Sie sind auf Seite 1von 26

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA – CELSO SUCKOW DA FONSECA

Prof.: Jorge Alberto

Ensaios destrutivos e não destrutivos

ENSAIO DE COMPRESSÃO
Relatório de ensaios realizados em aula

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 1


Introdução
• Ensaio de tração x ensaio de compressão;

• Os principais fatores de utilização;

• Detalhamento do procedimento;

• Resultados obtidos

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 2


OBJETIVO
O ensaio de compressão mecânica tem como objetivo principal:

• Aferir propriedades mecânicas dos materiais ensaiados, tais


como limite de resistência e módulo de elasticidade, mesmo
que qualitativamente.

• Além disso, é almejada uma experiência prática de como se


comportará a amostra sob esforços de compressão.

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 3


CONCEITO
• Todo e qualquer Ensaio Mecânico tem por finalidade a
determinação das propriedades mecânicas dos materiais em
estudo;

• O ensaio de compressão trata-se da aplicação lenta de um


esforço axial, que tende a causar o encurtamento do corpo

• Tal ensaio pode ser realizado em uma máquina universal de ensaios,


sendo o corpo de prova devidamente preparado de acordo com
normas de padronização

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 4


CONCEITO

Fig.1: Fotos da realização de um ensaio de compressão. Na foto do lado


esquerdo já é possível observar o corpo de prova colapsado

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 5


TIPOS DE ENSAIO DE COMPRESSÃO

• Ensaio de compressão em materiais dúcteis

• Ensaio de Compressão em materiais frágeis

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 6


• Ensaio de compressão em materiais dúcteis
✓ Materiais dúcteis apresentam grandes deformações antes de seu limite de ruptura
(Tensão de fratura). Sendo assim, apresentam baixo módulo de Elasticidade (força de
ligação entre átomos;

✓ Para ensaios em metais dúcteis, apenas as propriedades referentes ao regime elástico


podem ser aferidas com boa precisão;

✓ Por definição de tensão como relação entre carga axial e área de aplicação, com o
aumento do diâmetro na seção transversal a tensão real de compressão (negativa)
diminui significativamente, o que promove aumento da resistência do metal.
Consequentemente, esse tipo de metal não se rompe e, nesse caso, vai se achatando
até a formação de um disco.

✓ Para melhorar a representatividade do ensaio, o comprimento máximo do corpo de prova


deve ser de 8 a 12 vezes o comprimento da base, afim de evitar a flambagem e a fim de
assegurar uma tensão crítica viável para o ensaio.

✓ Para metais dúcteis, as propriedades comumente medidas são a tensão de


proporcionalidade (Tensão máxima a qual obedece a Lei de Hooke, regime elástico),o
limite de escoamento (Tensão a partir da qual o metal passa a se deformar plasticamente,
regime plástico) e o módulo de elasticidade(que
CEFET/RJ - ANGRA DOSmede
REIS a rigidez do metal). 7
Fig. 2: Diagrama Tensão x Deformação de um material dúctil.
Nota-se a grande faixa de deformação antes da ruptura.

Fig. 3: Fenômeno de Flambagem

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 8


• Ensaio de Compressão em materiais frágeis

✓ Esse tipo de material se caracteriza pela alta resistência mecânica, possuindo uma fase
plástica muito curta ou quase nula;

✓ Para metais frágeis, o ensaio de compressão é largamente utilizado objetivando a fase


plástica, uma vez que nesses metais a região elástica é pequena e não pode-se aferir
propriedades da mesma;

✓ Por exemplo, no ferro fundido, que possui baixa ductilidade, a propriedade mais
importante aferida é o limite de resistência à compressão, sendo calculado pela carga
máxima suportada dividida pela seção original do corpo de prova;

✓ Nesse caso, as dimensões do corpo de prova também influenciam no tipo de fratura,


principalmente a relação comprimento-diâmetro. No ferro fundido, o comprimento deve ser
duas ou três vezes maior que o diâmetro, relação essa que deve acompanhar os
resultados do ensaio.

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 9


Fig. 4 : Diagrama Tensão x Deformação de um material
dúctil. Nota-se a grande faixa de deformação antes da
ruptura.

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 10


Materiais utilizados
• Corpo de prova • Máquina Universal de
Dados iniciais: Ensaios EMIC DL30000
- CP de Seção quadrada
- Comprimento= 50,2mm
- Seção: 10,2 x 10,2 mm

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 11


Materiais utilizados

10,2mm
50,2mm

Fig.: Corpo de prova

Fig.5: Máquina universal de ensaios

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 12


Procedimento
1. Foi necessária a mudança da ferramenta de fixação do CP, já que a máquina estava na
configuração de ensaio de tração, onde se usam garras para fixação, já para compressão se
utiliza dispositivo de fixação em formatos de discos;

2. O corpo de prova (CP) foi fixado aos dispositivos de fixação da Máquina de Ensaio de
compressão;

3. Como existia uma falha na fixação do dispositivo de fixação em forma de discos, se fez
necessário limitar a deformação do Corpo de prova em 5mm. Isso foi feito na configuração
numérica da máquina, através do computador;

4. Introdução de uma Pré-carga de 670N afim de extinguir qualquer folga e conferir um bom
posicionamento do CP;

5. Início do ensaio com acionamento da máquina

6. Retirada da peça da máquina e medição do comprimento final aproximado. 13


Resultados e Discussões
• O corpo de prova ensaiado é de aço não especificado;

• O CP apresenta geometria prismática de base quadrada;

• Suas dimensões iniciais são de 50,2 mm de altura e 10,2 mm de largura;

• O ensaio foi executado por meio da Máquina Universal de Ensaios EMIC


30000, com velocidade de deslocamento da travessa de 1 mm/min e
célula de carga de 300 kN;

• Para preservar o equipamento e garantir a segurança durante os ensaios


estabeleceu-se deslocamento máximo de 5 mm para a travessa e limite
de força de 18 kN.

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 14


Resultados e Discussões
• No corpo de prova de aço, um material dúctil, ocorreu aumento do comprimento da seção
quadrada. O valor final dos lados da seção quadrada foi de 10,5 x 10,5 mm resultando
em um alongamento percentual 0,3%, e o comprimento final de 46,1 mm, resultando em
uma redução de 4,1%, assim como uma aparente curvatura na peça indicando
flambagem.

Fig.6: CP após o ensaio


CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 15
Resultados e Discussões
• Após a realização do ensaio, foram produzidos os resultados de carga e alongamento,
apresentados no gráfico abaixo:

Fig. 7: Resultados do Ensaio de Compressão (Gráfico Força X


Alongamento) 16
Resultados e Discussões
Foram observadas anormalidades nos resultados, em especial na região plástica, esse
efeitos podem ser decorrentes dos seguintes fatores:

• Flambagem ou deslizamento do corpo de prova, decorrentes da montagem;

• Preparo incorreto da máquina universal de ensaio;

• Uso de corpo de prova mal projetado;

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 17


Resultados e Discussões
Além disso, outros fatores podem ter sidos determinantes para o resultado final do ensaio:

• Falta de experiência do operador, que nunca havia executado tal ensaio;

• A falta de um script próprio, visto que o corpo de prova era composto por um material
desconhecido;

• A não garantia de total paralelismo entre as bases do corpo de prova;

• Talvez a falta de algum tipo de lubrificação.

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 18


Resultados e Discussões
Outras observações muito importantes acerca da curva mostrada são:

• Os picos e vales observados no gráfico sugerem reacomodações sucessivas do corpo de


prova.

• Diante de todos os fatores apresentados, foi notado um comportamento atípico da


máquina na execução do ensaio, uma vez que foi devidamente ajustada para executar
no máximo 18 kN de força e ao final do processo foi constatado que a máquina efetuou
uma força superior ao limite traçado anteriormente

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 19


Resultados e Discussões
Relacionando os dados produzidos pela máquina à geometria do corpo de prova, pode-se
gerar o gráfico Tensão x Deformação:

Fig. 8: Resultados do Ensaio de


Compressão (Gráfico Tensão X
Deformação)

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 20


Resultados e Discussões
Em razão do comportamento atípico da curva e das condições nas quais o ensaio foi
realizado não é possível realizar um estudo preciso das propriedades do material.

• Isso demonstra a importância da repetição dos ensaios para o mesmo corpo que
queremos avaliar as propriedades.

• Sendo assim, uma vez que o ensaio de compressão não é preciso para determinar as
propriedades de materiais dúcteis na região plástica e assumindo que a região elástica
do material esteja compreendida entre o intervalo de 0 e 0,015 no eixo da deformação, a
análise será restringida a essa região.

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 21


Resultados e Discussões

Fig. 9: Resultados do Ensaio de Compressão (Gráfico Tensão


X Deformação: somente
CEFET/RJ - ANGRA DOSregião
REIS elástica) 22
Resultados e Discussões
• Considerou-se como início da deformação somente a partir do momento em que foram
percebidos tensões significativas atuando no corpo de prova

• Na zona elástica, pode-se extrair a tensão limite de elasticidade do material utilizando o


método offset, no qual uma reta é criada de modo que seja paralela à curva na região
elástica e que passe pelo ponto (0,002; 0 MPa).

• A intersecção entre a curva Tensão x Deformação e a reta criada fornece uma


aproximação para o limite de elasticidade do material ensaiado, que é de
aproximadamente 148 MPa.

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 23


Resultados e Discussões
• Considerou-se como início da deformação somente a partir do momento em que foram
percebidos tensões significativas atuando no corpo de prova

• Na zona elástica, pode-se extrair a tensão limite de elasticidade do material utilizando o


método offset, no qual uma reta é criada de modo que seja paralela à curva na região
elástica e que passe pelo ponto (0,002; 0 MPa).

• A intersecção entre a curva Tensão x Deformação e a reta criada fornece uma


aproximação para o limite de elasticidade do material ensaiado, que é de
aproximadamente 148 MPa.

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 24


Conclusão
Através desse relatório, foi possível descrever a metodologia deste ensaio importante, tal
qual como a sua importância em geral.

• Esse ensaio é crucial para a engenharia civil, visto que as vigas que sustentam as
estruturas projetadas precisam aguentar um esforço compressivo para se manter de pé e
garantir a integridade da construção;

• Também é necessário uma bateria de ensaios com diferentes corpos-de-prova do mesmo


material para que os resultados adquiridos sejam de confiança. Isso não foi necessário
nesse relatório por seu propósito principal era didático

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 25


Referências Bibliográficas
• Souza, S. A. Ensaios Mecânicos de Materiais Metálicos:
Fundamentos Teóricos e Práticos. 5ª Ed., Editora Edgard Blucher,
1982, São Paulo.

CEFET/RJ - ANGRA DOS REIS 26