Sie sind auf Seite 1von 24

LÍNGUA PORTUGUESA

Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

SUMÁRIO

1. REGÊNCIA _______________________________________________________________ 3
1.2. A REGÊNCIA E OS VERBOS PRONOMINAIS ___________________________________ 3
ALGUNS VERBOS COM MAIORES DIFICULDADES __________________________________ 9
1. INFORMAR, AVISAR _______________________________________________________ 9
2. HAVER __________________________________________________________________ 10
3. ACREDITAR, PENSAR _______________________________________________________ 10
4. ATENDER ________________________________________________________________ 11
5. COMUNICAR _____________________________________________________________ 12
6. CUSTAR _________________________________________________________________ 12
7. IMPLICAR ________________________________________________________________ 13
8. LEMBRAR E ESQUECER _____________________________________________________ 14
9. NAMORAR _______________________________________________________________ 15
REGÊNCIA NOMINAL _________________________________________________________ 16
EXERCÍCIOS DE TREINAMENTO ________________________________________________ 17
GABARITO _________________________________________________________________ 23

2
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

1. REGÊNCIA

Na construção de uma unidade significativa, algumas palavras exigem o acompanhamento de outros


elementos da língua. Essa relação de dependência com vistas à formação de um significado é chamada
regência. A regência pode ser direta, quando a relação de dependência é realizada por justaposição de
termos, ou indireta, quando a coesão entre os termos é feita por conexão, ou seja, por meio de
preposições. A regência do substantivo sobre o adjetivo (como em escola tradicional), ou do verbo
transitivo direto sobre seu complemento (Maria ama Pedro) se dá de forma direta, enquanto a regência do
substantivo sobre outro substantivo (como em "levantamento de peso") ou de um verbo transitivo indireto
sobre seu complemento (Maria gosta de Pedro) se faz necessariamente por meio de uma preposição.

Nos casos de regência indireta, é preciso observar que o uso de uma ou outra preposição pode provocar
alterações de significado bastante consideráveis.

Ex.:

Chegar ao trabalho.

Chegar do trabalho.

1.2. A REGÊNCIA E OS VERBOS PRONOMINAIS

Os verbos pronominais são transitivos indiretos ou intransitivos. São considerados verbos pronominais
aqueles que se apresentam sempre com um pronome oblíquo átono como parte integrante do verbo (ex.:
queixar-se, suicidar-se).

Ex.:

A) Naquele momento os fiéis arrependeram-se dos seus pecados.

B) Os biólogos do zoológico local dedicam-se às experiências genéticas.

3
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

Note que, no exemplo (B), o verbo "dedicar-se" não é essencialmente pronominal, mas eventualmente
pronominal. Isto é, esse verbo pode se apresentar sem o pronome oblíquo e, nesse caso, deixa de ser
pronominal.

Ex.:

Ele dedicou sua vida (OD) aos pobres (OI).

Casos como esse demonstram que alguns verbos podem-se tornar pronominais e, portanto, possuir um
complemento preposicionado. São pronominais eventuais.

1. Lembrar e esquecer

“Lembrar algo”, mas “lembrar-se de algo”

Eu lembrei o seu aniversário. (OD).

Eu me lembrei do seu aniversário (OI).

2. Tratar

Ele trata o cão com carinho. (Transitivo Direto = dar cuidados)

Ele se (OD) trata com homeopatia. (Transitivo direto com pronome reflexivo = cuidar)

Trata-se de uma piada. (parte integrante do verbo transitivo indireto = impessoal pronominal)

4
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

OUTRAS DIFICULDADES:

VERBO ARRASAR

Observe a letra da canção "Política voz", gravada pelo Barão Vermelho:

"Eu não sou um mudo balbuciando querendo falar


Eu sou a voz, a voz do outro, que há dentro de mim
Guardada, falante, querendo arrasar
com o teu castelo de areia
Que é só soprar, soprar
Soprar, soprar e ver tudo voar..."

Você notou alguma coisa diferente na letra? Nós vemos, a certa altura: "Arrasar com o teu castelo de
areia"

Existe aí um fenômeno linguístico chamado contaminação. Em tese, o verbo arrasar é transitivo direto:
uma coisa arrasa outra.

"O furacão arrasou a cidade."

Muitas vezes encontramos o verbo acabar sendo usado com o mesmo sentido:

"O furacão acabou com a cidade."

Assim, o que acontece é a transferência da regência do verbo acabar - com esse sentido de destruir, que
requer a preposição "com" - para o verbo arrasar. Os sinônimos de certas palavras acabam recebendo a
companhia da preposição que, na verdade, não devia existir. Os linguistas podem argumentar que essa
variante deve ser aceita, mas em nosso programa temos sempre a preocupação de ensinar o padrão formal
e mostrar o que acontece nas variantes. No texto formal, quando você for escrever uma dissertação, utilize
o verbo arrasar sem a preposição. Em provas objetivas, você deve manter esse mesmo raciocínio.

5
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

USO DO PRONOME OBLÍQUO ÁTONO COMO COMPLEMENTO DO VERBO

EXEMPLOS

1. “ ... a estratégia neoliberal convoca esses sonhos, atribui a esses sonhos um valor incomensurável ... “
OD OI

CONVOCA-OS E ATRIBUI A ELES

2. Para coibir o tráfico de drogas, as autoridades responsáveis montam barreiras nas estradas.
OD

PARA COIBI-LO

3. Os candidatos à presidência vão dar aos repórteres uma entrevista.


OI
VÃO DAR-LHES UMA ENTREVISTA

6
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

Veja as modificações dos pronomes e dos verbos na colocação proclítica.

Terminação do verbo Pronomes Modificação Resultado


Retira-se do verbo a última consoante e
Cantar+o
R–S-Z o(s); a (s) o pronome ganha nova forma:
= cantá-lo
Lo(s); La(s)
Penteamos + nos
-mos (1ªp.pl.) nos Retira-se o “s” final do verbo
= penteamo-nos
Põe + o = põe-no
O pronome ganha nova forma: no(s);
Ditongo nasal o(s); a(s)
na(s) Cantam+a
= cantam-na

Listam-se, abaixo, alguns verbos cuja mudança de regência implica mudança de significado:

VERBO REGÊNCIA SIGNIFICADO EXEMPLO


Os quase mil candidatos
transitivo indireto almejar, desejar aspiravam à única vaga
ASPIRAR disponível.
respirar, cheirar, Eu era obrigado a aspirar o mau
transitivo direto
inalar cheiro dos esgotos.
presenciar, ver, Os mais velhos insistiam em
transitivo indireto
observar querer assistir ao jogo em pé.
Assiste ao médico (OI) o direito
caber (direito a
transitivo indireto de solicitar as informações sobre
ASSISTIR alguém), pertencer
seu cliente (sujeito).
transitivo direto ou socorrer, prestar Tua equipe assistiu os processos
indireto assistência de forma brilhante e participativa.
intransitivo morar Ele assiste em Ipanema.
Transitivo indireto ser custoso, ser Custou (3ªp.sing.) ao aluno (OI)
CUSTAR (unipessoal) difícil aceitar o fato (sujeito oracional).
Intransitivo Custo financeiro A blusa custou cem reais.
Os apuradores procederam à
transitivo indireto realizar, efetuar contagem dos votos das escolas
de samba.
PROCEDER
Espantei-me com aquela mulher
intransitivo comportar-se, agir que procedeu com firmeza diante
da acusação.

7
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

pretender, ter por


Os estudantes visam a uma
transitivo indireto objetivo, ter em
melhor colocação profissional.
vista
VISAR
Os combatentes visavam os
transitivo direto mirar, apontar territórios ocupados
recentemente.
convocar, mandar
transitivo direto O técnico chamou os jogadores.
vir
CHAMAR
transitivo direto ou cognominar, dar Chamei Pedro de tolo.
indireto nome Chamei a Pedro de tolo.
transitivo direto acarretar Sua atitude implicará demissão.
IMPLICAR amolar, provocar, O irmão mais velho implica com o
transitivo indireto
chatear menor.
Transitivo direto desejar, Eu quero uma casa no campo.
QUERER
Transitivo indireto estimar, ter afeto Quero a meus pais.

Verbos que apresentam algumas dificuldades na regência:

VERBO REGÊNCIA EXEMPLO

PREFERIR transitivo direto e indireto Meus alunos preferem o brinquedo ao livro.


CHEGAR intransitivo Chegamos ao colégio.
NAMORAR Transitivo direto Maria namora Pedro.
OBEDECER Transitivo indireto O filho obedece ao pai.
Paguei o livro (coisa). = o
PAGAR – PERDOAR Transitivo direto e indireto
Paguei ao livreiro. (pessoa) = lhe

8
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

ALGUNS VERBOS COM MAIORES DIFICULDADES

1. INFORMAR, AVISAR

Informar algo a alguém ou Informar alguém de algo

Pedem dois complementos, um sem e outro com preposição. Admite duas construções:

Informei a nota ao aluno = Informei-lhe a nota = Informei-a ao aluno = Informei-lha

Informei o aluno da (ou sobre a) nota. = Informei-o da nota.

CUIDADO!

Informei-lhe da nota. ( inadequado ) = dois objetos indiretos

Informei-o a nota. (inadequado) = dois objetos diretos

Comunicar algo a alguém = Comuniquei-lhe a nota = Comuniquei a nota ao aluno.

Pessoa = objeto indireto

Coisa = objeto direto

9
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

2. HAVER

CONSTRUÇÃO FUNÇÃO SENTIDO


Auxiliar de tempo Dependente do verbo
1 Eu hei pensado, ele havia dito
composto principal
2 Como você houve tanto dinheiro? principal conseguir
3 Como nós nos houvemos na festa? principal comportar-se
Tu vais haver-te com ela.
CUIDADO!!!!
4 Você vai se ver comigo! = Você vai ser visto principal ajustar contas
comigo.
Você há de se haver comigo.
5 Hei admiração por você. (arcaico) principal ter
6 Eles haviam por correta aquela fala. principal considerar
7 Ele houve por bem concordar. principal dignar-se
8 Havia vários alunos interessados. principal existir

3. ACREDITAR, PENSAR

Estes verbos são transitivos indiretos, pois exigem complementos que a eles se ligam com o auxílio de uma
preposição:

EX.:

Acredite e pense em mim, em nós, em todos aqueles que gostam de você e, principalmente, em si mesmo.

Acredite em sua capacidade de resolver todos os problemas. Pense sempre no recebimento de boas
notícias, resultado de seu esforço e dedicação.

No entanto, quando recebem uma oração como complemento, dispen- sam a preposição.

Assim,


Acredite que você possa resolver todos os problemas.

Pense que você receberá uma boa notícia, resultado de seu esforço e dedicação.

10
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

4. ATENDER

No sentido de recepcionar, receber, acolher ou ouvir com atenção, use a construção direta para pessoas, e
indireta, para objetos, coisas (chamadas, exigências, intimações, pedidos, reivindicações etc.):

EX.:

O prefeito atendeu a população.


O médico atendeu o paciente.


O prefeito atendeu aos clamores da população.


As escolas públicas não atendem às necessidades dos jovens.

Quando se tratar de campainha, telefone, bairro, cidade etc., prefira
a forma direta, pois está implícito na
frase que alguém atendeu quem tocou a campainha ou fez a ligação, e alguma pessoa deu atendimento
aos moradores de uma dada região:

EX.:

Paulo, atenda o telefone.


Alguém está tocando a campainha.

Você pode atendê-la (ou atendê-lo, concordando com alguém)?


Neste caso, pode-se usar o verbo sem o complemento pessoa (está subentendido):


Alguém está tocando a campainha.

Você pode atender?

O prefeito atenderá o bairro da Mooca e a Vila Sônia. (os moradores)

11
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

5. COMUNICAR

Sempre comunique algo a alguém, mas nunca comunique alguém sobre ou de alguma coisa:

Assim,


O diretor comunicou as decisões do conselho aos professores. (correto)

O diretor comunicou-lhes as decisões do conselho. (correto)

Comunicou-se a decisão aos professores. (correto)

O diretor comunicou os professores sobre as ou das decisões do conselho. (errado)

Em hipótese alguma diga:
Os professores foram comunicados das decisões do conselho.

Lembre-se de que ninguém pode ser comunicado (e sim informado, cientificado, avisado) de algo.

Portanto,


Os professores foram informados, avisados das decisões do conselho.

A comunidade foi cientificada ou avisada de que as enchentes seriam inevitáveis.

6. CUSTAR

Tome cuidado com o emprego de custar no sentido de ser difícil, custoso, moroso, pois o que se vê no
emprego desse verbo são as marcas da oralidade:

Ex.:

Paulo custou a entender a matéria.


Ele custa para resolver os problemas propostos pelo professor.

12
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

Para evitar esse desvio normativo, siga estes passos:

a) O que foi difícil, custoso a Paulo?


Entender a matéria.


Portanto,

Custou a Paulo entender a matéria; Custou a ele entender a matéria; Custou-lhe entender a matéria.

b) O que é difícil, custoso a ele?


Resolver os problemas propostos pelo professor.

Portanto,

Custa-lhe resolver os problemas propostos pelo professor.

VEJA MAIS ESTES:

Custa-lhe enxergar o bom caminho.

Não me custa lutar por uma boa causa.

7. IMPLICAR

No sentido de acarretar, envolver, pressupor, utiliza-se a forma direta (sem a preposição em):

Ex.:

A isenção do IPI implicará perda de receita para a União.


Ser bom profissional implica agir com responsabilidade e competência.


13
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

Usa-se preposição nestes casos:
Indivíduos inescrupulosos implicaram o adolescente em


crime de tráfico de drogas. (Envolver alguém em algo) Jeremias implica com os colegas de
turma. (Ter implicância)

8. LEMBRAR E ESQUECER

Você deve sempre lembrar ou esquecer alguma coisa ou alguém (sem preposição):

Ex.:

Lembre os bons tempos.

Amigos, lembremos que manter a unidade linguística é reforçar os valores do cidadão.

“Esqueça que ele não ‘te’ ama”.

Entretanto, quando lembrar e esquecer estiverem acompanhados de pronome, a preposição de se imporá:

Ex.:

Lembre-se de que é preciso reconhecer-se no outro.

Não se esqueça de que só existe crescimento, se houver comprometimento, vontade e competência.

Lembremo-nos de nosso compromisso maior: amar.

Esqueci-me de que estarias à porta na esperança de conquistar novos amigos.

14
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

9. NAMORAR

Não se atreva a namorar com alguém; namore sem a preposição, pois só assim você poderá desfrutar bons
momentos ao lado de quem lhe dedica amor, sem nenhuma interferência (mesmo que seja a da
preposição):

EX.:

Paula namora Marcos.

Quero namorá-la.

Hermengarda namorava Eurico.

OBSERVE AGORA ESTES VERBOS

Para consulta rápida:

Confraternizar

Não aceita o pronome SE:


Eles confraternizaram no fim de semana.

Paulo confraterniza com os colegas de trabalho.

Simpatizar

Não aceita o pronome SE:


Glória simpatiza com todos os alunos da sala.

15
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

Sobressair

Sempre sem o SE:


Ele é um dos que mais sobressaem durante o debate.

REGÊNCIA NOMINAL

Para os falantes da língua medianamente preparados, para aqueles que convivem em ambientes de
linguajar mais próximo da gramática normativa, a sintaxe de regência nominal não é problema muito sério,
uma vez que já assimilaram bons hábitos linguísticos. Contudo, é sempre necessário consultar os
dicionários de regência nominal ou estudar as listas inseridas nas gramáticas mais recomendadas.

REGÊNCIAS MAIS USADAS PARA ALGUNS NOMES

Substantivos: admiração a, por; atentado a, contra; aversão a, para, por; avidez por; bacharel em;
capacidade de, para; devoção a, por; doutor em; dúvida acerca de, em, sobre; horror a; impaciência com;
ojeriza a, por; respeito a, com, para com.

Adjetivos: acessível a; acostumado com, a; afável com, para com; agradável a; alheio a; análogo a; ansioso
de, por; apto a, para; ávido de, por; benéfico a; capaz de, para; compatível com; contemporâneo de, a;
contíguo a; entendido em; hábil em; habituado a; indeciso em, para; liberal com; morador em; nocivo a,
para; parco de, em; preferível a; prejudicial a; propício a; próximo a, de; residente em; semelhante a;
sensível a, com; sito em; suspeito de; socorrido em; vazio de

16
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

1. É adequado o emprego da expressão sublinhada na seguinte frase:


a) O jornal de cujo o Sr. Matter se valeu para contar sua história foi lido pelo cronista
b) A noticia à qual se deparou o cronista estimulou-o a escrever urna crônica
c) O índio jivaro, com cuia reação o Sr. Matter não contava, espantou-se com a proposta
d) A barbaridade com cuia se espantou o czar era a caça de andorinhas e borboletas
e) A barbaridade à qual serviu ao poeta de tema não costuma espantar os civilizados

2. Quando lhe disseram que também se caçam borboletas e andorinhas... (Texto II)
A frase do Texto I cujo verbo, também grifado, apresenta regência idêntica à do grifado na frase acima é
a) ... que fez uma viagem de exploração à América do Sul...
b) ... que sabem reduzir a cabeça de um morto...
c) Queria assistir a uma dessas operações...
d) ... que ele tinha contas a acertar...
e) Ele não me fez nenhum mal

3. .... por imagens de ianomâmis seminus na selva, corresponde à realidade? (2° parágrafo 8)
O mesmo tipo de complemento exigido pelo verbo grifado acima está na frase
a) que ainda povoa nosso imaginário.
b) E se os índios da Amazônia fugirem de nossos mitos etnocêntricos.
c) O futuro dessas terras é crucial para a conservação da Amazônia.
d) ... há várias pressões sobre as terras indígenas.
e) .. do que imagina o senso comum.

4. Está correto o emprego de ambas as expressões sublinhadas na frase


a) A popularidade de que goza a astronomia é muito maior do que aquela em que desfruta a astronomia
b) O charlatanismo esotérico - uma prática à qual se deve dar incessante combate - arregimenta os
indivíduos em cuia consciência há espaço para a credulidade
c) Muitos creem que há um arranjo cósmico de cujo cada um participa individualmente, mantendo com
os astros uma relação na qual atribui sua própria personalidade
d) A experimentação científica - para o qual controle existem rígidos paradigmas - não está sujeita à
irracionalidade com a qual se submetem as ''teorias'' esotéricas
e) Desde tempos antigos - de lá aonde vêm as crendices mais populares - charlatões insistem em
disseminar "teorias" com que a maioria da população se apega

17
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

5. As leis muçulmanas são rigorosas, mas muitos julgam as leis muçulmanas especialmente draconianas
com as mulheres, já que se reflete nas leis muçulmanas a hierarquia entre os sexos, hierarquia que deriva
de fundamentos religiosos.

Evitam-se as repetições do período acima substituindo-se os elementos sublinhados por, respectivamente


a) julgam-as - se lhes reflete - a qual
b) julgam-nas - se reflete nesta - o que
c) Julgam-nas - naquelas se reflete - a qual
d) julgam-lhes - nas quais se reflete - a qual
e) julgam-lhes - naquelas se reflete - à qual

6. ... cujas belezas naturais despertaram os fazendeiros para as oportunidades do turismo. (final do texto)
O termo grifado na frase acima está corretamente substituído pelo pronome correspondente em
a) lhes despertaram
b) despertaram eles
c) despertaram-lhes
d) despertaram-los
e) os despertaram

7. A expressão de que preenche corretamente a lacuna da frase:


a) As três morais ........ o autor enuncia ao final do texto fazem pensar no Brasil
b) As responsabilidades ........ deveríamos assumir ficam sempre num segundo plano
c) A indignação ....... o motorista está tomado é, na verdade, inconsequente
d) As acusações ....... o motorista lança aos sonegadores também o incriminam
e) A sugestão ....... o texto nos transmite é a de que o nosso liberalismo é hipócrita

8. Leia atentamente os dois textos abaixo e responda à questão seguinte.

ANTIGAMENTE
Acontecia o indivíduo apanhar constipação; ficando perren- gue, mandava o próprio chamar o doutor e,
depois, ir à botica para aviar a receita, de cápsulas ou pílulas fedorentas. Doen- ça nefasta era a phtísica,
feia era o gálico. Antigamente, os sobrados tinham assombrações, os meninos, lombrigas (...)
Carlos Drummond de Andrade. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Companhia José Aguilar, p. 1.184.

O texto acima está escrito em linguagem de uma época passada. Observe uma outra versão, em linguagem
atual.
ANTIGAMENTE
Acontecia o indivíduo apanhar um resfriado; ficando mal, mandava o próprio chamar o doutor e, depois, ir
à farmácia para aviar a receita, de cápsulas ou pílulas fedorentas. Do- ença nefasta era a tuberculose, feia
era a sífilis. Antigamente, os sobrados tinham assombrações, os meninos, vermes (...)

18
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

Comparando-se esses dois textos, verifica-se que, na segunda versão, houve mudanças relativas a

a) vocabulário.

b) construções sintáticas.
c) pontuação.

d) fonética.

e) regência verbal.

9. Os textos I e II servem de apoio à questão

TEXTO I

Em pé, no meio do espaço que formava a grande abóbada de árvores, encostado a um velho tronco
decepado pelo raio, via-se um índio na flor da idade.
Uma simples túnica de algodão, a que os indígenas chamavam aimará, apertada à cintura por uma
faixa de penas escarlates, caía-lhe dos ombros até ao meio da perna, e desenhava o talhe delgado e
esbelto como um junco selvagem.
Sobre a alvura diáfana do algodão, a sua pele, cor de cobre, brilhava com reflexos dourados; os
cabelos pretos cortados rentes, a tez lisa, os olhos grandes com os cantos exteriores erguidos para a fronte;
a pupila negra, móbil, cintilante; a boca forte mas bem modelada e guarnecida de dentes alvos, davam ao
rosto pouco oval a beleza inculta da graça, da força e da inteligência.

TEXTO II

Era preto retinto e filho do medo da noite. Houve um momento em que o silêncio foi tão grande
escutando o murmurejo do Uraricoera, que a índia tapanhumas pariu uma criança feia.
Já na meninice fez coisas de sarapantar. De primeiro passou mais de seis anos não falando.
Ficava no canto da maloca, trepado no jirau de paxiúba, espiando o trabalho dos outros. O
divertimento dele era decepar cabeça de saúva. Vivia deitado mas si punha os olhos em dinheiro, dandava
pra ganhar vintém. E também espertava quando a família ia tomar banho no rio, todos juntos e nus.
Passava o tempo do banho dando mergulho, e as mulheres soltavam gritos gozados por causa dos
guaimuns diz-que habitando a água doce por lá.
Nem bem teve seis anos deram água num chocalho pra ele e começou falando como todos. E pediu
pra mãe que largasse a mandioca ralando na cevadeira e levasse ele passear no mato. A mãe não quis
porque não podia largar da mandioca não. Ele choramingou dia inteiro.
(Texto com adaptações.)

19
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

Assinale a alternativa em que se encontra redação de acordo com a norma culta escrita.
a) E pediu à mãe que largasse a mandioca ralando na cevadeira e se dispusesse a levá-lo a passear no
mato.
b) Se as mães não se proporem a ir, é por que não podem largar a mandioca, não. Ele choramingou, dia
inteiro.
c) A boca forte mas bem modelada e guarnecida, de dentes alvos expunha no rosto pouco oval, a beleza
inculta: da graça, da força e da inteligência.
d) Tratavam-se de alguns índios que viam-se, em pé, no meio do espaço que formava a grande abóbada de
árvores.
e) Simples túnicas de algodão, onde os indígenas chamavam-nas de aimará, apertadas na cintura por uma
faixa de penas escarlates, caíam-lhe dos ombros.

10. A única frase que NÃO apresenta desvio em relação à regência (nominal e verbal) recomendada pela
norma culta é:
a) O governador insistia em afirmar que o assunto principal seria "as grandes questões nacionais", com o
que discordavam líderes pefelistas.
b) Enquanto Cuba monopolizava as atenções de um clube, do qual nem sequer pediu para integrar, a
situação dos outros países passou despercebida.
c) Em busca da realização pessoal, profissionais escolhem a dedo aonde trabalhar, priorizando à empresas
com atuação social.
d) Uma família de sem-teto descobriu um sofá deixado por um morador não muito consciente com a
limpeza da cidade.
e) O roteiro do filme oferece uma versão de como conseguimos um dia preferir a estrada à casa, a paixão e
o sonho à regra, a aventura à repetição.

11. Assinale a alternativa em que as normas de regência, verbal e nominal, não foram inteiramente
cumpridas.
a) O vocabulário e a sintaxe de que se utilizavam muitos autores modernistas constituem, muitas vezes,
uma linguagem mais difícil do que a linguagem culta.
b) Alguns dos modernistas não repudiavam aos clássicos, nem lhes imitavam, mas conseguiam renovar o
idioma sob a influência da língua falada.
c) No Brasil há muitas literaturas regionais que exibem as características da fala local a que procuram ser
fiéis.
d) Os defensores de uma literatura regional procuram sempre apresentar explicações e evidências que lhes
apóiem os argumentos.
e) A aprendizagem de uma língua se faz, também, lendo-se autores com que se possa aprimorar e
fortalecer a experiência pessoal.

20
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

12. A frase em que a regência (verbal ou nominal) está correta é:


a) Nem sempre é fácil distinguir a voz do escritor com a do narrador.
b) O abandono do fumo está sendo atribuído, em grande parte, aos constrangimentos sociais que os
fumantes veem experimentando.
c) Muitas pessoas associam a Aids como comportamentos promíscuos.
d) Esta falha nas estatísticas se deve, talvez, pelas mulheres não admitirem sua condição de chefe de
família.
e) A discordância insuperável entre os invasores com os proprietários da terra acabou por exigir
interferência de grupos não-governamentais.

13. Observe os enunciados a seguir quanto à regência verbal.

1. Ao rei, os relatos da viagem informaram-lhe as novas descobertas.


2. Os conhecimentos marítimos em que os europeus confiavam estão ultrapassados.
3. Para os índios, o tempo se divide em AB ("antes do branco") e DB ("depois do branco"), marca que
os lembra a usurpação de sua terra.
4. As comemorações dos 500 anos pouco aludem a quase total extinção das línguas indígenas.

Estão corretos apenas:


a) 1 e 2
b) 1, 2 e 3
c) 2 e 3
d) 2, 3 e 4
e) 3 e 4

14. Assinale a alternativa em que HÁ ERRO de regência verbal.


a) Os padres das capelas que mais dependiam do dinheiro desfizeram-se em elogios à garota.
b) As admoestações que insisti em fazer ao rábula acabaram por não produzir efeito algum.
c) Nem sempre o migrante, em cujas faces se refletia a angústia que lhe ia na alma, tinha como resolver a
situação.
d) Era uma noite calma que as pessoas gostavam, nem fria nem quente demais.
e) Nem sempre o migrante, cujas faces refletiam a angústia que lhe ia na alma, tinha como resolver a
situação.

15. A frase em que a regência (verbal ou nominal) está correta é:


a) Nem sempre é fácil distinguir a voz do escritor com a do narrador.
b) O abandono do fumo está sendo atribuído, em grande parte, aos constrangimentos sociais que os
fumantes veem experimentando.
c) Muitas pessoas associam a Aids como comportamentos promíscuos.
d) Esta falha nas estatísticas se deve, talvez, pelas mulheres não admitirem sua condição de chefe de
família.
e) A discordância insuperável entre os invasores com os proprietários da terra acabou por exigir
interferência de grupos não-governamentais.
21
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

16. Assinale a alternativa em que HÁ ERRO de regência verbal.


a) Os padres das capelas que mais dependiam do dinheiro desfizeram-se em elogios à garota.
b) As admoestações que insisti em fazer ao rábula acabaram por não produzir efeito algum.
c) Nem sempre o migrante, em cujas faces se refletia a angústia que lhe ia na alma, tinha como resolver a
situação.
d) Era uma noite calma que as pessoas gostavam, nem fria nem quente demais.
e) Nem sempre o migrante, cujas faces refletiam a angústia que lhe ia na alma, tinha como resolver a
situação.

17. Assinale a única frase cuja regência verbal esteja correta segundo a norma culta:
a) Não somos candidatos mas sabemos como agradar nosso eleitorado. Sky, TV sem limites.
b) A perda do cartão de consumo implica numa multa de R$ 500,00.
c) A diretoria custou a perceber os verdadeiros problemas da equipe.
d) Novo Mercedes-Benz Classe C. A sinalização vai obedecer você.
e) Segundo pesquisas, as brasileiras preferem os morenos aos loiros.

18. Em todas as frases a seguir há transgressões relacionadas à regência verbal, segundo a norma culta,
EXCETO em uma. Assinale a única CORRETA:
a) Embraer namora mercado de aviação executiva.
b) Paulistano dirige e "sonha" com o Gol, carro líder de vendas há 19 anos.
c) Os investimentos terão de passar obrigatoriamente pela conta corrente, o que implica na cobrança de
CPMF.
d) Deputados admitem e concordam com urgência de reforma fiscal.
e) Altas taxas de juros fazem empresários interessarem-se e desinteressarem-se pelo mercado externo.

22
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

1.
RESPOSTA: C

2.
RESPOSTA: E

3.
RESPOSTA: B

4.
RESPOSTA: B

5.
RESPOSTA: C

6.
RESPOSTA: E

7.
RESPOSTA: C

8.
RESPOSTA: A

9.
RESPOSTA: A

10.
RESPOSTA: E

23
LÍNGUA PORTUGUESA
Prof. Doutora ROSANE REIS PROMILITARES  AFA/EFOMM/EN  MÓDULO 13

11.
RESPOSTA: B

12.
RESPOSTA: B

13.
RESPOSTA: A

14.
RESPOSTA: D

15.
RESPOSTA: B

16.
RESPOSTA: D

17.
RESPOSTA: E

18.
RESPOSTA: A

24