Sie sind auf Seite 1von 44

Concurseiros Unidos Maior RATEIO da Internet

Aula 02

Regimento Interno p/ TRF 2ª Região


Professor: Paulo Guimarães

WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

AULA 02: Do Presidente, do Vice-Presidente e do


Corregedor. Das Atribuições dos Presidentes de
Seção Especializada e de Turma.

Observação importante: este curso é protegido por direitos


autorais (copyright), nos termos da Lei 9.610/98, que altera,
atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais e dá
outras providências.

Grupos de rateio e pirataria são clandestinos, violam a lei e


prejudicam os professores que elaboram o cursos. Valorize o
trabalho de nossa equipe adquirindo os cursos honestamente
através do site Estratégia Concursos ;-)

SUMÁRIO PÁGINA
1. Do Presidente, do Vice-Presidente e do Corregedor 2
2. Das Atribuições dos Presidentes de Seção
16
Especializada e de Turma
3. Resumo do Concurseiro 18
4. Questões comentadas 28
5. Lista das questões apresentadas 38

Olá, amigo concurseiro!

Hoje estudaremos a respeito dos cargos de direção do


Tribunal. É questão certa na sua prova! Quase todas as provas de
regimento interno de tribunais cobram conhecimento a respeito dos
cargos de direção e suas respectivas atribuições!

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 1 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

1. DO PRESIDENTE, DO VICE-PRESIDENTE E DO CORREGEDOR

1.1. Disposições Gerais

Art. 19. O Presidente, o Vice-Presidente e o Corregedor têm


mandato de 2 (dois) anos, a contar da posse, vedada a reeleição.

O Presidente, o Vice-Presidente e o Corregedor são


Desembargadores que ocupam o que nós chamamos de cargos de direção
do Tribunal. O mandato para esses cargos é de 2 anos, sendo proibida a
reeleição subsequente para o mesmo cargo.
É possível, porém, que um mesmo Desembargador ocupe em
sequência dois cargos de direção, desde que sejam cargos diferentes. É
possível, por exemplo, que o Corregedor no próximo biênio seja eleito
Vice-Presidente, ou que o Vice-Presidente se torne Presidente.
Por outro lado, é muito importante saber que, uma vez que
um Desembargador tenha ocupado o cargo de Presidente, ele não poderá
mais se candidatar para ocupar nenhum outro cargo, a não ser que se
esgotem todos os nomes elegíveis (o que é muito difícil de acontecer na
prática).
Podemos dizer, portanto, que um Desembargador que tenha
ocupado o cargo de Vice-Presidente ou de Corregedor poderá, no próximo
biênio, ser eleito Presidente, mas o contrário não pode acontecer.
A eleição é feita pela votação dos Desembargadores que
compõem o Plenário, por meio de votação secreta, na primeira sessão
ordinária do ano em que encerrar o biênio. Caso se considere conveniente
ao bom andamento das atividades, a eleição poderá ser antecipada para a
última sessão plenária do mês de dezembro do ano anterior ao que findar
o biênio. A posse dos eleitos ocorrerá na primeira sessão do Plenário do
mês de abril.
A eleição será feita na presença de pelo menos dois terços dos
Desembargadores, incluindo o Presidente. Se não houver quórum, os

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 2 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

ausentes serão convocados para uma sessão extraordinária em data


próxima. Se o Desembargador estiver licenciado ou de férias, não ficará
impedido de participar da eleição.
Será considerado eleito o Desembargador que obtiver a
maioria absoluta dos votos. Se não for possível alcançar esse quórum no
primeiro escrutínio, haverá uma espécie de segundo turno entre os dois
mais votados. Se nenhum dos dois conseguir a maioria absoluta, será
considerado eleito aquele que tiver mais votos. Em caso de empate, será
considerado eleito o mais antigo.

ELEIÇÃO PARA OS CARGOS DE DIREÇÃO


MANDATO 2 anos.

ORDEM DA A eleição do Presidente será a primeira, e em seguida


ELEIÇÃO ocorrerão a do Vice-Presidente e a do Corregedor.

Primeira sessão ordinária do ano em que findar


o biênio. Caso seja conveniente ao bom andamento
DATA DA das atividades administrativas do Tribunal, a eleição
ELEIÇÃO poderá ser antecipada para a última sessão
plenária de dezembro do ano anterior ao que
findar o biênio.

Maioria absoluta do Tribunal Pleno. Se nenhum


QUÓRUM DE candidato atingir a maioria, será feita nova votação
ELEIÇÃO entre os dois mais votados. Se houver empate, será
considerado eleito o Desembargador mais antigo.

POSSE DOS A posse dos eleitos ocorrerá na primeira sessão do


ELEITOS Plenário do mês de abril.

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 3 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

Art. 20. Se ocorrer vacância da Presidência, durante o primeiro


semestre do mandato, assumirá o exercício do cargo, pelo tempo
restante, o Vice-Presidente do Tribunal, que se tornará inelegível para
o período seguinte. Dando-se a vacância a partir do segundo semestre
do mandato, se o Vice-Presidente manifestar sua disposição de não
assumir o cargo de Presidente pelo período restante, proceder-se-á a
nova eleição.
Art. 21. Se ocorrer vaga dos cargos de Vice-Presidente e de
Corregedor, far-se-á nova eleição, na primeira sessão ordinária do
Plenário. O eleito completará o período de seu antecessor.

Caso haja vacância do cargo de Presidente ainda no


primeiro semestre do mandato, o Vice-Presidente assumirá a
presidência do Tribunal, e neste caso continuará sendo aplicável o
impedimento para que posteriormente ele concorra a outro cargo de
direção.
Já se a vacância ocorrer a partir do segundo semestre, o
Vice-Presidente poderá assumir a presidência, mas poderá optar por
não fazer isso, caso em que serão convocadas novas eleições.
Se a vacância for nos cargos de Vice-Presidente ou de
Corregedor, sempre haverá nova eleição na primeira sessão ordinária do
Plenário.
Apenas quero deixar uma coisa clara aqui! Essa substituição
se dá no caso de vacância dos cargos, ok? Há uma outra subst ituição, que
chamarei de substituição eventual, que ocorre quando os ocupantes dos
cargos de direção tiram férias, licenças ou se afastam por outras razões.
Aí as regras são outras, que estudaremos no momento oportuno.

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 4 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

1.2. Das Atribuições do Presidente

O Regimento Interno traz longas listas de atribuições não só


do Presidente, mas também do Vice-Presidente e do Corregedor. Depois
de tentar explicar esses temas de várias formas diferentes, cheguei à
conclusão de que a apresentação dessas atribuições deve ser feita de
maneira mais didática por meio de uma tabela.
Na coluna da esquerda temos as diversas atribuições, tal
como constam no Regimento Interno, e na coluna da direita coloquei
comentários, de forma a facilitar seu entendimento, ok?
Lembre-se sempre de que a banca vai cobrar a literalidade do
Regimento. É assim que provas de Regimento Interno são elaboradas.
Você deve se concentrar em entender essas atribuições e, especialmente,
não confundir as atribuições de um cargo com as de outro.
Em alguns casos não conseguiremos escapar da necessidade
de memorização. Nisso as tabelas também ajudam, pois você pode
revisá-las com mais facilidade em comparação a informações dispersas no
texto, por exemplo.
Minha recomendação é que você leia essas tabelas e os
comentários agora duas ou três vezes, e depois resolva nossas questões.
Tente fazer isso algumas vezes até a prova. Talvez uma vez a cada duas
semanas seja interessante... depois leia novamente na semana da prova,
e, se possível, mais uma ou duas vezes na véspera ou mesmo no dia da
prova.
Vamos lá!?

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 5 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

ATRIBUIÇÕES DO PRESIDENTE
O Presidente é responsável por
representar o Tribunal, ou seja, quando o
I - representar o Tribunal;
órgão precisar fazer-se presente em
eventos, solenidades ou outas ocasiões.

II - velar pelas prerrogativas do


Tribunal, cumprindo e fazendo cumprir o
seu Regimento Interno;

Sessões ordinárias são as normais,


III - dirigir os trabalhos do Plenário, do regulares, enquanto as extraordinárias
Órgão Especial e do Conselho de são aquelas convocadas para apreciar
Administração, presidindo suas sessões; questões urgentes. Perceba que o
Presidente apenas exerce essas atribuições
em relação ao Plenário, ao Órgão
IV - convocar as sessões do Plenário, Especial e ao Conselho de
do Órgão Especial e do Conselho de Administração. As Seções e Turmas ,
Administração; como você já sabe, têm seus próprios
presidentes.
Essa atribuição já foi cobrada em diversas
V - manter a ordem nas sessões do
provas anteriores, ok? A manutenção da
Plenário, do Órgão Especial e do Conselho
ordem nas sessões cabe ao Presidente, e
de Administração;
não ao Corregedor ou outra pessoa.

VI - submeter questões de ordem ao Dependendo do tema que precise ser


Plenário, ao Órgão Especial e ao Conselho decidido, o Presidente deve, em vez de
de Administração; decidir, remeter o feito ao Tribunal.

VII - executar e fazer executar as


ordens do Plenário, do Órgão Especial e Neste caso a atribuição do Presidente
do Conselho de Administração, ressalvadas alcança também as decisões proferidas
as atribuições das Seções Especializadas, pelas Turmas e pelas Seções, bem como
das Turmas Especializadas e dos pelos próprios Relatores dos processos.
Relatores;
VIII – proferir voto, nos julgamentos do De acordo com o art. 155, o Presidente
Plenário e do Órgão Especial, observado o proferirá voto nas seguintes situações:
disposto no artigo 155; a) em matéria constitucional;
b) em sede administrativa; e
c) quando ocorrer empate.

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 6 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

O agravo é um recurso que serve para


levar a decisão proferida por um único
IX - relatar o agravo interposto de suas Desembargador para julgamento do órgão
decisões, proferindo voto; colegiado. Quando o agravo for contra
decisão do Presidente, ele mesmo será o
relator, e proferirá voto normalmente.

A carta rogatória é o instrumento por


meio do qual o Tribunal solicita que um ato
X - assinar as cartas rogatórias;
seja praticado por um órgão do Poder
Judiciário de outro país.

A distribuição é o procedimento por meio


do qual os processos são sorteados para
escolha do Desembargador que atuará na
condição de relator ou de revisor.
XI - supervisionar a distribuição dos Também é por meio da distribuição que o
feitos aos membros do Tribunal; julgamento do processo é atribuído a uma
Turma ou a uma Seção específica.
Lembre-se de que a distribuição deve ser
supervisionada pelo Presidente, ok? Isso
já apareceu em provas anteriores!
XII - designar dia para julgamento dos
O Presidente é o responsável pela
processos de competência do Plenário, do
aprovação da pauta de julgamento dos
Órgão Especial e do Conselho de
órgãos que preside.
Administração;

XIII - proferir os despachos de Despachos de expediente são ordens


expediente; executivas, sem caráter decisório.

Antes da distribuição, os processos que


XXIV - resolver as dúvidas que se chegam ao Tribunal devem ser
suscitarem na classificação dos feitos e classificados de acordo com uma
expedientes registrados na Secretaria do metodologia determina pelo Conselho
Tribunal, baixando as portarias Nacional de Justiça. Se houver dúvidas em
necessárias; relação a essa classificação, caberá ao
Presidente resolvê-las.
Este é o caso de convocação de Juiz para
XV - expedir os atos de convocação de
substituir Desembargador ou para auxiliar
Juízes Federais para atuarem no
o Tribunal. Mais adiante estudaremos as
Tribunal, nas hipóteses pertinentes;
situações em que isso deve ocorrer.

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 7 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

O Diretor do Foro e o Vice-Diretor são


figuras responsáveis pela gestão da Seção
Judiciária. Para ficar mais fácil de você
entender, deixe-me dar um exemplo.
XVI – escolher os Juízes Federais que
Imagine um prédio da Justiça Federal em
deverão exercer os encargos de Diretor
que há várias Varas Federais, e, portanto,
do Foro e o respectivo Vice-Diretor, das
vários Juízes exercendo suas funções.
Seções Judiciárias que compõem a região,
Cada Juiz é independente, e você já sabe
cujos mandatos serão de 2 (dois) anos e
disso, mas é necessário que haja alguém
coincidirão com o da Administração do
responsável por cuidar, por exemplo, da
Tribunal, bem como deliberar sobre o
manutenção do prédio, da limpeza e de
afastamento do exercício da jurisdição,
outros serviços lá prestados. Esse alguém
caso necessário, no período de
é o Diretor do Foro, que será um Juiz
cumprimento do respectivo mandato;
Federal designado pelo Presidente do
Tribunal para cumprir mandato de 2 anos
coincidente com o dos ocupantes dos
cargos de direção.

XVII - decidir sobre: As reclamações por erro de ata servem


a) as reclamações por erro da ata do para que imprecisões nos registros dos
Plenário, do Órgão Especial e do Conselho julgados sejam corrigidas.
de Administração e da publicação de Os pedidos de suspensão da execução
acórdãos; de medida liminar servem para que o
b) os pedidos de suspensão da Presidente reavalie a real necessidade da
execução de medida liminar em concessão de medidas emergenciais.
processos de mandado de segurança e de O pedido de liminar em mandado de
ação civil pública, ou das sentenças segurança somente é julgado pelo
proferidas nos primeiros, além das demais Presidente quando o Tribunal estiver em
hipóteses previstas em lei; recesso. Nesses casos, como estamos
c) os pedidos de liminar em mandado falando de uma medida de urgência, não
de segurança, durante o recesso do dá para esperar até o Tribunal voltar para
Tribunal, podendo, ainda, determinar decidir, não é mesmo?
liberdade provisória ou sustação de ordem O livramento condicional é um benefício
de prisão e demais medidas que reclamem concedido ao preso que já cumpriu boa
urgência; parte de sua pena e poderá ser posto em
d) os pedidos de livramento liberdade, desde que cumpra
condicional, bem assim os incidentes de determinadas condições.
indulto, anistia e graça; A expedição de ordens de pagamento
e) a expedição de ordens de devido pela Fazenda Pública nada mais é

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 8 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

pagamento devido pela Fazenda Pública do que o regime dos famosos precatórios,
Federal, nos termos do art. 100 e por meio dos quais são pagas as
parágrafos da Constituição Federal, condenações do Estado.
despachando os precatórios e ordenando,
se for o caso, o sequestro de quantias;
XVIII – aprovar a escala de férias dos
Desembargadores Federais, bem como dos
Juízes Federais Convocados, sendo que no
caso destes últimos, depois de o período
pretendido receber a anuência do
Presidente da Turma integrada pelo
magistrado;

XIX - baixar resoluções e ordens de


serviço referentes a deliberações do
Plenário, do Órgão Especial e do
Conselho de Administração;
A menção ao inciso anterior aqui parece
XX - nomear curador especial a
ter ficado errada, provavelmente após
paciente nas hipóteses do inciso anterior,
alterações no texto do Regimento.
em se tratando de incapacidade mental,
Provavelmente o Regimento aqui está
bem assim praticar os demais atos
tratando das hipóteses de invalidez dos
previstos neste Regimento;
magistrados.
XXI - baixar resoluções e ordens de
serviço referentes a deliberações do Aqui foi repetido o conteúdo do inciso
Plenário, do Órgão Especial e do Conselho XIX...
de Administração;

XXII - expedir atos indispensáveis à


disciplina dos serviços e à segurança
institucional do Tribunal;
O orçamento público é aprovado a cada
XXIII - adotar as providências ano por meio de uma lei. Cabe então ao
necessárias à elaboração da proposta Presidente determinar a elaboração da
orçamentária do Tribunal e da Justiça proposta do Tribunal e da Justiça Federal
Federal de Primeira Instância e (1º e 2º graus) para o ano seguinte. Essa
encaminhar pedidos de abertura de proposta posteriormente será consolidada
créditos; pelo Poder Executivo e aprovada pelo
Poder Legislativo.

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 9 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

XXIV - resolver as dúvidas que se


suscitarem na classificação dos feitos e
expedientes registrados na Secretaria do
Tribunal, baixando as portarias
necessárias;
XXV - assinar os atos de provimento,
Esses são atos de provimento e vacância
remoção, aposentadoria, disponibilidade e
dos cargos de Juiz Federal e Juiz Federal
exoneração, a pedido e de ofício, de Juiz
substituto.
Federal e de Juiz Federal Substituto;

XXVI - assinar os atos de provimento e


vacância dos cargos e empregos da
Secretaria Geral e dos serviços auxiliares
do Tribunal, dando posse aos servidores,
Agora também estamos falando de
bem assim das secretarias e dos serviços
provimento de vacância, além de outros
auxiliares dos Juízos que lhe são
atos próprios da vida funcional, mas dos
vinculados;
servidores do Tribunal, e não mais dos
XXVII - assinar os atos de licença e
magistrados.
demais atos relativos à vida funcional
dos servidores da Secretaria Geral,
secretarias e serviços auxiliares referidos
no inciso anterior;

O Presidente pode impor penas


disciplinares aos servidores da Secretaria
XXVIII - impor penas disciplinares aos Geral e dos serviços auxiliares do Tribunal,
servidores da Secretaria Geral do Tribunal mas há também atribuições a esse
e serviços auxiliares, sem prejuízo das respeito que são conferidas pelo
atribuições dos Presidentes de Seções Regimento aos Presidentes dos órgãos
Especializadas, Turmas e dos fracionários e aos Desembargadores
Desembargadores Federais, estes quanto (quando se tratar de servidor vinculado ao
aos respectivos Gabinetes; seu gabinete).
Perceba que não estamos falando da
aplicação de penas aos magistrados, ok!?

XXIX - delegar, nos termos da lei,


competência ao Diretor Geral para a
prática de atos administrativos de gestão
referentes aos servidores da Secretaria
Geral;

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 10 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

XXX - velar pela regularidade e


exatidão das publicações das
estatísticas sobre os trabalhos do
Tribunal;

XXXI – autorizar a inclusão de


dependente no Plano de Saúde;

XXXII - apresentar ao Tribunal o


Relatório de Atividades e Mapa dos
Julgados, na primeira sessão ordinária do
mês de março. Colocando-os na Rede
Corporativa (Intranet) do Tribunal.
XXXIII - promover e organizar concurso
Estamos falando daqui do concurso público
público para provimento dos cargos de
para os servidores, e não para
secretaria do Tribunal e das Seções
magistrados, certo?
Judiciárias;
XXXIV – conceder aos Desembargadores
Federais afastamento para frequência a
cursos ou seminários de
aperfeiçoamento e estudos jurídicos,
cujo período seja inferior a 30 (trinta)
dias.

1.3. Das Atribuições do Vice-Presidente

Art. 23. Ao Vice-Presidente incumbe substituir o Presidente, nas


férias, licenças, ausências e impedimentos.

Esta obviamente é a mais importante atribuição do Vice-


Presidente do Tribunal. Além disso, ele integra o plenário e o Órgão
Especial, assumindo nesses órgãos as funções de Relator, Revisor e
Vogal.
Vamos estudar melhor essas funções no momento oportuno
do nosso curso, mas por enquanto é interessante que você saiba que o
Relator é o Desembargador que analisa o processo de forma mais acurada
e elabora um relatório que é apresentado ao Tribunal. O Revisor, que

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 11 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

existe apenas em alguns casos, é responsável por oferecer um “segundo


olhar” ao trabalho do Relator, e o Vogal é o Desembargador que não faz
uma coisa nem outra, apenas oferecendo seu voto.

§ 2º. Ao Vice-Presidente incumbe ainda:


I – decidir sobre a admissibilidade de recurso extraordinário,
recurso especial, recurso ordinário de habeas corpus e recurso
ordinário em mandado de segurança, com respectivos agravos, e
resolver os incidentes suscitados;
II - auxiliar na supervisão e fiscalização de serviços da
Secretaria Geral do Tribunal, em encargos especificados,
III - dirigir seu Gabinete, fazendo ao Presidente a indicação dos
ocupantes dos respectivos cargos e funções;
IV - encaminhar ao Presidente, até 20 de janeiro, relatório
circunstanciado dos serviços que lhe são afetos;
V - decidir sobre os pedidos de extração de carta de sentença
criminal, nos processos sob sua jurisdição.

A decisão sobre a admissibilidade de recursos nada mais


é do que um juízo prévio que se deve fazer acerca do cumprimento dos
requisitos formais de um recurso. Assim, quando alguém pretende
recorrer de uma decisão do Tribunal, o Vice-Presidente será o responsável
por verificar, por exemplo, se os prazos foram respeitados e se o
interessado recolheu as custas devidas.
Chamo ainda sua atenção para a competência do Vice-
Presidente para auxiliar na supervisão e fiscalização de serviços da
Secretaria Geral, que nada mais é do que o órgão de apoio do Tribunal,
onde provavelmente muitos de vocês trabalharão em breve...! 

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 12 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

1.4. Das Atribuições do Corregedor

ATRIBUIÇÕES DO CORREGEDOR
Isso significa que, na ausência do
Presidente e do Vice-Presidente, o
Corregedor assumirá as funções da
I - substituir o Vice-Presidente para os
presidência. Isso é o que chamo de
fins do art. 23, caput, deste Regimento;
substituição eventual. Cuidado para não
confundir com as regras que já estudamos
sobre a vacância dos cargos.

A correição, no âmbito do Poder


Judiciário, é um procedimento
administrativo, por meio do qual o
Corregedor verifica o andamento dos
trabalhos nos órgãos julgadores e no
serviço judiciário.
Perceba que essas atribuições alcançam
apenas os Juízes Federais, e não os
Desembargadores, ok?
II - fiscalizar tudo que concerne ao O Corregedor poderá indicar até dois
aperfeiçoamento, à disciplina e à juízes para serem convocados auxiliar nas
estatística forense de Primeira Instância, atribuições administrativas da
adotando, desde logo, as medidas Corregedoria, por período coincidente ao
adequadas à eliminação de seu mandato.
irregularidades; O Corregedor pode também designar um
juiz para acompanha-lo ou delegar-lhe
competência para a realização de
inspeções, sindicâncias, correições ou
realização de inquéritos. Em regra esse
juiz acumula essas funções com o
exercício da jurisdição, a não ser que haja
autorização do Órgão Especial. De
qualquer forma não é permitida a perda
parcial da jurisdição.
III - proceder a correições ordinárias e A correição ordinária é aquela realizada
extraordinárias, estas para verificação periodicamente pela Corregedoria nos
de prática de erros, omissões ou abusos serviços judiciários do Primeiro Grau. Já a

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 13 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

na Primeira Instância; correição extraordinária é realizada


quando há algum indício de irregularidade.
A sindicância é um procedimento
investigativo, por meio do qual o
IV - promover sindicâncias relacionadas Corregedor pode verificar se existem
com faltas atribuídas a Juízes Federais; indícios suficientes para justificar a
abertura de um processo administrativo
disciplinar contra o Juiz.
V - expedir instruções normativas para A instrução normativa trata do
o funcionamento dos serviços de funcionamento da própria Corregedoria, e
Corregedoria; não dos serviços judiciários. Cuidado para
não confundir essas normas com os
provimentos, ok!?
VI - adotar, mediante provimentos, as Além da correição em si, o Corregedor
providências necessárias ao regular também é competente para expedir
funcionamento dos serviços forenses de normas destinadas à padronização dos
Primeira Instância e destinadas ao serviços do primeiro grau de jurisdição.
aperfeiçoamento dos mesmos; Isso é feito por meio dos provimentos.
VII - aprovar a escala de férias dos
Juízes Federais e dos Juízes Federais
Substitutos, cuja substituição recíproca
na mesma vara em que se encontrem em Considerando que os juízes têm direito a
exercício será automática em todos os 60 dias de férias por ano, imagine a
casos de afastamentos legais, sem dificuldade que é organizar essa escala de
prejuízo da designação de substitutos maneira que sempre haja um substituto à
quando não seja possível a substituição disposição...!
automática, observados os critérios de
designação definidos por ato normativo
próprio;

VIII – autorizar o afastamento de Juiz


Federal e Juiz Federal Substituto, sem
ônus para o Tribunal ou com ônus
limitado;
IX - autorizar os Juízes Federais e Juízes Lembre-se de que no caso dos
Federais Substitutos a se ausentarem das Desembargadores o afastamento deve ser
sedes de suas Seções, nos dias de autorizado pelo Presidente, e no caso dos
expediente forense, desde que não Juízes, pelo Corregedor.

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 14 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

estejam no gozo de férias ou licença,


quando o período de afastamento for
inferior a 30 (trinta) dias;

X - organizar a lista de antiguidade dos A lista de antiguidade nada mais é do


Juízes Federais e Juízes Federais que uma espécie de ranking, que
Substitutos, com observância dos critérios determina a ordem de antiguidade dos
estabelecidos neste Regimento; Juízes.

Neste caso estamos falando dos servidores


XI - impor as penalidades de censura,
da Primeira Instância. Eles podem ser
advertência e suspensão, até 30 (trinta)
punidos por ato do Corregedor, mas não é
dias, aos servidores da Justiça Federal de
qualquer punição. Perceba que a
Primeira Instância, sem prejuízo da
demissão, por exemplo, não está no rol.
competência dos Juízes Federais e do
Esse tipo de regra é “prato cheio” para a
Diretor do Foro;
banca examinadora, hein!?

XII - indicar os servidores que o


assessorarão ou servirão de Secretário
nas inspeções, correições ordinárias e
extraordinárias, ou nas sindicâncias e
inquéritos que presidir;
XIII – dirigir seu Gabinete, fazendo ao
Presidente a indicação dos ocupantes dos
respectivos cargos e funções;

A correição geral é uma verificação sem


um objeto determinado. Já a correição
parcial funciona quase como um recurso,
XIV - conhecer de pedido de correição
pois a pessoa que se sente prejudicada
parcial.
pede providências em relação à má
condução do processo por parte do Juiz
Federal.

Assim como o Vice-Presidente, o Corregedor integra o


Plenário e o Órgão Especial, exercendo funções de Relator, Revisor e
Vogal. Além disso, ele exercerá a Presidência da Seção Especializada da
qual é proveniente.

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 15 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

O Regimento determina a obrigação de encaminhar ao Chefe


da Procuradoria Regional da República os documentos necessários à
apuração de responsabilidade criminal, sempre que o Corregedor verificar
a existência de crime ou contravenção praticado por servidor da Justiça
Federal. Nos demais casos, o fato deve ser comunicado ao Presidente do
Tribunal.

2. DAS ATRIBUIÇÕES DOS PRESIDENTES DE SEÇÃO


ESPECIALIZADA E DE TURMA

Art. 25. Compete aos Presidentes de Seção Especializada e de


Turma Especializada:
I - presidir as sessões da Seção Especializada ou da Turma
Especializada, participando também na condição de Relator, Revisor e, na
qualidade de Vogal, somente quando houver empate ou para completar o
quórum de julgamento;
II - manter a ordem nas sessões;
III - convocar as sessões extraordinárias;
IV - mandar incluir em pauta os processos e assinar as atas das
sessões;
V - assinar a correspondência do órgão fracionário.

O Presidente da Seção ou Turma obviamente preside as


sessões do órgão. Além disso, ele atua normalmente nas funções de
relator, revisor e vogal. Aqui é importante frisar que a regra é diferente
daquela aplicável ao Presidente do Tribunal, que em regra não atua
nessas funções (essa regra tem exceções!).
Além disso, o Presidente do órgão fracionário é responsável
pela manutenção da ordem, pela convocação de sessões extraordinárias,
e pela inclusão em pauta dos processos.

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 16 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

§ 1º. As atividades de secretaria das Seções Especializadas serão


desempenhadas pela Subsecretaria do Tribunal Pleno, Órgão
Especial e Seções Especializadas, cujo diretor será indicado e
nomeado pelo Presidente do Tribunal.

As atividades de secretaria de órgãos julgadores incluem a


organização da pauta e o apoio às reuniões, bem como os registros de
atas e providências relacionadas aos autos e à publicação de decisões.
Para ocupar-se dessas atividades temos a Subsecretaria do Tribunal
Pleno, Órgão Especial e Seções Especializadas , e as Subsecretarias das
Turmas Especializadas.
As regras com relação aos cargos de direção nas
subsecretarias são as seguintes:
a) Diretores das Subsecretarias de Turmas
Especializadas e da Subsecretaria do Tribunal Pleno,
Órgão Especial e das Seções Especializadas 
indicados e nomeados pelo próprio Presidente do Tribunal;
b) Supervisor da Seção de Apoio a Julgamento (cada
Subsecretaria de Turma Especializada tem uma) 
indicado pelo Desembargador que presidir a Turma, e
nomeado pelo Presidente do Tribunal;
c) Supervisor da Seção de Apoio da Subsecretaria do
Tribunal Pleno, Órgão Especial e das Seções
Especializadas  indicado e nomeado pelo Presidente do
Tribunal.

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 17 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

3. RESUMO DO CONCURSEIRO

ELEIÇÃO PARA OS CARGOS DE DIREÇÃO

MANDATO 2 anos.

ORDEM DA A eleição do Presidente será a primeira, e em seguida


ELEIÇÃO ocorrerão a do Vice-Presidente e a do Corregedor.

Primeira sessão ordinária do ano em que findar


o biênio. Caso seja conveniente ao bom andamento
DATA DA das atividades administrativas do Tribunal, a eleição
ELEIÇÃO poderá ser antecipada para a última sessão
plenária de dezembro do ano anterior ao que
findar o biênio.

Maioria absoluta do Tribunal Pleno. Se nenhum


QUÓRUM DE candidato atingir a maioria, será feita nova votação
ELEIÇÃO entre os dois mais votados. Se houver empate, será
considerado eleito o Desembargador mais antigo.

POSSE DOS A posse dos eleitos ocorrerá na primeira sessão do


ELEITOS Plenário do mês de abril.

ATRIBUIÇÕES DO PRESIDENTE
O Presidente é responsável por
representar o Tribunal, ou seja, quando o
I - representar o Tribunal;
órgão precisar fazer-se presente em
eventos, solenidades ou outas ocasiões.

II - velar pelas prerrogativas do


Tribunal, cumprindo e fazendo cumprir o
seu Regimento Interno;

Sessões ordinárias são as normais,


III - dirigir os trabalhos do Plenário, do regulares, enquanto as extraordinárias
Órgão Especial e do Conselho de são aquelas convocadas para apreciar
Administração, presidindo suas sessões; questões urgentes. Perceba que o
Presidente apenas exerce essas atribuições
IV - convocar as sessões do Plenário, em relação ao Plenário, ao Órgão

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 18 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

do Órgão Especial e do Conselho de Especial e ao Conselho de


Administração; Administração. As Seções e Turmas ,
como você já sabe, têm seus próprios
presidentes.

Essa atribuição já foi cobrada em diversas


V - manter a ordem nas sessões do
provas anteriores, ok? A manutenção da
Plenário, do Órgão Especial e do Conselho
ordem nas sessões cabe ao Presidente, e
de Administração;
não ao Corregedor ou outra pessoa.
VI - submeter questões de ordem ao Dependendo do tema que precise ser
Plenário, ao Órgão Especial e ao Conselho decidido, o Presidente deve, em vez de
de Administração; decidir, remeter o feito ao Tribunal.

VII - executar e fazer executar as


ordens do Plenário, do Órgão Especial e Neste caso a atribuição do Presidente
do Conselho de Administração, ressalvadas alcança também as decisões proferidas
as atribuições das Seções Especializadas, pelas Turmas e pelas Seções, bem como
das Turmas Especializadas e dos pelos próprios Relatores dos processos.
Relatores;

VIII – proferir voto, nos julgamentos do De acordo com o art. 155, o Presidente
Plenário e do Órgão Especial, observado o proferirá voto nas seguintes situações:
disposto no artigo 155; a) em matéria constitucional;
b) em sede administrativa; e
c) quando ocorrer empate.

O agravo é um recurso que serve para


levar a decisão proferida por um único
IX - relatar o agravo interposto de suas Desembargador para julgamento do órgão
decisões, proferindo voto; colegiado. Quando o agravo for contra
decisão do Presidente, ele mesmo será o
relator, e proferirá voto normalmente.

A carta rogatória é o instrumento por


meio do qual o Tribunal solicita que um ato
X - assinar as cartas rogatórias;
seja praticado por um órgão do Poder
Judiciário de outro país.
A distribuição é o procedimento por meio
do qual os processos são sorteados para
XI - supervisionar a distribuição dos
escolha do Desembargador que atuará na
feitos aos membros do Tribunal;
condição de relator ou de revisor.
Também é por meio da distribuição que o

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 19 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

julgamento do processo é atribuído a uma


Turma ou a uma Seção específica.
Lembre-se de que a distribuição deve ser
supervisionada pelo Presidente, ok? Isso
já apareceu em provas anteriores!
XII - designar dia para julgamento dos
O Presidente é o responsável pela
processos de competência do Plenário, do
aprovação da pauta de julgamento dos
Órgão Especial e do Conselho de
órgãos que preside.
Administração;

XIII - proferir os despachos de Despachos de expediente são ordens


expediente; executivas, sem caráter decisório.

Antes da distribuição, os processos que


XXIV - resolver as dúvidas que se chegam ao Tribunal devem ser
suscitarem na classificação dos feitos e classificados de acordo com uma
expedientes registrados na Secretaria do metodologia determina pelo Conselho
Tribunal, baixando as portarias Nacional de Justiça. Se houver dúvidas em
necessárias; relação a essa classificação, caberá ao
Presidente resolvê-las.
Este é o caso de convocação de Juiz para
XV - expedir os atos de convocação de
substituir Desembargador ou para auxiliar
Juízes Federais para atuarem no
o Tribunal. Mais adiante estudaremos as
Tribunal, nas hipóteses pertinentes;
situações em que isso deve ocorrer.

O Diretor do Foro e o Vice-Diretor são


figuras responsáveis pela gestão da Seção
Judiciária. Para ficar mais fácil de você
XVI – escolher os Juízes Federais que
entender, deixe-me dar um exemplo.
deverão exercer os encargos de Diretor
Imagine um prédio da Justiça Federal em
do Foro e o respectivo Vice-Diretor, das
que há várias Varas Federais, e, portanto,
Seções Judiciárias que compõem a região,
vários Juízes exercendo suas funções.
cujos mandatos serão de 2 (dois) anos e
Cada Juiz é independente, e você já sabe
coincidirão com o da Administ ração do
disso, mas é necessário que haja alguém
Tribunal, bem como deliberar sobre o
responsável por cuidar, por exemplo, da
afastamento do exercício da jurisdição,
manutenção do prédio, da limpeza e de
caso necessário, no período de
outros serviços lá prestados. Esse alguém
cumprimento do respectivo mandato;
é o Diretor do Foro, que será um Juiz
Federal designado pelo Presidente do
Tribunal para cumprir mandato de 2 anos

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 20 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

coincidente com o dos ocupantes dos


cargos de direção.
XVII - decidir sobre: As reclamações por erro de ata servem
a) as reclamações por erro da ata do para que imprecisões nos registros dos
Plenário, do Órgão Especial e do Conselho julgados sejam corrigidas.
de Administração e da publicação de Os pedidos de suspensão da execução
acórdãos; de medida liminar servem para que o
b) os pedidos de suspensão da Presidente reavalie a real necessidade da
execução de medida liminar em concessão de medidas emergenciais.
processos de mandado de segurança e de O pedido de liminar em mandado de
ação civil pública, ou das sentenças segurança somente é julgado pelo
proferidas nos primeiros, além das demais Presidente quando o Tribunal estiver em
hipóteses previstas em lei; recesso. Nesses casos, como estamos
c) os pedidos de liminar em mandado falando de uma medida de urgência, não
de segurança, durante o recesso do dá para esperar até o Tribunal voltar para
Tribunal, podendo, ainda, determinar decidir, não é mesmo?
liberdade provisória ou sustação de ordem O livramento condicional é um benefício
de prisão e demais medidas que reclamem concedido ao preso que já cumpriu boa
urgência; parte de sua pena e poderá ser posto em
d) os pedidos de livramento liberdade, desde que cumpra
condicional, bem assim os incidentes de determinadas condições.
indulto, anistia e graça; A expedição de ordens de pagamento
e) a expedição de ordens de devido pela Fazenda Pública nada mais é
pagamento devido pela Fazenda Pública do que o regime dos famosos precatórios,
Federal, nos termos do art. 100 e por meio dos quais são pagas as
parágrafos da Constituição Federal, condenações do Estado.
despachando os precatórios e ordenando,
se for o caso, o sequestro de quantias;

XVIII – aprovar a escala de férias dos


Desembargadores Federais, bem como dos
Juízes Federais Convocados, sendo que no
caso destes últimos, depois de o período
pretendido receber a anuência do
Presidente da Turma integrada pelo
magistrado;

XIX - baixar resoluções e ordens de


serviço referentes a deliberaç ões do
Plenário, do Órgão Especial e do

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 21 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

Conselho de Administração;

A menção ao inciso anterior aqui parece


XX - nomear curador especial a
ter ficado errada, provavelmente após
paciente nas hipóteses do inciso anterior,
alterações no texto do Regimento.
em se tratando de incapacidade mental,
Provavelmente o Regimento aqui está
bem assim praticar os demais atos
tratando das hipóteses de invalidez dos
previstos neste Regimento;
magistrados.
XXI - baixar resoluções e ordens de
serviço referentes a deliberações do Aqui foi repetido o conteúdo do inciso
Plenário, do Órgão Especial e do Conselho XIX...
de Administração;

XXII - expedir atos indispensáveis à


disciplina dos serviços e à segurança
institucional do Tribunal;

O orçamento público é aprovado a cada


XXIII - adotar as providências ano por meio de uma lei. Cabe então ao
necessárias à elaboração da proposta Presidente determinar a elaboração da
orçamentária do Tribunal e da Justiça proposta do Tribunal e da Justiça Federal
Federal de Primeira Instância e (1º e 2º graus) para o ano seguinte. Essa
encaminhar pedidos de abertura de proposta posteriormente será consolidada
créditos; pelo Poder Executivo e aprovada pelo
Poder Legislativo.

XXIV - resolver as dúvidas que se


suscitarem na classificação dos feitos e
expedientes registrados na Secretaria do
Tribunal, baixando as portarias
necessárias;

XXV - assinar os atos de provimento,


Esses são atos de provimento e vacância
remoção, aposentadoria, disponibilidade e
dos cargos de Juiz Federal e Juiz Federal
exoneração, a pedido e de ofício, de Juiz
substituto.
Federal e de Juiz Federal Substituto;
XXVI - assinar os atos de provimento e
Agora também estamos falando de
vacância dos cargos e empregos da
provimento de vacância, além de outros
Secretaria Geral e dos serviços auxiliares
atos próprios da vida funcional, mas dos
do Tribunal, dando posse aos servidores,
servidores do Tribunal, e não mais dos
bem assim das secretarias e dos serviços
magistrados.
auxiliares dos Juízos que lhe são

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 22 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

vinculados;

XXVII - assinar os atos de licença e


demais atos relativos à vida funcional
dos servidores da Secretaria Geral,
secretarias e serviços auxiliares referidos
no inciso anterior;

O Presidente pode impor penas


disciplinares aos servidores da Secretaria
XXVIII - impor penas disciplinares aos Geral e dos serviços auxiliares do Tribunal,
servidores da Secretaria Geral do Tribunal mas há também atribuições a esse
e serviços auxiliares, sem prejuízo das respeito que são conferidas pelo
atribuições dos Presidentes de Seções Regimento aos Presidentes dos órgãos
Especializadas, Turmas e dos fracionários e aos Desembargadores
Desembargadores Federais, estes quanto (quando se tratar de servidor vinculado ao
aos respectivos Gabinetes; seu gabinete).
Perceba que não estamos falando da
aplicação de penas aos magistrados, ok!?

XXIX - delegar, nos termos da lei,


competência ao Diretor Geral para a
prática de atos administrativos de gestão
referentes aos servidores da Secretaria
Geral;
XXX - velar pela regularidade e
exatidão das publicações das
estatísticas sobre os trabalhos do
Tribunal;

XXXI – autorizar a inclusão de


dependente no Plano de Saúde;

XXXII - apresentar ao Tribunal o


Relatório de Atividades e Mapa dos
Julgados, na primeira sessão ordinária do
mês de março. Colocando-os na Rede
Corporativa (Intranet) do Tribunal.

XXXIII - promover e organizar concurso


Estamos falando daqui do concurso público
público para provimento dos cargos de
para os servidores, e não para
secretaria do Tribunal e das Seções
magistrados, certo?
Judiciárias;

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 23 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

XXXIV – conceder aos Desembargadores


Federais afastamento para frequência a
cursos ou seminários de
aperfeiçoamento e estudos jurídicos,
cujo período seja inferior a 30 (trinta)
dias.

ATRIBUIÇÕES DO CORREGEDOR
Isso significa que, na ausência do
Presidente e do Vice-Presidente, o
Corregedor assumirá as funções da
I - substituir o Vice-Presidente para os
presidência. Isso é o que chamo de
fins do art. 23, caput, deste Regimento;
substituição eventual. Cuidado para não
confundir com as regras que já estudamos
sobre a vacância dos cargos.

A correição, no âmbito do Poder


Judiciário, é um procedimento
administrativo, por meio do qual o
Corregedor verifica o andamento dos
trabalhos nos órgãos julgadores e no
serviço judiciário.
Perceba que essas atribuições alcançam
apenas os Juízes Federais, e não os
Desembargadores, ok?
II - fiscalizar tudo que concerne ao
O Corregedor poderá indicar até dois
aperfeiçoamento, à disciplina e à
juízes para serem convocados auxiliar nas
estatística forense de Primeira Instância,
atribuições administrativas da
adotando, desde logo, as medidas
Corregedoria, por período coincidente ao
adequadas à eliminação de
seu mandato.
irregularidades;
O Corregedor pode também designar um
juiz para acompanha-lo ou delegar-lhe
competênc ia para a realização de
inspeções, sindicâncias, correições ou
realização de inquéritos. Em regra esse
juiz acumula essas funções com o
exercício da jurisdição, a não ser que haja
autorização do Órgão Especial. De
qualquer forma não é permitida a perda

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 24 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

parcial da jurisdição.

A correição ordinária é aquela realizada


III - proceder a correições ordinárias e
periodicamente pela Corregedoria nos
extraordinárias, estas para verificação
serviços judiciários do Primeiro Grau. Já a
de prática de erros, omissões ou abusos
correição extraordinária é realizada
na Primeira Instância;
quando há algum indício de irregularidade.

A sindicância é um procedimento
investigativo, por meio do qual o
IV - promover sindicâncias relacionadas Corregedor pode verificar se existem
com faltas atribuídas a Juízes Federais; indícios suficientes para justificar a
abertura de um processo administrativo
disciplinar contra o Juiz.

A instrução normativa trata do


V - expedir instruções normativas para funcionamento da própria Corregedoria, e
o funcionamento dos serviços de não dos serviços judiciários. Cuidado para
Corregedoria; não confundir essas normas com os
provimentos, ok!?

VI - adotar, mediante provimentos, as Além da correição em si, o Corregedor


providências necessárias ao regular também é competente para expedir
funcionamento dos serviços forenses de normas destinadas à padronização dos
Primeira Instância e destinadas ao serviços do primeiro grau de jurisdição.
aperfeiçoamento dos mesmos; Isso é feito por meio dos provimentos.

VII - aprovar a escala de férias dos


Juízes Federais e dos Juízes Federais
Substitutos, cuja substituição recíproca
na mesma vara em que se encontrem em Considerando que os juízes têm direito a
exercício será automática em todos os 60 dias de férias por ano, imagine a
casos de afastamentos legais, sem dificuldade que é organizar essa escala de
prejuízo da designação de substitut os maneira que sempre haja um substituto à
quando não seja possível a substituição disposição...!
automática, observados os critérios de
designação definidos por ato normativo
próprio;
VIII – autorizar o afastamento de Juiz
Federal e Juiz Federal Substituto, sem
ônus para o Tribunal ou com ônus
limitado;

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 25 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

IX - autorizar os Juízes Federais e Juízes


Federais Substitutos a se ausentarem das
Lembre-se de que no caso dos
sedes de suas Seções, nos dias de
Desembargadores o afastamento deve ser
expediente forense, desde que não
autorizado pelo Presidente, e no caso dos
estejam no gozo de férias ou licença,
Juízes, pelo Corregedor.
quando o período de afastamento for
inferior a 30 (trinta) dias;

X - organizar a lista de antiguidade dos A lista de antiguidade nada mais é do


Juízes Federais e Juízes Federais que uma espécie de ranking, que
Substitutos, com observância dos critérios determina a ordem de antiguidade dos
estabelecidos neste Regimento; Juízes.

Neste caso estamos falando dos servidores


XI - impor as penalidades de censura,
da Primeira Instância. Eles podem ser
advertência e suspensão, até 30 (trinta)
punidos por ato do Corregedor, mas não é
dias, aos servidores da Justiça Federal de
qualquer punição. Perceba que a
Primeira Instância, sem prejuízo da
demissão, por exemplo, não está no rol.
competência dos Juízes Federais e do
Esse tipo de regra é “prato cheio” para a
Diretor do Foro;
banca examinadora, hein!?

XII - indicar os servidores que o


assessorarão ou servirão de Secretário
nas inspeções, correições ordinárias e
extraordinárias, ou nas sindicâncias e
inquéritos que presidir;

XIII – dirigir seu Gabinete, fazendo ao


Presidente a indicação dos ocupantes dos
respectivos cargos e funções;

A correição geral é uma verificação sem


um objeto determinado. Já a correição
parcial funciona quase como um recurso,
XIV - conhecer de pedido de correição
pois a pessoa que se sente prejudicada
parcial.
pede providências em relação à má
condução do processo por parte do Juiz
Federal.

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 26 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

Aqui se encerra o assunto da nossa aula de hoje. A seguir


estão questões de concursos anteriores que tratam dos assuntos que
estudamos hoje. Ao final, incluí a lista das questões sem os comentários.
Se tiver alguma dúvida não deixe de me procurar no fórum, no e-mail ou
nas redes sociais.

Grande abraço!

Paulo Guimarães
professorpauloguimaraes@gmail.com

Não deixe de me seguir nas redes sociais!

www.facebook.com/pauloguimaraesf

@pauloguimaraesf

@pauloguimaraesf

(61) 9607-4477

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 27 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

4. QUESTÕES COMENTADAS

1. TRF 1a Região – Analista Judiciário – 2011 – FCC (adaptada).


Analise:

I. Auxiliar na supervisão e fiscalização dos serviços da Secretaria Geral


do Tribunal.

II. Assinar os atos de provimento, remoção, aposentadoria,


disponibilidade e exoneração, a pedido e de ofício, de Juiz Federal e de
Juiz Federal Substituto.

III. Adotar, mediante provimentos, as providências necessárias ao


regular funcionamento dos serviços forenses de Primeira Instância e
destinadas ao aperfeiçoamento dos mesmos.

Conforme disposição expressa do Regimento Interno do TRF da


2a Região, são atribuições, respectivamente, do

a) Presidente, do Corregedor e da Corte Especial Administrativa.


b) Corregedor, do Vice-Presidente e do Relator.
c) Vice-Presidente, da Corte Especial Administrativa e do Relator.
d) Vice-Presidente, do Presidente e do Corregedor.
e) Relator, do Conselho de Administração e do Presidente.

COMENTÁRIOS: A menção ao verbo “auxiliar” no primeiro item já devem


levar você a desconfiar de que não estamos falando do Presidente, certo?
As atribuições do Vice-Presidente, em geral, são mais fáceis de lembrar,
pois são poucas. O Presidente sempre será o principal responsável pela
fiscalização e supervisão dos serviços da secretaria, e o Vice -Presidente
deve auxiliá-lo nesse encargo. Você poderia ter partido daí para acertar a
questão. O item II trata da provimento e vacância de juízes, que

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 28 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

aparecem algumas vezes entre as atribuições do Presidente. Já o item III


menciona os provimentos, que são normas de responsabilidade do
Corregedor.

GABARITO: D

2. TRF 1a Região – Técnico Judiciário – 2011 – FCC (adaptada).


Analise:

I. adotar as providências necessárias ao regular funcionamento dos


serviços forenses de Primeira Instância e destinadas ao
aperfeiçoamento dos mesmos.

II. Impor penas disciplinares aos servidores da Secretaria Geral do


Tribunal e serviços auxiliares.

Referidas atribuições são, respectivamente, do

a) Corregedor e do Vice-Presidente do Tribunal.


b) Presidente do Tribunal e do Corregedor.
c) Vice-Presidente e do Presidente do Tribunal.
d) Corregedor e do Presidente do Tribunal.
e) Presidente do Tribunal e de seu Vice-Presidente.

COMENTÁRIOS: O primeiro item se refere a uma das principais


atribuições do Corregedor, que é a orientação dos serviços de primeiro
grau (só o primeiro grau!!). O segundo se refere à aplicação de penas
disciplinares aos servidores da Secretaria Geral do Tribunal, que é
competência do Presidente.

GABARITO: D

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 29 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

3. TRF 1a Região – Analista Judiciário – 2006 – FCC (adaptada).


Além de outras atribuições previstas no Regimento Interno do Tribunal
Regional Federal da 2ª Região, compete ao Corregedor-Regional

a) impor penas disciplinares aos servidores da Secretaria do Tribunal.


b) resolver as dúvidas que se suscitarem na classificação dos feitos e
papéis registrados na Secretaria do Tribunal, baixando as portarias
necessárias.
c) expedir os atos de convocação de Juízes Federais para atuarem no
Tribunal, nas hipóteses pertinentes.
d) aprovar a escala de férias dos Juízes Federais e dos Juí zes Federais
Substitutos.
e) baixar os atos indispensáveis à disciplina dos serviços e à segurana
institucional do Tribunal.

COMENTÁRIOS: Apenas a aprovação da escala de férias dos juízes é


atribuição do Corregedor. As demais são do Presidente.

GABARITO: D

4. TRF 1a Região – Analista Judiciário – 2001 – FCC (adaptada). Ao


corregedor-regional compete impor as penas de censura e advertência
aos juízes inferiores; e estas penas e as de suspensão até trinta dias
aos servidores da Justiça Federal.

COMENTÁRIOS: O Corregedor não pode, sozinho, impor penas


disciplinares aos juízes, ok? Muito cuidado aqui, pois as bancas
frequentemente tentam enganar os candidatos com esse tipo de
afirmação. Ele apenas pode impor penalidades disciplinares aos
servidores da primeira instância, e mesmo assim apenas as de censura,
advertência e suspensão, até 30 dias.

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 30 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

GABARITO: E

5. TRF 1a Região – Analista Judiciário – 2001 – FCC (adaptada). Ao


vice-presidente do Tribunal incumbe decidir sobre a admissibilidade
recurso extraordinário, recurso especial, recurso ordinário de habeas
corpus e recurso ordinário em mandado de segurança.

COMENTÁRIOS: Corretíssimo! Aqui é importante prestar muita


atenção, pois em muitos tribunais essa atribuição é conferida ao
Presidente, e não ao Vice.

GABARITO: C

6. (inédita). Cabe ao Vice-Presidente do Tribunal supervisionar a


distribuição dos feitos aos membros do Tribunal.

COMENTÁRIOS: Opa! Muita calma nessa hora! A supervisão da


distribuição é atribuída pelo Regimento Interno ao Presidente, e não ao
Vice-Presidente.

GABARITO: E

7. TRF 1a Região – Analista Judiciário – 2001 – FCC (adaptada).


Compete ao Corregedor promover sindicâncias relacionadas com faltas
atribuídas aos juízes federais.

COMENTÁRIOS: É verdade. O Corregedor é competente para proceder


a sindicâncias relacionadas com faltas atribuídas a juízes federais , mas

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 31 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

lembre-se de que ele não é competente para aplicar penas disciplinares


aos magistrados.

GABARITO: C

8. TRF 1a Região – Analista Judiciário – 2001 – FCC (adaptada).


Compete ao Corregedor Regional impor, privativamente, sanções
disciplinares aos servidores da Justiça Federal e da Secretaria Geral do
Tribunal.

COMENTÁRIOS: É importantíssimo que fique claro para você que o


Corregedor não é competente para aplicar punições disciplinares aos
servidores da Secretaria Geral do Tribunal, mas apenas aos da Justiça
Federal de primeira instância, e mesmo nesse caso ele somente pode
aplicar as penas de censura, advertência e suspensão até 30 dias.

GABARITO: E

9. TRF 1a Região – Analista Judiciário – 2001 – FCC (adaptada).


Compete ao Corregedor Regional conhecer de pedido de correição parcial.

COMENTÁRIOS: Exato! Lembre-se de que a correição parcial funciona


quase como um recurso, e que a competência do Corregedor é
conhecer, mas não julgar.

GABARITO: C

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 32 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

10. TRT 3ª Região (MG) – Analista Judiciário – 2005 – FCC. As


funções de inspeção e correição permanentes, com relação aos Juízos de
primeira instância, são de competência da

a) Secretaria do Tribunal Pleno.


b) Presidência.
c) Vice-presidência.
d) Seção Especializada.
e) Corregedoria

COMENTÁRIOS: Essa foi fácil, não é? Lembre-se de que temos a figura


do Corregedor, que é competente para exercer essas funções.

GABARITO: E

11. TRT 10ª Região (DF e TO) – Analista Judiciário – 2013 – Cespe
(adaptada). O cargo de corregedor é exercido cumulativamente pelo
vice-presidente.

COMENTÁRIOS: Se você nunca estudou regimentos de outros Tribunais


pode estar achando a assertiva absurda, mas essa acumulação de cargos
é relativamente comum em alguns Tribunais. No TRF da 2a Região o
Corregedor tem um cargo próprio.

GABARITO: E

12. TRT 21ª Região (RN) – Técnico Judiciário – 2010 – Cespe


(adaptada). Caso seja verificada falta disciplinar por parte de um juiz do
trabalho, caberá ao presidente do TRF/2ª Região a aplicação da
penalidade, se for o caso.

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 33 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

COMENTÁRIOS: Mais uma vez a mesma coisa! A aplicação de


penalidades a Juízes e Desembargadores não é de competência do
Presidente!

GABARITO: E

13. TRT 8ª Região (PA e AP) – Analista Judiciário – 2010 – FCC


(adaptada). O Corregedor Regional exerce correição permanente,
ordinária e parcial, sobre os órgãos de Segundo Grau da Justiça Federal
da Segunda Região.

COMENTÁRIOS: Olha aí hein!? Falou em segundo grau, então a


competência não é do Corregedor! 

GABARITO: E

14. TRT 18ª Região (GO) – Técnico Judiciário – 2013 – FCC


(adaptada). O mandato do Presidente e do Vice-Presidente do Tribunal
será de:

a) dois anos, iniciando-se com a posse na primeira sessão do Plenário do


mês de abril, e a eleição dos Desembargadores que ocuparão os referidos
cargos será feita na primeira sessão ordinária do ano em que findar o
biênio.
b) dois anos, iniciando-se com a posse na primeira sessão do Plenário do
mês de janeiro, e a eleição dos Desembargadores que ocuparão os
referidos cargos será feita na primeira sessão ordinária do ano em que
findar o biênio.
c) dois anos, iniciando-se com a posse na primeira sessão do Plenário do
mês de fevereiro, e a eleição dos Desembargadores que ocuparão os

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 34 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

referidos cargos será feita na última sessão ordinária do ano em que


findar o biênio.
d) dois anos, iniciando-se com a posse na primeira sessão do Plenário do
mês de março, e a eleição dos Desembargadores que ocuparão os
referidos cargos será feita na última sessão ordinária do ano em que
findar o biênio.
e) três anos, dois anos, iniciando-se com a posse na primeira sessão do
Plenário do mês de abril, e a eleição dos Desembargadores que ocuparão
os referidos cargos será feita na primeira sessão ordinária do ano em que
findar o biênio.

COMENTÁRIOS: Na aula de hoje você aprendeu que a eleição para os


cargos de direção ocorre na primeira sessão ordinária do ano em que
findar o biênio, mas caso seja conveniente ao bom andamento da
atividades administrativas do Tribunal, poderá ser antecipada para a
última sessão plenária de dezembro do ano ant erior ao que findar o
biênio. A posse, por sua vez, deve ocorrer na primeira sessão do P lenário
do mês de abril.

GABARITO: A

15. STJ – Analista Judiciário – 2008 – Cespe. O Desembargador


presidente do Tribunal possui mandato de dois anos, sendo permitida a
reeleição por igual período.

COMENTÁRIOS: O Presidente do Tribunal não pode ser reeleito. O que é


permitido é que alguém que ocupou o cargo de Corregedor ou Vice -
Presidente em seguida ocupe outro cargo de direção, e mesmo assim isso
só pode acontecer uma vez.

GABARITO: E

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 35 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

16. TJDFT – Analista Judiciário – 2008 – Cespe (adaptada). Paulo é


desembargador presidente do TRF da 2ª Região. Nessa situação, ao
término de seu mandato, integralmente cumprido, Paulo poderá participar
do escrutínio subsequente e candidatar-se à reeleição para o mesmo
cargo.

COMENTÁRIOS: Uma vez que tenha ocupado o cargo de Presidente, o


Desembargador não poderá candidatar-se a recondução e nem a nenhum
outro cargo de direção. Quanto aos cargos de Vice-Presidente e
Corregedor, também não pode haver recondução, mas se tiver ocupado
um desses cargos uma só vez, o Desembargador pode candidatar-se a
outro cargo de direção.

GABARITO: E

17. TRT 3ª Região (MG) – Analista Judiciário – 2015 – FCC


(adaptada). Sobre a eleição para os cargos de direção, é correto afirmar
que

a) serão eleitos para mandato de um ano.


b) será por aclamação, se houver apenas um candidato, desde que haja
aprovação da maioria absoluta dos presentes.
c) ocorrerão na mesma data a eleição e a posse.
d) deverá haver novo escrutínio, caso nenhum Desembargador obtenha o
voto da maioria absoluta dos membros efetivos do Tribunal.

COMENTÁRIOS: A alternativa A está incorreta porque o mandato dos


cargos de direção é de 2 anos. A alternativa B está incorreta porque não
há previsão de eleição por aclamação no regimento interno, em nenhuma
hipótese. A alternativa C está incorreta porque a eleição ocorre em regra
na primeira sessão de janeiro, e a posse na primeira sessão de abril.

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 36 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

GABARITO: D

18. (inédita). Se ocorrer vacância da Presidência, durante o primeiro


semestre do mandato, o Vice-Presidente do Tribunal assumirá o cargo
pelo tempo restante, mas a ele não se aplicarão as normas de
inelegibilidade que impedem o Desembargador que ocupou a presidênci a
de ser eleito novamente para o período seguinte.

COMENTÁRIOS: Opa! É verdade que neste caso o Vice-Presidente


assume a presidência, mas ele fica impedido de ser eleito novamente
para o período subsequente.

GABARITO: E

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 37 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

5. QUESTÕES SEM COMENTÁRIOS

1. TRF 1a Região – Analista Judiciário – 2011 – FCC (adaptada).


Analise:

I. Auxiliar na supervisão e fiscalização dos serviços da Secretaria Geral


do Tribunal.

II. Assinar os atos de provimento, remoção, aposentadoria,


disponibilidade e exoneração, a pedido e de ofício, de Juiz Federal e de
Juiz Federal Substituto.

III. Adotar, mediante provimentos, as providências necessárias ao


regular funcionamento dos serviços forenses de Primeira Instância e
destinadas ao aperfeiçoamento dos mesmos.

Conforme disposição expressa do Regimento Interno do TRF da


2a Região, são atribuições, respectivamente, do

a) Presidente, do Corregedor e da Corte Especial Administrativa.


b) Corregedor, do Vice-Presidente e do Relator.
c) Vice-Presidente, da Corte Especial Administrativa e do Relator.
d) Vice-Presidente, do Presidente e do Corregedor.
e) Relator, do Conselho de Administração e do Presidente.

2. TRF 1a Região – Técnico Judiciário – 2011 – FCC (adaptada).


Analise:

I. adotar as providências necessárias ao regular funcionamento dos


serviços forenses de Primeira Instância e destinadas ao
aperfeiçoamento dos mesmos.

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 38 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

II. Impor penas disciplinares aos servidores da Secretaria Geral do


Tribunal e serviços auxiliares.

Referidas atribuições são, respectivamente, do

a) Corregedor e do Vice-Presidente do Tribunal.


b) Presidente do Tribunal e do Corregedor.
c) Vice-Presidente e do Presidente do Tribunal.
d) Corregedor e do Presidente do Tribunal.
e) Presidente do Tribunal e de seu Vice-Presidente.

3. TRF 1a Região – Analista Judiciário – 2006 – FCC (adaptada).


Além de outras atribuições previstas no Regimento Interno do Tribunal
Regional Federal da 2ª Região, compete ao Corregedor-Regional

a) impor penas disciplinares aos servidores da Secretaria do Tribunal.


b) resolver as dúvidas que se suscitarem na classificação dos feitos e
papéis registrados na Secretaria do Tribunal, baixando as portarias
necessárias.
c) expedir os atos de convocação de Juízes Federais para atuarem no
Tribunal, nas hipóteses pertinentes.
d) aprovar a escala de férias dos Juízes Federais e dos Juí zes Federais
Substitutos.
e) baixar os atos indispensáveis à disciplina dos serviços e à segurana
institucional do Tribunal.

4. TRF 1a Região – Analista Judiciário – 2001 – FCC (adaptada). Ao


corregedor-regional compete impor as penas de censura e advertência
aos juízes inferiores; e estas penas e as de suspensão até trinta dias
aos servidores da Justiça Federal.

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 39 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

5. TRF 1a Região – Analista Judiciário – 2001 – FCC (adaptada). Ao


vice-presidente do Tribunal incumbe decidir sobre a admissibilidade
recurso extraordinário, recurso especial, recurso ordinário de habeas
corpus e recurso ordinário em mandado de segurança.

6. (inédita). Cabe ao Vice-Presidente do Tribunal supervisionar a


distribuição dos feitos aos membros do Tribunal.

7. TRF 1a Região – Analista Judiciário – 2001 – FCC (adaptada).


Compete ao Corregedor promover sindicâncias relacionadas com faltas
atribuídas aos juízes federais.

8. TRF 1a Região – Analista Judiciário – 2001 – FCC (adaptada).


Compete ao Corregedor Regional impor, privativamente, sanções
disciplinares aos servidores da Justiça Federal e da Secretaria Geral do
Tribunal.

9. TRF 1a Região – Analista Judiciário – 2001 – FCC (adaptada).


Compete ao Corregedor Regional conhecer de pedido de correição parcial.

10. TRT 3ª Região (MG) – Analista Judiciário – 2005 – FCC. As


funções de inspeção e correição permanentes, com relação aos Juízos de
primeira instância, são de competência da

a) Secretaria do Tribunal Pleno.


b) Presidência.
c) Vice-presidência.
d) Seção Especializada.
e) Corregedoria

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 40 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

11. TRT 10ª Região (DF e TO) – Analista Judiciário – 2013 – Cespe
(adaptada). O cargo de corregedor é exercido cumulativamente pelo
vice-presidente.

12. TRT 21ª Região (RN) – Técnico Judiciário – 2010 – Cespe


(adaptada). Caso seja verificada falta disciplinar por parte de um juiz do
trabalho, caberá ao presidente do TRF/2ª Região a aplicação da
penalidade, se for o caso.

13. TRT 8ª Região (PA e AP) – Analista Judiciário – 2010 – FCC


(adaptada). O Corregedor Regional exerce correição permanente,
ordinária e parcial, sobre os órgãos de Segundo Grau da Justiça Federal
da Segunda Região.

14. TRT 18ª Região (GO) – Técnico Judiciário – 2013 – FCC


(adaptada). O mandato do Presidente e do Vice-Presidente do Tribunal
será de:

a) dois anos, iniciando-se com a posse na primeira sessão do Plenário do


mês de abril, e a eleição dos Desembargadores que ocuparão os referidos
cargos será feita na primeira sessão ordinária do ano em que findar o
biênio.
b) dois anos, iniciando-se com a posse na primeira sessão do Plenário do
mês de janeiro, e a eleição dos Desembargadores que ocuparão os
referidos cargos será feita na primeira sessão ordinária do ano em que
findar o biênio.
c) dois anos, iniciando-se com a posse na primeira sessão do Plenário do
mês de fevereiro, e a eleição dos Desembargadores que ocuparão os
referidos cargos será feita na última sessão ordinária do ano em que
findar o biênio.
d) dois anos, iniciando-se com a posse na primeira sessão do Plenário do
mês de março, e a eleição dos Desembargadores que ocuparão os

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 41 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

referidos cargos será feita na última sessão ordinária do ano em que


findar o biênio.
e) três anos, dois anos, iniciando-se com a posse na primeira sessão do
Plenário do mês de abril, e a eleição dos Desembargadores que ocuparão
os referidos cargos será feita na primeira sessão ordinária do ano em que
findar o biênio.

15. STJ – Analista Judiciário – 2008 – Cespe. O Desembargador


presidente do Tribunal possui mandato de dois anos, sendo permitida a
reeleição por igual período.

16. TJDFT – Analista Judiciário – 2008 – Cespe (adaptada). Paulo é


desembargador presidente do TRF da 2ª Região. Nessa situação, ao
término de seu mandato, integralmente cumprido, Paulo poderá participar
do escrutínio subsequente e candidatar-se à reeleição para o mesmo
cargo.

17. TRT 3ª Região (MG) – Analista Judiciário – 2015 – FCC


(adaptada). Sobre a eleição para os cargos de direção, é correto afirmar
que

a) serão eleitos para mandato de um ano.


b) será por aclamação, se houver apenas um candidato, desde que haja
aprovação da maioria absoluta dos presentes.
c) ocorrerão na mesma data a eleição e a posse.
d) deverá haver novo escrutínio, caso nenhum Desembargador obtenha o
voto da maioria absoluta dos membros efetivos do Tribunal.

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 42 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG
Concurseiros Unidos Maior RATEIO daRegimento
Internet Interno do TRF2
Teoria e exercícios comentados
Prof. Paulo Guimarães – Aula 02

18. (inédita). Se ocorrer vacância da Presidência, durante o primeiro


semestre do mandato, o Vice-Presidente do Tribunal assumirá o cargo
pelo tempo restante, mas a ele não se aplicarão as normas de
inelegibilidade que impedem o Desembargador que ocupou a presidênci a
de ser eleito novamente para o período seguinte.

GABARITO
1. D 10. E
2. D 11. E
3. D 12. E
4. E 13. E
5. C 14. A
6. E 15. E
7. C 16. E
8. E 17. D
9. C 18. E

Prof. Paulo Guimarães www.estrategiaconcursos.com.br Página 43 de 43


WWW.CONCURSEIROSUNIDOS.ORG