Sie sind auf Seite 1von 16

CENTRO UNIVERSITÁRIO DOS GUARARAPES

ESCOLA ENGENHARIAS, TECNOLOGIAS E EXATAS


Graduação em Engenharia Civil

RAFAEL AMARO DA SILVA

Analise comparativa de custo da Sapata Corrida e Radies em


residência de até quatro pavimentos

Recife, PE
2019
CENTRO UNIVERSITÁRIO DOS GUARARAPES
ESCOLA ENGENHARIAS, TECNOLOGIAS E EXATAS
Graduação em Engenharia Civil

RAFAEL AMARO DA SILVA

Analise comparativa de custo da Sapata Corrida e Radies em


residência de até quatro pavimentos

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado


ao Curso de graduação em Engenharia Civil, da
Escola de Engenharias e Tecnologias do Centro
Universitário dos Guararapes – UniFG - para
obtenção do título de Bacharel em Engenharia
Civil.

Orientador: Prof. Ricardo Gonçalves de Castro

Recife, PE
2019
RAFAEL AMARO DA SILVA

Analise comparativa de custo da Sapata Corrida e Radies em


residência de até quatro pavimentos

BANCA EXAMINADORA:

Orientador:

______________________________________
Prof.
Centro Universitário dos Guararapes

Examinadores:

______________________________________
Professor (a) examinador (a) externo (a)
Nome da instituição

______________________________________
Professor (a) examinador (a) interno (a)
Nome da instituição

Recife, PE
2019
DEDICATÓRIA

Dedico primeiramente exclusivamente a Deus essa trajetória e longa caminhada até


aqui e pelo trabalho executado pois sem ele nada do que foi feite existiria, pois ele é
o meu orientador principal, segundo aos meus pais, Maria do Socorro Costa da Silva
e Eronildo Amaro da Silva que me ajudaram e me apoiaram na minha escolha, a minha
noiva Ângela Aparecida dos Santos, pela paciência, e apoio a mim concedido nos
momentos de dificuldades, aos amigos e companheiro de turma que juntos lutamos
por um só objetivo, aos professores que muitos nos ajudaram, passando os
conhecimentos necessários para tornamos um cidadão e um grande profissional
AGRADECIMENTOS

Ao meu Deus por mais uma vitória alcançada e por todos os feitos na minha vida.

A minha família meu pai Eronildo amaro da Silva e minha mãe Maria do socorro costa
da silva, minha irmã Natalia Maria da Silva.

A minha noiva Ângela Aparecida dos Santos por todo apoio e concelho e por ter me
ajudado muito nessa jornada.

Aos meus familiares que me ajudaram de forma direta e indireta na minha formação.

Aos professores Ricardo Gonçalves de Castro pela orientação e pelo constante


estimulo transmitido durante a elaboração da dissertação.

Ao professor Romulo Fontoura de Oliveira pelos concelhos e pelas orientação junto a


esse trabalho

Aos amigos e a todos que colaboraram direta ou indiretamente, na execução deste


trabalho.
Analise comparativa de custo da Sapata Corrida e Radies em residência de até
quatro pavimentos

Rafael Amaro da Silva

RESUMO

O presente estudo tem como objetivo realizar um analise comparativo de custo entre
as fundações dos tipos Radies e Sapata Corrida no que concernem, a economia,
tempo de execução e aplicabilidade, buscando chegar no melhor resultado para uma
possível execução. Segundo a NBR 6122, a fundação rasa ou direta é um elemento
estrutural em que a carga é transmitida ao terreno predominantemente pelas pressões
distribuídas sob a base da mesma, e em que a profundidade de assentamento em
relação ao terreno adjacente é inferior a duas vezes a menor dimensão da fundação.
A fundação é a parte mais importante de uma edificação, pois, ela vai ser responsável
por suportar todas as cargas da edificação, distribuindo linear mente as tenções sobre
o solo, evitando possíveis instabilidade. A escolha da fundação será em função da
economia, segurança e resistência. Com base nessas informações, escolher-se a
opção que for mais acessível a economia, que tenha um prazo de execução menor e
que atenda todas as diretrizes anteriormente apresentadas O fator importante para
escolha da fundação é definido nos seguintes pontos: sobre que solo será construído
a fundação, daí inicia-se o estudo do solo com analise de SPT (Standard Penetration
Test ou Ensaio de Sondagem à Percussão), para obter informações sobre tenção
admissível, tipo e a resistência do solo, que irá receber a fundação que melhor se
adeque ao projeto. Sabendo-se que na maioria das edificações do programa MCMV
utilizam-se fundações superficiais (ou rasa), no devido estudo analisaremos um
estudo comparativo deste tipo de fundação, que tem como meta expor uma solução
mais eficiente para esse empreendimento, visando a segurança e custos diretos.

Palavras-chaves: Frases Sapata Corrida. Radier


Comparative analysis of the cost of Running Shoe and Radies in residence of
up to four decks

Rafael Amaro da Silva

ABSTRACT

The present study has as objective to perform a comparative analysis of cost between
the foundations of the Radies and Running Shoe types with regard to economy,
execution time and applicability, trying to arrive at the best result for a possible
execution. According to NBR 6122, the shallow or direct foundation is a structural
element in which the load is transmitted to the ground predominantly by the pressures
distributed under the base thereof, and wherein the settling depth in relation to the
adjacent land is less than twice the smaller size of the foundation. The foundation is
the most important part of a building because it will be responsible for supporting all
loads of the building, distributing linearly the tensions on the ground, avoiding possible
instability. The choice of foundation will depend on economy, safety and endurance.
Based on this information, choose the option that is more accessible to the economy,
which has a shorter lead time and meets all the guidelines previously presented. The
important factor for choosing the foundation is defined in the following points: on which
soil will be built the foundation starts to study the soil with SPT (Standard Penetration
Test), to obtain information about permissible tenure, type and soil resistance, which
will receive the foundation that best suits to the project. Since it is known that most of
the buildings of the MCMV program are based on superficial (or shallow) foundations,
in this study we will analyze a comparative study of this type of foundation, which aims
to expose a more efficient solution for this project, aiming at safety and direct costs.

Key words: Phrases Running Shoe. Radier


INTRODUÇÃO

Este artigo tem como objetivo o analise de comparação de custo entre as fundações
direta dos tipos: sapata corrida e o radier, onde Segundo a NBR 6122, a fundação
rasa ou direta é um elemento estrutural em que a carga é transmitida ao terreno
predominantemente pelas pressões distribuídas sob a base da mesma, e em que a
profundidade de assentamento em relação ao terreno adjacente é inferior a duas
vezes a menor dimensão da fundação.
Segundo Velloso e Lopes (2004), as fundações em radier são utilizadas quando as
áreas das sapatas se aproximam umas das outras ou mesmo interpenetram (em
consequência de cargas elevadas nos pilares e/ou de tensões de trabalho baixas) ou
quando se deseja uniformizar os recalques (através de uma fundação associada),
mostrado na figura 1

Figura (a) fonte www.atosarquitetura.com.br

Segundo a NBR 6122/ 2010, a sapata corrida são estrutura sujeita à ação de uma
carga distribuída linearmente ou de pilares ao longo e um mesmo alinhamento. Ou
seja, é um tipo de fundação usada para suportar cargas oriundas de elementos
contínuos, que contam com cargas distribuídas linearmente, tais como muros,
paredes e outros elementos alongados, mostrado na figura 2
Figura b. fonte www.flickr.com

DESENVOLVIMENTO

Quando se quer efetuar o orçamento de um projeto há sempre a necessidade de se


incorporar os custos nos quais incorre a empresa que superintende ou executa os
trabalhos de sua implementação sendo chamados de custos empresariais. Os custos
de execução de cada projeto formam o orçamento do produto, que de forma indireta
engloba o orçamento empresarial, sendo que, é com a vendo do produto que são
cobertos os todos os custos, diretos e indiretos, incorridos na produção e que
constituem os custos de produção (Limmer 2010).
Segundo Limmer, os custos diretos são gastos feitos com os insumos, como mão-de-
obra, materiais, equipamentos e meios incorporados ou não ao produto. Já o custo
indireto é definido pela somatória de todos os gastos com elementos coadjuvantes
necessários à correta elaboração do produto ou, então de gastos de difícil alocação a
uma determinada atividade ou serviço.
Segundo (Bandeira, 2015), orçar um projeto baseia-se na previsão de ocorrências de
atividades futuras logicamente encadeadas e que consomem recursos, ou seja,
custos; basicamente uma previsão de ocorrências monetárias ao longo do prazo de
execução do projeto.
O custo de fundações engloba escavações manuais e mecânicas; compactação de
aterros; sondagem, gabarito e locação da obra; tubulões; blocos e baldrames; laje de
primeiro piso; e cortinas. (Otero, 2011)
Segundo Tizott (2013), a comparação entre custos da execução de dois diferentes
tipos de fundação superficial, com parâmetros do solo do município de Ijuí, estado do
Rio Grande do Sul. O custo total da fundação em sapata ficou em R$ 30.361,88, valor
este que representa somente 44 % do custo do radier, que é de R$ 69.145,71. Os
resultados obtidos mostram que, para o edifício modelo estudado, o método de
fundação em radier apresenta-se consideravelmente mais oneroso, já o mais indicado
para o caso é o uso das sapatas rígidas, O método mais indicado e que apresenta
menor custo para o tipo de solo do município de Ijuí, entre os modelos de fundação
estudadas é (para o edifício modelo com suas características) a fundação em sapatas
rígidas.
Segundo Pacheco (2010), quando se quer efetuar o orçamento de um projeto há
sempre a necessidade de se incorporar os custos nos quais incorre a empresa que
superintende ou executa os trabalhos de sua implementação sendo chamados de
custos empresariais. Os custos de execução de cada projeto formam o orçamento do
produto, que de forma indireta engloba o orçamento empresarial, sendo que, é com a
vendo do produto que são cobertos os todos os custos, diretos e indiretos, incorridos
na produção e que constituem os custos de produção.
Segundo Pacheco et.al (2010), No Brasil as fundações rasas são vastamente
utilizadas pelas nossas obras, normalmente por serem de baixo custo, e de em nossa
região não haver incidência de sinistros como terremotos e furacões, que
necessariamente elevam muito o porte das estruturas como um todo.
Com o programa do governo Minha Casa Minha Vida (MCMV) houve um acréscimo
de construções a qual este estimulou os estudos nas áreas de implantação, elevando
assim necessidade de haver um estudo especifico sobre o tipo de fundação a ser
utilizada.
O BGE informa que o Brasil tem um déficit de 7,2 milhões de moradias e esse projeto
vai diminuir 14% desse percentual. O objetivo do projeto é atingir a população de baixa
renda com um custo total de R$ 34 bilhões. O programa MCMV na faixa compreendida
entre 0 e 3 salários mínimos, irá construir 400 mil casas; de 3 a 4 salários, 200 mil
casas, de 4 a 6, 100 mil, e de 6 a 10 salários, 200 mil casas

Técnicas Construtivas

Para fundações diretas ou rasas sejam tecnicamente viáveis, o terreno precisa


atender a, pelo menos, duas condições básicas: “A primeira é a de que o solo de apoio
apresente capacidade de carga adequada aos esforços previstos”. Já a segunda é a
de que as alterações previstas no subsolo sejam compatíveis com as deformações
aceitáveis para a estrutura em seu estado limite.
Com base nos estudos desenvolvido por Pacheco (2010), para construção de casas
populares de quatros pavimentos no município de Feira de Santana no estado da
Bahia, A sapata corrida foi dimensionada considerando a distribuição de tensão ao
solo como uniforme. Foi estabelecido sua dimensão a partir da tensão admissível do
solo e o esforço solicitante. Posteriormente estabeleceram-se suas dimensões e a
avaliação de sua rigidez assim como Guerrin indica. Sua cota de implantação foi de 1
metro devido à presença de matéria orgânica no solo até esta profundidade. As
sapatas corridas podem ser dimensionadas como duplas lajes em balanço,
executando assim um dimensionamento por faixa de metro para a dimensão
transversal da estrutura.
Para o radier foi utilizado o método apresentado por Yopanan (2008) que, por meio
da planta de carga, obtêm a resultante do carregamento igual a 877,8 toneladas, daí
se encontrando a área necessária para o suporte da estrutura. Como indica o
American Concrete Institute (ACI) 360R-92 (1997) a tensão de suporte do solo foi
limitada para que fique menor ou igual à 50% da tensão admissível do solo.
Com base no artigo de Fonseca Bandeira (2015) O levantamento de custos foi
realizado acerca de uma residência popular com dimensões 7m x 6m, com área
correspondente a 42 m² no estado Rio Grande do sul. Os custos orçamentados para
o consumo da armadura de aço na fundação em Radier foi em torno de 260,29 kg
enquanto que a sapata corrida, foi de 184,90 kg. Entretanto, prosseguindo a análise
do orçamento, tem-se como item de custo considerável o fornecimento do concreto,
verifica-se que para sapata corrida à quantidade em relação ao Radier é superior, isso
ocorre em consequência da camada de impermeabilização da sapata corrida. Com
relação ao orçamento total dos materiais, constata-se que a sapata corrida tem um
custo superior em torno de 12,71% sobre o Radier. Considerando o tempo de
execução, observa-se que as etapas listadas para o Radier são inferiores a opção
sapata corrida.
Segundo Ludemann, entre as vantagens das fundações radier, estão o baixo custo se
comparado às sapatas corridas; menor tempo de execução; e redução de mão de
obra. Por outro lado, a principal desvantagem ocorre quando é preciso complementar
a resistência do radier para suportar as cargas que atuam sobre a laje. Essa
necessidade acaba aumentando o volume de concreto utilizado, tornando a solução
mais cara e difícil de ser executada.
Para Rodarte (2016) se for necessário aumentar a resistência do radier devido as
cargas atuantes na laje, é preciso aumentar o volume de concreto, o que acaba
tornando esse tipo de fundação mais cara, ocasionando maior dificuldade na
execução. Ainda podem ocorrer várias fissuras já que se trata de uma estrutura de
concreto armado de dentre outras como por exemplo:
 É um tipo de fundação que só pode ser utilizada em construções de pequeno porte,
com poucos pavimentos, pois é uma fundação rasa e funciona em razão das
condições do solo;
 O uso desta fundação implica a execução rápida das instalações de todas as
estruturas enterradas como por exemplo as instalações hidro sanitárias.
 Não pode ser executado em solos colapsáveis.

Escolha do tipo de fundações

Segundo Alva (2007), explica quer a qualidade e o comportamento de uma fundação


dependem de uma boa escolha, que melhor concilie os aspectos técnicos e
econômicos de cada obra. Qualquer insucesso nessa escolha pode representar, além
de outros inconvenientes, custos elevadíssimos de recuperação ou até mesmo o
colapso da estrutura ou do solo.
O engenheiro de fundações, ao planejar e desenvolver o projeto, deve obter todas as
informações possíveis referentes ao problema: estudar as diferentes soluções e
variantes; analisar os processos executivos; prever suas repercussões; estimar os
seus custos e, então, decidir sobre as viabilidades técnica e econômica da sua
execução. (Alva,2007).
Os fatores que influenciam na escolha do tipo de fundação são analisados a seguir.
 Relativos à superestrutura.
Devem ser analisados aspectos como: o tipo de material que compõe a
superestruturas, por exemplo, concreto armado ou protendido, estrutura pré-
fabricada, estrutura de madeira, metálica ou alvenaria estrutural; quanto a função da
edificação, edifício residencial, comercial, galpão industrial, ponte, silos; e com relação
as ações atuantes, como grandeza, natureza, posição e tipo.
 Características e propriedades mecânicas do solo.
As investigações geotécnicas são primordiais e muito importantes para a definição do
tipo de fundação mais adequado. Delas obtém-se dados do solo, tais como: tipo de
solo, granulometria, cor, posição das camadas resistência, compressibilidade, etc
 Posição e característica do nível d’água
Dados sobre o lençol freático são importantes para o estudo de um possível
rebaixamento. Consideráveis variações do nível d’água podem ocorrer por causa das
chuvas. Um poço de reconhecimento muitas vezes é uma boa solução para
observação dessas possíveis variações.
 Aspectos técnicos dos tipos de fundações
Muitas vezes surgem algumas limitações a certos tipos de fundações em função da
capacidade de carga, equipamentos disponíveis, restrições técnicas, tais como: nível
d’água, matacões, camadas muito resistentes, repercussão dos prováveis recalques,
etc.
 Edificações na vizinhança
Estudo da necessidade de proteção dos edifícios vizinhos, de acordo com o
conhecimento do tipo e estado de conservação dos mesmos; como também a análise
da tolerância aos ruídos e vibrações são indispensáveis.
 Custo
Depois da análise técnica é feito um estudo comparativo entre as alternativas
tecnicamente indicadas. De acordo com as dificuldades técnicas que possam elevar
os custos, o projeto arquitetônico poderá ser modificado. Um outro ponto relativo ao
custo é o planejamento de início e execução, pois, algumas vezes, uma fundação mais
cara, garante um retorno financeiro mais rápido.
 Limitações dos tipos de fundações existentes no mercado
Determinadas regiões optam pela utilização mais frequente de alguns poucos tipos
que se firmaram como mais convenientes localmente; o mercado torna-se limitado,
sendo, portanto, necessária uma análise da viabilidade da utilização de um tipo de
fundação tecnicamente indicada, mas não existente na região. O problema é resolvido
por eliminação escolhendo-se, entre os tipos de fundações existentes, aqueles que
satisfaçam tecnicamente ao caso em questão. A seguir, é feito um estudo comparativo
de custos dos diversos tipos selecionados, visando com isso escolher o mais
econômico
Segundo a norma NBR-15.492, existem números mínimos de ensaios de sondagem
a serem realizados de acordo com a área do terreno, então atente-se: um único ensaio
é raramente um parâmetro seguro. Analisar quais fundações foram utilizadas nas
edificações no entorno podem servir como insumo complementar para entender o
comportamento do solo local.
Tais laudos de sondagem, analisado com as cargas estruturais indicam a fundação
que melhor atenderá às questões de desempenho e segurança da edificação. Vale
comentar que, em caso de fundações profundas, alguns fornecedores que executam
este serviço, também realizam o projeto ao cliente. Nestes casos, toda atenção é
necessária, pois os superdimensionamentos de projetos resultam em maiores gastos,
uma vez que a maioria das cobranças são realizadas por metro linear executado (logo,
quanto mais profunda a fundação, maior o custo), ( Nuernberg 2019.).

Conclusão
O desenvolvimento do presente estudo possibilitou uma análise comparativo entres
os custos de fundação direta de alguns autores de regiões e situações diferentes,
possibilitando uma compreensão e tomada de decisão que possibilita uma melhor
escolha de fundação a ser utilizada em sua obra.
Para Tizott, quanto aos custos, o total da fundação em sapatas rígidas ficou em R$
30.361,88, valor este que representa somente 44 % do custo total do radier, que é de
R$ 69.145,71. Resultado que mostrou claramente que o uso de sapatas para este
edifício de quatro pavimentos é mais adequado e econômico. O custo elevado do
radier ocorreu devido ao aumento do volume de concreto bem como de sua
resistência, além do aumento no consumo de aço, que é mais significativo.
Para Pacheco, Analisando as duas opções, como conjunto, nota-se que a opção
sapata corrida, obteve custo total menor de 17% sobre a opção radier, mesmo
observando-se as considerações apresentadas.
Apud, Rafael afirmar que além dos serviços para construção de fundação em sapata
corrida serem mais demorados e executados no próprio canteiro da obra obteve um
maior custo, quando comparada ao Radier. Sendo este, portanto, mais acessível
financeiramente, o que o torna mais recomendável para residências de pequeno porte,
visto que sempre há uma busca pelo projeto mais econômico, sem negligenciar a
questão da estabilidade global da estrutura.
Portanto concluímos que a escolha da fundação rasa para sua região levará em conta
o tipo de edificação que será construída e o solo onde vai ser construída, o que definirá
sua fundação será a carga de sua edificação.
REFERÊNCIAS

AMERICAN CONCRETE INSTITUTE, Committee 336. ACI 336.2R-88: Suggested


Analysis and Design Procedures for Combined Footings and Mats. Farmington Hills,
2002.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15492: Sondagem de


reconhecimento para fins de qualidade ambiental - Procedimento. 1 ed. Rio de
Janeiro: Copyright © 1996 Abnt, 2007. 31 p. Disponível em:
<http://licenciadorambiental.com.br/wp-content/uploads/2015/01/NBR-15.492-
Sondagens-de-Reconhecimento.pdf>. Acesso em: 15 abr. 2019.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6122: Projeto e


execução de fundações. 1 ed. Rio de Janeiro: Copyright © 1996 Abnt, 2010. 33 p.
Disponível em: <http://docente.ifrn.edu.br/valtencirgomes/disciplinas/construcao-de-
edificios/nbr-06122-1996-projeto-e-execucao-de-fundacoes>. Acesso em: 25 abr.
2019.

BRASIL. Decreto-lei nº 2.481, de 3 de outubro de 1988. Diário Oficial [da] República


Federativa do Brasil, Brasília, DF, v. 126, n. 190, 4 out. 1988. Seção 1, parte 1, p.
19291-19292.

BRASIL. Secretaria da Republica. Previdência da Republica. Minha Casa Minha


Vida: Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV). 2015. Disponível em:
<http://www.secretariadegoverno.gov.br/iniciativas/internacional/fsm/eixos/inclusao-
social/minha-casa-minha-vida>. Acesso em: 12 maio 2019.

ENG. CIVIL RUDINI RODARTE. Rodini Duarte. Fundação do Tipo Radier e Suas
Propriedades. Rodini Duarte Arquitetura & Construção, Taguatinga Sul - Df., p.0-
0, 18 ago. 2016. Anual. Disponível em:
<https://www.rrarquiteturaereforma.com.br/blog-empresa-construcao-
brasilia/author/Esp.-Eng.-Civil-Rudini-Rodarte>. Acesso em: 10 maio 2019

ALVA, Gerson Moacyr Sisniegas. PROJETO ESTRUTURAL DE SAPATAS. 2007.


39 f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia Civil, Departamento de Estruturas e
Construção Civil Disciplina:, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2007.
Cap. 1. Disponível em: <http://coral.ufsm.br/decc/ECC1008/Downloads/Sapatas.pdf>.
Acesso em: 04 mar. 2019.

JOHNSON, Laurence D. Design and construction of mat foundations. 1989. 354f.


US Army Corps of Engineers - Geotechnical laboratory, Department of the Army,
Vicksburg, Mississipi, 1989.

LIMMER, Carl Vicente. Planejamento, Orçamento e controle de Projetos e Obras.


Rio de Janeiro: LTC Livros Técnicos e Científicos Editora S.A. 2010.

NUERNBERG, Marcos Felipe. TIPOS DE FUNDAÇÕES: COMO DEFINIR A


MELHOR PARA SUA OBRA? Conaz: Incertezas estão presentes em todo o canteiro
de obra, até mesmo em construções com alto nível de planejamento. No caso da
fundação de uma edificação o cuidado na decisão deve ser ainda maior.
Desconhecida, p.1-6, 20 jan. 2019. Anual. Disponível em:
<https://www.conazsolucoes.com.br/2017/05/25/fundacao-para-sua-obra/>. Acesso
em: 03 abr. 2019.

OTERO, Juliano Araujo. ANÁLISE PARAMÉTRICA DE DADOS ORÇAMENTÁRIOS


PARA ESTIMATIVA DE CUSTOS NA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS: Estudo de
Caso voltado para a Questão da Variabilidade. 2000. 214 f. Dissertação (Mestrado) -
Curso de Progiama de Pós-graduação, Universidade Federal de Santa Catarina,
Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, 2000. Cap. 1.
Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/78481>. Acesso
em: 04 mar. 2019.

RAFAELY FONSECA BANDEIRA (Rio Grande do Sul). Furg. Análise comparativa de


custos entre as fundações do tipo radier e sapata corrida utilizadas em obras de
padrão popula. Vetor: Revista de Ciências Exatas e Engenharias, NÃo Informado, v.
1, n. 1, p.76-83, 04 maio 2015. Anual. Disponível em:
<https://periodicos.furg.br/vetor/article/view/4900>. Acesso em: 03 maio 2019.

REBELLO, Yopanan Canrado Pereira, Fundações: Guia prático de projetos,


Execução e dimensionamento, Zigurate Editora, São Paulo, 2008.

SÉRGIO MURARI LUDEMANN. Aecweb (Ed.). Fundação radier: saiba quando


usar, vantagens e desvantagens São Paulo. São Paulo, 14 out. 2010. p. 1-1.
Disponível em: <https://www.aecweb.com.br/cont/m/rev/fundacao-radier-saiba-
quando-usar-vantagens-e-desvantagens_16578_10_0>. Acesso em: 12 maio 2019.

TIZOTT Rafael Mallmann, COMPARAÇÃO DO CUSTO BENEFÍCIO ENTRE DOIS


TIPOS DE FUNDAÇÕES: SAPATA RÍGIDA E RADIER, UNIVERSIDADE REGIONAL
DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL,
http://bibliodigital.unijui.edu.br:8080/xmlui/handle/123456789/2130 acessado em
20/05/20019