Sie sind auf Seite 1von 17

Contribuição da empresa (Lei 8.212/91, art.

22)
I – Empresas em geral
Alíquota
Base de cálculo Seguridade
RAT
social
Total das remunerações pagas, devidas
(1%, 2% ou
ou creditadas aos segurados empregados 20%
3%) X FAP
e trabalhadores avulsos.
Total das remunerações pagas ou
creditadas aos segurados contribuintes 20% -
individuais.
Contribuição da empresa (Lei 8.212/91, art. 22, § 1º)
II – Instituições Financeiras
Alíquota
Base de cálculo Seguridade
RAT
social
Total das remunerações pagas, devidas
(1%, 2% ou
ou creditadas aos segurados 22,5%
3%) X FAP
empregados e trabalhadores avulsos.
Total das remunerações pagas ou
creditadas aos segurados contribuintes 22,5% -
individuais.
Contribuição da empresa (Lei 8.212/91, art. 22)
III – Empregador Rural Pessoa Física
Alíquota
Base de cálculo Seguridade
RAT
social
Receita bruta proveniente da
2% 0,1%
comercialização da sua produção.
Total das remunerações pagas ou
creditadas aos segurados contribuintes 20% -
individuais.
Contribuição da empresa (Lei 8.212/91, art. 22-A)
IV – Produtor rural pessoa jurídica e Agroindústria
Alíquota
Base de cálculo Seguridade
RAT
social
Receita bruta proveniente da
2,5% 0,1%
comercialização da sua produção.
Total das remunerações pagas ou
creditadas aos segurados contribuintes 20% -
individuais.
Contribuição da empresa (Lei 8.212/91, art. 22, § 6º)
V – Associação desportiva que mantém equipe de futebol profissional
Alíquota
Base de cálculo Seguridade
RAT
social
Receita bruta, decorrente dos espetáculos
desportivos de que participem em todo território
nacional em qualquer modalidade desportiva,
inclusive jogos internacionais, e de qualquer forma 5%
de patrocínio, licenciamento de uso de marcas e
símbolos, publicidade, propaganda e de
transmissão de espetáculos desportivos.
Total das remunerações pagas ou creditadas aos
20% -
segurados contribuintes individuais.
Desoneração da Folha (Lei 12.546/2011, art. 7º e 7º-A)
Poderão contribuir sobre o valor da receita bruta, excluídos as vendas canceladas e os
descontos incondicionais concedidos, em substituição às contribuições dos incisos I e III do art.
22 da Lei 8.212/91
EMPRESAS ALÍQUOTA

De TI e TIC; concepção, desenvolvimento ou projeto de circuitos integrados; do setor


hoteleiro enquadradas na subclasse 5510-8/01 do CNAE; do setor de construção
civil, enquadradas nos grupos 412, 432, 433 e 439 do CNAE; de construção de obras 4,5%
de infraestrutura, enquadradas nos grupos 421, 422, 429 e 431 da CNAE.

De call center. 3%
De transporte rodoviário coletivo de passageiros, com itinerário fixo, municipal,
intermunicipal em região metropolitana, intermunicipal, interestadual e internacional
enquadradas nas classes 4921-3 e 4922-1 do CNAE; de transporte ferroviário de
passageiros, enquadradas nas subclasses 4912-4/01 e 4912-4/02 do CNAE; de 2%
transporte metroferroviário de passageiros, enquadradas na subclasse 4912-4/03 do
CNAE.
Desoneração da Folha (Lei 12.546/2011, arts. 8º e 8º-A)
Poderão contribuir sobre o valor da receita bruta, excluídos as vendas canceladas e os
descontos incondicionais concedidos, em substituição às contribuições dos incisos I e III do art.
22 da Lei 8.212/91
EMPRESAS ALÍQUOTA
a) de manutenção e reparação de aeronaves, motores, componentes e equipamentos
correlatos;
b) de navegação de apoio marítimo e de apoio portuário.
c) de manutenção e reparação de embarcações;
d) de varejo que exercem as atividades listadas no Anexo II da Lei 12.546/2011; 2,5%
e) que fabricam os produtos classificados na TIPI, nos códigos referidos no Anexo I
da Lei 12.546/2011 (ressalvados os códigos enquadrados nas alíquotas de 1,5% e
1%).
Que fabricam os produtos classificados na TIPI nos códigos 02.03, 0206.30.00,
0206.4, 02.07, 02.09, 02.10.1, 0210.99.00, 03.03, 03.04, 0504.00, 05.05, 1601.00.00, 1%
16.02, 1901.20.00 Ex 01, 1905.90.90 Ex 01 e 03.02, exceto 0302.90.00.
Desoneração da Folha (Lei 12.546/2011, arts. 8º e 8º-A)
Poderão contribuir sobre o valor da receita bruta, excluídos as vendas canceladas e os
descontos incondicionais concedidos, em substituição às contribuições dos incisos I e III do art.
22 da Lei 8.212/91
EMPRESAS ALÍQUOTA
De transporte aéreo de carga; de transporte aéreo de passageiros regular; de transporte
marítimo de carga na navegação de cabotagem; de transporte marítimo de passageiros na
navegação de cabotagem; de transporte marítimo de carga na navegação de longo curso; de
transporte marítimo de passageiros na navegação de longo curso; de transporte por
navegação interior de carga; de transporte por navegação interior de passageiros em linhas
regulares; que realizam operações de carga, descarga e armazenagem de contêineres em
portos organizados, enquadradas nas classes 5212-5 e 5231-1 da CNAE 2.0; de transporte 1,5%
rodoviário de cargas, enquadradas na classe 4930-2 da CNAE 2.0; de transporte ferroviário
de cargas, enquadradas na classe 4911-6 da CNAE 2.0; e jornalísticas e de radiodifusão
sonora e de sons e imagens de que trata a Lei no 10.610, de 20 de dezembro de 2002,
enquadradas nas classes 1811-3, 5811-5, 5812-3, 5813-1, 5822-1, 5823-9, 6010-1, 6021-7 e
6319-4 da CNAE; que fabricam os produtos classificados na TIPI nos códigos 6309.00, 64.01
a 64.06 e 87.02, exceto 8702.90.10.
Contribuição da empresa
(LC 123/06, art. 18-C, § 1º, III)
VIII – Contribuição patronal do Microempreendedor individual – MEI
Alíquota
Base de cálculo Seguridade
RAT
social
Salário-de-contribuição do empregado que lhe presta
3% -
serviço.
Contribuição do empregador doméstico
Lei 8.212/91
Art. 24. A contribuição do empregador doméstico incidente
sobre o salário de contribuição do empregado doméstico a
seu serviço é de:
I - 8% (oito por cento); e
II - 0,8% (oito décimos por cento) para o financiamento do
seguro contra acidentes de trabalho.

Alíquota
Base de cálculo Seguridade
SAT
social
Salário de contribuição do empregado
8% 0,8%
doméstico a seu serviço.
CONTRIBUIÇÃO DO EMPREGADOR DOMÉSTICO
LC 150, art. 34. O Simples Doméstico assegurará o recolhimento
mensal, mediante documento único de arrecadação, dos seguintes
valores:
I - 8% a 11% de contribuição previdenciária, a cargo do empregado
doméstico, nos termos do art. 20 da Lei 8.212/91;
II - 8% de contribuição patronal previdenciária para a seguridade social, a
cargo do empregador doméstico;
III - 0,8% de contribuição social para financiamento do seguro contra
acidentes do trabalho;
IV - 8% de recolhimento para o FGTS;
V - 3,2%, destinada ao pagamento da indenização compensatória da
perda do emprego; e
VI - IR retido na fonte, se incidente.
OUTRAS CONTRIBUIÇÕES PARA A
SEGURIDADE SOCIAL
• COFINS
• PIS/PASEP
• CSLL
• Incidente s/ concursos de prognósticos
• COFINS – Importação
• PIS/PASEP - Importação
PIS/PASEP
O PIS/PASEP será calculada mediante a aplicação das
seguintes alíquotas:
I. no caso das pessoas jurídicas de direito privado e as que
lhes são equiparadas pela legislação do imposto de renda,
inclusive as empresas públicas e as sociedades de economia
mista e suas subsidiárias:
(a) 0,65% sobre o faturamento mensal, para as que estão
sujeitas ao regime de incidência cumulativa (Lei 9.715/98,
art. 8º, I); e
(b) 1,65% sobre o total das receitas auferidas no mês pela
pessoa jurídica, para as que estão sujeitas ao regime de
incidência não cumulativa (Lei 10.637/2002, art. 2º).
PIS/PASEP
II. 1% sobre a folha de salários, no caso das
entidades sem fins lucrativos (Lei 9.715/98, art.
8º, II);
III. 1% sobre o valor das receitas correntes
arrecadadas e das transferências correntes e de
capital recebidas, no caso pessoas jurídicas de
direito público interno (Lei 9.715/98, art. 8º,
III).
PIS/PASEP
As pessoas jurídicas de direito privado, e as que lhe
são equiparadas pela legislação do imposto de renda,
que apuram o IRPJ:
(a) com base no lucro presumido ou arbitrado estão
sujeitas à incidência cumulativa.
(b) com base no lucro real estão sujeitas à incidência
não cumulativa, exceto: instituições financeiras,
cooperativas, pessoas jurídicas que tenham por objeto
a securitização de créditos imobiliários, operadoras de
planos de saúde.
PIS/PASEP
O regime de incidência não cumulativa permite o desconto de créditos
calculados mediante a aplicação da mesma alíquota (1,65%) sobre
custos, despesas e encargos da pessoa jurídica, como, por exemplo:
● bens adquiridos para revenda;
● bens e serviços, utilizados como insumo na prestação de serviços e
na produção ou fabricação de bens ou produtos destinados à venda;
● aluguéis de prédios, máquinas e equipamentos, pagos a pessoa
jurídica, utilizados nas atividades da empresa;
● energia elétrica e energia térmica, inclusive sob a forma de vapor,
consumidas nos estabelecimentos da pessoa jurídica;
● benfeitorias em imóveis de terceiros, quando o custo tenha sido
suportado pela locatária;
PIS/PASEP
II. 1% sobre a folha de salários, no caso das entidades sem fins
lucrativos
Exemplos:
Templos de qualquer culto; partidos políticos; instituições de educação
e de assistência social que preencham as condições e requisitos do
art. 12 da Lei 9.532/97; instituições de caráter filantrópico, recreativo,
cultural, científico e as associações, que preencham as condições e
requisitos do art. 15 da Lei 9.532/97; sindicatos, federações e
confederações; serviços sociais autônomos, criados ou autorizados
por lei; conselhos de fiscalização de profissões regulamentadas;
fundações de direito privado; condomínios de proprietários de imóveis
residenciais ou comerciais;