Sie sind auf Seite 1von 18
O DIREITO PRECISA DO SEU TALENTO. SIMULADO 1
O DIREITO PRECISA DO SEU TALENTO. SIMULADO 1
O DIREITO PRECISA DO SEU TALENTO. SIMULADO 1

O DIREITO PRECISA

DO SEU TALENTO.

O DIREITO PRECISA DO SEU TALENTO. SIMULADO 1

SIMULADO 1

O DIREITO PRECISA DO SEU TALENTO. SIMULADO 1
O DIREITO PRECISA DO SEU TALENTO. SIMULADO 1
O DIREITO PRECISA DO SEU TALENTO. SIMULADO 1

BEM-VINDO AO

SIMULADO 1

DO XXVIII EXAME DE ORDEM

BEM-VINDO AO SIMULADO 1 DO XXVIII EXAME DE ORDEM Vai realizar a prova objetiva da 1ª

Vai realizar a prova objetiva da 1ª fase do XXVIII Exame de Ordem?

Então, intensifique a sua preparação com os quatro simulados do CERS e acompanhe a evolução do seu desempenho até o dia da prova.

POR QUE FAZER O SIMULADO?

Essa é a forma mais simples para você testar seus conhecimentos, pois é possível reproduzir as mesmas condições do dia da prova e identificar pontos de melhoria para a 1ª Fase do Exame de Ordem. Vamos lá?

- Escolha um lugar silencioso e sem ninguém por perto. É importante não pedir ajuda, nem consultar qualquer material.

- O simulado é um aliado estratégico para sua aprendizagem. Concentre- -se e não tenha medo de errar.

- Após a prova, confira a análise do seu desempenho e aperfeiçoe os estudos.

DURANTE O SIMULADO, NÃO ESQUEÇA:

Administre o tempo – Gerencie as questões e o tempo que leva para respondê-las. Essa avaliação é importante Administre o tempo para que sobre minutos ao final da prova e você não seja surpreendido para que sobre minutos ao final da prova e você não seja surpreendido pelo relógio.

Identifique obstáculos – Não conseguiu responder alguma questão ou errou várias do mesmo assunto/disciplina? Tudo Identifique obstáculos isso faz parte do aprendizado. O importante é identificar os temas com mais dificuldade isso faz parte do aprendizado. O importante é identificar os temas com mais dificuldade e tirar todas as dúvidas após o simulado e antes do Exame.

Controle o nervosismo – Claro que o dia da prova é dife- rente, mas seguir à risca todas as recomendações do Simu- lado faz você entrar no clima da avaliação e perceber o que pode levar à desconcentração. Tente manter o equilíbrio e não deixar o nervosismo tomar conta.Controle o nervosismo

A cada simulado, reavalie todos os tópicos acima e acompanhe sua evolu- ção. Confie em você e acredite que a vitória está cada vez mais próxima. O Direito precisa do teu talento.

Vamos juntos!

próxima. O Direito precisa do teu talento. Vamos juntos! ALUNO OAB CERS TEM MUITO MAIS VANTAGENS
próxima. O Direito precisa do teu talento. Vamos juntos! ALUNO OAB CERS TEM MUITO MAIS VANTAGENS

ALUNO OAB CERS TEM MUITO MAIS VANTAGENS!

QUER

E APRIMORAR SUA PREPARAÇÃO PARA O

TER ACESSO AO SUPER SIMULADO

XXVII EXAME DE ORDEM?

Adquira já os cursos Teórico, Questões ou seus Combos e faça este mesmo simulado com estatísticas que lhe mostrarão sua performance por disciplina e por matéria!

SOU ALUNO DIFERENCIAIS OAB CERS NÃO SOU ALUNO OAB CERS QUESTÕES REAIS ESTATÍSTICAS EM GRÁFICOS
SOU ALUNO
DIFERENCIAIS
OAB CERS
NÃO SOU
ALUNO OAB CERS
QUESTÕES REAIS
ESTATÍSTICAS EM GRÁFICOS
RANKING
GESTÃO DE TEMPO EM
PLATAFORMA INTERATIVA
GABARITO
SIMULADO EM PDF
CORREÇÃO EM VÍDEO
ANÁLISE DE DESEMPENHO POR
DISCIPLINA E POR CONTEÚDO
SIMULADO 1   ESTATUTO E ÉTICA C) O licenciamento do profissional. PAULO MACHADO D) A
SIMULADO 1   ESTATUTO E ÉTICA C) O licenciamento do profissional. PAULO MACHADO D) A

SIMULADO 1

 

ESTATUTO E ÉTICA

C)

O licenciamento do profissional.

PAULO MACHADO

D)

A passagem para a reserva do quadro de advogados.

1.

Renato, advogado em início de carreira, é contacta-

4.

João Vítor e Ana Beatriz, ambos advogados, con-

do para defender os interesses de Rodrigo, que está detido em cadeia pública. Dirige-se ao local onde seu cliente está retido e busca informações sobre sua si- tuação, recebendo como resposta do servidor públi- co que estava de plantão que os autos do inquérito estariam conclusos com a autoridade policial e, por isso, indisponíveis para consulta e que deveria o ad- vogado retornar quando a autoridade tivesse libera- do os autos para realização de diligências. À luz das normas aplicáveis e de acordo com o en- tendimento do STF,

A) O advogado, diante do seu dever de urbanidade,

deve aguardar os atos cabíveis da autoridade policial.

B) O acesso aos autos, no caso, depende de procuração

e de prévia autorização da autoridade policial.

C) No caso de réu preso, somente com autorização

do juiz pode o advogado acessar os autos do inquéri- to policial. D) O acesso aos autos de inquérito policial é direito do advogado, mesmo sem procuração ou conclusos à au- toridade policial.

2. Mauro, advogado com larga experiência profis- sional, resolve contratar com emissora de televisão, um novo programa, incluído na grade normal de ho- rários da empresa, cujo título é “o Advogado na TV”, com o fito de proporcionar informações sobre a car- reira, os seus percalços, suas angústias, alegrias e comprovar a possibilidade de sucesso profissional. No curso do programa, inclui referência às causas ganhas, bem como àquelas ainda em curso e que podem ter repercussão no meio jurídico, todas es- sas vinculadas ao seu escritório de advocacia. Consoante as normas aplicáveis, é correto afirmar que:

A) A participação em programa televisivo está vedada

aos advogados.

B) A publicidade, como narrada, é compatível com as

normas do Código de Ética.

C) O advogado, no caso, deveria se limitar ao aspecto

educacional e instrutivo da atividade profissional. D) Programas televisivos são franqueados aos advo- gados, inclusive para realizar propaganda dos seus escritórios.

3. Fábio, advogado com mais de dez anos de efetiva

atividade, obtém a indicação e é empossado Con- selheiro do Tribunal de Contas do Estado de Per- nambuco. Diante disso, à luz das normas estatutá- rias ocorrerá:

A) O cancelamento da inscrição como advogado.

B) A suspensão até que cesse a incompatibilidade.

traem núpcias, mantendo o estado de casados por longos anos. Paralelamente, também mantêm socie- dade em escritório de advocacia. Por motivos vários, passam a ter seguidas altercações, com acusações mútuas de descumprimento dos deveres conjugais. Ana Beatriz, revoltada com as acusações desfecha- das por João Vitor, requer que a OAB promova ses- são de desagravo, uma vez que sua honra foi atingi- da por seu marido, em discussões conjugais. À luz das normas estatutárias,

A) Nenhum ato poderá ser realizado pela OAB, tendo

em vista que as ofensas não ocorreram no exercício da profissão de advogado.

B) O ato de desagravo depende somente da qualidade

de advogado do ofendido.

C) Sendo o ofensor advogado, o desagravo é permiti do

pelo estatuto.

D) O desagravo poderá ocorrer privadamente.

5. Francisco, advogado, dirige-se, com seu cliente, para participar de audiência em questão cível, de- signada para a colheita de provas e depoimento pes- soal. O ato fora designado para iniciar às 13 horas. Como é de praxe, adentraram o recinto forense com meia hora de antecedência, sendo comunica-

dos pelo Oficial de Justiça que a pauta de audiências continha dez eventos e que a primeira havia inicia- do às dez horas, já caracterizado um atraso de uma hora, desde a audiência inaugural.

A autoridade judicial encontrava-se presente no

foro desde as nove horas da manhã, para despa- chos em geral, tendo iniciado a primeira audiência no horário aprazado. Após duas horas de atraso,

Francisco informou, por escrito, ao Chefe do Cartó-

rio Judicial, que, diante do ocorrido, ele e seu cliente

estariam se retirando do recinto. Diante do narrado, à luz das normas estatutárias:

A) Qualquer atraso superior a uma hora justifica a reti-

rada do recinto, pelo advogado.

B) O advogado deveria, no caso narrado, peticionar ao

Magistrado e retirar-se do recinto.

C) O atraso que justifica a retirada do advogado está con-

dicionado à ausência da autoridade judicial no evento.

D) Meros atrasos da autoridade judicial não permitem a

retirada do advogado do recinto.

6. Em que caso o advogado pode ser suspenso pre-

ventivamente, de acordo com a legislação aplicável

ao exercício da advocacia?

A) Apenas depois do julgamento do recurso de ofício

pelo conselho seccional onde tiver a inscrição principal, com o resultado obtido por maioria simples;

recurso de ofício pelo conselho seccional onde tiver a inscrição principal, com o resultado obtido por
recurso de ofício pelo conselho seccional onde tiver a inscrição principal, com o resultado obtido por
SIMULADO 1 B) Pelo presidente da seccional onde tiver a inscrição principal, que recorrerá de
SIMULADO 1 B) Pelo presidente da seccional onde tiver a inscrição principal, que recorrerá de

SIMULADO 1

B) Pelo presidente da seccional onde tiver a inscrição

principal, que recorrerá de ofício ao tribunal de ética e disciplina;

C) Apenas em procedimento originário no Conselho Fe-

deral da OAB por maioria de 3/5 de seus membros;

D) Pelo tribunal de ética e disciplina do conselho seccio-

nal onde tenha inscrição principal, depois de ouvido em sessão para a qual deverá ser notificado a comparecer.

7. Em relação às incompatibilidades e impedimen-

tos dos advogados, assinale a opção correta.

A) O impedimento é a proibição total para o exercício da

atividade de advocacia, como é o caso dos membros do Poder Legislativo;

B) Os militares do Exército são impedidos de advogar

contra a União, mas não, contra as entidades da admi- nistração federal indireta;

10. Acerca do processo disciplinar, marque a alter-

nativa correta.

A) O processo disciplinar na OAB tramita em sigilo, só

tendo acesso as partes, seus advogados e a autoridade judiciária competente.

B) Os prazos, em regra, são de 20 dias.

C) O processo tem início somente por meio de repre-

sentação do cliente do advogado.

D) Cabe recurso diretamente ao Conselho Federal das

decisões proferidas pelo Tribunal de Ética e Disciplina.

FILOSOFIA

BERNARDO MONTALVÃO

11. De acordo com a doutrina de Tercio Sampaio

Ferraz Júnior, a hermenêutica jurídica:

C)

Os professores de direito nas universidades públicas

A)

É uma arte voltada ao esclarecimento do texto.

federais não são impedidos de advogar contra a União;

B)

Não é um dos tipos de dogmática jurídica.

D)

Os técnicos de atividade judiciária do Tribunal de Jus-

C)

É um tipo de tradução.

tiça Estadual podem exercer a advocacia, menos con- tra o Estado.

D)

É um campo da zetética jurídica

12.

Segundo a doutrina de Tercio Sampaio Ferraz

8. Assinale a opção correta de acordo com o Estatu-

to da Advocacia.

Júnior, o sistema jurídico possui quantas normas fundamentais?

A)

O advogado estrangeiro não pode em nenhuma hi-

A)

Uma

pótese se inscrever nos quadros da OAB;

B)

Duas

B)

O advogado deve promover a inscrição suplementar

C)

Cinco

nos conselhos seccionais em cujos territórios tenha atu-

D)

Diversas

ação em mais de 5 causas por ano;

 

C)

O exercício de atividade incompatível em caráter de-

finitivo implica a licença do profissional, restaurando- -se o número da inscrição anterior após a cessação da incompatibilidade;

 

DIREITO CONSTITUCIONAL

FLAVIA BAHIA

D)

A aprovação em concurso da Defensoria Pública

13.

No título referente à Ordem Social, o constituin-

Federal autoriza a obtenção da inscrição como ad- vogado sem que o interessado se submeta ao Exa- me de Ordem.

te dispôs o seguinte: “o Estado promoverá e incen- tivará o desenvolvimento científico, a pesquisa, a capacitação científica e tecnológica e a inovação”. Considerando-se a classificação das normas cons-

Carlos Dias, advogado que atua exclusivamen-

te em Belo Horizonte - MG, onde tem seu domi- cílio profissional e inscrição principal, foi procu-

9.

titucionais quanto a sua eficácia, é correto afirmar que tal dispositivo é uma norma.

rado por um cliente para patrocínio de uma ação

A)

De eficácia contida.

de despejo, na justiça estadual em Salvador - BA.

B)

De eficácia plena.

Com base nessa situação hipotética, assinale a

C)

Autoexecutável.

opção correta:

D)

Programática.

A)

O advogado poderá atuar desde que haja prévia co-

14.

De acordo com a Constituição Federal e a juris-

municação à OAB/BA, em até cinco dias, a partir da sua primeira atuação neste estado;

B) É proibida a atuação do advogado sem a prévia ins-

crição suplementar na OAB/BA;

C) O advogado poderá atuar na causa sem prévia ins-

crição na OAB/BA e sem comunicar o fato à OAB/MG;

D) A atuação regular do advogado em Salvador depen-

de de prévia autorização do Presidente da OAB/BA.

prudência, o habeas data pode ser impetrado

A) Por sindicato, em nome próprio, em substituição pro-

cessual, para obter dados de seus associados.

B) Mesmo que não tenha havido prévia negativa ou

inércia no fornecimento da certidão.

C) Para obter certidão de tempo de serviço junto ao

INSS em bancos de dados privados cujas informações não sejam restritas ao depositário.

de tempo de serviço junto ao INSS em bancos de dados privados cujas informações não sejam
de tempo de serviço junto ao INSS em bancos de dados privados cujas informações não sejam
SIMULADO 1 D) Somente pela pessoa em cujo nome constar o regis- tro, salvo se
SIMULADO 1 D) Somente pela pessoa em cujo nome constar o regis- tro, salvo se

SIMULADO 1

D) Somente pela pessoa em cujo nome constar o regis-

tro, salvo se for morto, quando, então, o herdeiro legíti- mo ou cônjuge supérstite poderão impetrá-lo.

15. Fernando, filho de pai brasileiro e mãe estran-

geira, atualmente com 35 (trinta e cinco) anos de idade, nasceu no estrangeiro e lá permanece até hoje, sem nunca ter visitado a República Federativa do Brasil. É correto afirmar que Fernando:

A) Deve ser considerado brasileiro nato, pelo só fato de

ser filho de pai brasileiro.

B) Pode naturalizar-se brasileiro, desde que venha a re-

sidir no Brasil.

C) Deve ser considerado brasileiro nato caso o seu pai

estivesse no exterior a serviço do Estado brasileiro.

D) Tornar-se-á brasileiro naturalizado caso venha a resi-

dir no Brasil e opte pela nacionalidade brasileira.

16. À luz da ordem jurídica vigente e considerando

a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, pode

propor ação declaratória de constitucionalidade:

A) Entidade de classe de âmbito nacional, sendo neces-

sária a comprovação de pertinência temática, podendo também propor mandado de segurança coletivo para a

defesa de direito líquido e certo de seus filiados com- patível com as finalidades institucionais da entidade, independentemente de autorização especial de seus associados, mas desde que a entidade esteja em fun- cionamento há pelo menos um ano.

B) Partido político, ainda que não tenha representação

no Congresso Nacional, sendo desnecessária a compro-

vação de pertinência temática, podendo também pro-

por mandado de segurança individual, desde que esteja em funcionamento há pelo menos um ano.

C) Entidade de classe, ainda que não seja de âmbito na-

cional, sendo necessária a comprovação de pertinência temática, podendo também propor mandado de segu- rança individual desde que esteja em funcionamento há pelo menos um ano.

D) O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do

Brasil, sendo necessária a comprovação de pertinência temática, podendo também propor mandado de segu- rança coletivo para a defesa de direito líquido e certo de seus filiados compatível com as finalidades institu- cionais da entidade, independentemente de autoriza- ção especial de seus membros.

17. Quanto à proposta de emenda constitucional, é INCORRETO afirmar que:

A) Quando a matéria nela constante é rejeitada ou ha-

vida por prejudicada, não pode ser objeto de nova pro- posta na mesma legislatura.

B) Será efetuada mediante proposta de um terço, no

mínimo, dos membros da Câmara dos Deputados ou do Senado Federal; do Presidente da República e de mais da metade das Assembleias Legislativas das unidades da Federação, manifestando-se, cada uma delas, pela maioria relativa de seus membros.

C) Não será objeto de deliberação aquela tendente a

abolir a forma federativa de Estado; o voto direto, secre- to, universal e periódico; a separação dos Poderes e os direitos e garantias individuais.

D) Será discutida e votada em cada Casa do Congresso

Nacional, em dois turnos, considerando-se aprovada se obtiver, em ambos, três quintos dos votos dos respecti-

BAIXE GRATUITAMENTE O APP DA SUA APROVAÇÃO + PROVAS ANTERIORES + RAIO-X (TEMAS RECORRENTES) +
BAIXE
GRATUITAMENTE
O APP DA SUA APROVAÇÃO
+ PROVAS ANTERIORES
+ RAIO-X (TEMAS RECORRENTES)
+ TRANSMISSÕES E DICAS CERTEIRAS
+ VADE MECUM ATUALIZADO
+ ÚLTIMAS NOTÍCIAS
ANTERIORES + RAIO-X (TEMAS RECORRENTES) + TRANSMISSÕES E DICAS CERTEIRAS + VADE MECUM ATUALIZADO + ÚLTIMAS
ANTERIORES + RAIO-X (TEMAS RECORRENTES) + TRANSMISSÕES E DICAS CERTEIRAS + VADE MECUM ATUALIZADO + ÚLTIMAS
SIMULADO 1 vos membros e será promulgada pelas Mesas da Câma- ra dos Deputados e
SIMULADO 1 vos membros e será promulgada pelas Mesas da Câma- ra dos Deputados e

SIMULADO 1

vos membros e será promulgada pelas Mesas da Câma- ra dos Deputados e do Senado Federal.

18. Matheus, Governador de determinado Estado,

no curso de seu mandato, decidiu concorrer às elei- ções para a Presidência da República. Nos termos da Constituição Federal, o mesmo

A) Deve renunciar ao respectivo mandato até seis me-

ses antes do pleito.

B) Deve renunciar ao respectivo mandato até três me-

ses antes do pleito. C) Não poderá concorrer às eleições presidenciais,

pois é necessário que governe o Estado até o final de seu mandato.

D) Deve renunciar ao respectivo mandato obrigatoria-

mente um ano antes do pleito.

19. A atual Constituição da República Federativa do

Brasil pode ser classificada como:

B) A apresentação da petição deve ocorrer dentro do

prazo de seis meses, a partir da data em que o presumi- do prejudicado em seus direitos tenha sido notificado da decisão definitiva, podendo tal condição ser relati-

vizada, por exemplo, se não existir ou for garantido, na legislação interna do Estado Parte, o devido processo le- gal para a proteção do direito ou direitos que se alegue tenham sido violados.

C) O esgotamento dos recursos internos visa respeitar

a soberania estatal, reconhecendo o caráter subsidiário da jurisdição internacional.

D) O esgotamento dos recursos locais ou internos não

admite, em hipótese alguma, a sua dispensa.

22. No que diz respeito do Pacto Internacional dos

Direitos Civis e Políticos − PIDCP, é correto afirmar:

A) O Estado brasileiro, até o presente momento, não ra-

tificou o Protocolo Facultativo ao PIDCP para instituir o mecanismo de petição individual das vítimas.

 

B)

Possui como mecanismo de monitoramento os re-

A)

Escrita, outorgada e liberal.

latórios elaborados pelos Estados-Partes sobre as me-

B)

Escrita, semântica e sintética.

didas adotadas para tornar efetivos os direitos civis e

C)

Normativa, sintética e cesarista.

políticos submetidos ao Conselho Econômico e Social.

D)

Promulgada, dogmática e analítica.

C)

O Protocolo Facultativo ao PIDCP institui mecanismo

 

de análise de petições de particulares que se conside-

 

DIREITOS HUMANOS

rem vítimas diretamente ao Comitê de Direitos Huma- nos por violações de direitos civis e políticos.

FLAVIA BAHIA

D)

O Protocolo Facultativo ao PIDCP também estabele-

20.

Assinale a alternativa que completa a frase cor-

ce expressamente, além do sistema de petições, pro- cedimento de investigação, procedimento interestatal e

retamente: A Comissão Interamericana de Direi- tos Humanos.

medidas provisionais ou cautelares.

A) Na hipótese de decidir pelo arquivamento de deter-

minado caso por ausência das condições de admissibili- dade, não há recurso disponibilizado à vítima.

B) É formada por sete membros, denominados Comis-

sários, eleitos para o exercício do cargo pelo período de

quatro anos, não sendo admitida a sua reeleição.

C) Em caso de violação a direitos humanos pode ser

acionada por petição da própria vítima ou de tercei- ros, incluindo as organizações não governamentais, não

sendo admitida, no entanto, a provocação feita por ou- tro Estado (demanda interestatal).

D) Em situações de gravidade e urgência, poderá, por ini-

ciativa própria ou a pedido da parte, solicitar que um Es- tado Parte adote medidas cautelares para prevenir danos irreparáveis às pessoas ou ao objeto do processo relativo a uma petição ou caso pendente, sendo sempre obrigató- rio, em tais situações, a oitiva prévia do Estado Parte.

DIREITO INTERNACIONAL

BRUNO VIANA

23. Suarez, colombiano, e Maria, mexicana, casal

domiciliado no México, vieram ao Brasil durante a Copa do Mundo para assistir aos jogos de suas sele- ções. Encantados com o país, o casal resolveu inves- tir 2 milhões de dólares em uma franquia da empre- sa brasileira fabricante de bolas Fuleco. Depois de fechado o contrato de franquia na cidade de Bue- nos Aires na Argentina, o casal retorna para o Méxi- co. Na hipótese da justiça brasileira ser competente para solucionar os conflitos desse contrato e houver dúvidas sobre a formalidade do contrato, qual a lei que deverá ser aplicada pelo juiz brasileiro, seguin- do as orientações da Lei de Introdução as Normas do Direito Brasileiro?

21.

No que tange as condições da admissibilidade

A)

A lei do Brasil.

da petição individual à Comissão Interamericana de

B)

A lei do México.

Direitos Humanos, é incorreto sustentar:

C)

A lei da Argentina.

D)

A lei da Colômbia.

A) A ausência de coisa julgada internacional objetiva im-

pedir o uso sucessivo de dois mecanismos internacio- nais de proteção de direitos humanos.

24. Bolovisky cidadão russo e de posse de um vis-

to do governo brasileiro, com duração de 2 meses,

direitos humanos. 24. Bolovisky cidadão russo e de posse de um vis - to do governo
direitos humanos. 24. Bolovisky cidadão russo e de posse de um vis - to do governo
SIMULADO 1 vem ao Brasil para assistir aos jogos da sua seleção na copa do
SIMULADO 1 vem ao Brasil para assistir aos jogos da sua seleção na copa do

SIMULADO 1

vem ao Brasil para assistir aos jogos da sua seleção na copa do mundo. Encantando com as belezas do litoral Nordestino, Bolovisky resolve permanecer no Brasil além do permitido pelo seu visto. Detido em

Caso houvesse a previsão de pagamento do impos- to sobre serviços municipais, o ato não ocorreria diante da denominada

uma abordagem de rotina da polícia por ter o visto

A)

Isenção

vencido, Bolovisky deverá ser:

B)

Imunidade

C)

Incidência

A)

Extraditado

 

D)

Imposição

B)

Expulso

 

C)

Deportado

 

28.

Assinale e alternativa correta a respeito da insti-

D)

Detido permanentemente no Brasil

 

tuição e cobrança de tributos.

 

A)

A anterioridade nonagesimal garante ao contribuin-

 

DIREITO TRIBUTÁRIO

JOSIANE MINARDI

te o interstício de tempo entre a publicação da lei ma- joradora do tributo e sua incidência apta a gerar obri- gações tributárias.

25.

É

correto

afirmar

sobre

a

contribuição

B)

É constitucional a exigência de depósito prévio de di-

de melhoria.

A) A contribuição relativa a cada imóvel situado na

zona beneficiada em função da obra pública não po-

derá ser inferior ao custo total da despesa realizada pelo ente tributante.

B) A contribuição de melhoria tem como fato gerador

a utilização, efetiva ou potencial, de obra ou do serviço

público específico e divisível, prestado ao contribuinte ou posto à sua disposição.

C) Por ocasião de seu lançamento, cada contribuinte

deverá ser notificado do montante da contribuição de

melhoria, da forma e dos prazos de seu pagamento e dos elementos que integram o respectivo cálculo.

D) A possibilidade de rateio da parcela do custo da obra

relativa a cada imóvel beneficiado pela obra pública equipara a contribuição de melhoria à natureza jurídi- ca da taxa.

26. Considere as assertivas abaixo:

nheiro ou bens para admissibilidade de recurso admi-

nistrativo cujo objeto seja o valor de taxa administrativa.

C) A exclusão do crédito tributário dispensa o cumprimen-

to das obrigações tributárias acessórias dele dependente.

D) Segundo o entendimento do Superior Tribunal de

Justiça, o parcelamento do débito tributário extingue o

crédito tributário.

DIREITO ADMINISTRATIVO

MATHEUS CARVALHO

29. A determinado servidor público foi concedi-

da licença em razão de ele preencher todos os re- quisitos exigidos. Contudo, no curso da licença, ele deixou de atender às condições exigidas para a ma- nutenção do benefício, o que implicou a extinção do ato administrativo de concessão da licença. Nessa situação hipotética, a modalidade de extin- ção de atos administrativos aplicada foi a

A) Convalidação.

I

- É cabível mandado de segurança para declarar

B) Anulação, em decorrência da imperatividade.

o

direito à compensação nas situações em que fo-

C)

Cassação.

rem impostas exigências ilegais pela autoridade ad- ministrativa ao direito do contribuinte de efetuá-la.

D)

Revogação.

II

- É incabível o mandado de segurança para con-

30.

Após colisão entre dois automóveis — um, da

validar a compensação tributária já realizada pelo contribuinte.

III - A concessão de fiança bancária ou seguro garan-

tia é causa de suspensão da exigibilidade do crédito

tributário, prevista no rol do art. 151 do Código Tri- butário Nacional.

É correto o que se afirma em:

administração pública, dirigido por servidor público efetivo; e outro, particular —, ficou comprovada a culpa exclusiva do particular. Nessa situação hipotética, arcará com o dano causado

A) Cada um dos envolvidos com seu respectivo prejuízo.

B) O servidor público subsidiariamente à administra-

A)

Somente as assertivas I e II estão corretas.

ção pública.

B)

Somente as assertivas I e III estão corretas.

C)

O particular, por ser essa situação uma hipótese de

C)

Somente as assertivas II e III estão corretas.

causa excludente da responsabilidade do ente público.

D)

Todas as assertivas estão corretas.

D)

A administração pública, em decorrência da respon-

27. Uma sociedade empresária celebra contrato de prestação de serviços a ser realizado por uma Autarquia.

sabilidade objetiva.

31. No que concerne a contratos administrativos,

assinale a assertiva verdadeira.

por uma Autarquia. sabilidade objetiva. 31. No que concerne a contratos administrativos, assinale a assertiva verdadeira.
por uma Autarquia. sabilidade objetiva. 31. No que concerne a contratos administrativos, assinale a assertiva verdadeira.
SIMULADO 1 A) A declaração de nulidade do contrato administrati- C) Leilão ou concorrência. vo
SIMULADO 1 A) A declaração de nulidade do contrato administrati- C) Leilão ou concorrência. vo

SIMULADO 1

A)

A declaração de nulidade do contrato administrati-

C)

Leilão ou concorrência.

vo opera retroativamente impedindo os efeitos jurídicos que ele, ordinariamente, deveria produzir, além de des- constituir os já produzidos.

D)

Pregão.

B)

Os contratos administrativos de que trata a Lei Fede-

DIREITO AMBIENTAL

ral nº 8.666/93 regulam-se pelas suas cláusulas e pelos

preceitos de direito público, não se lhes aplicando os

 

RAFAEL MATTHES

princípios da teoria geral dos contratos e as disposições

35.

Nos termos do disposto na Lei no 12.651/2012,

de direito privado.

assinale a alternativa correta.

C)

As cláusulas econômico-financeiras e monetárias dos

contratos administrativos poderão ser alteradas sem prévia concordância do contratado.

D) É prescindível que a minuta do futuro contrato inte-

gre o edital ou ato convocatório da licitação.

32. De acordo com o entendimento do STF, no

que se refere à inscrição de candidatos que pos- suam tatuagens gravadas na pele, não havendo lei que disponha sobre o tema, os editais de concur- sos públicos

A) Estão impedidos de restringi-la, com exceção dos casos em que essas tatuagens violem valores constitucionais.

B) Devem restringi-la com base na relação objetiva e di-

reta entre tatuagem e conduta atentatória à moral e aos

bons costumes.

C) Estão impedidos de restringi-la, para garantir o pleno

e livre exercício da função pública.

D) Devem restringi-la, quando se tratar de cargo efetivo

da polícia militar.

33. Analise as seguintes assertivas sobre o tomba- mento e assinale a alternativa correta:

A) O proprietário do bem imóvel tombado, que desejar

aliená-lo onerosamente, deverá oferecê-lo pelo mesmo

preço à União, ao Estado e ao Município em que o bem se encontrar, propiciando que esses exerçam, dentro do prazo de trinta dias, o direito de preferência.

B) O tombamento consiste em restrição parcial ao direi-

to de propriedade, na medida em que não impede ao proprietário o exercício dos direitos inerentes ao domí- nio e, em regra, não gera direito à indenização.

C) O tombamento é uma das formas de intervenção na

propriedade por meio da qual o Poder Público visa pro-

teger o patrimônio cultural brasileiro e incide apenas sobre bens imóveis e particulares.

D) O tombamento não gera restrições à vizinhança do

imóvel tombado, uma vez que a limitação imposta pelo

Poder Público é pessoal e intransferível.

34. Bem imóvel da União, que tiver sido adquirido

por meio de procedimento judicial e em relação ao qual não houver destinação pública, poderá ser alie- nado unicamente por meio de

A) Pregão ou leilão.

B) Pregão ou concorrência.

A) Não é permitido, em qualquer hipótese, o acesso de

pessoas e animais às Áreas de Preservação Permanente.

B) Não haverá, em qualquer hipótese, direito à regulari-

zação de futuras intervenções ou supressões de vege- tação nativa, além das previstas nesta Lei, nas Áreas de Preservação Permanente.

C) Não poderá ser autorizada, em qualquer hipótese, a su-

pressão de vegetação nativa protetora de nascentes, du- nas e restingas, nas Áreas de Preservação Permanente.

D) Os empreendimentos de abastecimento público de

água e tratamento de esgoto estão sujeitos à constitui- ção de Reserva Legal.

36. Beltrano Benedito estava andando por uma es-

trada rural e encontrou um filhote de Jaguatirica ferido. Levou-o para casa e, após cuidar dos feri- mentos, passou a criá-lo como se fosse seu animal doméstico. Em conformidade com o disposto na Lei no 9.605/1998, é correta a seguinte afirmação:

A) Como o animal iria morrer se não fosse socorrido,

Beltrano pode ficar com ele sem necessidade de licença ou autorização da autoridade ambiental.

B) Se Beltrano mantiver o animal sem licença ou autori-

zação da autoridade ambiental, estará praticando crime contra o meio ambiente, considerado inafiançável.

C) Beltrano deverá entregar o animal a uma autoridade

ambiental, pois não é possível obter permissão, licença

ou autorização para ficar com o animal.

D) A ação de Beltrano se tipifica como crime contra a

fauna, que o sujeita à pena de detenção e multa, mas o juiz, considerando as circunstâncias, poderá deixar de aplicar a pena.

DIREITO CIVIL

LUCIANO FIGUEIREDO

37. Vinícius, aos 12 (doze) anos de idade, foi atrope-

lado por conduta culposa de João. Vinícius, então, aos 18 (dezoito) anos de idade, ajuíza ação de repa- ração civil em face de João, sendo que este argui,

em sede de defesa, prescrição. Assinale a alternati- va correta:

A) A pretensão de Vinícius está prescrita, pois o prazo

prescricional de reparação civil é de três anos, tendo fin- dado quando Vinícius atingiu 15 (quinze) anos de idade.

B) A pretensão de Vinícius não está prescrita, pois não

corre prescrição em face de incapazes. Assim, o prazo

B) A pretensão de Vinícius não está prescrita, pois não corre prescrição em face de incapazes.
B) A pretensão de Vinícius não está prescrita, pois não corre prescrição em face de incapazes.
SIMULADO 1 prescricional começou a ser contado apenas quando Vi- do, exerce posse mansa e
SIMULADO 1 prescricional começou a ser contado apenas quando Vi- do, exerce posse mansa e

SIMULADO 1

prescricional começou a ser contado apenas quando Vi-

do, exerce posse mansa e pacífica por 2 (dois) anos,

A) Como não houve emprego de violência, João de

nícius atingiu 18 (dezoito) anos de idade. Logo, ajuizan- do a ação aos 18 (dezoito) anos, ainda está dentro do lapso temporal.

quando é expulso por um grupo armado comanda- do por Camila, proprietária do terreno, que só to- mou conhecimento da presença de João de Deus no

C)

A pretensão de Vinícius não está prescrita, pois não

imóvel no dia anterior à retomada.

corre prescrição em face dos absolutamente incapazes. Assim, o prazo prescricional começou a ser contado apenas quando Vinícius atingiu 16 (dezesseis) anos de

idade, sendo de três anos. Logo, ajuizando a ação aos

Diante do exposto, assinale a afirmativa correta.

Deus não pode ser inicialmente considerado possui-

18

(dezoito) anos, ainda está dentro do lapso temporal.

dor de má-fé.

D)

A pretensão de Vinícius não está prescrita, pois não

B)

João de Deus tem o direito de retomar a posse do

corre prescrição em face de absolutamente incapazes.

bem mediante o uso da força com base no desforço

Assim, o prazo prescricional começou a ser contado apenas quando Vinícius atingiu 16 (dezesseis) anos de

imediato, eis que agiu imediatamente após a ciência do ocorrido.

idade, sendo de cinco anos. Logo, ajuizando a ação aos

C)

Tendo em vista a ocorrência do lesão possessória,

18

(dezoito) anos, ainda está dentro do lapso temporal.

João de Deus deve ajuizar uma ação possessória con-

 

tra Camila no intuito de recuperar a posse que exercia.

38.

Sobre o a casamento, a união estável e o concu-

D)

Na condição de possuidor de boa-fé, João de Deus

binato, é correto afirmar que:

A) Os impedimentos matrimoniais, em sua integralida-

de, se aplicam à união estável.

B) O pacto antenupcial é um contrato, por instrumento

particular, através do qual se escolhe o regime de bens

do futuro casamento.

C) O concubinato é a relação eventual entre pessoas im-

pedidas de se casar.

D) A pessoa com deficiente mental ou intelectual em

idade núbia poderá contrair matrimônio, expressando

sua vontade diretamente ou por meio de seu respon- sável ou curador.

39.

va correta:

Acerca

das

sucessões,

assinale

a

alternati-

A) O direito sucessório nacional é guiado pela divisão

necessária. Assim é possível àquele que possui herdei-

ros necessários dispor de apenas 50% (cinquenta por cento) do seu patrimônio, sendo os outros 50% (cin- quenta por cento) legítima.

B) O cônjuge apenas concorrerá com os ascendentes

na sucessão se for casado com o falecido no regime de comunhão universal, comunhão parcial ou participação final nos aquestos.

C) São considerados herdeiros facultativos os colaterais

até o quinto grau.

D) A abertura da sucessão, a qual se dará com a morte,

ocasionará a automática transmissão do patrimônio do falecido aos herdeiros.

DIREITO CIVIL

ROBERTO FIGUEIREDO

40. João de Deus, à vista de todos e sem o empre-

go de qualquer tipo de violência, ocupa terreno va-

zio, constrói ali sua moradia e uma pequena horta para seu sustento, mesmo sabendo que o terreno é de propriedade de terceiros. Sem ser incomoda-

tem direito aos frutos e ao ressarcimento das benfeito- rias realizadas durante o período de exercício da posse.

41. Roberto e Luciano moram cada um em uma mar-

gem do rio Tatuapé. Com o passar do tempo, as chu- vas, as estiagens e a erosão do rio alteraram a área da propriedade de cada um. Dessa forma, Roberto começou a se questionar sobre o tamanho atual de sua propriedade (se houve aquisição/diminuição), o que deixou Luciano enfurecido, pois nada havia feito para prejudicar Jeremias. Ao mesmo tempo, Luciano também começou a notar diferenças em seu terreno na margem do rio. Ambos questionam se não deve- riam receber alguma indenização do outro. Sobre a situação apresentada, assinale a afirmativa correta.

A) Trata-se de aquisição por aluvião, uma vez que cor-

responde a acréscimos trazidos pelo rio de forma su-

cessiva e imperceptível, não gerando indenização a ninguém.

B) Se for formada uma ilha no meio do rio Tatuapé, per-

tencerá ao proprietário do terreno de onde aquela por-

ção de terra se deslocou.

C) Trata-se de aquisição por avulsão e cada proprietário

adquirirá a terra trazida pelo rio mediante indenização do outro ou, se ninguém tiver reclamado, após o perío- do de um ano.

D) Se o rio Tatuapé secar, adquirirá a propriedade da

terra aquele que primeiro a tornar produtiva de alguma maneira, seja como moradia ou como área de trabalho. do promitente comprador do imóvel.

DIREITO CIVIL

CRISTIANO SOBRAL

42. Considere as seguintes afirmativas sobre o tema

dos contratos no âmbito do Código Civil.

I - Não pode ser objeto de contrato a herança de pessoa viva.

sobre o tema dos contratos no âmbito do Código Civil. I - Não pode ser objeto
sobre o tema dos contratos no âmbito do Código Civil. I - Não pode ser objeto
SIMULADO 1 II - Se o contrato for aleatório, por dizer respeito a existir um
SIMULADO 1 II - Se o contrato for aleatório, por dizer respeito a existir um

SIMULADO 1

II

- Se o contrato for aleatório, por dizer respeito a

existir um dos contratantes assuma, terá o outro

C)

Não se aplica ao referido oficial a regra do Código

coisas ou fatos futuros, cujo risco de não virem a

direito de receber integralmente o que lhe foi pro- metido, mesmo que de sua parte tenha agido com dolo ou culpa, ainda que nada do avençado venha

Civil segundo a qual o agente que atua para remover perigo iminente pode ser chamado a indenizar terceiro inocente. D) Conforme disposição do Código Civil, o oficial teria o dever de indenizar o dono do imóvel no valor integral

a

existir.

dos prejuízos existentes, tendo direito de regresso con-

III

- O contrato preliminar, exceto quanto à forma,

tra o responsável pelo incêndio.

deve conter todos os requisitos essenciais ao con- trato a ser celebrado.

IV - No momento da conclusão do contrato, pode

uma das partes reservar-se a faculdade de indicar

a pessoa que deve adquirir os direitos e assumir as obrigações dele decorrentes. Estão CORRETAS apenas as alternativas

A) I e II.

B) II e III.

C) II e IV.

D) I, III e IV.

43. Um oficial do corpo de bombeiros arrombou a

porta de determinada residência para ingressar no imóvel vizinho e salvar uma criança que corria grave perigo em razão de um incêndio. A respeito dessa si- tuação hipotética e conforme a doutrina dominante

e o Código Civil, assinale a opção correta.

A) O oficial tem o dever de indenizar o proprietário do

imóvel danificado, devendo o valor da indenização ser mitigado em razão da presença de culpa concorrente.

B) O ato praticado pelo oficial é ilícito porque causou

prejuízo ao dono do imóvel, inexistindo, entretanto, o

dever de indenizar, dada a ausência de nexo causal.

ECA

CRISTIANE DUPRET

44. Maria, em uma maternidade na cidade de São Paulo, manifesta o desejo de entregar Juliana, sua filha recém-nascida, para adoção. Assim, Maria, en- caminhada para a Vara da Infância e da Juventude, após ser atendida por uma assistente social e por uma psicóloga, é ouvida em audiência, com a assis- tência do defensor público e na presença do Minis- tério Público, afirmando desconhecer o pai da crian- ça e não ter contato com sua família, que vive no interior do Ceará, há cinco anos. Assim, após Maria manifestar o desejo formal de entregar a filha para adoção, o Juiz decreta a extinção do poder familiar, determinando que Juliana vá para a guarda provi- sória de família habilitada para adoção no cadastro nacional. Passados oito dias do ato, Maria procura um advogado, arrependida, afirmando que gostaria de criar a filha. De acordo com o ECA, Maria poderá reaver a filha?

A) Sim, uma vez que a mãe poderá se retratar até a data

da publicação da sentença de adoção.

Pós-graduação ONLINE E PRESENCIAL Turmas 2019.1 | Matrículas Abertas Caio Paduan ator
Pós-graduação
ONLINE E PRESENCIAL
Turmas 2019.1 | Matrículas Abertas
Caio Paduan
ator
da sentença de adoção. Pós-graduação ONLINE E PRESENCIAL Turmas 2019.1 | Matrículas Abertas Caio Paduan ator
da sentença de adoção. Pós-graduação ONLINE E PRESENCIAL Turmas 2019.1 | Matrículas Abertas Caio Paduan ator
SIMULADO 1 B) Sim, pois ela poderá se arrepender até 10 dias após a data
SIMULADO 1 B) Sim, pois ela poderá se arrepender até 10 dias após a data

SIMULADO 1

B) Sim, pois ela poderá se arrepender até 10 dias após

a data de prolação da sentença de extinção do po-

der familiar.

C) Não, considerando a extinção do poder familiar

por sentença.

D) Não, já que Maria somente poderia se retratar até a

data da audiência, quando concordou com a adoção.

45. A Declaração Universal dos Direitos da Criança

reconhece como necessária ao desenvolvimento completo e harmonioso das crianças e dos adoles- centes a necessidade de cuidados e um ambiente de afeto e de segurança moral e material, o que priori- tariamente deve ocorrer na companhia e sob a res- ponsabilidade dos pais. Mas, em circunstâncias ex- cepcionais, a criança ou o adolescente podem ser confiados às chamadas famílias substitutas. A respeito da colocação de criança ou adolescente em família substituta, segundo os termos do Esta- tuto da Criança e do Adolescente, assinale a afirma- tiva correta.

A) O ECA disciplina procedimento específico para a co-

locação em família substituta de criança ou adolescente

indígena, que requer, obrigatoriamente, a intervenção e oitiva de representantes de órgão federal responsável pela política indígena e de antropólogos.

B) A criança ou adolescente será prévia e necessariamen-

te ouvida pela equipe interprofissional no curso do pro-

cesso, dispensando-se o consentimento da criança ou adolescente, que será substituído pelo parecer da equipe.

C) A colocação da criança ou adolescente em família

substituta, por ser de caráter provisório e precário, exi-

me o guardião ou o tutor dos deveres de companhia e guarda, que poderão ser transferidos a terceiros.

D) A guarda e a tutela são as únicas modalidades de co-

locação da criança ou adolescente em família substituta,

que pode ser nacional ou estrangeira, sendo a adoção medida de colocação em família definitiva, não em famí-

lia substituta.

DIREITO DO CONSUMIDOR

CRISTIANO SOBRAL

46. De acordo com a jurisprudência dominante no

Superior Tribunal de Justiça,

A) O Estado tem responsabilidade civil nos casos de

morte de custodiado em unidade prisional, desde que se prove a culpa in vigilando.

B) A operadora de saúde não é responsável por

eventuais falhas na prestação de serviços pelo pro-

fissional credenciado.

C) A inclusão indevida do nome de consumidor em cadas-

tro de proteção ao crédito gera dano moral indenizável, desde que se comprove efetivo prejuízo extrapatrimonial.

D) As instituições financeiras respondem objetivamen-

te pelos danos gerados por fortuito interno relativo a

fraudes e delitos praticados por terceiros no âmbito de operações bancárias.

47. A respeito da prescrição e da decadência nas re-

lações de consumo, assinale a opção correta.

A) Na ação ordinária em que o consumidor almeje a res-

tituição em dobro das tarifas de água e esgoto, a perda da pretensão ocorre em cinco anos.

B) O prazo decadencial conferido ao consumidor para

reclamar das inadequações dos produtos e serviços na

hipótese de vício aparente ou de fácil constatação diver- ge daquele previsto para reclamações por vícios ocultos.

C) A reclamação verbal do vício do produto ou do ser-

viço feita pelo consumidor ao fornecedor por telefone

não obsta o prazo decadencial, pois o CDC exige que a comunicação seja comprovada por escrito.

D) Na demanda coletiva amparada em direitos difu-

sos dos consumidores, bem como nas de direito cole- tivo em sentido estrito em que haja indisponibilidade do direito material tutelado, a pretensão é considera- da imprescritível.

DIREITO EMPRESARIAL

FRANCISCO PENANTE

48. Ícaro Falcão, 17 anos, casado, emancipado, pretende, como empresário individual, explorar o ramo de varejo de artigos esportivos. Porém, inda- ga-lhe se pode, sem a assistência de um maior de 18 anos, efetuar as formalidades para o arquiva- mento dos atos constitutivos no Registro Público de Empresas Mercantis.

A) A incapacidade absoluta superveniente do empresá-

rio extingue a empresa e sujeita ao resultado dela os bens a ele pertencentes anteriormente.

B) O sócio capaz é o representante legal do sócio rela-

tivamente incapaz nos atos de administração que este vier a praticar.

C) O menor de 18 e maior de 16 anos, casado, pode

exercer a atividade de empresário. Mas, se praticar ato tipificado como crime falimentar, submeter-se-á às re- gras do ECA.

D) O exercício de fato de atividade empresária que pro-

picia ao seu autor, menor de 18 e maior de 16 anos, estabelecer-se por economia própria não induz a capa- cidade empresária.

49. Sobre o estabelecimento empresarial e as for-

malidades acerca do trespasse, assinale a alterna- tiva correta.

A) O contrato que tenha por objeto a alienação do esta-

belecimento empresarial, produzirá efeitos com relação

a terceiros mesmo que não seja averbado à margem da inscrição do empresário ou da sociedade empresária.

B) O contrato que tenha por objeto a alienação, o usu-

fruto ou arrendamento do estabelecimento, só produ-

B) O contrato que tenha por objeto a alienação, o usu- fruto ou arrendamento do estabelecimento,
B) O contrato que tenha por objeto a alienação, o usu- fruto ou arrendamento do estabelecimento,
SIMULADO 1 zirá efeitos quanto a terceiros depois de averbado à margem da inscrição do
SIMULADO 1 zirá efeitos quanto a terceiros depois de averbado à margem da inscrição do

SIMULADO 1

zirá efeitos quanto a terceiros depois de averbado à margem da inscrição do empresário, ou da sociedade empresária, no Registro Público de Empresas Mercan- tis, e de publicado na imprensa oficial.

C) O contrato que tenha por objeto a alienação do es-

tabelecimento, só produzirá efeitos quanto a terceiros depois de averbado à margem da inscrição do empre- sário, ou da sociedade empresária, no Registro Público de Empresas Mercantis, e de publicado na imprensa ofi-

cial. No caso do o usufruto ou arrendamento, tais provi- dências não se fazem necessárias.

D) O contrato que tenha por objeto a alienação do es-

tabelecimento, só produzirá efeitos quanto a terceiros depois de averbado à margem da inscrição do empre- sário, ou da sociedade empresária, no Registro Públi- co de Empresas Mercantis, e de publicado na imprensa oficial. No caso do o usufruto, apenas, tais providências não se fazem necessárias.

50. Após o falecimento do constituidor da Pernam-

buco Tintas EIRELI – EPP, os herdeiros iniciaram uma grande batalha judicial. A referida EIRELI era admi- nistrada por uma pessoa diversa da do de cujus, que se recusou a exibir os livros e papéis de escrituração aos eventuais sucessores. Considerando a situação hipotética, assinale a al- ternativa correta no que diz respeito a escrituração, nos termos do Código Civil.

A) O juiz só poderá autorizar a exibição integral dos li-

vros e papéis de escrituração quando necessária para

resolver questões relativas a sucessão, comunhão ou sociedade, administração ou gestão à conta de outrem, ou em caso de falência.

B) O juiz só poderá autorizar a exibição integral dos li-

vros e papéis de escrituração quando necessária para resolver, apenas, questões relativas a sucessão.

C) O juiz só poderá autorizar a exibição integral dos li-

vros e papéis de escrituração quando necessária para

resolver, apenas, questões relativas a falência.

D) O juiz só poderá autorizar a exibição integral dos li-

vros e papéis de escrituração quando necessária para resolver, apenas, questões relativas a gestão à conta de outrem.

51. Roberval Ataíde pretende explorar o ramo de

transporte rodoviário, de forma individual e sem que os seus bens particulares sejam afetados à em- presa, ou seja, através da constituição de empresa individual de responsabilidade limitada. Sobre a EIRELI, assinale a alternativa incorreta.

A) A empresa individual de responsabilidade limitada

será constituída por uma única pessoa titular da tota-

lidade do capital social, devidamente integralizado, que não será inferior a 100 (cem) vezes o maior salário-míni- mo vigente no país.

B) O nome empresarial da empresa individual de respon-

sabilidade limitada deverá ser formado pela inclusão da

expressão "EIRELI" após a firma ou a denominação so-

cial da empresa individual de responsabilidade limitada.

C) A pessoa natural que constituir empresa individual

de responsabilidade limitada poderá figurar mais de

uma empresa dessa modalidade.

D) A empresa individual de responsabilidade limitada

também poderá resultar da concentração das quotas de outra modalidade societária num único sócio, indepen- dentemente das razões que motivaram tal concentração.

52. Sobre o prazo para o ajuizamento da ação reno-

vatória, assinale a alternativa correta.

A) Do direito a renovação decai aquele que não propu-

ser a ação no interregno de um ano, no máximo, até

três meses, no mínimo, anteriores à data da finalização do prazo do contrato em vigor.

B) Do direito a renovação decai aquele que não propu-

ser a ação no interregno de um ano, no máximo, até dois meses, no mínimo, anteriores à data da finalização do prazo do contrato em vigor.

C) Do direito a renovação decai aquele que não propu-

ser a ação no interregno de dois anos, no máximo, até seis meses, no mínimo, anteriores à data da finalização do prazo do contrato em vigor.

D) Do direito a renovação decai aquele que não pro-

puser a ação no interregno de um ano, no máximo, até seis meses, no mínimo, anteriores à data da finalização do prazo do contrato em vigor.

PROCESSO CIVIL

ANDRÉ MOTA

53. Findo o contrato de depósito entre Álvaro e Joa-

quim, este último negou-se em devolver o bem cus- todiado. Assim, Álvaro resolve ajuizar ação fundada em prova documental adequada do contrato de de- pósito, requerendo a devolução do bem. Dada a si- tuação hipotética, é correto afirmar:

A) Não é possível determinar a entrega provisória do

bem ao autor sem a oitiva do réu, sob pena de ferir o

direito ao contraditório.

B) A entrega provisória do bem estará condicionada à

prova da urgência.

C) O juiz poderá determinar, liminarmente, a ordem de

entrega do objeto custodiado.

D) A entrega do bem somente poderá ser feita ao final,

após o trânsito em julgado da decisão.

54. João e Maria são casados e possuem escritório

de advocacia na cidade de Ipojuca, Pernambuco. Apenas os dois advogados possuem procuração de um dos resorts da região para atuar em ação conde- natória proposta por um cliente insatisfeito. Considerando que não houve acordo entre as par- tes quando da audiência de conciliação, abriu-se

prazo para a contestação. No segundo dia do prazo,

entre as par - tes quando da audiência de conciliação, abriu-se prazo para a contestação. No
entre as par - tes quando da audiência de conciliação, abriu-se prazo para a contestação. No
SIMULADO 1 Maria deu à luz a Lucas, primeiro filho do casal. Nesse caso, diante
SIMULADO 1 Maria deu à luz a Lucas, primeiro filho do casal. Nesse caso, diante

SIMULADO 1

Maria deu à luz a Lucas, primeiro filho do casal. Nesse caso, diante das normas do Código de Pro- cesso Civil:

lado apenas se tiver havido instrução. Se o juiz homolo- gar a desistência, a sentença não resolverá o mérito.

D) Depende da aceitação de Henrique e pode ser for-

A)

O prazo deve ser interrompido.

mulado até a sentença, que, se homologar a desistên- cia, não resolverá o mérito.

B)

O prazo deve ser suspenso por 30 (trinta) dias.

C)

O prazo deve fluir normalmente.

58. Sobre os recursos, assinale a única afirmati-

D)

O prazo deve ser suspenso por 8 (oito) dias.

va correta:

55.

Acerca da resposta do réu e, considerando as

A) A apelação, como regra, não tem efeito suspensivo.

disposições do novo Código de Processo Civil, é cor- reto afirmar:

A) Incumbe ao réu alegar, na contestação, toda a ma-

téria de defesa, expondo as razões de fato e de direito com que impugna o pedido do autor e especificando as provas que pretende produzir.

B) O juiz conhecerá de ofício de todas as matérias sus-

citadas em preliminar de contestação, dado ao fato de serem matérias de ordem pública.

C) Quando alegar sua ilegitimidade, incumbe ao réu, em

peça específica, nomear à autoria, indicando o sujeito

passivo da relação jurídica discutida sempre que tiver conhecimento, sob pena de arcar com as despesas pro- cessuais e de indenizar o autor pelos prejuízos decor- rentes da falta de indicação.

D) O ônus da impugnação especificada dos fatos aplica-

-se ao defensor público, ao advogado dativo e ao cura- dor especial.

PROCESSO CIVIL

SABRINA DOURADO

56. Sobre os Juizados Especiais Cíveis e da Fazenda

Pública, é correto afirmar que:

A) Nos Juizados Especiais Cíveis e da Fazenda Públi- ca, a competência é fixada pelo critério relativo do va- lor da causa.

B) O incapaz não pode ser parte nos processos perante

os Juizados Especiais Cíveis.

C) Nos Juizados Especiais da Fazenda Pública, somente

será admitido recurso contra a sentença. D) Nos Juizados Especiais Cíveis, apenas é possível a execução de seus próprios julgados.

57. Renato ajuizou ação de cobrança contra Henri-

que. Apresentada contestação, Renato requereu a desistência da ação. O pedido:

A) Depende da aceitação de Henrique e pode ser for-

mulado até a sentença, que, se homologar a desistên- cia, resolverá o mérito.

B) Independe da aceitação de Henrique e pode ser for-

mulado apenas se a causa versar sobre direitos dispo- níveis. Se o juiz homologar a desistência, a sentença re- solverá o mérito.

C) depende da aceitação de Henrique e pode ser formu-

B) As decisões interlocutórias não recorríveis imediata-

mente por agravo de instrumento deverão ser questio- nadas em preliminar de recurso de apelação.

C) Os embargos infringentes foram preservados no

CPC/2015.

D) O juízo de admissibilidade do recurso de apelação

deve ser realizado perante o juízo de primeira instância.

DIREITO PENAL

CRISTIANE DUPRET

59. Juarez, com a intenção de causar a morte de um

casal de vizinhos, aproveita a situação em que o ma- rido e a esposa estão juntos, conversando na rua,

e joga um artefato explosivo nas vítimas, sendo a

explosão deste material bélico a causa eficiente da morte do casal. Apesar de todos os fatos e a auto- ria restarem provados em inquérito encaminhado ao Ministério Público com relatório final de indicia- mento de Juarez, o Promotor de Justiça se mantém inerte em razão de excesso de serviço, não apresen- tando denúncia no prazo legal. Depois de vários me- ses com omissão do Promotor de Justiça, o filho do casal falecido procura o advogado da família para adoção das medidas cabíveis. No momento da apresentação de queixa em ação penal privada subsidiária da pública, o advogado do filho do casal, sob o ponto de vista técnico, de acor- do com o Código Penal, deverá imputar a Juarez a prática de dois crimes de homicídio em

A) Concurso material, requerendo a soma das penas

impostas para cada um dos delitos.

B) Concurso formal, requerendo a exasperação da pena

mais grave em razão do concurso de crimes.

C) Continuidade delitiva, requerendo a exasperação da

pena mais grave em razão do concurso de crimes.

D) Concurso formal, requerendo a soma das penas im-

postas para cada um dos delitos.

60. Roberta, enquanto conversava com Robson, afir-

mou categoricamente que presenciou quando Caio

explorava jogo do bicho, no dia 03/03/2017. No dia seguinte, Roberta contou para João que Caio era um “furtador”. Caio toma conhecimento dos fatos, pro- cura você na condição de advogado(a) e nega tudo

o que foi dito por Roberta, ressaltando que ela só

queria atingir sua honra.

na condição de advogado(a) e nega tudo o que foi dito por Roberta, ressaltando que ela
na condição de advogado(a) e nega tudo o que foi dito por Roberta, ressaltando que ela
SIMULADO 1 Nesse caso, deverá ser proposta queixa-crime, im - putando a Roberta a prática
SIMULADO 1 Nesse caso, deverá ser proposta queixa-crime, im - putando a Roberta a prática

SIMULADO 1

Nesse caso, deverá ser proposta queixa-crime, im- putando a Roberta a prática de

nitiva, oriunda de sentença publicada 4 anos antes, pela prática do crime de lesão corporal culposa pra- ticada na direção de veículo automotor. Ao final da

A) Reconhecimento do perdão judicial.

A)

1 crime de difamação e 1 crime de calúnia.

instrução, Cássio confessa integralmente os fatos,

B)

1 crime de difamação e 1 crime de injúria.

dizendo estar arrependido e esclarecendo que “per-

C)

2 crimes de calúnia.

deu a cabeça” no momento do crime, sendo certo

D)

1 crime de calúnia e 1 crime de injúria.

que está trabalhando e tem 03 filhos com menos de 10 anos de idade que são por ele sustentados.

61.

Wellington pretendia matar Ronaldo, camisa 10

Apenas com base nas informações constantes, o(a)

e

melhor jogador de futebol do time Bola Cheia, seu

advogado(a) de Cássio poderá pleitear, de acordo

adversário no campeonato do bairro. No dia de um jogo do Bola Cheia, Wellington vê, de costas, um jo- gador com a camisa 10 do time rival. Acreditando ser Ronaldo, efetua diversos disparos de arma de

com as previsões do Código Penal, em sede de ale- gações finais,

fogo, mas, na verdade, aquele que vestia a camisa

B) O reconhecimento da atenuante da confissão, mas

10 era Rodrigo, adolescente que substituiria Ronal-

nunca sua compensação com a reincidência.

do naquele jogo. Em virtude dos disparos, Rodri-

C)

A substituição da pena privativa de liberdade por res-

go faleceu.

tritiva de direitos, apesar de o agente ser reincidente.

Considerando a situação narrada, assinale a opção

D)

O afastamento da agravante da reincidência, já que

que indica o crime cometido por Wellington.

o crime pretérito foi praticado em sua modalidade cul-

A) Homicídio consumado, considerando-se as caracte-

rísticas de Ronaldo, pois houve erro na execução.

posa, e não dolosa.

64. Catarina leva seu veículo para uma determina-

B)

Homicídio consumado, considerando-se as caracte-

da entidade autárquica com o objetivo de realizar

rísticas de Rodrigo.

a fiscalização anual. Carlos, funcionário público que

C)

Homicídio consumado, considerando-se as caracte-

exerce suas funções no local, apesar de não encon-

rísticas de Ronaldo, pois houve erro sobre a pessoa.

trar irregularidades no veículo, verificando a inex-

D)

Tentativa de homicídio contra Ronaldo e homicídio

periência de Catarina, que tem apenas 19 anos de

culposo contra Rodrigo.

idade, exige R$ 5.000,00 para “liberar” o automóvel sem pendências.

62.

Analise os fragmentos a seguir:

Catarina, de imediato, recusa-se a entregar o valor devido e informa o ocorrido ao superior hierárqui-

I.

João constrange Maria, por meios violentos, a

co de Carlos, que aciona a polícia. Realizada a pri-

ter com ele relação sexual. Em virtude da violên- cia empregada para a consumação do ato, Maria

são em flagrante de Carlos, a família é comunicada sobre o fato e procura um advogado para que ele

sofre lesões corporais de natureza grave que a le- vam a óbito.

preste esclarecimentos sobre a responsabilidade penal de Carlos.

II.

Joaquim constrange Benedita, por meio de grave

Diante da situação narrada, o advogado da família

ameaça, a ter com ele relação sexual. Após o coito

Benedita falece em decorrência de ataque cardíaco, pois padecia, desde criança, de cardiopatia grave,

de Carlos deverá esclarecer que a conduta pratica- da por Carlos configura, em tese, crime de

condição desconhecida por Joaquim.

A)

Corrupção passiva consumada.

A

partir das situações apresentadas nos fragmentos

B)

Concussão consumada.

I e II, os delitos cometidos são, respectivamente,

C)

Corrupção passiva tentada.

D)

Concussão tentada.

A) Estupro qualificado pelo resultado morte.

 

B) Estupro em concurso com lesão corporal seguida de

morte e estupro simples.

 

PROCESSO PENAL

C)

Estupro qualificado pelo resultado morte e estupro

ANA CRISTINA MENDONÇA

em concurso com homicídio preterdoloso. D) Estupro qualificado pelo resultado morte e estu- pro simples.

Enquanto organizava procedimentos que se en-

contravam no cartório de determinada Vara Cri- minal do Tribunal de Justiça de Alagoas, o servidor

65.

63.

Cássio foi denunciado pela prática de um crime

identifica que há um inquérito em que foram rea-

de dano qualificado, por ter atingido bem municipal (Art. 163, parágrafo único, inciso III, do CP – pena:

lizadas diversas diligências para apurar crime de ação penal pública, mas não foi obtida justa causa

detenção de 6 meses a 3 anos e multa), merecendo destaque que, em sua Folha de Antecedentes Crimi- nais, consta uma única condenação anterior, defi-

para o oferecimento da denúncia, o que motivou o Delegado de Polícia a opinar, inclusive, pelo arqui- vamento em seu relatório final. Verificada tal situa-

motivou o Delegado de Polícia a opinar, inclusive, pelo arqui - vamento em seu relatório final.
motivou o Delegado de Polícia a opinar, inclusive, pelo arqui - vamento em seu relatório final.
SIMULADO 1 ção e com base nas previsões do Código de Processo Penal, caberá ao:
SIMULADO 1 ção e com base nas previsões do Código de Processo Penal, caberá ao:

SIMULADO 1

ção e com base nas previsões do Código de Processo Penal, caberá ao:

A) Juiz realizar diretamente o arquivamento, tendo em vista que já houve representação nesse sentido por par-

te da autoridade policial, cabendo contra a decisão re- curso em sentido estrito.

B) Promotor de justiça apresentar promoção pelo ar-

quivamento, uma vez que vinculado à manifestação da

autoridade policial, cabendo ao juiz analisar os autos e, concordando, homologar o pedido formulado pelo Mi- nistério Público.

C) Delegado de polícia, em caso de concordância do

juiz, realizar diretamente o arquivamento após retorno do inquérito policial para delegacia. D) Promotor de justiça apresentar promoção pelo ar- quivamento, cabendo ao juiz analisar os autos e, con- cordando, homologar o pedido formulado no âmbito do Ministério Público.

66. Mévio, durante um mês, foi vítima de crime de ameaça, processável por ação penal pública, condicio- nada à representação. As ameaças eram feitas por car- ta, mensagens de celular e ligações telefônicas a par- tir de número de pessoa desconhecida. No dia 20 de janeiro de 2017, enquanto dirigia, ele recebeu, via ce- lular, vídeo mostrando seu carro, saindo há pouco da garagem do prédio onde se encontrava, seguido das palavras: “estou atrás de você”. Em desespero, Mévio bate o carro e, com ferimentos sérios, após passar por cirurgia, fica internado. Impossibilitado de compare- cer à Delegacia, a esposa de Mévio noticia o fato à au- toridade policial. O delegado, após instaurar inquérito policial, acaba por identificar através de câmeras de

segurança instauradas em logradouro público, o veí- culo que se encontrava acompanhando o carro de Mé- vio no dia do acidente, bem como a pessoa em nome

de quem referido veículo possuía registro. Tratava-se um vizinho de bairro, Olímpio, que, meses antes, teve com Mévio uma discussão calorosa, durante um jogo

de futebol. Olímpio é intimado a comparecer em sede

policial e, em 10 de fevereiro de 2017, confessa ser o autor das ameaças, mas disse que tudo não passara de uma brincadeira. Mévio, ainda internado, contra-

ta advogado e outorga a ele poderes especiais para

representar contra o vizinho, para que fosse proces- sado e condenado pelo crime de ameaça praticado.

O advogado contratado por Mévio comparece à De-

legacia, para representar contra o vizinho, somente em 05 de agosto de 2017, tendo juntado a procuração. Passado um tempo, Mévio e o vizinho, em uma nova partida de futebol, reconciliam-se e passam a bradar a todos que tudo não passou de uma brincadeira. Mé- vio, agora pessoalmente, comparece à Delegacia, em 10 de outubro de 2017, e se retrata da representação anteriormente apresentada, dizendo não mais querer processar o amigo. Diante da situação hipotética, assinale a alterna- tiva correta, levando em conta o Código de Pro- cesso Penal

A) A representação, por previsão legal, pode ser objeto

de retratação, desde que a vítima se retrate antes do prazo de seis meses, contados da data da representa- ção. Tendo se retratado no prazo, o vizinho não mais poderá ser processado pelo crime praticado.

B) A representação, por previsão legal, só pode ser feita

pessoalmente, pela própria vítima. Assim sendo, a re-

TEÓRICO EXTENSIVO + RESOLUÇÃO DE QUESTÕES + INTENSIVO OAB + SUPERINTENSIVO OAB + TIRA-DÚVIDAS +
TEÓRICO EXTENSIVO
+
RESOLUÇÃO
DE QUESTÕES
+
INTENSIVO OAB
+
SUPERINTENSIVO OAB
+
TIRA-DÚVIDAS
+
FECHANDO ÉTICA
EXTENSIVO + RESOLUÇÃO DE QUESTÕES + INTENSIVO OAB + SUPERINTENSIVO OAB + TIRA-DÚVIDAS + FECHANDO ÉTICA
EXTENSIVO + RESOLUÇÃO DE QUESTÕES + INTENSIVO OAB + SUPERINTENSIVO OAB + TIRA-DÚVIDAS + FECHANDO ÉTICA
SIMULADO 1 presentação feita pelo advogado de Mévio, ainda que com procuração específica, não possui
SIMULADO 1 presentação feita pelo advogado de Mévio, ainda que com procuração específica, não possui

SIMULADO 1

presentação feita pelo advogado de Mévio, ainda que com procuração específica, não possui validade.

C) A representação, por previsão legal, deve ser feita no

prazo máximo de seis meses da data em que se des- cobrir o autor do fato, sob pena de decadência. Tendo sido feita dentro do prazo, ainda que mediante procu-

ração específica, é regular e retratável, desde que antes do oferecimento da denúncia.

D) A representação, por previsão legal, não pode ser ob-

jeto de retratação. Assim, ainda que arrependido e re- conciliado com o autor do fato, Mévio não poderá voltar atrás da decisão de processá-lo.

67. Vânia, analista judiciária que trabalhava com a

juíza do Tribunal do Júri de Florianópolis, recebeu, para análise, duas ações penais logo após o ofereci- mento da denúncia por parte do Ministério Público. Na primeira, imputava-se o crime de infanticídio à Defensora Pública Estadual Ana, que teria pratica- do o fato naquela comarca. Na segunda, imputava- -se o crime de homicídio doloso qualificado ao juiz de direito Tício, delito esse que seria relacionado ao cargo. Tício atuava junto ao Tribunal de Justiça de Santa Catarina, na Comarca de Blumenau/SC, mas o fato teria ocorrido no Paraná. Ao receber os proce- dimentos, Vânia verifica que a Constituição Estadual do Estado de Santa Catarina prevê foro por prerro- gativa de função aos Defensores Públicos do Esta- do, que devem ser julgados pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Com base na situação hipotética narrada, ao analisar o procedimento, Vânia deveria verificar que o juízo em que atuava:

A) Não era competente para processar ambas as ações

penais, pois deveria a denúncia em desfavor de Ana ser

oferecida perante o Tribunal de Justiça de Santa Catari- na, e a denúncia em desfavor de Tício, perante o Tribu- nal de Justiça do Paraná.

B) Era competente para processamento da ação penal

em desfavor de Ana, mas não em desfavor de Tício, que deveria ter sido denunciado perante o Tribunal de Justi- ça de Santa Catarina.

C) Era competente para processamento da ação penal

em desfavor de Ana, mas não em desfavor de Tício, que deveria ter sido denunciado perante o Tribunal de Jus- tiça do Paraná.

D) Não era competente para processar ambas as ações

penais, pois deveriam as denúncias ser oferecidas pe- rante o Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina.

68. Após a prisão em flagrante de Alfredo pelo crime

de tráfico de drogas, já que ele teria sido encontrado enquanto trazia consigo grande quantidade de dro-

gas, os policiais militares incentivaram o preso, alge- mado, no interior da viatura policial, sem assegurar

o direito ao silêncio, a confessar os fatos. Diante do incentivo, o preso confirmou seu envolvimento com

a associação criminosa que dominava o tráfico da lo-

calidade, sendo a declaração filmada pelos policiais

sem que Alfredo tivesse conhecimento. Após denún- cia, o Ministério Público acostou ao procedimento o vídeo da filmagem do celular realizada pelos poli- ciais. Durante a instrução, Alfredo alegou que o ma- terial entorpecente era destinado ao seu uso. Diante da situação narrada, o vídeo com a filmagem do celu- lar do policial deve ser considerado prova

A) Ilícita, gerando como consequência a substituição do

juiz que teve acesso a ela, não sendo necessário, po- rém, que seja desentranhada dos autos. B) Lícita, sendo a confissão a rainha das provas, de modo que deverá prevalecer sobre os demais elemen- tos probatórios produzidos durante a instrução.

C) Ilícita, devendo ser desentranhada do processo, ape-

sar de os atos anteriores da prisão em flagrante serem considerados válidos à instauração do inquérito e ao oferecimento da denúncia.

D) Lícita, mas caberá ao juiz responsável pela senten-

ça atribuir o valor que entenda adequado a essa prova.

69. Perante a 1ª Vara Criminal da Comarca X, cor- reu processo cautelar em que se investigava a prá- tica de crimes gravíssimos de organização crimino- sa, tráfico de drogas e lavagem de dinheiro, o qual culminou em denúncia de vários acusados, inclusi- ve, empresários de grande influência na cidade e no Estado. O juiz titular do órgão, entretanto, acometi- do de doença grave, é afastado por motivo de licen- ça médica. Por tal razão, durante o procedimento, diversos juízes participaram do feito: João profe- riu decisões autorizando medidas cautelares antes mesmo da denúncia; Pedro foi o responsável pelo recebimento da denúncia e por analisar o teor das respostas à acusação apresentadas pelas defesas; Matheus participou da audiência de instrução, ou- vindo as testemunhas e interrogando os réus. Após apresentação das alegações finais, diante da com- plexidade do processo e dos inúmeros volumes, o Tribunal de Justiça do Estado decidiu criar uma 5ª Vara Criminal, especificamente para julgamento desse processo, de forma a viabilizar ao juiz à época em exercício na 1ª Vara Criminal pudesse dar anda- mento aos demais processos ali em curso. A delibe- ração do Tribunal de Justiça era a de criação de uma Vara temporária que, após a sentença, seria extinta. Com base na situação exposta, a criação da 5ª Vara Criminal com o objetivo de proferir sentença no processo complexo

A) Não é válida, cabendo a Matheus proferir a sentença

em razão do princípio da identidade física do juiz.

B) Não é válida, cabendo a João proferir a sentença em

razão do princípio da identidade física do juiz.

C) É válida, podendo ela ser extinta logo após a publica-

ção da sentença, nos termos previstos no ato do Tribu-

nal de Justiça.

D) Não é válida, cabendo a Pedro proferir a sentença

em razão do princípio da identidade física do juiz.

Justiça. D) Não é válida, cabendo a Pedro proferir a sentença em razão do princípio da
Justiça. D) Não é válida, cabendo a Pedro proferir a sentença em razão do princípio da
SIMULADO 1 DIREITO DO TRABALHO RAFAEL TONASSI 70. Depois de trabalhar por cinco anos na
SIMULADO 1 DIREITO DO TRABALHO RAFAEL TONASSI 70. Depois de trabalhar por cinco anos na

SIMULADO 1

DIREITO DO TRABALHO

RAFAEL TONASSI

70. Depois de trabalhar por cinco anos na empre-

sa Duda Ltda., Romeu está se sentindo desmoti- vado e pretende procurar um novo trabalho. No entanto, não quer pedir demissão e, explicando a situação para o empregador, pede para ser dispen- sado. O empregador afirma que não tem intensão de dispensá-lo. Diante desse impasse, e conside- rando as hipóteses de rescisão do contrato de tra- balho previstas em lei, com as inovações da Lei n°

13.467/2017,

A) A única solução é Romeu pedir demissão, perdendo

o direito à multa de 40% do FGTS, ao aviso prévio e não podendo levantar os depósitos do FGTS.

B) Romeu pode pleitear a rescisão indireta do contrato

de trabalho, tendo em vista que o ato do empregador caracteriza justa causa, com o recebimento de todas as

verbas rescisórias e levantamento integral dos depósi- tos do FGTS. C) Romeu e Dukilo Atacadista Ltda. podem fazer um acordo para a rescisão do contrato de trabalho, sendo que o empregado receberá multa de 20% do FGTS, me- tade do aviso prévio indenizado e a integralidade das demais verbas trabalhistas, e poderá movimentar 80% do valor dos depósitos do FGTS.

D) O desinteresse de Romeu pelo trabalho caracteriza

insubordinação, podendo o empregador dispensá-lo por justa causa, com a perda dos direitos rescisórios.

71. Considerando as diversas hipóteses de respon-

sabilização pelos direitos trabalhistas dos emprega-

dos, previstas em lei,

A) O sócio retirante responde subsidiariamente pelas

obrigações trabalhistas da sociedade relativas ao perío-

do em que figurou como sócio, somente em ações ajui- zadas até dois anos depois de averbada a modificação

do contrato, observada a ordem de preferência estabe- lecida em lei: a empresa devedora, os sócios atuais e os sócios retirantes.

B) As empresas integrantes do grupo econômico, por se

caracterizarem como empregador único, com interes- ses e atuação conjunta, têm responsabilidade solidária pelas obrigações decorrentes da relação de emprego.

C) A empresa contratante é subsidiariamente respon-

sável pelas obrigações trabalhistas dos empregados da

contratada, desde que os serviços terceirizados sejam determinados e específicos.

D) O sócio retirante responderá de forma exclusiva

quando comprovada fraude na alteração societária para sua saída, ainda que tenha havido a correta aver- bação da modificação do contrato.

72. Orlando, pedreiro, trabalha na loja Delta S/A,

que possui trezentos empregados. Pretende se can- didatar ao cargo de representante dos empregados

na nova modalidade de comissão de representação de empregados, com a finalidade de promover o en- tendimento direto com seu empregador. Tendo em vista a Lei n° 13.467/2017,

A) Nesta modalidade não está prevista a estabilidade

provisória no emprego, razão pela qual, mesmo eleito,

Osmar poderá ser despedido a qualquer momento.

B) Osmar não poderá sofrer despedida arbitrária so-

mente se for eleito para o cargo de representante dos empregados, até um ano após o fim do mandato.

C) Osmar não poderá sofrer despedida arbitrária, des-

de o registro de sua candidatura até um ano após o fim do mandato. D) Osmar poderá sofrer despedida arbitrária, desde que eleito e homologada a rescisão contratual pelo sin- dicato profissional.

73. Luiz, pintor, 59 anos de idade, foi informado pela

sua empregadora, a Fábrica lonas Alfa Ltda., que go- zaria suas férias vencidas de forma fracionada em três períodos, sendo o primeiro de 14 dias, com iní- cio em 13/11/2017, uma 2ª feira. Sabendo que Luiz labora oito horas diárias e quarenta e quatro horas semanais, de acordo com a CLT, alterada pela Lei n°

13.467/2017,

A) Luiz deve concordar com o fracionamento de suas

férias, sendo que os demais períodos não poderão ser

inferiores a cinco dias corridos, cada um.

B) Luiz, mesmo concordando com o fracionamento, não

poderá gozá-las desta forma, uma vez que aos maiores

de 50 anos somente é possível o gozo de férias conce- didas de uma só vez.

C) Luiz deve concordar com o fracionamento de suas fé-

rias, e também que o início em dois dias que antecedem feriado não é óbice para gozá-las. D) O pagamento das férias, de cada período, bem como do abono pecuniário, será efetuado até cinco dias antes do início do respectivo período.

74. Carla escorregou em uma escada em sua casa ,

sofrendo fraturas que exigiram seu afastamento do trabalho por 45 dias. Recebeu auxílio doença nor- mal. Após a alta do INNS retornou às suas ativida- des, mas um mês depois a empresa lhe concedeu férias, tendo em vista que o término do período concessivo estava próximo. Em relação ao contrato de trabalho, os períodos de afastamento de Catari- na caracterizam, respectivamente

A) Interrupção durante 15 dias, suspensão durante 30

dias e interrupção.

B) Suspensão durante 15 dias, interrupção durante 30

dias e suspensão.

C) Suspensão, suspensão durante 45 dias e suspensão.

D) Interrupção, interrupção durante 45 dias e interrupção.

C) Suspensão, suspensão durante 45 dias e suspensão. D) Interrupção, interrupção durante 45 dias e interrupção.
C) Suspensão, suspensão durante 45 dias e suspensão. D) Interrupção, interrupção durante 45 dias e interrupção.
SIMULADO 1 75. Após ter dispensado o empregado Alberto, que 77. O Banco Alfa S/A
SIMULADO 1 75. Após ter dispensado o empregado Alberto, que 77. O Banco Alfa S/A

SIMULADO 1

75. Após ter dispensado o empregado Alberto, que

77. O Banco Alfa S/A não enviou preposto para a au-

trabalhou na empresa por 6 anos, Prata Transportes Ltda. resolve reconsiderar o aviso prévio, informan-

diência designada logo após a distribuição da recla- mação, embora estivesse presente o seu advogado,

do ao empregado que, em razão disso, o contrato de trabalho permanecerá vigorando normalmente. Glauber não concorda com o empregador e, consi-

com procuração. Nesta situação, o reclamado é con- siderado quanto à matéria

derando o contrato de trabalho rescindido, requer

A)

Fática, confesso mas não revel.

que o mesmo lhe pague as verbas rescisórias devi-

B)

Fática, revel e confesso.

das. Em relação à situação de Alberto

C)

Fática, nem revel nem confesso.

D)

Fática, revel mas não confesso.

A)

Considerando que o contrato de trabalho dele é

por prazo indeterminado, não há que se falar em re-

78.

Em relação ao procedimento sumaríssimo na

consideração do aviso prévio, eis que tal possibilida- de refere-se aos contratos por prazo determinado, em relação aos quais o legislador privilegia seu cum- primento até o prazo fixado pelas partes quando da contratação.

B) Dado o aviso prévio, não há que se falar em reconsi-

deração do mesmo, pois o contrato de trabalho é con- siderado extinto quando da concessão do aviso, sendo que a projeção do seu prazo se refere apenas a paga- mentos de verbas trabalhistas e rescisórias.

C) A reconsideração do aviso prévio é possível e carac- teriza ato unilateral da parte que teve a iniciativa na res- cisão do contrato de trabalho, não havendo que se falar em aceitação da outra parte.

D) A aceitação da reconsideração do aviso prévio dado

por uma das partes é faculdade da outra parte e, por- tanto, com a recusa de Alberto o contrato de trabalho será extinto ao término do período do aviso prévio, sen- do devidas as verbas rescisórias.

PROCESSO DO TRABALHO

ARYANNA LINHARES

Justiça do Trabalho, é INCORRETO afirmar que

A) Não se fará citação por edital, incumbindo ao autor a

correta indicação do nome e do endereço do reclamado.

B) O pedido deverá ser certo ou determinado e indicará

o valor correspondente.

C) As demandas em que é parte a administração pública

direta, autárquica e fundacional também podem se sub- meter ao procedimento sumaríssimo, se o valor pleitea- do não exceder a quarenta vezes o salário mínimo.

D) As testemunhas, até no máximo de duas para cada

parte, comparecerão à audiência de instrução e julga- mento independentemente de intimação.

79. A empresa Tetra, durante a execução definitiva

de um processo em que é parte, teve parte de seus bens penhorados. A executada apresentou embar-

gos à execução por não concordar com os cálculos do exequente, os quais foram homologados. O juiz da execução, decidindo os embargos, deles não co- nheceu, em razão de considerá-los intempestivos. Dessa decisão caberá

 

A)

Recurso de revista.

76.

De acordo com a Consolidação das Leis do Tra-

B)

Recurso ordinário.

balho, apresentada a exceção de incompetência

C)

Embargos declaratórios.

D)

Agravo de petição.

A) O juiz intimará o reclamante para manifestação no

prazo de 24 horas prorrogáveis por igual período.

B) O juiz intimará o reclamante para manifestação no

prazo de 5 dias.

80. No processo trabalhista NÃO caberá recurso

adesivo em face de

C)

O juiz intimará o reclamante para manifestação no

A)

Recurso de embargos.

prazo de 48 horas improrrogáveis.

B)

Recurso de revista.

D)

O juiz intimará o reclamante para manifestação no

C)

Agravo de instrumento.

prazo de 48 horas prorrogáveis por igual período.

D)

Recurso ordinário.

no C) Agravo de instrumento. prazo de 48 horas prorrogáveis por igual período. D) Recurso ordinário.
no C) Agravo de instrumento. prazo de 48 horas prorrogáveis por igual período. D) Recurso ordinário.