Sie sind auf Seite 1von 41

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS E ENGENHARIA DE MATERIAIS


DISCIPLINA: SOLDAGEM
Prof a Sandra Andreia Stwart de Araujo Souza

Junção Metal/Cerâmica

Aula 17
Junção Metal/Cerâmica

✓ A junção metal/cerâmica
consiste em se produzir uma peça
na qual o componente cerâmico é
utilizado apenas na região em que
se necessita das propriedades da
cerâmica, ficando o componente
metálico responsável pela
tenacidade e complexidade
geométrica funcional.

Vela de ignição
Propriedades de alguns metais e cerâmicas
Fatores que Influenciam na Junção Metal/Cerâmica

❑ Confiabilidade do produto;
❑ Tensões Residuais;
❑ Confiabilidade da junção:
✓ Reações químicas;
✓ Vazios e áreas não ligadas
JUNÇÃO METAL/CERÂMICA

Junção Mecânica Junção Direta Junção Indireta

Difusão no
Parafusos Estado Sólido Adesiva

Encaixe Soldagem por Brasagem


fusão

Braçadeira Soldagem por


Atrito
Junção Mecânica
✓ Bastante utilizada em função de sua simplicidade,
reduzido custo, resistência a temperaturas moderadas
(430°C) e resistência mecânica entre 10 e 50MPa

✓ Restrições de projeto e grande probabilidade de


surgimento de locais com elevadas concentrações de
tensões, são algumas desvantagens do processo.
Junção Direta
Junção Direta

✓ É aquela em que não há necessidade de se introduzir um


terceiro material para possibilitar a formação da junta, que
pode se dar através do transporte de cargas na interface
dos materiais
Soldagem por Difusão no Estado Sólido

✓ O processo consiste em juntar as superfícies planas de dois


materiais e, sob ação de pressão e temperaturas elevadas,
promover a formação da interface sem a fusão dos
JUNÇÃO DIRETA

componentes.

✓ Os principais parâmetros
do processo que controlam a
difusão são: temperatura,
tempo e pressão, sendo a
temperatura o parâmetro mais
importante.
Soldagem por Difusão no Estado Sólido
(a) (c)
JUNÇÃO DIRETA

(b) (d)
a) As superfícies da cerâmica dura e do metal dúctil entram em contato
b) Sob alta tensão local, a superfície do metal escoa plasticamente
c) A deformação prossegue principalmente no metal reduzindo os vazios em
associação com a transferência de massa por difusão;
d) A ligação é formada
Soldagem por Difusão no Estado Sólido

Vantagens Desvantagens
 A microestrutura na área da  Requer considerável tempo
junta é exatamente a mesma em relação aos outros
dos materiais originais; processos para garantir a
união;
 Adequado para
componentes com  Os equipamento são caros
devido as exigências de alta
espessuras grandes e
temperatura e pressão em
uniformes vácuo
Soldagem por Fusão
✓ Técnica de junção direta fundamentada na fusão localizada de
um dos materiais (geralmente o metal) que normalmente ocorre
através de aquecimento por laser.
JUNÇÃO DIRETA

✓ O custo pode variar


bastante em função dos
materiais envolvidos

Componente
Componente Cerâmico
Metálico
Soldagem por Laser

Vantagens Desvantagens

 ZTA estreita;  Crescimento de grãos e


 Processo limpo, preciso, surgimento de tensões
residuais de origem
com grande flexibilidade e térmica
alta velocidade.
Soldagem por Atrito

✓ Dividido em duas etapas:

1ª - as duas superfícies de união são atritadas através da


JUNÇÃO DIRETA

rotação de uma delas sob a ação de uma pequena força de


atrito suficiente apenas para causar o aquecimento necessário
para concretização da união.

2ª - Após as superfícies de união estarem aquecidas, deixa de


existir um movimento de rotação sendo aplicada uma força de
compressão de elevada magnitude, denominada de força de
recalque.
A maior parte
das uniões entre
metal/cerâmica
executadas por
atrito, envolve
o ZrO2 com
ligas de alumínio
JUNÇÃO DIRETA
Hazman Seli, Mokhtar Awang, Ahmad Izani Md. Ismail, Endri Rachman, Zainal Arifn Ahmad. Evaluation of Properties
and FEM Model of the Friction Welded Mild Steel-Al6061-Alumina. Materials Research 16(2):453-467 · April 2013

Cu) para reduzir as tensões


residuais através da deformação
elástica e plástica da intercamada
Uso de intercamada dúctil (Al ou
Soldagem por Atrito de Aço Carbono-Al6061-Alumina
Soldagem por Atrito

Vantagens Desvantagens

 Não exige material de  Necessidade de preparação e


adição, nem fluxo e gás alinhamento dos componentes;
protetor;  Alto custo de equipamento;
 Para componentes maiores que
 ZTA estreita; 1m, máquinas especiais são
 Resistência mecânica da necessárias;
junta igual ou maior do que  Se o metal não se deforma
o componente de menor plasticamente nas condições
resistência impostas, não é possível a
realização da união.
Junção Indireta
JUNÇÃO INDIRETA

✓ Métodos nos quais se introduz uma material de adição


entre os materiais que se deseja unir.

✓ Este tipo de união permite uma ampla utilização,


abrangendo desde aplicações em que os requisitos
mecânicos e as temperaturas de trabalho são elevadas
(~500°C) até os casos cuja utilização trabalha na
temperatura ambiente e com moderada necessidade de
resistência mecânica.
JUNÇÃO ADESIVA
✓ Método simples e barato de unir cerâmicas a metais,
consistindo na utilização de um adesivo que, em geral, é aplicado
no estado líquido, passando por uma etapa de cura para ganhar
JUNÇÃO INDIRETA

rigidez e resistência mecânica.


✓ O processo de cura pode ser executado a temperatura
ambiente (frio) ou sob ação de calor (quente), dependendo do
tipo de adesivo utilizado.
Características de Alguns Adesivos para
Uniões Metal/Cerâmica
JUNÇÃO INDIRETA
BRASAGEM
✓ É o principal método de junção indireta, sendo utilizada
quando se necessita de juntas com elevada reprodutibilidade
mecânica e boa resistência a altas temperaturas, permitindo
JUNÇÃO INDIRETA

produção em série por um custo inferior à difusão no estado


sólido.
Classificação da Brasagem em função da
Temperatura (norma DIN 8505)
1600

Brasagem 1400 Ligas de adição dos sistemas:


em alta Au, Ni, Ag, Cu, Pd-Pt
temperatura 1200
(T>900°C)
JUNÇÃO INDIRETA

1000
Brasagem
dura 800 Ligas de adição a base de:
(450°C < T Al, Mg, Cu-Zn, Cu, Ag, Cu-P, Ni, Au
< 1100°C) 600

400
Brasagem Ligas de adição dos sistemas:
200
branda Ga, Bi, In, Sn-Pb, Sn, Pb, Cd, Zn, Al, Mg
(T<450°C) 0
Nas uniões metal/cerâmica, os processos
(°C) de interesse são brasagem dura e brasagem
em alta temperatura
Brasagem Dura (450°C < T < 1100°C)
JUNÇÃO INDIRETA: BRASAGEM DURA

✓ Pode ser executada com ou sem a presença de fluxo, em


atmosfera gasosa (gás redutor ou inerte), sob vácuo ou ao ar;

✓ As ligas de adição, em geral, são à base de Cu, Cu-Zn ou Ag;

✓ O aquecimento pode ser indutivo, em fornos resistivos, com


chama, através de laser ou feixe de elétrons, entre outros.
JUNÇÃO INDIRETA: BRASAGEM EM ALTA TEMPERATURA

Brasagem em Alta Temperatura (T > 900°C)

✓ Executada sempre em atmosfera protetora ou sob vácuo;

✓ Ligas de adição: à base de Ni, Cu e metal nobre (Au, Ag, Pd-


Pt);

✓ Aquecimento realizado em fornos resistivos, laser, feixe de


elétrons ou indução.
MOLHAMENTO
JUNÇÃO INDIRETA: BRASAGEM

(a) liga de adição sem molhabilidade; (b) liga de adição com molhabilidade
sobre o material
Molhamento das Cerâmicas

✓ Um dos principais problemas em uniões envolvendo


JUNÇÃO INDIRETA: BRASAGEM

cerâmicas resulta de sua pobre molhabilidade pela maioria dos


metais e ligas.

MÉTODOS PARA AUMENTAR A MOLHABILIDADE:

❑ Metalização das Cerâmicas (deposição metálica de pasta de Mo-


Mn, Deposição Física de Vapores (PVD) e Deposição Química de Vapores
(CVD)); BRASAGEM INDIRETA

❑ Aplicação de Liga de adição com elemento ativo (Ti, Zr, Hf).

BRASAGEM DIRETA
BRASAGEM DIRETA
JUNÇÃO INDIRETA: BRASAGEM METAL/CERÂMICA

✓ Caracterizada pela introdução de um elemento ativo na liga


de adição que reage quimicamente com a superfície cerâmica,
dissociando-a e levando a formação de uma interface metal/cerâmica;

✓ Processo largamente utilizado industrialmente, principalmente


por ser um processo de passo único e que não exige equipamentos
específicos e temperaturas muito elevadas.
BRASAGEM DIRETA

✓ Os materiais cerâmicos podem ser caracterizados pela


JUNÇÃO INDIRETA: BRASAGEM

ionicidade e/ou covalência de suas redes cristalinas (ligações


fortes);

✓ A interação de metais líquidos com sólidos cerâmicos é


possível apenas através da dissociação parcial ou completa das
ligações atômicas da cerâmica;
BRASAGEM DIRETA

✓ A superfície das cerâmicas óxidas (Al2O3, ZrO2, TiO2,


JUNÇÃO INDIRETA: BRASAGEM

SiO2, MgO), predominantemente iônicas, é formada por ânions


→ o molhamento depende da afinidade do metal líquido com o
oxigênio

✓ SOLUÇÃO: Adição de metais ativos, tais como Ti, In, Si, Al


e Mg e/ou lantanídeos (La, Ce), que exercem forte afinidade
química com oxigênio.

✓ Cerâmicas covalentes (Si3N4, SiC, BN) → a liga de adição


deve ter elementos com elevada afinidade aos átomos das
cerâmica. Ex.:W, Fe,Ti e Ta
Ângulo de Contato entre Cerâmica e a Liga de
Adição Líquida

A molhabilidade é medida em termos de ângulo de contato


BRASAGEM DIRETA

✓ A ativação do elemento reativo pode ocorrer de duas


maneiras:
❑ Ativação em alta temperatura;
JUNÇÃO INDIRETA

❑ Ativação mecânica

ATIVAÇÃO EM ALTA TEMPERATURA

Câmara em vácuo
Material Material
Solda ativa (SnAgTi) T = 850°-950°C
base I Base 1I
p = 10-2 – 10-3 Pa
Matriz eutética de Sn-Ag
Elemento Ativo
Nascimento, R. M.; Martinelli, A. E. Buschinelli, A. J. Caracterização Microestrutural de Juntas Al2O3/Fe-
Ni-Co/Aço Inoxidável Brasadas com Metal Ativo. Anais do 45° Congresso Brasileiro de Cerâmica, 2001

Juntas Al2O3/Fe-Ni-Co/Aço Inoxidável


Sob vácuo de 3,0 x 10-5 mbar

Al2O3

Liga de adição* A intercamada deve


Intercamada de se deformar
Fe-28Ni-18Co plasticamente
Liga de adição* acomodando as
tensões residuais e
minimizando os
Aço Inox 310 esforços de tração
no componente
cerâmico.
*Ag-34,25Cu-1,75Ti-1,0Sn
(Tliq = 806°C e Tsol = 775°C)
BRASAGEM DIRETA: Ativação Mecânica

Atmosfera: ao ar
JUNÇÃO INDIRETA: BRASAGEM

Ativação Mecânica T = 150° - 430°C


Matriz eutética
de Sn-Ag

Material Solda ativa Material


base I (SnAgTiCe) Base 1I
Elemento ativo : Ti
Metais que criam uma barreira de proteção para o elemento ativo: La, Ce, Y e Sm

Movimento Movimento Ativação Mecânica por:


linear/ de rotação/ ❑Vibração (50-50Hz);
oscilação oscilação ❑Ultrassom (20-60kHz);
❑Atrito
Fabricação de Junta por Ultrassom
JUNÇÃO INDIRETA: BRASAGEM

O sonotrodo não tem contato direto com o substrato


cerâmico
BRASAGEM INDIRETA
JUNÇÃO INDIRETA: BRASAGEM METAL/CERÂMICA

✓ Nesse processo a superfície cerâmica é inicialmente


metalizada, para em seguida ser brasada com uma liga de
adição convencional
✓ Os métodos mais amplamente empregados para
metalização de uniões metal/cerâmica são:

❑ Processo Mo-Mn
❑ Deposição Física de Vapores (PVD)
BRASAGEM INDIRETA: Processo Mo-Mn

✓ O processo Mo-Mn utiliza uma pasta contendo basicamente


um solvente, além dos pós de Mo e Mn e, em alguns casos, uma
fase vítrea adicional
JUNÇÃO INDIRETA

Composição de algumas pastas para metalização com Mo-Mn


Mo (% em peso) Mn (% em peso) Elementos Adicionais (% em peso)
80 20 -
80 10 10TiH2
80 - 20 vidro (MnO-Al2O3-SiO2)
75 20 5 Si
75 20 5 Mo2B5
75 20 5 vidro
70 17,5 3,5TiH2 e 9%Caolin
70 20 10 MoB4
PROCESSO DE METALIZAÇÃO POR MÉTODO Mo-Mn

Metalização da Cerâmica Substrato de Al2O3

Camada de Mo-17,5Mn-3,5TiH2-9%Caolin

Sinterização a 1450°C em atmosfera úmida de H2


Mn + H2 O → MnO + H2/ MnO + Al2 O3 → MnAl2 O4

Camada galvânica de Ni

Sinterização a 950°C em atmosfera de H2

Substrato Metálico (Fe-29Ni-17Co)


Brasagem em vácuo - Liga de adição: Ag-72Cu
Substrato Cerâmico (Al2O3) Metalizado

Junção Metal/Cerâmica
Metalização da Cerâmica
Substrato de Al2O3
PROCESSO DE METALIZAÇÃO POR PVD

Camada de filme fino (Ti, Zr, Hf) aplicada por PVD


Espessura 0,1 a 0,25 m
Camada de metal nobre (Au, Pd ou Pt)
Espessura 0,5 a 1,0 m

Substrato Metálico (Fe-29Ni-17Co)


Brasagem com Liga de Adição Convencional
Substrato Cerâmico (Al2O3) Metalizado

Junção Metal/Cerâmica
Resistência mecânica de Uniões Metal/cerâmica e
Cerâmica/Cerâmica
Vantagens

✓ Alta resistência mecânica e temperatura de serviço da junta.


✓ Simplicidade e fácil disponibilidade de equipamentos
JUNÇÃO INDIRETA

✓ Fácil automação do processo em escala industrial;


✓ Excelente condutividade térmica e elétrica;
✓ Custo reduzido;
✓ Possibilidade de se manter intactas as propriedades
intrínsecas do metal e da cerâmica