Sie sind auf Seite 1von 5

QUESTÕES – LEIS PENAIS ESPECIAIS 2

1- Analise as assertivas abaixo e assinale a alternativa CORRETA.


I – Os tipos penais dos arts. 12 e 16 da Lei nº 10.826/2003 tutelam bens jurídicos semelhantes e,
por essa razão, deve ser aplicado crime único quando apreendidas armas ou munições de uso
permitido e de uso restrito no mesmo contexto fático.
II – A abolitio criminis temporária prevista na Lei nº 10.826/2003 aplica-se ao crime de posse de
arma de fogo de uso permitido com numeração, marca ou qualquer outro sinal de identificação
raspado, suprimido ou adulterado, praticado somente até 23/10/2005.
III – A conduta de portar granada de gás lacrimogêneo ou granada de gás de pimenta não se
subsome ao delito previsto no art. 16, parágrafo único, III, da Lei nº 10.826/2003, não se
enquadrando conceito de artefatos explosivos.
b) Apenas I e II estão corretas.
c) Apenas I e III estão corretas.
d) Apenas II e III estão corretas.
e) Todas estão incorretas

2- Analise as assertivas abaixo e assinale a alternativa CORRETA.


I – É típica e antijurídica a conduta de policial civil que, mesmo autorizado a portar ou possuir
arma de fogo, não observa as imposições legais previstas no Estatuto do Desarmamento, que
impõem registro das armas no órgão competente.
II – Se a arma de fogo é encontrada no interior do caminhão dirigido por motorista profissional,
trata-se de crime de posse de arma de fogo (art. 12 do Estatuto do Desarmamento), uma vez
que o veículo utilizado profissionalmente pode ser considerado “local de trabalho”.
III – O simples porte de arma, munição ou acessório de uso permitido, sem autorização e em
desacordo com determinação legal ou regulamentar, configura o crime previsto no art. 14 da Lei
nº 10.826/2003, por ser delito de perigo abstrato, de forma a ser irrelevante o fato de a arma
apreendida estar desacompanhada de munição, porquanto o bem jurídico tutelado é a
segurança pública e a paz social.
a) Todas estão corretas.
b) Apenas I e II estão corretas.

Facebook: CP IURIS Instagram: @cpiuris


Email: contato@cpiuris.com.br
www.cpiuris.com.br
c) Apenas I e III estão corretas.
d) Apenas II e III estão corretas.
e) Todas estão incorretas

3- Analise as assertivas abaixo e assinale a alternativa CORRETA.


I – O fato de o empregador obrigar seu empregado a portar arma de fogo durante o exercício
das atribuições de vigia não caracteriza coação moral irresistível capaz de excluir a culpabilidade
do crime de "porte ilegal de arma de fogo de uso permitido" (art. 14 da Lei nº 10.826/2003)
atribuído ao empregado que tenha sido flagrado portando, em via pública, arma de fogo, após o
término do expediente laboral, no percurso entre o trabalho e a sua residência.
II – O Conselheiro do Tribunal de Contas Estadual que mantém sob sua guarda arma ou munição
de uso restrito não comete o crime do art. 16 da Lei 10.826/2003.
III – É atípica a conduta daquele que porta, na forma de pingente, munição desacompanhada de
arma, sendo regra geral a aplicação do princípio da insignificância aos crimes de posse ou porte
de munição.
a) Todas estão corretas.
b) Apenas I e II estão corretas.
c) Apenas I e III estão corretas.
d) Apenas II e III estão corretas.
e) Todas estão incorretas

4- Assinale a alternativa INCORRETA com relação aos crimes do Estatuto do desarmamento (Lei
10.826/2003).
a) Demonstrada por laudo pericial a total ineficácia da arma de fogo e das munições apreendidas,
deve ser reconhecida a atipicidade da conduta do agente que detinha a posse do referido artefato
e das aludidas munições de uso proibido, sem autorização e em desacordo com a determinação
legal.
b) Os crimes previstos no arts. 12, 14 e 16 da Lei 10.826/2003 são de mera conduta ou de perigo
abstrato, cujo objeto jurídico imediato é a segurança coletiva.
c) Se a perícia for realizada na arma e o laudo constatar que a arma não tem nenhuma condição
de efetuar disparos não haverá crime.
d) Não está caracterizado o crime de porte ilegal de arma de fogo quando o instrumento
apreendido sequer pode ser enquadrado no conceito técnico de arma de fogo, por estar quebrado
e, de acordo com laudo pericial, totalmente inapto para realizar disparos.
e) Para que haja condenação pelo crime de posse ou porte é necessário que a arma de fogo tenha
sido apreendida e periciada.

5- Analise as assertivas abaixo e assinale a alternativa CORRETA.


I – Não é imprescindível que a transcrição de interceptações telefônicas seja feita integralmente,
salvo nos casos em que esta for determinada pelo relator do processo.
II – É inconstitucional Resolução do CNJ que proíbe o juiz de prorrogar a interceptação telefônica
durante o plantão judiciário ou durante o recesso do fim de ano.
III – É constitucional a Resolução 36/2009 do CNMP, que dispõe sobre o pedido e a utilização de
interceptações telefônicas, no âmbito do Ministério Público, nos termos da Lei nº 9.296/96.
a) Todas estão corretas.
b) Apenas I e II estão corretas.
c) Apenas I e III estão corretas.
d) Apenas II e III estão corretas.
e) Todas estão incorretas

6- Analise as assertivas abaixo e assinale a alternativa CORRETA.


I – As interceptações telefônicas podem ser prorrogadas sucessivas vezes pelo tempo necessário,
especialmente quando o caso for complexo e a prova indispensável, mas a fundamentação da
prorrogação não pode ser idêntica à do pedido original.
II – A interceptação telefônica é subsidiária e excepcional, só podendo ser determinada quando
não houver outro meio para se apurar os fatos tidos por criminosos, sendo ilegal a interceptação
telefônica determinada apenas com base em “denúncia anônima”.
III – Não é ilícita a interceptação telefônica autorizada por magistrado aparentemente
competente ao tempo da decisão e que, posteriormente, venha a ser declarado incompetente.
Trata-se da aplicação da chamada “teoria do juízo aparente”.
a) Todas estão corretas.
b) Apenas I e II estão corretas.
c) Apenas I e III estão corretas.
d) Apenas II e III estão corretas.
e) Todas estão incorretas

7- Analise as assertivas abaixo e assinale a alternativa CORRETA.


I – A interceptação telefônica não pode exceder 15 dias, mas pode ser renovada por igual
período, não havendo restrição legal ao número de vezes para tal renovação, se comprovada a
sua necessidade.
II – A prova obtida a respeito da prática do homicídio é lícita, mesmo a interceptação telefônica
tendo sido decretada para investigar outro delito que não tinha relação com o crime contra a
vida.
III – O simples fato de o advogado do investigado ter sido indevidamente interceptado é causa,
por si só, para gerar a anulação de todo o processo e da condenação que foi imposta ao réu.
a) Todas estão corretas.
b) Apenas I e II estão corretas.
c) Apenas I e III estão corretas.
d) Apenas II e III estão corretas.
e) Todas estão incorretas

8- Analise as assertivas abaixo e assinale a alternativa CORRETA.


I – O fato de a interceptação telefônica ter visado elucidar outra prática delituosa não impede a
sua utilização em persecução criminal diversa por meio do compartilhamento da prova.
II – Um juiz não pode atuar na fase pré-processual decretando medidas que dependam da
intervenção do Poder Judiciário, como a interceptação telefônica, mesmo que ele não seja o
competente para julgar a ação penal que será proposta posteriormente.
III – Preenchidas as exigências previstas na Lei nº 9.296/96, não deve ser considerada ilícita a
interceptação telefônica pela simples ausência de autos apartados, a qual configura mera
irregularidade que não viola os elementos essenciais à validade da interceptação.
a) Todas estão corretas.
b) Apenas I e II estão corretas.
c) Apenas I e III estão corretas.
d) Apenas II e III estão corretas.
e) Todas estão incorretas

9- Assinale a alternativa INCORRETA.


a) A sentença de pronúncia pode ser fundamentada em indícios de autoria surgidos, de forma
fortuita, durante a investigação de outros crimes no decorrer de interceptação telefônica
determinada por juiz diverso daquele competente para o julgamento da ação principal.
b) Somente pode ser agente ativo do crime de tortura-castigo (art. 1º, II, da Lei nº 9.455/97)
aquele que detiver outra pessoa sob sua guarda, poder ou autoridade.
c) A posse (art. 12 da Lei nº 10.826/2003) ou o porte (art. 14) de arma de fogo configura crime
mesmo que ela esteja desmuniciada. Da mesma forma, a posse ou o porte apenas da munição (ou
seja, desacompanhada da arma) configura crime.
d) As comunicações telefônicas do investigado legalmente interceptadas podem ser utilizadas para
formação de prova em desfavor do outro interlocutor, ainda que este seja advogado do
investigado.
e) No caso de crime de tortura perpetrado contra criança em que há prevalência de relações
domésticas e de coabitação, configura bis in idem a aplicação conjunta da causa de aumento de
pena prevista no art. 1º, § 4º, II, da Lei nº 9.455/1997 (Lei de Tortura) e da agravante genérica
estatuída no art. 61, II, "f", do Código Penal.
10- Analise as assertivas abaixo e assinale a alternativa CORRETA.
I – O crime de tortura contra criança ou adolescente, cuja prática absorve o delito de lesões
corporais leves, submete-se à competência da Justiça comum do Estado-membro, eis que esse
ilícito penal, por não guardar correspondência típica com qualquer dos comportamentos
previstos pelo Código Penal Militar, refoge à esfera de atribuições da Justiça Militar.
II – A tortura empregada sem dolo de produzir a morte, que é provocada de forma culposa,
caracteriza crime de tortura qualificada pela morte, já a tortura empregada como meio para
provocar a morte, que o agente quer ou assume o risco de produzir, constitui homicídio
qualificado pela tortura.
III – A prática do crime de tortura acarreta, além da pena privativa de liberdade, a perda do
cargo, emprego ou função pública e a interdição para o exercício de nova função pelo dobro do
prazo da pena, a qual o juiz deverá declarar, como efeito da sentença condenatória.
a) Todas estão corretas.
b) Apenas I e II estão corretas.
c) Apenas I e III estão corretas.
d) Apenas II e III estão corretas.
e) Todas estão incorretas