Sie sind auf Seite 1von 23

A população: evolução e contrastes regionais

Evolução da população portuguesa


Evolução da população portuguesa
 O crescimento da população residente em Portugal foi globalmente positivo.

contribuíram
• A diminuição da • consequente subida da  aumento da
taxa de mortalidade; + esperança média de vida; população portuguesa;
permitindo

 saldo natural positivo.

• os ganhos • no interior assistiu-se a


populacionais uma redução contínua e
ocorreram no litoral; acentuada da população.
Evolução da população portuguesa
A evolução da população portuguesa desde meados do Seculo XX
 Durante a segunda metade do século XX:
• A população residente em Portugal cresceu cerca de dois milhões de habitantes;
• Ultrapassou os dez milhões em 2001;
• Em 2011 cifrou-se em pouco mais de dez milhões e meio.
> 10,5 milhões
> 10 milhões

+ 2 milhões

Fig. Evolução da população residente em Portugal (1950–2011).


Evolução da população portuguesa
Desde meados do Seculo XIX…

• O crescimento
demográfico não
foi regular…

Fig. Evolução da população residente em Portugal (1950–2011).


Evolução da população portuguesa
 A evolução da população
por sub-regiões:

• evidencia diferenças
significativas:

• o litoral… • o interior…

variação variação
populacional foi populacional foi
positiva, à exceção negativa em todas
de três sub-regiões. as sub-regiões.

Fig. Taxa de variação da população


(2001–2011) nas NUTS III.
Evolução da população portuguesa
Principais fatores de evolução da população residente
 A evolução da população absoluta foi
influenciada pelo crescimento natural e
pelos movimentos migratórios.

Fig. Evolução das taxas de crescimento natural, migratório e efetivo, em Portugal (1950–2010).
Evolução da população portuguesa
Principais fatores de evolução da população residente
Quebra demográfica Aumento significativo Acréscimo da
da população população
• 1962 a 1973 • 2ª metade dos anos 70 • duas últimas décadas

• valores negativos da • acentuado aumento da • aumento da


taxa de crescimento taxa de crescimento imigração, que elevou
migratório; migratório, com o retorno a taxa de crescimento
de grande número de migratório,
• ligeira redução da portugueses das ex- compensando os
taxa de crescimento colónias; baixos valores e a
natural. tendência decrescente
• diminuição da da taxa de crescimento
emigração. natural.
Evolução da população portuguesa
Taxas demográficas

Taxa de Crescimento Taxa de Crescimento Taxa de Crescimento


Natural Migratório Efetivo

Saldo natural referido à


população média do
período considerado, por Saldo migratório referido Variação populacional
100 ou 1000 habitantes à população média do referida à população
(% ou ‰). período considerado, por média do período
100 ou 1000 habitantes considerado, por 100 ou
(% ou ‰). 1000 habitantes (% ou ‰).
SN (N-M)
TCN= X 100(1000)
POP. TOTAL

SM (I-E) SN + SM
TCM=POP. TOTAL X 100(1000) TCE= POP. TOTAL X 100(1000)
Evolução da população portuguesa
Crescimento Natural…
da natalidade

varia em função
 cujas taxas, no nosso
 O crescimento país, sofreram uma
natural da população acentuada redução
da mortalidade durante o último século.

Fig. Evolução das taxas de natalidade, mortalidade e crescimento natural (1900–2011).


A População: Evolução e Contrastes Regionais

 A redução da taxa acentuou-se a  tendência manteve-se até


de natalidade… partir dos anos 60… ao final da primeira década
deste século.

• iniciada já na primeira • sobretudo depois


metade do século XX. de 1975. • valores inferiores aos
da taxa de mortalidade.

Fig. Evolução das taxas de natalidade, mortalidade e crescimento natural (1900–2011).


A População: Evolução e Contrastes Regionais

verificou-se
 A maior • durante a • continuando a
descida da taxa primeira metade decrescer até ao início
de mortalidade… do século XX da década de noventa…

 altura em que se iniciou uma


tendência de ligeiro aumento.

Fig. Evolução das taxas de natalidade, mortalidade e crescimento natural (1900–2011).


A População: Evolução e Contrastes Regionais
 Consequentemente…

• a taxa de crescimento natural diminuiu ao longo de todo o século XX…


 tendência que se manteve na primeira década do novo século,
atingindo valores negativos a partir de 2007.

Fig. Evolução das taxas de natalidade, mortalidade e crescimento natural (1900–2011).


Evolução da população portuguesa
Taxa de • descida • decréscimo
• atingiu a média da UE
Mortalidade lenta da significativo a partir
no início do séc. XXI
Infantil TMI dos anos sessenta.
 2010, atingiu o
 apesar da seu mínimo (2,5‰)
acentuada redução
da mortalidade geral. voltou a subir
ligeiramente em 2011.

Fig. Evolução da taxa de mortalidade infantil em Portugal (1950–2011).


Evolução da população portuguesa
Saldo Migratório
Os movimentos migratórios…

• têm influenciado a evolução


demográfica e social.

• Contribuem para as assimetrias


regionais que caracterizam o
território nacional.

Maioria dos Maioria dos concelhos


concelhos do do interior e das
litoral: Variação Regiões Autónomas:
Positiva. Variação Negativa.

Fig. Variação da população nos concelhos


de Portugal(1960–2001).
A População: Evolução e Contrastes Regionais
Emigração Êxodo rural

• sempre caracterizaram a
demografia portuguesa.

• motivados sobretudo pela falta


de recursos e de perspetivas de
futuro.

• maior impacte nas regiões do


interior.

• contribuíram decisivamente para


a perda de população e para o
envelhecimento demográfico.

Fig. Variação da população nos concelhos de


Portugal(1960–2001).
A População: Evolução e Contrastes Regionais

 No litoral, a chegada de migrantes do


êxodo rural atenuou os efeitos
demográficos da emigração.

 A imigração tem contribuído para o


crescimento demográfico em Portugal,
principalmente nas regiões do litoral,
onde se fixa maior número de imigrantes.

 Destacam-se as regiões da Grande


Lisboa e Algarve, seguidas do Oeste,
Península de Setúbal e Alentejo litoral.

Fig. Residentes estrangeiros nas NUTS III em


percentagem da população total (2011).
A População: Evolução e Contrastes Regionais
Evolução do Saldo Migratório

Década de
Anos setenta Últimas décadas
sessenta

Valores muito Valores mais altos de Aumento do saldo


negativos sempre migratório

 Declínio das migrações


 Maior surto de Chegada de grande
a nível internacional +
emigração da nossa número de imigrantes
regresso de muitos
história que, neste dos PALOP e da Europa
milhares de portugueses
período, se dirigiu de Leste + emigração
das ex-colónias,
sobretudo para a sobretudo para a UE e
sobretudo em 1975,
França e a República com importante
devido ao processo de
Federal da Alemanha. componente temporária.
independência
Evolução da população portuguesa
Crescimento Efetivo – Principais fatores…
 O Saldo Migratório tem sido o principal componente do crescimento efetivo,
desde o início dos anos noventa.

Fig. Evolução das taxas de crescimento efetivo, natural e migratório, nas NUTS II (2000–2010).
Evolução da população portuguesa
 A nível nacional e na maioria das regiões - o principal fator de variação
da taxa de crescimento efetivo foi a taxa de crescimento migratório.

 Região Norte - taxa de crescimento natural baixa e de crescimento


migratório a atingir valores negativos.

Fig. Evolução das taxas de crescimento efetivo, natural e migratório, nas NUTS II (2000–2010).
Evolução da população portuguesa
 Em Lisboa e no Algarve, a taxa de crescimento migratório fez aumentar a
população. Algarve - maior
acréscimo
demográfico regional.

Fig. Evolução das taxas de crescimento efetivo, natural e migratório, nas NUTS II (2000–2010).
Evolução da população portuguesa
 No Centro e no Alentejo: taxa de crescimento natural, a diminuir e com
valores negativos, foi a maior causa de perda demográfica.

Fig. Evolução das taxas de crescimento efetivo, natural e migratório, nas NUTS II (2000–2010).
Evolução da população portuguesa
Fim da apresentação