Sie sind auf Seite 1von 5

1. O veio da Fig.2b deve ser obtido a partir de um veio forjado ilustrado na Fig.2a. Considere o tratamento de desbaste da superfície “A” na máquina ferramenta. Faça o esquema de tratamento, a escolha da máquina ferramenta e as condicões de tratamento para a superfície “A” deixando uma sobrespessura de 1,5 mm para o acabamento. O material da peça é o aço de construção ( de baixa liga) 20X ( GOST ) com σr = 638 MPa. Considere o facejamento e os furos de centrar elaborados no seu esquema de tratamento! (11,0 Valores).

no seu ​ esquema de tratamento ​ ! ​ (11,0 Valores). Figura 2a – Veio forjado

Figura 2a – Veio forjado

no seu ​ esquema de tratamento ​ ! ​ (11,0 Valores). Figura 2a – Veio forjado

Figura 2b – Veio duma máquina

Resolução

a) Esscolha do modelo da máquina

Neste caso trata-se de torneamento, e por isso escolhe-se o torno 16K20 tendo em conta as

dimensões da peça

b) Tendo em conta o lado esquerdo da “superfície C” dever-se escolher um ferro cortante com φ = 90°;

C” dever-se escolher um ferro cortante com φ = 90°; Figura 1 ​ – ​ Esquema

Figura 1Esquema de tratamento

c) Escolha do material da parte cortante

O material da parte cortante da ferramenta escolhe-se com base no material da peça bruta e

no tipo de tratamento ( desbaste ou acabamento). O material da peça bruta é o aço de

construção com baixa percentagem dos elementos de liga 20X, com σr = 735 MPa e a

rugosidade indica para desbaste é de Rz 80 e por isso escolhe-se a liga dura T15K6 ( pag.

12 do Manual :Escolha da máquina, ferramenta, e do regime de corte, Dr Kourbatov).

d) Escolha das dimensões principais do ferro cortante.

Tendo em conta as dimensões da superfície e do espaço para apertar a ferramenta na máquina

( 16K20, 25x25), escolhe-se um cabo com 25x25 mm ( Tabela 11 do Manual) .

e) Escolha da geometria da ferramenta e do raio do bico

γch = -5°;

γ = 15°;

α = 12°

λ = 0°

φ = 90°

φ1 = 10°

rbic = 1,6 mm

f) Cálculo da sobrespessura para cortar

Z = D

inicial

final = 5 4

D

6

6,

2

5

g) Escolha da profundidade de corte

Neste caso t =

Z

2

=

9,75

2

= 4

,

8

75 mm

h) Escolha dos avanços

= 9 7

,

5 mm

Em função das dimensões da superfície que se pretende tornear , das dimensões do cabo e da

profundidade de corte t, o avanço varia entre 0,4 e 0,8 mm/rot ( 0,6 mm/rot). Em função

do comprimento de balanço, profundidade de corte e dimensões da ferramenta, o avanço

varia entre 0,12 e 0,2 mm/rot ( 0,2 mm/rot). E em função do raio do bico e rugosidade da

superfície o avanço é de 0,94 mm/rot.

i) Esolha do avanço que satisfaz todas as condições

Svcmin = min 0,2; 0,6; 0,94 mm/rot

= 0,2 mm/rot.

j) Escolha do avanço pela tabela da máquina

Svm = 0.2 mm/rot ( este valor de 0,2 mm/rot existe na Tabela da máquina )

Escolha dos coeficientes para o cálculo da velocidade de corte

Cv = 420,

x v =

0,15;

yv = 0,2;

m = 0,2

Nescte caso Ccv = 1.0

k) Escolha da duração da ferramenta de corte

Te = 60 minutos; KTf = 1.0; KTm 1.0 ( está-se a usar apenas uma ferramenta e o operário está a

trabalhar em apenas uma máquina).

l) Cálcupo dos coeficientes para a correção da velocidade de corte

K

mv =

C

m * (

750 ) nv

σ

v

= 1

,

0 * (

750 ) 1

735

= 1

,

0

20

Kmfv = 1.0

Kesv = 0.8 ( peça obtida por forjamento)

Kφv = 0.7

K φ1V

= 1.0

Krv = 1.0;

Kmtv = 1.0;

Kqv = 1.0.

K

v =

K

mv * K esv *

K

mfv * K φv * K φ1v * K rv * K mtv = 1 0

,

20

* 1 * 0 8 * 0

,

.7

m) Cálculo da velocidade de corte

V c =

C C

v* cv

T

m * x v *

t

S

vm y v * K v

; V

c =

420 1.0

*

60

0.2 *

4,875

0.15 *

0.2

0,2

* 0

.57

= 1

14,

8

4 m

n) Cálculo da frequência de rotação

Como trata-se de superfície externa, tem-se.

n

c =

1000 V

*

c

π

*

D

inicial

=

1000 114,84

*

π

*

56

= 6

52,

7

6 r.p.m

Neste caso tem-se 1.1*nc = 718,036 r.p.m

* 1 * 1 = 0 5

,

* min 1

71429

≈ 0 5

,

7

o) Escolha da frequência de rotação pela tabela da máquina

Neste caso escolhe-se nm = 630 r.p.m

p) Cáculo da velocidade real

V

r =

π

*

D

inicial *

n

m

1000

=

π

*

56 * 630

1000

=

110,

8

35 m

* min 1

Verificação da eficácia do uso da máquina, ferramenta e do regime de corte escolhido.

q) Escolha de coeficientes para o cálculo da força de corte

C pz

= 3 000;

xpz = 1.0;

ypz = 0.75

npz = -0.15

MP = (

K

750 ) n

σ

t

K

P =

K

mP *

; K

K

MP = (

735

750

) 0.75 = 0

,

9

8462

df * K φP * K γP * K rP * K λP = 0 , 9

8462

* 1 6 * 0 8

,

,

9

* 1

,

P

r) Cáculo da força de corte

Z =

C

Pz * x pz * S Vm y Pz * V r n Pz * K P

t

; P

s) Cálculo da potência de corte

N

c =

P

z*

V

r

60 000

; N

C =

z = 3

000

*

4,

8

3027,62 110,835

60 000

*

=

75

1 * 0.2 0.75 *

5.5927 kW

t) Coeficiente de uso da máquina pela potência

C

um =

N c N * η

m

=

5.5927

10 0.75

*

= 7

4,

5

7%

0 * 1 0 * 1

,

,

0 = 1 4

,

110,

8

35

0.15 * 1

,

4

026

026

u) Cálculo do uso da ferramenta de corte pela velocidade

C

V r =

uf = V c

110,835 = 9

114,84

6,

5

1 %

v) Cálculo do tempo de tratamento

L

t ;

p =

( n +S

m

vm

)

L = ( C + l

e + l s

) =

85

+ 3 + 0 = 8 8 mm

t

p =

88

(0.2 630)

*

= 0 7

, 0 minutos

= 3

027,

6

2N