Sie sind auf Seite 1von 8

 Quais são as fontes que influenciaram as crenças de nossas igrejas atuais sobre o

assunto do divórcio e do novo casamento?


 Comparando o ensino de hoje com a interpretação dos textos bíblicos dos pais da antiga
igreja, haverá uma grande diferença?

Como lembrete, os principais pais fundadores da igreja listados abaixo, todos viveram
entre os séculos IV e V AD . Isso os torna atores privilegiados do início da igreja tendo tido
uma proximidade real no tempo e no espaço com os apóstolos de Jesus.
Podemos deduzir disso que sua herança espiritual foi transmitida em uma linha muito mais
direta em relação ao ensino de Cristo do que o que temos hoje.

Claro, isso não significa que devemos considerar todos os seus ensinamentos como
infalíveis.

Uma coisa é certa, os pais da igreja entenderam claramente a pura verdade sobre o
casamento, ou seja, um homem e uma mulher para a vida.

Sobre o divórcio e o novo casamento a compreensão do ensinamento de Jesus e


Paulo foi unânime:

 O casamento é uma aliança permanente e se, durante a vida de um dos casados, o


marido ou a esposa se casar novamente, isso constitui adultério.
 Se alguém sofresse o infortúnio de um divórcio, então ele não poderia se casar com um
segundo marido, qualquer que fosse a causa do divórcio.

O ensino dos pais da igreja:

 Hermas
 Justin de Nablus
 Clemente de Alexandria
 Orígenes
 Basil of Caesarea
 Ambrose de Milão
 Jérôme de Stridon
 Augustin of Hippo

Não foi até o século XVI que os fundamentos da igreja primitiva sofressem uma
mudança radical no ensino do casamento e do divórcio.
Pela primeira vez na história da igreja, uma nova posição doutrinária foi sugerida
por Erasmus , um humanista teólogo católico romano. Isto foi adotado em breve por
muitos teólogos da Reforma Protestante.

Hermas, pai apostólico dos séculos 1 e 2 , foi provavelmente o irmão do papa Pio I, cujo
pontificado se estendeu mais ou menos entre os anos 140 e 155 da era cristã.
Seu trabalho "O Pastor" aparece no manuscrito da Bíblia Sinaïticus .
Importante, Hermas não é o único que Paulo salta em sua epístola aos romanos.

Ensino de Hermas:
 Se uma mulher persiste em seu comportamento adúltero, a parte inocente pode e deve
repudiar ela para se separar do pecado.
 Se um marido se divorcia de sua esposa por tal motivo, ele deve permanecer sozinho e não
se casar novamente. Se uma mulher se arrepender de sua ofensa, seu marido deve perdoá-
la e levá-la de volta como esposa.
 Se um marido não perdoa sua esposa arrependida, ele tem um grande pecado em sua
própria vida.
 Homens e mulheres devem agir e ser tratados igualmente a este respeito.

"O Pastor" em inglês no Google Book .

O Pastor - Seu ensino sobre casamento: Preceito IV - 29.1) – Referência

Justin Martyr foi um dos primeiros grandes teólogos da igreja que viveram no início do
segundo século. Instigante, ele provavelmente foi decapitado em torno do ano 165 depois
de se recusar a sacrificar aos deuses pagãos.

Ensino de Justin:

 Aquele que se entrega à luxúria é culpado de adultério em seu coração.


 Quem se casa com uma pessoa repudiada comete adultério.
 Qualquer pessoa que concorda com as leis humanas contrai um segundo casamento
(durante a vida do primeiro cônjuge) pescando contra Deus.
 Deus não leva em consideração as leis humanas que violam sua própria lei. A igreja deve
fazer o mesmo.
 Deus julga as obras e os pensamentos do homem. Nada pode ser escondido de seus
olhos, nem o que está em nosso coração, nem nossos pensamentos ou ações secretas.

seu ensino sobre casamento: página 32 - parte 15) - Referência


1ª desculpa

Titus Flavius Clemente foi um teólogo grego dos séculos 2 a 3 que serviu na cabeça da
famosa escola teológica de Alexandria.
Seus escritos foram destinados a orientar os cristãos para um melhor conhecimento da
Palavra de Deus e uma pura moralidade.

Ensinamento de Clemente:

 As escrituras encorajam os cristãos a se casar.


 O casamento é uma união permanente que não permite que ninguém se separe dessa
aliança.
 O adultério é a única razão legítima para o repúdio, caso contrário, qualquer separação é
proibida. Um novo casamento durante a vida de seu primeiro marido é estritamente
proibido nas escrituras porque seria viver em adultério.
 Um homem que repudia sua esposa a corrompe, pois se ela se casar novamente por
qualquer motivo além da morte de seu marido, ela se torna adúltera.
 Um homem que se casa com uma mulher divorciada não só comete adultério contra o
primeiro cônjuge, mas também pesa contra Deus ao obstruir qualquer reconciliação da
primeira união.
 Se a mulher divorciada tivesse ficado sozinha, ela provavelmente teria voltado para o
marido.
 seu ensino sobre casamento: Livro II - Capítulo 23)
 Stromateis

CAPÍTULO XXIII.
As vantagens do casamento e os preceitos que devem direcionar seu uso; que ele
lida com mais no livro III.

Como o desejo e a voluptuosidade parecem pertencer ao casamento, também


abordemos esse ponto. O casamento é a primeira união legal de homens e mulheres
para a procriação de crianças legítimas. É por isso que Menander the comic tem um
dos seus personagens dizer:

"Eu dou a minha filha para o pai filhos legítimos. "

Mas temos que nos casar? Esta questão é uma daqueles cuja solução depende
das circunstâncias. Este homem deve estar casado; essa mulher deve estar casada;
é dizer: se este homem, se esta mulher estiver em uma determinada posição. Na
verdade, o casamento é uma necessidade, nem para nenhum indivíduo nem em todos
os momentos; Mas, em tal momento, para tal pessoa, para uma certa idade, é
apropriado. Todo homem, portanto, não pode se casar com nenhuma mulher em
nenhum momento, ou mesmo para qualquer propósito e sem restrição; mas aquele
que se encontra em tal ponto de referência, que tem opiniões sobre essa pessoa, cuja
idade é tal, que se casa em tempo e para ter filhos; mas ela que é de todos os modos,
como o homem de quem ela é amada, e que não o valoriza pela força ou pela
necessidade. É a partir daí que Abraão, proibindo que sua esposa seja esposa, diz:

"Ela é a irmã do meu pai, mas nenhuma mãe, e eu também a peguei para a
mulher"

ensinando-nos a não nos casarmos com as filhas nascidas de nossa mãe.

Vamos continuar brevemente com nossa pesquisa. Platão organiza o casamento


entre bens externos; O casamento está constantemente renovando a imortalidade da
raça humana; Através dele, a eternidade é uma cadeia perpétua de gerações, mão-a-
mão, transmitindo a vida uns aos outros à medida que se passa uma tocha. Mas
Demócrito rejeita o casamento e os filhos por causa da escassez de paternidade, e
porque prejudica as funções muito mais necessárias. Epicuro é do mesmo sentimento,
e com ele todos os que colocam o bem na voluptuosidade e em uma calma que não
perturbam nem as preocupações nem a dor. De acordo com os estóicos, o casamento
e os filhos são coisas indiferentes; De acordo com os Peripatéticos, eles são bons. Em
suma, esses filósofos, cuja doutrina não foram mais do que palavras vãs, tornaram-se
escravos de prazer. Alguns tinham concubinas, outros se entregaram a cortesãs, a
maioria manchada de meninos. Essas quatro ordens de filósofos, prostituindo-se nos
jardins com mulheres sem vergonha, honradas por atos voluptuosos. A maldição, que
é carregada pela lei sobre o acoplamento do boi e do burro, chegará inevitavelmente
aos homens que, embora se abstendo de certas coisas que consideram prejudiciais,
recomendam-no, no entanto, aos outros. e vice-versa. As Escrituras nos dizem em
poucas palavras:

"Tome cuidado para fazer ao outro o que você desculpa, se eles fizeram você. "

Os que aprovam o casamento dizem: a natureza nos fez aptos para o casamento,
como mostra claramente a distinção dos sexos; e continuam a repetir:
"Cresça e multiplique. "

Seja como for, parece com vergonha para si mesmo que o homem, obra de Deus,
é mais intemperante do que animais privados de razão, que não se acasalam
aleatoriamente e com várias fêmeas, mas com apenas um animal. e da mesma
espécie. Tais são os pombos pretos, as pombas, as tartarugas e outras aves
semelhantes. Eles dizem novamente:

"Aquele que não tem filhos se afasta da perfeição de acordo com a natureza; pois
ele não tem nenhum sucessor de seu sangue para colocar em seu lugar. Agora ele é
perfeito, que tirou de si mesmo um ser como ele mesmo, ou melhor será, quando ele
viu o filho fazer o mesmo; Ou seja, quando o filho alcançou a mesma perfeição que o
pai. "

O casamento é, portanto, absolutamente necessário, e no interesse da pátria, e


ter herdeiros do próprio sangue, e cooperar no aperfeiçoamento do mundo, tanto
quanto ele esteja em nosso poder. Pois os poetas deploram um casamento incompleto
e sem filhos, e declaram feliz o casamento cuja fecundidade floresce em todos os lados
ao nosso redor. As doenças do corpo atestam ainda melhor a necessidade do
casamento; o cuidado com que a esposa rodeia seu marido, e sua perseverança
assiduamente me pareceu tanto prevalecer sobre a constância de amigos e parentes,
que ela mesma se elevava acima deles, por seu afeto simpático; acima de tudo, por
sua disposição disposição para os doentes. Ela é verdadeiramente, de acordo com a
Escritura, uma ajuda necessária. Então, Menander, o poeta cômico, depois de ter feito
algumas censuras ao casamento, coloca em comparação as vantagens que se
encontra ali e, portanto, responde essas queixas: não estou feliz no trabalho doméstico.
- É porque você faz isso mal.

Pais, ele acrescenta:

"Você só vê as preocupações e tristezas da união conjugal sem olhar para os


bens que fornece, etc. etc. "

O casamento também ajuda aqueles que são mais velhos, uma vez que colocam
uma mulher perto deles para cuidar deles e levantar as crianças dela, para que, por sua
vez, alimentem a velhice. de seus pais. Porque, de acordo com o trágico poeta
Sófocles:

"Sob a terra que nos cobre," as crianças são um nome que nos sobrevive. Assim,
os pedaços de cortiça cujas redes são decoradas, apoiá-los na superfície do mar e
preservar a submersão da malha de linho. "

Legisladores proíbem solteiros da alta magistratura. Lacedemon impôs o castigo


não só ao único, mas também a quem se casou apenas uma vez, ou que se casaram
muito tarde ou que viviam sozinhos. O ilustre Platão quer que todos os homens
paguem o tesouro público pela comida de uma mulher e para dar aos magistrados as
despesas necessárias para sua manutenção. Ao abster-se do casamento e da
procriação, eles trazem, tanto quanto eles estão neles, a escassez de homens e
destruem as cidades das quais o mundo é composto. Além disso, é uma impiedade
abolir a geração, uma vez que é de uma instituição divina. Não há, além disso, alguma
fraqueza de coração e pusilanimidade indigno de um homem, fugir de relações
domésticas com uma mulher e filhos? pois a perda de que é um mal, possuí-lo, é
incontestavelmente um bem, e assim o resto. Agora, perder os filhos, dizem eles, é um
dos maiores males; ter filhos é, portanto, bom; O que estou falando sobre as crianças,
eu também posso aplicá-la ao casamento.
"Sem pai", disse o poeta, " não há filhos; sem mãe, sem filho concebido ".

O casamento é paternidade, pois o homem é a maternidade. O desejo supremo


de uma mulher, segundo Homer, é ter um marido e uma família, não apenas um marido
e uma família, mas com eles a harmonia e a boa inteligência. Que, para outros, a
harmonia desta união reside na voluptuosidade, não é assim com aqueles que amam a
sabedoria; O casamento os leva apenas a este acordo fundado na razão e na Palavra.
Ele permite que a esposa, não o embelezamento da figura, mas o ornamento das
maneiras; ele diz aos homens:

"Você não usará suas esposas como amantes; você não propõe para seu único
propósito os prazeres dos sentidos; mas você vai se casar com ajuda durante toda a
sua vida e praticar temperança severa. "

O homem, o fruto do casamento, e para quem todos nascem na natureza, é de


um preço mais elevado do que o trigo e a cevada, que são semeados no devido
período. Agora, veja os fazendeiros, eles apenas dão sobriamente à terra as sementes
de trigo. Devemos, portanto, purificar o casamento das impurezas que pode trazer, se
não queremos o acasalamento dos animais, durante o período de rotina, nos
envergonhar com mais reservas e mais conformidade com a natureza. do que as
uniões humanas. Na verdade, muitos animais, no momento marcado, se afastam
imediatamente da fêmea, deixando os 201 restos da Providência! Lemos nos poetas
trágicos que Polyxena, embora morto e morrendo, mostrou o máximo cuidado de cair
com decência e de cobrir o que deve ser escondido dos olhos de um homem. O
casamento também foi uma calamidade para ela.

Assim, para sucumbir sob o esforço das paixões e ceder a eles a vitória, aqui é o
último grau de servidão, para conquistá-los é a única liberdade. É por isso que, de
acordo com as Escrituras divinas, aqueles que violaram os mandamentos são vendidos
a estrangeiros ; isto é, pecados, que são contrários à natureza; Escravidão que
continua até o momento de conversão e arrependimento. Devemos, portanto, vigiar o
casamento, enquanto observamos uma santa estátua, e mantém-a pura de toda
profanação; acordando-nos com o Senhor, adormecendo com a ação de graças;
orando, e quando fechamos os olhos, e quando brilha a tocha sagrada da luz; fazendo
de nossa vida um testemunho para o Senhor; possuindo piedade em nossa alma, e
segurando sob as leis da temperança ao nosso corpo; Para a temperança e medida
em palavras e ações são realmente agradáveis a Deus. O caminho da impudência é a
obscenidade das palavras, que em conjunto produzem a obscenidade das ações.

Mas, como a Escritura aconselha o casamento e não permite que a esposa seja
demitida, o Senhor estabelece formalmente esta lei:

"Você não enviará sua esposa para longe, exceto por adultério. "

Qualquer casamento contraído, enquanto um dos casados ainda está vivo é em


seus olhos um adultério. A mulher está acima de suspeita e calúnia, acrescenta ele,
não ajustando nem o cabelo dela nem a pessoa dela além do que é apropriado,
empenhando-se diligentemente na oração e na oração. orando, raramente saindo de
sua casa, mantendo-se fora de sua presença, na medida do possível, aqueles que não
são de sua família e preferindo o seu interior para conversas ociosas.

"Quem quer que seja", diz o Senhor, "se casa com uma mulher divorciada,
comete adultério com ela". Quem se divorcia de sua esposa, comete adultério com ela,

isto é, a força para ser adúltera. 202Não só o que a repudia, mas quem a recebeu
é a causa do adultério, pois dá à mulher a oportunidade de pecar. Se ele não tivesse
recebido, ela teria voltado para o marido. Agora, o que a lei prescreve? Para parar a
inclinação natural do homem ao vício, ela quer que a mulher adúltera e condenada seja
morta; Se ela é da família sacerdotal, ela será entregue ao fogo. O homem adúltero
também é apedrejado, mas não no mesmo vínculo que seu cúmplice, de modo que sua
morte não tem nada em comum. Assim, a lei antiga, em vez de contradizer o
evangelho, concorda com o eu. Como poderia ser, uma vez que eles emanam do
mesmo Deus, um e o outro? A mulher, culpada de fornicação, viva, é verdade, pelo
pecado, morreu nos mandamentos.Aquele que lamenta sua culpa, pelo contrário, como
engendrado de novo por sua conversão, renasce na vida espiritual pela morte da antiga
prostituta e pela ressurreição da nova mulher a que a penitência engendra. O Espírito
Santo confirma estas palavras quando diz através da boca dos profetas:

"Não quero a morte do império; mas eu quero que o profano se converta. "

Finalmente, os adúlteros são apedrejados como mortos, pela dureza de seus


corações, para a lei contra a qual se rebelaram. Por que o castigo é maior para a filha
do sacerdote? Porque exigiremos muito daquele a quem nós demos muito.

Aqui pára nosso segundo livro de Stromates, considerando o comprimento e o


número dos capítulos.

Origen foi um dos teólogos mais bem sucedidos da igreja primitiva. Nascido no final do
século II , ele morreu no meio do século III, após as feridas infligidas por tortura durante o
reinado do imperador romano Déce (Trajanus Decius). Discípulo de Clemente de
Alexandria, ele sucederá a seu mestre à frente da Escola Teológica de Alexandria. Ele é
considerado o pai da exegese bíblica e um dos primeiros filósofos cristãos.

Ensino de Origen:

 Casar com um homem enquanto o marido ainda está vivo é contrário às escrituras.
 Apesar das aparências legais de um novo casamento, é apenas um adultério disfarçado se
seu primeiro marido ainda estiver vivo.
 Os laços de casamento entre um homem e uma mulher são permanentes desde que
ambos os cônjuges estejam vivos.

seu ensino sobre casamento: partes 23 e 24)


Comentários de Matthieu

Basil of Caesarea , também chamado Basil the Great , foi um grande médico da igreja do
início do século IV. Em 370 tornou-se bispo de Cesaréia. Seu compromisso durante a
fome, as instituições que ele criou e que carregam seu nome, a Basiliade, o tornaram um
dos precursores do cristianismo social.
Ele defenderá a fé de Nicéia contra o arianismo e escreverá tratados sobre o Espírito
Santo , desenvolvendo a teologia da Trindade .

O ensinamento de Basil of Caesarea:

 Quando um homem deixa sua esposa e se casar novamente, ele empurra sua esposa
para cometer adultério.
 Quando uma mulher se casa com um homem divorciado, ela é culpada de adultério. Ela é
culpada de se casar com o marido legal de outra mulher e privar essa mulher de seu
marido.
 Uma relação adúltera não diz apenas respeito a um ato sexual isolado. Mas, enquanto
persistir um relacionamento adúltero, deve ser considerado adultério permanente.
 Uma mulher abandonada pelo marido deve permanecer sozinha e não se casar
novamente.
 Uma mulher abandonada por seu marido, que faz sexo com outro homem, comete
adultério. Isso também é válido para o homem que é abandonado por sua esposa.
 É um pecado grave para uma mulher pegar o marido de outra mulher. Deve ser
considerado adultério. É o mesmo para um homem que leva a esposa de outro homem.
Ele comete adultério.

Links para os ensinamentos originais em inglês - "Cartas para Anfilochius"

 Parágrafo IX
 Parágrafos XXXIX e XLVIII
https://translate.googleusercontent.com/translate_c?depth=1&hl=pt-
BR&prev=search&rurl=translate.google.com.br&sl=fr&sp=nmt4&u=http://www.ccel.org/ccel/s
chaff/npnf208.toc.html&xid=17259,15700022,15700043,15700105,15700124,15700149,1570
0168,15700173,15700201&usg=ALkJrhgf9fo6NI10mZmtJ9lOkskipPwDIA

Ambrósio de Milão, nascido em Trier na Alemanha em 340, eminente médico da igreja


primitiva, foi quem trouxe Augustin de Hipona à fé cristã. A história também diz que ele
enfrentou publicamente e levou ao arrependimento do imperador Theodosius I após o
massacre de milhares de tessalonicenses.
Ele ocupou o assento episcopal de Milão desde o ano 374 até sua morte em 397.

O ensinamento de Ambroise:

 O ato sexual é reservado para os casados.


 Qualquer ato sexual fora do casamento é um pecado.
 Deus proíbe o fato de se divorciar para se casar novamente.
 É proibido que um homem ou uma mulher se casar novamente, desde que sua esposa
ainda esteja viva.
 É errado dizer que o divórcio é um direito. Mesmo que a lei dos homens o permita, Deus o
proíbe formalmente.
 Quem escolher a lei dos homens e quem rejeita a Lei de Deus deve ter medo do
julgamento de Deus. Eles não têm o medo de Deus.
 Todos os líderes da Igreja devem conhecer a Palavra do Senhor e obedecê-la, sob pena
de graves consequências.
 O homem não deve separar o que Deus uniu.
 Tornar-se convertido ao Senhor permite o perdão pelos pecados passados, mas não nos
desculpa de seguir os mandamentos de Deus.

Sobre os deveres do clero (em inglês):

 1: 257
 3: 89 - sobre João Batista e sua posição contra o rei Herodes

Comentários do Evangelho de Lucas ( Livro VIII - página 45 - Luke XVI.16-18 )


Agostinho é considerado um dos maiores teólogos e líderes da Igreja. A consideração que
ele teve entre os seus pares pode ser comparada com o que Paulo estava entre os
apóstolos.
Seus escritos tornaram possível defender efetivamente a fé cristã contra o ataque de
muitos inimigos e sua influência será uma fonte de inspiração que se estenderá de Tomás
de Aquino aos reformadores.

Ensinamento de Augustin:

 Nenhum dos que se divorciam e se casam de novo pode reivindicar estar na vontade de
Deus, nem evitar o pecado de adultério.
 O recoscimento de uma pessoa divorciada é sempre adultério.
 O castigo nunca é permitido, mesmo em casos de adultério, fornicação e impureza sexual
do cônjuge. Aqueles que se casam com uma pessoa divorciada, portanto, sempre
cometem adultério.
 Todos os casados divorciados são considerados por Deus como sempre casados com o
cônjuge anterior, enquanto ele estiver vivo. A lei dos homens não tem valor diante de
Deus. Qualquer relação sexual entre casal divorciado é, portanto, pecado de adultério aos
olhos do Senhor e da Igreja. É uma flagrante desobediência à Palavra de Deus. É preciso
permanecer na castidade e na abstinência.
 É possível se divorciar se o cônjuge é culpado de adultério, mas o cônjuge inocente deve
permanecer sozinho, enquanto a outra esposa estiver viva. Somente a morte pode quebrar
o vínculo do casamento.
 É estritamente proibido para um homem que nunca se casou para se casar com uma
mulher divorciada cujo esposo ainda está vivo. Ele seria culpado de adultério. Isso também
é verdade para uma mulher que nunca foi casada. É proibido casar com um homem
divorciado cuja esposa ainda está viva. Ela também seria culpada de adultério.
 O casamento após um divórcio nunca será admitido por Deus. Afirmar o contrário seria
admitir as superstições adúlteras de um deus diferente do que servimos.

Outras obras de Agostinho:

 O que é bom em casamento

https://translate.googleusercontent.com/translate_c?depth=1&hl=pt-
BR&prev=search&rurl=translate.google.com.br&sl=fr&sp=nmt4&u=http://www.abbaye-saint-
benoit.ch/saints/augustin/adultere/index.htm&xid=17259,15700022,15700043,15700105,157
00124,15700149,15700168,15700173,15700201&usg=ALkJrhhAehMnau66Ji2MkjPOo5wKz8-
gsA