primeiro e segundo graus, integrado aos demais Especialistas das escolas do Município.

3. Atribuições Típicas

- Orientar, assistir e controlar dê forma geral o processo administrativo e pedagógico das escolas;
- Orientar, preventivamente, as açóes desenvolvidas na escolâ para o cumprimênto legal e eÍicaz de
suas Íinalidades;
https://leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementatl2004l35l347Aei-(r,mplementar-n-347-2004iispoe-sobreo-planGde-cargos 47 t63
3011112018 Lei Complementar 347 2004 de Uberlândia MG

- Acompanhar a elaboração dos critérios de atendimento da matrícula dos alunos, de acordo com o
número de vaga, considerando a demanda escolar;
- Colaborar com a equipe pedagógica da escola em projetos e experiências pedagógicas que
proponham melhoria de ensino;
- Orientar quanto ao atendimento dos alunos defasados em conteúdo e em sériê/idade;
- Analisar e propor medidas necessárias para regularização de vida escolar do aluno;
- Orientar o preênchimênto correto do: censo escolar; livro de ponto, diários dê classe; livro de
transferências expedidas; ljvro de registro de matrículas; livro de atas de resultados finais; livro de atas
de exames especiais; Íicha de matrÍcula; histórico escolar: Íicha individual;
- VeriÍlcar sempre que necessário a documentação dos alunos, dando atenção especial às séries
teíminais e passar as orientações necessárias;
- Analisar,.iunto a equipe pedagógica, os casos de classiÍicação e reclassiÍicação, dando as devidas
orientaçóes;
- Acompanhar a elaboração ê implementaÉo do Projeto PolÍtico Pedagógico da escola;
- Participar e apreciar as atividades culturais promovidas pela escola.
- Promover a integraÇão entre o pessoal de escola, visando um trabalho de equipe;
- Orientar a escola na elaboração e atualização do regimento escolar, quadÍo curricular e calendário
escolar, resguardando as normas legais vigentes, acompanhando o seu cumprimento;
- Analisar, periodicamente, os resultados das avaliações escolares com os especialistas, para adoção
de novas metodologias e técnicas dê ensino;
- Atender as solicitações para solução de problemas:
- Orientar quanto ao preenchimento de documenlos referentes a escrituração escolar:
- Participar de reuniões, encontros e cursos dê aperfeiçoamento oferecidos pela Secretaria Municipal
de Educação e outros órgãos;
- Acompanhar o trabalho de validação de atos escolares, quando necessário;
- FazeÍ a escrituração inerente à fungão e entregáJa em tempo hábil;
- Participar do processo de sindicância quando indicado;
- Orientar o processo de autorização da escolâ;
- Fazer a inleração entre a escola e a Secretaria lvlunicipal de Educação; -{
- Proporcionar a coerência da política educacional com as necessidadês do processo ensino-
aprendizagem dentro da escola, com competência técnica;
- Consolidar levantamêntos pa[a controle e tratamento estatístico dos dados escolares.

4. Requisitos para Provimento:

- Graduação Plena em Pedagogia com habilitação em lnspeção Escolar, ou Licenciatura Plena em .


qualqueÍ área do conhecimento com Especialização em lnspeção Escolar, além de experiência i
docente mínima dê seis meses adquirida em qualquer nÍvel ou sistema de ênsino público ou privado.

5. Perspectiva de Desenvolvimento Funcional

Promoção: Progressão horizontal correspondente ao grau de êscolaridade e aperfeiçoamento


proÍissional;
Progressão vertical mediante a avaliação de desempenho.

6. Recrutamento:
Externo, no mercado de trabalho, mediante concurso público. (Redação dada pela Lei n' 11.14812012)

@
ORIEN+ASEREDU€'€I€NAt
Hes€riçã€Sin+etiêe,
êemprêende os êargos que se destinam a exeêutar atividades de erientaçãe Eduêaêionali integrado

f€{necende assistên ia
em 6sa formaçã€i aesnselhandê e auxiliande es alunes na seluçãs de preblema8 pes6oeiÊ; Para
https://leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementatl2OO4l3Sl34TlÊi-Cr,mplementar-n-347-2004{ispoÊsobre-o-plânode-cargos...48/63
3011112018 Lêi Comptêmentar 347 2004 de Ubertândia MG

gtribu+çé€s+ípi6as,
Elaboraçãe dê Plan6 de Açãe Glebal da Es€€l^ ;

iêÊaisÍ
Realiza estudos e pesquisasi utilizandê deGumêntaçãe êientífi€a e- êutras fêntes de infêrmaçãê;

êri€n+açãe€du€a€iêf,a+

ens.inq
BrêGessss de êaraêterizaçãê da Glientela-€sêelari ulilizande testes pedagégiGês e eutms
^PIi6a
âtuâçã€-€€-lr€io-€mqje-yivei
iêê_€

res€l€çã€{€-€€usffêbles€si

in*e$açã€-€€€i+

@
<?

pafa € aju^tamentê des m

in+egra+dês-€l#€si-ê

@ieaçãê de mét6d€s mais adequador


+. *equis*esfara+rêvim€

ino
Êíbli€€-€u-p+iYado=
@
pre*ssien+;
Pregress〠vertieal mediante a ayaliaçãe de desemp€êhê=
Heerutameâto;
i6€,

1. Cargo: ESPECIALISTA DE EDUCAÇÃO

ORIENTADOR EDUCACIONAL

2. Descrição Sintética:

Compreende os cargos que se destinam a executar atividades de Orientação Educacional, integrado


aos demais Especialistas das escolas do Município, no ensino de primeiro e segundo graus,
Íornêcêndo assistência aos educandos, ordenando e integrando os elemêntos que exercêm influência
em sua formação, aconselhando e âuxiliando os alunos na solução de pÍoblemas pessoais, para
possibilitar-lhes o desenvolvimento intelectual e a formação integral de sua personalidade.
https://leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementa 2OO4l3'l34Tllei-complementar-n-347-2004{ispoe-sobre-o-planoie-cargos 49/63
30111t2018 Lei Complêmentar 347 2004 dê Uberlândia lrG

3. Atribuições Típicas

- Elaborar o Plano dê Ação Global da Escola;


- Acompanhar diariamente o processo didático-pedagógico desenvolvido no âmbito escolar através de
êntrevistas, aconselhamentos e encaminhamentos, quando necessários, a outros profissionais;
- Realizar estudos e pesquisas, utilizando documentação científica e outras fontes de inÍormação,
constatando resultados e métodos utilizados e testando novos métodos para aperfeiÇoamênto da
orientação educacional;
- Colaborar na Íase de elaboração do currículo pleno da escola, opinando sobrê suas implicações no
pÍocesso de orientaÇão educacional, a fim de contribuir para o planejamento eÍicaz do sistema de
ensino;
- Aplicar processos de caracterização da cliêntêla escolar, utilizando testes pedagógicos e outras
técnicas especiais, para obter um perÍil completo da personalidade de cada educando e da sua
atuação no meio em que vive;
- Organizar e reunir inÍormações dos alunos, de caráter fÍsico, psicológico, escolar, sócio-econômico e
oulras, para Íacilitar a identiÍicaÇão de interesses, aptidões e comportamentos de cada aluno e a
rêsolução de seus problemas;
- Coordenar o processo de desenvolvimento de aptidões e interesses dos educandos, elaborando
planos de estudo, orientando-os sobÍe o uso eÍicaz da biblioteca da escola e estimulando-os no novo
exercÍcio de atividades recÍeativas e desportivas, para aprimorar suas qualidades de reflexão e
integração social;
- Ensejar aos educandos a aquisição de conhecimentos sobre profissões, informando-os acerca de
ocupações existentes no país, requisitos para ingresso na Íorça de trabalho e sobre salários ou
levando-os a conhecerem pessoalmente estes dados, para possibilitar a descoberta de aptidões,
inclinações, traços de personalidade relacionados à vida pÍofissional, bem como de suas limitações e
orienta-los na escolha de uma ocupação:
- Auxiliar na resolução de problemas indíviduais dos alunos, aconselhando-os sobre a conduta ser
seguida ou encaminhando ao especialista os casos que exigem assistência especial, a Íim de contribuir
para o ajustamento dos mesmos ao meio em que vivêm;
- Promover a integração escola-família-comunidade, organizando reuniões com os pais, professores de
outras comunidades, para possibilitar a utilização de todos os meios capazes de realizar a educação
integral dos alunos;
- Participar do processo de avaliação escolar e recuperação de alunos, examinando as câusas de
evenluais fracassos, para aconselhar a aplicação de métodos mais adequados.

4. Requisitos para Provimento:

- Graduação Plena em Pedagogia com habilitação em Orientação Educacional, ou Licenciatura Plêna


em qualquer área do conhecimento com Especialização em Orientação Educacional, além dê
experiência docente mínima de seis meses adquirida em qualquer nÍvel ou sistema de ensino público
ou privado.

5. Perspectiva de Desenvolvimento Funcional

- Promoção: Progressão horizontal correspondente ao grau dê escolaridade e aperfeiçoamento


profissional;
- Progressão vertical mediante a avaliação de desempenho.

6. Recrutamento:

-Extêrno, no mercado de trabalho, mediante concurso público. (Redação dada pela lei no 11.148120121

@
SUPERVISER ESCOTAR
https://leismunicipais.com.brla1lmg/u/uberlandia/lei-c,omplementa 2OO4l3Sl34Tllet-camplementar-n-347-2004iispoe-sobre-o-plano-de-cargos.. 50/63
30t1112018 Lei comptementar 347 2oo4 de ubertândia MG

2=€es€+içãe€+F{áiêa+

priÍneir+€ segund€ graus e píó esêêlari planejaflde; §s^ervisiena'lder avaliande e refermulende e

3=4t+ibrriçêes+ípi€a€+

@) )f,el êêb sua


fesp€nsabitiéade;
Elaberar êurríêulesr planes de €urses e pregramas; estabelê6ende normaÊ ê-drretrizes gerais e

qü€lid€d€-€+endinqen+

eqsi@
Supervisiena a aplieagãe de eurríeules-planes e pregramas premeyende a inspeçáe de unidades

@edes de ensine empregades,


+=*equ+sitês+ar€-Pr*i

iêê -t
eufrivad€r
5'*ersfle€tilia+e-ge€€nv€lyifi€nts Funoienal

prefissloâ+
Pregressãe vertieal mediante a avaliaçãe de desempenh+
Hê6rslem€.Btê: '.

@êdiante c€nGurss públiêê,


'!

1. Cargo: ESPECIALISTA DE EDUCAÇÃO

SUPERVISOR ESCOLAR

2. Descrição Sintética:

Compreende os cargos que se destinam a êxecutar atividades de Supervisão Escolar, no ensino de


primeiro e segundo graus e pré escolar, planejando, supervisionando, avaliando e reÍormulando o
processo ensino-aprendizado, traçando metas, estabelecendo normas, orientando e inspecionando o
cumprimenlo das mesmas e criando ou modiflcando processos educativos, êm estreita articulação com
os demais componenles do sistema educacional, para impulsionar a educação integral dos alunos.

3. Atribuições TÍpicas

- Supervisionar todo o processo didático, em seu trÍpllce aspecto de planejamento, controle e


avaliação, no âmbito do sistema, da escola ou de áreas curricu[ares;
- Desenvolver pesquisas de campo, promovendo visitas, consultas e debates de sentido sócio-
econômico-educativo, para cêrtiÍicar-se dos recursos, problemas da área educacional sob sua
responsabilidade;
- ElaboraÍ currículos, planos de cursos e programas, estabelecendo normas e diretrizes gerais e
especíÍicas com base nas pesquisas efetuadas, e com a colaboração de outros especialistas de
httpsJ/leismunicipais.com.brla1lmg/u/ube.landia/lei-complementar/2004/35/347/lei-complementar-n-347-2004{ispo+sobre-o-plano-de-cargos...5í/63
3011112018 Lei comptêmentar 347 2004 de uberiândia [.,tG

ensino, para assegurar ao sistema educacional, conteúdos autênticos e definidos, em termos de


qualidade e íendimento;
- Orientar o corpo docente no desenvolvimento de suas potencialidades profissionais, assessorando-o
técnica e pedagogicamente, para incentivar-lhe a criatividade, o espírito de auto-crítica, o espírito de
equipe e a busca do aperfelçoamento;
- Supervisionar a aplicação de currÍculos, planos e programas, promovendo a inspeção de unidades
escolares, acompanhando e controlando o desempenho dos seus componentes e zêlando pelo
cumprimento de normas e diretrizes para assegurar a regularidade e eficácia do processo educativo;
- Avaliar o processo ensino-aprendizado, examinando relatórios ou participando de conselhos de
classe, para aferir a validade dos métodos de ensino empregados.

4. Requisilos para Provimento

- Graduação Plêna em Pedagogia com habilitação em Supervisão Escolar, ou Licenciatura Plena em


qualquer área do conhecimento com Especialização em Supervisão Escolar, além de experiência
docente mÍnima de seis meses adquirida em qualquer nível ou sistêmâ de ensino público ou privado.

5. Perspectiva de Desenvolvimento Funcional

- Promoção: Progressão horízontal coffespondente ao grau dê escolaridade e aperfeiçoamento


proÍissional;
- Progressão vêrtical mediante a avaliação de desempenho.

6. Rêcrutamênto:

Externo, no mercado de trabalho, mediante concurso público. (Redação dada pela f:ei n 11 .14812012)

ANEXO VIII - QUADRO SUPLEMENTAR


--.1

CARREIRA - MAGISTÉRIO

,1.
CATgO: PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL E PRIMEIRA A QUARTA SÉRIE DO ENSINO
FUNDAMENTAL

2. Descrição Sintética:
Compreende os cargos que se destinam a executar regência eÍetiva de atividade, área de estudo ou
disciplina com alunos de educação infantil e de primeira a quarta série do ensino Íundamental, nas
escolas públicas do l\,4unicípio, para aprimoramento tanto do processo ensino-aprendizagem como da
ação educacional, com parttcipação ativa na vida comunitária da escola.

3. AtÍibuições Típicas:
- Elabora programas e planos de trabalho para controle e avaliação do rendimento escolar,
recuperação dos alunos, reuniões, auto-aperfeiçoamento e pesquisa educacional;
- Elabora o plano de aula, selecionando o assunto e deleíminando a metodologia, com base nos
objetivos fixados para obter melhor rendimênto do ensino;
- Seleciona ou confecciona o material didático a ser utilizado, valendo-se das próprias aptidões ou
consultando manuais de instrução para facilitar o ensino-aprendizado;
- Ministra aulas na educação infantil e até a quarta série do ensino fundamêntal, transmitindo os
conteúdos pertinentes de forma integrada e através de atividades, para proporcionar aos alunos os
meios elementares de comunicação e instruí-los sobre os princípios básicos de conduta e formação
necessária ao desenvolvimento de suas potencialidades;
- Organiza solênidades comêmorativas de fatos marcantes da vida brasileira, promovendo concursos,
debates, dramatizações ou jogos para alivar o interesse dos alunos pelos acontecimentos histórico-
sociais da pátria;
- Organiza e elabora atividades educativas, levando as crianças a se exprimirem através de desenhos,
httpsr//leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementarl20041351347/ei-complementarn-347-2004{ispoe-sobre-o-plano{e-cargos.. 52/63
3011112018 Lei Comptementar 347 2OO4 de Ubertândia NrG

pintura, conversação, canto ou por outros meios, ajudando-as nêstas atividades, para desenvolver
física, mental, emotiva e socialmente os educandos, em idade pré-escolar;
- Ensina às crianças hábitos de limpeza, higiene, disciplina e tolerância entre outros atributos morais e
sociais, empregando recursos áudio-visuais ou outros meios a fim de contribuir para sua educação;
- Elabora e aplica testes, provas e outros métodos usuais de avaliação, baseando-se nas atividades
desenvolvidas e na capacidade média da classe, para verificar o aproveitamento dos alunos e
constalar a eficácia dos métodos adotados:
- Elabora Íichas cumulativas, boletins de controle e relatórios, apoiando-se na observaÇão do
comportamento e desempenho dos alunos e anotando atividades efetuadas, métodos empregados e
os problemas surgidos, para manter um registro que permita dar inÍormaçÕes ao Serviço de Orientação
Pedagógica, com vistas à solução dos problemas e tomada de iniciativas; e
- Desenvolver atividades de planejamento, alualização, pesquisa, produção coletiva, Íormação
permanente, colaboração com a administração da unidadê, participando de reuniões, eventos de
trabalho e outras atividades inerentes ao Projeto PolÍtico Pedagógico da unidade.

4. Requisitos para Provimento:


- Curso Magistério de nível médio.

5. Perspectiva de Desenvolvimento Funcional


- Promoção: Progressão horizontal corrêspondente ao grau de escolaridade e apêrfeiçoamento
proÍissional;
- Progressão vertical mediante a avaliação de desempenho.

6. Recrutamento:
Externo, no mercado de trabalho, mediante concurso público

-.1
1. Cargo: PROFESSOR DE QUTNTA A OTTAVA SÉR|ES DO ENSTNO FUNDAMENTAL

2. Descrição Sintética:
Compreende os cargos que se destinam a executar regência efetiva de atividade, área de estudo ou
-
disciplina com alunos de quinta a oitava séries, nas escolas públicas do Município, para aprimoramento
tanto do processo ensino-aprendizagem como da aÉo educacional, com participação ativa na vida
comunitária da escola. l
li

- Elabora programas e planos de trabalho para controle e avaliação do rendimento escolar,


recuperação dos alunos, reuniões, auto-apeíeiçoamento e pesquisa educacional;
- Elabora o plano de aula, selecionando o assunto e determinando a metodologia, com base nos
objetivos Ílxados para obter melhor rendimento do ensino;
- Seleciona ou confecciona o material didático a ser utilizado, valendo-se das próprias aptidões ou
consultando manuais de instrução para facilitar o ensino-aprendizado;
- Ministra aulas no ensino fundamental, transmitindo os conteúdos pertinentes de forma integrada e
através de atividades, para proporcionar aos alunos os meios elemêntares de comunicação e instruí-
los sobre os princípios básicos de conduta e formação necessária ao desenvolvimento de suas
potencialidades;
- Organiza solenidades comemoralivas de fatos marcantes da vida brasileira, promovendo concursos,
debates, dramatizações ou jogos para ativar o interesse dos alunos pelos acontecimentos histórico-
sociais da pátria;
- Elabora e aplica testes, provâs ê outros métodos usuais de avaliação, baseando-se nas atividades
desenvolvidas e na capacidade média da classe, para verificar o aproveitamento dos alunos e
constatar a eficácia dos métodos adotados;
- Elabora Íichas cumulativas, boletins de controle e rêlatórios, apoiando-se na observaÉo do
comportamento e desempenho dos alunos e anotando atividades efetuadas, métodos empregados e
os problemas surgidos, para manter um registro que permita dar informações ao Serviço de Orientação
Pedagógica, com vistas à solução dos problemas e tomada de iniciativas; e
https://leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementa 20O4l3Sl3/.TAei-complementar-n-347-2004{ispoq.sobrÊo-plano-de-cargos...
31l11l2úa Lêi Complemêntar 347 2004 dê Ubêdândia MG

- Desenvolver atividades de planejamento, atualização, pesquisa, produção coletiva, formação


permanente, colaboração com a administraçáo da unidade, participando de reuniões, eventos de
trabalho e outras atividades inêrentes ao Projeto PolÍtico Pedagógico da unidade.

4. Requisitos para Provimento:


Licenciatura Plena em Educação ArtÍstica, Educação Física, Matemática, GeograÍia, História,
Português, Ciências - conÍorme a área de atuação.

5. Perspectiva de Desenvolvimento Funcional


- Promoção: Progressão horizontal correspondêntê ao grau dê escolaridâde e aperfeiçoamento
profissional;
- Progressão vertical mediante a avaliação de desempenho.

6. Recrutamento:
Externo, no mercado de trabalho, mediante concurso público

í. Cargo: INSPETOR ESCOLAR

2. DescriÇão Sintética:
Compreende os cargos que se destinam a executar atividades de lnspeÇão Escolar, no ensino de
primêiro e segundo graus, inlegrado aos demais Especialistas das escolas do Município.

3. Atribuições Típicas:
- Orientar, assistir e controlar de forma geral o processo administrativo ê pedagógico das êscolas;
- Orientar, preventivamênte, as ações desenvolvidas na escola para o cumprimento legal e eficaz de
suas Íinalidades;
- Acompanhar a elaboração dos critérios de atendimento da matrícula dos alunos, de acordo com o
número de vaga, considerando a demanda escolar;
- Colaborar com a equipe pedagógica da escola em projetos e experiências pedagógicas que
proponham melhoria de ensino;
- Orientar quanto ao atendimento dos ãlunos defasados em conteúdo e em série/idade;
- Analisar e propor medidas necessárias para regularização de vida escolar do aluno;
- Orientar o preenchimento correto do: censo escolar; livro de ponto, diários de classe; livro de
transferências expedidas; livÍo de registro de matrículas; livro de atas de resultados finais; livro de atas ,.
de exames especiais; Íicha de matrÍcula; histórico escolar; Ílcha individual; l_l
- VeriÍicar sempre que necessário a documentaçáo dos alunos, dando atenção especial às séries
terminais e passar as orientações necessárias;
- Analisar, junto a equipe pedagógica, os casos de classificação e reclassificação, dando as êvidas
orientações;
- Acompanhar a elaboração e implementação do ProJeto Político Pedagógico da escola:
- Participar e apreciar as atividades culturais promovidas pela escola;
- Promovêr a integração entre o pessoal de escola, visando um trabalho de equipe;
- Orientar a escola na elaboraÇão ê atualização do regimento escolar, quadro curricular e calendário
escolar, resguardando as normas legais vigentes, acompanhando o seu cumprimento;
- Analisar, periodicamente, os resultados das avaliações escolares com os especialistas, para adoção
de novas metodologias e técnicas de ensino;
- Atender as solicitações parâ solução de problemas;
- Orientar quanto ao preenchimento de documentos referentes a êscrituração escolar;
- Participar de reuniões, encontros e cursos de aperfeiçoamento oferecidos pela Secretaria Municipal
de Educação e outros órgãos;
- Acompanhar o habalho de validação de atos escolares, quando necessário.
- Fazet a escrituraçáo inerente à função e entregáJa em tempo hábil;
- Participar do procêsso de sindicância quando indicado;
- Orientar o processo de autorização da escola;
- FazeÍ a interação enlre a escola e a Secretaria Municipal de Educação;
https://teismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementa 2OO4l35t34Ttlei-cr,ri,plementar-n-347-2004{ispoe-sobre-o-planoie-cargos .. 54/63
30/11t2018 Lêi Complêmêntar 347 2004 dê Ubêrlândia MG

Proporcionar a coerência da política educacional com as necessidades do processo


ensinoaprendizagem dentro da escola, com competência técnica; e
- Consolidar levanlamentos para contÍole e tratamento estatístico dos dados escolares.

4. Requisitos para Provimento:


- Graduação Plena em Pedagogia com especialização em lnspeção Escolar.

5. Perspectiva de Desenvolvimento Funcional


- Promoção: Progressão horizontal correspondente ao grau de escolaridade e aperfeiçoamento
profissional;
- Progressão vertical mediantê a avaliação dê desempenho.

6. Recrutamento:
Externo, no mercado de trabalho, mediante concurso público

1. Cargo: ORIENTADOR EDUCACIONAL

2. Descrição Sintética:
Compreende os cargos que se destinam a executar atividades de Oriêntação Educacional, integrado
aos demais Especialistas das escolas do Município, no ensino de primeiro e segundo graus,
fornecendo assistência aos educandos, ordenando e integrando os elementos que exercem influência
em sua formação, aconselhando e auxiliando os alunos na solução de problemas pessoais, para
possibilitar-lhes o desenvolvimento intelectual e a formação integral de sua personalidade.

3. Atribuições Típicas:
- Elaboração do Plano de Ação Global da Escola;
- Acompanha diariamente o procêsso didático-pedagógico desenvolvido no âmbito escolar através de 3
entrevistas, aconselhamentos e encaminhamentos, quando necessários, a outros profissionais;
- Realiza estudos e pesquisas, utilizando documentaÉo cientÍÍica e outrâs fontes de informação,
constatando rêsultados e métodos utilizados e testando novos métodos para aperfeiÇoamento da
orientação educacional;
- Colabora na fase de elaboração do currículo pleno da escola, opinando sobrê suas implicações no
processo de orientação educacional, a fim de contribuir para o planejamento eÍicaz do sistema de
ensino: ..

- Aplica processos de da clientêla escolar, utilizando testes pedagógicos e outras j;


caracteriz açáo
técnicas especiais, para obter um perfil completo da personalidade de cada educando e da sua
atuação no meio em que vive;
- Organiza e reúne informaçôes dos alunos, de caráter físico, psicológico, escolar, sócíoeconômico e
outras, para Íacilitar a identificação dê interesses, aptidões e comportamentos de cada aluno e a
resolução de seus problemas;
- Coordena o processo de desenvolvimento de aptidóes e interessês dos educandos, elaborando
planos de estudo, orientando-os sobre o uso eficaz da biblioteca da escola e estimulando-os no novo
exercÍcio de atividades recreativas e desportivas, para ãprimorar suas qualidades de reflexão e
integração social;
- Enseja aos educandos a aquisiÇão de conhecimentos sobre profissões, informando-os acerca de
ocupações existentes no país, requisitos para ingresso na força de trabalho e sobre salários ou
levando-os a conhecerêm pessoalmente estes dados, para possibilitar a descoberta de aptidões,
inclinações, traços de personalidade relacionados à vida profissional, bem como de suas limitações e
orienta-los na escolha de uma ocupação:
- Auxilia na rêsoluÇão de problemas individuais dos alunos, aconselhando-os sobrê a conduta ser
seguida ou encaminhando ao especialisla os casos que exigem assistência especial, a flm de contribuir
para o ajustamento dos mesmos ao meio em que vivem;
- Promove a integração escola-família-comunidade, organizando reuniões com os pais, professores de
outras comunidades, para possibilitar a utilização de todos os meios capazes de rcalizaí a educação
integral dos alunos; e
httpsr/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementaÍl2,04l35l347/ei-çomplementar-n-347-2004iispo+sobre-o-planoie-cargos... 55/63
3ot11t2o1a Lei comptemêntar 347 2oo4 de ubertándia MG

- Parlicipa do processo de avaliação escolar e recuperaÉo de alunos, examinando as causas de


eventuais íracassos, para aconselhar a aplicação de métodos mais adequados.

4. Requisitos para Provimento:


- Graduação Plena em Pedagogia com especialização em Orientação Educacional.

5. Perspectiva de Desenvolvimento Funcional


- Promoção: Progressão horizontal correspondente ao grau de escolaridade e apêrfêiçoamento
profissional;
- Progressão vertical mediante a avaliação de desêmpenho.

6. RecÍutamenlo:
Externo, no mercado de trabalho, mediante concurso público

1. Cargo: SUPERVISOR ESCOLAR

2. Descrição Sintélica:
Compreende os cargos que se destinam a executar atividades de Supervisão Escolar, no ensino de
primeiro e segundo graus e pré escolar, planejando, supervisionando, avaliando e reÍormulando o
pÍocesso ensino-aprendizado, traçando metas, estabelecendo normas, orienlando e inspecionando o
cumprimento das mesmas e criando ou modificando processos educativos, em estreita articulação com
os demais componentes do sistema educacional, para impulsionar a educação integral dos alunos.

3. Atribuições Típicas:
- supêrvisionar todo o processo didático, em seu tríplice aspecto de planejamento, controle e
avaliação, no âmbito do sislema, da escola ou de áreas curriculares; <t
- Desenvolve pesquisas de campo, promovendo visitas, consullas e debates de sentido
sÓcioeconômico-educativo, para certiÍicar-se dos recursos, problemas da área educacional sob sua
responsabilidade;
- Elaborar currÍculos, planos de cursos e programas, estabelecendo normas e diretrizes gerais e .

específicas com base nas pesquisas efetuadas, e com a colaboração de outros especialistâs de
ensino, para assegurar ao sistema educacional, conteúdos autênticos e deÍinidos, êm termos de
qualidade e rêndimento:
- Orienta o corpo docente no desenvolvlmento de suas potencialidades profissionais, assessorando-o j: tl:
técnica e pedagogicamente, para incentivar-lhe a criatividade, o espírito de auto-crítica, o espÍrito de
equipe e a busca do aperÍeiçoamento;
- supervlsiona a aplicação de currículos, planos e programas, promovendo a inspeção de unidades
escolares, acompanhando e controlando o desempenho dos seus componentes e zelando pelo
cumprimento de normas e diretrizes para assegurar a regularidade e eÍicácia do processo educativo; e
- Avalia o processo ensino-aprendizado, examinando relatórios ou participando de conselhos de
classe, para aÍerir a validade dos métodos de enslno empregados.

4. Requisitos para Provimento:


- Graduação Plena em Pedagogia com especializagão em Supervisão Escolar.

5. Perspectiva de Desenvolvimento Funcional


- Promoção: Progressão horizontal correspondentê ao grau dê escolaridade e aperfeiçoamento
proflssional;
- Progressão vertical mediante a avaliaçáo de desempenho.

6. Recrutamento:
Externo, no mercado de trabalho, mediante concurso público.

ANEXO VIII . QUADRO PERMANENTE


httpsJ/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/ubedandia/lei-complementar2004/35/347/lei-complementaÊn-347-2004dispoe-sobre-o-plênoie-cargos...56/63
30t11t2018 Lei Complementar 347 2004 de Ubertândia MG

PESSOAL ADMINISTRATIVO

CARREIRA . ASSISTENTE ADMINISTRATIVO

l.CaTgo: ASSISTENTE DE EDUCAÇÃO INFANTIL

2. Descrição Sintética:
Compreende os cargos que se destinam a cuidar, orientar e executar atividades lúdicopedagógicas e
lúdico-educativas para crianças, auxiliando no planejamento, orientação, e desenvolvimento do
procêsso de ensino, juntamentê com os demais profissionais do sistema educacional, conÍorme projêto
político pedagógico da Unidade.

3. Atribuições Típicas:
. Desenvolver e executar atividades lúdico-pedagógicas, orientando e avaliando os resultados de sua
aplicação;
. ConÍeccionaÍ Íecursos materiais, utilizados nas atividades lúdico-educativas;
. Desenvolver, sob orienlação
do proÍissional da área de educação, atividades lúdicoeducativas,
oferecendo materiais que incentivem a criatividade, a habilidade, entre outros, para possibilitar o
desenvolvimento intelectual, psicomotor e social da criança;
. Acompanhar, orienlar e estimular as crianças em sua higiene pessoal, obsêrvando as alterações em
termos de saúde e nutrição;
. Ensinar às crianças hábitos de limpeza, higiene, disciplina e tolerância entre outros atributos morais e
sociais;
. Auxiliar na solução de problemas individuais dos alunos, encaminhando ao especialista os casos em
que seja necessária assistência especial;
. Organizar, conseryar e cuidar da higienizaçáo do matêrial lúdico-pedagógico, equipamentos e
quaisquer outros materiais utilizados pêlas crianças;
. Preencher o formulário de freqüência das crianças;
. Estimular, preparar e acompanhar o repouso das crianÇas; I
. Auxiliar nas atividades de promoção da integração escola-família-comunidade, através de reuniões
com pais, professores e demais profissionais de ensino;
. Socorrer a criança em casos de pequenos acidentes e de emergência, tomando as providências
necessárias, segundo orientaÉo recebida do proÍissional da área, levando-a ou encaminhando-a ao
posto de saúde ou médico mais próximo, informando os pais ou responsáveis;
. Organizar todo materlal referente às atividades com as crianças, assim como roupas, toalhas,
produtos de higiene pessoal e calçados de uso das crianÇas;
. Executar atividades de higienizaçáo das crianças, como banho, troca de fraldas, escovação de,;
dentes, limpeza das mãos, entre outras;
. Participar das atividades administrativas, de controle e apoio referentes à sua área de atuação:
. Auxiliar na organização e promoção de trabalhos complementares de caráter cívico, cultural e
vocacional ou recreativo, conscientizando os educandos e orientando, para incentivar o espírito de
liderança dos alunos e concorrer para a sociabilização ê formação integral dos mesmos;
. Executar outras atribuições aÍins.

4. Requisitos para Provimento:


- lnstrução - Ensino Médio Completo

5. Perspectivas de Desenvolvimento Funcional:


- Promoção: Progressão horizontal correspondente ao grau de escolaridade e aperfeiçoamento
proÍissional;
- Progressão vertical mediante a avaliação de desempênho.

6. Recrutamento:
- Externo - no mercado de trabalho, mediante concurso público.
57 t63
httpsr/leismunicipais.com.br/a'1lmg/u/uberlandia/tei-complementa rl2OO4l35t347 tlei-complementaÊn-347-2004-dispoe-§obre'o-plano{e-cargos
30111t2018 Lei complementar 347 2004 de uberlândia MG

ANEXO VIII - QUADRO PERMANENTE

PESSOAL ADI\4 lN ISTRATIVO

CARREIRA . ASSISTENTE ADN,,I IN ISTRATIVO

l.Cargo: EDUCADOR INFANTIL - AUXILIAR DE CRECHE

2. Descrição Sintética:
Compreende os cargos quê se destinam a cuidar, orientar e executar atividades lúdicopedagógicas e
lúdico-educativas para crianças, auxiliando no plane.iamento, orientação, e desenvolvimento do
processo de ensino, juntamente com os demais profissionais do sistema êducacional, conforme projeto
político pedagógico da Unidade.

3. AtribuiÇôes TÍpicas:
- Desenvolver e executar atividades lúdico-pedagógicas, orientando e avaliando os resultados de sua
aplicaÇão;
- Confeccionar recursos materiais, utilizados nas atividades lúdico-êducativas;
- Desenvolver, sob orientação do proÍissional da área de educação, atividades lúdicoeducativas,
oferecendo matêriais que incentivem a criatividade, a habilidade, entre outros, para possibilitar o
desenvolvimento intelectual, psicomotor e social da criança;
- Acompanhar, orientar e estimular as crianças em sua higiene pessoal, observando as alterações em
termos de saúde e nutrição;
- Ensinar às crianças hábitos de limpeza, higiene, disciplina e tolerância entre outros atributos morais e
sociais;
i
- Auxiliar na solução de problemas individuais dos alunos, encaminhando ao especialista os casos em
que seja necessária assistência especial;
- Organizar, conservar e cuidar da higienizaÇão do material lúdico-pedagógico, equipamentos e
quaisquer outros materiais utilizados pelas crianças;
- Preencher o formulário de freqüência das crianças;
- Estimular, preparar e acompanhar o repouso das crianças;
- Auxiliar nas atividades de promoção da integração escola-fam Ília-comunidade, através de reuniões .,

compais,proíessoresedemaisprofissionaiSdeenSino;
- Socorrer a criança em casos de pequenos acidentes e de emergência, tomando as providências
necessárias, segundo orientação recebida do profissional da área, levando-a ou encaminhando-a ao
posto de saúde ou médico mais próximo, informando os pais ou responsáveis;
- Organizar todo malerial referente às atividades com as crianças, assim como roupas, loalhas,
produtos de higiene pessoal e calçados de uso das crianças;
- Executar atividades de higienização das crianças, como banho, troca de fraldas, escovação de
dentes, limpeza das mãos, entre outras;
- Participar das atividades administrativas, de controle e apoio rêfêrentes à sua área de atuação;
- Auxiliar na organização e promoÇão de trabalhos complementares de caráter cívico, cultural e
vocacional ou recreativo, conscientizando os educandos e orientando, para incentivar o espírito de
liderança dos alunos e concorrer para a sociabilização e Íormação integral dos mesmos;
- Executar outras atribuições aflns.

4. Requisitos para Provimento:


- lnstrução - Ensino Medio Completo

5. Perspectivas de Desenvolvimento Funcional:


- Promoção: Progressão horizontal correspondente ao grau de escolaridade e aperfeiçoamento
ProÍissional;
- Progressão verlical mediante a avallação de desempenho.
https://leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementarl2OO4l3Sl34Ttlei-complementar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-plano-de-cargos.. 58/63
30t11t2018 Lei Complementar 347 2004 de Ubeíândia N,1G

CARREIRA - ASSISTENTE ADMINISTRATIVO

'1. cargo: SECRETÁR|O ESCOLAR

2. Descrição Sintetica:
compreende os cargos que se destinam a desempenhar atividades de cunho administrativo nos
estabelecimentos de ensino.

3. Atribuições TÍpicas:
- Coordenação dos trabalhos desenvolvidos na secretaria da escola;
- Estabelêcer as normas operacionais de Seu setor, definindo as responsabilidades funcionais s
submetendo-as à aprovação da direção;
- organizar, superintender e distribuir entre seus auxiliares serviços de protocolo, escrituração,
mecanograÍia, arquivo e estatística escolar;
- cumprir e fazer cumprir as determinações legais e as ordens do diretor ou de quem o substitua;
- Manter sob sua guarda ou responsabilidade o arquivo e o material de secretaria;
- Elaborar relatórios e instruir processos exigidos por outros órgãos da Administração Pública;
- Manter e fazer manter atualizada a escrituração de livros, Íichas e documentos relativos à vida da
instituição, dos professores e à vida escolar dos alunos;
- Redigir e fazer expedir loda a correspondência, submetendo-a à assinalura do Diretor;
- Receber o supervisor Educacional, atendendo suas solicitações dentro do prazo estabelecido;
- Manter atualizada e ordenada toda legislação de ensino;
- Assinar, juntamente com o Diretor, os documentos de vida escolar;
- Lavrar e subscrêver todas as atas;
--l
- Rubricar todas as páginas dos livros da Secretaria;
- Promover incineraÇão de documentos, de acordo com a legislação vigente;
- Manter atualizados os dados estatísticos necessários à pesquisa educacional;
- Executar outras atribuições aÍins.

4. Requisitos para Provimento:


- lnstrução - Ensino Médio Completo e Íormação específica

5. Perspectivas de Desenvolvimento Funcional:


. Promoção: Progressão horizontal correspondente ao grau de escolaridade e aperfeiçoamênto
profissional
. Progressão vertical mediante a avaliação de desempenho.

CARREIRA - AGENTE DE APOIO ADMINISTRATIVO

l.Cargo: AGENTE DE SERVIÇOS GERAIS ( Auxiliar de Serviços Gerais e Merêndeiro)

2. Descrição Sintética:
Compreende os cargos que se destinam a execular serviços de limpeza e arrumação nas divêrsas
unidades das Escolas Municipais, bem como auxiliar no preparo e distribuição de merendas'
selecionando alimentos e preparando refeiçóes ligêiras para atender aos programas alimentares
executados pela PreÍeitura Municipal.

3. AtribuiÇóes Típlcas:
- Limpar e arrumar as dependências e instalações de edifícios públicos municipais, a fim de mantê-los
nas condições de asseio requeridas;
- Recolher o lixo da unidade em que seíve, acondicionando detritos e depositando-os de acordo com
as determinações definidas;
- Percorrer as dêpendências da instituição ou órgão abrindo e fechando janelas, portas e portões, bem
59/63
https://leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/loi-complementaÍt2}O4t35l347tlei-complemêntar-n-347-2004iispoe.sobreo-planoie-cargos
3011112018 Lei Complementar 347 2004 dê Uberlândia MG

como ligando e desligando pontos de iluminação, máquinas e aparelhos elétÍicos;


- Preparar e servir café e chá aos visitantes e servidores do setor;
- Lavar copos, xícaras, cafeteiras, coadores e demais utensílios de cozinha;
- preparar lanches, mamadeiras e outras reíeições simplês, segundo orientaÇão superior, para atender
aos programas alimentares desenvolvidos pela Prefêitura;
- VeriÍicar a existência de material de limpeza e alimentação e outros itens relacionados com seu
trabalho, comunicando ao superior imediato a necessidade de reposição, quando for o caso;
- Comunicar ao superior imediato qualquer irregularidade verificada, bem como a necessidade de
consertos e reparos nas dependências, móveis e utensílios que lhe cabe manter limpos e com boa
aparência;
- preparar refeições, selecionando, lavando, cortando, têmperando e cozinhando os alimentos, de
acordo com orientação recebida e programa alimentar;
- Efetuar o controle dos gêneros alimentÍcios necessáÍio ao prêparo da merenda, recebendo-os e
armazenando-os de acordo com normas e instruções estabelecidas para garantir sua conservação e
melhor aproveitamento;
- Distribuir as refeições preparadas, servindo-as conforme rotina predetêrminada, para atender aos
comensais;
- Registrar, em formulários especíÍicos, o número de refeições servidas, bem como a aceitabilidade dos
alimentos ofeÍecidos, para eíêito de controle;
- Requisitar material e mantimentos, quando necessário;
- Selecionar os ingredientes necessários ao preparo das reÍeiçóes, separando-os ê pesando-os de
acordo com o cardápio do dia, para facilitar sua utilizagão;
- pesar e registrar sobras alimentares, utilizando balanças e fichas apropriadâs, para permitir a
avaliaçáo de aceitaçáo dos alimentos pelos comensais;
- Auxiliar na limpeza, lavagem e guarda de pratos, panelas, talheres e demais utensílios de copa e
cozinha;
- Dispor adequadamentê as sobras de comida ê lixo da cozinha, de forma a evitar proliferação de
insetos;
- Anotar em formulário próprio a quantidade recebida e consumida de gêneros alimentícios, para
subsidiar controles e levantamentos estatísticos;
- Zelar pela conservação e limpeza dos instrumentos e equipamentos que utiliza; e
- Executar outras atribuições afins.

4. Requisitos para provimento:


lnstrução - Quarta Série do Ensino Fundamental

5. Perspectiva de Desenvolvimenlo Funcional


- promoção: Progressão horizontal correspondente ao grau de escolaridade e aperÍeiçoamênto
proÍissional;
- Progressão verlical mediante a avaliação de desempenho.

6. Recrutamento:
Externo, no mercado de trabalho, mediante concurso público.

W
@
2-Des€+içãffihtáiêe=

oes-
Ht+ibuiçoes+ípiêas-
nas atividedes de 6lessifi6ação e 6atalêgaçãê de de6umentesi mânusGrite§; livre§; Periádi6ês
^uxiliar
e-eu++as+*tieaçees;

60/63
https://teismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementar/2OO4l35l347Aei-complementar-n-347-2004{ispoe-sobre-o-plano-dq{argos
3011112018 Lei Complementar 347 2OO4 de Uberlândia MG

a6eFlêi
Organizar ê manter organizadâs as ebras de aêervê; dispende as sêgundo e eritáriê dê 6laô6ifi6agão
@
auxiliar no levantamente de dadês estatístiêes sêbre a utilização de ebras de a6ervê; para identifiêar
gemacea+perfe*ura;
Elabêrar listagêns relalíyas a liyre6r doêumentês, pêriédiêos e êutra6 psbliGagões adquiridas pela
Biblieteea pa+a divulgaçãe de aeerve junte aes usuáries;
Gentrelar e providenêiar a manuênçãe das ebras de âGerye; e
@
+=*eqt:is+têsfara-PrcYl
@
@
Premeçãe: PregÍessãe- hsrizontal êenespendênt€ aê grau de esêelâÍidade e aperfeiçeamente
p+efssien+;
Pregressão vertiêal mediante a avaliaçãs de dêsempenhe,
ê.-Reerutamente:
@iaf,te Gênêurso púHi6€= (Cargo extinto pela Lei no 11.96712014)

CARREIRA - ASSISTENTE ADMINISTRATIVO

1. Cargo: ASSISTENTE ADMINISTRATIVO

2. DescriÇão Sintética:
Compreende os cargos que têm como atribuição executar ou auxiliar na execução das tarefas J
rotineiras de apoio administrativo às cheÍias em questões técnico administrativas que envolvem
diferentes graus de complexidade e que aprêsentem relativa margem de autonomia, envolvendo em
algumas situações coordenaçáo e supervisão, bem como auxiliar os dirigentes municipais em
atividades de planejamento, organização, coordenação e conlrole de tarefas burocráticas concementes
à administração da Prefeitura.

3. AtribuiçÕes Típicas:
. Redigir expedientes sumários, correspondências, parecerês, documentos legais e outros significativos ;j
para o órgão;
.Atender ao público interno e externo, pessoalmente ou por telefone, prestando informações, anotando
recados, recebendo correspondências e efetuando encaminhamentos;
. Arquivar processos, leis, publicações, atos normativos e documentos diversos de interesse da
unidade administrativa, segundo normas preestabelecidas;
. Receber, classiÍicar, conferir e registrar a tramitação de papéis, Íiscalizando o cumprimento das
normas referentes a protocolo;
. Encaminhar os processos às unidades administrativas compelentes e regislrar sua tramitação;
. Operar microcomputador, digitando documentos diversos, utilizando programas básicos e aplicativos,
para incluir, alterar e obter dados e informações, bem como consultar registros;
. Receber e distribuir material solicitado pela unidade em que serve, guardando-os em perfeita ordem,
e veriÍicar a diminuição do estoque, solicitando providências para sua reposiçáo;
. Realizar, sob orientação específica, coleta de preços e concorrências públicas e administrativas para
aquisição de material;
. Receber o material dos Íornecedores e conferir as especificaÇões dos materiais mais complexos,
inclusive de qualidade e quantidade, com os documentos de entrega;
. Controlar registro de freqüência do pessoal, preparar folhas de pagamento, registro de íérias e
executar outras atividades afins;
. Fazer inscrições para cursos de treinamento e outros, seguindo instruçõês impressas, conferindô a
documentação rêcebida ê transmitíndo instruções;
. Agendar entrevistas e reuniões;
. Assistir a reuniões, quando solicitado, e elaborar as respectivas atas;
. Elaborar ou colaborar na elaboração de relatórios parciais e anuais, gráÍicos, mapas e quadros
httpsr/leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementa 2O04l35l347llei-complementar-n-347-2004-dispoe-sobre-o-plano-de-cargos. 61/63
g}ll'lt21l8 Lei Complementar 347 2004 de Uberiândia MG

demonstrativos das atividades atendendo às exigências ou às normas da unidade administrativa;


. Averbar, conÍerir todos os documentos comprobatórios das operações realizadas, de natureza
orçamentária ou não, de acordo com o plano de contas da Prefeitura;
. preparar relaçáo de cobrança e dê pagamentos eÍetuados pela Prefêitura, especiÍicando os saldos,
para facilitar o controle Íinanceiro e escriturar contas correntes diversas;
. Examinar empenhos de despesa e a existência de saldos nas dotações orçamentárias;
. participar da elaboragão ou desenvolvimento de estudos, levantamentos, planejamento e implantaÉo
de serviços e rotinas de trabalho, elaborando programas e pesquisas diversas;
. Examinar a exatidão de documentos, conferindo, efetuando registros, observando prazos, datas,
posiÇões Íinanceiras, informando sobrê o andamento do assunto pendente e, quando autorizado pela
cheÍia, adotar providências de interesse da PrêÍeitura;
. Zelar pelos equipamentos sob sua guarda, comunicando à CheÍia imediata a necessidade de
consertos e reparos:
. Orientar os servidores que o auxiliam na execução das tarefas típicas da classe; e
. Executar outras atribuiçóes aÍins.

4. Requisitos para Provimento:


- lnstruçáo: Ensino Médio Completo;
- Conhecimentos básicos em PoÍuguês para redação e Matemática elementar; e
- Conhecimento em aplicativos de microinformática - Digitação, Word, Excel, Power Point, I Star Office
lnternet.

5. Perspectiva de Desenvolvimento Funcional


- Promoção: Progressão horizontal correspondente ao grau de escolaridadê e aperfeiçoamento
proÍissional;
- Progressão vertical mediante a avaliação de desempenho.

6. Rêcrutamento:
Externo, no mercado de trabalho, mediante concurso público.

CARREIRA - ASSISTENTE ADMINISTRATIVO

1. CATgO: INSTRUTOR DE LíNGUA DE SINAIS =4


i.:

2. Descrição Sintética:
Compreende os cargos que se destinam a ministrar o Ensino de LIBRAS - LÍngua Brasileira de Sinais
na rede Municipal de Ensino, bem como a toda a comunidade interessada.

3. Atribuiçôes Típicas:
. Ensinar a língua de sinais a pessoas ouvintes para que possam dominar fluentemente a mesma para
que se tornem interpretes;
. Ensinar a língua de sinais para crianças surdas (de 01 a 06 anos) com metodologia específica, em
grupos ou individualmente;
. Ensinar a língua de sinais para jovens e adultos surdos, que não possuem domínio da mesma por
falta de oportunidade e acesso a língua em tempo hábil, em grupos ou individuais;
. Ensinar e preparar os proíessores e demais educâdores das escolas em relaÇão ao domínio da língua
de sinais, favorecendo a perfeita comunicação entre os interlocutores;
. Ensinar ê estimular a comunicação de língua de sinais para os pais e irmãos de criangas surdas;
. Acompanhar e supervisionar as escolas que possuem o ensino alternativo (EducaÇão Especial) que
tenham alunos surdos matriculados, veriÍicando a eÍiciência da aprendizagem dos mesmos;
. ldealizar recursos pedagógicos, adaptando-os às necessidades dos alunos surdos;
. Fazet avaliaçáo semestral e anual dos cursos e aulas ministradas;
. Elaborar anualmente, projeto especíÍico de ação do lnstrutor de Língua de Sinais frente às escolas e
cursos em geral; e
. Executar outras atribuições afins.
https://leismunicipais.com.br/a1lmg/u/uberlandia/lei-complementarl2OO4l35l34Ttlei-complementaÊn-347-2004iispoêsobr+o-planoie-cargos...6263
30t11t2014 Lei Complemêntar 347 2004 de Uberlândia MG

4. Rêquisitos para Provimento:


de
. lnstruÇão - Enslno Médio completo, acrescido de certificado de conclusão de curso de formaÇão
inslrutores de língua de sinais, expedido por Associação de Surdos; e
. outros - Pessoa surda com profundo conhecimento de LIBRAS em virtude do mesmo ser
usuário

natural deste sistema de comunicação.

5. Perspectivas de Desenvolvimento Funcional:


- promoção: Progressão horizontal correspondente ao grau de escolaridade e aperfeiçoamento
profissional; e
- Progressão vertical mediante a avaliaçAo de dêsempenho'

6. Recrutamento:
Externo - no mercado dê trabalho, medianle concurso público

CARREIRA. ASSISTENTE ADMINISTRATIVO

,I.
CATgO: INTERPRETE DE LíNGUA DE SINAIS

2. Descrição Sintética:
compreende os cargos que se destinam a servir dê interprete e propiciar ao surdo o acesso às
em
informações divulgadas pelos canais de comunicação: ser o intermediário entre o ouvinte e o surdo
entre
escolas, congressos, simpósios e outras formas de reuniões, hospitais, aeroportos, rodoviárias,
oulros, e serviÍ como elo de ligaÇáo em situações conÍidenciais que exÍam sigilo'

3. AtribuiçÕês Típicas:
- Servir de interprete dos portadores de deficiência auditiva quando este se depara frente às situações
de comunicação em massa, ou seja, rádio, cinema, televisão, telefone, telex, fax e outros, em salas de
aula, reuniões sociais e proÍissionais, palestras, conferências, seminários, simpósios, congressos e
outras formas de ações gruPais;
- lntermediar na transmissão de infoÍmaçóes do surdo frente ao mercado de trabalho, entre empregado ', !
e empregador, causas trabalhistas e civis, em hospitais, repartições públicas, portos, aeroportos, i-,1

-'
estações ferroviárias, rodoviárias, escolas, faculdades, universidades, em situações de emergência ou
de lazer, e outras situações de acordo com a necessidade; e
- Exêcutar outras atribuições afins.

4. Requisitos para provimento:


- lnstrução - Ensino Medio completo, âcrescido do Curso de LIBRAS, ministrado por AssociaÉo de
Surdos local, regional, estadual e ou Íederal.

5. Perspectivas de Desenvolvimento Funcional:


- promoção: Progressão horizontal correspondente ao grau dê escolaridade e aperfeiçoâmênto
profissional; e
- Progressão vertical mediante a avaliação de desempenho.

6. Recrutamento:
Externo - no mercado de trabalho, mediante concurso público.

Data de lnserÇão no SlsÍema LeisÀ,íunicipais:13/09/2017

https://leismunicipais.com.br/a'1lmg/u/uberlandia/lei-complementa 2OO4l35t347 tleÉçomplementar-n-347-2OO4dispoe-sobre-o-plano{e-cargo§ .. 63/63