Sie sind auf Seite 1von 5

SEMINÁRIO TEOLÓGICO MINISTERIAL

BATISTA LITORÂNEO

EXEGÉSE DO ANTIGO TESTAMENTO I

SALVADOR MARINS BORGES

POR FÁBIO LEITE

CABO FRIO 2018


SEMINÁRIO TEOLÓGICO MINISTERIAL BATISTA LITORÂNEO

EXEGÉSE DO TEXTO DE AMÓS CAP. 3


RESPOSTA DA FOLHA:

1.
a) Qual o gênero literário do texto bíblico proposto? Justifique.
O gênero é a literatura profética, ou oráculo profético. Uma caracte-
rísca deste gênero é o uso de expressões figuradas, as vezes idiomáti-
cas, bem como o uso de termos como “Ai”, prenunciando julgamentos.
Também no Antigo Testamento se encontra as fórmulas: “Assim diz o
Senhor”, e suas variantes. Importante é observar que literatura profé-
tica não quer predizer o futuro, mas, sim um futuro imediato, ou o
requerimento da aliança entre Deus e o seu povo. Existe um gênero
literário distinto na literatura profética conhecido como “oráculos
contra as nações estrangeiras”. Ex: Is 14-21; Ez 25-30; Jr 46-51; Am
1 e 2. Embora todos elas condenem os inimigos de Israel, zombando
de seus deuses e governantes cada profecia é uma unidade distinta,
autônoma em condições de cumprir sua missão, sem ser obrigada a
obedecer uma estrutura.
b) Com qual objetivo Deus levantou o profeta Amos? Apresente evi-
dencias (internas).
Trazer uma mensagem de juízo sobre o formalismo religioso e cor-
rupção espiritual. A deterioração da moralidade e a injustiça social.
Tudo isto traz o juízo de Deus.
Tenho 3 evidências internas: “ouvi”. São três exortações em Amós
capítulo 3. “Ouvi” verso 1; “Fazei ouvir” verso 9; e “Ouvi e protestai”
verso 13. Estes termos são recorrentes nos profetas e nos falam da dis-
função da audição. Ou seja, Israel e Judá não deram ouvidos às Leis
de Deus. Agora são exortados para abandonar o formalismo religioso
SEMINÁRIO TEOLÓGICO MINISTERIAL BATISTA LITORÂNEO

e corrupção espiritual. A deterioração da moralidade e a injustiça so-


cial.
c) Quais foram os reis e profetas contemporâneos de Amós? Apre-
sente uma breve e básica cronologia.
Os reis foram Jerroboão II, em Israel, e Uzias, em Israel. Estamos no
século 8 a.C., em 764 aproximadamente. O período é do reino divi-
dido, o cenário é Israel, mas se dirige também a Judá. Um fato mar-
cante neste período é o nascimento do profeta Isaías 764 a.C. aproxi-
madamente. Também podemos mencionar o grande terremoto. Ativi-
dades sísmicas são ocorrências comuns na Síria-Palestina, essa região
fica sobre a fenda que se estende desde Damasco até o golfo de Ácaba.
d) A quem foi enviado o profeta Amós?

Aos nobres ou liderança de Israel e Judá, mas também ao povo. Os reis cita-
dos na datação de Amós situam sua missão profética no tempo. Uzias, rei de
Judá, e Jerroboão II, rei de Israel, governaram durante grande parte da pri-
meira metade do século 8 a.C.

e) Descreva a época em que Amós profetizou.


ECONOMIA – CLASSES SOCIAIS NO SÉCULO 8 a.C.
No início do século 8, havia ocorrido algumas mudanças na política
econômica, por conta da expansão assíria e captura de Damasco. Israel
conseguiu em grande parte da Transjordânia, ampliar seus interesses
econômicos e uma hegemonia, isso se deve ao fato de Israel e Judá
serem fortemente governados por reis fortes. São eles, Jerroboão II e
Uzias. Estes reinados foram longos e estáveis. Este fato favoreceu o
estabelecimento de uma política econômica consistente, concentrou
sua produção em itens de exportação: cereais, azeite de oliva e vinho.
A elite foi aos poucos impondo sua política econômica nas pequenas
aldeias e áreas agrícolas da região montanhosa. O intuito era dividir
SEMINÁRIO TEOLÓGICO MINISTERIAL BATISTA LITORÂNEO

os ricos potenciais agrícolas (pastoreio e o cultivo de terras) para dar


lugar ao cultivo de produtos rentáveis. As propriedades menores de
agricultores e camponeses, ficaram sobrecarregados de dívidas. Estas
pequenas e pobres propriedades, foram aos poucos sendo incorpora-
das a grandes propriedades. Isso fez com que a base da cultura aldeã,
fosse ficando cada vez mais pobre. Sobre essa nova política as expor-
tações dos finos produtos iam crescendo e o pobres ficaram cada vez
mais dependentes (vassalos) dos ricos.

2. Explique as expressões dos versos 1,2,3,4,5,6,7,12.


Verso 1. Amós inicia sua fala fazendo uso de uma expressão: “Ouve a
palavra que o Senhor fala”. Está em vista aqui uma mensagem que tem
autoridade e uma demanda.
Verso 2. O termo família no hebraico na sua forma verbal é “conhecer”.
Como na cultura dos acadianos, um deus que conhece uma família, ga-
rante o cuidado do clã ao seu adorador. Deus requere o que é dEle.
Verso 3 - 7. Uma série de perguntas retóricas que tem a finalidade de
trazer um ensinamento baseando-se em metáforas.
Ex: O leão: Durante a caçada, o leão ruge para paralisar de medo sua
presa e assim poder atacar. Após uma caçada, uma leão pode arrastar uma
parte da sua caça até a sua toca para comer mais tarde. Neste momento,
de posse de sua caça, o leão pode rugir como sinal de prazer, ou para
intimidar outros predadores como alerta. A voz de Deus é para estes como
o rugido do Leão que será ouvida.
Verso 12.
Uma ironia do profeta dizendo que Deus livrará os filhos de Israel (a fa-
mília do verso 1), das opressões dos nobres v.9.
Os códigos legais da antiga Mesopotâmia, continham cláusulas cujo ob-
jetivo era ajudar os pastores que tivessem perdido um animal para um
SEMINÁRIO TEOLÓGICO MINISTERIAL BATISTA LITORÂNEO

leão ou outro predador. Ex: o código de Leis Suméria, de Hamurabi, e os


códigos Hititas. O pastor dava seu testemunho e fazia um juramento di-
ante dos deuses. Se houvesse alguma evidencia física, como “um pedaço
de orelha”, então essa prova era apresentada. Já a imagem irônica do sofá
(6.4) onde o profeta condena os ricos por desfrutarem do luxo de camas
de marfim e sofá.
3. Divida o texto em parágrafos de pensamento. Explique cada pará-
grafo.

O texto deste capítulo pode ser dividido em 4 parágrafos:

1- Uma introdução do profeta que chama a atenção para os avisos da parte


de Deus contra as maldades de Israel. Ou seja, as demandas em questão nos
versos seguintes.

2- Uma série de perguntas retóricas, com o objetivo de trazer um ensina-


mento usando figuras de linguagem.

3- Este parágrafo, está mais claro as demandas do verso 1 e 2. “Israel não


sabe fazer o que é reto”.

4- Aqui se apresenta os julgamentos parciais de Deus sobre esta condição.

Bibliografia:

1- WALTON: Mattheus Chavalas. Comentário Histórico Cultural da Bíblia. Ed.


Vida Nova.
2- BÍBLIA SHADD: Versão ARA. Edições Vida Nova.